O LEGADO AUTOENTUSIASTA DE ITAMAR FRANCO


Com a morte do senador Itamar Augusto Cautiero Franco neste sábado, em São Paulo, aos 81 anos, de derrame cerebral e pneumonia associados à leucemia que vinha sofrendo, perde o Brasil um homem simples  mas que foi um grande estadista. Presidiu o país de 29 de dezembro de 1992 a 1° de janeiro de 1995, quando passou a faixa presidencial para Fernando Henrique Cardoso. Vice-presidente de Fernando Collor de Mello, assumiu o cargo mais alto da República num momento difícil da vida nacional, que culminaria com a renúncia seguida de impedimento de Collor.

Foi no seu governo de 733 dias que em 1° de julho de 1994 aconteceu algo que considero um verdadeiro milagre, o real, após um período de  três meses de um preciso plano de estabilização da economia levado a efeito pelo então Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, e coordenado pelo economista Edmar Bacha. Há 17 anos e um dia o país entrava numa nova era, que eu já tinha perdido as esperanças de uma dia ver acontecer e estava temeroso que meus dois filhos, ainda pequenos, nunca viessem a conhecer, a era da moeda forte, que merecesse o nome, que fosse respeitada e, por que não, até fosse alvo de falsários, o que não ocorria mais fazia tempo por não termos moeda, mais pedaços de papel que perdiam valor ta cada dia. Eu sempre dizia no meu círculo que só acreditaria na moeda brasileira o dia em não se precisasse mais comprar fichas  de telefone, que sempre considerei ridículo.

Por isso, fiquei chocado e indignado quando o vi um certo candidato a presidente naquele ano, barburdo, dizer a jornalistas, terminado um discurso em palanque, que se fosse ele a trocar moeda do país o faria por uma moeda forte, como a libra esterlina...Idiota completo!

Antes de Itamar Franco assumir, a economia estava em frangalhos. Em 1991 haviam sido licenciados 790.773 veículos e em 1992, 764.016. A indústria automobilistica definhava em meio ao quadro de instabilidade econômica e politica combinada com hiperinflação. Foi então que o presidente que havia recém assumido o cargo teve a ideia de reunir governo, indústria e sindicatos para criar o programa do carro popular como maneira de revitalizar a produção de veículos e desse modo impulsionar a economia. Determinados modelos teriam o Imposto sobre Produtos Industrialzados reduzido para simbólico 0,1% (só o Congresso pode eliminar impostos, mas o Executivo pode reduziir alíquotas).

Mas a visão de Itamar para o carro popular era um que havia desaparecido há sete anos, o Volkswagen sedã, desde 1983 rebatizado Fusca pela fabricante. É bem provável que andar no Fusca de sua namorada, Lisle Lucena, filha do senador Humberto Lucena, tenha-lhe feito reacender a ideia do "carro do povo". Inclusive, estava nos meus planos entrevistá-lo e confirmar (ou não) essa parte da História.ligada ao renascimento do Fusca em 1993, que por isso mesmo ficou conhecido como "Fusca Itamar".

O Fusca eplidado de "Itamar", de 1993

Seja como for, a iniciativa de Itamar Franco levou à criação do programa do carro popular,  fator determinante para a indústria automobilistica recuperar produção e gerar mais empregos. Já em 1993 os licenciamentos subiram para 1.131.155 unidades (48% mais), iniciando a fase de crecimento que chegou a 3,515 milhões ano passado e neste deverá ultrapassar bem os 3,7 milhões.

Esse foi o legado autoentusiasta de Itamar Franco, a quem o AUTOentusiastas presta homenagem.

BS


86 comentários :

  1. luizborgmann02/07/11 16:23

    O Fusca Itamar. O Fusca Fafá. O Fusca pé-de-boi. Comprei um Itamar e o tenho até hoje. Logo ao comprá-lo, vi que os materiais já não eram mais os mesmos das gerações anteriores, de qualidade inferior àqueles. Seja lá como for, o Itamar Franco tem esse legado.
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  2. sem ele e o FHC não teríamos o real.ou alguem acha que o pt teria capacidade de faze-lo?

    ResponderExcluir
  3. Morre um brasileiro a quem todos o tinham como um honesto, de principios....é uma perda lamentável para o país.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Apesar de alguns terem chamado o "Fusca Itamar" de retrocesso, acho que foi uma boa percepção do então presidente de que esse ainda era o carro popular mais adequado ao "interiorzão" do Brasil, por reunir baixo custo, manutenção barata, rubustez e aptidão para enfrentar terrenos difíceis. Afinal, se no México ainda tinha, porque não aqui?

    Só lamento que tenha sido uma versão pobre de Fusca de 1986... Seria bem mais interessante se fosse igual ao modelo mexicano de então.

    ResponderExcluir
  6. ninguem é obrigado a ser versado em politica , mas o "plano real" na real foi imposição do FMI para nações que estão hoje como a Grecia , Irlanda e num futuro proximo Portugal e Espanha, tanto é que passados 20 anos a "receita " é a mesma , quanto ao fusca e o carro popular 1.0 de Us$ 7.000,00 , ninguem sabe aonde foi parar, essas sim foram heranças do Itamar .

    ResponderExcluir
  7. Dois pesos, duas medidas: Trouxe de volta o fusca, mas quando governador de Minas, revogou a isenção de IPVA para os veículos antigos daqui

    ResponderExcluir
  8. Homem de coragem.

    Não sei se é verdade, mas o Plano Econômico que viria a ser chamado de " REAL" foi antes oferecidos a outros Governos desse país e recusado...

    E também não sei se é verdade, o plano foi construído por autoentusiastas da UFRJ, inclusive pilotos mesmo, de primeira linhagem, que o Bob deve conhecer .

    Eleito depois como Governador,Itamar peitou um abusado presidente com as armas que tinha. E venceu.

    Um homem que mereceu o voto do cidadão.

    ResponderExcluir
  9. Esse já foi tarde! Que venha logo o Sarney também para o andar de baixo!

    Mania de brasileiro ficar endeusando esses políticos corruptos, que sempre viveram às custas de nosso trabalho e pouco ou nada fizeram pelo país.

    Vice de Collor, um tremendo vira casaca, sempre disposto a trocar de lado por melhores vantagens.

    Que a terra lhe seja leve...

    ResponderExcluir
  10. Morreu um grande personagem brasileiro. Sem querer julgar sua carreira política, foi uma grande pessoa.
    Os Fuscas "Itamar" ficaram orfãos hoje, mas o legado dele continuará vivo ainda por muito tempo.

    ResponderExcluir
  11. totiy
    Então mãos aos céus por essa imposição do FMI. O Plano Real foi o que melhor aconteceu ao Brasil no século 20.

    ResponderExcluir
  12. Alexei
    Não sei dessa história de Plano Real elaborado por autoentusiastas da UFRJ. Conte mais.

    ResponderExcluir
  13. Totiy:
    Se o Brasil quebrar vai ser dos próprios governantes daqui. Época boa em que meu pai enchia 3 carrinhos de supermercado no Carrefour. E o corcelzão 76 carregava, firme e forte.Itamar foi o melhor Presidente que esse país já teve. E era mineiro, pra variar...

    ResponderExcluir
  14. Acho que o Itamar, como mineiro que era, sentia falta do Fusca. O Fusca, devido ao motor e à tração traseiros, até hoje funciona muito bem nas montanhas mineiras. Acho que ainda é o ideal para aquelas condições, levando-se em conta os custos de manutenção, etc.
    Naquelas montanhas ainda se ouve muito fazendeirão dizendo: Meu reino por um Fusca!

    ResponderExcluir
  15. Esse é uma pessoa em que bato continência! Teve cara e coregem de ajudar a reerguer o país, mesmo tendo que "desenterrar" o Fusca para isso. Ele era como poucos.

    Em tempo: encontrar um "Fusca Itamar hoje é algo digno de caçadores de tesouros, pois tá dificil de encontrar, e quando encontra os preços são iguais a muitos populares semi-novos. E se for a Serie Ouro então... imaginem.

    Abraços
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  16. Bob, se realmente a inspiração para o renascimento do Fusca foi essa, é de se lamentar que a namorada dele não dirigia um Subaru Vivio ou um Daihatsu Cuore naquela época.
    Os kei jidosha teriam sido uma inspiração bem melhor para nossos carros populares.

    ResponderExcluir
  17. O criador do Plano Real foi o ex Ministro Bresser Pereira, ele era um plano que foi arquitetado pelo FMI para ser imposto em toda a AL para acabar com a hiperinflação, veja que na seqüência a inflação foi controlada em toda a AL, Bresser pegou o plano que estava dando certo na Argentina de Cavalo e o adaptou para o Brasil mais Sarney não teve coragem de implementa-lo. Como Itamar Franco não tinha alternativa o fez. O Plano Real acabou com a crise asiática, em janeiro de 1999, quando a moeda perdeu 40% do poder de compra terminando ai a paridade. Não confundir o Plano Real com a moeda, o Real.

    ResponderExcluir
  18. Kevin de La Nóya02/07/11 19:40

    Em outras palavreas anônimo, a inflação só foi controlada porque era de interesse do FMI e de nossos donos que assim o fosse.

    Itamar Franco, Sarney, o eterno, Collor, o renascido das cinzas, Lula Molusco e FHC, nunca passaram de um bando de paus mandados do capital estrangeiro.

    Pelo menos para eles o Brasil sempre foi um bom negócio...

    ResponderExcluir
  19. Respeito muito sua vivencia automobilistica , como profissional que é Bob, mas em se tratando de politica é melhor deixar pra lá ... tem alguns links no you tube dos governos do mexico, argentina , grecia e irlanda anuciando as mesmas medidas aqui tomadas , aqui o link da argentina de menem http://www.youtube.com/watch?v=nVUu0vT1Tuk

    ResponderExcluir
  20. me lembro muito bem das pessoas que compraram carros financiados em "moeda forte" e que depois da queda do real iam devolver obem adquirido aonde as financeiras entuchavam mais juros com prazos maiores chamando de renegociação, o risco país era de 2500 pontos o dolar a 4 reais e ainda , desmprego em 18% e ainda tenho de dar graças ao FMI?

    ResponderExcluir
  21. Bob, finalmente concordamos em algum ponto no que tange á política! Itamar realmente foi um grande presidente, que em momento político delicado conseguiu não apenas sustentar a democracia, mas também trazer a estabilidade econômica. No mais, ele sim era o verdadeiro pai do real. Por certo se o plano fracassasse, o ministro FHC jamais reivindicaria essa paternidade!

    De resto, mais relevante que a posição na época do (por você) odiado "barbudo" é a constatação de que FHC levou o Brasil de pires na mão ao FMI por três vezes, ou ainda que os tecnocratas formuladores do Real enriqueceram de forma pra lá de suspeita (um renomado economista se dá ao luxo de mandar seus cavalos para exposições no estrangeiro em vôos transoceânicos em jatinhos fretados...) Enfim, mas isso não é culpa nem do saudoso Itamar muito menos do "barbudo"...

    ResponderExcluir
  22. o FMI vai contra os interésses do trabalhador brasileiro

    ResponderExcluir
  23. Marcelo Augusto02/07/11 21:12

    Só faltou uma consultoria para o Fusca Itamar vir com as melhorias que teve em outros mercados, notadmente na suspensão traseira.

    Faltou alguém do governo da indústria e da mídia especializada ter feito uma grita sobre isso, principalmente esta última, mas acho que a maioria nem sabe destas melhorias...

    ResponderExcluir
  24. GM vendendo Corsa com acabamento muito melhor e injeção eletrônica, FIAT e seu Uno já a alguns anos mostrando todo o potencial e o Itamar ressussitando o Fusca e o pior, com péssimo acabamento...

    Sei lá, acho que ele fez mais por entusiasmo do que por lógica.

    Já a parte política se discute em blogs de política, certo? Afinal de contas nenhum político daqui foi tão santo quanto pregam quando eles falecem.

    ResponderExcluir
  25. Anônimo 202/07/11 22:11

    Anônimo acima, imagina o interior de Minas, montanhoso e com aquelas estradas de terra, e a concessionária mais próxima lá longe na cidade grande. Só o Fusca mesmo!

    Se vc vai hoje em dia nessas regiões, quem não tem grana para uma caminhonete grande, quase sempre tem ainda um Fusca, Brasilia, Variant, etc...

    Os outros carrinhos pequenos não aguentam essas condições de uso: o Gol trinca o túnel, o Corsinha trinca o para-brisa, etc...

    ResponderExcluir
  26. Bob Sharp, segundo o site Best Cars Web Site (http://bestcars.uol.com.br/cpassado3/fusca-14.htm), o Fusca passou a usar oficialmente esse nome no ano de 1984. O ano é esse mesmo?

    ResponderExcluir
  27. totiy
    Desculpe, mas sua visão da coisa me parece distorcida. Pouco me interessa se foi o FMI ou não que "mandou" fazer o Plano Real, se outros países também fizeram o mesmo. O que me interessa é que o nosso problema foi resolvido com maestria e esta aí, firme e forte, após 17 anos. Em todo esse tempo nunca coloquei uma cédula de R$ 100 na carteira, o que considero fantástico. Não sei sua idade e nem se você vivenciou os anos de hiperinflação, mas era uma coisa medonha. Para mim e praticamente a totalidade dos brasileiros foi um grande alívio. Se para você foi uma solução errada, sinto muito.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo 2/7 22:13
    O ano foi mesmo 1983. O que pode ocorrer nos textos de história é a diferença entre ano-modelo e ano de fabricação. Talvez o Best Cars se refira a ano-modelo. Mas que o "batismo" ocorreu em 1983, sem a menor dúvida. O mesmo caso é o do Porsche 911. Foi apresentado no Salão dw Frankfurt de 1963, mas era ano-modelo 1964.

    ResponderExcluir
  29. O Toty é petralha.

    ResponderExcluir
  30. Se a VWB retomasse a produção de Fusca, teria comprador.

    ResponderExcluir
  31. O Fusca foi projetado na década de 1930 para as condições da Alemanha da década de 1930: estradas de terra, carros expostos ao tempo sem nunca ir para a garagem, mecânicos semi-analfabetos, etc.

    No interior não só de Minas, mas de todos os estados do Brasil, também encontramos estas condições, e o Fusca é um ótimo carro para estas regiões. Tanto que no México, que possui infraestrutura semelhante a do Brasil, o Fusca foi produzido até 2002, e isso porque os mexicanos o compravam, e não porque o governo local gostava deste carro.

    ResponderExcluir
  32. Bob com todo respeito , tenho 45 anos e vi os diversos planos economicos do qual fomos refens e ja vi engenheiros advogados administradores , trabalhando como gerentes seguranças e outras profissões da qual não desejavam estar por culpa destes planos mirabolantes , a mim importa muito a autoria de qualquer plano que envolva a minha vida e aos demais brasileiros que trabalham como eu e vc , que ja trabalhou e muito,mais video de como o Plano de combate a inflação ja tinha ido pro vinagre em 99 http://www.youtube.com/watch?v=MeAOen8vyiQ&feature=player_embedded

    ResponderExcluir
  33. Estudo em Minas e posso dizer: Pra "escalar" as montanhas e morros daqui, só de Fusca mesmo. Melhor que Fusca, só 4x4, mas aí o termo "popular" vai pro saco.

    Acho que se o Fusca fosse produzido hoje do mesmo modo que era de 93 a 96, teria coprador! Custando menos de 20.000 reais, venderia bem. Uma pena que existam tantas normas regulamentando como devem ser os motores dos carros atuais. Assim não sobra espaço para o velho besouro mesmo.

    ResponderExcluir
  34. sem dúvida prestou importante serviço ao país. palavra que define é SIMPLICIDADE.
    agora só restam 3 tartarugas ninjas.

    ResponderExcluir
  35. E só pra deixar minha opinião registrada: O plano Real foi uma das melhores coisas que já foram feitas nesse país. Na época eu era criança e não sabia das coisas, mas meu pai diz até hoje que a pior época da vida dele era a época da hiperinflação, onde ele tinha que receber o salário e ir pro mercado fazer as compras do mês todo, porque no outro dia certamente estaria tudo muito, mas muito, mais caro.
    Como diz meu professor de economia, a minha geração é a primeira a viver uma época estável no Brasil, desde que os portugueses desembarcaram aqui.

    Que a alma do Itamar descanse em paz.

    ResponderExcluir
  36. totiy
    Sinto muito, sua visão é mesmo distorcida, até parece coisa de petista (não se você é ou não). Não vale a pena ficarmos discutindo, tenho mais o que fazer. Considero o assunto encerrado.

    ResponderExcluir
  37. Aléssio Marinho03/07/11 00:22

    Itamar foi um dos Presidentes mais sérios e honrados que tivemos, ao lado do JK e FHC.
    Reerguer o Brasil após um sem fim de planos econômicos mirabolantes, corte de zeros e mudança de nome em moedas, uma moratória que até pouco tempo atrás ainda manchava a credibilidade do nosso país tinha que ser feito com toda a mineirice que Itamar usou durante o seu governo.
    Diante de tantos problemas, acho que a criação do programa do carro popular foi a sua "válvula de escape" para o dia a dia da presidência.
    Acho que ele devia se orgulhar de ter conseguido convencer a VW a fabricar o Fusca novamente.

    ResponderExcluir
  38. Aléssio Marinho03/07/11 00:25

    Bob,
    Lembro-me que o benefício do IPI foi concedido a um modelo por montadora, tanto que foram beneficiados o Chevette 1.6, a Kombi, o Escort Hobby 1.6 enquanto não houvesse o motor 1,0 litro.
    Isso foi feito para permitir o enquadramento do Fusca, creio eu.

    ResponderExcluir
  39. Alexandre - BH03/07/11 04:47

    Itamar deu sobrenome e sobrevida ao carro mais popular do país, gostava de mulheres bonitas e trouxe estabilidade à economia brasileira, garantindo a nós, mineiros, o pão de queijo de cada dia! Esse sim era o cara!

    ResponderExcluir
  40. A montadora VW, foi a primeira a lançar o veículo popular, relançou o velho Fusca, que após pouca aceitação no mercado, foi substituído pelo GOL 1000;

    -A FIAT lançou o UNO MILLE;
    -A GM lançou o Corsa;
    -A FORD lançou o Fiesta;
    -A GURGEL....FALIU!!!

    E a Gurgel seria a primeira fábrica genuinamente NACIONAL e não apenas uma filial das estrangeiras, como temos aqui até hoje. Mas isso não era de interesse do Governo, como não é até hoje.

    ResponderExcluir
  41. Bob, minha total concordância qdo menciona que a estabilização da moeda foi o fato brasileiro de maior importância no século passado. Vivi, como vc, a época da hiperinflação e recordo muito bem do terrível ano de 1992. Além do resgate do carro popular, Itamar alavancou outra coisa, talvez até mais importante, que foi a eleição de FHC. Óbvio que, como já postou um cidadão míope (e vermeínho) de carteirinha, alguém mais (senão o mesmo) vai querer descer a lenha no meu post e escrever sobre a "ressurreição do messias do povo". Mesmo não simpatizando com a pessoa física Itamar, seu governo foi a volta de 180 graus na certa derrocada do Brasil.

    ResponderExcluir
  42. A volta do fusca " Itamar" não foi um retrocesso, mas a introdução do carro mais barato o milzinho!
    Eu sou à favor da criação do fusca "Dilma" com suspenção da Variant ll, ijeção etc...
    Vooooltaaa fusquinha!!!

    ResponderExcluir
  43. Olha, eu não tenho dúvidas que se a produção do Fusca fosse retomada, oferecida em torno de
    R$20K venderia bem, desde que respeitada a qualidade de construção das gerações passadas.

    Seria fantástico!

    ResponderExcluir
  44. O fusca era ultrapassado para os concorrente da época e para sobreviver tinha o anacronismo de que nenhum carro poderia custar menos que o fusca. A Fiat por ex. tentou mais não podia vender o mille mais barato que o fusca. Aberração total

    ResponderExcluir
  45. BOX666
    Minha coluna na revista Carro que está na banca intitula-se "À Gurgel, uma banana", na qual comparo a atitude do governo americano em relação à Chrysler em 1980 e a esta e à GM em 2009, com o governo de FHC, que se recusou em ajudar a Gurgel com apenas 100 milhões de reais, o suficiente para tirá-la da falência e reerguê-la. Mas o Gurgel errou na questão de custo: mesmo com IPI especial de 5%, contra 20% dos carros de 1 litro, Mille inclusive, o BR-800 era caro demais, custava praticamente o mesmo que o Mille.

    ResponderExcluir
  46. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  47. Incrível como um governo não pode ajudar uma empresa nacional, e, ao mesmo tempo entrega a maior fatia de uma grande empresa estatal ao capital estrangeiro, estranho mesmo...

    ResponderExcluir
  48. Bob, o autoentusiasta era formado da PUC-RJ e não UFRJ, escrevi errado.

    Nas montanhas mineiras, o Fusca foi trocado. E justo pelo também fruto do governo de Itamar, o Uno Mille, que se mostra superior em quase todas as situações.

    O Fusca apresentava problemas graves nos caminhos mineiros : furava pneu adoidado, as capas de tucho eram atingidas frequentemente pelo cascalho solto do meio dos trilhos, vazando óleo, o consumo era alto( 7 km/l de álcool no 1.600 cm3 e 10 km/l gasolina no 1.300) e o deslocamento no asfalto até a cidade, todos sabem, era sofrível,para não dizer perigoso.

    Os paralamas e estribos também eram deteriorados pela ferrugem muito rapidamente.

    ResponderExcluir
  49. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  50. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  51. Tem gente que não sabe separar as coisas.

    Se eu achar que o Messi é o melhor jogador de fubetol do mundo, significa que eu sou argentino? Não.
    Quem acha que o Itamar fez coisas boas é Tucano? Não!! Pô, onde foi parar a racionalidade de vocês?!


    Alexei, creio que o Mille não predomina em lugares acidentados, não. Ainda vejo mmuito mais Fusca/Brasília/Variant/Kombi do que qualquer outra família de carros, no topo das montanhass.

    Sobre o deslocamento da terra até a cidade... já dirigiu um Fusca? Se já, sabe que não um esportivo, mas é um carro muito agradavel de dirigir. Os pneus não furam mais que os outros... talvez os diagonais, mas o "Itamar" tinha pneus radiais. E por fim, as capas de tucho não amassam nada, falo por experiencia própria, mas se amassarem, custam uma merrequinha de nada e ainda não "vazam óleo"... no máximo há algum gotejamento se a junta estiver velha.

    O consumo era mais alto que o do Mille, é impossível negar. Mas de que adianta ter gasolina de sobra no tanque se o Mille fica parado na primeira ladeira barrenta no caminho?

    Quem não mora em Minas, ou qualquer outro lugar muito montanhoso, não sabe como um carro de baixissima manuteção (sou prova disso também) e desvalorização (para não dizer alta valorização), com tração traseira e motor fazendo peso sobre as rodas motrizes é necessário para quem vive ou trabalha no campo.

    ResponderExcluir
  52. Enquanto isso querem trazer aquele carrinho indiano Tata, que pega fogo à toa. Acho pior q Fusca.

    OK, Bob vou ler seu artigo na Carro.
    (a revista não sei se vou comprar)

    EW Santos

    ResponderExcluir
  53. Guilherme,

    Muito bonita sua visão dos Fuscas.

    Outro defeito dos Fuscas era o patrabrisas, que se despedaçava com muita facilidade : fácil , a posição quase vertical do mesmo não ajudava a dissipar a energia das pedradas, e no chão não pavimentado as pedradas são muitas, estrada de chão é passar logo ou... comer poeira.

    No Fusca em questão, o Itamar, o Bob chamou para o fato que colocaram pneus na medida errada( maior), e uma das coisas que Fusca nunca aceitou bem foi mexer na pneuzada Pirelli 15- 5.60` dele.

    Guilherme, a Emater usa todas as marcas de carro. Nas regiões mais montanhosas, os agentes pedem o Uno Mille. Normal ou o Way, cumprem a função exigindo menos perícia e chegando mais inteiro dos destinos.

    Sobre o barro, o Bob também já mencionou aqui, certa feita, que um carro de tração dianteira dele ( Um DKW perua) foi superior na subida enlameada ao Fusca do irmão dele. Assim é com o Uno de modelo posterior ao "Mille "

    Não se avexe não. Tivemos mais Fuscas e derivados que bananas num bom cacho,e não recomendo a ninguém ter um hoje , a não ser muito modificado $$$$$

    Abraço,

    ResponderExcluir
  54. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  55. É muita baixaria, criticar um homem depois de morto, que não pode se defender.
    Itamar foi mais um MINEIRO que fez diferença neste país... Descanse em paz.

    ResponderExcluir
  56. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  57. No dia 23.9.1993 o Presidente Itamar Franco compareceu à S.B. do Campo para a volta do Fusca – um pedido expresso que ele fez à VW do Brasil. Entrou na cerimônia de Fusca conversível, para repetir a cena de JK.
    Eu, então Presidente do Fusca Clube do Brasil, estava lá a convite oficial da VW do Brasil. E conseguiu presentear o presidente com um chaveiro dourado do clube, que se chamou desde então: “Chaveiro do Presidente”.
    A aproximação com o então Presidente não foi uma tarefa fácil...
    Fiz uma página com fotos e um vídeo com cenas de vários noticiosos informando sobre o que aconteceu em SB do Campo naquele dia, é como eu fiz minha homenagem ao Presidente Itamar Franco:
    http://www.fuscabrasil.net/Gromow-Itamar/Depoimento.htm
    Gostei de seu Post Bob, parabéns
    Alexander

    ResponderExcluir
  58. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  59. Alexei,
    A minha visão sobre o Fusca realmente é bonita, pois é um carro que me agrada muito. É diferente, tem personalidade própria, eficiente ao que se propõe, enfim... admiro o danado!

    Sobre a quesão do para-brisa eu não posso opinar porque nunca vi um Fusca com parabrisa quebrado para poder perguntar o motivo disso.
    Sobre os pneus do Itamar... bom, o Bob tem suas impressões e disse que foi o pneu que mudou as reações do Fusca Itamar para os outros mais antigos. Eu tenho a minha versão que a mudança foi mesmo é no cabeçote (não o do motor, claro), que foi ligieramente elevado. Até porque os pneus do Itamar, 165/80 R15, possuem medida mais próxima dos originais, 5.60 15, que os 155/80 R15 que o Bob diz ser os corretos. Então não acho que os pneus seriam o problema. Aliás, acho que o problema em si não existe.

    Eu me lembro desse post do Bob contando que o DKW subiu uma subida que o Fusca não conseguiu... mas estamos falando de Bob Sharp, um piloto. O "Zé Leitero" não tem a tecnica que o Bob usou para subir a ladeira, concorda? Em situações normais o Fusca irá mais longe.

    O que defendo nesse caso nem é o Fusca em si, mas sim um carro de tração traseira e motor traseiro- configuração ideal para situações adversas como as encontradas em quase todo o interior do Brasil- que o ex-presidente Itamar Franco contribuiu para que o acesso "popular" à essa configuração se tornasse realidade outra vez.


    P.S. (Só para quem levou o post para o lado político da coisa) Eu não sou 'Tucano', não sou 'Petista', não sou 'Verdista', etc., só tô explicando a minha opinião sobre o finado Itamar.

    ResponderExcluir
  60. @Márcio A. Sonnewend - Automóvel Antigo : Bom, que venha o Fusca 1303, já que essa versão recebeu muitas melhorias. Só ficaria a duvida se viria com o motor 1.4 da Kombi ou se "ressucitassem" o 1600 air cooled.

    Abs
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  61. Itamar sempre foi do PMDB. Falta cultura aos anonimos que alegam propaganda do PSDB neste post.

    Sou economista de 45 anos também e ninguém que tenha vivido a década perdida e hiperinflação (e engenheiros que viraram sucos e planos que não deram certo) pode falar mal do plano que DEU CERTO.

    Do que podemos falar bem, então, se critica-se o plano que deu errado e o que deu certo?

    "Casos extremos pedem medidas extremas". Quem acabou com hiperinflação sem choque no mundo, meu amigo?

    ResponderExcluir
  62. Eurico Jr.04/07/11 09:21

    Sobre o Plano Real, lembro do barbudo palanqueiro berrando em 1994: "plano eleitoreiro", "aventura", "novo Cruzado", "um real deveria valer 3 dólares". Infelizmente, o povo brasileiro não tem memória.

    ResponderExcluir
  63. totiy petralhaço
    Quer dizer que a Espanha e Portugal vão pro vinagre igual a Grécia? Meu Deus! Sai pra lá, o boca de sapo! Acho bom que isso não aconteça, do contrário, aí sim você vai ver o que é crise. Vai sobrar até pro feijão que você põe na sua panela... Ou cê tá achando que o Brasil...sil...sil tá blindado? Vai nessa.

    ResponderExcluir
  64. "Apenas" 100 milhões de reais? Como contribuinte, meu alívio por esse negócio não ter saído! Se a Gurgel fosse um bom negócio, haveria uma fila de banqueiros e investidores querendo bancá-la. Muitos os méritos do finado João Gurgel; mas por certo, por mais dinheiro que se injetasse na empresa, jamais um carro mal desenhado e mal executado como o BR800/Supermini teria alguma chance contra o Uno Mille. Esses Gurgéis pareciam construídos no fundo de algum quintal!

    ResponderExcluir
  65. É mesmo, Santa?

    Depois que vira purpurina é considerado uma santa!!!

    Que Yellowstone começe a arder para levar um montão lá pra cima!!!

    ResponderExcluir
  66. Ninguém é perfeito, todos podem cometer um erro aqui ou ali, mas que Itamar foi o melhor presidente do Brasil desde a ditadura não há dúvidas. No meu ponto de vista foi o único presidente que acompanhei durante minha vida (nasci em 1969) que teve muito mais pontos positivos que negativos, e só por isso foi uma grande perda para o país. Pelo menos ele não acolheu nenhum terrorista como certa mula fez.

    ResponderExcluir
  67. A estabilização começou em 1990, com a abertura da economia realizada pelo Collor; talvez uma das poucas coisas boas que ele fez. A seguir, algumas ações, dentro do governo Itamar ou não deram liga a um plano de estabilização. O país começou a seguir o chamado consenso de Washington, que condicionava a estabilização ao equilíbrio fiscal, dentre outros. No início do governo Itamar ainda não havia este equilíbrio, desta forma, o Real foi bem sucedido por conta da chamada âncora cambial. Nunca achei Itamar um ótimo administrador. Honesto e turrão ele era. A sua grande contribuição foi trazer o FHC para o ministério da Economia, dar credibilidade àquela turma da PUC RJ e deixá-los fazer. Neste ponto, parabéns à ele.

    ResponderExcluir
  68. Se seguíssemos a cartilha do PT naquela época, estávamos até agora na época das trevas. Aliás, os pensamentos esquerdistas e sociais do PT foram para o saco, tão logo este partido tomou de assalto o governo e as estatatis. Nunca na história deste país houve ( e está havendo) um butim tão grande. O mérito do Lula foi o Palocci, a despeito das burrices que este ministro fez (olho grande). da mesma forma, o mérito do Itamar foi o FHC.
    O PT é bom só mesmo para quem mama em suas tetas.

    ResponderExcluir
  69. Se teve um presidente que foi sabotado sistematicamente pela oposição, foi Itamar Franco.

    Ninguém apostava um tostão furado nele, quando assumiu no lugar de Collor. Mas ele teve a sabedoria de chamar os melhores de sua época - livre das imposições partidárias, pois os cacifes lhe deram as costas - e assim montou um timaço para conduzir a economia do país.

    Ao solicitar o resgate do Fusca para a então Autolatina, Itamar foi inteligente ao saber que era um modelo que demandava mais mão de obra para ser construído do que os outros carros da época. A VW e as fornecedoras de peças tiveram que chamar de volta operários que já estavam aposentados, e isso gerou um efeito cascata cujo impacto econômico e social foi subestimado na época - e até hoje.

    Enfim, o Itamar não foi um anjo, longe disso, mas não morreu rico como podem pensar alguns. Isso já e muita coisa em termos de política. Ficará a saudade.

    ResponderExcluir
  70. Eurico Jr.04/07/11 15:33

    Lembro-me de um episódio emblemático envolvendo o finado Itamar: ele resolveu nomear a Luiza Erundina ministra, num esforço de criar um governo de coalizão. O PT não topou e expulsou a Erundina de seus quadros. Ela foi ser ministra, não durou muito tempo no cargo, pois fez umas burradas.

    Após ser demitida, ela declarou "O Itamar é burro". O presidente não perdeu tempo e replicou: "Sou tão burro que nomeei a Erundina ministra".

    Touché.

    ResponderExcluir
  71. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  72. Chico Bento04/07/11 15:57

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  73. Ronaldo Nazário04/07/11 16:09

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  74. Apolítico sim senhor!04/07/11 17:30

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  75. Velho, mas limpinho04/07/11 17:38

    Bob faz tempo que não posto por aqui, e não irei debater política com o sr. pois não chegaremos em lugar algum.

    Só peço humildemente que antes de escrever qualquer coisa, releia esta sua frase do seu post "Automóvel odiado na Europa, pode?"

    "Todos têm o direito de odiar o que quiserem, mas não de impor ideias desprovidas de bom senso para fazer prevalecer seu ponto de vista"

    A maneira como vc escreve seus posts deixa claro sua falta de isenção, então não reclame quando os seus leitores reclamam ou ficam "te importunando" ao escreverem sobre política por aqui ou invés de falar sobre carros.

    Sds

    VmL

    ResponderExcluir
  76. Era só o que faltava. Resolveram patrulhar o editor do blog. Gente mais chata, essa.
    Bob, tome cuidado ou esse pessoal toma conta do barraco.

    ResponderExcluir
  77. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  78. Ascensorista04/07/11 20:40

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  79. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  80. O comentário do anônimo acima demonstra bem quem é o lado podre da sociedade.

    Ô imbecil, quem detesta o PSDB e seus asseclas não é necessariamente petista, entendeu ser limitado?

    Assim como quem odeia o lula, não é necessariamente retardado de votar no PSDB.

    ResponderExcluir
  81. anonimo 3:10
    É mesmo!!! Nooooossa! Ainda bem que vc falou, jamais iria saber não fosse sua explicação. Um balaço pra vc tb, petralha hipócrita e enrustido.

    ResponderExcluir
  82. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  83. Vai vc, petralhão, que sabe como é e adora. Viu como é fácil fazer um vagabundo se revelar, otário! Cai fora desse blog, aqui não tem boca pra ti, não, desocupado. Tá cheio de blog por aí, verdadeiras poçilgas sustentadas por dinheiro público surrupiado pela camarilha que vc idolatra e que se prestam a apenas isso: puxar o saco de quem os sustenta e a reverberar as mentiras e vigarices arrotadas por sua bocas imundas.

    ResponderExcluir
  84. Pois é Bob,
    Você lembra-se da conversa que tivemos sobre Blogs e sobre comentários arrevesados e inadequados?
    Acho que o AutoEntusiastas já é adulto o suficiente para pré-cadastrar e selecionar a sua clientela. Eu não acho que manter aberta a opção para a participação anônima enriqueça o Blog, muito menos que seja uma necessidade democrática, é simplesmente uma porta aberta para o vandalismo cibernético. OK, qualquer mal intencionado pode inventar um codinome e participar encoberto desta maneira, mas é ai mesmo que entra o que eu falei sobre cadastrar a sua clientela.
    É profundamente desagradável ver num Blog desta categoria, tocado por um grupo de pessoas fantástico, ser palco de posts com xingamentos e uso de palavras de baixo calão. Eu acho que isto é desnecessário e é uma prática que o AutoEntusiastas não tem obrigação de tolerar.
    Volto a dizer, tudo isto é tocado e fomentado pela impunidade, que aliás é um dos cancros que corroem o Brasil.
    Tudo isto é profundamente lamentável!
    Alexander

    ResponderExcluir
  85. Pois é, Bob...

    E não é que o Fusca retomou um folêgo e vai voltar, pelo menos o nome fusca (para os mais nostálgicos) poderá figurar nos modelos 2012 do New Beetle. Dá uma olhada nesta materia da Carro online: http://carroonline.terra.com.br/noticia,7371,nome-fusca-voltara-para-o-brasil

    ResponderExcluir
  86. Alexander
    Lamentavelmente há pessoas que não têm compostura ou, se têm, às vezes dão uma escorregasda. Você vai ver que fiz uma "assepsia" nos comentários desrespeitosos ou ofensivos. Agradeço sua colaboração e espero continuar tendo-a.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.