INSUPORTÁVEL

Dia desses eu estive em Campo Grande-MS. Um amigo do trabalho que está morando por lá estava com um navegador Garmin. O que me chamou a atenção é que o navegador dava indicações dos vários radares espalhados pela cidade. Eu também tenho um Garmin que raramente uso, mesmo já sabendo que ele indica os radares, inclusive em São Paulo. Esse meu amigo havia acabado de atualizar o seu mapa. Chagando em casa fiz o mesmo na expectativa de usar o navegador para evitar multas, não por imprudência, mas por falta de atenção ou deslizes mínimos.
Meu pai mora no Guarujá, e sua casa fica a pouco mais que 100 km de porta a porta da minha. Toda vez que eu vou visitá-lo fico com a impressão de ter tomado ao menos umas duas multas. São muitos os radares tanto na ida quanto na volta.
Hoje eu resolvi fazer a viagem com o navegador ligado para contar os radares. Na ida até perdemos a conta e na minha estimativa foram 25 indicações no navegador. Na volta, prestamos mais atenção e pasmem; foram 29 indicações! Fora os três que contei e não foram indicados. Vale notar que tanto na ida quanto na volta houve muitas indicações de radares onde de fato não há nenhum (talvez houvesse no passado) e vária indicações de possibilidade de radar móvel, isso na Rodovia dos Imigrantes.
Desses 29, nove estão no Guarujá, todos desativados. Todos com limite de 60 km/h ou menos. Mas no Guarujá, devido a péssima qualidade das vias, é praticamente impossível, ou totalmente indesejável andar a mais de 60 km/h. Mas meu pai já me alertou que a prefeitura já avisou que vai reinstalar todos os radares. Só espero que com a arrecadação as vias sejam melhoradas, tanto na rodagem quanto na sinalização.
Muitos dos radares, principalmente na Imigrantes, estão bem sinalizados. Mas esse não é o padrão onde a iniciativa privada não é o responsável, como no Guarujá e em São Paulo. Em alguns trechos onde a via é boa é fácil exceder um pouco o limite, sem que isso represente uma imprudência fatal. E com tantos radares espalhados, tomar uma multa, mesmo sendo comportado, é apenas uma questão de tempo. É muito difícil descer a nova Imigrantes a 80 km/h. Qualquer bobeada e esse limite é transposto. Sem contar que ao se acostumar com tamanha monotonia, toda vez que chego próximo dos 120 km/h minha mulher já reclama. Essa situação beira o insuportável! Pergunto-me se realmente precisamos de carros com motores mais potentes se nunca mais poderemos utilizá-los.
No final das contas o consolo é que a viagem fica muito mais segura. Mas sinto muito que em um trecho de 200 km sejam necessários 50 radares para impor um bom comportamento das pessoas. Num país onde o nível de educação para o coletivo, até dos mais letrados, seja tão baixo, e o interesse dos políticos num programa efetivo de educação e cidadania que perdure por vários governos seja praticamente nulo, não vejo outro jeito. Isso é nivelar por baixo.
PK

27 comentários :

  1. PK
    O objetivo é arrecadar, não educar. Se controle de velocidade educasse já não morreriam 100 brasileiros POR DIA em acidentes de trânsito.

    ResponderExcluir
  2. pra que educação , paz ou inteligencia SE PODEMOS TER DINHEIRO WEEEEEE!!!

    é assim que pensam 90%dos politicos.

    Idependente de partido ou estado , eles demonstram o desinteresse e falta de seriedade todos os dias.

    ResponderExcluir
  3. Culpa dos político imbecis, que deitam e rolam em uma País de ignorantes.
    Fosse isso aqui decente, político apanhava na cara todo dia.

    ResponderExcluir
  4. Em nome da transparência na gestão da coisa pública, acho que seria interessante saber quem são as empresas fornecedoras desses radares, quais os critérios para a instalacão dos mesmos e qual a relação dessas empresas com as administrações municipais e estaduais. Talvez aí fique mais fácil entender o motivo para existirem 29 radares num trecho de 100 km.

    ResponderExcluir
  5. Pedro Bergamaschi09/08/10 00:31

    Se mesmo com limites tão rígidos, o pessoal (burro) se mata no trânsito, então que liberem tudo logo, aí quem é de bem fica tranqüilo e Darwin faz o serviço (de tirar de circulação quem não é capaz).

    ResponderExcluir
  6. Carla Brolezzi09/08/10 01:26

    Infelizmente o futuro é dos motorzinhos e eu não estou falando dos motorzinhos dos dentistas... :(

    ResponderExcluir
  7. É muito fácil dirigir fora dos limites, a maioria muito hipócrita. Basta aprender como funciona o sistema de sinalização para os locais de fiscalização fotográfica. Deste modo nem mesmo radares portáteis ou móveis iram nos pegar.

    É necessário muito mais atenção e tensão ao se usar os navegadores para tal finalidade, do que usar as regras do jogo a nosso favor.

    ResponderExcluir
  8. Usuário permanente da Imigrantes, não me amofino, pois sei exatamente onde estão os radares. Uma estrada que permite velocidades elevadas com bastante segurança, de certo modo estimula a transgressão somente para poder arrecadar.
    Se a estrada estiver com pouco tráfego (creiam, vez em quando está vazia sim!), eu determino o meu limite, nada exagerado diga-se; apenas uma discreta injeção de adrenalina.

    ResponderExcluir
  9. Regi, é verdade. Mas nuam viagem familiar de final de semana é um saco. Tem que ficar ligado o tempo todo para não se esquecer dos radares e não tomar uma multa a 125 km/h num limite de 120. Fora os outros lá na Piaçaguera. Uma monotonia que dá sono.

    PK

    ResponderExcluir
  10. PK, e o que me diz dos radares presentes na via Anhanguera e Bandeirantes, adiministrados pela rica AutoBAN, que não possuem indicação e estão escondidos atrás das pontes, contrariando inclusive as normas do Contran? Vide radar na frente da Honda (Sumaré), radar na frente da Goodyear, sentido interior... O que fazer?

    Sobre a segurança, tenho dúvidas se um radar não prejudica, pois o mais apressado freia em cima do radar e pode levar uma cacetada de quem vem atrás e não viu o radar.

    ResponderExcluir
  11. "Só espero que com a arrecadação as vias sejam melhoradas, tanto na rodagem quanto na sinalização."

    Infelizmente não serão, ainda mais em ano eleitoral...

    E concordo com o Bob Sharp, o objetivo não é educar e sim arrecadar o máximo que puder.

    ResponderExcluir
  12. Pois é PK, esse tipo de ação do governo incomoda não só à você e eu, como à muitos outros, como sabemos.

    Moro à exatos 6100m da casa da minha namorada. Entre ruas e avenidas que preciso pegar pra chegar até lá, são 5 radares. O primeiro, dois quarteirões da minha casa, o segundo dois abaixo do primeiro. Cinco quarteirões depois, na mesma via, está o terceiro. Quando pego o acesso ao bairro dela, uma lombada eletrônica em frente a um orgão do governo, depois é sair numa avenida de tres pistas e, logo antes da sua rua, lá está o quinto radar. Todos de 60km/h. A maior distância que rodo sem encontrar pela frente um radar é de 1400m.

    Velocidade deve ser controlada pelo bom senso da população. No Brasil, como falta educação, formação ética e moral pra a grande maioria dos filhos da pátria, é mais prudente que alguns bons e sensatos entusiastas abram mão de parte do seu prazer para salvar vidas.

    ResponderExcluir
  13. Na Estrada do Mar (RS 389, que margeia o litoral norte gaúcho) há um monte de pardais, coisa de um a cada 7 km, normalmente em acessos cuja velocidade máxima é inferior à do resto da rodovia (que é de 80 km/h).

    Não costumo ler jornais das cidades da região, mas mesmo assim por duas vezes já vi serem noticiados acidentes em que um motorista freia bruscamente ao ver o radar e o motorista de trás desvia para a faixa oposta, batendo de frente em outro carro que vem no sentido oposto. Em ambos os acidentes houve mortes.

    Tenho minhas dúvidas quanto à eficácia dos radares. Acho que a teoria do Bob Sharp a respeito das lombadas (que deseducam muitos motoristas, que associam a ausência delas à liberdade para acelerar à vontade) também se aplica aos radares. Em casos como o da RS 389, lombadas eletrônicas (muito bem sinalizadas, obviamente) seriam muito mais eficazes para reduzir a velocidade onde é necessário andar mais devagar (onde há travessia de pedestres, por exemplo) do que radares ocultos. Por que isso não é feito? Só imagino que seja por motivos "financeiros".

    Aliás, aqui no RS (estado cujas contas operaram no vermelho durante anos a fio), a diferença no perfil da fiscalização nas estradas estaduais e federais é claríssima. A maioria dos radares ocultos ficam nas estradas estaduais e a polícia rodoviária para motoristas para verificar coisas como extintor de incêndio e pagamento de IPVA. E isso ocorremesmo em estradas com asfalto mal feito (já era ruim quando novo), sem acostamento nem sinalização horizontal, e com buracos enormes (em outras palavras, estradas onde os radares não dão lucro). Não imagino outra razão para tal perfil de fiscalização que não seja o arrecadatório. Haja bolso!

    ResponderExcluir
  14. Pedro,

    Parabéns pela colocação. É exatamente o que eu ia dizer para o PK. Não é necessário impor limite de velocidade baixo, a seleção natural faria os "ruins de roda" se arrebentarem e, portanto, sairem das vias públicas.

    PK,

    Nós somos brasileiros e não desistimos nunca. Continue usando o GPS, boas pastilhas de freio, e sejamos felizes! Quanto à patroa, se é pra ela reclamar de míseros 120km/h, melhor deixá-la em casa.

    ResponderExcluir
  15. E a ponte rio-niteroi agora com radar de 80km/h, ficou tão monótona que tem motoristas lendo jornal enquanto dirigem.

    ResponderExcluir
  16. Felisberto09/08/10 22:36

    "O objetivo é arrecadar, não educar. Se controle de velocidade educasse já não morreriam 100 brasileiros por dia em acidentes de trânsito" (Bob Sharp).

    Sobre a frase acima, algumas reflexões:

    1- haverá arrecadação se, e somente se, o motorista trafegar em velocidade acima daquela permitida pela autoridade de trânsito.

    2 - como os próprios críticos da "indústria da multa" admitem,é realmente grande (embora em minha opinião insuficiente) o número de multas aplicadas a partir do registro feito pelos radares, malgrado a localização desses equipamentos eletrônicos, por conta de resolução criminosa do CONTRAN, ser informada aos motoristas.

    3 - Donde concluo que se motoristas são flagrados até mesmo quando alertados sobre a localização do radar, é razoável a hipótese de que, na ausência desses equipamentos, haja um número significativo de motoristas que, cientes da inexistência do radar, estejam trafegando em velocidade não permitida, ou pior, incompatível com as condições da pista, o que explicaria, em grande parte, os cem brasileiros mortos por dia no trânsito.

    4 - Ou seja, dever-se-ia revogar a resolução do Contran acima mencionada. Nas rodovias, por exemplo, apenas um aviso em seus acessos de que é monitorada eletronicamente. Defendo, inclusive, a utilização de radares móveis instalados em carros descaracterizados da polícia, trafegando ao longo da rodovia. Não dou seis meses para o número de mortes começar a cair. Aviso sobre a localização do radar, como é hoje, apenas em circunstâncias especiais.

    Para terminar, reafirmo o que já disse aqui em outro comentário: estou mais preocupado com a "indústria da morte" do que com a suposta "indústria da multa"

    Como o próprio Bob Sharp disse, são 100 mortes por dia. OU seja, 36.000 por ano. Número vergonhoso, se considerarmos o tamanho da frota brasileira de veículos.

    ResponderExcluir
  17. Sou de Jundiaí e estudo em São Bernardo... o novo rodoanel acaba não compensando pra mim pois com o limite ínfimo de 100Km/h é mais rápido pegar a marginal. Até com as estradas novas eles colocam limites ridículos

    ResponderExcluir
  18. Felisberto,

    Não é a primeira vez que voce diz ser a favor dos limites de velocidade arbitrariamente e ridiculamente baixos que sempre são aplicados às vias terrestres brasileiras.

    Tal postura não combina em nada com a de alguém que se diz ser AutoEntusiasta. Mas espere, voce nunca disse ser! Então, o que está fazendo aqui?

    A industria da morte não é feita por alta velocidade, o que pode ser comprovado facilmente pelo fato de que os acidentes mais graves acontecerem em retas e em baixa velocidade. 80km/h é uma velocidade com a qual já se tem condições de se matar. Então, se essa é a sua preocupação, que diferença faz andar a 80km/h ou 120km/h?

    O mais importante é a sua frase: "estejam trafegando em velocidade não permitida, ou pior, incompatível com as condições da pista". Voce mora no estado de SP? Se sim, então me mostre UMA ÚNICA rodovia em que 120km/h seria incompatível com a pista. Felizmente não temos mais pistas ruins. Querer defender os 80km/h nos túneis da Imigrantes é passar atestado de ignorância. Seria voce por acaso algum acionista de concessionária de rodovia, que ganha fração de arrecadação de multas? Ou seria voce funcionário do Detran ou ainda membro do Contran?

    Pare de dizer bobagens. Se voce não tem competência para andar rápido, então ande devagar, lá na faixa da direita, e não venha incomodar os que tem muita competência para andar rápido.

    Caso não tenha percebido, pode tirar as placas indicadoras de presença de radares/pardais/caetanos/etc... que não vai fazer a menor diferença, afinal, os aparelhos de GPS já se popularizaram e nos salvam da indústria da multa.

    Nem os caminhões andam tão lentamente como voce diz defender. Portanto, seus argumentos são completamente descabidos. Acorde para a vida, 80km/h era algo que se praticava em 1950, com as precárias vias que haviam naquela época. Hoje temos carros mais seguros e vias muito mais seguras. 180km/h é velocidade segura para várias delas.

    ResponderExcluir
  19. Ao menos a lei de hoje não te suspende a CNH se for flagrado acima de 20% da velocidade (como era antes) agora tem de estar acima de 50%... Assim eles podem arrecadar mais, obviamente.
    É perceptível, que as ações são feitas no sentido do "Corra! vamos ver quem é mais esperto".
    Bato na madeira, meu feeling anda bem apurado para não cair nas armadilhas... ainda bem!

    ResponderExcluir
  20. Felisberto, o que mata não é a velocidade mas sim a incompetência, e isso se pode fazer a 10km/h ou a 200km/h. Um motorista incompetente, principalmente se estiver com um carro grande ou um caminhão, irá causar acidentes terríveis.

    Agora se vc é um desses incompetentes, azar seu. Tudo o que você não é é AutoEntusiasta, isso é certeza.

    ResponderExcluir
  21. Meu pai passou pelo rodoanel quando este ainda não estava com a velocidade limitada, em uma viagem. Todos andavam TRANQUILAMENTE a 140 KM/h. Outra coisa: o que seria a "indústria da morte"?

    ResponderExcluir
  22. Patrick,
    Sem dúvida! a única vez que peguei o trecho sul, não baixei dos 150 da Anchieta até a Regis... agoraaa, já tem radares operando lá?
    Aliás aquele dia eu estava de boa, indo pra um evento da empresa...
    Aí me aparece um com faróis de xenôôônio chegando como se fosse o dono da pista... lógico, dei passagem pro Golf... depois veio outro com faróis de xenôôônio... lógico dei passagem, agora era um Corsa...
    Percebendo que vários estavam andando forte... pensei... pista nova, carro revisado apesar dos pneus um tanto cansados... vamos andar um pouquinho, não demorou encontro os dois tontos um colado no outro... é dose né! Bom... passei os dois e nem tomei conhecimento, depois eu não os vi mais... rs*
    Arriscado? não achei não... trânquilo...

    Abs

    ResponderExcluir
  23. Certeza de que já há fiscalização? Eu acho que sim.
    Já peguei carros "a paisana" escondidos logo atrás de placas de sinalização, principalmente junto às saídas para Anchieta e também para Imigrantes.
    Os "placares" eletrônicos também são "radares". Isso vale para TODAS as rodovias.
    Levando-se tudo isso em consideração, ainda é difícil andar com pé embaixo, pois o tráfego já é enorme. É impressionante como uma obra tão recente já se encontra quase saturada.

    ResponderExcluir
  24. Sempre que vejo uma radr escondido , imagino que nessa briga nimguem ta nem ai pra leis , e que as multas fazem parte do orçamento mensal, sendo elas devidas ou não tem que ser aplicada um certa quantidade.

    ResponderExcluir
  25. Felisberto,
    Em vez de ficar reclamando dos limites de velocidades ridiculos,e sobre a "Indústria da Morte".
    Reclame sobre a péssima formação dos motoristas brasileiros,o motorista competente é seguro andando a 70km/h,quanto a 140 km/h.

    ResponderExcluir
  26. A Via Anchieta é minha rota para o trabalho todos dias faço o percurso Sâo Paulo Zona Norte até o KM 23,5 naquela indústria automobilística na qual trabalho, a Volkswagen. Asfalto impecável, sinalização ok, mas o maior problema são mesmo os radares...

    Há pouco tempo, fui presenteado com uma multa no km 19 + 900 da Anchieta sentido Santos, cerca de 400 m após o radar fixo do "placar" instalaram um ingrato radar móvel: Velocidade aferida: 91km/h... Quanto risco aos demais motoristas, não... Bons tempos onde tinhamos todas faixas de rolagem da Anchieta a 110km/h. Esse é um desabafo pois cada vez mais é complicado de dirigir...

    Em um das retas finais da descida da serra na pista sul, local onde facilmente meu Santana 2000MI chega a 80km/h sem fazer absurdos e com muita segurança, existe um radar bem escondido de 60km/h.

    Fora isso existe um terrorismo de placas indicando fiscalização eletrônica de velocidade e mais, com o advento dos radares móveis, torna-se menos previsível ainda entender se você está numa situação de levar uma multa a 60km/h.... Um exemplo é na entrada da Anchieta pela Cônego... uma queda de 80 para 50km/h...

    O MAIOR ABSURDO que já vi é o radar na chegada ao Guarujá pela Cônego. Incríveis 40 km/h no meio de uma estrada! Fico com medo de ser atropelado por um caminhoneiro desavisado. Nesse caso a velocidade do radar é incompatível com a pista - basta olhar para o asfalto para ver a quantidade imensa de marcas de pneu antes da fiscalização.

    Menos investimentos em melhorias das condições de engenheria de tráfego e mais investimentos em radares e controles minimamente ESTÚPIDOS de velocidade. Será que isso é segurança!?

    Cada vez que pego uma estrada a 90km/h o nível de tensão vai às alturas, desvio mais minha atenção para o velocímetro do que para a estrada...

    É, esse é o futuro das nossas estradas! A eterna sensação de ter sido multado a 90 km/h...

    ResponderExcluir
  27. Só complementando, um ponto da Anchieta que não tem radares fixos e nem móveis (dias úteis pela manhã antes das 8h) é o trecho entre o posto rodoviário e o km17 sentido Santos na pista central. Hoje mesmo deu pra puxar até 170 km/h na reta em frente a fábrica da Mercedes Benz.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.