FORD FUSION 2,5 FLEX, NO USO

Fotos: autor


Viajar a 120 km/h, ou pouco mais, com o novo Ford Fusion, é parecer voar no vácuo espacial, tamanho o silêncio e suavidade. Exagerei? Claro que exagerei, mesmo porque nunca fui ao espaço, porém foi essa a imagem que me veio na noite em que o dirigia numa boa autoestrada como a Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo, rumo ao litoral. Fica nos parecendo que o projeto do novo Fusion objetivava exatamente isso: um sedã ideal para confortavelmente viajar com a família. Por exemplo, minha mulher sentou ao lado e disse: “Nossa! Que banco!”, e imediatamente tratou de pegar num profundo sono que foi de porta a porta. Coloquei o som baixinho e fizemos uma viagem rápida, tranqüila, segura e, apesar de o carro pesar 1.570 kg em ordem de marcha, muito econômica, já que nessa tocada ele estava fazendo média de 11,6 km/l de álcool.

Pneus 225/50R17: ideais

É aí que entra o baixo coeficiente de arrasto aerodinâmico (Cx) do modelo, 0,27, e essas fluidas formas, ajudadas pela grade frontal cujas lâminas fecham-se automaticamente em velocidades de estrada, permitem que se precise de pouca potência para mantê-lo a 120 km/h. Nessa velocidade, e em 6ª e última marcha do câmbio automático epicíclico, o giro vai a baixas 2.250 rpm, quando o motor só está produzindo ao redor de 40 cv. Dá para o caro leitor aquilatar a importância do cuidado na aerodinâmica: só 40 cv para manter 1.800 kg a 120 km/h (agora citei 1.800 kg pois contei a carga de passageiros mais bagagem).  

Frente com jeito de devorar estradas

Sua potência é de 175 cv a 6.000 rpm quando com álcool e 167 cv, à mesma rotação, com gasolina, e torque de 24,2/23,3 m·kgf, álcool/gasolina, a 4.500 rpm. Bloco e cabeçote são de alumínio, quatro válvulas por cilindro, comando de admissão e coletor variáveis. Não se sente a variação de fase do comando, uma vez que ela é contínua, não uma posição e outra. Não é como nos sistemas em que varia também o levantamento de válvulas, como o VTEC da Honda, a exemplo do saudoso Civic Si, onde é nítida a mudança. Para um sedã que objetiva conforto; o sistema do Fusion, embora não mude tanto o caráter do motor, é mais conveniente.

Motor Duratec IVCT 2,5 é bem elástico

O único porém com relação ao motor é sua taxa de compressão de 9,7:1, baixa demais para aproveitar com eficiência o alto poder antidetonante do álcool. Para gasolina está razoável, embora pudesse ser algo mais elevada, mas está muito distante da ideal para álcool, que no mínimo exige taxa acima de 11,5:1. 

O Fusion estava abastecido com álcool e não tive oportunidade rodar o suficiente para consumi-lo todo, já que o tanque é de 62 litros e, assim, dirigi-lo com gasolina. Seria bom ver se é mais econômico em termos de centavos de real por quilômetro rodado. Estimo que com gasolina ele faça ao redor de 15 km/l a 120 km/h, o que seria uma boa marca.

Já na cidade a aerodinâmica vale quase nada e o que manda, basicamente, é o peso, e aí ele se fez sentir, elevando o consumo, que gira em torno de 6,5 km/l, dependendo do trânsito, o que, todavia, não chega a ser de todo mau. 

O câmbio automático trabalha como deve para um sedã que visa conforto. É rápido o bastante e muito suave. Além da posição D há a posição S, em que ele permite trocas manuais seqüenciais por uma tecla na lateral da manopla de câmbio, como no New Fiesta robotizado de duas embreagens batizado de Poweshift. O câmbio trabalha tão bem que só usei as trocas manuais para descer serra, mais por preciosismo, já que descendo calmamente a serra da Rodovia dos Imigrantes não há como chegar nem perto das temperaturas de fading de freio.

Para trocas manuais seqüenciais, puxar a alavanca para a posição S e acionar a tecla lateral no pomo da alavanca

Freia muito bem, equilibrado, transmitindo muita segurança mesmo em frenagens em condições adversas, tipo emergência. Freio bom de modular frenagem, suave, progressivo.

Quanto à ergonomia para o motorista, chego a ser suspeito para comentar, pois nos modelos da Ford costumo me encaixar perfeitamente. O volante, revestido em couro, tem ampla regulagem de altura e distância. E a direção é rápida, nada de lerdeza de reações, nem rapidez demais. No ponto para a proposta do carro.
Bancos no melhor "Padrão Ford" de conforto


Sob o apoio de braço, um compartimento refrigerado


Mostradores de boa visualização

A suspensão, McPherson dianteira e multibraço, traseira, trabalha com perfeição para a proposta. É mais macia que a dos sedãs médios brasileiros, como Civic, Focus, Corolla. Alguns diriam mais mole, mas não é o caso. Ela oscila um pouco mais, sim, quando em curvas de piso ondulado, demorando um pouco mais para voltar a se estabilizar, mas é o pequeno preço que se paga para termos o conforto proporcionado. Mas não é nada comprometedor e ele aceita uma lenha da boa. Bem estruturado, o chassi é 10% mais rígido que o Fusion anterior, segundo a Ford. 



A grande distância entre eixos de 2.850 mm e a primeira guiada já me alertaram para uma melhor distribuição de peso em relação aos sedãs médios que temos no mercado, cuja distribuição gira em torno de 63% na dianteira/37% na traseira. Em vista disso tratei de pesá-lo na balança aferida que há em meu local de trabalho, e o resultado não negou a desconfiança: deu os exatos 1.570 kg de peso em ordem de marcha e distribuição com 58% na dianteira/42% na traseira (com motorista ao volante), uma distribuição que considero ideal para carros com tração dianteira. Para esses carros o ideal não é ter distribuição 50%/50%, como nos carros de motor dianteiro e tração traseira, senão, ao arrancar, situação em que a massa se desloca para trás carregando o eixo traseiro, sobraria pouco peso sobre o eixo dianteiro, com a conseqüente diminuição de tração. A distribuição de peso do Fusion me pareceu a mais adequada. Gostei muito de seu comportamento nas curvas. Faz jus aos irmãos menores New Fiesta e Focus. 

Bancos de 1ª  classe

O banco traseiro, como dizem, “é pra diretoria”. Espaço ali não falta. Grandalhões viajarão folgados e arejados, e uma pessoa mediana viaja no lugar do meio sem que se queixe.

Para quem gosta de distração enquanto dirige...

A queixa aqui fica para os comandos do painel. Particularmente prefiro que não compliquem o descomplicado, então, fico incomodado quando tenho que teclar numa tela (blip, blip) uma seqüência de comandos para pedir que o ar saia cá ou acolá, como se fosse numa aterrissagem de um Boeing, quando os tradicionais botões giratórios funcionam tão rápido e bem. Mas isso sou eu, que gosto de dirigir um bom carro e não gosto de nada que distraia minha atenção da estrada.

Linhas que merecem uma sentada para admirar

Concluindo, custando R$ 95.900, o Fusion 2,5 Flex faz frente a carros muito mais caros. Fica difícil imaginar que se possa querer ainda mais do que ele oferece. 

Para mais informações sobre o novo Fusion, vale ler os esclarecedores posts do Josias Silveira e do Carlos Maurício Farjoun.

Um breve vídeo (9min43s):
 


AK



FICHA TÉCNICA FORD FUSION 2,5 FLEX

MOTOR
Denominação
Ford Duratec 2.5 IVCT Flex
Tipo
4 cil. em linha, transversal, bloco e cabeçote de alumínio, duplo comando de válvulas, corrente, variador de fase na admissão, coletor de admissão variável, 4 válvulas por cilindro
Diâmetro e curso (mm)
89 x100
Cilindrada (cm³)
2.489
Taxa de compressão (:1)
9,7
Potência (cv/rpm)
175/6.000 (A), 167/6.000 (G)
Torque (m·kgf/rpm)
24,2/4.500 (A), 23,2/4.500 (G)
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo automático de 6 marchas + ré, trocas manuais por botão na alavanca, tração dianteira
Relações das marchas (:1)
1ª 4,58; 2ª 2,96; 3ª 1,91; 4ª 1,45: 5ª 1,00; 6ª 0,74; Ré 2,94
Relação do diferencial (:1)
3,07
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Independente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica
Diâmetro mínimo de curva (m)
11,5
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 299 mm Ø
Traseiros
A disco de 279 mm Ø
Controle
ABS, EBD e assistência à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 7,5J x 17
Pneus
225/50R17
CONSTRUÇÃO
Tipo
Monobloco em aço, sedã 4-portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
DIMENSÕES (mm)
Comprimento
4.871
Largura (com/sem espelhos)
2.121/1.911
Altura
1.484
Distância entre eixos
2.850
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,27
Área frontal estimada (m²)
2,26
Cx x A (m²)
0,61
CAPACIDADES (L)
Porta-malas
514
Tanque de combustível
62,5
PESO (kg)
Em ordem de marcha
1.572
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
10,5 (A; com gasolina ND)
Velocidade máxima (km/h)
195 (A; com gasolina ND)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 última marcha (km/h)
52,9
Rotação a 120 km/h últ. marcha
2.260 rpm
Rotação à vel. máxima/marcha
5.000 rpm / 5ª


 

50 comentários :

  1. Rafael Ribeiro14/11/13 12:24

    Cada vez que leio algo sobre o Fusion, me convenço mais de que é um dos melhores custo-benefício do momento. Cerca de 20% acima dos sedãs menores (quando completos) e cerca de 20% abaixo dos sedãs de mais prestígio. Oferece muito mais do que os primeiros, e às vezes um pouco mais do que os últimos.

    Só não levo em consideração como meu próximo carro por estar fora de minhas condições no momento... Mas dentro de 2 ou 3 anos, bons usados já estarão no mercado, numa faixa de preço muito atraente e eu, que sempre prefiro usados de classe superior aos 0km, pensarei a respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também penso assim. Daqui 2 ou 3 anos será uma ótima opção. Além de tudo isso, não me parece ser o tipo de carro que é comprado para ser "esmerilhado" antes de vender, o que deve ajudar na aquisição de um semi-novo em ótimo estado.

      _____
      42

      Excluir
  2. Uma pergunta meio off. Vejo que sempre o senhor pesa os carros. Nunca vi pessoalmente essas balanças. Gostaria de saber como é o procedimento para se aferir o peso individual por eixo. Coloca-se exatamente meio carro fora, meio na balança? Me perdoe pela ignorância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JCO

      basta tirar um eixo para fora da balança, desde que não haja desnível entre a balança e o piso fixo.

      Excluir
    2. Ok, obrigado, eu achava que teria de dividir certinho o entre-eixo, meio fora meio dentro da balança.

      Excluir
  3. Pena que veio para o brasil com o nome Fusion e não Mondeo. Esse carro é o melhor que a engenharia da ford européia fez, principalmente na versão com motor ecoboost com tração integral. Meu tio comprou esse carro ainda em pré venda porque ele sempre alugava o Mondeo ecoboost em suas idas à europa à negócios.
    O carro é incrivelmente bonito e o conforto interno e frescuras chega a níveis gays.
    A ford acertou a mão nesse carro.

    ResponderExcluir
  4. Este, nem pensar, não é para o meu modesto bico. Um 2009 já estaria ao meu alcance, mas mesmo tendo a impressão de que este é o tipo de carro que costuma ser bem cuidado por quem o compra (principalmente se tiver sido de um único dono), o medo de surpresas de$agradávei$ em termos de manutenção é maior que a tentação. Ser pobre é uma...o resto vocês sabem, he, he!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr.Car , deixe de ser "carola" !
      Passarinho que nao se arrisca nao aprende a voar.
      Ha varios Fusions usados em impecavel estado de conservacao. Ainda se estivessemos falando de carros esportivos que ficam na mao da molecada....
      Geralmente sao senhores de 45 para cima que compram. Cuidam muito em e depois o revendem para adquirir mais novo.
      Voce pode comprar numa CSS Ford onde conseguiria um com garantia de procedencia e sabendo que nao levou nehuma batida "forte".
      Outras boas opcoes sao:
      Azera mais anigos. Acha-se muitos em exclente estado e baixo KM.
      Malibu
      Corola
      Civic
      Eu se pudesse compraria qualquer um deles sem medo, principalmente os japoneses.
      Escolha com cuidado e leve um mecanico de sua confianca para uma avaliacao
      Nao ha o que temer
      Boa sorte

      Excluir
    2. Esse carro pode surpreender positivamente com baixos valores de manutenção,já que possui motor com corrente,seus lubrificante é o mesmo dos Ford mais simples a facilmente encontrado em qualquer auto center ou auto peças.Talvez só filtro de ar encontre em CSS,já a parte de suspensão(amortecedores e buchas)não creiam serem mais caros que seus concorrentes.....

      Excluir
    3. Mr Car, eu comprei meu Fusion 2008 usado, em 2011, e não tenho do que me queixar. Acho a manutenção até barata para o porte do carro.

      Excluir
    4. Engraçada a situação (sem maldade) com Mr.Car e os anônimos, "cutucando-o". Como em uma família, cada Autoentusiasta quer ver o seu próximo alegre, com seus sonhos realizados.

      Realmente, se procurar com afinco, encontra-se aquele carro que sabemos que foi bem cuidado - quem sabe aquele carro de um amigo ou conhecido, e que até combinamos que quando o mesmo desejar trocar de carro, que fale conosco antes. Afinal, poderemos pagar o preço de mercado, algo que ele não conseguirá ao geralmente repassar para a concessionária na troca de um novo, pois eles costumam pegar por valor muito abaixo do mercado e ganhar muito na revenda - deveriam apenas repassar o automóvel com pequena margem de lucro (o suficiente para ser uma espécie de seguro baseado nas estatísticas para a cobertura da garantia destes usados). Todos ganham com este giro rápido de usados: a concessionária, por fidelizar os clientes do novo automóvel (negócio fechado e cliente satisfeito) e do usado (possíveis revisões do automóvel usado). É menor tempo de pátio, com menor depreciação, e facilidade para quem pretende comprar o usado à vista, já que usado via financiamento não é tão bom negócio (os compradores partem logo para os "0 km").

      Excluir
    5. Amigo, comprei um Astra ELite AT 2005 com 50.000km unico dono a 1 ano atrás. Fiz uma preventiva com troca de correias - fluidos(até da transmissão), gastei menos de R$1200,00, achando que estaria sossegado por mais 50.000km. Ledo engano, já gastei em manutenção não programada quase 4000,00. Já deu defeito em: sensor abs+compressor ar condicionado+boia+alternador + coxins de motor e cambio + devo ter esquecido de algo + por ultimo o motor de partida. Ainda falta trocar amortecedores dianteiros que já estão cansados. Km atual é 78.000km. O que falta quebrar? Sempre compro meus carros com 50.000km e vendo com 130.000km. Antes de Astra, tive um Corolla 2003 Seg que comprei com 56.000km e vendi com 130 e a unica coisa fora da manutenção normal foi um coxim do motor... Então esses carrões nacionais seminovos, mesmo pouco rodados, quando começam a quebrar, prepare o bolso

      Excluir
  5. Esse carro é para o Mr.Car
    Mas ele vai falar que nao compraria pois nao tem o interior clarinho e que nao dao opcao de escolha e etc,e etc e tal...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse o caso de comprar, não tendo interior claro, ia escuro mesmo, mas que ficaria muito melhor com a opção que insistem em nos negar, ficaria. Basta ver o interior de um Sentra em sua edição limitada chamada "Unique".

      Excluir
    2. Anonimo 13:38
      Ha ha ha , voce errou !
      Agora esse menino nao falou em interior claro , mas reclamou do preco.
      Fica dificil satisfazer Gregos e Troianos!

      Excluir
  6. AK
    É possivel comparar esse 2.5 (175cv) com o 2.0 flex (178cv) do novo Focus?
    O que sentiu de diferente entre eles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eua acredito que a diferenca é que esse 2.5 tem mais torque em baixa que o 2.0.
      Em alta eles devem ser equivalentes uma vez que suas potencias maximas sao quase iguais!

      Excluir
    2. Eu ia falar justamente da equivalência dos Duratec! Um 2.5 aspirado de 175 cv e um 2.0 aspirado de 178 cv. Injeção direta realmente faz milagres!

      Daniel Libardi

      Excluir
  7. Excelente avaliação!

    A unica ressalva que faço é que descer a imigrantes não é o melhor trecho para avaliar o consumo de um veículo. Com minha antiga Ranger, enquanto fazia 13,5km/L na Castello, na Imigrantes "morro abaixo" essa marcha chegava próximo dos 15km/L (sempre usando S500 - com o S50 as marcas na Castello eram em torno de 7% melhores)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, por favor, não me subestime tanto. O consumo foi medido no trecho plano.

      Excluir
    2. Arnaldo, é que pela forma como está no texto, parece que a média de consumo foi feita ao longo da descida da Imigrantes. Deu margem a essa interpreta ção.

      Agora uma coisa é fato: Tive referencias boas relativas ao Duratec 2,5L flexivel na nova Ranger.

      Excluir
  8. Também não gosto de distração quando estou dirigindo ,minha esposa se irrita porque muitas vezes nem atendo o telefone,só que ela é esperta e aproveita quando estou ao volante e pede para eu comprar alguma coisa ou fazer algo pra ela ,e eu dirigindo normalmente digo ; sim claro ,tudo bem ,depois em casa pergunto o que é que você falou no carro mesmo?rsrssss...

    ResponderExcluir
  9. Sem dúvida um excelente sedâ. Mas por um pouco mais já dá pra comprar um alemão. Ai não cabe nem comparação.

    ResponderExcluir
  10. Ta no nível do eterno rei: o Velho Fordao - Landau

    ResponderExcluir
  11. Prezado porcodio14/11/13 12:50

    Como o Mondeo não foi exatamente um sucesso de vendas no Brasil, a despeito de todas suas excelentes características dinâmicas, e o Fusion alcançou um sucesso estrondoso, a Ford foi sábia em manter o nome de Fusion.

    O curioso é que o Novo Mondeo ainda não foi lançado na Europa. Quando assim for, basta importar um badge e colocar no Fusion

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu sou meio suspeito pra falar porque eu tenho um Mondeo de primeira geração e eu gosto muito do carro. Até porque só esse modelo que a ford trouxe na versão hatchback ao brasil. Inclusive com direito a suspensão sem "tropicalização" e com um motor mais esportivo que a segunda geração do modelo, apesar de o motor ser praticamente o mesmo (a partir de 96 entraram em vigor novas normas de emissões, e o motor foi amansado).
      O Mondeo realmente não foi um sucesso absoluto de vendas no brasil por causa da alta do dólar na época e seu preço se tornou proibitivo, pois o carro era importado da bélgica, enquanto os concorrentes diretos já eram fabricados no brasil. Além do que o nome Mondeo lembra "carro de tiozão" aqui por essas bandas para o brasileiro médio.
      A versão americana de baixo custo do Mondeo, se tornou o Fusion, e por causa do acordo comercial do brasil com o méxico (onde o Fusion é fabricado) o modelo conseguiu ser mais competitivo comercialmente.

      É inegável, que as gerações do Mondeo que não tivemos no brasil em prol do Fusion, eram muito superiores ao dito cujo.

      Mesmo assim, a impressão que eu tive andando com o Fusion V6 do meu tio foi muito boa, o carro é uma nave, mas sem comparação ao novo modelo equipado com o fodástico ecoboost.

      Excluir
  12. Ok, pessoal, mas se eu estivesse em um banco conversando com o gerente sobre aplicações, ele me diria que meu perfil é "conservador". Já em um bate-papo entre amigos, diriam que eu sou um bunda-mole, he, he, he! Tendo a ficar com um 0km sem nenhuma chance de um "passado obscuro", mesmo podendo levar um carro usado superior com o mesmo dinheiro. Isso, na faixa de R$ 40.000,00, onde já se encontra 0km bem razoáveis em equipamentos e motorização. Na faixa dos R$ 30.000,00 ou menos, onde não há nada razoável em termos de 0km, aí sim, eu arriscaria um usado. Por exemplo: em lugar de um Mille 0km com ar e direção, levar um Symbol Privilège que é muuuuuuuito mais carro (embora injustiçado pelo mercado) pelo mesmo preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com R$30.000,00 também compra um toyota corolla 2008 pouco rodado.

      Excluir
    2. Mr.Car, porquê só gosta de carro feio? Que Toc é esse?

      Excluir
    3. Corolla 2008, por um pouco mais, Fernando. Dei o exemplo do Symbol por ser um carro que se pode comprar ainda muito novo, 2012, até. Até garantia de fábrica ainda possuem.

      Excluir
  13. Tomara que esta mordenidade tosca de telas touch em carros seja um modismo e que um dia suma. Telas são para apresentar imagens e já basta, touch em veículos considero uma distração e são difíceis de usar de forma espontânea.

    ResponderExcluir
  14. Lorenzo Frigerio14/11/13 18:13

    Um Landau tinha exatamente a mesma relação de diferencial: 3,07:1. Porém, os pneus do Fusion são 3,80% menores que os do Landau (215/70 15). A relação da última marcha do Fusion é 0,74:1, a do Landau era direta. Isso significa que, enquanto o Fusion está a 2260 rpm a 120 km/h, o Landau está a 2904 rpm. Só que tem uma coisa: o automático do Landau não era "lock-up", então a rotação era mais alta um pouco.

    ResponderExcluir
  15. O melhor custo x benefício do Brasil. Mesmo caro prá caramba.

    ResponderExcluir
  16. Outro dia dirigi um Edge. É um carrao hi-tech! A cada movimento um bip: Carro a esquerda, carro a direita; sinal fechado; voce ta com sono; ta correndo; ta com fome; ta com dor de barriga; ta olhando a moça gostosa... e blablabla. E luzes por todo o canto! Me senti jogando um PS3 combinado com XBOX com kinetic num jogo de carro qualquer. Não tem como nao gostar, mas é carro pra quem nao gosta de carro. E anda muito, justo pra quem não gosta. Sem um botao de fogao no painel. Alias, tinha uns dois. Esse Fusion é irmao menor. Mas gosto do Fordao pelo king size. E o antigo, mais retão me agradava mais.
    AK, tera alguma diferença de suspensão desse pro europeu? Gosto do jeito americano, mais jiu-jitsu - suave.
    A suspensão dianteira do Fusion antigo era de duplo triangulo sobreposto. Não acha que era melhor e mais robusta que essa atual McPherson? A meu ver esse modelo de suspensão tem mais efeito na redução de custos no processo de produção.
    abçs

    ResponderExcluir
  17. Por falar em Ford Fusion, um carro grande e um verdadeiro inimigo dos demonizadores dos automóveis, vai aí em link de um artigo de um tal de Leonardo Sakamoto, um verdadeiro ecochato que volta e meia publica artigos no UOL demonizando os automóveis:
    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/11/14/obrigado-sao-paulo-este-congestionamento-recorde-e-motivo-de-orgulho/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses caras são ecochatospros outros. Pergunta se eles abrem mão do conforto que a tecnologia proporciona? Pra mim isso é tudo demagogia! tipo comunista que pede pra mãe: maezinha, faz meu Ovolmaltine, coloca meu iPad na minha michila Nike e separa minha camisa Ellus meu tenis reebok e meu iPhone que eu to atrasado pra manifestação contra.... contra o que mesmo , mãe? rsrsrsrsrs

      Excluir
  18. Esse mesmo motor faz 3,5 km com um litro de álcool na Ranger

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peso extra, pneus de uso misto "duros", aerodinâmica, transmissão 4x4... Isso faz diferença! Não sei como os americanos conseguem utilizar pick up's V8 a gasolina.

      Daniel Libardi

      Excluir
  19. O dia que esse carro baixar de preço, no mercado de seminovos, não vou pensar duas vezes... ele tem exatamente tudo o que mais aprecio num automóvel: bom motor, belíssimas linhas, baixo, aerodinâmico, corta o ar como uma flecha. conforto, suspensão macia... Eu acreditava que apenas o Ecoboost fosse bom, mas essa avaliação do 2.5 me convenceu. Que nave!

    ResponderExcluir
  20. Carro de diretoria, ainda muito longe das minhas condições e perfil, mas sensacional. Quanto a tal "telinha" no painel, concordo plenamente com você Arnaldo, e com alguns outros que vi comentando por aqui. Serve mais pro passageiro brincar enquanto o tempo passa; dou mais valor a um bom som com entradas práticas e comandos à mão, e ventilação fácil e rápida de se manusear. Enquanto dirijo, gosto mesmo é de conversar com quem me acompanha ou escutar uma música se sozinho, nada dessas coisas pra distrair.

    ResponderExcluir
  21. Nessas caixas modernas até freio motor elas promovem, se alguns fatores ocorrerem: grau de declividade, velocidade, velocidade de tirada de pé do acelerador, etc. Nessa descida da Imigrantes a lógica de freio-motor nem ativa, já que é café pequeno, agora se descer a serra de Campos do Jordão meio na lenha, ele mantém e/ou reduz marchas, perfeito. A caixa é mais inteligente que algumas pessoas que acham que qualquer descidinha vai ficar sem freio, ou, pior, que usam freio motor pra "poupar" freio ou "ajudar" no freio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arghhh!!!

      Excluir
    2. Rodrigo, a caixa epicíclica Invecs I do meu antigo Galant já tem essa lógica de freio motor quando há declive, essa tecnologia apareceu no início dos anos 90 nos Mitsubishi. Não conheço concorrentes com a mesma característica nessa época. Obviamente hoje funciona muito melhor, até pq os Mitsubishi adotaram a Invecs III (cvt).

      Excluir
  22. Tive um SEL 2010 2.5 e agora possuo um Ecoboost FWD. Encaro essa mudança com certa subjetividade pois não fui uma evolução do Fusion americano, mas sim do Mondeo europeu. E tem que ser um carro bom, pois tem concorentes de peso por lá como o Camry, Accord e Altima. O motor de procedência Mazda é robusto, elástico e relativamente econômico justificando sua permanência no novo. AK, percebi que tu falaste muito bem do carro, mas faltou discorrer um pouco mais sobre o principal argumento frente aos concorrentes, o sistema Sync com comando de voz. E melhor, é um argumento de fidelização, pois não sei como será quando tiver que comprar um carro sem esse sistema. Realmente se for para procurar os botões para os comandos perde-se muito tempo e atenção. Ele te obriga, por instinto de sobrevivência, utilizar os comandos de voz para ativar o A/C, o som, GPS e o celular ou utilizar o comando direito do volante que manipula a tela direita do painel . Em termos de conforto achava o antigo um tanto mais "americano" com bancos e volantes maiores. A suspensão do novo parece que "chuta"o buraco apesar da construção em alumínio. Outro item importante que me fidelizou ao Fusion foi acesso por senha. No antigo, um tanto anacrônico com teclas expostas e no novo num painel sensível ao toque, permite trancar o carro com a chave dentro e ir à praia, por exemplo, sem se preocupar com a dita cuja. A única ressalva com relação ao texto foi com relação ao compartimento refrigerado sob apoio de braço, confesso que fui até a garagem verificar, mas não é refrigerado, apesar dos dutos para os bancos traseiros passarem por ali. Portanto, poderia ser. Abraços Eduardo - Joinville

    ResponderExcluir
  23. A tonalidade desse branco do Fusion é fora de serie de tão lindo. Um branco único.

    ResponderExcluir
  24. Arnaldo Keller,
    seria possível traçar uma comparação sobre o conforto de rodagem em rodovias entre o novo Fusion e o C4 Lounge, mesmo sendo de categorias diferentes? Minha curiosidade é pq no post do C4L um ponto que voce muito elogiou foi conforto de rodagem. Tenho interesse no C4L e como viajo bastante esse paralelo será de grande valia. Abraços.
    Geraldo Luiz

    ResponderExcluir
  25. Andei nesse sedan na ccs. Simplesmente, é sensacional. Não tem como comparar com Civic e Corolla - é outra categoria de motor e conforto. Pra ficar com japa, vc teria que trazer o Camry pra enfrentá-lo. Aí que a gente vê porque americano encara o Corolla com um "carro de entrada" somente.

    Ricardo

    ResponderExcluir
  26. Um Fusion "americano" 2008/09 pra mim, já seria um senhor automóvel; imagina esse! Na frente do meu trabalho fica um desses, modelo novo e branco. É lindo de qualquer ângulo. Quem sabe no mercado de usados daqui a uns 8 anos?!

    Daniel Libardi

    ResponderExcluir
  27. Eu tenho um novo Fusion Flex, com teto solar, branco perolizado. Comprei no dia 9 deabril de 2013, fui um dos primeiros, se não fui o primeiro a adquirir este automóvel. De um modo geral, estou satisfeito com o carro. Muito macio, silencioso, muita tecnologia embarcada, não fica nada a dever para os alemães de entrada BMW, Mercedes Bens e Audi. Eu rodo pouco o automóvel es´ta apenas com 2000KM. Antes eu tinha um New Civic automático 2008/2008, preto, vendi com apenas 30.0000KM. O novo Fusion tem um inconveniente, por mais cuidado que eu tenha, ele sempre raspa no chão o spoiler dianteiro ao subir ou descer uma rampa, passar por obstáculos, valetas, etc. É muito baixo a frente dele. Isso me deixa muito chateado.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.