EXTRA: ALGUMA COISA ESTÁ ERRADA




Um leitor que já se tornou amigo, embora ainda não nos conheçamos pessoalmente, me escreveu há algum tempo indignado com uma placa que vira na rodovia SP-280 Castello Branco, mas que ainda não tinha tido oportunidade de fotografá-la, o que fez nesta sexta-feira (25/1).

Sua indignação é com o que se lê na placa (clique nela para ampliar). Ela está a pouco mais de dois quilômetros praça de pedágio de Boituva.

Ali está dito que o governo de São Paulo está gastando mais de 31 milhões de reais para recapear 50 quilômetros da rodovia, nos dois sentidos. Até aí tudo bem, é isso o que governos devem fazer, prover boas estradas e em boas condições – só que esta, em particular, foi entregue a uma concessionária, a Colina. Temos então, disse o amigo, duas hipóteses.

Ou pagamos pedágio para as concessionárias de rodovias ficarem com o lucro (nesse trecho o preço para dois eixos é R$ 6,30) e o governo com os investimentos, ou então este governo está fazendo uma belíssima propaganda enganosa dizendo que investiu, quando na realidade o dinheiro não é dele.

O que não entra na cabeça de ninguém é o governo dar a concessão e ainda pagar para conservar a estrada. Alguma coisa não fecha nessa história.

BS


60 comentários :

  1. Já via isso na ponte sobre o rio Tiete da Rod. Com. João Ribeiro de Barros em Jaú, privatizada e a ponte sendo feita pelo governo...

    ResponderExcluir
  2. A nossa terra brasilis é complicada...
    aqui no rj vc paga 5 reais para ir de um bairro ao outro pela linha amarela...... e ninguém reclama, acha tudo normal pagar um pedágio imoral desses. E isso acontecerá tb com a futura transolimpica (que ligará os bairros de deodoro a barra da tijuca.) será mais uma via pedagiada para ir de um bairro ao outro.... e todo mundo acha bonito.

    ResponderExcluir
  3. Pra quem viu o Globo repórter de ontem dia 25/01/2012 sobre o mar de sal na Bolívia e países vizinhos menos o Brasil é claro deve ter notado as estradas deles, são um verdadeiro tapete hollywoodiano, uma perfeição sem fim, o problema aqui é que qualquer pessoa pública ou a grande e enorme maioria fica viciada em trambicar e ficamos assim com nossas estradas péssimas e pedágios até na porta da nossa casa.

    ResponderExcluir
  4. O Paulistano (quem nasce na capital), a classe média interiorana que vive e trabalha na mesma cidade acha pagar pedagio algo extremamente natural pois ele pega uma rodovia bem conservada apenas nos feriados. Agora quem depende de viajar para trabalhar, como pessoas que moram no interior e trabalham em São Paulo, viajantes, sente na pele e no bolso a perda de renda que representam esses pedágios.

    A lógica dos pedágios seria o pagamento pelo uso como forma de obter superávit e financiar rodovias que não tem tanto movimento mas ligam regiões mais distantes ou mais carentes. Era essa a logica.

    Como o Governo do Estado precisou de dinheiro ele entregou o file mignon a iniciativa privada em troco do valor pago pela Concessão e em troca ficou com os problemas: As rodovias que não despertam interesse das concessionárias e, sem o dinheiro das rodovias lucrativas para financiar as reformas e a manutenção das rodovias menores.

    O Governo Federal está fazendo exatamente a mesma coisa com os Aeroportos. Está entregando os terminais lucrativos a iniciativa privada (embora esta tenha que arcar com as reformas, coisa que de fato está saindo do papel como em Viracopos) e ficando com os terminais deficitários. Quem pagará pela manutenção dos Aeroportos menores? Acabar com eles não ee possivel, por outro lado, deixar sem manutenção tambeem não dá, assim, o dinheiro publico pagará pela manutençnao de terminais deficitários e terá que cobrir os deficits da estatal do setor.

    Infelizmente o capitalismo brasileiro é assim: O privado fica com o bônus e o público fica com o ônus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O governo não leva prejuízo, o que ele assume de deficitário vai receber em impostos e favores das empresas privadas, que agem em conjunto num me engana que eu gosto que dura décadas, quem perde nesse jogo é o povo que paga o imposto e o pedágio mas não fica nem com lucro nem com o serviço

      Excluir
  5. Respostas
    1. Não foi o PSDB que "privatizou" as rodovias federais...

      Excluir
    2. A Castelo Branco não é federal, nem a Marechal Rondon, Anhanguera, Bandeirantes, Imigrantes..

      Pior que isso é na Marechal Rondon onde o Covas implementou pedágios, para terminar a duplicação que o Quércia começou e deixou "que nem o nariz", anos antes, e mesmo assim é uma rodovia com asfalto muito ruim de Bauru até seu final na fronteira com o MS.

      A algum tempo, a Rondon também foi privatizada, aumentaram bastante o número de pedágios num estalar de dedos, mas a qualidade da rodovia continuou a mesma.

      PT e PSDB tem suas qualidades e defeitos, mas esta apresentada aqui e outras também já faladas neste blog, são falhas constantes do PSDB em São Paulo, e pra mim, ambos são farinha do mesmo saco.

      Excluir
    3. Até 5 anos atrás, a Marechal Rondon tinha poucos pedágios sendo que entre Botucatu e Bauru existia somente uma unica praça de pedágio próximo a Usina de álcool de Lençois Paulista. Depois implantaram mais duas praças no trecho, reduzindo o preco entre as praças (aliás, O obra de rapida execução!!!).

      No trecho não duplicado (de Itu a Botucatu) não existiam praças de pedágio até que, um belo dia elas brotaram do nada. E tem duas praças em uma rodovia não duplicada, cheias de curvas, enfim, uma Rodovia bem ruim e que um pedágio não se justifica.



      Excluir
    4. Há dois anos viajei da Grande SP para Campo Grande, MS. No trecho paulista incluindo Rodoanel, Castelo Branco e Marechal Rondon foram nada menos que 17 pedágios para ir e 18 para voltar.
      Uma média aproximada de um pedágio a cada 35km, verdadeiro absurdo.
      A Rondon também era de longe a rodovia com pior asfalto e o maior número de radares móveis "pegadinha", onde o limite cai sem mais nem menos para 80km/h, sempre com o tripezinho logo atrás da placa....
      Deu até um alívio cruzar a fronteira em Três Lagoas. Um pequeno trecho de asfalto ruim, depois foram uns 300km de pista simples, mas asfalto bom. Sem muita infra-estrutura, é verdade, mas pelo menos se cruza a estrada sem a sensação de ser estorquido.

      Excluir
    5. Faço sempre esta viagem. Na Rondon, agora sob concessão, é exatamente isso, placas de 80 Km/h e um radar móvel escondido, às vezes antes da placa... Numa destas viagens levei uma multa por andar a perigosos 88 km/h, pois estava justamente reduzindo a velocidade para os 80, mas não deu tempo, já que o radar estava, como dito, antes da placa!!
      Só aproveito para avisar que do lado do MS às vezes também tem radares escondidos, e a velocidade é de 80 km/h na maior parte do caminho.
      Quanto à placa da reportagem, se trata mesmo de gasto da concessionária, o governo exige, por contrato, que nas placas de divulgação da obra conste serem obras do Governo do Estado. E não é só em São Paulo não, o Governo Federal, outros Estados e os municípios fazem o mesmo.

      Excluir
  6. Aqui em Sumaré/Sp há uns anos atrás tmbm fizeram coisa parecida.

    O prefeito foi 'dar um rolê' (apenas isso) na obra de uma ponte que liga dois bairros à rodovia SO-330 - Anhanguera, com seus devidos retornos e acessos para ambos os sentidos da pista, e fez publicidade como se a obra fosse do municipio, só que não, tudo alí é grana da CCR Autobahn, é pista privatizada.

    Tanto é que no fim de uma das alças de acesso ao bairro, dias atrás apareceu um buraco no asfalto, grande, e perigoso, e a concessionária teve o 'cuidado' de reparar o buraco apenas no local sobre qual a CCR tem direito, ou seja, metade do buraco apenas foi tapada, além disso é via local, do municipio, e até hoje continua sem reparo.

    Calma Bob, isso aí que o leitor fotografou é só mais uma das diversas 'peculiaridades' dos governos brasileiros.

    ResponderExcluir
  7. Bela parceria, essa: o governo entra com o investimento, a concessionária embolsa os lucros, e nós pagamos o pato!

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. Não tem investimento do governo não, até o custo da placa sai por conta da concessionária.

      Excluir
  9. Ontem quando eu escrevi sobre o desmanzelo dos governos, principalmente do PT, um cidadão escreveu que eu era a viúva com saudades da ditadura. Pois bem, eu e mais centenas de milhares das Forças Armadas somos sim.
    Coronel Anônimo

    ResponderExcluir
  10. Não tem nada errado. Só ver quem são os doadores de campanha eleitoral que vão entender o que acontece.

    ResponderExcluir
  11. Bob. Não vai longe.

    O "Grupo CCR", formado pelas empresas (construtoras) Soares Penido, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, detém "somente" as seguintes "concessões":

    Ponte Rio-Niterói,
    Rodovia Presidente Dutra,
    Rodovia dos Lagos,
    +500 km de rodovias no note do Paraná,
    Rodovia dos Bandeirantes,
    Rodovia Castello Branco,
    Rodoanel Mario Covas,
    Rodovia Raposo Tavares,
    E mais de 300 km de rodovias na região entre Campinas e sul de Minas Gerais.

    (Fonte: http://www.grupoccr.com.br/negocios/concessao-de-rodovidas )

    MAIS:
    Linha Amarela do metrô de São Paulo,
    Sem Parar/Via Fácil,
    Barcas S.A,
    SAMM (Empresa de telecom do grupo que interliga por fibra óptica SP, RJ e PR. Região que "só" representa 34% do PIB tupiniquim. )

    Ah!!!

    E também faz parte dessa "família" a famigerada Controlar...

    Você "ainda" possui alguma dúvida que "nosso rico dinheirinho" está sendo muito bem gasto por uma meia dúzia de "coronéis" com seus mimos?

    E não inventei nenhum dado. Deem uma olhada no site do Grupo CCR e vejam como "eles nos ajudam" (extorquindo-nos... Só pode!) e o governo dizendo que faz investimentos...

    Ah. Peguei como exemplo este grupo, pois é o que melhor conheço. Imagine o quanto não perdemos com isso pelo Brasil afora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob

      O Eduardo falou tudo! As empresas que formam o grupo CCR sempre foram as que fizeram as grandes obras publicas no estado de São Paulo, desde o tempo do Governo Quercia até os dias atuais, com Serra e Alckmin, estando inclusive algumas delas envolvidas no escandalo da Rua Ásia de 1992/1993, escandalo esse convenientemente abafado pelo governo PSDB que assumiu os Governos Estaduais e Federal, afinal criar caso com o PMDB sempre foi algo imprudente.

      Hoje, o Grupo CCR e suas empresas estão intimamente ligados ao Governo PSDB pois são eles que mandam por aqui. Por essa razão, o Andrea Matarazzo e todo o PSDB municipal está contra o Fernando Haddad na questão do CONTROLAR.

      Dizem que o PT está acabando com o Brasil. Pode ser, mas o PSDB está acabando com o Estado.

      Excluir
    2. Caro Eduardo, advinha quem financia as campanhas dos Tucanos em SP ????

      Não custa nada lembrar que o SEMPARAR durante décadas deteve o monopólio dos pedágios automáticos em SP. E que o mesmo custa MAIS CARO do que o pedágio manual, aquele que exige a contratação de um funcionário. Chega a ser patético.

      Bob, entendeu a oposição do PSDB que o Haddad ponha a mão na controlar????

      O Petista também não é santo, ele também tem seus parceiros, mas isso mostra bem o quanto essa tucanada posou de santa por aqui sem merecer.

      Excluir
    3. Caio F. seja mais petista, o pedágio mais caro é para manter o emprego dos que ficam nas praças de pedágio

      Excluir
    4. É tão difícil assim admitir que o PSDB também não presta, que seus meios só são mais sofisticados porque tem mais anos de "experiencia" na arte do esquemão?
      Pô, na boa, se tem esquema dos tucanos, falar deles NÃO é defender o PT. Corrupção do PSDB NÃO anula a do PT. Por que tem um monte de ofendidos e advogados tucaninhos que se não admitem a real? Que o PSDB é protegidinho da mídia, dos abastados e que faz das suas desde a compra da re-eleição? Não tem santo, só métodos e ações diferentes, infelizmente a analise tem que ser feita no que cada um fez de bom (e os dois partidos tem o que dizer cada um na sua linha de atuação) por que na parte ruim, PT é esgoto a céu aberto e PSDB tem um belo emissário submarino de nome Abril, Globo, Folha e afina para não deixar a gente ver o que passa, só isso.

      Excluir
  12. Caro Eduardo, dentro deste "grupo" de concessões da CCR, aqui no Rio temos a "Ponte Rio-Niterói", que até funciona razoavelmente, porém é um dos pedágios na relação por quilômetro rodado mais caros do planeta.

    A Barcas S/A., controlada pela mesma CCR, funciona pessimamente mal.

    E o que essas duas concessões têm em comum? Ambas são defendidas na Justiça, em especial nas ações em que o Estado do Rio é autor (através do Ministério Público), por ninguém menos que a esposa do Governador Sérgio Cabral! Isso mesmo, nas ações em que o Estado é autor, quem defende a "Ponte Rio-Niterói" e as "Barcas S/A" é ninguém menos que esposa do chefe do Executivo (Drª Adriana Ancelmo).

    Não por acaso essas duas 'empresas' não cumpriram os Termos de Ajuste de Conduta (TAC) empenhado com o Ministério Público e, surpresa, ganharam, sem licitação ou concorrência, a prorrogação de suas concessões por mais 20 anos, pelo simples fato de se comprometerem a fazer o que já deveriam fazer quando da concessão: melhorar o serviço.

    Ou seja, ganham a concessão, arrecadam horrores, não prestam bom serviço, não cumprem o Termo de Ajuste de Conduta acertado com o MP e mesmo assim ganham prorrogação da concessão por nada menos que 20 anos sem concorrência!

    Nada como contratar a esposa do governador como advogada...

    O mesmo acontece com outras concessões no Rio, como o "metrô", "SuperVia (trens)", que não cumpriram os contratos de concessão e nem os TAC feitos com o Ministério Público, não prestam bom serviços e ganharam prorrogação da concessão por mais 20 anos (metrô) e 18 anos (supervia). Detalhe: as novas composições para estas empresas são compradas pelo... Estado do Rio!

    Nada como ter a esposa do governador como advogada...

    E nem vou comentar o Maracanã, templo do futebo, que está sendo reformado com o dinheiro público e tem o edital de concessão 'formulado' para atender apenas uma empresa: a do Eike Batista. Dinheiro do Estado para ser entrege novinho à iniciativa privada. Um doce para quem adivinhar quem é a advogada contratada pelo Eike Batista para formular o seu envelope-proposta à concessão. Vou dar uma dica: ela é esposa do Governador do Estado que está investindo quase 1 bilhão de reais na reforma do Maracanã.

    O outro detalhe é que para todos os outros assuntos jurídicos o Eike Batista, há mais de 20 anos, contrata o famoso escritório do Sérgio Bermudes. Apenas para a proposta de concessão do Maracanã é que ele contratou a esposa do governador Sérgio Cabral.

    Assim, mistura-se interesses públicos e privados e apenas o povo perde.

    Quer ver mais? Veja a lista do Tribunal Regional Eleitoram e veremos que aquelas contrutoras que criaram o "Grupo CCR" (Andrade Gutierres, Camarco Corrêa e Soares Penido) estão entre as maiores 'doadoras' de dinheiro para campanhas dos mais conhecidos políticos deste país há mais de 20 anos...

    Parafraseando o Bóris Casoy: "Isto é uma vergonha!!"

    Estamos mesmo no país da corrupção, violência, exclusão e injustiça!

    Leo-RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque será que há décadas o requerimento da CPI das empreiteiras proposta pelo Sen Pedro Simon mofa as gavetas do congresso?
      E tem gente que morre defendendo o PT ou o PSDB. É tudo farinha do mesmo saco. Cesar

      Excluir
  13. Alexandre - BH -26/01/13 17:56

    Alô, alô, Ministério Público!

    ResponderExcluir
  14. É por tudo isso que foi escrito aqui, que o Dia D está chegando.
    Coronel Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio Martins26/01/13 19:30

      ... o dia dos militares reivindicarem a teta para eles novamente?

      Excluir
    2. Não brinca com esse assunto que eu fico esperançoso...

      Excluir
    3. Eu também....

      Excluir
    4. Se Dia D for o que estou pensando, já passou da hora. E muito.

      Excluir
    5. Melhor a teta para militares do que para os atuais políticos.

      Fossem como fossem, os militares ao menos eram patriotas e pensavam no desenvolvimento do país, não no bolso de trambiqueiros.

      Se algum militar encheu os bolsos (e até agora ninguém achou nada, viraram os arquivos da ditadura e acharam tortura e execução, mas não corrupção), encheu os bolsos sozinho, sem levar uma corja consigo.

      Excluir
    6. SE for o dia dos milicos ficarem com as tetas estatais para eles, tô fora.

      O Brasil vive muito melhor sem governo. O liberalismo político e econômico deixará tudo infinitamente melhor do que é hoje.

      Excluir
  15. Bob, moro no início da via Anhanguera, e por aqui foi a mesma coisa: ficamos anos contando com uma única ponte para entrar e sair do bairro, acessar a marginal, atender pesados caminhões que iam pra rodovia, etc.

    Um dia, a CCR "resolveu" construir um complexo de pontes assim como já existia na vizinha Bandeirantes. A obra foi inaugurada no final de um ano eleitoral, faltando uma ponte do complexo para ser concluída. A placa da obra da CCR foi substituída por outra do governo do estado, a mesma teve o seu contrato de concessão renovado por uns bons anos, e o governador se reelegeu.

    ResponderExcluir
  16. Que dia D Coronel?

    ResponderExcluir
  17. Então...aqui no Norte do Paraná estamos vivendo algo parecido
    O Sr. Garboso governador que se elegeu as custas do nome de seu pai - pra variar ele é PSDB, nao tenho muita afeição pelo PT também só pra constar e quem privatizou as rodovias aqui foi o famoso arquiteto Jaime Lerner que me da tristeza só de pensar no que fez para a população do resto do estado fora a capital e com nossos funcionários públicos - anda vindo aqui, sentando em maquinas e dizendo que o ESTADO está investindo em obras, porém elas são em rodovias privatizadas...tem algo de podre nisso!?
    Carlos - Arapongas/PR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui no Paraná a regra é clara:

      NUNCA vote em prefeito de Curitiba para governador do Estado, seja de qual partido ele for. Prefeitos de Curitiba são bons sendo prefeitos de Curitiba, no governo do Estado eles governam para Curitiba e dane-se o resto do Estado.

      Excluir
  18. A diferença para o PSDB para o PT é uma só: A sigla. O resto ee tudo igualzinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa essa!

      Excluir
    2. Uma pequena diferença: http://www.youtube.com/watch?v=Vsvdm6KdIkU&feature=youtu.be

      Excluir
    3. O PSDB ultimamente está conseguindo ser pior que o PT...

      Excluir
    4. O PSDB está sim pior que o PT, na corrupção. O PT é um mestre da corrupção.

      Excluir
  19. Bob,
    desculpe-me desviar do assunto mas escrevo aqui para aproveitar o espaço.

    Hoje, descendo a serra da Via Anchieta sob chuva, me incomodei com a espessura das faixas pintadas nas curvas. Me parecem muito altas, causando perda de aderência em momentos críticos: curva + pista molhada. Qual a tua opinião?
    Para que servem estas faixas? Você conhece aplicação deste tipo de sinalização em alguma outra estradas?

    Medindo a distância entre uma e outra a grosso modo, via "google eath", encontrei +/- 11 m. Por que esta medida?

    veja nestes links:
    http://goo.gl/maps/n3xmg
    http://goo.gl/maps/OKR0S

    Grato
    Renato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato
      Problema nenhum desviar do assunto. Vi as fotos, e o que posso dizer é que esses caras enlouqueceram de vez. Só havia visto essas faixas nas retas em determinadas aproximações de curva, destinadas a avisar e sugerir que se reduza a velocidade, mas os caras puseram as faixas na curva toda! Estão brincando de estradinha! Vou ver se falo com Artesp. Obrigado pelo aviso.

      Excluir
    2. São as Linhas de Estímulo à Redução de Velocidade (LRV).
      Resolução 236/2007 do CONTRAN:
      http://www.denatran.gov.br/publicacoes/download/MANUAL_HORIZONTAL_RESOLUCAO_236.pdf

      Excluir
    3. Guilherme J.
      Foi como eu disse ao Renato aí em cima: "A LRV é um conjunto de linhas paralelas que, pelo efeito visual, induz o condutor a reduzir a velocidade do veículo. de maneira que ela seja ajustada ao limite desejado em um ponto adiante na via" - texto da página 41 do Manual Brasileiro de Sinalizaçào de Trânsito/Sinalização Horizontal.
      Porrtanto, é mesmo para serem aplicadas antes da curva, e os imbecis da Ecovias colocaram-nas na curva toda.

      Excluir
  20. Tem se que derrotar na urna vigaristas desse tipo, mesmo que seja para colocar outros vigaristas no lugar... Se A faz caca, põe B no lugar, mesmo que B vá fazer caca pior, pelo menos fica dado o recado que, se não for bom, vai dar espaço para C em breve.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Eu sou um que nunca enguliu essa estória de concessão de estradas para a iniciativa privada.
    Aqui no RS testemunhei um caso absurdo. Logo concluir a duplicsção de um trecho muito movimentado de uma rodovia estadual, o governo entregou-o para uma concessionária. Praticamente o único investimento deles foi a construção da praça de pedágio. Observo ainda que em muitos casos a manutenção dessas estradas também deixa muito a desejar.
    Por outro lado temos aqui três praças de pedágio comunitário e tudo indica que dão um bom retorno. Um deles que fica aqui na região onde eu moro, por exemplo, está custeando a duplicação da rodovia. A duplicação anda devagar, mas de forma contínua e ao longo de varios anos já temos importantes trecho duplicados e com a munutenção em dia.


    ResponderExcluir
  23. Este tipo de placa é bastante comum nas rodovias paulistas.
    Meu palpite: o governo estadual não entra com nada - o investimento é 100% privado, conforme contrato, mas o governo tira uma casquinha e faz parecer que fez algo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada como um governo ético ......

      Excluir
  24. Ai gente, sabe o que é? Eu estou indignada. Votei no andrea Matarazzo.

    ResponderExcluir
  25. Ética não é o forte do PSDB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ética é o forte de qual partido?

      Excluir
    2. Se nenhum prestar vote nulo! aproveite e veja o video postado pelo Anônimo 27/01/13 16:32, pelo menos verá o que a FIESP (será que ela tem credibilidade?) pensa do PSDB.

      Excluir
  26. Vcs acham que xingando um partido ou outro vão resolver algum problema? Acham que fará diferença votar em um ou outro partido?
    "Ao contrário do senso comum, quem vota é quem não pode reclamar". Leiam a explicação nesse artigo: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1425
    E se quiserem entender um pouco mais sobre capitalismo genuino e sua diferença ao que se tenta aplicar no Brasil, aproveitem os diversos artigos elucidativos do: wwww.mises.org.br
    Não faço parte do grupo de articulistas, mas eles costumam ser bastante pacientes e cordiais e suas explicações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso que eu voto nulo. Pelo menos não foi com o meu voto que esses desgraçados chegaram ao poder. O voto nulo pode não servir para nada, mas dá um bom desencargo de consciência. Experimentem agora em 2014.

      Excluir
    2. Acredito que faça diferença sim um partido ou outro, eles são bem semelhantes quando a ética e a corrupção, mas na parte onde fazem alguma coisa eles tem prioridades e compromissos diferentes. Um pensa mais em mercado, acumulação de recursos e no bem de empresários em detrimento dos que tem menos, outro pensa mais nesses que tem menos, em distribuição de renda e na inserção dos miseráveis.
      Eu, e acredito que a maioria aqui é assim, não preciso de governo para saúde, educação e alimentação, então voto em quem pensa no povão. Se o povão melhora, melhora indiretamente para mim também.

      Excluir
  27. Sai de Campinas e fui a Belo Horizonte te carro. Gastei R$ 12,00 de pedágio da Rodovia Dom Pedro I, estadual, para rodar uns 50 km. Na Fernão Dias, até BH que dá mais de 500km gastei R$ 10,40! e a estrada estava boa, só a sinalização na última serra antes de BH que precise melhorar. Agora eu não entendo como o PSDB está no poder por tanto tempo no governo do estado de SP ( desde 1994 ). Não tenho afinidade por nenhum partido político e não acredito que nenhum seja bom, porém a melhor forma de diminuir a palhaçada que existe nesse país é alternar o poder.

    ResponderExcluir
  28. Nos primeiros processos de concessões das rodovias as concessionárias entram com a gerência (recursos, pessoal, maquinários, etc) e o Estado com os projetos pré-contratuais e os recursos, por isso as placas do governo do Estado em uma pista concessionada (não é privada pois a concessionária não é a proprietária). Não há nada de ilegal.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.