PAI DE FAMÍLIA É DEVORADO VIVO NA FARIA LIMA

Sábado agora, voltando a pé da padaria lá pelas sete e meia da noite, passo ao lado de um ponto de ônibus. Um ônibus para e dele desce um pai com uma criança no colo. Mais três crianças levando duas bolas de futebol o acompanham.

Eles atravessam a Av. Brigadeiro Faria Lima e seguem sei lá pra onde. Todos cansados. O pai mais ainda, porque o moleque no colo era dos pesados e estava largadão de babar.

Bom, pensei comigo, esse tá numa boa e numa pior. Numa boa porque está com a filharada e foi se divertir com ela, e numa pior porque foi mordido feio no que gastou de transporte.

A tarifa de ônibus está custando R$ 3,00, que eu sei porque de vez em quando pego.

É claro que há descontos para estudantes, vale-transporte etc, mas não quero saber. Tarifa é tarifa e alguém está pagando a diferença, e no fundo quem paga essa diferença do vale-transporte é o próprio empregado, pois esse valor poderia ser incorporado ao seu salário, e boa. De qualquer modo, se ele não foi atrás desses descontos ele gastou no mínimo R$ 24,00 para ir e voltar. E isso se eles pegaram só uma condução em cada trajeto. Se acaso pegaram duas, o sujeito gastou quase 50 reais, mas isso sei que ele não fez, ou melhor, acho que ele não teria peito de gastar tanto.

Com R$ 24,00 dá pra colocar uns 9 litros de gasolina no tanque, mesmo sendo a nossa gasolina cara como é, e com 9 litros se vai longe com um carro econômico. E se vai na boa, com conforto, podendo levar lanche pra criançada, com a criançada animada na ida e dormindo na volta, sem risco de tomar chuva ou passar frio, sem espera no ponto, sem apertos, sem ter que ficar em pé chacoalhando e se agarrando onde der, sem se espremer a gente estranha, sem ter que ficar aflito de olho onde as crianças estão pra não perder alguma; sem os inúmeros inconvenientes - inúmeros - que o nosso malfadado transporte público proporciona.

Esse pagou vinte e quatro paus pra sofrer.

E depois não querem que esse homem almeje um carro. E depois não querem que esse sujeito olhe para tudo quanto é carrinho alquebrado e sonhe com ele. E ele nem olha pra carrão nem para carro novo, não, porque seria um sonho muito acima do realizável, e aí não seria um sonho, seria um rápido devaneio, uma brincadeira, porque só sonhamos mesmo com algo que seja possível, com algo possivelmente alcançável, planejável, mesmo que difícil.

Chegando em casa abri o site da SPTrans (http://www.sptrans.com.br/) para ver como funcionava a tarifa para estudantes etc, e curiosamente não achei em lugar algum o valor da tarifa normal, a de R$ 3,00. Sei que sou ruim para essas navegações internéticas, mas a SPTrans deveria contar que existem algumas outras pessoas tão retardadas quanto eu, mesmo que poucas. Só sei que não achei, e se o leitor se der o trabalho de achar e me avisar como achou, agradeço. E se puder me explicar porque não evidenciam esse valor, agradeço ainda mais.

Com vinte e quatro paus dá pra comprar uns 13 litros de óleo diesel. Com 13 litros de diesel esse buzum roda fácil de 40 a 50 km na cidade. Esse pai de família está sendo explorado, não está? Não é preciso fazer muita conta, tal a evidência.

Curiosamente em Buenos Aires a tarifa do ônibus gira em torno de R$ 0,40. Isso mesmo, quarenta centavos de real, ou seja, a nossa passagem de ônibus é 7,5 vezes mais cara que a de Buenos Aires, ou 650% mais.

Lá esse pai de família teria gasto R$ 3,20 em vez dos suados R$ 24,00.

E depois tem gente que vem me dizer que os argentinos estão lascados.

Tá bom.

Não conheço governo que explore mais o seu povo que o nosso governo, em todas as esferas do poder. E não é de hoje; isso vem de longe e vem sempre crescendo. Sua volúpia é tanta que acabaram perdendo a compostura, perderam as estribeiras, e foi nessas, por overdose, que eles erraram, e agora só resta esperar para vermos o troco; é matemático. E o leitor não espere que os governantes se toquem disso e tomem providências para amenizar a situação, porque eles simplesmente perderam a noção, estão psicodélicos e só acordarão tarde para a realidade.

Vamos ver até onde essa corda estica. Vamos ver até quando esse pai de família aguenta. Vamos ver quando é que esse sujeito toma consciência de que o devoram vivo.

Nós veremos, sim. Só espero que não demore muito, porque o barril de pólvora está se enchendo.

AK

57 comentários :

  1. Aléssio Marinho04/07/11 09:17

    AK;

    Perdemos a capacidade de se indignar e regir as injustiças, nos conformando como carneirinhos.
    O povo hoje só quer saber de pão e circo.
    Nossa juventude anda mais preocupada em legalizar a maconha do que construir um país descente para seus filhos.
    Cada dia que passa ficamos mais individualistas e fechados nos nossos casulos.
    Assim, nossas otoridades acham que estamos no circo, e usando nariz de palhaço.
    Existe uma saída: o aeroporto?

    ResponderExcluir
  2. AK
    Texto irretocável.

    ResponderExcluir
  3. AK,

    com a filharada não daria para ir de moto. Mas não é a toa que tem se vendido tanta moto pequena, com o valor das passagens se paga a prestação e a gasolina.

    De quebra ainda se economiza um tempão, pois o buzão vai catando gente e a moto vai ligeira mesmo no trânsito ruim.

    Pena que o trânsito seja tão hostil às motos e muita gente não faça o mesmo por medo.

    ResponderExcluir
  4. E o mais engraçado é ver essas "greves" de motoristas e cobradores que nada mais é do que uma armação entre sindicalistas e donos destas empresas de ônibus para justificar mais aumentos nos preços da passagens e, consequentemente, lucros espetaculares para os patrões, mas absolutamente nenhum retorno para a enorme população que utiliza estes serviços.

    ResponderExcluir
  5. Texto Irretocável [2]

    Em minha cidade ainda vale a pena ir de carro pro trabalho, passagem aqui é R$1,80 (vai pra 1,95 em breve) enquanto de carro, eu gastaria uns R$8 de gasolina, se for bem 'no totozinho'. Parece pouco se considerar uma ida, mas jogue isso num mês inteiro de trabalho, fora o desgaste do carro e etc.

    Poderíamos ter um transporte público menos traumático, mas infelizmente muitas viações de ônibus estão na mão de políticos ou de empresários ligados a eles. E também é difícil de realizar uma greve, afinal todos tem que trabalhar e faltar não é uma opção inteligente. Fico triste em ver histórias assim, de pessoas que não tem opção a não ser arcar com um busão.

    ResponderExcluir
  6. Só p/ complementar a idéia, gostaria de chamar a atenção que não é só no transporte público que somos espoliados. O brasileiro paga TUDO mais caro do que a maioria dos outros povos, da comida ao lazer. Somos constantemente explorados e fazemos de conta que tudo está bem. Infelizmente a mistura da ignorância com a alienação faz de nós um dos povos mais idiotas do mundo.
    Leduard

    ResponderExcluir
  7. Eu fui um explorado pelo transporte coletivo durante anos, moro no Jabaquara e trabalho no km18 da Rodovia anhanguera, acordava as 4 da manhã, e chegava lá as 6,as vezes eu chegava tarde no serviço e para voltar para casa a maioria da frota já tinha sido recolhida e eu sofria no ponto.Um dia me ofereceram um Escort 1989 gasolina , carro tá bem conservado e o dono me disse que poderia pagar como pudesse, nuca fui tão feliz por dia gasto torno de 4 litros para ir e voltar em torno de 10 reasi saio de casa as 5 e 20 volto a hora que quero para casa , e não fico apertado como lata de sardinha,se não precisar nunca mais uso tranporte coletivo, é preciso que o sistema melhore muito para cativar quem tem carro a usa-lo

    ResponderExcluir
  8. Arnaldo,

    Está corretíssimo.

    Eu e minha mulher juntos recebiamos cerca de R$ 200,00 por mês de vale-transporte, oque em termos práticos são cerca de 90 litros de gasolina.

    90 litros nos dava a autonomia de quase 1.000 kilometros por mês e que com todo o trânsito do mundo "apenas" uma hora de trajeto para ir e outra hora para voltar do trabalho.

    Quando o carro quebrava era um inferno. Duas horas para ir e duas horas para voltar, de pé, com mochila, marmita, gente fedida e mal educada te incomodando, sem falar em dias de chuva com 100 pessoas respirando em um ambiente com todos os vidros fechados .

    É desumano.

    Um abraço,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  9. Pra ver o quanto o preço das passagens é exagerado é só fazer um exercício prático no supermercado e constatar o tanto de coisas que você conseguiria comprar com esses mesmos 3 Reais.

    A desculpa pronta costuma ser o excesso de isenções.

    ResponderExcluir
  10. O governo explora, e o que o cidadão faz? Reclama, protesta? Não! Vai atrás de alguma forma de vale transporte, de algum benefício, de alguma bolsa não sei o quê, pensa em fazer um concurso público. Tenta achar alguma esmola, se acha esperto, mas é na verdade um trouxa que participa de todo esse circo. Brasileiro merece o país e o governo que tem.

    ResponderExcluir
  11. Desculpe-me mas não entendi a real intenção do texto. Fazer com que resolvamos um problema criando outro? Todo mundo enchendo mais ainda as ruas de carros? Ou fazer com que briguemos pelos nossos direitos? Se pagamos além do que deveríamos pelo transporte público, também pagamos além pelo tal carro "econômico".

    João Paulo

    ResponderExcluir
  12. Desculpe-me mas não entendi a real intenção do texto. Fazer com que resolvamos um problema criando outro? Todo mundo enchendo mais ainda as ruas de carros? Ou fazer com que briguemos pelos nossos direitos? Se pagamos além do que deveríamos pelo transporte público, também pagamos além pelo tal carro "econômico".

    João Paulo

    ResponderExcluir
  13. Arnaldo lembrei de vc:

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/lotus-exige-podera-ter-uma-versao-de-rali-no-salao-de-frankfurt/

    sei que gosta do carro, mas a combinaçao com rali vc aprova?

    abraços

    ResponderExcluir
  14. Não adianta querer ferrar a vida do motorista só para ele usar transporte público, se este não é satisfatório.

    Não só em São Paulo, mas no Brasil todo, há muita ineficiência na gestão de muitos setores, de transportes a obras para a Copa FIFA de 2014.

    Às vezes problemas escancaradamente simples de se resolver são completamente negligenciados por incompetentes ocupando cargos importantes.

    ResponderExcluir
  15. use bike!

    não é?...

    ResponderExcluir
  16. Andar de busão é uma facada mesmo, mas não se esqueça que no carro para um passeio simples, esse pai de familia teria que pagar o estacionamento, flanelinhas e afins, que em SP não é nada barato. Financeiramente ficaria quase na mesma, mas o conforto e a praticidade do carro compensariam qualquer diferença financeira.

    ResponderExcluir
  17. Tudo nosso é mais caro. Tudo. Uma boa BIKE que nos EUA custa USS 350,00 ( RS 553,00 ) aqui custa R$ 4200,00.

    São os impostos que são enormes e a margem de lucro também.

    É por isso que mais e mais brasileiros viajam para o exterior, nem tanto pela viagem em si, mas para comprar perfumes, roupas e relógios nos FREE Shoppings, e outros produtos, até utensílios de cozinha.
    Entrem no site amazon.com e vejam os preços.
    É triste.

    ResponderExcluir
  18. Rodo 37km para ir trabalhar.
    Mais 37km pra voltar.

    Do ABC Paulista à Zona Norte da capital. Não outro meio de transporte mais econômico do que o carro. São 3h/dia dentro do carro, isso fugindo dos horários de pico. De ônibus/metrô seriam de 5h/dia e gastando R$8,00 a mais por dia.

    Há casos em que o carro É sim um transporte muito viável.

    Se eu rodasse 5km aí eu usaria um ônibus... talvez.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  19. Vocês me desculpem por causa do meu ponto de vista. Empresário visa o máximo de lucro possível. A sua única função social é dar emprego. se o governo não regula direito este serviço essencial é outro assunto. Há argumentos para passagem ser mais cara em nosso país do que em outros. O preço dos veículos é absurdo, a legislação trabalhista getuliana encarece os custos, a gratuidade é para quem tem e quem não tem direito (chega a ser engraçado aqui no RJ as pessoas colocando a camisa do colégio público para entrar no ônibus e nem escondem que estão indo para a praia, por exemplo)e outras cositas más. mas concordo, que 3 pratas é muito.

    ResponderExcluir
  20. Arnaldo,
    certíssimo. Uso ônibus de vez em quando, umas duas vezes por mês, e me sinto um E.T. pagando com dinheiro. A maioria tem o bolhete único. Outro dia, antes de ir a 3 reais, desci sem pagar por ordem do cobrador, pois ele não tinha troco para uma nota de 10 reais. É caro e o fim da picada mesmo.
    Tudo culpa de governos folgados, e de povo que só se preocupa com Carnaval, futebol e novela.

    ResponderExcluir
  21. Por essas e outras que é bom morar no interior. Se vai da casa ao trabalho, ao banco, ao supermercado, etc., tudo a pé. Custo de transporte: R$ 0,00.

    Sem falar que tudo no interior (desde aluguel até compra no supermercado) é mais barato. Por essas e outras posso dizer que ganha mais quem ganha R$ 1.500,00 por mês em uma cidadezinha do que quem ganha R$ 2.500,00 numa cidade de grande porte.

    ResponderExcluir
  22. Por essas e outras que é bom morar no interior. Se vai da casa ao trabalho, ao banco, ao supermercado, etc., tudo a pé. Custo de transporte: R$ 0,00.

    Sem falar que tudo no interior (desde aluguel até compra no supermercado) é mais barato. Por essas e outras posso dizer que ganha mais quem ganha R$ 1.500,00 por mês em uma cidadezinha do que quem ganha R$ 2.500,00 numa cidade de grande porte.

    ResponderExcluir
  23. Por essas e outras que é bom morar no interior. Se vai da casa ao trabalho, ao banco, ao supermercado, etc., tudo a pé. Custo de transporte: R$ 0,00.

    Sem falar que tudo no interior (desde aluguel até compra no supermercado) é mais barato. Por essas e outras posso dizer que ganha mais quem ganha R$ 1.500,00 por mês em uma cidadezinha do que quem ganha R$ 2.500,00 numa cidade de grande porte.

    ResponderExcluir
  24. anonimo do interior, 13:10
    Custo zero o escambau. E a sola do sapato! É de graça? Ou a sola da havaianas. Também, de graça? Ora, raios, então vou a pé e descalço e não gasto nadica de nada. Não! Daí você mete o pezão em cima de uma caco de vidro e lá se vai sua economia em remédios e curativos. Não tem jeito, caro compadre. Bota a mão nesse seu bolso e encara de frete o escorpião lá dentro.

    ResponderExcluir
  25. Custo zero não é, mas é fato que esse custo é beeem mais barato, sim. Parte dessa caristia de SP é o chamdo "custo status".Não é à toa que muitas empresas e pessoas estão se mandando pro interior.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  26. Não costumo comentar como anônimo, mas vou fazê-lo desta vez porque tenho amor à vida.

    O problema dos ônibus de São Paulo tem um nome: MÁFIA. Não estou dizendo que todas as empresas que exploram essa concessão sejam mafiosas, mas as que realmente dão as cartas são. Nenhum governante tem peito pra quebrar esse esquema, já que os métodos dos seus cabeças são notoriamente truculentos.

    No mais, a argumentação do AK faz todo o sentido. A compra de um automóvel geralmente está ligada a motivações um tanto irracionais, mas num caso como o descrito não há como negar a racionalidade da escolha como meio de locomoção puro e simples.

    ResponderExcluir
  27. Tô doido pra jogar uns coquetéis molotov em algum lugar, e não está demorando muito. O povo brasileiro é muito bonzinho e pacato, mas tudo tem limite e creio que o governo está testando este limite já a algum tempo. Esta roubalheira que o governo promove um dia vai ter fim. Nosso inimigo é interno, coisa impressionante e triste de se constatar.

    ResponderExcluir
  28. Claudio Antonio da Silva,

    Você fez muito bem. Conte conosco se precisar de alguma dica para deixar o Escortão sempre nos trinques.

    ResponderExcluir
  29. Aun,

    O que o assalariado não percebe é que se o dinheiro do vale transporte fosse incorporado ao seu salário ele teria benefícios maiores no futuro, os benefícios que têm o salário como referência, tipo férias, indenizações, aposentadoria, etc.

    ResponderExcluir
  30. Anônimo das 10:55,

    Não se deve criticar a fraqueza alheia. A maldade, sim, mas a fraqueza, não.
    Um cara não tem culpa de ser analfabeto, assim como outros não têm culpa de ser ignorantes, e assim por diante. A culpa é do sistema que o criou assim e que se vale disso para sugá-lo.

    ResponderExcluir
  31. João Paulo,

    você está desculpado.
    O texto não veio para esclarecer, mas para confundir. Tipo Chacrinha, manja?
    Não sou candidato a prefeito nem a diretor da CET. Isso é problema deles. Eles é que se meteram a sabichões e bateram no peito dizendo que resolviam.
    Mas creio que o texto sugere que precisamos de transporte público mais barato e melhor, pois senão o sujeito parte pro carrinho dele e quanto mais carrinho mais trânsito, etc. Talvez o texto tenha sido um manifesto de compaixão para com o cidadão bom pai de família, homem de bem, e uma revolta contra quem o (nos) explora até o osso.

    ResponderExcluir
  32. Gilherme J.,

    O escândalo no Min dos Transportes mostra bem o que acontece. É tanta roubalheira que não dá tempo dos caras trabalharem nem um pouquinho pra nós. O mérito da escolha do funcionário de alto escalão é o mérito da gatunagem.

    ResponderExcluir
  33. Marcus,

    ando pra cima e pra baixo e não pago flanelinhas. Não são tantos assim. Com o flanelinha pelo menos vc olha pra cara de quem o estorque e dá pra regatear. Vai você regatear com o Kassab ou com o Alkmin ou com a Dilma, vai...

    ResponderExcluir
  34. Ronaldo Nazário04/07/11 16:00

    Ai Arnaldo!!!!

    Que susto!

    Pelo títilo parecia uma Rave de Canibais, loucos e tarados!!!

    Ufa!

    ResponderExcluir
  35. O problema é que este homem não irá se revoltar. Irá passar o resto da vida sonhando com o dia que conseguirá comprar um carro e rir de quem, como ele, toma ônibus.
    O brasileiro não quer uma sociedade justa. Quer apenas estar no time que está ganhando para poder tirar barato de quem está perdendo.
    Se brasileiro quisesse mesmo igualdade e justiça social, desempregado não virava traficante, virava militante.

    ResponderExcluir
  36. realmente,transporte particular,custa muitissimo menos que publico (se você não contrar a compra do automovel e algumasmanutençoes careiras)

    meu pai vai da vila andrade (onde moro em SP),ao butantã (onde ele trabalha),todos os dias,são 7km...gastase menos em gasolina,do que em onibus por dia

    Em São Paulo a tarifa é cara,claro vc pega 4 onibus ou 3 onibus e metro\trem talz...mas

    pior é no interior..onde se paga (em Bauru) 2,50 e não há integração gratuita..os onibus passam a cada 40min e as linhas são estranhas e se concentram em 3 avenidas..sempre há uma so linha pra onde você precisa ir..os onibus são cheios,antigões e desconfortáveis

    eu reclamava todo dia do transporte publico de são paulo,mas agora me parece um sonho se comparado com o de Bauru...

    pois é..sempre existem situaçoes piores

    ResponderExcluir
  37. Anonimo 13:10

    Nem sempre,essa "regra" ai só serve pra cidades realmente minusculas,pq mesmo cidades pequenas como Bauru (ñ entendo onde que ela se encaixa em cidade média ou grande), o custo de vida é muito alto,os aluguéis são iguais e muitas vezes superior aos praticados aqui (ao menos na região do campo limpo\vila andrade\vila sonia)em São paulo,mercado,serviços e etc..seguem a mesma filosofia..

    ResponderExcluir
  38. A solução pra isso tem nome: REVOLUÇÃO ! Ao estilo da Revolução Francesa seria melhor ainda !

    ResponderExcluir
  39. AK,

    Serei do contra, dessa vez...rs

    Moro em Guaianazes, e trabalho próximo ao estádio do Pacaembú. Para vir ao trabalho de transporte público, gasto R$ 4,49 (R$ 8,98 por dia, ida e volta). De carro, tenho de colcar pelo menos R$ 30,00 de gasolina, devido a distância e ao trânsito congestionado. Por falar em trânsito, no transporte público (ônibus + metrô) gasto por volta de duas horas, neste trajeto. De carro, são 3 horas e meia aproximadamente... Por conta disso, o carro fica na garagem durante a semana, e só sai de lá em casos de extrema necessidade.

    Penso que cada caso é um caso, e cada um faz o que acha melhor.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  40. Hã? Bauru cidade pequena?
    Na aula de Geografia eu aprendi assim: cidade pequena - até 50 mil hab. Cidade média - de 50 a 500 mil hab. Cidade grande - mais de 500 mil hab.
    **********************************
    Ok, AK.
    Mas há uma outra questão: será que SP tem mesmo solução? Porque eu tenho impressão de que a cidade é tão grande, que nem 30 mil ônibus, nem 1000km de metrô resolveriam. O Bob postou um testo sobre o inchaço da cidade.
    Mas aí já é outro problema...

    João Paulo

    ResponderExcluir
  41. Rodrigo Abreu04/07/11 18:19

    O Escortão 89 do Claúdio Silva para esse pai, nesse frio, seria uma bênção!!

    Um carrinho com mecânica e doctos em ordem, é barato pelo conforto que proporciona. Não sou contra o transporte coletico, mas o que existe no Brasil é em sua maioria uma piada!!

    Por isso tenho meus carrinhos e uma BX 150 ano 91 que quebram um galho enorme no meu dia a dia!

    ResponderExcluir
  42. João Paulo,

    tem solução, sim. Se não resolve ao menos melhora. É só pensar pesado, investir pesado e roubar leve.
    Como faz? Não sou eu que tenho que saber. Nunca falei que eu dava jeito.
    Se um sujeito quebra o braço ele vai ao médico e é o médico que tem que dar um jeito no osso.
    Não sou técnico em tráfego urbano, então não cabe a mim responder. Não é a gente que tem que resolver isso. A incompetência dos responsáveis é tão grande que a gente fica aflito tentando achar uma saída, mas não somos nós que temos a obrigação de achar. Cabe-nos só chutar o traseiro desses caras, isso sim.

    ResponderExcluir
  43. Pacato Cidadão04/07/11 20:30

    E enquanto o povo sofre, preso no trânsito ou apertado que nem sardinha nos coletivos, Satan Taxab e seus asseclas acabaram de conseguir, através de nossos probos e éticos vereadores de SP, um polpudo aumento em seus próprios salários!

    E depois, quando um dia morrem, ainda são idolatrados e santificados pelo povo, que lembra deles como grandes governantes, estadistas, competentes e honestos...

    ResponderExcluir
  44. "O problema do Brasil, são os brasileiros!"
    Infelizmente e a mais pura verdade.
    Sem mais,

    ResponderExcluir
  45. Ok,em termos estatísticos,Bauru é uma cidade Grande,pois tem ~350k habitantes.Eu acho ela pequena,pelo costume de meu bairro ter ~520k hab em São Paulo.

    ResponderExcluir
  46. O mesmo roubo que sofremos ao pagar a passagem do ônibus, no carro pagamos com multas, IPVA, licenciamento, inspeção veicular, carros e combustíveis ruins e caros.

    Se for o tempo de viagem, acho que o carro nem sempre consegue ir melhor. Só no conforto é que ainda vale a pena.

    Essa frase é simbólica: "Não conheço governo que explore mais o seu povo que o nosso governo". Fico imaginando se o governo afrouxasse um pouco a corda, talvez o país estivesse num patamar aceitável.

    ResponderExcluir
  47. Isaac
    Transporte coletivo em Bauru é horrível mesmo, mas há pouco mais de 10 anos era ainda pior, com uma só empresa e seus ônibus jurássicos. Os horários ainda são ridículos, fica-se no ponto esperando por meia hora ou mais e daí passam 2 ônibus de uma vez e quase todas as linhas são em um sentido (Sul-Norte ou Norte-Sul). Se você precisar ir poucos quilômetros ao Leste, precisa descer em um ponto qualquer e andar o resto do caminho.

    ResponderExcluir
  48. Eu faço questão de pagar o ônibus com uma nota de 50. obviamente, o cobrador não tem troco. ouço tudo que é tipo de xingamento, mas acabo não dando dinheiro pra esses exploradores e de quebra viajo de graça. todos deveriam fazer o mesmo.

    ResponderExcluir
  49. ao anônimo 04/07/11 14:02:

    Você dirige, ou pega ônibus, descalço?

    No interior se anda a pé porque tudo é perto de tudo, você anda no máximo 3km para ir ao trabalho, ao supermercado, ao banco, etc...

    É tudo próximo. Um par de havaianas dura tempo, e custa menos de R$ 10,00.

    ResponderExcluir
  50. anônimo 11:58
    Ô compadre! Você esqueceu de ligar a tecla SAP quando leu meu comentário. Que é isso! Levou à sério? Eu estava de galhofa, rapaz. Mas, já que você perguntou, dirijo, sim, descalço. E recomendo.

    ResponderExcluir
  51. Gustavo Cocina06/07/11 00:26

    AK, você não mencionou a idade aparente dos meninos, mas é muito possível que os eles não tenham pago a passagem; eles devem ter passado sob a catraca ou entraram pela porta de trás, com anuência de motorista e cobrador. Isso é muito comum. Estou certo de que a solução do pai foi a mais econômica, embora também tenha sido a mais desconfortável e demorada. O pobre se vira como pode.

    Justino, o que você faz pode não ser ilegal, mas é má-fé; fere o contrato social. Não tem justificativa para isso senão a de levar vantagem pura e simples, seja esta irrisória ou não.

    Sigo o BS desde os tempos de Best Cars. Gosto muito deste site e do alto nível dos comentários dos leitores. As discordâncias via de regra são carregadas de justificativas válidas e criam debates inteligentes. O "cidadão" citado não passa de uma minoria aqui.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  52. Gustavo Cocina06/07/11 00:31

    AK, completando o raciocínio, quem tem o hábito de usar transporte coletivo em São Paulo, não o faz sem o Bilhete Único.

    ResponderExcluir
  53. Gustavo Cocina disse...

    "Justino, o que você faz pode não ser ilegal, mas é má-fé; fere o contrato social. Não tem justificativa para isso senão a de levar vantagem pura e simples, seja esta irrisória ou não."

    Má-fé é uma passagem de ônibus velho lotado custar R$ 3,00, para se andar de pé. O Contrato Social já foi quebrado pelas empresas. Deixar tudo como está só agrava o problema.

    Esta é uma maneira correta e não-violenta de se protestar. É bem mais civilizado que tacar fogo em ônibus.

    ResponderExcluir
  54. Criança passar por baixo de catraca, bilhete único, passe, vale transporte, idos vai grátis, etc, tudo isso tem na Argentina também e lá o bilhete custa 0,40 e aqui 3,00.
    Eu achava que tinha sido bastante claro no post.

    ResponderExcluir
  55. AK,

    Quando o brasileiro médio parar de ser trouxa, e começar a ir para as ruas protestar, lutar pelo certo, a coisa muda. Um bom exemplo disso é toda a luta contra a ditadura, aqui no Brasil, que culminou com o fim da dita cuja.

    Vejamos em quanto o tempo o brasileiro acorda e reage...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  56. Todos os políticos deviam ir trabalhar através do transporte público na hora do pico pra eles entenderem na pele o quão é duro e sofrido depender de transporte público!
    Só depois deles entenderem mesmo o que é acordar cedo todo santo dia e encarar horas no trânsito num ambiente quase irrespirável, encarar uma longa jornada de trabalho e encarar tudo novamente na volta pra casa, é que o governo venha querer incentivar a população a largar os carros pra andar de transporte público, KCT!!!

    Políticos tem direito a carro particular (e não é qualquer carro não, são do nível de COROLLA) com sei lá quantos litros DE GRAÇA, sem contar muitos outros benefícios e o salário abusivo que recebem.

    Não cabe a nós cidadãos achar a solução pra todo esse caos, afinal eles são pagos, e muito bem pagos pra fazerem isso! Mas parece que não estão fazendo...então cabe a nós cobrarmos uma mudança! Mas o povo é acomodado as coisas da maneira que estão...

    ''Sozinho não somos nada, mas juntos podemos fazer a diferença!''
    Se todos unirem em um só objetivo, que é realmente querer mudar esse país, as coisas mudarão.

    ResponderExcluir
  57. Estou vendo que não sou só eu que está indignado.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.