SMART FORTWO MHD


É mais do que sabido que em terra brasilis o mercado é ditado por moda e referências estrangeiras. Marcas e nomes de fora tomam conta de praticamente tudo o que tem valor agregado e alguma indicação de status. E claro, sempre custa "caro".

Pegar um produto desenhado para um mercado específico e suas condições de contorno de projeto, vender aqui sem grandes alterações e com preço elevado graças a impostos e renome a se manter, também é mais do que conhecido, e acho que é justamente o caso do pequeno Smart fortwo mhd.  A fabricante pertence à Daimler AG.

Já vendido no Brasil há alguns anos nas versões mais completas, o Smart até que é visto com certa freqüência pelas ruas de São Paulo, a grande capital financeira do país. O modelo em questão aqui avaliado, o fortwo mhd (micro hybrid drive), é o que existe disponível de versão mais econômica. Não é total novidade, pois já esteve por aqui com o nome Brazilian Edition na versão mais acessível da marca.

De híbrido propriamente dito, somente o nome dado ao sistema de desligamento e partida automática do motor em situações de trânsito, também conhecido no exterior de forma simplista como start/stop. Com o sistema habilitado por meio de um botão no console central, em velocidades inferiores a 8 km/h e com o freio acionado, o motor é desligado e assim permanece até que o freio seja liberado. Para esta operação, o alternador e motor de partida são substituídos por uma unidade única que faz as duas funções. No painel de instrumentos há uma indicação pela palavra ECO, avisando que o sistema está ativado. Quando o ECO é na cor amarela, o sistema está habilitado mas ainda não disponível. Se estiver na cor verde, o sistema está funcional.

ECO verde, indicação de que está disponivel


O carrinho é mesmo econômico, faz até 22 km/l em um ambiente misto de vias urbanas e vias mais rápidas. O motor do mhd é um três-cilindros de 1-litro de aspiração natural. Os demais modelos Smart utilizam turbocompressor e geram 84 cv, enquanto que o mhd gera apenas 71 cv, mais que suficientes para acompanhar o trânsito sem problemas, afinal o carro pesa apenas 750 kg. O único combustível utilizado aqui é a gasolina.

O câmbio robotizado de cinco marchas é suave, mas lento nas trocas. O modo de trocas manuais com comando pela alavanca do console central é mais eficiente para tirar o melhor aproveitamento do motor. Para ajudar nas rampas, o Smart possui um sistema automático que mantém o freio acionado por alguns instantes mesmo após o pedal ser liberado, para que o carro não desça contra a vontade do motorista, entre o tempo de soltar o freio e acelerar, ou mesmo o tempo necessário para o motor ser ligado novamente com a função ECO acionada.

Ao volante, o Smart passa a sensação básica de um carro de porte convencional como um Ka ou um Uno. É preciso um pouco de tempo para se adaptar ao fato do carro terminar logo atrás das costas do motorista, o que mais notamos ao olhar para trás através do vidro traseiro. Como hoje em dia raramente vemos onde termina o carro ao dirigi-lo, pelo formato curvo dos capôs modernos, não temos de dentro do carro a impressão dele ser curto (2.695 mm) e praticamente não ter balanço dianteiro e traseiro. Passar em uma lombada, em contrapartida, chega a ser engraçado, pois é uma ação bem "rápida" em função do curto entreeixos, apenas 1.865 mm.

Interruptor do modo ECO para ligar o start/stop

Muitos afirmam que um carro compacto como este é a solução para os problemas de trânsito das grandes cidades, mas não é bem assim. Como o carro só comporta duas pessoas e pouca bagagem (220 litros de porta-malas), seriam necessários dois Smarts para realizar a função de um carro com pelo menos quatro lugares. Mas ainda pode-se afirmar que o Smart é muito menor que um carro convencional e ocupa menos espaço na rua, isso é verdade, mas para se ter um efeito sensível no trânsito, muitos e muitos Smarts seriam necessários. Como a maioria dos veículos trafega com um ou dois ocupantes, o Smart se encaixaria nesse meio do transporte quase individual.  

A agilidade do carro é muito boa, fácil de transitar entre as faixas de rolamento, mas ainda limitado como qualquer carro pela sua largura. Ou seja, é um pouco melhor mas ainda não resolve o problema. A grande vantagem do carro é realmente a facilidade de estacionar e o reduzido consumo de combustível, estes sim, os grandes pontos do Smart. Alias, este também é o grande problema do carro.

Problema e vantagem? Sim. Vantagem pela economia de combustível e facilidade de "armazenar" o carro ao chegar no seu destino, mas problema porque foi com esse conceito que o carro nasceu, mas para outro mundo, não o nosso. Idealizado pelo mesmo grupo responsável pelos relógios Swatch, o Smart deveria ser um meio de transporte simplificado para jovens e pessoas sem necessidade de mais espaço no carro. Desta forma, o Smart seria usado por quem tem outro carro para levar a familia toda quando necessário, ou para quem não tem ninguém para levar.

Concebido basicamente para a Europa e suas pequenas ruas com vagas e estacionamentos cada vez mais raros, o Smart trazido para o Brasil pela Mercedes-Benz não apresenta nenhum sinal de ter sido calibrado para nosso mercado. A suspensão dianteira do tipo McPherson e a traseira, de Dion, já comentada pelo Bob aqui, é firme demais para nossas ruas que mais parecem a superfície lunar, e juntamente com os pequenos pneus 155/60R15 na dianteira e 175/55R15, na traseira, deixam o carro desconfortável.

Essa questão de calibração da suspensão para as vias brasileiras é uma questão delicada, pois não é simples assim, como só deixar o carro mais macio e pronto. Como o entreeixos é bem curto e o carro é relativamente alto, uma suspensão macia demais pode deixar o carro instável e com boas chances de capotar em manobras mais radicais. É uma equação de equilíbrio bem delicada.

Os impactos da suspensão implicam diretamente no ruido interno do carro, onde os painéis de acabamento fazem muito barulho, especialmente nas portas e atrás, como se fosse um carro barato com alguns anos de uso, algo bem chato para quem gasta uma quantia relativamente elevada em um produto já cotado como de luxo no nosso mercado. A qualidade os materiais do interior são contraditórias, pois ao mesmo tempo em que os bancos e o topo do painel são revestidos de tecido de boa qualidade, as portas são acabadas com plásticos duros. Os modelos mais caros da linha têm uma qualidade melhor neste aspecto, pois o acabamento é diferente, com o mesmo tecido do painel nas portas. Um modelo Passion se mostrou mais silencioso e confortável, mas mesmo assim não soluciona de vez a questão da suspensão firme demais.

Para redução do peso e custo do carro, o volante não possui regulagem, enquanto que o banco do motorista não possui ajuste de altura, reclamações de muitos, mas que não chega a ser um grande problema pois o conjunto todo é bem elaborado e a necessidade de regulagem é secundária.

Interior amplo para o número de ocpantes previsto: dois

Trazido para o Brasil como um veículo diferenciado, o mhd é caro para o que oferece. O carro possui ar-condicionado, direção com assistência elétrica, ABS, controle de estabilidade, o sistema start/stop do motor e a assistência de partida em rampa, itens encontrados em modelos mais caros por aqui, mas peca em outros detalhes que as versões mais caras possuem. Espelhos com regulagem elétrica e conta-giros foram retirados desta versão. Os comandos de iluminação externa e limpador de pára-brisa são brutos e ruidosos, não condizem com o resto do carro, assim como a alavanca de freio de estacionamento. Se a posição de dirigir é boa mesmo para pessoas altas, os demais comandos não são bem posicionados, por exemplo os botões de acionamento de abertura dos vidros localizados nas portas, muito perto dos ocupantes, o que dificulta o acionamento.

Aqui o fortwo mhd é vendido na faixa dos R$ 50.000,00, consideravelmente mais caro que um Citroën C3 1,4-litro que é vendido por volta de R$ 35.000,00 e equivalente a um Honda Fit automático de R$ 51.000,00. Até ai é compreensível por ser um modelo mais exclusivo e diferenciado. Mas, ao olharmos estes mesmos modelos vendidos no exterior, as diferenças se tornam  estranhas. No Reino Unido, um Smart mhd custa por volta de £ 9.500, um C3 1,4-litro já com a nova carroceria custa £ 10.000 e o Fit custa £ 14.700.

Proporcionalmente, a diferença entre o Fit e o C3 se mantém, sendo o Fit aproximadamente 30% mais caro aqui e lá. O problema é que aqui no Brasil o mhd é 30% mais caro que o C3, e no Reino Unido o preço é praticamente o mesmo. Se fosse  essa mesma proporção de preços aqui, seria um carro bem mais conveniente em  termos de mercado.

O Smart acaba sendo mais um mimo que uma solução para questões de transporte urbano. É um carro de comportamento dinâmico interessante, se as vias forem boas mas, caso contrário, todo o charme do carrinho é jogado fora por conta de desconforto e dos ruídos, e uma solução para esse problema é mais complexa do que parece. Talvez o minicarro não seja adequado para nós, graças aos nossos impostos e nossas vias públicas vergonhosas. 

Iniciais de micro-hybrid drive

Imagens: Autoblog, divulgação,

MB 


FICHA TÉCNICA SMART FORTWO MHD

MOTOR
Tipo
Três cilindros  em linha,  traseiro transversal, duplo comando por corrente, 12 válvulas, acelerador elétrico, variador de fase de admissão, gasolina
Diâmetro x curso
72 x 81,8 mm
Cilindrada
999 cm³
Material do bloco e do cabeçote
Alumínio
Taxa de compressão
11,5:1
Potência máxima (ISO 1585)
71 cv a 5.800 rpm
Torque máximo (ISO 1585)
9,4 m·kgf a 4.500 rpm
Formação de mistura
Injeção multiponto no duto
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo traseiro manual, câmbio de cinco marchas à frente e uma à ré
Relações das marchas
1ª 3,07:1; 2ª 1,91:1; 3ª 1,26:1; 4ª 0,94:1; 5ª 0,77; ré 3,23:1
Relação do diferencial
4,53:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, mola helicoidal, bráco em L transversal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
De Don, paralelogramo de Watt, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Caixa de direção
Pinhão e cremalheira com assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva
8,8 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado
Traseiros
A tambor
Controle
ABS, distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, dianteiras 4,5J x 15, traseiras 5,5J x15
Pneus
Dianteiros 155/60R15, traseiros 175/55R15
CONSTRUÇÃO
Arquitetura
Monobloco em aço, hatchback de duas portas, dois lugares
DIMENSÕES
Comprimento
2.695 mm
Largura
1.560 mm
Altura
1.540 mm
Entreeixos
1.865 mm
Bitola dianteira/traseira
1.285/1.385 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
220 litros
Tanque de combustível
33 litros
Peso em ordem de marcha
750 kg
DESEMPENHO E CONSUMO
Velocidade máxima
145 km/h
Aceleração 0-100 km/h
13,3 s
Consumo urbano (NEDC)
21,8 km/l
Consumo rodoviário (NEDC)
25 km/l

96 comentários :

  1. Interessante como brinquedo de adultos, pra sair no fds, apenas. Carro de imagem.
    Como carro de uso diário, melhor um Mille.
    Mas interessante como produto e exercício de engenharia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POBRE!

      Excluir
    2. Esse carro é tudo menos pra sair no fds, ao contrário, é pra usar ele de semana e no fds usar um carro maior

      Excluir
    3. O pessoal (Anônimo25/07/12 12:16) não entende a proposta do carro mesmo, mesmo com o Milton Belli explicando no post.
      O carro é feito para ser usado em trânsito pesado, ruas estreitas, vagas apertadas, por duas pessoas no máximo, para ir trabalhar, à faculdade. Alguns países permitem que se estacione o Smart perpendicular à calçada, pois o comprimento do carro é quase o mesmo ao da largura de um carro comum.

      Excluir
    4. Pobre 2!

      Excluir
  2. É uma pena no Brasil termos valores tão distorcidos. Seria um otímo carro pra andar na cidade mas pelo seu preço compra-se um novo Fiesta.

    ResponderExcluir
  3. carro de bicha rica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NA MOSCA!

      Excluir
    2. Vamos manter o nível, agora tem mulher frequentando o recinto...

      Excluir
    3. Bianca Nazário25/07/12 13:11

      Eu também sou mulher!

      Bianca Nazário

      Excluir
    4. O tal do Ronaldo Nazário caiu nessa de "Eu também sou mulher!" e saiu até no jornal...

      Excluir
    5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    6. Para mim nesse quesito é o herdeiro do MP Lafer...
      Carro militar bicha da reserva rs

      Excluir
  4. O problema desse carro é que ele quase não tem área de deformação na carroceria ,em caso de colisão , é como se a pessoa fosse um gato dentro de uma máquina de lavar ,tem que ter air bag até no motor rsrsrs.Abraços ,Fabio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho25/07/12 13:05

      Para compensar a falta de área de deformação, a Smart projetou uma estrutura muito rígida, onde o carro bate e volta com o choque.
      Procure no vocêtubo algum filme de cras test do smart pra vc entender como funciona.

      Excluir
    2. Mas só sabe falar besteira mesmo viu...
      O Smart recebeu 4 de 5 estrelas no Euro NCAP.
      Ja que vc se prestou a vir aqui defecar pela boca, pelo menos podia ter pesquisado um pouco né?

      Excluir
    3. Ronaldo Nazário25/07/12 13:10

      Pra quem gosta de usar a nuca como parachoque...

      Tudo bem!

      Na minha nuca, só o pescoço do Bambam, o amigo do Arnaldo!

      Ronaldo Nazário

      Excluir
    4. Aléssio ,entendo o que você disse ,mas o impacto com isso vai para a pessoa neste caso ,algumas pessoas já morreram por causa de danos internos no seu corpo ,abraço amigo ,Fabio.

      Excluir
    5. Anônimo25/07/12 13:06 Quando alguém defecar pela boca , é você que sairá da boca desta pessoa .

      Excluir
    6. Esse Fabio só fala groselha, pqp. É um desse que deve achar que andar de Gol quadrado é mais seguro em batidas do que um Smart, porque tem "mais lata". Esse carro vai melhor em testes de colisão que a maioria dos carros com quase o dobro do seu tamanho vendidos no Brasil, os níveis de danos internos e de deformação foram igualmente bons

      Excluir
    7. Ronaldo Nazário25/07/12 13:26

      Acho que isso aconteceu quando ele foi parido!

      Excluir
    8. Fabio, pesquise antes de sair falando abobrinha. Os colaboradores do AE com certeza ficam dias bolando um assunto, fazem um post elaborado, bem escrito. Ai vem um jeca como vc aqui e manda umas pérolas que vou te contar viu...

      Excluir
    9. A verdade dói né Fabio Basco...

      Excluir
    10. Anônimo 25/07/12 16:26, mas que repertório reduzido hein?! Nao aguenta 5 minutos de discussao sem partir pra baixaria e xingamento. Tipico de inteligencia limitada.
      Continue assim!

      Excluir
    11. Bom cara, mas depois das besteiras que o Fabio Basco falou (e continuou insistindo) qualquer um perderia a paciencia

      Excluir
  5. O Cinquecento parece mais interessante dentro dessa proposta (e mais barato).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O 500 é mais pesado, mais manco e apesar de ter 4 lugares é quase impossível de usar os bancos de trás e com isso fica maior por fora também. Só vale pelo preço menor

      Excluir
    2. Penso o mesmo, Charles.

      Excluir
    3. Aléssio Marinho25/07/12 14:55

      Concordo com o Charles. Admiro carros pequenos, mas hoje o mínimo que posso ter é um Clio. O 500 é muito estreito, e pra quem é grande como eu, é horrível dirigir com uma perna prensada pelo forro de porta e a outra pelo painel.
      Alías, queria que alguém me explicasse o motivo de toda manivela de vidro ficar exatamente no meu joelho, pq não a instalam acima como a do Uno 2 portas?
      Mistério...

      Excluir
    4. Anônimo25/07/12 13:24

      Diria que isto é bem relativo. "Pesado" ele não é, pois 1.016 kg não é nenhuma monstruosidade em termos absolutos. Manco? Acho isso muito arbitrário. Para um urbanóide, 12,2s de 0 a 100 km/h é mais do que o suficiente (e só 0,6s mais lento do que o Smart).
      Ele possui bancos traseiros pequenos, mas dependendo da forma que se encara (casal jovem com 1 ou 2 filhos pequenos), ele acaba sendo mais abrangente de público do que o Smart e ainda assim é menor do que um Mille. Não é um Giacosa em termos de empacotamento, mas também não é nenhum pecador.
      Acho genial conjugar no mesmo pacote economia e estilo/acabamento agradável quando a proposta do automóvel em questão é justamente ser uma locomoção urbana. O Smart é espartano e genérico em design interno se comparado ao 500.
      Dos defeitos que constatei, a coluna A proeminente para o habitáculo e a posição do câmbio são tudo o que incomoda no Fiat, mas desde a grafia dos mostradores até as opções de cores nos revestimentos internos e desenho do painel/manoplas, o italiano é primoroso e acaba sendo um brinquedo viável no dia-a-dia, e prova bem que um carro "pra usar", compacto e urbanóide, não precisa ser necessariamente sem sal, genérico e inatrativo.
      Teria um facilmente um 500, mas o Smart não me desce, mesmo conceitualmente sendo mais apto a satisfazer minhas necessidades.

      Excluir
    5. Charles, o que quis dizer é realmente o que você percebeu. O empacotamento do 500 é fraco e o carro não é tão pequeno assim, de forma que o Smart mesmo sendo muito menor por fora é quase tão útil por dentro quanto o 500 (se bobear é maior para o motorista)

      Mas em acabamento e desing realmente você tem razão. O Smart é um pouco racional demais mesmo

      Excluir
    6. Charles, também há de se convir que o 500 para sair de 0 à 100 usa um motor 1.4 ou 1.6 16v e com seus 1.016kg (incrivelmente mais pesado que um Gol G6) tem números de consumo muito piores do que o Smart. Não sei se o 500 europeu usa a mesma motorização do nosso (FIRE ou ETORQ), mas na minha opnião, com esses motores não tem como o 500 se sobressair ao Smart.

      Excluir
  6. Já dirigi a versão turbo do carrinho. Pula demais, inclusive logitudinalmente.

    Não serviria para mim.

    ResponderExcluir
  7. Outra coisa, quem foi um dos pioneiros nesse conceito foi o Motomachine da Gurgel, que ninguém quis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procurei um motomachine outro dia para comprar, como colecionável, não encontrei um em bom estado e todos pediam preço exorbitante... deixei pra lá, mas ainda restauro um!

      Excluir
    2. Achar um Gurgel inteiro é difícil pra caramba.

      Excluir
    3. Motomachine. Taí um carrinho entusiasta. Nada se compara com àquelas portas de vidro!
      Merecia um post do AE!

      Excluir
  8. Esse "carro" não passa de um brinquedinho, mesmo. Carros que embora pequenos e voltados para as cidades podem realmente ser chamados de carros, são o Fiat 500, o Renault Twingo, e o primeiro Ford Ka, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa o Miss Mobilete não está certo. Deve ser amigo do Fabio Basco, se não for o mesmo cara, os dois só falam groselha.
      E sem palavrão dessa vez hein Miss Mobilete, vc é muito mal educado!

      Excluir
    2. Bem lembrado! por exemplo um Twingo da série previlége é muito confortável ,teria um fácil.

      Excluir
    3. Quanta bobagem Mr. Car!
      Ora, o uso que a pessoa fará do mesmo é que definirá se é um brinquedinho, um meio de transporte ou o que quer que seja.
      Se você tem alguma dúvida de que é um automóvel, por favor, procure tratamento.
      É cada um que aparece por aqui, vou te falar...

      Excluir
    4. Ok Mr. Car, o Smart é só um brinquedinho e não um carro urbano. Carros urbanos são o Fiat 500, Renault Twingo e Ford Ka.
      Melhor não contrariar, não adianta.

      Excluir
    5. Eu adoraria ter um carro urbano como o Twingo. Deem uma passadinha no renault.fr e vejam os rojõezinhos que eles fabricam...

      Excluir
    6. O Mr. CAR acha que todo mundo anda com 5 pessoas e bagagem 100% do tempo dentro do carro

      Excluir
    7. O tal anônimo 25/07/12 15:52 se acha. E acha também que mesmo solteiros ou casais sem filhos não possuem amigos, parentes, colegas de trabalho, nunca vão passar uns dias para fora da cidade levando um monte de tralhas, e que todo mundo no Brasil tem dinheiro para se dar o luxo de ter um brinquedinho fazendo o papel de carro urbano, e um outro carro para os demais usos.

      Excluir
    8. Anônimo 25/07/12 15:15h: é bom não contrariar mesmo: você não tem gabarito para isto.

      Excluir
    9. Miss Mobilete: bem menos! você é muito raivosinho... do tipinho que buzina à toa, só pra liberar aquela energia negativa de quem leva buzinadas....

      Excluir
    10. Mr. Car mobilete, para os amigos e colegas de trabalho e outros caroneiros chatos como vc existe o segundo carro da família. O Smart faz justamente o papel do carro que não é um brinquedo de jeito nenhum, muito racional e perfeitamente adaptado para as cidades. O segundo carro pode ser mais brinquedo, ninguém falou que todo mundo tem dinheiro para isso, quem está com a visão curta e falando farofa é vc

      Excluir
    11. O retardado acabou de se referir ao "segundo carro da família" como se todos o pudessem ter, e depois diz que "ninguém falou que todo mundo tem dinheiro para isto". O tico e o teco estão dando curto.

      Excluir
    12. Mr. Car tu é muito xarope, leia direito. Eu disse ninguém falou que todo mundo tem dinheiro para isso (ter mais que um carro ou ter dinheiro para um carro pequeno caro). Já vc pensa que todo mundo tem como sonho um sedan chato que faz tudo, que não tem como ter um segundo carro ou que sempre está com mais de uma pessoa no carro. Vai procurar seu Polara vai

      Excluir
    13. Só pra ver se vc não se confunde de novo. QUEM TIVER dinheiro para um segundo carro tem como ter um Smart usando ele completamente ao contrário da besteira que vc disse. O usaria como carro racional e urbano e não como brinquedo

      Excluir
    14. Acho que discutir é válido, mas se xingar, de jeito nenhum.

      Excluir
    15. Todo mundo leu o que você escreveu, anônimo retardado de pai e mãe 26/07/12 15:38. Portanto, não adianta dizer que não disse aquilo que disse, he, he!

      Excluir
    16. Mr. Car desse jeito vc só vai ser chamado de Mr. Mobilete e Mr. roda presa mesmo, todo mundo leu E SÓ VOCÊ NÃO ENTENDEU. Já percebeu que ninguém tomou seu lado na besteira que você disse?

      Excluir
    17. Está contando quantos ficam do seu "lado"? Precisa disto para se sentir seguro de suas opiniões? Depois sou eu quem preciso procurar tratamento, he, he, he! E se alguém não entendeu alguma coisa aqui (a começar pela minha mensagem), foi você.

      Excluir
    18. Tá bom Mr. Car agora pega seu Polara e se manda

      Excluir
    19. Mr. Car, ele disse que você tem um Polara. Não deixe barato não, fale que ele tem um Logan.

      Excluir
  9. Na versão da Brabus, é interessante pelo inusitado; mas é um carro que não me faz a cabeça.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF

      O Brabus infelizmente não é mais importado oficialmente pela Mercedes.

      Excluir
  10. O Smart nas versões turbo é muito divertido de guiar, eu particularmente acho a suspensão rígida bem bacana visto que o carro vira um "kart". É o carro ideal pra andar na cidade sim, econômico e potente. Acontece que o brasileiro é um povo quebrado, precisa de um carro "pau pra toda obra", que leve a família e a sogra pra viajar e sirva de carro do dia a dia.

    Sobre o preço é óbvio que é caro, mas na boa, tudo aqui é caro, iPad é caro pra caramba (se comparado ao vendido lá fora) e mesmo assim o pessoal compra, então pq não vender esse carrinho caro também? Se as pessoas pagam, que mal tem? Empresa não é instituição de caridade que tem que ficar dando presentinho pra gente carente não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hugo,
      Empresa não é mesmo instituição de caridade, se tem quem pague, vão continuar vendendo. O problema é que assim, aceitando o quem e ainda achando bom, que continamos com carros péssimos por ai e pagando caro por isso, e essa teoria se expande para diversos meios...

      Excluir
  11. Aluguei esse carro por 24 horas em Roma (e lá tem ruas com paralelepípedos). Aqui no RJ um carro desses seria solenemente ignorado pelos trogloditas, ops, alguns dos motoristas de ônibus. O carro tem tração traseira, parece um kartzinho, mas é BEM ALTO. As marchas são realmente bem lerdas pra entrar, e o que andei tinha cheiro de embreagem queimada. Em Roma eles adoram esses veículos, tem tb um da toyota, tem Peugeot 107, etc.

    ResponderExcluir
  12. Acho que falta um pouco de educação nos frequentadores do Autoentusiastas, ficam se xingando que nem mocinhas mimadas que não podem ser contrariadas...vê se cresce , falou besteira, assume, se não concorda converse como gente civilizada, aqui é um espaço pra pessoas que entendem mais de carros que a maioria dos mortais e se alguem falou algo errado basta corrigir, sem detonar, não vamos transformar esse espaço num Orkut da vida !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho25/07/12 14:50

      Concordo com Vc! Precisamos elevar o nível.

      Mas pra dar exemplo, se identifique, né amigo?

      Excluir
    2. É como li o cara de um outro blog que acompanho escrever recentemente, "Ao ler os comentários, às vezes dá vontade de abandonar essa m... e fazer um blog de tirinhas de meme."

      Excluir
    3. Boa!!!

      Excluir
  13. Milton, minha mulher achou "chic" quando mostrei as fotos do post e disse o preço. Talvez seja esse o alvo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reynaldo,

      Charmoso ele é, e isso atrai mesmo a atenção. Não deixa de ser uma jogada de marketing.

      Excluir
  14. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carríssimo Anônimo,
      A burrice é um direito que o assiste, portanto, não se sinta constrangido em vir aqui e dar sua opinião furada, seu palpite que não vale nada ou seu ponto de vista completamente equivocado. Todo mundo tem vez de tomar uma borrachada, pra ver se toma jeito.

      Excluir
  15. Esta ai um carro que eu não compraria.
    Felipe Tavares

    ResponderExcluir
  16. o duro e um carro com aval mercedes empurrado por.....mitsubishi...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro fortwo usava motores projetados pela Mercedes. Por um certo tempo, a Mitsubishi esteve próxima da antiga DaimlerChrysler e, nessa época, fez o espetacular kei-jidosha i (que tem a versão elétrica i-MiEV). Esse carrinho tem um motor de três cilindros em linha que não se projeta muito para cima, uma vez que inclinado em 45º para trás, o que significa que fica sobre o diferencial, sendo assim uma posição central-traseira.
      No caso do i, conseguiu-se um carrinho que acomoda sem problema quatro adultos grandes em apenas 3,4 m, bem como tem um bom espaço para bagagens.

      Aproveitando as conexões que ficaram, a Mercedes notou que o conjunto do i era muito superior ao do fortwo de primeira geração e assim preferiu usá-lo na segunda geração do pequeno smart, apenas trocando a transmissão automática do japonês por uma automatizada monoembreagem. Como o fortwo venderia fora do Japão, aumentou-se a cilindrada do bloco japonês de 660 para 999 cm³, uma vez que em boa parte dos países do mundo continuaria pagando pouco imposto (seja por cilindrada, seja por emissões).

      Excluir
  17. Gosto do geral do smart fortwo. O mhd é proposta interessante por causa da economia gerada pelo desligamento automático. Porém, ainda assim é de se perguntar o porquê de tal dispositivo não estar presente nos smarts normais.
    Em relação à transmissão automatizada monoembreagem, a mesma praticamente te pede para pisar bem de leve, pois em tal situação o carro não dá trancos. Porém, se você pisa mais fundo, aí sentirá trancos.

    Em relação à proposta do veículo, de fato é mais adequado para pessoas solteiras que morem sozinhas. A essas, um fortwo é bem adequado para a maioria das atividades. Só não peça para carregar uma prancha de surf dentro dele, mas o resto daquilo que um solteiro sozinho faria dá para fazer bem. Se o cara sair para uma balada, fica ainda mais fácil estacioná-lo na rua devido aos 2,7 m de comprimento. Mais racional que isso, só no dia em que alguém fizer o Gordon Murray T25 em série.
    Em relação a outros usos, realmente faz falta algo maior da divisão da Mercedes. Fala-se para a próxima geração de um modelo chamado fortwo+2, que seria um pouco mais longo (mas ainda assim seria bem curtinho) e que poderia levar quatro pessoas mais sua bagagem. Se isso existir, seria o melhor dos mundos: tamanho pequeno, interior espaçoso, tração atrás e algo que praticamente substituiria um carro pequeno (ou mesmo médio) sem gerar prejuízos.

    Em relação à suspensão, que estejam pensando bem na da próxima geração, ainda mais que o Brasil vem demonstrando aceitar bem os carrinhos. Quem sabe uma solução seja trocar o eixo DeDion por alguma outra solução, como braços arrastados. Ou mesmo usar um eixo de torção e se descobrir uma solução para que seja motriz, como a Honda descobriu na versão de tração integral do N-Box (http://world.honda.com/news/2011/4111130N-BOX/photo/images/73.jpg).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Eduardo25/07/12 19:17

      Existiu o forfour uns anos atrás, fabricaram por 2 anos só:

      http://www.blogcdn.com/www.autoblog.com/media/2006/03/Smart-ForFour-reflection-resized.jpg

      Excluir
    2. Sim, existiu, mas esse era só um Mitsubishi Colt com painéis plásticos em vez de metálicos. O suposto fortwo+2 seria um modelo usando a plataforma do próximo fortwo, mas alongada para acomodar mais dois passageiros.

      Excluir
  18. Não consigo olhar pra esse carro sem lembrar do Mini Dacon.

    ResponderExcluir
  19. Diego Ximenes25/07/12 21:55

    Milton, vc sabe me dizer por que a velocidade máxima do Smart Brabus é 155 km/h?
    Outra pergunta: vi uma versão do Smart no Webmotors cujas portas eram transparentes, mas só vi uma a venda, vc sabe qual o nome dessa versão, joguei no google e nada...
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego,

      O Brabus tem essa limitação provavelmente por questões de segurança e estabilidade, já que o entreeixos curto não ajuda muito em altas velocidades. É provável também que componentes mecânicos limitem o uso.
      Não conheço essa versão com porta transparente, vou pesquisar.

      Excluir
  20. Para quem anda sozinho este carro seria ideal: nada de chuva, sol, podendo carregar umas compras...O "SERIA" é porque não temos ruas compatíveis com ele....

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Também me lembra o Dacon, mas para mim ele não passa é de um Classe A da primeira geração com duas portas. O Smart perdeu muito do seu charme com a supressão daqueles dois mostradores lúdicos sobre o painel que vinham nos primeiros modelos. Assim como o New Beetle perdeu (e muito) com a retirada do famoso "vaso de flores" do painel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os mostradores lúdicos existem na versão turbinada. Em que pesem algumas semelhanças com o Classe A original, eles nada têm a ver um com o outro. O fortwo tem motor central-traseiro, enquanto o Classe A tem tração dianteira (em que pese o fato de o chassi-sanduíche ter sido usado para abrigar um motor atrás na versão bimotor A38 AMG). A primeira geração do fortwo usava motores tricilíndricos projetados pela Mercedes, enquanto a segunda geração só tem a unidade a diesel projetada pelo fabricante alemão (sendo a unidade a gasolina da Mitsubishi e com o mesmo bloco do i).
      Porém, em relação à comparação entre fortwo e Classe A, de fato foi um erro daqueles a Mercedes não ter lançado o Classe A original como o forfour que deveria ter sido. Além de manter intacta a tradição da Mercedes, não teria os problemas de sentimento de inadequação que o Mercedinho gera em relação à marca que carrega. E continuaríamos tendo Mercedes associada à tração traseira e sem cair em diluições de marca. Só fico aqui pensando no tamanho do desperdício de dinheiro que a Mercedes praticou ao ter o Classe A original e o forfour (que nada mais era que um Mitsubishi Colt da última geração com outra carroceria).

      Excluir
    2. Interessante, não sabia de nada disso.
      Autoentusiastas também é cultura.

      Excluir
  23. Se custasse uns 20 mil até valeria a pena.

    ResponderExcluir
  24. Bom carro urbano (no sentido de pequeno, não que não seja estradeiro) é o Face. Mede só 3,7 m e tem um baita espaço, inclusive pra bagagem. E motor de alta potência específica, 91 cv 1,3 l. http://autoentusiastas.blogspot.com/2010/08/nova-face-no-mercado.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse carro é uma bomba!!

      http://cherybrasil.forumaqui.com/f1-face

      Excluir
  25. To "querendo" (sonhando) andar de BMW 760 para o dia a dia e vem o pessoal e diz que esse hotweels dai tem o mesmo conforto e segurança, claro lembrando que não são do mesmo seguimento nem de longe, mas isso ai e complexo de gente "muito moderna" que gosta de viver espremido em um apartamento de 40mts2...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conforto e segurança igual a um Série 7 não vai ter nunca, mas não é a mesma coisa dizer que o carro não é seguro.

      Excluir
    2. Concordo com você Milton ,mas com o preço dele dá pra comprar outros ótimos carros também ,abraços ,Fabio

      Excluir
    3. Na minha humilde opinião, não vejo solução em curto prazo para o tranporte urbano se não a de carros deste tipo...para os autoentusiastas como eu parece uma heresia, mas é possível sim deixar a velha "Barca" de seis cilindros para os finais de semana em uma boa estrada onde as médias de consumo se aproximam do palatável e a durabilidade da mesma chegará a absurdas quantidades de kilometros, sempre saudáveis, para o nosso deleite e prazer e, no tráfego urbano caótico qualquer coisa que faça 20 km/litro, que não seja uma moto, e que seja ainda o mínimo possivel parecido com um automóvel...Neste quesito, existem já escolhas mais acessíveis, chinesas ou não, que tornam a nossa vida maís fácil ( já que inevitável! ) nas grandes cidades.

      Excluir
    4. Sou o Anônimo 26/07/12 03:12.

      Ai é que esta, sera que esse pensamento que só por termos emgarrafamentos e as distancias estarem aumentando, mas tirando a economia que somente é o forte desses carros minis, mas é isso mesmo que todos querem ? pois digo que, em minha opinião estou em um estagio de vida que até em um engarrafamento, quero silencio e muito conforto, um ótimo som, um belo e silencioso motor e por ai vai, do que entrar em um pseudo carro minusculo e sem conforto ! Sei lá, posos estar ficando velho apesar de ter 33 anos, mas quero distancia de coisas assim, quero é coisa boa e imponente que enfrente tudo e seja muito confortável, com rela tecnologia de ponta.

      Pensem bem, que a questão não é só a economia e praticidade e sim o que importa é o conforto e silencio de quem vai dentro, isso em uma situação de um carro para o dia a dia, claro que para os finais de semana o "mundo" é outro...

      Excluir
    5. Anônimo das 16:00 é mais confortável um Smart que um onibus. Outra abobrinha que estão falando é que esse carro por ser pequeno é desconfortável, mas e Gol, Uno, Celta são carros confortáveis? Um Smart só peca por ser duro, pois tem bom espaço para o motorista e nenhum deles falta itens como ar condicionado ou direção hidráulica. Não sei que falta de conforto é essa que estão inventando só porque o carro é pequeno

      Excluir
  26. Diego Ximenes26/07/12 20:10

    Descobri Milton, deve ser uma edição limitadíssima pois quando vi no Webmotors, valia muito mais que um Smart Brabus 0 km, apesar de correr beeeeem menos
    http://www.flickr.com/photos/robert99b/5200257137/
    Por favor, faça uma matéria com ele
    Abs

    ResponderExcluir
  27. No mês passado, aluguei um Smart, na Espanha. Era o carro mais barato da locadora.
    O caro me impressionou, positivamente. Rodei longos trechos em rodovias, sem nenhum problema. O desempenho era, inclusive, muito superior ao do Corsa 1.4 que eu havia alugado na França. Com dua pessoas à bordo, mais bagagem, mantinha 120 km/h com ar ligado (calor infernal), em serra, sem nenhum problema.
    Quanto à relação de preço dos carros, chamou minha atenção outdoor anunciando Dacia Duster (lá, como na França, é Dacia, não Renault) à partir de 10.400 euros. E com tração nas 4 rodas.
    Três dias depois, de volta ao Brasil, vi anúncio na televisão do Renault Duster (4x2), á partir de 49.000 reais...
    A diferença impressiona!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.