CARRO PRA QUEM GOSTA DE CARRO E EU CONTRA EU MESMO

Rapidinha...
Acabei de assistir o novo comercial de TV do Ford Focus que termina com a frase "Ford Focus, o carro para quem gosta de carro". Essa propaganda completa a outra que está nas revistas mostrando que o Focus é o modelo que mais ganha comparativos nas revistas.
Tenho a impressão que nem com essas propagandas as vendas do Focus aumentarão.
Hoje visitei alguns concessionários e surgiu o assunto de carros usados. Eles me disseram que na venda de um carro zero com um carro usado na troca se esse usado não for flex o preço pago por ele é muito baixo. Na hora me lembrei do Focus.
Incrível como para um carro vender bem não basta ser bom, mesmo com o atestado de todas as revistas especializadas. Também não adianta ter uma plataforma moderna, ou uma vasta lista de equipamentos, ou um preço competitivo. O mercado é cruel. Espero que a Ford lance a versão flex o quanto antes para que possamos ver mais Focus nas ruas.
Por outro lado, os entusiastas terão Focus usados com bons preços nos próximos anos.
Outra...
...que me deixou um tanto perpléxo foi a Autoesporte de novembro. Na edição de assinantes existe uma sobrecapa por cima da capa. As duas são quase iguais. A capa original dá destaque para o "novo" Fox e um comparativo com Agile, Sandero e Punto com uma foto pequena desses três modelos e uma grande do Fox. Já na sobrecapa, que tem o mesmo layout da original, a pequena foto dos concorrentes do Fox foi suprimida e a chamada é "Novo Fox supera novo Fox".
Mais acima está uma indicação "sobrecapa publicitária". Nunca vi isso antes!
E o que mais me irrita em comparativos em geral são as notas. Nesse caso específico a média do Fox foi 8,4 e a dos outros três foi 8,3, 8,2 e 8,1. Ou seja, empate técnico!

39 comentários :

  1. Clésio Luiz27/10/09 22:27

    Esse comparativo não deveria conter o Punto, na minha opinião. O Fiat é direcionado para outra faixa de compradores. Os outros três tem apelo no espaço interno. O Punto na estética e tecnologia. Se fosse para colocar um carro da Fiat, que colocasse o Idea...

    ResponderExcluir
  2. Será que eu sou o único que prefere um carro monocombustivel a um bicombustivel? Alguem ja comparou os prazos de manutenção de um mesmo carro a gasolina e um flex?
    Por exemplo: troca do filtro de combustivel que é a cada 80.000km em um motor a gasolina, é de 15.000km em um flex, velas que é cada 40.000km em um motor a gasolina é de 20.000km em um flex... e por ai vai.
    Será que compensa ter um carro que consome mais com qualquer um dos combustiveis e que dá mais manutenção só para ter a liberdade de escolhere entre qualquer um do dois combustiveis?

    Pra mim não vale a pena.

    ResponderExcluir
  3. Clésio, na matéria eles explicam o motivo do Punto estar lá. A Fiat reposicionou o preço do Punto e o trouxe para faixa dos 40 mil reais, a mesma dos outros. Além do mais o Punto é mais alto que o Agile, mais estreito que o Sandero e tem o motor 1.4 (1,368 l) menos potente entre eles.

    PK

    ResponderExcluir
  4. Anderson,

    A única explicação é que a "massa" prefere achar que está levando vantagem em tudo. É mais ou menos que nem fila. Se tem alguma movimentação em torno de uma fila quase todo mundo já entra na fila só pela possibilidade de ficar pra trás. Depois é que perguntam pra que é a fila.

    PK

    ResponderExcluir
  5. PK, é de dar nos nervos esses rankings criados pela nossa mídia. Deveriam fazer uma análise dos carros separadamente e um veredito dizendo como os carros se saem em comparação aos outros, ressaltando os pontos positivos de cada um.
    Mas preferem criar rakings, como se todo consumidor desse a mesma importância para cada ítem que a revista dá.

    ResponderExcluir
  6. Anderson, temos que dar um "desconto" pois quando o pessoal pede um Flex, pelo menos em SP, está pedindo para rodar com alcool, e não pela flexibilidade. Portanto, temos que considerar que o desejo nacional de um Flex, pode ser traduzido em desejo por um carro alcool.

    Quanto a manutenção, no manual do meu Fiat consta os intervalos de troca para o Gasolina e o Flex. A troca de velas é aos 30mil em ambos. Filtro de combustivel, 15mil no Flex e 30 no alcool.
    Ainda não vi nada que desabonasse o fato de eu economizar cerca de 50% com combustível durante o ano e poder abandonar o fretado para ir estudar, 2x na semana em Campinas pois, mesmo com o pedágio ladrão de 24,40 para ir e voltar, gasto menos do que a passagem de ônibus.

    ResponderExcluir
  7. Caio, qualquer dia faço um post sobre como eu acho que deveriam ser os testes. Esses comparativos estão cada vez mais difíceis, pois hoje em dia não existe carro ruim.

    Quanto a Flex ou Etanol, não diria que o consumidor quer etanol ou flex, ele que gastar menos. Se etanol é mais barato, vai etanol mesmo.

    PK

    ResponderExcluir
  8. Carro Flex é supra-sumo da Lei de Gérson. Mas na verdade voce tem um motor que é como um pato: ele nada e anda, mas faz ambos meia boca.
    O Bob fez uma coluna no BCWS sobre como seria se os carros fossem só a álcool. Ai sím existiria uma grande vantagem.

    Concordo com o Caio. Quem tem carro flex mal põe gasolina nele aqui em SP.

    Abraços

    VD

    ResponderExcluir
  9. E se existissem carros que fossem puramente movidos a álcool, como seriam os prazos de manutenção?
    Tenho quase certeza de que seriam idênticos aos flexfuel, ou seja, os prazos de manuteção de carro a álcool são mesmo bem mais curtos.
    "To certo ou to errado"?

    ResponderExcluir
  10. Prezado Paulo, muito interessante sua consideração sobre o comparativo. Pessoalmente, duvido um pouco da imparcialidade desses testes onde a análise um tanto tendenciosa de certos critérios "objetivos" são mais relevantes do que a experiência subjetiva e não-mensurável ao volante de cada carro.

    ResponderExcluir
  11. PK

    Achei o comercial do Focus razoável, até a hora em que ele termina: falar que a namorada do dono do Focus é a mais bonita é um tanto infantil para mim, além de desconsiderar o público feminino.

    A Ford já teve campanhas melhores. Bem melhores.

    FB

    ResponderExcluir
  12. PK,

    "Esses comparativos estão cada vez mais difíceis, pois hoje em dia não existe carro ruim."
    Cara, sinto muito mas vou ter que discordar. O nivel medio dos carros em geral ta melhor, nao se espera que um carro comprado novo enferruje ou caia aos pedacos depois de alguns anos, mas isso nao significa que nao exista carro ruim. Posso te dizer por experiencia propria, depois de passar anos fora do Brasil, quando voltei ai pra visitar fiquei chocado com as "carrocas" que andam nas ruas brazucas. E pior ainda foi ver os precos cobrados por eles. Absurdo total. Mesmo os chamados carros "novos" estao geracoes atrasados, em design, em tecnologia, em quase tudo.
    Conclusao: tem carro ruim sim. A parte dificil pra midia "especializada" eh tentar filtrar o que de "menos ruim" tem disponivel. Talvez seja por isso que os comparativos acabam empatados, porque ninguem merece ganhar...

    ResponderExcluir
  13. Um carro bom por si só não faz venda, se ele virar flexível, não vai resolver muito. Veja o caso do Fiesta, mesmo quando era novidade nunca vendeu o que merece, e custa pouco pelo que oferece.

    ResponderExcluir
  14. Sobre o Focus, realmente é um carro espetacular e, provavelmente, se vier flex, suas vendas aumentarão.

    Primeiro, porque na hora de trocar valorizam mais e, a maioria, não fica mais de 3/4 anos com um carro.

    Infelizmente, com os preços dos carros neste país, não dá pra simplesmente jogar o carro fora e comprar outro. Quem compra um carro hoje, já pensa se será possível trocar por outro, sem perder muito, amanhã.

    Quanto ao Flex, acredito que não é a vontade do Brasileiro em querer ser Gérson, mas se resguardar da palhaçada que é nossa política de combustíveis.

    Explico, uns 4 anos atrás, tive uma Elba 1.3 álcool. Fazia 7/1 na cidade e cheguei a fazer 14/1 na estrada.

    Pois bem, naquela época, como hoje, o preço do açúcar disparou e os usineiros diminuíram a produção de álcool para se concentrar na de açúcar.

    O que aconteceu foi, que numa viagem ao litoral norte, na volta, com o tanque na reserva, simplesmente não achava álcool nos postos. Fui no cheiro até um posto em Bertioga e paguei quase R4 2,00 no litro do álcool, enquanto a gasolina estava perto dos 2 e alguma coisa.

    Hoje, com um Ka Flex 1.0, que rodando no álcool faz 10/1 na cidade e 11/1 na estrada, não passaria esse sufoco e, de quebra, faz no álcool o que minha Ipanema 1.8 fazia na gasolina e, praticamente, o que um Palio 1.0 a gasolina, que tive, fazia também.

    Não sou, totalmente, a favor do álcool como combustível (pouca autonomia, invasão da cana como monocultura, ...), mas também não sou a favor de pagar R$ 2,60 no litro da gasolina num país que se auto denomina suficiente, mas pratica no mercado interno preço internacional.

    O problema desse país não é só o povo que quer ser esperto, é o governo querer nos passar a perna.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Sim, mas é essa a questão. Temos um carro flex que dá mais manutenção e que consome mais.
    Será que o alcool é TÃO mais barato assim? Manutenção é peça, mão de obra, tempo e "mexânicos" despreparados mexendo no meu carro.... Logo existem mais variaveis envolvidas ai do que apenas o preço do alcool ou da gasolina.

    Os prazos de manutenção são menores nos carros flex do que nos motores a alcool, por mais que se queira, o motor flex não é tão bem "regulado".
    Comparem os prazos de manutenção de um Ka 1.6 a gasolina e um Ka 1.6 flex, é absurda a diferença. E vejam as médias de consumo e desempenho, absurdo também, a maior potência é só no papel mesmo porque o carro anda bem menos, a impressão que dá é que estão andando para trás e enganando os que se acham esperto e acham que tem um carro "potente".

    A pouco saiu uma materia nos jornais confirmando que os carros flex são mais poluentes quando rodam no alcool, vejam só o absurdo! Logo o alcool que é um combustivel mais limpo.

    ResponderExcluir
  17. Anderson, sim, o alcool é tão mais barato assim. Eu gastaria cerca de R$2000 A MAIS por ano para andar na gasolina. Não há filtro de combustível que cubra esse preço. Já disse a você, tenho um Fiat Flex e apenas o filtro de combustível deve ser trocado com metade da quilometragem. Um filtro de combustível custa R$20, no máximo. Não geral, não gasto uma virgula a mais em manutenção do que qualquer dono de Fiat Fire a Gasolina.

    Comparar desempenho e consumo de Ka Flex e Gasolina é picaretagem. O acerto do carro é outro. O Ka 1.6 tem um dos câmbios mais longos do mercado, o motor rocam foi fortemente modificado para extrair mais potência, foi de 95cv para 111cv e é bem dificil culpar a flexibilidade pela aparente piora que você cita.
    Eu, to entanto, não vi nenhum retrocesso quando o Familia I VHC virou Flex, nem quando o Fire 65cv ficou Flex, nem quanto o EA111 virou Flex.

    Cuidado com essa matéria de poluição. Ela não levou em conta o menor CO2 emitido. Além disso, o Mille é mais "verde" no Alcool do que na gasolina, mesmo SEM levar em conta o CO2. O mesmo vale para Fiesta 1.0 e 1.6, GM F2 2.0, GM 1.4, Honda 1,4, Peugeot 2.0, 1,4 e 1.6, Renault 1.0 e 1.6. Portanto, o que você leu no Jornal, está longe de ser uma regra.
    Ainda teríamos que levar em conta o saldo de CO2 do alcool, dado que a plantação desse combustível, segundo os orgãos governamentais, absorvem grande parte do CO2 liberado em sua queima.

    Desculpe a sinceridade, mas na sua fala sobra rancor e falta embasamento.

    Se quiser malhar os Flex, ainda lhe restam argumentos. Por exemplo a falta de exploração do pontencial do Alcool devido a taxa de compressão intermediária que piora o consumo, potência e poluição em ambos os combustíveis.
    Ou seja, na teoria, temos que um carro a Alcool com taxa de 14:1 ou + e um carro a gasolina nos seus 10:1, seriam mais eficientes do que um Flex. Agora, malhar o alcool do jeito que você faz como se ele fosse o motivo da desgraça da industria automotiva brasileira, não tem por onde.

    ResponderExcluir
  18. como sempre o Fox vence pelo conjunto kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  19. Caio, desculpe mas essa é minha opinião.
    Não respondi diretamente a você e nem vou te responder nada pois já vi que você se ofendeu.

    Continue feliz e economizando com seu Mille flex então.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  20. Anderson, certas coisas não são questões de opnião. Em minha sala a temperatura é de 21ºC e isso não é questão de opnião.
    Não estou ofendido, só ofereci fatos que acabam com todas as teses que você postou. Simples.

    ResponderExcluir
  21. "Anderson, sim, o alcool é tão mais barato assim. Eu gastaria cerca de R$2000 A MAIS por ano para andar na gasolina."

    Não sei de onde você tirou estes valores, mas você está calculando gasolina e alcool em um motor flex, se fosse comparado com um motor a gasolina este valor seria diferente.

    "Comparar desempenho e consumo de Ka Flex e Gasolina é picaretagem. O acerto do carro é outro."

    Sim, acertaram o carro para gastar mais e andar menos. Tudo isso porquê o mercado prefere o FLEX. Mas ainda tem gente que acredita que o motor foi melhorado e ficou melhor. Veja os testes em revistas.



    "Já disse a você, tenho um Fiat Flex e apenas o filtro de combustível deve ser trocado com metade da quilometragem. Um filtro de combustível custa R$20, no máximo. Não geral, não gasto uma virgula a mais em manutenção do que qualquer dono de Fiat Fire a Gasolina."

    Sim, isso em um manual que foi feito após o lançamento dos motores flex. Já disse a você que nos motores rocam a gasolina o prazo é bem maior do que nos motores flex, isso não é retrocesso?

    "Desculpe a sinceridade, mas na sua fala sobra rancor e falta embasamento."

    Não vou levar para o lado pessoal, nem sei porque estou discutindo com alguem "tão embasado"

    "Se quiser malhar os Flex, ainda lhe restam argumentos. Por exemplo a falta de exploração do pontencial do Alcool devido a taxa de compressão intermediária que piora o consumo, potência e poluição em ambos os combustíveis.
    Ou seja, na teoria, temos que um carro a Alcool com taxa de 14:1 ou + e um carro a gasolina nos seus 10:1, seriam mais eficientes do que um Flex."

    O pior cego é aquele que não quer enxergar....


    "Agora, malhar o alcool do jeito que você faz como se ele fosse o motivo da desgraça da industria automotiva brasileira, não tem por onde."

    Leia denovo e verá que não estou malhando o alcool, e sim essa moda de motores FLEX.

    Você compra um carro Flex para rodar só no alcool, então porque não compra um carro a alcool? Porque não tem? e porque não tem? porque o Flex já é bom né? Não precisamos mais de motores a alcool, o povo brasileiro é bem "embasado".

    ResponderExcluir
  22. "Cuidado com essa matéria de poluição. Ela não levou em conta o menor CO2 emitido."

    É, os testes INMETRO já não valem mais nada e soltar combustivel não queimado pelo escapamento não é poluição.

    ResponderExcluir
  23. O importante é ser feliz!

    ResponderExcluir
  24. Soltar combustível não queimado pelo escapamento não é nem nunca foi prova de que flexfuel é uma solução ruim.
    Só prova que o desenvolvimento DAQUELE modelo particular de motor flexfuel ficou ruim.
    Não se pode generalizar. Há muitos flexfuel com taxa 11,5:1 e alguns passaram dos 12:1. Estes sim são excelentes e com certeza ABSOLUTA poluem menos no álcool do que na gasolina.
    Muito cuidado ao interpretar as matérias e reportagens alardeados por aí. E não é todo motor que pode rodar com taxa 14:1.

    ResponderExcluir
  25. Soltar combustível não queimado pelo escapamento não é nem nunca foi prova de que flexfuel é uma solução ruim.
    Só prova que o desenvolvimento DAQUELE modelo particular de motor flexfuel ficou ruim.
    Não se pode generalizar. Há muitos flexfuel com taxa 11,5:1 e alguns passaram dos 12:1. Estes sim são excelentes e com certeza ABSOLUTA poluem menos no álcool do que na gasolina.
    Muito cuidado ao interpretar as matérias e reportagens alardeados por aí. E não é todo motor que pode rodar com taxa 14:1.

    ResponderExcluir
  26. Anderson e todos
    Existe um país que se destaca dos demais pela abundância absoluta de gasolina e etanol e que por isso mesmo não precisa de ter carros flex: Brasil.

    ResponderExcluir
  27. Concordo contigo Bob e por isso mesmo acho que os Flex, por piores que sejam ,ainda deixam o consumidor com alguma escolha.

    Se eu pego um carro somente a Gasolina, caio na mão da Petrobras que cobra um absurdo pelo litro da "alcoolina". Vamos comparar com os EUA que importam tudo que consomem e ainda, proporcionalmente, tem gasolina pura mais barata que aqui.

    Se compro um carro somente a álcool, fico na mão dos usineiros, que não possuem qualquer controle, subindo o litro do álcool ao sabor do vento quando resolvem produzir mais açúcar que álcool.

    Já que em qualquer das opções, ficamos na mão de alguém, ao menos no Flex, ainda que psicológicamente, eu tenho alguma escolha.

    Enquanto esse país não tiver uma política de combustíveis séria, prefiro eu ter a possibilidade de colocar o combustível que, financeiramente, seja o mais viável.

    Ao Anderson, a respeito se vale a pena a "maior" manutenção por conta do menor valor do álcool, dou exemplo próprio.

    Rodo cerca de 220 km por semana com o carro. Nos valores atuais em São Paulo, gasto R$ 30,00 por semana no álcool e R$ 50,00 se for rodar a gasolina (Já fiz a medição com os dois combustíveis, sem misturá-los).

    Por semana dá uma economia de R$ 20,00, que resulta numa economia mensal de R$ 80,00 e anual de R$ 960,00.

    Por maior que seja a manutenção, acredito que não gastarei R$ 960,00 por conta de usar álcool, comparando com o uso da gasolina.

    O filtro de combustível do Ka custa cerca de R$ 15,00 na concessionária e troco a cada 10.000 km, o que dá 1 por ano, pois rodo cerca de 12.000 km num ano sem muitas viagens.

    Bicos, bomba e velas também não tem uma substituição tão maior quanto se rodasse somente na gasolina.

    Assim, ao menos no meu caso, compensa bastante o veículo Flex e não um somente álcool, pois agora em Novembro o preço costuma subir bastante e, dependendo do local, a gasolina passa a se tornar mais vantajosa.

    Abraços

    ResponderExcluir
  28. Jonas Torres28/10/09 17:54

    Pelo preço que está ficando o álcool em São Paulo, vai ser a primeira vez na história deste país (hahaha) que um carro flex vai se justificar...

    ResponderExcluir
  29. "Não sei de onde você tirou estes valores, mas você está calculando gasolina e alcool em um motor flex, se fosse comparado com um motor a gasolina este valor seria diferente."
    Não anderson, estou calculando a média de 13km/L que o Mille 55cv a gasolina fazia com os 10km/L que faço com o Flex com alcool.
    Rodo 30mil km por ano, isso dá uma diferença de 2169 em combustível.

    "Sim, acertaram o carro para gastar mais e andar menos. Tudo isso porquê o mercado prefere o FLEX. Mas ainda tem gente que acredita que o motor foi melhorado e ficou melhor. Veja os testes em revistas. "

    Se a Ford piorou o Rocam Flex no Ka, problema é dela. O Fiesta 1.6 Flex anda MUITO mais do que o antigo de 95cv em qualquer faixa de rotação. E o consumo é excelente. Um amigo tem e faz 12km/L andando a 100-110 na bandeirantes.

    "Sim, isso em um manual que foi feito após o lançamento dos motores flex. Já disse a você que nos motores rocam a gasolina o prazo é bem maior do que nos motores flex, isso não é retrocesso?
    "
    Não anderson, os prazos de revisão que contém no meu manual são idênticos aos do Mille quando só tinha a versão a gasolina.
    Se no Rocam eles recomendavam trocar filtro de combustível a cada 80mil km e agora é a cada 10mil, isso realmente é um retrocesso. E causado pelo alcool, pois a flexibilidade do motor não tem culpa nisso. Idem para as velas. Se os prazos de manutenção foram reduzidos, isso é devido ao alcool e seu poder de corrosão. Portanto, provavelmente seriam iguais num monocombustivel a alcool.
    No caso das Velas, asseguro-lhe que o Mille tem o mesmo prazo do gasolina. Os outros nunca vi.

    "Você compra um carro Flex para rodar só no alcool, então porque não compra um carro a alcool? Porque não tem? e porque não tem? porque o Flex já é bom né? Não precisamos mais de motores a alcool, o povo brasileiro é bem "embasado"."
    O que eu posso fazer se as idústrias em suas pesquisas chegam a conclusão de que o Flex é melhor? Lancem um carro a alcool que quando eu for comprar outro, comprarei o monocombustível, caso ele traga vantagem de potência e consumo em relação ao Flex. Se algum dia alguma montadora quiser fazer alguma pesquisa, pode ter certeza que eu defenderei o modelo a alcool monocombustível, caso eles consigam com isso mais potência, economia e menor poluição. O que eu não vou fazer é comprar um modelo a Gasolina, gastar muito só por birra com os flex. Não cago dinheiro. Rodo cerca 600km por semana, portanto a economia que eu consigo é altamente relevante, ao contrário de quem roda pouco.
    O fato é que, como está, ainda que não seja o ideal, o Flex é mais vantajoso do que o gasolina para mim, que moro em são paulo. Prove o contrário que eu troco de carro no dia seguinte.

    "É, os testes INMETRO já não valem mais nada e soltar combustivel não queimado pelo escapamento não é poluição." Anderson, não estou dizendo que não valem nada, mas nessa nota verde foram excluídos os índices de CO2. Ele não conta?

    No mais, veja a quantidade que dei de exemplos dos Flex que poluem menos com alcool do que com gasolina, mesmo sem levar em conta o CO2, porque se levarmos a diferença fica ainda mais vantajosa para o Flex + Alcool.

    Como você mesmo disse, o pior cego é aquele que não quer ver.

    ResponderExcluir
  30. Aqui em Porto Alegre o alcool está custando em média R$2,00 e a gasolina R$2,70.

    ResponderExcluir
  31. Carro FLEX e bom pra paulista pq o álcool lá é muito barato.

    No Rio a diferença não é tão grande.

    E voltando à primeira parte do post, no Rio estão pipocando muitos Focus na rua. Eu mesmo abraçei um nessa semana. A promoção de 50% de entrada + 24 fixas sem juros está trazendo muita gente para a Ford.

    Felizmente a concorrência vira uma mera lembrança na cabeça do consumidor que faz o Test-Drive do Focus.

    Triste é saber que um GLX hatch manual aqui custa 54.000 enquanto a mesma versão no México (muito mais equipada, 4 airbags, xenon, etc) custa o equivalente a 29.000 reais.

    Mas pra fechar a tampa do caixão é só ver que o Focus RS turbo de 300hp custa 59.000 no México.

    Puta que los pariu nuestros hermanos!!

    ResponderExcluir
  32. Anderson, antes da bosta dos usineiros passarem a fazer acúcar, aqui o alcool custava 1,19 e a gasolina 2,6. Muita economia, portanto.

    Se aumentar mais o preço do alcool, que está a R$1,60, começo a usar gasolina. Esse aumento de 34% no preço do combustível está quebrando minhas pernas... Maldito governo, maldita falta de concorrência.

    ResponderExcluir
  33. É que o pré-sal vai salvar o Brasil!!!

    Até lá todos andarão em carros elétricos....

    McQueen

    ResponderExcluir
  34. Concordo plenamente que o Focus é um carro mal compreendido por muitos. Justamente por sempre ler que o carro é excelente, acima da média para o segmento, feito para os autoentusiastas e tal, acabei comprando um modelo usado, por preço bem atraente, com motor 1,8-litro a gasolina. Sem ABS, air bag e controle de tração, claro...

    Estou a apenas uma semana com o carro, mas gostei muito do Focus. Até o momento, para ficar perfeito e se adequar integralmente ao meu gosto pessoal, mudaria somente o seguinte:

    - direção com menor grau de assistência (para aumentar o peso em movimento, principalmente em estradas)

    - pedal de acelerador reposicionado, de forma a permitir o punta-tacco

    O que mais me agradou no carro foram:

    - escalonamento muito bom do câmbio manual

    - freio que permite modulação perfeita

    ResponderExcluir
  35. Vou falar pra vocês: tenho carro a álcool e troco o filtro de combustível a cada 5.000 Km.

    Isso mesmo, 5.000 Km, pois o álcool que é vendido hoje aparece com tudo o que tem direito: areia, bagaço de cana e outras porcariadas diversas.

    Outro problema grave do álcool é a adição de água, mesmo em postos "acima de qualquer suspeita": meu carro tem taxa de 13:1 e vez ou outra sofre com esse "aguálcool" que é vendido indiscriminadamente em toda grande São Paulo.

    Curiosamente em Piracicaba (onde também resido) o álcool custa mais caro, em torno de R$ 1,70, apesar de só ver cana pra tudo quanto é lado da cidade. Só que rende muito mais...

    FB

    FB

    ResponderExcluir
  36. Não estaria na hora de todo o álcool vendido ao consumidor final ser anidro, como é aquele misturado à gasolina? Melhoraria imediatamente o desempenho e o consumo de todos os carros, do Fiat 147 1979 "Cachacinha" ao último flex que sair da concessionária no momento em que você termina de ler esta frase.
    Poderia até ficar mais caro, mas o custo de redução de consumo e manutenção compensaria imediatamente.

    Já no caso dos carros a gasolina, não estaria na hora de o Brasil pensar no butanol como substituto direto (como comprova o site www.butanol.com, em que um Buick Park Avenue 1992 cruzou os EUA sem qualquer modificação e só usando butanol puro)? Butanol pode ser obtido das mesmas fontes do etanol e já está sendo pesquisado também pela British Petroleum. Fora isso, seu poder calorífico é próximo o suficiente para usá-lo como substituto direto e também em mistura com gasolina em maior proporção do que o limite de 25% atual.

    ResponderExcluir
  37. Eu trabalho no controle da frota de uma empresa aqui no Sul e pelo preço que está o alcool aqui realmente o Flex não compensa, até porque os Mille Flex da empresa gastam mais do que os somente a gasolina.
    Agora econômico mesmo é essa versão do Mille 2009, faz até 15km/l na cidade.

    Mas ainda assim nós estamos comprado os modelos Flex pois ficam melhores para converter para GNV.
    Agora se eu tivesse que comprar um carro pra mim usar, certamente seria um modelo a gasolina. Mas é claro que se o alcool aqui no sul fosse tão barato como é em São Paulo, certamente eu optaria por um Flex, tudo é questão de ponto de vista, que olha ai de São Paulo tem um visão diferente de quem olha aqui do Sul...
    Se não fosse a lei pétrea, certamente o Sul já estaria separado do resto do pais, não por ser melhor ou pior, mas porque existe muita diferença.

    ResponderExcluir
  38. Aqui na minha cidade Focus eh um dos carros mais procurados, a concecionaria bate recordes de venda do carro e cada dia se ve mais nas ruas... vejo aqui quase mais Focus do modelo novo do que Gols

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.