RITMO CERTO


"Rápido sem ser imprudente, cuidadoso sem ser covarde". Escutei isso de um mecânico amigo, o Murilo, que executou diversas maluquices nossas em uma oficina que nasceu no bairro de Brás de Pina e terminou no Recreio dos Bandeirantes, aqui no Rio nos anos 90, assunto para outro post.


Infelizmente, hoje em dia o que acontece é o oposto dessa frase. Muita gente andando bem acima da velocidade compatível com a via, em demonstrações assombrosas de imprudência. Final de semana passado abastecia o carro e de repente um sujeito passou por dentro do posto a uma velocidade insana. Se ao mesmo tempo cruzasse uma pessoa distraída na frente dele (ninguém espera carros àquela velocidade dentro de um posto de abastecimento), o acidente seria inevitável.

Na outra ponta temos exemplos de condutores que não deveriam ter sido habilitados, verdadeiros medrosos que fariam melhor se usassem o transporte público. Quem aqui já não se deparou com um carro à frente, na faixa da esquerda, que não dá passagem mas também não inicia a ultrapassagem de um caminhão ou ônibus? Ou em pista de mão-dupla, iniciar a ultrapassagem entrando na pista de sentido contrário atrás do carro que vai à sua frente e o mesmo abortar a ultrapassagem quando você menos espera, apenas porque viu aparecer um veículo em sentido contrário sem que o mesmo oferecesse algum risco à conclusão da manobra?

E o que dizer das retenções inexplicáveis? Várias vezes encontrei o trânsito à frente lento e com retenções, e estando de moto e ultrapassando os carros, alcanço um carro "puxando fila" a 60 km/h numa via onde a velocidade permitida é 50% maior e a pista à frente totalmente vazia. Um desperdício de tempo e dinheiro, causado por uma pessoa despreparada ao volante. E o imprudente, pior, causando também desperdício de vidas.

38 comentários :

  1. Alexandre,
    É possível observar imprudencia e covardia na mesma situação. Tambem já estive em uma fila de carros, puxada por um carro a 60, numa via de 110. Numa atitude impaciente, um motorista saiu da fila e começou a ultrapassar todos os carro. "O fodão", piloto, não respeitou nem a aproximação de uma curva, onde vinha outra carro. No desespero literalmente jogou seu carro em cima do meu. Precisei de reflexo rápido pra evitar a colisão lateral. Usei todo o acostamento, quase saindo da pista pra manter a trajetoria do carro.
    Fico pensando como as pessoas são capazes de ações infelizes como essa. É querer morrer de graça, e levar alguem junto. Me irrito só de lembrar dessas pessoas.

    abs,

    ResponderExcluir
  2. Bem observado, Guilherme. Isso é até bem comum em estradas de mão dupla. Em trechos de ultrapassagem difícil e ainda tendo que ultrapassar um caminhão longo que anda a 80 km/h, vão estar o sujeito que não vai ultrapassar nem numa boa reta e o que não suporta ficar 5 minutos andando a 80 km/h e ultrapassa de qualquer jeito, arriscando tudo. E a gente que se proteja.

    ResponderExcluir
  3. Realmente esses comportamentos extremos são tão perigosos quanto irritantes. Agora, fazer ultrapassagem "na aba" do veículo da frente é temerário, principalmente quando o outro veículo é grande e não nos permite ver o que ocorre à frente.
    Lucas.

    ResponderExcluir
  4. Lucas,

    concordo que 'na aba' é perigoso. Mas atrás de outro carro de mesmo porte, com boa visibilidade (olha o filme escuro atrapalhando), é perfeitamente possível.

    ResponderExcluir
  5. É exatamente o que eu sempre digo, e sinceramente isso é o que mais me estressa no trânsito, uns querendo correr demais e outros de menos...

    Querem ver outra é pessoas despreparadas que mesmo estando bem distante ou sem nenhum carro a frente, ficam pisando no pedal do freio sem motivo algum, que coisa irritante.

    ResponderExcluir
  6. Alexandre,

    Acho que tudo se resume em despreparo. Desde aprender a operação da máquina até a questão social que o tráfego envolve.

    Os radares mal aplicados, lombadas e obstáculos acabam polarizando ainda mais os motoristas entre os abusados e os amedrontados. Ainda criam a dependência da lei e não a formação da consciência.

    Se tem radar, passa na metade da velocidade, se não tem é hora de pisar fundo e dane-se qual o tipo de via, se há pedestres, qual o ritmo geral, clima, o tipo veículo que se dirige, etc.

    Lembro que quando estava na auto-escola meu pai dizia pra nem dirigir muito confiante nem dirigir com muito cuidado, mas sim com responsabilidade: responsável pela segurança sua e dos demais, e responsável pela eficiência do tráfego.

    Quando me mudei pra Alemanha, duas coisas logo me chamaram a atenção como carona: o respeito ao pedestre, e como os alemães reclamam quando alguém atrapalha a fluidez, desde velocidade lenta até fila dupla.

    Rapidez é diferente de "correr". Vagarosidade é diferente de dirigir com segurança.

    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  7. O pior é que as vezes um arrombado destes pode induzir outros motoristas ao erro e ainda provocar um acidente, haja paciencia...

    ResponderExcluir
  8. Obrigado Rodrigo. E percebi muito claramente a questão dos radares que você cita andando na Av. das Américas, aqui no RJ. Pardal no sinal e pardal logo após, se fica amarelo num momento crítico, capaz de acelerarmos com medo da multa. Logo na frente o outro te pega por excesso de velocidade.

    Imagina o sujeito que não tem tanta intimidade com o automóvel, vai andar se arrastando e metendo o pé no freio a qualquer ameaça de sinal amarelo ou pardal.

    ResponderExcluir
  9. Dirigir virou um inferno. Antigamente, com espaço de sobra nas vias, dava para escapar dos maus motoristas.

    ResponderExcluir
  10. "o acidente seria inevitável".. Acidente é caso fortuito.. isso seria assassinato e deveria ser tratado como tal. Se as pessoas fossem responsabilizadas pelos seus atos, sem "jeitinhos" à moda brasileira, as coisas não seriam como são.

    ResponderExcluir
  11. Belíssimo post, Cruvinel.

    Nem 8, nem 80. Extremismos nunca foram bons, principalmente no trânsito.

    Tenho uma visinha, que hoje já não possui carro, mas que, quando possuía, era a verdadeira "pata choca" no volante. Onde passava-se com uma D20, ela não passava com seu Corsa Wind. Estacionamento? Só os à 45º. Marginais dos rios de SP? Jamais! Ela ia pelas pistas locais pois tinha medo de engatar 5ª...

    Entre outros aspectos (bizarros, diga-se de passagem) dela ao voltante.

    E se dizia boa motorista...

    Agora quanto aos "ispértus" ao volante, não precisamos nem enumenrar... São a maioria absoluta.

    Tudo bem que a vida atual exige um certo compromisso com horários e tudo mais.

    Mas quando que estas pessoas entenderão isso e comprarão seus próprios jatinhos/helicópteros, já que a pressa é tão avassaladora assim, a ponto de colocar sua própria vida em risco e as de outros, igualmente???

    Complicado...

    ResponderExcluir
  12. "Esperto ao volante"? Seria aquele indivíduo que se baseia em seu próprio juízo do que é certo e errado fazer em qualquer situação para determinar a que velocidade deve trafegar em uma via pública, no lugar de respeitar o limite de velocidade determinado pela autoridade de trânsito? É o "autoentusiasta" por excelência. Mais engraçado é que a definição se aplica direitinho tanto ao "piloto" quanto ao "medroso". A única diferença é que os pilotos gelam quando se deparam com a polícia rodoviária.

    ResponderExcluir
  13. Luiz Dranger02/10/10 00:00

    Caro Alexandre,
    Me parece que o problema todo é cultural. A indústria automobilística a toda com incentivos governamentais, e investimentos em transportes alternativos são zero !!!! As grandes cidades vão piorando em tudo. Hoje, em trechos de 10km desafio um automóvel a chegar antes que eu de bike, pedalando !!!!!
    Abr

    ResponderExcluir
  14. AC,
    pratico exatamente o que seu mecânico e amigo dizia, baseado na frase que meu pai sempre me disse:
    " Vai devagar mas corre ".
    Realmente explica tudo, não ser covarde nem imprudente.
    Gosto muito desse assunto, escreva mais sobre isso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Alexandre,
    Há anos escrevi uma coluna no Best Cars na qual contei que meu avô materno, que nunca dirigiu, sempre dizia que o que atrapalhava o trânsito era a morosidade. Isso nos anos 40/50. Certo o velhinho!

    ResponderExcluir
  16. Concordo com o post. O transito Brasileiro está carregado de "profissionais" no volante, afinal temos "ótimas estradas" e isso acaba virando em uma "segunda auto escola" para motoristas, mas isso na mente dos profissionais que gostam de ficar fazendo fila em pista de mão dupla sem haver necissidade ou o cara que se sente o bom e te da um baita susto comendo faixa do seu lado para efetuar uma ultrapassagem em pistas como na ponte Rio-Niteroi aqui no Rio de Janeiro, pista essa com 4 faixas.

    Hoje em dia ta virando moda o cara quando freia, ligar o pisca alerta. Acho totalmente errado, poxa, já basta o transito lento, a gente ainda tem que se deparar com essas coisas.

    Penso que essa atitude não ajuda em nada, pois em uma freada forte (vejo mais isso ocorrer quando há freiadas fortes), o motorista precisa usar toda a sua capacidade de reflexo. Fazer algo que não é rotineiro no momento de uma freada forte como ligar o pisca alerta pode atrapalhar e não ajudar.

    Essa atitude é tipica de motoristas lentos que a gente depara no transito.

    Se alguem comentar sobre isso ficaria satisfeito...

    ResponderExcluir
  17. Bruno,
    Uma vez li que é recomendável usar os piscas quando se está em uma rodovia e o motorista se depara com uma massa de trânsito parada logo à frente a fim de informar outros motoristas que vêm atrás já se precaverem e reduzir velocidade.

    Sei também que a Peugeot na Europa alguns anos atrás aplicou o acionamento dos piscas quando há freadas bruscas.

    Sobre sua eficácia nunca li nada que comprove.

    ResponderExcluir
  18. Bruno e Rodrigo
    Vários carros europeus já têm acionamento automático do pisca-alerta quando numa freada de determinada intensidade. Serve para chamar a atenção do tráfego à retaguarda de que há problemas na frente. Além de aplicar o freio repetidas vezes para esse alerta, ligo o pisca-alerta e deixo-o assim até notar que o carro de trás já está ciente da situação. E quando paro nessas condições deixo um bom espaço entre o meu carro e o da frente para ter margem de manobra e/ou escape se pressinto que quem vem atrás não vai parar, especialmente caminhão.

    ResponderExcluir
  19. Perfeito Bob. É exatamente minha conduta. Há um grande número de motoristas que dirige orientando-se pelo carro da frente, sem considerar o que está acontecendo mais adiante. Na cidade não é tão perigoso mas em rodovia pode ser fatal. AGB

    ResponderExcluir
  20. 'ABA" é uma boa , eu conhencia como "SOMBRA"
    Mas depende da "sombra" de quem você vai.
    Eu quando ultrapasso e continuo na esquerda é porque o caminho esta livre e se volto imediatamente para a direira é sinal para meu seguidor abortar
    to certo ou to errado?

    ResponderExcluir
  21. Anônimo das 12:11
    Depende. Voltar imediatamente para a direita é o que se deve fazer independente da haver ou não seguidor na manobra. É uma questão de princípio. Entretanto, quando tenho seguidor procuro ficar na esquerda para que ele tenha certeza de que pode continuar a ultrapassar. Isso é perticularmente importante quando vem uma curva em que podemos olhar fundo nela para continuarmos na esquerda e dar condição ao seguidor de concluir a ultrapassagem com toda segurança.

    ResponderExcluir
  22. Bob,

    meu Peugeot 307 tem essa função de acionamento automático do pisca-alerta em caso de freadas bruscas. aqui em Brasília, com o respeito à faixa de pedestres, é uma situação que acontece até com certa frequência, mas felizmente não presenciei nenhuma colisão nessas circunstâncias.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo das 01/10/10 23:25,

    Quando um autoentusiasta resolve andar acima do limite de velocidade, é porque o limite está ridiculamente baixo para a via, situação muito frequente no Brasil. Por isso você vê tantas reclamações neste blog.

    Eu acho que autoentusiasmo combina com responsabilidade, e não acho falta dela você andar a mais de 80 quando dá pra ver que foi algum babaca que decidiu que aquele deveria ser o limite, quando qualquer um percebe que dá pra andar mais com segurança.

    Embora tenha muitos espertos por aí mesmo, eu acho que as pessoas não são tão burras a ponto de não saber quando o limite está baixo demais.

    Este post fala de imprudência, o que não é o caso de um autoentusiasta que resolveu andar um pouco mais rápido do que a velocidade que alguma placa idiota indica.

    Eu já vi estradas nas quais as placas indicavam velocidade máxima de 120 Km/h no seco e ninguém desrespeitava, simplesmente porque era uma velocidade adequada. Infelizmente no Brasil isso é uma coisa rara.

    Se você prestar atenção nos posts desse blog, irá ver que nenhum autor se acha acima da lei, apenas gostaria que esse país não fosse tão mal gerenciado e parasse de maltratar os pagadores de impostos honestos que somos.

    ResponderExcluir
  24. Eu não gosto deste negócio de ir na "aba". Não são todos (aliás, devem ser uma minoria) os motoristas que vão ter a preocupação de se importar com o veículo que vem atrás. E logo no início de minha "carreira" de motorista, da primeira vez que meu pai liberou o carro para mim na estrada, fui ultrapassar um caminhão que levava uns passageiros na carreta, e que tinham uma visão privilegiada do que vinha em sentido contrário, coisa que eu não tinha. Confiei na indicação de que poderia ultrapassar, e tomei um esporro federal do meu velho: apesar do caminho realmente estar livre, meu pai que alegou que os caras poderiam estar querendo me sacanear, ou poderiam, embora sem intenção de nos prejudicar, ter feito uma avaliação errada do tempo necessário para a ultrapassagem, caso viesse um veículo em sentido contrário. Foi a primeira lição que aprendi na estrada: nunca confiar cegamente na indicação de terceiros.

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  25. Bem, depois de centenas de milhares de quilometros em estrada, me acostumei a utilizar o sistema de sinalização que os caminhoneiros - de verdade - utilizam. Até eles percebem e sempre dão uma buzinadinha cumprimentando.
    É fácil, simpático e ajuda muito na segurança de todos.
    Em contrapartida tem uma turma de pit bulls na estrada, dos quais quero mesmo é distancia.
    Mas que é irritante os que amarram o transito, isso é desanimador.

    ResponderExcluir
  26. Pagar imposto e ser honesto é obrigação. Só autoentusiasta acha que merece ser premiado por isso. E nós, que respeitamos Leis e limites de velocidade, torcemos para que toda vez que um autoentusiasta resolver andar mais rápido do que uma placa idiota ele acabe sendo devidamente autuado e punido por seu excesso. Lei e limite de velocidade é pra todo mundo. Até pra Che Guevara de internet.

    ResponderExcluir
  27. Regi nat rock
    Fique atento à sinalização de pisca para ultrapassar, pois há duas interpretações aqui e no mundo todo. Pode ser tanto seta esquerda para não ultrapassar (maioria) quanto a direira para essa finalidade. Esta semana estive no interior de São Paulo e vi a segunda hipótese. Saiba que fornecer esse tipo de informação para o motorista de trás passou ser proibido nos EUA há poucos anos, em vista de dupla interpretação e o risco associado.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo de 23:50
    Toda lei, sem exceção, deve ter razoabilidade e aqui há o péssimo hábito das autoridades de trânsito em estabelecer velocidades máximas irreais com a finalidade exclusiva de arrecadar multas. Portanto, falta razoabilidade nesse caso. Hoje com os recursos tecnológicos à disposíção consegue-se andar em velocidades adequadas sem o risco de ser autuado. Sua torcida e de seus pares agora é em vão.

    ResponderExcluir
  29. O anônimo de 23.50 deve ser daqueles que ao fazerem uma ultrapassagem ficam atentos para não ultrapassar o limite de velocidade da via devidamente sinalizada e ficam emparelhados e ficam emparelhados e ficam emparelhados e ficam emparelhados e depois abortam a ultrapassagem

    ResponderExcluir
  30. Há uns quinze anos, quando eu ainda nem tinha habilitação, meu pai me disse para tomar cuidado com os sinais de pisca dados pelos caminhões de placas argentinas, porque no país vizinho o convencionado é o oposto daqui. Achei o conselho meio inútil porque morávamos em Minas Gerais e eu nunca tinha visto um veículo da Argentina por aqueles lados. Uns meses atrás estava eu no Paraná, na BR-277, quando me deparei com uma carreta argentina à minha frente, e imediatamente me lembrei das palavras do meu pai ditas há tanto tempo. Acabei ultrapassando sem precisar da ajuda do outro motorista, mas se ele acionasse a seta, eu estaria atento.
    Lucas.

    ResponderExcluir
  31. Quem falou em receber prêmios por pagar impostos? O meu prêmio seria não encontrar tal cidadão numa estrada puxando fila. Que, aliás, provavelmente vai estar esburacada, porque os impostos não voltam, enquanto as multas correm soltas.

    Você fala, fala, fala em respeitar limites mas não adianta, todo mundo sabe que pode ir mais rápido e vai mesmo.

    Não sei o porquê dessa sina com autoentusiastas. Começou com a reclamação do Juvenal Jorge com a multa ridícula que ele tomou? Abra os olhos cara, você mora no Brasil. Eu até entendo a sua opinião, pois só respeitando tudo paranoicamente o cara consegue fazer uma viagem sem tomar multa. Sei por experiência própria. Ou você acha que eu sou contra respeitar a lei?

    ResponderExcluir
  32. É ruim encontrar um guampa trancando a pista, aqui em Passo Fundo, tem dois tipos principais os pia de boné nos carros fechado com filme e mola picada, e os granjero de chapéu, com f250, silverado ou outra caminhonete. Nas perimetrais, andar na velocidade indicada vai ser "elogiado" por "pilotos". Quando fiz a disciplina de construção de estradas, para calcular o raio das curvas era utilizada a velocidade diretriz, escolida de acordo com o relevo, largura da pista e outros fatores principalmente o financeiro.
    A principal evolução que causou algum debate foi a evolução dos automovéis, pneus, materiais, suspenções, itens de segurança, em estradas projetadas para 60km/h a 40 anos, é possivel trafegar a 80km/h hoje com segurança, e o veiculo abaixo dos seu limites.

    ResponderExcluir
  33. É ruim encontrar um guampa trancando a pista, aqui em Passo Fundo, tem dois tipos principais os pia de boné nos carros fechado com filme e mola picada, e os granjero de chapéu, com f250, silverado ou outra caminhonete. Nas perimetrais, andar na velocidade indicada vai ser "elogiado" por "pilotos". Quando fiz a disciplina de construção de estradas, para calcular o raio das curvas era utilizada a velocidade diretriz, escolida de acordo com o relevo, largura da pista e outros fatores principalmente o financeiro.
    A principal evolução que causou algum debate foi a evolução dos automovéis, pneus, materiais, suspenções, itens de segurança, em estradas projetadas para 60km/h a 40 anos, é possivel trafegar a 80km/h hoje com segurança, e o veiculo abaixo dos seu limites.

    ResponderExcluir
  34. Não é não, autoentusiasta. Existem agentes do Estado prontos para darem uma bela prensa em quem se acha acima da Lei. Aliás, geralmente o autoentusiasta gela de medo quando avista a autoridade de trânsito. Sabe como é. É a consciência. O autoentusiasta sabe quando está fazendo merda.

    ResponderExcluir
  35. Nessas horas agradeço a Deus por estar dirigindo um Fusca e não uma Veraneio ou um Galaxie, pois certamente daria uma bela porrada na trasiera do infeliz escargot e iria embora deixando-o no prejuízo e com sua burrice.

    ResponderExcluir
  36. Leandro Silveira04/10/10 09:45

    Dia desses tava vindo pro trabalho (moro numa cidade distante uns 12 sinuosos km da cidade em q trabalho) e tinha uma tiazona com uma palio weekend na minha frente.
    ela percorreu pelo menos metade do tempo com o pé no freio, andando entre 60 e 70km/h, inacreditável!!!
    eu ando sossegadamente a 90/100, sem me arriscar, sem compormeter a vida d ng, enquanto a bunda mole lá andando com o pé no freio o tempo td, imagina qdo ela REALMENTE precisar do freio!!!! imagina o estado do conjunto sendo usado d maneira indiscriminada, excessiva e desnecessária!!!! tenso

    ResponderExcluir
  37. Anônimo das 23:50 = anônimo das 17:19 = Roberto Dallossi. Conta dele no YouTube:

    http://www.youtube.com/user/RobertoDallossi

    ResponderExcluir
  38. PQP... Que ofensa essa do panaca vidente anônimo.
    Preferia quando o Che simplesmente me excluía...

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.