LIVRE DA CADEIA


O famoso caso dos pedais de acelerador da Toyota que deram problema, causando aceleração involuntária nos veículos tanto pelos problemas eletrônicos quanto pelo pedal enroscando no tapete, fez uma pessoa feliz.
Koua Fond Lee, preso em 2006 acusado de matar três pessoas em um acidente com seu Camry, foi libertado da prisão após o caso ser revisto e o argumento do pedal falho ser apresentado. Na época, não se falava neste defeito, e mesmo o acusado afirmando que estava com o pé no freio o tempo todo, o juiz o condenou, alegando que ele teria confundido o freio com o acelerador.
Este caso mostra como uma pessoa pode ser julgada erroneamente, por uma falha que ainda não foi descoberta ou categorizada como erro de projeto, produção ou algo assim. Outros podem não ter a mesma sorte de Lee, mas com a mesma situação.
Fonte: Autoblog

37 comentários :

  1. Prova também que muito juiz é incapaz de exercer uma profissao tao importante. O poder dado a um ser humano encarcerar outro deveria ser tratado como um verdadeiro sacerdocio mas, no entanto, temos (no Brasil também) uma orda de juizes que nao passam de advogados fracassados que, de alguma maneira ganharam concursos publicos.
    Que Deus nos proteja desta gentalha.
    Rui Mesquita

    ResponderExcluir
  2. Felizmente eu não tenho nenhum Picolédechuchumóvel, digo Toyota.

    McQueen

    ResponderExcluir
  3. Complicado, complicado... imaginem quanta gente já não morreu por algum erro de projeto ou de manutenção, peças mal construídas, peças paralelas de má qualidade, etc.

    Tem um livro muito bom que fala sobre isso, chamado "Recall - 4 milhões de carros com defeito de fábrica", escrito pelo jornalista Rodolfo Alberto Rizzotto, acessível pelo link http://www.estradas.com.br/livro_recall/livro_recall.asp

    []s

    ResponderExcluir
  4. No passado as fabricas sò lançavam os novos modelos apòs exaustivos testes. Hoje por uma questao de economia, os lançam com poquissimos testes preliminares. Fica mais barato para as fabricas consertar o veiculo em garantia, assim o proprio consumidor testa e denuncia os defeitos. Razao pela qual saem tantos modelos em pouco tempo.
    Quem pode questionar as multinacionais ? Somente quando o escandalo é tao vistoso, como no caso Toyota. Neste interim os clientes jà morreram ou ficaram com perdas graves.
    Que mundo de merda !!!!

    Junior

    ResponderExcluir
  5. MB
    É por isso que mesmo dando vontade em certos casos, hoje sou contra a pena de morte. Se um erro judiciário for cometido, não há retorno. Mas o imbecil deve passar o resto da vida preso. Isso por si só também desestimula o crime.

    ResponderExcluir
  6. Agora o cidadão em questão vai acionar o Estado e a Toyota e receber (é justo) uma boa indenização!

    ResponderExcluir
  7. Agora o cidadão em questão vai acionar o Estado e a Toyota e receber (é justo) uma boa indenização!

    ResponderExcluir
  8. Olha Bob, tenho até uma certa sintonia com sua posição, mas prefiro correr o risco de um erro judiciario a sustentar qq um por anos a fio e sem nenhum benefício para a sociedade. Se a Lei determinar que o indivíduo merece morrer, passa na foice e será menos um a infernizar quem quer e ANDA na linha. Serão despesas a menos para o todo da sociedade.
    Claro está que um julgamento de pena capital deve ser o mais absurdamente completo para que um eventual erro seja quase improvável, não se admitindo nunca, opiniões subjetivas mas sim concretas. Se der "zica" e o infeliz se for, que se castiguem com todo o peso possível os responsáveis. Todos eles, do jurado ao juiz sem escapar ninguém.
    Esse aí, se tiver um bom advogado, agora irá pra cima da Toyota e em pouco tempo estara com as burras cheias. Merecerá, pois em última análise a culpa é do fabricante.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Olá

    Gostaria de dizer ao Rui Mesquita, do primeiro comentário que a opinião dele sobre os juízes deve estar baseada em algum fato pessoal e não condiz de forma nenhuma com a realidade.

    Sou advogada, assumida e bem-sucedida. Lido diariamente com o judiciário e gostaria de compartilhar alguns dados que talvez o Rui Mesquita não saiba:

    - os concursos para juiz são compostos de 5 etapas: prova objetiva, prova subjetiva, prova de tribuna, prova de títulos e entrevista. Tanto na prova de tribuna quanto na entrevista você é argüído por juízes de reconhecido saber jurídico, sobre um assunto sorteado uma hora antes.

    - normalmente os juízes fazem concurso em seguida à graduação e não conseguem êxito. Passam anos em escolas de magistraturas que revisam praticamente toda a faculdade, e custam tanto quanto, para após anos de estudo por 8h diárias, 7 dias por semana, serem aprovados.

    - todo juiz tem o poder e dever de requerer, se as partes não fizerem antes, uma perícia a fim de que aspectos tecnicos sejam esclarecidos. Justamente porque processos podem versar sobre qualquer assunto, é previsto e extensamente usado.

    - aqueles juízes que não se adaptam ou que realmente não dão conta do serviço e tem coragem de admitir, pedem exoneração e tornam-se advogados. O processo é exatamente o inverso do que você narrou.

    Confesso a vocês que se houvesse escala de dificuldade, ser juiz estaria próximo do 10 (mais difícil) e advogar medianamente estaria próximo do 5 (razoável dificuldade).

    Confesso também que tenho muito mais medo do poder que delegamos aos legisladores (deputados e senadores), reles mortais na maioria das vezes sem formação superior e que de acordo com a gorjeta inserem no direito nacional qualquer coisa que interesse a alguém.

    Aí os coitados dos juízes que se virem para fazer justiça...

    No caso em tela é bem provável que quem afirmou foi o perito. A perícia deve ter concluída por não haver problemas no carro.

    Perdoem, mas realmente sei o que é lidar com o caos de legislação que possuímos e admiro a determinação e a coragem dos nossos juízes.

    Janaína

    ResponderExcluir
  11. Arthur Costa06/08/10 20:52

    Muito bem Janaína,

    O cidadão falou uma besteira baseada em Datenas da vida. O que está estragando este país são os formadores de opinião sem formação.

    ResponderExcluir
  12. so me espanto com a benevolencia de toda a midia com a toyota.essa empresa que era julgada como exemplo de qualidade,produto e gerencia.os executivos da gm devem rolando de tanto rir.lembrem-se na proxima toyota e todos os asiaticos sao 99% marketing 1% produto.concordo que muitos fabricantes nao sao nem 0,1%,mas essa idolatria niponica chega a me encher o saco

    ResponderExcluir
  13. Onde entra o fanatismo sai a razão.

    ResponderExcluir
  14. Nos EUA até que a mídia bateu forte nesse assunto, mas já houve quem batia com mais rigor.

    Aqui... Deceparam dedos, fabricante justificou, imprensa disse amém. Carro solta roda e mata, fabricante justificou, imprensa disse amém.

    ResponderExcluir
  15. Tapetes mal desenhados prendem pedais.

    Tapetes "originais" são mal desenhados.

    Quanto às "estrevistas" para o indivíduo chegar a juiz, não vou comentar.

    ResponderExcluir
  16. Quanto aos carros "antigos" e seus testes exaustivos segundo disseram, porquê então os carros antigamente com 10 ou 15 anos já eram todos sucatas?
    Hoje, se o dono tiver um mínimo de cuidado, um carro com 10 anos está em excelente estado!
    Quem já esteve no campo de provas de "Cruz Alta", o da GM em Indaiatuba com sua reta infinita, sabe que não é bem assim, pois tanto os carros quanto as peças passam SIM por testes de fadiga impressionantes.
    Eu tenho amigos muito próximos, dentro da engenharia da GM e da Mercedes e, sei do que estou falando.
    Pessoal, erros acontecem mesmo com todos os testes possíveis.
    Um teste que ninguém consegue realizar, é o teste do dia a dia, com todo tipo de motorista conduzindo todo tipo de carro.
    Querem um exemplo?
    Sistemas operacionais como Windows, OS2, Linux, etc.
    Quem está no meio, sabe que são feitos meses e meses de testes, avaliações, correções, etc, e, querem mais do que os problemas que eles dão quando saem ao mercado?
    Por causa daquele teste que eu falei sobre os clientes e, todo tipo de uso possível.
    Erros são perdoáveis? NÃO!!!
    Mas não devemos simplesmente chegar de sola em quem cometeu, ainda mais se não temos nada a ver com o problema causado!
    Deixemos para quem é de competência fazê-lo.
    No meu carro por exemplo, tem um jogo de tapetes "top de linha" de uma famosíssima fábrica de tapetes automotivos e, se eu não coloco principalmente o do motorista no lugar EXATO, ele logo começa a sair e, percebo ele dando pequenos atritos no pedal de embreagem.
    Quem garante que este tapete do Toyota estava no lugar certo?
    Quem garante que estas pessoas não colocam o tapete de qualquer jeito no carro?
    Quem aqui nunca viu, principalmente quando o carro vem do lava rápido, os tapetes dianteiros colocados ao contrário?
    Ah, agora vão dizer que porquê o cara tem um Camry ele é certinho?
    Vamos tem um pouco mais de cuidado ao analisar certos casos e deixar para quem é responsável por isso.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Regi nat rock
    Entendo seu ponto de vista, já pensei igual, mas manter o sujeito preso para o resto de vida é uma despesa que a sociedade pode arcar sem problema. Nada contra o estado tirar a vida de facínoras e assim nos proteger. O único problema é o erro judiciário.

    ResponderExcluir
  18. Realmente nao condiz com a realidade, cara Janaina, lembro somente os juizes e desembargadores de Mato Grosso desviando (ou roubando?) verbas para uma pretensa loja maçonica, o que dizer do Lalau ? (aquele do INPS)nao era juiz ? Se quiser podemos extender a lista e nao de pouco.
    Que voce seja uma advogada bem sucedida nao tenho duvidas, mas que tem muito juiz, desembargador, advogado desonesto e incompetente fica dificil negar.
    Em todo caso esclareço nao ter tido nenhuma experiencia pessoal com esta classe de pessoas. Simplesmente sou informado das falcatruas e incompetencia destes profissionais e creio ter direito em ter esta opiniao e manifesta-la.
    Até a constituiçao permite a liberdade de expressao, mesmo sem ter a pretensao de "formar opinioes" como os donos da verdade afirmam.
    Vou encerrar este assunto por aqui por ser completamente estéril e me diverte muito mais ver os novos carros.
    Rui Mesquita

    ResponderExcluir
  19. cala boca Janaina idiota!
    o cara tem toda a razao! A AMIORIA DOS ADVOGADOS JUIZES, PROMOTORES... essas merdas todas estao todos envolvidos em sacanagem e roubalheira, putaria... inclusive o presidente do tribunal de justiça!
    nessas horas é melhor vc ficar quieta, contra fatos nao há argumentos!
    BOA RUI MESQUITA!!!!!!!!! TAMO JUNTO!!!!!

    ResponderExcluir
  20. Puta que pario, já não bastava o Datena agora chegou o Ratinho!!

    ResponderExcluir
  21. Vamos manter o AUTOentusiastas num nível elevado. Deixemos de bobagem e vamos respeitar a opinião das pessoas.

    ResponderExcluir
  22. Dá uma vontade danada de replicar o coment da Janaina, , mas é melhor deixar quieto. Só digo que, na prática, a teoria é outra. Infelizmente.
    Falo também como profissional da área.
    Só digo que deveria haver idade mínima pra Juiz (uns 35 anos) e começar a carreira lá em Cabrobó das Carochinhas para adquirir
    experiência REAL no dia a dia dos cidadãos. Não é o que se vê, pois falta experência de vida que deve ser levada em conta ao julgar (eita profissão terrível essa, se for levada ao pé da letra) Quem fica esse tempo todo estudando não tem a mínima idéia de como as coisas funcionam no mundo real, pois a imensa maioria tem um "paitrocinador" (geralmente com bons contatos no governo que garantem bolsas no exterior além de outras benesses sutilmente inseridas na legislação etc e tal) e que permite a tranquilidade academica. Só conhecem de ouvir dizer. O que dizer de um juiz que pode andar armado perder a cabeça e cometer desatinos? ou de um promotor (que estuda pacas) ir numa festa armado e fazer a KHda que fez no Guarujá? Era um moleque "que se achava"
    Se continuar não paro mais e o Blog é sobre autoentusiastas. Fiquemos nele, pois. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  23. Senhores, por favor. O Autoentusiastas não merece a qualidade de alguns comentários.

    ResponderExcluir
  24. Pela cara de bração do caboclo, apesar de ele estar guiando um passaporte para a terceira idade sobre rodas (=Toyota), acho que ele apertou o acelerador mesmo...

    ResponderExcluir
  25. "Sou advogada, assumida e bem-sucedida."
    Assumida?
    "Lido diariamente com o judiciário e gostaria de compartilhar alguns dados que talvez o Rui Mesquita não saiba." Não seria mais certo "não conheça"?
    "todo juiz tem o poder e dever de requerer, se as partes não fizerem antes", não seria "não O fizerem antes"?
    "Perdoem, mas realmente sei o que é lidar"; a quem devemos perdoar?
    Aiiiii, pobre da última flor do Lácio, tão maltratada pela "adevogada"...

    ResponderExcluir
  26. Não querendo jogar lenha na fogueira mas jogando, olhem só o post que eu achei no blog do mulsanne: http://blogmulsanne.blogspot.com/2008_05_01_archive.html -> procurem o título 'Brasil, meu Brasil brasileiro...' (acho que um CRTL+F ajuda). Fora isso tem também os casos de "arma branca com mais de 4 DEDOS de comprimento da lâmina" (lei que nem mesmo existe - quem se liga em armas sabe do que estou falando). PS: mesmo assim acho que os casos jurídicos mais bizarros acontecem nos EUA, hehehe

    ResponderExcluir
  27. Li tudo por alto, mas aproveitei apenas uma coisa.
    Vou comprar um Toyota e quando atropelar algum skatista dentro de um túnel interditado tirando racha coloco a culpa no acelerador. Acho que essa desculpa cola.

    ResponderExcluir
  28. Cada sociedade tem os integrantes que merece. Se aqui temos juristas corruptos e mafiosos; e engenheiros que fazem carros que soltam roda e matam, a culpa é nossa.

    ResponderExcluir
  29. É Zullino, desta vez tenho que concordar com voce. Não há como culpar a Toyota se o sujeito nem sequer verifica os tapetes em que está pisando. Nos meus carros (GM/Chevrolet/Opel), o tapete não tem as tais "travas" e não escorregam NUNCA, pois a face inferior deles é uma "colcha de espinhos", coisa super simples de ser produzida.

    RNR e Bob,

    Pena de morte não funciona. Quem é mandido e ameaça a vida de outras pessoas não tem medo de morrer. O que funciona é prisão perpétua com trabalho, muuuuuuuito trabalho. Se o presidiário tem que fazer trabalhos forçados (quebrar pedra mesmo), aí sim o cara pode talvez ficar preocupado com as consequências. É algo MUITO mais penoso do que uma câmara de gás ou cadeira elétrica. E outra, trabalhando ele paga os custos da prisão e portanto deixa de ser um peso para a sociedade.

    Agora, cá entre nós, mesmo que esse motorista do Toyota em questão tenha feito besteira, ainda não justifica a pena pesadíssima que havia sido aplicada a ele.

    Justiça comete erros, mesmo com um colegiado de juizes e um jurado grande. Só isso é suficiente para nunca se pensar em pena de morte.

    Janaína,

    Parabéns pela forma como expos o assunto. Juiz é um cargo absurdamente difícil de ser atingido, e o concurso público ainda é a forma "menos ruim" de se selecionar um candidato. Mesmo assim, não impede que haja indivíduos extremamente capacitados mas que não tenham o caráter necessário para o exercício da profissão. Quem é contra os concursos simplesmente não sabe do que está falando.

    ResponderExcluir
  30. Arthur Costa10/08/10 05:01

    Carro é feito para ser usado em sua plenitude, conforme foi projetado. Sobretapetes alteram a altura para com os pedais, além de ser algo estrando ao veículo. Quem tem carro com bate-pé e usa sobretapete não pode ser considerado ENTUSIASTA.

    ResponderExcluir
  31. Quem disse que é contra os
    concursos ???
    Jaime

    ResponderExcluir
  32. Max, muito bom!!! kkkk... "pela cara de bração do caboclo...", agora todo proprietário de Toyota tem desculpa pelas merdas que fazem... vou te dizer, viu!

    E a carinha da "Asian Ho" rindo com toda a dentadura pra fora ao lado da figura...

    Se julgar fosse bater o olho no "caboclo" e falar... eu diria que este aí deu a volta na justiça... olha a cara de culpado do cara, ímpagável! rs*

    ResponderExcluir
  33. Fabio,

    Também pensei a mesma coisa, mas não podemos julgar pessoas por fotos.

    Arthur,

    A maioria esmagadora dos carros foi inteiramente projetada para ter os "sobretapetes" (o nome correto é tapete, enquanto que o original do carro é o carpete).

    Sempre verifico se os pedais realmente chegam até o fim de curso com os tapetes colocados. Quando isto não ocorrer, ou os cabos ou pedais estão desregulados, ou o carro não pode receber tapete, o que significa tratar-se de um carro mal projetado.

    O Bob teve um carro cujo carpete original foi substituído dentro da garantia. Sorte dele! Quero ver se o tal "bate-pé" tivesse estragado fora da garantia. O que ele poderia fazer? Sentar e chorar! Um bom tapete e um bom carro funcionam bem conjuntamente, sem causar acidentes. Se escorregar, não é um bom tapete. Tudo muito simples, não há mistério.

    ResponderExcluir
  34. Tá certo Bussoranga... fiz o comentário de sacanagem mesmo...

    Quanto à qualidade, o tapete nem pode escorregar sobre o carpete, como não pode ser escorregadio para os pés, independente dos calçados utilizados. Por isso que deixei de utilizar a marca borcol, apesar do acabamento impecável, é um tapete muito escorregadio.

    ResponderExcluir
  35. Fabio,

    Se for pensar assim, então bancos de couro limpinhos e reluzentes também seriam carta fora do baralho!

    Já experimentei ir para um trackday com bancos de couro impecáveis. O resultado é uma dança dentro do carro a cada curva. Escorrega pra valer mesmo.

    Quanto aos tapetes, se eles forem "acarpetados", não há problema, nada de escorregamento.

    ResponderExcluir
  36. Arthur Costa11/08/10 06:07

    Bussoramga,

    O Bob já escreveu sobre isso, por experiência própria dele e minha, baté-pé dura da concessionária ao ferro-velho.

    Carros que já possuem bate-pé, os pedais já foram projetados para seu uso, colocar sobretapetes acaba com o projeto.

    ResponderExcluir
  37. Ahhh sim, inclusive o pessoal aqui ogeriza bancos revestidos em couro...

    Bussoranga, acredita que eu nunca fui a um TD... alias demorei... tenho que "tirar o escorpião do bolso"

    Abs

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.