ESPÉCIE EM EXTINÇÃO

Uma supermáquina que não pode ser usada como se deve

No recente post Voltando a ter prazer em guiar o Arnaldo Keller relatou algo que recentemente vem assolando todo autoentusiasta. Está muito difícil ter prazer em dirigir, principalmente nas cidades grandes.

Como o Arnaldo escreveu:


Quase tudo que é demais cansa. Dirigir demais cansa, enche a paciência. Dirigir em São Paulo tornou-se uma atividade que raramente nos dá prazer. 
Mesmo estando num baita carrão gostoso, dos melhores que há, a única coisa que ele pode nos oferecer a mais é mais silêncio, mais maciez, melhor ergonomia, menos movimentos para ser conduzido e melhor controle da temperatura ambiente, além de um som melhor. De prazer em guiar, mesmo, do jeito que um autoentusiasta gosta, nadicas.

Eu sei que para nós é possível sair de Uninho 1,0 e ainda assim sentir algum prazer. Esse prazer vem de várias maneiras: o prazer pelo domínio da máquina, pelo movimento, pela própria operação de dirigir e também pela sensação de liberdade, de poder chegar a praticamente qualquer destino de forma independente.

Ainda dá para acrescentar alguns outros prazeres com a conquista do bem material, ou o de poder ficar só, sem ser atormentado por ninguém, escutar uma boa música (não há lugar melhor para isso do que no carro), ou até mesmo o prazer de se exibir - para alguns. Deve ter mais alguns por aí... Carros são muito mais que um objeto.

Uma das coisas que mais gosto de fazer é pegar um carro e sair por aí, em busca de algum destino. Assim foi quando estive em Jabel Haffet, nos Emirados Árabes. Descobrir destinos é fantástico. E meu raio de ação seria muito mais restrito sem um carro. Se puder estar num carro interessante tudo fica muito melhor. Mas o mais importante é poder viajar com segurança - não ficar na mão - e com um nível mínimo de conforto.

Mas o carro também pode ser usado para colocarmos a agressividade para fora. Uma tocada mais forte e excitante tem efeitos terapêuticos e equivale a uma ida à academia - que eu odeio. É muito bom dar aquela abusada em locais ermos sem colocar em risco a vida de ninguém.

Porém o mundo é repleto de pessoas que se transformam em verdadeiros animais e extrapolam em soltar sua agressividade. Infelizmente muitas pessoas não têm maturidade suficiente para lidar com sua agressividade.

Hoje em dia não acontece tanto, mas num passado recente era facílimo encontrar alguém se gabando que fez uma viagem de São Paulo ao Rio de Janeiro em menos de 4 horas, por exemplo. Nunca achei isso muito certo e tampouco tentei bater recordes. Nas minhas viagens o que gosto de fazer é chegar antes do horário estimado pelo navegador. Isso é mais uma brincadeira do que uma vontade de velocidade.

Uma coisa, que por mais que pareça algo ruim, mas me ajudou muito foi que na minha juventude tive amigos que se envolveram em acidentes sérios, com carros como um Diplomata 250-S e um Gol GT. Talvez por isso eu achasse que não valia a pena arriscar a bater nenhum recorde de tempo e velocidade.

Porém é fato que coisas ruins acontecem em lapsos de tempo, quando meio que sem explicação as pessoas dão uma abusadinha da sorte.

Os noticiários recentes têm me assustado ainda mais com esses acidentes escabrosos causados por pessoas sem noção, sem respeito e sem educação. Egoístas que abusam do direito de viver em sociedade.

Também acho que a superpopulação das cidades grandes, de motoristas e pedestres, que são tanto uns quanto outros totalmente incompetentes, acaba ajudando muito a aumentar o número de acidentes. E a mídia, ávida por tragédias, fica espumando de felicidade em vez de ajudar a resolver os problemas. Argh! 

Muitos falam em direção macia, como no post do JJ com a matéria do JLV, O bom motorista é o motorista macio. Eu vou ser sincero em revelar que acho isso um saco. Não sou macio, não sou bailarino, não agüento imbecis ao meu redor, gosto de errar uma marcha de vez em quando, gosto de escutar os pneus, e de gastá-los também, gosto de esticar primeira, segunda e o começo da terceira para parar no semáforo seguinte - quer mais prazer que isso? - , não gosto de passar de lado em lombada e muito menos de quase parar o carro para passar em buracos inevitáveis - só quando são crateras eu me rendo.

O carro é meu servente, e não o contrário. Sou meio abrutalhado e sem paciência. Um Humvee seria um carro legal de ter. Porém isso não significa que eu seja um louco e endiabrado.

Mas a dificuldade e a chatice que é dirigir em São Paulo, como já explicado no post do Arnaldo, estão me minando. E também os posts e conversas desse blog, como esse do JJ sobre ser macio, estão me fazendo cada vez mais sentido (é bom andar com gente boa!).

Mas talvez o principal seja a experiência que só se adquire com a idade -  e com vontade de evoluir. O fato é que tenho abandonado o modo binário de acionamento do acelerador. Tenho usado muito o controle de velocidade de cruzeiro (erroneamente chamado de piloto automático) que aliás é um dos equipamentos que mais gosto no meu carro. E por incrível que pareça, nas viagens tenho me empenhado cada vez mais bater recordes. 

Outro dia tive que ir até Indaiatuba, no interior paulista. Meu colega que foi um dia depois e veio se gabar que fez o trajeto em cinqüenta e tantos minutos. Eu bati o recorde dele com uma larga vantagem. Demorei algo entre uma hora e meia e duas!!! E marquei 17 km/l no computador de bordo do meu carro, ironicamente um 2,0! Se eu continuar assim nem vou precisar fazer o Caminho de Santiago para aprender a ser Zen. 

Eu também me irritava demais com a minha mulher dirigindo. Se tem uma fila com 10 carros e outra com apenas 2 ela escolhe ficar atrás da fila com 10! Por isso eu sempre assumia a direção quando saímos.

Eu simplesmente desisti de ficar estressado com o trânsito. Hoje eu entro e fico quietinho no banco do passageiro - a única coisa que continua me irritando ao extremo é um CD do Barry Manillow que ela insiste em escutar comigo. E o mais irônico é que agora a irritada é ela, e eu me irrito com a irritação dela - que ficou assim por minha causa.

Mas, e o prazer? Sei lá! Vou ter que achar prazer como o Arnado fez com a Scénic. Ou nas viagens para lugares desconhecidos. Também nas avaliações a várias mãos para esse blog. Em lugares ermos em lapsos de tempo e excitação. Como dirigir é algo bom! 

Não sei se é um reconforto, mas as coisas estão ruins para os autoentusiastas de todo mundo. Estamos virando uma espécie em extinção. Mas segundo a Turn 10, desenvolvedora dos jogos da série Forza para o console de jogos XBox, ainda há esperança para nós. Segundo eles podemos nos libertar jogando o novíssimo Forza 4. Claro que nunca será o mesmo que dirigir. Mas a evolução desses jogos está me animando a ter um console novamente. 

O filme abaixo foi feito para o lançamento desse novo jogo. Achei o máximo como ele retrata exatamente como os autoentusiastas se sentem enjaulados. Possuir um DB9 e poder explorá-lo no seu limite seria algo extremamente prazeroso.

Agora tenho que trabalhar mais ainda, para comprar uma apartamento maior, que caiba uma TV de 40 polegadas! E depois comprar um XBox. 









Aproveitando deixo uma listinha com posts antigos sobre o futuro.

São Paulo vai parar, Bob Sharp
10 motivos para ter esperança no futuro, Marco Antônio Oliveira
O futuro dos carros, Fernando Calmon
Não existe um carro do futuro, Paulo Keller
O futuro chegou, e é entusiastas, Felipe Bitu
Ikenga GT, criança não esquece, Juvenal Jorge
Fiat Mio, interessante. Mas que tal um Fiat AE?, Paulo Keller

PK

35 comentários :

  1. Esse video é épico. Impressionante é como me identifiquei com ele. A sensação de estar preso é presente em todos nós, seres em extinção.

    Recomendo o video com o final de gran turismo 5, que tambem fala a alma, mas de uma forma nostalgica. Quem sacar a letra da musica entenderá melhor.

    Infelizmente está dificil demais sermos livres, até o preço dos track days são impeditivos, circuitos em estado terminal, transito entupido por pessoas que detestam suas maquinas e as usam sem respeito algum, legisladores ignorantes.

    Bom ou não, os simuladores são uma saida.

    Guilherme Costa

    ResponderExcluir
  2. Todos os dias eu saio de casa para dar "uma voltinha" e faço isso desde que eu me conheço por gente. Eu saio por aí, sem destino. Antes colocava a mulher e filhos, hoje só a esposa e vou...Qualquer lugar serve e não é preciso ter um destino. É só sair e voltar. Umas "voltinhas" são curtas, outras mais longas. Enfim, apenas pelo prazer de dirigir e ver coisas. É claro que moro em cidade pequena e temos muitas paisagens bonitas para ver.
    Outro detalhe importante é desligar o "som" e aproveitar apenas a "música" do motor e conversar o mínimo possível.
    Hoje, meu filho é adulto e como eu, sempre que pode, lá vai com sua esposa e filha para qualquer lugar dar uma voltinha para qualquer lugar. Puxou pelo pai, hehe...
    Depois de alguns cálculos, cheguei a conclusão que gasto mais combustível com essas "voltinhas", do que com viagens e saídas de casa úteis e com destino marcado.
    Faça isso também em viagens e procure variar a velocidade do carro, hora mais lento, ora mais rápido. Aprecie a paisagem e procure olhar atentamente os outros carros que passam por você. Ache-os bonitos, feios ou engraçados. Procure olhar a placa para ver de que cidade são. E esqueça do "som" e de muita prosa porque aí você notará que ainda pode existir muito prazer em dirigir.

    ResponderExcluir
  3. isso de não parar em pequenos buracos, eu tb não paro, por isso gosto de carros altos. mas nao sei se é meu carro, um logan, que ja ta com varios grilos. as vezes penso que teria que passar mais devagar por alguns buracos, ou entrocamentos de ruas. mas que entediante isto é, ainda mais qdo alguem na sua frente faz isso, e vc nao tem como passa-lo. tem umas que o cara bota uma primeira, e nem precisaria... se bobear, dava pra passar em terceira. alias, alguns eu sei que dá pois passo sempre pelo lugar.

    ResponderExcluir
  4. Dirigir com som ligado não é comigo, nem sei porque tem isso no meu carro, nunca ligo, nada melhor que ouvir o ronco do motor e sentir as engrenagens do câmbio ao passar as marchas, procurar a faixa de torque ou potência máxima, o gritar dos pneus e o comportamento da suspensão em curvas feitas com entusiasmo... Mesmo meu carrinho sendo simples e de baixo desempenho, tento usá-lo no limite, diferente daqueles que tem carro 1 litro e reclamam da letargia e andam se arrastando, empilhando marchas e calculando consumo de combustível.

    ResponderExcluir
  5. Marcelo Junji16/10/11 17:46

    Falando sobre carros; tenho prazer em conserva-los. Gosto de me gabar dizendo que troquei, ou que nunca troquei determinadas peças depois de muitos kms rodados, manter a pintura brilhante por muitos anos,conservar o estofamento e o interior do carro, mas isso também gera muito estresse. Acho que isso também é uma forma de autoentusiasmo, apesar de não ter haver com o prazer em se dirigir. Teve uma época em que eu me preocupava mais com a água do meu aquário que com os próprios peixes. A conservação da água me dava mais prazer.
    Adquiri um nintendo wii, o seu contrôle pode ser usado da mesma forma que um volante, mas ainda não achei jogos bons de carros. Eu gostava do jogo sega -rally.

    ResponderExcluir
  6. Assim como o Marcelo Junji, também acho que o autoentusiasmo pode se revelar de outras formas, além do prazer de estar na direção, em si. Tenho orgulho de ser extremamente cuidadoso com meus carros, orgulho de ter vendido todos os anteriores para o primeiro ínteressado que foi vê-los, encantados com o estado de conservação... Confesso que estes cuidados geram algum stress, dão (um bom) trabalho, mas adoro olhar o bichinho com quase três anos e a lataria absolutamnete lisa, sem uma mossinha, bem como o interior impecável, sem uma manchinha nos bancos, ou até mesmo no carpete do chão. Tempos atrás, um primo comprou um Golf 0km, e no dia seguinte foi para a fazenda de um amigo, estrada de terra, chovendo. Eu jamais faria isto, he, he, he! Nem com um Fiat Mille.

    ResponderExcluir
  7. Me identifiquei muito com o filme tbm
    E concordo com o post,e com o JK..

    ps:o vido foi gravado em sp?

    ResponderExcluir
  8. Cidade grande, com mais de 300 mil habitantes EU TOU FORA!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Mister Fórmula Finesse16/10/11 19:58

    Pk seu ogro! Controle binário só se usa no botão da máquina fotográfica ...rsrsr.

    Mas bem interessante o texto, personifica as mudanças que ocorrem no nosso entusiasmo sem necessariamente arrefecê-lo.

    A prodigiosa imaginação humana é o software mais poderoso que pode tripular um carro; em um momento - com um carrinho simplório - você pode se imaginar a bordo de um Lancia 037 e brincar de quebrar a aderência nas tais estradinhas ermas; ou imaginar-se conduzido um suntuoso ônibus leito, com suspensão a ar, câmbio "shift automatic", e mais de 160kgs de torque pendurados atrás do último eixo; tudo isso dirigindo uma....kombi.

    Ou brincar de rally de regularidade estipulando tempos para cada etapa da viagem, sem precisar forçar ultrapassagens ou abuso de pneus e acelerador..tudo na base da tangência suave, na majoração da velocidade média, na concentração aos comandos com viés divertido e não obcecado.

    Carro é legal por tudo isso, apesar das suas formas duras e de seus parâmetros previamente estabelecidos; um condutor interessado pode mudar a dinâmica da condução - relativamente- como bem lhe agradar!

    Muito legal esse game ali, não tenho vergonha de comentar que sou um grande piloto do Game McRae Rally! Vejo que nosso futuro autoentusiasta dependerá muitos dos futuros simuladores em um futuro nada distante.

    ResponderExcluir
  10. Numa grande cidade travada não há como ter prazer ao volante. Andar a 10km/h e parar em cada esquina e ainda tendo de prestar tanta atenção quanto um médico enquanto faz uma cirurgia é TERRÍVEL, não há quem consiga gostar de dirigir nas nossas metrópoles (e hoje até cidades médias são assim) e não seja masoquista.

    Por essas e outras é bom morar na fazenda. Você mora perto do trabalho, as estradas estão quase sempre livres, na cidade tudo fica perto de tudo, pode-se andar a cavalo, etc., enfim, o interior hoje oferece uma qualidade de vida muito superior aos grandes centros urbanos.

    ResponderExcluir
  11. Ah mas a polícia trabalhando daquele jeito não tá com cara de Brasil não eim.... hehehe

    ResponderExcluir
  12. Parece que o vídeo foi gravado em Montevideo. Nossa, PK, mas discordo muito de voce. Cara, simulador?! Ainda dá para brincarmos de verdade sim. O kart é uma boa válvula. Os track days também. Gosta de motos? uma boa trilha de final de semana exorciza seus demonios. Não quer se sujar? Tranque a mão numa tetraclindrica e verá um sorriso em seu rosto. Sim, é possível fazer isso com segurança.
    Mas com todo respeito, PK: Corolla automático ?!? Putz... Será que não é essa a fonte de seu desencanto? Que tal algo com alma?

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  13. Quem é Autoentusiasta, encontra prazer em dirigier qualquer coisa. Eu graças a Deus posso dizer que já dirigi de tudo um pouco, (não curto moto) tratores, jipe, trator de estera, caminhão toco, truck, carreta, cortador de grama etc. HEHEHEHEH. Quem tem gasolina no sangue sabe o que to dizendo. Umas vez me deliciei com um Fusca 70 1.300 todo original mesmo, quardado com todo cuidado. Pediram para eu levar a outra cidade a cerca de 90 Km. Me diverti como nunca. Dei carona a um estudande que simplesmente não conseguia tirar as mão do puta M....
    Chegamos inteiro, eu o Fusca, o caroneiro nem tanto. Nem disse obrigado. KKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  14. Disse tudo...vou comprar um Xbox360 tb...e um Playstation para poder jogar GranTurismo...o segundo melhor destes jogos de simulação.

    Felizmente aqui no Brasil ainda há alguns lugares onde pode-se ter prazer ao dirigir...pelo menos meu humilde Focus 2.0 GLX 2011 com cambio manual. Q freios...q suspensão...os limites vão muito além dos meus pelas estradas(em autódromos é outra coisa!)...mais uns 15 cavalos e uns 2 quilos de torque não fariam mal nenhum...podia ter um apoio melhor para meu pé esquerdo...e não acho os bancos tão gostosos e confortáveis como eram os do meu Punto e do I30. Mas o resto...é uma delícia. Hoje, voltando de BH para o RJ, deu para manter 105Km/h de média no computador de bordo..e isso com 3 pedágios, milhares de controladores de velocidade e domigueiros e fazendo 11,3 km/l de média na gasolina. E sem loucuras...esposa no carro, controlando os exageros.
    Penso q meus filhos não terão chances como esta, com as fiscalizações cada vez mais frequentes e eficientes. Dirigir vai se tornar chato e monótono, com todos os carros iguais, automáticos, elétricos e silenciosos.
    Antigamente era melhor, mas ainda dá para aproveitar nos momentos certos.

    ResponderExcluir
  15. Lucas CRF,
    Com certeza ainda há esperança! Outro dia mesmo andei de kart na Granja Viana e meu entusiasmo foi para as alturas. Qualquer dia explico o Corolla. Mas mesmo ele pode ser bem empolgante. Também pensom em ter uma moto. Eu já fui jogador compulsivo do Gran Turismo, 1, 2 e 3. Agora esses jogos ficaram ainda melhores!
    Abraço,
    PK

    ResponderExcluir
  16. Más a rais de tudo, pelo que vejo é algo que não tem mais jeito e as grandes cidades !

    Será que realmente valha a pena morar nestes lugares em que, cada vez mais esta ficando insuportável, poluído, super populoso, congestionado, inseguro...Será que justifica tanto tempo perdido, tanta encheção de saco e problemas, custos, distancias e principalmente baixa qualidade de vida ?

    Por que então reclamam em morar em SP, RJ, Salvador e muitas outras péssimas cidades para se viver ? Se então já assimilam, por que não colocam na balança e saiam dai destes ?

    Isso é que não entendo realmente, pois por causa de família ou emprego, tudo se resolve, é só querer !

    Para que carregar essa cruz ?

    ResponderExcluir
  17. João Celidonio17/10/11 01:14

    Nos 2 primeiros mêses de carteira de motorista confesso que era meio endiabrado, ainda bem que passou, hoje sou motorista de limousine! rs
    Descarrego meu impeto assassino e irresponsável no simulador de corridas Live for Speed, que sem sombra de dúvidas é o melhor em termos de simulação. Todos esses jogos novos trazem gráficos e sons belíssimos mas pecam na fidelidade na direção, isso eu não suporto! Todos deveriam experimentar andar no Live for Speed um dia! Recomendo! hehe

    ResponderExcluir
  18. Aléssio Marinho17/10/11 01:15

    PK,

    Fico boa parte do dia na rua, no anda e para estressante. Dirigir virou um estorvo.
    Fui criado em rodovia, então quando fico de saco cheio começo a falar pra patroa que preciso pegar uma estrada pra me acalmar. O mais legal é que ela me entende.
    Dou um jeito de conseguir um "patrocínio" na empresa e vou me desestressar.
    Faço como vc, fico disputando com o gps pra ver se chego primeiro que ele. Mas gosto mesmo é de saber a altura do local que estou em relação ao nivel do mar...
    Mas arrumei outra vávula, melar a mão de graxa no meu conversível. Estou aprendendo muito com as pesquisas que ando fazendo para poder deixar tudo nos "trinques".
    Nessa válvula a minha patroa não me entende, rsrsrs

    ResponderExcluir
  19. Sou leitor assíduo daqui, mas raramente comento.
    Hoje tive que fazer um exceção.Que belo texto, PK. Li umas três vezes pra absorvê-lo bem.
    Felizmente ainda posso desfrutar diariamente de bons momentos ao volante do meu humilde Ka 1.0 Endura. As vezes o faço dirigindo macio, e às vezes com a faca nos dentes. De acordo com o meu humor, condições de trafego e climáticas. Mas é sempre bom chegar em casa guardar o carro, e como despedida dizer a ele: "Bom Trabalho, garoto"
    Mas pelo que vejo, somos uma espécie em extinção. Mas que lutará até o fim pela sua existência.
    Particularmente não gosto de jogos eletrônicos, nem acho que um simulador pode dar o mesmo prazer que a gente obtém na vida real. Mas acho uma fonte válida pra despertar o autoentusiasmo nas crianças e jovens e assim dar uma sobrevida à nossa espécie.

    ResponderExcluir
  20. Alexandre - BH -17/10/11 02:34

    PK,

    A impressão que tenho é que os piores motoristas, motoqueiros e pedestres, os mais despreparados, os mais mal-educados, os mais morrinhentos, todos vieram parar aqui em BH. Sair de carro por essa cidade é uma verdadeira saga. Então, pra ter alguns raros momentos de prazer ao volante, saio de casa de madrugada aos finais de semana. Só assim pra poder curtir o carro, os lugares, as ruas vazias, uma boa música - tomando cuidado, obviamente, com bandidos, motoristas bêbados e idiotas que se acham no direito de avançar sinal vermelho a 200 km/h.
    Quanto ao filme, será que foi inspirado no polêmico C'était un Rendezvous (Era um encontro, 1976), em que um maluco sai a mil por hora pelas ruas de Paris? As cenas de perigo são reais e o diretor chegou a ser preso na época.

    http://www.youtube.com/watch?v=C07kT3N5H14&feature=related

    ResponderExcluir
  21. É impressão minha, ou este vídeo foi filmado em São Paulo?

    ResponderExcluir
  22. PK,
    eu gosto muito de carros, gosto muito de dirigir, mas quando mudei de Porto Alegre para Belo Horizonte, a vontade e a satisfação em dirigir caíram muito. Trânsito lento, um monte de gente que não deveria chegar a 50 metros de um carro... Deixa a gente triste.

    Eu fiz exatamente isso que tu falou.

    Tenho uma tv de 40", um PS3, GT5 e um volantezinho da Logitech, um G25 e um sonzinho da Edifier para dar um up nos efeitos sonoros. É tão bom, que as vezes eu passo o domingo inteiro jogando. Minha mulher não gosta muito, mas ela entende. E vou te dizer, vale a pena! Não é a mesma coisa que dirigir um carro de verdade, mas se aproxima bastante, principalmente dirigindo um Chevelle 454 em Nurburgring debaixo de chuva... Faz suar pra conseguir controlar o carro. Muito bom, desestressante. Recomendo.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  23. PK,

    Eu também pertenço à turma dos autoentusiastas que procuram sempre manter suas máquinas no melhor estado de conservação e me enquadro perfeitamente no conceito de "smooth driver", mas tem horas que o sangue borbulha mais forte e como eu moro em um local que praticamente não oferece maiores riscos (nem a mim, nem ao caro e muito menos a alguém por perto), vez em quando eu liberto os meus instintos mais primários...Dia desses fui na casa de um grande amigo com o Dart Sumatra e nós decidimos limpar o carburador e dar uma "afinada" no V8, e adivinha...Na volta fiz "pedal to the metal", o 318 urrando gostoso, o carro parece que pediu isso, que adrenalina deliciosa !!! Não foi nenhum tipo de abuso, tudo muito bem monitorado, mas às vezes precisamos disso...
    Sobre o vídeo em anexo: sim, ele foi gravado em Sampa, as imagens não negam...E pareceu bem real, hahahahaha !!!
    Eu não sou adepto a games, ms vou repensar a respeito...Ainda prefiro acelerar por aqui mesmo, e com responsabilidade...
    Forte abraço direto da Fronteira Sul !!!!

    ResponderExcluir
  24. Texto excelente! Mas compre um PS3 e o GranTurismo 5 :) Suporta G25 e G27 (volantes maravilhosos) e a física é muito boa!

    ResponderExcluir
  25. Pesquisei,e o as partes aereas,e as de ação foram filmadas e montadas em sp...as de transito parado..mais perto talz...foram numa cidade do chile

    ResponderExcluir
  26. Diego Ribeiro,
    O GT é o mrlhor jogo de todos. Mas eu acho muito sério e dofícil, tem muitos menus e gasta- se muito tempo navegando e não jogando.
    Abraço.
    PK

    ResponderExcluir
  27. Esclarecendo.
    Quando eu tiver o carro dos meus sonhos, aquele que é muito mais que um objeto, vou tratá-lo muito bem.
    Abraço a todos.
    PK

    ResponderExcluir
  28. Somos dois, então.
    Eu, que um tempo atrás ouvia para tomar cuidado ou ir mais devagar, hoje ouço "pode acelerar", ou "aqui não tem radar".
    Essa de ficar contando vantagem de quanto tempo fez então, é coisa de gente chata demais.

    ResponderExcluir
  29. Rafael Bruno17/10/11 17:59

    Sensacional post!

    O engraçado é que as vezes mesmo em ruas vazias, por exemplo, de madrugada no campo belo, ando com o carro beeeeem devagar para ouvir o "clec-clec" das trocas de marchas...ô coisa boa!!!

    Ao chegar em casa ligo o xbox e acelero no "Need for speed"..hehehehe

    ResponderExcluir
  30. PK,
    Busco a maciez mesmo dirigindo forte, gosto de gastar pneus, mas não desnecessariamente.
    Vejo sentido em manter um ritmo, tem dia (muitos) que estou naquela pilha, que não consigo dirigir de boa, parece até que não tenho opção, me realizo com uma curva bem feita, no limite, porém sem provocar o desequilíbrio do carro, aquela sensação de fazer a curva da melhor forma possível com o carro que tenho nas mãos. Quando consigo dirigir de boa, sem stress, sinto-me até orgulhoso, fora a diferença no desgaste.

    Quanto aos jogos, pelo que escuto, você jogou as versões fracas do GT, o jogo foi consagrado na quarta versão e agora na quinta (PS3) atingiu o "estado da arte"... hehehe... Estou me segurando até conseguir um bom preço nesse volante, até porque no joystick não dá né, parece que este é o top. http://www.thrustmaster.com/product.aspx?ProductID=224

    PK, você falou da Granja, não seria uma boa idéia fecharmos umas baterias com o pessoal daqui, tenho agitado os meus amigos, mas não é tão fácil conseguir 15 pessoas pra correr quanto parece.

    Mr. Car, penso que carro é pra usar sem dó, inclusive não se pode ter dó de gastar com a manutenção também, fora isso, sinais de uso não me incomodam, desde que o carro permaneça íntegro.

    João, vou ver se baixo o Live for Speed, joguei há muito tempo, realmente o jogo é famoso pela fidelidade da física.

    ResponderExcluir
  31. Fábio Toledo, o GT5 é bem divertido, mas baixa o Live For Speed pra você sentir o que é física bem feita... Se tiver um volante melhor ainda!
    Acredito que um LFS + Logitech G27 conseguem até treinar motoristas.

    ResponderExcluir
  32. Edison Guerra17/10/11 22:08

    Olá autoentusiastas! O video foi gravado no Uruguai.

    ResponderExcluir
  33. Wagner Bonfim18/10/11 15:34

    Rapaz, que video excepcional, e acredito que aquele apresentador do Top Gear UK está fazendo a narração. Aparecem imagens de SP e vários outros local, deixando-o universal!

    ResponderExcluir
  34. Sinto o mesmo, PK. Por isso ando reservando uma graninha para participar do próximo torneio de regularidade, em 18/12, junto com os demais colegas autoentusiastas. Estou bem animado para rodar sem medo, sem culpa, sem estresse, com um baita sorrisão.

    E durante a semana, vou dirigindo Ferraris, Lotus, Lancias e Veyrons pelas ruas de Ibiza e Hawaii no Test Drive Unlimited 2 =)

    ResponderExcluir
  35. Isaac Pereira Loureiro: O cenário deste vídeo é Montevidéu. Não se engane, aquela "Ponte Estaiada" que aparece no final é um viaduto suspenso na capital uruguaia.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.