BIPOSTO E MONOPOSTO

Foto: curiosando708090.altervista.org

Honda 500 Four 1972

 O Arnaldo já falou a respeito no post sobre a Honda CBR 600F, mas acho que o assunto merece ser explorado. É a questão de passageiro ("garupa") na motocicleta.

Se o fabricante dota a moto de pedais de apoio para passageiro é porque este é previsto, senão não colocaria. Acho que não há dúvida a respeito disso. Tive motos japonesas quando começou a onda dela na década de 1970 e foi uma época agradável da minha vida usá-las no dia a dia (muito) e em passeios (nem tanto). Tive uma Yamaha RD 350 e depois uma Honda 500 Four (grandes motos, cada uma com seu jeito!)

Nesses anos, que foram até o começo da década seguinte, quando já em São Paulo comprei uma Honda CB 400 1981 de um amigo e vizinho no prédio onde moro. Usava-a para ir trabalhar no centro da cidade e graças à moto tinha tempo de almoçar em casa.

Tanto na miha fase carioca quanto na paulistana era comum ter alguém comigo na garupa – esposa, parente, amigo – o que constituía algo totalmente normal. Essas três motos citadas eram de dois lugares. A foto de abertura, uma Honda 500 Four (a minha era exatamente igual a essa), não deixa dúvidas quanto a isso.

Hoje, porém, isso acabou. Seria uma imposição de estilo (não, não vou escrever design...) ou o quê? Veja na foto da Honda CBR 1000RR abaixo, a sua sela "de dois andares" deixando claro que o passageiro não é bem-vindo, quase uma reedição do "banco da sogra" (rumble seat) dos cupês e conversíveis da década de 1930.

Honda CBR 1000RR (fullmotorbike.com)...
...e o "banco da sogra" (dickholt.net)

 Tudo bem que as selas atuais atendam à necessidade de reter o corpo do piloto nas motos super-rápidas, de relação peso-potência ultrabaixa e suas acelerações próximas às de um carro de Fórmula 1, mas o passageiro não deveria ser colocado em segundo plano (literalmente!).

Além de ser uma posição totalmente incômoda e até inconveniente, como bem apontou o Arnaldo, é prejudicial ao equilíbrio e maneabilidade da motocicleta um peso de 50 kg ou mais nesse lugar, tão alto. Ou é monoposto assumido ou que o passageiro possa se acomodar bem.

Compare as posições dos garupas na duas fotos a seguir e veja a que ponto que chegou o domínio do estilo sobre a razão.

Como deve ser (interney.net)
Como não deve ser (motocampinas.com.br)

Falei em Fórmula 1, mas há carros de corrida super-rápidos que são bipostos, tanto os carros esporte de série quanto os protótipos, como neste Porsche 908 da foto abaixo. Quem vai ao lado do piloto tem o mesmo privilégio de ocupação, jamais é colocado em segundo plano.

Cabine de Porsche 908 (flickriver.com)...


...e o co-piloto e jornalista Denis Jenkinson (esquerda na foto)  e Stirling Moss, lado a lado no Mercedes-Benz 300 SLR, rumo à vitória na Mille Miglia de 1955 (interney.net)


É por isso, por achar que o passageiro merece ficar bem acomodado sempre, que tenho reservas quanto ao McLaren F1, apesar de aclamado com carro esporte de primeira linhagem, o que de modo algum contesto. Mas considero a posto do piloto no centro com os bancos dos dois passageiros recuados, uma aberração.

McLaren F1: motorista no centro, passageiros recuados (montrealracing.com)


Nada realmene como uma sela de moto que deixe piloto e acompanhante no mesmo plano.



BS





56 comentários :

  1. Estava outro dia desses ,dirigindo pela Rod dos Bandeirantes ,quando fui ultrapassado por Superbikers´group a maioria com sua acompanhante na garupa,e pensei o porque do selim de dois andares, a conclusão que cheguei é que o carona ,tenha a mesma sensação de vento no rosto, do que o piloto,alem da caracteristica de construção do quadro ,que joga todo o peso pra frente da moto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Japão, moto é veiculo de transporte individual e pela legislação não se pode levar garupa, então os designers projetam pensando em uma pessoa apenas. Nas esportivas niponicas atuais dá pra perceber que o banco do garupa é uma adaptação bem meia boca feita pra exportar pro países que permitem o passageiro. E tem outra, quer conforto, compre uma Gold Wing.

      Excluir
  2. Melhor é ver essas motos com dois planos de assento rasgando asfalto na bandeirantes, domingo, como se não existisse lei nem bom senso, com a garupa lá se equilibrando... deve ser chique, sou eu que sou brega e não entendo nada de "chiqueza".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não existe lei mesmo. Se existisse, eles não fariam aquilo.

      Excluir
  3. Prefiro bem mais as antigas, onde tudo se mantinha no nível certo. E, além disso, também achava-as mais bonitas.
    Porém, em qualquer um dos casos, o garupa precisa saber que ele faz parte do conjunto e não deve atrapalhar. O que vejo de moto fazendo curva e a criatura que vai de carona se inclinando para o lado errado não é brincadeira.

    ResponderExcluir
  4. Nada, as big trails continuam bem confortáveis para a garupa. Possuo uma BMW 650 GS e a garupa não reclama. O maior problema da garupa das Big Trails é que de tão confortável o perigo é da garupa cochilar (já tive que segurar a perna de uma porque na curva ela subiu em razão de um cochilo).

    Bons exemplos hoje de Garupas:

    BMW linha GS;
    Bandit 650 e 1250;
    Honda Gold Wing (não é um banco, e sim uma poltrona).
    Das pequenas:

    Yamaha Fazer (apesar da pedaleira muito alta);

    Tem outras, como a Honda CB 300 e as Touring, que deve ser boas mas não as conheço o suficiente para dizer.

    []'s

    ResponderExcluir
  5. Muitas MV Agusta e Ducati e Bimota nem pedaleiras para garupa tem.

    ResponderExcluir
  6. SergioCJr.31/07/12 13:20

    Nas esportivas não é questão de estilo, é questão de funcionalidade (posicionamento do piloto, distribuição de peso, etc.), as esportivas de hoje são bem diferentes das de sua época Bob, principalmente quanto a desempenho e capacidade de inclinação em curvas. Nessas motos o garupa não é bem vindo, tanto que a pilotagem nelas, com garupa, se altera substancialmente. O banco do garupa está lá apenas para constar, para poder dar uma carona 'rápida' de vez em quando.

    Para passeios ou transporte com conforto, existem outros tipos de moto, como o Luiz AG ressaltou.

    ResponderExcluir
  7. Ronaldo Nazário31/07/12 13:31

    Nesse desenho do cavalinho, eu estou de rosa. O Arnaldo de azul.

    Ronaldo

    ResponderExcluir
  8. Ernesto Jr31/07/12 13:35

    O texto pareceu ter tom romântico no final com a figura do cavalo ..

    ResponderExcluir
  9. O problema não é a moto... é só escolher a mais adequada ao seu uso. Mas isso vale para outros veículos também, não? É como as cabines duplas da S10 e Ranger antigas, que muitos amigos e conhecidos compraram para uso familiar: mas coitado de quem vai sentado atrás! Comprar uma CBR 1000 pra viajar com a companheira não é muito diferente disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é só experimentar o carro antes de comprar.

      Excluir
  10. Romario Faria - Dep. Federal31/07/12 13:37

    Fala Peixe!

    O maneiro nessas motos é a garota na garupa mostrando o resultado da depilação para a galera que vem atrás quando sai da praia.

    Romário

    ResponderExcluir
  11. No caso da Honda, quem quiser levar garupa com conforto esqueça das CBRs. Melhor ficar com uma CB, CBX ou CBF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FVG, há também da linha Honda Civic, Fit e City.

      Excluir
  12. O que eu gosto nesse lance de garupa são as minas com a rabeta arrebitada.

    ResponderExcluir
  13. As fábricas deveriam assumir que suas esportivas são para o piloto apenas, e retirar o arremedo de almofada sobre a rabeta, simple assim..mas creio que o temor de perder clientes (pilotos que levam suas namoradas passear volta e meia)os façam ser mais conservadores; apesar de produtos cujo o trinômio - motor quatro cilindros ardido,semi carenagem e assento para dois - estarem em suas vitrines e catálogos.

    Vai entender; existe produto para todos os públicos, mas as esportivas réplica ainda sofrem em relação aos humores do mercado e do perfil do motociclista, quem em sua maioria, não sabe escolher uma moto para suas necessidades (estou falando dos motociclistas que usam motos como hobby, que não admitem andar em uma ligeira e leve 600cm3, por ser "menos moto" que uma irancuda 1000!!);

    Ah o McLaren, ele coloca em primeríssimo plano o motorsita/piloto....meio que sublinhando a imensa responsabilidade do mesmo em lidar com uma máquina tão poderosa (meu carro de 7 min. em Nurbur; virtual, sure!);

    Ela nada mais faz pelo motorista, do que um Rolls faz pelos seus passageiros, ou seja..eleger o elemento "mais importante" que utilizará o veículo; em castas de carros tão caros e especializados em suas funções, é perfeitamente compreensível essas peculariedades; ao menos assim entendo!

    MFF

    ResponderExcluir
  14. Off topic

    Por onde anda o Bitu? Faz tempo ele não aparece por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E O PLUTÔNIO?

      Excluir
    2. É verdade...onde andam FB, AG e AC?

      Excluir
    3. Bosley de La Noy31/07/12 19:55

      O Bitu deve estar atrás de algum Dodge 1800 ou Polara. O Plutônio, depois de tanto pau, morreu. AG e AC foram assistir um show do AC / DC e voltam já, já...

      Excluir
    4. Quem ta atras de um Dodge Polara é o Mr.Car
      Mas ele cisca, cisca e nao acha nada!

      Excluir
    5. Nas últimas duas QR ele escreveu na seção "Grandes Brasileiros" sobre o Saab 900 Turbo e sobre a Belina.

      Excluir
    6. Vou arranjar uma carroça pro Miss Mobilete puxar, já que burro não dirige.
      E já peço pro Ronaldo dar umas chicotadas no lombo dele, pra ver se deixa de ser trouxa.

      Excluir
  15. This is Sparta...

    Naturalmente a esmagadora maioria dos usuários desse tipo de moto as compra mais por ostentação e as utiliza em viagens... mas é fato que essas moto servem para ser brinquedos de "track day" ou servem para o rolês desacompanhados. Garupa, bem como falaram ai em cima, é só para "tiros curtos" e literalmente rápidos.

    A verdade verdadeira é que as superesportivas de hoje são tão fortes, estupidas e compactas que são as piores motos que um motociclista comum pode ter: Sem conforto, exigentes quanto a pilotagem, nada versáteis, com manutenção caríssima... Pensando racionalmente essas motos não servem pra nada, de tão especifico que é o seu proposito: Baixar tempo em pista, e a contrário dos carros sports atuais, onde qualquer um com um pouco de prática e treino consegue andar rápido, numa moto dessas é precisa técnica apurada e preparo físico para domar monstros que empurram 1kg/cv...

    Sobre as CB 500 e RD 350 que vc teve Bob, penso que faltam opções como elas, nessa faixa de cilindrada: Desde a morte da CB 500 e GS 500, não fizeram mais nada que tivesse boa performance mas que ao mesmo tempo fosse acessível em termos de preço... pois hoje, ou se anda numa anêmica 250/300 mono ou numa 250 sport, que tem boa performance até, mas que é "mirrada" e sem imponência, ou se anda de moto 600 cilindradas, que custam mais que um carro popular... A não ser que o motociclista tenha uma alta renda, essas motos acima de 600 cc não são viáveis para o uso diário devido aos custos altíssimos de manutenção e consumo.

    Motos entre 400 e 500 centímetros cúbicos andam escassas no nosso mercado, e ali que reside uma ótima opção para quem quer uma moto com boa performance que dê para usar no dia a dia ou então para encarar viagens com conforto e segurança.

    Sobre a CBR 600 F, eu a considero até bem confortável para o piloto e para o garupa, e com performance muito maior do que a suficiente. E se quiser mais conforto e versatilidade, existem opções mais "racionais" e nem por isso ruins. Porém não considero um veículo utilizável no dia a dia, como foi explicado ai em cima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Douglas (exceto no que toca ao consumo das 600, pois até que não são tão beberronas no uso comportado), as pode ver que a maioria dos compradores das "racing replica" não são "Valentino Rossi replica"....Isso é um perigo!

      Excluir
    2. Douglas,

      tive uma 600 naked e quanto ao consumo, tudo tranquilo: fazia 20 km/l na cidade, no mesmo uso em que uma tornado fazia 25. Quanto a manutenção, com certeza é mais cara, mas tendo em vista a diversão, dá pra tolerar...

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    3. Os amigos que tenho que possuem Hornet, andavam fazendo 16 km/l. Mas creio que deva ser a mão pesada.

      Excluir
    4. Douglas, ando em Brasília, cujo trânsito ainda é bom. Coloquei a tornado como referencia. Ou seja, uma Hornet faz aproximadamente 80% do que uma Tornado faz por litro.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  16. é Bob.
    oportunidades de aprender o que realmente design é não faltam...
    algumas paredes existem apenas em nossas cabeças.

    ResponderExcluir
  17. O mais trágico sobre isso é que além dos garupas serem "personas non gratas" em cimas dessas superesportivas, ainda por cima os condutores esquecem dela na hora da adrenalina. Meu tio me levou para dar uma volta de Hayabusa na imigrantes e pelo jeito esqueceu do sobrinho (eu estava segurando nas alças), pois chegou nos 270 km/h. Achei que a força dos meus braços não suportariam e eu voaria para trás como uma pipa. Aos 17 anos foi onde a morte quase pegou minha mão. Depois disso, motos potentes: claro, mas sem veleidades de "racing replica".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas aí também é culpa do sem noção que tá guiando.

      Excluir
    2. Ah vá !
      Nao exagera.

      Excluir
  18. Luiz Dranger31/07/12 17:36

    Bob,
    Você está certo. Essas esportivas tem um assento para garupa para não ser usado (olha só a altura dos suportes para apoiar os pés)é só um quebra-galho. Eu também tive uma RD350 que era um canhão (mas desagradável para o dia a dia)com faixa de potência/torque em regimes altos. Também tive duas CB550F uma laranja (japonesa) e outra preta (versão norte-americana)que eram motos relativamente leves e agradáveis no dia a dia. Hoje isso não existe mais. Para usar uma trail dessas atuais minha altura 1,72m não é suficiente para ser confortável pois são altas. Meu filho tem uma Motard 200cc e sinto-me mal nela. Saudades das Honda 400F leves, rápidas e com 4 cilindros.
    Abração
    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz, experimente uma dessas naked 600 atuais. Pequenas, ágeis, agradabilíssimas e encaram o dia-a-dia sem o menor problema. Pessoalmente, não vejo porque ter saudades da mítica 400 four. A atual Hornet também é pequena, leve e muito, mas muito mais rápida. Ah, e facílima de tocar. Experimente. Eu achei apaixonante.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    2. Existem algumas boas opções nas 600, como XJ6, Bandit 650 (um pouco pesada), ER-6N, e claro, a Hornet.

      Mas o buraco é grande ainda. Uma moto que podia preencher essa lacuna e a Comet 650, que tem um preço bacana e performance suficiente, mas a qualidade e inferior e o pós-venda é péssimo...

      Excluir
  19. cara, eu acho que cada motociclista sabe o que é bom, eu geralmente gosto de dirigir sozinho e tem outros que gostam de ir em 2... vai de cada 1.

    ResponderExcluir
  20. esse banco aí das ss só serve pra arrastar as maria gasolina pra motel em encontro de motos...

    plausível estarem ali!

    ResponderExcluir
  21. Motos esportivas e garupa nao combinam.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Sobre esse assunto, é interessante a solução usada pela Suzuki na Hayabusa, onde o banco do garupa é um pouco mais baixo do que em outras super esportivas, mas com aquele cocuruto plástico para cobrir o banco caso o piloto esta sozinho...

    ResponderExcluir
  24. Na minha opinião existem motocicletas para se passear e outras para correr, sendo que as ultimas deveriam ser obrigadas a andar só em pistas fechadas...É um absurdo o que vejo a turma das "racing" nos finais de semana subindo e descendo as serras daqui do sul. Quando acompanhados então, os "pilotos" de final de semana levam para expor ao perigo de suas leviandades normalmente belos "derriéres" encontrados altas horas da noite anterior em casas noturnas de nossa cidade, porque,é claro! Suas patroas ou "fixas" jamais se exporiam a ísto...é como se fosse o troféu! Para quem é ultrapassado por um doido destes, é o único consolo...Embora seja eu do tempo em que nem a "china" de diversão eu gostaria de expor aos outros, parece ser esta a grande diversão dos "guris", alguns já bem passados até...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sociedade é conivente com este tipo de atitude. O Estado também. Grande parte da polícia tem medo de ir para cima destes vagabundos, por serem pessoas da classe média alta. Parcela grande da imprensa também se faz de morta nesta hora em que deveria criticar.

      Excluir
    2. Eu não acho que a polícia tenha medo, não. Creio que é preguiça mesmo, além do fato de que nem adianta fazer perseguição à esse tipo de veículo. A única coisa que resta é esperar pelo quase inevitável: um acidente fatal, porém, desde que não tenha inocentes envolvidos. Não dá pra ter dó de gente que se expõe á um risco conscientemente.

      Excluir
    3. Hüttner, concordo com você. Estive mes passado na região das serras e num domingo pela manhã pude presenciar vários "pilotos" em super bikes na Rota Romântica, a maioria Hayabusa, dando um show de pilotagem perigosa.
      É um espetáculo bonito de se ver em um asfalto perfeito e ao mesmo tempo arrepiante. Perguntei sobre radares e me disseram que quando instalados não duram um dia, a turma arrebenta tudo.

      Excluir
  25. Dr. Procto01/08/12 10:50

    As mulheres quando andam empinadas na garupa olham pra todo mundo com outros olhos!

    Procto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com os zóio de porco!

      Excluir
  26. Sensor de Estacionamento01/08/12 10:54

    Beep.

    Beep.

    Beep.

    Beeeeep Beeeeep Beeeeep Beeeeep

    Pow! Crash! Cábléim!

    ResponderExcluir
  27. Bob, comecei a ler o post falando sobre a posição do carona nas esportivas e lembrei da primeira esportiva que andei na carona, foi a Suzuki GSX-R 1100 92. lembro que ela era relativamente confortável e a posição não era muito alta. pra minha surpresa, ao final do post tem uma foto justamente desse modelo mencionando como deve ser a posição! bom relembrar.
    lembro que ela era toda ajeitada pra levar uma pessoa, tinha a alça de segurança, como dá pra ver na foto. e era bem firme no quadro, muito bom mesmo. acho que foi lá por 98 que lançaram um modelo da 750 que nem mesmo tinha alça. eu ficava olhando e achava absurdo, ter banco de carona e não ter onde se segurar.

    ResponderExcluir
  28. Bob,

    Até concordaria contigo se apenas houvesse a opção de motos super esportivas no nosso mercado.
    Mas hoje temos opções para todos gostos. SS, sport touring (com banco grande e mais confortável para o carona), custom, etc.
    Cada um escolhe o que a que mais lhe atende.

    ResponderExcluir
  29. Bob, as Superbikes (1000cm3) e as Supersport (600) tem o seu projeto definido pra competicao onde o regulamento define que a moto deve ter o desenho original nas pistas ao ponto de a Yamaha ter de manter as duas saidas de escape na R1 quando so uma é funcional.
    Para o turismo existe outras opcoes dentro da propria linha.

    ResponderExcluir
  30. Tem um monte de gente aqui que gostaria de ter a habilidade e a coragem de andar de esportiva.
    Deu para "ver" isto em alguns comentários.
    Minha GSXR vai hoje para Penedo RJ e carregando a patroa (não sou nenhuma criança, mas ainda posso e espero poder por muitos anos ainda).

    Acosta

    ResponderExcluir
  31. Bob, me desculpe a discordância, mas no caso da McLaren F1, o fato de se ter espaço para 2 passageiros quando normalmente apenas 1 banco adicional existe é, no mínimo, louvável.

    O fato de os passageiros ficarem recuados pode ser facilmente explicado pelo espaço que a caixa de roda ocupa à frente do lugar onde os pés do passageiro se apoiam e pela distância que o piloto tem que ficar do pára-brisas e painel para ter o máximo de visibilidade, já que em supercarros a posição de dirigir é bem baixa, com a linha de cintura ficando no limiar da visão muitas vezes.

    No caso do F1, imagine o banco do piloto recuado e alinhado com o dos passageiros. Seria como se você estivesse dirigindo um "carro de mano", com o banco totalmente recuado, as pontas dos pés nos pedais e alguma visibilidade apenas quando se ergue a cabeça, dando pescoçada. Para melhorar a visibilidade a altura do banco do piloto em relação ao assoalho teria de ser aumentada, prejudicando o centro de gravidade, a posição de dirigir, entre outros...

    Acredito que monopostos devem ser apenas e ESTRITAMENTE para competição pois, se uma marca precisa vender seus supercarros, estes devem pelo menos ter espaço para levar o dono/piloto e a patroa/prima.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  32. Aurélio,
    É óbvio que o Gordon Murray desenhou o carro para ser exatamente assim, daí a invasão das caixas de roda e, claro, ser possível levar dois passegeiros, conforme ele planejou. O Gordon tem o mérito de ter conseguido produzir o que idealizou, o carro é um espetáculo de dirigir, uma opinião unânime, mas eu jamais teria um carro em que os passageiros ficassem tão recuados, numa espécie de segunda classe.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.