OS 10 MELHORES CARROS NOVOS QUE POSSO COMPRAR EM 2014

Fotos: divulgação do fabricante

Toda vez que fiz uma lista deste tipo (em 2010, 2012 e 2013), foi por que estava realmente comprando um carro. Desta vez, não sei se vou. Vontade com certeza tenho, mas não a certeza de que é a hora certa de fazê-lo, como foi nas outras listas. Certamente estou investigando o assunto com carinho, como vocês verão mais adiante. Mas penso que, vendo o sucesso inesperado que as outras listas tiveram, talvez seja a hora de torná-la um evento anual, e janeiro me parece um mês ótimo para isso.
Ou talvez seja realmente dinheiro, como dizem os americanos, queimando um furo no meu bolso. E uma vontade danada de mudar algo, de experimentar algo novo. O Cruze vermelho já está com quase dois anos e 26 mil km, e sinceramente ando com vontade de trocá-lo. Não que esteja insatisfeito, pelo contrário, mas sim pelo simples fato de que posso fazê-lo. Muitas vezes nós, obcecados que somos por essa máquina maravilhosa, pensamos demais sobre compra, inventamos teorias e motivos, e agonizamos na escolha. Mas na verdade, o bom mesmo não é listar motivos para trocar de carro, e sim, se perguntar: por que não?
Carros são coisas extremamente caras para gente como eu, parte da classe média assalariada brasileira. São, depois da casa, a coisa mais cara que temos. Não deveria gastar tanto dinheiro só porque posso. Mas só se vive uma vez aqui neste plano então... Quando compro em carro penso em dinheiro, lógico, faço as contas, vejo seguro etc, mas é preocupação secundária. O principal é quanto eu quero o novo carro, e se posso pagá-lo. Nada mais.

Dito isso, o que estou querendo desta vez? A primeira coisa é que tem que ser zero-km, novinho, comprado em concessionária. Decidi ano passado a dar uma melhoradinha na suspensão, freios e motor da minha perua BMW 328i de 1996, e o que começou pequeno está crescendo, e tomando um bocado de tempo (e dinheiro, lógico). Fora que algumas coisas quebraram (ela tem quase 20 anos afinal das contas) e tive que consertar, coisas simples como relês de ventilador secundário do radiador, alto-falantes quebrados, guarnições de borracha e outras bobagens. Vamos dizer assim: a perua me mantém ocupado o suficiente, seja em manutenção, seja em modificações. Não quero ou preciso de outro carro que me dê mais coisas para fazer.
Quero trocar o Cruze também, por isso, obviamente, ele não está na lista. Mesmo porque, se trocar ele será para algo bem mais potente, ou pelo menos com mais torque, no mínimo. Se a Chevrolet disponibilizasse a versão turbo americana aqui, com certeza seria uma opção, mas não vou trocar um carro novo por outro igual e ainda pagar por isso. O que queria mesmo era um Cruze não com o 1,4 litro turbo americano, e sim o 1.8 nosso com turbocompressor, dando pelo menos 200 cv. Idealmente 240, já que sonhar ainda é de graça, e não paga imposto. Por menos de 100 mil reais, seria uma opção sensacional.
O que nos leva ao limite de preço da lista, 100 mil reais. Nunca pensei que um dia poderia falar isso, mas eu posso pagar 100 mil reais num carro, se trocá-lo pelo Cruze, hoje. Prefiro gastar bem menos que isso, mas o fato é que posso, se assim quiser. Pode-se olhar também essa lista como uma lista entusiástica de carros abaixo de 100 mil reais.
Uma outra opção, também, seria ficar com o Cruze e comprar um terceiro carro. Isso deixaria minha perua apenas para a diversão, e evitaria deixá-la todo dia no estacionamento descoberto do escritório, ao sol forte e destruidor do interior paulista. A lista final, então, tem cinco carros para trocar no Cruze e mais cinco para comprar sem precisar vendê-lo. Confuso, sim, mas o mundo real funciona assim mesmo...
Vocês vão notar que os carros mais caros da lista são todos turbo, fruto do meu desejo atual de maior potência, e da tendência atual de redução de cilindrada para uma mesma potência por meio de superalimentação. E que não tem nenhum SUV, e nem carros cuja aparência e design subjugam função. Nenhum mini, nenhum DS3, nenhum Fusca. Em ambos os casos, simplesmente reflexo do gosto pessoal deste editor. Sem nenhum preconceito, por favor, entendo o apelo que tem para alguns, mas não são para mim.
Vamos à ela então. Colocando eles em ordem crescente de preço, os cinco primeiros ficam sendo potenciais terceiros carros, e os cinco últimos os turbo que podem substituir meu carro atual:
  1. Renault Clio

O Clio já esteve na minha lista em 2012 e 2013, então é tema recorrente. O mais barato aqui, é uma ótima opção de diversão e utilidade a baixo custo. Ponto alto é a suspensão e o delicioso motorzinho Renault de um litro. Pequeno, mas com grande e valente coração, faz do leve mas rígido Clio um carro extremamente desejável.
  1. Fiat Grazie Mille

Os que não gostam do carrinho fica a boa notícia: nunca mais vai aparecer em minhas listas de carro zero-km. Não preciso deixar mais odes a esta pequena maravilha italiana, o último Fiat com algum DNA do grande Dante Giacosa, já fiz isso repetidas vezes (veja aqui). Mas vale falar um pouco da sua última e derradeira versão.



Sim, 30 mil reais por um Mille é muito dinheiro. Mas fiquei extremamente feliz em notar que esta versão Grazie de despedida não é mais cara que um carro normal equipado da mesma forma. Os fabricantes são mestres em querer fazer um troco fácil nessas versões de despedida, algo que sempre me incomodou. No caso da Fiat, acabou sendo uma justa homenagem ao mais barato carro nacional, e algo que merece parabéns. Os 30 e poucos mil trazem ar-condicionado e quatro portas, itens altamente desejáveis para meu terceiro carro e a idéia de ter um dos últimos Mille fabricados me faz querer visitar uma concessionária já.
O Mille esteve em toda lista que fiz. Essa é a minha última oportunidade de tirá-lo do papel e colocá-lo na garagem.
  1. VW up!

Se há um potencial substituto para o Mille em 2014, não é aquela coisa esquisita que a Fiat chama de Uno agora, mas sim este novo VW. Se não em preço talvez, com certeza em espírito.
O carro deve começar a ser vendido no mês que vem, e nem todos os detalhes são conhecidos, mas o que já sei já o coloca na lista fácil. Parece que vai ser o novo padrão básico de carro pequeno, um avanço tão grande quanto foi o Uno original em julho de 1984.



Equipado com o novo três-cilindros moderno da VW, promete espaço interno incrível, economia de combustível ímpar e desempenho brilhante, inéditos na categoria de entrada. E com o acabamento moderno dos VW, excelente. Eu com certeza espero ansiosamente vê-lo de perto e experimentá-lo. E ver quanto vai custar de verdade...
  1. VW Gol Rallye

O VW Gol é em todas as suas versões, mesmo a mais barata 1.0, uma delícia de dirigir. Mas o que queria mesmo era a versão Rallye 1,6-litro. Com a suspensão mais alta, modificada da maneira correta, mas com estabilidade e conforto inalterados, o carrinho faria um incrível estrago no meu caminho diário para o trabalho, cheio de quebra-molas e buracos. Só poder passar por eles quase sem frear seria sensacional... O único senão é o preço (aprox. 43 mil reais), um pouco salgado para um terceiro carro.
  1. Peugeot Partner

Outro carro que é meio caro para ser o terceiro, mas altamente desejável. Não pelo desempenho neste caso (apesar de não decepcionar), mas sim pela utilidade. Um terceiro carro com essa capacidade de carregar carga e/ou passageiros tem óbvia utilidade, principalmente para quem pretende construir e tem filhos, cachorros e bicicletas no plural. É a escolha da minha esposa, que desconfio querer o carro para ela.
Carrega praticamente o mesmo que uma picape, sem molhar na chuva, e com consumo, desempenho e estabilidade de carro. E pode levar gente ao invés disso. Me espanta não serem mais populares.
  1. Fiat Bravo T-Jet

O mais barato dos carros para substituir o Cruze, ao redor dos 65 mil, é o Bravo. Confesso que não gosto muito do acabamento dos Fiat dessa faixa de preço, e desconfio de sua qualidade. Já vi carros novos com pára-choques pintados em tons obviamente diferentes da carroceria e com briquebraques de painel quebrados. Podia ter considerado este carro quando comprei o Cruze em 2012, mas nem olhei para ele.
Mas as coisas mudam, e como hoje eu quero é potência, o T-Jet tem que fazer parte dela, e com grandes chances de vitória. Gastaria pouco dinheiro trocando o Cruze nele, e o carro tem o mesmo tamanho aproximado. É um hatchback, e pode ser achado na cor vermelha, ou amarelo, ou azul. O motor de 1,4 litro turbo é potente e torcudo, e o carro é equipadíssimo.
Tenho um pouco de medo da depreciação (como em todos os carros “caros” aqui), confesso, mas não o suficiente para desistir...
  1. VW Golf

Como infelizmente o GTI passa do meu limite de preço, o Golf que posso comprar é o Highline 1,4 turbo. Certamente não é barato a mais de 75 mil, mas definitivamente tem uma qualidade de construção e uma solidez bem superior à do Bravo. Seu acabamento é surpreendente, e conhecendo a VW de hoje, deve ser um carro maravilhoso ao rodar. E pode ser comprado com pedal de embreagem, algo raro hoje nessa faixa.


Se a imitação é o maior elogio, escutem essa: no Congresso SAE Brasil este ano, os dois carros em estandes vizinhos, não pude deixar de notar que o Mercedes-Benz classe A é extremamente semelhante ao carro da VW. Design à parte, o tamanho, a qualidade de construção, os materiais, a configuração, tudo parece extremamente similar. Assustador constatar que a Mercedes parece copiar a VW. Parece que nada é mais sagrado mesmo.
  1. Renault Fluence GT

O Bob recentemente passou algum tempo com o sedanzão turbo do fabricante francês e nos conta que gostou muito. Motor forte, câmbio de seis marchas com pedal de embreagem, espaço interno generoso, estabilidade e conforto irrepreensíveis. A depreciação é monstruosa, carros com um ano vendidos a vinte mil a menos que o zero, mas consigo fingir que não sei disso.
O que realmente me incomoda na verdade é que é um sedã. Faz mais de 20 anos que não compro um sedã zero-km, e me acostumei com a praticidade da porta traseira. Como seria um carro para fazer tudo, como é o Cruze hoje, sua incapacidade de engolir cargas mais volumosas é um problema.
  1. VW Jetta TSI

Eu sempre gostei da versão TSI do Jetta, mas aqui ele entra com um concorrente muito sério: o Fluence GT. Mais barato e com câmbio manual de verdade, o Renault me parece hoje uma opção melhor, apesar de menos sólida e de menor qualidade geral. Mas o problema dos dois já disse qual é: falta da porta traseira.
Se ao menos o Golf tivesse o motor mais potente do Jetta, e seu preço...
  1. BMW 116i

OK, essa é de longe a idéia menos lógica aqui. O BMW é o mais caro, e, aos 136 cv, menos potente que os quatro carros anteriores. Na verdade é menos potente que o meu Cruze, apesar da sua curva incrivelmente plana e mais alta de torque compensar um pouco as coisas.
Estamos falando de um carro que, a 99 mil reais, é extremamente caro pelo seu tamanho, potência e equipamento. E extremamente caro, ponto.
Mas como números não dizem tudo, ainda assim está seriamente no páreo. Depois de conviver um bom tempo com a minha BMW velhinha, fui completamente fisgado. A posição de dirigir, o modo que a direção funciona, o motor sempre torcudo, potente, suave, econômico... tudo forma um conjunto coeso e incrivelmente gostoso de experimentar.
Não é à toa que em todos os departamentos de engenharia mundo afora, os BMW são referência absoluta. Pode ser chato e repetitivo falar mais uma vez sobre esses carros, mas não posso evitar.
Experimentando um desses 116i básicos em um test-drive, fiquei impressionado como é parecido na posição de dirigir, e de como esta posição está em relação ao carro, com minha perua série 3 de 20 anos atrás. Se tem uma coisa que aprendemos com isso (e com carros como o 911 e o Corvette, por exemplo), é que não se deve mexer no que está certo desde o começo. E, como a minha E36, tem tração traseira e praticamente metade do peso em cada eixo, mais duas fantásticas tradições da marca.
O preço é alto, sim, mas a depreciação é baixa. A regra de baixa depreciação é antiga e vale para qualquer país ou situação, e é quase um ditado popular na Inglaterra: sempre compre um Mercedes barato, nunca um Ford caro. Não falha nunca.
O único problema aqui é o câmbio automático, que apesar de muito bom, moderno, cheio de marchas (oito! Barrabás!), bem calibrado, telepático na troca de marchas, ainda é um automático. E o preço alto, lógico. O carro também não é muito grande, mas é um hatchback para compensar um pouco.
Mas a felicidade de ter tudo de bom de um carro novo, com tudo de bom de uma BMW, realmente me deixa salivando. Wolfgang Rietzle, o engenheiro alemão de bigodinho ridículo que criou o série 3 E36 dizia que um BMW de vinte anos de idade devia ainda trazer compradores para a marca. Que objetivo sensacional, e que incrível ver que se tornou realidade!


Estão aí minhas opções para 2014, então. Este ano farei mais uma coisa diferente: como ainda não me decidi e estou sem pressa para fazê-lo, vou pedir ajuda para os amigos leitores. O que você faria no meu lugar? Use os comentários abaixo para dar sua opinião! O editor agradece tanto o incentivo quanto o desalento. Dessa vez, não consigo me decidir...
MAO

225 comentários :

  1. Gosto como nesses seus posts o espectro de carros considerados é sempre tão amplo, e você é capaz de ver qualidades autoentusiastas num prosaico Clio ou Mille.

    No entanto, parece que a experiência BMW te fisgou. O problema é que, mesmo deixando a lógica de lado, o 116i é um carro que não faz sentido algum aqui no Brasil, por esse preço (mesmo que, na prática, preço algum faça sentido no Brasil...).

    Fosse eu, e tentando entender pelo seu texto o que te agrada mais, iria de Golf. Qualidade e solidez alemães, literalmente, motor turbo, câmbio manual (embora adore os dupla embreagem!) e uma expectativa de desvalorização menor que Fluence e Bravo. Deve dar problema no seguro, no entanto.

    No meio tempo, programe-se e quando daqui uns anos o carro não te trouxer mais aquele sorriso, estará pronto para um Série 1 mais forte.

    ResponderExcluir
  2. Leo Cordeiro16/01/14 12:23

    Caro MAO,sem sombra de dúvida iria de Golf Highline 1,4 TSI!O carro consegue aliar solidez mecânica e estrutural,excelente acabamento e montagem,um motor que alia o que há de mais moderno na indústria automobilística hoje,com bom desempenho e baixo consumo,a opção do câmbio manual,como você mesmo citou (referência neste caso ) e por ser a versão original alemã;quando vier a ser fabricado aqui,adaptarão uma versão flex,consumo vai lá pro alto e o acabamento,como bem sabemos,cairá muito em qualidade em relação à versão atual!Além do mais é o Golf,não é mesmo?Cultuado por 10 entre 10 autoentusiastas não só aqui,mas em todo o mundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gosto do golf... pode colocar 9 entre 10.

      Excluir
    2. 6 [ou a minha posição, quando esse comentário for ao ar].

      Excluir
    3. Corsário Viajante17/01/14 10:45

      Eu gosto, pode voltar pro 6... rs

      Excluir
    4. vitor marques17/01/14 11:29

      4

      Excluir
    5. 1
      Assinado JJ

      Excluir
  3. Corsário Viajante16/01/14 12:25

    Realmente, cada cabeça uma sentença. Trocar com menos de 30.000km e dois anos é coisa que não entendo. Eu pensaria bem, para evitar comprar um outro carro que possa "servir" por um ou dois anos mas que não vai te apaixonar e te fazer ter desejo de ficar com ele mais tempo.
    Aliás, eu "votaria" no série 1, pois pelo jeito está apaixonado pela BMW. E já que tem o dinheiro, melhor trocar um carro genérico por um BMW do que por outro genérico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/01/14 14:14

      Ah sim, esqueci, não pensou no novo Fiesta 1.6 no lugar do Gol Rallye, por exemplo?

      Excluir
    2. Simples, pq ele não tem a suspensão elevada, que foi o item que ele destacou no Gol.

      Excluir
  4. Caro Marco Antonio, eu poderia dar algumas sugestões, mas com toda franqueza, eu só troco de carro, (quando por prazer, o que parece ser seu caso), se algum veículo específico tocou profundamente meu coração.
    Caso contrário, depois pode bater algum arrependimento...

    Agora, se for um carro adicional para poupar a BMW, talvez valha a pena esperar um pouco para conhecer melhor o Up! Este motor 3 cilindros é tentador.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Comecei a ler a lista e voce disse em um carro para substituir o cruze e turbo... imediatamente pensei que o peugeot 3008 estaria aqui, mas fiquei surpreso ao não velo. Certamente se eu tivesse condições hoje de me desfazer de minha scenic e pegar uma 3008 isto já teria sido feito... Gosto de minivans, são praticas, versáteis e relativamente compactas.

    E provando que ergonomia pode ser relativo, o AK reclamava como era incomodo para ele dirigir a scenic da esposa, principalmente quando estava com dor nas cosatas e que a ergonomia de seu velho escort MK7 era muito melhor..... mas para mim é justamente o contrario, me encaixo como uma luva na scenic, ao sentar no banco do motorista sinto minha coluna agradecer e todos os comandos estão no alcance das mão... já no mk7 eu não achei este ponto!

    Agora voltando a lista, vou fazer uma previsão: MAO, você não ira resistir a ultima oportunidade de colocar o bom e velho uno na garagem... e assim como fez com o focus antigo vai sair revirando as concessionárias atras dele... para ser sincero eu estou quase fazendo isto!

    ResponderExcluir
  7. MAO, vc quer um carro como o Cruze, porém mais forte. O que acha do Peugeot 308 THP? Tenho ouvido falar bem dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco Molazzano16/01/14 14:24

      Um carro fantástico, convivo com ele já há 8 meses. Sem defeitos, sem problemas.
      Cambio, interior, teto de vidro, infotainment, portamalas etc. O motor podia ter mais pimenta ou mais barulho, já que é irmão do motor do Mini Cooper S. Isso eu noto que falta, principalmente quando volto pro Si, oposto total desse powertrain (alto giro, manual, 6 marchas).
      Altamente recomendável. Esses 1.6 turbos ainda são economicos na estrada (14 km/l), mas não na cidade.
      Quem não liga pra teto solar, pode viver com menos espaço, quer marchas no mão e não tem nada contra 2 portas, vá de Citroen DS3. Considerei, mas com o Si na garagem optei por algum conforto contra o péssimo trânsito paulistano.

      Excluir
    2. A desvalorizacao é alta.
      O Pos-Venda uma tristeza sem fim....

      Excluir
    3. Pena o THP não ser manual e já ter uma outra geração lá fora.

      Excluir
    4. Impressionante como o valor de revenda ainda está na cabeça da população, ecos da cultura inflacionária. Se colocar no papel o carro que mais desvaloriza e o menos desvaloriza vai ver que a diferença entre os dois no final não dá 5% do TCO (Custo total de propriedade).

      Excluir
    5. MarcoMolazzano16/01/14 21:40


      Eu gosto desse câmbio automático. Não acredito como verdade absoluta que AUTOentusiasta precisa necessariamente preferir câmbio manual. Mas no meu caso, tem outro carro entusiástico com câmbio manual pra usar. Como falei, tem o DS3 como opção de câmbio manual no grupo PSA.

      Até agora, tudo certo no pós venda,

      Desvaloriza... Não estamos no caderno de Economia do Estadão. Mais vale um gosto que um troco! Só se vive uma vez! E mais outros 35 ditados nessa linha, se o pessoal quiser lembrar!

      Sei lá, cada um com seu cada um, gostei do carro, não vou vender antes de 5 anos e portanto pouco me preocupa se venderei por 30% ou 40% do valor (33% a mais deve separar um carro desvalorizado de um valorizado após 5 anos, não? Falamos de 10% do valor do carro novo. Não me parece um valor tão significativo pra escolher "o mais vendável"). Mas, como disse, cada um com sua opinião. Eu recomendo.

      Excluir
    6. Em pleno ano de 2014 e as pessoas ainda repetem esse mantra de desvalorização...
      Já falei isso uma vez aqui e repito: tem gente que jamais vai sentir a satisfação de comprar o carro que desejava ao invés de comprar o carro que os outros acham que é bom pra ele.

      É aquela história: sabe qual a diferença de um Pokemon pra mentalidade do brasileiro?
      O Pokemon evolui...

      Excluir
  8. MAO

    Dentre os citados, Jetta sem sombra de dúvida. Mas confira o valor do seguro pois deve ser uma facada.

    Meu amigo, a GMB, como sempre, dormindo no ponto. Canso de falar que esse motor que você deseja existe e poderia muito bem equipar uma versão do Cruze. Ele está debaixo do capô de uma das versões do Malibu. Dois litros, injeção direta, turbo e 260 cavalos, se não me engano. Aliás, acho que é o mesmo motor do Cobalt SS.
    Fica aí imaginando como um bicho desses se comportaria na mão de quem sabe tocar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seguro do Jetta TSI não é caro não. Troquei um Civic LXS por um Jetta e o seguro ficou na mesma proporção do valor do carro. No caso do Golf 1.4, por outro lado, o seguro ficaria o dobro do valor, mesmo com o carro cotado a 10 mil a menos!

      Excluir
  9. Eu iria de Up! ou BMW, cogitaria a idéia do Fusca pelo custo/beneficio, 211cv e cambio manual por 86 mil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que essa versão manual é para inglês ver. E logo a versão manual do Golf deve tomar o mesmo caminho, portanto quem quiser compre já! A VW tem a péssima mania das fabricantes mais tradicionais do nosso mercado em não ser constante com seus carros mais caros ou de nicho. Versões e acabamentos simplesmente somem ou constam na tabela apenas para atrair pelo preço.

      O Fusca manual acho que mal chegou um lote. 2 meses depois da chegada e ao menos em SP não se achava mais o carro, combinado pelo típico desinteresse dos vendedores em encomendar ou buscar um carro assim. Outro reflexo de quem está treinado para vender estoque padrão em números grandes.

      Excluir
    2. Bela pedida esse novo Besourao !
      Jorjao

      Excluir
    3. Muito bem lembrado. O Fusca só não serviria como carro para todas as ocasiões, mas tem um baita motor.

      Excluir
  10. MAO, na verdade tu já decidiu sim.

    Só falta tu escolher a cor da 116i, eu optaria pela azul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu iria de Golf com cambio DSG...
      Tao bom quanto esse BMW .... porem bem mais discreto e barato.
      Nao vacile MAO!

      Excluir
    2. O seguro do BMW deve estar mais barato que o do Golf.

      Excluir
    3. O Golf DSG 1.4T (85 mil, com alguns opcionais) iria sair por menos de 3000 no meu perfil (28 anos, solteiro, estacionamento em casa e no trabalho - Aracaju/SE)
      Será que o BMW 116i ia sair por menos que isso?

      Excluir
    4. No perfil da minha esposa o Golf TSI 1.4 sairia pelo mesmo preço do Cruze, somente com a obrigatoriedade de instalar um rastreador.

      Excluir
  11. MAO,

    Já acompanho o AutoEntusiastas a muito tempo e este será o meu primeiro post!

    Se eu fosse você, decidiria pela BMW sem sombra de dúvidas! Compraria pelo emocional e não pelo racional.

    Forte abraço,

    Pedro Brasil

    ResponderExcluir
  12. Alguns apontamentos para 2014:
    - O Focus está encalhado e o preço ainda vai cair muito, tornando ele uma opção muito mais interessante do que é hoje.
    - Para o final do ano (se as orações vingarem) teremos o Fiesta ST e o 500 Abarth (com um preço razoável?!).
    - Tem o novo Subaru Impreza lá fora está muito bonito, será que ele vem esse ano?
    - E para finalizar tem o Civic Si prometido para 2014 (mas esse vai custar caro!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta,
      Muito boa suas sugestoes...
      Acho que temos gostos parecidos por carros....
      Tambem acho o Subaru uma otima opcao na casa dos 100K

      Excluir
  13. Oi MAO.
    Bom, eu acompanho diariamente o Blog mas é bem verdade que não escrevo muito nos comentários.

    Eu sou suspeito pra falar mas vou arriscar assim mesmo.
    Meu pai teve 3 golfs, e mesmo com aquele motorzinho 1.6 era um carro extremamente bem acertado, fazia curva que era uma beleza, não dava e nunca deu mecânica e acredite, andava bem. Derrepente chega o novo golf, não resisti. Mesmo não tendo condições de comprar um eu fui a concessionaria.. Sentei no banco. Senti exatamente a mesma sensação que você sentiu saindo da sua antiga BMW e entrando na nova. Eu me sentei e a posição de dirigir voltou a minha mente instintivamente. Andei no DSG pois estou tentado a ter um carro de cambio automático para o meu anda e para infinito aqui em Goiânia, mas eu acredito que o cambio manual cairia bem... ahh aquele cambio manual da vw é uma delicia. EU falo com toda e qualquer propriedade que você quiser. O prazer de dirigir e ter alguma coisa em que alguém gastou tempo pra fazer, você não vai ter em nenhum dos carros citados, a não ser a bimmer. Eu sou muito criticado por isto inclusive porque trabalho com tecnologia. Ex: Adoro os produtos da apple, sei que existem outros que fazem a mesma coisa por um terço do preço, mas nenhuma outra marca me dá um prazer (individual leia-se, e não pra mostrar) de que alguém gastou tempo e carinho fazendo aquilo. É exatamente a mesma sensação que eu tive quando entrei no novo golf... Varios alguéns que realmente gostam do que fazem gastaram um bom tempo fazendo aquilo... isso deve ser coisa de engenheiro hehe.

    Ah e pra finalizar, eles tem aquele azul maravilhosamente lindo que de perto é mil vezes melhor que na foto. Ai você pode pegar o teto solar panorâmico e ter um carro que seria meu projeto. Ficar com ele dez anos, quem sabe mais, fazer como você fez com essa bmw linda. Comprar algo pra vida toda, que te dê alegria todo dia que você se sentar ao volante.

    Um dia quem sabe =D. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção:
      Onde se lê: "EU falo com toda e qualquer propriedade que você quiser. O prazer de dirigir e ter alguma coisa em que alguém gastou tempo pra fazer, você não vai ter em nenhum dos carros citados, a não ser a bimmer"

      leia-se:
      "Eu falo com toda e qualquer propriedade que você quiser. O prazer de dirigir e ter alguma coisa em que alguém gastou tempo pra fazer, além deste novo Golf você não vai ter em nenhum dos carros citados, a não ser a bimmer

      Excluir
  14. Lista até boa, mas falta o melhor carro do mundo na relação custo / benefício: Ford Focus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juvenal, concordo contigo. Trocar o Cruze pelo Focus, mudança da água para o vinho.
      VPJ

      Excluir
    2. Até o modelo anterior dava para dizer isso. O novo, apesar de muito bom, cobra preço de gente grande no mercado. Um 2.0 te pede pelo menos 70 e tantos mil e só vem automático. Preço de Corolla e Civic num hatch. Por melhor que seja o Focus, ele não tem esse nome todo no mercado para cobrar o que esses carros já bem inflados no preço cobram.

      Ademais, não entendo porque o MAO deixou de fora o DS3 nessa questão do custo/benefício. Acho que pelo preço real dele (pouco menos de 70 mil) nada é mais adequado para um entusiasta procurando esportividade/potência. E não tem nada de exagerado na aparência dele como foi sugerido, apenas talvez nas rodas. Do resto é um bonito, funcional e leve 2 portas. E talvez o único carro assim (um hot hatch clássico, leve, manual e 2 portas) no Brasil hoje, já que o Fusca manual só existe na teoria (não sei nem se dá para encomendar).

      Excluir
    3. JJ
      Voce ta podendo hein...?
      O Focus novo esta uam fortuna! Pedem 60K por um 1.6 de entrada.
      O bom seria o 2.0 Titanium hatch ...mas ai acho que sai mais em coanta comprar o BMW ou Golf GTI!

      Excluir
    4. Hahahaha! Essa foi ótima, Juvenal! Caramba, essa paixão pelo Focus é quase patológica, hein?!

      Claro, ele tá suuuper barato, um carro pesado pacaramba como ele, com um 1.6 espremido até o talo para render os mais de 130 cv (imagino como ficaram as baixas e médias rotações). E quando automático (automatizado...) o cambio é de uma recalcitrância ímpar, simplesmente ignorando o que o motorista ordena. Pelo menos foi isso que senti num Fiesta equipado com esse conjunto motriz.

      Um abraço, e continue nos brindando com seus ótimos textos e piadas, como esta feita agora!

      Lucas CRF

      Excluir
    5. Não enquanto ele continuar saindo da Argentina. Quando [e se] ele virar nacional ou começar a vir da Europa, aí sim, mas ficar aceitando carro feito nos coxas pelos outros? Não dá. Focus no papel é muito bom, mas na pratica sofre o mesmo mal do Eco: qualidade de montagem.

      Excluir
    6. JJ
      Voce errou !
      O melhor carro do mundo na relação custo / benefício é o Golf !

      Excluir
  15. 2006 335i + 12K para revisão/ou seguro = 100k
    BM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Definitivamente este é um conselho sábio!

      O do JJ também é igualmente sábio.

      Mas o meu é diferente: não compre nada. Absolutamente nada. Simplesmente remova todo esse pensamento consumista irracional da mente!

      Porque? Simples. Porque cogitar em vender um carro que mal tem 2 anos de uso e nem sequer 30 mil km rodados, e que provavelmente não apresentou absolutamente nenhum problema, é simplesmente uma insanidade!!! É equivalente a demitir um funcionário perfeito, que nunca faltou nem falhou no trabalho, simplesmente pelo "prazer" de demitir e contratar um novo. Não tem nenhum sentido.

      O que eu recomendo fortemente: não compre NADA, continue acumulando dinheiro para, em alguns anos, ter dinheiro para comprar um carro realmente melhor. Por exemplo, nada de Golf 1.4T, e sim Golf GTI. Isso em se tratando de carro novo. Se for admitir carro 2011 ou 2012, eu iria sem a menor sombra de dúvida para o Omega Fittipaldi. Afinal, com os 292CV dele, todos os carros citados ficam realmente pequenos (inclusive no retrovisor).

      Excluir
    2. 2014 parece um ano de transição. Acho que nos próximos anos teremos opções ainda melhores, bem mais concorrência e menos demanda.

      Excluir
    3. Corsário Viajante16/01/14 15:59

      Penso como o Bussoranga, contra o consumismo desnecessário, e o Perneta apontou bem, se no segundo semestre de 2014 já teremos novidades, em 2015 teremos estas novidades já atuando no mercado. Eu esperaria.

      Excluir
    4. 100 mil Reais por um carro com 8 anos de uso?
      Cuidado que trouxa é uma espécie em extinção.

      Excluir
    5. Eu sempre leio o blog, quase nunca comento nada mas nessa eu vou comentar... Eu tbm não compraria nada... É besteira gastar grana em carro novo sem o mesmo não ter pelo menos uns 2 anos (ou o seu tempo de garantia, no mínimo)...

      Excluir
    6. Assino embaixo desses comentários acima. Não compre nada, contenha o "tesão" consumista provocado pelo "cheiro de novo"... Além de ser insano trocar um carro com 2 anos de uso e que traz plena satisfação das necessidades do dono (apesar de ser sem graça pacas, afinal a GM desaprendeu), as demais opções de mercado são broxantes. Talvez o Golf, mesmo assim, tenho minhas dúvidas.
      Guarde essa grana para o dia que um carro te encher os olhos, tal qual um BM dessas, só que com um conjunto motriz mais empolgante.

      Excluir
  16. Rodolfo Flesch16/01/14 13:37

    Mao, se não está certo da compra, simplesmente não a faça!

    O BMW também me faz babar, mas 100k em um série 1, 1.6T não é racional.
    Se a ideia inicial era poder ter um Cruze mais forte, porque não monta um turbinho neste teu 6 marchas e deixa a compra do carro novo para o ano que vem? Com certeza vais desfrutar muito do carro, que na minha opinião ainda é muito novo para ser vendido, e tem a capacidade de te entregar o que você procura: Um carro bom, barato, forte e sobrealimentado. Às vezes o que estamos procurando está debaixo dos nossos narizes. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa sugestao, procure uma turbina pequena, a menor possivel, que de pressao com um minimo de rotacao do motor, siga a receita da BMW, muito torque em toda a faixa de rotacao, ao inves de potencia somente em alta.

      o finado Gol 1.0 16V Turbo era assim, a 2000 RPM a turbina ja dava as caras e deixava o carro esperto como o 1.6, e a 3000 RPM o carriho simplesmente VOAVA, mais que o 2.0.

      Excluir
    2. Ótima sugestão! Uma turbininha pequena, roletada e com baixa pressão (0,3 ou 0,4) deixaria o Cruze com confiabilidade de original, e seria o suficiente para encostar nos 200 cv. E nem sai tão caro assim. Imagino uns 6/7 paus.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    3. Rodolfo Flesch17/01/14 17:03

      Com 10,5:1 de taxa de compressão, é possível passar de 1 bar de pressão, se for rodar no álcool. Mas como a ideia inicial é manter o miolo original, acredito que 0,6 bar + intercooler seja a medida certa. Eu iria de turbina média, daquelas que "pegam" a 3000RPM. Menos que isso, tu tem um carrinho ori do vô, pra dar as bandinhas na cidade sem se preocupar. Importante é escolher turbina com resfriamento a água e óleo. Eu iria de GT2560R.

      Excluir
  17. Gosto de carros simples, mas com boa qualidade construtiva. Além do Partner, sugiro também o Fiat Doblò. Já tive dois e eram surpreendentemente bons, apesar do motor muito, mas muito fraco. Com o novo motor, deve ter ficado no ponto.
    Gostaria que fizesse uma lista diametralmente oposta: Os dez carros familiares, de até R$ 150.000,00, que pudéssemos ficar por pelo menos 10 anos sem trocá-lo. Os carros precisam ser potentes, ter boa ergonomia e, mais do que tudo, proporcionar prazer ao dirigir. Esta tem sido minha meta, pelo pouco uso e relativo cuidado que tenho com o "carro da família".
    Obrigado e um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Isso é ... pra embaralhar a sua escolha(seria a minha).

    BM

    Não publique SÓ para o autor!!!



    ResponderExcluir
  19. O Bravo T-Jet tem um ótimo acabamento MAO, inclusive com opção de acabamento interno tom marrom, bem agradável. O painel possui um emborrachado muito agradável, as portas não são 100% plástico como é padrão hoje, o motor é simples e barato de manter, a potência é aceitável e a dirigibilidade é maravilhosa, parece um carro de motor maior e o design é, bom, italiano, indiscutível.

    ResponderExcluir
  20. VW na cabeça:
    Para 3# carro va de Up ! Uma grande novidade
    Na troca do Cruzie Jetta TSi ou o Golf
    Se for para enfiar o pe na jaca va de Golf GTi. Julgo superior ao BMW 116.
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julga não, o GTI é superior. Anda mais, é mais bem equipado e acabado. Por incrível que pareça, Foi eleito o melhor esportivo compacto da Europa e olha que tinha alguns peixes grandes, como o Audi S3 e a 135M. O grande trunfo na Europa foi aliar as qualidades dos premium alemães ao preço baixo de um Golf (lá, é claro).

      Excluir
  21. Eu iria de Golf. Primeiro por ser um verdadeiro alemão (com preço mais baixo), depois por ser um carro bastante moderno, que alia desempenho e economia perfeitamente, ter inúmeros itens tecnológicos e, no caso, poder vir com o câmbio manual. Apesar de ter sofrido um aumento de quase 4k na sua versão sem opcionais, ainda vale o que é cobrado se comparado com concorrentes nacionais, como o citado Bravo.

    ResponderExcluir
  22. eu tenho essa mesma vontade do BMW, bravo (acho q prefiro o punto) e golf. mas acho que, tirando a diferenca de preco, o golf destroi os fiat. um BMW com sua traçao traseira, acabamento e qualidade, vale. tambem gosto do azul!

    ResponderExcluir
  23. MAO, primeiramente parabéns pelo post, é difícil alguém que não seja anonimo vir e falar o quanto pode gastar...

    Dentre as opções, minha sugestão é que você fique com 2 carros, por isso meu voto é pelo Golf 1.4.
    Poderia sugerir o Bravo Tjet (tenho um Essence e gosto muito), mas o Golf pra mim é outro patamar.

    Mas se vc pode gastar até 100k porque não pegar o Golf GTI???

    ResponderExcluir
  24. Se for substituir o Cruze: sugiro experimentar a Peugeot 3008 antes. Tem potência, tem conforto e a patroa vai gostar também. Já que vc conhece muito de mecânica, turbinar o Cruze seria uma boa opção também. Quanto ao BMW, ahhh, sem dúvida, esse sim é "das auto". (Lamento golfistas, mas volks é montadora de massa, nunca poderá ser comparada à BMW ou Mercedes. Golf não é páreo para a 116i, os bávaros tem um esmero na construção incomparável).
    Como terceiro carro, eu ficaria com o Uno Mille.

    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O valor do Golf está fortemente subsidiado. O GTI tem seguro e custo de manutenção para um carro importado de mais 150 mil reais. Eu penso o inverso, preferia pagar 150 mil pelo carro e ter manutenção equivalente a um de menos de 90 mil.

      Excluir
    2. Deve estar brincando, só pode ser...

      Excluir
    3. Na década de 80 era assim com a VW e agora é asim com os carros da Honda.

      Excluir
    4. Perneta,
      voce deu uma informação importante, e me lembrou a tia de minha esposa, que trocou um Golf já velhinho e gasto depois de 5 anos de uso por um Focus zero. Pagava menos seguro !

      Excluir
  25. Como substituto vá de Golf e seja muito feliz; ele é tudo aquilo que acostumou (bem!!!) a gente em suas gerações passadas, mas melhorado substancialmente. Seus 140 cavalos é mera ilusão de óptica na ficha técnica, a realidade é bem mais interessante.

    O motor sempre empurra mais do espera, o carro têm uma dirigibilidade fantástica, ele devora curvas com uma responsabilidade e firmeza viciante. Ergonomia perfeita, volante que parece que lê pensamentos...é o Golf mundial em sua melhor forma. Dá vontade de escrever no WRC de Monte Carlo e alinhar ao lado de Ogier e seu Polo endiabrado (menos, menos...mas enfim, o bicho cativa!).

    O Cruze, apesar de ótimo carro, em comparação com o drive e ímpeto do Golf, parece um senhor reumático ao lado de um atleta recém aposentado.

    Defeito é o porta malas pequeno; fiquei com água na boca, mas a mim não serve...vou esperar uma Variant Jetta com motor 1.4 TSI a preço de R$ 68.000,00 (estarei no aguardo também da monarquia e Papai Noel).

    Como carro pequeno: VW UP (cacete, MFF é "apezeiro?") - Vai agitar o coreto no segmento, se herdar a dirigibilidade volks com a economia do 3 cilindros, mais todos seus aspectos práticos...sai da frente!

    Boa sorte amigo!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF,
      o Golf é bom, mas chato, pasteurizado, e caro demais.

      Excluir
    2. Juvenal, e um A1 Sport 180cv com turbo + compressor?
      O Bob andou testando ele.

      Excluir
    3. Juvenal falou tudo... parece que não gostar do golf é heresia... Parece que tem que ser assim porque todo mundo é assim... Aff... Prefiro um DS.

      Excluir
    4. Luiz AG,
      exato.
      Andei no Golf GTi e é muito bom de dirigir no sentido da facilidade. Mas é tanta eletrônica e tudo tão anestesiado e suave e linear que simplesmente não parece um carro com motor. Parece um trem de luxo, onde só por acaso você pode sentar e dirigir. E um estilo insosso. Sobre preços, nem comento. Cada um tem sua carteira e rasga dinheiro como quiser. Eu compro livros e miniaturas e pago contas.

      Excluir
    5. Juvenal; ele é tão eficiente no segmento que parece chato, pois não têm os defeitinhos e características de carros menos elaborados; com caixa manual - essa eu não testei - sai da frente, diversão com eficiência. Seu maior concorrente; o Focus, só oferece caixa automática e não esbanja o mesmo torque para mover aquela bigorna.

      O GTi precisa ser linear, senão os cabras se matam com ele, lembre que são poucos os que podem segurar um tração dianteira que resolve andar à moda caranguejo nas curvas (aí sim emoção garantida...rs); claro que uma caixa manual e a opção de desligar o controle de tração para dar umas lixadas internas (lado da curva) por pura farra...trariam um alento a mais para quem gosta de sentir um pouco mais o carro.

      Excluir
    6. Em tempo: também prefiro o DS3 para guiar, mas não está na lista do MAO!

      MFF

      Excluir
  26. Golf com certeza, basta fazer um test drive pra leva-lo pra casa. Afinal, um carro alemão, com cambio manual e 25 kgfm de torque a 1500 rpm vão te fazer sorrir como uma criança. Essa sensação que vc procura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      é aquela coisa que sempre digo: se você não se interessa por estilo de automóveis, se sentirá feliz com um Golf, sem dúvida alguma.

      Excluir
    2. Juvenal
      Essa sua implicância com o estilo do Golf está me deixando irritado e neurastênico!
      Barrabás!

      Excluir
  27. Se fosse no meu caso, eu ficaria com o Cruze, compraria um Mille para o dia a dia e deixaria a BMW para o mais puro e simples deleite. Até porque , na minha visão um carro com 2 anos e 26 mil km é ainda um carro novo.

    ResponderExcluir
  28. Eu venderia o Cruze, compraria o Golf e com o troco um Mille.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo16/01/14 14:34 Acho que não dá pra comprar o Golf ,quanto mais o Mille junto.

      Excluir
  29. MAO,
    Já deixei uma impressão minha sobre o Bravo T-Jet no último post do Marco Aurélio (quando ele escreveu sobre o Bravo dele). Troquei um Focus igual ao que você tinha (primeira geração e motor RoCam) por ele. Para você que trocou pelo Cruze, posso resumir da seguinte forma: é o motor que faltava ao chassis do Cruze. Lógico que não são os 200 cv que você sonha, mas já é o empurrão que faltava ao Cruze. Minha impressão ao trocar foi bem similar ao que você descreveu no post dos 10 mil km do Cruze, daí minha conclusão em resumir dessa forma o carro. Outra coisa que influenciou minha escolha foi o seguro em 3,5% do valor do carro (isso porque não é no interior que moro) e a desvalorização menor perante outros carros similares (inclusive Focus). Inclusive, acho que o Bravo possui mais mimos, coisas que a GM infelizmente deixou no passado juntamente com os carros de origem Opel que eram fabricados por aqui.

    Como meu limite de valor era inferior ao seu, não pude levar o que seria minha primeira escolha: o Golf 1,4 TSI. Por isso, escolhi aquilo que julguei ser o mais próximo dentro das minhas possibilidades. Deixei para trás o Fluence GT depois de um conhecido informar o quanto ele gastava de combustível com o pé leve e pelo seu tamanho avantajado que não preciso nesse momento.

    Caso queira mais impressões, podemos manter contato, pois nosso gosto por carro e impressões são muito parecidos. Acho que em parte pode ser influência de uma certa faculdade de SBC que acentua (ou refina) o gosto que já possuímos quando lá entramos...

    Abraço, colega.

    ResponderExcluir
  30. O único que se aproxima da minha lista é a BMW. O resto, nada.

    ResponderExcluir
  31. Existe Partner de passeio zero km? No site da Peugeot não tem nenhum. Em anúncios só vejo o furgão. Quanto vale um Partner de passeio? Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já existiu, na versão Escapade, mas a Peugeot desistiu dela... agora é só furgão mesmo.

      Excluir
  32. Se o dinheiro não for problema ,BMW,mas se for, o Clio é uma ótima opção.

    ResponderExcluir
  33. Interessante ver que alguém tem a mesma doença que eu: sempre que possível, já pensa em trocar de carro! Sempre fui um fã da VW, desde meu 1o carro, um Santana. Depois disso, só veículos VW da linha Gol e uma única e grata exceção: um Ford Ecosport XLT 2,0 16v automático (devido a pressões da esposa).

    Sinceramente, sugiro considerar o VW Fox Bluemotion também, além do Up. Tenho um, por ser de longe o melhor 1,0 que já vi, além de ser extremamente econômico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner, quanto seu Fox está fazendo de média dentro da cidade?

      Excluir
  34. Dá pra ver, só pelas escolhas, que esta lista foi feita baseada no gosto pessoal... ÓTIMO!

    Eu nem meteria o pé na jaca, já dava um mergulho nela... Gol Rallye.
    Pro diabo com a racionalidade, "nossa, mais de R$ 40.000,00 num simples Gol com cara de trator Valmet, duas canecas da Oktoberfest abrigando os faróis de milha e adereços e alegorias do último desfile da Grande Rio", blablablá, etc. e tal... pegava um vermelho, escurecia mais as rodas e ia ser feliz.

    Porque, no fim das contas, o que importa MESMO é olhar pro carro que escolhemos e pensar "por esse valeu a pena enfrentar um carnê"... muita gente vai morrer sem saber o que isso significa, uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felicidade de se enforcar num carne para comprar gol... Realmente, meu critério de felicidade é bem diferente. Mas... Cada um na sua.

      Excluir
    2. Não relacionei o Gol a metáfora do carnê em momento algum. Citei apenas um exemplo de carro que eu gostaria de comprar e, DEPOIS, lancei a metáfora.

      Ah,a arte perdida da interpretação de texto...

      Excluir
    3. Se você precisa de um carnê não deveria trocar de carro...

      Excluir
    4. Tem gente aqui que não sabe o que é uma metáfora.

      Mendes

      Excluir
    5. Marco R. A.19/01/14 11:29

      Precisa de carnê pra comprar o Gol?
      Achava que dava para comprar à vista.

      Excluir
  35. Aqui vai,

    Fiquei vidrado quando a VW lançou o up! na Europa e naquele momento me decidi que compraria um quando viesse para cá.

    O tempo passou e algumas modificações que não gostei foram feitas, principalmente em seu tamanho que foi aumentado em seis centímetros. Mas será que esses centímetros a mais farão diferença? Independente do que já escrevi neste blog, eu considero um ótima opção.

    Pelo Peugeot Partner eu sempre tive uma paixãozinha, mas minha esposa o detesta.

    Aqui em casa eu sou o único a escolher os carros, mas é claro que faz parte eu sentir a reação dela antes de adquirir um. Portanto, eu procuro agradá-la dentro do possível.

    O BMW 116i seria uma excelente opção, mas o câmbio automático por melhor que seja, não "cai" bem nele. É uma pena, porque seria uma escolha óbvia.

    Também não sou fã de sedãs, tanto é que só tive um entre mais de 20 carros. E isso foi de 88 a 93 e os outros carros que você mostrou não fazem minha cabeça.

    Que tal você considerar um Subaru?

    Agora, diferentemente de você, eu estou "regredindo" em preços e por vontade própria. Tanto é que reduzi minhas preferências iniciais que eram de +/- 60 mil, para 50 mil e depois comprei um por um pouquinho mais de 40 mil. Mas isso é coisa minha e não tem nada a ver com tuas propostas. Mas olhe com carinho o up! e depois,como ele deve ser baratinho e se você não gostar, troque-o, não antes de colocar suas impressões aqui.


    ResponderExcluir
  36. Qualquer turbo novo tá ótimo, eu particularmente gostaria de ter um punto tjet... só tiraria todos adesivos porque não me agrada essa história de adesivo avisando que é turbo, no máximo um embleminha na tampa traseira tá de bom tamanho. O bravo também é bem bacana, mas não preciso do espaço interno maior, então fico com o punto que é mais leve e mais barato.
    O golf TSi com certeza é ótimo também, mas acho que tá muito caro. Além de ser pasteurizado demais, como o JJ disse hehehe

    ResponderExcluir
  37. O Golf GTI parte de 99k também...acho que é muito mais carro que a BMW, por mais que seja tração dianteira....mas o motor e o toda a tecnologia embarcada compensam.

    Boa sorte na escolha.

    ResponderExcluir
  38. MAO,

    Às vezes me parece pelos comentários que esse não é o blog do AUTOentusiastas, mas do FINANÇASentusiastas ou ECONOMIAentusiastas. Eu que sou AUTOentusiasta penso como você, se me dá vontade e estou com dinheiro disponível, troco meu carro sem medo, mas também fico com grandes dúvidas na hora de escolher, só que principalmente porque hoje existem tantas opções que agradam que a escolha acaba sendo difícil.

    Eu também aprecio os hatches, mas gosto ainda mais das peruas, só que no Brasil por falta de opção nessa carroceria eu tenho que me contentar com os sedãs pois faço várias viagens longas (500 km) durante o ano, na maior parte das vezes com 5 adultos e toda a sua bagagem a bordo. Assim, pensando na minha utilização a escolha seria o Jetta caso eu tivesse os R$ 100k, mas como eu não posso gastar tanto, estou de olho no 408 THP ou no primo C4 THP, com os quais já andei e gostei bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um nem outro... a grande maioria que comenta aqui é da turma dos COPIAR/COLARentusiastas, gente que repete feito papagaio as bobagens prontas que pululam aos montes na internet.

      Excluir
  39. Eu repensaria sobre o DS3, pois ainda acho um dos carros mais prazerosos por menos de 100K. É um carro pouco prático e a razão faz escolher o Golf TSI.... mas meu coração pende para o DS3

    ResponderExcluir
  40. MAO,
    ótimo post, e permita-me opinar:
    tenho um Clio: bom carro mas o cambio mata a tocada, acho borrachudo e de engate loooongo;
    tenho um Fluence, normal e manual: acabamento abaixo da crítica, ruidos e algumas peças frageis e ja deu problemas (talvez seja só o meu que veio "zicado"): bomba de combustível (9000 km) e ar condicionado que demoraram 1 ano pra perceber que tinha defeito no chicote elétrico (carro parado no total quase 90 dias), além do wheel hop que o Bob comentou nos comentarios da avaliação do Fluence GT, o que mata a tocada.
    Se fosse eu, investiria mais 9 mil e pegaria uma das últimas c180, carro bem mais completo que a bmw da lista. Se não puder, vá de Golf mesmo e seja feliz!
    abraço,
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,
      sugestão sensata a sua, Mercedes-Benz.
      Golf tem um problema básico: olhar para ele todo dia.

      Excluir
    2. JJ
      Voce que gosta de estilo ja pensou em ter um carro italiano em casa?
      Pode ser usado ou até um antigo (esses sao ainda mais bonitos)
      Que tal um Pinifarina ou Bertone para olhar e curtir todos os dias?

      Excluir
  41. MAO, se você gosta de um carro com engenharia bem feita então deveria prestar atenção no Suzuki SX4. Ele é um patinho feio que ninguém dá bola mas tem uma porção de tecnologias bem interessantes, principalmente na suspensão.

    http://www.youtube.com/watch?v=9p4X5K9ZTts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/01/14 17:01

      Gosto muito deste carro. Se a Suzuki fabricasse ele aqui, ao invés do Jimny...

      Excluir
  42. A lista é boa, MAO, e 2014 será fraco em lançamentos, mas o único desses que me agrada é o BMW 118i. Não o escolhi por causa do preço, aliás nem sabia que ele (agora) fica dentro dos R$ 100 mil propostos. Quando foi lançado custava mais. Escolho este, por ser o que "menos envelhece", quero dizer, é o que, com a passagem dos anos, menos perde o charme (e, quero crer, o valor). Olhe para um "New" Civic, em muito menos tempo do que se imaginaria, seu valor encolheu tanto que já virou carro de mano da vila.
    Entre os populares, o Up! parece uma boa opção, porém certamente será lançado caro, e eu aguardaria abaixar o valor.
    E acredite, mesmo que custe mais, você ficaria muito melhor servido por um Dobló do que por um Partner. Palavra de quem já teve os dois.

    ResponderExcluir
  43. O bob pira:

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/hamburgo-quer-retirar-carros-da-cidade-nos-proximos-20-anos/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo16/01/14 16:26 Pois é ,não é só no Brasil que tem Haddad's e Pitta's ,quem diria ,até na Alemanha.

      Excluir
  44. "Se há um potencial substituto para o Mille em 2014, não é aquela coisa esquisita que a Fiat chama de Uno agora". Brilhante! até que enfim alguém pensa como eu. Caímos nessa aqui em casa e foi uma coincidência impressionante eu ler esse texto no exato dia em que finalmente vendemos esse carrinho que não foi a evolução do Uno.
    Pkorn-DF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/01/14 17:00

      E, ironia da vida, a meu ver, o "substituto" do fusca foi justamente o uno original. As voltas que o mundo dá...

      Excluir
  45. Uma VW Passat Variant ano 2008 a 2011, com preços variando entre R$ 55 (2007) a R$ 80 (2011)mil pilas. Ou uma Kia Sportage 2a. fase, entre 2008 a 2010, variando entre R$ 40 a R$ 50 mil pilas, também ótima opção. Ambas possuem porta-malas amplo, espaço real e amigável para cinco, torque, economia, baixa manutenção e estabilidade.

    ResponderExcluir
  46. Adorei a introdução do post, pois me vi retratado nela: não preciso MEEEEEESMO trocar de carro, pois além de muito satisfeito com o meu atual, ele está novíssimo, muitíssimo bem cuidado em seus cinco anos, e com cerca de...17.500Km, apenas! Acontece que para quem ama carros, não tem jeito: depois de cinco anos (até antes, confesso) com ele, bate aquela vontade de experimentar algo novo, e se embrenhar outra vez em todo o processo de pesquisa, e, finalmente, a compra do "eleito". É o que ando fazendo neste momento. Bem como para o MAO, tem que ser 0km, porém será meu único carro, e como rodo praticamente só em rodovias, estou dispensando os 1.0. No mínimo do mínimo do mínimo, um 1.4, e não mais que um 1.6 (este, considero o ideal para mim). Também não estou com bala na agulha para um carro de R$ 100.000,00, então, fico no limite de R$ 43.000,00. Vou lhes passar meus candidatos, não necessariamente nesta ordem
    1- Fiat Novo Palio Essence (1.6)
    2- Nissan March SV (1.6)
    3- Peugeot 208 Allure (1.5)
    4- Chevrolet Onix (1.4)
    Eventualmente também podem entrar na lista (dependendo das circunstâncias) o Renault Sandero (1.6), o Fiesta Rocam hatch (1.6),e o Novo Fiesta SE (1.5), mas os quatro primeiros listados são os mais fortes candidatos. É isso aí: precisar trocar de carro, eu não preciso, mas como dizia meu avô, "mais vale um gosto, que um tostão no bolso", he, he!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção: o Peugeot 208 da minha lista é o Active Pack, não o Allure.

      Excluir
    2. Mr.Car
      Deixe de consumismo.
      Seu Renault está novissimo com apenas 17.500Km!
      Vou lhe fazer uma proposta: Quer vender para mim (pelo preco que as CSS Renault) te pagam nele??
      Meus conselhos:
      - March , a Nissan e campea em deixar faltar pecas de reposicao para seus carros.
      -Peugeot fique longe dos franceses e suas enormes despreciacoes. Alem disso nao é um carro bem aceito numa futura revenda.
      Entre Palio e Onix fique com o Onix, mas nao o Agile , pelo amor de Deus!
      Minha opcao seria o Fiesta (novo) .
      Mas com R$ 43.000 voce leva para casa um Civic ou Corola semi-novo. Ja pensou nisso!
      Tchau!

      Excluir
    3. Mr. Car,

      A assistência técnica da Fiat é uma droga, desprezível até.

      Mas veja bem, meu Fiat Palio Essence que já está com vinte mil quilômetros rodados e que completará um ano em meados do próximo mês é muito bom.

      De problemas, só o banco do motorista que esses caiporas não conseguem arrumar. O pano rasga e os caras nem cogitam em trocá-lo. É verdade que não aparece o rasgo, mas sempre cai uns pedaços de espuma e isso é irritante. Mas se alguém me perguntasse se hoje eu compraria o mesmo carro, eu responderia que sim.

      De resto ele é bom em todos aspectos. Foi meu primeiro Fiat e nunca pensei que fosse gostar tanto dele.


      Excluir
    4. Corsário Viajante16/01/14 21:50

      March para mim morre pelo banco muito alto, conta-giro muito pequeno e acabamento realmente muito ruim.
      Eu cogitaria mais seriamente o NF, nem que fosse o 1.5. Dos carros que andei vendo, é o que mais parece ter sido feito por alguém que gosta de dirigir. O grande contra é o espaço, realmente vc se "encaixa" no carro.

      Excluir
    5. Digo o mesmo do Palio Sporting que comprei. Mudou meu conceito dos Fiats

      Excluir
    6. Anônimo 16/01/14 19:39 hs: não pretendo dar o meu de entrada na concessionária, vou vender para particular, e já tem gente de olho, que sabe que o carro é extremamente bem cuidado. O March, se for o caso, já será o nacional, e creio que sendo produzido aqui, o problema de falta de peças estará resolvido. Depreciação? Faz parte: nunca encarei carro como investimento. Palio e Onix: já tive Fiat e Chevrolet, ambos me satisfizeram, e não tenho franca preferência por nenhum. Tanto um quanto outro devem corresponder às minhas expectativas outra vez. New Fiesta: até cogito, mas esse negócio de revisão semestral está jogando contra. Carro usado, como disse antes não quero. Só compraria se calhasse de conhecer alguém que eu soubesse cuidar tão bem do carro como eu, e com um carro pouquíssimo rodado como o meu.

      CCN 1410 e Danilão: já tive Fiat, justamente um Palio (2001). Gostei muito e não me deu problemas. Por isto está na lista, he, he!

      Corsário: do March, eu não diria acabamento ruim, mas sim, simples.
      Abraço, pessoal.

      Excluir
    7. Mr. Car, você vai trocar um Logan por um March?
      É o mesmo que trocar um apartamento de 3 quartos por um "quarto-e-sala".
      O Logan pode ser desajeitado, mas para quem faz uso do banco traseiro, é meio que imbatível.

      Excluir
    8. Talvez uma solução para o Mr. Car, vendo que ele está inclinado a um hatch e hoje tem um Logan, seria esperar pelo novo Sandero. Tem as vantagens da geração atual com o design bonito agregado, o que seria conjunto dos bons e um carro que na prática é um médio-pequeno de raiz em vez desses hatches grandalhões desajeitados que insistem em nos querer vender como herdeiros da estirpe do Escort e do Kadett.

      Excluir
    9. Marco R. A.19/01/14 12:01

      Mr. Car. Eu comprei um 208 Active Pack. Gosto bastante dele.

      + Estabilidade, suspensão, posição para dirigir, consumo, acabamento.

      - Pontos cegos (não sei se é um mal de todo carro novo, mas para quem migrou de um aquário - Uno Mille - para um 208, esse Peugeot parece um furgão fechado);
      - câmbio meio estranho, tanto nos engates quanto no escalonamento (mais uma vez, isso em comparação ao Uno que parecia sempre disposto na cidade), é questão de costume;
      - facilidade de entrar água pela janela aberta na chuva (o desenho do carro faz com que uma abertura da janela de apenas 1 cm fique muito voltada para cima. Isso facilita muito a entrada dos pingos e da água acumulada que escorre do teto);
      - tapete de carpete que é um saco, ainda vou trocar por um de borracha.

      Só tem uma coisa que sempre me irrita. No porta malas tem um gancho para sacolas. Mas o infeliz não segura nenhuma sacola! Sempre escorrega a alça. Maldito engenheiro que fez aquilo.

      Bom carro.

      Excluir
  47. MAO

    Minha escolha seria o Jetta TSI. Motor muito forte, desenho sóbrio, ótima dirigibilidade(não tão boa quanto a do Golf e da BMW, mas mesmo assim, ótima) e um bom espaço interno. Pesa contra ele a falta de câmbio manual, mas para amenizar conta com o excelente DSG. Se optar pelo mesmo, não deixe de dar uma olhada em um exemplar azul com o interior bege.

    O Golf também é uma ótima opção. Motor forte, muito bem feito e acabado. Conta com o câmbio manual e é econômico. Como nada é perfeito, seu porta-malas é pequeno e o seguro é caro.

    A 116i tem um único defeito, seu motor. A BMW certa seria a 118i, que conta com a mesma dirigibilidade brilhante, mas com um motor mais potente. Infelizmente sairia de seu orçamento.

    Abraço
    Eduardo Schmeing

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso do 116i há a vantagem de se contar com três redes de concessionárias para adquirir peças caso haja problema no motor: BMW, Citroën e Peugeot, com a última tendo preços mais camaradas. E, caso esse motor não tenha muitas diferenças em relação ao THP, daria inclusive para alguém pensar em fazer a unidade montada no alemão para os 165 cv dos franceses.

      Excluir
  48. BMW é BMW. O resto é carro.
    Se tens o dinheiro é nele que deves ir!

    Sr. FND

    ResponderExcluir
  49. Se a imitação é o maior elogio, escutem essa: no Congresso SAE Brasil este ano, os dois carros em estandes vizinhos, não pude deixar de notar que o Mercedes-Benz classe A é extremamente semelhante ao carro da VW. Design à parte, o tamanho, a qualidade de construção, os materiais, a configuração, tudo parece extremamente similar. Assustador constatar que a Mercedes parece copiar a VW. Parece que nada é mais sagrado mesmo.

    Essa obsessão por fazer "genéricos do Golf" pode acabar contando contra as marcas que praticam isso, justamente porque alguém irá perguntar o que esses modelos oferecem que o Golf já não oferece e, no caso dos veículos de marca de luxo, dependendo da qualidade do acabamento irão perguntar se eles valem mesmo o que se está cobrando a mais em relação ao Golf.
    No caso da Mercedes, ela perdeu uma oportunidade de ouro para finalmente ter um carro de tração traseira e dimensões médias-pequenas. E isso porque sequer soube aproveitar direito a plataforma MFA que equipa o Classe A, como mostram as reclamações sobre o pouco espaço para os passageiros de trás. Poderia ela, isso sim, ter projetado uma base de tração traseira que poderia inclusive ter uma série de recursos que aproveitasse ao máximo o espaço interno. Em vez de um diferencial cujo acoplamento é no meio da peça e praticamente obriga a um túnel alto, por que não desenvolver diferencial com acoplamento pela parte de baixo da peça (como alguns antigos de eixo rígido tinham e que seria ainda mais facilitado pelo fato de o diferencial com a suspensão independente estar preso ao monobloco)? E isso porque peguei só um exemplo simples de que daria para fazer um carro que aliasse diversas boas qualidades sem precisar abdicar de pontos cruciais.

    Já em outras marcas, vemos também esse lance de cada uma querer fazer seu "Golf" em vez de fazer seu bom carro médio-pequeno que esteja em nível mais do que suficiente para concorrer de igual para igual com o Golf. É válido ver o que a concorrência está fazendo, de fato, até como forma de ter algumas orientações para seu próprio desenvolvimento, mas daí a fazer algo que na prática não oferece algo que o Golf já não ofereça é problemático. E, no caso de marcas sem aura de luxo, sequer há o apelo da grife para que se consiga segurar o consumidor caso haja um Golf no mesmo nível. E aí tome promoções, queimas de estoque e outras coisas para livrar o pátio.

    Experimentando um desses 116i básicos em um test-drive, fiquei impressionado como é parecido na posição de dirigir, e de como esta posição está em relação ao carro, com minha perua série 3 de 20 anos atrás. Se tem uma coisa que aprendemos com isso (e com carros como o 911 e o Corvette, por exemplo), é que não se deve mexer no que está certo desde o começo. E, como a minha E36, tem tração traseira e praticamente metade do peso em cada eixo, mais duas fantásticas tradições da marca.

    Se alguém da BMW estiver lendo esta postagem que entenda isso como "vocês perderam uma oportunidade de ouro para continuar mantendo essa boa reputação ao criarem modelos de tração dianteira ou tração integral derivada de dianteira ostentando na grade a marca de Munique e que estão para ser lançados em breve, como o Active Tourer, a próxima geração do X1 e, dizem os rumores, também a próxima geração do Série 1". Quando alguém vir o Active Tourer irá perguntar se a BMW é tão incapaz assim de fazer uma minivan de tração traseira, enquanto o próximo X1, pelos flagras, perderá não só a tração traseira ou integral derivada de traseira como também aparenta que vai deixar de ser aquela coisa cuja altura total é a mesma de um Fox e só tem essa altura porque a altura livre do solo é de 19 cm. Já um hipotético Série 1 que tracione as rodas da frente será só mais um genérico de Golf por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim Mercedes começa na C class e BMW começam no Série 3. Abaixo disso são carros para roubar clientes de Golf e Focus e testar alguns conceitos. Pkorn-DF

      Excluir
    2. Pkorn, não vejo tanto problema assim no BMW Série 1. Esse carro é meio que herdeiro espiritual do 2002 Touring, BMW hatch que lançado em 1971, portanto antes do Golf vir ao mundo, em que pese ter saído de linha no ano em que o VW em questão foi lançado.
      No caso do Série 1, não esqueçamos que a primeira geração (E82) sucedeu com vantagens o E46 Compact. Em vez de uma linha de teto quase como a de um E46 cupê em que passaram o machado na traseira, temos uma traseira mais reta (que se traduz por maior praticidade devido a um compartimento de bagagem em formato mais aproveitável) e uma linha de teto que não cai tanto sobre a cabeça dos passageiros de trás, permitindo mais uns centimetrinhos para as cabeças.

      Os parâmetros básicos da BMW estão lá: tração traseira e distribuição de peso 50-50. Apenas o que se criou foi uma silhueta mais prática e adequada, até porque presume-se que um Bimmer também sirva como carro de uso diário para alguém, podendo até mesmo ser o único carro desse alguém. Logo, não há qualquer problema em haver um ganho de praticidade sobre a receita básica da marca. Problema mesmo há em se querer subverter essa receita e lançar um carro de tração dianteira com a marca de Munique, como irão fazer com os modelos sobre a base UKL.

      Excluir
  50. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  51. Muitos comentários escritos... Irá o autor avaliar todos eles?

    MAO,

    Poucas vezes vi alguém tão indeciso sobre a compra de um carro. Tente definir quanto você realmente deseja gastar. Decida se no carro que vais comprar, quer confiabilidade, reparo rápido, ou prazer.

    Não vou escolher um carro e te recomendar. Vou ter dar algumas dicas aleatórias:

    - Carro de marca francesa, são legais quando novos, não tente rodar muitos quilômetros com eles em nossas estradas. Definitivamente, não foram feitos para isso. Experiência recente e própria.

    - Nunca vi outra marca acertar como as alemães. Direção, pedais, etc, respondem como deveriam. Não espere encontrar a dinâmica da BMW em outros carros.

    - Na minha garagem só entraram três marcas até hoje: Mercedes-Benz, VW e Fiat. Os únicos que permaneceram foram os MBs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ja vi: O Mr.Car está mais indeciso que o MAO
      Na verdade ambos nao precisariam de um carro novo, assim é natural essa indecisao.
      2014 é ano de Copa do Mundo , eu prefiriria comprar um TV novo a trocar de carro.
      Mas cada um na sua... e bola para frente!

      Excluir
    2. Anônimo,
      o que é Copa do Mundo ?

      Excluir
    3. Anônimo16/01/14 19:45 Que figura he he...

      Excluir
  52. Que bacana, hein, MAO, poder comprar um presente desses! Literalmente, uma benção!

    Mas olhe só: um carro novo, bacana, confiável, que te atende bem numa emergência, você já tem, que é o Cruze. Um bom brinquedo de quatro rodas, voce já tem também, que é a BMW.

    Que tal então dar uma olhada nas nossas amigas bípedes?! Cara... tem tanta coisa bacana! Por até 40 contos, você encontra motos fantásticas. O Arnaldo tem feito umas avaliações legais, e ele com certeza é uma ótima pessoa para trocar uma ideia a respeito. Eu vou pegar uma dessa faixa daqui a uns meses e, embora sequer saiba o tipo, tenho as minhas eleitas: BMW F800 R e GS, Triumph Boneville, Tiger e Street Triple 675, Honda CBR 600 F, CB 1000R, e Suzuki GSR 750. E por que não, por 43 ainda se encontra a Ninja 600, cuja faixa vermelha começa nas 16000 rpm. Acho que eu a colocaria na sala só para ouvir a jóinha de 4 cilindros girar.

    Se voce me disser que as bípedes estão fora, eu partiria para outro brinquedão. Voce já viu como aparecem ofertas de carros já preparados por preços que sequer cobrem a preparação feita? Hoje tem muita coisa bem feita, é só pesquisar.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  53. Fácil. Faria assim

    1) Vendo a BMW velha logo que montar, e o Cruze. Tá estragando sensor é velha .E o Cruze não dá prazer de guiar, é xôxo pra não falar outra coisa.
    2) Compro a BMW 1.600 cm3 Turbo bipulsativo, torque a 1350 rpm , emplaco, pago os 4.000 de IPVA taxas e começo a trazer do exterior os kits de upgrade, vou fazer ups em carro novo e não em carro velho. Compro ela primeiro , se o país dar uma quebradazinha , depois talvez o real não compra.
    3) De posse da 116i, compro o lançamento mundial da marca VW, Up, motor de 20 km/l. A gasolina que sobrar do uso dele, uso sem dó no pedal da 116i cheia de ups, na hora e local certos.
    4) Troco as malas de rodinhas por malas-mochila.

    OBS 1 e 2 : : O Gol Rally tem que frear e desviar dos buracos, senão o pneu rasga.É um perfil baixo .
    O Jetta seria a opção para vender tudo que tem e ficar só com ele. Serve pra tudo e ainda desce o cacete na combalida 328, com a vantagem que o DSG não erra marcha sob tensão,adrenalina.Imune.

    Abraço, e parabéns adiantado pelo seu presente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arrgh !!!!

      Excluir
    2. Arrrgg! (2) com destaque para o "fazer uns ups".

      Excluir
    3. Nosaa.... Prefiro a 328 que o Jettaa. Só isso.

      Excluir
    4. Não tenham preconceito com os ups do amigo acima... aqui no sul tem uns preparadores muito profissionais, que lapidam as "jóias" com kits europeus de performance, nada de manolagem e olhômetro, coisa fina, custa caro mas fica bom.

      Excluir
  54. Moisés_SP16/01/14 19:41

    Kombi Last Edition. E ainda sobra 15 mil para comprar um presente pra sogra.

    ResponderExcluir
  55. Já que tem de escolher um modelo, dos acima citados pegaria um Jetta, único VW que me desce...

    Agora, com um Cruze (carro BEM legal), com 26.000km sabe o que eu faria? Ficaria com o carro e gastaria o dinheiro em viagens.

    Tenho um Focus 2007, com 80.000km que me atende bem. Já pensei diversas vezes em trocá-lo - náo por necessidade, mas por gosto mesmo - mas a cada vez que lembro de buracos, valetas, lombadas, permaneço com ele..


    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco,
      bom carro o seu, um Focus. Deve ser o melhor na relação custo/benefício, fora o prazer de olhar para ele e saber que há uma história de vencedores de rali que está ali resumida.

      Excluir
    2. Juvenal
      Nao prefere os Subaru Impreza ou Lancer Evo ? Estes sim tem DNA de rali.
      Acho o desenho do Focus muito pasteurizado e o desempenho do 1.6 fraco pelo que se cobra no carro.
      Outro dia li um teste e é cabal a superioridade do Golf 1.4tsi sobre o Focus 2.0 com seus 178cvs.
      O Golf anda mais, é bem mais econimico e tem um acabamento muito superior ao Ford.
      Tambem acho o Golf muito mais bonito e elegante. Tanto é que a Ford ja planeja mudancas no desenho da frente do New Focus para o mercado europeu...
      Abracos meu amigo!

      Excluir
  56. Sou muito ruim em dar conselhos de compra , mas para deixar minha participação , lá vai : mete um turbo no Cruze e compra um popular burro de carga.

    ResponderExcluir
  57. MAO, se você gosta do Cruze (que realmente é muito bom) e está com grana faz o seguinte:
    Encosta seu Cruze numa preparadora, mete um turbinho nele e seja feliz. Para o dia a dia compra um carrinho mais barato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em gênero, número e grau. E ainda tem o Ogro do Cerrado para sugerir e implementar um projeto malvado.

      Excluir
  58. Olá MAO,

    Bacana poder participar do debate.

    Creio que na sua situação compraria sem sombra de dúvidas o Golf 1.4 TSI - Mecânico e ponto.
    A BMW com certeza é de outro planeta, mas, acho cara demais.

    Um forte abraço !

    D.Sacramento

    ResponderExcluir
  59. Clio é um bom carro... Se você quiser passar o resto da vida preso à peças caras de concessionárias e tendo problemas de válvulas... Palavra de quem tem um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peças "caras" realmente o Clio tem, no entanto custam tanto quanto as de um Fox ou de um Polo. O problema do Clio é o mesmo de muitos carros pequenos no Brasil, ele nunca foi exatamente um carro popular mas as pessoas sempre comparam o custo de manutenção dele com um Gol ou Uno. Hoje melhorou muito, mas ainda não é um carro para ser comparado com Gol ou Uno em manutenção.

      Já problemas de válvulas posso afirmar que é coisa apenas do seu. Tive 2 e conheci dezenas de pessoas com Clio, desde motores 8v até com o 1.6 16v e problema de válvula nunca vi mesmo nos mais mal tratados.

      Excluir
    2. Paulo Freire16/01/14 23:30 Minha irmã está com um a três anos e nunca teve esses problemas,detalhe o ano do carro é 2000.

      Excluir
    3. Paulo Freire
      Pode explicar quais são exatamente esse "problemas de válvulas"?

      Excluir
    4. Freire,
      Tenho um 8V desde novo, ano 2003.
      Nunca tive problema de válvulas.
      Quanto às peças, em SP temos RR/Só Francês e outros distribuidores de peças paralelas aos montes. Se não der tem que apelar pra concessionário, no qual um Gol na VW também ia "enfiar a faca".

      Excluir
    5. Corsário Viajante17/01/14 10:40

      Antes de generalizar, é bom conversar com outros proprietários ou explicar melhor a história. Meu Polo baixa óleo, mas não conheço mais ninguém com o mesmo problema, então sei que é um problema da minha unidade, não geral.

      Excluir
    6. Corsário,
      temos o carro à 4 anos e à 4 anos ele bate valvulas. Se você observar a gigantesca maioria dos Clios antigos que você vê por aí estão batendo valvulas, é um problema recorrente nos 1.0 16V. O 1.6 é bom.

      Bob,
      coisa de projeto mal-feito de motor, assim como os FII da GM que adoram queimar a junta do cabeçote, seja o nosso ou de outros países. Os D4D [1.0 16V] adoram perder a regulagem de valvulas, o que piora nos modelos flex por causa do alcool. O nosso tem quase 4 anos conosco e desde que o pegamos, com 90 mil kms, até hoje, aos 140 mil, ele nunca funcionou a contento, até já trocamos o comando, mas depois de um tempo ele perde a regulagem novamente...

      Euzebio,
      peças para o Gol você acha em qualquer buraco, peças para Renault, fora das concessionárias, é dificil já que a própria montadora não libera peças. Já vi muitos lojistas reclamando disso, e não é só a Renault, a Peugeot e a Citroën também.

      Anonimo,
      não sei que dezenas de donos são esses, mas é um carro que exige manutenção bem específica com gente que sabe. Nós levamos em uma oficina que sabia o que fazia, não é muito facil achar quem trabalhe com ele, exatamente por ser um carro bem problemático. O mecânico que trabalha no meu Mazda disse não tem perigo dele pegar um desses franceses, ele já trabalhou em um e disse que foi tanta dor de cabeça que não se arrisca mais.

      Excluir
    7. Paulo Freire
      O único problema do álcool no tocante a válvulas é sua menor lubricidade em relação à gasolina, que teoricamente faz desgastar as sedes levando ao enforcamento, redução da folga, portanto não causando ruído. Aumento da folga (e ruído) é desgaste de ressalto do comando, da alavanca-dedo ou da haste da válvula no ponto de contato da alavanca-dedo. Quando vocês trocaram o comando havia sinais de desgaste nele?

      Excluir
    8. Paulo Freire17/01/14 14:14 "peças para Renault, fora das concessionárias, é dificil já que a própria montadora não libera peças"
      Disco de freio ventilado 80 reais o par a 1 KM da minha casa, com o "seu" Martins.

      Excluir
    9. Pelo contrário, vejo gente que nunca regulou a folga (tucho mecanico nos 1.0 16v, isso é verdade) e o carro nunca deu problema ou barulho de folga. Nunca vi mesmo esse problema

      Excluir
    10. Paulo Freire,
      desculpe mas pelo seu comentario estou entao a 11 anos e 130.000km com uma bomba na garagem e nao sabia. O meu é gasolina, 13, 14km/l na cidade até hoje e peças de desgaste compradas na RR peças ou na timbó autopeças. Unica coisa que precisei na concrssionaria foi de uma fechadura de porta nova.

      Excluir
    11. O preconceito contra os franceses é muito grande... Não tenho qualquer problema com peças e/ou acessórios. Os Dacia-Renaults aqui de casa não têm problema nenhum de válvulas e rodam bem em estrada, com ótimo consumo. Acabei de voltar de Floripa, numa boa...

      E os carros da PSA seguem a mesma linha: sofrem com o preconceito.

      Excluir
    12. Tuhu,
      Não é preconceito, é fato. Carros franceses sempre foram porcarias porque não eram devidamente tropicalizados e as próprias montadoras nunca foram atrás de resolver isso.

      Euzébio,
      como eu disse, completaremos 4 anos com ele esse ano e desde o compramos NUNCA tivemos 1 mês de tranquilidade, sempre havia algo a ser feito. Já gastamos o equivalente a 14 mil com ele nesses quase 4 anos. Oficina é dificil de achar [aparentemente meu pai conseguiu uma que só trabalha com franceses] e peças são caras e dificeis de achar [mesmo concessionárias as vezes é dificil...].

      Bob,
      essa informação quem me deu foi o mecânico, mas não me disse muito mais que isso. De toda forma, quem compra as peças e leva `oficina não sou eu, já tenho o meu a cuidar e não me dá metade da dor de cabeça mesmo tendo 8 anos a mais de idade e 60 mil km extras.

      Excluir
    13. Paulo Freire
      Desculpe, mas você está completamente enganado na sua opinião sobre os carros franceses. Tenho vários amigos ou conhecidos com carros dessa nacionalidade, alguns até anteriores a 2000, e nunca tiveram problemas maiores que de outras. Soa mais a preconceito seu.

      Excluir
    14. Pois é...na lista do MAO 30 por cento dos carros são franceses. É preciso acabar com as mistificações de que só alemães - ou qualquer outra nacionalidade - sabem fazer 'das auto'. Aguardem os chineses daqui a alguns anos. Estarão 'pari passu' com qualquer outra indústria.

      Excluir
    15. É isso aí, Tuhu...

      Hoje eu não quero carro chinês nem pintado de ouro, mas prevejo que em um futuro próximo, eles serão tão bons ou até melhores que os europeus.

      Excluir
  60. com certeza uma bela lista, bem pé no chão. so trocaria o fluence GT pelo duster 4x4.

    ResponderExcluir
  61. Joao Carlos17/01/14 02:50

    March 1,6. Anda muito e custa pouco.

    ResponderExcluir
  62. MAO, se o seu Cruze está novinho, com 2 anos (período com maior depreciação de valor em relação ao produto novo), porque não dá uma nova vida nele com a colocação de um turbocompressor? Como você mesmo falou, a maioria da sua lista possui um, e o que impede de ir em boa oficina especializada, com receita bem conhecida para este motor (prometendo não ter dores-de-cabeça maior do que quando o veículo com equipamento original de fábrica - já basta o trabalho que ten$ com o BMW), e ter o que quer, sem ter que comprar um novo veículo que fará praticamente "a mesma coisa", sendo que com nova gigante depreciação dos primeiros anos (mais uma vez perder um dinheiro que poderia ser aplicado no teu sabido sonho de um Série M)? Ou comprar um "pequeno" que terá quase que o mesmo valor de compra do seu Cruze (entregar a tua cereja a preço de banana por uma pitomba" destas, que logo chegarás no caroço, sem ter mais nada por extrair exceto se colocar a mão no bolso (logo terias vontade de tentar um "hot little chicken - "hot pocket" exige muito mai$).
    Faça um tuning especializado no seu Cruze, ajuste o que falta para ti (ele está mais próximo do ideal de dinâmica e potência que procuras - e que comparas com teu BMW), e compre um carro com maior utilidade para sua condição atual de família - ou vais meter as coisas de construção sem um tantinho de mágoa no teu tão apreciado BMW? É muito mais fácil colocar as bicicletas, cachorro, "tralhas" de construção, tudo mais fácil, com mais folga num automóvel com a proposta do Peugeot Partner (com espaço que facilita não estragar tanto o automóvel como o que está sendo transportado), e atendendo já o sabido desejo de tua mulher (quase um anseio), parceira nas tuas escolhas em razoáveis gastos unicamente "AUTOentusiásticos"? Facilita para todos, aumenta a parceria entre os familiares (até pela facilidade de levar facilmente as bicicletas das crianças - as crianças crescem e as bicicletas também!).
    Ajusta o Cruze ao teu gosto, compra o automóvel utilitário que a vida familiar tanto deseja. Na verdade já tens um com proposta familiar, mas ele foi comprado para atender a proposta de carro esporte, e o que geralmente significa que toda coisa fora disto é blasfêmia - até o Sol já levou uma dura por estar se metendo onde não foi chamado! Hehehe). E o dinheiro que sobrar, guarda-o, pois pode aparecer um BMW Série M que tanto aprecias, e aí terás como negociar de forma mais ponderada (e melhor ainda se já tiver um interessado no teu BMW atual - sai um e entra o outro).

    ResponderExcluir
  63. Concordo que os Hatchs são mais bacanas, mas eles estão caros demais. Estou exatamente com o mesmo dilema e valores. Os 5 primeiros da lista eu removeria (não preciso do 3o. carro); da sua lista na ordem: Jetta, Golf, Fluence, 116, Bravo. Da minha lista: Jetta, Focus, Golf, Ds4, Ds3, Fluence.

    ResponderExcluir
  64. Câmbio "mecânico"?

    ResponderExcluir
  65. Compra um uno. De todos é o único que você só vai comprar novo agora. Todos os outros da pra comprar ano que vem. E seu cruze ainda esta novo.

    Esse é meu primeiro comentário. Mas acompanho o blog a um tempo. Muito bom.

    Sds,

    Thiago Moura

    ResponderExcluir
  66. MAO, o GTI parte de 98 mil reais, e é a melhor opção disparada de todos que você postou, sem sombra de dúvidas. Quem critica o GTI, mesmo após dirigir, é obviamente por despeito de não poder ter um. O choro é livre.

    ResponderExcluir
  67. Estou pensando fortemente em um Jetta Variant com 1 ou 2 anos de uso, na faixa de 50 a 60 mil reais.
    É um Jetta, é um Golf... mas é perua.

    ResponderExcluir
  68. MAO,

    Seguindo as tendências atuais de mobilidade urbana, sugiro que compre uma "Bike".
    Carro vai ficar cada vez mais infernal, na boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. piolho17/01/14 10:04 "Carro vai ficar cada vez mais infernal", no caso de SP ,carro, ônibus ,metrô rsrsrs...

      Excluir
  69. Meus votos, em ordem de preferência:
    1. Golf. Quando cansar chipa e/ou faz escape.
    2. 116. Ok, é caro, nem é tão potente, mas dirigir uma BMW realmente é algo diferente. Felizes aqueles que podem fazê-lo todo dia.

    Entendo os que dizem pra sossegar e não fazer nada, que não vale a pena trocar um carro tão novo. Mas eu te pergunto: Você está perdendo o tesão pelo Cruze? Porque aí, mesmo sendo um ótimo carro vira um "people mover" e não mais uma fonte de prazer. E nesse caso, se você comprar um terceiro carro, pode agravar mais ainda a falta de sentido em manter o Cruze.

    Se você decidir seguir o caminho do terceiro carro, meu voto é pelo Up. Concordo que será revolucionário, e provavelmente divertido. Além do fator novidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "1. Golf. Quando cansar chipa e/ou faz escape."
      As engenheirras alemãs se contorcem de dor ao ouvir isso.
      E o Cruze não corre perigo de virar um people mover, ele é, como praticamente todos os chevrolets, um people mover por excelência, feito para agradar a platéia e ficar obsoleto em dois anos - exatamente o caso do autor do post.

      Excluir
  70. Ótima lista, Marco.

    Dos mais baratos, qualquer um deles eu toparia, mas aguardaria para conhecer o Up! que promete vir arrebentando. Só escolha o Partner se der para usar o Cruze numa boa e não te deixar receoso.

    Dos mais caros, os melhores são o Golf e o Bravo porque são hatches e de câmbio manual. Apesar do Golf ser superior, escolheria o Bravo pela sua veia italiana e pelo fato de se trazer o bom layout de comandos com freio-de-mão. Para mim o único viés do Golf é aquele botão de estacionamento. Se for dar umas voltas quentes num autódromo, não deixe em hipótese alguma o fluido de freio ferver!

    ResponderExcluir
  71. Olá,

    Na minha humilde opinião, você deveria comprar o Novo Golf manual, solicitando seja fabricado, já que não há em nenhuma concessionária do Brasil. Exija o preço de tabela, R$68.000. Em acessórios, colocaria apenas o farol xenon, pois acho simples demais os farois halógenos. Ah, como vem com roda 16", poderá ter menos cuidado com os buracos e valetas.

    Abraço
    Lucas

    ResponderExcluir
  72. Também estou num dilema vou trocar meu fiesta hatch 1.0 2010, posso dispor de R $ 50.000 contando com o carro no negócio, vcs acham o new fiesta Se 1.6 uma boa? Quanto a lista ficaria com o 8.

    ResponderExcluir
  73. Sei quando você fala sobre BMW , tenho uma E36 M52 ano 98 sedan e também falo com propriedade ...
    Difícil um carro tão acertado em projeto quanto este .

    ResponderExcluir
  74. Minha sensação é que o autor colocou os outros pra encher a lista, como se procurasse, em vão, boas desculpas pra não pegar a BMW. E não tá errado não, tá certo.
    Não sei se é o que eu faria, mas não importa. O gosto que se tem com um carro novo (ainda que usado) não é algo que deveria demandar justificativa.

    ResponderExcluir
  75. Realmente. Existe muita ênfase no texto em referência ao BMW 116i.
    Dizem que esta série 1 ganhará uma "plástica" dentro de alguns meses (efeito "Angry Birds Pig"? Se isto estiver mesmo para acontecer, seria melhor ele aguardar. Ou pegaria o novo modelo, ou o antigo com algum desconto. Só o fato de anunciar o futuro lançamento de uma nova versão já poderia fazer com que a atual fosse vendida com um pequeno desconto.

    ResponderExcluir
  76. O grazie Mille está sendo vendido por cerca de 29 mil na Fiat Millocar aqui no RJ.
    ISM

    ResponderExcluir
  77. Emocionalmente, eu diria, vá de BMW. Só quem tem entende.

    O problema de ter um 116 e um 328 é que você teria dois carros "pra ter pena". Não conheço a sua realidade, mas às vezes a gente precisa daquele carro só para levar algo ou alguém do ponto A ao ponto B, sendo que o trajeto entre os dois pontos é pouco amigável para a suspensão baixa de um BMW.

    Enfim, eu compraria o BMW, ou nenhum. Se é para comprar um carro que não dá prazer, ficaria com o cruze que já está desvalorizado mesmo.

    ResponderExcluir
  78. Essa é a melhor etapa de quem compra um carro, pois temos várias opções de carro à nossa disposição. É bom ter o gostinho de poder imaginar escolhendo um carro e logo depois mudar de idéia por outro tantas vezes quanto forem necessárias.

    E no momento que se escolhe o modelo definitivo sentimos até um pouco de tristeza pois estamos descartando todos aqueles modelos que considerávamos como opção. Eu tinha um professor que dizia: "Quem escolhe, deixa."

    ResponderExcluir
  79. Fiquei com vontade de ter um Fluence GT, depois de ler a avaliação do Bob e agora vê-lo citado novamente. O prazer de tocar um carro manual e ainda mais turbinado deve valer a pena ter que engolir a renault com suas deficiências de pós venda.

    ResponderExcluir
  80. Não gostei da ideia do pessoal ficar colocando 1, 2, 3, etc...

    Prá quem lê no e-mail é ruim.

    ResponderExcluir
  81. Ultrapassando um pouco a barreira dos 100 mil, como pai de familia e autoentusiasta que sou, meu voto irá para a Passat Variant Turbo: extremamente veloz (0 a 100km/h em 7,2s), segura, estável, amplo espaço interno e porta malas com 513 lts. Difícil achar outro carro "familiar" com tantos atributos nessa faixa de preço.

    Marcos

    ResponderExcluir
  82. Entre os pequenos, acho que UP, vai estabelecer um novo parâmetro...Se o Fox virou carro, com aquele motor, imagina o UP, mais leve e mais aerodinâmico (cx 0.32 na versão europeia) Queria ter esperado por ele, mas acabei comprando um Novo Palio Essence 1,6... por 37000. Acho que o preço um UP completo não será muito diferente disso.. E por mais que o motorzinho 1.0 seja brilhante, não chega perto do 117 cv do E-Torq... Mas que vai ser um carro que vai abalar o mercado, isso vai... Será que sou o único que considera o 308 THP mais interessante, que o Novo Golf... Vi esse tal de Golf 7 hoje ao lado de um Gol Seleção 1.0... olhando de frente e a distância... pareciam o mesmo carro... Tá certo motor 1.4 FSI 1.4, cambio DSG... mas o 308 tem um ótimo automático de 6 marchas, e o 1.6 THP, não fica devendo em nada... Quanto ao Gol elevado, por favor, isso soa como blasfêmia para um autoentusiastas... O Cx do Gol piora de medianos 0.34. para horíveis 0,37 na versão Rallye...só por conta dessa brincadeira de levantar... empata com o monstrengo Agile... e é é pior do que o de um Escort 1986...Retrocesso total.. não acho que um Gol em altura normal, rasparia em qualquer quebra-molas... mesmo se for aquela lombada é só passar devagar... é um levantamento inútil, que só prejudica a aerodinâmica.... E boa aerodinâmica é sagrada para um autoentusiasta...é ela que me faz descartar qualquer SUV do meu rol de opções... Carro moderno, não pode desperdiçar cavalos, só para brigar com o vento...

    ResponderExcluir
  83. Joao Carlos17/01/14 21:59

    Esda Gol nao foi levantado a olho. O tempo ganho em valetas e lombadas seria otimo. E da pra andar rapido em estrada tambem, nao e um suve. Procurem no AE por Feito em minas ideal para SP

    ResponderExcluir
  84. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  85. compra uma VW KOMBI LAST EDITION

    ResponderExcluir
  86. "Eu sempre gostei da versão TSI do Jetta, mas aqui ele entra com um concorrente muito sério: o Fluence GT. Mais barato e com câmbio manual de verdade, o Renault me parece hoje uma opção melhor, apesar de menos sólida e de menor qualidade geral."

    Desculpe-me. Mas você talvez não conheça ao vivo todos os carros da sua lista. O Fluence GT realmente não é nenhuma referência de acabamento e solidez de montagem. Mas, no mínimo, está no patamar e padrão do Jetta. Agora, sinceramente, eu não teria um Bravo T-Jet por questões pessoais. Mas criticar o acabamento do mesmo quando se tem um Cruze na garagem, bem, é demagogia pura. O acabamento do Bravo é superior ao do Cruze com facilidade. Sugiro que vá conhecer todos bem de perto. Abraço.

    ResponderExcluir
  87. Temos um fã declarado de da VW entre os articulistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo? Quem, tem peito de dizer ou vai ficar escondidinho no anonimato?

      Excluir
  88. Para um autoentusiasta, o melhor carro é(são) o(s) seu(s). Com ou sem carnê. Eu, particularmente, se pudesse não venderia carro nenhum. Deixaria todos eles num grande galpão, onde todas as noites pudesse apagar as luzes e lhes desejar bons sonhos.

    ResponderExcluir
  89. Fernando Uema19/01/14 12:12

    MAO, se vc se decidir pelo Grazie Mille, sei aonde tem um... la na garagem de casa.... Realmente, foi a ùltima oportunidade de colocar um Uno (não consigo chamar de mille, desculpe, FIAT) zero na garagem, e não pude resistir. Carrinho bacana, esse, e além disso, vai virar peça de coleção. Parabéns, mille. Parabéns FIAT.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.