RODAS DA FORTUNA


Há cerca de dez anos eu viajei para Peruíbe, litoral sul de São Paulo. Estava entre amigos e durante a noite decidimos ir a um barzinho no centro da cidade, de frente para o mar. Estávamos em três carros, que foram estacionados junto ao meio fio do calçadão da Avenida Governador Mário Covas Júnior.

Um dos carros, um VW Gol preto, estava com um jogo de pneus Goodyear GPS novos em folha. Quando saímos do bar, fomos em direção aos carros e os passageiros do Gol logo perceberam que o carro estava apoiado sobre tijolos: haviam roubado as rodas do lado direito do carro, justamente o lado voltado para a praia, sem iluminação alguma.

Muitos anos depois, ocorreu de novo: um primo deixou seu carro (um Vectra GT) em um desses "valets" da Vila Olímpia e a devolução do carro começou a demorar. Meu primo já estava ficando aflito quando um dos gerentes do bar o chamou para comunicar que haviam roubado as quatro rodas do carro. É óbvio que o carro ficou largado na rua, para alegria dos rapinantes, mas a casa decidiu cobrir o prejuizo e ficou por isso mesmo.

Eis que na última quinta-feira outra ocorrência semelhante foi registrada no estacionamento do Shopping Piracicaba, por volta das 21h30: a feliz proprietária de um Honda Civic voltou das compras e encontrou seu veículo sem as duas rodas do lado direito, suspenso sobre tijolos. Os larápios estão tão certos da impunidade que agora estão furtando componentes de veículos guardados em estacionamentos fechados.


A poucos metros dali, uma amiga que trabalha no Edifício Mário Dedini relatou que um dos executivos da Hyundai (que tem sede no mesmo imóvel) teve as quatro rodas do seu Tucson furtadas em horário comercial, com o sol a pino. A ousadia dos amigos do alheio já não respeita nenhuma barreira ou condição: apesar de aberto, é grande a movimentação de pessoas no referido estacionamento, o que comprova a audácia da bandidagem.

A conclusão é uma só: não temos mais sossego em nenhum canto do estado. Esse tipo de ocorrência está cada vez mais freqüente na capital, no litoral ou no interior, para desespero de quem possui um carro, seja ele entusiasta ou não. Com a criminalidade em alta, acaba-se o sossego e a tranqüilidade do contribuinte, além da inevitável disparada no preço do seguro, o que torna cada vez mais caro manter um automóvel.

Resta saber quem sustenta esse mercado: a versão mais simples do Civic é a LXS, que já traz rodas de liga leve. Fico curioso para saber onde o receptador vai colocar essas rodas, mas arrisco que seja num Opala, que compartilha do mesmo espaçamento na furação de roda (5 x 114,3mm).

FB

71 comentários :

  1. Este furto no Shopping Piracicaba não foi o primeiro na cidade. Dia 01/10 estava lá e amigos contaram que, até aquela data e em questão de uma semana, já havia ocorrido mais 3 ocorrências semelhantes (não sei se foram na rua ou dentro do Shopping).

    ResponderExcluir
  2. Contribuinte não. PAGADOR DE IMPOSTOS.

    ResponderExcluir
  3. Pra mim, quem compra coisa roubada é mais bandido que quem rouba.

    ResponderExcluir
  4. Aqui em BSB esse furto é muito comum, principalmente nos estacionamentos do Campus Darcy Ribeiro, da Universidade de Brasília.

    Junta estacionamentos escuros com segurança desarmada e a "autonomia universitária", onde a polícia tem que pedir por favor ao reitor para entrar lá e pegar bandido. Roubam-se rodas e pneus sobressalentes pra trocar por umas pedrinhas de crack.

    ResponderExcluir
  5. Pior é quando a polícia guincha o carro e ferra os sistemas de freios. Você ainda tem que pagar pelo guincho.

    Uma vez vi isso e não acreditei (levaram estepe e bateria também). Conversando com o PM que ficou duas horas fazendo o B.O. na delegacia (burocracia infernal, fiquei com pena dos policiais que além de ganharem mal, ainda ficam atolados nisso) ele disse que isso seria fácil de se resolver se os produtos tivessem o número de série identificado, nota fiscal e se houvesse fiscalização nas borracharias, mas..

    Acabei de trocar os pneus do meu carro e estou receoso que isso aconteça ou ainda o roubem, novamente.

    Dá desânimo investir em algo por aqui além do basicão pé de boi pra ser destruído pelas ruas ou barbeiros, rapinado pela bandidagem ou ainda perder as calças pagando impostos e seguro abusivos.

    Já tomaram conta, Brasil agora só tem jeito se for explodido e reconstruído.

    ResponderExcluir
  6. Aléssio Marinho10/10/11 09:53

    Égua, o pessoal tá cada vez mais ousado!
    A umas 2 semanas cortaram a borracha do vidro traseiro do verona de um vizinho aqui do prédio. O animal quebrou todo o painel pra tirar um cd player. Coisa que ainda não tinha visto em Belém, mas que era comum em Bsb.
    Bitu, é um bom negócio roubar rodas, pois o pneu nessas medidas são caros e as rodas substituem outras amassadas e sem recuperação, coisa comum de acontecer nesses perfis baixos.

    ResponderExcluir
  7. Eu conheço este shopping. Este Civic estava parado na parte mais antiga do estacionamento, que foi ampliado diversas vezes. Pela posição, o carro estava parado perto de uma saída que dá para uma avenida bastante movimentada, e ao lado de umas guaritas onde teoricamente deveriam haver seguranças.

    Eles cobram caro para deixar o carro por lá, coisa de uns R$4 ou R$5 (a média pela região é R$3). Espero que ao menos tenham tido a dignidade de honrar com o prejuízo.

    ResponderExcluir
  8. Complementando o que o Ciro disse, realmente ocorreram outros casos na cidade (moro em Piracicaba - SP), inclusive o que foi citado por Felipe Bitu, mas o que chamou mais a atenção foi o do Shopping por se tratar de estacionamento fechado e com tarifa de estacionamento cobrada com justificativa de segurança e taxas de seguro. O estranho é que foi dito no jornal da cidade que os seguranças não estvam permitindo fotos do veiculo por transeuntes.

    Eduardo

    ResponderExcluir
  9. jackie chan10/10/11 10:00

    Acho que aqueles parafusos anti-furto de rodas ajudariam a inibir esses furtos. Pois como eles não são muito difundidos aqui no Brasil, acho que a maior parte dos larápios não estão equipados com outra coisa que não chave para cabeça sextavada comum.

    ResponderExcluir
  10. Eu sou pela pena de morte, mas já que o pessoal dos direitos humanos, conhecidos lambe-saco de bandidos, não quer, uma amputaçãozinha de mão já estava de bom tamanho. Tanto mais se para cada amputação de mão de um maldito destes, correspondesse uma amputação de língua de um canalha que prega "direitos" para a bandidagem.

    ResponderExcluir
  11. Moro em São Vicente, litoral de S.P. Eu já desisti de um aparelho de som decente no carro e agora terei que andar com rodas de ferro enferrujadas e pneus carecas tambem? É brincadeira...A policia não pode ver tudo, obvio que o problema está na impunidade, quando esses vagabundos são pegos, não acontece nada. Desanimador!

    ResponderExcluir
  12. Infelizmente, a cultura do "se dar bem" do cidadão só fomenta este tipo de delito. Pessoas "de bem" compram produtos roubados, não considerando isto um crime.

    Vale ressaltar que além do prejuízo das rodas e pneus, balanças, sistemas de freios e o fundo (e caixa de ar) do carro também são avariados.

    Dano moral nestes shoppings que metem a mão no estacionamento e não garantem a integridade do patrim]onio do cliente. Aqui no RJ, cidade que está se tornando a mais cara do universo, qualquer duas horinhas em shopping custa R$ 8,00. Depois, a cada hora, R$ 2,00.

    ResponderExcluir
  13. Licantropo Rapinante10/10/11 10:44

    Bitu, desculpe o trocadilho, mas você precisa "se policiar": é o segundo post seu abordando ocorrências em estacionamentos e isso não tem nada de entusiasta, pois em carro estacionado o entusiasmo é zero.



    Tente utilizar menos o vocabulário jurídico, senão daqui a pouco o Bob vai criar uma coluna policial para você, como a do Afanásio Jazadji.

    ResponderExcluir
  14. Gustavo Cristofolini10/10/11 10:52

    o jeito é começar a soldar as porcas nas rodas.

    ResponderExcluir
  15. Como no caso das drogas, o problema maior é o infeliz e ignorante usuário, o verdadeiro alimentador do crime.
    Polícia e porrada neles !

    ResponderExcluir
  16. Isso pra não falar dos ladrões de estepe, que furtam a qualquer hora do dia e ainda estragam o segredo da porta.

    ResponderExcluir
  17. Anônimo 10/10/11 09:33,
    "Pra mim, quem compra coisa roubada é mais bandido que quem rouba".

    Concordo plenamente com você.

    ResponderExcluir
  18. Anônimo 10/10/11 09:33 disse:
    "Pra mim, quem compra coisa roubada é mais bandido que quem rouba".

    Totalmente de acordo e digo mais: o FDP que compra é frouxo, pois não tem coragem de roubar/furtar ele mesmo e encomenda a outro FDP que faz o serviço sujo. Não tem que mandar bala só no bandido que faz a parte podre do negócio não, é bala em quem compra também.

    ResponderExcluir
  19. Alexandre - BH -10/10/11 11:51

    Bitu,

    Você matou a charada! Meu vizinho tem um Opala com rodas do Civic. Sei que ele já comprou o carro com as ditas cujas, mas... e o dono anterior?
    O resumo da ópera é:
    1) O “nóia” precisa garantir sua dose diária de crack. Pra isso, precisa arranjar alguma coisa pra vender;
    2) O dono “honesto” da loja de rodas precisa de mercadoria pra vender, mas não quer investir em produtos novos, que são caros;
    3) O mano sonha alto com o que não pode ter. Ele já conseguiu o equipamento de som no “mercado paralelo”. Agora, quer rodas bacanas pro seu “torresmão” rebaixado, mas não tem grana pra comprá-las novas.

    Assim, fecha-se o ciclo.

    ResponderExcluir
  20. Dizem que uma técnica que usam é estacionar um Uno atrás de um carro com estepe externo, o bandido abre o capô do uno pra acharem que ele está com defeito. Enquanto isso, outro enfia embaixo do outro carro, tira o estepe e joga no compartimento de estepe do uno.

    ResponderExcluir
  21. Licantropo Rapinante10/10/11 12:12

    Opala mesmo, pois quem compra roda roubada não vai gastar dinheiro com torneiro mecânico para refazer furação de roda.

    Raça maldita essa dos Opaleiros! As drogas que mais mal fazem ao brasileiro: cocaína, maconha, crack, Opala e motor VW AP.

    ResponderExcluir
  22. Só que essa técnica só dá pra roubar pneus 165 aro 13 para baixo. Não cabe nada além disso lá no compartimento do Uno.

    ResponderExcluir
  23. É de cair a rodinha!

    ResponderExcluir
  24. Moral da história: carro para o Brasil são o Del-Rey, o Gol Quadrado, equipados com peças recauchutadas.

    ResponderExcluir
  25. Se até o pessoal da Infraero roubou as ferramentas do Bob para sustentar o vício do crack, imaginem o que os malacos não são capazes de roubar!

    ResponderExcluir
  26. Eduardo

    Tirar foto do carro "depenado" não pode, só pode tirar as rodas.

    ResponderExcluir
  27. Pensei que esses fatos só ocorressem na capital, pois todo mundo diz que prefere morar no interior por ser mais calmo.
    E as rodas roubadas devem estar a venda no site MercadoLivre, o maior repassador digital de produtos roubados.

    ResponderExcluir
  28. Ao Licantropo Rapinante

    Muito boa essa sua opnião, a mesma coisa seria se eu soubesse sua etinia e usasse a mesma para classifica-lo.
    Será que isso não é preconceito.
    Nem vou gastar meu tempo digitando mais palavras a você.

    Ah, eu não troco meu Opala por esse Civic da foto.

    ResponderExcluir
  29. Estamos f...... e mal pagos. Chumbo nesses vagabundos, tanto os que roubam como os que compram.

    ResponderExcluir
  30. vão vender as rodas no Mercado Livre...ou então em alguma loja da Ricardo Jafet...ou similares...

    uma reforma no CP e no CPP poderiam ajudar a resolver esta onda mas nossos ilustres representantes tem medo de serem vítimas das mudanças, e fica tudo como está.

    A solução para nossos problemas está no Galeão...ou, no caso dos paulistas, em Guarulhos.

    ResponderExcluir
  31. Esse país é uma merda, mesmo! Nossos ladrões, além de serem violentos e assaltarem só trabalhadr, roubam fios de poste e rodas de carro! É ser muito pobre de espírito e pé-de-china! Miseráveis!

    João Paulo

    ResponderExcluir
  32. Deixem os opaleiros velhos de guerra em paz, a frota de Opalera em circulação é bem pequena, havendo oferta suficiente de rodas 5 furos da própria GM, novas ou semi. Onde então vão parar as rodas furtadas desses Civics mauricinhos? Nas borracharias da periferia e do interior, onde o péssimo estado de conservação das estradas provoca empenos e trincas frequentes, obrigando a substituição do pneu e da roda -- e quem garante que donos de Civic 07/08 também não pratiquem receptação?

    ResponderExcluir
  33. Haja preconceito eim galera.

    ResponderExcluir
  34. Pelo menos a Toyota, quando comprei meu carro, me deu um jogo de porcas anti-furto da McGard. Não impedem, mas inibem.

    ResponderExcluir
  35. Soube de um caso idêntico (outro Civic) que estava no estacionamento do ex-Carrefour Ipiranga em SP capital, que fechou há um mês. O local ainda mantem algumas lojas e academia e furtaram as 04 rodas do carro em pleno luz do dia.
    Acho que se o mundo um dia acabar mesmo, vai começar no Brasil, pois haja tanta desgraça sem punição!

    ResponderExcluir
  36. Antigamente aqui em um cruzamento de minha cidade tinha um pessoal que roubava as calotas dos carros, roubavam calota até de carro em movimento. É triste a nossa realidade, se continuar assim vai chegar no ponto em que teremos que soltar ou colocar um cadeado em cada parte de nosso carro.

    ResponderExcluir
  37. No Brasil não vale a pena ter nada de bom. As ruas são ruins, os ladrões são muitos, os impostos são altos, etc etc. O negócio é andar de carro ruim, feio, velho e, de preferência, irregular.

    ResponderExcluir
  38. Triste... ja faz alguns meses que encomendei um jogo de porcas com "segredo", talvez não evite um furto mas vai dificultar e o vagundo pode acabar desistindo. Custa uns 10 dolares no ebay.

    ResponderExcluir
  39. Licantropo Rapinante Deixe os Opaleiros em Paz; Opaleiro de verdade não compra coisa de origem duvidosa e também sabe que Opala é um clássico e nunca deve usar rodinhas de liga leve moderninhas,Deve usar Ralinhos,SS,Magnums,Pálitos,Turbines e Gaúchas .

    ResponderExcluir
  40. As rodas do honda tevem ter ido parar num SM4.1, como tem um anunciado na rede

    ResponderExcluir
  41. Muito preconceito com os proprietários de Opala...sou a favor de boicotar as fábricas de automóveis asiáticos.

    ResponderExcluir
  42. Bob,
    Fica assim não.
    Estranho é achar que isto não acontece.
    Aqui em Brasília, de frente a onde eu trabalho já:
    1) Roubaram as rodas de um punto e deixaram o coitado em cima de tijolo.
    2) Roubaram o estepe de um C3 + rádio e roupa suja do chefe (detalhe: estes 2 primeiros aconteceram no mesmo dia).
    3) Roubaram o estepe de outro C3 da firma.
    4) Tentaram abrir um Idea (não conseguiram, mas o estrago ficou em 2000,00 dilmas)
    5) Levaram embora um Corola inteiro.
    Tudo isto a conteceu numa rua movimentada e de dia.
    Estes são o que eu tenho conhecimento. Tudo na mesma rua.
    Alguém aí viu a polícia?

    ResponderExcluir
  43. Mais um motivo para eu não gostar de rodas de aro ultragrande e pneus de perfil ultrabaixo. Além de se ferrarem bonito na buraqueira e somarem mais massa não-suspensa, são atrativos a quem não quer trabalhar honestamente para conseguir as coisas que a maioria dos cidadãos sabe o quanto de suor no rosto precisam derramar para ter.

    ResponderExcluir
  44. Daniel San10/10/11 20:17

    Se não houvesse consumidor não haveria situações como esta.
    Infelizmente,o pessoal do politicamente correto não consegue-ou não quer-enxergar esta evidência. Se dessem uma dura nos consumidores,poderia até não acabar completamente,mas daria uma boa reduzida.
    Simples como água.

    ResponderExcluir
  45. Por este motivo (e por causa da buraqueira das vias) é que comprei meu carro com calotas mesmo, ao invés das rodas de liga opcionais.

    ResponderExcluir
  46. A Polícia Militar também é vítima.

    Hoje, no Jornal Regional de minha região, mostraram um caso que ilustra o país : quando o Policial de moto parou-a para ir correr num beco que sai da rua mais movimentada de uma cidade da região, rua cheia, correr atrás de um ladrão de carro que perseguia, outro ladrão foi flagrado pelas câmeras de segurança, na maior cara de pau foi na moto do Policial, roubou a chave , o rádio de comunicação HT e........ saiu andando...

    ResponderExcluir
  47. A culpa não é de quem furta ou rouba, é do receptador.

    ResponderExcluir
  48. Sérgio Barros10/10/11 22:22

    Que dizer se até os radares aqui na zona lost foram roubados!

    ResponderExcluir
  49. A culpa é de quem vê esses crimes e se omite e de quem compra produto de roubo. As autoridades são apenas o espelho.

    ResponderExcluir
  50. Vou ser repetitivo, mas também acho que quem compra mercadoria roubada tem boa parte da culpa!

    Se não bastasse grande parte da população que considera que a falta de dinheiro justifica a compra de produtos "de origem suspeita", pior ainda são alguns que compram para "levar vantagem", mesmo tendo condições de comprar o produto legalizado!

    ResponderExcluir
  51. No Extra da av,Ana Costa em Santos roubaram meu estepe. Levou mais de mês pro seguro devolver o prejú. Um estepe, putz!
    E tive que engrossar pois houve a "sugestão" de que, talvez, tivessem roubado FORA do estacionamento.
    FDP; me senti tratado como se o bandido fosse eu!!!!. Nunca minha mulher (que estava junto) me viu perder as estribeiras daquele jeito. A coisa quase terminou em pancadaria.
    Na Porto Seguro, com meu irmão, a coisa foi pior. Ele estava lá (também com a mulher) levando a documentação para ressarcimento (o carro foi roubado) e o atendente "sugeriu" que o roubo tinha sido encomendado. Falou e levou um direto, direto na cara. Meu irmão aos brados " ninguém nessa merda me chama de bandido e fica impune! Chamaram a policia, o maior fuzuê, BO na polícia por agressão e tals.
    O idiota precisou até de cirurgia pra consertar a cara. Não deu em nada pois retiraram a queixa e mandaram o cheque em MENOS de uma semana.
    A pergunta que fica é: será que é preciso quebrar o pau para fazer valer seu (nosso) direito? Estamos voltando aos tempos do Tacape?
    Somos tratados como se os bandidos fossemos nós.

    Essa baiúca vai de mal a pior e não imagino onde vai parar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima sugestão! Vou tentar dar umas porradas da próxima vez que eu precisar do seguro. O atendente deve ser o culpado mesmo. (por precisar do emprego e ter que atentar ao seu patrão e nao ao cliente) seu irmão deve ser bravo mesmo...

      Excluir
  52. Na revista Carro Hoje, em uma matéria sobre comprar peças em desmanches, um cara disse que precisava da tampa traseira do EcoSport e ia procurar num desmanche. "Quem sabe encontro a mesma que me roubaram".

    Sem comentários. Sobre a ética da revista, inclusive.

    ResponderExcluir
  53. Saudades dos carros aqui nesse blog policial. Fala-se de acidente de trânsito, de furtos de peças, das picaretagens de um programa de TV...
    Em tempo: essas rodas são pra reposição, pneu baixo e buraco dá nisso... Duvido que vá para Opala...

    ResponderExcluir
  54. Nâo chorei pela juiza11/10/11 11:45

    É muito facil ,Façam assim:
    Quem de São Paulo faça um adesivo tipo: Eu apoio a Rota
    No Rio de janeiro : eu apoio o Bope.

    E assim sucessivamente. verão os "incovimientes" diminuirem

    ResponderExcluir
  55. não chorei pela juiza11/10/11 12:06

    Complementado>
    Na visão de alguns juizes Muitos dos " executados" pela PM portavam apenas ferramentas de trabalho= macaco e chave de rodas.

    ResponderExcluir
  56. O que interessa não são as rodas, mas os pneus. E as rodas podem ser vendidas não para Opalas, mas para donos de Civic que tenham problemas com as suas.

    ResponderExcluir
  57. Alexandre 211/10/11 21:34

    Putz... se atendo apenas à foto... um cara que rouba os pneus e deixa o carro sobre tijolos NO MEIO DA CAIXA DE AR, além de ladrão é muito fdp!

    ResponderExcluir
  58. aiaiaia eu me acabo de rir isso sim, desculpe a franqueza mas quem tem estas rodas quer mais é aparecer mesmo.
    eu vou é na velha roda de ferro com calotas plásticas parafusadas, ninguém vai perder tempo roubando.

    ResponderExcluir
  59. bom aki na minha cidade isso é moda também... 5 minutos eles tiraram as 4, pra tentar evitar eu uso parafusfosf fantiurto da mcguard já que o meu carro dorme na rua... enfim mas me disseram q pra isso eles usam uma talhadeira pra tentar rancar o parafuso, podem até tentar mas pelo menos não vão roubar com a mesma facilidade... abraços!
    BrunoEverton_Macapá-AP

    ResponderExcluir
  60. Cide F.
    Não se engane com isso. Os larápios, muitas vezes, estão de olho é no jogo de pneus novinhos em folha que o coitado do dono acabou de colocar no seu carro. As rodas, nestes casos, vem de brinde. Eu já vi isso.

    ResponderExcluir
  61. Eu também acho que o interesse está nos pneus e não nas rodas.

    ResponderExcluir
  62. Talvez vão pros manos que compraram Civic usado em 60 "prestação" e não sobrou grana pra consertar quando pegam um buraco detonando o conjunto roda-pneu. Ou pros espertos que também pegaram um buraco, tem grana mas não querem gastar com isso...

    ResponderExcluir
  63. Na boa, roubar radar nem deveria ser crime. Segundo a crença popular, até dá 100 anos de perdão...
    Já colocar roda de Civic no Opala deveria ser punido com ordem judicial, impedindo o cara de chegar a nenos de 100 metros de qualquer carro!

    ResponderExcluir
  64. As rodas do Civic servem na Kombi também...

    ResponderExcluir
  65. ♫ Efeito sonoro ♫
    Brasil sil sil

    ResponderExcluir
  66. poxa que preconceito com os opaleiros..
    isso é vergonhoso vindo de um blog automobilistico.

    ResponderExcluir
  67. preconceito com os pobres... aposto que o receptador destas rodas vai ser o dono de um mesmo carro...

    ResponderExcluir
  68. oskrmarinho27/10/12 17:44

    Querem um exemplo perfeito e acabado! Aqui em Fortaleza, há uma feira dominical nas margens da Lagoa de Parangaba. Alí, compra-se e vende-se de tudo da procedência mais duvidosa possivel, mas de tudo mesmo, sem nota fiscal de origem, sem nada que certifique a licitude das transações, feitas por pessoas que se dedicam a essa forma de atividade como meio de vida, a céu aberto e em quantidade absurdamente elevada, sob as vistas grossas da Policia, dos Agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, da Fiscalização Fazendária,dos Agentes da Prefeitura, enfim, do Poder Público. E mais, as ruas e avenidas próximas, ficam tomadas por barraqueiros e similares, ocupando as pistas, os canteiros das ruas, impedindo o tráfego, causando acidentes, torrando a paciência de quem quer apenas passar. E seria facílimo corrigir isso,bastando para tanto que houvesse fiscalização conjunta dos orgão públicos, tantas vêzes quantas necessárias, com prisões, apreensões e medidas punitivas. Mas, isso suscita a ira dos defensores dos "direitos humanos", da cambada petista e dos políticos que não querem perder esses votos, principalmente agora em época de eleições!

    ResponderExcluir
  69. O shopping de Piracicaba é pago, e o preço subiu com a alegação que era para melhorar as condições para o usuário, assim, é só acionar a admistradora que ela terá que pagar o prejuízo pelo ilícito em suas dependências. Além do mais, lá sempre teve seguranças rodando o estacionamento, dai pergunta-se: onde estavam eles? Ou será que aumentaram o preço do estacionamento e mandaram os seguranças embora?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.