O CARRO QUE DEVERIA TER AQUI


Outro dia estava pensando e me indagava por que nunca tivemos - fabricado aqui - um carro esporte-diversão como o Lotus Elite. Se olharmos bem suas características,  hoje, com o parque de autopeças que temos e o conhecimento que três gerações de engenheiros automobilísticos adquiriram, dá para fabricar um em pequena série sem a menor difuculdade. Veja como era o Elite, essa preciosidade bolada por Colin Chapman e lançada em 1957:

- Configuração motor/câmbio dianteiro, e tração traseira
- Carrocaria cupê duas-portas, dois lugares, monobloco em compósito de plástico reforçado com fibra de vidro, e subchassi dianteiro
- Cx 0,29
- Comprimento 3.759 mm, largura 1.506 mm, altura 1.181 mm, entre-eixos 2.242 mm
- Peso em ordem de marcha: 504 kg (isso mesmo, não é erro de digitação) 
- Motor 1.216-cm³ de 75 cv
- Câmbio de 4 marchas
- Suspensão dianteira por triângulos superpostos e traseira McPherson
- Freios a disco nas quatro rodas, internos na traseira
- Velocidade máxima 180 km/h e aceleração 0-100 km/h, 11,6 s
- Consumo médio 14,3 km/l

Lotus Elite (arte de Shin Yoshikawa)

Sua linhas são tão equilibradas que aparenta ser maior do que é. Supreendente também o coeficiente de arrasto de apenas 0.29, que conjugado com a pequena área frontal, que estimo em 1,60 m², resulta em arrasto muito baixo, produto Cx x A de apenas 0,464.

Interior simples de realizar e nem precisa de console, já tem um natural

Com motor, um 1-litro bom como o Renault de 76 cv daria conta de movimentar o leve carro, pois seriam apenas 6,6 kg/cv e o carro estaria na categoria de 7% de IPI.

Um bom brinquedo de gente grande! Alguém se dispõe a fabricar um?

BS

Mais fotos:

Linhas simples e ao mesmo tempo elegantes



Para divertir não precisa mais do que isso



E tem porta-malas!



Estepe dentro: pode não ser prático, mas tem seu charme

Tipo do carro que deixa seu dono feliz

72 comentários :

  1. Seria bacana também termos os "kit cars", como Seven, creio eu.

    Quem não tivesse (tanta) grana para comprar um esporte-diversão, poderia ir montando aos poucos seu "kit car", além do fato de ser extremamente personalizável.

    Boa idéia esta do esporte-compacto nacional, Bob.

    ResponderExcluir
  2. Quero um! Quero um!!!

    Bob, a coisa está tão besta, que outro dia, passando em frente a uma loja de carros, parei de sopetão. Tinha lá um Miata novo, o modelo que vc e eu adoramos. E era branco feito uma garça branca imaculada, lindo pacas.
    Fiz a besteira de ir olhar o Miatinha -- que seria esse Elite moderno -- e adivinha que câmbio tinha?....
    Broxei imediatamente. Voltei pro meu carro andando com os ombros caídos e braços arreados.

    ResponderExcluir
  3. e o puma não conta?

    ResponderExcluir
  4. Adoro e respeito muito o Puma tupiniquim.

    Mas ele está "meio longe" de ser um verdadeiro esporte-diversão...

    ResponderExcluir
  5. Aléssio Marinho11/07/11 09:37

    Bob;

    Com as novas exigências de impacto pra 2014, são cada vez mais remotas a possibilidade de termos algo simples e eficiente assim.
    Se a puma tivesse sobrevivido seria uma grande candidata a "Lotus Brazuca"
    Pena que os anos 80 estragaram os nossos sonhos. Agora nos resta lamentar...

    ResponderExcluir
  6. Porque não temos carros assim aqui? Por que no BraZil só se vende Uno e Gol, o resto é encheção para as concessionárias e fábricas que precisam atender as manutenções desses carros, sofro desse mal, adoro carros diferentes e só me ferro em peças e assitência técnica... o lucro aqui no BraZil esta acima do prestígio das marcas.

    ResponderExcluir
  7. Imagine, Bob, um carro esporte basiquinho nas mãos de "jornalistas especializados de revistas especializadas".
    Como disse o Arnaldo, começaria pelo câmbio. se tivesse uma alavanca no console, que requeresse movimentos de procura de marcha, e nenhuma borboleta no volante, já seria classificado como carro de baixa tecnologia.
    é uma terra de boçais Bob. Tem que ter conteúdo eletrônico para fazer sucesso.
    Triste nação infeliz.

    ResponderExcluir
  8. Se tivesse um milhãozinho dava para fabricar um pequena série. É só chamar algum engenheiro autoentusiasta, desses que saibam ouvir. Motor não tem problema, a não ser que se ressucite o enertron do Gurgel, mas aí vai mais um milhãozinho para atualizá-lo (ele é igual ao do Tata Nano...). Uma sugestão seria equipá-lo com os 1.6l 16v nacionais e opção de câmbio automatizado, com Lauch Control para calar a boca dos boçais. Seria um conjunto com potência razoável, e se possível um bom escalonamento o tornaria disponível. Mais uma vez copiando o Gurgel, poderíamos ver se tem câmbio/diferencial para reposição do Chevette no mercado paralelo e a partir daí desenvolver um seis marchas, se a dona GM deixar, mas acho que aí vai outro milhãozinho. O problema depois é vender, mas acho que um carrinho desses por 30 pila é mais do que suficiente para dar alegria em muito track-day.
    Seria bom o Ogro e o Dantas darem pitacos...
    Obs: Como é obrigatório anunciar para vender, teremos que fazer ações comerciais no Autoesporte e um campeonato monomarca...

    ResponderExcluir
  9. Idealizar é fácil. O problema é realmente produzir. Tudo é caro demais, sempre.

    Quando eu vejo bielas forjadas para AP custando 1000 reais me dá vontade de pegar o avião e ir lavar latrinas em Estocolmo.

    ResponderExcluir
  10. É o que 'era' pra ser o Lobini, se seu fabricante não quisesse reinventar a roda (e cobrar os olhos da cara)...

    ResponderExcluir
  11. Mestre Bob,


    Quando puder fale sobre o irmão mais novo Elan, que era um Elite com ainda mais "fun-factor".

    ResponderExcluir
  12. Beto Marcicano11/07/11 11:04

    Hoje em dia o mercado padece de um carro nesses moldes, simples, divertido, sem muita frescura, mas que coloque um sorriso no rosto daqueles que por ventura cruzem o seu caminho...

    Coisa que meu velho Chevette 1979 faz todos os dias, com a graça de Deus rs...

    ResponderExcluir
  13. Eu sonho todo dia um carro assim...

    ResponderExcluir
  14. Anônimo 11/7 09:13
    Claro que o Puma conta, mas seus componentes - chassi, motor, transeixo e eixo dianteiro - não estão mais em produção.

    ResponderExcluir
  15. Aléssio Marinho
    Um carro feito de compósito passa fácil nos testes de impacto. E ter ABS e bolsa inffável não representa problema maior num carro novo.

    ResponderExcluir
  16. Juvenal Jorge
    MP3, Bluetooth, WMA, sem isso os "especiaizados" iam mesmo detestar..

    ResponderExcluir
  17. Chamonix e Americar não teriam dificuldade de fabricar uma joinha dessas, já que ambas possuem experiência em suas réplicas.
    Garanto que ainda conseguem exportar.

    ResponderExcluir
  18. Receita simples para uma réplica do Lotus Elite:

    Conjunto motriz:

    1) Opção mais abrutalhada: 2.4 da S10 com sua respectiva transmissão de cinco marchas da Eaton (obviamente com uma alavanca menor);

    2) Opção mais refinada: algum motor VW (preferencialmente o 2.0 TFSI) com a transmissão da Amarok (com a opção de se esperar um pouco para que chegue o modelo a gasolina, uma vez que tração 4X2 já é produzida na Argentina).

    Resto do veículo: basta buscar em fornecedor. Vale lembrar que a Dana fornece inclusive só a bola do diferencial, permitindo que se monte suspensão traseira independente com peças genéricas e de prateleira (vide TAC Stark).
    Se isso não é mostra de que o Brasil é plenamente capaz de voltar a produzir carros de tração traseira de vários tamanhos e tipos, não sei mais o que considerar.

    ResponderExcluir
  19. Eduardo Costa11/07/11 12:57

    O problema é que não sairia por menos de 65mil, preço de um chamonix mais barato. Aí nesse preço só compra rico. E rico não quer carro basicão. Por isso mica feito o chamonix.

    ResponderExcluir
  20. O que falta é incentivo do governo para diversificar sua indústria automotiva. Parece até que só querem que exista duas opções: ovos sobre rodas com motor de máquina de costura ou jipões fora-de-estrada que podem literalmente andar em qualquer lugar, sem necessidade de estradas.

    ResponderExcluir
  21. Quanto ao preço, acredito ser possível fabricar um carro desses para ser vendido a 30 ou 35 mil.

    É só usar motor 1.6 16V Renault ou mesmo o clássico AP 2000 (que não são tão caros, já que equipam carros "compactos premium") e a plataforma de um compacto de posicionamento mais esportivo, como o Gol ou o Celta (que em comparação com os concorrentes são esportivos), tendo de ser planejado apenas o design do carro.

    Assim sendo, este seria um esportivo com performance aceitável (não iria penar nas subidas nem ficar sem força para ultrapassagens) e divertido de dirigir. Não seria uma Lotus, mas ainda assim colocaria um sorriso no rosto.

    ResponderExcluir
  22. Aléssio Marinho11/07/11 13:26

    Bob,

    Nesse ponto que eu queria chegar.
    Sempre ouvi que os carros com carroceria em compositos eram mais seguros por absorver melhor o choque.
    Minha preocupação é quanto aos cacos que a fibra deixa ao se partir, pois ela forma placas nessa situação. Eventualmente alguma lasca dessas placas pode ferir um ocupante de forma um pouco mais profunda, ou estou enganado?

    ResponderExcluir
  23. Aléssio Marinho11/07/11 13:28

    E como a norma trata isso?
    (esqueci de colocar no comentário...)

    ResponderExcluir
  24. No Brasil o carro é tratado com jóia. Onde no mundo um Mini Cooper custa o que se pede aqui? O Fiat 500 ano 2010 que ainda está no estoque custa R$60.000,00??? Um Corolla R$75.000,00, é um deboche!!!! E a carga tributária é menor do que a gritada pelas montadoras, quando justificam seus preços.
    Nosso mercado é absurdo total, e tem gente que pode pagar e acha fez um bom negócio!!!
    Por isso essa maravilha de carro seria um mico total, concordo com o comentário do Sr. Eduardo Costa. Lamentável.

    ResponderExcluir
  25. Perfeito! Apesar de discos internos me lembrarem de Jochen Rindt... melhor ainda seria, se oferecesse kits de preparação para o "miúdo" da Renault (tem um cara no renault clube que conseguiu espremer 94cv do 1.0 16v sem sacrificar a curva de torque brutalmente)!
    Deus não dá asa à cobra... ou dá?

    ResponderExcluir
  26. Eu me disponho. Lindo lindo.

    Mas, esperando não oferecer desgosto, algo ainda diferente.

    Bob Sharp, inevitavelmente o convidarei a participar de meu projeto. Já são incontáveis inspirações me fortaleceu.

    Não responderia, embora quisesse, se a postagem não fosse finalizada com tal pergunta igualmente me passou à cabeça logo que vi que primeira foto.

    Sinceramente me exponho e espero logo possa trazer-lhe algo irrecusável.

    Obrigado como sempre e até já.

    ResponderExcluir
  27. Simples e genial, e ainda tem motor centra-dianteiro ja que ele fica atrás do eixo dianteiro.

    ResponderExcluir
  28. Ozirlei F. Pinto11/07/11 16:06

    O pior é que me martela a ideia de fabricar o meu proprio carro.
    Me martela a ideia de criar um projeto nacional, só de pensar que nunca em toda historia tivemos um carro realmente 100% nacional é algo de entristecer (o gurgel foi quase, tem que pensar que o cambio/dif não era gurgel).
    E de pensar que na inglaterra junta uns 3 negos dentro do pub e decidem montar um carro na garagem e vender (hipoteticamente), chega a mostrar nossa falta de vontade de fazer algo... mas não algo qualquer, algo simples, porem bom... algo que mesmo com mecanica x ou y, mas genuino. Falta visão.
    Pra mim quem chegou mais perto disso foi o lobini. A mecanica (qse) certa, a tração certa, o chassi e a aparencia certa. O unico item errado é o preço que apesar de eu entender (chassis tubular não sai muito barato, é algo muito artesanal), nem todos entendem.

    ResponderExcluir
  29. Eu tenho pensado imensamente em construir um veículo mais ou menos como um puma com chassis tubular (ou algo que dê a mesma resistência sendo fácil de produzir) e suspensões com braços sobrepostos, a partir de sucessivos refinamentos do meu futuro sevenesque. Um dia eu chego lá, um carro projetado para venda em pequena escala, com motor "de linha" e que seja barato. Se sair a 60k, realmente ninguém vai querer.

    ResponderExcluir
  30. Imagino algo assim na industria nacional tem muito tempo.
    Eh so querer.

    ResponderExcluir
  31. Olha, se fizerem um parecido por até 25 mil, eu me torno comprador em potencial.

    ResponderExcluir
  32. Álias, fica a sugestão: criar tópicos específicos de Sugestão de Compra, Guia de compra, etc.

    Enfim, carros sugeridos para nós, autoentusiastas, como o Alfa Romeo do AK e este pelo carrinho.

    Eu gostaria muito de comprar um carro que me desse prazer ao conduzir. E, bem sabemos, não vou achar nada que preste em "revistas especializadas".

    ResponderExcluir
  33. GM, Fiat, Ford, VW, codê vocês?? Ninguém têm internet não, é??

    ResponderExcluir
  34. Bob,
    Isso de carroceria em compósito, mais precisamente fibra de vidro, e testes de impacto só me lembra de uma história que meu pai sempre me contou e que ocorreu aqui em Brasília há algumas décadas. Parece que um Puma estava cheio de jovens - na minha cabeça cheio deve ser uns quatro - quando o motorista se perdeu em uma curva no início da Asa Norte, perto do Eixão, fazendo o carrinho capotar e atingir com o teto uma manilha que aparentemente funcionava como PV. Todos morreram, mas pior que o impacto foi o estado que os ocupantes ficaram, dilacerados pelos pedaços da fibra que se partiu. Este foi o principal motivo que fez com que meu pai sempre fosse contra a minha idéia de comprar um Puma, o que resultou no GTS que já citei aqui algumas vezes.
    Sobre o Elite, algo que já vi a respeito é que exatamente pelo monobloco dele ser em fibra de vidro é que tão poucos sobreviveram ao passar dos anos, a estrutura simplesmente não aguentava os esforços, sem contar o desgaste natural do material. Agora imagine algo assim em nossas ruas e estradas que mais parecem a Lua. Iria acabar partido ao meio.

    ResponderExcluir
  35. Eu tinha pensado em um "Elite moderno" da seguinte maneira:

    1 Carroceria em monobloco plástico da Plascar. Nele dá para fazer um assoalho aerodinâmico (o segredo do baixo CX do Elite)

    2 Estética semelhante às dos TVR Griffith/Cerbera/Chimaera dos anos 1990 -linhas limpas longilíneas e com faróis e lanternas redondos, bem simples. Também poderia ser algo semelhante aos Alfa-Zagato TZ, com "codatronca"

    3 Tentaria saber a viabilidade de usar a mecânica daquela Hafei Towner ou de outras microvans chinesas porque são motores 4cil de 1L mais leves que os nacionais e além disto eles são bem inclinados para a direita, e permitem, como no Elite, desenhar um capô bem baixo. Acho que o projeto deste motor é dá Suzuki, mas resta saber se são fiáveis e se permitem algum tipo de preparção.

    4 Por fim, rodas de no máximo 15", pois esta moda de rodas gigantescas envoltas em tiras de borracha já chateia.

    ResponderExcluir
  36. Tudo para vc eh "muito facil" e "simples" Bob....

    Entao com seus "conhecimentos" e "relacionamentos", pq nao experimenta fabricar um para vc ver como e?

    ResponderExcluir
  37. Chaminix ja faz um.... e ha outros varios fabricantes de replicas de cobra no Brasil, Bob....

    Brasileiro (em sua grande maioria), nao gosta desse tipo de carro.... e outra: A grande maioria so tem dimdim para comprar um... e nao vai comprar um carro de 2 lugares...

    Entao, para a minoria que deseja um carro desses, q compre um importado ou uma replica ;)

    ResponderExcluir
  38. Monte seu próprio carro...elabore um projeto, trate-o como protótipo, encare os custos....ou então compre algum destes fora de série brasileiros aí citados....existe tb a possibilidade de se importar um esportivo com mais de 30 anos (Nissan 240/280Z, Jensen, MG, Triumph TR6 e outros)...é uma possibilidade a ser estudada também...enfim só não tem quem não quer !

    ResponderExcluir
  39. Se produzido aqui custaria uma fortuna...

    ResponderExcluir
  40. Algo parece que se perdeu no tempo...
    No início de nossa indústria, com um mercado que era uma fração pequena do atual, havia disponível um fun-car de fábrica, coincidência ou não com alma Renault: o Interlagos, com a mesma receita.
    Você dirigiu um Bob?
    E quanto ao Puma DKW?
    Tivemos também o Brasinca Uirapuru de desenho bastante refinado apesar da mecânica de caminhão.
    Não podemos esquecer de lembrar também do Karmann-Guia que era bastante ascessível.
    Nos anos setenta e oitenta tivemos algumas boas propostas mas tudo sumiu. Acho que valeria um post a respeito, não?
    AAM

    ResponderExcluir
  41. Credo, eu dou pau de Picanto automático nessa merreca!

    ResponderExcluir
  42. Montar um carro é legal , mas tentar viver disso aqui no Brasil : IMPOSSÍVEL.

    Como Ex-fabricante de réplicas posso dizer que só sobreviveram até hoje as montadoras que exportavam seus produtos como Americar,New track ,Chamonix, etc..

    Quem deseja entrar nessa além de sofrer com a falta de mão de obra especializada, os custos para se manter empregados e a falta total de icentivo do governo (que começa já dificultando a documentação do carro ), ainda tem que concorrer com os carros antigos legítimos que atualmente estão sendo importados a preços semelhantes os que se cobravam por réplicas.

    Agora que os EUA estão quebrados vejam como está a situação dos "grandes" fabricantes de réplicas...Muitos vendendo o ferramental ou mudando de ramo porque o Brasil NÂO É MERCADO PARA ESSE TIPO DE CARRO!!, porque quem gosta não tem grana e quem tem grana compra outra coisa...

    JONES

    ResponderExcluir
  43. Aos anônimos:

    Tem um jeito de fabricar um barato: Fazer uma parceria com fabricantes chineses/coreanos de fornecimento de peças e ponto de vendas. Funcionaria assim, usando a sugestão do FernandoZero: Compra-se o powertrain e com o carro pronto distribua-o nas concessionárias da marca. A vantagem é que o carro chamaria atenção no concessionário e daria um "plus" para o fabricante.
    Quanto ao "custo Brasil", você verá o porquê da escolha de fabricantes chineses e coreanos: eles tem fábrica no Uruguai, que tem carga fiscal menor e o Mercosul para isentar de impostos de importação. Se usar mecânica de microvan, um pequeno veneno daria mais alegria ao torpedinho, se bem que uma versão turbo daria mais alegria ainda...

    ResponderExcluir
  44. Ozirlei F. Pinto12/07/11 10:01

    Não acho que não tenha mercado.
    Acho simplesmente que não teve um carro para esse mercado (Brasileiro).
    Como um post anterior do Bob o que é implacavel no brasileiro é a "ditadura das especificações". O Brasileiro não é um consumidor exigente... é um consumidor chato. É o consumidor que "acha" que esta escolhendo certo, quando na verdade suas escolhas são pelo "melhor piorado".
    É só lembrar que a VW teve que manter o motor a ar por anos em muitos carros (o Gol por exemplo!), com medo da "aversão ao novo" e a "aversão a complexidade e custo de manutenção maior". Injeção eletronica... idem. 16V... idem... Mas ao mesmo tempo ele quer ar condicionado, vidros eletricos e essa porcariada toda.
    .
    Brasileiro quer carro novo... mas no fundo não precisa ser novo... (Uno mille, Sandero/Logan, Celta, Classic e Agile... todos carros com plataforma dos ans 80!)
    Brasileiro quer carro barato e que "apareça"... Não precisa no fundo ser confiavel.
    Brasileiro quer carro economico... Mas ao mesmo tempo quer que o carro "ande".
    Brasileiro quer conforto... mas não quer abrir mão de esportividade.
    Coisas totalmente paradoxais.
    O que criou aversão a "carros nacionais" (fora de serie)? O carro "nacional"! Como foi dito, toda sorte de boatos se espalharam, alguns por revistas, alguns de boca a boca...
    Em suma começamos mal, poucos foram os carros a se orgulhar, e por fim o proprio brasileiro enterrou os seus proprios sonhos.
    O fabricante por fazer o carro que agradasse a ele, e não aos consumidores e o possivel consumidor que preferiu ver mais os defeitos do que as qualidades.

    O que eu disse sobre o Lobini: Minha opnião... ele precisaria ter uma versão totalmente despojada (De serie vem com ar, direção, vidro, travas e retrovisores eletricos, direção regulavel!! Um sacrilegio num esportivo, porem feito pra agradar "o consumidor brasileiro/chato") necessitando de um motor de 180 cv pra mover 1 tonelada num carro de fibra/plastico. Inadmissivel no nosso "Lotus Brasileiro" (o projeto teve ate parceria com a lotus... o lobini é incrivel, mas com o preço dele muita gente prefere um Audi ou BMW. Ignora os numeros de desempenho e só pensa no "vou aparecer mais" e vou gastar menos.

    ResponderExcluir
  45. Anonimos e Sonhadores

    Sem querer desanimar ninguém mas vou mostrar a realidade ($$) de se fazer um carro:

    Tome como exemplo o custo para se montar um Cobra:

    Carroceria - R$ 6500,00
    Mecânica revisada - R$ 7000,00
    Acessórios - R$ 4000,00
    Chassis/Suspensões - R$ 4000,00
    Rodas e pneus - R$ 5500,00
    Funilaria e Pintura - R$ 6000,00
    Tapeçaria ------------R$ 2000,00
    Elétrica -------------R$ 1500,00
    Documentação ---------R$ 2500,00

    TOTAL ----------------R$ 39.000,00.

    Pronto! Você tem uma base do CUSTO para se fazer um carro NO FUNDO DO QUINTAL usando peças de um Landau SUCATÃO.

    Agora imagine aplicando-se a correta engenharia , marketing,mão de obra, impostos , etc.. , etc.. nesse projeto do Elite?

    Com certeza passará dos
    R$ 90.000,00....e ninguém vai comprar !!!

    Essa é a dura realidade . .

    ResponderExcluir
  46. Aléssio Marinho12/07/11 10:42

    Orzilei F. Pinto;

    Tira os Renault da sua lista de plataformas requentadas, que a do Logan nacional é de 2006 - a mesma do Clio atual vendido na europa, e outros carros da Renault/Nissan, como Livina, Tiida e mais uma pancada.
    A plataforma do Palio é a do Uno Italiano, sem feixe de molas na traseira, herdado do 147.

    ResponderExcluir
  47. Produzir aqui?
    E vender a um preço justo?

    Sem chance... Basta lembrar que restou aos sul africanos continuar a produzir o mencionado Puma.

    ResponderExcluir
  48. Tipos isto aqui ó:
    http://www.pumacars.co.za/

    ResponderExcluir
  49. Ha que se citar que o Lotus Elite nunca foi um sucesso, com um numero pequeno de carros produzidos.
    Era caro, extremamente fragil, apertado e desconfortavel. Praticamente impossivel de ser utilizado.
    Um briquedo interessante para gente rica.
    Como o Lobini.

    ResponderExcluir
  50. Ozirlei F. Pinto12/07/11 13:24

    + ou -, Aléssio Marinho... Sandero/Logan são baseados na plataforma B0... Que é a plataforma B da nissan com entre eixos alongada. http://en.wikipedia.org/wiki/Nissan_Sentra
    Veja que o Sentra antigo (sunny) já usava.
    http://en.wikipedia.org/wiki/Nissan_B_platform
    (Acho que alguem da Nissan/Renault apagou a pagina da plataforma B, mas sim... ela é de 1982!)
    .
    E bem lembrado do Palio.
    .
    Anonimo II
    Bem lembrado da africa do sul.. de lá, vem um dos mais bem elogiados kit cars pelo top gear... o Noble!
    .
    Até a africa conseguiu fazer um carro descente e apaixonante.

    ResponderExcluir
  51. Bob, ótimo post!

    "Aumentar a potência deixa você mais rápido nas retas; subtrair peso deixa você mais rápido em todo lugar." - Colin Chapmam

    ResponderExcluir
  52. um puma com um ap turbo já vira um belo de um esportivo...

    ResponderExcluir
  53. Fabricar um carro desses aqui pra que? Pra ninguém comprar?
    Aqui mesmo no site de "autoentusiastas", não vemos nenhum deles com "carros de entusiastas", a começar pelos responsáveis pelo site. Um tem (ou tinha) um celta e um Escort, o outro uma Quantum, outro 2 Focus... Porque nenhum deles, nem umzinho tem um carro, velho e surrado que seja de "entusiasta"?

    ResponderExcluir
  54. Eita maldita inclusão social...

    Nego pega o bonde andando e quer sentar na janela. Impressionante!

    Antes de vir com paus e pedras, leia mais. Informe-se mais. Principalmente do assunto o qual for se retratar.

    Procure por Mr V8. É daqui do blog mesmo.

    ResponderExcluir
  55. Uma sugestão seria montar uma fábrica de auto-riquixá e adaptar a mecânica para criar um coupé de dois lugares. Ele seria semelhante aos Morgans de três rodas e recebendo benefícios como motocicleta como ausência de obrigatoriedade de ABS e air-bags e níveis de emissões mais benevolentes, podendo fazer o motor ter potências específicas perto de 90 cv/l. Um motorzinho de 600 cm³ rendendo 55 cv para um carrinho pesando uns 500 kg faria algum estrago. O câmbio poderia ser adaptado das motonetas, que seria seqüencial, mas com embreagem no pé. O que o André Dantas e o Ogro achariam da idéia? Se alguém conseguir realizar a idéia, acredito que o preço não passe dos R$ 20.000,00...

    ResponderExcluir
  56. Anônimo 26/7 13:34
    Autoentusiasta de verdade encontra diversão em qualquer carro. Aprenda essa, se não sabe.

    ResponderExcluir
  57. Pois é, aqui é assim, quando alguém aparece com uma opnião incômoda é atacado. Só tem razão quem tem opnião concordante com os donos do blog.
    Não fui eu quem vim com paus e pedras, só fiz uma observação da realidade e fui atacado por causa disso. Ou é mentira e aqui só tem proprietários de carros "entusiásticos"?
    Se opnião discordante aqui não puder ser postada, pra que o blog? Façam então uma publicação onde não possa haver comentários, ora!
    Se autoentusiasta de verdade encontra diversão em qualquer carro, porque então o choro?

    ResponderExcluir
  58. Anônimo 27/7 10:40
    O AE é assim porque nós queremos. Seu comentário sobre para quê fazer um carro como o Elite foi rude, inorpotuno e teve a resposta que merecia.

    ResponderExcluir
  59. Caro Anonimo incomodado,

    Vou aproveitar a oportunidade e ser rude também. Blogs não são democráticos, então essa de quem opina o que quer não cola. Aliás a internet não é uma democracia, mas sim uma ditadura de massas que destrói opiniões contrárias às tendências reinantes de pensamento e transforma pessoas em momentos constragedores em seres terríveis na santa inquisição dos outros mortais que não foram(ainda) flagrados fazendo atos estúpidos e impensados.
    No caso desse blog, "não leu, o pau comeu". Nas décadas de 40, 50 e 60 havia carros divertidos com mecânicas modestas e ergonomia inexistente. Além de outros defeitos, como os roadsters ingleses fabricados até a década de 90. Alguns carros com mecânicas de 1 a 1.6l e desempenhos modestos viraram carros de sonho como a Alfa Spider, por exemplo. Mas apresentavam uma dirigibilidade ótima é divertida em estradas de serra. E não para impressionar um bando de otários que adoram ver rachas em avenidas e vivem sendo atropelados pelos competidores que se acidentam. A proposta desse post foi essa. E só para endossar o comentário acima do Bob, acho o Gol quadrado um carro horrível de se dirigir, mas o seu motor AP tem uma legião apaixonada de fãs e aceita modificações facilmente. Então o fabricante acertou alguma coisa ao fazer esse motor se destacar em um conjunto horrível. Antes que alguém me xingue, adoro Santana... O Chevette antes do advento do 1.6l é um carro chôcho e sem graça, mas graças à tração traseira e a alegria que demonstra a qualquer envenenadinha dada, ganhou uma legião de admiradores.
    O Bob por sinal adora as DKW´s, mesmo com carros mais fortes à época, talvez pela direção mais divertida proporcionada pelo ótimo conjunto e o fumacento mas esperto motorzinho dois tempos, que já tinha potência à época superior a muito carro 1.0l vendido na década de 90. Já vi gente se divertindo dirigindo Celta, e apesar de ser considerado o anti-carro da GM, muita gente se diverte com ele. E estou falando de gente que já dirigiu carros maiores e mais potentes. Outro exemplo é de um velhinho sócio do clube Faixa Branca que toda exposição organizada pelo clube fica dando voltas feliz com o seu possante Ford T, com seus 2.3l e 20 cv e máxima de 70 km/h. As crianças se divertem tanto quanto o motorista que tem que se virar com comandos trocados, duas marchas no pedal, acelerador no volante e suspensão praticamente inexistente.
    Autoentusiasta é isso.

    ResponderExcluir
  60. Isso aí, faça o que eu falo mas não faça o que eu faço, né? Se querem respeito a suas opniões, respentem à dos outros. Se não querem querem reações contrárias, pra que fazem o blog? Pra quando alguém posta opnião contrária, apaga-se o post ou tranca os comentários, como já foi feito várias vezes aqui? Igualzinho o dono da bola... E ainda ficam posando de fodões.
    Se estão na vidraça, tem que aprender a conviver com as pedras!

    ResponderExcluir
  61. Anônimo, ninguém aqui deve explicação do que tem ou não tem na garagem. Quem tem pode muito bem não querer falar, já pensou nisso? Não né, portanto pense um pouco antes de falar de quem vc não conhece.

    ResponderExcluir
  62. Anônimo 27/7 16:04
    Só posando, não: somos. Aprenda um pouco mais sobre automóvel e depois discutimos.

    ResponderExcluir
  63. Ah, a soberba, que sentimento nobre Sr. Sharp. Uma pessoa da sua idade deveria ser mais sábia e aprender uma outra coisinha muito mais importante, a humildade.
    E a carapuça serviu serviu para outros.

    ResponderExcluir
  64. Caro Anônimo incomodado,

    Lembra da ditadura das massas, você é exemplo disso. Aqui se faz discussão sobre um determinado tema, e não massacrar alguém porque não segue as idéias pré-concebidas pelos throlls que infestam a rede.
    Em tempo, throll é um ser de realidade fantástica cuja única razão de existir é para esmagar quem é menor e mais fraco que ele e possui um intelecto menor que aquela border-colie que conhece mil palavras. Quer ser ovelhinha feroz e exigir humildade do articulista? Vá para o site do autoesporte e junte-se a legião de fãs de carros chineses que não aceitam as críticas aos péssimos acabamentos exibidos pela maioria deles.
    Vá postar lá que o motor VW AP é melhor que qualquer joça que renda 100 cv/l. É o melhor a fazer, tanto para vc quanto para nós aqui.
    Obs: se fizer isso que vc está fazendo em um buteco, apareceria no "Policia 24hs"...

    ResponderExcluir
  65. Caro 1K2,

    Seu post é mais um exemplo de arrogância daqueles que aqui se acham o dono da verdade. Nada mais fiz do que comentar a incoerência das declarações aqui feitas e se tem alguém a quem se faltou respeito sou eu. Desde a primeira resaposta atacou-se a minha pessoa ao invés de responder ao meu argumento, com declarações preconceituosas e esteriotipadas. Exemplo classico de quem, quando não tem argumentos lógicos para debater, lança mão do Argumentum ad hominem.

    ResponderExcluir
  66. Caro Anônimo incomodado,

    É necessária uma certa arrogância para assinar um comentário e mais ainda para não ser mais uma ovelhinha que vai com as outras para terminar no mesmo buraco (ou se preferir, matadouro) que as outras.
    Sim, não sou uma pessoa humilde, senão estaria vendo novela ou futebol e tomando cerveja cara porque aparece em propaganda com mulheres gostosas e seminuas.
    Ter opinião é ter certeza no que acredita, mesmo que isso contrarie o pensamento corrente das massas. E isso necessita uma certa dose de arrogância. Se não fosse a arrogância, a terra ainda seria chata e o Novo Mundo nem existiria.
    E autoentusiasta se diverte com qualquer coisa, desde um cortador de grama motorizado a um superbólido que somente poucos mortais terão acesso. Então não estranhe o Bitu ter uma Quantum, o Bob e sua pequena coleção de Celtas, o Mao se despedindo do Máxima e o Ogro do Cerrado fazendo misérias com Chevette, apesar da especialidade dele ser banheiras com V8.
    Aqui se pode discordar, mas com elegância, algo que faltou a você, anônimo incomodado que tem medo de assinar o nome, porque isso pareceria uma arrogância maior ainda, a ponto de cometer um ato de heresia: assumir que tem opinião própria e compartilhá-la com os demais. Polemizar por polemizar sob o manto do anonimato, qualquer boçal faz. Dar a cara para bater, assinar seu nome e às vezes ter a elegância de reconhecer que as verdades nem sempre são imutáveis exige uma certa macheza (independente do sexo e do gênero, se é que me entende) e para isso exige-se um certa dose de arrogância.

    ResponderExcluir
  67. Você ainda continua apenas fazendo ataques pessoais à minha pessoa, mas não debateu nenhuma idéia ainda.
    Realmente é muito mais fácil me atacar do que discutir civilizadamente. Não sou eu que estou fazendo o papel de ovelhinha vai com as outras, pelo contrário, estou defendendo minha posição que contrária e ainda sob ataque de vários aqui, inclusive o seu.
    Aliás, não há racionalidade nenhuma nesse massacre que querem me infringir. Não fiz ataque pessoal a nenhum membro daqui, naõ xinguei ninguém, como infelizmente já ví fazerem aqui e estão fazendo comigo, apenas fiz uma constatação com base em fatos que são de conhecimento de todos que acompanham este blog.
    Não fiz nenhum julgamento de caráter, como vocês tentam fazer comigo, ao tentar me diminuir para invalidar minha tese, mas a verdade está aí. Se o público alvo deste tipo de carro proposto neste blog não compra este tipo de carro, quem vai comprar? O consumidor comum, que custa para comprar seu carro financiado extorsivamente porque não tem como comprar de outra maneira neste país de preços abusivos? Acho bastante improvável, né?
    Quando vocês dizem que um autoentusiasta se diverte com qualquer carro, ou qualquer coisa, até mesmo um cortador de grama, vocês fortalecem minha tese! Pra que um fabricante vai investir na fabricação de um modelo de mercado restrito, se o público alvo deste modelo não precisa dele, não o compra, pois se diverte com qualquer coisa? É muito melhor continuar vendendo o que já se vende então!
    Realmente qualquer boçal pode escrever polemizar sob o manto do anonimato, assim como qualquer boçal pode criar um perfil com dois números e uma letra e polemizar sob este manto, sua situação não é diferente da minha. E eu postar sob o anonimato, ou sob o nome de Zezinho ou qualquer que seja não invalida meu argumento.
    Por último meu caro, elegância e arrogância não combinam. Elegancia combina com humildade, humildade de aprender a conviver com idéias diferentes das suas próprias, pois é assim que é a vida em sociedade. Humildade não é o conceitto distorcido e preconceituoso que você descreve acima, mas algo muito maior, muito mais nobre.
    Te pergunto, se seu chefe tem uma idéia diferente da sua, você o ataca pessoalmente e tenta diminui-lo como pessoa como vem fazendo comigo, com toda a arrogância que você diz ser necessária ou discute com ele civilizadamente e tenta convence-lo do seu ponto de vista? Aposto que você faz da segunda maneira, ou não vai conseguir parar em nenhum emprego. Porque não fazer a mesma coisa aqui e agir civilizadamente discutindo idéias e não denegrindo os outros?

    ResponderExcluir
  68. Volta pro mar, oferenda!

    ResponderExcluir
  69. Mais um que não sabe lidar com outras opniões.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  70. Vamos lá:
    No meu perfil tem o meu e-mail, blogs que escrevi e participei, e o "nick" foi uma brincadeira com um apelido errado que me deram, de certa forma dei a cara para bater...
    Ser humilde sempre significa ser subserviente, típico comportamento de manada. Exigir humildade de articulista por não compartilhar de suas idéias é ser presunçoso.
    Ser elegante é saber discutir, por isso é que se admite torcedores de outro time somente nas cadeiras cativas reservadas aos sócios dos clubes que pagam caro pelo lugar.
    Como já escrevi em post anterior, ninguém é dono absoluto da verdade, mas não se pode jogar mais de 50 anos de experiência fora só por que um comentarista anônimo exige "humildade" e aceitar a filosofia de mexânico que só mexe em motor AP em um articulista com o porte e a experiência de Bob Sharp.
    Não confunda humildade com respeito, e às vezes temos que colocar nossas posições aos chefes. A estação de metrô de Pinheiros é um belo exemplo de um empregado "humilde" que obedeceu sem questionar o chefe.
    Quanto a te diminuir como pessoa e a te atacar pessoalmente, bom, não sei quem é você porque você é um anônimo. Nem nome tem, então é uma não existência. Por isso, "não existente" incomodado não se ofenda, afinal só estou escrevendo palavras ao vento...
    Bem, agora você sabe o que é ser diminuído.
    Saiba onde você está, e sobre quem você está escrevendo. Isso é humildade. Isso é respeito. É muito melhor que ficar atacando às cegas.
    Um exemplo é o Ogro do Cerrado, não sou fã de V8 brutais sugadores de gasolina, sigo mais a escola européia, mais sofisticada e refinada. Mas os postes dele são os melhores sobre motores.
    Outro fato que você desconhece, é que brasileiro é refém dos "mexânicos de AP". Qualquer motor que exija um curso por videoconferência já é taxado de ruim. Teve épocas em que um Gol quadrado completo valia menos que um Gol pelado. Por isso brasileiro só compra determinado tipo de carro, porque acha que está levando vantagem. E é esse tipo de cara que temos que tirar do trânsito, mas como o transporte coletivo é uma escola de incompetência e desrespeito ao consumidor, vc já sabe no que dá. E quanto aos meus empregos, bem, estou no segundo há mais de 8 anos e no primeiro fiquei 10 anos, e ainda ajudei meu pai.
    E discutir idéias não é você impor seu ponto de vista e acabou. É saber com quem você está dialogando, mostrar as suas divergências e tentar daí tirar proveito disso. Conheço dois países em que a opinião corrente manda, um deles é até "democrático", já que elege somente pessoas indicadas pelos dirigentes. Talvez você se sinta a vontade neles. Espero parar por aqui, vai que você seja cardíaco. Como tenho perfil no Google, é fácil ser rastreado e responsabilizado. Isso é dar a cara a bater e mostrar que tem colhões. Se é que me entende.

    ResponderExcluir
  71. Volte pro mar, oferenda! (2)

    ResponderExcluir
  72. Anônimo 29/7 8:42
    Desculpe, você apenas colheu o que plantou. Foi rude comigo e com os outros gratuitamente. Se escrevi sobre o Elite dizendo que poderia ser feito aqui, seu comentário de quem iria comprá-lo, que os colunistas têm carros que não de entusiastas etc, foi fora de propósito, ofensivo e portanto dispensável. Este blog é destinado a quem conhece e curte automóvel e quer aprender cada vez mais sobre eles, e acho que eu e os meus colegas temos conseguido atingir esse objetivo nesses quase três anos. Assim, se automóvel para voce é apenas meio de transporte, o AE não é mesmo para você. Mas se quiser saber mais sobre carros, seja bem-vindo, mas sem ofender quem quer que seja.
    Bob Sharp
    Editor

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.