BMW 528i: MOTOR PEQUENO, POTÊNCIA DE SOBRA

BMW 528i: revolução ou evolução? Os dois.(foto: divulgação)

No console, logo à esquerda da pequena alavanca do câmbio automático Steptronic, há uma chave seletora. Ela lhe dá três opções – Eco, Comfort e Sport –, que, em vez de nomes, bem poderiam ser representadas por cores: verde, amarela e vermelha. A Eco, a verde, é para quando o motorista acordou calminho e está a fim de rodar mantendo leve sua consciência ecológica, apesar de estar se locomovendo com um sedã de luxo que pesa 1.655 kg, tem um entreeixos de 2.968 mm e leva cinco pessoas com espaço de sobra. Até para as malas, que dispõem de 520 litros de volume lá atrás.

Na verde, a suspensão vai macia, o acelerador vai lento em sua resposta e o câmbio troca marchas em giro bem baixo, algo em torno de duas mil e poucas rpm, caso você mantenha o pé direito sossegado. Ao tirarmos suavemente o pé do acelerador ele solta marchas como um manso automático das antigas. As trocas de marcha são suaves, praticamente imperceptíveis. Tudo segue tranqüilo, abaixo do normal, a não ser que se pise fundo no acelerador a ponto de sentirmos um clique na sola do pé, e aí é como se de estalo cravássemos a espora nas costelas de um cavalo fogoso que naquele momento vinha sonolento. Ele acorda e parte feito uma bala. Daí, tendo resolvido o problema, basta voltar a ser leve com o acelerador que o carro volta a sossegar. Esse é, obviamente, o modo econômico de se rodar. Com ele, viajando dentro da lei, se faz ao redor de 14 km/l. Na cidade, de 7 a 8 km/l. 


Design luxuoso sem espalhafatos (foto: divulgação)

O modo Comfort, o amarelo, intermediário, é o modo standard, no qual ele funciona caso não façamos nada ao ligarmos e saírmos. Com ele o acelerador é esperto e as trocas de marcha são feitas em giro mais alto; giro normal, digamos. O clique do final do curso do acelerador continua valendo. Cutucou, acha. Se, por exemplo, num ritmo de estrada de pista simples, aceleramos mais forte para uma ultrapassagem, ele, claro, reduz rápida e diretamente para uma, duas, ou até mais e mais marchas abaixo – tem oito delas – e acelera muito rápido; simplesmente não dá para acreditar que toda aquela massa está sendo acelerada daquele jeito por um motor de 2 litros e 4 cilindros. São 245 cv a 5.000 rpm e são 35,7 m·kgf de torque numa faixa plana que vai de 1.250 a 4.800 rpm. Isso mesmo, 100 % do torque já a partir das 1.250 rpm, o resultado de ter injeção direta no cilindro, além do variador da abertura de válvulas, conjugado com uma novidade no sistema de turbo, cuja turbina quente recebe os gases queimados de dois coletores de escape independentes, um para cada dois cilindros, que se alternam; fazendo com que haja um fluxo mais constante sobre a turbina, que tem dois caracóis em vez de um só,  o que a faz subir de giro mais rápido.

Olhos que olham e boca que pede (foto: Paulo Keller)

Caro leitor, por favor, pare um pouco para pensar: 35,7 m·kgf de torque vindos, desde baixo giro, de um 4-cilindros de 2 litros; era algo impensável até poucos anos, ainda mais num carro de rua feito para durar muito. E ele acelera rápido mesmo. Esse espaçoso e luxuoso sedã para cinco pessoas faz 0 a 100 km/h em 6,3 segundos. Tanto em São Paulo, a 800 metros acima do nível do mar, quanto no litoral.

Se, em seguida àquela tal ultrapassagem, tirarmos rápido o pé e frearmos para nos recolhermos de volta à nossa pista atrás de um veículo que vai mais lento, o câmbio entende e segura a marcha, e também reduz, se for o caso. Na verdade, esse câmbio Steptronic lê nosso pensamento; faz tudo certo, absolutamente certo, segura marcha quando é para segurar, numa curva, por exemplo, e sobe marcha quando é para subir. Raramente faz algo que não seja exatamente o que você deseja. Tão bom é que o esquecemos, já que passamos a contar com sua exatidão.


Uma viagenzinha noturna para experimentá-lo na estrada  (foto: Paulo Keller)

Já o modo Sport é o vermelho mesmo. A suspensão enrijece, o carro rola menos nas curvas, o acelerador fica bem nervoso e o câmbio muda radicalmente. As trocas de marcha são feitas em giro bem mais alto e o câmbio as segura com mais rigor, mesmo se tirarmos o pé do acelerador com suavidade. A 8a marcha não entra mais. Caso, na estrada, estejamos em Comfort e em 8a marcha, e mudemos para Sport, o câmbio reduz para a 7a. É com ela que ele vai à velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. No Sport, o carro parece que se alivia de uns trezentos quilogramas e está pronto para um racha dos bons.

Caso queira você mesmo mudar as marchas, leve a alavanca para a direita e, a partir daí, basta um toque para trás para subir marcha ou um para a frente para reduzir. Mas isso seria só para ter o prazer do comando, porque na prática não haverá ganho de desempenho.

Enquanto isso, toda a eletrônica de controles de estabilidade está trabalhando, cortando injeção para que não seja despejada potência acima da aderência dos pneus (Dunlop SportMaxx GT, 245/45R18 e 275/40R18, classsificação de velocidade W, Run Flat), freando rodas daqui e dali para corrigir um comportamento indesejável etc. Mas..., masss..., logo à frente desse tal seletor de modos no console, sobre o qual vínhamos falando, há um botãozinho, que, se o apertarmos por uns dez segundos, ou seja, se deixarmos bem clara a nossa intenção, ele se submete às nossas ordens e desliga esses fiscais do bom comportamento (menos o ABS). E a coisa fica do jeito que o diabo gosta. Um americano redneck de boné e mascando fumo, acostumado a fazer fumacentos zerinhos com Mustang V-8, não terá do que reclamar, pois aí a coisa liberou geral. Fica por sua conta e risco. Ótimo.

Provável visão dos outros motoristas (foto: Paulo Keller) 

Curiosamente, este 4-cilindros turbo é 10 kg mais pesado que o antigo 6-cilindros, isso por ter todo o peso adicional que o sistema do turbo exige, como as próprias turbinas, dutos, intercooler etc.

Os amantes do antigo 6-cilindros em linha, eu incluído, não poderão reclamar com objetividade dessa mudança para o 4-cilindros turbo. Só poderemos apelar à paixão pelo delicioso ronco e giro alto que o 6-cilindros proporcionava. Fora isso, objetivamente, este novo motor melhorou o desempenho do 528i sob qualquer condição; e melhorou em relação ao consumo também. Melhorou também outro índice que ainda pouco importa aos brasileiros, que é a emissão de CO2, mas que importa, e muito, aos europeus.

Segundo a BMW ele é ao redor de 20% mais econômico que o 6-cilindros. Para isso, outras providências foram tomadas, além da diminuição da cilindrada. Uma delas é a regeneração de energia da bateria quando, estando em movimento, se tira o pé do acelerador. É um sistema bastante simples e funcional. Vejamos: digamos que a bateria está com 50% da carga máxima. Ligamos o carro e até que ela chegue aos 80% ela é carregada normalmente pelo alternador, como num sistema comum.

Só que esse modo para aí, aos 80%. Dos 80% até a carga máxima, o gerador só trabalha quando tiramos o pé do acelerador, portanto, esses 20% adicionais vêm sem gasto de combustível. Além disso, ao exigir potência, o alternador não gera corrente nem se estiver carregando, para não roubar potência e nem gastar combustível com o esforço para acioná-lo. É simples, como eu disse, e não creio que economize muita coisa, mas serve como alívio de consciência para os que acham que estão afundando ilhas paradisíacas do Pacífico Sul por rodarem de carro.
Este vídeo da BMW explica o sistema: http://www.youtube.com/watch?v=CfMjaRa06C8

Outro alívio de consciência é o Stop-Start, ou seja, ao pararmos no trânsito, pé no freio, o motor logo desliga. Basta tirar o pé do freio, ou virar o volante, que o motor imediatamente religa. Esse é seu modo standard. Dá para desligar esse sistema num botãzinho abaixo do botão de partida, e assim o motor deixa de desligar. Esse desligamento e religamento é rápido e não incomoda. Tudo bem, uma ilha a menos a ir pras profundezas.


Longo capô para um 4-cilindros, não é? (foto: Paulo Keller)

Eu já ficara impressionado com esse motor ao testar o 328i, o Série 3, mas confesso que quando soube que o 528i – exatos 225 kg mais pesado – viria com o mesmo motor, mesma mecânica, tive lá minhas dúvidas se o 4-cilindros turbo daria conta de deixá-lo com um desempenho esportivo. E ele deu conta, sim; não deixa nada a desejar.

Para cidades com trânsito atrapalhado como São Paulo, ele é um carro grande (4.905 mm de comprimento x 2.094 mm de largura), acima do ideal para quem o dirige, mas na estrada esse tamanho todo deixa de contar e ele surpreende por sua agilidade, excelente estabilidade e comportamento ideal na curvas. Simplesmente irrepreensível.

Sempre grudado ao chão, sempre pronto a seguir à risca o traçado indicado. Macio de suspensão, sem ser mole e bem firme quando no modo Sport; volante com boa informação do solo, sem ser áspero. É difícil imaginar algo melhor para um sedã de luxo.

A meu ver, sinceramente, querer maior potência e mais desempenho do que o 528i oferece, não me parece algo razoável para um sedã. Além de bastar, ele sobra; viaja tranqüilo a mais de 200 km/h e com reserva de potência.
"Night and day/Yyou are the one", como diria Cole Porter (foto: Paulo Keller)

Basta? Para quem desejar mais, há modelos Série 5 ainda mais potentes, mas, sinceramente, não consigo ver necessidade. Quer mais que isso? Então que compre um esportivo de uma vez e divirta-se sozinho ou só com um(a) acompanhante.

AK



FICHA TÉCNICA BMW 528I

Motor
4 cilindros em linha, turbo, injeção direta, DOHC, corrente, 16 válvulas, variador de fase, gasolina, longitudinal
Cilindrada
1.997 cm³
Diâmetro x curso
84 x 90,1 mm
Potência
245 cv a 5.000 rpm
Torque
35,7 m·kgf de 1.250 a 4.800 rpm
Taxa de compressão
10,3:1, exigência de octanas 95 RON
Câmbio/tração
Steptronic, 8 marchas/traseira
Peso em ordem de marcha
1.655 kg
Distribuição de peso
50-50%
Suspensão dianteira
Duplo A com barra estabilizadora
Suspensão traseira
Multibraço com barra estabilizadora
Direção
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Freios
A disco ventilado nas quatro rodas, ABS
Pneus
Dianteiros, 245/45R18W; traseiros, 275/40R18W
Comprimento/largura/altura
4.905/2.094/1.464 mm
Distância entre eixos
2.968 mm
Tanque de combustivel
70 litros
Porta-malas
520 litros
Aceleração 0-100 km/h
6,3 segundos
Velocidade máxima
250 km/h (limitada)
Preço público sugerido
R$ 258.950,00



126 comentários :

  1. Achei peso-pena para um série 5. Se considerarmos que aquele novo cupê cabrio da Jaguar (o F-Type) pesa 1.597 kg e, como o nome e a ancestralidade sugerem, é um esportivo por definição, um sedan intermediário da BMW com massa bem próxima é até muito comedido na balança.
    Nesse ponto tenho observado a inteligência da Porsche e da BMW em reduzir o peso de seus carros nas últimas gerações a sair do forno.

    ResponderExcluir
  2. AK, no texto consta 1250 rpm e na ficha tecnica 1350 para torque maximo.

    ResponderExcluir
  3. A versão perua deste carro também é um colírio pros olhos, é ótima pra quem tem farta conta bancária e são pão duros, que querem tudo em um lugar só. =D

    ResponderExcluir
  4. Já sabem, não é? Muuuuuuuuuuuito, mas infinitamente meeeeeeeeeeeeesmo, mais bacana que qualquer um daqueles ultra-hiper-mega-supra-baita esportivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr.Car
      Sim concordo; mas em partes.
      Na verdade esse carro pode ser entendido como um esportivo. Esportivo de luxo. Dotado de todo conforto e uma roupagem familiar.
      Mas nao se atreva a bancar o engraçadinho e quer acelerar um carro desse.
      Voce vai tomar um susto danado!. Andar rapido com ele é para motoristas experimentados!
      Uma pena que o Custo Brasil conjugado com o Lucro Brasil inviabilizem sequer sonhar com um na garage.




      Excluir
    2. Então, anônimo 04/09/12 17:07hs: este carro pode ser entendido como esportivo, e como disse o Keller ao final do post, basta. É nesse sentido que acho os carros dessa categoria muito mais bacanas que qualquer mega-esportivo. Não vejo o menor sentido em oferecer para o motorista comum, carros com DNA de competição, que só deveriam ser usados nos autódromos, e por quem tivesse habilidade para tal, ou seja, pilotos de fato.

      Excluir
    3. Mr.Car
      Eu nao sei, mas acho que voce tá errado. Eu nao sei, eu só acho!

      Excluir
    4. E porque um carro com essa potência da BMW já não deveria ser só para autódromos e pilotos? Para de falar groselha vai Mr. Car, vc é daqueles que critica o que não pode ter

      Excluir
    5. Todos sabem, que o Mr.Car prefere sempre, ao escolher um carro, o menor motor disponivel. Nao estou julgando , deve ser apenas uma opcao por economia.
      Ele detesta velocidade, carros potentes e rápidos.
      Acho que se trata de um senhor de mais idade , bastante bonachao , que pega seu carro para passear com os netos e algumas comprinhas na semana.
      Nao sei , cada um que tenha sua opiniao.

      Excluir
    6. Anônimo 05/10/12 06:35h: não deveria pois é um sedã familiar, e embora tenha desempenho, seu público não o compra para enfiar mãe, mulher, e filhos dentro, e sair fazendo loucuras. Já aqueles esportivos, quem compra compra mesmo para botar para quebrar, compra para fundamentalmente abusar. Entendeu? Se não entendeu, dane-se. E falando groselha, está você: se eu criticasse o que não posso ter, estaria descendo o cacete neste 528i, mas eu disse que é muuuuuuuuito bacana. Se não sabe o que é bacana, consulte um dicionário.

      Anônimo 05/10/12 10:36hs: eu não prefiro o menor motor, prefiro a versão top de linha. E não detesto velocidade, carros potentes e rápidos. Só não vejo sentido em botar nas mãos de motoristas comuns e despreparados, carros que são praticamente veículos de competição. E veículos de competição devem ser pilotados em autódromos.

      Excluir
    7. Mr. Car uma BMW dessa tem mais desempenho que uma Ferrari antiga e vc está sim falando groselha. Acha que quem compra uma BMW não compra pra abusar também? É mais fácil ver BMW, Audi, etc. fazendo porcaria nas ruas do que ver um esportivo como Porsche fazendo. Pra andar que nem groselha que nem vc qualquer 1.0 já tá bom demais

      Excluir
    8. Anônimo das 19:59
      Concordo com vc 100%
      E agora MrCar o que tem a responder?
      Conteste, se posicione. Coloque sua massa cinzenta para funcionar.
      Saia de cima do muro.
      Aguardamos sua resposta, mocinho.

      Excluir
    9. Ontem mesmo um empresário virou churrasquinho em uma Lambo no interior de São Paulo, e uma Ferrari capotou em Florianópolis. São carros comprados com apenas uma intenção: correr muito. Sedãs de alto luxo PODEM correr, mas não é a principal razão de ser deles, nem é a principal intenção de quem compra, meter os filhos e a mulher dentro, e fazer loucuras. Deu pros dois palhaços anônimos entenderem a diferença? Se não deu, problema o de vocês: não vou desenhar.

      Excluir
    10. Mr. Car farofa, e quantos Unos se acidentaram só no dia de ontem? Quem compra BMW no Brasil está mais pra fazedor de loucura que pra levar a família pra passear (não seja farofa, pra levar a família pra passear a moda dos ricaços é comprar uma SUV e não um sedan). Tanto que as BMWs mais vendidas no Brasil são modelos esportivos, que correm tanto quanto uma Ferrari

      Além de tudo isso esportivos como Ferrari PODEM serem usados normalmente nas ruas, correndo só em autódromos ou em locais que todo mundo com qualquer Logan corre. Se os proprietários são bons ou não não tira o brilho desses carros, muito mais inspiradores que um sedan chato usado de taxi em alguns lugares e esportivado (se fosse a M5 pelo menos, mas é um carro que é tipo um DS3 em desempenho)

      Excluir
    11. Já falei, filhote: não vai ter desenho, se vira. Tenta fazer o Tico se entender com o Teco.

      Excluir
    12. Acho que tem que desenhar pro Mr. Car quanto ele é farofa. Ele não só critica o que não pode ter como é daqueles que critica o que não pode controlar (tipo carro que não seja uma lesma). Por isso mesmo fala tanta babaquice, não era ele que dizia que não era necessário nada mais que um Corolla? Agora tá babando numa BMW e acha que quem compra uma dessas no Brasil anda devagarinho, depois chama os outros de burros

      Excluir
    13. O Tico ainda não se entendeu com o Teco. He, he, he,he, he!

      Excluir
    14. Mr.Car
      Já chega! Você e mais teimoso que uma porta.
      Você esta me deixando nervoso!

      Excluir
  5. E o melhor de tudo...tração traseira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de publicado meu comentário, reli e senti que poderia dar a impressão de ironia mas não é. Para mim este é um item importante num carrão desses, a tração traseira.

      Excluir
    2. Reynaldo,

      Ironia nada. Tem tudo a ver.
      Vc tem toda a razão, também minha preferida é tração traseira, e veio bem a calhar, já que não comentei que o 528i é tração traseira no texto. Obrigado.

      Excluir
  6. "conjugado com uma novidade no sistema de turbo, cuja turbina quente recebe os gases queimados de dois coletores de escape independentes, um para cada dois cilindros, que se alternam; fazendo com que haja um fluxo mais constante sobre a turbina, que tem dois caracóis em vez de um só, o que a faz subir de giro mais rápido."

    Só se for novidade nos motores da BMW. Pois isso já esta em uso a mais de 20 / 25 anos.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bipulsativa?

      Excluir
    2. Real Power,

      Que carro tem esse sistema há mais tempo?

      Excluir
    3. Real Power tá certo, turbinas de duplo-fluxo ou pulsativas já existem à décadas aki no Brasil e só são novidade pra quem não conhece o mundo da preparação de motores.

      Excluir
    4. Pisca,

      Volto a perguntar: Que carro de linha tem esse sistema que descrevi no post há mais tempo?
      O assunto é esse.

      Excluir
    5. Pisca
      Voce esta confuso.
      Os coletores de escapes independentes sim sao pulsativos, e ja bastante utilizados.
      Nesse BMW a própria carcaça-quente da turbina tem uma especie de divisória (dupla voluta ou double scroll turbo) o que aumenta demais a eficiencia e resposta da turbina. Mas note, nao estamos falando de turbina com geometria variável. Essa, é bastante empregada, no Ciclo Diesel e em alguns Ciclo Otto como o 911-Turbo.

      Excluir
    6. Arnaldo,

      Esse esquema (bipulsativo, e não "pulsativo"...pulsativo todo coletor de escape é, pela natureza do motor), também chamado de turbo de dupla voluta, é usado ha décadas em motores diesel. Veja este turbocompressor e coletor de escape de um scania 113 6 cilindros:

      http://farm6.staticflickr.com/5310/5594499337_29a75029c8.jpg

      http://www.princeza.com.br/assets/img/produtos/006605.jpg

      Repare que os cilindros 1, 2 e 3 ficam juntos e o 4, 5 e 6 também estão juntos, mas os dutos não se comunicam.

      Em automóveis (ciclo otto) também foi utilizado este mecanismo. Estou procurando aqui e quando achar, publico aqui.

      No mundo da preparação esse tipo de turbo é conhecido a muito tempo também, porém é utilizado com outro intuito: diminuir um pouco lag de turbos descomunais.

      Excluir
    7. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    8. Desculpe corrigi-lo Carlos mas a sua explicação está errada,o coletor da Scania não tem captação e direcionamento dos gases de forma seletiva esse sistema de coletor(twin -scrol) capta os gases pela sequencia de queima dos cilindros,o Arnaldo talvez não saiba mas esse sistema vem sendo desenvolvido desde 1989 no mazda RX7 MK2,LANCER EVO,SAAB 9-3 AERO ,RENAULT MEGANE SPORT.
      mais detalhes nesse excelente site ,para quem gosta de mecanica :
      http://www.autozine.org/technical_school/engine/Forced_Induction_4.html#Cross-bank

      Excluir
    9. Arnaldo.
      Eu poderia fazer uma lista, com alguns clics na NET, mas não vem ao caso. O caso é que esse tipo de carcaça quente é tão velha quanto o próprio turbo em si. Volvo, Lancer, e outros carros já usaram. E muitos imaginam que esse tipo de carcaça quente não é bom para motor girador,só serve para vir mais torque em baixa, estão enganados. Basta ver o próprio motor da BMW usado na era turbo da F-1, girando mais de 10 mil. Apenas dão novos nomes e fazem moda. Ainda na BMW o motor v8 turbo com um turbo entre o vê usa esse sistema. Para isso a BMW teve que juntar de forma cruzada os tubos de escape dos 2 lados do vê, unindo os cilindros com ignição a cada 180º, mesmo o v8 tendo uma ignição a cada 90º nos v8 cross plane. Pois este sistema funciona melhor assim. E não é para aproveitar mais os pulsos, pois eles deixam de ocorrer tão logo ocorra pressurização do turbo. Uma vez que no escapamento sempre vai ter no mínimo 1,5 vezes mais pressão que na admissão. Motores turbo modernos usam mais de 2,5, creio que muitos estão acima de 3 vezes mais pressão no coletor de escape que na admissão. Este sistema de carcaça quente dupla, juntamente com coletor de escape ordenado tem como principal finalidade ordenar o fluxo do escapamento que faz o turbo pressurizar mais rápido, e como resultado o motor tem curva de torque mais plana, pois o turbo entra “antes” e em alta rotação facilita a saída dos gases.
      Abraços

      Excluir
    10. Totiy, não estou errado não.

      A ordem de ignição desse motor scania é 1-5-3-6-2-4.

      A foto pode não ser das melhores, mas permite ver que o coletor divide SIM o fluxo dos gases seletivamente de acordo com a queima. Pela ordem de ignição uma das metades junta os cilindros 1-2-3 e a outra 4-5-6, EXATAMENTE como está o coletor na foto e como ocorre e sempre ocorreu na vida real.

      Dessa forma, virá um pulso de um dos lados (1) depois virá de outro (5); depois volta pro primeiro lado (3) depois vai pro segundo lado (6); vai pela última vez pelo primeiro lado (2) depois volta pro segundo lado (4). Pirmeiro lado: 1, 3, 2; segundo lado 5, 6, 4 - pela ordem de ignição.

      O projeto do coletor scania está corretíssimo, bate com o que eu escrevi e com o que você escreveu.

      Aliás, você não apenas concordou com meu post como fez reforçar o argumento, mesmo tendo dito que eu estava errado.

      P.S.: tá desculpado.

      Excluir
    11. Caro Carlos,fui observar "in loco" a turbina e ela realmente tem dois graus de recepção no caracol ,o que torna sua observação correta ,então peço desculpas ,"por tentar corrigi-lo" hehe"

      Excluir
  7. Arnaldo, a exemplo dos antigos 528i da década de 90, vão trazer a versão com câmbio manual?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo,

      La fora existe o manual, mas duvido que venha. Vou verificar, mas a chance é remota.

      Excluir
    2. Não precisa de manual. O automático é mais confortável e melhor na hora de revender.

      Excluir
    3. Anônimo 04/10/12 13:20
      Triste, alguém escolher um tipo de câmbio por ser melhor na hora de vender. Coisa de verdadeiro gersonentusiasta. E relacionar conforto a câmbio, nada a ver.

      Excluir
    4. Arnaldo:
      Seria interessante.

      Anônimo:
      Não se ofenda, mas já que você compra carro para o próximo proprietário, BMW não é para você. Mas você encontra fácil um bom poupular 1.0 com 4 portas, na cor prata e "completo" (vidro elétrico só na frente, trava elétrica, direção e ar), Deve ser uma enorme satisfação para você tirar o carro da concessionária e pensar "nossa, a pessoa que comprar esse carro de mim vai ser tão feliz!".

      Excluir
    5. Você mirou em mim e acertou no Bob. Ele é quem tem na garagem não um, mas dois carros como o que você descreveu.

      Excluir
    6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Essa foi hilária

      Ah, todo dia dou couro em carro manual de automático mesmo.

      Excluir
    7. Acontece que o Bob acompanhou o o desenvolvimento desses dois carros que ele tem na garagem. E era de uma Chevrolet que deixou de existir faz tempo.

      Excluir
    8. Concordo que é triste escolher o tipo de câmbio pensando na revenda, mas o tipo de câmbio tem tudo a ver com o conforto, porque não?

      Excluir
    9. Unknown
      Uma coisa é conforto, outra é comodidade. Câmbio automático é mais cômodo para muitos, do mesmo modo que um carro de quatro portas é mais cômodo que um de duas, e não mais confortável. Tanto que nas listas de equipamentos há um grupo Conforto e Comodidade (Comfort and Convenience).

      Excluir
  8. Eu ainda prefiro o 6cc. Um 6cc sempre será um 6cc, com torque em baixa, maciez, silêncio. Turbo é coisa de carro de moleque, não gosto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Torque em baixa???

      Você leu o texto?

      Excluir
    2. Li. Tem um monte de marcha. Um bom 6cc e 3 marchas é mais que suficiente. Um 6cc é sempre um 6cc.

      Excluir
    3. Vc precisa rever seus conceitos...
      O 4 cilindros faz praticamente tudo melhor...só o barulho(e não o silencio) q deixa a desejar em relação ao 6.

      Excluir
    4. Se fizesse melhor, não teriam colocado esse acessório que os vileiros idolatram (turbo).
      Não adianta, 6cc é 6cc.

      Excluir
    5. Anônimo 04/10/12 13:22
      Três marchas, também não, é pouco para um motor europeu típico. Cinco está na medida certa, seis no máximo.

      Excluir
    6. E o pior é que vc está completamente errado...

      Excluir
    7. 6 cilindros e 3 marchas é coisa de Opala. Hoje qualquer 2.0 tem mais potência que o Opala. O mundo evoluiu.

      Excluir
    8. E ainda aparecem as viúvas do Opalão linha reta.

      Naquela época já era defasado, hoje então... é por esses caras que há motores jurássicos rendendo ouro às "montadOUras" até hoje...

      Excluir
    9. 6cc é a medida que tomo de gardenal todas as noites...

      (ojerizas, ojerizas em ler 6cc...pior que isso, só 4,1cc - Autoesporte 1989)

      MFF

      Excluir
    10. Opala é já foi luxo... hoje é lixo...
      Claro, é um belo carro pra se colecionar, mas pro dia-dia... por favor... temos 1.6 mais velozes e eficientes que os 6cc...

      Excluir
    11. Melhor do que qualquer argumento é dar uma voltinha num desses novos motores turbo. Não precisa ser um 2.0 TFSI ou Twin, pode ser num 1.4 da Audi ou mesmo Fiat, ou então os 1.6 da BMW/Peugeot/Citroen. E melhor do que uma voltinha é ficar um tempo com um desses, e ver que além de espertos, agradáveis e duráveis, esses novos motores turbo ainda são econômicos.

      Excluir
    12. Anônimo,

      Economia e emissões. As fábricas estão se preparando para leis cada vez mais rígidas. Não é à toa que estão substituindo o 6-cil aspirado por um 4-cil turbo, que é um motor mais caro que o 6-cil.
      Mas nada de pânico ainda: tem o 535i que é 6-cil turbo.

      Excluir
    13. Que é isso cara... turbo é coisa de vileiro? eu pensei que fosse engenheiro, mas tudo bem. Muitas marchas? Faça-me o favor, praticamente quanto mais marchas melhor. Tanto para desempenho quanto para economia. Ou então você vai reclamar da Porsche, com 7 marchas em um câmbio manual? Pode se preparar, pois carros bons com câmbio automático daqui para a frente, só 8 marchas pra cima.

      Excluir
    14. Turbo é coisa de moleque?

      Opaleiro tem cada uma...

      Excluir
    15. Turbo é sim coisa de manolo.

      Excluir
    16. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkk

      Se têm raça pior que apezeiro é opaleiro.

      Esse carro já era ultrapassado quando chegou no brasil. Anda = 1.4/1.6 e bebe = v8.

      Excluir
    17. Tá fando sério?
      Me da vergonha ver num forum destes uma visão tão antiquada e tamanho preconceito.

      Sergio S.

      Excluir
  9. Nunca comento sobre lançamentos, mas esse painel é lindão! Eu não consgigo entender essa moda de painéis com linhas "tortas" e agressivas demais da Hyundai. Futuros carros de mano.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. o cara nem pode mais sonhar com um Suzuki Fun com 6 cilindros que o Bob vem e catapulta o comentário do cara.

      Qual o problema Bob?

      Tá bom, vai no clube do celta e vê se alguém lá meteu 6 caneco num VHCE...

      o mundo tá ficando um saco mesmo...
      Bob fala mas age igual a CET...

      Excluir
    4. Muito bem Bob por remover isso. Todo posto agora aparece um tonto e fica falando Suzuki Fun. Deve ser algum adolescente sem namorada que acha que a coisa mais legal do mundo é dar drift na rua com um Maveco blower.

      Excluir
  11. Também vem com defeitos de série:

    http://esportes.terra.com.br/fluminense/noticias/0,,OI6196837-EI19377,00-Fred+critica+BMW+com+defeitos+e+gera+alvoroco+no+Twitter.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. #bmwnuncamais

      Excluir
    2. Acontece a todo produto... Ferrari pegando fogo, Lamborghini incendiou também... Corolla acelerando do nada... E por aí vai.

      Excluir
  12. AK; ótima avaliação!

    Olha o que é a evolução hein? Há 16/17 anos atrás o BMW540 com sedento motor V8 já arrancava suspiros ao acelerar do 0 a 100 em 8,26 segundos, e conseguia 238 km/h reais em 2700 metros de reta(em tempo, o Tempra Turbo, o nacional mais rápido da época, marcava importantes 8,23)...e era uma tremenda limusine.

    Oito cilindros, moderno ...uma verdadeiro ápice como é do feitio irritante (para as outras marcas) da BMW; hoje vemos um desempenho ainda melhor e muita economia com 4 "canecos".

    É incrível!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei exatamente a mesma coisa: esse novo 528i anda mais e gasta menos do que os 540i dos anos 90!

      Excluir
  13. O duro é ver: preço público sugerido - R$ 258.950,00.
    Nos USA, à partir de $47,500.

    Se não fosse a ganância das montadoras (lucro exorbitante) e do governo (impostos), todos estaríamos andando em carros superiores, aposentando de vez as carroças que tem por aí (carros sem tecnologia e segurança a preço de BMW e Mercedes).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se liberar os impostos quebra toda a indústria nacional em menos de um mês, pq não tem comparação. Imagina uma BMW dessas por R$100-150 mil... agora imagina quanto custariam os coreanos sem imposto. Quem anda de Voyage ia rodar de Santa Fé, e quem anda de coreano hj ia andar de BMW/Audi/Mercedes.

      Depois de andar num carro desses nego só volta a dirigir as carroças nacionais por absoluta necessidade ou teimosia. Aliás, não precisa nem ser BMW pra estragar o gosto, pode ser qualquer importado "normal" mesmo.

      Excluir
    2. Mark
      Concordo com voce, poderíamos aposentar as carroças.
      Mas temos aqui o famoso "Custo Brasil" , que, na pratica, inviabiliza esse seu pensamento.

      Excluir
    3. Mark,

      brasileiro não anda de carroça. Antes fosse. Brasileiro puxa uma carroça carregada de Custo Brasília, isso sim, e ainda leva chibatada no lombo a 3 por 4.

      Excluir
    4. Lucro Brasil.

      Excluir
    5. Arnaldo, não é Custo-Brasília, é Custo-Brasil, mesmo. Não culpe aquela espetacular cidade por algo que haveria fosse a Capital Federal onde fosse, he, he! E tem mais: logo, logo, sob a desculpa de diminuir o roubo/furto de automóveis, o "grande irmão" chamado governo, através de um chip, saberá quando e onde estivemos, cada vez que a gente sair de carro.

      Excluir
    6. Mr Car,

      Vc tem razão, mas não culpei a cidade e sim os governos que temos há décadas e décadas.
      Essa do chip é de lascar mesmo, o fim do mundo. Esses caras piraram de vez.

      Excluir
    7. Deveríamos enfiar um desses chips no c• dos políticos do PT. Principalmente no Grande-Irmão que esta sendo julgado no STJ.
      Saberíamos por onde andam e o q planejam nas próximas ações Lesa-Pátria

      Excluir
    8. Tudo aquilo que vem para aumentar a nossa segurança é muito bem-vindo.

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. Arnaldo, não é custo Brasília; é custo São Paulo mesmo, custo histórico, difícil de zerar, que sugou o Brasil o quanto pode, e agora que tão largando o osso, ficam esperneando, fazendo esse tipo de comentário.

      Excluir
    11. Clint E (ou melhor, Felipe Pinhati, o dodgeiro paga pau de americano e que é petista) falou muita merda novamente. São Paulo é o estado que mais transfere impostos pro governo federal e está longe de ser o que mais recebe. Se vc acha que não existe o custo Brasil deve pensar como os carros são mais baratos no seu amado EUA. Petista americano que gosta de Dodge e acredita na propaganda do governo só podia ser assim

      Excluir
  14. E ainda tem nego aqui que diz que a admiração pelos alemães é "babação"... Quem fala isso é pq nunca dirigiu um!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To contigo e nao abro, meu chapa!
      Jorjao

      Excluir
    2. Alemão BMW e Mercedes vale a babação, Audi e VW não e isso não significa que um japones não possa ser melhor. Tem uns Lexus V8 que deixam essa BM sem graça e custam o mesmo

      Excluir
    3. Sofismas, sofismas... Essa discussão é polêmica e cheia de opiniões! Mas pra mim Japonês pode ser tão bom quanto, melhor é difícil até pq alemão é referência de automóvel.

      O máximo que qualquer um desses japas pode aspirar é ser comparado com um alemão, até pq eles têm seus conceitos e idéias mas ainda se inspiram mto nos europeus em vários aspectos. Subaru, Mitsubishi tem lá suas qualidades, mas tão longe de ser referência - a menos que seja para a "geração Velozes e Furiosos" de xunners, fuçadores de carro e viciados em videogame.

      E Audi é tão puro-sangue quanto BMW e Mercedes, acabamento e mecânica de primeiríssima. E VW tem pedigree alemão de qualidade no mundo todo menos aqui, onde barateiam e defasam os modelos pra vender caro do mesmo jeito, já que brasileiro é burro e paga mesmo. Olha o Golf que é vendido na Europa e me diz se não bate qualquer Honda vendido em qualquer lugar do Mundo.

      Por fim, mesmo com todas as suas qualidades que não são poucas, não existe Lexus capaz de deixar uma 328i "sem graça". Lexus é "overpriced" e "overrated".

      Excluir
    4. Que carro alemão é mais referência que um Lancer ou Impreza então? Golf 4x4 é carro pra neve e a versão V6 que seria esportiva é pior que a GTI tração dianteira. Audi que se compara a esses japas seria só o S3, que perde em preço e desempenho para esses dois e hoje ele segue a referencia dos japoneses (e não o contrário). Opel, Mercedes e BMW não tem nem nada parecido com isso e tirando a BMW que fez uma série 3 hatch (série 1) pra competir no mercado dos hatches os carros delas nessa categoria já não são referência pra ninguém

      Acho que o Golf europeu apanharia fácil de um S2000, de um CRZ ou de um Civic Si e que perto de um Toyota 86 ele fica pequeno. Alemão é alemão mas essa babação mata e tem uns exageros ridiculos em dizer que até líderes de categoria como WRX e EVO ainda seguem os alemães. Só por um "geração vídeo game" pra competir com um Golf GTI ou S3 "referencia" que isso cai por terra. Se for pra falar em geração vídeo game, quero ver que alemão do mesmo preço vai competir com um GTR

      Da 328i nem entra na discussão. Existe Lexus esportivo que tá mais pra deixar M3 e M5 sem graça, o 328i vira taxi nessa comparação e se entrar no LFA aí a "referencia" alemã fica sem concorrente nenhum (o único seria o R8 V10, um Lamborghini com outra cara)

      Excluir
  15. "novidade no sistema de turbo, cuja turbina quente recebe os gases queimados de dois coletores de escape independentes, um para cada dois cilindros, que se alternam; fazendo com que haja um fluxo mais constante sobre a turbina, que tem dois caracóis em vez de um só, o que a faz subir de giro mais rápido."

    Que novidade? Isso se chama turbina pulsativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,

      Por favor, que carro de linha já o usava antes?

      Excluir
    2. Paulo
      Voce esta confuso.
      Os coletores de escapes independentes sim sao pulsativos, e ja bastante utilizados.
      Nesse BMW a própria carcaça-quente da turbina tem uma especie de divisória (dupla voluta ou double scroll turbo) o que aumenta demais a eficiencia e resposta da turbina. Mas note, nao estamos falando de turbina com geometria variável. essa é bastante empregada no ciclo diesel e em alguns ciclo otto como o 911Turbo.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Tinha uma preparadora em SP q. fazia uma instalação de turbo nos motores GM 2,0, com 'split'no coletor de descarga (chamavam de 'biturbo',tsk,tsk...),e funcionava muito bem, com notavel redução do 'lag'.Tudo bem,as turbinas da época não eram nada sofisticadas,mas o conceito das pulsativas já era entendido e aplicado

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. O tempo não para.

    Os 4 canecos e turbo vieram pra ficar. O único problema é que turbo é turbo, e turbina geralmente não dura muito (coisa de 40 mil km, pelos as turbinas nacionais, tipo gol 1000 turbo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A turbina do 3008 nao deu problema pela 4Rodas

      Excluir
    2. SÓ SE ANDAR 40 MIL KM EM PRIMEIRA MARCHA.
      PELAMOR....

      Excluir
    3. Esses novos motores turbo (principalmente os importados) usam recursos de acionamento das válvulas, circulação de óleo (lubrificação), acionamento e resfriamento da turbina e monitoramento de gases e mistura muito mais avançados do que as adaptações nacionais de uns anos atrás. As calibragens de fábrica geralmente são conservadoras para aumentar a longevidade tb. São mais sofisticados e tendem a ser mais duráveis até mesmo do que motores aspirados - desde claro que sejam bem usados e conservados.

      Excluir
    4. Rapaz, tem caminhão que roda mais de 1 milhão de km sem mexer no turbo. O próprio VW 1000 turbo dura bastante se o dono não for aqueles relaxados que usam óleo fora da especificação, faz a troca com o dobro da quilometragem, troca o filtro uma vez sim outra não, põe a gasolina mais lazarenta possível no tanque, acelera feito um delinquente e não espera uns poucos segundos com o motor em marcha lenta antes de desligar.
      Klaus

      Excluir
    5. A 4rodas testou uma parati 1.0 16v Turbo por 100.000 km, e não encontrou nenhum problema nem no motor nem no turbocompressor durante esse período. Só reclamaram do câmbio ser subdimensionado para a potência do motor.

      Excluir
    6. É só usar o óleo correto e seguir as trocas previstas pelo fabricante para garantir a longevidade do motor / turbo.
      Principalmente o óleo correto!!!
      Normalmente sintético, e que não deve ser misturado com outros especificações. Ai o motor e o turbo aguentam bem!!

      Excluir

  18. Arnaldo,

    Como tive o privilegio de andar numa 328 dias atras e fiquei de cara com o que empurra este 2 litros, de fato nao me surpreende que ele dá conta deste serie 5.

    É mesmo de se repensar tudo que sabemos (ou as vezes achamos que sabemos...) a respeito de motores. So andando mesmo para acreditar nestes 350 Nm @ esta rotação pornograficamente baixa!

    Fernando RD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fernando, eu tentei passar essa impressão ao leitor que ainda não o guiou. Há poucos meses avaliei um 328i e está no blog. Ali discorro mais sobre essa boa surpresa do motor e espero que bata com suas impressões. Nos EUA foi lançado um Malibu de 2,o-litros turbo com ainda mais torque (40 m.kgf) e em baixa também, menos potência máxima, mas com uma baita duma pegada. É uma revolução e como tal alguns demoram a entendê-la. Estamos aqui para tentar mostrar.

      Excluir
    2. Caraca, 40 m.kgf de um 2-litros? Não tem jeito, a tendência é os motores aspirados irem desaparecendo, gradualmente. Principalmente porque, para uso comum, é muito mais útil potência elevada já em baixas rotações, o que permite torque máximo a regimes de giro ridiculamente baixos. Some-se a isso a eletrônica e temos um motor que responde bem numa ampla faixa de giros, inimaginável a pouco tempo atrás...

      Excluir
  19. Eu fico imaginando é esta tecnologia , aplicada ao extremos em motores v8 , iriam virar foguetes como o novo Mustang shelby.

    ResponderExcluir
  20. Rapaz, tem caminhão que roda mais de 1 milhão de km sem mexer no turbo. O próprio VW 1000 turbo dura bastante se o dono não for aqueles relaxados que usam óleo fora da especificação, faz a troca com o dobro da quilometragem, troca o filtro uma vez sim outra não, põe a gasolina mais lazarenta possível no tanque, acelera feito um delinquente e não espera uns poucos segundos com o motor em marcha lenta antes de desligar.
    Klaus

    ResponderExcluir
  21. os apezeiros turbo estavam certos a mais de 20 anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. yes, o audi do grupo b que o diga, reza a lenda que aquele motor com 5 cilindros beirou os 1000 cvs...

      Excluir
  22. " conjugado com uma novidade no sistema de turbo, cuja turbina quente recebe os gases queimados de dois coletores de escape independentes, um para cada dois cilindros, que se alternam "

    Bem, não é novidade em sistemas de turbo, a Turbina com caixa quente bipulsativa é vendida aos montes no Brasil.Para carros também. Às pencas,repito.

    Aliás, até o caminhão da Mercedes Bens mais vendido no Brasil ,o 1113, começou aqui sua carreira de caminhão turbinado de fábrica com o modelo 1117, que utilizava a Turbina Bipulsativa.

    " fazendo com que haja um fluxo mais constante sobre a turbina, que tem dois caracóis em vez de um só, o que a faz subir de giro mais rápido"

    O Turbo bipulsativo não tem dois caracóis quentes não. Ele tem um caracol que começa parcialmente bipartido (caracol quente único) e ao passar pelo único rotor acelerando o eixo do turbo os gases estão unificados e unificados saem para o escapamento.

    Há motivos para um MB 1117 de antigamtente usar o bipulsativo e mesmo a BMW escolher o bipulsativodela para esse motor enquanto outros motores usam o monofluxo. Se cabe ao AutoEntusiastas explicar isso aos leitores ou optar por proporcionar uma leitura mais leve, aí é com vocês. mas como um excepcional Blog que é, aposto que logo vai aparecer um Post dos feras aí explicando a rebinboca desse treco.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acharia fantástico um texto sobre essas tecnologias de turbocompressor.

      Excluir
  23. Rafael Nakazato05/10/12 02:31

    Sobre Downsizing, emissões, híbridos, elétricos, fim do motor a combustão, etc., prefiro não imaginar um futuro negro aos autoentusiastas, sem sons de V8, carburadores, cheiro de combustível e borracha queimada. Certa vez o Jay Leno relembrou o surgimento dos carros e o fim do uso de cavalos como meio de transporte. Os carros dominaram à partir de então, restando aos cavalos uma função mais para o lazer do que mero transporte. Acho inevitável o fim dos automóveis como os conhecemos hoje, mas prefiro pensar que eles não desaparecerão. Torçamos que sua função de transporte se torne apenas uma opção de lazer. Assim como cavalgamos hoje por lazer, dirigiremos apenas por lazer. Imagino ser um "fim" digno para nossas queridas máquinas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você.

      Sergio S.

      Excluir
    2. Rafael, na verdade, se for ver mesmo, nunca houve tanta oferta de esportivos; isso falando em termos mundiais.
      Hoje em dia tem muito mais que antigamente. Fique tranquilo.

      Excluir
  24. BMW really has all quality they are promising when you are buying one .. im owner of bmw he has 14 years in his tires but still driving like charm .. when something is made with love :)
    Kožni mjenjači

    ResponderExcluir
  25. Excelente carro. Desempenho, qualidade construtiva, confiabilidade da marca. Comparado com os Lexus de posts passados, chega a ser uma pechincha.

    ResponderExcluir
  26. Tudo aquilo que vem para aumentar a nossa segurança é muito bem-vindo. Eu apoio.

    ResponderExcluir
  27. Eu tinha crença total que era um turbo de duplo estágio como a da amarok

    ResponderExcluir
  28. 2.0 motor pequeno? Não pros nosso padrões e nem para os padrões da BMW. Eu sei que você adora V-8 com baixo rendimento específico e torque abundante, mas hoje qualquer um que tenha idéia de comprar um carro 1.8 já é desestimulado pelo próprio vendedor.
    Pequeno é o 1.0l Ecoboost que a Ford vai oferecer no Mondeo. Isso sim é motor pequeno.

    ResponderExcluir
  29. Tudo indica que a grande tendência para os próximos anos é o Downsizing e a proliferação de motores turbo.

    ABRAÇOS.
    Sergio S.

    ResponderExcluir
  30. Ola, um vendedor da welt bmw goiania, me falou que a 528i tem desmpenho melhor q a 328i, apesar do mesmo motor, como se o motor fosse mais potente, seria verdade? Arnaldo keller ja dirigiu ambas, notou diferença ? Obrigado,
    Umar

    ResponderExcluir
  31. Bom esse final de semana coloquei 240km/h na minha 528i na BR 040, nem mesmo senti que estava rapido...parecia estar a 120 ! Eu tinha uma Kompressor c200 e nem posso comparar, a 528 é um monstro perto dela !
    Bati um peguinha com um jetta 2.0 TSI e nos 100 primeiros metros ele pulou na frente... depois que passei dos 100 cheguei a 200 MUITO RAPIDO e sumi, no retrovisor nem sinal ! rs... entao se a preucupação é desempenho acreditem, esse carro anda muito !

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.