AUTOMÓVEL ODIADO NA EUROPA. PODE?

Foto: andscifi.com

Matéria publicada na Folha de S. Paulo de 27/6, que nos foi alertado pelo leitor Fernando Antônio, não deixa dúvida: tem gente odiando automóvel. Para nós, autoentusiastas, é incompreensível e revoltante. Todos têm o direito de odiar o que quiserem, mas não de impor ideias desprovidas de bom senso para fazer prevalecer seu ponto de vista. Caso de certos administradores de cidades europeias.

A reportagem, publicada originalmente no jornal The New York Times, de autoria de Elisabeth Rosenthal escrevendo de Zurique, com tradução de Clara Allain, começa com "Enquanto cidades americanas sincronizam faróis verdes para melhorar o fluxo do tráfego e oferecem aplicativos para ajudar motoristas a encontrar lugares para estacionar, muitas cidades europeias vêm fazendo o contrário: criando ambientes abertamente hostis aos carros. Os métodos variam, mas a missão é clara: encarecer e dificultar o uso do carro, visando pressionar os motoristas a optar por tipos mais ecológicos de transporte."

Primeira besteira: ecologia e meio ambiente são coisas diferentes. Ecologia é a ciência que estuda as relações dos seres vivos entre si ou com o meio orgânico ou inorgânico no qual vivem. Meio ambiente é onde vivemos.

A ordem do dia é fechar cada vez mais ruas ao trânsito de automóveis particulares e implementar programas populares de aluguel de bicicletas. Nada contra elas, mas no inverno de muitas cidades da Europa é impraticável sair pedalando, a menos que o ou a ciclista seja masoquista.

Já em Londres e Estocolmo, os motoristas precisam pagar altas "taxas de congestionamento" simplesmente para entrar no centro da cidade com seus veículos. E, nos últimos dois anos, dezenas de cidades da Alemanha passaram a fazer parte de uma rede nacional de "zonas ambientais" nas quais só podem entrar carros com emissões baixas de dióxido de carbono, como diz a reportagem.

Aqui já se vê a burrice justamente no país que inventou o automóvel, a Alemanha – por conta da histeria carbônica que se alastra com mais força do que a Grande Peste de Lisboa de  1569: "zona ambiental". Como se o dióxido de carbono fosse tóxico, afetasse os seres vivos. Aliás, o que tem de gente que acha isso, não é brincadeira. Gente que não sabe que o dióxido de carbono é o ar que exalamos.

A loucura chega ao ponto de cidades que aderem a essas politicas estarem limitando as áreas de estacionamento em shoppings e até em prédios de apartamentos, diz a reportagem

Nos últimos anos, até mesmo capitais automobilísticas como Munique vêm se convertendo em "paraísos para os caminhantes", disse Lee Schipper, engenheiro sênior de pesquisas na Universidade Stanford e especialista em transportes sustentáveis, prossegue a reportagem.

Mas o fim do mundo mesmo é o que a cidade de Zurique está fazendo, como disse  o chefe Departamento de Planejamento do Trânsito da cidade, Andy: Fellmann "Com essa finalidade em vista, o departamento vem se esforçando nos últimos anos para dificultar a vida dos motoristas. As ruas da cidade ganharam faróis vermelhos em intervalos pequenos, provocando demoras e angústia entre os motoristas. Passarelas subterrâneas para pedestres que deixavam o trânsito fluir livremente em cruzamentos importantes foram demolidas. Os operadores do sistema de bondes da cidade, que não pára de crescer, podem mudar os faróis de trânsito em seu favor quando se aproximam, obrigando os carros a parar. Outra imbecilidade: bondes nada emitem quando parados, enquanto os carros aguardando a passagem do bonde....

O idiota sorriu enquanto observava alguns carros avançando lentamente em meio a uma massa de ciclistas e pedestres. "Por aqui os carros avançam devagar e param a todo momento", disse ele. "É disso que gostamos! Nossa meta é recuperar o espaço público para os pedestres, não facilitar a vida dos motoristas."

Certamente esse idiota não tem a menor ideia de quem é sua mãe...

Lee Schpper disse que embora algumas cidades americanas tenham feito esforços semelhantes é o caso, notadamente, de São Francisco, que converteu partes da Market Street em zona de pedestres elas ainda constituem exceção nos Estados Unidos, onde, segundo ele, é difícil levar as pessoas a imaginar uma vida da qual os carros não constituam uma parte essencial. Certos os americanos, que como dizia o arquiteto carioca Sérgio Bernardes, .o corpo humano se divide em cabeça, tronco, membros e rodas!

O engenheiro lembrou que, de maneira geral, as cidades da Europa têm incentivos mais fortes para agir assim. Construídas, em sua maioria, antes do advento do automóvel, suas ruas estreitas têm dificuldade em lidar com tráfego pesado. "Os transportes públicos são de maneira geral melhores na Europa que nos Estados Unidos, e a gasolina frequentemente custa mais de US$ 8 o galão (R$ 3,40 o litro), contribuindo para fazer com que o custo de andar de carro seja duas ou três vezes mais alto por quilômetro do que é nos EUA", cita a reportagem do NYT..

Diz também que os países da União Europeia provavelmente não conseguirão cumprir seus compromissos de redução de emissões de dióxido de carbono, previstos no protocolo de Kyoto, se não reduzirem a circulação de carros. Os Estados Unidos nunca ratificaram esse pacto – eles não estão rasgando dinheiro, não são doidos, na minha opinião e de muita gente.

Aqui, a jornalista se equivocou totalmente, "foi na conversa" dos ecochatos: "Ao nível global, as emissões vindas dos transportes continuam a subir implacavelmente, sendo que mais da metade é gerada por automóveis de uso pessoal. Mas um impulso importante por trás das reformas do trânsito adotadas na Europa é algo que é igualmente importante para os prefeitos de Los Angeles e Viena: tornar as cidades mais convidativas, com ar mais limpo e menos trânsito.". Só 12% das emissões globais de CO2 provém dos automóveis e comerciais leves, fato mais do que sabido.

Estamos mesmo diante do que eu chamaria um complô. Há algum interesse por trás dsso tudo, que derrube a indústria automobilistica europeia, gere desemprego e crise econômica (maior do que a que já está). Teoria da conspiração? Pode ser. Ela começa por querer matar o automóvel.

BS

70 comentários :

  1. Bob

    Imagino que depois de um tempo, após a constatação da necessidade REAL do uso de carro em várias situações, pela maioria das pessoas, somada à conscientização popular de sua baixa emissão relativa de CO2, os "gênios" terão que retroceder nas medidas ecodemagógicas.

    Gustavo

    ResponderExcluir
  2. Vamos resistir. Para cada medida imbecil dessa relacionada à ridicula histeria carbônica que tomou conta do mundo, que apareça +1 V8 no mundo.

    Vamos resistir.

    ResponderExcluir
  3. E que sinceramente, lá o transporte público funciona, e dá pra abrir mão do carro.

    Mas pra falar a verdade, o nosso mundo cada vez fica mais chato, certinho demais.

    ResponderExcluir
  4. Marcelo Silva01/07/11 09:34

    É Bob, temos um exemplo semelhante aqui no RJ, quando o nosso querido prefeito tentou (em vão e na marra) fechar a Av. Rio Branco e transformá-la em um boulevard. Felizmente tal idéia ridícula foi barrada, mas ele não parou por aí.

    Enquanto SP busca construir viadutos para resolver o problema do trânsito, aqui o prefeito decidiu que vai demolir o Elevado da Perimetral de qualquer maneira. Em seu lugar uma via com várias pracinhas e árvores, sinais de trânsito, cruzamentos e afins. Pode isso?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho augeriza a essa tropa de ecologistas malditos!!! Que morrão tudo eles e a maldita rede globo e aquele merda do chapelen e aquele baitolo do zeco que sempre tem umas materiazinhas bem tendenciosas pra esse lado....

    E outro pra mim ecologista nada mais são que ex FILHINHOS DE PAPAI DE CLASSE MEDIA que durante sua juventude fumaram e cheiraram todas nunca deram certo na vida dai na meia idade a coisa apertou ou viraram pastor ou viraram ecologisas...

    QUE MORRAM ESSE BOSTAS!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo: "Certamente esse idiota não tem a menor ideia de quem é sua mãe..."

    Na verdade ele não deve saber quem é seu pai...

    Bem, falando sério, acho que qualquer extremismo é prejudicial. Assim como não podemos ser excessivamente dependentes do automóvel, não podemos desprezá-lo. Não podemos ser extremamente dependentes a ponto de não ir até a padaria sem o carro (afinal, antes de sermos motoristas somos todos pedestres), mas também não podemos negar que o automóvel é uma necessidade (no nosso caso, como autoentusiastas, muito mais que isso...). A melhor solução para o trânsito será aquela em que pedestres, ciclistas, motoristas e passageiros possam conviver em harmonia. Se alguém souber como conseguir isso, que se habilite...

    ResponderExcluir
  7. Eurico Jr.01/07/11 09:55

    Isso é coisa de ecochato que come broto de alfafa empesteado com E.coli.

    ResponderExcluir
  8. Caramba o povo nao sabe o que escreve mesmo, o ultimo estudo que vi o automovel gerava menos de 10% da poluição no mundo, já geração de energia elétrica é a maior parte. outra idiotice é essa de usar um monte de aparelhinho com célula solar, será que ninguem dos ecochatos percebeu até hoje que o gasto de energia para construir e transportar uma célular fotovoltaica é quase 3 vezes maior do que a energia que ela consegue gerar em todo o seu ciclo de vida útil!!!

    pq eles nao vao reclamar do tipo de óleo diesel utilizado nos navios cargueiros que sao com mais de 1000ppm e deixam uma mancha de poluição nos locais onde estao as principais rotas de transporte maritimo europeu.

    agora a moda é reclamar de energia nuclear, e qual a solução deles? colocar termoeletrica a oleo para poluir mais?

    concordo que devemos controlar a ganancia por recursos naturais do homem, mas nao adianta ficar cada hora usando um item como desculpa ta virando igual a teoria dos gargalos na engenharia de produção, por mais que voce evolua um local na sua linha de montagem sempre outro local ira gerar um novo gargalo, está a mesma coisa, escolheram o carro de vilao, agora energia nuclear, depois navio depois aviao e um dia alguem vai pensar caramba a quantidade de carbono emitido pelos vulcoes na terra é responsável por 90% das emissoes mundiais e infelizmente sobre a natureza nao temos poder nenhum de controle.

    Alguem já pensou que na terra sempre existe um ciclo de aquecimento global antes de uma grande era glacial? isso é ciclico e ocorre de tempos em tempos na terra...

    ResponderExcluir
  9. Na Europa, vá lá. Mas o duro é que os governos daqui adoram copiar tudo que é de fora. E tome taxas e mais taxas, insepção veicular e o escambau. Querem que nos preocupemos com o meio ambiente e com o mico leão dourado, mas estão nos deixando com mais raiva ainda dessa história. Como já disse o Joelmir Beting, somos mesmo o país mais rico do mundo, dada a quantidade de impostos.

    ResponderExcluir
  10. Essa onda eco acéfala será vantajosa para as empresas, pode apostar. Todos irão trocar seus carros atuais por elétricos, comprar bicicletas elétricas (pedalar p/ que?) entre outras tralhas modistas.

    O Bob me deu uma boa ideia: tanto falam do dióxido de carbono, que tal limitarmos a quantidade de idiotas na Terra? Afinal, quanto mais falam suas asneiras, mais emitem dióxido de carbono!

    ResponderExcluir
  11. Com a permissão do jopamacedo, repito o que ele disse:

    Na Europa, vá lá. Mas o duro é que os governos daqui adoram copiar tudo que é de fora. E tome taxas e mais taxas, insepção veicular e o escambau. Querem que nos preocupemos com o meio ambiente e com o mico leão dourado, mas estão nos deixando com mais raiva ainda dessa história. Como já disse o Joelmir Beting, somos mesmo o país mais rico do mundo, dada a quantidade de impostos.

    ResponderExcluir
  12. E incluo o texto que li em um bloguinho qualquer:

    Outro dia a TV mostrou o sucesso da adoção de bicicletas como meio de transporte diário em Munique, na Alemanha. É uma pena que não dá para importar ideias, principalmente se forem europeias. No Brasil a largura das faixas de rolamento (onde as bicicletas devem rodar quando não houver faixas a elas destinadas) vem sendo reduzida de acordo com o interesse da prefeitura, podendo chegar a menos de 2,5 metros. Enquanto isso, o Código de Trânsito Brasileiro permite que as motos dividam esse espaço simultaneamente com os carros, contrariando Newton.

    Então, pra começo de conversa, você tem um espaço de menos de três metros (que é o padrão internacional) dividido entre carros – cuja largura varia entre 1,5 e 2 metros, ônibus e caminhões – cujas larguras variam entre 1,90 e 2,2m, motos – cuja largura média é 70 cm e bikes – que tem largura média semelhante às motos.

    Com uma moto na esquerda, uma bike na direita e um buraco à sua frente, o que você faz? É instintivo desviar. Graças à qualidade dos serviços prestados pelas prefeituras brasileiras, é comum encontrar uma “boca-de-lobo” profunda devido à nova camada de asfalto e o ciclista precisará desviar. O motorista precisará desviar do ciclista, mas há uma moto à esquerda. O que vai acontecer?

    Eu sou um grande fã dos automóveis – ganho a vida com eles e por eles – mas cresci em cima de uma bike e pedalei muito até o dia em que passei a ter medo. Adoraria poder ir e voltar do trabalho em uma bicicleta, mas é simplesmente inviável porque temos os mesmos anseios que os países desenvolvidos, mas não temos cacife técnico, intelectual e social pra fazer igual.

    As cidades são cheias de vias expressas, nesse tipo de via é proibido a circulação de pedestres e veículos não motorizados. Se for permitido, não pode ser via expressa. O erro está em priorizar um transporte em benefício do outro. Ei, eu quero andar de carro com três pessoas dentro. Que mal há nisso? Mas não venha me dizer que reduzir o espaço para carros em favor do corredor de ônibus é correto porque não é. A humanidade desenvolveu o urbanismo pra solucionar esse tipo de conflito. Se as prefeituras não valorizam a técnica, não venham punir os pedestres, os ciclistas, os motoristas ou os passageiros de ônibus.

    Não foi o Estado quem falou que podíamos comprar um carro em 72 vezes com IPI reduzido porque a economia estava forte? Todo mundo comprou. Agora o mesmo Estado vem dizer que tem muito carro, que é difícil colocar tudo na rua, que o brasileiro só quer comodismo etc.

    Concordo que muita gente não sabe usar o carro. Eu nunca tiro o meu da garagem pra rodar menos de 10 km principalmente porque o motor nem chega a esquentar, o óleo fica frio, compromete a lubrificação e reduz a vida útil do motor. Mas infelizmente a bicicleta não é uma opção. Cansei de voltar pra casa sem selim, porque roubaram. Alguns lugares cobram o estacionamento de bicicletas, caso de shopping centers – o que dificulta ainda mais a adoção delas como meio de transporte diário. Nem toda cidade é plana e jamais vão construir mecanismos auxiliares como nos países nórdicos.

    Infelizmente é uma fábula utópica. O Brasil fez questão de depender dos carros e é isso que merecemos. Desde a destruição das ferrovias, a monopolização das linhas rodoviárias pela necessidade de concessão pública e a priorização dos carros e de outras bobagens como a Copa do Mundo de 1950 (que atrasou em 25 anos o metrô de SP). Tudo foi feito do jeito errado.

    ResponderExcluir
  13. E a comparação com os países europeus não é válida, porque ninguém considera a construção das cidades europeias, por vezes milenar. Ninguém considera a carga horária de trabalho semanal, a remuneração média do trabalhador, o tamanho da maioria das cidades europeias, a média anual de temperatura. O custo de uma bicicleta no Brasil, é de, no mínimo 1/4 de salário mínimo. Há ainda que considerar as distâncias entre os pontos de interesse nas cidades. Nada disso parece levado em consideração.

    A distribuição da cidade pode (e deve) ser controlada pela prefeitura. É ela quem autoriza construção de comércio, condomínios (outra praga das cidades modernas), a localização de serviços essenciais. Como um cara vai pegar sua bike para pedalar 10, 15 km por dia para chegar ao trabalho com um verão de 35 graus de média? Quem pode se dar ao luxo de escolher o trabalho pela distância de casa? O pobre tem que morar longe do centro comercial devido à especulação imobiliária. Pega ônibus por necessidade e acha aquilo uma porcaria porque o serviço é, de fato, muito ruim. Se fosse bom, não sonharia com um carro, que enche a rua, atropela ciclistas…

    ResponderExcluir
  14. Pois é, mais uma vez o senhor Bob se achando o cidadão mais inteligente do mundo, ridicularizando tudo e todos em seus posts.... vai andar a 200 por hora por aí que o senhor ganha mais...

    ResponderExcluir
  15. Bob, os ecochatos coloridos de carteirinha, fumadores de marijuana estão dominando o mundo e tentando impor seu modo de vida(?)a todos. Isso é o fim do mundo, literalmente.

    ResponderExcluir
  16. HOW 16 SHIPS CREATE AS MUCH POLLUTION AS ALL THE CARS IN THE WORLD


    Last week it was revealed that 54 oil tankers are anchored off the coast of Britain, refusing to unload their fuel until prices have risen.

    But that is not the only scandal in the shipping world. Today award-winning science writer Fred Pearce – environmental consultant to New Scientist and author of Confessions Of An Eco Sinner – reveals that the super-ships that keep the West in everything from Christmas gifts to computers pump out killer chemicals linked to thousands of deaths because of the filthy fuel they use.


    Fonte: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-1229857/How-16-ships-create-pollution-cars-world.html

    ResponderExcluir
  17. que se f**a m todos eu quer é andar de carro!

    ResponderExcluir
  18. Desculpem, mas sou autoentusiasta e amante incondicional dos carros e motores em geral, tenho formação mecânica automotiva e tudo mais...porem acho que quem gosta de determinada coisa, que seja não vai deixar de ter ou usar por dificuldades impostas, é capaz destas pessoa saírem de lá ! Acho quem cada pessoa um mundo, quem gosta, gosta, quem não, anda de bicicleta, a pé, de barco, de moto, skate, asa delta, nave espacial, jegue...Cada um na sua.

    ResponderExcluir
  19. Johnconnor(old rocker)01/07/11 11:36

    Os ecochatos não são idiotas não gente.Estão usando a mesma tática que o senador americano Joseph McCarthy usou na sua "caça as bruxas comunistas".Basicamente ele pegou alguns fatos isolados de espionagem e comunismo exacerbado e conseguiu convencer uma nação desinformada de que ela estava a beira de ser dominada pelo comunismo.Com isso milhares de americanos foram acusados de ser comunistas, tornando-se objeto de investigações agressivas.As suspeitas eram freqüentemente dadas como certas mesmo com investigações baseadas em conclusões parciais e questionáveis, além da magnificação do nível de ameaça que representavam os investigados. Muitos perderam seus empregos, tiveram a carreira destruída e alguns foram até mesmo presos e levados ao suicídio.
    É a mesma estratégia, é só colocar medo,muito medo em uma população desinformada que ela apoiará qualquer medida,por mais absurda que pareça,achando que está salvando o planeta e quem ousar pensar um pouco e chegar a conclusão de que as coisas não são bem assim vai ser no minimo taxado de "do contra".

    ResponderExcluir
  20. O esquema é todo virar ecochato e dar a bunda. O futuro se resume a isso aí.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. E o velho truque: torne o impensavel um traco de rebeldia, depois o torne aceitavel e entao o torne popular, finalmente o torne lei. Funcionou com casamento de gays, nao?

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Isso é ridículo!!! Moro na zona de sul de SP e trabalho em Arujá!! Vou vir de bicicleta para cá? Ahhh não Alvaro, você pode ir de ônibus!! Sim, sim... claro... com um notebook a tira colo e sem nada para fazer, pois leva umas duas horas!!!

    Daqui a pouco, o nosso 'esperto' prefeito Ka$$ab, vai querer fazer isso em SP!!!

    ResponderExcluir
  25. Gostaria de ver a cara desses ecochatos, se soubessem que na cidade onde moro, em Santa Catarina, as pessoas utilizam herbicida para tirar o "mato" que cresce nas ruas calçadas com paralelepípedos.
    É como a guerra contra o cigarro. Ainda bem que deixei de fumar, porque o fumante hoje é taxado de idiota e ainda é mal visto pela sociedade, enquanto isso, fazem manifestações para liberar a maconha e outros tipos de drogas.
    Nós merecemos...

    ResponderExcluir
  26. Para o Diacir:

    Corrigindo: "Certamente esse idiota não tem a menor idéia de quem é sua mãe..."

    É isso mesmo. Nem o pai, nem a mãe,lol...

    ResponderExcluir
  27. Aposto que todas essas bestas observam orgulhosas as imbecilidades que cometeram, e depois entram em seus confortáveis e luxuosos automoveis alemães e vão para suas casas dirigindo, e pagando seja lá qual for a taxa QUE ELES MESMOS impuseram, ou não pagam ja que são diretores do orgão responsavel por tamanha idiotice, porque ganham muito bem, com certeza acima da média dos pobres motoristas que tem de gastar MAIS DINHEIRO para exercer um direito que eles conquistaram e pelo qual JA PAGARAM no ato de comprar o automovel, ja que no preço são embutidos os impostos. E sabe o que mais é preocupante? NINGUÉM FAZ NADA PQ CONCORDAM COM TAMANHA ASNEIRA!!!! O povo europeu é bem diferente da massa submissa brasileira, se estivessem descontentes farima por onde pressionar o governo e mudar as coisas... mas a histeria irracional contra o meio de transporte pessoal ja se instalou na mente deles...

    ResponderExcluir
  28. Bob, acredito que o Kassab seja o mais europeu dos prefeitos brasileiros! A gestão de trânsito dele é idiótica. Sucedem-se as cagadas kassabianas: restrições a fretados, redução de velocidade das vias expressas, Controlar, motofaixa na Vergueiro (que acabou com inúmeros retornos; os carros tem que andar mais, congestionando e poluindo). Pelas obras do alcaide na Vila Mariana, minha esposa sempre vocifera: "esse home odeia esse bairro"...

    A propósito, Bob, ninguém aqui vai levantar a lebre a respeito do "Lucro Brasil", muito bem explanada por Joel Leite e que explica o verdadeiro porquê de nossos carros serem caríssimos (fabricantes gananciosos)???

    ResponderExcluir
  29. Eduardo Costa01/07/11 13:37

    Cada dia acredito mais no fim do mundo em 2012. Kkkkkkkk. Estamos destruindo nossa sociedade invertendo valores, ou criando valores mentirosos, deturpados e hipócritas. É incrível como mesmo contando com a maior ferramenta de informação jamais imaginada às mãos, a burrice está se massificando no ser humano. Daqui a pouco raciocinar vai ser ridículo, da mesma forma que hoje é fumar, e, está se tornando, possuir um carro como meio de transporte individual.

    Deixem-me pensar, fumar e dirigir em paz! Kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  30. Governantes cretinos caem em armadilhas facilmente.
    O caso é que esses inúteis que têm idéias de restringir uso de carros não tem emprego com horário fixo, e estão pouco ligando para quem tem.
    A massa que produz riqueza é sempre maltratada pela turma meio-ambientalista, porque eles NÃO SABEM O QUE É TRABALHAR COM HORA MARCADA, DENTRO DE EMPRESA. Acham que todo mundo tem horário de sobra.
    É uma gente burríssima em sua maioria, que nem ver o nível de óleo na vareta sabem.
    Que ardam no fogo do inferno.

    ResponderExcluir
  31. Eduardo Costa01/07/11 13:40

    Kassab é o mais idiota dos prefeitos brasileiros, isso sim. Começou que ele fechou os prostíbulos... Pô, deixa as meninas trabalharem. Sacanagem ôh.

    ResponderExcluir
  32. Homem-Baile

    Mto bem lembrado meu amigo!

    ResponderExcluir
  33. Eduardo Costa01/07/11 13:45

    Eles esquecem que apesar de vivermos em sociedade, somos indivíduos, ou seja, possuímos nossa individualidade, que é o que nos torna seres humanos, e no dia que a perdermos, pararemos de raciocinar, agiremos por instinto, e nos igualaremos aos nossos pets.

    ResponderExcluir
  34. Bob Sharp ... já foi dito que o alemão é o português que deu certo ... o alemão é um pocuo complicado (vc deve saber, pois já trabalhou/trabalha com eles - VW) ... nos anos 80, houve uma febre na mesma Alemanha, de usar tudo descartável (pratos, copos, talheres, panelas, etc) ... terminada a refeição, fazia o "embrulho" e lixo, pronto, tudo arrumado e sem gastar água ... não demorou muito para surgir o "problema" do que fazer com o lixo que isso resultava ... e tudo voltou ao que era antes ... há pouco tempo, a mesma Alemanha baixou uma norma que o fabricante teria que "resgatar" x% das CAIXAS que SOBRE-EMBALAVAM seus produtos ... eram um tal que colocar pessoas na prota dos mercados que COMPRAVAM de volta as referidas caixas, para que as indústrias não fossem punidas ... quanto aos carros, a Europa "endoidou" ... outra coisa: os bondes almeães são elétricos e as usinas elétricas da Alemanha são nucleares ou térmicas (movidas à carvão) ... olha o queijo mordendo o rato ...

    Geraldo

    ResponderExcluir
  35. Esse europeus enlouqueceram mesmo. Acabar com o efeito estufa difilcultando o tráfego. Imagina se eles resolvem acabar com a fome. Vão matar todos os pobres.

    ResponderExcluir
  36. Esses cretinos que odeiam automóveis são os mesmos proto-nazistas que odeiam pessoas e vêm aqui defender eugenia e controle de natalidade toda vez que alguém menciona o inchaço das grandes cidades brasileiras...

    ResponderExcluir
  37. Como eu queria ter pego outra época, o mundo não faz bons carros desde a década de 80, agora essa onda de ecologicamente corretos, tudo bem que transporte coletivo seria uma ótima alternativa e carros elétricos para se andar na cidade, pois se gastaria menos R$, mas é impossível substituir o prazer de se dirigir e sentir o motor respondendo aos seus toques no acelerador, e esses "ecologistas" se preocupam com carros e aumentam os impostos, por que não se preocupam com as queimadas, desmatamentos, e gigantescas plantações de cana que estão alterando o clima, ou por que não param de brincar de deus tentando viver 100 anos, afinal só se está vivo se estiver vivendo.

    ResponderExcluir
  38. Mulher em trabalho de parto.

    Homem com hemorróida.

    Velho com artrite.

    Bebê com sintomas de gripe.

    Deficientes físicos indo ao trabalho.

    Todos andando em cima de uma bicicleta!

    Que beleza.

    ResponderExcluir
  39. Tenho a impressão que esses ecochatos que odeiam carros são as mesmas pessoas que andam na rua ao invés da calçada.

    ResponderExcluir
  40. Malditos fariseus!

    A melhor prova de imbecilidade humana é lograr esforços para PIORAR a condição de transporte e liberdade individual...será que fazer o contrário é tão complicado?

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  41. Para que termos carros elétricos então? Para ficarmos presos em um congestionamento atrás de um carro "carbonico"?? Idiotisse demais atrasar a vida dos motoristas, quando todos os carros forem eco-chatos como ficará o trânsito?

    ResponderExcluir
  42. O lance é que pensar dá trabalho. É mais cômodo seguir a moda intelectual do momento, pega bem e é sinal que está antenado.
    A moda agora é pregar sem critério todo tipo de idiotice pseudo-ecológica, pois quem questiona isso é imediatamente taxado de monstro poluidor e tal.
    Na realidade, se todos tivessem bom senso, nada disso seria necessário. O problema é que primeiro a galera usa carro de forma descontrolada (o velho exemplo de pegar o carro para rodar um quarteirão), e depois prega a proibição de forma descontrolada.
    A solução, repito, seria o bom-senso, o que inclui transportes mistos, onde carro e metrô / ônibus sejam integrados.
    Mas tudo isso é trabalhoso e exige pensamento e criatividade, então é mais fácil posar de politicamente correto e ser um idiota.

    ResponderExcluir
  43. Corsário concordo com voce, teriam que existir varias linhas de metrô e grandes estacionamentos do governo ao lado das estações voce sai de casa para pega o mtero trabalha volta e chega em casa rapidamente, tudo ligado tudo direto e rapido

    ResponderExcluir
  44. Corsário Viajante: Concordo plenamente! Infelizmente as pessoas têm preguiça de pensar... E para piorar, isso inclui até mesmo (salvo poucas exceções) pessoas que deveriam ser formadoras de opinião!

    E esse fenômeno explica várias outras idéias que estão ou estiveram "em moda" sem muita razão. Às vezes chego a acreditar em teorias da conspiração.

    ResponderExcluir
  45. Jaime Lerner falou em publico que a ideia é dificultar o uso dos carros.

    No mesmo dia ele expos o conceito do carro eletrico.

    Na semana seguinte o transito de ctba estava para la de caótico.

    E durante todo esse tempo nao existe transporte publico usavel.

    ResponderExcluir
  46. Aléssio Marinho01/07/11 17:20

    Europeu não tem o que fazer e fica inventando coisa pra passar o tempo.
    Esses FDP vivem mamando nas tetas do estado, não trabalham nem a metade do que nós trabalhamos e como cabeça vazia é oficina pro capiroto, ficam repetindo o que qualquer idiota fala na TV ou na internet sem pensar.
    Não se preocupem, colegas. Logo, logo também ficaremos assim. Mas aqui temos o agravante de que ninguem procura uma alternativa.

    Estamos ferrados, autoentusiastas!

    ResponderExcluir
  47. Pois é, aqui em SP temos alguns poiucos estacionamentos ao lado de metrôs, mas não são bem integrados e tem preços altos.
    Poderia ser, por exemplo, estacionamentos cuja única saída seria por metrôs e vc pararia de graça pois só usaria o estacionamento se fosse pegar metrô, pois não teria outra saída, por exemplo.
    Soluções para integrar são muitas, porém o metrô cresce devagar, os ônibus são cada vez piores, mais caros e mais lotados, e falta criatividade e bom senso no poder - e nos eleitores tbm...

    ResponderExcluir
  48. A solução pra isso ai tem nome: revolução !

    ResponderExcluir
  49. Essa matéria deu vontade de ter um Opala com três dfv pra jogar gasolina pelo escape lá nas ruas deles.

    ResponderExcluir
  50. O Mato à beira das rodovias cresce 1/3 MAIS que o mesmo vegetal em lugar com ar " limpo".

    Eita nós!

    ResponderExcluir
  51. É como o Rio de Janeiro. Parece que tudo é feito pra desinteressar ter carro e pagar caro por transporte ruim dito público. Fora pagar mais e mais ISS e ICMS em borracheiros e postos de gasolina.
    Nacionalmente já levamos um golpe por comprarmos os carros mais caros do mundo, depois temos de pagar absurdos em seguro em venda casada, já que não se pode mais contratar roubo separado de fogo e vice-versa. Estadualmente pagamos um IPVA caro pra burro. Sem falar nas inspeções em que você AGENDA pra esperar. Na cidade, as ruas esburacas e sinais BISONHAMENTE sincronizados pra o gasto de combustível e perda de tempo. Estes pontos só alimentando o que comento no início. Vida muito dura de quem gosta de automóveis.

    ResponderExcluir
  52. oskrmarinho02/07/11 11:59

    Ecochatos; ambientalistas;adolescentes assassinos protegidos pela lei; transporte público, políticos corruptos; ditadura do PT; poderíamos enumerar "ad-nauseum" as mazelas que nos atingem diuturnamente, mas só poderemos combatê-las se continuarmos exercitando a saudável prática do "jus esperneandis", se não concordarmos com tudo que nos empurram goela abaixo, se aprendermos a votar e a cobrar dos eleitos, se mantivermos um mínimo de senso crítico e se tivermos a coragem de manifestar nossa insatisfação por todos os meios e formas. Detesto essa onda de estatisticas manipuladas, essas afirmações infundadas de que devemos nos privar de tudo que foi conquistado pela humanidade, porque todo os progresso polui e consome o meio-ambiente, toda ação humana interfere com o equilibrio natural. Então, a bola da vez são os automóveis, depois, quem sabe, as bicicletas, a borracha do solado dos calçados, os peidos, a respiração e por fim o simples ato de viver. A merda com tantas teorias e perseguições, vamos continuar usando automóveis até o dia em que isso se tornar crime (falta muito pouco), e se o mundo não se acabar (segundo os ecochatos), vamos voltar a usar cavalos e andar a pé, mas continuaremos interferindo no ambiente.

    ResponderExcluir
  53. Toda essa conjuntura vem da mentalidade socialista que domina a Europa e o Brasil. A isso se soma o politicamente correto que domina os EUA, além dos citados.
    O problema é que o oriente não foi avisado. Lá eles estão se lixando pra ecologia e puxar o saco de minorias pra ganhar eleição. O poderio militar deles é cada vez maior, enquanto aqui nos desarmamos. O mundo ocidental vai afundar, e nós junto.

    McQueen

    ResponderExcluir
  54. Bera Silva02/07/11 15:47

    Quem quiser entender um pouco os porquês de medidas tão absurdas, recomendo o site Midia sem Máscara.

    PS.: No livro 1984 de George Orwell não haviam automóveis!

    ResponderExcluir
  55. Eu ando de moto chova ou faça sol, dos 5 dias da semana em pleo menos 2 levo minha esposa ao trabalho dela.
    Economizo tempo, gasto pouco (media de 28km/l)e poluo tanto sonoramente quanto atmosfericamente menos que os motoristas que insistem em andar sozinhos nos carros.
    Claro ninguem aqui lembrou das motos que são solução porque são "autoentusiastas", eu também sou!
    Adoro carros e motos, mas uso carro na estrada e moto na cidade.
    Tenho que deslocar muito todo dia pois sou empresário tenho pontos como Barra, Jacarepaguá, Ilha do Governador e Niteroi para visitar "quase" todo dia e advinha o que torna isto possivel.
    MOTO!
    Que venham as criticas, mas acho que transporte individual urbano NÃO É CARRO!
    Vão dizer que moto polui proporcionalmente mais que um carro, bem isto é verdade, mas o que importa neste caso é um numero não um percentual e se todos os caros que andam com uma ou duas pessoas a bordo fossem substituidos por motos a contribuição para poluição atmosférica e economia de recursos seria enorme!
    Então quando me fecharem por achar que sou um chato e apressado, lembrem-se que sou na verdade um de vcs, só que mais hábil e em melhor forma por isto posso usar este transporte e vcs não.

    Acosta

    ResponderExcluir
  56. Já ia me esquecendo, ECOLOGISTAS e AMBIENTALISTAS:
    Alguns aqui podem até ser taxados de exagerados e preconceituosos, mas que um numero inacreditavelmente grande destes citados inicialmente, são mesmos maconheiros ou ex.
    A estes se somam os "tecnicos e engenheiros de segurança" outros chatos, sou do tempo em que se atravessava nas barcas Rrio-Niteroi sentado na proa e assim que ela chegava a menos 2m do pier ja tinha gente pulando.
    Se morria gente eu não sei (nunca vi), mas posso afirmar que se alguem morria ninguem seria culpado se não o proprio, o que é certissimo!
    Sempre se soube o que era perigoso ou não, atrvessar fora da faixa correndo ou ser atropelado embaixo de uma passarela era considerado suicidio e pronto, assunto resolvido.
    Hoje é complicado porque temos que dar emprego a mais gente dai que complicamos as coisas.
    Chega ja criei polêmica demais.
    Acosta

    ResponderExcluir
  57. Nem todos que cuidam de recurso são assim, deveriam procurar informações sobre os que também dizem o contrario como Prof. Molion, forte ativista a banir a ideia ridícula de aquecimento. A verdade é que ninguém ainda se deu conta que a unica solução é o controle de natalidade . Pois não da pra ficar se escondendo em leis medíocres para sobrepujar a incompetência.

    ResponderExcluir
  58. É simplesmente "TENSO" !

    Quando comecei a ler a reportagem me fez lembrar da Inglaterra, onde carro lá é como telefone celular aqui: qualquer um pode ter. Mas como um carro é diferente de um celular, nem sempre é fácil manter e usar um carro por lá.

    Curioso é que os carros lá tem uma desvalorização incrível, salvo alguns modelos como os clássicos Ford Escort RS Cosworth e afins, mas ainda assim com preços muito baixos. Carros com 3 anos de uso lá ja é "lixo". Imagina os mais velhos então ? Mesmo estando bem conservados e devidamente regulados muitos acabam sendo triturados. Só pra ter uma idéia: um Fiat Uno da década de 90, que por aqui ainda vale até uns 10 mil reais, lá pode se comprar por, acreditem, 30 reais apenas !!! (fazendo uma conversão "nas coxa" de libras para reais)

    Tem certas coisas que não dá pra entender...

    Abs
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  59. Tenho uma amiga que morou um tempo na Alemanha na década de 90 e quando quis se desfazer do seu Fiesta, precisou PAGAR!

    ResponderExcluir
  60. Esse negócio de tudo ser ecológico já virou comércio!
    De tempos em tempos o ser humano precisa re-inventar coisas pra gerar lucros...agora é a vez ECO! Aff...

    ResponderExcluir
  61. Ler que tem cidades européias piorando o trânsito de propósito, além de diminuir vagas de estacionamento etc, me deixou com um misto de tristeza e revolta... e medo de que essa moda pegue no Brasil.

    Estranho que as instituições públicas deviam, por lei, zelar pelo bem-estar do cidadão, e não o contrário! Precisamos de autoentusiastas no congresso para impedir esses absurdos.

    Apesar de tudo, não fiquei muito surpreso, quanto ao ódio por carros na Europa: Uma vez num forum de discussão, estava conversando sobre o "Cash for clunkers", um incentivo que eles dão nos EUA, no qual quem dá o carro velho para prensar ganha um subsídio na compra de um carro novo, algo que também existe no México. Muitos carros bons estão "morrendo" nessa barbaridade, mas enfim o dono do carro é livre para participar se quiser. Daí apareceu um cara que mora na Itália dizendo que la na Europa é muito mais drástico o negócio, e que em muitos países os carros com mais de 15 anos já são proibidos de entrar nos centros urbanos... e os que desobedecessem tinham os carros apreendidos e destruídos!!!

    Aliás, no geral, parece que é uma tendência acumular cada vez menos carros apreendidos em pátios, e cada vez mais encaminhá-los diretamente para a destruição! Seria uma conquista do lobby da industria automobilistica? Afinal cada carro que sai de circulação dá lugar para a venda de um novo...

    No Brasil, rezo para que não aconteça, mas, com tanta marmelada na inspeção veicular (que vai desde "pagar para passar" até aluguel de catalizadores e etc), pode de repente algum "gênio" inventar que não adianta fazer inspeção e querer restringir o uso dos carros baseado simplesmente na idade e não no estado de conservação... como disse, rezo para que isso nunca aconteça, mas é bom ficarmos atentos...

    ResponderExcluir
  62. tem deputado do futebol, dos sindicatos, dos aposentados, das prostitutas, dos músicos, das empregadas domésticas, dos artistas, dos palhaços, tem representante na política de tudo, por que nao ter um AE? obs: AE = auto entusiasta, não se refere especificamente ao blog. Democracia, quem quer e QUEM PODE, se candidata. Eu votaria.

    ResponderExcluir
  63. EU acho que no BraZil deve ser implantado Controle de natalidade/Eugenia o quanto antes.

    Cada dia mais nascem mais POBRES e futuros bandidos nas favelas, e ninguém parece se importar com isso.

    ResponderExcluir
  64. Johnconnor(old rocker)03/07/11 11:30

    Anônimo de 02/07/11 16:58

    Apoiadissimo.
    Hoje se um cara morre porque estava surfando no trem culpam a companhia administradora,a prefeitura,os seguranças,o maquinista,até o papa menos o autor da idiotice.

    ResponderExcluir
  65. Anônimo 203/07/11 18:04

    Um amigo meu que estuda economia me disse que no Brasil os carros, os combustíveis, e o IPVA são caríssimos, como forma de conter o crescimento da frota, pois senão a infra-estrutura viária entraria em colapso...

    Lenda ou verdade, isso é ridículo! Pois quase sempre quem tem um carro é porque realmente precisa dele em seu dia-a-dia (pois o transporte publico é deficiente e em certas cidades andar de moto é perigoso). A diferença é que, se fosse mais barato, certamente as pessoas teriam carros melhores ou mais novos. Dessa forma, as "podreiras" sairiam de circulação naturalmente, nem precisaria mais de inspeção.

    ResponderExcluir
  66. Medidas de governos totalitários (ou de preparação para eles) incluem desarmamento da população e limitação da mobilidade individual.

    Se fosse voces eu também me preocuparia com essa tentativa de obrigar todos os carros a vir com rastreador.

    ResponderExcluir
  67. Velho, mas limpinho04/07/11 18:19

    O governo mais totalitário que existe ou já existiu neste país é o de São Paulo.

    Proibiu o Fumo, proibiu a propaganda externa, proibiu o uso dos carros mais antigos, proibiu o uso das motos nas vias expressas das marginais, só não proibiu ainda as pessoas de pensar, pois isso não é necessário!

    Para confirmar isso é só ver há quantos anos o mesmo partido(e seu discípulo) governa este estado e a capital.

    Sds

    Vmf

    ResponderExcluir
  68. Acho importante ter uma opinião contrária aos ecochatos. Mas não deixa de ser tão chato quanto. Talvez o sonho americano não sirva em muitas cidades.

    ResponderExcluir
  69. mister bozao05/07/11 17:08

    deveriamos pensar em transporte publico eficiente muitos desses otarios cheios de odio acham que quando entram em um carro estao acima dos outros se acham uma forma de acendencia seus idiotas mais bicicletas mas verde mais impostos para carros

    ResponderExcluir
  70. Bob, que decepção. Discordar tudo bem, mas chamar o prefeito de idiota porque ele tem uma visão diferente da sua é no mínimo deselegante.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.