QUERO ESCOLHER, POSSO?



A notícia é do "Bom Dia Brasil" de hoje : Criança é encontrada em carro roubado no subúrbio do Rio. Já me posicionei há tempos sobre o assunto: cadeirinha (banco) para crianças, só em viagens, onde entendo que realmente fará a diferença em caso de acidente. Não que a tal cadeirinha seja inútil nos deslocamentos urbanos, porém é notícia corriqueira o roubo de automóveis em cidades como Rio e São Paulo, e duvido que algum bandido vá esperar pacientemente a criança ser desatada de sua cadeirinha no banco traseiro.

O que falta é bom senso, seja do lado de quem dirige, que muitas vezes provoca situações de perigo e acidentes por simples displicência ao volante, seja do lado dos legisladores, que criam e aprovam leis distorcidas, como essa da obrigatoriedade da cadeirinha. Como o Bob já escreveu em coluna anterior , a obrigatoriedade não se estende a táxis, ônibus, carros de transporte escolar, de locadoras. E, bem lembrado por um leitor do blog, ainda temos os casos das caronas. Pois dessa forma seremos obrigados a negar carona a uma amiga com dois filhos pequenos por risco de ser multado na primeira esquina.

Então, quero poder escolher o que considero melhor para mim e para meus filhos. Guio com extremo cuidado e prefiro correr o risco de ver um filho ferido em um acidente urbano (normalmente são sem maiores consequências) do que ver um vagabundo levando meu carro com minha filha de dois anos dentro. Minha esposa já foi assaltada à mão armada, às 9 horas da manhã, felizmente estava sozinha e o episódio se resumiu ao susto.

Ou então, proíbam asa delta, bungee jump, alpinismo, skate, motocicleta. Proíbam também torcidas nos estádios. Riscos de acidentes e até de mortes existem em qualquer dos citados acima, mas cada um que avalie o que é melhor para si próprio e para os seus. Senão é melhor probir viver.

AC

36 comentários :

  1. Thiago Luiz17/08/10 12:02

    Os legisladores de São Paulo já estão probir tambem o skate [ http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/778146-camara-de-sao-paulo-quer-vetar-skates-sobre-as-calcadas.shtml ] e depois de terem recuado, falam agora de usar equipamento de segurança. Meu skate custa 207 reais. Um bom capacete certificado pela uniao europeia custa 180 reais. O que eles ganham legislando desta forma ? Eu fico pensando: porque a desculpa da praticidade só vale para onibus ,taxi, vans ... eles sao mais responsaveis ?

    ResponderExcluir
  2. Alexandre Cruvinel,

    Parabéns pelo post. Falou com todo domínio e razão. Também já dei carona pra familiares com crianças, e me pergunto como seria. É revoltante ver legisladores despreparados e fora da realidade da população.
    Bom ver que não penso assim sozinho.

    Grande abraço.

    ahh... totalmente fora de contexto, mas fica a sugestão para os amigos se deliciarem...
    http://blog.hemmings.com/index.php/2010/08/17/hemmings-find-of-the-day-1973-citroen-ds23/

    ResponderExcluir
  3. Francisco V.G.17/08/10 12:34

    Com relação à obrigatoriedade eu até concordo, cada um que faça o que acha melhor e arque com as conseqüências de suas escolhas, mas, de minha parte, eu prefiro usar a tal "cadeirinha" para acomodar a minha filha de três anos, e o motivo é pelo simples fato de que, quando estamos apenas eu e ela no carro, ela não para quieta de jeito nenhum, parece um buscapé, um siri na lata. Outra coisa que me parece surreal é você não usar a cadeira por causa dos roubos e assaltos, ou seja, o que tem de ser combatido, eliminado, fica como está e nós vamos nos adaptando à coisa, mesmo que seja arriscando a integridade física da criança, como você mesmo mencionou.

    ResponderExcluir
  4. E que segurança tem uma criança no colo em um ônibus urbano lotado como os são no Brasil? Alías, quem tem segurança ao andar de ônibus por aqui? Realmente as prioridades no Lisarb são uma bagunça.

    ResponderExcluir
  5. Pra gente ver a que ponto chegamos neste país.
    Como o assalto é mais provável que um acidente, até devido ao trânsito congestionado, a cadeirinha mais atrapalha que ajuda.
    Amigo, acho que deu o que tinha que dar. Nosso país fracassou em proporcionar uma vida digna à sua população.

    McQueen

    ResponderExcluir
  6. Mister Fórmula Finesse17/08/10 14:28

    Eu acho que em utilização puramente rodoviária (rodovia mesmo), as cadeirinhas poderiam ser fiscalizadas pois o perigo de assalto é menor do que um eventual acidente grave.

    ResponderExcluir
  7. É realmente triste chegarmos nesse ponto, de ser melhor não usar a cadeirinha pra podermos ter uma rápida saída de emergência em caso de assalto... eu sou um que ando sempre com meu filho, que vai fazer 3 anos, na cadeirinha, felizmente moro em uma cidade um pouco mais segura (Florianópolis) mas que vem se tornando cada vez mais violenta também.
    Pelas minhas estatísticas vou continuar sempre levando ele na cadeirinha, ja que felizmente nunca fui assaltado mas ja levei uma batida na traseira parado no transito que se meu filho estivesse sentado sem cadeirinha teria voado pra frente.
    Mas é uma pena mesmo termos que optarmos por não usar por causa de assaltos...

    ResponderExcluir
  8. McQueen e Cruvinel,
    voces estão certos, o assalto é mais provável que o acidente.
    meu filho usa o booster, pois já está grandinho, mas é mais para conforto e visibilidade, já que assim ele enxerga para fora e faz comentários divertidos a todo instante.
    O País faliu mesmo, a inteligência está longe dos palacios da administração e legislatura. Pobre nação emburrecida.

    ResponderExcluir
  9. Um tema polêmico, ainda mais diante da situação recente enfrentada no RJ.

    A obrigatoriedade do uso do dispositivo conhecido como cadeirinha é decorrente de ato do poder executivo, e não do legislativo (imaginem se partisse do legislativo, (risos)).

    O CTB diz apenas que a criança deve ser transportada conforme resolução do Contran, cabendo a esse órgão ligado ao ministério das cidades estabelecer as normas quanto a esse tipo de transporte.

    Ocorre que a resolução do Contran que trata do tema existe a algum tempo (2007, se não me engano) e não é possível ainda aplicá-la, também por conta do mercado desses dispositivos não atender ao consumidor em oferta.

    Consumidores com carros com cintos de dois pontos no banco traseiro não encontram esse DRI nas lojas, nem por encomenda.

    A fiscalização não pode multar quem abusa na hora de transportar criança de forma irregular, pois a resolução prevê aplicação de multa apenas a partir de 01 de setembro.

    Assim, muita gente continua levando criança solta no carro, no porta malas (dos veículos tipo perua, SW) e no colo (até no banco dianteiro).

    Acredito que as autoridades de trânsito deveriam primeiro coibir o transporte inadequado de crianças, para só em um último momento (e se for necessário) obrigar ao uso de um dispositivo que só pode ser instalado em alguns veículos (que tem cinto de três pontos).

    Sem dúvidas haverá ainda muita dificuldade para aplicar a lei, cabendo a cada um fazer a sua parte.

    ResponderExcluir
  10. Thiago,

    a preocupação com o acidente no skate tem que ser de quem pratica. Não concordo que o estado queira fazer papel de babá.

    Guilherme,

    obrigado pelo elogio. E o que é aquele Citroen DS ? Que carro novo, que achado !

    Francisco,

    tenho uma filha de 2 e é a mesma coisa, sozinha atrás ela não para quieta. Mas ela ficar atrás sozinha só em situações momentâneas, tipo a mãe está junto e dá uma saída do carro para ir à padaria enquanto manobro. E a adaptação ao que não é combatido é uma forma de defesa. Devíamos combater os maus motoristas com exames muito mais rígidos, mas os exames continuam frouxos e tentam remediar com obrigatoriedade de air bags.

    ResponderExcluir
  11. Alexandre,
    Nada mais justo voce ter o poder de escolha, afinal cada um com seus problemas certo? Mas talvez sua opinião mude após um acidente,(lógico que não provocado por voce pois voce não deve ser humano pra cometer um erro), machucar seriamente seus filhos poque não usavam a caeirinha.

    ResponderExcluir
  12. Alexandre Crunivel.
    Sou leitor do blog, mas não costumo comentar muito.
    Estou realmente estupefato com o seu post e com os seus comentários. No meu ponto vista você está COMPLETAMENTE ERRADO.
    A medida que torna a cadeirinha obrigatória é válida e louvável, uma pena que a lei se desvirtua em alguns momentos garantindo isenção do artefato em táxis por exemplo. Isso como todos sabemos foi lobby que excluiu os táxis e veiculos de transporte públicos a fim de que essa não fosse uma das "leis que não pega" que tanto existem no nosso país.
    Outra, voce acredita que os Air-bags sejam dispositivos desnecessários, que exames de habilitação mais rigorosos seriam mais efetivos seriam mais eficazes que os air-bags que voce vê apenas como uma medida de remediação.
    Isto só pode ser uma piada, e de muito mal gosto.
    Veículos são objetos potencialmente perigosos, e os seres humanos que os dirigem, são milhões de vezes mais sujeito a falhas e distrações. Todo e qualquer equipamento de segurança disponível ou recém inventado deveria ser obrigatório, em todos os veiculos que circulam, sem exceções, sejam elas economicas(equipamento caro) ou politicas (lobby).
    Considero uma bárbaridade o que foi escrito nesse post, e não acredito que essa seja a opinião majoritária desse blog tão respeitado e que conta com colunistas com larga experiência na área automobilistica.
    Devemos é cobrar mais segurança pública, mais segurança nas ruas e estradas, mais fiscalização das leis de transito e dos veículos que circulam. Aliás as pessoas a serem cobradas são os mesmos sujeitos que fizeram a lei da cadeirinha, mas eu não vejo ninguém se prestar a esse papel.
    Num país onde o sujeito consegue se embebedar com menos de 5 reais, voce acha que toda a sua cautela ao volante salvará voce, sua filha ou sua esposa sem equipamentos obrigatoórios de segurança de um maluco bêbado inconsequente atrás de um volante?????Pense nisso.

    ResponderExcluir
  13. Para ver a que ponto chegamos "neste país"... É preciso escolher entre uma (menos provável) colisão ou um (muito mais provável) assalto! Absurdo sem tamanho.

    Claro que a cadeirinha e o booster ajudam a reduzir ferimentos em acidentes. Porém, uma coisa é certa: todo pai e mãe consciente dirige de tal forma que uma colisão fica muito difícil de acontecer.

    Eu, minha irmã e meu sobrinho crescemos todos andando de carro sem a tal da cadeirinha. Me lembro que houve um acidente mais sério com eu e minha irmã a bordo do carro, quando um maluco contornou uma esquina em alta velocidade e bateu com força na lateral traseira do carro de meu pai. Ninguém saiu ferido, embora o estrago em ambos os carros tenha sido razoável. Isso lá nos idos de 1980-1981...

    Alguém sabe onde ter acesso a dados (mesmo que fora do Brasil) a respeito da eficiência da cadeirinha e booster?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Arthur Costa17/08/10 20:07

    Porque que eles não obrigam por meio de lei os pobrezinhos dos fabricantes de veículos a colocar IsoFix em todos os carros?

    ResponderExcluir
  15. Deviam é proibir o transuente caminhar por aí sem o imprescindível colete à prova de balas e facadas...

    ResponderExcluir
  16. Pedro Navalha17/08/10 20:32

    Tempos atrás um garotinho morreu em uma grande cidade do Brasil porque estava preso ao cinto de segurança e os bandidos que roubaram o carro o arrastaram por kilômetros. O que será que passou pela cabeça de seus pais????

    Será que se eles fossem irresponsáveis e o deixassem solto dentro do carro ele estaria vivo hoje?? Talvez não, pois acidentes também acontecem...

    O que passa pela cabeça de um pai ou de uma mãe hoje? Prendo meu filho ao carro e posso perdê-lo para marginais ou deixo solto e posso perdê-lo em um acidente causado talvez por um motorista bêbado??

    O problema é que vivemos diariamente numa grande roleta russa. Qualquer decisão tanto pode provocar a morte quanto salvá-la. Não temos como saber qual a decisão correta. Talvez apenas sigamos nossa intuição.

    O certo é que sempre serão os mesmos escrotos a comandar o país com suas leis e determinações mais escrotas que eles próprios.

    Se eu pudesse eu pulava fora dessa merda chamada Brasil. Mas e a chance????

    ResponderExcluir
  17. Nosso trânsito é muito violento e letal para que possamos nos abster de usarmos equipamentos de segurança.

    Devemos proteger nossas crianças e as educarmos com a idéia de que devemos respeitar os outros e atermos à nossa segurança.

    Entendi o que o Alexandre Cruvinel disse, porém não tenho o mesmo pensamento, pois ao Estado compete buscar o bem comum, que passa pelas contas dos Hospitais públicos, que atendem as vítimas dos acidentes e gastam dinheiro de todos nós.

    ResponderExcluir
  18. Rafael Bruno17/08/10 21:45

    EU achava que a cadeirinha era um "avanço" na lei...

    mas lendo o seu post, fez sentido pra mim e mudei minha opinião.

    Concordo 100%!

    ResponderExcluir
  19. Migdonio,

    Enxergo nosso blog antes de tudo como um espaço para troca de idéias, de debate sobre o automóvel e tudo o que está interligado a esse grande invento do homem. Acho bom que alguém tenha um ponto de vista diametralmente oposto ao meu, pois assim discutiremos o assunto mais a fundo. E defendo também que o blog tenha colunistas com opiniões divergentes, o que só vem a enriquecer a discussão.

    Antes de mais nada, cabe esclarecer que os dois carros de uso diário aqui em casa tem duplo air bag. E uso cinto de segurança pelo menos desde os 14 anos (tenho 40), muito antes de se tornar item obrigatório. Ou seja, ainda que possa ter passado a idéia de alguém despreocupado com acidentes, na realidade é justamente o contrário.

    Pelo que entendi, na sua opinião parece impossível melhorar o nível dos condutores, então o caminho é obrigar os fabricantes a equipar os carros com tudo que há a nível de segurança passiva ? Será que o air bag frontal lhe protegerá do tal maluco bêbado inconsequente que fura o sinal e lhe atinge lateralmente ? E se o bebado estiver armado e resolver atirar em você só por conta de uma encostada menor ? Veículos só são potencialmente perigosos nas mãos de pessoas que não o levam a sério, o que concordo, são maioria. E por isso, no meu entendimento, antes de nivelar por baixo e tentar minimizar com airbags, temos que melhorar o nível de quem dirige.

    O que é mais perigoso, carro sem airbag e criança fora da tal cadeirinha ou motocicleta ? Vamos eliminar as motocicletas de nossas ruas ? Em tempo, ando de moto quase diariamente, SEMPRE com capacete, mas não concordo também que seja obrigatório. Ou o povo aprende a pensar nas consequências do que faz ou esse país não sai do estado que está. Concluíndo, andamos sempre de cintos atados e usando a cadeirinha da forma correta em qualquer viagem, no carro com air bags. Apenas não me conformo com a obrigatoriedade.

    ResponderExcluir
  20. A cadeirinha é louvável mas o motivo pelo qual foi implantada - arrecadação e lobby de fabricantes - é ridículo e não condiz com a realidade brasileira, nem social, nem econômica, nem nada.

    ResponderExcluir
  21. Anonimo,

    um dos motivos da bronca da obrigatoriedade. Quem enxerga que é um item de segurança importante, compre uma e use. Aí fazem uma continha rápida e chegam a conclusão de que com uma canetada vão vender cadeirinhas a rodo.

    Ganham de um lado e do outro, porque sabem que a arrecadação com multas vai aumentar bastante. E a gente paga a conta. Enquanto isso, criminosos aplicam golpes de dentro das cadeias por celular ! E fica por isso mesmo.

    ResponderExcluir
  22. Proibir moto!
    Cê tá louco e eu... como é que eu respiro depois?
    Bobagens à parte, eu defendo o uso da cadeirinha.
    Embora entenda a sua preocupação, penso que segurança automotiva é muito importante e que dificilmente nos livramos de um acidente provocado por terceiros.
    Um triste caso aconteceu a duas semanas atrás, na esquina da minha casa aqui em Curitiba.
    Estávamos na mesa comemorando o aniversário do meu caçula, quando ouvimos uma freada.
    Um Marea SW Turbo em alta velocidade, perdeu o controle, freou muito, mas acabou batendo em um Ford Ka na altura do eixo traseiro. Os danos nos carros não foram tão grandes, os ocupantes dos dois carros saíram ilesos, exceto uma menininha de seis anos, que estava no banco de trás, no lado oposto ao da batida, que morreu no local com o pescoço quebrado, provavelmente pelo efeito chicote, por estar sem o cinto de segurança ou cadeirinha.
    O estado da mãe era desesperador, pois ela só fala que devia ter posto a menina no cinto de segurança.
    Este caso foi noticiado por jornais e TV locais.
    Tenho filhos e aquilo foi uma cena que não esquecerei facilmente.
    Portanto, acho que não podemos descuidar da segurança automotiva, só porque as autoridades (in)incompetentes não cuidam da segurança pública.
    Tá certo que por aqui só se pensa em arrecadar, mas eu não desejo a ninguem a experiencia daquela mãe em choque.
    Paulo Franco

    ResponderExcluir
  23. "Anônimo disse... A cadeirinha é louvável mas o motivo pelo qual foi implantada - arrecadação e lobby de fabricantes - é ridículo e não condiz com a realidade brasileira, nem social, nem econômica, nem nada."

    Sem mais...

    ResponderExcluir
  24. Ah, só um adendo: O governo brasileiro, em todas as esferas, tem essa mania de fazer caridade com o chapéu alheio

    ResponderExcluir
  25. Eu posso mudar de posição tranquilamente na questão de usar a cadeirinha na cidade. Não mudo é na questão da imposição.

    ResponderExcluir
  26. Quantas crianças são levadas em asssaltos por estarem presas às cadeirinhas? Quantas crianças escapariam de acidentes por andar sem cadeirinha? É esta a conta a ser feita!

    Pela lógica do escriba, eu poderia achar um carro de duas portas, dirigido pelo motorista e com a criança "escondida" no banco de trás (com ou sem cadeirinha, tanto faz) intrinsecamente inseguro no caso de um assalto. Ou ainda poderia citar aqueles casos de pessoas que estavam sem cinto na hora de acidente e que tiveram a imensa sorte de escapar ilesas para assistir o carro queimar ou afundar num rio.

    A meu ver, este post pela pela falta de cientificismo; sem ofensas, está mais para "conversa de bar". Acho coisa d emaluco andar com uma criança solta dentro do carro. Afinal, quantas crianças vocês conhecem que tenham sido sequestradas por estarem usando cadeirinhas?

    ResponderExcluir
  27. Alexandre Crunivel.
    Primeiramente quero te pedir que não leve esse meu comentário para o nível pessoal ok? Do mesmo modo que voce expôs sua opinião, e influenciou alguns leitores eu quero ter o direito de fazer o mesmo.
    Todos sabemos da sanha arrecadadora do governo, mas estão não é o ponto crucial desta discussão, pois se fosse este, como disse um colega não passaria de "conversa de bar".
    Alexandre, as lei quando são feitas, são sim "niveladas por baixo", elas visam o que se chama de homem-médio, e não o excelente motorista.
    O uso dos equipamentos de seguranças passivos obrigatórios tem que ser respeitado e ponto final, se eu pudesse escolher não seguir uma lei, eu já teria a muito tempo escolhido não pagar nenhum tipo de imposto.
    Mas vamos lá, o que eu quero enfatizar é o agravamento do risco, e é exatamente disto que a lei trata. A lei, ao tornar o uso da caderinha obrigatória, diminui o risco inerente do transporte, isso qualquer um sabe, E É OBRIGATÓRIA JUSTAMENTE PORQUE AS ESCOLHAS DO "HOMEM-MÉDIO" FOGEM AO BOM SENSO, por motivos praticos, estéticos, economicos, etc, etc...
    Experimente chegar na sua seguradora e dizer que voce prefere realizar os pequenos deslocamentos urbanos sem a cadeirinha da sua filha, e veja a reação deles.
    Para seguradora é a mesma coisa alguém chegar e dizer, "olha, eu sou um motorista super cuidadoso, muito bom mesmo, mas uma vez por semana eu dirijo embriagado, mas só uma vez!!".
    A lei é um avanço sim, mas como voce disse Alexandre, os equipamentos de seguranças passivos podem não salvar vidas versus motoristas bêbados, caminhoneiros irresponsáveis que dormem ao volante, mas esses equipamentos sem duvida aumentam as chances de haver menos danos ao ocupantes no caso de um acidente.
    Por favor, não vejam a lei como uma medida caça níquel. É uma questão de saúde pública, e para melhor.
    Veja o relato do leitor que presenciou um acidente bobo mas fatal de uma criança, e pense que sua filhinha não tem o discernimento de te pedir para por ela na cadeirinha.

    ResponderExcluir
  28. Nesse caso não seria então melhor a Lei impor punição ao condutor que transporta crianças sem o acessório em caso de acidente, seja particular ou veículos prestadores de serviço?

    ResponderExcluir
  29. policamente incorret018/08/10 13:39

    Pendo que cada um deva transportar suas crianças como queiram uma vez que a historia de criança acidentada vai ter custo para o estado É pura balela ja que a saude publica não funciona nem para dar lobrigueiro= vai ter custo sim para os pais inresponsavel e se a criança por morrer tambem ja é um ganho pois filho de peixe peixinho= morreu um futuro inresponsavel

    ResponderExcluir
  30. O último parágrafo falou tudo...

    Como funciona isso em países como Japão, Alemanha, EUA?

    ResponderExcluir
  31. Migdonio,

    não levo pro lado pessoal não, o importante é discutirmos. Posso estar me posicionado baseado na minha realidade, já que moro em um bairro com alto índice de assaltos à mão armada e por outro lado com baixíssima velocidade média (o computador de bordo mostra sempre em torno de 20 km/h). Do mesmo jeito que assisti a tal notícia do assalto, também já vi outras onde a cadeirinha foi o que salvou uma criança da morte, em um acidente gravíssimo. A minha preocupação ao aceitarmos sempre que se nivele por baixo é a mediocrização da sociedade. Já estão falando em limitar todos os carros a 140 km/h, no que também não concordo.

    Homem-baile,

    pessoalmente não conheço nenhuma, mas já foram noticiadas algumas aqui no RJ. De qualquer modo, ainda que possa ter sido mal interpretado, o intuito não é pregar que não usem o tal equipamento, mas ir contra a obrigatoriedade da coisa. E se for voto vencido, que obriguem todos os carros que transportarem crianças a usá-la. Me obrigar a usar em situações que acho o risco aceitável e deixar o táxi na minha frente transportar a criança solta não me parece sério.

    ResponderExcluir
  32. Cruvi,

    Concordíssimo!

    O título diz tudo; me deixem em paz com minhas escolhas.

    MAO

    ResponderExcluir
  33. Preferir que o filho seja machucado a eventualmente fique preso numa cadeirinha durante um assalto (uma coisa não anula a outra) é tão louvável quanto o Bob Sharp defender o uso de motocicleta sem capacete...

    Pai que deixa filho solto no carro e causa ou sofre um acidente merece uma bela punição, isso sim.

    ResponderExcluir
  34. Bera Silva20/08/10 14:35

    http://libertatum.blogspot.com/2007/03/o-caso-marcela-e-coisas-como-o-cinto-de.html

    http://libertatum.blogspot.com/2010/08/quem-leu-o-meu-alerta-o-guia-alimentar.html

    http://libertatum.blogspot.com/2010/07/retratos-da-loucura-disseminada.html

    ResponderExcluir
  35. Bera silva (de novo)20/08/10 14:36

    Vamos repetir a lição mais uma vez:
    O Estado NÃO tem o direito de regular a vida do cidadão!

    ResponderExcluir
  36. voce que é contra a cadeirinha também deve ser contra o cinto de segurança, contra o capacete, contra bafometro e tudo que acontece de ruim é culpa do governo!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.