FOCUS, LIVINA E SEUS PRÊMIOS

Especialmente nas manhãs de quarta-feira eu tento não deixar de encontrar o Ralf, dono de um quiosque da Holandesa, onde tomo café da manhã regularmente. Ele adora carros e todos os dias trocamos informações, ideias e um bom papo logo cedo. Às quartas ele compra o JT e, além do café com queijo quente feito na chapa, ele divide comigo o Jornal do Carro para olharmos as novidades.
Ontem eu me deparei com duas propagandas, muito comuns recentemente, mas que sempre me causam dúvidas sobre sua eficácia. Uma do Focus e outra do Livina. Ambos excelentes carros e com ótima relação custo-benefício. Não apresentam nenhuma percepção negativa quanto ao pós-vendas e são premiados e recomendados por várias revistas e jornais. O Focus, segundo sua propaganda, é o carro que mais vence comparativos dentro da sua categoria. E o Grand Livina é insuperável na relação custo-benefício.
Resolvi dar uma olhada nos números de vendas dos modelos dos anúncios e alguns de seus concorrentes. Encontrei o seguinte:
média mensal dos últimos 12 meses - unidades/mês
- Livina: 700
- Fit: 3.500
- Meriva: 2.500
- Idea: 2.200

- Grand Livina: 170
- Zafira: 760

- Focus Sedan: 800
- Corolla: 4.500

- Focus Hatch: 1.600
- Astra Hatch: 2.500
Pois é, os números de vendas não refletem as avaliações positivas e os prêmios ganhos. Ou seja, o consumidor não está nem aí esse tipo de anúncio. Não é isso que vende carro. É uma coisa muito estranha, pois eu recomendaria facilmente tanto o Focus quanto o Livina. Mas o que vale é a percepção geral sobre os modelos, algo um pouco tangível, relacionado à percepção dos consumidores sobre a marca e ao desejo neles despertado. E como se desperta esse desejo? Isso dá um papo bom, mas não nesse post. Há também a falta de coragem dos consumidores para se desgarrar do grande rebanho.
Além disso, algumas marcas cometem erros fatais, que podem comprometer a imagem de seus modelos por toda sua vida. No caso do Livina, acho que a Nissan fez um excelente carro, com muitos atributos, especialmente relacionados à qualidade japonesa, mas com zero de emoção e envolvimento. Ou seja, não caiu no gosto do povo.
Já no caso do Focus, a Ford insistiu em lançar esse novo modelo sem motores flex. Apostou que o consumidor desse segmento não é tão avarento a ponto de querer economizar uns trocados nos abatecimentos. Ledo engano. Pode até ser que essa classe de consumidor não seja tão avarenta, mas quando todo o rebanho está na direção do flex, não adianta querer ser diferente, independentemente do rebanho estar indo para a direção certa ou não.
Outro ponto que também não me convence é essa enxurrada de prêmios das principais revistas. Os fabricantes adoram anunciar que seus carros ganharam prêmios aqui e ali. Mas são tantas premiações diferentes, com critérios diferentes e tão parecidas nos nomes - melhor compra, melhor modelo, melhor isso, melhor aquilo - que o consumidor já nem sabe o que é relevante ou não. E se fossem realmente relevantes, os mais premiados sempre deveriam ser os campeões de vendas. O mercado não funciona assim.
Também chego a me irritar ao abrir a edição de alguma revista que esteja divulgando o seu prêmio tão especial e ver várias propagandas dos campeões de cada categoria já enfatizando o prêmio recebido naquela edição. É, mas isso funciona assim. E não é só no Brasil. Certo? Errado? Não sei. Apenas me lembrei de uma citação:
"Lá fora, além do que está certo e do que está errado, existe um campo imenso. Nos encontraremos ali."
Mevlana Jelaluddin Rumi, século XIII
De qualquer modo, esses prêmios não significam absolutamente nada para mim.
Em outros países ao menos existem entidades independentes que fazem análises criteriosas sobre satisfação dos consumidores com uma base estatística apropriada, como a JD Power, por exemplo.
Por isso, quando alguém me pergunta que carro comprar eu já rebato com a seguinte pergunta: qual carro você gosta? Então é esse que eu lhe indico. Não tenho paciência para explicar por que o Focus é melhor que seus concorrentes, uma vez que isso não faz diferença alguma para quem pergunta.

97 comentários :

  1. Caro Sr. Blogueiro, o carro está aí, compra quem pode, não troco a gasolina pelo alcool, tenho Focus a gasolina hatch Ghia, o qual comprei para colocar no lugar de um destes carros-rebanho que era um Honda Civic flex que não gostei, GASTAVA DEMAIS!!!!..precisamos mudar nossos conceitos e deixar de lado esta história do combustível, quem compra I30, Tucson e outros carros-rebanho está preocupado com combustível ????????

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse12/08/10 09:53

    Concordo com o que escreveste PK; posso falar com propriedade sobre a Nissan Grand Livina, pois sou o (raro) dono de uma.

    Moro em uma cidade de 100 mil habitantes, com uma das maiores proporções veículos/pessoas do país, sendo a segunda em termos de RS.

    Pois bem, existem apenas duas Grand Livina na cidade, uma negra automática e a minha, uma esperada e pesquisada branca manual. Esse carro, esteve 40 dias em exposição em uma revenda Nissan de Pelotas, e não interessou a ninguém. Ele teve que viajar então, mais de 300km até chegar ao seu novo proprietário (eu), seduzido pelo preço de tabela e condições muito especiais sobre um carro que vinha completo e com as especificações desejadas...

    Sei que a revenda do carro, mais adiante, poderá ser uma tarefa tão ingrata e complicada quanto matar a Hidra de Lerna, mas como consumidor, era exatamente o que eu precisava em face das outras opções e preços no mercado.

    Forçando um pouco a imaginação de autoentusiasta, eu posso imaginar então que - pela "exclusividade" e esmero no acabamento interno - estou tripulando um raro Santana EX dos seus gloriosos dias (cabeça de fanático não se explica, ela apenas existe).

    O carro em si ilustra bem o toque de paixão que faltou a ele, ele é correto e pode empolgar em utilização rodoviária, pois seu pequeno bloco 1.8 é pródigo na manutenção de altas médias horárias sem esforço, e isso bebendo pouco. A caixa é justa, bem definida e não dá margem a erros de interpretação mesmo com a sexta inclusa, a direção elétrica sempre têm a resistência e o peso mecânico adequado para a maioria das situações...mas é só isso, pois a carroceria aderna e falta torque para o dia a dia nas cidades. Ele não envolve e nem seduz, faz o necessário.

    Em suma: um carro familiar, eficiente em sua proposta, um tanto estreito, mas bem acabado, com bons equipamentos e endossado por pesquisas e críticas positivas das revistas, pena ser tão raro quanto um tigre siberiano...

    Quanto ao Focus, também fico pensando o porque disto!

    abraço

    ResponderExcluir
  3. PK,
    Por que o Astra vende mais? Porque é muito mais barato.
    Única justificativa plausível.

    Um amigo me fez esta pergunta tem pouco tempo... "Qual carro eu compro?" ele estava pensando em comprar um Voyage... Falei pra ele... "Você gostou do Voyage?"... ele disse... "Gostei"... eu falei... "Então compra!"
    Acabou comprando um 207 1.4, pelo preço.
    Este tipo de papo é a maior perda de tempo... não dá!

    Quanto à JD Power, eu nem conhecia a "entidade", mas desde que ouvi este nome nos comerciais da Hyundai, pensei, é bobagem!
    Ahhh! mas vai demorar muito pra alguém me convencer que carro coreano é bom!!! Eu só disse "bom".

    Alguém sabe dizer como ficou o Duraflex de consumo? Por que demoraram tanto para entregar um carro que em desempenho só ganhou um 1 kgmf de torque? Eu só testei o sedan gasolina automático, ruim não é, mas não empolga.
    Francisco, você achou que valeu a pena optar pelo Guia?
    Já tem um tempo que estou namorando um Hatch GLX manual.

    Abs

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Paulo Keller: eu me desgarrei do "grande rebanho", e estou com um Logan. O bichinho também ganhou destes prêmios, mas isto não fez a menor diferença para mim, na hora da escolha. O que valeu foi a comparação com seus concorrentes, de modo racional. Já sabia que iria ouvir comentários do tipo "ese carro é muito feio", mas não compro carro para agradar ao vizinho. Quanto ao Logan em si? Estou satisfeitíssimo! O carro tem (muitas) qualidades que superaram minhas expectativas, e que aqueles que nem se deram o trabalho de ir conhecer, pois não queriam um carro "feio", nem sequer desconfiam que ele tenha.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  5. PK, concordo com o que você escreveu. Acabo de comprar um Nissan Tiida SL 0KM que nunca ganhou nada por aqui. E o que me fez decidir por ele e não por um Focus ou outro hatch médio não foram os comparativos nem as revistas... o Nissan reclina os bancos traseiros e trás mais conforto a minha filha de 5 anos em nossas usuais viagens. Entendo que na compra de carros completos e caros como esses avaliados, aspectos subjetivos como gosto, propaganda "boca a boca", reflexo de status, etc, pesam mais que consumo e potência de motor.
    Também não sei se é certo ou errado, não descordo de quem compra um best seller... vejo sim elogios e criticas na mesma proporção de quem compra um Focus ou um Tiida.

    ResponderExcluir
  6. Um carro ser bem projetado em seu geral é uma coisa. Porém, outra é como executam o que é mais específico nesse projeto.
    Em que pese estarmos falando de dois senhores veículos, há pequenos erros que podem também ter comprometido o sucesso desses dois modelos. Vamos a eles:

    Focus C1: além da tal história de não ter vindo flex desde o início, optou-se por uma transmissão automática de quatro marchas (quando o Civic usa cinco e mesmo um já antiquado Bora tem seis, enquanto o Focus europeu usa um PowerShift de seis marchas e duas embreagens). Também temos de lembrar que o Focus C1 foi lançado aqui a poucos anos de a terceira geração ser lançada mundialmente (em que pese ainda não estar à venda nos EUA e Europa).
    Aliás, passou da hora de se abordar aqui o titubeio que se tornou uma constante na história da Ford brasileira, algo que contrasta com o altíssimo grau de acerto da europeia.

    Livina: transmissão automática de quatro marchas (não é ruim. Já dirigi um Tiida e vi que é bem escalonada, mas nem de longe é uma CVT), ausência de regulagens simples (como da altura do passador do cinto de segurança. Sequer falo de regulagem de altura do volante), manutenção cara da Nissan (algo que fica ainda mais chato se pensarmos que compartilha plataforma e peças com Logan e Sandero).

    É mais ou menos o que costuma ocorrer com a GMB: pega um projeto mundial e mete nele um Família I ou II 8v altamente recauchutado, quando o resto do mundo já está há mais de uma década no Ecotec.

    ResponderExcluir
  7. Pellgrino,
    Concordo com seu comentário. Fazer questão de flex é seguir o rebanho de gérsons, de contar com menos desvalorização, só isso. Há Hyundais e Kias vendendo muito bem, evidência de que seus proprietários não ligam a mínima o fato de seus carros serem inflex.

    ResponderExcluir
  8. PK, muito interessante a questão e muito boa a sua análise. No caso da Livina, eu acrescentaria, o fato de a Nissan ainda ser uma marca pouco conhecida do público brasileiro. E não estou me referindo apenas ao conhecimento do nome, mas sim à proposta de valor da marca. A Nissan ainda não disse a que veio - e enquanto não fizer isso não adianta recorrer a endossos, muito menos dizer que merece ser considerada pelo simples fato de ser uma escolha diferente.

    Outro fato que explica o fraco desempenho de vendas da Livina é o ainda reduzido número de concessionárias Nissan no Brasil. Mas aí é a velha questão do ovo e da galinha: vende pouco porque tem poucas concesionárias, ou tem poucas concesionárias porque vende pouco?

    Em tempo: sou só eu que achei isso, ou o título desse anúncio da Nissan está dizendo que o Jornal da Tarde comeu mosca por só ter descoberto agora "o que as principais revistas do país já sabiam"?

    ResponderExcluir
  9. se uma revista tem como gde anunciante a fiat (POR EXEMPLO), ñ daria um prêmio ao gol em detrimento ao palio. certo?!?

    em um comparativo com outras marcas, a fiat sempre iria se dar bem, certo?!?

    pouco provável q a fiat seja criticada, enquanto cairiam matando em cima das marcas q ñ anunciam na revista. por isso q ñ assisto vrum, nem auto esporte, nem leio nenhuma revista....
    por isso q gosto do AE, do top gear,e d alguns outros sites tbm imparciais.

    em jornalismo, imparcialidade é td!!!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Paulo. Excelente post.

    Porém, acredito que esta questão vai além de propagandas e prêmios - ou da falta desses. Veja que o Gol, carro mais vendido no Brasil há anos, quase não precisa de anúncios, e o novo Uno (que, em tese, deveria combatê-lo) inunda as páginas de todo tipo de publicação com anúncios desde o seu lançamento, mas ainda não conseguiu superá-lo. O mesmo acontece com o Astra, que mesmo sendo um carro praticamente igual ao lançado há mais de 10 anos, continua sendo o hatch médio mais vendido do país e quase não se vê propagandas dele.

    Em minha opinião, isso é uma questão de CULTURA. O brasileiro ainda não se desvencilhou da mania de comprar carro como bem de capital, coisa que era comum na época da inflação e que fazia com que um carro valesse mais depois de alguns meses que quando foi comprado. Por isso, essa teoria estúpida do "carro bom é o que vende" continua sendo pregada deliberadamente, mais nos círculos de relacionamentos (ou seja, no boca-a-boca - eficiente mecanismo de divulgação) do que na grande mídia, e o consumidor continua acreditando nisso. Aliás, acredito que essa cultura seja a mesma que faz com que só se compre praticamente carros de cor preta ou prata, que remetem aos "carros da diretoria" - um desejo reprimido de subir de vida manifestado através do consumo.

    Aprendi, há alguns anos, uma frase que me fez mudar totalmente meus conceitos de consumo: "NÃO COMPRO O QUE NÃO PRECISO, COM O DINHEIRO QUE NÃO TENHO, PARA AGRADAR A QUEM NÃO CONHEÇO". Por isso, prefiro estar num modelo que atenda plenamente às minhas necessidades, ainda que vá perder dinheiro na revenda - porque, afinal, carro é um bem DE CONSUMO, não de capital - e ainda que os outros digam que é um carro feio, um mico ou usem qualquer outro termo depreciativo. O meu bem-estar é mais importante do que os apelos do mercado.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Fábio Lins12/08/10 12:39

    Ótimo post PK! Brasileiro tem dois critérios para comprar carro: 1-comprar modelo que mais há na rua e de preferência prata ou preto para não perder na revenda; 2- por status, para impressionar o vizinho.
    Há alguns anos não compro mais carro zero pois com o dinheiro que tenho não tem nada de interessante. Gosto de esportivos (de verdade, não esses esportivados)e geralmente esses carros zero km são caros, então prefiro ficar com meu usado e ser feliz da vida. Compro carro pelo prazer que ele me proporciona, e nada mais importa pra mim, como exemplo prefiro gastar +- R$70.000,00 em um subaru wrx sw 2006/2007 (se Deus quiser meu próximo carro pra família) do que um new civic zero. E prêmio de revista pra mim não vale nada, sempre comprei revista de carros, mas últimamente não compro mais pois vejo muito marketing principalmente nos lançamentos.

    ResponderExcluir
  12. @Maximiliano,
    Faço minhas as suas palavras.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo das 11:27 hs: este negócio do Livina compartilhar peças com o Logan, mas estas custarem mais caro nas concessionárias Nissan que nas Renault, me fez lembrar uma artimanha que meu avô empregava, quando tinha um Galaxie 500. Na hora de comprar peças (ao menos as de motor) pedia como se fossem para uma camionete F-100. Como naquela época camionete ainda não tinha virado febre entre aqueles que não a usavam para trabalho, portanto não tinha o status de um carro de luxo, as mesmas peças eram bem mais baratas que se pedidas como se fossem para um Galaxie. Absurdo, não? Mas era assim que a coisa funcionava. O mesmo truque pode ser usado no caso das peças compartilhadas entre o Nissan e o Renault: compre as peças na Renault, como se fossem para um Logan, he, he!
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  14. Esse não é um post sobre carros.

    É um post sobre marketing!

    E, como analista de inteligência de mercado, concordo em 100% com todos os argumentos apresentados.

    Eu mesmo, entusiasta nato, ao invés de comprar um Focus (antigo) QUASE peguei um Punto... porque? Desejo, o Fiat é lindíssimo! ;)

    Um produto vende, mesmo, é pelo desejo que realiza (ou que promete realizar), não pelas funções ou qualidades técnicas.

    Infelizmente, aliás.

    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  15. Um anônimo falou sobre regulagem de altura do cinto de segurança e regulagem de altura e profundidade do volante. Estes dois itens podem passar desapercebidos para a maioria dos consumidores, mas hoje são fatores de grande peso na minha decisão de compra, ou melhor, o fator ergonomia.
    Eu tive um Polo Plus roubado com 4k km, este tinha um tal módulo conforto, que vinha a regulagem do volante. Achava a ergonomia do carro quase perfeita, em setembro do ano passado comprei outro Polo com frisos na cor, grade cromada, repetidores nos retrovisores, sistema flex start bosch, climatronic e etc., o carro é lindo na minha opinião, mas não chega nem perto do prazer que eu tinha com o carro que foi roubado, obviamente não dirijo com os braços esticados, então tenho que ficar com as pernas mais dobradas do que eu gostaria, que M****!
    Uma das razões que eu não tiro o Focus da cabeça é a ergonomia perfeita, a regulagem de profundidade do volante permite que você "coloque o volante no peito" se quiser. Quando entrei naquele carro me senti praticamente num cockpit, muito provavelmente será meu próximo carro, agora o meu xará falou sobre o WRX SW, realmente este carro é de deixar qualquer autoentusiasta babando! Pããããts! Tinha que ter o Grupo CAOA no meio
    para estragar o que seria perfeito!
    Abs

    ResponderExcluir
  16. Fabio,

    Achei uma 07/07 com 20k (será???) na webmotors por 64 paus! Dá uma vontade de fazer uma merda!!! hehehe

    ResponderExcluir
  17. Sei lá, acho que depende do grau de receptividade da "vítima" e da nossa capacidade, e paciência, de convencimento. Eu já vendi o peixe do Focus para 4 pessoas, entre familiares e amigos.
    Fiz um trabalho de consultoria para uma empresa de grande porte que queria trocar os carros de diretoria de seu corpo.
    Como opções me passaram Passat, C5, Omega e Azera.
    Fiz eles comprarem 10 Fusion V6 2010 mais barato do que todos esses.

    ResponderExcluir
  18. Simples, quando alguém PERGUNTA "aual carro eu compro" é por que não entende nada do assunto.
    Já diz o Bob Lutz, o consumidor médio não sabe o que está comprando.

    ResponderExcluir
  19. Pessoal,
    Coloquei o post no ar e saí. Que surpresa quando voltei! Tantos comentários. Preciso de um tempo maior para ler todos e responde-los.
    Logo mais apareço.
    Abraço a todos.
    PK

    ResponderExcluir
  20. Fábio Lins12/08/10 15:20

    @Fabio

    Nem fala, sou louco por uma wrx sw! Trocaria o carro da minha esposa (leia-se honda fit, ou seria honda shit???)fácil numa dessas, mas não sei se trocaria o meu (grande valor sentimental e realização de um sonho), mesmo o subaru sendo mais novo! Mas mesmo assim balanço em trocar o meu numa dessas!! Ainda não tenho filhos, mas se tiver q vender o meu carro pra comprar um carro de família, com certeza será a wrx.

    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Fabio,

    Desculpe-me, mas fiquei curioso, qual é a caranga? hehehe

    Galto,
    Não duvido... sendo você um "representante do FordHP" aqui no AE... hehehe
    Agora, o que seria "um trabalho de consultoria para uma empresa de grande porte que queria trocar os carros de diretoria de seu corpo"?

    Abs

    ResponderExcluir
  22. Ao anônimo das 12h47, podemos acrescentar que, mais do que comprar na rede Renault peças de Livina que sejam iguais às de Logan e Sandero, é sempre o lance de consultar os catálogos dos fornecedores e pegar a peça pelo número do próprio fornecedor, uma vez que este será igual para todos os fabricantes. No caso de um Livina 1.6, o número de peças compartilhado com Logan e Sandero é ainda maior, em que pese essa versão não ser tão popular quanto a 1.8.
    Coisa parecida com Nissan (caro)/Renault (mais em conta) ocorre na PSA: a mesma peça, se comprada em concessionária Peugeot, servirá sem problema algum em um Citroën e a preço mais camarada.

    Em todo caso, a solução é sempre olhar catálogos de Dana, ZF, Cofap, Monroe e outros fabricantes, pois será exatamente a mesma peça sem qualquer impacto de marca famosa.

    ResponderExcluir
  23. Galto,

    Discordo da sua escolha. O Fusion tem suspensão muito mole. O Omega é 1 nível acima, portanto justifica o preço mais alto. O Passat tem um acerto de suspensão fantástico, e o Azera é um meio termo entre todos (mas a manutenção é uma grande incógnita). Eu teria ido de Omega, caso o orçamento permitisse.

    PK,

    Não sabe mesmo o motivo do Focus não vender? É simples. Ao contrário do que voce disse, o pós-vendas da Ford é UM LIXO. A Ford já está há aaaaanos com o filme totalmente queimado por este motivo.

    Quem tem um Fusion com 3 ou 4 anos de vida então, está ferrado. A cada ida na concessionária corresponde um tempo de espera de 3 meses para importação de peças. No Focus o tempo de espera é menor mas existe. Ora, tempo de espera para peças é ridículo!

    Pior ainda é a qualidade dos serviços prestados pelas concessionárias Ford. Cansei de ver reparos de funilaria e pintura extremamente mal feitos. Parece que a Ford não fornece os gabaritos dimensionais para as concessionárias, daí elas tem que se virar como podem.

    Alguém aí falou do Astra, que continua vendendo bem. Razões não faltam: design agradável, baixo preço, ótimo desempenho (0-100km/h em 9,0s), EXCELENTE HANDLING (mesmo usando suspensão simplista como a maioria), boa frenagem, e custo de manutenção ridiculamente baixo (pode comparar com um golzinho atual).

    Alguém criticou os motores GM, comparando-os com o Ecotec. Pois sabam que os Ecotec fase I são exatamente os nossos motores GM tradicionais, que melhoraram MUUUUUUITO desde que tiveram a produção iniciada no .br. Hoje um motor que o povo chama de "motor de Monza", além de ser radicalmente diferente do motor original dos Monza 87, rende 40% a mais de torque e potência. Não pode ser a mesma coisa.

    A verdade é que, mesmo com a falta do comando e admissão variáveis, o motor GM continua dando provas de bom desempenho e boa durabilidade, sem falar na confiabilidade. A manutenção também é bastante barata.

    A VW trocou seus tradicionais motores AP pelos "novos" (que de novos não tem absolutamente nada) motores EA111 e EA113, e qual foi o resultado? Um monte de motores fundindo por aí, virando objeto de recall. ISSO É EVOLUÇÃO???

    A GM hoje tem uma "nova" geração de carros que são realmente ruins (leia-se Agile, Celta, Prisma) então nada mais natural do que o carro que ela ainda fabrica da geração anterior vender bem, pois são bons (Astra e Classic). Faltou a ela oferecer um Classic 1.8, com freios e suspensão devidamente compatibilizados, e seria o sucesso da garotada.

    ResponderExcluir
  24. Francisco V.G.12/08/10 17:19

    Bussoranga:
    Concordo. Finalmente alguém falou a verdade com relação à GM. Só têm uma coisa: Qual a razão do Celta/Prisma ser ruim (do Agile não falo, nunca andei) e o Classic não? Tirando o formato da "casca", acabamento interno e a barra estabilizadora dianteira são a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  25. Maximiliano Moraes, sua frase é perfeita!
    "NÃO COMPRO O QUE NÃO PRECISO, COM O DINHEIRO QUE NÃO TENHO, PARA AGRADAR A QUEM NÃO CONHEÇO".

    Várias vezes as discussões com os entusiastas pegam fogo porque é um grupo heterogêneo, com muitas opiniões diferentes e divergentes.

    Eu tenho uma opinião, vinda de muitos dissabores passados com compras que fiz.
    Hoje eu sou 100% racional na hora de comprar para poder ser emocional na hora de usar sem ter algo pesando na consciência.
    Nada mais frustrante que comprar algo na emoção, e quando vai usar, o produto não agrada tanto.

    Meu carro é um velho Kadett Ipanema, de 15 anos de fabricação e há 10 anos comigo.
    O carro é discutível pela idade e pelo design, mas me presta o mesmo serviço que um carro zero faria, e me deixa tão feliz quanto.

    Se é pra pensar como Gerson, esse carro já atingiu o fundo do poço em desvalorização (só tem desvalorizado nos últimos 8 anos pela inflação), e tem manutenção farta e barata.
    E tem um motor de 2 litros delicioso pra acelerar.

    Oportunidades pra comprar um zero não faltaram nesses anos todos.
    Mas trocar um carro mecanicamente perfeito por um zero pra quê?

    Pra fazer inveja no vizinho?
    Não, obrigado.

    Dinheiro é coisa que eu tenho que suar muito pra ganhar pra sair jogando fora muito fácil. E isso não é nem um pouco divertido.

    Para a felicidade de muitos, estou mais para excessão do que para regra. Se todos pensassem como eu, as fábricas já estariam fechadas.

    Sobre prêmios e tecnologia, infelizmente é o que menos vende um automóvel ou qualquer outro produto.

    É bom lembrar a velha briga dos videocassetes. O padrão Betamax era tecnicamente muito superior ao VHS, mas o VHS foi que prevaleceu.

    ResponderExcluir
  26. Caramba Bussoranga, primeira vez que eu vejo você flamejar a bandeira da GM com tamanha vontade... hahaha

    Pooo... 9s? eu nem sabia que a matemática do Astra estava se destacando tanto assim, qual outro carro no nosso mercado tem um desempenho desse? Logicamente a um preço acessível como o Astra... Dá até vergonha de fazer uma pergunta dessa, fala sério, mas infelizmente corresponde com a nossa realidade.

    Agora meter o pau na VW não tem nada a ver, os motores que fundiram e "ninguém" sabe a razão eram 1.0.
    Já é o quarto 1.6 (EA) em casa, problema zero, nem preciso dizer que o uso é severo... hahaha... eu tenho que defender.
    Aliás se tem um motor com margem demais entre todos os fabricantes é o EA-113, alguém tem dúvida disso?

    Em confiabilidade a VW não perde em nada pra GM ou você vai me falar que estes 1.0/1.4 da GM quase explodindo na taxa são exemplos de confiabilidade???

    ResponderExcluir
  27. Fábio, trabalho em uma multi de petróleo e eles queria trocar os antigos Accord da diretoria por carros novos. Trabalho na área de TI mas sou amigão do diretor comercial, que engloba a área de compras. Ele me pediu, em off, umas opiniões e eu pesquisei. Claro que ele levou a fama mas é sempre bom ter alguns "conhecimentos" dentro da empresa...
    Busso, não discuto absolutamente a superioridade do Omega em relação ao Fusion mas a Chevrolet parou de trazê-lo para dar um gás no Malibu. Dizem que vai voltar a importá-lo mais a frente. E o preço do Omega também o inviabiliza em relação ao Ford.
    Quanto aos Passat, pesquisando aqui no Rio, a manutenção seria quase o dobro do valor do Fusion e modelo V6 como eles queriam só a Variant. O mesmo problema do C5, manutenção e só tem 2.0. E apesar de eu ser um fã do Azera, ele está pra mudar e, sinceramente, não sei se devemos confiar na Hyundai ainda aqui no Brasil.
    Elas por elas, tb iria de Omega, apesar de o Fusion V6 ser 4wd e bem mais firme que o 2.0 4cil.

    ResponderExcluir
  28. Sou um feliz proprietario de um focus hatch ghia auto 2006, a 3 meses, sou um apaixonado pelo modelo,antes tinha um 206 rally,2004, o focus com o duratec é um prazer de dirigir, estabilidade nota 1000, e quanto não ser flex eu só agradeço, pois meu pai tem um 207,2010, que no alcoll, faz 5.5 na cidade, então vou contra a mare carro deve ser só a gasolina ou só a alccol, motor flex consegue ser ruim nos 2.

    ResponderExcluir
  29. Compre aquilo que voce gosta, esqueça a história do carro "pãozinho quente", satisfaça a vc, use o carro por uns 3 anos e depois troque-o por outro que vc gosta....não se deixe levar pelas besteiras de mercado, ACABOU-SE O TEMPO QUE AUTOMÓVEL ERA MOEDA, já disse um amigo aí prá cima....comprei o Ford Focus Hatch Ghia MECANICO 2009 a gasolina, estou satisfeitissimo, muito melhor que o ótimo carro-rebanho que eu tinha e não gostava....comprei pelos mimos que a Ford oferece e que o fabricante do carro-rebanho não oferece..se interessar é a Honda (não direi que o Civic é ruim,nunca).

    ResponderExcluir
  30. Exato, anônimo das 15:55 hs.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  31. Eduardo e Pellegrino: também não dou a mínima para o carro ser flex. O meu só é, por não haver a opção de um OU outro combustível. E no caso, ficaria com a gasolina. Quanto ao câmbio automático, outro recurso muito valorizado, acho muito bom nas metrópoles, com seus engarrafamentos. Na estrada, prefiro "cambiar", como diz um primo.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  32. "(...) quando todo o rebanho está na direção do flex, não adianta querer ser diferente, independentemente do rebanho estar indo para a direção certa ou não."

    No início da década de 1980, a "Quatro Rodas" perguntou ao Joelmir Beting por que ele dirigia um Dodge Dart em plena época de crise do petróleo. A resposta é uma daquelas frases que a gente nunca mais esquece:

    - Se o mercado é burro, eu não sou, por isso fico fora dele.

    Com todo o respeito, Paulo, mas, nesse aspecto, estou com o Bob e não abro. Motor flexível em combustível é um caso típico de solução para problemas que não existem.

    ResponderExcluir
  33. Fábio Lins12/08/10 19:43

    @Fabio

    Tenho um golf GTI 2006 com cambio manual, o último dos moicanos da geração 4, ainda mais com cambio manual. Não é nenhum super carro esportivo importado mas é bem divertido, hoje em dia é preço de fox zero. Paguei caro na época pelo carro e já desvalorizou bastante de lá pra cá, mas como disse anteriormente nada mais me importa, só o prazer que ele me dá ao dirigir compensa todos os contras dele (seguro, consumo, desvalorização, etc). Como grande entusiasta gosto de carro firme, veloz e seguro, bem esportivo mesmo, e por esse motivo ele não está original de fábrica já troquei algumas peças por outras de performance (coisa de qualidade mesmo, importado) para tentar deixar do meu jeito. E um dos motivos de eu não querer vender esse carro é que sou fâ de golf (esse é o meu 4º, mas o primeiro GTI), ele ser um dos últimos gti geração 4 no mundo (não estou contando o 4,5 porque não é um geração 4 autêntico), e tenho um projeto pra esse carro que ainda não terminei e está longe de terminar.
    E se um dia eu puder ter o golf e a subaru na garagem será perfeito, melhor q isso só um RS4... afinal sou muito fã de carros alemães (tenho uma tattoo relacionada à minha paixão por carros e tem uma homenagem aos alemães) principalmente vw/audi!

    Abraços xará!

    ResponderExcluir
  34. CAAAA*****! Vc tem uma tattoo em homenagem, bicho? qd a gente acha que é o mais loko, sempre aparece um mais que a gente... hahaha

    Fabião, faz bem de mantê-lo impecável e com seus "temperos", você tem um baita carro!!!
    Na época que trabalhei na VW (2001/02), vez ou outra eu usava o carro do gerente para fazer algum "corre"...(único Golf GTI que eu dirigi além do Golf Jubileu, este poucos guiaram... hehehe)
    O carro original já é sensacional, com um temperinho deve ficar demais!!! Lembrei agora de um japonês, da época que eu tinha carro preparado pela Esther Turbo, que tinha um A3 (carro que eu não curto tanto quanto o Golf), mas o carro era uma estupidez, ele me falou sobre as várias fases de preparação pelas qual o carro passou, este motor aguenta muito, mesmo "original".
    Quanto ao Subaru... olha o carro que este cara tá vendendo, acho que este deve empolgar o Bussoranga também, ele sabe o porquê.
    http://www.webmotors.com.br/webmotors/carro/usado/subaru-impreza-2.5-wrx-sw-4x4-16v-turbo-intercooler-gasolina-4p-manual/6320977/detalhe.wm
    Bom, também né... quem não se empolga com um carro desse.
    Abs

    ResponderExcluir
  35. Francisco V.G.,

    O Celta/Prisma tem justamente o problema de um acabamento que não condiz com o padrão GM.
    No Celta anterior havia problemas com pistões e detonação. Felizmente isso já foi resolvido. Mas foi uma vergonha a GM não ter verificado isso antes de entrar em produção o motor VHC.

    AAD,

    Penso exatamente como voce. Por isso meu carro mais novo é 2005, entretanto o que eu mais uso e mais gosto é 98.

    Fabio,

    A taxa de falhas dos motores 1.6 tem sido baixa, mas não é zero! A dos 1.0 caiu na mídia porque era astronômica, não tinha como esconder. No 1.6 é loteria. De qualquer forma, como a VW deixou isso escapar? O motor EA111 nem é tão novo assim, já era bastante testado. Falando nisso, a razão se sabe sim: falha de lubrificação.

    O que voce chama de margem?

    Há outro problema que ninguém comenta, mas voce pode verificar nas oficinas: esses EA possuem os mancais do comando fundidos numa peça única, com fundo cego. Retificar isso é uma desgraça! Os fabricantes hoje estão se lixando para a manutenção, afinal, essa é uma conta que não recai sobre eles. E o consumidor final que se lasque.

    Imagine que um motor destes (como o seu) esquentou demais e empenou o cabeçote. Todo mundo pensa que cabeçote empenado é só "mandar aplainar". Ledo engano! O AAD pode explicar melhor, mas qualquer peça submetida a uma deformação térmica deforma todas as faces paralelas. Então se deforma embaixo, deforma em cima. Daí tem que aplainar embaixo, em cima, na tampa-capa do comando, e depois mandrilhar tudo. Mandrilhar tudo com um fundo cego é um grande pé no saco (portanto, sai caro). É o típico projeto feito para não ser retificado. Como eu não sou fã do descartável, prefiro, enquanto possível, não trabalhar com isso.

    O fato é que os EA são muito sensíveis a lubrificação, como a maioria dos motores atuais. Mas o AP tolerava muuuuuuitos mais abusos, pois não era dimensionado "no talo" como o EA. Esse que é o verdadeiro problema: as gerações novas de motores são todas feitas no talo. Qualquer falha e cabum, voa tudo. Tolerância a falhas é um aspecto crítico de Engenharia. Por isso sempre gostei do AP e do "motor de monza".

    Quanto ao Astra, a GM deveria anunciar aos quatro cantos o desempenho dele, mas não o faz porque seria "politicamente incorreto", ou aumentaria bastante o custo do seguro, o que tornaria o carro inviável (como ocorreu com o Golf GTI). Focus Duratec manual tem ótimo desempenho, mas isso também não é divulgado.

    Bem, há muito tempo perdemos os V8, já perdemos os L6, perdemos o V6, já perdemos o L5 e qualquer coisa acima de 2.0 (ok, temos Fusion, Azera, Omega, Passat, mas são todos importados), perdemos os verdadeiros turbos (180CV+), agora só falta não termos nem 2.0 mais (passamos muito perto disso). Sabe qual é o resultado disso? Trânsito cada vez pior, pois não se permite andar rápido, logo cada carro na rua fica mais tempo na rua, e temos o efeito bola de neve.

    Como eu disse, os 1.0 da GM tiveram problemas com a supertaxa. Hoje todos os 1.0 usam a supertaxa, e funcionam bem, incluindo o da GM. De qualquer forma, era uma vergonha.

    Galto,

    Por quanto voce conseguiu esses Fusion? O V6 custa R$100k, o Omega custava R$120k. E de fato, outra burrada da GM: interromper (dizem temporariamente, mas não acredito) o fornecimento do Omega. Isso queima o filme! Alegam que precisam calibrar o 3.0 V6 24V injeção direta para trabalhar com nosso combustível. Bobagem, basta continuar com o 3.6 V6 24V, que não usa injeção direta.

    Quanto ao restante da sua comparação, voce tem toda razão. Manutenção de Passat é de lascar! Eu também não confio no Azera, exceto quando ele tiver uns 6 ou 7 anos de mercado. Aí saberemos se o pós-venda dele existe ou não existe.

    ResponderExcluir
  36. "Hoje eu sou 100% racional na hora de comprar para poder ser emocional na hora de usar sem ter algo pesando na consciência.
    Nada mais frustrante que comprar algo na emoção, e quando vai usar, o produto não agrada tanto."

    "Oportunidades pra comprar um zero não faltaram nesses anos todos.
    Mas trocar um carro mecanicamente perfeito por um zero pra quê? Pra fazer inveja no vizinho?
    Não, obrigado."

    Perfeito, André.

    ResponderExcluir
  37. Tem amigo meu que está com i30 parado a desde o dia 27/07 em concessionária para trocar a caixa de direção que veio de fora e vai levar 7 dias para vir de Anápolis para o interior do Rio. Dizem que é o terceiro carro a dar problema no Brasil. E a direção é elétrica.

    ResponderExcluir
  38. Bussoranga,
    Esta história de falha de lubrificação, botando a culpa no lubrificante e talz, isto ficou muito mal contado e em detalhes até agora parece que a coisa não vazou...
    Digamos que a "margem" que eu falo é o antônimo do "no talo", que você fala, nunca se ouviu falar nada em demérito sobre o EA-113, a não ser as frases típicas de blog... do tipo "É ridículo a VW colocar um carro 2.0 com 120cv no mercado", mas os resultados na prática até que são surpreendentes.
    Quanto ao 1.6, é loteria como qualquer outro motor atual, eu sei que falar por experiência própria não quer dizer nada, mas até agora não tenho do que reclamar e olha que tem um bichinho lá em casa 2005, que parece que eu tenho raiva dele de tanto que eu já o "maltratei", no bom sentido logicamente.
    Entendi que se um cabeçote deste empenar já era, mas a tendência é esta mesmo, tudo descartável, a GM vai acabar indo nesta direção também ou não sobrevivi.
    Eee... empenar cabeçote? eu nunca consegui fazer isto, você já?
    Eae, viu o link do Subaru?

    Abs

    ResponderExcluir
  39. ops... sobrevivE

    ResponderExcluir
  40. Duas porcarias. Difícil dizer qual é pior. Focus ou Livina. Não é à toa que ninguém quer uma bomba dessas na mão... E dizer que carro tem "MIMO" é mania de sujeito viado. Homem não compra carro e diz que comprou por causa de "MIMO". Isso é traço de baitolagem adquirida.

    ResponderExcluir
  41. E Hyundai e Kia vendem muito porque são (muuuito) mais barato do que a concorrência. Essa marcas vendem SUV de mentirinha mais barato do que hatch médio das marcas de carros de verdade. Aí os patetas durangos que compram dizem pra todo mundo que preferem carro monocombustível e que o preço não tem nada a ver com a escolha.

    ResponderExcluir
  42. Fábio Lins12/08/10 22:29

    @Fabio

    Valeu pelos elogios! Só tenho essa tattoo, mas é com se fosse uma manga de camiseta, vai do ombro até quase o cotovelo por dentro e por fora do braço! hehehehe
    Quero 300cv no 1.8T pra andar no dia-a-dia. Não é difícil tirar essa potência desse motor, e fica ótimo para o transito diário, pouco lag, etc.
    Agora essa subaru é ignorância, muito $$$ investido e deve ser uma delícia de andar... ótimo carro pra família! Quem sabe um dia eu chego lá!!

    Voltando ao assunto de mercado, os coreanos só vendem bastante porque virou carro-rebanho, da moda, do status, etc. Claro que tem suas qualidades e preço relativamente barato, mas não troco nem meu video game num hyundai/kia.

    Abraços

    ResponderExcluir
  43. Fábio Lins12/08/10 22:29

    @Fabio

    Valeu pelos elogios! Só tenho essa tattoo, mas é com se fosse uma manga de camiseta, vai do ombro até quase o cotovelo por dentro e por fora do braço! hehehehe
    Quero 300cv no 1.8T pra andar no dia-a-dia. Não é difícil tirar essa potência desse motor, e fica ótimo para o transito diário, pouco lag, etc.
    Agora essa subaru é ignorância, muito $$$ investido e deve ser uma delícia de andar... ótimo carro pra família! Quem sabe um dia eu chego lá!!

    Voltando ao assunto de mercado, os coreanos só vendem bastante porque virou carro-rebanho, da moda, do status, etc. Claro que tem suas qualidades e preço relativamente barato, mas não troco nem meu video game num hyundai/kia.

    Abraços

    ResponderExcluir
  44. O anônimo das 21:26 é uma pessoa com problemas mentais. Deve estar lendo esse blog para tentar aprender alguma coisa de automóvel, mas acho que nem assim vai adiantar.
    Deve ser Ap-zeiro.

    ResponderExcluir
  45. Jonas Torres12/08/10 23:07

    Esse é o tipo de discussão que não leva a nada. Um querendo convencer o outro. Um querendo mostrar que sabe mais que o outro.

    ResponderExcluir
  46. Jonas Torres12/08/10 23:07

    Esse é o tipo de discussão que não leva a nada. Um querendo convencer o outro. Um querendo mostrar que sabe mais que o outro.

    ResponderExcluir
  47. kkkkk... sempre aparecem os humoristas...

    Fabio,
    Pelo o que tem neste Subaru, o preço até deve estar bom... coisa de quem tem pra rasgar mesmo.
    Quanto ao seu carro, vc chega nesta potência com razoável confiabilidade sem gastar muito, inclusive mantendo a "originalidade".
    Abs

    ooo anônimo das 22:29,
    EPA, EPA, EPA! deve ser Apzeiro não!!! hahaha

    Jonas, quem está discutindo aqui? Qué isso! puxa uma cadeira ae... hehehe

    ResponderExcluir
  48. Francisco J. Pellegrino,
    Eu e muitos outros aqui concordamos que o flex não é necessáriamente a melhor opção. Quem compra Tucson, I30 e outros pode estar preocupado demais com a imagem. E como a Hyundai conseguiu isso? Como eu disse no post, é um bom debate. Mas com certeza a Hyundai criou um outro rebanho e seus carros caíram no gosto das pessoas ou do mercado.
    Abraço.
    PK

    ResponderExcluir
  49. Mister Fórmula,
    Que bacana, uma Livina Branca. isso é o que eu chamo de autenticidade. Andar no carro que se gosta talvez valha muito mais do que a diferênça no valor de revenda ou er que matar a Hidra!
    Abraço
    PK

    ResponderExcluir
  50. Mister Fórmula,
    Que bacana, uma Livina Branca. isso é o que eu chamo de autenticidade. Andar no carro que se gosta talvez valha muito mais do que a diferênça no valor de revenda ou er que matar a Hidra!
    Abraço
    PK

    ResponderExcluir
  51. Fabio, o Astra hoje vende preço. è um bom carro mas o fator desejo é quase nulo. Também é verdade que a Ford agora está encontrando um caminho com o Focus Hatch.
    A JD Power é uma entidade renomada e isenta que faz pesquisas diretamente com os consumidores e fornece uma excelente base de comparação entre os modelos e marcas. Está vindo para o Brasil.
    Não sei como ficou o Focus flex.
    Abraço
    PK

    ResponderExcluir
  52. Mr. Car,
    Sou fã do Logan. Carro grande e confiável, com manutenção simples e "barata" (por ter muito pouco o que quebrar)e com um preço mais acessível. Mas a Renault poderia ter caprichado mais no visual. Ter um visual um pouco mais atraente não faria o custo aumentar.
    Abraço.
    PK

    ResponderExcluir
  53. Paulo Levi,
    Outro dia um funcionário da Nissan dos Estados Unidos, que veio para cá para entender o que representa a Nissan no nosso mercado me perguntou qual é a imagem da Nissan aqui no Brasil. Eu respondi exatamente isso que você disse: a Nissan não tem imagem alguma por aqui. Está perdidinha. E o pior é que tem produtos excelentes.

    Quanto ao número de concessionários também acho que não é o problema. Falta é desejo mesmo.

    E o anúncio diz isso mesmo, o JT comeu bola. Mas a Nissan tá pagando pelo anúncio então tá valendo! Rsrsrs

    Abraço do Xará.

    ResponderExcluir
  54. Leandro, eu nem quis dizer que há parcialidade. Acho que não funciona diretamente assim. Mas concordo que imparcialidade, sem que isso seja motivo de autopromoção exagerada, é fundamental. E as críticas sempre devem ser encaradas como oportunidades de melhoria.
    PK

    ResponderExcluir
  55. Maximiliano,
    É isso mesmo, carro é um bem de consumo. Menos o Dodge Charger que quero ter. Esse seria algo que vai muito além de um simples bem.
    Carro bom é o que vende. Mas vende por que? Porque as pessoas o desejam. Meu ponto é que alguns carros falham ao despertar esse desejo, mesmo sendo bons.
    Essa frase "não compro o que não preciso, com o dinheiro que não tenho, para agradar a quem não conheço" é ótima. Penso mais ou menos assim também. Mais ou menos porque ultimamente tenho relaxado um pouco principalmente no que diz respeito a não precisar. Tenho sido mais flexível comigo.
    Abraço.
    PK

    ResponderExcluir
  56. Fabio Lins,
    Um WRX! Tomara que dê certo.
    As revistas vivem de anúncios. Mas podia fazer de um jeito menos irritante.
    PK

    ResponderExcluir
  57. Galto,
    Tem vezes que dá pra dar umas dicas. Mas quando percebo que a pessoa já tem muito desejo um algum modelo não insisto.
    No caso do Fusion, ele é mais barato e não deixa de ser um excelente carro. Para uma compra rcional para uma empresa não deve ter sido difícil.
    PK

    ResponderExcluir
  58. Alexandre Zamariolli,

    Eu não discordo do que você disse. Só que o "mercado" sim. Principalmente para um carro nacional/argentino. Infelizmente é assim.

    PK

    ResponderExcluir
  59. Por que os outros vendem mais?
    Porque tem maior liquidez na hora da revenda e isso é um importante fator de decisão de compra.
    A liquidez tambem explica a ditadura das cores preta e prata.

    ResponderExcluir
  60. Viva o Corolla!!

    ResponderExcluir
  61. Bussoranga, arrumei o lote de 10 Fusion V6 por 96K (todos pretos e sem teto solar). Os outros não dariam desconto algum e os Passat, por 118K, teriam de vir de SP aumentando o valor do frete e matando o desconto.
    Também não acho que o Omega retorne, eles querem vender Malibu por 90K e acham que o Omega faria sombra por ser um carro muito melhor e, apesar de mais caro, poderia vir a canibalizar a banheira americana.

    ResponderExcluir
  62. Veículos flex só sobrevivem no Estado de São Paulo e olhe lá.

    Noutros estados só se forem do usineiro...

    ResponderExcluir
  63. eu fui traido pela minha criança interior quando fui comprar meu carro .
    com dinheiro pra comprar um médio 2005 acabei com um um esportivo dos anos 90 .
    O que ouve .. fiquei louco ... paixão.
    Alem do sonho de criança , ele era mais barato , gastava menos , tinha tudo oq eu precisava e estava em ótimo estado .
    Estranhamente era exatamente o carro que eu estava precisando , e nenhuma revista ia me diser '' compre um uno 1.6r mpi , ele é a sua cara '' .
    como disse um camarad ai encima , não compro carro pro outros , apesar desse arrancar alguns sorrisos de quem viveu os 80 e 90 =)

    ResponderExcluir
  64. PK,

    "Sou fã do Logan. (...) Mas a Renault poderia ter caprichado mais no visual."

    A Renault tentou caprichar no visual do Logan e resultou no... Sandero! hehehe

    ResponderExcluir
  65. I30 vende muito no DF, afinal a fábrica é aqui do lado: Anápolis - Goiás.

    Hyundai é fogo, seus executivos sabem usar as mais eficientes estratégias de mercado.

    ResponderExcluir
  66. Marcelo, também moro em Brasília e pelo visto não era impressão minha: a cidade está infestada de i30. só no meu bloco são três. e pela cidade os Tucsons e Azeras estão reproduzidos na mesma medida...

    ResponderExcluir
  67. Ainda não entendo como a Hyundai conseguiu criar essa nova onda, seus carros são feios e não tem o apelo do flex, os preços começaram a subir também, afinal perceberam que brasileiro gosta de pagar caro.

    O tal do i30 é uma cópia mal passada de um Impreza Hatch (novo) com traseira à là Volvo. Não entendo como vende tanto. Sério.

    Alguém me esclareça as idéias, por favor.

    ResponderExcluir
  68. Vejam essa notícia bomba que saiu no Best Cars hoje...

    http://www2.uol.com.br/bestcars/un13/334-hyundai-tucson-argentina.htm

    Hyundai IX35 é Tucson na Argentina, onde oferece mais e custa (bem) menos.

    Mais uma vez somos feitos de otários.

    ResponderExcluir
  69. Quanto está custando um Astra e quanto custa um Focus?

    ResponderExcluir
  70. Não sei quanto à Livina, mas vejo três fatores que limitam as vendas do Focus.

    1. Oferta limitada: Freqüentemente, as concessionárias não têm nenhum Focus para pronta entrega. Quando têm, é um modelo básico pintado de preto ou prata. Se o cliente quiser qualquer coisa diferente disso, terá de encomendar o carro e esperar por um prazo incerto, que facilmente passa de dois meses;

    2. Não há nenhuma versão com apelo mais exibicionista, como ocorre com Golf Sportline ou Vectra GT-X. Com poucas modificações (faróis de máscara negra, rodas diferenciadas, grade colméia, faróis de neblina maiores e outras inutilidades de baixo custo e bom apelo visual), a Ford poderia criar um Focus pseudoesportivo para quem quer provocar inveja nos vizinhos e cunhados;

    3. Falta de apelo (o que está estritamente relacionado ao ítem acima): há cerca de dois meses, um amigo queria trocar de carro e me pediu sugestões. Ele estava em dúvida entre Golf Sportline e Vectra GT, ambos a cerca de R$ 60 mil. Mostrei a ele o Focus 2.0 ($55 mil) e disse que aquela ali seria a minha escolha. Ele pensou, pensou, e então soltou essa: "Tá, mas o Vectra pega mais mulher que esse Focus, não???"
    Taí um nicho importante que a Ford abandonou lá na década de 90, quando matou o XR-3...

    ResponderExcluir
  71. Se a voz do povo é a voz de Deus, então Deus dirigiria um GOL! hehehe...
    Que dizer para as massas? Nada.. elas não sabem romper paradigmas... Para a grande maioria, GOL é que é carro bom.. e pronto.. mesmo sendo, o atual G5, um carro que não tem nada a ver com o antigo. Por que Europeu compra Station Wagons e Brasileiros, sedãs? A única explicação possível é a de que o povo Brasileiro é um povo sem lógica definida ou mensurável... Simples assim.

    ResponderExcluir
  72. Pessoal não está um pouco desatualizado? É o segundo mês que o focus é o hatch medio mais vendido, julho foram 2484 emplacadas contra 2439 i30, apertado contra o ex-lider. O astra ja faz um tempo que não é lider do segmento, julho fechou com 2086 unidades em terceiro no segmento, sendo que ja tinha sido ultrapassado pelo focus em maio.
    Parece que finalmente o focus deslanchou, por isso se forem em uma concessionária ford, como eu fui com meu pai um tempo atras, vão dizer que não tem focus hatch nem pra amostra e não podem nem mais aceitar pedido, ta vendendo o quanto eles conseguem produzir. Enquanto isso o focus sedan só consegue vender mais que linea, tanto é que ofereceram o sedan pelo preço do hatch!

    ResponderExcluir
  73. a,
    Eu sou um que se ver um 1.6R bem cuidado, vou pagar um pau...

    Anônimo,
    É a onda do TCHÁ, TCHÁ!!! Puuuts q coisa ridícula...

    Xracer,
    Somos não, se alguém me ver entrando numa concessionária das marcas coreanas, pode chamar aqueles caras de branco que vêm com a camisa de força... hahaha
    Eu sei, eu sei... que vc está falando sobre mais um exemplo de como somos feitos de otário independente da marca de escolha.

    FCardoso,
    O que vc falou no item 1 corresponde totalmente com a realidade! Os caras perdem venda com isso! Ainda mais com o perfil de consumidor que compra no impulso.
    Agora, "Tá, mas o Vectra pega mais mulher que esse Focus, não???"... manda teu amigo a merda, cara! kkkkk...

    Abs

    ResponderExcluir
  74. Nissan é uma marca sem identidade, sem charme, sem graça. Está aí a Livina que não me deixa mentir.

    McQueen

    ResponderExcluir
  75. Devia ter mandado mesmo, Fabio! Hahahaha!
    Mas mandei ele comprar um Civic (carro que eu, pessoalmente, não compraria). E parece que deu resultado.

    ResponderExcluir
  76. RICHARDSON13/08/10 22:59

    Eu tenho um Focus sedan 2004 2.0 (zetec)automatico, e estou muito satisfeito. No final do ano viajei 1100 km por 15 horas parando apenas pra comer e abastecer. No trecho de serra, parece que esta nos trilhos, e no trecho de estrada ruim com muita ondulação não passei medo. depois disso tudo cheguei em casa cansado, mas não todo moido como acontecia com os outros carros anteriores. Ergonomia fantastica, e suspenção idem !!!! Detalhe: tenho 1,90m de altura.

    Frase que ouvi de um mecanico certa vez:"NÃO EXISTE CARRO RUIM, E SIM DONO RUIM."

    ResponderExcluir
  77. Suspen"Ç"ão...
    Só podia ser dono de Focus mesmo.
    Ainda bem que são poucos.
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  78. "Motor de bloco de alumínio 1,6l multiválvulas de 119 cv".

    O melhor motor dessa cilindrada no Brasil é Chinês!!

    E a Fiat jogando dinheiro fora com a FPT e seus incompetentes engenheiros brazucas...

    Quem diria!!

    ResponderExcluir
  79. Fabio,

    No caso dos EA, a VW culpa os lubrificantes, mas isso é desculpa esfarrapada.
    Já vi um EA na retífica, e o estrago foi grande, afetou o cabeçote. O coitado do dono da retífica está tentando inventar um jeito de mandrilhar o cabeçote e sua maldita tampa-capa dos mancais. Provavelmente vai pro lixo mesmo.

    A falha é da bomba de óleo, isso eu pude ver ao vivo. Como ela estava moída, não pude verificar se houve erro de projeto, mas eu iria por esse caminho.

    Quanto ao 2.0 de 120CV no Polo, acho uma excelente combinação. Ao contrário dos 1.0 e 1.6, o 2.0 nunca dá pau. Não é a toa que o 2.0 não é da família EA. Quem fala mal desse motor é porque tem a síndrome de "potência específica" (ou seja, blablabla específico). O Polo é um carro muito compacto e leve, obtendo resultado excelente com este motor de elevado torque.

    Um anônimo aí disse que o motor chinês de 1.6 e 120CV é superior a todos os nacionais. Porra nenhuma! Tem boa potência e torque ínfimo. Um 2.0 dos mesmos 120CV é MUITO MAIS MOTOR.

    Essa busca exacerbada por potência específica não tem o menor sentido. Pode-se perfeitamente fazer motores grandes e econômicos, como por exemplo o LS2 e LS3 do Corvette. Afinal, o que todo mundo ignora é que os motores de potência específica elevada tem baixa durabilidade (o que é meio óbvio, pois rotação elevada implica em desgaste elevado).

    Quanto ao WRX em questão, que super projeto do canário!!! Mas eu sou mais um Audi AWD com Torsen. Pena que ainda não tenho cacife pra isso (mas eu chego lá).

    ResponderExcluir
  80. 2 litros de 100 e poucos cv é coisa da arcaica VW brasileira e seus engenheiros.

    Eu andei no 1,6 do Cielo e dá gosto o que é elástico, isso num carro mais pesado que o Focus atual, e com caixa 4+E.

    ResponderExcluir
  81. Porque brasileiro tem essa mania de que motor tem que girar até voar pistão e biela pra todo lado?

    Brasileiro fala isso agora, mas depois na hora da retífica sempre fica lá, enchendo o saco do coitado do dono, pra fazer serviço "baratinho", ou "meia-sola", ou "ah, é só pra vender mesmo".

    Gosta de levar vantagem em tudo, certo? Depois paga o pato.

    Potência específica = destruição específica. Fique com o carro até atingir uma quilometragem razoável e voce verá onde voce vai chegar.

    Enquanto isso, os bons e velhos Omegas CD vão a 500 mil km sem retífica alguma. Isso é que é carro.

    ResponderExcluir
  82. hahaha... Anônimo, então compra um Cielo pra vc, BITCHÔ!!!

    15s 0 a 100! Impressionante!

    E dobre a língua pra falar da Fiat, cuja opção 1.6 E.torQ disponibiliza 16,8 mkgf de torque, com 80% já disponíveis aos 1500 rpm!!! puuuts cara, aproveita e lê um pouquinho o AE!!! hahaha

    ResponderExcluir
  83. hehehehehe, é isso aí mesmo Fabio.

    Não vi os motores E.torQ ao vivo para saber da durabilidade, mas de acordo com os numeros, parece ser um motor muito bom mesmo, curva de torque bem planinha.

    É engraçado até que motores de torque e potência similares possam apresentar desempenhos muito diferentes. Depende da curva de torque, peso do carro, escalonamento de marchas e perímetro de pneus. Vai saber o que fizeram nesses carros chineses!

    ResponderExcluir
  84. Bussoranga,
    Meu primo tá pra pegar um GT, acho que o carro sai na segunda-feira, depois da fase de amaciamento, eu posto minhas impressões... rs*

    Em relação à pot. específica, você citou o Corvette, mas mesmo a GM tomou esta direção, tendo em vista o LS7.
    Eu concordo sobre a questão da "rotação elevada x durabilidade", são parâmetros que vão em direções opostas. Uma boa analogia é a tecnologia dos pneus, ou gruda ou dura, por mais que haja evolução dos compostos, não há como fugir muito disso, o pneu que mais dura nunca será o que mais adere ao solo.
    Mas uma coisa você tem que concordar, é muito prazeroso dirigir um carro com motor que "gira fácil", último exemplo que eu tive a oportunidade de testar foi o SI, a pilotagem com este carro é muito empolgante! Vc já viu algumas preparações deste motor na net? O ganho só com remapeamento de injeção é absurdo, algo em torno de 50cv.
    Abs

    ResponderExcluir
  85. Motor é para ser usado conforme previsto. Se ele necessita de mais rotação, é só usar.

    O que determina a durabilidade do motor, entre vários fatores, é a velocidade médias dos pistões, que vai depender do curso e a rotação prevista.

    Fabio,

    O release dos fabricantes dão estas informações, eu li antes de publicar em qualquer mídia. Você acha que a imprensa retira o que sabe da onde? Não precisa puxar o saco do staff do autoentusiastas.

    ResponderExcluir
  86. Marcelo Augusto14/08/10 20:16

    Entusiasta com rotaçãofobia é de lascar!

    ResponderExcluir
  87. Anonimo,

    Falei do AE, porque tem post sobre o Cielo e tem também um post sobre o Punto/nova linha de motores da Fiat e acredito que seja uma boa fonte de informação, incluindo os comentários.
    Aliás, não entendi, de quem eu estou "puxando o saco"?
    Agora se você comprou um Cielo ou quer comprar, cada um faz o que quer com o dinheiro próprio.
    Mas não venha me falar que este motor é a melhor 1.6 no Brasil, que eu vou discordar mesmo...

    ResponderExcluir
  88. Fabio e outros,

    Existe uma diferença muito grande entre poder girar e ter que girar.

    O Civic SI mesmo gira muito, e gerando muita potência. Mas permite que se engate uma 6a marcha e mantenha uma rotação mais saudável ao motor. Ou seja, voce só esgoela o motor se quiser.

    Outros carros de alto giro não te dão essa opção. A maioria é motor pequeno, não tem torque. Voce cai na estrada e a porcaria fica lá dos 4000rpm pra cima. Não tem como durar.

    Então durar não é o fato de voce jogar o giro lá em cima. É o fato de voce MANTER o giro lá em cima por tempo prolongado.

    Fabio,

    Sua analogia com pneus é perfeita. É questão de Leis da Física, não tem mistério.

    O Civic SI é um carro muito interessante. Já tive oportunidade de dirigir, e pude avaliar bastante coisa. O que mais me impressionou não foi nem o motor, e sim a suspensão. Eta carrinho fantástico pra fazer curvas! Se tivessem feito um visual e painel melhores, eu compraria.

    O motor original eu não gostei, muito morto em baixa. Nunca entendi como um motor 2.0 16V atual podia ser tão fraco em baixa, até que andei num extensamente remapeado. É OUTRO MUNDO! Vem um monte de torque em baixa, o carro fica muito gostoso de dirigir. Pode por 6a na cidade, de 70km/h pra cima, que o troço empurra decentemente. Aí sim minha decepção caiu por terra. Mas não é fácil chegar no remapeamento ideal.

    Quanto ao ganho de 50hp, há um detalhe que descobri que parece que ninguém percebeu. ONDE este ganho foi obtido? Em SP? NUNCA. Absolutamente TODOS que alegaram este ganho estão no litoral. Aí sim dá pra ganhar tudo isso! O que eu andei tinha 244hp @ 8600rpm, isso é factível, mas em SP dará em torno de 220hp. Sempre que eu desço pro litoral com qualquer carro noto que fica bem mais forte.

    A velha questão da VMP (velocidade média de pistões) é furada. Voce pode ter um motor de VMP bem alta e, com o devido fator de biela e balanceamento todo, conseguir durabilidade.

    Todos,

    Imaginem que voce tenha 2 motores. Um de 50mm de curso e 200hp@10000rpm e outro de 100mm de curso e 200hp@5000rpm. No primeiro a rotação de cruzeiro é de 5000rpm, e no outro é de 2500rpm.
    Ao longo da vida útil um deles girou o dobro do outro. Os pistões se movimentaram o dobro. Os anéis esfregaram A MESMA COISA, mas os cilindros não.

    Advinhem qual motor vai chegar em fim de vida primeiro? O de alto giro, óbvio. E ambos tem VMP iguais.

    É isso. Alto giro é legal, mas tem consequências inevitáveis previstas pelas Leis da Física. Quem os produz sabe disso, mas quem os usa raramente sabe.

    ResponderExcluir
  89. Bussoranga,
    Meu irmão teve um Mille comprado zero em 1993 e vendido em 2007 com 245.000 km. Motor íntegro, nem óleo precisava ser adicionado entre trocas a cada 10.000 km. Nunca foi desmontado, nem cabeçote. Fora a manutenção sugerida, correia dentada a cada 40.000 km etc, trocou uma bomba d'água com 100.000 km, e só.

    ResponderExcluir
  90. Bob,

    Isso é mesmo muito impressionante! Mas é ponto fora da curva, isto é, exceção, não regra. Não podemos tomar a exceção como comprovação dos fatos descritos pela Física. Equivale ao FB dizer que os Gols de 1a geração nunca racham o tunel. Talvez na mão dele nunca rache, mas não é o que se observa na maioria dos Gols que sobreviveram.

    ResponderExcluir
  91. Kantynho, a preferência dos brasileiros por sedãs está muito ligada à quantidade de amigos do alheio que por aqui existem. Em sedãs, além de a bagagem não ficar à vista do transeunte (em que pese peruas e hatches terem tampões), ela também fica no mesmo espaço físico definido que o dos passageiros, tornando o trabalho de roubá-la mais difícil.
    Dependendo do sedã, além de haver a barreira física do porta-malas separado do resto da carroceria, há também a do rebatimento do banco traseiro ser possível só por dentro do porta-malas. É o caso de Civic e Fusion, por exemplo, cujas alavancas de rebatimento são na parte superior do porta-malas, sendo que no Fusion há a elegante solução de o próprio rebatedor dar um empurrãozinho no encosto para que ele já caia certinho.

    No Civic atual, não sei se há alguma solução (visto que a chave tem imobilizador, coisa que os anteriores não), mas nos anteriores sempre vinha a chave titular e uma para manobrista. A de manobrista só abre as portas e dá a partida. Já a titular faz tudo isso e também abre o porta-malas. Como há uma trava interna à abertura do porta-malas (na sexta geração é no tampão traseiro, na sétima é do lado do motorista), é só usar a chave titular naquele espaço que o porta-malas vira um verdadeiro cofre, sequer podendo ser aberto por dentro.
    Outro motivo para os sedãs fazerem o sucesso que fazem é também por terem incorporado algumas coisas outrora só encontráveis em peruas e hatches, como o banco traseiro rebatível. Porém, seguem sem as capacidades só encontráveis em veículos mono ou de dois volumes (aqui independendo de ser hatch, perua, SUV ou minivan), como uma boca traseira grande o suficiente para permitir a passagem de objetos de maior volume. Aliás, se formos ver os sedãs de hoje, aquela boca está ficando cada vez menor (uma vez que jogam o vidro traseiro cada vez mais para trás), o que é de se lamentar.

    Adoro peruas, mas hoje tenho um sedã (que me serve muito bem e não pretendo trocar tão cedo, mas se o trocar será por uma perua ou um hatch, em que pese a maior atratividade à ladroagem), mas reconheço que elas estão mais expostas a gatunos. Claro que não é culpa das peruas (ou dos hatches), mas sim do não-combate à bandidagem, bem como leniência ao se dizer que eles seriam produtos do ambiente ou vítimas da sociedade.

    ResponderExcluir
  92. Cardoso, some-se também a essa história de o Focus não fazer o sucesso que merece devido à limitada disponibilidade de peças fora das concessionárias, um mal da Ford. Meu irmão tomou uma batida em seu Ka e a funilaria demorou mais tempo do que deveria pelo fato de a oficina ter ficado um belo tempo esperando uma proteção plástica que vai dentro do para-lama traseiro. Não me parece que tal peça seja fácil de achar no paralelo quanto seria uma equivalente para um Corsa (aliás, a grande disponibilidade de peças Chevrolet fora das concessionárias pode ser um dos motivos para que seus antiquadíssimos modelos sigam vendendo bem).
    Sobre o fator pega-mulher, não saberei qual é a do Focus, até porque nunca rodei com um para saber. Imagino que atraia tantos olhares quanto qualquer carro médio atrairia aqui no Brasil, ou seja, muitos (uma vez que aqui não são tão regra quanto seriam na Europa ou nos EUA). Já dirigi Civic e 307 e notei que um monte de olhares femininos se voltam para eles, enquanto em um Ka ou em um Corsa você fica simplesmente invisível. Logo, creio eu que também um Focus "embeleze" qualquer cabra que o dirigir. Claro, que não se fique perto de qualquer Mercedes, Audi ou BMW ou qualquer outra coisa mais cara ou sofisticada. Em todo caso, sou obrigado a concordar que está faltando à Ford com o magnetismo de um XR3, e aqui nada a ver com atração que gere no sexo oposto, uma vez que creio que um Focus comum deixe seu dono em paridade com quem estiver de i30, Civic e outros de mesma categoria.

    ResponderExcluir
  93. Bussoranga,

    Falei que eu voltava para falar sobre as minhas impressões sobre o Polo GT.
    Então...
    Acho que foi algum lapso de memória, o Polo com regulagem da coluna de direção possibilita realmente ergonomia perfeita!
    O que falar do freio a disco nas 4, né? o GT tem! Aliás o freio, assim como na versão 1.6, é perfeitamente modulado.
    O motor 2.0 pressiona a gente no banco mais do que eu imaginava, detalhe que o carro está com 300~400km, ou seja, ainda está longe de atingir o auge de desempenho, com certeza se trata de um pocket rocket!
    A direção eletro-hidráulica é perfeitamente calibrada, que diferença do meu, puuuuutz! Perdi ainda mais o tesão no meu carro! Pq eu fui testar o maldito GT? hahaha
    E pra quem se liga nos detalhes como máscara negra nos faróis, grade tipo colméia, rodas com pintura que me pareceram uma cor próxima a titânio, que combinam com detalhes internos do carro, além de pedaleria esportiva, aerofólio (aquela "extensão" do teto que dizem melhorar o Cx) banco exclusivos da versão, entre outros detalhes... ahhh... a ponteira do escap é lindíssima também!
    Bom! O primão merece os parabéns pela aquisição! Puuuta carrinho dahora!!! kkkkk
    É isso aê!
    Abs

    ResponderExcluir
  94. Acho extremamente interessante essas discussões sobre os melhores e os piores.... Perdemos um tempo incrível tentando convencer nossos "vizinhos" de que nosso carro é melhor do que o deles. No fundo estamos querendo difundir a idéia de que o "meu é bom" para que seja mais vendido, e sendo mais vendido, tenha maior valor na revenda. Por isso que a grande maioria prefere os Fiat's. Pior carro que já tive. Pior pós-venda! Lataria fraca, e por aí vai. Mas porque vende muito? As pessoas compram carro pelo Preço e na perspectiva de perder pouco quando vender. A perda na venda não está relacionada à montadora, mas ao valor do veículo.
    Quanto é 30% de um carro de R$30.000? E quanto é 30% de uma carro de R$ 60.000? No fundo os 2 perderam 30%, mas o "rombo" é maior no que custa mais, é claro. Quer testar? Tente dar seu carro na troca em uma concessionária e veja se a porcentagem não confere...
    Quanto aos carros comentados, não conheço o Focus. Não compraria o Focus pois conheço o pós-venda da Ford. Melhor não comentar...
    Quanto ao Grand Livina, comprei uma completa no mês passado, por opção de PREÇO, ESPAÇO E $DE MANUTENÇÃO. Antes de falar de um carro, pergunte a quem tem. Estou muito satisfeito. Além disso, antes do Grand Livina tinha um Logan 1.0 16V 2008. Comprei quando todo mundo metia o "pau" no carro... Na proposta dele (popular), dá de 10 nas porcarias da FIAT e nos carros da VW... Engraçado como o Logan, feio e sem graça, tem vendido atualmente. Os motoristas de táxi estão usando. Por que será? Fui para o Grand livina, em grande parte, pela experiência com o Logan e o atendimento pós venda da Renault, que se for levado para a Nissan vai alcançar bons resultados. quem sabe daqui há 2 anos não estaremos fazendo uma discussão de como os "livinas" conseguiram vender tanto, igual ao primo feio Logan?

    ResponderExcluir
  95. Armando's salesman detected

    ResponderExcluir
  96. Mara São paulo;
    alguém por favor me ajude!Estou com o meu Ford Fusion 2006/2006 precisando plainar o cabeçote e ninguém sabe qual tem que ser a altura do cabeçote já passei em varias retificas não consigo a solução nem com a autorizada Da Ford se alguém puder me ajudar desde já eu agradeço Obrigada

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.