NISSAN FRONTIER SL, VALENTIA CONFORTÁVEL

Fotos: autor


Essa Nissan Frontier 2014, que é de 2ª geração (a 1ª é de 1998), chegou ao Brasil em 2007 importada da Tailândia e no ano seguinte passou a ser fabricada no Brasil nas "emprestadas" instalações fabris da aliada Renault em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, que já produzia a 1ª geração desde 2002. O atual modelo foi mostrado no último Salão do Automóvel, em novembro do ano passado, e além de pequenas atualizações de estilo teve a potência do motor turbodiesel de 2,5 litros aumentada para 190 cv.
É testando estes modernos motores Diesel, cujo turbocompressor é de geometria variável, que constatamos sua evolução e a eficiência do sistema. A picape cabine dupla Nissan Frontier SL, versão oferecida exclusivamente com câmbio automático de 5 marchas, pesa 2.066 kg e seu motor rende 190 cv a 3.600 rpm e 45,8 m·kgf a 2.000 rpm, e mesmo com tudo isso ela consegue ser bastante econômica. Fez entre 7 e 9 km/l no percurso urbano e entre 9 e 11 km/l na estrada. Sobram-lhe força e potência. Raramente necessitamos acelerar a fundo. Mesmo nas ultrapassagens em estradas de pista simples, basta uma pequena acelerada que a Frontier vai facilmente engolindo um por um. Acelerá-la ao máximo – a injeção é cortada a 4.500 rpm – é mais para ter o gostinho de sentir o parrudo motor. Com as janelas fechadas, o bom isolamento acústico da Frontier deixa o barulho sem graça do motor Diesel do lado de fora e dele só escutamos um grosso rosnado. A aceleração 0-100 km/h é vigorosa, 11 segundos, mas não é informada velocidade máxima, que deve ser bem próxima dos 180 km/h. Na estrada, a 120 km/h em 5ª marcha o giro vai a baixas 2.400 rpm. O bom tanque de combustível, de 80 litros, lhe dá enorme autonomia, em torno de 900 quilômetros.

Painel no bom padrão Nissan: prático

Dá também gosto ver a evolução da estabilidade, tanto direcional quanto em curvas. É claro que no segundo quesito continuam longe dos carros de passeio, que também evoluíram, mas essas picapes já proporcionam viagens bastante seguras e descansadas, desde que não se abuse. Estando com a caçamba vazia, nas entradas de curva ela é frentuda, como devem e costumam ser as picapes, já que são projetadas para também rodar com a caçamba lá atrás carregada, mas ela obedece bem e não reluta, entra até que rápido na curva e ali se mantém bem estável, sem problemas, sem surpresas, sem vícios. Boa picape, gostosa de viajar, e até que macia de suspensão. Quem dirige nas estradas de terra sobre "costelas de vaca" sente o peso não suspenso do eixo traseiro se manifestando, pois, enfim, em picapes médias e grandes não se escapa de rodas, pneus e eixo rígido traseiro pesados. Por pesar bastante, trabalha devagar, não tem como acompanhar o solo e pula um pouco, o que é o normal nesses veículos. Me surpreendi com o bom comportamento em curvas cujo asfalto era ruim, pois nesse caso o pesado eixo traseiro costuma quicar, parar pouco no chão, então, como era esperado, ele quicou, parou pouco no chão, mas a traseira pouco desgarrou, ou melhor, desgarrou menos que o esperado. Só posso creditar essa melhora ao controle eletrônico de estabilidade; mesmo assim não convém abusar... 

Suspensão traseira: eixo rígido e feixe de molas semi-elípticas

Os pneus que a equipavam eram os Bridgestone Dueller M/T 255/60R18. Bons. A crítica fica para a exagerada desmultiplicação da direção, cuja assistência é hidráulica. São 3,8 voltas de batente a batente, o que não se justifica quando se têm assistência de direção. Ficaria bem melhor se fossem entre 2,8 e 3 voltas. Na estrada, tudo bem, mas na cidade isso lhe dá pouca agilidade e rapidez para, por exemplo, desviar de manobras alucinadas de motoboys ou coisa chata parecida, como tomar uma fechada inesperada. 

Direção muito lenta

Os bancos revestidos de couro ajudam no conforto, mas sua anatomia e maciez não me pareceram ser do nível ótimo atingido em picapes concorrentes, mas está num nível bom. O volante só tem regulagem de altura, mas na distância em que está, está bom. Nele temos controles da velocidade de cruzeiro e do som. Os instrumentos têm um desenho simples e de boa visualização e tudo no painel é fácil de acionar, intuitivo, como costuma ser nos carros da marca, e quanto a isso só tenho uma ressalva: o botão de consulta ao computador de bordo é um pino inserido no velocímetro, no lugar onde desde sempre foi o do zerador do hodômetro parcial, o que dificulta a sua consulta quando estamos dirigindo. Qualquer outro lugar seria mais prático. O som é bom, na verdade ótimo, o ar-condicionado também e tudo proporciona agradáveis comodidade e conforto em longas viagens, para quem vai adiante. Já o banco traseiro poderia ser melhor. E digo poderia porque poderia mesmo. Com pouca coisa, um ângulo um pouco maior entre o assento e o encosto já mudaria radicalmente a situação. A verticalidade do encosto está além do que é cômodo. A Nissan sabe bem disso, pois seu modelo Tiida tem a bem-vinda sutileza de permitir que se regule esse ângulo no banco traseiro. 

O conforto para quem vai atrás merecia maior atenção

A versão SL com câmbio automático é a mais equipada e vem com vários recursos, entre eles controle de estabilidade, controle de tração, limitador de deslizamento do diferencial traseiro, ABS nas quatro rodas, fora a opção de acionar a tração 4x4 ou a 4x4 reduzida. O câmbio automático, por sinal, funciona muito bem. É um pouco mais lento que os câmbios automáticos de carros de passeio. Demora um pouco mais a obedecer nossos pedidos de redução de marcha, temos que acelerar mais fundo um pouco, mas do jeito que está, está certo, pois é o melhor modo de aproveitar a elevada – bota elevada nisso! – potência em baixa deste motor turbodiesel. 

Botão giratório que altera o modo de tração

A escolha do modo de tração é feita por um botão giratório no painel e mesmo em movimento se pode passar de 4x2 para 4x4. Para o uso do 4x4 a fábrica recomenda que se limite a velocidade a 100 km/h. Acima disso, usar a 4x2. O modo 4x4 com reduzida, cuja redução da transmissão limita a velocidade máxima a 50 km/h, é interessante e vale usá-lo quando em trechos bem cascudos, íngremes e/ou lamacentos, pois aumenta muito a força de tração e, se for necessário, se vai na base do rompe-mato estilo javali de Erimanto enfurecido.

Diagrama 4x2

Diagrama 4x4
Diagrama 4x4 reduzida "4LO", de 4-wheel drive low

Sua capacidade de carga é de 1.000 kg, o ângulo de entrada é de 32°, o de saída, 24° e o de rampa, 39°, com vão livre do solo de 220 mm. A Nissan não informa capacidade de rampa, mas pelas características do veículo certamente é superior a 80%. Como se vê, além de uma confortável picape cabine dupla de câmbio automático, ela tem grande capacidade para o fora-de-estrada, pronta a desbravar terras ainda não pisadas por nenhum bandeirante, pronta a arrastar até uma motoniveladora atolada na lama, pronta a empurrar enormes pedras montanha abaixo, pronta a escorar o trem que ia fatiar a mocinha amarrada aos trilhos ou até mesmo enfrentar as ruas paulistanas para buscar as crianças na escola – embora medindo 5,23 metros de comprimento e fazendo um giro completo em 13,2 metros, fosse bom que a escola ficasse num zona rural....

AK

1.000 kg de carga útil
Ângulo de entrada: 32°
Para os perdidos no mundo, uma bússola no retrovisor
Ângulo de saída: 24°
Câmera de ré



FICHA TÉCNICA

Motor: Diesel com turbocompressor de geometria variável e interresfriador, dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro com duplo comando de válvulas acionado por corrente. Injeção direta de combustível do tipo common rail e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração traseira com acoplamento elétrico da tração nas rodas dianteiras e da reduzida. Diferencial traseiro com deslizamento limitado. Oferece controle eletrônico de tração.
Diâmetro e curso: 89 x 100 mm
Cilindrada: 2.488 cm³
Potência máxima: 190 cv a 3.600 rpm.
Torque máximo: 45,8 m·kgf a 2.000 rpm.
Taxa de compressão 16,5:1.
Suspensão: Dianteira, independente, braços triangulares superpostos, mola helicoidal, amortecedor hidráulico e barra estabilizadora. Traseira, eixo rígido, feixe de molas semi-elíticas longitudinal por lado e amortecedor hidráulico.
Direção: Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica, 3,8 voltas entre batentes
Freios: A discos ventilado na frente e a tambor atrás; ABS e EBD.
Construção: Separada, carroceria e caçamba separada estampadas em aço, quatro portas e cinco lugares.
Dimensões: Comprimento, 5.230 mm; largura, 1.850 mm; altura, 1.780 mm; e distância entre eixos, 3.200 mm.
Diâmetro mínimo de curva: 13,2 metros
Peso: Em ordem de marcha, 2.066 kg; carga útil, 1.000 kg.
Capacidade da caçamba: 1.012 litros
Tanque de combustível: 80 litros.
Capacidade off-road: Ângulo de entrada 32º, ângulo de saída 24º, ângulo de rampa 39º e vão livre do solo,  220 mm.

EQUIPAMENTOS DE SÉRIE

Direção assistida hidráulica, ajuste de altura no volante, controle de cruzeiro, acionamento elétrico de espelhos, vidros e travas de porta, ar-condicionado digital de duas zonas, regulagem de altura do banco do motorista, faróis de neblina, regulagem de altura dos faróis, retrovisor interno eletrocrômico com bússola digital, câmera de ré, bolsas infláveis frontais, ABS com EBD, rodas de liga leve de 18 polegadas, faróis com máscara negra, chave presencial, acabamento interno em dois tons, bancos de couro, rádio/CD/MP3/USB/iPod/Aux, controle de estabilidade e tração, acabamento interno cromado e selos alusivos à versão na carroceria e soleiras das porta dianteiras.

Preço: R$ 128.990

98 comentários :

  1. Estes bancos traseiros de picape são um problema, sem contar também a pouca altura deles em relação ao assoalho.

    Qualquer um um pouco mais pernudo vai detestar a viagem.

    Achei estranho ela não ter protetor de caçamba.

    E será que ela mudará ano que vem ? A concorrência se mexeu bem..

    ResponderExcluir
  2. Para uso em um grande centro urbano, por mais qualidades que as grandes pick-ups tenham, para mim sempre vai sobressair aquele que é um defeito, considerando tal "habitat": é um trambolho com praticidade zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para uso urbano esse tipo de pickup tem o que só elas tem: pode desrespeitar todo mundo, tirar casca dos outros e sair ileso, conjuga-se isso a uma película escurecedora de 5% de visibilidade e pronto: total anonimato para praticar os mais variados tipos de cornices no trânsito.

      Excluir
    2. Picape grande é Dodge RAM e F-250 essa é média. Mas concordo que nem essas e nem as médias são ideais para o uso nos grandes centros!
      Há algum tempo eu tinha uma S-10 e parei ao lado de um RAM a minha simplesmente sumiu, e olha que eu achava grande, mas uma viagem aos EUA mudam o conceito de qualquer pessoa sobre grandes pick up's nos grandes centros, lá eles simplesmente apelam, conheço um americano que até uns tempos atras ele tinha um Hummer H3 e uma Cadillac Escalade como carros de uso diário lá nos EUA. É mole. rsrsrs
      abraços

      Excluir
    3. Mas na roça as pick-ups são os únicos carros realmente úteis, com exceção de alguns SUVs: o Troller e o Jimny são muito pequenos, o Crossfox é um lixo, o Ecosport e os outros carros simplesmente não aguentam. O Duster até vai sem desmanchar-se pela estrada, mas para na primeira poça.

      Excluir
    4. Incrivel que muita gente , por questao de status , se sujeite a usar esses trambolhos em cidades grandes.

      Excluir
    5. use uma pickup dessas por uma semana e depois volte pro sofrimento de usar um carro pequeno..vai saber como é bom não se importar com asfalto ruim, ou levar uma encostada de um carro e não acontecer nada, ou em uma enchente poder ir pra casa sem se importar se tá acabando o mundo ou não...

      Excluir
    6. Ou poder bater na traseira de um carro menor propositalmente e fugir né? Já aconteceu comigo, sorte que eu não tive condições de fazer uma besteira então fui forçado a deixar pra lá, já pensou jogar a minha vida fora por causa de um imbecil? Pra mim esse tipo de carro precisava ser proibido em cidade, simplesmente proibido.

      Excluir
    7. Eu não sei que asfalto tão ruim é esse por onde você anda, que tanta encostada você toma, ou que tanta enchente você enfrenta. Ainda assim, não justifica o investimento. Supondo-se que a tragédia máxima acontecesse (perda total de um bom carro de uns R$60.000,00 numa enchente, e sem seguro que cobrisse esse sinistro), com outros R$60.000,00 o sujeito pegaria outro 0km igual, e ainda faltariam praticamente R$30.000,00 para chegar no valor médio dessa pick-up. Isso financeiramente falando, fora a perda de mobilidade que um trambolho desses em si acarreta.

      Excluir
    8. Mr.Car, concordo com você, estas pick-ups para uso urbano são verdadeiros trambolhos, duras e inconvenientes ou como dizia um falecido tio, mistura de limusine com locomotiva mas como já foi dito aqui, tem gente que acha sinal de status.

      Excluir
    9. Brasileiro gosta de trambolhos. Te adiciono mais 3 exemplos: Dacia Logan, Nissan Versa e Chevrolet Cobalt. Não são bonitos, não são bem acabados, não são refinados mas são grandes, apenas isso.

      E a troco de quê? O espaço que todo mundo preza é balela, não sou chofer e nem taxista, dane-se quem vai no banco traseiro, já tem sorte de não ir à pé ou de busão. Se for pelo porta-malas, compra uma Palio Weekend que é BEM melhor. Mais espaçosa, melhor projetada [principalmente que o Dacia] e mais pratica já que você pode colocar carga até o teto [não aconselhável para longos trajetos]. Também é mais fácil de estacionar já que o carro acaba no vidro traseiro, sendo desnecessário aquele mal dos sensores de estacionamento, que só emburrece o povo e tira mais da já pouca habilidade que eles possuem...

      Excluir
    10. Incrivel como as pessoas são preconceituosas.

      Todo mundo xinga as picapes e SUV's mas todo mundo acha o máximo o infeliz que sai dando uma de engraçado com sua Ferrari no Transito de São Paulo, acelerando em cada semaforo.

      Ou de um infeliz de um empresário e apresentador de TV que encosta o seu Porsche como a extensão do seu ego sem nem se dignar a olhar para a cara do manobrista

      Cada um compra o carro que bem quiser e que bem entender. Quem não gostar de rodar de Frontier em São Paulo compre um Smart. QUem não gostar de Smart compre RAM

      Excluir
    11. Tipico comentário de quem não pode ter um carro assim. "Quem muito desdém, muito quer!"

      Excluir
    12. Sempre fui grande fâ de sedans, ja tive, nessa ordem, Corola, New Civic, Jetta, Fusion, e por ultimo um Sonata que tive uma infeliz situação em uma estrada bahiana proximo à Correntina, em que eu me acidentei após perder o controle em uma serie de buracos na pista, bati frontal com uma hilux, ela simpelsmente desmanchou meu carro. Meu Sonata deu perca total, e após minha recuperação passei ouvir meu pai, que sempre teve camionetes e sempre me falava sobre a segurança. Comprei uma Frontier SL 13/14 e é otimo não preocupar tanto com as pessimas condiçoes das estrada. Mais como nada é perfeito, o conforto é incomparavel, meio dura e vira pouco.

      Excluir
    13. Quem nunca andou em uma pick-up, fala que é um trabolho, tenho caminhonete a 20 anos, enfrento engarrafamento todos os dias, não tem carro igual. e olha que tenho dois automoveis a gasolina, todos 2013. mas não abro mão de uma caminhonete no trânsito, ou em qualquer lugar, não tem igual.

      Excluir
    14. Eu já andei, bastante até, e afirmo que é um trambolho sem-nome. E não é só o tamanho, tem a torção do chassi, como é incômoda! Agora, ser masoquista é um direito entre tantos outros...

      Excluir
  3. Sr Keller obrigado pela informação da valente Frontier e aproveito para pedir mais postagens técnicas pois como o Sr falou quem tiver interesse em realmente aprender o Sr estaria disposto a ensinar. Obrigado por compartilhar o seu enorme conhecimento e lhe desejo muita saúde e luz.

    ResponderExcluir
  4. Antonio Pacheco17/09/13 12:39

    Boa picape, principalmente pelo motor ser acionado por corrente e não correia dentada. Aliás, camionete deveria ter sempre corrente de comando, por ser mais robusta que a correia. A Amarok tem alguns relatos de problemas na correia dentada, o que não é bem vindo em picapes consideradas "robustas".

    ResponderExcluir
  5. Gosto de picapes a Diesel. São uma delícia e bem práticas no dia a dia (moro no interior em uma cidade de 400 mil habitantes e as ruas estão cheias de picapes por aqui). Mas só uma perguntinha: "Seu Kellis" essa daí também te deu dor nas costas igual a Amarok, ou dessa vez escapou? kkk
    Klaus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Klaus, a dor nas costas veio de carregar as tralhas, você lembrou, e não por causa da "poltrona" do motorista que a Amarok tem.
      Dessa vez a patroa arranjou coisas leves. Volumosas, porém leves, tipo vaso enorme cheio de terra, pilar de mesa de concreto, etc. Moleza.

      Excluir
    2. Então o "cumpádi" saiu no lucro. A última picape que apareceu aqui em casa teve que carregar uma enorme tora de timburi pra virar vaso de orquídeas que nunca florescem, só "folhecem". Adivinha quem foi o "guindaste" que carregou e descarregou o tal "vazo ecológico"? Pois é...
      Klaus

      Excluir
  6. Vim seco por um video de avaliação :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas dos Santos17/09/13 17:44

      Hahaha! Idem aqui! Fui direto para o final do texto para ver se tinha vídeo.

      Estamos ficando mal-acostumados...

      Excluir
  7. Taí um segmento que eu não acompanho, mas considerando somente design - que é a única coisa que posso opinar - a frontier é a minha preferida.

    Se ter uma dessas não fosse proibitivo (seguro de picape diesel em sampa é impraticável) talvez eu cogitasse a hipótese, para ir surfar, acampar ou andar de bicicleta em lugares onde me falta coragem de enfiar meu carro de passeio.

    ResponderExcluir
  8. Arnaldo, uma coisa que venho observando é que as caminhonetes diesel vem ficando cada dia mais gastonas.

    Quando lançaram a Ford Ranger Powerstroke 3L diesel e a então nova Toyota Hilux nos idos de 2005, elas disputavam para ver quem era a mais econômica. A balança pendia para a Ranger (e seus mais de 13,5km/L de diesel a 120km/h) embora a Hilux não ficasse muito atrás. Aliás esses valores de consumo com Ranger 3.0 falo por experiência propria de quem foi proprietário de uma de zero até os 150 mil km, entre 2006 até 2012. E viajava muito na Castello Branco com a Ranger.

    As S-10 2,8L MWM Sprint de injeção via bomba injetora também eram bastante econômicas. Consumo de 9km/L na estrada era consumo de F-1000 MWM D-229, F-250 MWM Sprint e L-200 Sport/Outdoor (cujo motor, a 120km/h trabalha a quase 4000 rpms)

    Depois vieram alguns "aprimoramentos" que do ponto de vista de consumo mostrou-se desastroso: As S-10 MWM Sprint eletronicas passaram a consumir mais que as antecessoras com bomba injetora, a Toyota, no discretissimo facelift da Hilux em 2009 mexeu em alguma coisa que a Hilux não consegue mais fazer 11km/L na estrada. A Nova Frontier (primeiramente tailandeza - SEL e depois nacionalizada) de 175cv não fazia muito mais do que os 10km/L na estrada, num motor de baixissima potencia disponivel abaixo de 1500 rpms (lembrava os primeiros Gols 1L e 16 válvulas). Tudo isso sob a bandeira do "downsizing". O mesmo vale para a Amarok e seu diminuto (e levissimo) motor 2L e 163cv (quando lançada) - também não conseguia consumir menos que 11km/L.

    É importante salientar que o incremento de peso dessas picapes foram ínfimos, não chegou a 100kg (se compararmos a antiga Ranger com a Nissan Frontier e mesmo a Amarok).

    O que eu nao entendo é que 8,5km/L é o consumo rodoviário de minha F-1000 4x4, motor MWM 4.10T de caminhão, 4,3L, com bomba injetora mecanica, motor este que pesa quase meia tonelada, montada numa transmissão curta (o motor trabalha a 2300 rpms a 110km/h, sendo a potencia maxima obtidas em 2600rpms), tudo isso montado em um conjunto pesando 2350kg. Se formos levar para esse lado, era para as picapes atuais, mais leves e compactas, projetadas já prontas para motores "Common Rail" e usando diesel S10 de maior numero de cetanos fazer mais de 15km/L na estrada. E não é isso que observamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, agradeça aos "nossos amigos" ecochatos pelo aumento do consumo. A quantidade de equipamentos de controle/restrição de emissões de poluentes "abafam" de tal forma o sistema de escape que pra vir potencia alta (que é o que vende de verdade por essas bandas, coisas do tipo o meu é maior que o teu, típicas de terceiro mundo)só jogando mais combustível pra dentro mesmo. Totalmente "ecológico" queimar muito mais recursos pra fazer o mesmo serviço.
      Klaus

      Excluir
    2. exatamente..os sistemas de diminuição de emissões é que estão jogando as médias lá embaixo...

      Excluir
    3. Anônimo e Giovani;

      Isso é uma realidade em parte, entretanto a Toyota e a Nissan conseguiram estragar as picapes rodando em Euro III. Quando a Toyota estragou o consumo da Hilux em 2009, ainda prevalecia o mesmo Euro III de 2006. E quando saiu a Frontier tailandeza (SEL), também não tinha os rigidos controles de emissões. Não falo da Mistubishi porque a motorização da Mitsubishi (o 4D56 2,5L mecanico da Sport/Outdoor e o 4M41 3,2L da Triton) nunca tiveram fama de econômicos.

      Excluir
    4. A Triton, se vc quiser que fique duca, coloca a coroa e pinhão da Dakar diesel...faz 13 km/l na estrada. Amarro o que quiser.

      E existe um velho ditado...cavalo que corre bebe agua.

      Excluir
    5. Daniel S. o que vc esquece é diesel antigo tem 100 cv...120 cv...só tem torque. Na estrada como vc mesmo disse, anda 300 rpm da potencia máxima enquanto um moderno anda a 2000 rpm da potencia máxima.
      Mas tem 170/200 cv's!!! Mesmo com meio pé, já gasta o equivalente aos antigos Cummins, MWM etc...

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. 911 Turbo;

      Por favor releia o que eu escrevi. Comentei exatamente isso que os motores modernos estão gastando igual aos diesels antigos.

      E comparei motores modernos com motores modernos (caso do motor Toyota 3.0DID da nova Hilux e 163cv, da Ranger NGD3.0E, das primeiras Frontiers 2.5L e mesmo as primeiras Tritons (soube que a Triton melhorou muito).

      E você se esquece de um outro ponto: Exatamente pelo fato dos motores modernos andarem em metade da rotação de potencia máxima (e mais próximos do ponto otimo da curva de consumo especifico em g/kW)e ter um gerenciamento muito mais apurado do motor, eles tem a OBRIGAçAO de serem mais econiomicos que os diesels antigos, como o meu MWM que a 120km/h trabalha quase proximo ao regime de potencia máxima, e portanto longe da curva de menor consumo especifico.

      Excluir
    8. O gerenciamento mais apurado infelizmente não reflete nada com esse diesel de mer...que é vendido no Brasil inteiro. As montadoras tem que ser muito conservadoras no "fine tuning" porque em Altamira o diesel não é o mesmo de SP.Picape se vende em todo lugar, todo Brasil.
      E quanto a curva de menor consumo, no diesel basta definir o quanto você acelera..não tanto pela rotação.
      E mesmo assim, se um moderno de 200 cv bebe igula ao velho de 100 cv, evoluiu muito.
      É como comparar um V8 302 com um V8 302 do Mustang novo. Bebe igual também, mas o velho tem 135 cv(e olhe lá) e o novo 350 cv.

      Excluir
    9. 911 Turbo,

      Repito. RELEIA o que eu escrevi. Acho que não estou sendo claro o suficiente.

      Excluir
    10. Daniel,

      Cara, eu tive uma ranger 3.0 2005 cabine simples, 4x4. Era muito, mas muito difícil, mesmo, ela fazer 10 km/l. A média estava sempre entre 9 e 9,5 km/l. Rodei 290.000 km nela.
      Hoje tenho uma Amarok 11/12 manual, cabine dupla. Até agora, 120.000 Km. Quase nunca fica abaixo dos 11 km/l. Com média de 110 km/h faço uns 12 km/l e entre 90 e 110 km/l, faço cerca de 13,5 km/l...

      Mas temos que lembrar que carros são "indivíduos". Talvez vc tenha dado sorte com sua Ranger e azar na Amarok, e eu tenha tido azar na Ranger e sorte na Amarok...

      Abraço

      Excluir
  9. Arnaldo,
    Esse ângulo de rampa parece estar superestimado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus, dado de fábrica. Não testei pra conferir.

      Excluir
    2. Marcus, não confunda angulo de rampa com angulo de ataque ou entrada.

      Angulo de rampa de 39 % não é nada de mais. O Fusca 1200 tem o mesmo indice.É a capacidade de subida ingreme.

      Excluir
  10. Meu cunhado tinha uma dessas... A dirigi por algumas vezes em SP , em estrada de asfalto e terra.
    Me desagradava a direcao superdesmultiplicada e a aspereza da suspenssao trazeira. O encosto do banco trazeiro tambem é muito vertical , o que tona a viagem cansativa para quem vai atras.
    O motor realmente e muito forte. A aceleracao impressiona. Em piso de terra chega a destracionar...
    Porem o carro teve que ser vendido com apenas 40.000 km depois de defeitos na injecao de combustivel. A fabrica nao dispoe de pecas de reposicao e o carro ficou 3 meses parado aguardando conserto. Isso é muito grave para um carro fabricado em solo brasileiro. fiquei bastante decepcionado com a Nissan e toda essa imagem de robustes foi por agua a baixo.
    Trocaram a Frontier por uma Amarok que tem uma qualidade e dirigibilidade muito superior... , mas ainda nao sei sobre a manutencao no dia a dia do VW.

    ResponderExcluir
  11. Nas estradas mais abertas (fronteiras ao Sul) é muito comum ver essas picapes de nova geração andando em ritmos muito forte; mesmo nas curvas, basta dar uma beliscada nos freios e entrar controlando a rolagem que elas dão trabalho a muito carrinho bom quando é preciso retomar a velocidade.

    Frontier, Hilux SW, S10, Triton...a todo instante elas estão passando em "volada", motor sempre aceso pelo turbo, emendando ultrapassagens a torto e direito e flutuando sobre os inevitáveis buracos.

    E pensar que há pouco mais de vinte anos, elas mal passavam dos 125 km/h reais (F-1000, D-20...pior se cabinadas..etc).

    Foi um dos segmentos que mais evoluiu na indústria nacional.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF,

      esses caras estão é abusando, pode crer. Ainda não são pra isso.

      Excluir
    2. MFF
      É por isso que acontecem inumeros acidentes por ai....
      Nao sao carros para correr da forma como esse pessoal tem corrido ...
      Nao tem boa dirigibilidade nem freios como os carros pequenos.
      Ha que se compreender para que finalidade um carro foi criado e dirigi-lo pensando nisso.
      Agora se voce falar de um Porsche Cayenne .... as coisas mudam de figura. Eu tinha um carro de 230cvs e levei um nabo dos grandes de uma Cayenne Turbo. Impressionante o que anda em reta e curva tambem.

      Excluir
    3. AK;

      De fato não são, mas quando o cabra têm um motor que sempre parece que está na faixa mais gorda de torque e muita estrada pouco movimentada adiante, aí é fácil andar mais do que se espera.

      Costumo ser regularíssimo em viagens, aliviando muito pouco nas curvas de raio longo, entrando como venho (evidentemente que a velocidade nunca é excessiva) e cuidando para não provocar a mínima oscilação ou transferência de massa excessiva para a lateral da suspensão. "Traseirômetro" ligado e rabo de olho na patroa e passageiros que precisam se sentir seguros e relaxados em uma viagem que seja míster dentro da possível equação velocidade/ritmo/consumo/conforto (e diversão do motorista, é claro)...

      E sempre eu diviso pelo espelho uma SW ou similar adernando, tentando entrar junto, comendo um pouco da pista contrária...para logo em seguida ultrapassar na próxima reta em máxima explosão do turbo. Se eu ando nos 130 km/h indicados no velocímetro (nunca mais do que 10km/h acima ou abaixo em viagens por topografia conhecida), em viagens tripuladas - o mais comum é ver essas picapes buscando 150, até 160 nas retas para subir nos freios nas próximas curvas, nova adernada e pé no fundo na saída do passo.

      Motor, talvez a impressão da melhor visualização lá de cima...sei lá - mas de todo modo são picapes boas de dirigir e de viajar, a Amarok é bem firme mas a Frontier não fica muito atrás apesar de ser um pouco claudicante (versão de 172 cavalos) em rotações baixas se não "palanquear" direito.

      A guerra civil de potência hoje está na eterna celeuma GM x Ford: S10 com duzentos cavalos, Ranger com a mesma cifra...se a Nissan apelasse para seu seis cilindros diesel em V de 231 pôneis malditos, aí creio que começaria a faltar chão.

      MFF

      Excluir
    4. Alguns anos atrás voltando de Ilha Bela mal peguei a Rio-Santos, início de viagem e já fui ultrapassado em trecho sinuoso por uma F-250 cabina dupla, um tempo depois encontrei a pick-up batida, um poste deitado sobre a rodovia e o trânsito bloqueado nos dois sentidos. Nem parei para ver, fiz meia volta e subi por Caraguatatuba. Abuso sempre pode provocar acidente, seja carro leve ou pesado, mas os danos colaterais provocados pelas pick-ups e SUVs são sempre maiores. É pura física. Quem conduz um veículo deste deveria ter maior responsabilidade, não é isso que se nota por aí.

      Excluir
    5. Anônimo, então vc precisava ver as Cayenne de 500 cv tomando lenha de Boxster de 230 cv em Interlagos. Os Boxster passavam pelo meio das pernas delas e sumiam. Elas são boas, sim, bem melhores que as picapes citadas, mas longe longe de um verdadeiro carro bom de chão.

      Excluir
    6. Esse segmento das saudosas D20 e F1000 foi praticamente extinto!!!!
      Ainda tem a Dodge Ram que misteriosamente após a F250 (sua concorrente direta) sair de linha subiu seu preço de 149.990,00 para 189.990,00.

      Agora a durabilidade desses motores novo são questionáveis. Podem até durar muito mas com inúmeros problemas! Não temos diesel S10 de qualidade.

      Saudade dos MWM X10, 229 ou até o cummins 4BT, todos com BI!!! Capazes de funcionar até com óleo de cozinha ahahaa

      Excluir
    7. Aki em Goiás quem mais anda forte nas estradas são as pickups...e olha q eu costumo viajar a 120Km/h reais - gps - o tempo todo, o que dá cerca de 130 e poucos no painel.

      Seja S-10, Hilux, Frontier, Ranger - you name it - os caras não andam a menos de 140 150 reais nas longas retas q temos aki.

      Excluir
    8. TioTora17/09/13 18:40

      Esses motores das picapes novas são de concepção diferentes dos das picapes "full-size" tipo RAM, F-250, etc. São motores diesel de alta rotação e que em decorrência das emissões e dos fabricantes estarem avessos ao uso do sistema SCR de emissões (uso do ARLA 32) em picapes, demandam uma complexidade maior da eletronica desses motores, seja na forma de EGR, limpeza e regeneração do filro de particulas, etc.

      E isso sem falar que são motores "proprios", desenvolvidos internamente pelos fabricantes. Servem apenas naquele modelo de veiculo e nada mais.

      Por outro lado, Cummins, Perkins, Maxion S4T, MWM X10 e 229 são motores voltados para multiplas aplicações. Nao apresentam a leveza nem a mesma suavidade de funcionamento de um motor "proprio" do fabricante, por outro lado a robustez, durabilidade e custo e acesso a manutenção são infinitamente superiores e mais simples.

      Uma pena que o uso de motores de fabricantes independentes estejam se tornando cada vez mais raros no segmento.

      PS: Apesar de tudo, fabricantes de motores independentes andaram conseguindo grandes resultados em termos de suavidade de funcionamento, comparável com os melhores motores diesel produzidos por fabricantes de picapes. Que o digam as novas S-10 (e seus 2,8L de origem VM-Motori italiana) e as F-250 Cummins MaxPower (ou Interact B 3,9L) que por sinal é super-suave e pouco ruidoso.

      Excluir
    9. LeandroL64118/09/13 01:36

      Não sei se esses caras são corajosos, idiotas, se as picapes são melhores do que eu imagino ou a soma de tudo isso.
      Rapaz, 160 km/h eu ja acho velocidade demais pro meu Corsa, imagina um trambolho alto e pesado.
      Teve uma vez q eu estava na estrada que liga o DF a Goiânia a +- 150 por hora no painel e uma Frontier (não sei especificar o modelo) me ultrapassou como se estivéssemos procurando vagas em um estacionamento, só consegui ultrapassar quando bati os 180 km/h (irresponsávelmente, eu reconheço) e mesmo assim não foi fácil.

      Excluir
    10. Daniel Araujo
      Meu medo na nova S10 é justamente esse motor, dizem que é a evolução daquela casca de ferida usada nas Dakotas...

      Excluir
    11. TioTora18/09/13 08:49

      É verdade. O motor da S-10 é a evolução do VM Motori que era utilizado na Dakota.

      Excluir
    12. Leandro, se você diz que foi irresponsável, saiba que o cara da caminhonete foi muito mais.
      Nessas velocidades elas vão reto, sim, se o asfalto for bom e sem ondulações. Se tiver ondulações ou piso ruim a coisa vira dramática. Se tiver que frear meio forte e/ou desviar de alguma surpresa, já era, ninguém mais sabe pra onde vai a coisa.
      No próprio manual do proprietário delas costuma vir um aviso em negrito: "são veículos cujo índice de capotamento, etc, é bem mais alto que em veículos de passeio, etc", portanto, não é veículo para essa finalidade. São muito seguros, desde que um cérebro razoável as conduza. O galho é a falsa segurança que inspiram em gente despreparada, pelo porte, por enxergarmos tudo do alto, como se inatingíveis pelo mundo que vai abaixo.
      Da próxima vez, procure ficar o mais longe possível desse tipo de gente. Cada coisa em sua hora e seu lugar, você sabe e sei que nem preciso lhe dizer, só estou reforçando sua própria opinião.

      Excluir
    13. AK;

      Isso sem falar no fading dos freios em caso de freada brusca.

      Certa vez a titulo de experiência testei os freios da Ranger experimentando frear com vigor a partir dos 120 km/h, numa estrada reta sem ningueem ou nada para colidir. Consegui provocar a perda de eficiência por conta do aquecimento. E o detalhe: Fiz o teste num dia frio e chovendo.

      Imagina no asfalto quente e seco das estradas do Centro Oeste...

      Excluir
    14. Daniel, não testei a Ranger antiga, mas na nova isso não pode ter acontecido, porque essa eu testei freios de montão e nunca deu fading, estão muito bem dimensionados.

      Excluir
    15. Arnaldo, a minha Ranger era a 3.0 Powerstroke 2006/2007. Antiga.

      Excluir
    16. "Essas picares de hoje em dia andam igual a "carro pequeno"".

      Pra mim isso é conversa de brasileiro típico, do tipo que fala que motor de 16 válvulas não presta e que compra carro preto e prata. A unida diferença é que no primeiro caso põe a vida dos outros em risco.

      Excluir
    17. Arnaldo
      Certamente acredito que uma Cayenne perde feio do um Boxter numa pista como Intelagos..
      Eu tinha um Volvo C30 turbo e nao consegui acompanhar os 500cvs da Cayenne em reta na Castelo.
      Impressionante o que aquele bicho feio anda!

      Excluir
  12. Acho que podemos chamar o "interresfriador" de intercooler. Não é crime de lesa-patria... é o nome pelo qual o equipamento já é tradicionalmente conhecido no Brasil há decadas. Se formos começar a chamar tudo pelo nome em português teremos vários neologismos. Aliás, podemos começar pelo "trilho comum", que se encontra duas linhas abaixo do intercooler no texto. DouglasPR

    ResponderExcluir
  13. Bela picape ,ótimo motor,painel mas o cambio mostra que poucas delas vão enfrentar um atoleiro na vida ,fazendeiro que enfia o pé no barro usa picape com cambio manual ,gosto muito de picapes,mas a distorção da forma que são usadas me incomoda,abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Speedster,

      eu gosto de câmbio automático para o off-road, prefiro. Dentre outras coisas dá para ir dando uns toques no freio com o pé esquerdo e acelerar com o direito em trechos lentíssimos. Não vejo o porque os automáticos seriam ruins para off-road.

      Excluir
    2. Qualquer um sabe que no atoleiro é melhor automático.

      Excluir
    3. A vantagem é que a ligação motor-transmissão é feita via conversor de torque e é lacrada, impedindo a entrada de agua no caso de transposição de enchentes e rios.

      Não corre o risco de "colar" embreagem.

      Excluir
    4. Além da multiplicação de torque pelo conversor sem gastar embreagem

      Excluir
    5. Anônimo17/09/13 18:31 Pode ser ,mas quem tem habilidade não precisa .

      Excluir
    6. Arnaldo Keller17/09/13 18:11 Ruim não é ,mas com cambio manual é mais divertido ,meu pai sempre teve pequenas chácaras na região de Juquitiba SP ,aprendi a dirigir nas estradas de terra ,carros com tração dianteira sem ser tração positiva,sensibilidade no pedal do acelerador e habilidade ao volante é o que mandavam,nunca fiquei no atoleiro,abraço.

      Excluir
    7. Speedster, vc nunca ficou em atoleiro porque é vivo e nunca se meteu onde sacou que não dava para o seu equipamento, só isso.
      Mérito seu e só. Essas picapes e jipes modernos são fantásticos para essas encrencas. Para quem realmente precisa é uma mão na roda mesmo. Tem muita engenharia boa aí, muita. Eu gosto muito delas, desde que em seus devidos lugares.

      Excluir
    8. Arnaldo Keller18/09/13 09:55 "Speedster, vc nunca ficou em atoleiro porque é vivo e nunca se meteu onde sacou que não dava para o seu equipamento, só isso" ,concordo.Ai você chegou no meu pensamento:"eu gosto muito delas, desde que em seus devidos lugares",até a próxima.

      Excluir
  14. AK,
    A Frontier sempre me chamou a atenção. Gosto do porte e das soluções dessa pick-up. Se eu fosse agroboy, ficaria em dúvida entre a Frontier e a Ranger, que representam escolas diferentes de desenho, mas passam uma impressão de robustez e de valentia.

    ResponderExcluir
  15. Entre as japonesas e a Amarok, eu fico com a Frontier. Tem um desenho bonito, elegante, sem exageros. É mais espaçosa que suas conterrâneas e com a melhor suspensão. A Amarok chega perto, a L-200 é um burro de carga e a Hilux é dura. Possui também um motor convincente, ao contrário da Amarok, e realmente dá gosto andar com ela por aí.

    Ainda não pude andar com a nova S-10 no meio da rua e a nova Ranger ainda nem entrei nela, então por enquanto a Frontier é a minha favorita entre as picapes médias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A L200 é um burro de carga...mas dura o dobro das outras...ou seja, se for para o batente mesmo, é a que vai quebrar por exemplo, menos peças de suspensão.

      Excluir
  16. Uma pena que a frontier é melhor no asfalto do que na terra...

    No uso diario..andar 200km de estradas de chão em péssimas condiçoes, batendo tudo e tals...a frontier acaba pagando o preço por ser um pouco mais baixa e ter o curso de suspensão curto...resultando em um desgaste prematuro das peças da suspensão...

    infelizmente ela não aguenta tanto como uma s10 das antigas ou a hilux...porque pelo preço, motor e beleza ela ganha tranquilo!

    ResponderExcluir
  17. Tenho uma dessas manual, versão sv, compartilho a opniao de ak e adito que a frontier eh avessa a cargas superiores a 600kg, contradizendo o manual. No resto uma excelente pickup. Passei cinco anos com uma ranger sem defeitos, so não repeti a dose pelo preço.
    Fusca95.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FUSCA95.
      A embreagem da sua Frontier durou quantos mil km ?

      Excluir
    2. TioTora, isso não quer dizer nada. Depende mais do uso e do motorista do que qualquer outra coisa.

      Excluir
    3. Eu sei disso AK!
      Li relatos de alguns proprietários que trocaram a embreagem 2 vezes até completar 38mil km. Mas poderiam ser casos isolados...

      Excluir
    4. AK;

      Tem muitos relatos de Frontier com desgaste prematuro de embreagem.

      Uma coisa que você não está levando em consideração é que pelo menos as Frontiers de 175cv não tinham motor abaixo das 1800 rpms, necessitando erguer demais o giro para mais de 2000 rpms para sair de uma ladeira, por exemplo. E isso num veiculo de 2 toneladas é um veneno para qualquer embreagem.

      Eu falo isso da Frontier mecanica porque já dirigi várias vezes uma e quem não está acostumado passa vergonha porque o motor apaga mesmo.

      Excluir
    5. "Depende mais do uso e do motorista do que qualquer outra coisa."

      Falou tudo.

      Excluir
    6. Esta muito nova, com 14mkm, pouco mais de 4 meses de uso. Sem desgastes visíveis.
      Fusca95

      Excluir
  18. Arnaldo,

    O motor da Frontier é da própria Nissan?

    Li todo o texto, gostei da picape, mas em minha modesta opinião, esse tipo de veículo serve apenas para uso rural ou comercial. Jamais para o lazer, ou para o transporte de crianças ou mesmo para ir ao trabalho.

    Muitos motoristas, principalmente mulheres, sentem-se protegidas(os) pelo tamanho desses monstrengos e abusam da velocidade em todas as situações. É um risco para todos.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Motor "de terceiro", agora só a S-10. Coincidentemente, possivelmente a pior nesse quesito.

      Excluir
  19. Júlio Neves17/09/13 22:33

    Caro Arnaldo

    Como sempre, ótimo post!

    "... pronta a escorar o trem que ia fatiar a mocinha amarrada aos trilhos ..." maravilhoso ! rsrs


    Qual das pick ups que voce avaliou vc prefere: Amarok, Frontier, Nova Ranger...?

    Voce náo acha que as pick ups flex, tipo a nova ranger e a nova S10, poderiam ter a opção de câmbio automático (como a Hilux possui) ? Será que elas náo tem por causa do consumo elevado, e que aumentaria muito com o automático ?

    Realmente, o conforto no banco de trás da Frontier melhoraria demais com a possibilidade de se ajustar a inclinação do encosto, e o aspecto interno (painel e painel de portas) é bem razoável, muito, mas muito melhor, do que numa L200 por exemplo, e mesmo me pareceu melhor do que na nova S10 ou na nova ranger, mesmo náo sendo emborrachado o painel ele tem boa aparência, náo percebi rebarbas, na verdade é muito semelhante ao do Versa, ou mesmo da Livina.

    Arnaldo, acho que a Nissan, ao deixar o câmbio automático disponível apenas nessa versáo topo, isto na linha 2014, náo foi feliz, anteriormente havia a opçao de automático mesmo em versóes intermediárias. Neste aspecto, a Toyota é a mais correta, toda a sua linha de pickups Hilux tem essa opçao.

    Nessa caçamba cabe muito doce de leite Viçosa ( o melhor do país), goiabadas, cafés gourmet das matas de minas, queijos daqui da Minas Gerais, cachaça Água da Mata, e outras delicias mais, todas esperando para passear com voce no seu retorno daqui para SP.

    Forte abraço!

    Júlio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo Julio, vou te escrever agora, pois tenho outras coisas conversar consigo.
      abraço

      Excluir
  20. Essas picapes estão velozes demais. A maioria dos seus condutores não domina o porte do veículo; é só observar as estradas por aí afora. A Frontier é boa, como todas as outras - se fosse comprar, iria de Ranger, atualmente a mais bela...

    ResponderExcluir
  21. Tem aqui no trabalho Frontier 2012, L200 2006 (2006 eu acho), S10 nova e Trailblazer V6 gasolina. As outras são diesel. Todas pra uso severo; andam o dia todo, todos os dias. O óleo nem esfria.
    -L200: Motor tem uma turbina musical; um bandeirante mais novo; puxa tudo; muita musica, pouca potencia, baixa velocidade final; Conforto zero: Quem vai atrás chora; Só pra crianças. Banco com encosto a 90º e altura do assoalho pouca. É pra roça mesmo. Quem comprou pra desfilar nas avenidas não deve ter gostado.
    -S10 nova: Vem indicados 180cv. Mas comparada com a Frontier 2012, que tem a mesma potencia fica parecendo que tem a metade; ou que os cavalos são jegues. Quando a turbina enche, nem parece que tem turbina. Ganhar RPM é demorado; A mais confortável dessas ai; Quem vai no banco traseiro não reclama; E é a mais bela; Suspensão muito macia; Perigosa acima de 120km/h. Como balança muito, corrigir a direção é uma constante. Mas não vai muito além dos 150km/h. Ao cambiar (é manual) ela você percebe que se trata de uma Chevrolet. Engates macios e precisos, mas longos como qualquer carro do tipo (exceção pra Amarok, pelo que ja li). Não precisaria nem ver a gravata pra saber que é GM, só pelo cambio.
    Frontier: Bem mais estável que a S10. Nitidamente mais baixo o centro gravitacional da galáxia dela. Mas arrasta muito o fundo, principalmente no entre-eixos. Suspensão muito macia; Mas numa boa equação com a estabilidade. Com 400kg na caçamba a suspensão chega no limite a cada quebra-molas ou solavanco nem tão forte. Se tiver engate de reboque também bate no chão a toa quando carregada. Tem um defeito cronico: Com 5 mil km apresentam desgaste maior na parte interna dos pneus dianteiros. A Nissan nega o defeito (cabe observar que são dezenas de centenas de carros desse aqui e todos tem esse defeito). Motor: Dispara a partir de 2200 rpm; É uma patada mesmo. Tem que prestar atenção constante no painel porque ela passa fácil de 130km/h e não é muito perceptível. Atinge 180km/h. Vai até 150km/h fácil. Cambio de 6 marchas (manual) que acho que não é necessário. Um de 5 marchas reescalonado seria melhor. Sobra motor. A ré é péssima de engate: Pressiona-se um curso mínimo que nem se percebe e joga para trás à direita. O carona tem que tirar a perna e o motorista se inclinar todo la pro lado. Cambiar ela faz lembrar uma Fiat Uno. A S10 é muito melhor. Uma Frontier da frota deu pane na turbina por causa do filtro de partículas (não entendo mecânica diesel além do básico 1). Foi $$18 mil uma turbina nova. E depois uns 40 dias pra CSS ajustar o funcionamento dela. Sempre entrava no modo de segurança e não passava de 80km/h. Além da falta de arrancada.
    Trailblazer: Conforto 10; suspensão fica devendo robustez pro tipo de carro que é; Oscila muito em velocidade mais alta; Automática de 6 marchas que não aproveita bem o motorzão. Perde muita potencia. Limitada a 179km/h, se arrasta um pouco em 6 marcha ( no modo "manual") pra manter 140km/h. Qualquer subida <3% e já pede a 5º ou você perde velocidade. E tem que vir com um posto de gasolina de brinde. Consumo médio 4,6km/L.
    AK, falei de outros carros pra comparar. Dirijo muito esses ai e posso falar alguma coisa. Ficaria com a S10 pela proposta do carro: Não são pra esporte essas pick ups. Suspensão resistente; preço de manutenção melhor que da Nissan. Espaço e conforto. Interior mais bonito.
    PS: Tem uma F1000 MWM também. Carro incrível, que não quebra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, a L200 é a antiga né? Banco traseiro ruim pode ser nesse modelo. A Triton é enorme, super confortável.

      E o que vc diz de potencia amarro em cima....de Triton já empurrei S-10, Amarok na estrada...mesmo tendo "20 cv" a menos...

      Excluir
    2. L200 antiga! a Triton eu nunca andei.
      Segundo informações a Ranger nova é a melhor. Palavras de fazendeiros que só tiveram tratores e esses tipos de carro na vida.

      Excluir
    3. L200 antiga! a Triton eu nunca andei.
      Segundo informações a Ranger nova é a melhor. Palavras de fazendeiros que só tiveram tratores e esses tipos de carro na vida.

      Excluir
  22. Fiquei boquiaberto com os números desse motor! Que beleza hein!? Isso num carro de passeio viraria um mini audi r18 ultra!

    ResponderExcluir
  23. Hugo17/09/13 19:21

    Deveria ser proibido o uso de pickups nos centros urbanos? Cara, que ideia absurda a sua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem base um cara desses? Deveria pensar melhor antes de defecar pelos dedos.

      Excluir
  24. Tenho uma frontier LE 2012 e adoro. Viajo uma vez por mês de SP a Minas, são 850 km de todo o tipo de estrada e ao final mais 35 km de estrada de terra pesada até a fazenda. O carro é um trator.
    Na fazenda tem uma Chevrolet C 20 1989 que era do meu pai e hoje serve para arrastar capim para a tropa, totalmente carregada em subidas, todos os dias. O motorzão 4.1 6 cilindros trabalha todo dia na pressão sem reclamar e pede apenas 3 coisas: gasolina, água e óleo. Não quebra, não enfumaça, não pára.
    Utilizados dentro de suas funções, essas picapes são fantásticas.
    Abs.
    Bruno Rezende

    ResponderExcluir
  25. Aqui no PR as picapes são as rainhas das estradas. Pra fazer frente pra elas em desempenho só mesmo as vans de última geração. É bem comum por aqui esses Diesel de alta rotação se enfrentarem acima dos 160 km/h. Ford Transit, Fiat Ducato, Renault Master e Mercedes Sprinter são verdadeiros canhões e, pasmem, são boas de "chão"(a Sprinter melhor que as outras)! Melhor que muito carro tido como fera de curva. Fica a dica para um futuro post sobre essas vans novas (do Master acho que já teve).

    ResponderExcluir
  26. Dirijo uma scânia R420 alguém saberia me dizer se é correto dar chupeta direto nas baterias ou no painel? A turma da estrada teima em dizer que pelo painel é melhor mas acho os fios tão finos e o medo de queimar tudo é grande. Meu consumo de bateria é grande devido a geladeira, tv, microõndas e outros mimos que a profissão enclausurada dentro de uma cabina e longe do seio do lar exigem. Desculpe a pergunta que foge ao tema da postagem Sr Keller e colegas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há porque se desculpar, Luciano carreteiro.

      Se alguém aí souber a resposta, com certeza, por favor informar o meu amigo aqui. Mas não vale chute, senão o Luciano fica sem TV, sem geladeira, sem rádio, sem luz, etc, etc

      Excluir
  27. Nunca gostei de picape. Sempre achei que seria um trambolho no trânsito, ruim de estacionar, e mais toda a balela que cerca o assunto... Era puro preconceito, e minha cabeça mudou quando experimentei, e depois, comprei a L200. O carro é ótimo, robusto, econômico, estável, leve de dirigir, e até que surpreendentemente confortável. No trânsito, há ônibus e caminhões de um lado pro outro. Inclusive enormes carretas. Assim, qual seria a dificuldade de dirigir uma picape que não tem medo de buraco nem das enchentes que assolam as cidades grandes? Na boa, é bacana ver a rua enchendo, e ter a segurança de passar pela água ou fugir por cima de canteiro ou seja lá por onde for. Passei por isso com uma antiga fiat prêmio, a ponto do carro boiar, e não é agradável. Em compensação, escapei com a picape como se nada tivesse acontecido. Minha primeira enchente com ela foi, justamente, no dia que a comprei!

    Meu pai, outro preconceituoso como eu, dirigiu e gostou tanto que comprou uma Ranger, também diesel. Os carros pequenos? Estão na garagem e dão umas voltas nos finais de semana. No dia-a-dia, só vamos com nossos caminhõezinhos.

    ResponderExcluir
  28. Pra que carro? Em São Paulo só vai ter corredor de ônibus agora.

    ResponderExcluir
  29. Sr. Keller, excelente blog e excelentes comentários também, bem diferente de outros sites/blogs, pessoal também está de parabéns.

    Gostaria de uma opinião. Estou querendo comprar uma Frontier Platinum pelo desconto de produtor rural por 105 mil, a top, SL sai por 113 mil, esses preços devem cair ainda, pois não negociei.

    Na verdade, a idéia inicial era comprar uma SV ATTACK, porém já ouvi muitos relatos de o câmbio ser meio ruim de engate e embreagem dura (Não fiz test drive).

    Entre a Platinum e a SL top, será que compensa desembolsar os 8 mil de diferença?


    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.