ECO EDUCAÇÃO

Ontem, na minha surfada diária pelos meus sites preferidos, me deparei com duas iniciativas que me intrigaram. As duas estão relacionadas à educação para redução de consumo de combustível e emissões de CO2 através da "direção ecológica". Já falei um pouco sobre direção ecológica em outro post, antigo: Eco-autoentusiasta? É algo um tanto chato de se fazer e exige muito treino para pessoas como eu. Talvez eu consiga depois de alguns meses praticando ioga. Ou seja, não vai acontecer tão fácil assim.

Para me ajudar nessa prática a tecnologia pode ser uma solução. A primeira iniciativa é o "pedal de acelerador ecológico" que a Nissan, através da sua marca de luxo Infiniti, lançou no seu modelo topo de linha, o sedã sexy M.


Com a troca do cabo de aço do acelerador por um fio de cobre que leva os sinais do pedal do acelerador para o módulo de controle do motor e deste para a borboleta, o que os motoristas fazem com seu pé direito não tem mais relação direta com o movimento da borboleta. Os engenheiros podem programar diferentes respostas para cada tipo de acionamento no pedal e assim deixar o carro mais esperto e esportivo, ou mais chocho e econômico. Ou ainda fazer um misto dos dois com a resposta na borboleta se adaptando instantaneamente ao tipo de condução a cada momento.

Isso é feito através de um sensor no pedal do acelerador que lê o movimento do pé do motorista considerando o curso e a velocidade do movimento. Pé em baixo numa pisada vigorosa denota uma condução mais esportiva, e assim o módulo de controle seleciona uma resposta mais vigorosa também na borboleta. Combinando isso com a calibração de uma caixa automática ou automatizada, pode-se ter comportamentos muito diferentes em um mesmo carro. Ou seja, não precisamos ter um carro nervosinho ou um completo tiozão o tempo todo.


No caso do Infiniti, os engenheiros deram um passo à frente. Há um botão no painel que seleciona uma calibração do pedal voltada para uma melhor eficiência no consumo de combustível. Mas o sistema vai um pouco além e visa educar os motoristas a usarem seus pés com mais delicadeza. Quando o modo ecológico está acionado, o pedal exerce uma contraforça toda vez em que o motorista o aciona de maneira mais abrupta. Se o motorista quiser ou precisar pisar fundo, seja para andar forte ou por segurança, é só ele não se intimidar com a reação do pedal e manter o pé pesado. Além de reduzir o consumo entre 5% e 10% - de acordo com a Infiniti - esse modo ecológico também ajuda a acalmar os ânimos dos motoristas mais apressados.

Conceitualmente, esse tipo de atuação no pedal do acelerador não é novidade. Me lembro de um Santana 1996 que meu pai teve em que a mola do pedal do acelerador tinha dois estágios. Para andar na maciota era só não avançar sobre o segundo estágio.

A segunda iniciativa é menos tecnológica e um pouco mais lúdica e criativa, mas visa o mesmo objetivo, nos educar a dirigir com mais eficiência. A Toyota da Suécia lançou um tipo de desafio, ou brincadeira, para nos motivar a gastar menos combustível.


A ideia é bem simples. Consiste em dirigir como se estivéssemos com um copo d'água cheio sobre o painel. E é claro que o objetivo é não derramar a água. A Toyota criou um site onde podemos nos cadastrar e monitorar nossa evolução na direção ecológica: "A Glass of Water" - só em inglês. O objetivo principal é reduzir em 10% o consumo de combustível. Feito o cadastro, os participantes inserem seus dados, o seu consumo atual e as atualizações de acordo com a evolução. E o copo d'água não precisa ser real. É óbvio que a Toyota não quer que ninguém se envolva em acidentes ao tentar equilibrar um copo d'água no painel. Para isso criou um aplicativo para iPhone que simula o copo d'água.

Eu baixei o aplicativo, mas preciso das aulas de ioga antes de usá-lo. Isso sem contar que na buraqueira de nossas ruas é praticamente impossível não derrubar a água.

Agora a onda é nos fazer ter mais um sentimento de culpa. Mais uma vez me pergunto se haverá espaço para autoentusiastas num futuro próximo. Que venha mais e mais versões do Gran Turismo, esse será o caminho para os que não optarem pelos track days.

PK

32 comentários :

  1. Olha a vida imitando a arte.

    Quem já assistiu o desenho animado (anime) Initial D sabe que o Takumi dirigia efetivamente com um copo d'água no painel e tinha que andar bem rápido com o Sprinter Trueno (AE 86) sem derramar a água pra não detonar os tofus.

    ResponderExcluir
  2. Copo de água dentro do carro ? sem derramar ? isso não é possível em países como o Brasil. Somos terceiro mundo, com asfalto de quinto mundo.
    Pelo que me lembro do que fui apurando de informações em 30 anos de curiosidade automotiva, asfalto pior que o nosso só existe na Tanzânia.
    Esqueça o papo ecológico. Por aqui, se não quebrar o carro já tá bom.

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo Laranjo04/10/10 16:49

    Que Santana que nada!!! As Variants e os TL's já tinham essa mola no acelerador, criando um segundo estágio para evitar os pés pesados!!!

    ResponderExcluir
  4. Me dêem uma Ferrari que antes de achar um poste com ela quero fazer o copo dar um duplo carpado...rs

    Aqui no Brasil isso não funcionaria de jeito nehum!

    ResponderExcluir
  5. me lembra a ceda de Curtindo a Vida a Doidado, onde a irmã do Ferris Bueller ia fazer teste de volante e o instrutor colocava um copo gigante e repleto de café no painel e nao podia cair uma gota.

    Mas aqui no BR isso não é possível. Aqui como disse o JJ, o copo vai é quebrar, de tanto buraco na rua.
    Mas analisando bem, o pior, ao menos em sp, não são os buracos, são os remendos que a prefeitura faz depois que a Sabesp e afins faz depois que essas concessionarías furam as ruas de lado a lado. Claro q buraco tem, mas remendo mal feito e costela de vaca tem muito mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcio, o filme em questão não seria "Sem Licença para Diriglr"?

      Excluir
  6. Me lembro de uma hgistória onde Sir Jackie Stewart e outros colocavam um copo de café no painel e disputavam o melhor tempo no circuito sem derramar café... isso pe finesse!


    Mark

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse04/10/10 18:02

    Não era café Mark, era uma bola sobre uma bacia colada no capô do carro.

    ResponderExcluir
  8. A direção "ecológica" é boa para todos, sempre que posso, oriento meus clientes a dirigirem de forma mais tranquila possível.

    Pessoal, sou dono de oficina mecânica, e se todos passassem a dirigir de forma mais tranquila, muita grana deixaria de sair da carteira.

    Eu gosto de pegar meu carro e curtir uma estradinha bem tranquilo. Minha velocidade de cruzeiro fica entre 90 e 110km por hora de máxima, o conta giros raramente belisca os 3500rpm. Não tenho pressa, vou para a direita e deixo todos os mais apressados passarem, com meu 2.4 20 válvulas eu consigo médias de 15km por litro! Isso mesmo! Um motor de quase 2,5 litros e 160cv consumindo combustível como muitos 1.6.

    Isso sem contar as outras peças do veículo que deixam de sofrer por esforço, essas como freios, suspensão e motor.

    ResponderExcluir
  9. Sobre pedais de acelerador duros como forma de economizar combustível, o mesmo ocorre no Civic de sétima geração, modelo no qual não é incomum obter-se consumos de 10 km/l na cidade e 15 km/l na estrada. Muito popular não chega perto de marcas como essas (e, claro, sem o mesmo conforto e espaço interno).

    ResponderExcluir
  10. Hehehe meu OLD Fit 1.5 faz 12km/l na cidade... e chegas perto dos 19km/l na estrada (média de 90km/h).... aaa se tivesse um cambio mais longo.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Essa solução já existiu com o fusca com acelerador duplo estágio. Como se fosse novidade. Hoje em dia estão complicando cada vez mais os sistemas e os carros. Espero que em breve tenhamos uma onda de simplificação. Sds, Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  13. Clésio Luiz04/10/10 22:52

    @Marcio Musciacchio

    Não é de "Curtindo a Vida Adoidado" a cena que você se refere e sim de "Sem Licença para Pirigir"(Licence to Drive). Eis a cena:
    http://www.youtube.com/watch?v=QtuVLGeFM90

    ResponderExcluir
  14. Hora Extra, teu Fit é manual ou CVT?

    ResponderExcluir
  15. Claro que sempre haverá espaço para os autoentusiastas. Afinal, antes de tudo, carro é uma máquina de bela complexidade criada para deslocar pessoas e que pode dar prazer ao dirigir. Isso não tem necessariamente nada a ver com ter que dirigir a ponto de derrubar a água do copo :)

    ResponderExcluir
  16. O que posso dizer a respeito do assunto é que muitos duvidam que consigo fazer 6 km/l com o Omega no trânsito de Belo Horizonte.

    De segunda a sexta, rodo em trecho urbano durante todo o período, e em finais de semana uso avenidas que dão acesso à casa da minha noiva, com trânsito menos intenso.

    Um tanque por semana.

    Meu carro é todo original, inclusive com os 3 abafadores do escape e incluindo também o catalisador.

    No clube do Omega aqui tem carro fazendo 4 km/l.

    ResponderExcluir
  17. sim, sim, marea fazendo 15km/l, chegando a 500 mil km sem retífica e pneus dianteiros com igual alcance. acho que foi nesse veículo que chegaram a conclusão que pneu novo é sempre atrás.

    ResponderExcluir
  18. como q passa em quebra molas sem derrubar a agua? hahahahaha

    chama o 007?

    abs!

    ResponderExcluir
  19. como q passa em quebra molas sem derrubar a agua? hahahahaha

    chama o 007?

    abs!

    ResponderExcluir
  20. Acredito que as atitudes mais eficientes, não só no sentido de enconomia de combustível mas num contexto geral para o bom uso e conservação de um carro, sejam as do entusiasta ADG HIGH TORQUE, tenho a mesma filosofia de uso do carro tanto no dia a dia como em viagens, claro que também tenho meus momentos de autoentusiasta pra explorar o que o carro tem pra me oferecer mas no geral penso que tranquilidade, atenção e cuidado só somam bons resultados.

    ResponderExcluir
  21. Caio Ferrari05/10/10 08:41

    Eu sei como o Paulo Keller deve equilibrar o copo com água no carro dele.

    Ele acelera e coloca o carro na horizontal, com o fundo virado para a traseira do carro. Sua direção econômica consiste em manter a aceleração alta o suficiente para que a água não caia do copo.

    ResponderExcluir
  22. Leandro Silveira05/10/10 09:18

    na china eles usam baciad'água, mas em ônibus http://noticias.r7.com/esquisitices/noticias/china-instala-bacias-d-agua-para-controlar-motoristas-20100528.html

    dirigir 'entusiasticamente' nem sempre significa dirigir como se estivesse fugindo da morte, ainda mais com a gasolina em preços estratosféricos...

    ResponderExcluir
  23. Espaço para os autoentusiastas? Tem os autódromos. :-)
    Dirijo de forma econômica para não pesar no bolso. Copo de água nesse "mar" de lombadas que de Brasília, impossível. Lombadas que são, a meu ver, o símbolo da nossa derrota como cidadãos.

    ResponderExcluir
  24. Raphael Hagi, primeiramente parabéns pelos 6 km/l com o Omega A 4.1. Você notou que o seis em linha tem torque suficiente em baixa para ser guiado com uma encostada bem leve no acelerador.
    Outra coisa que poucos se dão conta é do quão econômico para seu tamanho é um Omega 2.0 ou 2.2. Seu consumo é mais ou menos o mesmo de um Corsa B 1.6. Talvez a única desvantagem maior sobre o Corsa B, fora o tamanho maior que dificulta a busca de vagas para estacionar, seja mesmo um diâmetro de giro 0,6 m maior (convenhamos que 10,1 m para um carro grande é excelente). Tirando isso, dá para sorrir com a tração traseira com suspensão independente nas quatro rodas, distribuição de peso 52-48, ótimo espaço interno e um tamanho extremamente racional para um carro grand (ainda mais quando vemos que um Insignia, que é médio-grande, tem todas as dimensões externas maiores que as de um Omega A, sendo portanto considerado embanheirado).

    ResponderExcluir
  25. Não tenho histeria quanto a consumo dos carros justamente por representarem cerca de 16% de toda a fonte poluidora mundial. Claro que desperdiçar combustível é estupidez em todos os sentidos, mas não tenho neurose em dirigir o mais economicamente possível. De qualquer maneira, a forma como dirijo traz consumo comedido, sem que para isso me torne uma "rolha" nas ruas...

    Creio ser muito mais proveitoso não desperdiçar água e energia elétrica em casa e no trabalho do que andar pouca coisa a mais com o mesmo litro de combustível.

    ResponderExcluir
  26. Road Runner, penso o mesmo, sem neurose, pooow! Eu ando de carro 1.6, quer mais o quÊ?

    Quem aqui tem pego 3 horas de trânsito por dia, muitos? Minha finesse foi pro saco literalmente, nas últimas semanas tenho dirigido como naquele desenho do Pateta... Infelizmente, eu que até outro dia estava defendendo a elegância ao dirigir, estou dirigindo como um sociopata, tive de engolir a minha retórica, estes dias até lembrei do bussoranga falando sobre usar o acostamento, pois quase meti o carro no corredor de ônibus da Cupecê e toquei o "foda-se"... o trânsito nesta região está insuportável!
    Aí você olha pro lado e pensa... "mas é melhor, o caminho é o transporte coletivo... O QUÊ? Aquele ônibus estrumbado de gente, com alguns olhando com caras de coitados, sentados nos degraus das portas... Não dááá!!!
    Desculpem-me pelo desabafo, mas eu até utilizaria o método do copo d'água, se eu não tivesse que encarar este trânsito ridículo, cheio de gente mal educada, que ainda tem coragem de colocar aquele adesivo ainda mais ridículo da Porto Seguro.

    ResponderExcluir
  27. PK,

    Minha recomendacao: "drive like you stole it", mas beba a agua antes de derramar. O comentario do Fabio é exatamente o que eu sinto no dia a dia em SP.

    Minha bola de cristal chinês diz que o AutoEntusiasta eco-friendly do futuro vai guiar algo parecido (e aperfeicoado) como um Chevy Volt ou um Tesla, que tem desempenho muito bom sem consumir combustivel fossil. Enquanto esses brinquedos nao chegam aqui, vamos queimando o Etanol "bio-friendly" brazuca (enquanto ninguem descobre o quanto produzir cana-etanol é deveras agressivo ao ambiente tambem).

    Por melhor que o transporte publico se torne no futuro, o transporte individual sempre será simbolo de status (ainda mais em país latino emergente), e para tal terá seu preço.

    RT
    obs: Dodge Charger R/T nacional 1975, 318 2bbl (DFV babão) cambio automatico, faz 6 km/l de gasolina na cidade, andando com o pé bem leve. "Acredite se quiser" (Robert Ripley)

    ResponderExcluir
  28. Alto lá!!!

    Infinity M sexy aonde? me parece uma cruza mal resolvida entre um Serie 3, um Corolla e um Hyunday Coupe 1999...

    ResponderExcluir
  29. Já consegui médias de consumo 20~30% mais altas apenas DESLIGANDO O MOTOR ao chegar em sinais que levam mais de 30 segundos entre abrir e fechar - não é difícil saber quais os que demoram mais, quando você passa por eles todo dia. É mais efetivo pra segurar o consumo que qualquer outro pé-de-pluma.

    ResponderExcluir
  30. Transeunte, fazendo isso você estará desgastando vários componentes do motor de partida, e do motor do carro também! Não acho que seja viável, acredito na teoria da dosagem do pé no acelerador, troca de marchas no tempo correto, freio motor, essas coisas são bem eficientes no que diz respeito à não só economia de combustível como no desgaste do carro de forma geral.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.