FIAT LINEA ESSENCE, NO USO

Fotos: autor


Eis aí um sedã nacional com um gostinho de esportivo italiano. Dos sedãs que tenho testado, Fluence, Civic, Corolla, Sentra, entre outros, este é o que mais me agradou. Quero deixar claro ao leitor que exteriorizo aqui um gosto pessoal, um gosto meu, para que caso o leitor tenha o mesmo gosto passe a ficar ligado nesse carro.

Não que os sedãs citados acima não tenham bom desempenho. Eles o têm, sim; deles saem bons números de velocidade máxima, aceleração, aderência nas curvas e outras características, mas um automóvel é mais que isso, é mais que números, pois o comportamento de um carro forma um complexo e a ele, simplificadamente, acabamos por chamar de personalidade; e o Linea tem um tempero, uma personalidade, que só os italianos imprimem em seus carros. Eu, particularmente, gosto disso. 

Começa pelo ronco. O E.torQ 1,8 (1.747 cm³) ronca gostoso, encorpado, e tem boa pegada. São 132 cv de potência máxima a 5.250 rpm (corte a 6.200 rpm) e 18,9 m·kgf de torque a 4.500 rpm, quando com álcool, o que leva os 1.315 kg do Linea a 100 km/h em 9,9 segundos e a 192 km/h de velocidade máxima. Não são números alucinantes, mas já são o bastante para uma tocada saborosa. As marchas são curtas e próximas umas das outras — em 5ª e última marcha, a 120 km/h reais, o giro está em 3.700 rpm — , o que não é lá muito desejável quando se quer um carro somente confortável, mas é bem-vindo quando se quer que o sangue circule mais forte nas veias.

Sua velocidade máxima é atingida em última marcha, e não em penúltima, como em muitos casos. A 4ª atinge 161 km/h na rotação de corte. Sendo assim, o motor é bem aproveitado para desempenho e está sempre pronto a responder com boa pegada.

Parece que hoje há um esquisito pudor em mostrar o motor, como se fosse um pecado

Se, por exemplo, eu morasse na Argentina, onde naquelas estradas sem fim é costume viajar a mais de 150 km/h, eu reclamaria uma 5ª mais longa ou mesmo a inclusão de uma 6ª marcha para descanso, mas como no Brasil o limite imposto é outro, viajar a 120 km/h reais com o giro do motor a 3.700 rpm não é incômodo algum, mesmo porque ele vai suave e silencioso, e até que econômico também, pois o computador de bordo indicou gasto médio de 9,4 km/l (álcool) no trecho plano da Rodovia dos Imigrantes, a 120 km/h reais, ou seja, 124 km/h indicados no velocímetro. 

Vou contar como foi minha convivência “no uso” com o Linea, que veio na versão Essence com os seguintes opcionais: câmbio robotizado Dualogic Plus, borboletas no volante, controle de cruzeiro, rodas de liga leve e kit de navegação.  

Dois dias de trânsito calorento e buraqueiras em São Paulo: ar-condiconado automático muito bom, com saída para quem vai atrás. Boa ergonomia, bons bancos para todos e espaço folgado para quatro adultos, comandos intuitivos no painel, mostradores com boa visualização e estilo de bom gosto. Volante com boa pegada, sendo que o único senão é que, apesar dele ter ampla variação de posicionamento, tanto em altura quanto distância, sua posição mais baixa fica muito alta para o meu gosto, já que o cubo do volante apontava para meus olhos e não para os meus ombros, como prefiro e acho certo (meço 1,80 de altura, por sinal). 

Vale notar que essa é uma característica comum a todos os modelos Fiat atuais, portanto, é intencional e não uma erro, e eu gostaria de saber por que querem o volante assim tão alto. A gente se acostuma, mas essa de se acostumar não é o ideal. 

Design italiano bem acabado e de bom gosto, mas volante muito alto

A suspensão é firme, porém macia e silenciosa, bem isolada, e passa sensação de robustez. Os braços da suspensão dianteira descansam praticamente na horizontal, o que é sinal de que, se o carro foi erguido acima de seu projeto original, para poder encarar nossas lombadas, o foi muito pouco, e o resultado, aliado a outros bons acertos de suspensão, é uma estabilidade excelente.
 
Suspensão dianteira: braços bem perto da horizontal

O volante dá 2,65 voltas de batente a batente e a direção não é nem rápida demais nem lenta; no ponto. A assistência é hidráulica e nada exagerada, nada mole, nem quando devagar e nem quando na estrada; sempre firme. Sente-se um carro firme nas mãos, suas reações, e não um eixo solto num rolamento azeitado.  
Ele é 250 mm mais estreito que um Civic e 300 mm que um Corolla, por exemplo, e isso é conveniente para cidades como São Paulo — onde há três ou mais faixas de rolamento onde só caberiam duas, fora o suposto “corredor da morte”, o tal corredor dos motoqueiros. Não é marcante essa diferença, mas a sensação conta. Curiosamente, apesar de menor ele é mais pesado que um Civic, já que o Linea pesa 1.315 kg e o Civic, 1.276 kg.  

Sua suspensão também não é mais firme que a do Civic, é um pouco mais macia. E também não tem suspensão traseira independente, como o Civic tem. É por eixo de torção, que não deixa os movimentos das rodas tão independentes quanto uma suspensão independente, mas acontece que o acerto é tão bom que nos inspira uma tocada mais esportiva até que a do Civic, o sedã que eu considerava o mais “esportivo” dos nacionais. 

Peguei a estrada para o Litoral Norte, inicialmente a Rodovia dos Imigrantes, onde toquei a 124 km/h no velocímetro e assim o deixei no controle automático de velocidade. No planalto seguiu firme, mesmo no trecho das represas, onde sofreu fortes ventos laterais, e consumiu os tais 9,4 km/l, ar-condicionado ligado. E aí na rodovia Piaçaguera–Guarujá (rodovia Cônego Domênico Rangoni, SP 055)  tivemos a infelicidade de pegar as conseqüências da greve do porto de Santos e do descaso da Polícia Militar Rodoviária, que deixou que os caminhoneiros fechassem as duas pistas da rodovia e não tomou providência alguma, portanto tudo parou e foram exatas 2h50 horas para percorrer uns 5 quilômetros. 

Por sinal, para a Polícia Rodoviária tanto se lhes dá que vários espertinhos usem o acostamento para rodar, o que pela lei é falta gravíssima, já que os vi passando debaixo do nariz dessas "autoridades" que teimavam em não tomar providência , de qualquer ordem, como se a coisa não fosse com eles. Para eles parece que o mundo se acabou em 2012, mesmo.    

Daí que quando peguei livre e à noite a Rodovia Rio-Santos acabei andando rápido no primeiro trecho de boas curvas. Essa estrada foi feita às pressas pelo senhor Paulo Maluf, aquele senhor sorridente que a Interpol anda caçando, e nessas a base da estrada foi mal feita, e isso, com o tempo, é óbvio, ocasionou uns afundamentos do asfalto, portanto, mesmo após uns remendos meia-boca, as depressões, principalmente nas curvas, costumam desequilibrar o carro. Conheço-as bem e sei onde elas ficam, mas um desavisado ali pode se ver em dificuldades. Mas são nessas situações adversas que se sente poder confiar no carro ou não, e o Linea em momento algum perdeu a boa compostura, pois não oscilava sem controle e rapidamente estabilizava a situação.   

O carro pouco rola nas curvas e se porta de forma neutra e bem equilibrada. Tem barra estabilizadora na dianteira, cuja suspensão é a tradicional McPherson, e nada de mais, é simples. Só que seu acerto foi muito bem feito e o conjunto não só agrada, instiga.

Suspensão taseira por eixo de torção bem acertada

Ele é da mesma “família” do hatchback Punto, porém, além do porta-malas, tem maior distância entre eixos (Linea: 2.603 mm e Punto, 2.510 mm), o que, além de aumentar o espaço para as pernas de quem vai atrás, teoricamente resulta em melhor estabilidade em curvas de alta. Mas isso é só um fator, pois muitos outros influenciam na questão. De qualquer modo, a impressão que tive é de que o Linea em curvas de alta chega a superar a já boa estabilidade do Punto e até mesmo a do Bravo, e creio que essa impressão se deve à sua melhor distribuição de peso sobre os eixos. De qualquer modo, o comportamento do Linea agrada, e muito. 

O leitor pode lembrar do Punto T-Jet, mas aí já é outra coisa, um hatch voltado à esportividade mesmo, e esse, sim, é endiabrado. Estamos aqui falando de sedãs. 

Amplo porta-malas: 500 litros

Sua potência específica é de 75,4 cv/l, o que é um bom aproveitamento, e 18,9 m·kgf de torque é um número bastante alto para um motor de 1,75 litro (10,8 m·kgf/l). Inclusive, o pico de torque máximo a 4.500 rpm não sugere boa pegada em baixa, mas ele a tem, portanto, o motor também agrada e não deixa a desejar. 

Quanto ao câmbio robotizado Dualogic Plus, o Bob fez um ótimo vídeo por ocasião do lançamento do sistema:  Ali ele explica perfeitamente o seu funcionamento e vale assistir antes de prosseguir com a leitura.





A mim cabe resumir como ele se portou no meu dia-a-dia. É importante notar que ele demora alguns minutos para “se acostumar” com o seu modo de dirigir. Por exemplo: caso você pegue um carro que outro veio dirigindo, ele no começo dará alguns vacilos nas trocas de marcha, ele dará as tais "cabeçadas", que seriam como se o motorista aliviasse o acelerador antes de acionar a embreagem, então o carro desacelera, desacopla a embreagem, acopla, e aí torna a acelerar. É daí que vem a tal cabeçada. Contribui para o efeito o acelerador fechar independentemente da sua vontade, devido ao acelerador eletrônico.

Mas após alguns minutos ele vai pegando o seu modo de guiar e essas cabeçadas diminuem muito e se tornam quase imperceptíveis. Portanto, caso o leitor vá experimentar um numa concessionária, exija mais que uma voltinha no quarteirão, senão você terá uma impressão errada do funcionamento do câmbio.

 Imperceptíveis mesmo as trocas só ficam quando dirigimos com aceleração bem baixa, o que não impede que se ande suficientemente rápido na cidade. Mas em caso de se precisar acelerar bruscamente, ele é mais lento que um automático convencional, epicíclico, seu kickdown é mais preguiçoso, ou seja, ele demora mais para reduzir marcha ao se acelerar fundo. Já na estrada, tudo bem, principalmente quando o botão "S" no console, ao lado da alavanca de câmbio, é acionado, pois aí as trocas se tornam mais rápidas, ele estica mais as marchas e ele também passa a segurá-las mais ao se desacelerar.

Se a alavanca de câmbio for trazida para o batente esquerdo do canal de seleção e mantida aí por dois segundos, alternam-se os modos automático e manual, nesse caso trocando-se as marchas por toques longitudinais na alavanca (sobe marcha para trás) ou pelas borboletas atrás do volante. Mas tanto estas quanto a alavanca têm prioridade mesmo que o câmbio esteja no modo automático, mas que retorna a esse modo se não houver atividade de troca manual durante 10 segundos.

Isso ajuda na estrada, pois, por exemplo, estando em 5ª marcha e indo no modo automático, e uma curva se aproxima “um pouco mais rápido do que esperávamos”; basta frear, claro, e ao mesmo tempo acionar a borboleta da esquerda para que se faça a curva usando a marcha ideal.

É um modo interessante quando se aciona o botão "S" em Manual e se está a fim de tocar rápido. Nesse caso, se quer reduzir marchas no momento exato numa aproximação de curva e notei que, apesar dele fazer boas e suaves reduções, já que ele trata de fazer o seu punta-tacco, ou seja, dá a aceleração interina enquanto se freia, ele muitas vezes não aceita as reduções que se esperava serem aceitas por “ele achar”— com razão — que o giro subiria demais, o que efetivamente impede quebra de motor por excesso de rotação (ela só é limitada na subida de giros, nunca na redução).


Estilo não esconde o país de origem

A meu ver o sistema robotizado, neste caso do Dualogic Plus, oferece algumas vantagens sobre o epicíclico: custo, pois é mais barato, é um pouco mais leve e possivelmente um pouco melhor em economia de combustível. Nada mais, pois o epicíclico (ou o exclusivo automático da Honda de pares de engrenagens cilíndricas) continua sendo mais macio e rápido nas trocas de marcha, tanto ascendentes quanto nas reduções via kickdown. Eu, pessoalmente, ficaria com o Linea com câmbio manual, já que a esportividade do conjunto merece que se faça as coisas à italiana. Ele atenderia perfeitamente à condição de confortável sedã e também de um saboroso carro italiano.

AK

Um vídeo com o Linea:





FICHA TÉCNICA FIAT LINEA ESSENCE DUALOGIC


MOTOR
Tipo
4-cilindros em linha, transversal, flex
Construção
Comando no cabeçote, corrente, 4 válvulas por cilindro, atuação indireta por alavanca
Material do bloco / cabeçote
Ferro fundido / alumínio
Cilindrada (cm³)
1.747
Diâmetro x curso (mm)
80,5 X 85,8
Taxa de compressão
11,2:1
Potência (cv) / rpm
130 (G), 132 (A) / 5.250
Torque (m·kgf) / rpm
18,4 (G), 18,9 (A) / 4.500
Formação de mistura
Injeção Marelli seqüencial no duto
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo manual robotizado de 5 marchas à frente e uma à ré, tração dianteira
Relações das marchas (:1)
1ª 3,909; 2ª 2,238; 3ª 1,520; 4ª 1,156; 5ª 0,919; ré 3,909
Relação do diferencial (:1)
3,867
Embreagem
Monodisco a seco, automática
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, moia helicoidal, amortecedor pressurizado e barra establizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira indexada à rotação
Diâmetro mínimo de curva (m)
10,9
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 284 mm Ø
Traseiros
A disco de 251 mm Ø
Atuação
Duplo-circuito em diagonal, ABS com distribuição eletrônica das forças de frenaem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 6Jx15
Pneus
195/65R15H
CARROCERIA
Tipo
Monobloco em aço, 3-volumes, 4 portas, 5 lugares
DMENSÕES (mm)
Comprimento
4.560
Largura
1.770
Altura
1.505
Distância entrei eixos
2.603
Bitola dianteira/traseira
1.476 / 1.482
CAPACIDADES (L)
Porta-malas
500
Tanque de combustível
60
PESOS (kg)
Em ordem de marcha
1.315
Carga úitil
400
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
10,3 (G), 9,9 (A)
Velocidade máxima (km/h)
190 (G), 192 (A)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (km/L, NBR 7024)
Cidade
11,8 (G), 7,8 (AV
Estrada
15,9 (G), 10,6 (A)
CALCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h)
32,7
Rotação do motor a 120 km/h
3.700


163 comentários :

  1. Fiats tem alma...é meio estranho dizer, mas eles tem sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso na fiat como uma bela familia italiana...

      Excluir
  2. Engraçado, olhando essa capa plástica em cima do motor olhando rápido dá até a impressão que o motor é longitudinal e em V

    ResponderExcluir
  3. Alguém sabe explicar o que é coletor de admissão invertido que foi citado no post do Prisma e eu não achei nada a respeito em lugar nenhum?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é somente a posição dele no cabeçote que está invertida em relação à versão anterior do motor: antes, no família 1 e no econo-flex o escape ficava na frente e a admissão atrás, agora nesse aí a admissão é na frente e o escape atrás. Pra mim é só isso.

      Excluir
    2. Anônimo 02/03/13 12:38
      Qualquer hora passo numa concessionária Chevrolet, vejo do que se trata e informo. Mas ja adianto que não deve ser nada fantástico...

      Excluir
    3. O coletor "invertido" no motor do novo Prisma não é nada de ultra moderno, tecnologico etc. Apenas devem ter modificado a geometria do coletor, passando o plenun para "baixo". A maioria dos motores tem o plenun a cima da linha horizontal dos dutos do cabeçote. Um exemplo de coletor invertido é o coletor de admissão dos motores Duratec 2.0 16v. Assim conseguem dutos dos coletores mais longos, mesmo em um compartimento do motor espremido, sem elevar a altura do motor. Abraços

      Excluir
  4. Arnaldo,

    Gostei bastante de terem incluído a seção "calculos de câmbio nas especificações, e dou também a sugestão de incluir o regime a velocidade máxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas,
      Respondo pelo Arnaldo. Boa sugestão, será feito daqui para frente. No caso deste Linea, a 192 km/h o motor está a 5.870 rpm.

      Excluir
  5. Uma pena que a Fiat tenha detonado o carro, colocando ele em um patamar que ele realmente não é. Uma pena mesmo, pois é um bom carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais pena ainda que a Fiat não tenha feito um médio decente para por no lugar do Marea. Espero que o Linea seja reposicionado ainda mais quando o Viaggio chegar, será uma opção "luxuosa" ao City e ao Cobalt...

      Excluir
    2. amigo, 1k2 vc está bem enganado. Eu fiz um teste drive no cobalt e te digo que o grand siena já é muito superior ao mesmo, nem precisa chegar na categoria do Linea. O cobalt tem um compromisso com estabilidade mas muito pouco em conforto. o motor é o velho econoplex, bebe muito e anda muito pouco. o carro tem um painel nada agradável e ao meu ver peca até mesmo na versão mais completa. O linea tem um porta malas maior do que o honda civic e o corolla, sendo o atual civic com 449 litros, o corolla com 470 litros e o Linea com 500 litros. Ao meu ver prefiro um sedã que tenha espaço interno suficiente para conforto e que eu possa ter um porta malas para carregar minha familia em uma viagem longa. Com certeza é melhor do que ter espaço desperdiçado em um interior que não vou ocupar e pior ainda se eu ficar com bagagem sem ter condições de leva-las. Pra que tanto espaço inútil? O linea tinha ate esse ano (2013) reunia condicoes de brigar como sedã médio. O problema é que a Honda e a Toyota atualizaram os seus pacotes de conjunto tecnológico e superaram bastante o do Linea Atual. Nisso concordo que o carro precisa de um upgrade. Como? simples. controles de ARS, ESP e na parte de conteúdo uma central multimedia, coisa que nao existe em nenhum carro da fiat a não ser o bravo, coisa que não entendo o porquê. Poderia sim aumentar 10 centimetros de largura, 7 de comprimento para agradar a maioria das pessoas. Tambem poderia melhorar o carro com o design como o modelo turco para ficar mais robusto. Assim acho que desbancaria os seus concorentes diretos. Abraço a todos.

      Excluir
  6. Arnaldo,

    Aguardava essa avaliação há tempos, pois se trata de um carro esquecido pela imprensa e público, a meu ver indevidamente. Esse tempero italiano é seu diferencial, mas parece que isso não é visto/notado nas avaliações que lemos por nossos "brilhantes" repórteres avaliadores da imprensa. Só ficam lamentando o Linea ser derivado do Punto, por isso menos avantajado nas medidas em relação aos concorrentes e, inclusive, descrevem o comportamento dinâmico como morno, mediano e sem emoções. Vai entender os critérios....Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou um motor decente, só tem o 1.4 T-Jet para quem quer emoção. Mesmo assim tem francês que custa o mesmo e oferece um pacotão acompanhado por um motor de 150 cv (e isso por quer carro francês "não tem motor" segundo a imprensa brasileira). E ser mais pesado que o Civic apesar das dimensões menores depõe contra ele. Tomara que a Tofas faça um bom "regime" nele na segunda geração.

      Excluir
  7. Bem, sempre achei o Linea um carro bonito e gostei da sua avaliação.

    Prestei muita atenção no vídeo sobre o câmbio Dualogic Plus feita pelo BS, e mesmo o achando ótimo, ainda prefiro o manual.

    Na gravação, achei o carro um pouco barulhento. Isso é problema de gravação, a janela estava aberta ou é assim mesmo?

    Apesar de não ser fã de sedãs, acredito que esse carro é uma ótima pedida. Meu único senão, caso o comprasse, é que não saberia o que fazer com esse imenso porta-malas... Frete?

    Mas que balancei, balancei... Quem sabe um dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Eu,por incrível que pareça também gosto do tradicional " você controla suas marchas". Não consigo me adaptar a câmbio automático, parece que estou com um controle de TV na mão, com pequenos toques muda-se o canal. Eu comprei um Linea Essence, ainda não o peguei, (estou super ansiosa) mas preferi o manual. Quero mesmo saber tudinho sobre ele. Estudei bastante antes de partir para este carro que acho o design lindo. Obrigada. Abraço. Lucia

      Excluir
  8. Acho legal esse carro. Mas para ele deslanchar no mercado deveria vir com um câmbio de 6m (o 500 tem !) e um motor de +/- 150cv (2.0 ou um 1.6T ou 1.5T). Com certeza eu pensaria nele na hora de trocar de carro. Do jeito q ele é hoje nem pensar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já teve... o 1.4 T-Jet, com 152 cv.
      Mas acho que para a proposta do carro, 132 cavalos tá de bom tamanho.

      Excluir
    2. Taxi de aeroporto? Tinha que ter um motor de 150 cv pra peitar a francesada e incomodar os japoneses...

      Excluir
  9. Keller, eu gosto do carro, mas me soa estranho ouvir falar em estilo e em design para um modelo que já tem quase 4 anos de mercado. Dá impressão que ele já está mais do que na hora de mudar, principalmente por dentro. O painel já tem um arranjo bem datado e a disposição dos comandos e as curvas lembram muito o do Tempra 95.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estilo e design são atemporais. O que é bonito, mesmo que antigo, será bonito pra sempre.

      Excluir
    2. FALOU E DISSE. SCHELBY COBRA E JAGUAR E TYPE CONTINUAM LINDOS.

      REESTILIZAÇAO VIROU OBRIGAÇAO PARA CONTINUAR VENDENDO.

      E NESSA ONDA, ALGUNS VIRAM "MICHAEL JACKSON", DE TANTAS MUDANÇAS,PERDEM A IDENTIDADE, AINDA QUE A ESSENCIA CONTINUE A MESMA.

      POR SORTE O LINEA CONTINUA COM SUAS LINHAS HARMONIOSAS, COMO UMA ESTRADA A BEIRA MAR, QUE ALEM DE BELA, TEM LINDAS CURVAS

      Excluir
  10. Arnaldo,

    Gostei dos vídeos no post.

    Você diz no 4º parágrafo que "Sua velocidade máxima é atingida em última marcha, e não em penúltima, como costumeiramente é". Você se refere só aos sedans médios? É que tenho a impressão de que a maioria dos carros à venda hoje no Brasil são assim, não possuem a última marcha como sobremarcha, como nos 4+E ou 5+E.

    ResponderExcluir
  11. Lorenzo Frigerio02/03/13 14:13

    3700 rpm em 5a. é uma rotação absurda para um motor 1.8 moderno dessa potência. Isso me lembra meu Santana 1990 automático, que além das perdas do conversor de torque, é menos potente. E ambos motores têm relação r/l desfavorável.
    Francamente, é difícil entender o fato de alguns carros terem câmbio com espaçamento estreito, outros com espaçamento largo, independente das características do motor e peso do carro. Acredito que seja para aproveitar as peças disponíveis. Aliás, nunca vi a Fiat fabricar um carro com última marcha longa; a mentalidade deles é de fabricante de Mille, mesmo. Imaginem como um carro com esse perfil "tiozão" poderia ser econômico na estrada a 2700 rpm.
    E quanto aos discos de freio dianteiros, não seriam de 256 mm?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo
      O diâmetro correto é 284 mm e já foi corrigido na ficha técnica. Erro meu, que compilo todas as fichas técnica independente de quem seja o autor do post.

      Excluir
  12. Arnaldo, ele não tem chapa de proteção do trem de força ?

    Um detalhe que eu não gosto dele é que, no banco traseiro não cabe um cara maior que você, ou ele vai com a cabeça entalada no teto.

    Outra coisa, na ficha técnica acima, o diâmetro dos discos de freio traseiros não está invertido em relação aos dianteiros ?

    Uma pena que a Fiat há muito tempo não consiga emplacar um sedã em categoria de preço mais altas que a de carros populares, seria uma boa concorrência.

    ResponderExcluir
  13. Arnaldo;

    Como é o comportamento do E-torq quando frio? Outro dia tentei tirar uma Strada E-Torq abastecida com álcool da garagem daqui do predio (num dia mais frio) ela conseguia ser simplesmente pior que minha antiga perua Chevette Marajó. Agora eu não sei se era decorrencia do motor ou se o veiculo possui/apresenta algum defeito
    __________________

    PS: Acho tenebroso esse quadrante de marchas dos automatizados monoembreagem. Deve ter sido inventado por alguém da ABNT.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, nenhum problema com ele frio. Absolutamente nenhum. Esse que você pegou deveria estar com problema.

      Excluir
  14. Arnado,

    Já tinha assistido o vídeo no seu canal e estava ansioso para ler sua avaliação. Respeito muito, mas muito mesmo, opiniões como a sua e a do Bob e, num carro que eu ainda não guiei, acaba sendo a referência que terei dele.

    Mas vou arriscar dar minha opinião, como se eu fosse um possível comprador de um sedan nessa faixa de preço:

    O Linea com esse câmbio parte de R$ 55.987,00. Por esse valor, excluo os Hondas (City aut R$ 60.450,00 e Civic aut R$ 69.900,00), o Toyota (Corolla aut R$ 63.990,00) e o Renault (Fluence CVT R$ 64.460,00) e consigo comparar apenas com o Nissan (Sentra CVT R$ 57.390,00). Se não tivesse o Sentra na parada, eu concordaria que o Linea é uma boa opção, mas não é o caso. Penso que esse câmbio robotizado possa atender bem Uno, linha Palio e até o Mille (por que não?), mas um sedan médio nesse valor merece um automático de verdade ou um automatizado de dupla embreagem. Testei uma Palio Locker com esse câmbio que, mesmo não sendo o Plus, não acredito que seja tão diferente, até pelo que li na sua avaliação. Concordo que tem que andar um pouco mais com o carro para acostumar, senti isso também. Andando calmamente ele vai bem, mas em fortes acelerações o tranco é maior. Percebi que tirando um pouco o pé, quando sente que vai mudar a marcha, minimiza o tranco. No trânsito ele também é um pouco "bobo", não sabe se fica em 1ª ou vai pra 2ª (talvez com o criping isso tenha melhorado). Será que é isso que eu quero? Quantos vão querer dar mais voltas no quarteirão para "tentar aprovar" o carro, quando no Sentra basta uma voltinha? O Sentra eu conheço bem e acho um carro espetacular, com ótimo motor e o maravilhoso CVT. Nessas circunstâncias, eu iria de Nissan.

    Perguntinha: os valores de consumo que você publicou, foi medido pelo computador de bordo ou "teste do tanque cheio"?

    Vale ressaltar que sempre fui fã da Fiat. Desde o final dos 80 até início dos 2000, dominou as garagens da minha família. Meu primeiro carro foi um Prêmio 94 que tive por 7 anos... mas entrar num show room da marca italiana é como entrar numa cápsula do tempo. Eu que só compro carro automático, excluo todos os modelos.

    Abraço
    Felipe Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe, foi pelo computador de bordo. Expliquei isso no texto. O Sentra, câmbio CVT, é um carro totalmente diferente do Linea. É outra pegada.

      Excluir
    2. Oi Arnaldo... é verdade, está lá, passou batido na primeira vez que li. O único carro que tive com computador de bordo foi uma perua Escort, e era bem impreciso, nunca batia quando enchia o tanque. Dá pra confiar na precisão desses de hoje?

      Excluir
    3. Carros do Portuga,

      Dá para confiar, sim.

      Excluir
  15. Bob, aproveite e corrija mais um erro na ficha técnica. Ocorreu na digitação do material do bloco do motor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas
      Aproveitei...corrigido! Obriigado.

      Excluir
  16. Arnaldo, estimo sua maneira de avaliar carros. Nunca li alguém falar tão bem do Linea, e acredito que isso se deve pelo fato do mercado estimar muito o design. Não que o Fiat seja feio, pelo contrário (o Sentra cumpre essa função), mas ele não tem aquele estilo moderno - e caro - dos Hondas, Hyundais e dos Fords mais modernos.
    Veja o Fusion, chegou com cara de Aston Martin e seu preço já subiu mais de 10k.

    Eu ando meio de mau da Fiat. Gostava muito dos seus carros até o Palio G3. Lembro-me com saudades dos Fire 1,0 8V de 55CV, dos Fires 1,0 e 1,3 16V. Eram muito bons e muito econômicos.
    Um Palio 1,3 16V tinha um consumo que até hoje é difícil de ser alcançado por motores bem mais modernos e mais fracos.

    Nos últimos tempos, a fabricante Italiana passou a priorizar muito o lançamento de diversos modelos e motores. Com isso, acho que o acerto mecânico ficou de lado. Veja quantos motores existem na linha Palio. E como ninguém é louco de fabricar tantas polias para tantas combinações de peso e motor, vemos um enorme reaproveitamento de marchas nos carros Fiat. Difícil achar algum que seja elogiável.
    Seus motores são apenas medianos em performance e em economia. Esses 1,8 16V que você elogiou é fraco em baixas rotações. Em algumas lombadas em SP, precisa-se andar em baixas baixas para se arrancar com vigor, mais do que se espera de um motor de 130cv. E olha que o câmbio não é longo.

    Alguns modelos Fiat que realmente estimo são: Mille, 500 1,4L 16V, Punto 1,4 TJet e só.

    Eu gosto muito de um conjunto motor e câmbio bem acertados. Nesse ponto, prefiro o acerto do New Fiesta ou Sonic, por exemplo. Acho que a Fiat precisava parar de pensar tanto em plasticos, adesivos, e adventures e gastar um pouco mais de dinheiro e tempo para acertar melhor seus motores e câmbios.
    Está difícil ver um Fiat Nacional brilhar nesse aspecto.

    Contra o Línea ainda temos o Focus Sedan. Um carrão, com uma bela suspensão e um motorzão 2,0 L empolgante. Poderiam trazer o americano, com comando variável que passa dos 160cv de potência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve ser reflexo da crise financeira em que o grupo se encontra (e vice-versa).

      Excluir
    2. Anônimo,

      Começo o texto esclarecendo que eu, particularmente, gosto do jeito do carro italiano. Veja que logo de cara começo explicando isso e não discuti qual deles anda mais ou menos.
      Essa é a questão.

      Excluir
  17. Às vezes penso se um sedã mais compacto não seria mais adequado ao meu dia-a-dia, mas o Linea não me atrai muito.

    ResponderExcluir
  18. Excelente avaliação AK. Ainda não tive a oportunidade de dirigir esse çarro. Lia por aí que ele era inferior à concorrência, mas sabe como são essas revistas especializadas, comparam carros pela quantidade de equipamentos modernos que eles possuem e não pelo comportamento. Coisa que só vejo aqui no AE. Está em minha lista futura, a depender da avaliação pessoal.

    ResponderExcluir
  19. Roberval da Silva Gomes02/03/13 18:17

    Senhor Arnaldo Keller, muito obrigado pela excelente avaliação, como sempre, observações deveras pertinentes e opiniões que sempre devem ser levadas em consideração. Obrigado também ao senhor Bob Sharp por ter idealizado esse blog. Tenho lido bastante o vasto conteúdo e aprendido muito sobre automóveis e direção. Pois tenho apenas dois anos de CNH e 21 anos de idade, e praticamente tudo o que eu leio neste blog tem me ajudado a me tornar um motorista ainda melhor.

    Certamente, se eu precisasse de um sedã, o Fiat Linea seria minha primeira opção. No entando, agora fico com os meus Fiat 500 automático e Jac J2, tenho me divertido muito com eles.

    Permitam-me ir além do assunto dessa postagem, há uma questão que me intriga, quando eu lia o blog Notícias Automotivas (antes de conhecer o AUTOentusiastas), vi um comentário do responsável pelas avaliações desse blog dizendo que a Fiat não disponibiliza automóveis para avaliação de blogs, somente para TV, revistas e sites consagrados. Então, como o blog AE consegue essa proeza?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberval,

      Só se o AE for um blog consagrado. Vai ver que é isso.

      Excluir
    2. Roberval da Silva Gomes03/03/13 11:35

      Mas continua sendo um blog, o que é menos que um site e ainda usa a plataforma Blogger.

      Excluir
    3. O que importa é o conteúdo! por isso o AE têm boa reputação, não vai se por estar em um blog que vai denegrir a imagem dele. Cada um que parece.

      Excluir
    4. Roberval da Silva Gomes03/03/13 16:59

      Não coloquei o conteúdo do blog em xeque, tanto é que elogiei e acho esse blog excelente mesmo! Acho-o fantástico, o melhor conteúdo da Internet em português sobre automóveis e vai até além desse assunto algumas vezes, mas não é um site e ainda é do Blogger. Acredito que o AE poderia ser '.com.br'.

      Excluir
    5. Roberval,

      Você viu quantos pageviews temos ao mês? Isso também conta. E se você gosta, bota fé em nossas avaliações, acha que elas são bem feitas, sem molecagens, fidedignas, pode estar certo que as fábricas também acham o mesmo. Nem tudo é bandalho neste país.

      Excluir
  20. Acredito que o Linea não faz muito sucesso no Brasil porque o consumidor é muito preconceituoso, e não avalia corretamente as características de um carro.Este história que a imprensa rotulou de um Punto de três volumes é puramente preconceito tupiniquim e falta de conhecimento da maioria dos jornalistas para avaliar corretamente um carro. É melhor rotular o veículo dizendo não ser de tal categoria que facilita o trabalho e evita uma avaliação séria.Com isto o público pensa estar comprando gato por lebre e ninguém quer ter uma caro, no caso um sedã, de nível superior comparado a um hatch, de categoria inferior.Pura bobagem que acaba prejudicando a imagem de um dos melhores carros do mercado.Um carro de personalidade ao contrário da maioria dos sedãs atuais Imagine então um Linea T-JET.O pior é que o grande publico fica privado de um excelente veículo. Muito boa avaliação do Arnaldo.

    ResponderExcluir
  21. O Linea é um carro muito bom, com um trem de força honesto. Ainda este ano será melhorado por dentro e piorado por fora. rsrs

    Quanto aos Fiat terem personalidade, eles têm mesmo um jeitão meio parecido ao dirigir. Tive 3 deles novos em seguida. Mas não sei se é muita vantagem, no caso deles.

    Não gosto muito do desenho retrô que eles adotaram de uns tempos pra cá. Basta olhar a primeira foto deste post para perceber o que quero dizer.

    ResponderExcluir
  22. Ainda tem t-jet no linea? Não saiu de linha? E o Dart vai matar o linea?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Vou verificar oficialmente essa informação e respondo em breve. OK?
      Quanto ao Dart, o tempo dirá.

      Excluir
    2. No site da FIAT o T-jet já não aparece mais...

      Excluir
    3. Infelizmente Linea T-jet zero é impossível, pois não é mais vendido pela Fiat. Agora só usado. Comprei o meu por 40 mil reais, o primeiro dono o comprou por pouco mais de 80 mil reais no lançamento. Ele está agora com 65 mil kms rodados. Anda muito bem mesmo, haja vista a quantidade de multas por excesso de velocidade que já levei dirigindo-o...

      Excluir
  23. Muito bom. Passei uma temporada com um Linea desse, porém com o cambio manual. Minhas impressões:
    O ajuste da suspensão é de fato primoroso, o carro é confortável sem ser molenga. Acharam o ponto exato. Bem melhor que o ajuste do Punto. Achei melhor que o do afamado Focus.
    O carro anda bem sim, porém a calibragem que fizeram do acelerador eletrônico é triste, grotesca mesmo. Atrasos, trancos e falta de correspondência entre o comandado e o realizado são comuns. Pelo menos na unidade que utilizei e nas outras duas que estavam amigos, era assim.
    O carro tem um interior bem agradável, te dá tranquilidade.
    Agora, que cambio curto, hein! A quinta dele corresponde à quarta de meu carro, um Astra.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  24. Eu sou fã de sedans e no geral gosto dos Fiat, mas prefiro carros mais espaçosos. Quando conheci o Linea até gostei do design mas achei muito estreito e nâo me interessei mais por ele. Mas também sou meio espaçoso mesmo... he he

    ResponderExcluir
  25. parabens pela analise, saindo da mesmice chata de opiniao de todos jornais, revistas e inclusive leitores de blog e navegadores de internet, que falam muita abobrinha na base do ouvi dizer ou do que leram em revistas do ramo.
    pois acaba todo mundo falando a mesma coisa tanto nas criticas como elogios.
    é por essas que nao fico um dia sem acessar o blog.
    parabens pela opiniao independente e imparcial, pode ser que algumas almas leitoras desse blogspot sejam salvas com as matérias de vocÊs
    vida longa a todos!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  26. Sempre achei o linea um carro interessante. O problema é que a FIAT lançou o carro com o câmbio dualogic apresentando muitas falhas no funcionamento e um motor 1.85 litro argentino que deixava a desejar. Além disso, apresentou o carro como um sedã médio quando, na verdade, ele é um sedã compacto Premium.

    ResponderExcluir
  27. André Castan02/03/13 23:20

    Gosto é gosto e não se discuti, mas não podemos negar que esse motor é bem ruim. Basta comparar com os 1.8 de Cruze, Civic, Corolla, Elantra, etc. Ele não chega nem aos pés destes.
    Câmbio. Péssimo também. Atrás de todos que citei acima. Seja MT ou AT.
    Outro ponto. Porque será que mesmo sendo menor o linea pesa mais? Projeto obsoleto e baixa qualidade de materiais.
    Para os amigos acima que tem dúvida se ele é inferior a concorrência, tenham certeza. É muito inferior.

    ResponderExcluir
  28. Adoro os testes do Arnaldo. E este Linea é excelente, só tenho um reparo: é meio estreito, especialmente no banco traseiro. Mas tem um estilo maravilhoso.

    Mas sobre ele recai a maldição da Fiat ser considerada fábrica de carrinhos pequenos. O que é uma injustiça, mas influi sobre os números de venda. Um belo carro que não vende.

    ResponderExcluir
  29. Este é igual ao meu Linea, tirando as borboletas no volante que na época não eram disponíveis. Minha primeira opção tinha sido um Punto com a mesma configuração, mas o Bravo tinha acabado de ser lançado e era impossível achar um Punto 1.8 para pronta entrega. Não me arrependo da compra; talvez eu precise vender ele nos próximos meses, mas vai ser com uma dor no coração.
    Na época eu estava muito a fim do Sentra, mas eu andei em um CVT e achei tão chocho que desisti.
    O meu é Dualogic normal, não Plus, e ele é meio brusco para dirigir no trânsito em anda-e-para. E também tem a lentidão para reduzir marcha quando se quer acelerar, como dito no texto. Mas quando você tava o pé lá embaixo ele responde com gosto.
    Com 27 mil rodados, ele está inteirão, tirando alguns detalhes na pintura (sólida) que parece ser um pouco frágil.
    Uma coisa que no meu é diferente, é que ele não é muito neutro não, ele tem uma saída de frente acentuada, canta pneu em qualquer curva mais rápida. Qual é a marca dos pneus do carro avaliado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      Pneus Bridgestone, muito bons.
      Acho que é aconselhável revisar o alinhamento do seu carro.

      Excluir
  30. Ah, e o Linea T-Jet saiu de linha sim.

    ResponderExcluir
  31. Muito boa avaliação. Não conheço o línea a fundo, mas sou proprietário de um bravo 2011 (um dos primeiros a sairem) com rodas de 17" e, surpreendi-me com a excelente estabilidade e condição neutra durante curvas, assim como abordado, realmente com o DNA iataliano, esportivo nervoso, associado a sensação de segurança, infinitamente superior ao sandero da minha mulher. Concordo também com a avaliação do câmbio, o qual considero o grande injustiçado por toda a opinião especializada. Alias, sou leitor deste blog há alguns anos e nunca havia enviado comentário, mas esta situação me incentivou a tal. Na minha opinião, que vem se confirmando a medida que venho utilizando o carro, a simplicidade aliada a versatilidade do cambio dualogic são suas grandes virtudes. Com certeza, a adaptação de um motorista acotumado a câmbios manuais é facilitada e muito menos traumática que um câmbio automático (caso de todos nos - ainda não é representativa a quantidade de motoristas que iniciam em carros automáticos). Até mesmo as posiçoes da alavanca são mais fáceis, modelo seguido atualmente pelos BMW . O baixo custo e o ganho de economia sem aquela patinada longa provada pelo conversor de torque são outros pontos positivos, com o número ideal de marchas (nem 4 nem 6 ou 8). Outro ganho está na redução de marchas quando por exemplo em um declive... Basta soltar p acelerador que o carro entra em freio motor, sem mudar posição da alavanca, reduzir marcha ou apertar qquer botão, diferente do automático que solta o carro de modo muito perigoso. A adaptação ao usuário relmente demora um pouco mas depois que ocorre "amacia" o cambio. Concordo que melhor que ambos está o câmbio CVT, projeto e resultados bastante superiores, mas com outra concepção. Demais, não consegui ver o video linkado do Sr. Sharp sobre este cambio e parabens pelo blog e todos o - alem da capacitação técnica, a idoneidade passada ao leitor é o maior diferencial desta equipe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anônimo :

      Obrigado por suas palavras em relação ao citado cambio.
      Estou sim querendo adquirir um Linea 2010/2011 com Dualogic.

      Será meu primeiro carro automatizado e já li bastante sobre as diferenças em relação aos automáticos. Chega a dar nós.

      A questão agora é : no site reclame aqui, pesquisa no Google e algumas revistas especializadas não faltam declaração, reclamações deste câmbio da FIAT - São casos isolados ? Sim - más são tantos. Dai meu amigo continuo a ter minhas dúvidas até porque fazer um investimento de 30 e poucos mil reais em um bom carro como vcs comentam e sempre precisar visitar concessionária para fazer ajustes, acertos e vários outros procedimentos que vemos nas explanações dos consumidores por causa desse cambio vai valer a pena. Ajude-me a tomar a decisão correta e não sair prejudicado. Agradeço.

      Excluir
  32. Irscher Varga.03/03/13 04:23

    Arnaldo,

    bem lembrado pelo anônimo acima, se me permite uma sugestão, você ou outro coloborador do AE poderia fazer uma avaliação detalhada sobre o Linea T-Jet, independente se continua sendo fábricado, não gosto muito do Punto T-Jet mas sei o potencial deste conjunto mecânico e é uma boa opção de compra, acredito que fique melhor no Linea mas por enquanto ainda sou leigo nesse assunto.

    desde já, obrigado.

    Irscher Varga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irscher,

      É difícil que alguém nos empreste seu Linea T-Jet por uma semana de testes. Mas o Bob já fez um "no uso" com o Bravo T-Jet http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/12/bravo-t-jet-verdadeiro-carro-de.html . Se você juntar as duas avaliações pode tirar sua conclusão. OK?

      Excluir
  33. sei que é meio off-topic (Fora do Assunto) mas poderiam fazer uma review, avaliação ou mesmo que seja uma volta com o jamais esquecido Vectra GSI/Calibra, motor excelente e economico ,fora as inumeras possibilidades de ganhos em perfomance sem compromoter a vida util do motor.

    ResponderExcluir
  34. BS,

    Mudando de saco para mala...

    Atualmente se fala muito no controle de bebidas alcoólicas dos motoristas para evitar acidentes, mas acredito que esse não deveria ser considerado o maior problema no trânsito.

    Acompanho já faz algum tempo um site que mostra acidentes de trânsito nos estados de SC, RS e PR e percebi que a maioria dos acidentes, inclusive fatais, ocorre em retas em ultrapassagens indevidas.

    Já notei, inclusive, que a maioria dos motoristas brasileiros tem a mania de "apertar" nas ultrapassagens, aumentando sua velocidade em vez de reduzi-la como manda o código de trânsito e o que vem em sentido contrário faz o mesmo. E o resultado dessa barbaridade só pode ser acidente mesmo.

    Em minha opinião, acredito que o que falta mesmo aos nossos motoristas é preparo, mas parece que os responsáveis não veem isso. O que importa mesmo é vender carro.

    Não sou favorável e sei que todos deste blog concordam que bêbado não deve dirigir, mas o álcool não é o maior problema em nossas rodovias.





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN,

      Resolver um problema não impede que se resolva o outro também. Os dois problemas são sérios. Motoristas bêbados e despreparados. Eu, pessoalmente, nem conversar com bêbado eu gosto; quanto mais dividir a estrada.

      Excluir
  35. Pelo menos o Maluf fez a estrada... e os outros que passaram - antes e depois - e nada fizeram? E a "eterna" duplicação da BR-116 que nunca sai do papel, ceifando vidas e propiciando os constantes assaltos ("arrastões")?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio03/03/13 20:44

      Na verdade, o Maluf NÃO "fez" a estrada. A Rio-Santos foi projetada no regime militar, e só o lado fluminense ficou pronto, seguindo o contorno da costa. Do lado paulista, dirigia-se pela praia e às vezes pegava-se uma estrada estadual já existente, caindo aos pedaços. O Maluf simplesmente eliminou os trechos de praia e criou novos trechos para aproveitar a estrada velha.

      Excluir
    2. Nada disso, Lorenzo,

      Vou para as Praias, como chamávamos aquele trecho entre Bertioga e São Sebastião, desde o início dos anos 70 e sei bem como a coisa foi. Não havia estrada entre a Piaçaguera e Bertioga. Para ir a Bertioga era preciso ir ao Guarujá e pegar a balsa. Bom, em resumo, o Maluf a fez, sim, e a fez com pressa para inaugurar ainda em sua gestão, e fez mal feita. Isso todo mundo sabe.
      Mas, como ele mesmo diz, ao menos fez. Eu achava o cara ruim e agora estou vendo que conseguem ser pior. Não é limite para a ganância nem pra safadeza e nem para a incompetência.

      Excluir
  36. Olhando pela rotação pode não ser ainda nenhum incomodo. Mas fica já no limite, convenhamos 4000 rpm @ 130 km/h é ruim sim para um carro com dotes de estradeiro. Indica um escalonamento típico para preguiçosos.. Mas escalonamento de preguiçoso com câmbio automatizado!? Sinceramente também não tem como esse carro ficar abaixo dos 200 km/h de máxima, já que a 190 km/h ele está razoavelmente acima da potência máxima. Uma alongadinha viria bons km/h de máxima.

    É impresionante como um câmbio longo economiza combustível e aumenta o conforto na estrada. Vale muito a pena ter que mudar de marcha. Ou seja, na minha lista este é um carro descartado.

    ResponderExcluir
  37. É uma pena que não é um carro médio, AK. 300 mm a menos q um Corolla q já não eh um expoente em espaço interno é de se pensar. Pode ser gostoso de andar, mas definitivamente, este carro não está a altura dos concorrentes citados. Comparemos ele com Fiestta Sedan que é dá mesma categoria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, 30mm a menos que um Corolla. Nem um Asia Towner é 300mm mais estreito que um Corolla. Rsrs...

      Excluir
    2. Speed boy,

      Mas o Fiesta não é de outra categoria?

      Excluir
    3. Já tive ambos e posso garantir que não têm nada a ver compará-los.

      Excluir
  38. Arnaldo, você falou sobre limite de giro do motor e me lembrei de dois casos de motor Fire que tratei na frota onde sou consultor. Eles tiveram quebra pelo fato do motor ter excedido o limite de rotação e foi registrado na módulo de injeção e o relatório impresso através do sistema da Fiat. Não lembro exatamente, mas eles atingiram uma rotação altíssima, algo em torno de 9.000 rpm, houve atropelamento de válvulas e empenamento de biela. Fui questionado pelo cliente, ele pesquisou e viu que a rotação máxima era bem menor, então expliquei que a subida de giro se deu pelo cãmbio em uma troca de marcha errada ou uma redução inadequada. Se eu não tivesse o relatório teria que assumir o custo...

    ResponderExcluir
  39. Arnaldo,

    Excelente matéria! Fiquei feliz em ver seus elogios ao Linea 1.8, recentemente ajudei a minha tia numa compra de um carro zero Km na faixa de 50 mil reais e ela ouviu bem meu conselho sobre o Punto Sporting com este mesmo motor e câmbio! Não consigo acreditar nessas avaliações que teimam em dizer que os Fiat acima de 50 mil reais não valem o que custam, eu sempre achei que fosse intriga e modismo e agora tenho certeza! Eu apesar de possuir um carro que de italiano só tem o volante (meu Galant tem volante Nardi di Torino)também dirijo muito os carros da minha irmã e do meu pai, um Marea 2.4 e uma Alfa 156 Sportwagon V6, você inclusive deve se lembrar de alguns comentários que já escrevi aqui sobre os mesmos, e te digo que a alma desses italianos é algo único, por isso entendo 100% sua predileção ao Linea. A pegada é esportiva e muito prazerosa para os amantes de um bom ronco e direção comunicativa! E num futuro próximo não me importaria de trocar um carro com motor V6, com câmbio epicíclico, suspensão multilink e afins por este italiano esquecido pelos compradores. Como você mesmo disse não é tempo de arracanda e velocidade máxima que faz um carro ser gostoso de guiar e sim as sensações que ele te passa!
    Em tempo, eu apenas dispenso o câmbio Dualogic, essa mesma tia que ajudei a comprar o Punto acabou de se desfazer de um Idea com esse câmbio e ela teve uma boa dor de cabeça com falhas (problemas de engatar ré) até que a Fiat trocou todo o atuador do câmbio por cortesia, já que o carro estava apenas com 15 mil Km e o valor total da peça beirava os 7 mil reais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinais de tempero italiano: o motor se faz presente, o câmbio sempre é um pouco mais curto que o cá concorrência, e o pedal do acelerador fica numa distancia perfeita do freio para o punta-tacco. Deve haver uma cartilha ou código de conduta para essas características.

      E quem gosta, gosta mesmo.

      Excluir
  40. 3700 RPM a 120 reais é muita coisa para um sedan, não seria para um esportivo, mas para sedan familiar é sim.
    O cambio Dualogic funciona, mas é o máximo que se pode dizer dele, perde feio para outros sistemas que existem por ai em tudo.
    Concordo com a pegada mais esportiva se comparada com outros da mesma classe e proposta.
    Uma critica que já fiz aqui algumas vzs, para a maioria dos escribas deste blog todos os carros são ótimos.
    Ta na hora de elevar o nível, assim vcs se transformam no retrato do consumidor Brasileiro que aceita tudo obs: se tiver luz azul no painel então...
    O julgamento correto de um Linea seria algo como:
    "não oferece o mesmo nível de conforto e espaço interno de seus concorrentes, tem o giro muito alto para sua proposta de carro estradeiro para levar família".
    "Tem uma boa dose de esportividade, mas será que ela é bem vinda mesmo".
    O que realmente faz com que eu seja muito mais bem informado sobre qualidades e defeitos de carros e motos em revistas estrangeiras será porque eles compram ou alugam os carros de teste ao invés de recebê-los direto das fábricas e com medo de não ter mais carro para testar no futuro se omitem um pouco?
    Que as reportagens Brasileiras são, muito mais complacentes apesar de termos pessoas de nível altíssimo e bem viajadas, isto é mesmo!
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acosta, se não está satisfeito com o blog, não o acesse. Obrigado. O problema está com o senhor que vê defeito em tudo.

      Excluir
    2. Falou tudo Acosta!!!

      Excluir
    3. Acosta, reproduzo aqui suas palavras: "O julgamento correto de um Linea seria algo como:
      "não oferece o mesmo nível de conforto e espaço interno de seus concorrentes, tem o giro muito alto para sua proposta de carro estradeiro para levar família".
      "Tem uma boa dose de esportividade, mas será que ela é bem vinda mesmo".?"......
      Quanto ao conforto, eu o achei muito confortável, e achei mesmo, só que se você se der ao trabalho de ler direito o que a gente escreve, verá que coloquei espaço folgado para 4 passageiros... quatro, e não 5, como caberiam num Corolla, por exemplo.
      Quanto ao giro alto, está bem explicado no texto e realmente não incomoda. Experimente e verá.
      Quanto à esportividade, para mim é bem vinda e desde o começo esclareci que é gosto pessoal. Não omiti nem distorci nada.
      No mais, se você deseja ler críticas tolas, procure ler coisas escritas por adolescentes problemáticos. Nós aqui só fazemos críticas merecidas e sérias.

      Excluir
    4. A.Costa
      Que cossa que levaste por falar besteira!
      Fica esperto!

      Excluir
    5. Primeira vez que concordo com o Acosta, que dessa vez não merece o título de escárnio como adolescente problemático pois foi na realidade muito equilibrado no seu comentário

      Se os próprios editores daqui sabem do problema de marchas curtas do mercado brasileiro e reclamam disso sempre não dá pra de uma hora pra outra achar aceitável um sedan automático com motor 1.8 esgoelando a quase 4000 rpm a 120 km/h

      Excluir
    6. Anônimo,

      Ninguém aqui chamou o Acosta de adolescente problemático. Releia o que escrevi e entenda do modo que escrevi, faça o favor.
      Eu sou um dos que reclamam dos câmbios curtos, mas, como eu escrevi, neste caso gostei devido ao conjunto. Mas sem dúvida que uma marcha a mais cairia bem.

      Excluir
    7. O cara fala que "... para a maioria dos escribas deste blog todos os carros são ótimos."

      OK.

      Mas peço somente que ele vá lá no alto da página e leia o título do Blog: Auto Entusiastas. Os caras são loucos por carros. E de fato, cada carro tem a sua vantagem. Um celta é econômico sim, e é possível andar a 120 numa estrada com ele. Uma Kombi pode ser um excelente meio de transporte ainda mais quando você pensa em transportar mais que 5 pessoas.

      Sugiro ao leitor, que tente enquadrar o termo entusiasta em outro assunto. Como mulheres por exemplo.

      Cada uma terá suas vantagens. Desde aquele avião (um super esportivo por exemplo) até a gordinha (kombi) que cuidará muito bem dos seus filhos.

      Excluir
    8. Eu já havia percebido que a turma é mesmo autoentusiasta, até demais.
      Já postei aqui que se as fábricas estiverem lendo tantos elogios, e que sempre se pode salientar uma característica de um veiculo e ser feliz; acho que voltariamos aos carros com carburador e platinado.
      Já li que Corola tem certo talento esportivo, Uno Mille é um bom carro para Track Day e por ai vai.
      As opiniões parecem ser guiadas pelo desejo de se encontrar alguma característica boa e salienta-las contentando assim quem gosta do modelo que esta sendo apresentado.
      Não há nada de errado em procurar algo de bom, mas acho que tanto conhecimento (os escribas são mesmo de primeira linha) deveria ser usado para ensinar nosso povo como se escolhe um carro.
      Sou de opinião que em 2013 muito do que esta sendo elogiado não é nada mais que obrigação.
      “Antigamente o que não era tão bom era considerado ‘uma característica do veiculo”, hoje é inadmissível!
      Custar o que custa e não levar 5 passageiros, girar um absurdo em condições rodoviárias, consumir tanto ou mais que carros maiores que ele (é fiz uma pesquisa sim) e ter um câmbio ruim (pode não ser ruim se analisado isoladamente, mas isto não existe mais, tudo tem ser comparado) o coloca como não recomendável para compra.
      Eu concluiria da seguinte maneira:
      O Linea tem qualidades, que até aprecio, mas em comparação com seus concorrentes e em face de sua proposta de sedan familiar sua compra não é das mais recomendáveis.
      O mercado, neste caso, esta correto em desprezá-lo.

      Não me ofendo com alguns comentários, acho até divertido, não sou adolescente (quem dera), na verdade sou como a grande maioria aqui, um órfão da GM.
      Tento comprar um GM, mas não consigo, ainda bem que guardo um Omega 4.1 (pena que na época vendi meu 3.0, bem melhor) para me lembrar do que fomos.
      Hoje estamos mais defasados que na década de 90, por isto não tenho nenhum entusiasmo por nossos carros de hoje e me recuso a elogiar a maioria deles.
      Tenho na minha garagem algumas coisas interessantes que me ajudam a entender o que se passa um Jetta TSI (bom), uma Captiva 3.6 (ruim), um Uno 1.4 (bom urbano), uma GSXR 750 (brinquedo perigoso), uma Lander 250 (boa urbana) e uma Kawasaki 350 S2 74 em restauração (Green Peace wrost nightmare) alem do não vendo, não dou e não empresto que é o Omega GLS 4.1 95 com 57k rodados único dono que falei acima.
      Vou continuar lendo o Autoentusiastas, embora discorde da linha de algumas postagens, blog é para isto mesmo, tem que ter polêmica, se não fica chato.
      Para terminar esta chatura de texto, gostaria de ver um "no uso de um carro hoje já com uns 15 a 20 anos", mas gostaria de ver comentário ano 2013, sem peninha dele, para mostrar memso a evolução ou quem sabe alguma involução.
      Acosta

      Excluir
    9. Acosta, entendo que você não goste do Linea, já que, afinal, sua paixão é um carrão americano, um Omega 4.1, um ótimo carro, mas com uma proposta totalmente diferente.
      E de tanto o amigo insistir, terei que repetir de novo o que eu já disse no início da matéria: "Caso o leitor também tenha o mesmo gosto que eu, que goste de carro com sangue italiano (não me lembro se estas foram as palavras), que fique de olho no carro. Quem gosta de sangue italiano só tem o Linea como opção nacional para um sedã com esse comportamento. Qual outro? Diga lá, por favor.
      Há uns 15 anos um amigo de Americana, interior de SP, tinha um Alfa 164 e um Omega 3.0 e precisou vender um. Por acaso encontrei com ele e ele me perguntou o que eu achava. Respondi que eu ficaria com o Alfa, mas que ele, pelo jeito que ele guiava, pelo que ele queria de um carro, deveria ficar com o Omega. Eu só falei o que eu achava e boa, e não fiquei insistindo e insistindo e insistindo e insistindo....

      Excluir
    10. Aléssio Marinho05/03/13 23:47

      "Não me ofendo com alguns comentários, acho até divertido, não sou adolescente (quem dera), na verdade sou como a grande maioria aqui, um órfão da GM."
      Aqui vc esqueceu de uma premissa básica do jornalismo: a imparcialidade.

      Quando se escreve tem que ser imparcial, sem demonstrar a sua preferência por A ou B, mas narrando e contando as suas impressões, fato que sempre leio aqui no AE. Conhecemos as preferências do AK e do BS, por exemplo, através de suas opiniões, mas as avaliações que fazem são sempre imparciais, pois a descrição/relato é redigida com outro objetivo, fazer você se sentir como se estivesse fazendo o mesmo, com a vantagem de ter o olhar e a experiência da coisa como um todo de quem tem muito mais cabelo branco que eu.
      Só por esse fato, já merece todo o meu respeito e admiração, que ainda tenho poucos e longos cabelos brancos.
      Guiar é uma experiência sensorial. Nem todo mundo possui tal característica desenvolvida no mesmo nivel que os escribas deste blog, os caras acordam, jantam e sonham com carro, numa intensidade maior que nós meros apaixonados com vidas mundanas. Desenvolver esses sentidos demora tempo e experiência, vivencia e variedade de carros que nós pobres mortais jamais vamos conseguir ter na vida.
      Assim, me recolho a minha insignificância...

      Excluir
    11. Aléssio,

      as coisas mudam. Um Omega 4.1, tido como "andador" faz o 0 a 100 km/h na casa dos 11 segundos, quando o Linea Dualogic Plus faz em 9,9 e na certa o manual é mais rápido. Fora que o Linea dá banho no Omega nas curvas, passa-o pelo meio da pernas e o despacha numa pista.
      O que há de errado então comigo?
      Está certo achar o Omega bom e estou errado por achar o Linea bom. Pode isso?

      Excluir
    12. Aléssio Marinho06/03/13 13:11

      AK,

      Não há nada de errado com você, muito pelo contrário. Só acho que o colega Acosta foi infeliz no seu comentário e por isso transcrevi na minha mensagem, e como não citei o nome dele, acho que vc não compreendeu o que escrevi.
      Entendo que não se pode avaliar algo com sangue nos olhos, como o colega Acosta deixa a entender. Pelo que escreve, interpretei que um Fiat nunca terá qualidades por não ser GM, marca de sua preferência.
      Põe em xeque a imparcialidade da imprensa, pois considera que sempre ouvir elogios a um produto como ser complacente com o fabricante, por receber privilégios.
      Nunca, jamais, vi isso acontecer aqui no AE nestes 3 anos que leio o blog.
      Quando leio um texto seu, AK, quero saber da sua opinião e relatos do que você sentiu na avaliação, pois confio nos seus cabelos brancos adquiridos com o tempo e na imparcialidade da sua narrativa, sem exaltar de sobremaneira as qualidades e esconder seus defeitos e ao mesmo tempo denegrir a imagem de A ou B ao sabor de suas preferências pessoais, como muita gente faz por ai. Isso não é jornalismo. Melhor ler um folder na concessionária.
      Por isso que considerei o ponto de vista do colega fora de propósito, pois cada um tem as suas opiniões, mas elas tem quer formadas com fatos concretos não suposições ou predileção por A ou B.

      Excluir
    13. De fato Acosta até mesmo você segmentou o seus carros. Veja o que você disse do Uno 1.4. " Bom Urbano". E de fato o é. Mas não é tão bom para pegar uma estrada, apesar de poder fazer isso num Uno 1.4 sem problemas.

      E é isso que o pessoal aqui faz.

      Antes eu pensava como você também, mas eu passei a pensar diferente depois que analisei dessa forma, autoentusiasticamente.

      Eu antes já considerava um Linea, e agora mais ainda depois de uma boa opinião lida. Pois é um bom carro, tem um motor que está se consolidando, e seu preço, ainda mais usado, é bem mais em conta que os concorrentes citados pelo Arnaldo.

      Aliás, você até citou o consumo como similar ao dos concorrentes. Porém se o consumo é similar e o carro é bem mais barato, essa conta fecha até bem não?

      Entendo perfeitamente que nosso mercado oferece opções espartanas a preço de ouro. Concordo com isso, e acho que você pensa que uma avaliação negativa de um blog conceituado como esse poderia fazer algum efeito. Até concordo, mas inflizmente somos todos reféns dessa situação, inclusive esses que nos escrevem, e por isso mesmo, eles avaliam o que temos, e comparam com o que temos. É lógico e evidente que se jogássemos um linea desses lá na Itália, eles teriam que colocar o preço dele a 10 mil Euros para poder vender.

      Excluir
    14. Aléssio,

      te entendi e não vi nenhuma crítica sua à minha avaliação. Ao contrário, vi apoio. O que escrevi foi só um comentário, coisas que achei interessantes. Só isso e lhe agradeço por confiar em nós.

      Excluir
  41. Arnaldo,
    A direção é elétrica ?
    Como é a relação dela ? Boa, rápida ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. M. Greg,

      Hidráulica com 2,65 voltas de batente a batente. Está no texto.

      Excluir
  42. Rafael
    Belo carro o do seu pai hein?
    Acho magnifico o desenho de um Alfa 156! Com motor V6 então.....
    Jorjao

    ResponderExcluir
  43. Desculpe o comentário fora do assunto.
    Os senhores têm previsão de testar o Jac J3 Sport? Agurado que façam a avaliação desse carro. Queria ver se há mudanças significativas com o novo motor. Obrigado. Ótima avaliação, AK!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      não se desculpe. Estamos aqui pra isso.
      O J3 Sport virá com motor de 1,5-litro e ao redor de 127 cv. Vai andar muito, certamente. Vi o carro no Salão de São Paulo e achei que deveriam deixá-lo na altura de projeto. O que estava no Salão tinha sido erguido tal qual o J3 e isso não vai cair bem.

      Excluir
    2. Obrigado!

      Excluir
  44. Acho que valia a pena mencionar que esse motor E—Tork é um projeto da Chrysler, certo? Acho que já foi comentado aqui no AE.

    ResponderExcluir
  45. Lorenzo Frigerio03/03/13 21:00

    Considerando que o Marea teve opção do mesmo câmbio do Vectra, fabricado pela Aisin, não vejo por que não disponibilizar o modelo atual de 6 marchas, do Cruze, nos carros da Fiat providos pelo menos de motor 1.6.
    Infelizmente a Fiat andou para trás; o Linea deveria ter sido feito com base no Bravo e não no Punto, mas ela vacilou ao demorar demais para trazê-lo ao Brasil.
    Por isso, a afirmação de várias pessoas de que o Linea é um carro colocado no patamar errado, procede totalmente em minha opinião. Basicamente, o Linea não passa de um "Del Rey" do Punto; com tantas opções melhores no mercado brasileiro, só os aficionados por essa marca para comprá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo,

      os aficionados pela marca e os aficionados pelo tal tempero italiano que descrevi no início da matéria e sobre o qual se baseou toda ela.

      Excluir
  46. A Fiat é a marca mais popular de um conglomerado italiano que também tem a Alfa Romeo, a Maserati e a Ferrari. Cada marca ocupa um nicho de mercado diferente, mas é lógico que cada projeto sofre influências e interferências entre elas. Não haveria vantagem alguma em administrar marcas com total autonomia de projeto e elaboração de componentes mecânicos.
    Obviamente uma Ferrari não conversa muito com um Fiat, mas o diálogo com a Maserati existe. Os novos carros da Fiat se aproximam mais dos modelos da Alfa Romeo, como s quais há muita similaridade de componentes.
    Por isso o estilo italiano no desenho de cada Fiat é perceptível, sim, e esta é uma vantagem que chineses, coreanos e japoneses não possuem, embora gostem de recorrer ao estilo italiano em algumas de suas criações.

    ResponderExcluir
  47. Jean, você eu sei que andou dirigindo bastante Alfa Romeo, portanto, entende o que andei dizendo. Ontem terminei de ler o seu livro sobre a história do MP Lafer. Resumindo: você era o sujeito certo para escrever esse livro. Está tudo lá, tanto o histórico como o espírito do carro e de seus fãs, de um modo leve e agradável de ler. Adorei. Outro não faria melhor. Obrigado.

    ResponderExcluir
  48. Arnaldo! Realmente o linea é um belo carro...Porém o cambio automático (adequado a um sedã!) perde o sentido com uma quinta marcha quase direta...Deste modo ( para meu gosto!) o Punto com o desenho anterior ao do "bigodinho" e equipado com este motor 1.8 e-torQ ( que até onde sei, é fabricado na antiga fabrica da BMW em São José dos Pinhais, PR ) transmitiria o verdadeiro "espírito" italiano de uma pequena Alfa, com um excelente motor de verve germânica temperado com uma receita igualmente italiana...

    ResponderExcluir
  49. Só corrigindo, é apenas 25 mm mais estreito que o Civic.

    ResponderExcluir
  50. Bom, já estava trocando ideias com o Arnaldo sobre o carro por e-mail, já que havia visto o vídeo antes mesmo de ler a postagem.

    Também achei ele meio ruidoso para um sedã familiar, sem pretenção esportiva, vou ver se rola um teste drive, mas como ele escreve no texto q o carro é quietinho de boa, pode ser relacionado a captação do áudio da câmera.

    Comentei com ele que em alta você tem que alterar a voz para conseguir conversar ao menos foi essa a impressão do vídeo, achei por incrível que pareça, o Voyage melhor nisso, já que ele também o testou. Se fosse um Linea Sporting, nem ia ligar pelo motor gritando mais, já que eu qse parei de ler quando li que girava a absurdas 3700 a 120 KM/H, tanto quanto um 1.4 da gm do Prisma.

    Mas mesmo assim eu gosto do carro. Lendo não pude deixar de me lembrar do Tempra que pude andar bastante, nossa, gostava muito também dele, motor com um ronquinho instigante, ele passava uma impressão de um carro assim super sentado no chão, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jivago, na nossa troca de emails eu já lhe disse que o vídeo está com ruído, mas que é da máquina fotográfica utilizada. Não é do carro.Não piore a coisa. Se é para dar opinião diferente da minha, ao menos ande no carro, pois creio merecer esse mínimo de credibilidade.

      Excluir
    2. AK,

      Claro que merece toda a credibilidade, quando eu escrevi não estava questionando isso, de forma alguma, deveria ter escrito direto que seria da câmera e não ter deixado por conta do carro, como você me disse no e-mail, realmente. Desculpas.

      Mas como eu disse, eu gosto do estilo do carro, e tudo certo, mas não sei, talvez a fiat nessa versão pudesse ter deixado ele com um câmbio mais longo, ao menos a quinta, consumindo menos, dando mais conforto em velocidades de estrada já que não se trata de uma variante esportiva do modelo,.

      Ele poderia girar a umas 3000 rpm, será? A 120 sem dar a ideia de um carro chocho, não?

      Não sei também se isso seria possível, sem ter que mexer na caixa toda.

      Com as rodas maiores que tem lá opcionais, o carro já poderia girar menos?

      Abraço

      Excluir
  51. Há uns 3 meses atrás decidi que passaria meu Focus adiante e comecei então, a busca por outro carro. Tinha em mãos, R$44.000,00. Descartei o novo Focus, pelas experiências anteriores. Nessa faixa de preço e conforme meu gosto, levantes as opções: Linea, Corolla e tava até cogitando um Focus 2010. Comecei a ler matérias em sites automotivos, comparativos e tudo mais. Baseado nas matérias, tava decidido em comprar um Corolla. Perfeito, achei um em bom estado, ano 2008, SEG, fui testar. Me decepcionei com o carro. Achei com alto nível de ruído e vibração, achei o cambio automático lento se comparado ao Focus que tinha e infelizmente, um carro ano 2008 que não possuia uma mísera porta USB em seu interior. Pra não ficar avaliando só um carro, fui fazer um TestDrive num Linea, manual, E-torq. Achei ele muito melhor em comparação ao corolla 2008. Sai mês, entra mês, nada de carro que me agradesse ou que coubesse no bolso, até que vi um Linea 2011 Absolute E-torq. Pra minha sorte, deixei de lado todos comentários vistos até então em sites e comprei o Linea.

    Concordo totalmente com a opinião do AK, o carro é isso que ta no texto e no vídeo. Muito gostoso de dirigir, bom de curva, motor E-torq muito bom (mto melhor que os primeiros 1.9) e Dualogic com seus pontos negativos, mas depois que se entende a forma de atuar do câmbio, fica muito gostoso de dirigir.

    Parabéns a Fiat. E quem ainda critica o carro baseado em matérias em sites automotivos, vão fazer um Test Drive e depois voltem aqui!!

    ResponderExcluir
  52. Arnaldo Keller,

    E você já dirigiu o manual de seis marchas?

    Se dirigiu, não é marcha demais?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chevy,

      O Linea manual também tem 5 marchas e com as mesmas relações que o Dualogic Plus, mas se a pergunta se refere a outros carros manuais e com 6-marchas, tudo bem, mas não vejo real necessidade, ainda mais agora, com motores muito mais elásticos que antigamente. Acho que a coisa virou moda mais por questão de consumo e emissões.

      Excluir
    2. Eu quis me referir ao Linea mesmo.

      Obrigado pela resposta.

      Excluir
    3. Brother não tem Linea (aqui no Brasil pelo menos) com cambio de 6V...o único é o Bravo T-Jet...até sair o Freemont com o motor Flex ja ja que vai usar um Aisin de 6v tb.

      Excluir
  53. Tenho simpatia pelos carros da FIAT, que conseguem um bom acerto de chassis , consequentemente bom compromisso conforto x estabilidade. O interior também é bem acabado (com materiais aveludados, por exemplo, contra tecidos que mais parecem lona de caminhão na concorrência). Porém, este motor e-torque após o aumento de cilindrada (o projeto BMW e Mini original era 1.6) gerou baixo torque em baixa rotação e aspereza um pouco acima do normal em alta. O cambio dualógic também deveria ser melhor. Em relação ao estilo, nada a reclamar. Ainda é um belo carro, apesar de estreito.

    ResponderExcluir
  54. Acho um belo carro também.
    Estou achando que o pessoal está exagerando sobre a largura, acusando-o de estreito, pois ele é apenas 25mm (vinte e cinco milímetros) mais estreito que o civic; 25mm é igual a 2,5cm (dois e meio centímetros), peguem uma régua e confiram o quanto isso representa, é muito pouco! Já a diferença de preço entre eles não é nada pequena...
    Tudo bem, essa pequena diferença em centímetros "pode" fazer diferença no dia-a-dia, mas o linea dual. custa 13mil a menos que o civic automático, guardadas as devidas diferenças no motor e tamanho, mas pelo que custa o linea é uma boa pedida. E é capaz de achar um linea dual. no mesmo preço do hb20s aut...
    É o que acho, e respeito opiniões diversas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem Linea nem Civic cabem a gente direito. O Civic 2000, geração 6, é mais espaçoso e muito mais confortável e confiável que os demais que vieram depois. Numa outra época a Fiat para mim chegou a ser a melhor montadora nacional, notadamente devido ao seu melhor projeto até hoje, o UNO e seu irmão PRÊMIO que na época eu entendia como os mais versáteis carros nacionais. Depois entraram os importados e sentimos na pele a defasagem que estávamos frente ao mercado mundial, notadamente quando pudemos comprar os usados e a coisa foi se difundindo. Entendo o Linea como um projeto legal, mas não entendo como a Fiat não tem carros automáticos, tirando o 500.

      Excluir
  55. Jivago,

    Eu lhe havia dito que o barulho provinha de deficiência na filmagem e não do carro.
    Apesar de eu também achar alto o giro de 3.700 a 120 km/h, eu disse que não incomoda e não incomoda mesmo. Poderia, sim, virar a 3.400 que o carro não ficaria chocho, não, mas foi uma opção da Fiat, da qual discordo, mas não totalmente, pois, como torno a dizer, não incomoda e o carro é econômico na estrada.
    E gostem ou não alguns, o Linea tem um caráter mais esportivo que os outros que citei.
    Quanto às rodas, troca-se as rodas e também trocam os pneus. As rodas com aro menor têm pneus de banda mais alta, o que compensa e no final dá na mesma, pois os pneus têm o mesmo perímetro em sua banda de rodagem.

    ResponderExcluir
  56. Se este carro estivesse no patamar de preço do Cobalt intermediário(42.000 á 46.000), ele com certeza venderia muito bem, claro abaixando o preço sem empobrecer o acabamento e sem depenar o carro,o Línea não tem o espaço interno do Cobalt, porém tem um porta-malas eficiente e um design mais harmônico,além de um motor que dá um banho no 1.4 e 1.8 do Cobalt, e tem a vantagem do motor ser acionado por corrente , reduzindo o custo de manutenção do motor, isso aconteceu com a Renault Gran tour pouco tempo antes de sair de linha, eles deram uma abaixada no preço , então era mais vantajoso a Gran Tour do que palio weekend nessa época,e tem o caso da GM quando abaixou o preço do Astra, pipocava Astra pra todo lado, pena que a fiat não teve essa ideia com o línea.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ronnie c,

      Também pensei nisso, mas aí iria canibalizar o Grand Siena que é um projeto novo e de maior interesse para a Fiat. Mas se eles mudarem de ideia, quem sabe não terei meu primeiro Fiat?

      Agora, quanto a Grand Tour da Renault, eles nunca me convenceram embalar um veículo com aquele peso, utilizando um motor 1,6.

      O Astra ainda é um bom carro, tanto é que a GM poderia ter continuado a produzi-lo, mas com rodas de 15 polegadas, duas portas e direção hidráulica/elétrica, como em seu lançamento.

      Excluir
  57. Meu pai tem um T-Jet e digo a relação conforto desempenho da suspensão está ainda mais incrivel. O cambio manual e os 20cv a menos fazem uma grande diferença...os 400cm³ a menos também ajudam na hora de ecnomizar. Dos T-Jet's é o mais beberrão, mas as marcas obtidas são muito satisfatorias.

    ResponderExcluir
  58. Stress da galera... infelizmente dei PT num Sentra que eu gostava muito e estou partindo para um Linea... são coisas diferentes mas ambos tem suas qualidades... o Linea tem mais itens de conforto que o Sentra... porem o Sentra tem painel emborachado, porta emborrachada com veludo etc... acho que o Linea poderia ser melhor acabado... muito plastico.. assim como o Civic novo.. lamentavel aquele plastico do painel... enfim... propostas diferentes...

    Abracos

    PIero

    ResponderExcluir
  59. Arnaldo, parabéns pelo trabalho. Estava com muitas dúvidas de qual sedã escolher, pois preciso de um carro com bom porta malas. O Linea tem tudo o que preciso e ainda virá com câmbio dualogic. Não tem o mesmo conforto de um câmbio automático, mas, pela sua análise, o dualogic plus é muito bom. Fiz um test drive na semana passada num Bravo com esse tipe de câmbio. No começo é um pouco estranho, mas o carro vai se adequando ao seu estilo de pilotagem. Após alguns minutos com ele, você se acostuma e a pegada fica boa. Abração e sucessos.
    Daniel Stoque Pecin

    ResponderExcluir
  60. Senhores,

    Tenho um Linea e sinceramente acho um carro excelente em estilo e motor, já deixei Civic passando raiva. Dirigibilidade excelente, fiz uma viagem de 5 mil kilometros e foi super tranquila. Compraria outro!!

    ResponderExcluir
  61. Héctor Lamela23/05/13 21:58

    Senhores, recebí meu Linea Edição Especial Sublime no dia 08/05/2013, o carro é uma maravilha, potente, econômico, uma delicia na estrada.

    ResponderExcluir
  62. amigo, 1k2 vc está bem enganado. Eu fiz um teste drive no cobalt e te digo que o grand siena já é muito superior ao mesmo, nem precisa chegar na categoria do Linea. O cobalt tem um compromisso com estabilidade mas muito pouco em conforto. o motor é o velho econoplex, bebe muito e anda muito pouco. o carro tem um painel nada agradável e ao meu ver peca até mesmo na versão mais completa. O linea tem um porta malas maior do que o honda civic e o corolla, sendo o atual civic com 449 litros, o corolla com 470 litros e o Linea com 500 litros. Ao meu ver prefiro um sedã que tenha espaço interno suficiente para conforto e que eu possa ter um porta malas para carregar minha familia em uma viagem longa. Com certeza é melhor do que ter espaço desperdiçado em um interior que não vou ocupar e pior ainda se eu ficar com bagagem sem ter condições de leva-las. Pra que tanto espaço inútil? O linea tinha ate esse ano (2013) reunia condicoes de brigar como sedã médio. O problema é que a Honda e a Toyota atualizaram os seus pacotes de conjunto tecnológico e superaram bastante o do Linea Atual. Nisso concordo que o carro precisa de um upgrade. Como? simples. controles de ARS, ESP e na parte de conteúdo uma central multimedia, coisa que nao existe em nenhum carro da fiat a não ser o bravo, coisa que não entendo o porquê. Poderia sim aumentar 10 centimetros de largura, 7 de comprimento para agradar a maioria das pessoas. Tambem poderia melhorar o carro com o design como o modelo turco para ficar mais robusto. Assim acho que desbancaria os seus concorentes diretos. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  63. Acabei de comprar um Linea Tjet 2009 (faz 1 mês) e confesso que estou em estado de graça, o carro é um tesão! A suspensão é excelente mesmo, ótimo compromisso entre conforto e firmeza, estabilidade ótima, freios muito bons, direção com boa pegada e direta, motor que dá segurança em qualquer ocasião, completíssimo (câmbio automático, DVD e teto-solar pra mim são dispensáveis, poderia apenas acrescentar xenônio e controles de tração e estabilidade)... enfim, sou meio suspeito pra falar.

    Jorge

    ResponderExcluir
  64. Luciano de Souza17/06/13 00:31

    Olá Arnaldo!
    Após ler testes e avaliações do Linea, como a sua (com muitos aspectos esclarecedores, parabéns pela matéria), resolvi que vou comprar este carro.
    O problema é se agora, praticamente no meio do ano, compensa esperar pelo lançamento do Linea 2014 (provavelmente reestilizado como no modelo Turco), será que esta mudança virá somente no final do ano? Vai desvalorizar muito o carro caso o compre agora?

    ResponderExcluir
  65. SIGAM O LIDER...
    ENTAO, ULTRAPASSEM-NO !
    Se fossemos todos comprar o "melhor do segmento" segundo as revistas, ou o "lider de vendas", deveriamos todos andar de gol ou de corolla.
    São ótimos carros, meu pai tem um gol, eu gosto de dirigi-lo.
    Conclusão: devemos respeitar os milhares e milhares de consumidores que compram um gol ou corolla, não podem estar todos errados, e afinal, ninguém é líder a toa.
    Respeito em primeiro lugar, a opinião de quem já teve um carro, e presta seu depoimento nos fóruns, pois fala com propriedade do assunto.
    O site carros na web, na seção de avaliação dos proprietários, foi um ótimo guia para mim, pois la estão opiniões de quem esta com o carro a 5.000 ou a 100.000 km. Opinar dirigindo um zero quilometro é uma coisa, eu quero saber é como o carro esta, depois de milhares de buracos, combustível da pior qualidade (viva o Brasil) e afins.
    Em segundo lugar, encontrar uma opinião como a do Sr. Arnaldo, eleva o nível da conversa, e endossa a voz dos fóruns (a voz das ruas). Opiniao profissional.
    Imparcial ? Não estou buscando um juiz, e sim uma opinião sincera. E ele a fez.
    Entao, a opinião dos PROPRIETARIOS, somada a um BLOG DESTA QUALIDADE, me levaram a seguinte decisão:
    Comprei meu primeiro carro zero quilometro, um linea essence, com cambio manual, ar digital automatico, e outros mimos, que mesmo com quatro mil de opcionais, na venda direta, ficou em dez mil a menos que a versão absolute. A absolute eu rejeitei de pronto por ter apenas cambio dualogic plus.
    Nao optei pelo linea devido aos sites, ou revistas, mas a opinião dos proprietários e deste blog é que me ajudaram na decisão da compra do carro que eu havia escolhido.
    Entao, quando encontrarem um gol ou um corolla na estrada, respeitem-nos, são carros lideres, fizeram por merece-lo. Sigam-nos, olhem o retrovisor, a sinalização do transito, e com segurança, façam a manobra e ULTRAPASSEM.
    E Arnaldo, parabéns pelo BLOG. Não precisa ser site, basta ter qualidade, valeu ?!
    Remetente: Silvio, Rio Grande do Sul





    ResponderExcluir
  66. Ahh também peguei um LINEA SUBLIME (é aquela branco diferenciado, lindo), excelente carro, amei.
    Excelente custo benefício, conforto então . . . cambio plus, piloto automático.
    Viajar com Linea é uma maravilha. Minha família adorou.

    ResponderExcluir
  67. Prezados Arnaldo Keller e seguidores do blog :

    Obrigado por suas considerações em relação ao Linea como tb palavras em relação ao citado cambio DUALOGIC.

    Li todas as postagens parabéns a todos os comentários.

    Estou sim querendo adquirir um Linea 2010/2011 com Dualogic não o PLUS.

    Será meu primeiro carro automatizado e já li bastante sobre as diferenças em relação aos automáticos. Chega a dar nós.

    A questão agora é : no site reclame aqui, pesquisas no Google e algumas revistas especializadas não faltam declaração, reclamações deste câmbio da FIAT - São casos isolados ? acho que SIM - más são tantos. Dai meus amigos continuo a ter minhas dúvidas até porque fazer um investimento de 30 e tantos mil reais em um bom carro como vcs comentam e sempre ou talvez precisar visitar concessionárias para fazer ajustes, acertos e vários outros procedimentos que vemos nas explanações dos consumidores por causa desse cambio vai valer a pena ?. Ajudem-me a tomar a decisão correta na compra do LINEA DUALOGIC para que possa usufruir junto a alguns de vcs toda satisfação que este carro tenha a oferecer. Agradeço e mandem-me mais declarações sobre o citado câmbio.

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Washington Rodrigues,

      Câmbio resistente mesmo é o manual sem sincronizadores, vulgarmente chamado de "caixa seca" e que ainda é utilizado em alguns caminhões.

      Depois, pela ordem, vem os conhecidos câmbios manuais que todos conhecemos e que também tem grande durabilidade, com pouca manutenção.

      E por último, vem os câmbios automáticos e os chamados "Dualogic", que necessitam de manutenção efetiva e de durabilidade menor.

      Por melhor e mais modernos que esses câmbios sejam, eles nunca terão a mesma durabilidade que os câmbios manuais.

      Excluir
    2. CCN 1410
      Isso mudou. Os câmbios automáticos epicíclicos chegam a durar tanto quanto o carro. E os robotizados, tipo Dualogic, são nada mais que câmbios manuais com sistema de movimentação dos garfos robotizado.

      Excluir
    3. Bob Sharp,

      Então porque é preciso fazer a manutenção desses câmbios antes dos 100 mil quilômetros?

      Excluir
    4. CCN 1410
      A manutenção, quando necessária, é na embreagem, não no câmbio em si. Exatamente como no câmbio manual puro. A principal, senão única, causa de desgaste prematuro da embreagem nos câmbios robotizados é segurar o carro no motor numa subida.

      Excluir
  68. Caros Bob Sharp e Arnaldo Keller,
    após ler esta excelente avaliação confesso que ainda me restam dúvidas quanto ao câmbio utilizado. Recebi uma excelente proposta por um Línea 1.8. 16v, essence duallogic 13/13,0Km, com algumas "cortesias": bancos em couro, sensor de ré com câmera, emplacamento, tapetes carpete e gps. Notei que não há as borboletas no volante para as trocas manuais das marchas. Estou saindo de um prisma 1.4 08/09, com o qual sempre me dei muito bem. Gostaria de, apesar de ter lido a avaliação, saber de vocês se essa versão 13/13 já conta com o duallogic plus e se vale a pena sair de um manual para este automatizado.

    Agradeço, desde já, sua atenção.
    Marcelo Viégas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, o Linea 2013 deve ser Dualogic Plus, sim, mas confirme com eles a respeito.
      Sobre se vale a pena ou não é uma opção exclusivamente sua. Não há nada de errado com o câmbio. Vai de você gostar ou não e isso é com você. Dirija, faça um bom test-drive, ande um bom trecho, pois com o tempo o câmbio vai, sim, realmente "aprendendo" o seu jeito, e após alguns minutos vai se adaptando e ficando cada vez melhor.

      Excluir
    2. Olá Arnaldo Keller e Marcelo Viegas :

      Postei acima tb minhas dúvidas e inseguranças sobre o citado câmbio - agradeço as palavras CCN 1410 e Bob Sharp valeu.
      Bom senhores fiz exatamente neste final semana passado o que o Arnaldo orienta agora -para Marcelo - fiz um teste-driver no Linea que pretendo adquirir e confesso que fiquei super entusiasmado com o mesmo. Nada de trancos, solavancos, tombos e outras citações que alguns fazem quando falam do mesmo. O carro se portou muito bem não tive dificuldades alguma em adaptações e logo logo minutos já era íntimo do DUALOGIG he he he. Com relação a quebras esta semana ainda peguei um relato de pane com 65.000 km coisa recente. Dai vem a questão pode quebrar um dia sim, mais cedo ou mais tarde, ou pode não quebrar até durar até acabar o carro como cita CCN 1410 por esses motivos continuo com as negociações com o vendedor para fechamento do negócio e acho que vale a pena arriscar - Minhas declarações são gerais em relação ao carro Linea 2010/2011 Dualogic show de bola o carro num todo.

      Abraços a todos ...

      Excluir
    3. Venho informar a esta turma boa ai de cima (todos vocês) que de qualquer forma me ajudaram e influenciaram a tomar a decisão de comprar um Linea. Bom galera depois de tanto ler essas linhas finalmente esta comprado ano 2010/2010 ABSOLUTE com 58.000 kms .Há apenas uma semana com o carro estou adorando mesmo. Fico imaginando, a pouco tempo, quando assistia os dois videos acima e esses amigos demostrando o carro - confesso ficava entusiasmado para valer e hoje é realidade comigo.Bom é isso ai agradeço demais aos idealizadores do Blog que deve com certeza ter ajudado muita gente por ai inclusive a mim mesmo. OBRIGADO

      Excluir
  69. Bela reportagem... qual o ano desse Linea ? o meu é um essence 2013 e a capa do motor Etorq é diferente... parece mais simples.

    ResponderExcluir
  70. Pessoal, já tive muitos carros o último foi o Cobalt 1.8. Comprei zero e andei 32.000 km sem nenhuma dor de cabeça . Más no começo de novembro 2013, comprei um Linea Essence , mecânico completo mais couro. Estou gostando muito do carro. Superou minhas expectativas, haja vista que é sem sombra de dúvidas o melhor sedam compacto. Veículo de qualidade é só ler a matéria do Arnaldo. FORAM AS INFORMAÇÕES E COMENTÁRIOS DO (ARNALDO) que decidi pela compra do LINEA. ABRAÇOS, r.d'.

    ResponderExcluir
  71. ola,comprei um linea essence dualogic 13-13 -e o consumo nao foi o esperado,sou representante comercial e ta fazendo 11.4 km na cidade e 7.1 km na rodovia na gasolina numa velocidade 100 a 110 km por hora ,levei na fiat aqui e passaram o computador mas nao melhorou nao ,e so isso mesmo ou devo procurar novamente a fiat,agradecido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, tem coisa estranha aí. Ele gasta mais na estrada que na cidade? Não seria o contrário, não?

      Excluir
    2. Olá pessoal :

      Já que o assunto é consumo estou com o Linea 2010 absolute motor 1.9 a duas semanas, só andando na cidade, transito pesado, e se não estou enganado está fazendo 7,0 / 7,5 km com ar - muitas matérias apontam o consumo do Linea entre 8,5/09 e até 10 na cidade procede esta informação - isto não é folclore ??? Até a ficha técnica do carro novo afirma este consumo. Alguém de vcs podem me comprovar o real consumo do Linea. Claro ainda não fiz, nenhuma viagem em estrada e nem um check up eletrônico más estou achando o consumo altíssimo.Agradeço mais uma vez a opinião de todos.Abraços

      Excluir
    3. Wassington; JAMAIS acredite nas matérias que falam sobre consumo. Nunca vi uma bater. Para vc medir consumo vc precisa andar com o carro verdadeiramente, marcar quilometragem, zerar e conferir odômetro e litros na hora de abastecer. Tanto em trânsito quanto em estrada e não apenas num teste drive ou teste específico de curtíssima duração. Antigamente a quatro "patas" fazia estes testes de longo prazo, mas a revista nunca foi confiável e também nunca batiam. mas ali todo mundo sabia que era matéria paga. Hoje ninguém mais faz. Só o dono que vai ter sempre surpresas negativas no consumo e sempre vai escutar que é ele que não dirige direito. Coisas de Brasil.

      Excluir
    4. Washington, nossas avaliações referentes ao consumo levam em conta o que indica o computador de bordo e sob as condições descritas no texto. Servem de referência e só, pois todos sabemos que o fator consumo depende de inúmeras variáveis.

      Excluir
  72. Tenho um Linea 2010 e adoro! é tudo isso que vc descreveu, e muito mais. E um carro no chão, e imbativl nas curvas. de longe o melhor carro que já tive... Pergunto: Por que a FIAT vai tirar este carro de linha? quero comprar outro mas não quero jogar meu dinheiro no lixo. - Paulo

    ResponderExcluir
  73. Caros,

    Tenho um linea 1.9, absolute, 2009/2010. Pasmem, estou há 3 meses com o carro sem engatar a ré, depois que o sistema todo fica aquecido à temperatura normal de trabalho! (frio funciona normalmente). Isso mesmo, após utilizá-lo por uns 30 ou 40 minutos no trânsito da cidade, ele deixa de engatar a ré. Sistema de embreagem foi substituída, câmbio foi todo desmontado e nenhum problema foi encontrado... em resumo, temos um ótimo carro, com um câmbio robotizado não tão aperfeiçoado; e o pior, não há pessoas qualificadas para realizar um diagnóstico correto e certeiro! Digo ainda, pessoas que trabalham em concessionárias FIAT ! Neste sentido, por experiência própria, estou com um "carro quem não conseguem consertá-lo" e não tenho coragem de "tocar" essa bucha para frente! Meu conselho: Fujam do DUALOGIC !!! O carro é fantástico, muito bom! Mas optem pelo câmbio MANUAL!!! Abraço à todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tem SORTE!!! Imagine se seu carro fosse TURBO? Aí, além do problema de cambio, teria outro insolúvel. O que vc diz é a pura verdade e a triste realidade do nosso país: nem concessionárias arrumam nossos carros. Mas dizem que o papa Francisco é muito compreensivo. Quem sabe se escrevermos para ele e contarmos nosso martírio ele dá uma ajudinha?

      Excluir
  74. Pessoal, estou em Lages-SC . SAÍ DE CAMPINAS COM MEU LINEA 2013/14, mecânico, rodei exatos 856 KM . Só usei gasolina V-Power (SHELL). PELO COMPUTADOR DE BORDO ACUSOU MÉDIA DE : 7 KM LITROS. Com ar ligado. Pelas notas dos postos e litragem ,pelas minhas contas deu 7,2 KM litros. OBS: 7 KM L. só em estrada . Pode ??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael :

      Esse consumo (7, 7,5 km), com ar, faço na cidade de Salvador (BA) transito pesado, lento quase parado. Fiz uma viagem de 240 km, 100 110 km p/h ida e volta a média no computador deu 12,7 km/l - Fiquei menos preocupado porque achava que o consumo do meu Linea 2010 estava altíssimo aqui na cidade - Postei uma dúvida acima que a turma ainda não me passou alguns relatos. Quanto ao seu caso evidente que tem coisa errada ou com o carro ou com a gasolina que foi colocada.Meus votos que resolva. Feliz retorno.

      Excluir
    2. Tenho um Linea 13/13 manual, na cidade com gasolina tem feito em torno de 6 mas na viagem do dia 29/12 os últimos 380KM de estrada fez 14,6/L com ar ligado e porta malas cheio. Tenho calibrado os pneus com 31Lbs.

      Excluir
    3. Anonimo : 06 lts na cidade ?? seu motor e o e-torque ?? com certeza mais economico que o meu que e 1.9 -- agora complicou o consumo dos nossos carros na cidade he he he ...

      Excluir
  75. Rafael
    Com gasolina, nem se fosse tivesse andado de pé em baixo daria esse consumo. Se o carro está andando como deve, está normal, ou o frentista deve ter abastecido com álcool ou a gasolina colocada está altamente batizada com álcool.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BOB
      Estarei de volta a Campinas no dia 30 e farei uma melhor observação. Posso te assegurar que não andei com o pé em baixo, pequei trânsito meio pesado nas serras. E como de hábito quando estou com meio tanque para e completo (acompanho a operação de abastecimento), só coloquei gasolina aditivada (SHELL e PETROBRÁS) ,detalhe, pneus calibrados, com meia carga e dirigindo na "boa" não passei de 110 km andei em média a 80 visto que a rodovia não oferece condições seguras para velocidade maior. Estarei voltando para Campinas em 30/12 e tomarei todo cuidado para uma avaliação de quesitos primários, que aprendi com a CARRO e com o pessoal da Autoentusiastas. Bob, sáude a voce e ao Arnaldo. Ótimo 2014. grato, r.d'.

      Excluir
  76. Rafeal
    Depois de reabastecer para volta verifique a nova autonomia. Se nos primeiros três, cinco quilômetros ela subir bastante, fica provado que a gasolina que estava no tanque não era correta.

    ResponderExcluir
  77. Tenho um 2013 e faz uns 12-14 km/l na estrada fácil com ar ligadão!! Acho que deve ter algo errado ai.... abraços

    ResponderExcluir
  78. boa noite!

    comprei meu carro ontem, depois de muitas pesquisas e ainda não tinha visto sua publicação, mais agora estou mais aliviado e com convicção de ter feito a escolha certa.

    PSC. tenho uma Strada Adventure CD 2010 e este é o meu primeiro carro com cambio automatizado.

    parabéns!!! forte abraço.

    ResponderExcluir
  79. Boa tarde, Bob Sharp.
    Você tinha e tem razão. Levei meu Linea a uma concessionária em Lages e não resolveram, me falaram que era um problema de bico injetor . Eu repliquei ao "consulente", cara é lero seu . disse. O BOB já me deu a dica é gasolina batizada. O CARA QUEM É ESSE BOB. Então fui ao carro a tasquei na cara do cidadão a REVISTA CARRO . O cidadão ficou sem jeito e me disse : É esse cara manja, né . Eu retruquei , é voce que não manja né. Voltei para a casa de meu filho, e como já tinha relatado o caso dias para o meu filho que é eng. mec. de uma distribudora de combustíveis. RECEBI VIA SEDEX um tubinho amarelo escrito: - WATER DETECTOR - e as instruções de meu filho. Fiz o teste e deu : ÁGUA DA MAIS PURA QUALIDADE. Voltei a Fiat e perguntei ao "CONSULENTE". Você pode me fazer o teste e se der água me limpa todo o sistema na garantia ? . Não , é problema seu. A garantia não cobre. Então vou começar a por a boca no trombone a começar por você o resto prá mim é lucro. Depois de comprovado o teste que deu ÁGUA a 20 % . Resolveram fazer o serviço em cortesia . Fiquei muito grato . FIM .
    OBS: BOB : A Régis sentido SÃO PAULO SANTA CATARINA , ESTÁ COM MUITOS TANQUES DE TODAS AS DISTRIBUIDORAS COM "INFILTRAÇÃO " DE ÁGUA . Já fiz contato com a ANP.
    Na volta a Campinas em 20 de janeiro, fiz com AR LIGADO OS 860 Km . EXATOS - 12.6 - Km. l.
    Grato pela sua atenção.
    Um abraço a você e ao PIERO, anônimo, e outros pelas dicas.
    Grato, rafael d'amico.

    ResponderExcluir
  80. Carlos Pereira

    olá pessoal, qdo minha esposa quiz comprar um segundo auto, e nas peregrinações das concessionárias e feiras deparamos com o línea (essence mecânico), ela se encantou com o o modelo da fiat, eu fiquei meio com pé atrás, mas as condições de pgto e gosto prevalrceram e digo que depois do período de seis meses posso dizer... que o carro é muito bom salvo alguns itens que a mim não agradam (particularmente) e digo , na cidade é beberrão e meio `lerdo` mas na estrada, é sua vocação com bom torque e certas ocasiões `tuchei`o pé com gosto e ele responde de pronto, e sem dizer que se sua família (filhos e ou...) sejam `parrudos`é a escolha certa.

    ResponderExcluir
  81. Prezado Arnaldo.
    Agradeço a imparcialidade no teste realizado com este veículo.
    Há muito tempo sou (era) antipático á esta marca e em Janeiro estava em busca de um sedã que me permitisse tráfego tranquilo na cidade e disposição para viajar, pois moro em Salvador mas tenho raízes e parentes em Recife.
    Sempre achei o Línea um carro atraente mas tinha receio dos comentários negativos. Mudei parcialmente, ao ler seu post, e totalmente ao adquirir um modelo 2012/2013.
    Carro confortável, macio, disposto e com excelente custo/ benefício.
    Viajei durante o carnaval de Salvador/Recife/ Salvador e foram 2.000 km muito agradáveis.
    Quando necessário, super disposto. Até me atrevi á um pequeno teste rodando á 170 km/h. E isto sem deixar de ser econômico, pois fiz com uma média de 13 km/l, sempre utilizando o ar.
    Pelo fato de ser câmbio mecânico, a rotação á 120 km/h não passava de 3.400, e a sensação dentro do carro era bem menor á que apresentava nos instrumentos.
    A estabilidade também é um ponto positivo, pois nas curvas, mesmo á uma velocidade elevada, o carro não saía da mão. Importante ressaltar a segurança da direção.
    Na cidade a condução é tranquila e até estranho quando alguns comentaram de ser um carro lerdo. A disposição dele não foge á regra de quem enfrenta tráfego de grandes cidades.
    Resumindo: mais uma vez agradeço e recomendo a compra. Ótimo carro.

    Antonio Santos.

    ResponderExcluir
  82. Antonio, como você , em razão do teste do Arnaldo. Foi decisivo para a compra de um FIAT ESSENCE MECÂNICO 2013/2014 Ok. Adquirido em concessionária em Campinas-sp em novembro de 2013.
    Estou, Antonio gostando realmente do LINEA, já fiz viagens a SC por duas vezes e uma a BA, rodando nas duas mais de 4500 km . Sem nenhum problema a não ser gasolina "batizada" que coloquei em dezembro na Regis, e que foi solucionada. O carro está com 8250 km e não abaixou uma gota de óleo. Só abasteço com gasolina aditivada. Aquele abraços a você e a todos do AE. rafael d'amico.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.