SÓ PODE SER BRINCADEIRA

Foto: www.wired.com

Saiu na imprensa semana passada (dia 3). Projeto de Lei do Senado 404/2012, com um substitutivo da senadora Ana Amélia (PP-RS), foi aprovado naquele dia pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. De que se trata? Condutores e passageiros de motocicletas no Brasil serem obrigados a usar colete ou jaqueta com bolsa inflável (foto acima). Não é piada, não, é isso mesmo que o leitor leu. 

A proposta ainda deve passar por pelo menos duas comissões na Casa e, uma vez aprovada, seguirá para a Câmara dos Deputados.

Brincadeira, não, demência de quem pensou em criar uma lei dessas. Esses caras, ou essa mulher, estão tirando uma da nossa cara, justamente de nós, que a sustentamos e a seus pares, aproveitadores da nação. Essa gente horrorosa pensa o que o Brasil é deles. Não é não! É nosso!

O texto aprovado até agora estabelece que os motociclistas terão prazo de três anos para adaptação do colete com bolsa inflável. Não satisfeitos, a proposta também altera a Lei dos Motoboys (Lei 12.009/2009) para obrigar o uso de dispositivos retrorreflexivos nas roupas. O vestuário de segurança deverá ser dado aos motomensageiros pelas empresas ou pessoa que empregar ou contratar o condutor, quando o motociclista trabalhar como autônomo (eles pensaram em tudo...).

Colete de segurança para quando se pára (www.123rf.com)
Veja-se que superfícies retrorreflexivas ou visíveis têm seu valor, por exemplo, nos coletes que todo carro na Europa é obrigado a ter para o caso de se precisar trocar um pneu (foto acima), uma vez que o carro e motorista constituem obstáculo, especialmente à noite. Mas, motomensageiro usar dispositivo que permita vê-lo no período noturno? Por acaso essa gente horrorosa não sabe que os motomensageiros andam muito mais rápido que os carros e que, portanto, nunca são obstáculo? Os carros é que são obstáculos para eles, ora.

Como se motobói fosse obstáculo... (foto produto. mercadolivre.com.br)
É, o Brasil está mesmo doente – embora os anticorpos estejam bem ativos e reagindo, como mostram as recentes manifestações.

Acho que a essa altura do andar da carruagem política brasileira dá para imaginar o que teria levado o autor do projeto original, senador Humberto Costa (PT-PE), a propor uma lei abusiva e absurda dessas...

Além do colete-bolsa inflável, também constam como itens obrigatórios capacete, botas, luvas e vestimenta que cubra todo o corpo. O texto também altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para determinar que a não utilização desses equipamentos de segurança, tanto pelo motociclista quanto pelo passageiro, seja considerada infração gravíssima.

Ou seja, o prazer de andar de motocicleta normalmente, para passeio calmo ou trabalho, terá seu fim decretado em breve. Usá-la para ir à praia, como fiz durante anos enquanto morava no Rio, será coisa do passado. Para andar de moto agora o motociclista ficará parecendo um comando.

Daqui a três anos, acabou (www.motonline.com.br)
E com essa infração "gravíssima", de R$ 191,54, mais recursos para estados, municípios e Distrito Federal, é claro. Ou o leitor acha que já não pensaram nisso também? Que inocência...

A tal senadora manteve no substitutivo a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto de Importação para os coletes e partes acessórias, mas retirou do texto final a exclusão do pagamento do PIS/Pasep e do Financiamento da Seguridade Social (Cofins), como queria o autor do projeto original. Bonzinho, ele...

A notícia, que li no portal Terra graças a um link gentilmente enviado por um leitor, é assinada por uma tal de Agência Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação, uma estatal – mais uma, será que já não chega? – criada pelo poder executivo – leia-se Luiz Inácio – em 2007 por meio de medida provisória (?) e convertida em lei em 2008. Coisa de "Brasília para mundo", uma "Voz do Brasil" da era da internet. E quem paga por tudo isso? Adivinhe...

É assim que, de brincadeira em brincadeira lá na "ilha da fantasia", o saco do cidadão vai enchendo. Aliás, já encheu.

BS



146 comentários :

  1. Por que não gastar todo esse tempo e energia para buscar maneiras de treinar melhor o futuro piloto, dar ao motoboy mais informações sobre pilotagem segura, etc? Não, preferem exigir que o motociclista use armadura! E tome piloto no chão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho engraçado fazerem leis exigindo coletes retrorreflexivos quando, no mundo real, várias motos (e vários carros também) circulam à noite com lanternas e faróis apagados ou queimados.

      Excluir
  2. oskrmarinho12/07/13 12:20

    Só não vai pegar, lei imbecil que é, porque ficaria tão chato, insosso e sem graça nenhuma andar de moto, que as vendas cairiam ao ponto de inviabilizar as fábricas e acho que essas com certeza já devem estar se mexendo para não serem prejudicadas. Enquanto isso, o cidadão que deveria ser representado no congresso, é atacado nos seus direitos pelos gatunos eleitos pelo voto!
    Haja manifestação para eliminar essa praga!

    ResponderExcluir
  3. Estou acompanhando de perto esse projeto.. que tem um forte cheiro de Lobby, e o pior de tudo, exercendo o seu poder tanto na situação como na oposição...

    Pessoalmente creio que esse projeto seja derrubado.Porém é preciso estar atento. Pois se for aprovado, praticamente inviabiliza o uso da moto para a maior parte da população.

    Ai fica fácil imaginar quem lucraria com isso.

    ResponderExcluir
  4. estava mesmo esperando o Bob falar sobre essa imbecilidade...
    Mas acredito que essa lei não dará certo... Só existirá, se vier a realmente existir, no papel!!!

    ResponderExcluir
  5. Corsário Viajante12/07/13 12:32

    Nem acho a idéia do "colete air-bag" ruim. O ruim é querer enfiar isso do dia para a noite sem nenhum estudo de viabilidade, custo ou mesmo fornecimento. Quem fornece isso? Realmente é eficaz? Quão eficaz? Ninguém sabe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário,
      Pode nem ser ruim, mas tornar obrigatório é que não tem absolutamente nada a ver.

      Excluir
  6. Seria mais fácil aumentar a fiscalização no trânsito pois a maioria dos acidentes ocorre devido a falta de respeito ao Código de Trânsito Brasileiro. Entretanto cabe ressaltar que há brasileiros que não aceitam serem multados por imprudência e desrespeito ao CTB. Eles entendem que o único objetivo da fiscalização é favorecer a indústria da multa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum...
      Mas quem desrespeita o CBT deve ser multado , goste ou nao goste dessa situacao.
      Somente a dor no bolso faz o brasileiro aprender mais rapido e ficar mais esperto.
      Agora noso CBT é uma colcha de retalhos defasada e trasnsloucada!



      Excluir
    2. Adilson,
      Toda lei deve ser razoável, o que a faz ser cumprida. Não tem sentido, por exemplo, uma rodovia na qual se pode trafegar com segurança a 120 km//h ser limitada a 100 km/h. É para arrecadar mesmo.

      Excluir
    3. Adilson, você aparentemente continua lendo o AE e ainda não entendeu. A lei, para funcionar, deve ser razoável e fiscalizada, o que não ocorre com alguns limites de velocidade muito baixos, por um lado e pela falta de fiscalização sobre TODOS os artigos do CTB, por outro. A indústria da multa não é sobre a aplicação de multas aos infratores de todo o CTB, mas um esquema maquiavélico que combina a facilidade e baixo preço da tecnologia dos detectores de velocidade com (em muitos casos) limites irreais de velocidade para "flagrar" o maior número de condutores "irresponsáveis". Eu vejo exemplos de transgressão ao CTB e ao bom senso no trânsito a todo momento, até na frente da polícia de trânsito, mas para as "otoridades", policiais e boa parte da população só existem umas 3 ou 4 infrações de trânsito.

      E fiscalização não é colocar máquinas para multar qualquer um que passe pouco acima dos "estonteantes" limites de velocidade estipulados APENAS naquele pedaço de chão, mas colocar policiais circulando e verificando o cumprimento de todo o CTB pelos motoristas e, caso necessário, tire sua bunda do assento do carro e oriente e multe, utilizando o bom senso.

      Excluir
    4. Driver 8
      Comentário brilhante, parabéns!

      Excluir
    5. Obrigado, Bob. Um elogio de uma autoridade no assunto como você muito me envaidece.

      Excluir
    6. Driver 8,

      Você não comentou nada mais do que a verdade, mesmo assim, não deixa de ser brilhante.

      Excluir
    7. Driver 8 e Bob Sharp,

      Sou contra qualquer tipo de fiscalização de trânsito, mas é um mal necessário e infelizmente dispendioso para os cofres públicos. Eu também gostaria que pessoas fossem capazes de deslocar-se em áreas urbanas há mais de 100 ou 120 km/h sem causar tantos acidentes de trânsito, mas isto ainda é possível.

      Quanto a questão da obrigatoriedade do uso de air-bags, continuo afirmando que seria melhor aumentar a fiscalização, pois a maioria dos acidentes de trânsito está relacionada a imprudência no trânsito. A prefeitura deveria apenas incentivar o uso desses dispositivos de segurança.

      Excluir
  7. Mais uma lei entre as milhares que já existem e que nenhum motoqueiro respeita. O que mais se vê nas ruas é a arrogância, agressividade e falta de respeito destes indivíduos que se acham acima de tudo e de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcus
      Não respeita porque não o fazem respeitar. Dá um trabalho...

      Excluir
  8. É nisso é que dá leigos tentando criar normas para um tema que exige conhecimento especializado. Se ao menos buscassem a consultoria de que entende do assunto, mas nem isso parece que fazem. Leis estúpidas há por toda parte, mas em países como o nosso, em que prevalece pensamento do "Estado grande provedor de tudo", isso chega à beira da insanidade. Pensa-se que o Estado, do alto de sua infinita sabedoria, deve reger todo e qualquer aspecto da vida nacional, como se a sociedade e os cidadãos fossem incapazes de conduzir a própria vida. E tome leis, e tome estatais, e tome cargos comissionados, e tome burocracia, e tome impostos... E com a atual administração federal a coisa está chegando às raias do absurdo. Um ministério com 39 pastas! Se a presidente da República decidisse se se reunir com um de seus ministros a cada dia útil, levaria DOIS MESES para conversar com todos! Mas sabe-se que há ministros que NUNCA despacharam com a chefe do executivo. Que governança é essa? Depois não se sabe por que o governo está em crise. Acho que só não se criou ainda o 40º ministério porque aí será inevitável a analogia à história do Ali Babá e seus 40 ladrões...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você matou a charada! Essa é a razão de não ser criado o 40º ministério! Acho que poucos pensaram nisso.

      Excluir
    2. Ótimo comentário. Concordo com tudo.

      Excluir
    3. Jorge Dias Lage16/07/13 14:59

      "Pensa-se que o Estado, do alto de sua infinita sabedoria, deve reger todo e qualquer aspecto da vida (...), como se a sociedade e os cidadãos fossem incapazes de conduzir a própria (...)"

      Sr. Anônimo 12/7/13 13:09, resumiu em poucas palavras o cerne da questão. O Estado subestima a capacidade intelectual do cidadão.

      Excluir
  9. Isso é a mais pura palhaçada possível, nem mesmo o capacete alguns motociclistas usam, quanto mais essa vestimenta toda. A praticidade do uso das motos vai para o ralo. E imagina no verão, 40ºC na cabeça e usando essa parafernália toda. Os caras lá em Brasília perderam os miolos de vez.

    ResponderExcluir
  10. Rebanho de bestas feras desocupadas que ficam criando leis toscas ,deveriam ter os salários reduzidos em 60% e cortados os auxílios sapato e jatinho.

    ResponderExcluir
  11. Não gosto de motoboy, mas sujeitá-los a vestir uma fantasia de carnaval é coisa de república de bananas.

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo12/07/13 13:19 Realmente parece alguém querendo dar o troco rsrsrs...

      Excluir
  12. Tá na cara que isso é lobby... O pior que essa porcaria, de eficácia discutível, custa uma fortuna (ao menos aquele que aparece no comercial da tv com o famoso apresentador de teledesgraça, desconheço outras marcas/modelos).

    Sobre andar com o corpo todo coberto, como meu uso é predominantemente em estradas, já faço isso desde sempre, porém discordo de uma lei que obrigue a isso.

    Se essa lei passar, irei aproveitar bastante meus últimos 3 anos andando de moto.

    ResponderExcluir
  13. Pelo pouco que escuto sobre acidentes motociclísticos, relatos de amigos que trabalham em salas de recuperação pós-cirúrgicas, os casos mais graves são fraturas em membros inferiores e coluna, acho pouco provável que o tal colete seja eficaz para os traumas de coluna, especialmente na região cervical, pode sim piorar, causando a sensação de segurança. A teoria do lobby é a mais aceitável, resta esperar, como motociclista, que o lobby das fabricantes de motocicletas seja mais recompensador aos nossos indistintos representantes. Será que as corporações policiais iriam arcar, as nossas custas, com os coletes, ou seria descontado em folha dos policiais?
    Luciano

    ResponderExcluir
  14. Pois é, Bob...

    Em um país que para exercer uma função médica necessita de diploma e tudo mais, para ser representante do povo, basta "assinar o nome", teremos eternamente dessas. Resolver as mazelas na base da "canetada", nunca é a melhor opção. Isso é quase uma ditadura...

    Nenhum retardado nas casas que representam o povo debatem a qualidade das vias, dos veículos, da formação dos condutores, vícios locais (tem locais no .br que o motoqueiro sequer usa capacete, não é verdade?) e este tipo de coisa que é muito mais importante que um simples colete.

    Eu tenho moto, tenho macacões de couro (dois de uma peça e um de duas peças), botas, luvas, capacetes, protetor de coluna e toda traquitana "de super herói" que se usa em pistas, para usar nos finais de semana. Usá-los durante a semana é algo humanamente impossível. Não se consegue guardar esses objetos em qualquer lugar. Uma jaqueta com bolsas infláveis, além de cara para os padrões da maioria absoluta dos tupiniquins motociclistas, é incômodo do ponto de estar com ele, fora da moto, pois é volumoso, não dobra fácil (principalmente por causa do pequeno cilindro de CO2 para inflá-la), etc. Imagine então para quem precisa usar terno e gravata...

    Isso está me cheirando é sacanagem... Alguma empresa deve ter/terá deste coletes e tem/terá de lucrar (alto) com eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está na cara que há alguém querendo lucrar com esse novo negócio e usando de todos os meios para ter a lei elaborada e aprovada.

      Excluir
  15. #ironicmodeon

    Uma proposta destas, vindo de alguém que entende tudo de trânsito, é bastante compreensível, não é?

    #ironicmodeoff

    ResponderExcluir
  16. Lei patética e "lobysta" ridículo isso, alguém deve tá levando muita grana, alguém não, varios.
    Seria muito mais util a obrigatoriedade de freios ABS em todas as motos, haja vista que muitas quedas ocorrem por imperícia na hora da frenagem, eu mesmo que ando bem de moto já cai por frear no "panico" e não conseguir corrigir.
    abçs.

    ResponderExcluir
  17. Bob, à mim parece algo como aquele período em que foi obrigatório os "kits de 1º socorro" nos automóveis. A única serventia foi fazer alguns poucos empresários enriquecer rapidamente e depois, bom, já sabemos o final...
    Proponho, aproveitando o embalo das manifestações atuais, nos mobilizarmos e invadirmos o nosso congresso (eles acham que é deles) com o maior número possível de motos para mostrar nossa indignação. Tantas e tantas coisas muito mais emergenciais p/ votar e uma senadora chinfrim que pensa que pensa propõe uma lei descabida dessas.
    Li há pouco uma placa que dizia: "se vamos importar médicos de Cuba, que tal importarmos os políticos da Suécia? " Pois bem, o momento é agora !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima idéia Acyr, já que querem importar médicos, vamos importar políticos também. Só não concordo que venham da Suécia. País socialista em plena decadência sócio-cultural, atualmente dominado por feministas radicais e outros grupos bizonhos. Capaz até dos políticos de lá se identificarem com os nossos. Prefiro importar os políticos do Japão ou da Coréia do Sul.

      Excluir
    2. Adriano, super válida sua ideia mas cabe perguntar: o povo brasileiro estaria preparado para mudar, literalmente, da água (podre) para o vinho ? Lembre-se que aqui é o país da maracutaia e jeitinho pra tudo e se o povo não mudar seus conceitos, não vai adiantar muito.
      Se numa ilhota acidentada e sujeita à tsunamis e terremotos os "japas" fazem o impensável, em que potencia transformariam nossa nação ?!?!

      Excluir
    3. Acyr,

      Depois que postei aquele comentário, pensei a respeito e cheguei a mesma conclusão que você. Quem faz os políticos é o povo ou, como diz o velho ditado, "Cada povo tem os políticos que merece". Não sei se adianta muita coisa trazer políticos sensatos e honestos de qualquer lugar que seja, se o povo não mudar.

      Há outros, mas esse é um dos motivos porque, diferente de muitos, não vejo com muito otimismo ou esperança de que surta algum efeito permanente essa onda de manifestações pelo país. Demonstrar insatisfação não basta, é preciso mudar, e não vejo o povo realmente mudando.

      Excluir
    4. E o azar é nosso. Porque esse é o ponto: o povo, desde a classe miserável com o Bolsa-Família, até o topo da elite, com financiamentos subsidiados do BNDES para as grandes empresas, vê o Estado como o grande-pai-provedor que pode dar tudo. Mas se esquecem que o Estado não gera nada, tudo o que ele tem é o que já foi tirado da sociedade antes.
      "Cada povo tem os políticos que merece". Ave Sarney, ave Lula, ave Renan!

      Excluir
  18. Só faltava essa mesmo. Coletes "air bags"...Vou virar um robocop! Imagine, ir visitar um cliente, um amigo, carregando toda essa parafernália. E no verão?

    É, Bob andar de moto era bom nos anos 70, 80, 90, quando o máximo que se tinha de usar era capacete, e olhe lá. Aqueles casacos de couro do Edmundo Maurício Correia & Filhos protegiam bem contra raladas em quedas, e contra o frio.

    Parem o mundo, que eu quero descer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz
      Isso aí, parem o mundo que eu quero descer, perfeito. Está cada vez mais complicado viver normalmente. Outro dia, no lançamento do New Fiesta em Campos do Jordão, no Grande Hotel não era permitido fumar em lugar nenhum, nem nos apartamentos. Havia, inclusive, um aviso de que se fosse descoberto o que hóspede fumou, seria cobrada uma taxa de desodorização equivalente a uma diária. É claro que fumei no quarto, até levo meu cinzeiro hoje em dia. É ridículo. Me senti mais ridículo ainda quando pedi um apartamento fumante no Marrocos e me disseram que o HOTEL era fumante...As pessoas enlouqueceram de vez. Não tenho mais a menor vontade de ir a uma choperia, pizzaria, restaurante, jantares etc. Perdeu a graça.

      Excluir
    2. Isso se chama politicamente correto, mas o politicamente correto nem sempre é o melhor. É apenas um faz de conta infantil, apoiado pela maioria.

      Hoje não podemos ser contrários ao sistema e se não agirmos de acordo com a maioria, fatalmente seremos chamados de diferentes.

      A interferência excessiva do Estado na vida das pessoas faz com que elas se tornem incapazes de gerir suas próprias vidas com desenvoltura e sensatez.

      CLONE*

      Excluir
    3. O Grande Hotel em Campos é muito fresco mesmo. Além de di$pendioso...

      Excluir
    4. TO me lixando se paspalhos me chamam de diferente. Ah, só pra saber, sou médico e não fumo, mas acho um exagero essa perseguição aos fumantes.

      Excluir
    5. Bob e a liberdade do dono do hotel em não aceitar fumantes? Isso é custo para o hotel, que terá muito mais trabalho em limpar seu quarto pra não deixar cheiro. O dono do hotel achou que no seu negócio não quer ter esse custo e talvez nem tenha meio de limpar os quartos usados por fumantes e isso é uma escolha dele.

      É mui curioso ver todo mundo falando de liberdade, de não querer o Estado se metendo em nada, mas na hora de respeitar a liberdade dos outros e aí?

      Excluir
    6. Você confundiu as coisas. Não se trata de liberdade do dono do hotel, mas vontade, coisas completamente distintas. Não é preciso liberdade para se ter vontade. Um condenado à prisão perpétua pode ter a vontade que quiser. Ele é que tentou me privar da minha liberdade de fazer algo que não é proibido ("Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei" – CF, Art. 5º, Inciso II). Se tivessem me cobrado taxa de desodorização na saída, ao fechar a conta, eu chamaria a polícia para prender o gerente e depois o processaria o hotel por danos morais. Se esse dono de hotel não quer ter o trabalho de "limpar" o quarto, para isso lançando mão de tirar a liberdade de um cliente que lhe é assegurada pela Constituição do país, que mude de ramo. Isso tudo é tão absurdo quanto "a vontade" não admitir hóspedes trajando jeans por não se coadunar com a classe do hotel, sob alegação de que o visual incomodaria os hóspedes. Não vou dar moleza à brigada antifumo, tenha certeza disso.

      Excluir
    7. Bob Sharp,

      Ao ler teu comentário lembrei, procurei e encontrei o que segue:

      "Lembro-me de um truque, particularmente cruel, que certa vez fiz com uma vespa. Ela estava sugando a geléia em meu prato, e eu a cortei no meio. Não prestou a menor atenção, mas simplesmente seguiu com sua refeição, enquanto um fino fluxo de geléia escorria de seu estômago partido. Somente quando tentou voar, deu-se conta do terrível fato que lhe tinha acontecido. O mesmo acontece com o homem moderno. Aquilo que lhe foi cortado é sua alma".
      George Orwell

      Excluir
    8. Quem tiver interesse de saber donde vem o maldito "politicamente correto" é só pesquisar sobre o marxismo cultural e gramcismo.

      Excluir
  19. O que acho que vai acontecer depois da promulgação dessa lei:
    Em um mês: Motociclistas estão morrendo com o pescoço quebrado por mau-uso do equipamento; "operações" policiais multam e apreendem motos por falta do equipamento. Quem PODE deixar a moto em casa, deixa; quem não pode paga pelo equipamento, com um preço inflacionado, ou corre o risco.
    Em seis meses: A procura por motos novas diminui; fabricantes pequenos, ou com pouco faturamento no Brasil (AKA: Todo mundo, menos a Honda) fecham concessionárias e concentram-se em exportações ou fecham as portas. São divulgados números que mostram a diminuição no número de mortes. Esse número não é proporcional à retirada de motos em circulação, pois os que ficaram, além de usar incorretamente o equipamento, ainda possuem uma sensação de segurança maior, fazendo com que se arrisquem ainda mais...
    Em um ano: Embora continue caro, o equipamento tem seu preço menos inflacionado. As vendas de motos continuam em queda, mas renúncias fiscais tentam disfarçar o fato. Andar de motousando bermudas volta a ser um costume, pois a fiscalização desse ítem (assim como é feito hoje para a exigência de sapatos fechados ao se pilotar motos atualmente...) é frouxa. A propaganda que dizia que "os carros são como lanchas e as motos como ket-skis" mostra todo seu potencial profético, com pessoas usando trajes de banho e colete para voltar de moto da praia. A PM alegará falta de pessoal para fiscalizar todas as leis. Pelo menos mais duas exigências absurdas já foram aprovadas, o que realmente não facilita o trabalho fiscalizador da autoridade policial.
    Em dois anos: A exigência é praticamente esquecida. Apenas quando comentam o elevado número de mortes, ou quando algo de mais feio ocorre é lembrado que o equipamento, caro, pesado e incômodo, deveria ser usado (" Motociclista cai da passagem de pedestres sobre caminhão que transportava implementos agrícolas ligados e tem o corpo debulhado e embalado como fardo de feno. Ele não usava o colete reflexivo nem o air-bag. Agora os esportes!").
    Em cinco anos: A gasolina chega a R$ 10,00 o litro. Vendas de motos disparam. Um empresário qualquer conseguiu miniaturizar o colete-air-bag na base do capacete, deixando o usuário surdo e amplificando os ferimentos devido ao mau-uso. Como é tosco, e um risco à saúde, o INMETRO aprova. Como é a solução legal mais barata, é a mais usada. Um novo código de trânsito entra em discussão no congresso, e a "lei do colete" é citada como uma das leis que não surtiu o resultado esperado. O número de mortes de motociclistas é cerca do dobro dos índices de antes da lei.
    Em dez anos: O código continua em discussão; ninguém mais se lembra da Lei;
    Em trinta anos: Sai o "novo" código de trânsito. Para não-surpresa geral, ele possui mais de 5 bilhões de páginas e muitas regras contraditórias. Embora a segurança das motos tenha avançado muito, as mortes avançaram ainda mais. O colete continua obrigatório, mas não fiscalizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Braulio
      Roteiro de filme à Stanley Kramer, perfeito. Parabéns pela verossimilidade!

      Excluir
  20. Repetindo meu comentário do post de ontem.

    "Por coisas assim q o brasileiro está tão indignado com a classe política. A democracia representativa aqui está nessa M porque esses vagabas dos legislativos e executivos só fazem representar os interesses desses grupos econômicos. Por que tanta gente tem dito que não se sente representado por político algum?? Porque efetivamente não está! Somos todos apenas usados para eles serem eleitos. Uma vez eleitos, tudo o que ainda vemos deles são as costas...." E conchavos como estes com o claro intuito de beneficiar meia-dúzia de fabricantes e importadores dessas coisas......

    ResponderExcluir
  21. O Brasil fica cada dia que passa um país mais insuportável. É ataque de todos os lados.

    O pior é que essas idiotices passam e são aprovadas. Se não no projeto original, "contrabandeadas" em algum outro projeto. Nossos ratos são espertíssimos.

    O congresso devia se propor a parar de legislar durante um longo período, e se ocupar em fazer cumprir, fiscalizar as leis já encontradas no ordenamento jurídico. Mas quem ganharia dinheiro com isso, não é verdade?

    E pior: o uso de tal equipamento para quem não tem consciência e preparo para guiar uma moto, só aumentará a falsa sensação de segurança. Em breve teremos motoboys zunindo mais rapidamente entre carros engarrafados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O congresso devia se propor a parar de legislar durante um longo período, e se ocupar em fazer cumprir, fiscalizar as leis já encontradas no ordenamento jurídico."
      Dr., isso não faz parte das atribuições do poder legislativo. Estude um pouco mais sobre as atribuições dos três poderes antes de dizer uma coisa como essa.

      Excluir
    2. Não faz parte mais deveria fazer. Pelo menos esses vagabundos fariam alguma coisa de útil.

      Excluir
    3. Ironia, meu caro anônimo, ironia. Mas eu explico: se nosso congresso não é capaz de legislar, poderia passar a fazer o dito acima. Confusão sobre as atribuições de cada um dos poderes é o que não falta: presidente legislando via medida provisória, congresso querendo rever decisões do supremo...

      Excluir
  22. É tão simples... Fiscalizar a autuar todos os motoristas e motociclistas que comentem infração de transito. Em pouco tempo o transito melhoraria, as pessoas respeitariam as leis e regras e os acidentes diminuiriam consideravelmente. Aqui (PE) é um festival de transitar em contramão (motos) e em acostamento (carros e motos) e as blitz, quando existem, ficam em lugares onde esse tipo de infraçao é impossível. Me parece que a polícia só faz blitz em lugares que não dê trabalho a eles, em lugares que basta parar um motorista/motociclista confortavelmente sob a sombra de uma árvore/prédio e conferir validade de CRLV e CNH... Multando todas as infraçoes, principalmente as que trazem risco de aciddentes teria, de quebra, um aumento expressivo da arrecadação. Eu não entendo de forma alguma como é que as autoridades - que sabem do festival de horrores, tenho certeza - nao correm atrás dessa mina de ouro. Chega ao absurdo e eu já presenciei, motociclista ultrapassando viatura policial em faixa dupla contínua amarela e ninguem faz absolutamente nada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiago
      Isso dá um trabalho...

      Excluir
    2. O próprio conceito de fiscalização por blitz já é errôneo. Bob Sharp e outros colunistas do AE e do Bestcars já falaram bastante do assunto e de como funciona em países decentes como a Alemanha, que é ótimo exemplo de muita coisa relacionada a carros e trânsito.

      Excluir
  23. Colete air bag ? ando de moto a mais 30 anos e em todos os tombos que levei no asfalto ralei o joelho e as vezes o tornozelo,nunca sofri nada no tórax, esse tipo de medida é feito por gente que nunca subiu em uma moto e está na cara que é pra faturar um por fora em cima de alguma empresa que vai importar tais dispositivos ! se uma lei dessa passar acho que nós motociclistas teremos que fazer um mega protesto , a sociedade brasileira não tolera mais esse tipo de absurdo !

    ResponderExcluir
  24. Fica a ideia: toda a classe de motociclistas, quem as usa para lazer, transporte e/ou trabalho, poderia organizar uma grande marcha em direção à Brasilia. Ocupar e reduzir a velocidade em todas as estradas que levam ao grande circo. Chegando lá, milhares de motos ocupando a Praça dos Três Poderes: Harleys roncando, motoboys buzinando. Só barulho, sem quebra-quebra. Eu iria. Mas de carro

    ResponderExcluir
  25. Dava pra esperar coisa boa desta laia?????

    ResponderExcluir
  26. Contar com o air-bag no momento do impacto é conveniente para o condutor e, na minha opinião, esse equipamento deve ser obrigatoriamente oferecido por fabricantes de todos os carros, motocicletas e bicicletas. Entretanto não concordo que seja necessário obrigar o proprietário do veículo usar esse salva-vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro também, além de bicicletas, skate, patinete, carrinho de rolimã e patins com air bags frontal, laterais, de cabeça, superiores para caso de capotamento, e traseiros para o caso de "entrada" por trás.

      Excluir
    2. Olá RPL, acredito que um dia chegaremos lá, se boa parte dos usuários desses veículos começarem a envolver-se em acidentes de trânsito [de carros] numa quantidade que venha causar prejuízo aos cofres públicos. Entretanto continuo não concordando que seja necessário obrigar o proprietário do veículo usar salva-vidas.

      Excluir
  27. Pra mim, deveria ser proibido andar de capacete em moto. Quem sabe desse jeito eles tomam mais cuidado.
    Ah, motos mais rápidas que carro? Talvez vocês devessem andar em Porto Alegre, onde os motoboys adoram andar devagar no corredor, trancando duas faixas para os carros. Ou se metem na frente no semáforo pra depois arrancar devagar - isso sem contar quando não percebem que o sinal já abriu.

    ResponderExcluir
  28. Bob
    Você acha que motos não são obstáculo porque você não mora em Taubaté, onde os filhos do Jeca Tatu aprenderam a andar de moto. Já derrubei três espremidos entre meu carro e a calçada quando eu estava dobrando à direita, na faixa da direita, com a seta ligada para a direita. Eles acham que qualquer buraco é permitido passar e ai de quem não abrir ou frear.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois aqui eles passam e o deslocamento de ar chega a balançar o carro...De qualquer maneira, a luz traseira das motos existe para sinalizar, não é preciso superfície retrorreflexiva alguma.

      Excluir
    2. Eu ia dizer justamente isso... Moto já tem lanterna traseira E retrorrefletor, não consigo entender o motivo para ter que se usar faixas reflexivas nas roupas, capacetes, pele, etc.

      Excluir
  29. Eu acho que o Estado não deveria se preocupar em legislar sobre o individual e sim sobre o coletivo. Explico: todo mundo sabe que se deve usar capacete (se não sabe, é assunto para campanha de comunicação, não lei). Não usar é uma opção que o indivíduo faz que tem a ver somente com sua vida. Já os óculos ou viseira, ou seja que dispositivo de proteção aos olhos for, envolve as outras pessoas, pois ao não ver corretamente, o condutor pode causar uma acidente. Pois bem, além disso, essas intromissões são feitas sem conhecimento de causa, como demonstrou bem o texto. Chega a ser ridículo, realmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo Roberto,

      A lógica de legislar sobre o individual nesse caso, é que qualquer acidente de trânsito que causa ferimento ou morte, gera despesas ao Estado. Não que eu concorde, afinal já pagamos impostos demais que se não fosse a roubalheira deveria ser mais que suficiente para o Estado não se meter na vida do cidadão, mas a lógica é essa. Nos EUA o uso do capacete não é obrigatório em muitos estados, mas lá o sistema de saúde não é financiado pelo governo.

      Excluir
    2. Discordo. O que mais desoneraria o sistema de saúde é a prevenção dos acidentes, palavra desconhecida aqui em nosso trânsito. Não adianta continuar a andar como louco só que usando colete obrigatório. A lei deve ser coletiva, não individual. Já pensou uma lei obrigando a parar de fumar? Desoneraria o sistema de saúde, não é?

      Excluir
    3. Realmente, o caminho é educação e prevenção. Como eu disse não concordo com a lógica que citei mas é assim que o governo pensa... concordamos em discordar. :)

      Excluir
  30. Caro Bob
    Não entendo a sua revolta com esse projeto de lei (que ainda ira para votação) Sendo que o mesmo visa aumentar a segurança do motociclista em caso de acidente. Se for para causar menos mortes e traumas (menos traumas = menos motociclista aposentados por invalidez oque significa menos recursos que seriam usados para pagar aposentadorias compulsórias por invalidez precoce, assim menos recursos do estado sendo usados para aposentadorias de quem tem idade para ser economicamente ativo) Custos aumentaram mais é um investimento em segurança e estamos falando de pessoas (pais, mães, filhos, netos etc) oque não é uma ciência exata. Entendo que na sua época o uso de moto significava rebeldia, transgressão enfim mais os tempos são outros e hoje o uso de moto principalmente nos grandes centros significa trabalho e sustento de milhares de famílias. E pais de famílias não se podem dar ao luxo de sofrerem acidentes ou morrerem. E sim continuará existindo o nicho de motos grandes e potentes como sempre existiu, só que não podemos continuar vivendo como a 20, 30, 40 anos atrás já que eram outros tempos e outras prioridades. As coisas evoluem e sempre evoluem para melhor. Esse é o ciclo natural da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A educação e o respeito pelas leis de transito salvam muito mais vidas. Já presenciei um motociclista, na contramão, em alta velocidade atingir um bicicletista que tentava atravessar o transito - totalmente parado na minha mão e do motociclista e totalmente livre sentido contrário. Não deu outra: o motociclista acertou o bicicletista bem no meio e o resultado foram tres pessoas (motociclista, garupa e bicicletista) feridos e que, pelo jeito, precisaram de ambulancias e vagas no hospital/pronto socorro mais proximo. Se tivesse não tivesse desrespeitado ao menos treis leis - contramão, excesso de velocidade e direção perigosa, ninguem teria se machucado. A saida é fiscalizar 24/7 e multar sem exceção *todas* as infraçoes, tanto cometidas por carros quanto por motos, caminhoes e onibus (estes ultimos, os piores, em minha opiniao). Aí sim se resolve o problema de forma efetiva, eficaz e de uma vez.

      Excluir
    2. Não discordo em nada de suas palavras Mateus, porém, qual é o estudo que comprova que tal colete, confeccionado de determinado material, fabricado por aquela ou esta empresa, que segue padrões aceitos internacionalmente, que testou o produto extensivamente, que foram feitos incansáveis testes com corpos de prova nas mais críticas situações encontradas por um motociclista em seu possível deslocamento passível de ação externa, estudo este, conduzido por técnicos especializados e certificados, com vasta experiência na área, que atestou eficácia na redução de traumas e mortes do condutor superior a XX % ? Onde está ?

      No Brasil é muito comum "inventar" soluções e botá-las goela abaixo. Simples assim.

      Excluir
    3. Ao Tiago:

      Acho muito valido ter que fiscalizar e punir quem desrespeita as infrações de transito, porém a melhor maneira é se educar ao volante quem conduz qualquer tipo de veiculo em ruas, estradas e avenidas, inclusive ciclistas, pois a partir do momento que o veiculo está em via publica qualquer acidente pode ter consequências catastróficas aos envolvidos, como motorista e motociclista aos finais de semana vejo muitas barbaridades de ambos os lados, pessoas irresponsáveis, sobre efeito de álcool, excesso de velocidade entre outros, mais nem se fosse Ari Vatanen ao volante de um veiculo inseguro em uma via insegura se salvaria de uma colisão. Do mesmo jeito que um mané ao volante de um Volvo não faz milagres. Somos Humanos e todos erramos uns mais em alguns aspecto outros de outras formas.

      Ace

      Para isso existe órgãos fiscalizadores de materiais específicos assim como Inmetro e outros órgãos então desculpas não existem para ser colocados em pratica. E não devemos se submeter em padrões adotados em outros países, e sim criar nossos próprios padrões tão ou mais rigorosos. Sobre inventar soluções, acho que nesse caso não foi inventada uma solução e sim posto em pratica algo que tenta minimizar esse fato. Pra mim quem está contra esse argumento é o mesmo tipo de gente que é contra air-bag e freios abs em carros e motos. Nem todos somos Rossi ou Loeb como muitos aqui se jugam meu caro Ace

      Excluir
    4. Fiscalização e respeito as leis são utopia, ainda mais com motos. Por isso essa solução não é tão ridicula assim, cada povo ganha o que merece

      Excluir
    5. Mateus
      O quê??? Na minha época moto significava rebeldia, nos anos 1970??? O que você anda lendo? Eu e muitos usávamos a moto para transporte urbano, para o trabalho e lazer. E quem disse que a bolsa-colete será a salvação dos motociclistas nos acidentes? Será que só se morre caindo? Não há outros tipos de acidentes? Mas numa coisa você tem razão, os tempos são outros. Tempos de intromissão de governos nas nossas vidas, algo inadmissível

      Excluir
    6. Mateus, eu uso a moto para ir trabalhar, mas uso pra lazer também. Gosto de ir no parque municipal fazer caminhada. Essa lei ridícula me impossibilitaria totalmente, imagina vestir calça comprida, jaqueta, luvas, esse colete e ir lá pro parque caminhar...imaginou? Pois então, absolutamente ridícula e despropositada.

      Excluir
    7. Ah tá, e autorizam os donos de carros a colarem os tais sacos de lixo nos vidros dos carros e depois
      obrigam o motociclista a usar colete reflexivo, adesivos reflexivos até no capacete, pra serem vistos com mais facilidade... mui inteligente...

      Excluir
  31. Lorenzo Frigerio12/07/13 14:35

    Mais uma coisa como o "sistema de cores PAL-M", a gasolina com 20 a 25% de álcool, ou os "plugs/tomadas ABNT", que SÓ EXISTEM NO BRASIL...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa comparação não tem sentido. Porque? Porque esse projeto de "lei do colete inflavel" simplesmente não tem sentido.
      Já o padrão PAL-M tem sentido simplesmente porque obteve qualidade de imagem muito superior ao NTSC e ao mesmo tempo manteve compatibilidade com o sistema de TV vigente à época (em preto-e-branco, ou melhor, em tons de cinza).
      Com relação a gasolina com 20% a 25% de álcool, voce sabe que há várias razões históricas para isso. Nos USA por exemplo, a gasolina contém sempre 10% de álcool.
      A nossa gasolina tem octanagem levemente acima das respectivas gasolinas americanas justamente por esse percentual de álcool. Não fosse isso, a octanagem seria significativamente menor, e ao mesmo tempo a gasolina seria mais cara. Foi uma solução de compromisso (relativamente bem balanceada).

      Excluir
    2. Complementando o bussoranga, a tomada é iso não abnt... É um novo padrão que deve ser adotado no mundo inteiro. Já comprei produtos da China e vinha essa tomada.

      Excluir
    3. Passado o transtorno inicial, passei a gostar do novo padrão brasileiro de tomadas e plugues. Proporcionam um encaixe mais sólido, além de ampliar o limite de corrente (opcionalmente) para 20A.

      Excluir
    4. Bussoranga
      Na época assisti muita tevê nos EUA, em NTSC, e não havia nada de errado com a cor. Lá passaram de preto-ao-branco para o NTSC sem nenhum problema. Essa história está meio mal-contada. Sobre as "razões históricas" elas não existem, foi tudo lobby dos produtores de álcool (e que continua até hoje, haja vista terem incentivado o carro flex, pois ninguém queria mais saber de álcool). Nos EUA não é toda gasolina que tem 10% de álcool, a E10, lá se pode escolher E0. Mas o queniano mandou criarem a E15, está dando a maior confusão lá. Fábricas estão negando garantia se o OBD detectar irregularidade na mistura ar-combustível. E as nossas octanagens são iguais às americanas, não são maiores. A nossa gasolina premium de 98 octanas é Super européia de 95 octanas, por causa do álcool. Já temos gasolina mundial aqui. Em 1996 a Petrobrás quis lançar a Super de 95 RON para os importados, mas o governo (lobby da bancada ruralista) vetou. Como eu já disse inúmeras vezes, temos uma maldição energética.

      Excluir
  32. Inocência isso num é? Se Vcs não sabem quem vai lucrar com isso? pergunte-se assim, "quem no Brasil produz este tal de colete?" simples né?, no Brasil ninguém produz, e ai? ai vão ver que só existe um empresa no Brasil autorizada a produzir este tipo de equipamento, e quem quiser vender este produto ou similar, somente sob licença deste senhor, que originalmente iniciou esta lei, ou pensam que o senador Humberto Costa(lembram do caso dos sangue suga?) iria deixar outra pessoa dar um ideia brilhantes como esta? e lá de longe? Este senhor e seus comparsas aqui dentro do PTernambuco, é um grande produtor de "laranjas", nenhuma empresa está no nome deles, empresas e seus laranjas, estão em terceirizadas de serviços de limpeza, segurança, fabricas de detergentes, sabão, e até tijolos entre travados,etc..etc... todas fornecedoras dos governos municipais e estaduais, a briga é grande com o governador atual, é briga de cachorro grande, Reformas de prédios públicos são feitas do dia para a noite, a guarda patrimonial que eram feitas pelos policiais em fim de carreira próximos da aposentadoria, foram retirados, e agora é uma empresa terceirizadas, há "agentes" dos governos que ficam procurando obras para serem realizadas, todas em caráter emergencial que livra as licitações, reformas de calçadas onde retiram as pedras seculares de frente aos prédios igualmente tombados pelo patrimônio público, e lá colocam-se os tijolos novos, revisões elétricas e reformas para evitar chuvas, em lugares que não chove um copo de água, coisas absurdas acontecem e o ministério público não vê, ou faz que não vê, pois até um leigo como eu, que trabalho de fronte a um prédio destes, já perdi a conta, de quantas pinturas já foram feitas, e quantos carros alugados já passaram de fronte com o brasão do estado, e logo ao lado, uma escola, que constantemente, passa por intervenção, hora da compensa, da celpe, oi, e lá vai outra reforma no calçamento, se sou burro e consigo ver isso, porquê outros não conseguem, verdadeira indústrias de reformas diárias compra de materiais etc...... e agora que correm o risco de perder a boquinha, até 2014 vão ser intensificados... quem viver verá.

    ResponderExcluir
  33. Será aprovada tal lei, assim como o foi a lei do kit de primeiros socorros (1999), a lei do extintor automotivo ABC (imaginem quanto de gorjeta - ops, verba de incentivo! - a Kidde/Yannes forneceu), assim como foi aprovada a tomada elétrica "padrão brasileiro"... Lamentável que em órgãos como o INMETRO, a ABNT, a ANP, a PETROBRAS e diversos outros, existam muito mais cargos políticos do que técnicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CSS
      Quando eu trabalhava na GM, um Omega que passei a usar veio com o kit de primeiros socorros, pois era obrigatório. Aí aconteceu que a lei foi revogada e a direção da GM mandou retirar os kit de todos os carros de frota para doá-los para a Santa Casa. Me recusei a entregar o do meu carro pela simples razão de ter sua utilidade, mesmo que pouca. Precisava ver o auêi...Mas acabaram concordando com o meu ponto de vista e muitos me acompanharam. Um total idiotice, só porque deixou de ser obrigatório tirar dos carros. Muy inteligentes...

      Excluir
    2. Não saberia fazer quase nada com o tal kit. Tratou-se de mais uma palhaçada dos legisladores tupiniquins.

      Excluir
  34. O eterno problema de os políticos não serem especializados em nenhuma área. Ah se todos os políticos fossem engenheiros !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se retardados como são hoje, já fazem esse estrago imenso... fico pensando se não usariam maior capacidade intelectual pro mal... ah sim, claro que usariam.

      Excluir
  35. Na California (lá as leis de trânsito são estaduais) o motociclista pode até andar sem capacete, se o seu seguro-saúde cobrir isso. Se quiser arriscar tem que estar coberto e não onerar o sistema de saúde público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comodoro
      Não conheço ninguém que não tenha seguro-saúde. Até nossa empregada tem. Portanto, isso de onerar o governo com despesas hospitalares precisa ser melhor avaliado.

      Excluir
    2. Desculpe Bob, mas acho que não! Se a grande maioria das pessoas tivesse seguro-saúde, não se presenciariam as filas intermináveis no sistema público de saúde. Claro, com certeza as pessoas do "nosso" meio tem, mas para o pessoal que mora nas periferias, e inclusive para a massa que faz uso de CG, Biz e outras motos de baixo custo de aquisição, geralmente essa é uma realidade distante.

      Bob, estou estudando para concurso e descobri que existe uma lei que proíbe às empresas que contratam esse tipo de mão de obra, premiações por cumprimento de metas para motoboys. Sabemos o quanto é falha a efetiva aplicação das leis aqui no Brasil, mas vi nessa (12436/11) um grande passo à frente. Lamentavelmente as boas leis não são divulgadas, ou o são de forma muito superficial.

      Excluir
    3. Sistema público de saúde nos EUA? Onde?

      Excluir
    4. Particular, ótimo, desde que vc possa pagar. Eu não gosto do sistema, gosto do Inglês, bem justo.

      Excluir
  36. Mateus, me permita discordar do teu ponto de vista...Voce realmente acredita que uma bolsa inflavel surtira efeito nos acidentes de motocicleta? Tens conhecimento de quantos por cento dos acidentes graves de moto são referentes a apenas consequencia do tombo? Basta dar uma pequena olhada nas manchetes dos jornais para perceber que a quase totalidade dos acidentes são originados por imprudencia ou despreparo ou ainda, total falta de infraestrutura nas vias, cuja responsabilidade assim como a da educação adequada para o condutor deveria ser dada pelo estado, uma vez que ele avoca para si toda a arrecadação inerente ao uso destes veiculos de duas rodas... Isto cheira mais a uma tentiva desesperada do estado para se eximir do processo inerente a sua incapacitação para gerenciar e transferir para outro que não ele a responsabilidade pelo atendimento de saúde provocado pela sua incompetencia...

    ResponderExcluir
  37. Claudio Fischgold12/07/13 16:40

    Este projeto está incompleto. Ficou faltando a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança. Já imaginaram se na queda, o motociclista vai para um lado e a moto pro outro ? O risco de perde-la é muito grande. O cinto de segurança elimina esta dolorosa (financeiramente falando) possibilidade.

    :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudio
      Fique quieto, não dê essa idéia que é bem capaz de a aproveitarem!

      Excluir
  38. Antônio Martins12/07/13 17:27

    Na cabeça desses burros quem faz a segurança do andar de moto são os equipamentos, e não o motociclista.

    E o pessoal da mídia acha o máximo, motociclista fantasiado de Valentino Rossi... Tanto que fiz um comentário no Notícias Automotivas sobre não ser inseguro pilotar sem capacete - já que fiz isso no país mais preocupado com segurança, os EUA - e simplesmente fui banido pelo Eber do Carmo (o avaliador que ordenha vaca a cada esquina).

    Ou seja, estamos perdidos, ninguém está mais pensando nesse país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem capacete acho que vc já estava falando groselha, mas só acho.

      Excluir
    2. Antônio Martins12/07/13 20:14

      Ainda bem que vc "só acha". Ainda dá tempo de vc sair desse rebanho de gente que não pensa. Uso de capacete vai do bom senso, não precisa de lei, lá na Flórida, quando se vai a uma via rápida, todos procuram colocá-lo, mas não para dar um passeio na boa.

      Excluir
    3. Antônio Martins
      Essa de ser banido pelo ordenhador de vaca é típico...Concordo com você, eu só usava capacete se fosse andar mais rápido. E, claro, concordo com o que você disse sobre ninguém estar mais pensando nesse país.

      Excluir
    4. Antonio e Bob a opinião de vocês precisa de um choque de realidade e de enxergar que são extremistas ao achar que até capacete não tem que ser obrigatório, vamos por partes;

      1- O que vocês acham dos que defendem que os "menores infratores" não devem ser nunca punidos com rigor, que são sempre vítmas e que "punir não adianta nada"? Nem preciso responder, certo?

      No mundo de fantasia dessas pessoas, os menores não sabem o que fazem, fazem porque foram obrigados e com apenas 3 anos de punição pra qualquer crime irão aprender a nunca mais fazer aquilo. No mundo de fantasia de vocês estão esquecendo que a maioria dos motoqueiros dirige com total irresponsabilidade e se acidentar é uma CERTEZA, ou acham que motoboy pilota dando um passeio de boa (sic)?

      2- Tem uma coisa chamada RESPONSABILIDADE LEGAL, no dia que vocês sairem dos bairros de elite onde moram e da vida pacata e se envolverem num acidente com um motoqueiro/motoboy vocês saberão o que é isso.

      Não interessa que vocês tenham razão, que a culpa não seja de vocês e que o cachorro louco estava até bebado. Se ele se ferir você VAI SER OBRIGADO por lei (e por violência também) a parar, dar socorro, fazer BO e vai ser ENQUADRADO EM LESÃO CORPORAL além de dano material.

      Se o acidente for grave, vai RESPONDER A PROCESSO (seja pela vitma ou pelo estado) e nosso judiciário provávelmente te culpará na primeira instancia.

      3- Além da responsabilidade um acidente com vitma tem custos para a saúde (pública 99% das vezes), para a polícia que é obrigada a ir ao local, fazer perícia e investigação, para a justiça (que ainda vai ter que dar defensor público) e o trânsito também se prejudica.

      Por isso que se inventam mecanismos legais para POR LIMITES na responsabilidade legal e TERMINAR BRIGAS E MAIS CUSTOS PARA O CIDADÃO E A SOCIEDADE. Se o cabra se arrebentou e estava sem capacete, a própria PM já termina a ocorrência tendo por base a falta do equipamento OBRIGATÓRIO e então o Estado nem os outros envolvidos são obrigados a qualquer outra coisa a não ser dar socorro.

      Se o cabra achar que ainda assim está com a razão, vai ter que fazer tudo sozinho e PROVAR que você tem responsabilidade mesmo assim (99% de chance de ser ignorado pela polícia e a justiça nesse caso).

      4- Pensem nos mais pobres e nos menos abençoados que vocês, uma ambulância do SUS em SP pode não estar disponível para um doente por estar atendendo os incontáveis casos de acidentes com vitima envolvendo motoqueiros.

      Também nem todos tem seus chegados em delegacia e na justiça e para esses (maioria da população) um acidente com motoqueiro ferido é igual a dias perdidos em delegacia, problemas com a justiça, ameaças e até ter que pagar indeização MESMO SEM TER CULPA.

      Excluir
    5. 5- Achar que fiscalização e educação vai acontecer ou mudar alguma coisa para esses baderneiros é estar no mundo de fantasia igual aos que acham que "menores não sabem o que fazem". Se não for por lei e com multa, vira caos e vai ter cabra achando que voar nos corredores em SP sem capacete não está errado e se acontecer alguma coisa, VOCÊ que tem que pagar.

      Assim sendo, como eles estão num espaço público e suas ações fazem responsabilidade legal e custos PARA TODOS e como não vão obedecer a educação, pedidos ou fiscalização, QUE LASQUEM MULTA E ITENS DE SEGURANÇA OBRIGATÓRIOS PARA ELES.

      Se fossem itens ridículos, seria de se concordar, mas tirando o colete todos os itens fazem diferença na segurança (eles precisam) e LIVRAM A RESPONSABILIDADE E CUSTOS dos outros no caso de fazerem bobagem sem estar com os itens obrigatórios.

      Não venham com essa de que o capacete não faz diferença, façam o favor. Sem ele qualquer batidinha vira acidente grave em potencial e isso significa MAIS CUSTOS E RESPONSABILIDADE.

      6- Nos EUA plano de saúde é pago, o custo da brincadeira diminui muito e hoje são o maior Estado policial do mundo. Grande liberdade poder andar sem capacete e não ter saúde se você for pobre além de ser espionado e manipulado o tempo todo. Tente discutir religião, imigração ou qualquer tema polemico e inconveniente ao governo nos EUA e veja a censura e repressão que vai sofrer.

      Excluir
  39. Vai ser mais um projeto como o descrito acima pelo "CSS"...
    O que me aborrece não é usar o equipamento de segurança e sim, ter um "paizão" que determina que eu "tenho" que andar com tal coisa...
    Eu penso assim: - criaram algo novo, de segurança? Beleza, ponha no mercado, abaixem os impostos, incentivem o uso. Façam programas educativos. Mas, quem escolhe se vai usar ou não sou eu, é minha vida, não a deles.
    Se não me engano, na Califórnia é assim até para o capacete...
    Mania que o governo tem de nos tratar como crianças incompetentes e incapazes de escolher o nosso próprio destino...
    Em breve deve vir a obrigatoriedade de se colocar "rodinhas" na moto para não cair de lado... igual as bicicletas de criancinhas...
    Mas na verdade sabemos que, atras de um projeto destes, tem muitos ganhando horrores de dinheiro com a venda dos novos produtos... Que segurança nada...
    Se o Estado fizesse a lei de transito realmente valer, já diminuiria drasticamente os acidentes. Ultrapassagens perigosas, excesso de velocidade entre os veículos, motos (e carros) sem condição minima de segurança... e condutores sem nenhum tipo de treinamento. Isto sim é perigoso.

    ResponderExcluir
  40. Em breve vamos ser obrigados a sair na rua dentro de uma bolha plástica, para nos proteger de eventuais atropelamentos e para poder respirar o ar poluído e devidamente filtrado.
    Nada de contato, intencional ou não, com outras pessoas, carros, motos, ônibus e cachorros de madames.
    Quem for pego circulando fora da bolha será multado e preso em flagrante delito contra os direitos humanos de intocabilidade.
    Vai ter gente se mudando para Marte, pois será a mesma coisa que viver na Terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em breve, o governo vai concluir que é perigoso demais sair de casa, que na rua acabamos nos expondo a diversos problemas e riscos, de poluição a acidentes, e que isso tudo representa uma sobrecarga ao serviço de saúde pública. Então seremos todos proibidos por lei de sair de casa. Mas calma, é tudo pro nosso próprio bem, claro...

      Excluir
    2. Sabem o que é pior? Chegaremos a esse ponto, e aposto que os ônibus urbanos continuarão sem cinto de segurança e airbag para todos os passageiros, sem cadeirinha pra bebês, isso sem falar nos passageiros em pé sem segurança alguma.

      Enquanto isso, se vc está dirigindo seu carro e vê na rua uma pessoa conhecida com bebê caminhando sob chuva ou sol forte, não pode mais oferecer carona se não quiser correr o risco de ser multado por estar transportando criança sem a cadeirinha...

      Governo superprotetor, mas nunca quando não lhe convém. É de dar nojo a hipocrisia.

      Excluir
    3. JT,

      Essa bolha já existe e é popularmente conhecida como "carro". Nessa bolha há vários mecanismos de segurança, inclusive air-bag. Acredito que no futuro, quem for pego circulando fora da bolha será multado e preso em flagrante delito contra os direitos humanos de intocabilidade.

      Excluir
  41. Soluções para o trânsito são:
    - educação para respeito às leis;
    - ruas e estradas bem cuidadas e sinalizadas.

    Já fui motociclista e caí duas vezes atropelando cachorro. Não acho que o colete me deixaria mais seguro na queda.

    Hoje mesmo quase atropelei um motoqueiro. Ele andava lentamente na minha frente, numa avenida central de BH, faixa da direita. Dei seta para entrar à direita, por um instante pensei que ele ia seguir em frente. Quando ele já estava quase passando a rua, deu seta e entrou com tudo! Fechei bem a curva e me livrei da batida, buzinando. Não creio que o colete fosse evitar que ele se machucasse ao bater no meu carro ou cair no chão...

    Ele deveria, isso sim, ficar mais ligado no trânsito, parar de pensar que a rua é só dele... hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na dúvida não tente forçar ultrapassagem e mantenha distância do veículo que está à frente. Além disto, evite buzinar enquanto realiza uma manobra em curva perigosa. Neste caso, o motociclista poderia ter levado um susto e isto provavelmente causaria um acidente.

      Excluir
  42. Bob

    Parlamentares medíocres... leis medíocres.

    Nada mais me surpreende.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FVG
      Tampouco a mim. E esses idiotas em vez de criar mecanismos para acabar de vez com os guardadores de carros, criam lei regulamentando a atividade.

      Excluir
    2. Concordo sobre os guardadores, Bob. É um absurdo. Deveriam ser feitas com regularidade forças-tarefa com policiais e veiculos a paisana circulando pelas cidades e simulando estacionarem nas vagas, dando voz de prisão imediata por crime de extorsão a qualquer guardador que os abordar e pedir dinheiro pra "cuidar do carro" - não apenas em eventos e locais movimentados, mas na cidade inteira, para tornar inviável esse modo de vida. Juntamenta a campanhas regulares veiculadas em jornais e televisão clamando aos motoristas para não dar dinheiro e denunciarem a atividade.

      Com essas medidas, acredito que em 1 ou 2 anos os "flanelinhas" seriam erradicados. É tão simples...

      Excluir
  43. Jaqueta inflável é realmente temerário, nunca vi estudo que comprove sua eficácia.
    Quanto ao colete reflexivo par motoboy sou absolutamente à favor. Engana-se quem acha que não existam situações onde o motoboy não esteja em velocidade menor que outro veículo ou que não seja plenamente visível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo
      Nunca vi um motoboy mais lento que eu. E luz traseira existe para quê? Para enfeitar a moto?

      Excluir
    2. Antônio Martins12/07/13 21:43

      Daqui a pouco vão inventar refletores por toda a volta do automóvel como nos caminhões, não é difícil não, é só questão de tempo.

      E o pior é que o povo é cego em dois pontos:

      1) por não perceber que essas medidas são associadas a multas, e eles vão arrecadar mais, por isso a "preocupação" com o cidadão

      2) por achar que a última coisa que faz um automóvel ser seguro ao trafegar é o motorista, quando deveria ser o primeiro. Já tem idiota achando que não existe acidente fatal por ter estar num carro 5 estrelas. Prefiro guiar eu um Trabant do que pegar carona num Volvo com essa turma...

      Excluir
    3. Pegando "carona" no assunto: por falar nessa palavra, vamos ver, e só o tempo dirá, como fica na prática a eficácia do conjunto ABS/airbag em modelos populares nos quais a segurança passiva é parca, para não dizer inexistente.

      Será que o emprego desses itens obrigatórios (e que com certeza são produzidos por poucos fornecedores - para não dizer um único) realmente possuem algum embasamento que comprove sua real participação na redução do número de vítimas de acidentes?

      Excluir
    4. Ah tá, e autorizam os donos de carros a colarem os tais sacos de lixo nos vidros dos carros e depois
      obrigam o motociclista a usar colete reflexivo, adesivos reflexivos até no capacete, pra serem vistos com mais facilidade... mui inteligente...

      Excluir
  44. Não é possível, essa lei não vai ser cumprida integralmente nunca, mesmo sendo infração gravíssima. Coisa mais absurda, o pessoal lá da ilha se esqueceu que vivemos num país tropical, de temperaturas mais elevadas praticamente o ano todo? Imagine o absurdo que vai ser um coitado de motociclista no meio do trânsito travado, no verão de rachar destas terrinhas tupiniquins, todo paramentado para cumprir a lei. Chega a ser uma afronta à saúde da pessoa!

    Alguém aí duvida que tem político espertalhão envolvido na venda/manufatura dos coletes infláveis?

    ResponderExcluir
  45. Abandonei as motos há muito. Já tive com elas perdas materiais e as piores, as humanas. São extremamente inseguras, a despeito do prazer que proporcionam. E a relação com os demais veículos está cada vez pior. Elas estão envolvidas estatisticamente em cada vez mais sinistros, numa escalada exponencial. Algo precisa ser feito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tuhu
      Motos são tão inseguras quanto armas de fogo. Depende de quem e como as usa.

      Excluir
    2. Mas que o trânsito sem motos e sem ônibus torna-se agradável, isso sim. Ia dizer também sem pedestres, mas deixemos quieto...

      Excluir
    3. Pois é, prezado Bob, o problema é exatamente esse. Cada vez temos menos usuários dignos desse nome...

      Excluir
    4. Estou com o Tuhu, Bob. A segurança delas não depende só de quem as usa, e como usa. Depende (entre outras coisas) dos usuários dos demais veículos. Ok, não há como negar que com os carros também acontece isso, mas no caso deles (carros) existe uma proteção bem maior que nas motos, onde o condutor e o carona, se houver, são literalmente o para-choque. A exposição que se tem sobre uma moto é brutal. Considero-as tão perigosas, que tenho até uma definição (jocosa, mas que creio ter um fundo de verdade) para a coisa, que é a seguinte: "carros foram feitos para transportar e eventualmente, matam. Motos foram feitas para matar e eventualmente, transportam". E já que você falou em armas de fogo: agora é só esperar pela saraivada de balas dos amantes das duas rodas, he, he, he!
      Abraço.

      Excluir
    5. Antônio Martins13/07/13 04:25

      O que vejo no dia a dia de São Paulo é justamente o contrário Mr. Car, eles vivem se acidentando porque se colocam em situação de risco. Não usam nada de direção defensiva, quando deveriam usar sempre mais do se estivessem guiando um automóvel, nunca menos, ou nada, que é o que ocorre.

      Aqui perto de casa tem uma via de 4 faixas onde muitos carros saem duma travessa à direita para daqui 100 ou 200 metros pegar a estrema esquerda e fazer um retorno. Ali todo dia caem vários, uns morrem uns ficam feridos, porque passam zunindo (2 a 3 vezes a velocidade do fluxo) e buzinando [que método fantástico de se proteger, eu buzino, se vc não sair da frente eu morro (sic)] no corredor entre os carros cruzando as faixas. Isso só tem um nome: burrice. A moto em si não tem culpa nenhuma.

      Excluir
    6. Anônimo 12/07/13 22:36 Concordo! O Blog sem os seus comentários desnecessários também.

      Excluir
    7. Antônio, o que você vê não é o contrário do que digo, é complementar ao que digo: além dos acidentes causados por terceiros, os motoqueiros sofrem os causados por eles mesmos.

      Excluir
    8. Antônio Martins13/07/13 16:23

      O "causado por terceiros" a maioria é acidente por falta mínima de direção defensiva. Se eu guiasse automóvel igual eles bateria todo dia.

      O método que eles usam - buzino, se não sair da frente eu morro - já resume a falta de cabeça dessa turma.

      Excluir
    9. E vocês acham que essa burrice vai mudar? Vivemos no paraíso? Se eles são assim, que mandem leis pra deixar a conta pro resto o mais baixo possível, liberdade é pra quem conquista.

      Luiz AG só um alo, o blog é sobre carros, ninguém vai ficar defendendo moto aqui.

      Excluir
    10. Mr. Car12/07/13 23:25

      Desta vez o senhor se superou e conseguiu ficar abaixo da crítica.
      Sem comentários...

      Excluir
  46. A verdade é que estamos nos tornando idiotas. Precisamos agora de Lei Seca porque não sabemos mais beber. Precisamos de ABS porque não sabemos mais frear. Precisamos Air Bag porque não sabemos mais evitar um acidente. E precisamos de um governo para decidir isso porque não sabemos mais cuidar de nossas vidas.

    O Ultrage a Rigor estava certo, isso a quase 30 anos atrás... Inútil... A sente somos inútil.

    ResponderExcluir
  47. Essas leis só vão para a frente no Congresso porque existe um clamor popular para que os acidentes de moto com vítimas diminuam, e porque ninguém se lembra de consultar os especialistas a respeito de um determinado assunto na hora de criar esse ou aquele projeto de lei.

    E, principalmente, na hora de aprovar os assuntos com pressa, como se "trabalhar" fosse sinônimo de criar novos mecanismos para prejudicar o cidadão.

    ResponderExcluir
  48. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  49. Adriano,

    É a pura verdade essa da cadeirinha.

    ResponderExcluir
  50. Existem coisas difíceis de entender neste país.

    Leis, por exemplo, temos de montão. Mas só algumas respeitadas e fiscalizadas.

    Democrático como sempre fui, não gostaria de chegar ao ponto de torcer para que algo diferente, se é que me entendem, acontecesse, mas a cada dia que passa, vejo que talvez seja o único caminho a seguir.

    Estou com nojo desta palhaçada toda!

    ResponderExcluir
  51. Antonio Carlos13/07/13 16:10

    Sou médico ortopedista e atendo em PS públicos e privados e nos acidentes de motos a incidência de lesões de membros inferiores é muito maior do que tórax e membros superiores. Será que vão inventar e obrigar bolsas infláveis para pernas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio Martins13/07/13 16:27

      Na maioria das vezes o capacete nem toca o solo, e o pessoal acha que ele é salvação da pátria. Agora o salvador é o colete do garoto propaganda Datena, daqui a pouco vai ter esse para as pernas.

      E pilotar melhor? Alguém está afim? Ah, não, acidentes acontecem, dizem.

      Deve ser a seleção natural de Darwin.

      Excluir
    2. Se a seleção natural não trouxesse problemas para os que não tem nada a ver

      Mas essa seleção pesa nos cofres púbicos e de quem é envolvido e passa por investigação, processos e até ameaça (lembre-se que nosso judiciário passa a mão na cabeça do que é mais coitado antes de passar no que estava certo)

      Excluir
    3. Antônio Martins14/07/13 00:30

      Plano de saúde qualquer assalariado tem hoje. E mesmo que não fosse o caso, o Estado deveria investir mais no aprendizado e formação, se pretende gastar menos com acidentado. A melhor peça para se evitar ou diminuir as consequencias de um acidente ainda é o condutor.

      Excluir
    4. De novo Sr. Antonio, saia do bairro de elite e da vida pacata e veja a realidade. A maior parte do povo não tem plano de saúde e motoqueiro que trabalha por conta muito menos, além disso aprendizado é uma outra lenda que nos fazem engolir e que os mais abastados acreditam que arruma tudo.

      A realidade é que a maioria NÃO QUER APRENDER e pra esses que se coloquem multas, itens obrigatórios e tudo mais que tire custos e problemas legais, deixando de infernizar a saúde pública e os outros que tem a infelicidade de se envolverem em acidentes com esses cabras.

      Quem quiser andar sem os itens obrigatórios (até mesmo capacete) que ande, a multa qualquer assalariado pode pagar e aí assuma a responsabilidade por inteiro em acidentes. O que não dá pra aguentar é ver que não querem usar item de segurança nenhum e depois em acidente é aquele chororo de fiquei ferido, me pague, tenho direito do dpvat, sou trabalhador/pai de família, vou te processar, sabe quem eu sou, etc.

      Se fosse seleção natural mesmo e sem chororo tudo bem, mas na hora é sempre assim, seja coitadinho seja "gente importante"

      Ainda bem que as leis colocam um ponto em tudo isso, está claro que não chegamos ainda num mundo em que não se precise de leis.

      Excluir
  52. EU:
    Sou motociclista a mais de trinta anos. Moto para mim é um veículo de lazer e também um ótimo meio de transporte, ando sempre bem equipado e incentivo a todos que usem sempre os equipamentos de proteção para andar de moto.
    AGORA MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE PROJETO DE LEI:
    É a coisa mais absurda e ridícula que vi nos últimos tempos, chega as raias do inacreditável. O Bob tem razão, parece mesmo brincadeira, uma pegadinha. Acredito que essa lei não passe, mas mesmo assim não deixa de ser profundamente lamentável por refletir a miséria política que estamso vivenciando...

    ResponderExcluir
  53. Mais uma idéia infeliz! Imagino o Lobby dos fabricantes desses coletes. São os únicos que se beneficiariam!

    Pensar em mudar a forma que as auto-escolas ensinam a pilotar ninguém quer!
    Absurdo a pessoa ficar dando voltas em um pista pré-determinada, em primeira ou segunda marcha, tendo como informação "não use o freio dianteiro que é chão na certa". Não consigo entender como que um motociclista formado desta forma possa sobreviver ao trânsito das capitais.

    Abraço
    http://dipoloeletrico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  54. ATENÇÃO!


    Essa vaca da Ana Amélia junto com o cretino Marcelo Crivella querem reapresentar o Projeto de Lei 728/2011.
    Que torna os protestos no Brasil ato de terrorismo com pena de 15 a 30 anos de prisão.

    http://www.jlnews.com.br/politica/crivella-quer-lei-que-considere-protesto-como-terrorismo

    ResponderExcluir
  55. Colete inflavel é uma boa idéia! MAS ser obrigatório é uma péssima idéia....
    As auto escolas de modo geral (pelo q converso com o meus amigos que estão fazendo e por experiência própria) nao ensinam a andar na rua! Ensinam vc a passar na prova que nao é algo pratico(baliza em cones? Isso nao existe) 20 aulas praticas pra vc aprender a dirigir nao são suficientes! (Por isso q vc aprende a passar na prova apenas) isso tem q ser mudado!

    Rampazzo

    ResponderExcluir
  56. Projeto de lei
    Para maior segurança dos motociclistas será obrigatória a presença da lua cheia à noite, em todas as noites do ano.
    Parágrafo Único - Não serão permitidas nuvens ou névoas noturnas..

    ResponderExcluir
  57. Daqui a pouco vou ter que usar bota pra andar de bike tambem ! Da minha casa ao serviço da 18 km de bike com muitas subidas fortes! Imaginem bota, calça e capacete full face com uns 30 graus de bike morro acima, parece loucura, mas diante de tanta burrice desses politicos que anda de carro com ar condicionado e não sabem o que e o sol....

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.