TUDO PARADO

Foto: globo.com
Essa foto é de alguns dias atrás mas serve para ilustrar o que aconteceu hoje e que parece irreversível: São Paulo está parando -- não por "excesso de veículos" (desconheço termo mais imbecil, igual a "excesso de doentes" para explicar hospitais superlotados) ou falta de ruas, mas pelos trombos, ou interrupções.
Hoje enfrentei uma marginal do Pinheiros longa parada por causa de um atropelamento próximo à ponte do Jaguaré e na Bandeirantes, idem, devido a um acidente entre moto e ônibus lá longe, no complexo Maria Maluf.
Aliás, se eu fosse apontar um culpado para essa caos que estamos vivendo, não hesitaria em falar nas motocicletas. Sei que fazem parte do trânsito, que há gente (milhares) que depende dela para ganhar a vida, mas que elas, com os acidentes, estão atrapalhando a vida da cidade, poucos hão de discordar.
Como resolver, não sei, mas tem de haver um jeito sem ferir os direitos fundamentais. Como promover uma mudança de comportamento dos motociclistas pela aplicação rigorosa do Código. Não sei, é só uma ideia. Quem quiser fazer sugestões será bem-vindo.
BS

44 comentários :

  1. O problema da maioria dos motociclistas (nesse caso os motoboys, cachorros loucos e outras coisas más) é justamente a falta de bom senso aliado ao baixo nível escolar. Essas pessoas simplesmentes não se importam a rodar a 80, 90 km/h no corredor, com o fluxo parado. Geralmente, as motos estão só o pó da rabiola, com os antiquados freios a tambor na dianteira.

    Resultado, os excessos de acidentes que ocorrem diariamente na região metropolitana de SP.

    ResponderExcluir
  2. Educação não adianta, esses indivíduos sobre duas rodas não tem jeito. Acho que a única saída é uma fiscalização intensa e rigorosa e pátio para todas as motos irregulares, mas a polícia e os governantes não veem isso. Só querem saber de multar carros no rodizio. O seguro obrigatório das motos deveria ser maior, uns R$ 3 mil Reais para cobrir as despesas que temos com ambulância e hospitais para esses seres acéfalos.
    Estou cansado de ver motos sem luzes a noite, com escapamento irregular. Documentação é luxo, a baderna que fazem todos já perceberam. Reclamam que os carros não dão seta, mas eu nunca vi um motoqueiro dar seta, acho que nem sabem onde liga a seta na moto pois tem uns que viram a esquerda com a seta a direita ligada desde que saiu de casa. Em cruzamentos o padrão para o motoqueiro é parar sobre ou após a faixa de retenção, acho que ensinam isso na moto-escola. em ruas de mão dupla, transitam pela contra-mão na maior naturalidade, e os carros que saiam para os bonitões passarem. Sem contar a novela do corredor, onde trafegam a 100 km/h entre os carros parados. Tá feia a situação...desisti de arrumar briga com essa raça.

    ResponderExcluir
  3. Jonas Torres10/03/10 23:37

    Infelizmente, pelo fato de que os que andam mal de moto serem maioria, já não e pode dizer que se está generalizando.

    O Tite escreveu sobre isso:

    http://www2.uol.com.br/bestcars/colunas3/g322.htm

    ResponderExcluir
  4. E outra: não contentes com toda espécie de irresponsabilidade que fazem no trânsito, esta raça parece ter uma espécie de prazer sexual tirando finas milimétricas dos carros.

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo Laranjo11/03/10 00:11

    É ano de eleição. Daqui a pouco entregam as obras da Tietê e Rodoanel e então o mundo é cor-de-rosa. Brasileiro é burro e sorri pra quem lhe oferece pasto.

    ResponderExcluir
  6. Caro Bob, a questão é bem maior que essa.

    Não existe um elemento que possa diretamente ser considerado culpado pelas más condições de trânsito em qualquer cidade. Apontar parte dos motociclistas como potenciais vilões pelos problemas no trânsito é tão desrespeitoso quanto passar a tantos quilometros por hora na faixa entre os carros: apenas gera mais raiva, que gera mais conflito.

    A verdade é que sim, infelizmente, em São Paulo existe um excesso de carros e o transporte público mal dá conta da atual demanda.

    Sinceramente, temo afirmar que o atual método de transporte (individual e principalmente coletivo) nos grandes centros urbanos precisa ser revisto com certa urgência, porque o atual modelo está a beira de um colapso.

    ResponderExcluir
  7. Quem pega as marginais sabe que o corredor entre a faixa Mais à esquerda e a faixa imediatamente à direita dessa é tomada pelos motoqueiros. Os carros inclusive ficam nos extremos de suas faixas para liberar mais espaço no corredor.

    As motos, como disse o Santos, transitam a 60, 70, 80 Km/h. Principalmente de manhã e á noite o movimento é tanto que é quase impossível mudar de faixa. Quem tenta, corre um grande risco de derrubar um cachorro louco.

    E uma pergunta: É ou não proibido que motos circulem no corredor entre as faixas de automóveis? Eu acho que pode até ser permitido, desde que somente em transito totalmente parado e com velocidade limitada em 30Km/h, com faróis e piscas ligados.

    ResponderExcluir
  8. Tenho reparado, quando passo pelo Rio de Janeiro, que é uma cidade propícia ao uso de motos, que os "motoqueiros", parece-me, respeitam um pouco mais o trânsito que em São Paulo.

    Lá há a indicação para motos, na via expressa, circularem pela faixa da direita e parece-me que a maioria cumpre a orientação.

    Será que eles só andam na direita quando estou passando por lá?

    Algum morador do Rio poderia explicar melhor.

    ResponderExcluir
  9. Rodrigo Laranjo ,

    Esse tal de Rodoanel, já deveria estar pronto há mais de 20 anos.

    Acredito que melhore uns 10% do trânsito de São Paulo porque na verdade já estará superado...

    Precisamos que haja mais investimento nas vias férreas que foram privatizadas e estão totalmente sucateadas.

    O Governador em breve inaugurará mais um trecho desse Rodoanel e baterá palmas por ter implantando mais não sei quantos pedágios na via. Afinal alguem terá que pagar a campanha...

    Alguém já se propôs a verificar quem são os participantes pessoa física da CCR?

    São esses mesmos que vocês estão pensando.

    ResponderExcluir
  10. O problema não são as motos (sejam motoboys, motoqueiros, motociclistas...).

    A cidade deveria ter faixas somente de motos, como tem na av. sumaré. Tentaram implantar na 23 de maio e não deu certo (será que foi por causa dos cones mal colocados pela CET?). Precisa, também, de mais ciclovias.

    Alêm disso a cidade precisa de motoristas (carros, ônibus, caminhões), motoqueiros, motociclistas que respeitem mais os outros. Não estou nem falando das leis de trânsito, mas respeitando o próximo tudo melhoraria.

    O problema em SP não é tão simples assim... Culpar só as motos é um tanto quanto pretencioso.

    ResponderExcluir
  11. Motoboys são apenas um exemplo de reflexo da nossa sociedade. Esses problemas são resultado de erros constantes que cometemos, desde o jeitinho Brasileiro, passa pela eleição de ladrões e chega na individualidade e falta de cidadania.

    Não tenho esperança de que vai mudar. Transporte e mobilidade é infra-estrutura. E como em tantas outras áreas o Brasil perde nesta década, mais uma vez, a chance de evoluir de verdade frente a um mundo estagnado por crise.

    E tem gente que ainda fala que São Paulo é bom pra viver!

    ResponderExcluir
  12. Percebo que o pior problema é quando as motocicletas param no semáforo.

    O sinal está vermelho, você com seu carro é o primeiro da fila. E aí começam a chegar as motos.

    De repente, você vira o décimo da fila. Mesmo que esteja mais atento às luzes que os motociclistas, você precisará esperar os nove motociclistas arrancarem.

    É o simples princípio de "furação" de fila. Na sua frente anda, de você pra trás, não.

    ResponderExcluir
  13. Uma medida simples é aumentar a fiscalização e apreender as motos irregulares, que acredito ser a maioria no trânsito.

    Nego compra a moto em 60 parcelas, vai pagando uma e atrasando três parcelas, não paga o IPVA, não faz vistoria, mas continua fazendo merda pelas ruas.

    ResponderExcluir
  14. os pulicia ficam nas esquinas fazendo caça-palavras e a moloqueirada sobre rodas faz o que quer...este é o brasil do futebol e de Gerson

    ResponderExcluir
  15. Malagueta neles! Tem que descer a lenha nesses vagabundos!

    Me ajuda ai ôh! Alô Comandante Hamilton?

    ResponderExcluir
  16. Malagueta neles! Tem que descer a lenha nesses vagabundos!

    Me ajuda ai ôh! Alô Comandante Hamilton?

    ResponderExcluir
  17. Bino: - Tem motoqueiro do lado Pedro.
    Pedro: - É cilada Bino!!!

    ResponderExcluir
  18. O problema é que os motoboys recebem por hora....e quanto mais rodar, mais ganham.

    Coloca outra forma dos caras receberem e todos serão mais "lentos" no transito.

    E para quem colocou que o seguro obrigatório de motos trem que subir,não sabe nem o que está falando...Eu tenho duas motos, que só aí já são mais de 500 reais por ano...e não ando 5.000 km por ano com elas...

    ResponderExcluir
  19. A forma de pagamento não justifica a forma de condução desses veículos, existem milhares de cunsultores de informática, só pra exemplificar, que ganham por hora e não saem fazendo essas merdas no trânsito.

    ResponderExcluir
  20. São Paulo tem problema, teeeeem... todos sabemos, MAAAAAAAAAAAAAS!
    Motoboy é uma raça do caraaalho!!!
    Sabem que se encostarmos neles, eles são as vítimas... aí já viu né!

    não estou falando de motociclistas... motoboy mesmo!

    A sensação que tenho diariamente é que eles querem mesmo ser derrubados para ficar em casa recebendo seguro (DPVAT + a cobertura do seguro do motorista que supostamente os derrubou, isso quando eles não negligenciam as orientações da seguradora, no intuito de mover uma ação contra o motorista e faturar mais!)
    Se eles não valorizam as próprias vidas, o resto é consequência...

    O trânsito em São Paulo não é culpa dos motociclistas, mas que os motoboys contribuem bastante para "a merda feder mais"... AHHHH, ISSO ELES CONTRIBUEM SIM!

    Mas a falta de respeito no trânsito é geral... tem muito motorista de "carrão" fazendo cagada no trânsito tb!

    SFQNS, não entendi o que você quis dizer sobre a CCR? Vamos pro assunto política... hehehe

    ResponderExcluir
  21. motoboy não só faz merda no trânsito, mas ele próprio é um merda e vive na merda, pois passar a vida em cima de uma ratoeira infernizando a sociedade é coisa pra quem tem merda na cabeça...

    ResponderExcluir
  22. ahhh... Marcus... se vc é da área de TI... sabe q não é bem assim... digo tanto para o valor/hora como a forma de lançar estas horas...
    Gostei da idéia do 911! seria uma boa forma de profissionalizar esta atividade.

    ResponderExcluir
  23. Fábio,

    CCR? :) Procure saber quem são os principais sócios e "executivos".

    ResponderExcluir
  24. O problema é ler comentários de pessoas que nunca subiram numa moto.

    SANTOS, já que é pra colocar todos no mesmo balaio, vamos subir o DPVAT dos carros também, já que o que tem de imbecil falando ao celular dirigindo, sem prestar atenção no trânsito, não está escrito.

    A maioria reclama que os motoboys andam que nem uns loucos mas, disso, podemos tirar duas situações:

    1 - Uma empresa na Zona Sul contrata um Motoboy as 15:45 e fala pro caboclo que ele tem que chegar num banco na zona norte antes das 16:00.

    2 - Quando cai uma chuva torrencial, todo mundo fica em casa pedindo pizza pelo telefone e reclama se tiver de esperar mais de 30 min por ela.

    Ou seja, quem formou esse tipo de cidadão foi a própria sociedade, porque ninguém mais tem tempo pra nada e tudo, absolutamente tudo, tem que ser feito em 5 minutos.

    Outro grande problema é a educação. Com a massificação das motocicletas, sem a correta estrutura de ensino prático e psicológico, o número de acidentes só tenderia a aumentar.

    Por exemplo, a totalidade das moto-escolas treinam o caboclo num circuito fechado e ensinam que ele SÓ deve usar o freio traseiro.

    É UM ABSURDO. Eles são diretamente responsáveis pela maioria dos acidentes que acontecem, pois caso não saibam, a grande maioria de vítimas de motos não são os cachorros loucos, mas motociclistas/motoboys iniciantes que não têm a mínima noção de como se andar no trânsito.

    Não pensem que um cara que roda 200 km/dia sobre uma moto não vai aprender nada.

    Outro ponto, agora ligado a educação social, é que muito acham "bem loco andar a milhão no corredor", ainda que não precisem disso.

    Fazem para se arriscar e enfrentar os outros, já que o estado e os próprios pais falharam em passar os valores morais mínimos para uma boa convivência em sociedade, como o respeito ao próximo.

    O buraco é mais embaixo. Proibir andar no corredor só agravará o problema.

    O correto é começar a punir os abusos e a educar, pois andar a 80 km/h num corredor parado é certeza de um acidente.

    Por fim, não é só motoboy que faz cagada, tem muito cara de 600/750/1000 que abusa tanto ou quanto no meio do trânsito, tentando provar que é melhor que alguém.

    ResponderExcluir
  25. A propósito, não sou motoboy, mas utilizo a moto quase que diariamente nos meus deslocamentos.

    Que a grande maioria dos cachorros-loucos se arriscam e estressam os motoristas sem motivo é um ponto a se concordar.

    Mas, jogar a responsabilidade do caos no trânsito sobre as motos, é olhar o problema apenas pela beirada.

    ResponderExcluir
  26. São Paulo precisa de um transporte público decente e uma boa politica para tráfego de caminhões. E para quem culpa os motoboys experimente deixar nossa cidade um dia sem eles e veja a maior cidade do pais em crise! Estou vendendo minha moto pois conheço bem os riscos de quedas e afins mas dai a dizer que as motos são culpadas do transito de São Paulo?! É para rir. Coloque os furgões de empresas para fazer o trabalho das motos e o caos toma conta de tudo.

    ResponderExcluir
  27. Eu também sempre achei esse termo excesso de veículos totalmente errado, idiota mesmo.

    ResponderExcluir
  28. Sergio, perfeito o comentário.

    A noite, ao mesmo tempo temos uma pessoa dentro de um carro reclamando da pressa do motoboy, do outro lado temos uma pessoa reclamando da demora da pizza.

    No dia seguinte os papeis se invertem.

    Para empresas, que precisam transportar documentos com urgência, isso piora.

    Eu enchergo a moto como uma solução e não um problema(um camarada meu, com N comentários, me mostrou isso), afinal, quantos carros com 1 pessoa dentro temos no trânsito da capital?

    Eu não tenho moto e prefiro não ter (hoje), mas seria muito melhor ter uma faixa, na larguda das faixas dedicadas a carros, somente para as motos.

    E repito... Melhoraria muito se todos tivessem respeito pelo próximo. Parece que em SP é mais fácil buzinar, reclamar e não dar passagem do que ter paciência e um pouco de respeito.

    Eu não gosto dos motoboys que andam como um louco, chutam os carros e são covardes (derrube um, sem querer, para descobrir do que eles são capazes... Eu nunca derrubei, mas já vi alguns cairem, infelizmente).

    []'s e Paz no trânsito.

    ResponderExcluir
  29. Alguém postou que muits empresas precisam que a entrega dos documentos sejam rápidas.

    Nos dias de hoje usamos bem pouco os originais.

    Com a digitalização, por via fax ou e-mail, muitos documentos são enviados.

    Tenho visto é muita entrega de outras coisas acontecendo. Parece até que alguns dos entregadores se matam por causa dessas coisas. :(

    Agora que estou velho percebi que não adianta correr muito. Com calma chegaremos inteiros onde precisamos ir.

    Quando achamos que o tempo é pouco, devemos sair antes para chegar a tempo.

    Já acompanhei alguns que passaram em maior velocidade por mim e cheguei ao destino deles juntinho. Perguntei então porque estavam afobados e não souberam responder.

    ResponderExcluir
  30. SFQNS, eu já tinha verificado...
    http://www.grupoccr.com.br/sobre/Estrutura.aspx
    por favor, explane sobre.

    ResponderExcluir
  31. Sergio,
    Concordo em quase tudo com vc!
    Só não quero que a minha pizza chegue com a mussarela toda em um dos lados da pizza... então motoboys, porfavor não corram antes de entregar a pizza, ok? rs* E eu nunca passei nervoso com motociclistas com motos grandes no trânsito.
    Ahhh... só uma vez... o fdp fez aquele estouro com uma Harley com escape aberto... se eu tivesse uma arma, naquele dia teria dado merda!
    O desgraçado quase me deixou surdo!

    ResponderExcluir
  32. Bob,
    O problema maior é a falta de infra adequada por parte do CET. Trata-se de um Orgão paquidermico sem nenhuma vontade de ver os problemas diários bem resolvidos. Nada que um Contrato de Comodato não possa resolver, por exemplo a cessão de Guinchos leves e pesados.

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Caro Bob Sharp
    Creio que o maior problema no trânsito de São Paulo, como em qualquer outra cidade deste país é a formação de condutores. Cansei de ver motoristas profissionais, categoria d ou e, fazerem absurdos no trânsito. A falta de uma política sistemática com relação a fiscalização de todos os veículos automotores. Acredito que sua análise é superficial e simplista. Não se esqueça que em outros países, para se ter uma habilitação, os processo, como um todo, leva cerca de um ano. Nesse ano o candidato tem aulas teóricas e práticas sendo estas em rodovias e condições reais de tráfego.
    Creio que a responsabilidade de um jornalista quando emite uma opinião, em um meio de comunicação,é de investigar e ter fundamentos. Gosto muito dos seus artigos porém este foi muito infeliz.
    José Eduardo P. Faillage

    ResponderExcluir
  35. O que tenho notado é que os “Motoboys” estão mal acostumados, fazem as próprias leis. Vejo muito acontecer de ficarem enfurecidos quando alguém muda de faixa, mesmo sinalizando e com extremo cuidado. E quando alguém troca de faixa sem sinalizar, xingam, se sentem “donos” da rua. Raramente observei algum motoboy sinalizando para mudar de faixa.
    Sugestões:
    Acredito que muitos deles, tem apenas carteira categoria A, acho que deveria ser pré-requisito para tirar a carteira A, tirar a B antes.
    Incentivo fiscal para empresas de entrega expressa. Com uma boa logística, uma pequena van poderia substituir várias motos e geraria empregos com carteira assinada.
    Leis mais severas para motos poluidoras. Assim como temos obrigações com nossos carros, o proprietário de moto também, afinal moto polui mais que carro.
    Proibição do trabalho sem carteira assinada. E fiscalização rígida.

    ResponderExcluir
  36. Não sei se somente os motoboys explicariam a confusão que o trânsito brasileiro se tornou. Alguns retardados do ramo contribuem para piorar o quadro, sem dúvida alguma, mas o que se vê de asneiras sobre rodas por aí, não é brincadeira...

    O problema é que as "otoridades" dizem qua a frota cresceu muito porque o Estado não fez a lição de casa, que é adequar a malha viária para a nova realidade, visto que aqui no Brasil ainda há muito por fazer. Sem contar o abandono que é o transporte coletivo, uma piada de mau gosto.

    Concordo com o que alguns escreveram, que o que falta é educação. Mas não aquela educação que se tem na escola, mas sim aquela antiga cultura, sabedoria mesmo, comum de se ver nas pessoas de mais idade. Escolaridade baixa não serve de justificativa para ser imbecil na sociedade.

    ResponderExcluir
  37. Opa, eu queria sugerir um post, sobre o DETRANRJ, que não disponibiliza horários aos sábados pra vistoria, e nos dias de semana, tem datas ridículas!

    Induz o motorista a faltar, e claro arcar com as multas.

    Aposta que ao final do prazo, vão começar uma mega campanha de ficalização...

    ResponderExcluir
  38. Excesso de veículoos uma ova. O carro só é visto como galinha dos ovos de ouro, para arrecadar. Tem que haver a contrapartida, sim, de investir em obras viáriass, sinalização, engenharia de tráfego etc.
    Há coisas óbvias que a CET não vê.
    Na Doutor Arnaldo, onde passo diariamente, o tempo de semáforos está desajustado. Vc. espera um tempão dar o verde na conversão para a Cardeal Arcoverde quando a corrente nesse sentido já se esgotou. Em seguida, os ônibus que estão à direita atravessam a pista rumo à faixa exclusiva que começa logo adiante na Consolação. Resultado: trava geral. E mais: quem segue para a Paulista não consegue acesso ao complexo viário porque os mesmos ônibus e outros veículos impedem a passagem, embora se destinem à Consolação. Não seria o caso de criar uma faixa exclusiva de acesso à Paulista?

    ResponderExcluir
  39. Bob,

    Falta de educação em todas as categorias de direção, uma disputa cada vez mais acirrada entre carros e motos, e carros e ônibus, falta de tempo para tudo e claro, projeto de circulação ineficaz causam esse problema. Ou me fale se vc não percebeu ainda que, ao ver uma batida, o povo pára o trânsito, apenas para ver o sangue? Há necessidade? É inclusive um gesto de extremo mal gosto.

    Se as pessoas estivessem num ritmo de vida mais tranquilo, como a alguns anos atrás, a coisa estaria melhor, mas ninguém mais quer saber de esperar, todos correm, deve ser pressa de ir pro céu.

    ResponderExcluir
  40. Sérgio,

    Primeiramente, eu sou motociclista a apenas 2 anos. Ando de moto todo dia, no Corredor ABCD no Grande ABC e na Anchieta. Caí apenas uma vez, por ironia do destino, estava ocupando a vaga de um carro numa via, e tomei um leve encosto de uma Kombi.

    Se dizer que às vezes não abuso, estarei mentindo. Acontece, que tenho o bom senso suficiente, para não arriscar meu pescoço em situações perigosas.

    Ao amicos Marcus,

    Não é por causa de seres que andam a margem da lei com suas motos, que todos deverão pagar o pato. Minha moto é impecável, toda revisão feita em concessionária, toda a documentação 2010 paga e licenciada, e sou obrigado e ver que deveriam cobrar 3000 reais de Seguro Obrigatório???

    CAda uma viu...

    ResponderExcluir
  41. Bob Sharp,

    Para nossa reflexão:

    Houve crescimento visível no poder aquisitivo no Brasil nos últimos anos. Mais crédito = mais veículos nas ruas.

    Paralelamente, o Brasil continuou adepto da filosofia da "esperteza" imediatista em todos os níveis:

    - O governo exime-se de seu fundamental papel fiscalizador/ coercitivo, focando seus esforços em ROUBAR o contribuinte através da indústria de multa e dos impostos;
    - Donos de empresas de entrega SUGAM motoboys despreparados e ignorantes;
    - Contratantes de serviços de motofrete querem tudo para ontem (não importando se a carga é uma trivial PIZZA) e pressionam as empresas;
    - O governo só começa a investir em infra-estrutura quando a sobrecarga no sistema atinge o INTOLERÁVEL;
    - Muitos motoristas querem fazer ABSOLUTAMENTE TUDO de carro, não racionalizam rotas, não alternam o uso do carro com transporte público, táxi ou mesmo caminhadas;

    Nesta sociedade com tantos adolescentes egoístas travestidos de adultos, como é que toda esta combinação de fatores poderia resultar em qualquer coisa que não o CAOS?

    "O governo", "os empresários", "os motoristas", "os motoboys" não são entidades alienígenas: somos NÓS.

    Antes de colocar a culpa nos outros, algum de nós já parou DE VERDADE para pensar em quanto nossas próprias atitudes não estão gerando o problema?

    Abraços,
    Fernando Silva

    ResponderExcluir
  42. SANTOS,

    Me desculpe, o comentário que dirigi a você, era ao Marcus, sobre a questão de aumentar o já extorsivo DPVAT de nós motociclistas, colocando todos no mesmo "barco".

    Seu comentário, ao contrário, foi totalmente coerente.

    ResponderExcluir
  43. Ao amigo Sérgio,

    Desculpas aceitas!

    Ao amigo Fernando,

    Infelizmente Fernando, o brasileiro no todo é acomodado (eu me incluo nessa). Afinal, é muito mais fácil ficarmos sentados, discutindo por computador...

    ResponderExcluir
  44. Não senhores!
    Vocês falem por vocês. Eu estou diariamente mantendo minha cruzada por um trânsito melhor.

    Aqui em Blumenau-SC, o órgão fiscalizador de trânsito é bastante omisso. Dia após dia envio fotos, vídeos e exijo deles uma fiscalização decente.

    Façam o mesmo, não cansa. São uns poucos minutos.


    Comecei sozinho agora já somos 3.


    __

    Quanto às motos, desde que estejam com o IPVA em dia e viseira baixada (ou óculos de proteção), podem fazer o que quiserem.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.