"MULHER É BICHO ESQUISITO"

Foto: autor


O título deste post nada mais é que o trecho da admirável canção "Cor de Rosa Choque", de 1982, da ainda mais admirável Rita Lee, e me levou a associá-lo ao motorista brasileiro e seu comportamento não menos esquisito que venho notando todos esses anos (completo 70 anos em novembro). Veja os pontos que mostram essa esquisitice.
  • Começa por achar que carro é esconderijo, como mostra a foto do Peugeot 207 que abre este post, feita ontem quando eu caminhava para o barbeiro. Nem o pára-brisa escapou da função de esconderijo, uma total insanidade.
  • Ainda na linha da "blindagem visual", o motorista brasileiro se sujeita a ter de baixar o vidro da sua porta, à noite, para conseguir enxergar lateralmente. Se estiver chovendo, fecha o vidro e aí não enxerga mais nada
  • Demarcação de vaga existe só para constar, "paro como eu quiser", devem pensar os que param o carro enviesado ou, pior, inutilizando a vaga adjacente por ser "espaçoso".
  • Compra carro automático porque "é mais fácil de vender", num verdadeiro círculo vicioso – importadores só trazem automáticos porque acham que é isso o que o mercado quer e, assim, carro manual passou a ser minoria, "mico".
  • Pelo mesmo motivo acima, só compra carro flex, embora não pretenda necessariamente abastecer com etanol.
  • Do mesmo modo, não comprava carro branco, que considerava dificil vender por poderem achar que era táxi antes (essa é mais para São Paulo). Mas agora, como num passe de mágica, compra carro branco e há notícia de até pagar ágio por carro dessa cor.
  • Só compra carro de mesmo ano e modelo por desvalorizar menos, escaldado que é de concessionárias ou negociantes de automóvel em que, ao dar o carro de entrada vale o ano de fabricação e não o ano-modelo (ao comprar um usado o que vale é  o ano-modelo, obviamente...). 
  • "Eu sou o bom, o poderoso e por isso só ando na última faixa da esquerda, quem quiser que passe pela direita". O mesmo pensamento parte de muitos motoristas de caminhão, especialmente os leves, tipo Veículo Urbano de Carga (VUC) e furgões derivados de automóveis.
  • Ainda na questão da faixa mais à esquerda, se imbui do papel de policial rodoviário e acha que, por estar no limite de velocidade, não tem nada que dar passagem.
  • Trafega na velocidade (baixa) que quiser, na cidade ou na estrada, sem se importar com o fluxo de tráfego, seguramente uma das causas dos congestionamentos cada vez mais freqüentes.
  • "Anda muito rápido na cidade e muito devagar na estrada, o contrário do que deveria ser" (frase do jornalista José Luiz Vieira)
  • Acostamento é para ser usado como faixa de rolamento, não apenas para paradas de emergência ou tráfego de veículos de serviço públicos, como ambulâncias e bombeiros. Ele acha que quem não faz isso é trouxa.
  • Não usa gasolina aditivada porque acha que não há aditivo algum nela, que é enganação. Quero ver como vai fazer a partir de 2014, quando toda gasolina será aditivada.
  • Acha um charme andar à noite com farol de neblina em vez do farol baixo. Como não enxerga direito as placas de sinalização e acha que o facho ilumina perto demais (claro, foi feito assim para melhorar a visibilidade no nevoeiro), manda levantar o facho, passando a incomodar todo mundo e pensando que está esbanjando charme..
  • Trafega à noite com a luz traseira de neblina ligada sem necessidade, de propósito (raro) ou, por desconhecimento (freqüente), sem querer.
  • Considera ligar faróis nos túneis uma trabalheira para algo totalmente inútil.
  • Não facilita a passagem dos outros, mas adora quando facilitam a sua.
  • Acha que dar seta é autorização para sair da sua fila e ultrapassar. Quem vier atrás que se segure no freio – "mas eu dei seta...".
  • Acha que o pisca-alerta ligado torna legal estacionar em fila dupla ou em local proibido.
  • Faz questão de, ao abrir o sinal, pular na frente do carro da fila ao lado para ultrapassá-lo e se postar à sua frente logo após o cruzamento, demonstrando falta de educação.
  • Quando vê pedestre na rua, buzina e acelera; quando vê cachorro, freia.
  • Só modera velocidade quando é necessário se houver lombada. Não havendo, acha que pode acelerar à vontade.
  • Nas lombadas eletrônicas de 40 km/h faz questão da passar a 25 km/h.
  • Tem atração especial por pisca-pisca, como ficar aguardando o sinal verde numa faixa onde só pode dobrar com a infernal luz piscando. Ou, numa estrada, ligar a seta 1 quilômetro antes da saída que pretende tomar.
  • Não importa a quanto vai levar as marchas, mas em primeira a roda não chega a dar meia volta e já passa a segunda.
  • Acha que carro que vai a 160 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em 14 segundos "não anda" – só se for carro de motor 1-litro, pois com mais cilindrada é aceitável..
  • Acha que levar o motor a mais de 2.000 rpm estraga-o.
  • Adora câmbio de muitas marchas, mas na estrada só quer saber de ficar na última da origem ao destino.
  • Para ele, carro que não consegue transpor uma lombada em terceira, exigindo reduzir para segunda, não presta.
  • Compra carro aventureiro sem nunca se aventurar.
  • Compra utilitário/suve 4x4 para rodar só no asfalto.
  • Gosta de carro alto por causa da "visibilidade" que a "visão de comando da estrada" lhe proporciona, como se não houvesse outros veículos do tipo, caminhões e ônibus à frente de vez em quando..
  • Acha que piso molhado é um tremendo perigo e diminui a velocidade (que já é baixa) consideralvelmente, causando congetionamentos.
  • Nunca usa o estepe. Se furar um pneu, deixa carro no macaco e vai mandar consertar o furo, só para na hora de vender poder dizer orgulhosamente para o pretenso comprador, "o estepe nunca rodou", como se isso fosse sinal de carro em excelentes condições.
  • Deixa no pára-brisa aquele monte de selinhos colocados pelos inspetores na linha de produção só para dar visual de carro zero-quilômetro e, claro, valorizá-lo na hora de vender.
  • Defende o meio ambiente fazendo questão de abastecer seu carro flex com etanol – mas só se o preço do litro do combustível alternativo compensar.
  • Numa leve colisão com outro carro fica fazendo orçamento no meio da rua, em vez de encostar seu carro e pedir que o motorista do outro faça o mesmo.
  • Agora diminuiu bem a onda, mas há coisa de três anos parecia que éramos numa nação de rebocadores, a maioria dos carros com bola de engate.
O leitor deve ter outros exemplos de comportamento esquisito dos motoristas brasileiros e, para isso comentários serão bem-vindos, como sempre.

BS

147 comentários :

  1. Bob, eu sei que você é um motorista muito bom. Mas todo mundo pode aprender algo a mais. Essa reportagem do programa da RGB é uma boa para você:

    http://globotv.globo.com/rede-globo/autoesporte/v/aprenda-o-que-e-o-conta-giros-e-como-tirar-proveito-dele/1976192/

    Vou parar de ir em posto shell por 1 mês por causa dessa imbecilidade. Eles poderiam dar a potência do motor aos 4500 rpm agora né? Pra que a potência de 200 cv a 8000 rpm num civic SI se ele quebra e não acelera com giro maior que 4500. Falem que ele só gera 110 cv agora no limite que você pode usar sem quebrar.

    Parabéns Globo, Shell e programa bizarro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá explicado porque a carreira de piloto do Urnhani não foi das mais brilhantes... Ele não passava dos 4500 rpm! kkkkk

      Falando sério, ele deve ficar se remoendo por dentro ao falar essas coisas... Mas tem que pagar as contas do mês, fazer o que...

      Excluir
    2. Thales Sobral
      É inacreditável e inaceitável que a emissora-líder preste um desserviço desses. Merece um post. Obrigado pelo aviso e envio do link.

      Excluir
    3. Que absurdo sem tamanho!
      Falar que giros excessivamente baixo estragam o motor não falaram.

      Excluir
    4. Eu ví este desserviço hoje logo após o Globo Rural.

      Após este momento eu passei para o 12 e depois do que ví, preferi desligar a tv e lavar a minha viatura.

      Excluir
    5. Bob, faça alguma coisa por favor, você tem contatos no meio jornalístico. Esses caras perderam a noção completamente. O cara falou com todas as letra: "não use nunca o motor nessa condição porque pode quebrar"
      No mínimo tinham que pedir desculpas no próximo programa e explicar a coisa direito.

      Excluir
    6. Perdoem-me o "popular", mas... PQP! Nunca ouvi tanta besteira em tão curto espaço de tempo!!! Nunca usar a faixa alta de giros?! Tá maluco? Se até meu antigo Caravan 4,1-litros e seu motor jurássico, que odiava giros altos, sempre beliscava o limite de 4500 rpm sem nunca ter dado problema, o que dizer então dos motores modernos, com limitador de giros e tudo???

      Excluir
    7. caramba tem q mandar o pessoal da Auto esporte avaliar meu carro acho que ele é um mutante, pq para andar a 120km/h ele fica a 4500 e nunca quebrou kkkkk.

      cada idiotice nao pode andar na faixa vermelha... a faixa alta deve ser usada sim, se eu ultrapassar o caminhao a 3500rpm eu vou morrer pq o carro nao anda rsrsrs

      Excluir
    8. Bob, estava passando aqui para lhe avisar deste absurdo proferido no programa da Globo, mas já adiantaram.

      Fiquei de cara quando o apresentador disse que de 5000 - 6000 giros o motor não deve ser utilizado NUNCA, sob pena de quebra!!!

      Veja se pode usar da sua influência da mídia automotiva para fazer eles desmentirem esta bobagem.

      Excluir
    9. A matéria está correta, não passo de 2.500 rpm porque estraga o motor.

      Excluir
    10. Compre uma locomotiva a diesel, eles não passam disso.

      Tive uma moto 2T que só a marcha lenta era a 2.000 rpm

      Excluir
    11. *Pondo no lugar certo o meu comentário sobre o programa:

      Ah sim, quanto ao Auto Esporte (que me faz sentir saudades de quando era nome de revista apenas), fico me perguntando o que fará um proprietário de um Sedan Classic em que a 100Km/h está com o motor urrando a 4.000rpm?????
      Se a máxima da pista for 110 ou 120 km/h ele fatalmente irá 'dissolver' o motor né?

      Excluir
    12. Que sensação de desgosto ouvir uma matéria dessas. =[
      O maior problema é que a maioria das pessoas não sabe trabalhar suavemente em giro alto, e aí realmente parece que está forçando.

      Excluir
    13. Aliás, tem gente que só porque está em giro alto acha que tem de trocar marcha em meio segundo, e parece que vai quebrar a caixa de marchas a cada cambiada.

      Excluir
    14. Lá vem mais uma cambada de tranca ruas que vai ter medo do acelerador do carro depois de ver essa "reportagem"

      Excluir
    15. só uma palavra: meldelsssss

      Excluir
    16. Antônio Martins03/06/12 18:50

      Esse deve ser o lema de TODOS os foruns sobre carros, mecânica, botequis e ADGs da vida.

      E ainda dizem que brasileiro é apaixonado por carros...

      Excluir
    17. Putz, depois dos 4,5 mil rpm não é pra usar NUNCA!!!!!! Kkkkkk...

      É melhor as fabricas botarem a faixa vermelha do contagiros e o corte de injeção, nessa rotação, então. Fala sério!

      Engraçado que neste vídeo mais antigo, o pessoal da auto esporte entrou em contradição:
      http://www.youtube.com/watch?v=1c8gR7oDH0k

      Excluir
    18. Andre Scud03/06/12 20:02

      Só de ver a chamada para o programa já me deu enjoo.

      Excluir
    19. Olha...AutoEsporte se superou novamente.

      4.500 rpms...Queria ver então o reporter dirigir um Gol 1000 16 válvulas daqueles Geração II.

      Se ele conseguir pegar um Gol desses, 1998, arrancar em primeira marcha sem morrer e conduzir SEMPRE abaixo de 2500rpms em qualquer situação, acho que serei obrigado a rasgar minha CNH e tudo o que eu li de motores até hoje.

      Excluir
    20. César Unhami, meu ídolo!

      Excluir
    21. Gente, vocês ainda perdem tempo assistindo esse lixo?

      Ah, pela mor de Deus!

      Excluir
    22. Imagine esse Urnhami,ou se lá o nome da desgraça,na F1,invadindo desesperado o retão de interlagos gritando:parem,parem,vocês vão estragar os seus motores nessa rotação toda!!!!parem............

      Excluir
    23. Ô Anônimo 03/06/12 das 19:06,

      O Dilser foi trabalhar na FIAT. A vida é sempre assim, os melhores especialistas vão trabalhar pra multinacionais...

      Excluir
  2. Lendo esse texto, cada dia me dá menos vontade de pegar um carro pra dirigir no trânsito... É o retrato perfeito do trânsito brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito seu comentário. Penso exatamente o mesmo.

      Excluir
  3. Tá dureza mesmo Bob !

    Acho que faltou dizer que quanto maior o veículo conduzido, maior a sensação que alguns tem de dominação ou do "direito de dominarem a via", a falta de respeito geral à sinalização de trânsito, a falta de respeito para com a faixa de pedestres, a insanidade de se andar grudado no carro da frente e sobre os faróis de neblina, os mesmos cretinos que andam com ele ligado o tempo todo, o desligam quando encontram neblina, isso sem falar nos que colocam lâmpadas azuis fortes à beça e parecem um sol ambulante..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro
      Está dureza mesmo.

      Excluir
    2. Isso é do ser humano. Carro grande e vidros escuros dá a sensação de segurança.

      Ainda bem que ninguém lançou um carro em formato fálico.

      Excluir
    3. Luiz, segundo Freud, o carro, seja ele qual for é um simbolo fálico...

      Excluir
    4. Pro Freud tudo é fálico. Vai gostar de P.. assim na casa do C...

      Excluir
    5. Pau no Freud, aquele troxa que gostava de um incesto

      Excluir
  4. ●Comprar carro "aventureiro" ou utilitário com suspenção elevada e mandar rebaixar.
    ●Andar com o motor em marcha lenta com o sonzão ligado com o braço pra fora achando que é o maioral.

    Essa da Autoesporte foi uma vergonha!! Duvido que em algum manual tem especificado isso. Já pensou? Então carro com motor pequeno só pode sair da garagem pra ir compar pão na padaria poque se desenvolver uma velocidade maior o motor quebra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas que você citou são de doer mesmo. Sobre a rotação do motor, meu "mil" e velho, com bem mais de 100 mil km rodados, seria um caso a ser estudado pelos engenheiros. Hahaha. Essas matérias da Globo dão vergonha alheia.

      Excluir
    2. Na minha pequena cidade, tem duas Silverado rebaixadas.
      E os donos se acham, hehehe...

      Excluir
  5. Ahhh o latifundiários da esquerda...
    Semana passada numa viagem que fiz ao Ceará, peguei a CE-040 e vi algo interessantíssimo e que me dá uma pequena esperança... havia sinalização na pista dupla com "Faixa Normal" na da direita e "Faixa de Ultrapassagem" na da esquerda!
    Não sei se foi coincidência, mas realmente o número de carros trafegando na direita após ultrapassarem era considerável e claro que havia um monte de pardais, claro... mas eram colocados apenas nos trechos de vilarejos e próximos às faixas de pedestres sem nunca estarem escondidos, ao contrário do que vejo aqui pelo Rio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, sendo Brasil temos de sinalizar o óbvio, pois a maioria de nosso povo não consegue entender conceitos simples como o de a velocidade média de uma faixa ir aumentando quanto mais interna a mesma for, com a mais interna de todas ficando livre para ultrapassagens.
      Nessa história de ter de sinalizar o óbvio pelo fato de haver espalhado em nosso povo uma mutação genética que impede as pessoas de entenderem coisas simples e até mesmo ficarem bravas conosco quando lhes alertamos da simplicidade da coisa, sempre me lembro de uma placa na Régis que diz "não freie na curva". Sim, exatamente isso, o que obviamente me faz crer que alguém já rodou por ter freado na curva. E, claro, mais pau tem de ser dado no ensino de direção no país, justamente por não ensinarem as pessoas a como abordar uma curva.

      Excluir
    2. Ontem ao vir para a praia, um New Beetle com placas de São Paulo se colocou na faixa da esquerda e os outros que se danem. Fila, é claro...

      Quanto usar o freio na curva, posso dizer que é possível e emocionante, desde que se conheça bem as reações do carro.

      Freia-se com violência e pode-se ou não fazer o "punta-tacco", depois reduz-se a marcha e pisa-se rapidamente no acelerador.

      Excluir
    3. Frear com violência no meio da curva? Espero que você não tente isso..rs

      No mais, considerando que o motorista normal não tem as habilidades de um piloto, melhor falar pra ele não frear na curva mesmo. Entre com uma velocidade segura na curva que não tem que frear no meio.

      Excluir
  6. Perfeito, Bob. Mais algumas bizarrices dos brasileiros ao volante.

    - Usar apenas lanternas (luzes de posição)"por educação", pra não "ofuscar" os outros motoristas. Percebi claramente esse comportamento de um motorista que só ligou os faróis baixos quando a via estava mal iluminada, para logo em seguida voltar às lanternas.
    - Não dar seta NUNCA, quem vem atrás que adivinhe pra onde a anta vai seguir.
    - Dirigir entre duas faixas impedindo que alguém ultrapasse; invadir a faixa adjacente em uma curva, como se estivesse em um autódromo (na verdade, por absoluta imperícia e não para demonstrar supostos dotes automobilísticos); fazer uma conversão invadindo a contramão, novamente, como se estivesse em um autódromo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, vc. tirou os caracteres da ponta dos meus dedos... mas vou acrescentar: -furar o farol vermelho pois viu que o outro lado já passou para o vermelho também... e seu ainda não foi para verde.
      VPJ

      Excluir
    2. Bem lembrado, VPJ. Os motoqueiros (e não motociclistas) são os maiores "especialistas" em burlar semáforos. Passam quando já está fechado e largam quando ainda nem abriu. É muita sorte não haver uma infinidade de colisões entre motos.

      Claro que é muito comum ver carros fazendo barbaridades, mas largar antes do verde é especialidade dos "cachorros loucos".

      Excluir
    3. Driver 8: Essas da seta e da faixa são o retrato do trânsito aqui da cidade em que moro. Fico louco com essas coisas. Quando estou mais impaciente falo que só tem "caipira" nesta cidade! (hehe minha esposa e meus amigos que nasceram aqui ficam putos com a minha afirmação...)

      Excluir
    4. aproveitando o gancho "dessa raça", odeio quando eles colocam a moto na diagonal logo a frente do meu carro, muitas vezes em cima da faixa de pedestres. Faço questão de sair com punta-taco com aquela diferença básica de um cm da perna destes fdps!

      Excluir
  7. Ah sim, quanto ao Auto Esporte (que me faz sentir saudades de quando era nome de revista apenas), fico me perguntando o que fará um proprietário de um Sedan Classic em que a 100Km/h está com o motor urrando a 4.000rpm?????
    Se a máxima da pista for 110 ou 120 km/h ele fatalmente irá 'dissolver' o motor né?

    ResponderExcluir
  8. Achei que fosse algum texto com manias exclusivas de mulheres, mas é quase unânime esse comportamento.
    Quanto às lombadas, o Polo conseguiu a façanha de transpô-las em quinta marcha. Até acho o carro legalzinho, mas a impressão que dá é como se estivesse dirigindo um jipe com a reduzida engatada. Outro problema é o da tal "visibilidade". Que adianta o carro ser alto, se as colunas forem largas? Pior ainda é comprar o carro alto, alegando a visibilidade, baixar a suspensão e "filmar" todos os vidros. Só posso acreditar que a pessoa que faz isso é ignorante, não no sentido perjorativo, mas no real sentido da palavra: Desprovida de conhecimento. Ignorancia, aliás que é a única justificativa plausível para mais da metade dos comportamentos listados. Tem gente errando por vaidade, por exibicionismo, por preguiça, por pura vontade de não seguir uma lei e provar que isso não resulta em nada, e isso tudo é ruim. Mas errar por não saber o que é certo é de se dar pena...
    Quanto ao Autoesporte, foi um desserviço tão grande para o motorista e o transito em geral que algum órgão responsável (ou de engenharia, ou de trânsito, ou de imprensa) deveria punir a veiculação de tais informações tão incorretas que só podem ser mentiras deliberadas. Também vou boicotar a Shell esse mês, só de raiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tenho mais pena de quem erra sabendo o que é certo, este sim é pobre de espírito.

      Excluir
  9. Não falaram de um: COMER FAIXA! A maioria simplesmente não consegue fazer uma curva dentro da sua faixa. Foda!

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto à escolha da gasolina aditivada, temos que reconhecer que há motivos fortes, né?

      João Paulo

      Excluir
  10. Duas esquisitices irritantes: a do imbecil que anda com meio carro em cada faixa de rolamento, e a do cretino que mete a mão na buzina em uma fração de tempo tão reduzida após o sinal abrir, que faz a velocidade da luz parecer uma tartaruga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car,

      Esquisitices não, idiotices. Essa da buzina só pode ser condicionamento à luz verde, como acontece com animais irracionais. Por incrível que pareça, já tive provas disso. Certa vez, tão logo acendeu o verde do semáforo, escutei uma buzinada do carro imediatamente atrás ao meu. Quando olhei pelo retrovisor, o sujeito estava olhando pela janela lateral, nem a primeira marcha havia engatado ainda...

      Excluir
    2. Qualquer que seja a denominação que a gente usar (esquisitice ou idiotice), o fato é que são práticas irritantes, he, he!

      Excluir
    3. Ainda sobre sinal verde, temos de lembrar a mania do brasileiro de não sair acelerando imediatamente após o sinal ter ficado verde, o que gera a desconfortável situação de alguém mais para trás ter de esperar o sinal ficar verde duas vezes para aí sim conseguir passar, e tudo isso sem que haja congestionamento.
      Caso o semáforo não tenha temporizador, o lance é olhar para o semáforo da rua transversal (imaginando que não seja trifásico). Se esse passar para o amarelo, já engate a primeira e solte a embreagem quando o que está à sua frente passar para o verde. Não é tão difícil assim. E se você morar em cidades como São Luís, Recife, Florianópolis e São Caetano, fique contente de haver uma quantidade boa de semáforos temporizdados. E se você morar em cidade sem semáforos temporizados, sugira à administração de seu município para que ela institua a passagem do vermelho para o amarelo e só depois para o verde, de maneira a avisar os motoristas da frente que o verde está chegando e assim condicioná-los a sair imediatamente após o verde aparecer.

      Excluir
    4. Temos que lembrar também que, no sinal, se está em uma via pública, não em um grid de largada. Pode ocorrer muitas vezes de algum pedestre estar terminando a travessia. E se um carro que seja o quarto ou quinto na fila não conseguir aproveitar aquela abertura do sinal, tendo que esperar pela próxima, então o problema não está no primeiro carro da fila, que não "largou" imediatamente, e sim no muito pouco tempo que este sinal pemanece aberto, quando deveria permanecer mais.

      Excluir
  11. Não vou nem pensar em mais exemplos de péssimos motoristas, pois a lista já está bem completa e dá uma revolta absurda de se ver como é ruim o trânsito brasileiro. Tudo isso é fruto do "apaixonado por carros" só olhar para o próprio umbigo e dane-se a sociedade, jamais pensa no bem comum.

    Mas tem também a mania de trocar o óleo com 5000 km (no máximo), sempre usando o óleo mais barato que encontrar, sem se preocupar se é o adequado ao motor ou mesmo de procedência confiável.

    Estamos ferrados, o Brasil já era...

    ResponderExcluir
  12. Essa do carro quebar em rotações acima de 4500 rpm foi muito infeliz para não dizer vergonhoso,mas que belo conhecimento estão passando para as pessoas que assistem o programa eu por acaso liguei a tv no exato momento que a materia cestava sendo exibida e fiquei cabreiro com o que escutei, pior ainda ouvindo isso de um piloto.

    ResponderExcluir
  13. A razão disso tudo, Bob, de todos esses problemas da lista é a falta de rigor na habilitação de motoristas. E o despreparo de quem os ensina e avalia.

    Fiz minhas aulas práticas com um Celta 1.0 movido a GNV e fui avaliado com o mesmo carro. No dia da avaliação precisei apenas dar a volta em uns quarteirões e estacionar o carro. No trajeto todo o limite de velocidade era 40 km/h. Engrenei a primeira e desci a rampa do pátio, liguei a seta, mantive a direita e segui em frente. Passei a segunda, cheguei perto dos 40 e ali fiquei, em segunda marcha. Cinquenta metros adiante liguei a seta, aliviei o acelerador chegando à esquina. Pé no freio, pé na embreagem, primeira marcha, uma brecha, arranquei, levei o giro de ouvido, passei a segunda, cheguei a 40, rodei cinquenta metros e aliviei o pé para novamente ligar a seta e converter à direita, desta vez sem reduzir, pois a conversão era livre. E fiz isso até chegar ao pátio novamente, usando apenas primeira e segunda marchas. Estacionei e o troglodita do avaliador soltou a pérola "fez tudo direito, mas tem que aprender a usar a terceira marcha".

    Quer dizer, eu usei marchas baixas para fazer o carro andar, um carro 1.0 movido a GNV com três adultos (o avaliador com seus ~110kg, eu com 85kg e o instrutor, do mesmo porte físico que o meu) em uma via de 40 km/h e o imbecil me fala que eu não soube usar marchas?

    Com a habilitação desse jeito, o resultado não poderia ser outro. Quando a habilitação for levada a sério - por ambas as partes, motorista e Estado - esses males serão eliminados. Mas enquanto um automóvel gerar receita em IPVA, em multas, em impostos sobre combustível, não haverá interesse em impedir que pessoas despreparadas dirijam. Quanto mais motoristas mais combustível para o motor da corrupção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pra manter a velocidade você poderia ter passado a marcha, realmente. Mas pra acelerar um carro fraco, tem que fazer giro subir, mesmo.

      Excluir
    2. eu me recuso a passar a terceira abaixo de 40 por hora em um Celta 1.0 com gnv e três brutamontes dentro. O carro não estava berrando, nem "amarrado". A segunda do Celta a 50 km/h fica em 3500 rpm.

      Excluir
    3. Sem querer duvidar de você, mas a Meriva 1.8 lá de casa gira a uns 3200 rpm nessa velocidade em segunda... O Corsa 1.0 96 câmbio longo a 50 km/h estava quase cortando em segunda...

      Excluir
    4. fora a lenda q se passar a 3ª no exame bomba

      Excluir
  14. Nao poderia deixar de concordar e rir com estas esquisitices. So discordo da critica quanto a farois em tuneis, uteis, sim, nem tanto para se ver como para ser visto, assim no retrovisor como a frente, especialmente enquanto as pupilas se acostumam.

    Eu adicionaria uma outra esquisitice: nao so dar seta por 1km, mas tambem ir muito abaixo do limite por 1km antes da saida da auto-estrada. E ainda: so porque nao e dia util, nao significa que se deva ir a metade do limite e ainda policiar outros que ousam dirigir como se fosse dia util.

    ResponderExcluir
  15. Este Cesar Urnhani realmente presta um deserviço a comunidade autoentusiasta, vira e mexe ele manda uma destas pérolas...e se queima com quem gosta ou entende...mas a maioria dos motoristas acha q ele está certo...somos a minoria, a exceção na verdade.
    Sou advogado, mas venho de uma família de engenheiros(tios, pais, irmãos, etc...) e fico impressionado q eu, q teoricamente, em face de minha profissão, deveria ser uma pessoa, conservadora, careta, e dar pouca importância a mecânica, sou o q mais gosto e entendo do assunto.
    Meu carro é um Ford Focus 2.0 GLX Hatch, manual, e é o único carro na família q tem o câmbio mecanico, o de todos os outros é automático, uma legião de Fits, Civics e Corollas(moramos no Rio de Janeiro, o trânsito por aqui já está bem ruim, mas não tão ruim assim...).
    Qdo fui comprar o meu carro, todos estranharam o fato de ser mecânico, a até acho q alguns pensaram q fiz esta escolha pq o $$$ não dava para comprar um automático.
    Outro dia ouvi de meu sogro, experiente engenheiro mecânico na área de plataformas de petróleo, q estava precisando trocar a embreagem de seu carro automático(um Focus sedan), e vivo ouvindo outras pérolas como esta, trocar as sapatas do freio(num freio a disco), entre outras q não me lembro agora...inclusive acho q este seria um bom assunto para um post futuro...asneiras q o povo fala em mecânica(inclusive engenheiros).
    Bem, apesar de, como a propaganda diz, brasileiro ser fanático por carros, somos sim uma minoria, e infelizmente cada vez menos influentes e nossa sociedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já publicaram dois textos exclusivamente sobre isto e alguns especificamente sobre alguns termos. Em algum deles foi dito que é correto que o câmbio é manual e não "mecânico" como você escreveu.

      Excluir
    2. rsrsrs... Realmente, até por definição, o sistema de transmissão é mecânico...

      Mas já vi um cara falando que tinha que tomar cuidado com a correia dentada do carro dele, porque se estourar, lá vem prejuízo... Mas ele tem um Ecosport 1.6, que o motor usa corrente... Será que o mexânico dele mandou trocar a correia e faturou uns 200 reais em cima do coitado?

      Excluir
    3. se vc ler tudo q escrevi, verá q usei ambos os termos...puxa, comente as minhas idéias, e não um preciosismo bobo de escolha lexical...não faz a menor diferença...vc é um burocrata das palavras...é por isso q o mundo está deste jeito...mas de qq maneira, obrigado pela correção.

      Excluir
    4. Um carro automático em princípio tem mais que uma embreagem, por isso pode não ter sido descabida a afirmação de seu sogro.

      Excluir
    5. FL...
      Somente automatizados podem ter duas embreagens. Câmbios automáticos tem conversores de torque. Mais uma dessas e o povo do Auto Esporte te contrata...

      Excluir
    6. Caro 1k2,

      Na realidade existe mais que uma embreagem num câmbio automático tradicional, primeiro pode existir no bloqueio do conversor de torque, e depois existem várias (ou travões mas é mais comum embreagem) para cada grupo epicicloidal, ou seja, para cada relação é acoplada pelo menos uma embreagem do tipo húmido, quando não existe o acoplamento e dasacoplamento de conjuntos de embreagens para mudar relações.

      Cumprimentos

      Excluir
    7. Caro FL,

      Bloqueio de conversor de torque é algo recente. As cintas nos câmbios automáticos com engrenagens epicicloidais servem para bloquear e liberar um determinado grupo de engrenagens planetárias contidos nas engrenagens solares. Quando falo de embreagem, falo do mecanismo que acopla a força do motor vinda do câmbio ao diferencial, não de mecanismos internos do câmbio.

      Excluir
    8. Caro 1k2,

      Dada a sua primeira afirmação tomei-o por ignorante na matéria, todavia vejo que percebe da "poda" e vejo esta discussão como salutar, aprende-se sempre algo novo.

      O bloqueio de conversor de torque vem dos anos 1950 e é usado amplamente nas velocidades mais altas (relações mais baixas) há 30 anos, recente é o bloqueio em todas as marchas (ou quase todas) de forma generalizada.

      Se tomarmos a ligação de força motor-câmbio, realmente pode não haver embreagem como disse, mas não retira o fato de um carro automático ter geralmente mais embreagens que um manual (a não ser que use outros mecanismos como cintas/travões). Partimos de pressupostos diferentes e houve entropia de comunicação, ambos estávamos certos à nossa maneira e foi bom esclarecer.

      Agradeço-lhe que aponte a minha ignorância e me elucide, mas peço que não zombe de mim.

      Cordiais cumprimentos

      Excluir
  16. O que faz um país não são as cidades, não são os estados, não são as regiões.
    O que faz um país é a mentalidade de seu povo.

    ResponderExcluir
  17. Bob mudando completamente de assunto. Pediria a vc uma reportagem sobre lubrificantes de motores e suas aplicações. Como vc trabalhou em montadora deve ter acesso a serviço de engenharia de aplicação acho que seria legal para os leitores> Inclusive explicando a diferença da natureza dos óleos

    Obrigado

    Leister

    Ah, esta vc vai gostar > Sabe pq o motorista brasileiro não sai da esquerda
    è exatamente pra conservar a direita, meu pai falecido que falava isto

    ResponderExcluir
  18. Em muitos postos de Salvador, gasolina aditivada custa exatamente o mesmo que a comum, daí o motorista acaba achando que nao existe aditiva algum ali. Como acreditar numa "mágica“ dessa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se procede a informação que eu recebi, mas parece que a ANP não realiza os testes em gasolina aditivada, pois cada distribuidora tem a sua composição particular... looogo por isso que abre brechas para praticarem esses preços, se é que vocês me entendem né...

      Excluir
    2. Veja bem, aditivada ou não, existem alguns parâmetros que a gasolina deve seguir. Se passou, ok, se não passou, reprovada. Independente da aditivação que ela tem.

      O que a ANP não vai poder aferir é qual gasolina limpa mais o sistema, ou qual aditivo ajuda mais o lubrificante do carro, etc.

      Excluir
    3. Sim, concordo plenamente com esta lógica também Thales, porém eu não duvido que seja um procedimento adotado pela ANP já que sempre há brechas nessas horas.
      Vou me informar sobre isso com quem é proprietário de posto e depois comentarei.

      Excluir
  19. Usar luzes de posição, ou "faroletes" com o carro em movimento, porque ainda não é noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, também percebi que há muito mais motoristas trafegando com as luzes de posição no fim da tarde que à noite. Também é triste perceber que, sob chuva, a minoria liga as luzes do carro, e muitos só ligam as "lanternas" ou os faróis de neblina. Parece que o único risco é de colisão traseira.

      Excluir
    2. Também acho isso lamentável. O povo não sabe que farol não é só para ver mas tbm para ser visto. Aqui onde moro ocorre muita neblina e me irrita ver como muita gente usa apenas meia-luz (como as luzes de posição são chamadas por aqui) nessas condições de baixa visibilidade. Ao anoitecer é a mesma coisa, e as vezes, a gente quer fazer alguma ultrapassagem, precisa praticamente adivinhar que há alguém se aproximando no sentido contrário.

      A propósito, acho q não seria nada mal um post sobre condução sob condições adversas, tratando dessas e de outras situações.

      Excluir
  20. Só faltou complementar quanto a colocação das películas no pára-brisa que muitos ao dirigir à noite, acham os farois insuficientes e instalam as lâmpadas (somente as lâmpadas) tipo xenon. E não adianta explicar para o troglodita que todo o farol tem de ser trocado para tal fim.
    Em cidades do interior, algumas avenidas que têm conversão à esquerda são dotadas de uma faixa auxiliar para retirar o carro do fluxo principal, Pergunta se alguém usa? Da faixa que está, já inicia a conversão. Detalhe que não foge à regra é que aciona a seta 2 segundos antes. E você que vem atrás, que se vire para reduzir abruptamente.
    Só discordo quanto à lanterna traseira de neblina, muitos trafegam com ela ligada propositalmente. Provavelmente por alguma sídrome de baixa auto-estima têm de "mostrar" que o carro dele é diferente e tem o "opcional". Muitos carros que vejo trafegando com essas luzes ligadas têm interruptores separados para farol de neblina e lanterna traseira de neblina, quando não estão separados têm movimentos antagônicos. Somente a VW que insiste em fazer aquele interruptor que faz com que essa luz traseira seja ligada realmente sem querer (mas acende uma luz no painel, diferente do farol de neblina que o aviso fica apenas no interruptor)

    ResponderExcluir
  21. Bob. Concordo com tudo e ainda faço algumas considerações.
    Quanto à "seta infernal" no cruzamento onde só se pode converter para uma única direção: o nosso código de trânsito é falho , aliás em muitos aspectos, e diz que "todo deslocamento lateral deve ser sinalizado com a seta", ou seja, mesmo que haja somente uma direção a seguir, é um deslocamento lateral e portanto deve ser sinalizado. Não cheguei a ser multado, mas já levei mijada de um fiscal de trânsito por causa disso.

    E os que não sabem "fazer curva junto"? Quando tem uma curva com duas pistas que seguem para o mesmo sentido, a maioria não consegue fazer a curva sem invadir a pista a seu lado. Parece que estão conduzindo uma carreta.

    O carro branco passou a ser o queridinho do mercado. Vocês sabem que trabalhei 11 anos em revenda de carros usados. Era complicado, viu. Oferecíamos um carro branco: "ah, mas é da cor dos táxis..." Oferecíamos um preto: "ah, mas preto suja muito..." Então oferecíamos um prata, que na época era o preferido e mais disputado: "ah, não, mas o prata fica muito caro..." Mais de uma vez me deu vontade de chutar o traseiro do candidato a cliente.

    Anônimo das 14:45: na verdade a gasolina anda tão cara, que eu digo que vendem comum a preço de aditivada e não o oposto. Ou alguém vai discordar? Aqui onde moro também tem aditivada pelo preço da comum. Só que o preço da comum é R$ 2,989... Aliás, será que existe algum respaldo legal para cobrar o preço com três casas depois da vírgula, já que esse valor na verdade não é previsto na moeda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia, prata é cor de carro de locadora.

      Excluir
  22. Um senão, Bob,

    "Acha que piso molhado é um tremendo perigo e diminui a velocidade (que já é baixa) consideralvelmente, causando congestionamentos".

    O que vejo muito nas estradas, é o sujeito de achar um Senna da vida, e ao chover, continuar na mesma velocidade em que estava.

    É sabido que no iniciar da chuva, os pingos se unem ao óleo da pista formando um tapete escorregadio e perigoso. E é aí que mora o perigo.

    Nada de "quase parar", mas é preciso sim, tomar cuidado.

    "Nas lombadas eletrônicas de 40 km/h faz questão da passar a 25 km/h".

    Isso é o que mais me irrita.

    ResponderExcluir
  23. Alexandre H Silva03/06/12 15:35

    Afff, essa de "NUNCA" usar a faixa alta de rotação é de chorar.


    Faltou dizer que para os motoristas brasileiros as luzes do semáforo tem o seguinte significado:

    Vermelho: Freiar

    Verde: Acelerar

    Amarelo: Acelerar pra cara...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é, mas tem os medrosos que ao amarelar, mesmo que o carro estaja quase passando a faixa, o cara "joga a âncora" e soca a 'pata' no freio e você que vem logo atrás quase 'soca' a traseira do imbecil, canta pneus pro cara olhar no espelho com cara feia ainda...e se bater, ele vai descer e falar bem grosso: "quem bate atrás é culpado". já aconteceu comigo, bati na traseira da infeliz, de leve, ela desceu cheia de argumentos, eu simplismente esperei o sinal abrir e fui embora, no maior 'que se foda' mesmo. garanto que ela nunca mais vai enfiar as patas no freio antes de olhar no espelho.
      mas sempre alguém vai falar: e a distãncia segura etc etc etc...se a jaca já não tivesse lenta não taria nem perto.
      as ruas estão cada vez mais immpraticáveis, cheias de mamães em SUV's e babacas em carros financiados com isofilme, tirando os taxistas...
      que nojo de andar na rua! bando de infelizes...

      Excluir
    2. Você errou, ADMITA ISSO, seja homem e digno, o sinal amarelo não quer dizer "acelere como se fosse salvar sua vida".

      Pior que, além de errar por estar perto demais do carro da frente, você ainda foi mal caráter em fugir, a pessoa não tem que ficar olhando no espelho o tempo todo só pra corrigir o seu erro, você também tem que evitar a colisão.

      Excluir
    3. Anônimo 16:17, você tava andando colado no carro da sujeita, tanto que não teve tempo de reação... E depois não quis arcar com a responsabilidade? Que mal exemplo hein?

      Excluir
    4. concordo com o mal exemplo do camarada, mas realmente esse negócio de jogar a âncora é real. se ele tivesse num caminhão tinha dado pt no carro da tia...muuita gente acha que está sozinho na rua, e dane-se o resto do tráfego, fluxo etc...
      muita gente (taxistas na maioria) ficam amarrando o trânsito esperando o sinal amarelar...
      via limpa, sinal verde, e o cara da frente desacelerando gradativamente e você atrás...dá lhe paciência!!!
      também tenho nojo de andar na rua, os motoristas são ruins meeeeesmo!

      Excluir
  24. Só não concordo muito com a parte de "Acha que piso molhado é um tremendo perigo e diminui a velocidade (que já é baixa) consideralvelmente, causando congetionamentos."
    porra eu diminuo com pista molhada. já diversos engavetamentos por sujeitos que mantiveram a velocidade e por andar colado no carro da frente.
    além do risco de aquaplanagem .
    claro que não é pra se arrastar, mas deve -se dimunir a velocidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordar muito ou pouco não diz nada. ou sim ou não!

      você diminui? nossa que precavido!!!!! mas se já está a 35 km/h na suv da mãe pra diminuir mais???? ah sim, o filme no parabrisa não deixa voc~e enxergar a estrada.....to ligado...

      Excluir
    2. Bem nessas... O ideal seria reduzir para uma velocidade em que a capacidade de drenagem dos pneus funcionasse a contento de modo que o carro não perdesse contato com o asfalto. Outro fator a considerar é que na chuva a visibilidade cai, e portanto deveríamos dirigir de modo que, ainda com a visibilidade comprometida, fosse possível prever e evitar eventuais situações desagradáveis (carros enguiçados, pedestres, animais, buracos, pontos de alagamento, etc.). Mas a velocidade em que somos obrigados a andar em pista seca já é tão baixa, que mesmo em situação de chuva forte seguir esses conselhos e ignorar o limite imposto resultaria em andar mais rápido, não mais devagar!

      Excluir
    3. Exatamente Braulio,em piso molhado tem que diminuir, como falo não se arrastar, mas diminuir, se vem a 120km/h baixo pra 100km/h por ex.
      a proposito, não tenho suv nem uso filme no para-brisa.
      mas se o sujeito já está devagar então não precisa diminuir claro.

      Excluir
  25. Rafael Ribeiro03/06/12 16:11

    Esquisito é nosso país:
    * O Governo Federal incentiva a todo momento a compra de carros. Você compra.
    * O governo municipal estabelece um rodízio, dizem que tem muito carro na rua...
    * Você compra mais um carro, mais barato, só para os dias de rodízio.
    * Com dois carros em casa, te enchem o saco para usar bicicleta, é "verde".
    * Porra, não era melhor tirar os impostos das bicicletas então???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade a exploração do (des)governo não tem limites! Todo mundo tem carro então impõe um rodízio, a estrutura de energia elétrica e iluminação publica e insuficiente?! então aumento o preço em horário de pico e diminui na hora Q o povo esta descansando.
      Bando de miseráveis todos temos que pagar pela incopetencia deles!

      Excluir
  26. Bob;

    Ri demais com o Post de hoje!!!! EXCEPCIONAL!!!! A coisa é bem por ai mesmo.

    Gostaria de acrescentar outras esquisitices:

    -> Motorista que tira o carro da imobilidade e põe segunda, anda dois segundos põe terceira, sucessivamente até chegar aos 40km/h em quinta marcha (se tiver 5 marchas. Se tiver mais coloca todas...)

    -> Troca óleo baseado na qualidade do óleo: Oleo dos 5 mil, dos 7500 e dos 10 mil km.

    -> Mede o prazo da troca de óleo usando o "viscosímetro digital": Coloca o dedo polegar e indicador no óleo da vareta e fica vendo se está pegajoso ou não.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho03/06/12 23:22

      Daniel,

      Por essas e outras de deixei de usar oficinas e postos de combustíveis para fazer alguns serviços nos meus carros.
      Volta e meia discutia com o atendente pq saía com uma pérola dessas do óleo. Certa vez o cara o trocador me peitou perguntando se eu sabia mais que o técnico da fábrica. Puxei o manual do porta luvas e mandei ele procurar essa informação.
      Hoje procuro fazer as revisões na concessionária, pelo menos não vou ouvir besteiras.

      Excluir
  27. quando o cara coloca lâmpada de cor não convencional no carro ele só vai andar com ela ligada. se for no facho baixo, só vai usar o facho baixo. se for o alto, só vai usar o alto. se for farol de neblina, só vai usar farol de neblina. e já vi alguns carros rodando à noite apenas com os filetes de leds ligados, e nada mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se for led ainda está bom... Aqui em São Bernardo, não é raro ver as "feras" usando apenas aquela lâmpadinha pingo azul em plena noite. Achando que está todo tunadão... ahahah

      Excluir
  28. Esquisito é o sujeito ter um carro e não ter condições financeiras de mantê-lo. Não regula o farol baixo, não faz alinhamento, circula com pneus carecas, não tem luz freio... Os que tem condições financeiras usam películas escuras, adaptam lâmpadas mais fortes, compram carros que nunca vão utilizar ao que se propõe, socam no chão, acham que estão abafando...
    Com grana ou sem ela o problema é cultural, a imprensa incentiva as pessoas com está história de que carros representam status, "dar inveja aos vizinhos".
    Vivemos nos tempos de Brasil colônia, não evoluímos...

    ResponderExcluir
  29. Muto boa, Bob!

    Falta muito refinamento para o motorista aqui no Brasil, muito mesmo.

    Sobre um dos tópicos; é notável que a maioria dos motores à venda aqui no país são pequenos, ou seja, de baixa capacidade cúbica, sendo, precisam de rotação para oferecerem rendimento... Será por isso que vemos tantas "lesmas" na rua?

    ResponderExcluir
  30. Não sei como não quebrei o motor do Fiat 1.0 16 válvulas que eu tive! Foi pura sorte então? Será que é por essas bobagens de baixa rotação que acabaram com os cabeçotes 16v nos "populares"? E será que é por isso que tanta gente se ofende quando se fala mal do motor do Jetta 8 válvulas???

    ResponderExcluir
  31. Hoje na Raposo Tavares tinha uma mulher com uma SUV gigantesca, como todas elas, andando a 40 km/h na faixa do meio e, claro, segurando todo o transito...

    ResponderExcluir
  32. Não é comportamento, mas não é comum de encontrar carros com os espelhos rebatidos. Po! o cara anda com o espelho retrovisor "fechado" e não percebe algo de errado?

    Sobre o auto esporte

    Quando vi a propaganda do programa ontem a noite, já imaginava que fosse falar besteira. Claro que não assisti (perder o sono numa manhã de domingo para ver auto esporte? sem chance...), mas vi o link...

    AHAHA

    O cara é uma piada. Piloto de testes que disse que o veloster tinha injeção direta e 140cv, vem com essa agora? Canso de levar o carro a mais de 4500 rpm e nunca quebrei nada. Devo ser "abençoado"..haha

    E o que falar do Escort Zetec, que "acordava" somente após 4500 rpm? Andava direto acima disso e nunca quebrei nada....

    Imagino na cabeça desse cidadão ele ultrapassando um caminhão em pista simples. Deve levar uma eternidade, sem contar o perigo que se expoe....


    Marco

    ResponderExcluir
  33. Hoje na Raposo Tavares tinha uma mulher com uma SUV gigantesca, como todas elas, andando a 40 km/h na faixa do meio e, claro, segurando todo o transito...

    ResponderExcluir
  34. "Acha que dar seta é autorização para sair da sua fila e ultrapassar. Quem vier atrás que se segure no freio – "mas eu dei seta..."."
    Já passei por muitas situações em que, na estrada na iminencia de ultrapassar aquele caminhão e evidentemente dando seta, vem o espertão lá da malasia e se joga na faixa de ultrapassagem...

    ResponderExcluir
  35. Gostei. A lista é o retrato fiel das motoristas de Moema.

    ResponderExcluir
  36. Eu acrescentaria ainda na lista, estacionar em frente entrada e saída de veículos com a justificativa de que "é rapidinho, vou alí e já volto...." grrrrrrrr como isso me irrita!!! Cidade pequena isso é triste.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São só 5 minutos!
      Deixe de ser egoísta!!

      Excluir
    2. Egoísta nada! A porta da minha garagem não é estacionamento!

      Excluir
  37. Como td morador de SP, vc anda BEM por fora das modinhas automotivas brasileiras.

    Olha só qual é o último grito nos parabrisas:

    http://images.orkut.com/orkut/photos/RAAAAL6N_EG4TSviVRH2jlCw82tPSkfAC26aiEixXpQAD4S7_arQHk5l4Kdsr5ei9-6zk_MqdMaedEUvP18VgpmC74pI0mzHywKc2Exz9aOOK9wtAJtU9VCMwYNa5kswzdxbC0MhyrODorFQdA.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho03/06/12 23:25

      Quando o dinheiro se encontra com o mau gosto...

      Excluir
  38. Marcelo Junji03/06/12 22:48

    E tem mais.
    Faz curvas de esquina invadindo a contramão. E ainda olha feio se a gente ocupa o espaço dele.
    Colam na gente dando farol alto quando estamos na esquerda em condição de trânsito pesado, e não é possível dar passagem imediatamente, pois a faixa da direita também está cheia. Grandes SUVS costuma fazer isso.
    Quando estamos esperando atravessar uma rua que está congestionada, não deixam uma brecha para a gente passar.

    ResponderExcluir
  39. Bob, esqueceu de mencionar aqueles motoristas que acham que tem visão noturna.... simplesmente andam no maior "breu".... Lambro ainda os proprietários de C3, C4, Picasso, Civic - entre outros - que "esquecem" de ligar as lanternas/farois à noite...

    ResponderExcluir
  40. O melhor de todos é o "milagre do pisca-alerta", como se, ao ligá-lo, a dondoca está autorizada a atrapalhar o trânsito do bairo inteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em BH me impressiona a palhaçada das filas duplas e triplas na frente das escolas, além do clube do faról de neblina.

      É de cair o rabo do cavalo.

      Excluir
  41. Sensacional Bob, me senti parado no trânsito de SP, rsssss, será que este país tem conserto??

    ResponderExcluir
  42. Eu diminuo a velocidade quando tem cachorro (gato, vaca, cavalo, etc) perto da pista. Afinal o comportamento dos animais é imprevisivel. Mas também dimunuo para pedestres, principalmente crianças. Qual é o problema em fazer isso?

    ResponderExcluir
  43. Eu diminuo a velocidade quando tem cachorro (gato, vaca, cavalo, etc) perto da pista. Afinal o comportamento dos animais é imprevisivel. Mas também dimunuo para pedestres, principalmente crianças. Qual é o problema em fazer isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. taí um caga-bosta de bunda-rachada que não entendeu o que o Bob escreveu.

      o problema é aquele que freia forte numa rua para um pombo com uma carreta atrás... mas que ACELERA pra pedestre... dando peso desigual entre ser humano e animal...

      entendeu agora ow pé-de-serra do caraio!

      Excluir
  44. Claro Anônimo 09:40, concordo com você.
    Outro motivo para eu reduzir a marcha, é quando vejo uma bola travessar a pista.
    Isso se chama direção defensiva e deveria ser adotado por todos.

    ResponderExcluir
  45. Marco Brito04/06/12 10:21

    Sua lista de barbaridades está bem completa. Acho que deveria apenas comentar o fato de que poucos motoristas sabem utilizar de maneira correta os faróis alto e baixo em estradas ou em cidades. Tenho a impressão que muitos adoram aquela luz azul no painel, sem mesmo saber o que ela indica.
    Seria conveniente o Cezar Urnhani ter comentado sobre faixa útil de giros, afinal nem todos os automóveis possuem a mesma motorização. Há quem ainda possua carros antigos, cuja faixa limite coincide com aquela que ele disse ser a ideal (4000 rpm). Essa derrapada deixou patente que esse programa está par e passo com a revista Caras, um tributo ao nada!
    Mas ele já foi pior, muito pior!

    ResponderExcluir
  46. Fala ao celular, trafegando à metade da velocidade da via, trancando a faixa para os demais veículos atrás de sí, ou ainda, atende celular num cruzamento, fazendo pensar aos motoristas que estão esperando, atrás de sí, que o veículo está com algum problema mecânico (engasgou, apagou, anti-furto, etc).

    Simplesmente adota uma postura egoísta, ao melhor estilo "danem-se, idiotas !", agindo de forma totalmente imune a buzinadas dos outros veículos.

    ResponderExcluir
  47. Não tem nada a ver com carro, mas outra mania besta é essa de achar que Brahma e Skol são as melhores cervejas. Putz! Ou ninguém percebeu que essas duas caíram burtalmente de qualidade, ou pior: perceberam, mas o conceito está tão incutido na mente que não são capazes de experimentar outra. Talvez seja o mesmo raciocío do cara que compra VW pensando na durabilidade e robustez da época do Fusca. Na mente dessas pessoas, só existem duas marcas de cerveja, duas marcas de carro, dois partidos políticos...

    João Paulo

    ResponderExcluir
  48. Antarctica e Brahma, assim como a Skol, pertencem a mesma empresa que é a Ambev.
    Mas já vi pessoas brigarem a socos para defenderem sua marca preferida.

    ResponderExcluir
  49. Em Sampa, seta é acelerador... do carro do lado. É só dar seta pra entrar que o fdp acelera pra não dar passagem. A falta de gentileza e educação por aqui é de chorar. E o pior é que todo mundo se acha no direito de dar lição de moral no outro e ninguém olha pro próprio umbigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e o cara que dá seta, você dá a vez... e ele diminui a velocidade, fica panguando na sua frente... acontece direto!

      Excluir
    2. vc acha o motorista de sp ruim? vai pra ssa e me fala

      Excluir
  50. Aqui em SC é a mesma coisa... você vai ultrapassar o cara e ele começa acelerar. Porém, depois de ser ultrapassado, ele diminui a velocidade.

    Outra coisa fora do comum é a forma que o povo daqui cuida do automóvel. O carro precisa estar brilhando, filmado e perfumado. Não precisa ter limpador e desembaçador do vidro traseiro, mas precisa de rodas gigantes e um super som. Depois de gastar todo o dinheiro com as rodas e com o som, sobra pouca grana para comprar um pneu decente... que vai rodar até aparecer os arames e, sempre descalibrados. O pessoal não cuda da mecânica.

    Balanceamento e alinhamento? Não!!! Polimento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como catarinense que sou, confirmo!

      Excluir
  51. E os motoqueiros, ninguém lembrou dos melhores nós cegos das ruas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses estão por conta da seleção natural. Só os melhores sobreviverão.

      Excluir
    2. Só os melhores sobreviverão? Então Ayrton Senna era ruim. Entendi.

      Excluir
  52. aqui os maiores problemas são os latifundiários da faixa esquerda e som alto, não sei como os caras conseguem suportar aquela barulheira, quase sempre que passa um com som alto logo depois se escuta o som de um alarme disparado, maior falta de respeito, aliás alguém sabe se existe alguma lei que defina o volume máximo que um som pode ficar?

    ResponderExcluir
  53. E o pior é que essa falta de inteligência acaba "pegando". Canso de reclamar quando pedestres... eu disse pedestres, cruzam atras ou à frente do veículo, com ele já em movimento, e não estão nem aí. Morrem atropelados mas com toda a razão. É o fim.

    ResponderExcluir
  54. desserviço é este post... tá malz heim Bob!

    ResponderExcluir
  55. Em Ribeirão temos alguns contribuíntes à lista...
    1) Colar no carro da frente quando em movimento e deixar uma boa distância quando para (motos adoram fazer isso);
    2) Esgoelar o carro ou a moto na saída do semáforo para não ser ultrapassado por uma mulher (mesmo que ela esteja em uma moto de 300 cm³ e o figura numa Pop...);
    3) Atormentar os outros com o seu (ou a falta dele) "gosto musical" e estampar adesivos como "O fim do silêncio" e "trincando os graves";
    4) Estacionar de forma a ocupar sozinho o espaço de dois carros. Tem até motociclista que consegue essa façanha mesmo com bolsão de estacionamento de motos;
    5) Ir para a direita quando vai virar à esquerda e vice versa em plena rotatória;
    6) Emparelhar 4 carros em 4 faixas na estrada;
    7) Diminuir a velocidade quando vê um marronzinho (agente de trânsito);
    8) Andar 10 km/h abaixo da velocidade limite quando tem radar na pista;
    9) Motoristas de ônibus que ocupam duas faixas parado;
    10) Motoristas de ônibus "tranca-rua" que vivem trancando cruzamentos;
    11) Os mesmos tranca-ruas que correm no bairro e depois ficam só brecando no centro da cidade antes de chegar no terminal;
    12) Motoristas que estão pela direita passam pela esquerda só porque não querem serem ultrapassados por um carro velho;
    13) Gente que não pisa fundo na embreagem (especialmente GM) e depois reclama na firma que o câmbio é "inseguro";
    14) Carro que está manobrando para estacionar e as motos passando na maior "fina" sem dar tempo do motorista completar a manobra. Alguns motoristas fazem o mesmo.

    ResponderExcluir
  56. Faltou uma: brasileiro chega a atrapalhar o trânsito para avisar ao motorista ao lado sobre uma porta mal fechada ou um pneu um pouquinho mais baixo, mas é o último a dar passagem quando aquele mesmo motorista precisa de ajuda para entrar numa via...

    Quanto a trocar de marcha abaixo de 2.000 rpm, está certo! Abração, Bob!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inclua aí os criminosos que avisam aos membros da quadrilha a presença da polícia na estrada.

      Excluir
    2. os criminosos fardados??? tem que avisar mesmo, essa laia é tão suja quanto sua bunda anônimo 15:57

      Excluir
    3. Não tardou para aparecer um ignóbil.

      Excluir
  57. Falando em pedestres já escutei isso de um uma vez: "Se ele me atropelar está ferrado!"

    ResponderExcluir
  58. Cleberson Pertile08/06/12 00:43

    Não entendo por que existe tanta "birra" com película nos vidros do carro… Eu uso 50% no para-brisa e 20% no restante, e não sinto dificuldade nenhuma em enxergar, dirijo normalmente debaixo de temporal e às 4 da manhã. Eu uso película porque o sol TORRA aqui no verão, e também porque não gosto que fiquem olhando o que faço dentro do meu carro, principalmente os mal-intencionados que queiram avaliar o que tem pra roubar, como minha central multimídia. Falando em central multimídia, eu tenho "som" no meu carro porque eu adoro ouvir música eletrônica, e sempre ouço com todos os vidros fechados… Qual o problema? Dentro do carro é alto, mas fora dele deve ser abafado pelo simples barulho do motor. Andando, então, os pneus vão abafar completamente o barulho.

    Está ocorrendo um tipo de generalização aí. O problema não é quem escuta som "alto", o problema é quem instala som pros outros ouvirem, geralmente pickups de mola cortada.

    Outra coisa tosca são os caras que simplesmente não entendem que xenon NÃO SERVE pra farol comum e insiste em colocar xenon em farol refletor, ainda mais aqueles antigos com o farol todo "recortado", que seria pra espalhar mais a luz das fracas lâmpadas que existiam antigamente… Uh povinho animal.

    Sem contar os bocós que não entendem que os faróis têm facho assimétrico, acham que o esquerdo está "mais baixo" (incrivelmente nunca é o direito que está mais alto, né?), e jogam o esquerdo lá pra cima, bem no teu olho.

    Mas realmente não entendo por que reclamam tanto de película nos outros carros. Não dá sensação de superioridade nenhuma, dá a mesma sensação que usar óculos escuros (visão mais confortável, menos brilhos refletindo na cara), e não deixa que o carro fique pelando por dentro (ainda mais quem tem banco de couro). Carro sem película nenhuma parece um aquário…

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba Bob. O Cleberson (é seu nome mesmo ou você está de zoeira?) detonou, heim!

      Excluir
  59. Agora, o ágio pelo carro de cor branca foi institucionalizado.

    A Peugeot cobra R$500,00 a mais pelo 208 branco (eles dão um nome chique só pra não falar que é branco sólido, mas o branco perolizado está lá por uns R$1.300,00 a mais). O vermelho sólido custa R$ 0,00 a mais. Deve funcionar para a montadora, pois 80% dos 208 que vejo são brancos.

    Por isso que tem tanta montadora vindo para o Brasil. Eles sabem que aqui se vende qualquer lixo com um mínimo jogo de marketing.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.