PEUGEOT RCZ, O ESPORTE-SOCIAL



A apresentação do Peugeot RCZ foi feita na pista particular da Fazenda Capuava, em Indaiatuba, o que nos deu segurança para buscar os limites do carro em curvas, acelerações e frenagens. Só que a pista é meio travada e não deu para passar de uns 140 km/h. E assim, após gostar bastante do comportamento do carro e da gentileza com que nos trata, sobra uma sensação de quero mais, de querer experimentá-lo numa viagem, pois este cupê 2+2 é o tipo do carro que nos incita a querer sair por aí viajando com a mulher. 

Ela estaria bem, pois haveria espaço para as suas bagagens – 321 litros no porta-malas, mais 318 litros de espaço sobre os pequenos bancos traseiros –, teria todos os confortos e amenidades que os bons sedãs proporcionam, como suspensão macia, ar-condicionado de duas zonas, bancos confortáveis etc., e eu teria um esportivozinho para guiar, onde minhas pernas ficariam quase na horizontal e minha tocada seria mais divertida, já que não estaria dirigindo só um modorrento meio de transporte.

Só isso já me basta para simpatizar com o carro.



Suas linhas, como bem reparou nosso colega Roberto Nasser, lembram as do Karmann-Ghia – inclusive, como se vê na foto, pelo retrovisor externo a visão dos pára-lamas traseiros é realmente muito parecida com o que se vê ao guiar um KG. Já para mim, as belas ondulações longitudinais do teto lembraram o Alfa Romeo Zagato 1900, de 1956. Sem dúvida, os designers da Peugeot tiveram duas belas e clássicas inspirações. Ponto para eles


Já vi esse contorno de pára-lama antes...

Tração dianteira. Direção com assistência elétrica. Suspensão McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. E ele faz curva muitíssimo bem. Ele é baixo e largo e agarra feito gente grande. Começa a escorregar como deve começar, com uma leve escorregadela com a frente e em seguida a traseira vem soltando até que perto do ponto de tangência ele já está escorregando com as quatro, e aí está na hora de pisar fundo no acelerador. 

Mas, ó... demora pra escorregar. Agarra mesmo, também devido aos ótimos pneus Continental ContisportContact 235/45R18 nas quatro. Há rodas opcionais de aro 19, mas para o Brasil é bom ficar com as de 18 polegadas.

Os freios são excelentes. Pedal progressivo, o carro afocinha pouco na freada e mantém o equilíbrio mesmo naquelas freadas em que damos uma passada do ponto. É dos carros que obedecem certinho às correções emergenciais, quando erramos alguma coisa, já que na pista nos permitimos a dar umas abusadas. Fiquei encantado com os freios.

Rola certo nas curvas também. Nem muito nem pouco. No ponto.

Painel e interior bem arranjado
Só falta motor e câmbio manual, porque esse câmbio intervêm além do meu gosto. O seqüencial é regulado pra controlar idiotices, pois troca marcha sem que peçamos, essas coisas normais que aceitamos em sedãs familiares mas não aceitamos num esportivo. Após experimentos, deixei no Drive, já que com ele dá para andar mais rápido e confiante.

De motor, seus 165 cv não impressionam. É só suficiente para os 1.363 kg do RCZ, mas nada que alucine. Convenhamos, um Corolla 2-litros tem só 15 cv a menos, mas pesa 70 kg a menos também, o que resulta numa relação peso-potência similar.

Já que ele tem controle de tração, podemos acelerar no talo nas saídas de curva. É tratar de pisar no talo sem se preocupar se vai desgarrar com a frente. Se for passar do ponto em que a Peugeot acha seguro, a ignição é cortada. Tudo bem para o motorista mediano, mas como sou muito do metido a saber guiar, pessoalmente não gosto dessas intervenções. Tudo bem, o carro não é para isso, corrida. É um esporte-chique, um esporte-social, um blazer elegante e não jeans, camiseta e tênis.

Achei a coisa meio cool demais para o meu gosto. E o chato é que há uma versão quente do RCZ, do meu jeito, mas esta não veio.

A versão que veio para o Brasil é uma só: motor 1,6-litro, turbo, injeção direta, 165 cv, e com câmbio automático seqüencial de 6 marchas. Uma pena que não tenham trazido também a versão de 200 cv e câmbio manual de 6 marchas também. Depois volto a esse assunto, se o leitor me permite.

Esse motor foi projetado em parceria com a BMW. Tem comando de válvulas variável e o turbo já atua logo em baixa. A 1.400 rpm o torque já é máximo, com 24,5 m·kgf, então já em baixa ele tem potência para acelerar legalzinho: 0 a 100 km/h em 8,8 segundos e final de 213 km/h, segundo a fábrica.

O Cx é de 0,32, o que não acho muito bom para um cupê esportivo moderno, mas, tudo bem, 213 km/h de máxima é suficiente.

E aí nos mostraram um filme promocional do RCZ, mostrando o perfil do comprador. Um sujeito bem bacana bonitão guiando o carro – “um homem jovem, independentemente da idade, de sucesso, com grana, desses cheios de cartões de crédito dourados na carteira, culto, elegante, etc” –, e eu fui ficando animado, pois, afinal, tenho três filhas em idade casadoira.

E fui bolando a coisa, falar com esses caras do marketing para eles me darem as dicas para achar esses bacanudos aí. A Peugeot precisa achar centenas ou milhares deles e eu só preciso de três! Moleza! E fui imaginando meus netinhos com uns dez aninhos, todos lindinhos e elegantezinhos, de blazer da moda, todos falando fluentemente várias línguas e discutindo arte impressionista, sabendo distinguir o Manet do Monet, falando da beleza dos nenúfares e tal, e na saída do Masp me estenderiam esmolas gordas, e eu feliz sentado na calçada ao lado do meu viralatas Tigrão, realizado, dizendo pro Tigrão: “Olha só, meu velho, olha só. Estamos ferrados aqui mas os netinhos estão numa boa. Hoje a gente toma umas pingas...”

Bom, mas aí... PAM! Meus sonhos foram se desfazendo. Me lembrei que eu preciso de genros machos, e bem machos. Quero netos, uai, e muitos!

E para isso acho que se eu for seguir o marketing da Peugeot terei que procurar esses caras mais machos na França, porque lá há um RCZ de macho, lá eles acham que tem comprador para carro de macho – esse de 200 cv e câmbio manual –, tanto que investiram uma grana preta para fazer o carro, mas os da Peugeot daqui não o trouxeram para cá, afirmando que fizeram uma pesquisa que deu que aqui essa versão não iria vender quase nada. Mas que pesquisas são essas? Quem as fez? Lá vende, e aqui, não? Brasileiro não sabe e não gosta de guiar carro de macho?

Na coletiva de imprensa, reclamei. Deram, claro, suas justificativas, todas muito razoáveis, mas todos os representantes da Peugeot do Brasil ali, inclusive o seu presidente, Sr. Guillaume Couzy, mostraram que pessoalmente gostariam de tê-lo trazido. Pena que não peitaram e foram na onda da pesquisa.

Ainda há tempo para trazer o de macho, o do Leão.

Odeio pesquisas.

Carro esporte e apaixonante traz marketing gratuito e essas pesquisas não levam isso em conta, são bitoladas e não levam em conta a tradição e o orgulho de uma marca.

O RCZ custa R$ 139.900.
 
Um pequeno vídeo de bordo do RCZ na pista da Fazenda Capuava:





AK

(Atualizado às 18h30, faltava o preço. Falha de edição, desculpe Arnaldo/BS)

Peugeot RCZ - Ficha técnica



DADOS GERAIS

Peso em ordem de marcha (kg)
1.363
Entreeixos (mm)
2.612
Bitola D/T (mm)
1.580/1.595
Comprimento (mm)
4.287
Largura (mm)
1.845
Altura (mm)
1.359
Distância mínima do solo (mm)
110
MOTOR

Tipo
Bloco e cabeçote de aluminio, DOHC L-4 !6V turbo, comandos variáveis, injeção direta
Cilindrada (cm³)
1.598
Diâmetro e curso (mm)
77 x 85,5
Taxa de conpressão (:1)
10,5
Combustível
Gasolina
Potência
165 cv a 6.000 rpm
Torque
24,5 m·kgf de 1.400 a 4.500 rpm
Corte de rotação
n.d.
Formação de mistura
Injeção direta
CHASSI E CARROCERIA

Configuração
Motor dianteiro, tração dianteira
Construção
Monobloco
Tipo
Cupê
N"de lugares
2+2
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,32
Área frontal (m²)
n.d.
Cx x A (m²)
n.d.
Capacidade do porta-malas (L)
321
Freios dianteiros
Disco ventilado
Freios traseiros
Disco ventilado
Assistência/Auxílios
Vácuo/ABS
Rodas
Alumínio, 8 x 18
Pneus
235/45R18
Direção
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica
Relação de direção
n.d.
Voltas entre batentes
n.d.
Suspensão dianteira
McPherson, barra estabilizadora
Suspensão traseira
Eixo de torção, barra estabilizadora
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL

Cidade (km/l)
9,7 (ciclo europeu)
Estrada (km/l)
18,1 (ciclo europeu)
Médio 55% cid/45% estr (km/l)
13,5
Capacidade do tanque (litros)
55
Autonomia máxima (km)
995
TRANSMISSÃO

Tipo de câmbio
Automático epicíclico, seqüencial, 6 marchas
Relaçõoes das marchas (:1)
4,04; 2,37; 1,56; 1,16; 0,85; 0,67; ré 3,18
Relação de diferencial (:1)
4,10
Rotação do motor na última marcha a 120 km/h (rpm)
2.700
Velocidade nas marchas (km/h)
1a 45; 2a 77; 3a 118; 4a 159; 5a. 213; 6a 200 (estimado)
DESEMPENHO

Velocidade máxima (km/h)
213 (em quinta)
Aceleração 0-100 km/h (s)
8,4

36 comentários :

  1. Arnaldo, e o preço? Quanto custa esse brinquedo?

    ResponderExcluir
  2. Arnaldo, aparenta ser um excelente carro, mas...
    Pagar 140.000 em um carrinho 1.6 que anda o mesmo que um corolla da metade do preço, e que ainda por cima conta com um simplório eixo de torção? Pra mim não dá não... se tivesse ao menos vindo na versão pra macho a esse preço...
    Essa versão com motor de van (3008) deveria quando muito custar na casa dos 90000...

    ResponderExcluir
  3. @Antônio: é praticamente impossivel esse carro custar R$90.000. Na frança ele custa por volta de 32.000 EUROS, ou seja, sem impostos, isso equivale a quase R$80.000, então se você colocar 50% de impostos de importação, isso sobe para R$120.000...

    ResponderExcluir
  4. Arnaldo,

    adorei o texto! Como sempre, cheio de humor e crítica na boa.

    Concordo plenamente. Esse papo de carro de imagem é um saco.

    É por isso que a GM não oferece o Camaro com câmbio manual (e motor V6) e a BMW parou de trazer essa opção, pois vende pouco.

    ResponderExcluir
  5. pois é, o problema é que o brasileiro médio associa câmbio manual com carro "de pobre". ele acha um absurdo pagar 150 mil num carro que não tem câmbio manual, pouco importando a proposta do carro, e isso realmente é uma pena.

    ResponderExcluir
  6. perfeito,,, um dos melhores textos de sua autoria,

    simples, reto e direto na ferida...

    uma pena, parece que os empombados e engomados que compram carros deste tipo não são do ramo, e pelo valor o "mercado" exige o automático...

    com isto não temos aqui:

    camaro manual;
    S3 manual;
    Impreza X e este outro novo ralliart manual... entre outros

    ai ai...

    ResponderExcluir
  7. me parece que motor não é problema,,, o mecânico 200cv, tem o mesmo motor com alterações... não?

    ResponderExcluir
  8. o problema é o câmbio,,, e o carro é lindo,

    ResponderExcluir
  9. Falou tudo.
    O problema, como disseram, é que aqui estes carros custam muito caro, e acabam sendo mais voltados para quem quer chamar a atenção ao estacionar num restaurante da moda ou coisa do gênero do que para quem gosta de carros. Vide a estratégia (ridícula) do Camaro automático.
    Por sorte, nem todos pensam assim: temos aí o C30, ou versões do Cooper, que devem ser bem mais divertidas - e provavelmente mais baratas tbm...

    ResponderExcluir
  10. Sei não hein Arnaldo, lembra o Karmann Guia bem de longe e é tão paralítico quanto. Tambem não gostei do volante. Pela sua descrição das pernas, é disso que a gente gosta, sem dúvida mas por esse preço...eu não embarcaria nessa não. Mas valeu o post, principalmente pelo papo com o Tigrão, rsrsrs.
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Muito bonito carro!
    Quanto ao câmbio, não vejo problema, pois o motor é 1,6 l. Ia ter nego querendo que o carro acelere de 6ª marcha e ia reclamar pedindo um seis marchas reais, o velho dilema dos câmbios dos carros nacionais, não sabem usar um X+E
    Agora, não trazer o "carro de macho" foi mancada da Peugeot.

    ResponderExcluir
  12. EXCELENTE texto Arnaldo, sinceridade assim é coisa rara hoje em dia, obrigado !

    ResponderExcluir
  13. Coronel Totonho21/10/11 19:54

    Uai, o cara anda com a mulher de Scénic e vem falar de carro de macho?!

    ResponderExcluir
  14. Alexei Silveira21/10/11 20:07

    Excelente texto Arnaldo.

    Sabe, pelo que vi hoje na fila do Enem, esse tipo de carro aí os Pais , tipo fazendeiros do interior , compram pras filhas , elas adoram passear com os futuros genros nessas maquinetas aí ...

    Te vira,Tigrão!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Sempre é assim, num lançamento de carro novo vem a historia que foi o departamento de marketing através de pesquisa que determinou as versões etc etc. no meu ver desculpa , simples desculpa. O que determina creio que é sempre o departamento financeiro(lucos). Vamos lucras mais aqui, então disponibiliza esta versão e pronto. Pelo valor cobrado, creio que o carro oferece pouco. Se para aqueles que o compram basta apenas um jeitinho esportivo e não torcem o nariz em pagar tanto, fazer o que? No Brasil vamos demorar para os carros terem preço justo e serem fieis a um segmento. Aqui todo sedam tem ar de esportivo, todos hatch é aventureiro!

    ResponderExcluir
  16. O que me deixa danado da vida com a Peugeot é que lá fora esse carro tem opção de câmbio manual e aqui não, inclusive existe até uma versão com 200 cv que só sai manual. É idiotice botar câmbio automático num esportivo.

    ResponderExcluir
  17. Feio e caríssimo.

    Deus me livre de carro Frances.

    ResponderExcluir
  18. Creio que o público alvo seja quem tem grana, não entende nada de carro, e quer aparecer.

    ResponderExcluir
  19. Imagina o 200 cv puro sangue quanto custaria aqui.
    Sobraram C30 t5 230 cv manual sem o mesmo apelo visual mas que eu prefiro pela potencia
    Subarus WRX OU STI este ultimo mais caro mas ambos manuais 270 cv e 310 cv pela ordem e manuais pena que sao CAOA
    Cooper caros caros mesmo, .6 turbo tambem mas na comparacao acabam sendo mais caros
    1M alto preco mas manual
    O restante tudo automatico ainda que de dupla boa embreagem
    S3 TTS ... Nada de manual

    Autoentusiastas protestem!!!!!

    ResponderExcluir
  20. Realmente faltou o leão, mas o gatinho não fez feio.

    ResponderExcluir
  21. Eduardo Vieira21/10/11 22:49

    De novo o depto de marketing FERRANDO com os auto entusiastas...
    Pô! Como é que um fabricante pergunta pra uma pessoa que adora usar AllStar, deixar o cabelo cuidadosamente desarrumado, garibar roupas vintage e sonha em chegar em Cannes de motorista qual carro ele quer dirigir???
    De verdade? Se você perguntar pr'um emo-fashion desses qual seria o Peugeot definitivo, o carro que representaria a marca no país, estaria estampado em todos os anúncios, eles diriam:

    Um MINI!

    ResponderExcluir
  22. Aléssio Marinho21/10/11 23:50

    Vive la France!!!

    ResponderExcluir
  23. Quem sabe a Peugeot não pensa um pouco e traz a partir do próximo ano a versão de 200cv com cambio manual de 6 marchas, essa sim é de macho. Não da pra se ligar nessas pesquisas bobas, lança o de 200 a 170 mil que vende bem.

    ResponderExcluir
  24. Esse carro não é para autoentusiasta, ele é só mais um daqueles para o vizinho ver... pra que rodas tão enormes num motor dessa potência?

    A VW faria bem em trazer o Scirocco...

    ResponderExcluir
  25. Eric, a 170 dinheiros dai vamos de camaro nao?

    ResponderExcluir
  26. Muito bonitinho esse Peugeot..
    Mas por bem menos que isso compraria, com certeza, um Audi TT usado ..
    Alias acho que a Peugeot se inspirou , ou copiou na cara dura, o desenho do germanico .
    Tenho dito!

    ResponderExcluir
  27. 140 mil nisso?
    Tem cara de carro de viado, que nem Beetle.

    ResponderExcluir
  28. Joço Ares22/10/11 17:16

    "Carro de viado". Que belo comentário esse o seu!

    Qual são os carros que os machões gostam então??? Fala aí prá gente...

    ResponderExcluir
  29. Essa de carro de macho, de baitola, sapatão, coluna do meio, eu não conhecia.

    ResponderExcluir
  30. Bom, o intuito não era (ma non troppo) gerar polêmica e eu não vou perder tempo me explicando.

    ResponderExcluir
  31. Num futuro próximo, se um entusiasta quiser dirigir algo com câmbio manual, vai ter que dirigir um ônibus ou um caminhão...
    Pô! Até os rednecks que adoram bom câmbio automático tem excelentes opções de câmbio manual a disposição!

    ResponderExcluir
  32. Antonio Perobão22/10/11 22:10

    Joel GAYeski

    esse nome seria o meu sonho...

    ResponderExcluir
  33. Augusto Filho23/10/11 22:04

    Meu sonho seria um carro desse com 200 cv, conversível com capota rígida beirando a casa dos 120 mil reais. Seria um casamento com direito a "Felizes para sempre"!

    ResponderExcluir
  34. Joel,

    Não existe carro essa de carro de gay. Isso é besteira. Quem faz o carro é quem o guia.
    Quando digo "carro de macho" é só pra significar que o carro é mais macho, mais fogoso, menos domado; só isso -- uma máquina que nos desafia mais.

    ResponderExcluir
  35. Sei disso Arnaldo, mas esses "carros de imagem" fatalmente atingem este (hum) público.

    ResponderExcluir
  36. Joel GAYeski, já reservou o seu?

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.