DOIS CHEVROLET, DOIS MUNDOS DIFERENTES



Almoçando com o Juvenal Jorge outro dia, topamos com uma imagem insólita. Lado a lado no estacionamento estavam um novo e belíssimo Chevrolet Malibu, e a seu lado, um não tão belíssimo, mas também novo e reluzente, Chevrolet Prisma.

Conversando com o amigo, cheguei ao deprimente quadro que narro agora, para mostrar o longo caminho que temos que percorrer como nação ainda.

Uma coisa que muita gente não sabe é que um engenheiro brasileiro já custa quase tanto quanto um americano ou um europeu. O mesmo pode ser dito aos funcionários nas linhas de montagem dos fabricantes de automóveis. Férias, fundo de garantia, impostos, indenizações trabalhistas, os motivos são variados, mas o fato é que, apesar de ser quase  tão caro quanto um americano, nossos assalariados não chegam nem aos pés de seus irmãos do norte em poder de compra. Além do custo que gera para sua empresa, o assalariado brasileiro ainda tem que enfrentar uma carga de impostos imensa nos produtos que compra.

Se você já deu uma olhada no orçamento do condomínio onde invariavelmente mora (poucos conseguem ficar fora dele nesse Brasil SEM SEGURANÇA), sabe que o maior custo é a mão de obra, os funcionários. O efeito é parecido nas empresas. Pode até não ser o maior custo, mas o peso dele sempre é muito importante. Especialmente aqui no Brasil.

Desta forma, o mercado nacional de automóveis é único, diferente de todo o resto do mundo. A vasta maioria do volume de vendas está concentrada em carros simples como Mille, Celta e Gol, carros que apesar de básicos e despojados, são caros para a população (muito imposto), e ao mesmo tempo caros demais para serem exportados com sucesso.

Nossa indústria vive então do mercado interno apenas, e como na década de 80, praticamente isolada do mundo. Carros um pouco mais sofisticados sofrem concorrência dos importados, mas as vendas dos “populares”, vasta maioria e esteio da indústria local, seguem crescendo.

Para a pobre classe média, vocês conhecem o significado disso: muito imposto sem nada em termos de serviço em troca, e poder de compra reduzidíssimo se comparado a um cidadão de primeiro mundo. Mas o pior é o isolamento da grande ordem mundial: hoje a produção migra para a China, Índia, Indonésia, e o Brasil fica relegado a segundo plano, e a seu mercado apenas. Exagerando um pouco para deixar claro: seria algo como ter um padrão de vida de indonésio, com custo de americano. Temo pelo futuro de nossa indústria, e principalmente seus funcionários.

O exemplo claro deste abismo que ainda temos que transpor está nesses dois carros que vimos lado a lado. Uma pesquisa rápida indicou os preços sugeridos, em seus países de origem, ilustrados abaixo:


O Malibu custa US$ 21.825,00, o que, com o dólar valendo 1,77 reais, significa R$ 38.630, 25. Um Prisma completo é mais barato; custa a bagatela de R$ 37.620,00. Mil reais menoso. Ambos os carros foram feitos para o povo de seus países, e neles não são veículos que representam "status". Carros normais para o povo, apenas.

O sedã americano tem 2,4 litros de cilindrada e 171 cv, e caixa automática de quatro marchas. O nosso, 1,4 litro e 97 cv (etanol), com câmbio manual. O Malibu tem 4.872 mm de comprimento e 2.852 mm de entre-eixos, e o Prisma, 4.127 mm de comprimento, e 2.443 mm de entre-eixos.


O Malibu vem com rodas de 17 polegadas, ABS, oito airbags, controle eletrônico de estabilidade, rádio AM/FM/XM com Bluetooth e entradas para iPod e USB, freios a disco nas quatro rodas, entrada sem chave, controle de velocidade de cruzeiro. Ar-condicionado, travas e vidros elétricos nem precisamos mencionar, é óbvio.

O Prisma selecionado também tem ar-condicionado, travas e vidros elétricos, mas não é nem necessário dizer que de resto... Acho que vocês já entenderam o ponto. Se não, vejam as fotos e chorem. E nem precisamos entrar no detalhe das facilidades de financiamento a juros baixos nos EUA.


Sim, grande parte do custo do Prisma é imposto, mas mesmo sem eles, ainda seria caro. O fato é que vocês podem prever o futuro de uma indústria, e de um país, que tem custos tão altos, mas produz e consome tão diferentemente dos países de primeiro mundo. É uma situação que devia preocupar todo mundo, mas é algo muito pouco falado. Falta planejamento, objetivo de futuro, aqui. A indústria local é transplantada, filial de matriz estrangeira, e apenas está aqui para fazer dinheiro; cabe ao governo criar condições para que ela cresça mais do que faz hoje, tanto no mercado interno quanto no externo, para que realmente mudemos este quadro. O volume atual de investimentos não é ruim, mas não vai mudar nada, apenas perpetuar a situação atual.

Eu não gosto de ser coadjuvante de nada, e acredito que nosso país pode ser mais que isso na grande ordem das coisas. Algo precisa ser feito. Acho que o exemplo que eu e o JJ encontramos, por um desses acasos da vida, é bem ilustrativo do abismo que temos que transpor.

MAO

76 comentários :

  1. Tive uma conversa parecida com essa outro dia com um amigo, mas o início do papo se deu quando falei sobre carros que recebem mudanças de visual, permanecendo iguais estruturalmente e por consequência defasados com seus pares europeus e americanos em todos os quesitos.

    Parabéns pelo texto! Uma boa visão macro a respeito desse complexo assunto.

    ResponderExcluir
  2. Fazer um comentário? Sem comentários.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  3. Acho que essa desculpa de impostos é infelizmente mais uma das coisas do "complexo de cachorrinho" que temos aqui no Brasil.

    Se pegarmos os relatórios da Anfavea, onde aparece a carga tributária sobre a indústria automobilística mundial e fizermos as contas, vamos ver que não é só imposto que tem ai não.

    Sou engenheiro e faço pós-graduação em administração... E ao cursar a matéria de MKT, aprendi que o preço de venda de um produto não é relacionado ao custo de fabricação mas sim pelo valor que o consumidor aceitaria pagar por ele.

    A culpa é nossa (eu tenho um Prisma) que aceitamos pagar o que pagamos para ter a estirpe de carro que temos...

    O efeito contrário também pode ser avaliado. Veja quanto custa um Suzuki Fun (A.K.A Celta) na Argentina e compare com o preço no Brasil. O carro e consequentemente a carga tributária indireta são os daqui... E lá o carro é bem mais barato.

    Ou outro exemplo, Honda City. Compare o preço do carro feito em Sumaré, e vendido no Brasil e do carro feito em Sumaré e vendido no México.

    Se é caro porque aceitamos pagar caro... Se fosse muito mais barato, fariamos fila na porta das concessionárias, pagariamos ágio e a lei da oferta e demanda logo colocaria os preços de volta no habitual (e absurdo) patamar.

    Abraço,
    Rafael P.

    ResponderExcluir
  4. Pablo Jeronimo19/08/10 01:21

    A verdade é dura, sim! Cada pais tem o que seu povo "exige". A massa brasileira é muito ignorante nesse quesito, enquanto carro for simbolo de status aqui no Brasil sempre será assim, carros defasados, inseguros e caros, muito caros, e o povão não ta nem ai pra isso, o que importa é se mostrar. O texto está muito bom, mas ele deixa de citar algo importante também, a margem de lucro gigantesco das montadoras, em paises "normais", este gera em torno de 10%, aqui no BR, há casos que esta margem chega a quase 80%!!! O governo não é o unico vilão nessa história. (Não estou defendendo a corja governamental, apenas mostrando que ele não está sozinho nisso)

    ResponderExcluir
  5. Me dá mal estar ler essas coisas. Explico´briguei feio com meu pai quando saiu esse prisma. Expliquei que não passa de um Celta sedan metido a besta. Pelo menos não comprou. É frustrante encontrar ignorãncia dentro de casa. Enquanto houver esse comportamento de manada o futuro é negro.
    PS: meu mmundo caiu ao ver o BS chamando o agile de bonito no Youtube... Não foi só a GMb que decaiu.

    ResponderExcluir
  6. Sou cada dia mais entusiasta dos entusiastas, ainda que eu não me defina exatamente como um entusiasta de automóveis. Gosto muito de mecânica, quase filosoficamente, e da eletricidade, essa energia sem poréns. Sendo assim, as próximas décadas têm tudo pra serem meus anos dourados, haja vida pra ver. Mas voltando ao começo, quantos textos bons, por aqui! Quanta propriedade. E eu sou chato nisso, crítico.

    Esse post pode ser visto como apropriadíssimo à época eleitoral. Isso de pensar-se em modelos de estado fortes em planejamento, no longo prazo, é qustão política crucial. Mas o mundo tá esquizo. O capital, com a indústria no reboque, diz que a longo prazo morreremos (e danem-se os pósteros). A pressão dele sobre o estado nunca foi tão grande. E este, ou encara a questão da continuidade - projeto, planejamento, pensar em termos dos próximos 50 anos e depois - ou continua sendo o poleiro de oportunistas (ok, à excessão do vosso candidato), especialistas em empurrar-com-a-barriga e enxugar-gelo. Votar em quem, cavalheiros? Ainda mais que entramos num regime de "compensações sociais", que poderiam até ser justas, mas que oneram ainda mais o estado e perpetuam a síndrome do Prisma.

    Alguém pode pensar – Chii, o cara é neo-liberal. Nem tanto, nem tanto. Me chama atenção, por exemplo, que a queda do muro derrubou junto muito do exercício do planejamento neste mundo. Sobrou a China, planejando com eficiência e segurança absurdas. E tendo como mote: a longo prazo dominaremos (e danem-se os contemporâneos).

    Não foi o tal Bacha que disse que somos a Belíndia? Estava por fora. A Bélgica compra Malibus a preço razoável. E a Índia oferece automóvel a preço de motocicleta popular. Quer dizer, segundo tudo indica, perdemos, cavalheiros.

    Desculpem o tijolo. Vocês são demais.

    ResponderExcluir
  7. MAO

    Você até citou o poder de compra, mas no caso específico dos preços dos dois carros, vale lembrar que: com o salário MÉDIO do brasileiro é muito difícil (se não for impossível) comprar um Prisma zero, a não ser que você more com papai e mamãe, não ajude a pagar os gastos e não gaste muito nas baladas e viagens (sem contar os juros do financiamento). Com o salário MÍNIMO de um americano, compra-se o Malibu sem precisar corroer sua renda mensal.

    Como não acredito em mudanças radicais positivas no curto prazo, tento continuar sonhando em me mudar para um país de verdade. Um sonho muito mais realista.

    ResponderExcluir
  8. Ótima comparação!!
    Alguém se lembra da reportagem de uma certa revista que fala sobre automóveis comparando Chevrolet Cavalier e Monza???
    É Senhores(as) voltamos a estaca ZERO "neste país".
    E não adianta defender a corja que são todos farinha do mesmo saco ou alguém aqui consegue pagar a campanha com $$ do bolso???

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Para mim este problema está ligado aos bancos, a ganância dos empresários, aos impostos, e ao brasileiro que não faz conta na hora de fazer um financiamento e paga 2 carros, um para a fabrica e outro para o banco, isso qdo não paga tres.

    Me desculpem, sei que muitos não concordarão comigo, mas acho que isto não vai mudar tão cedo por se tratar de uma questão cultural, para haver uma mudança a sociedade brasileira precisa mudar, e a ocorrência desta mudança pode demorar, anos, secúlos ou mais.

    Coloque a tx. de juros imposta no Brasil para o finaciamento de um carro ou uma casa no exterior, simplesmente a economia vai parar porque ninguem vai comprar, já nba terra Brazilis vai ter fila de espera, oa empresários e o governo percebem esta atitude e arrepiam em preços e impostos pois sabem que o brasileiro vai digerir mto bem o que foi imposto então não esperem mudanças, infelizmente :(

    Olhem para as exportações, o governo insentiva e os produtores aumentam os preços do mercado para freiar o consumo interno, qdo o produto é descartado lá fora o preço volta a ser justo no país, poxa, ninguem enxerga estas coisas, todo mundo fica calado, aumentou, deixe na loja e ponto final, ahh não existe inflação, banana, aos meus 18 anos comprei uma Parati completa e paguei 18 mil reais,isto em 98, qto custa uma Parati nos dias de hoje? :(

    Brasil, um país de tolos, infelizmente :(

    ResponderExcluir
  11. Como Rafael P. disse sobre algo além dos impostos. Rafael, empresas estrangeiras fazem dinheiro aqui pra se sustentar com fartura em seus mercados nativos, é isso, um modo de colonização.

    Exemplo clássico do Brasil colonialista é que produzimos soja pra alimentar porcos na europa e japão... visto que Brasileiro come feijão e não soja. Será que eternamente vamos exportar a laranja ao invés de exportar o suco, pronto na embalagem com marca e valor agregado?

    Comparando carga tributária sobre o empregado, pelo menos na minha profissão - designer - no Brasil ainda é um tanto menor que na Alemanha por exemplo.

    Minha heresia como autoentusiasta é que depois de morar no exterior, no Brasil perdi qualquer tesão de ter carro como sonho de consumo, é exploração demais.

    Quanto aos impostos, a eleição está aí - e particularmente não sei se os candidatos das duas esferas representam alguma mudança...

    Belo post!

    ResponderExcluir
  12. É por isso que fico muito desanimado de comprar carro 0km.
    O objeto é caro demais, IPVA caro, alta desvalorização, muitos problemas de fábrica, só faltou o nariz de palhaço.

    ResponderExcluir
  13. Que tal um post comparando características (inclusive preço), dos dois sedãs americanos, Fusion e Malibu??? Garanto que dá uma boa discussão nos comentários. MRM21.

    ResponderExcluir
  14. isso só tende a piorar, pq aqui ng compra carro, aqui 'compram' preço. tanto faz se o carro for bom ou ñ, sendo caro e tendo 'cheirinho d novo' é o q conta!!!

    ResponderExcluir
  15. Mister Fórmula Finesse19/08/10 09:09

    E pensar que a Chevrolet era uma coisa bem diferente nos anos noventa, quando seis meses depois da Europa, ela trazia e manufaturava por aqui grandes lançamentos e atualizações (Corsa, Vectra B...).

    Mas comparar o mercado brasileiro com o americano é realmente um choque terrível de realidade, não é apenas um exercício de diferenças impostas há muitos anos...mas para ONDE estamos indo é o que mais preocupa!

    ResponderExcluir
  16. O Brasil continua sendo uma colônia de exploração, infelizmente...

    ResponderExcluir
  17. MAO, me desculpe, mas discordo quando você diz que a culpa do alto custo dos carros é dos impostos. Argentina e México também têm cargas tributárias pesadas e os carros custam muito menos do que aqui. A culpa é NOSSA, que admitimos pagar o que a indústria pede.

    Abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  18. Estou pensando em ficar com o meu Gol special até que isso não mude, e se não mudar, vou ficar para sempre com ele. Estou afim de comprar um novo Gol ou um Fiesta, mas estou cada dia menos disposto à gastar 35.000 reais em outro carro 1000 cilidradas. Se for pra ficar com um desses, eu continuo andando de bolinha. Triste, porém acredito que seja a opção mais acertada.

    ResponderExcluir
  19. A carga tributária e alta, altíssima aliás (o presidente diz que não), as margens são altas também. Mas o que mata mesmo é a falta de senso crítico. Mesmo nesse balaio de gatos de carros caríssimos, alguns se destacam como produtos com custo/benefício um pouco melhor que seus pares, porém as vendas não correspondem a isso.
    Um Honda Fit EXL automático tem preço sugerido de R$ 72 mil (!). Temos opções mais interessantes e a menor preço, mas o Hondinha segue firme nas vendas. Que margem de lucros fantástica ! E o Palio 1,6 com ar condicionado a R$ 38 mil , um carro com 14 anos de mercado ? O Focus modelo antigo, um produto superior em tudo, morreu custando isso, porque não vendia nada.

    MAO, parabéns pelo post ! Quem sabe um dia o povo acorda.

    ResponderExcluir
  20. "E o Palio 1,6 com ar condicionado a R$ 38 mil , um carro com 14 anos de mercado ? O Focus modelo antigo, um produto superior em tudo, morreu custando isso, porque não vendia nada."
    Eu ia comentar exatamente isso.
    Mas ainda acho que o problema eh das fabricas que nao disponibilizam produtos mais modernos. Muitos vao falar que eh porque vende.
    Agora me digam porque os Vectras 16v nao vingaram enquanto Civic e Corolla sempre tiveram essa configuracao e venderam bem?

    ResponderExcluir
  21. MAO,
    bom ver a nossa conversa perpetuada em texto.
    Estou com o que alguns disseram aqui. O carro é caro no Brasil porque tem gente que paga. Simples.

    ResponderExcluir
  22. Como o JG falou, MAL ESTAR!!! ARRRRRRRGH!!!
    Caaaaraaa***!!! MAO, este texto zuou o fígado! Foda! Obviamente com grande auxílio dos comentários... Vou guardar nos favoritos, assim toda a vez que eu pensar em trocar meu carro, releio texto e comentários.
    O que falta no Brasil colônia é educação, muito se fala (POLÍTICOS MF!!!) e nada é feito decentemente! Os sanguessugas sempre pensando nos próprios bolsos.
    Agora, uma pergunta, será que existe solução para esta cultura de merda brasileira??? Futebol, axé, pancadão, etc. ... Puuuts! a lista é extensa e nojenta!!!
    Tomara que a inclusão digital auxilie este povo a ter um mínimo de senso crítico!
    Eu tenho meus motivos para ainda não ter largado este país sem olhar pra trás... Falta de patriotismo? Rrrááááá!!! Onde pátria, cadê??? Eu tenho é nojo!
    Vou pedir licença, porque estou com ânsia de vômito...

    Saindo um pouco do assunto...

    Belíssimo, MAO? Este Malibu é ridículo!!! Esta linha da GM é pra acabar de falir com tudo mesmo!!!
    Olha aí de onde veio a belíssima frente do Agile. E a traseira, foi a Sulam que projetou???

    Desculpem-me pelo desabafo.

    Sds

    ResponderExcluir
  23. Eu simplesmente parei de sonhar com carro zero km no Brasil. Não vale a pena!!! Só temos carroça!. Tenho um gol quadrado 95.Não é um expoente de potência e torque mas me serve muito bem. Enquanto eu puder arrumar e mante-lo em condições rodáveis não irei troca-lo. Acho que todos deveríamos fazer isso para a indústria acordar e começar a oferecer bons produtos a preços razoáveis. Que venham os chineses!!! Pelo menos vai forçar (ainda que não muito) um pouco a queda de preço. É só olhar o face (R$32k) é um fit mais barato....

    ResponderExcluir
  24. Adalberto,

    Acho que parte do problema com relação ao declíneo do Vectra se explica com o status que Honda e Toyota alcançaram em nosso mercado. Assim, todas as pessoas que se preocupavam em demonstrar sucesso, acabavam comprando os japas.

    Não desmerecendo Civic e Corolla, é claro. Porém, boa parte das pessoas que compraram esses dois modelos, acredito, não colocaram na balança itens que não o status.

    ResponderExcluir
  25. Ok, tanto os lucros das empresas quanto os impostos, são grandes. Só que tem um detalhe: as empresas geram empregos, as exportações geram divisas, e a porra dos impostos, o que geram? NADA! Não nos é dado NADA em troca da fortuna que pagamos de impostos. Esse negócio de culpar empresas ou o que chamam de "imperialismo" pelas mazelas brasileiras, é conversa. O Brasil tem os problemas que tem, por conta de incompetência. Ainda que as empresas lucrem muito, que se remetam lucro para as matrizes, o que ferra o país é o que se rouba aqui, é a burrocracia, o desperdício, a roubalheira interna, a má gestão do dinheiro público. Imaginem a imensidão de orgãos inúteis, o custo de suas estruturas suas estruturas físicas e de recursos humanos, o gigantisnmo do Estado, as falcatruas e mamatas em cada câmara de vereadores, em cada prefeitura, em cada governo estadual, e no governo federal, somem tudo, e verão que o dinheiro que sobra aqui, já descontado tudo que as empresas lucram e que vai para fora, daria e sobraria para termos um país de nível de primeiro mundo, caso fosse bem aplicado, caso fosse bem gerido. O que fode o Brasil, é o custo-Brasil.

    ResponderExcluir
  26. O que falar? não sei..
    A somos feitos de palhaço. E ainda ficamos orgulhosos ao "Conquistar" um celtinha esticado.

    Vamos votar no Tiririca... Já que é pra fazer palhaçada com a nossa cara vamos fazer direito.

    ResponderExcluir
  27. Joel, não brigue com seu pai, ele é uma das duas pessoas que te amam de verdade (sou pai também).
    Depois do momento Ana Maria Braga...
    Excelente post, é época de eleições e precisamos pensar bem. Nem é por ideologia, pois todos os candidatos a presidente são de centro-esquerda (pois no Brasil é crime ser de direita), creio que é simples falta de competência e honestidade, nosso país está sob o comando do PT há 8 anos, e não temos um projeto de nação. 8 anos hoje em dia é muito tempo pra quem trabalha de verdade.
    O pior é que a maioria vai votar tomando por base a propaganda na TV...
    McQueen

    ResponderExcluir
  28. Estou postando anonimo por nao ter conta no google.

    Só "esqueceu" de comentar a margem de lucro das automobilisticas, né? Qual o motivo? Derrubaria toda a sua tese de impostos elevados e encargos trabalhistas, que de fato são altos?

    Também não entendi a menção à "indenização trabalhista" como mais um problema. Ora, se a empresa trabalha direitinho, não há que se preocupar com indenizações. Mas claro, pagar hora extra, adicionais previstos em lei, etc, são para os "trouxas", né....

    Só a título de curiosidade, procure saber quanto ganha um "peão de fábrica" na Alemanha e que paga uma bela grana de IR também e um aqui. Voce pode ser surpreender e constatar que o problema não é o custo do funcionário brasileiro, mas sim a excessiva margem de lucro do fabricante.

    ResponderExcluir
  29. McQueen
    Interessante notar que isso aconteceu há alguns anos.
    Hoje em dia me dou muito melhor com ele, até já lê o AE.

    Então, enquanto o povo em geral for burro e engolir essas tranqueiras isso só PIORA.

    Colega meu aqui da empresa tinha um Focus Ghia. Decaiu pra um Astra automático e a gora pra um Monza Hatch GTX... porque é "bonito".

    ResponderExcluir
  30. Todos,
    Vamos lá, tentando cobrir tudo numa resposta só:

    Imposto:
    é alto em toda cadeia produtiva, é alto em IR, é alto. FATO. É altíssimo na Alemanha também. O problema não é imposto em si, e sim o que se tem em troca. Apesar de pagar todos os impostos, pago ainda escola para as crianças, condomínio (segurança), plano médico, consultas médicas particulares (plano médico virou seguro internação), e mais um sem fim de coisas que alemão não paga. O alemão paga imposto e sobra dinheiro para consumir. Eu, infelizmente, não, fico só pagando imposto. O negócio é o seguinte: ou param de roubar o meu dinheiro ou me dão algo em troca dele.

    Lucro:
    A margem de lucro está relacionado ao mercado, como muitos disseram: se pagam... Não há dúvida que é parte do motivo que faz o Malibu e o Prisma custarem o mesmo. Mas o quanto, nunca saberemos, podemos apenas especular. O mais importante aqui é dizer que o custo do funcionário no Brasil é alto, inviabilizando nossa competitividade internacional. Esse Malibu, se produzido aqui para os mesmos volumes, seria mais caro do que é. Assim estamos perdidos, porque ou somos mais baratos, ou temos alguma tecnologia que alguém não tem, senão... Vocês vêem produtos nossos sendo vendidos na China, na Europa, nos EUA com sucesso e volume? O contrário é fácil imaginar. Aí que está o problema. Imagine se a VW , por exemplo, vai usar o Brasil como base exportadora, se o custo é igual ao da matriz? NUNCA. Investe-se lá. Ao mesmo tempo, se somos tão caros, porque não consumo como europeu? Algo está errado.

    Legislação Trabalhista:
    Criada em 1934 por Getúlio Vargas, é questão de ponto de vista: alguns acham que é "avançadíssima", que garante direitos dos trabalhadores, que impede abusos. Eu, que fui e sou trabalhador assalariado a vida toda, mas acho que é paternalista e atrasada, e que é uma âncora para nosso país e para os cidadãos, que permanecem esperando tudo do governo, e não deles mesmos. E o famigerado FGTS? É dinheiro que EU ganho honestamente, mas o governo impede que eu gaste como bem quiser, me tratando como um imbecil. Ele cuida de nosso dinheiro por nós...

    Fabio e Joel:
    Sobre o Agile e o Malibu serem feios ou bonitos, lembro que gosto é como certa parte da anatomia humana muito comentada por aí: cada um tem a sua. Tudo bem vcs acharem os dois feios, tudo bem o Bob gostar do Agile e eu do Malibu, não acham?

    Abraço!

    MAO

    ResponderExcluir
  31. MAO

    Eu só disse que o "Argh!ile" é feio.
    Aliás, feio sou eu, o Agile é mais feio que briga de foice no escuro.
    Do Malibu eu gosto.

    Concordo contigo sobre nossa legislação trabalhista. Já tive acesso a alguns dados e sei que custo o dobro do meu salário pra empresa.

    ResponderExcluir
  32. MAO e JJ,

    Ok, seus pontos de vista fazem total sentido, e há algumas considerações que o pessoal fez que são muito pertinentes, principalmente as margens astronômicas dos fabricantes que produzem carros no .br. Falaram aí em R$72k por uma tranqueira dum Fit EXL. Não duvido, mas só constata que o comprador brasileiro de carros é um trouxão mesmo.

    Já disse e repito: parei de comprar carro 0km em 2005, pois, tirando o Focus, não houve evolução nenhuma.

    Mas há outros 2 problemas graves que ainda não foram mencionados. Resumidamente, farei uma adaptação numa frase do Zullino (que por sinal anda sumido): carro não é um direito, é um privilégio. Observem o que aconteceu quando as linhas de crédito foram escancaradas: as cidades ficaram ainda mais entupidas de carros!

    Vamos supor que os juros fossem drasticamente reduzidos e a qualidade dos carros melhorasse bastante. Ia vender muito, e onde íamos usá-los? O resultado seria o caos. Ao abrir o portão da garagem, durante 24h por dia, voce já não conseguiria sair com o carro.

    Então de nada adianta corrigirmos essas distorções do mercado se o país não oferece infra-estrutura para usarmos o carro. "Não há mais onde enfiar tanto carro!"

    Ou seja, a questão que foi levantada é muito importante, mas o buraco é muuuuuuuito mais embaixo.

    Outra questão é: porque o povo troca de carro com tanta frequência? Se quisermos preços melhores, basta comprarmos menos. A minha parte já faço, não comprando há 5 anos. Quando os pátios de fábricas e concessionárias estiverem entupidos, quero ver o que farão. Melhorarão os preços e aí algum trouxão vai aceitar por 2000 reais a menos.

    Ou seja, se o povo está satisfeito com essas carroças, o mercado só vai oferecer carroças. Se o povo realmente quer mesmo uma carroça, o fabricante tem mais é que socar o preço lá em cima, afinal, pra que ele vai fazer um esforço de Engenharia de Produção para ter economia de escala se os compradores trouxas aceitam dar lucro astronômico a eles com volumes pequenos?

    Como sempre, a culpa é do governo e do povo também. Votar nesse ou naquele partido não fará diferença (afinal, nenhum deles teve plano de desenvolvimento nacional).

    Quanto ao FGTS, imagine que, da noite pro dia, o governo baixasse um decreto extinguindo-o. O seu patrão aumentaria o seu salário? Não, simplesmente colocaria o seu FGTS no bolso dele. Afinal, qual empresário não pensa em tirar o máximo e pagar o mínimo para o empregado? É por isso que leis trabalhistas sempre existiram e sempre existirão, pois é uma relação naturalmente desequilibrada.

    ResponderExcluir
  33. VCs esgotaram o assunto e não tem mais como opinar, mas vamos lá:

    Alta carga de impostos em cascata
    Fabricantes internacionais vorazes
    Mercado arrebanhado
    Ainda é o sonho da maioria
    Financiamento a juros elevados
    Qualidade discutível do produto

    ResponderExcluir
  34. É muito fácil dizer que a culpa é do governo, mas a verdade é que o povo brasileiro é pouco inteligente e está acostumado com essas porcarias de carro, acham que Gol e Celta são uma maravilha, compram um desses 0km e já pensam que subiram na vida.

    O Brasil não exporta os carros daqui simplesmente porque não vale a pena! Qual o outro País que ia comprar essas porcarias e pagar esse preço absurdo? Só o povo brasileiro.

    Porque as montadoras aqui nem sentiram a crise economica? Porque o povo brasileiro não tem espirito empreendedor, não há competição, nem em mão de obra, nem em peças ou produtos, esse é o grande problema.

    ResponderExcluir
  35. As fábricas sempre venderam o peixe de que os carros no Brasil custam caro por conta dos impostos; muita gente comprou o peixe, inclusive o articulista.

    Não sou dono da verdade, mas queria levantar alguns pontos:

    a) Comparar os preços dos carros dos EUA com qualquer outro mercado é covardia. Na Europa, por exemplo, os preços são muito mais altos.

    b) Estamos em um momento de dólar fraco e real apreciado, situação que pode ou não perdurar. lembrem-se, por exemplo, que em 2002 o dólar chegou a ser cotado a quase R$4,00.

    c) Como disse o Rafael P lá em cima, os carros são vendidos por um preço que os consumidores aceitam pagar. Como existe a "lenda urbana" de que o único culpado pelo alto preço dos carros brasileiros é a tributação, os fabricantes pintam e bordam, tudo em busca de maximizar suas margens d elucro. Exemplos práticos:

    c1) Ford Fusion: semelhante em porte, equipamentos e preços (tantos nos EUA quanto no Brasil)ao Chevy Malibu. Detalhe: o Fusion é mexicano e por isso não paga os 35% de imposto de importação que o Malibu paga. Como explicar isso? Ou será que a GMB vende o Malibu com prejuízo?

    c2) Ainda o Ford Fusion: quando foi lançado, custava uns R$80 mil, com dólar a R$2,20. O dólar chegou abaixo de R$1,70, hoje está wem R$1,80 e o preço do Fusion jamais baixou.

    c3) Hondas e Toyotas em geral, vendidos a preços exorbitantes que os (otários) apreciadores dessas marcas aceita pagar. Isso explica Civic Si a R$100 mil e Toyota Corola 2.0 a R$90 mil, mais caros que o Hyundai Azera (motor V6, carroceria full size, completamente equipado de fábrica e pagando 35% de imposto de importação).

    c4) O que explica um Chevy Prisma (mero facelift do Chevy Corsa Clasic) custar tão mais caro? Não se trata de imposto, mas sim a ganância da GMB aliada a consumidores trouxas.

    c5) Citroen C4 Pallas 2.0, há dois anos, custava R$55 mil. Hoje, por esse preço, o que se compra é o C4 hatch 1.6. O que mudou em dois anos para explicar isso?

    c6) Como explicar um projeto novo e que ainda não teve amortização do investimento como o Renault Logan com 4 portas e motor de 16 válvulas por R$27 mil, mesmo preço do velho Chevy Classic e pouca coisa mais caro que jurássicos Gols "old generation", Kas e Unos de 2 portas e motor 8 válvulas???

    Finalizando: brasileiro financia o carro sem se preocupar com custos ou juros: apenas vê se a prestação cabe no bolso. Brasileiro aceita pagar R$40 mil por um 1.0 equipado (R$25 mil o carro e R$15 mil nos acessórios). As fábricas buscam apenas ganhar dinheiro investindo o mínimo e tendo o menor risco possível. Para isso, em muito ajuda culpar exclusivamente o governo e os impostos pelo atual estado de coisas. Que venham os chineses e que joguem os preços no chão!!!

    ResponderExcluir
  36. Chocante e revoltante. A carga tributária e o inchasso do governo é um dos motivos para eu retaliar tudo o que está aí e votar pra mudar.

    ResponderExcluir
  37. Algumas observações:
    - as fotos do interior de cada carro são de chorar
    - os comentários do homem-baile são bastante pertinentes
    - texto do MAO excelente, como de costume

    ResponderExcluir
  38. MAO

    Eu concordo com um dos comentários, mais do que todos. É a lei da oferta e procura clássica. Enquanto o povo pagar por um absurdo como um Celta, ou um Gol pelados, os preços não cairão. Isso é óbvio quando vemos o que está acontecendo no mercado de carros mais sofisticados. O consumidor não aceita pagar mais por um Vectra e prefere um Hyundai que oferece mais pelo mesmo preço. Mas tem a contra-mão disso tambem pois os preços dos coreanos ja está aumentando pela alta procura por esses carros nas lojas. Mas isso tambem é reflexo de muitos anos de pouca concorrencia, onde as 4 grandes se esbaldavam com o mercado brasileiro. Pra mim isto ja está mudando graças a variedade de marcas aqui presentes nos brindando com varias opções no mercado. Enfim, viva a concorrencia! Os preços vão cair, é só esperar pra ver...

    ResponderExcluir
  39. Acalmem-se, agora a nova "presidenta" (tá na moda aparecerem presidentas) da GM deve fazer uma "limpeza" geral na linha brasileira da empresa....vai começar mandando tirar os espelhos no lado direito, voltar o motor antigo do Monza, vai lançar caminhões...enfim vai arrebentar a boca do balão...os fãs da marca podem esperar grandes modificações e tb um GRANDE aumento nos preços dos carros pelados....a filial tem q andar sózinha pq não virá mais grana da matriz...tem é q mandar o dinheiro lá prá cima....(será que volta o Opala reestilizado e a linha de refrigeradores da Frigidaire ????)

    ResponderExcluir
  40. A todos:

    Só pra fazer uma brincadeira com números para comprovar o que eu e o homem baile dissemos.

    Honda City LX automático no México = $ 229.000,00 = BRL 31.651,20.

    Honda City LX automático no BR = BRL 61.300,00.

    Segundo a Anfavea: Quantidade de Impostos no preço do City = 30,2%.
    Valor do City no Brasil sem impostos = BRL 42.787,40.

    Impostos no México = 20%. Ou seja, preço do Honda City sem impostos no México = R$ 25.320,96.


    A diferença é o que a Honda tem de margem a mais vendendo o carro no Brasil... Os R$ 25.320 do preço do carro sem impostos no México já contem a margem de lucro da Honda e os custos logísticos.

    Ou seja, a Honda do Brasil lucra BRL 17.466,44 a mais (fora os impostos) vendendo o City para um cidadão Brasileiro do que para um Mexicano.

    Ou seja, só falta usarmos o nariz de palhaço...

    ResponderExcluir
  41. Gente, qual o objetivo de qualquer empresa? Seja a doceria da tiazinha na Freguesia do Ó ou da Volkswagen, Fiat ou GM? É o lucro! E quanto mais melhor! Sorte de todas as empresas que vendem carro aqui que lucram com o minimo esforço, azar o nosso nessa terra de cegos e burros que aceita-se o preço e o produto ruim que se vende. Mas a verdade incomensuravel do capitalismo não vai mudar e eu sinceramente espero que não mude, pois graças a isso temos a concorrencia que traz evolução. Eu espero sim que a educação do povo melhore ao ponto de saber escolher e querer o melhor por um preço justo, seja um produto, seja um politico...

    ResponderExcluir
  42. Brenno Metzker19/08/10 20:27

    Como disse o Rafael anteriormente e o MAO também, a culpa não é so dos impostos, é do que recebemos em troca. O que é quase nada, despreparo, infra-estrutura comprometida em todos os sentidos. Mas algo que me deixa bestificado e me coloca nesse hall, é no daqueles que pagam o que a indústria pede. E quem pode parar de nçao pagar. Vejo em alguns fóruns discussões sobre os carros niponicos e seus preços abusivos, e sobre aquele lance de pararmos de comprar carros e afins e seus preços irão baixar. Quem pode parar de andar de carro (no Brasil do jeito que está, fique a vontade). Enfim, temos em média 30% de carga tributaria sobre os carros, pós venda ridiculos com a tecnica do empurrometro nas revisões, ou seja, que o consumidor se dane. Pagamos caro por um produto de baixa qualidade. Talvez não para uns, mas para quem nos vê de fora, sim, é um produto de baixissima qualidade e péssimo acabamento na maioria das vezes.
    Por fim, algo que digo TODA vez que o MAO escreve algo por aqui, Obrigado!

    ResponderExcluir
  43. Katiucia Kalinka19/08/10 20:49

    É para ficar imaginando que tipo de consumidor compra um automóvel da GM hoje.

    Toda uma linha de produtos anacrônica, desatualizada... O que eles têm de melhor a oferecer (Captiva, Malibu e logo o Camaro) em nada atende as reais necessidades do mercado.

    É realmente muito triste ver a queda de um símbolo que representava o que havia de melhor em automóvel, hoje desprezada na vala comum dos automóveis esquecíveis.

    Espero que a GM volte logo a fabricar carros de verdade e não Celtas, Prismas, Agiles e Vectras. Do jeito que está, não dá.

    ResponderExcluir
  44. MAO,

    Ótimo texto, no quesito polêmica com a ajuda dos também ótimos comentários, NOTAAA DEEEZ!
    Polêmica saudável, assunto em pauta, eleições e talz...

    Estamos pagando ágio para tudo, no momento até em imóveis, se for novo então, F U * * * !!!

    Então, EU, simplesmente vou parar de consumir bens duráveis enquanto os meus durarem ou a situação melhorar... e pra bens não-duráveis, que o abuso percentualmente consegue ser ainda pior, E-BAY!!!
    Os eletrônicos são um ótimo exemplo, vejam como caíram os preços de notebooks e televisores e ainda vai cair mais!!!
    Eu tô cansado! vou guardar ou investir "meu rico dinheirinho"...
    Até pouco tempo estava pensando em investir em imóvel, o tempo passou e agora não é mais negócio. Antes disso eu já queria trocar o carro, não troquei porque eu queria investir em imóvel. Comprar carro agora? A tentação existe, mas eu sou mais forte, não sou trouxa e aliás, gostaria que a nossa conversa aqui fosse lida no Domingão do Faustão e outros programas do tipo... ahahaha
    Finalizando, apesar de concordar em praticamente tudo o que foi dito aqui, eu continuo achando o Malibu traseira by Sulam, ridículo!!! É MAO, cada um tem a sua... a minha é esta, desculpe se não entendi a sua desta vez. Tô falando de opinião heim... ahahaha
    Abs

    ResponderExcluir
  45. Anônimo das 19/08/10 20:25.

    Eu concordo que as empresas precisam ter lucro... Acho que é para isso que elas servem.

    Sem entrar em nenhuma discussão política, um governador eleito em 2002 tirou o incentivo fiscal da fábrica da Ford no RS e por isso ela foi para Camaçari-BA.

    O que foi falado por ele na época e por vários outros economistas é que o tanto q ele ia gastar com incentivos fiscais seria muito mais do que dar USD 100.000 para cada família empregada (direta ou indiretamente) na fábrica pelos próximos 10 anos...

    Ou seja, nós pagamos impostos (altos)para que o governo dê incentivos fiscais para empresas de forma que os benefícios que elas geram (salários injetados na economia) são menores do que os incentivos que o governo deu a elas...

    É.. Se eu tenho que pagar plano de saúde particular, educação e segurança particular... Fora os impostos, eu não fico nada feliz em saber que empresas com uma margem de lucro absurda não precisam pagar iptu, inss, etc.. etc.. etc.. E ainda tem direito a taxa de juros subsidiadas...

    E o mais legal é que qdo o mercado sofre qualquer marolinha, vão 10 presidentes de indústriais automobilísticas sentar na frente do governo com o pires na mão pedindo corte de impostos e etc...

    Como eu escrevi lá em cima... Só nos falta o nariz de palhaço mesmo...

    ResponderExcluir
  46. Creio que as preferencias desmedidas, tão comuns em nosso mercado, contribuem em muito para a alta dos preços. Usarei como exemplo o Corolla. Sempre achei o carro muito caro pelo que oferece, em especial essa nova geração, mas nunca havia andado nela. Pois bem. Passei a última semana com um GLI 2010 com 1000 km e... que decepção. Como disse um colega acima, tem como comparar Corolla com Azera? Tem Azera 0 km a 72 paus, mais barato que a maioria das versões do Corolla! Ah, não gosta de coreanos? Então tem o Fusion, também muito superior ao Toyota somente um pouco mais caro!
    Mais uma vez: não entendi como um carro tão mediano consegue tanto sucesso. Acho que é porque foi convencionado que ele é carrão...

    Abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  47. Ótimo post!
    Temos 1/3 do nosso salário retirado em folha de pagamento para pagar impostos, e depois pagamos um absurdo de impostos para comprar um carro!
    Só conseguiremos mudar isso exigindo respeito dos políticos.
    Só voto em quem é ficha limpa e vai tentar mudar essa situação para nós.

    ResponderExcluir
  48. É Fabio, também concordo com voce.
    Esse Malibu é mais feio que bater na mãe. Pior que já o dirigi enquanto morei nos USA, e tudo que tenho a dizer é: motor até legal, mas comportamento dinâmico tosco. A míseros 160km/h o troço ficava trocando de faixa sozinho, um terror.

    E agora a GM quer me enganar dizendo que vai retomar a importação do Omega. Sei, estou esperando sentado até agora. Esse sim é carro de verdade.

    Quanto a não comprar carro, é fácil. Ninguém falou em ficar sem carro, é só manter os carros que voce tem bem cuidados, e pronto. Meu carro 98 está impecável, melhor que muito carro 0km por aí. Carro bem cuidado não estraga nunca, e o melhor, custa muito menos do que consertar um carro bagaçado ou comprar carro novo (além de andar mais, etc etc etc...)

    Por isso que sempre enalteço a década de 90. Época em que a indústria nacional fabricava carros de verdade.

    ResponderExcluir
  49. Bussoranga, a que geração de Malibu está se referindo? De 1997 a 2003, tivemos um de projeto totalmente americano (plataforma N), sendo seu sucessor já sobre plataforma mundial (Epsilon de entre-eixos curto, 2,70 m) feito de 2004 a 2007 e este mais recente e importado ao Brasil, que usa a plataforma Epsilon de entre-eixos longo (2,85 m). Em breve, teremos a nova geração do Malibu, que usará a plataforma Epsilon II de entre-eixos curto (a mesma do Opel Insignia, com 2,73 m de entre-eixos).

    ResponderExcluir
  50. A todos que falaram do Corolla.

    É incrível a pose de quem anda num desses. É de não acreditar como um carro que em qualquer outro lugar do MUNDO é apenas um carro comum tenha tal status no lizarB.
    Com o Civic é a mesma coisa, só muda a faixa etária quase sempre mais jovem.

    ResponderExcluir
  51. Joel Gayeski

    Há dois Corollas na garagem de casa. E não somos uma família de posers, gostamos de fotos espontâneas.

    Paulo Keller também anda de Corolla e nunca o vi fazendo poses. Ao contrário, os outros é que fazem poses para as lentes de suas câmeras.

    FB

    ResponderExcluir
  52. Arthur Jacon20/08/10 11:22

    Amigos entusiastas,

    Escrevi sobre o tema no Best Cars. Falo, no texto, da omissão governamental no controle dos lucros auferidos pelos fabricantes. Eis o endereço: www2.uol.com.br/bestcars/colunas3/q328-precos-altos.htm.

    ResponderExcluir
  53. Isso é facil de se resolver,só boicotarmos as eleições,não votarmos em ninguém e conscientizar as pessoas disso...

    ResponderExcluir
  54. Bitu

    Eu não disse TODOS.
    E outra, longe de mim não gostar de Corolla.
    Falta o hatch... mas conhecendo a política da Toyota, quando vier será caaaaaro.

    ResponderExcluir
  55. Parabens Bitu, voce eh minoria.

    ResponderExcluir
  56. Bera silva20/08/10 15:04

    Sr. Arthur Jacon, o senhor precisa ler o Livro das Seis Lições de Ludwig von Mises disponível gratuitamente em: http://www.mises.org.br/

    Bussoranga: Concordo quando dizes que os preços são altos e o produto ruim porque o otário do consumidor paga por eles. Concordo quando dizes que é melhor (no estado atual das coisas) conservar o carro usado ao invés de adquirir um novo (ou semi-novo). Mas não concordo com o parágrafo do FGTS. Cuidado pra não cair no conceito de mais-valia INVENTADO pelo fdp do Marx. Lembre-se que para o patrão, o que entra nas contas é o custo total do empregado e não o que o empregado põe no bolso. Se o FGTS (ou qualquer outro encargo) fosse extinto, o empregador teria mais recursos para investir em qualquer coisa, máquinas, maior sálario, mais empregados (mesmo que sem aumento de salário). Mesmo que na "pior" das hipóteses o patrão embolsasse a grana, ainda sim iria fazer um investimento melhor que o gov. A pergunta a fazer é está: o recurso (dinheiro) estaria melhor nas mãos de quem: empregador ou gov?

    ResponderExcluir
  57. Bera Silva20/08/10 15:17

    Obs.: infelizmente, no Brasil e também no mundo, não existe um lugar que seja capitalista / liberal. O que nós chamamos hoje de capitalismo é na verdade socialismo em seus diversos graus que variam conforme a intromissão do Estado em nossas vidas. Então muito do que é apontado como "erros do capitalismo" são na verdade erros do socialismo. Outro erro freqüente é restringir o socialismo ao nível econômico. O socialismo abrange TODOS os aspectos da vida do homem, inclusive e principalmente os particulares.

    ResponderExcluir
  58. TOMEMOS CUIDADO COM ESTA HISTÓRIA DE ANULAR VOTO PARA PROTESTAR!

    VOTO NULO NÃO CONTA E DESTA FORMA A GUERRILHEIRA ALCANÇARÁ OS 50% AINDA NO 1º TURNO COM MAIS FACILIDADE, É MELHOR VOTARMOS NO MENOS PIOR!

    ResponderExcluir
  59. O pessoal põe até FGTS na jogada.

    Gente, cuidado com determinadas opiniões fundadas em experiências pessoais apenas, lembrem-se que o Brasil é grande e quase ninguém tem acesso à escola básica, cultura financeira ou seja qual for além da "cultura" da TV...

    Quem critica demais o governo e as ações dele (seja lá qual for, não estou falando do atual), é pq está com a vida tranquila, sabe se cuidar e ao menos um emprego básico tem.

    ResponderExcluir
  60. Para ver como as concessionárias só pensam em lucrar, é só ver o preço das peças de reposição na concessionária e comparar com as do mercado paralelo. Claro que em alguns casos a qualidade conta, mas em muitos outros não... Sem contar o boicote a peças para carros mais antigos que já sairam de linha.

    Exemplos:
    uma balança da suspensão com buxa da Axios que na concessionaria custa mais de R$400,00 e uma bandeja da suspensão da Cofap com as mesmas buxas da Axios e que custa R$60,00.

    Escapamento traseiro que na Concessionaria custa quase R$ 1.000,00 e de outras marcas que custa menos de R$100,00.

    Catalisador que na concessionaria custa mais de R$ 3.000,00 e de outras marcas conhecidas, ex: Scapex, custa menos de R$600,00.

    É ou não é um verdadeiro assalto?

    ResponderExcluir
  61. Tem muito dono de empresa que paga mixaria para os funcionarios e poe a culpa no governo...

    Ficou fácil agora só culpar o governo, sei que é difícil mas o brasileiro também precisa de um pouco de patriotismo.

    ResponderExcluir
  62. Arthur Jacon20/08/10 16:42

    Senhor Bera Silva,

    Sou adepto da escola Keynesiana. Creio que não conseguirei convencê-lo da insuficiência do modelo liberal pregado pelos monetaristas - e nem tenho a pretensão de fazê-lo.

    ResponderExcluir
  63. Pra mim isso eh muito, mas muito simples... Eh soh naum comprar carro 0km... Eu tenho um Fit Ex 2005, meu proximo carro, daqui uns 3 anos sera um Focus Ghia Hatch Mt 2008.

    P.s: Desculpem a falta de acentuaçao

    ResponderExcluir
  64. Bom ... Eu acabei de comprar um novo UNO 1.4 fiquei muito feliz com a conquista visto que foi meu primeiro carro ... por acaso entrei no site da Chevrolet americana e vi que pelo preço que eu paguei + uns 6000 reais eu comprava um camaro 0km nos EUA...

    Desculpem os palavrões agora $%#@!&#@#¨@%#

    Aqui se paga muito caro ... espero que no futuro isso mude, se não mudar eu me mudo !
    Abçs!

    ResponderExcluir
  65. A carga tributária no Brasil é alta, mas, lembro que estamos mudando de um processo totalmente liberal, onde o mercado fazia o planejamento a longo prazo (isso funcionou para algum pais?) e agora o governo está cuidando disso. Quem sabe em 40 anos teremos o pais que sonhamos agora, pois, não teremos mais os velhos políticos.

    Temos dar graças a Deus que trabalhamos num pais onde temos leis que assegurem o emprego temos seguro desemprego, fundo de garantia que são ferramentas para manterem o emprego. Isso torna a produção mais cara, acho que não. Não dá para concorrer com a China e nem devemos nos comparar a ela, tendo em vista que as leis trabalhistas lá praticamente não existem.

    Se formos nos comparar a algo, comparemo-nos a países em que há todas estas garantias de emprego.

    Sobre os preços de carros, não existe lei limitando o lucro das fábricas neste pais.

    Discordo em plenitude com este post.

    Sds,

    Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  66. Garantia de emprego???

    O problema está aí!!! O brasileiro em geral procura EMPREGO, não procura TRABALHO!

    ResponderExcluir
  67. O consumidor brasileiro é ávido de consumir assim como americano, sem a grana deles, claro. Lembram o que aconteceu com o papo furado de redução de IPI? Vendem tudo o que produzem pelo preço que querem, e quando a coisa aperta tiram uma migalha de sua margem e tudo volta ao normal.A questão é cultural, além da demanda reprimida.
    O automovel é sonho de consumo n°1 do brasileiro, apesar do país possuir um transporte público ineficiente, acima de tudo para o brasileiro ter uma carro é uma necessidade pessoal. As fábricas agradecem.

    ResponderExcluir
  68. Fabio,

    Na China tem trabahlo para todos....

    Sds,

    Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  69. Cristiano Zank, o que está esperando? Vai pra lá trabalhar a baixo de xicotadas e comentar no blog www.chinanacaneca.ch

    ResponderExcluir
  70. Ao anônimo que comprou um Uno.

    Parabéns, reclama que é caro mas alimentou o monstro.

    ResponderExcluir
  71. Anônimo das 19:35. Estou bem empregado com todas as garantias e trabalho muito, mas muito mesmo de segunda a sexta. Se for demitido devio a uma crise na empresa, terei as garantias mínimas para manter minha familia até consguir outro emprego. Se não tem dignidade de se apresentar, pode me procurar na internet que irá encontrar meu nome e ver que sou uma pessoa. Inclusive, não tenho homonimos no pais.
    Não quero trabalhar na China, quero trabalhar na minha pátria e para o crescimento dela.
    Sds,
    Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  72. O post é ótimo como sempre, o assunto é delicado e complexo, praticamente todas as variáveis foram colocadas.

    Alguns desesperados vieram fazer campanha política sem agregar nada, mas e daí?
    O que o "povo" irá fazer pra mudar isso que estamos vendo?

    Alguém aqui deixará de comprar/trocar o carro por um 0km se a paixão por ele for absurda ou se a patroa exigir? (e couber no bolso, claro)

    Tenho meus carros antigos e "velhos" para o dia-a-dia, mantenho-os impecáveis (mecânicamente falando), tenho orgulho de poder sair de vez em quando queimar uma gasolina sem dor na consciência, mesmo que meus vizinhos não fiquem com inveja, que as pessoas não babem por eles.

    E mesmo sendo excentrico assim, minha esposa foi lá um dia e trocou de carro (sem necessidade) e pegou o Idea que ela tanto queria...

    Ou seja, nós falamos, mas quem vai agir, se nem santo de casa faz milagres?

    AB

    ResponderExcluir
  73. Esse país nunca vai melhorar, porque mesmo que esses políticos podres que temos atualmente não estiverem mais aqui, tem os herdeiros por trás deles dando continuidade por mais alguns milhares de anos!
    O povo também tem sua culpa por não fazer nada diante das palhaçadas que passam bem na sua frente.
    Mas não adianta nada termos o direito (ou obrigação) de votar, se quem realmente manda nesse país, não somos nós que escolhemos!

    ResponderExcluir
  74. Esse assunto é muito complexo mesmo, envolve a situação política atual, que não tem competência suficiente para equilibrar as contas públicas forçando a redução gradativa dos malditos impostos, o crédito é farto e fácil, com isso o povo tem acesso ao carro de uma forma nunca vista há um bom tempo atrás, por tabela as vendas são altas, os lucros acompanham de carona e são cada vez mais altos, haja vista a qualidade e os preços dos carros populares fabricados por aqui faz a gente pensar que paga-se MUITO e leva-se cada vez MENOS.

    Uma coisa eu já observo há um bom tempo, os modelos mais antigos são mais bem equipados do que os novos, até o tecido dos bancos de um Corsa C modelo 2002 é bem mais robusto do que um modelo 2010, esse mais parece ser feito de pano de guarda-chuva.

    Abç.

    FONTÃO

    ResponderExcluir
  75. Muito bom post! Pontualmente gostei bastante, já conhecia o assunto, e serviu para refletir novamente sobre qual é minha parte nisso!
    Então, como não podemos resolver o problema sem tratar a causa, eu acho que a maior parte absoluta da "causa" (culpa, neste contexto) é nossa! Dos cidadãos Brasileiros. Pois somos eu e você os governantes do nosso País! Ao menos deveria ser assim, apenas REPRESENTADOS por algumas pessoas, as quais estão mais qualificadas em competências específicas, nas diversas áreas de governo dando ideias e executando ações para o avanço e crescimento do País! Ideias e ações previamente aprovadas por nós. Somos nós que determinamos o quê, como, quando, quanto e onde queremos! E só então, nossos REPRESENTANTES devem executar as ações. Obviamente, quando os elegemos, damos a eles o “poder” para planejar, criar, executar, decidir, etc. E, por meio das competências, idoneidade, sabedoria, entre várias outras qualidades, eles nos dirigem.
    E desta forma nosso país caminha, crescendo ou não, satisfazendo ou não, frutificando ou não!
    Fomos nós que deixamos o setor automobilístico chegar a esse ponto! Afinal, SOMOS NÓS os consumidores, EU E VOCÊ compramos, EU E VOCÊ usamos, EU E VOCÊ dizemos as montadoras como queremos o produto e quanto estamos dispostos a pagar por ele!
    “Ah, quer dizer então que eu devo simplesmente deixar de comprar um carro e andar a pé?” NÃO! Agora é tarde! As eleições já acabaram filhão! Vamos ter que engolir tudo o que nossos governantes determinarem, até as próximas eleições! Ou os tiramos de lá, ou nos calamos e continuamos comprando “Prismas” por “Malibus”!!!

    ResponderExcluir
  76. Um Absurdo! Não temos um governo de pulso forte para mudar essa triste história, estaremos sempre atras de tudo... infelizmente.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.