NÃO É POR AÍ


Quatro dias atrás tomei o slogan dos Biscoitos Tostines como base para mostrar um aspecto do trânsito brasileiro e disse que o Brasil está fabricando idiotas com seu arcaico sistema de trânsito. Eis que anteontem abro o jornal  O Estado de S. Paulo e leio que a PM vai dobrar o efetivo no período de férias em razão do elevado número de mortes nas estradas. Desculpe, PM, em que pese sua boa intenção, não é por aí vocês vão conseguir o nobre objetivo..

Não é possível que as polícias rodoviárias brasileiras não entendam que trânsito se fiscaliza monitorando-o e não fazendo bloqueios que pouco resolvem. Hoje a tecnologia de imagem permite que câmeras façam grande parte desse trabalho, mas elas não substituem uma coisa chamada carro policial em movimento, patrulhando, observando o tráfego, analisando o comportamento dos motoristas e abordando-os caso cometam alguma infração ou denotem não estar de pleno domínio do carro qualquer que seja o motivo. Podem até estar sóbrios, mas isso não os impede de dirigir fora do padrão.

O policiamento móvel é o que permite, por exemplo, flagrar quem utiliza o acostamento para trafegar, "levar vantagem"; educar os "donos" da faixa mais à esquerda no sentido de que ela se destina a ultrapassagens somente; repreender quem está trafegando com a luz de nevoeiro traseira ligada sem necessidade; mandar andar mais rápido quem esteja prejudicando o fluxo; controlar carros com excesso de lotação (que tenham pegado a estrada depois do bloqueio); advertir motoristas que estejam muito próximos do carro à frente. Esses são só alguns exemplos do que pode e deve ser feito por um policial rodoviário em seu veículo.

A ineficácia do bloqueio está justamente no seu caráter estático, localizado, e não na rodovia como uim todo. Além disso, uma rodovia recebe tráfego de outras, sem contar os inúmeros acessos ao longo dela. É por essa razão que carro de polícia rodoviária tem que ter uso além de levar os patrulheiros para fazer uma refeição ou atender a chamados. Esses carros têm de rodar permanentemente em trabalho de patrulha.

Fora que, em regra, bloqueios causam engarrafamento, cansa-se de ser ver isso. Constituem inequívovo abuso de poder.

Lembro-me que era assim, encontrava-se com frequência carros de polícia nas rodovias. Hoje acabou, só  se vê carro da polícia rodoviária em uma das hipóteses citadas acima.

Os carros rodavam realmente, eram Chevrolet Veraneio, Corcéis ou Fuscas, mas quando o governo tomou medidas para conter o consumo de combustíveis em 1976, entre elas houve o corte na cota de combustível dos carros oficiais, e nessa os carros de policia foram jincluídos. Que medida mais burra, de gente que não tem noção do que é tráfego rodoviário! E. não dúvido que as cotas normais não tenham sido restabelecidas.

E não podemos nos esquecer dos carros de polícia. Eles têm que ser de no mínimo dois litros turbalimentado, 200 cv para cima. Carrinhos 1,6 de 100 cv pouco ou nada adiantam numa perseguição para abordagem. Temos uma pujante indústria automobilística, a sexta do mundo, mas ela é incapaz de produzir versões especiais para polícia.

Impossível tudo o que foi falado? Claro que não. Basta uma única cabeça esclarecida na PM ou na Polícia Rodoviária Federal, que a coisa sai como deve.

BS

37 comentários :

  1. Concordo com tudo!
    NO outro feriado, a reportagem da Globo, se não me engano, fez o papel de polícia, rodando pela rodovia e abordando os motoristas. Rapidamente acharam carros com mais de sete pessoas empilhadas, gente bebendo cerveja e dirigindo, gente indo pelo acostamento... TUdo impune pois obviamente todo mundo se comporta quando passa por um previsível bloqueio.
    Parabéns pelo texto, Bob!

    ResponderExcluir
  2. Carlos Eduardo05/07/11 16:10

    Um dia eu estava voltando para casa as 11:00 da manhã numa avenida daqui de São Paulo de 3 faixas.

    O transito normalmente é livre mas naquele dia estava muito parado, depois de muito tempo no anda-e-para desobri que era por causa de uma blitz que roubava 2 faixas da avenida. Fiquei muito irritado com isso, não podiam usar uma faixa só?

    ResponderExcluir
  3. Bob,
    perfeita abordagem do assunto.
    Dois sábados atrás observei por alguns minutos um carro que trocava de faixa sem controle em uma avenida de São Paulo, por volta de 1:30 da manhã. O cara ia mais lento que o fluxo, atrapalhando os poucos carros que havia.
    Na primeira chance, acelerei para passá-lo e ir embora, quando minha esposa avistou os 3 infelizes imbecis dentro do carro com latas de cerveja na mão.
    Cadê o policiamento de trânsito também na cidade ??????
    Isso é uma vergonha completa.
    Polícia tem que trabalhar, estamos pagando por isso.

    ResponderExcluir
  4. Por falar em carros de patrulha em movimento, frequentemente vejo em São Paulo viaturas da PM trafegando na faixa da esquerda com velocidade abaixo de 30 km/h, ou seja, obstáculos móveis.

    E antes de botarem carros mais velozes na mão da polícia, deveria haver treinamento mais adequado. Não é muito raro ver casos de capotamento de Blazers realizando perseguições.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, fugir da blitz que está estática na estrada é relativamente fácil. É similar a burlar os postos de fiscalização rodoviários (que diga-se de passagem, aqui na bahia andam largados). Muito mais difícil é prever quando e onde você pode se deparar com um carro da polícia vigiando a estrada.

    ResponderExcluir
  6. Bob
    Fabricar um carro com mecânica diferenciada é bico para nossa indústria. E algumas prateleiras já possuem coisas interessantes. Soube que, até há alguns anos, a GM fabricava por aqui o motor 2,0l 16v turbo para exportação. Bem podiam lançar uma versão do Astra ou do Vectra com essa motorização. E não só para a polícia. Para nós também, ora, pois.

    ResponderExcluir
  7. Fiscalizar pra valer mesmo dá trabalho e isso não é o forte da maioria dos funcionários públicos.
    Um lado finge que fiscaliza, o outro finge que é fiscalizado e as nossas estradas continuam o caos de sempre.

    ResponderExcluir
  8. mister bozao05/07/11 17:21

    mais barreiras policiais

    ResponderExcluir
  9. Bob,

    Em minha última viagem pude ver duas coisas que fiquei extremamente feliz.

    A primeira ao cruzar com um carro rodoviário transitando a 110 km/h (limite da via) educando os apressadinhos (como eu) que tentavam ultrapassá-lo. Nada de sirenes, luzes ou terror. Andava como outros carros em uma tocada limpa, sem abusos.

    Formaram uma linha de veículos rápidos com distâncias compatíveis e andamos quilômetros sem precisar do freio. Muito interessante.

    Outra coisa foi ao entrar em um denso nevoeiro, eu segui um rápido e consiente condutor de um Audi R7 que só ligou as luzes de nevoeiro traseiras quando a visibilidade caiu muito. Lindo de se ver.

    Muito diferente do que ando vendo habitualmente.

    Um abraço,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  10. Os tais motores de 200CV vão durar uma semana nos carros, os mangos vão arrumar um jeito de vender e trocar o danado.

    ResponderExcluir
  11. Bob, os carros da PRF são todos de maior cilindrada - já tivemos muitos Mareas bons e agora são focus duratec, megane, astra, alem das pick ups e utilitários. Da PM (vou falar do RJ) sao ou os Gols 1.6 ou Blazer, em regra. Tem algumas amaroks (recentes no B. choque), hilux e frontiers, mas de uso mais exclusivo - a maioria na supervisão, alem da frota descaracterizada (P2) composta ate por New Focus FC. Os veículos da PRF são adequados para seu uso tanto quanto os Gols da PM. Observe que com o uso de radio você não abriria uma perseguição por muitos quilômetros. Rapidamente ha interceptação dependendo da necessidade e circunstancias. Já o Gol é bastante adequado em nível de motorização em perímetro urbano - seu maior uso. Ficam devendo um pouco em comportamento dinâmico, realmente, pois a suspensão deveria ser mais bem calibrada. Observe que a regra é evitar perseguições, pois colocam terceiros em risco. É melhor mil infratores impunes que uma pessoa de bem prejudicada. E considerando a nossa realidade publica (e não vale questionar o dever do Estado), imagine a manutenção de carros turbo e potentes! Ou ficariam parados quando quebrassem ou seriam reparados a vultosos custos aos cofres públicos.

    ResponderExcluir
  12. "O policiamento móvel é o que permite, por exemplo, flagrar quem utiliza o acostamento para trafegar, "levar vantagem"; educar os "donos" da faixa mais à esquerda no sentido de que ela se destina a ultrapassagens somente; repreender quem está trafegando com a luz de nevoeiro traseira ligada sem necessidade; mandar andar mais rápido quem esteja prejudicando o fluxo; controlar carros com excesso de lotação (que tenham pegado a estrada depois do bloqueio); advertir motoristas que estejam muito próximos do carro à frente."
    Em 12 anos de habilitação nunca vi isso.
    Falando em carros da PRF, vejo várias pickups tunadas, com enormes rodas cromadas, que beleza.

    ResponderExcluir
  13. Olá Amigos.
    Estou com um blog novo:
    http://www.buildingconectores.blogspot.com
    Conto com a visita de vocês.
    Siga o Blog e o Twitter.
    Será um prazer receber todos vocês.
    Em breve, teremos promoções para os seguidores do blog e Twitter.
    Além de informações variadas no universo da Empresa.
    Aguardo por você.

    Alessandro Turci
    Do Escrivaninha do Alê.
    Convite para o Blog Building Conectores.
    http://www.buildingconectores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Aléssio Marinho05/07/11 19:22

    Bob,

    Concordo com todo o post. Fiscalização eficiente só com mobilidade.
    Agora é um absurdo que nossas forças de segurança tenham cotas de abastecimento. Ora, a atividade de patrulha é essencialmente móvel, não existe motivo aceitável para restringir a ronda.
    É saudável que tenha ordem no trato da coisa pública, mas isso é mesquinharia.
    Quanto ao tipo de veículo utilizado no patrulhamento, no meu estado usam Fiat Palio Economy, totalmente inadequado pela falta de desempenho. É ridículo ver 3 meliantes algemados na mala do Palio, e sem grades de proteção...
    A moda agora é LOCAR viaturas prontas. As locadoras enviam um carro de policia prontinho pra PM, mas com placas cinzas.

    ResponderExcluir
  15. Jorge Moraes05/07/11 19:59

    Aléssio,
    a locação é positiva para a PM, visto que o processo licitório para manutenção dos veículos é muito demorado, ficamos muito tempo com viaturas paradas aguardando o governo liberar a ordem de serviço. Quando uma empresa ganha a licitação para fornecer veículos locados, na necessidade de manutenção, este é simplesmente trocado por outro. Muito mais ágil. Sem falar que a vida útil de uma viatura em meu estado é de aproximadamente 2 anos apenas. Depois disto, dificilmente ela consegue rodar mais de duas semanas sem precisar de algum reparo. Acredito que com a locação o custo seja menor para o estado do que comprar uma viatura de dois em dois anos.
    Sérgio Ricardo,
    Generalizar é sempre perigoso. Você está criticando uma instituição que é única e varia de estado para estado da federação. Tenho certeza que aqui ninguém iria "vender o danado".

    ResponderExcluir
  16. Olha... cada vez que leio alguns posts nesse blog e os comentários que vêm na seqüência, eu me questiono: há algum jeito de melhorarmos o país? Não somente em questão de carros e transito, mas em um contexto geral. Um amigo aí de cima, o Jorge, flagrou policiais dirigindo irresponsavelmente e consumindo cerveja dentro da viatura! Quando vc pensa que viu de tudo na vida, sempre alguém aparece com uma nova "peripécia", geralmente pior que a anterior! E o relato do AK, em relação ao transporte coletivo? E o cara que bateu em uma viatura do resgate quando a mesma estava socorrendo outra vítima? Vamos sediar uma copa do mundo como, se não há cultura nem conhecimento para resolver problemas mais urgentes?

    ResponderExcluir
  17. Com o Bob Sharp pela estrada andando na média de 160 Km/h será necessário o uso de helicóptero para interceptá-lo...BS vc é um perigo para os outros motoristas !

    ResponderExcluir
  18. Anônimo 05/07/11 20:44
    Sem querer defender o BS, ele foi piloto, e com uma via bem pavimentada, com boa visibilidade, sem trafego e um bom carro, 160 km/h, com k minúsculo mesmo, não tem nada de loucura, mas a qualquer sinal de risco para outros, mais lentos ou aproximação de área urbana, entroncamento, etc... , alivie o pé direito. Eu que não sou piloto já viajei em estradas em ótimas condições com o velocímetro 140 km/h e sem nenhum acidente ou susto. Também escutei historias de amigos que a velocidades bem superiores ao limite da via, foram ultrapassados e não conseguiram até o final da viagem encontrar as viaturas da PRF que os humilharam. Quanto a PM, aqui no RS brigada, parece que tão de sacanagem, ignoram seta, sinal vermelho, limite de velocidade da via (com toda sinalização da viatura desligada), entram e saem da via sem sinalizar, xingamentos (não é chamar atenção é baixar o nível mesmo)... Carro 1000 para muitos deles está acima das habilidades. No ano passado foi muito discutida está questão, até tentaram tornar obrigatório um curso para condução dos carros da PM.

    ResponderExcluir
  19. Uma vez peguei um trânsito enorme na Rod. Hélio Smidt (rodovia de acesso ao aeroporto de Cumbica) desde a saída da Rod Ayrton Senna até após o cruzamento com a Rod. Pres. Dutra. Demorei mais de 20 minutos para fazer tal trajeto. O motivo? Alguma SUMIDADE resolveu fazer uma BLITZ na rodovia que leva ao MAIOR AEROPORTO da MAIOR CIDADE DA AMÉRICA DO SUL!!! Esta blitz totalmente desnecessária me custou 20 minutos a mais para chegar ao aeroporto. Minha sorte é que eu saí de casa com bastante antecedência e com check-in feito e pude embarcar a tempo, mas fiquei imaginando quanto passageiros não perderam seus voos porque algum PRF que não tinha o que fazer teve a ideia "brilhante" de fazer uma blitz ali.

    Blitz no acesso ao aeroporto? Só no Brasil-sil-sil...

    ResponderExcluir
  20. Bob, Entusiastas;

    Excelente post! E me perdoem se houver algum policial aqui lendo mas, caros policiais, vocês estão péssimos de viaturas. Abordagem para vocês só se for como blitz mesmo porque se o caso for de perseguição...sorte do perseguido!

    Esses tempos passou por mim uma Nissan Frontier SEL. Devia estar a mais de 180km/h e com a mesma rapidez que andava na descida, ela subia. E os Policiais Rodoviários Estaduais andando de Renault Logan...Só rindo mesmo!

    Anos atrás, tinhamos (o verbo é no pretérito porque a segurança publica de São Paulo não impediu seu furto) em casa um Fusca 1.6 Série Itamar Franco. Jamais me esquecerei do inusitado: Em um longo aclive, subia literalmente igual a um foguete com o Fusca e vi no espelho retrovisor, uma viatura da PM-SP iniciando a subida, em velocidade e com sirene ligada. Já estava parado no semaforo, desengatando o carro e escuto a sirene e passando por mim, algum tempo depois...a viatura da PM que nada mais nada menos era um Fiat Uno Mille, que um ilustre governador de estado que fora Secretário de Segurança comprara aos montes para a policia patrulhar.

    A situação foi tão ridicula que em uma das mais conhecidas avenidas de São Paulo, tradicional por seu glamour e ser ponto de racha, colocaram um desses "supercarros" para coibir os pegas. Ai que os rachadores se divertiam: Faziam uns dois cavalos de pau na frente da PM e atraia-os para a perseguição. Depois que eles se ecnontravam em plena Marginal, era só acelerar os Mavericks V8 e os Unos ficavam para trás.

    Mais recentemente compraram Vectras 2.2L automáticos. Viraram sucatas em pouco mais de um ano. Tinham a opção do Santana (que por sinal ainda rodam na policia civil...e policial com um nao o troca de maneira alguma) mas...o barato saiu caro.

    Agora eu quero ver quem pagará a conta das Pajeros Sport da PM. Quem retificará os melindrosos motores Mit 4D56 diesel, como farão depois da primeira fundida de motor...

    ResponderExcluir
  21. Trabalho em cidades diferentes e mensalmente rodo entre 7.000 e 10.000km, isto é, vivo na estrada. Absolutamente sempre, encontro em cada trecho inumeras situações em que o patrulhamento móvel seria muito bem-vindo, tanto diurno quanto noturno. Quantas vezes não fui obrigado a realizar manobras arriscadas por motoristas no mínimo despreparados a enfrentar o trânsito rodoviário. À noite, o festival de veículos sem sinalização traseira beira o ridículo, quantas vezes não fui surpreendido por carros e principalmente motos sem luz traseira de posição. Farois desrregulados nem se fala. Muitas vezes, alguns veículos sem a mínima condição de rodagem.E as "comitivas" da PM transportando presos pela estrada? Simplesmente eles se "apossam" da faixa da esquerda (quando esta existe), numa das vezes depois de 2 horas atrás de uma comitiva dessas e já quase sobre o horário de entrar no trabalho (tempo médio para chegar ao destino na velocidade permitida pela via é de 1h e 30 min - mas numa emergência fiz em 50 min) tive de abrir a janela do carro, botar o estetoscópio pela janela, buzinar e pedir passagem (não preciso dizer que os quilômetros finais da viagem foram feitos com o limitador de velocidade do carro acionado). Outro dia, um espertalhão em um Celta iniciou uma ultrapassagem em uma subida e pelo acostamento, logo depois, coisa de no máximo 2 minutos, todos os caminhões à frente se jogando para o acostamento por causa de um "colega" deles num caminhão efetuando uma ultrapassagem proibida onde sequer tinha visão... Fico imaginando o que aconteceria com esse espertalhão se estivesse efetuando essa manobra nesse momento...

    Estas são algumas das situações que me encontro semanalmente... vejo aberrações diariamente, não só nas estradas, mas dentro da cidade também... Hoje mesmo, um daqueles vectras rosas de uma marca de cosméticos se apossou da faixa da esquerda numa avenida por quase 1km só por que iria entrar à esquerda (sem sequer sinalizar a intenção de entrar à esquerda)... pela velocidade que ia, poderia ter se mantido à direita por meio século que não iria encontrar resistência nenhuma para retornar à esquerda quando fosse efetuar a conversão. De motos e "motoqueiros" até me abstenho de falar... Senão... Vai ser taxado como apologia ao crime...

    Alguns tentaram tratar aqui de velocidades acima das "permitidas" das vias. Sim, sou um daqueles que dirijo quase sempre acima delas. Não me envolvo em acidentes. Sempre atento ao trânsito ao meu redor. Sei quando posso manter essas velocidades ou quando devo me ater a velocidades bem menores (menores até que as expressas pelas placas). Isso vai da situação, da via, das condições climáticas etc... não é sempre que ando no limite do carro.


    Daniel Shinomoto, a compra dos Vectras 2.2 automáticos foi questionada pela Marta Suplicy, ao que ela foi educadamente respondida com um "Tente atirar e trocar de marchas" coisa assim... acabou passando.. mas sabemos muito bem como é tratado a questão de manutenção pelo brasilóide médio, quanto mais então nas esferas públicas... (vejo isso com as ambulâncias nos lugares que trabalho. Alguns lugares têm 7 a 10 disponíveis, somente 2 ou 3 trabalhando, o resto serve de depósito de peças sobressalentes)

    Aquela velha piadinha sobre o Brasil continua irretocada...
    "O Brasil pra sair desse buraco, só se arranjar um buraco maior"
    por que do jeito que as coisas estão andando... não vai ter solução não.

    ResponderExcluir
  22. Como disse o Capitão Nascimento, "é tudo culpa do Sistema. E o Sistema existe para resolver os problemas do Sistema".

    ResponderExcluir
  23. Gustavo Cristofolini06/07/11 08:56

    Meu sonho é: Passar a 130, 140 km/h em um posto da polícia rodoviária federal, o guarda me ver e ir até o sistema de monitoriamento do trafego que tem dentro do posto e me observar pelas cameras espalhadas pela rodovia. Ver que eu apenas ando rápido, não fecho ninguem, não fico "empurrando" ninguem, reduzo a velocidade em locais que tem mais transito, saio da pista da direita para a pista da esquerda para que veiculos entre na rodovia, que junto no freio para dar passagem para um caminhao fazer ultrapassagem. Como seria bom se houvesse bom senso de quem dirige e de quem nos fiscaliza.

    ResponderExcluir
  24. Delmiro e Gustavo, meu "sonho" é ver vocês dois presos. Essa de manter velocidades ATÉ menores do que as expressas nas placas(que são para velocidade MÁXIMA, ou seja SEMPRE se deve manter velocidade abaixo das expressas) então é de doer...
    Sobre viatura mandar andar mais rápido aqueles que andam "devagar" para os padrões dos tresloucados daqui, só o poderiam (se tanto) fazê-lo se o tal "vagareza" estiver abaixo da metade da velocidade máxima (o que certamente não é o caso da maioria).

    Sobre viaturas turbinadas e blá blá blá, vê-se logo que tem gente assistindo filmes americanos demais... Daqui a pouco vão sugerir a volta dos Cowboys armados , Justiceiros e Cães "Lobo"...

    ResponderExcluir
  25. Aléssio Marinho06/07/11 11:31

    Jorge Moraes;

    Concordo com o seu argumento. Locação é melhor que a compra.
    Mas o me indigna neste caso é a aceitação de um veículo que é inadequado ao serviço policial. De Palio 1000, a PM vai alcançar quem?
    Sei das dificuldades que o setor público enfrenta, mas já q o desejo era reduzir custos de manutenção e operação, que fosse feito direito, com veículos maiores e outro patamar de potência.

    ResponderExcluir
  26. oskrmarinho06/07/11 14:04

    Aproveitando a deixa e fugindo um pouco do foco central do assunto. Aqui no Ceará, temos visto a Policia equipada com caríssimas Hilux, turbinadas e com todos os acessórios de conforto, usando tais veiculos para paquerar ou até mesmo namorar, como noticiado há pouco tempo pela imprensa local, em flagrante e costumeiro desrespeito ao idiota do contribuinte; manutenção caríssima, desempenho sofrível em ruelas estreitas e esburacadas das favelas, condução inepta, haja vista os inúmeros acidentes em que se envolvem, seja pelo despreparo, treinamento inadequado dos condutores, é de se esperar que a frota dessas viaturas de luxo, meninas dos olhos do nosso governador e seu programa Ronda do Quarteirão, necessite ser substituida totalmente a cada dois anos. Haja dinheiro do contribuinte, haja aumento de carga tributária para suprir o caixa do governo. Muito boa a idéia da locação de veiculos, quem sabe ficariam muito mais baratos para nós, cidadãos pagantes. De resto, se todas as viaturas usadas pelo Poder Público, inclusive na fiscalização de rodovias, fossem alugadas, provavelmente teriamos mais eficiência na prestação dos serviços, quiçá com mais economia. Antes que me esqueça, nada tenho contra o programa de fiscalização da PM local, o Ronda do Quarteirão, exceto que já deveria ter sido aperfeiçoado para melhorar.

    ResponderExcluir
  27. Dar o perdido nos Gambés é fácil demais.

    Já fiz algumas vezes..

    Falando em velocidade de rodovia, voltei agora a pouco de viagem, sendo metade em pista simples e metade em pistas duplicadas.

    120 na 1ª e 140 na 2ª....e não passei disso, pois é a minha velocidade de conforto em ambas as vias.

    Vim c/ os faróis ligados, sempre ultrapassando c/ segurança e só utilizando a faixa da eskerda p/ ultrapassar.

    Os coroinhas de plantão iriam ficar de cabelo em pé se testemunhassem oq uma Hilux e uma Amarok fizeram.

    Não conseguiram me acompanhar na auto-estrada, pois ando a 140 o tempo td, seja nas retas, subidas ou descidas.

    Mas na pista simples, os 2 motoristas "ofendidos" c/ akela Ecosport 1.6 q os deixara p/ trás, fizeram kestão de ultrapassar na subida, s/ ter visão p/ tal e em faixa contínua.

    Isso td na pista de mão dupla.

    ResponderExcluir
  28. Escapa 4ª06/07/11 17:18

    Quero um carro igual ao do Pisca que dá 120 na 1ª e 140 na 2ª...
    Se fosse em 5ª quanto chegaria?

    ResponderExcluir
  29. Tem uns comentários q só podem ser brincadeira! Quer dizer q tem uns bonitões q viajam d carro sem passar d 110 km/h, pq essa é a velocidade da via?! DUVIDO! Talvez, se for uma viagem curta tudo bem, mas uma viagem longa, d 1000km ou mais, impossível uma pessoa aguentar isso, ficar uns 3 dias na estrada só pq ñ quer andar acima da velocidade da via, faz-me rir!

    ResponderExcluir
  30. Pisca, vc pode engatar 3ª de vez enquando ok?

    É só na autoescola que se usa apenas 1ª e 2ª o tempo todo...

    ResponderExcluir
  31. Aula de interpretação é uma coisa complicada...

    120 na 1ª = Pista de mão dupla

    140 na 2ª = Auto Estrada

    Segue oq escrevi novamente:

    "sendo metade em pista simples e metade em pistas duplicadas.

    120 na 1ª e 140 na 2ª"

    Acho q agora vcs entenderam.

    ResponderExcluir
  32. E ainda colokei q é a minha velocidade de conforto EM AMBAS AS PISTAS.

    Meu Deus....

    ResponderExcluir
  33. Instrutor Escapa 4ª06/07/11 17:45

    Calma Pisca, pelo seu apelido já percebe-se que vc sabe dar seta, mas não percebe o sarcasmo nos comentários...

    Tô te enchendo apenas, relax

    ResponderExcluir
  34. Bom, quanto a frota da PRF: citaram lá em cima que os custos de ter um carro preparado para a PRF seriam altos para os cofres publicos. Nem precisa ser um carro preparado para muitas oficinas "enfiarem a faca" na hora do orçamanto. E olha que estamos falando de Marea, Astra e afins.

    Lembro também que, além de carros e utilitários, algumas unidades da PRF dispôe de motos da marca Suzuki modelo Banditt 1000, sendo considerada a "queridinha dos patrulheiros" por ser bem rápida e agil, podendo encarar uma perseguição sem fazer muita força.

    E, mesmo se tivessem carros preparados para a PRF, todos os policiais teriam que passar por um curso de pilotagem e direção defensiva/ofensiva, pois carros fortes nas mãos de "braços duros" é certeza de dar em merda em pouco tempo.

    Abs e belo texto Bob !
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  35. De fato, o antigo patrulhamento que se via nas estradas faz muita falta hoje em dia. Parece que, aos poucos, ao menos as câmeras de vigilância (câmeras de vigilância mesmo, não as caça-níqueis atrás de quem somente anda acima do limite de velocidade ou fura rodízio) tendem a ser melhor empregadas daqui para a frente.

    Uma curiosidade: até cerca de dois anos atrás, andava a 120 km/h em meu Caravan 1988 pelas estradas, com segurança. Atualmente, ando nos mesmos 120 km/h, mas com segurança infinatamente maior em meu Focus. O ponto da questão é: a evolução dos carros aumentou assustadoramente a segurança ativa e passiva nos últimos 20 anos, enquanto a perícia dos motoristas estagnou, senão piorou. Por isso a maioria defende que velocidade elevada é perigo número 1 do trânsito brasileiro. Sem exageros, é mais seguro andar a 160 km/h em meu Focus atual do que a 120 km/h em meu antigo Caravan.

    ResponderExcluir
  36. Ao anônimo que falou para os companheiros aí de cima serem presos...

    Se não percebeu, o Delmiro é médico.

    D'oh!

    ResponderExcluir
  37. Ah!

    E antes que não consigam interpretar, como não conseguiram interpretar o Pisca, nós médicos precisamos (PRECISAMOS!) chegar muito rápido a lugares diferentes pra poder salvar vidas.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.