EXTRA: SÃO PAULO, O INFERNO AGORA É AQUI

Plano da mais nova ladroeira da CET

Primeiro foi o DER-SP falando nessa história de autuar por excesso de velocidade pela média, não pelo pico, mas o assunto esfriou. Agora é a vez da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo, empresa de economia mista (?), que efetivamente exerce o controle do trânsito na capital paulista em nome do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) da Secretaria Municipal de Transportes, arquitetando a mais nova versão de caixa registradora — ou seja, assalto ao bolso do cidadão à mão armada com equipamento eletrônico em vez de arma de fogo —, a autuação pela média, conforme noticiado pela mídia, como a Folha de S. Paulo online neste domingo (2/6), de onde tiramos o gráfico que abre este post e agradecemos.

O roubo de prefeitura é realmente suprapartidário. O rodízio que o diga: começou com o vivaldino do Celso Pitta (PTN), continuou com a prefeita que diz que é sexóloga (PT), depois José Serra (PSDB), Gilberto Kassab (DEM, depois trocou para o PSB) e Fernando Haddad (PT). É como o antigo mote do Banco Bamerindus, "O tempo passa, o tempo voa e a poupança Bamerindus continua numa boa", bastando substituir Bamerindus por rodízio em São Paulo. Continua numa boa há 16 anos ferrando a vida de todo mundo para nada resolver.


Querem ver? Lanço aqui um desafio a esses imbecis que dirigem o trânsito de São Paulo: suspendam o rodízio por 30 dias e vejam se o trânsito piora. Duvido que sejam machos para isso, pois não mudaria absolutamente nada. Mas a caixa registradora da prefeitura ficaria bem mais silenciosa...

Aliás, esse é um dos maiores assaltos ao bolso do cidadão, pois em vez de uma zona central de trânsito restrito – como em Londres ou como já houve em São Paulo –, os bandidos da CET inventaram o tal do "centro expandido" e, não satisfeitos, recentemente começaram a falar em expandir esse centro. Ou seja, querem mais carros licenciados no município para mamar os 50% do IPVA, mas não estão nem aí para o cidadão que os sustenta, que se dane. É vergonhoso, nauseante.

E agora, essa de medir velocidade pela média.

Segundo a Folha, os "especialistas" da CET — só podem ser especialistas em ladroeira — Horácio Augusto Figueira e José Almeida Sobrinho defendem a fiscalização por média, mas dizem que ela só funciona em avenidas sem cruzamentos ou semáforos, como as vias expressas das marginais Tietê e Pinheiros, por exemplo. Que pena, não é, "especialistas"? Assim a ladroeira fica meio limitada...E ainda têm a cara de pau de dizer que "é uma medida saudável"! Devem ter um vasto estoque de Óleo de Peroba em casa!

Por enquanto essa forma de medir velocidade é ilegal, mas corre no Congresso projeto de lei de autoria do deputado Edinho Araújo, do PMDB-SP — outro adepto da ladroeira, na cara —, que altera o CTB de modo a permitir a fiscalização de velocidade pela média. Pelo menos o relator do projeto, deputado Mauro Lopes (PMDB-MG) é contra a ladroeira, segundo o jornal. É torcer para que esse abuso, essa estupidez, não passe.

Há muitos anos fui a Rio Claro para a apresentação do Gurgel Supermíni (1991, estava na Oficina Mecânica) e fui parado pela polícia rodoviária no posto policial antes de Rio Claro, onde fui informado que seria autuado por excesso de velocidade: no posto na Anhangüera antes de sair dela para pegar a Washington Luís, haviam anotado minha hora de passagem que, comparada com a hora de chegada ao de Rio Claro, e feita a conta, eu havia trafegado acima do limite. Nem me preocupei com o absurdo, pois sabendo-o ilegal foi só recorrer e ter a autuação anulada. Mas por aí se vê que a idéia da ladroeira é antiga.

Para onde se mudou mesmo o inferno? Para São Paulo.

BS



145 comentários :

  1. O rodízio municipal é suspenso todo ano, na época de festas. Já tentaram aumentar o tempo de suspensão (geralmente de dez dias), sem sucesso:

    http://vejasp.abril.com.br/materia/suspensao-do-rodizio-de-carros-pessima-ideia

    Sobre a questão do radar de velocidade média - extremamente comum na Europa, tão elogiada por sua legislação automotiva -: ele só pode ser usado em vias expressas, como as Marginais.

    Sabe-se que a velocidade máxima delas (90 e 70 km/h) estão mais do que adequadas, visto o número elevado de acidentes e de motoristas dirigindo de maneira irregular, especialmente de madrugada.

    Isso posto, o radar multaria APENAS quem ultrapasse o limite, com a mesma tolerância usada nos radares estáticos: quem passar pelo trecho a 72 km/h ou aumentar a velocidade para 75 km/h por alguns segundos para realizar uma ultrapassagem, por exemplo, não será multado.

    Então todo esse barulho ao redor dessa "nova maneira de arrecadação" continua a ser apenas mais um grito desse povo (motorizado ou não) que continua a estar acostumado com a impunidade.

    Manter preso o dono da Boate Kiss pode, mas ser multado porque ultrapassou o limite de velocidade, não? Para quem critica os critérios de fiscalização, bem, os empresários de Santa Maria têm o direito de fazer o mesmo, e até pleitear que os bares sejam "advertidos" primeiro antes de serem multados.

    Não é segredo para ninguém que o trânsito brasileiro é tão impune quanto a política do País. E continuar nessa discussão antagonista (da turma pró-radar e contra) só vai perpetuar esse debate sem sentido onde quem mais perde são nós mesmos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Multar pela média na Europa? Que se saiba, só em algumas estradas da Itália, e isso bem recentemente. Precisamos parar com essa mania de toda hora querer mexer no Código de Trânsito Brasileiro e passar a fiscalizar trânsito efetivamente, com polícia na rua (e não "marrozinho", que não é polícia). É tudo cortina de fumaça para esconder a irresponsabilidade e a ineficiência, como a lei seca, em que só começou a fiscalizar bêbados ao volante depois dela, quando podia ter sido feito desde janeiro de 1998, quando já havia limite de alcoolemia para se dirigir. Essa de multar pela média é apenas mais uma maneira de arrancar dinheiro do cidadão facilmente, admira-me sua opinião.

      Excluir
    2. Rafael Ribeiro02/06/13 16:28

      Anônimo 02/06/13 16:05
      Radar de velocidade média extremamente comum? Então eu dirigi em outra Europa...

      É sempre mais fácil e lucrativo multar (na visão do burocrata incompetente). Oferecer transporte coletivo farto e de qualidade (principalmente sobre trilhos), construir ou reformar ruas e avenidas, soluções enfim, isso não é prioridade dessa classe tão bem intencionada e imprescindível que nos trouxe ao elevadíssimo grau de desenvolvimento a que nosso país chegou...

      Excluir
    3. Bob:

      Não é para agradar aos editores do AE, mas sempre defendi esse mesmo ponto de vista sobre ignorar o CTB de 1998 quando se trata alcoolemia. Infelizmente somos 'condicionados' a achar que tudo o que fazem politicamente é pensando no nosso bem estar.
      Mas eu prefiro que seja uma Polícia séria na rua e não aquela 'minoria' que sempre nos deparamos.

      Márcio Santos.

      Excluir
    4. Então você ultrapassa o limite de velocidade porque o transporte coletivo é ineficiente? Faz muito sentido..

      Excluir
    5. Perfeito 02/06/13 16:05!
      A inglaterra por exemplo, usa.
      Mesmo que ninguem usasse, limites tem que ser respeitados! Não concorda, se movimente para modificar, falar que é fabrica de dinheiro não adianta nada.
      Mania de criticar sem embasamento!
      Vamos ver um estudo cientifico que prove que é seguro trafegar a mais de 90 km/h.
      Vamos encontrar um motivo tecnico que nos mostre que a multa por media é absurda.

      Quer dizer, isso caso haja interesse de dialogo com pessoas com tirocinio...

      Excluir
    6. Rafael:

      Acho que eu devo estar com problema no navegador, não achei o trecho em que você menciona que ultrapassa a velocidade máxima que o nosso 'Anônimo' mencionou.

      Excluir
    7. Não adianta comparar as legislações da Europa e dos EUA com as brasileiras.

      Aqui não há sequer um trabalho contínuo de educação e fiscalização que garanta o mínimo respeito à legislação vigente, então sequer há a possibilidade de discutir medidas mais austeras existentes em outros países. A sociedade é outra, não adianta somente usar a justificativa de que "existe e é um sucesso" determinadas leis lá fora.

      Excluir
    8. Anônimo 02/06/13 17:10
      Limites decentes são para ser respeitados, limites imorais são para ser repudiados, especialmente se empregados métodos escusos para fiscalizá-los. A medição por média é tão escusa que é proibida pelo CTB, mas aí a ladroeira fala mais alto e vem logo um espertalhão querendo torná-lo legal. É tão escusa que não tive dificuldade em cancelar a autuação em 1991. E "métodos científicos" dão o resultado que se quer.

      Excluir
    9. Corsário Viajante02/06/13 17:47

      Outro problema é que no Brasil as pessoas não entendem que aquele numerinho é da velocidade LIMITE da via, não da velocidade MÉDIA ou desejada. Ou seja, não é porque o LIMITE é aquele que em todas as situações vai poder andar naquela velocidade. Teria que ir do bom senso do motorista saber se pode ir até o limite ou não.
      Mas falar o que, num país onde até o álcool líquido é proibido pois pode causar queimaduras e ainda tem gente que aplaude tantos "cuidados" do governo!

      Excluir
    10. "Sabe-se que a velocidade máxima delas (90 e 70 km/h) estão mais do que adequadas, visto o número elevado de acidentes e de motoristas dirigindo de maneira irregular, especialmente de madrugada."

      Este trecho não faz sentido.
      - SE a velocidade é adequada, então não haveria "número elevado de acidentes";
      - SE a velocidade é a causa, então a limitação corrente é inadequada e deveria necessariamente reduzir o número de acidentes em proporção à diminuição da velocidade, o que não se observa com as reduções já realizadas;
      - SE há quebra frequente da norma, não significa que a velocidade deva ser repensada, mas sim a EFETIVIDADE da norma, coisa completamente distinta;

      O que se observa do seu próprio argumento, analisado de forma lógica, é que em nenhum dos casos a velocidade limite, em seu caráter específico (velocidade em si) guarda relação com o resultado pretendido, qual seja, a redução dos acidentes. Isso porque não é a norma que contém erro, mas sua inobservância (cuja variação é indeterminada). Desta feita, independente da velocidade que se assuma em caráter de norma (critério formal), esta será indiferente para o fim prático (critério material).
      O que sempre entendi ser a bandeira do Bob (e este que me corrija se interpretei de forma equivocada) é o respeito à velocidade de fluxo da via, ou seja, a manutenção de velocidade a qual propicie melhor fluxo de automóveis dentro do limite material máximo de segurança da via.
      Se interpretarmos neste sentido, então a norma deveria decorrer da necessidade prática E NÃO O CONTRÁRIO (aliás, usos e costumes também são fontes basilares do direito, antes que se fale qualquer coisa). O que se defende com a implantação desta nova fiscalização, em última análise, é a imposição de uma norma autopoiética que guarda pouca ou nenhuma relação com o substrato material: o trânsito em si.
      O resultado do desdobramento será uma PIORA DESNECESSÁRIA NO TRÂNSITO às expensas de sua capacidade de fluxo, sob o argumento de um suposto incremento na segurança. Tal ideia não se sustenta sobre qualquer estudo prático, senão mero achismo, para não dizer propaganda, de uma entidade de engenharia de tráfego que nada faz por efetivas melhoras, somente servindo para arrecadar receita.
      É ainda mais perversa a ideia ao incutir no imaginário popular que velocidade = insegurança. Além de não ser verdade, ainda torna esta "bode expiatório" para legitimar outras práticas verdadeiramente sanguinolentas, como direção imprudente, uso de aparelhos eletrônicos enquanto se dirige, inobservância da sinalização, conversões proibidas em locais movimentados, rachas, dentre tantas outras. A impressão que fica é que tudo é permitido desde que se faça "em baixa velocidade", pois "é a velocidade o perigo". A lógica é bem ao contrário desta.
      Velocidade contribui para acidentes? Sim, se utilizada de forma imprudente, em excesso, onde não é comportada.
      Bebida contribui para acidentes? Sim, se utilizada de forma imprudente, em excesso, onde não é comportada.
      Distração contribui para acidentes? Sim, se negligenciada de forma imprudente, em excesso, onde não é comportada.
      Qualquer coisa pode te matar se você for burro o bastante para abusar dela.

      Excluir
    11. Temos duas alternativas: Ou nos defendemos com unhas e dentes dessas aberrações, ou ficamos a mugir para a lua junto da manada.

      É o Grande Irmão em ação!

      Excluir
    12. HAHAHAHA,qual o estudo científico pra se andar a 50km\h??

      João Paulo

      Excluir
    13. A questão, pra mim, é que só se mexe onde se pode garfar. Já não basta o dinheiro público desviado em todas as óbras públicas existentes (generalizando mesmo!!), os governantes ainda não se dão por satisfeitos e inventam essas para nos garfar via essas multas. Como bem disse o Charles, uma série de atitudes contribuem para provocar acidentes, mas são mais difíceis de fiscalizar e não dá pra desviar grana na instalação dos radares. Aí...........

      Excluir
    14. Não liguem para esses anônimos (16:05, 17:06 e 17:10). Na verdade são pagos para isso. Eles chegam aparentemente falando bem, mas tudo vira pó numa análise mais detalhada. Toda vez que se falar de política aqui no AE eles vão aparecer.

      Charles, parabéns pela resposta, mas não responda pensando que irá mudar a mente desse anônimo. Sua resposta só é valida àqueles que buscam a verdade. Ela serve para nos munirmos de argumentos contra essas campanhas mentirosas e acabar com as dúvidas dos vacilantes. Na verdade devemos escrever àqueles que estão dispostos a aprender e também como meio de fortalecermos nossa comunidade automotiva.
      Devemos criar uma "rede do bem", pois já a muito tempo, o mal se traveste de bem e usa de sutileza...

      Excluir
    15. Charles, parabéns. Anônimos, aprendam com ele.

      Excluir
    16. Anônimo02/06/13 16:05

      Pare de comer porcaria e abra esses olhos, como você pode ser tão passivo e apoiar uma "comida de rabo" dessas?



      Excluir
    17. Anônimo 02/6 16:05 hs, confessa, vai; você é pago pelo Edinho Araújo, Horácio Augusto e José Almeida pra escrever uma bobagem desta, né não?

      Excluir
    18. Em conversa com 5 amigos, comentei a proposta estapafurdia que a CET tem para o transito, que impedirá qualquer atitude no transito que não seja seguir como rebanho, ou ser multado. E fui condenado pela maioria deles, todos alegando que os limites tem de ser respeitados. "É só cumprir a lei", disseram. Visto isto de pessoas que não esperava comportamento tão bovino, de aceitação de qualquer coisa imposta pelo "poder" (que deveria preservar nosso bem estar, já que é pago por nós), só posso pensar que o conformismo é pertinente ao brasileiro e que como povo merecemos ser achacados a todo o momento contribuindo para financiar a riqueza de alguns corruptos e inúteis "nobres da política".

      Excluir
    19. A notificação de infração de trânsito pode sim, ser emitida baseando-se em evidências. Entretanto cabe ao condutor provar que a acusação é falsa, assim como é dever dos órgãos de fiscalização de trânsito garantir que a acusação é verdadeira. Esse tipo de procedimento é adotado na Operação Lei Seca, onde o policial baseia-se em evidências para emitir o auto de infração de trânsito. Aliás, todo mundo pode acusar todo mundo, mas é necessário provar que a acusação é verdadeira.

      Excluir
    20. O mundo inteiro, inclusive o Brasil, baseia-se na velocidade média para autuar infratores. Por exemplo, os medidores de velocidade registram quanto tempo um veiculo demorou ao deslocar-se do ponto A ao ponto B. A distância varia em função da capacidade de aferição dos sistemas de medição, mas o resultado do cálculo será sempre a velocidade média entre os pontos A e B.

      Excluir
  2. Como assim, "agora"? São Paulo que me perdoe, mas, com 11 milhões de pessoas e apenas umas poucas centenas de pessoas pensantes, e talvez poucas dúzias de pessoas pensantes e bem-intencionadas, com a péssima mania de construir em áreas de várzea e depois reclamar que o poder público não toma providências contra enchentes, com qualidade do ar, nível de ruído e poluição luminosa (sim, para mim isso é importantíssimo!) em níveis elevadíssimos e as pessoas, ao invés de plantarem árvores, derrubam-nas e estrangulam o tráfego (quanto mais rápido se chega num lugar, menos tempo o motor fica ligado, quanto menos o motor ficar ligado, menos poluição ele gera...), e com todo o resto, São Paulo é um inferno há pelo menos uns 20 anos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem contar a ignorada poluição sonora. O Bob falou disso no BestCars há muio tempo e é realmente impressionante visitar outros países, como o Japão e constatar que os caminhões e ônibus não fazem nem metade do ensurdecedor barulho de conhecemos por aqui.

      Quem mora perto de alguma avenida ou em rua que passe ônibus sabe o inferno.

      Excluir
  3. É Bob, logo logo eles vão conseguir o que querem... Todos a pé pela cidade. Pois, todo e qualquer mecanismo que se possa inventar para "ferrar" o motorista e cidadão paulistano são postas em prática rapidamente. E olha que, outro dia, vi dois guardinhas em uma esquina aqui do bairro, na vila madalena e estavam medindo a velocidade dos carros na heitor penteado, com radares de mão. Fui até eles pois, eu acabara de quase ser atropelado na faixa de pedestres. Isso por que uma senhora muito mal educada acelerou e eu, estava atravessando a rua na faixa! Fui pedir para que verificasse e se postasse ali por uma hora ao menos. Agradeceu apenas. Nunca os vi por ali. Enquanto isso, somos vitimados por estes ladrões do trânsito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante02/06/13 17:50

      Não querem que fiquem todos à pé... Querem que fiquem todos de carro, parados nos congestionamentos queimando combustível à toa (que são lindos, segundo a presidente da Petrobrás), pagando IPVA, DPVAT, multa, etcetc...

      Excluir
  4. CET serve para arrecadar.. para EDUCAR E MELHORAR não serve!!!

    ResponderExcluir
  5. Por conta disto e por todo o resto que aporrinha a vida de um homem sobre rodas, já perdi completamente o tesão de dirigir nos grandes centros urbanos, só o fazendo com o carro da firma e em horário de trabalho. Se eu for usar meu carro em horário de lazer, é garantia absoluta de que vou me aborrecer e me estressar, estragando o passeio que devia ser para me dar prazer. É por isso que o bichinho está com quatro anos e seis meses, e apenas 15.100Km: só o uso para viajar.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo:

    Algo me diz que você é o mesmo que mencionou no post VELOCIDADE, "OS BONS PAGARÃO PELOS MAUS" que limitar a 60km/h em uma via que suportaria 100km/h é perfeitamente normal.
    Não entendo como as pessoas defendem uma opinião pessoal sem nem a pessoa sabe-se quem é...

    Márcio Santos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro, todo mundo sabe que é o "Márcio Santos"... por favor, qualquer um põe o nome que quiser e pronto. O fato de se usar um "anônimo" para não se registrar, fazer logins, lembrar de senhas... Tá bom, vc. é o Márcio Santos meu vizinho, né...

      Excluir
    2. Lamento lhe informar, mas os meus vizinhos não lembro de algum como Anônimo... existe o Fábio, o Inaldo, a Dona Natália, Sr Lucas, o Carlinhos e outros nomes mais...
      Se você estiver dentre estes é um prazer encontrar alguém de tão perto, do contrário me perdoe...

      Abraço
      Márcio Santos.

      Excluir
  7. Pois é... Eis mais um artifício rápido e eficiente para a arrecadação de multas.

    Mas a efetiva participação de agentes de trânsito, e da engenharia (?) de tráfego para melhoria da fluidez do trânsito, isso não se vê... A sinalização horizontal e vertical de muitas vias são deficientes, centenas de semáforos sem sincronia e que pifam ao menos sinal de chuva, carros em péssimo estado de circulação, com iluminação irregular, ou com motoristas imprudêntes que não são abordados...

    Mas é mais fácil e rápido implantar novos radares, que geram receita fácil e rápida, além de favorecer aos fornecedores vencedores das tais licitações

    O engraçado é que dizem que a cet está sucateada, mas nisso a prefeitura investe.

    ResponderExcluir
  8. Acho engraçado o governo criar diversas medidas para vender carros novos (IPI, Financiamentos, etc) com o pressuposto de movimentar a economia, motorizar o "capião" e tudo mais. Depois, o mesmo governo não cria modos de você usar seu bem, pelo contrario, inventa "N" formas de lucra com o seu bem com mais taxas e impostos, com a prerrogativa de que você deve usar a porcaria do transporte publico. Fazem de tudo para dificultar sua vida, já que nem o direito de ter um carro de outra cidade você tem mais, já que o nosso excelentíssimo prefeito diz que se o seu carro é de outro municipio (pessoas que não concordam com a controlar) você tem de fazer a controlar aqui (para dar dinheiro para os bandidos).

    Educação que é bom nada. Em outros países pessoas são paradas, autuadas, seus carros são inspecionados e muitas vezes alem da velocidade se percebe uma lampada queimada, um pneu careca, etc. Esse tipo de educação não acontece no Brasil.

    Somente temos nossa vida dificultada por estes bandidos.

    ResponderExcluir
  9. Bob


    Acabei de ler e comentar o post a respeito da sua viagem à Stuttgart e agora vejo aqui um sobre o trânsito de São Paulo.

    Não sou de São Paulo e sequer já fui a essa cidade, e lhe garanto, que á exceção do Autódromo de Interlagos, de uns tempos pra cá, após tomar conhecimento da reprovação na CONTROLAR do VW Gol do Flávio Gomes (parto do pressuposto que o veículo estava em perfeito estado, tal como quando era 0Km), de um Fusca "Rat" que foi recolhido pro "acharem" que era um veículo abandonado, e de tantas outras idiotices "ceeteanas" narradas neste espaço, minha vontade de conhecer São Paulo é quase nula, falta de vontade essa que somente não alcançou a plenitude em virtude de aí estar situado o Autódromo de Interlagos.

    Gostaria muito de ir aí participar dos Ralis do Jan Balder, e conehcer pessoalmente pessoas como o você, Arnaldo, Jan Balder, Flávio Gomes e outros Autoenstusiastas, acredito que seria um prazer enorme.

    Também pretendo ir assistir o GP de Fórmula 1.

    Tirando isso, todo o resto em São Paulo me desestimula, Cracolãndia, Rodízio, CONTROLAR, radares, Tiozão da Hornet, PCC, Poluição, assaltos, homicídios,bebedeira ao volante e etc.

    Sei que as mazelas acima relatadas não se resumem à São Paulo, mais é esta a imagem que é retratada da metrópole ao resto do país.


    Acredito que meu comentário não é preconceituoso, é só um ponto de vista, mas parece - me que aí, caso ainda não seja o inferno (segundo o título do seu post já é) tem tudo para ser em um futuro breve.

    Sem conhecer São Paulo relatei aqui a visão que nos é repassada , somente a respeito de temas ligados ao automóvel, não adentrando em outros aspectos mais importantes da vida (carro não é item de primeira necessidade nem indispensável para a sobrevivência do cidadão, tanto é que existiu humanidade antes de 1885).


    Face ao exposto, acredito que viver aí está bem difícil.

    Por fim, parabéns pelo ótimo site, leitura diária obrigatória para mim, juntamente com o Grande Prêmio, Blog do Flávio Gomes, Best Cars Web Site e Jalopnik.

    Chevette SL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 02/06/13 17:12 Chevette SL

      Faço minhas todas as suas palavras. Moro bem longe de São Paulo, e pretendo continuar assim.

      Excluir
    2. Você,que se diz leitor do blog do F.Gomes,nunca percebeu que ele não gosta de SP e só à critica???aliás,é um mal educado que xinga aqueles que discordam de seus textos,muitos defendendo atuais ladrões políticos condenados(mensaleiros)????São Paulo,tem seus problemas como qualquer cidade(inclusive a sua)pelo excesso de habitantes,de carros etc,mas é uma cidade que tem muitos pontos positivos,tanto que até hoje recebe novos moradores,muitos inclusive bem formados,ouça criticas,mas ouças as qualidades também....

      Excluir
    3. Bom, não moro em São Paulo. Mas São Paulo é o Centro do Brasil. Lá tem o que há de melhor e de pior no Brasil, só que muito mais do que tem de melhor. Quem não quer conhecê-la, está no direito. Agora, que não é o pior lugar do mundo não é. Se São Paulo tivesse o gerenciamento de trânsito que tem Curitiba, por exemplo, bom, nenhum tipo de transporte funcionaria faz tempo. Tem de piorar muito para chegar no nível de Curitiba, que só se salva (um pouco) por ser 6 vezes menor... Vai ver o que é dirigir no Rio (acho que pior que Curitiba). Floripa e Belo Horizonte, trânsitos péssimos. Mas, é claro, São Paulo ganha de lavada nos congestionamentos, isso é de amargar.

      Excluir
  10. No Rio também, Bob....Vai ter nas linhas Amarela e Vermelha. O imprefeito precisa de grana...e nós que nos danemos!
    Alguém precisa fazer um mini computador associado a um gps para te dar a média, pode-se usar uma lente polarizadora em frente à placa...

    ResponderExcluir
  11. Bob

    Faz tempo não passo por aqui (você nem imagina o que passei nestas últimas três semanas...)

    Como te falei faz um tempo, nem vale mais a pena comentar sobre as peripécias aprontadas por essa escumalha. A lamentar, apenas o fato do MP se fazer de morto nessas horas.

    Abraço.

    PS.: O Kassab era do DEM, depois, PSD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FVG
      Obrigado, já corrigi os partidos do Kassab.

      Excluir
  12. Se não me falha a memória (estou com preguiça de pesquisar no Google), no primeiro ano do Kassab houve a suspensão do rodízio em julho. Foi o suficiente para a Globo "descer a lenha" no prefeito que, acuado, suspendeu a suspensão.

    Por oportuno, cadê os "cicloativistas" que não protestaram contra a Parada Gay, que impediu a operação da ciclofaixa na Paulista? Mas ciclofaixa a impedir a conversão à esquerda na República do Líbano, bloqueando o acesso a quem procura socorro no Hospital Alvorada, isso pode...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 02/06/13 17:33
      Isso aí, cadê o cicloativistas, que pelo menos poderiam agir a nosso favor criticando essa pouca-vergonha que é a Parada Gay? Por que essa bicharada e afins não são confinados no sambódromo para mostrarem seu "orgulho"?

      Excluir
    2. Bob se lembre do Stanislaw Ponte Preta...
      "Antigamente homossexualismo no Brasil era proibido,
      depois passou a ser tolerado e hoje em dia é coisa comum... é meus camaradinhas, vou-me embora antes que se torne obrigatório!"

      Olha a ditadura chegando aí através da grande e saudável mídia... rs

      Excluir
    3. Márcio, a apologia midiática ao homossexualismo em todas as suas formas (com a ajuda da patrulha do "politicamente correto"), já passou dos limites. Se um traveco se esfregar em você em um ônibus, e você chiar, vai preso. Se um funcionário homossexual for mandado embora por incompetência ou mesmo roubo, vai alegar que foi preconceito, e o empregador se ferra. Se um casal homo protagonizar tórridas cenas de carícias explícitas em um restaurante (coisa que é reprovável também em casais hetero) na frente de seus filhos crianças, e você chiar, também vai preso. Você brinca, mas a coisa está mesmo caminhando para a obrigatoriedade. Dia do orgulho gay é muito festejado e badalado, mas vá alguém propor a criação do dia do orgulho hetero: vai ser linchado pelas mídias, ong's, ativistas...

      Excluir
    4. Mr Car:

      Eu não brinco, falo sério mesmo... apenas falo de uma forma descontraída, senão eu choro. Sempre me lembro desta frase do Sérgio Porto (Stanislaw Ponte Preta) que em plena década de 50 já anunciava o que estava por vir.
      Eu respeito que todos devamos defender os nossos direitos, mas junto com eles nós temos os nossos deveres. Falo isso porque eu vejo o movimento feminista como um tiro no pé (veja aí as marchas das vadias que partindo da mesma lógica, um protesto contra as drogas deveria ser feito somente por gente 'chapadona'), que termina rapidamente quando tem que pagar a conta ou trocar o pneu do carro.
      O problema é que vejo hoje a hipocrisia (com pseudônimo de politicamente correto) dominando as mentes das pessoas por pura preguiça de pensar, afinal pensar dói no começo assim como os exercícios físicos.
      Não precisa é ir muito longe, aqui mesmo nós vemos o quanto as pessoas argumentam as idéias das nossas mentes 'dispensantes' lá do legislativo com bases no achismo diante de estudos concretos que provam o contrário!
      Fique assim não meu amigo, daqui iremos quase todos parar na mesma colônia de resistência como os filmes futuristas já mostravam.

      Abraço
      Márcio Santos.

      Excluir
    5. "bicharada", "afins", "confinados", "dia do orgulho hetero", a coisa nesse blog ta feia mesmo... excelente para se ler quando se discute sobre carros, no mais, o nivel é baixissimo.

      Leandro

      Excluir
    6. Leandro,
      Acho que não é exatamente no blog que coisa está feia, você está completamente enganado. A prefeitura alegar que essa exibição nojenta rende à cidade uma fortuna, como maneira de justificá-la, é a própria imagem da prostituição administrativa que estamos vivendo.

      Excluir
    7. Pois é Bob, herdaram a profissão da própria mãe.

      Excluir
    8. Bob, entendo o seu ponto de vista e acho válido que se discuta as opções. Na verdade a Parada é mais um evento cheio de promiscuidade, igual a diversos carnavais pelo Brasil inteiro, a diferença são os atores. Enfim, do jeito que foi colocado por vc e pelos demais comentários, pareceu um tanto quanto ofensivo, (não pelo "bicharada" mais pelo "confinados") ou mesmo completamente sem sentido ("Orgulho hétero").


      Leandro

      Excluir
    9. Leandro
      Por que só esses anormais podem me ofender com essas exibições nojentas? Eu, normal, não posso?

      Excluir
    10. Bom, vc acha que são anormais pq gostam de pessoas do mesmo sexo?
      Porque se for isso, não tenho pq tentar argumentar com vc a questão da Parada ser na Paulista, ou em qualquer outro lugar.


      Leandro

      Excluir
    11. Por que sem sentido "orgulho hétero"? Não que eu pretenda fazer uma manifestação dessas, mas se pode lá pode aqui... Essa questão do homossexualismo é igual a todas as outras: exagero a ser corrigido pelo tempo. Se o Bob me permite, acho que o 'confinados' seria justamente pela promiscuidade que você mesmo abordou no seu texto. É como se, pelo tempo em que a homossexualidade era mais rejeitada, criou-se um débito a ser pago com o excesso de permissividade. Mas tenho para mim que o bom senso prevalecerá no longo prazo.

      Excluir
    12. Leandro
      Exatamente, anormais sexualmente falando. Alguma dúvida quanto a isso?

      Excluir
    13. Paulo,
      Mas a promiscuidade é geral. Coloque um evento desse voltado para héteros e o nível será o mesmo, ou pior. No mais concordo com vc, a repressão que sofreram ou sofrem, leva a exageros.

      Bob,
      Me desculpe, mas a homossexualidade não é uma anormalidade, cientifica ou psicologicamente falando. Voce usou os excessos da Parada para justificar seu ódio contra o próximo, contra pessoas que, entre 4 paredes, fazem coisas diferentes do que vc "normal" faz. Realmente não entendo qual o insulto, visto que ninguem é obrigado a fazer nada que nao queira nesse pais.

      Leandro

      Excluir
    14. Leandro
      Está bem, um não vai convencer o outro, portanto, paremos por aqui. Você acha normal o homossexualismo, eu acho-o uma aberração, uma pouca-vergonha. Assunto encerrado, não será publicado nada mais a respeito disso.

      Excluir
  13. Pois é.... os governantes só trabalham para se elegerem e reelegerem, e o restante do poder público.... nem trabalha. Ou trabalha para deixar pior o que já está péssimo.

    ResponderExcluir
  14. Rapaz, aqui em Brasília eu já tenho vontade de jogar no chão umas dúzias de pardais, se implantarem uma porcaria dessas por aqui acho que começo a derrubada, só é necessário uma camionete, uma corrente, um maluco do lado e boa vontade numa madrugada.

    ResponderExcluir
  15. Desculpe Bob, mas esse tipo de ladroagem só vem de senadores, deputados, prefeitos e governadores originários do Estado de São Paulo.

    Será que já não está mais do que na hora desse povo paulista pensar em eleger melhor seus governantes?
    Não que aqui no RS não tenhamos esse tipo de coisa, mas as reeleições têm sido menos frequentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, parece que vc. não dirige por RS. Eu dirijo. Por favor, veja quem é seu governador, que vergonha!

      Excluir
  16. o Estado de SP aos poucos está se tornando um inferno,mesmo. Aqui no vale do paraíba o MP está querendo impor guela abaixo a inspeção veícular até mesmo em cidades com menos de 15 mil hab.
    E eu achei que essa coisa de RM fosse nos trazer benefícios. É como diz a música: "mandaram avisar que agora tudo mudou. Eu quis acreditar...outra mudança chegou."
    Meu velho projeto de ir embora pro interior de Minas está começando a voltar...

    João Paulo

    ResponderExcluir
  17. Lorenzo Frigerio02/06/13 19:47

    Bob, essa é "off-topic", mas é outra clássica paulistana. Há alguns dias, lembrei de um artigo seu no BCWS vários anos atrás. Agora, a FSP publicou uma matéria sobre o fatídico "reposicionamento de aeronave" no Aeroporto de Congonhas. Segundo o artigo, UM EM CADA CINCO vôos acabam dessa maneira, e os passageiros têm que caminhar até 500 metros para o outro portão. Tipo aquele filme "Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo
      Isso mesmo! Eu aguardava embarque e estava sem tema para a coluna, até que me deu o estalo: reposicionamento de aeronave. E agora essa notícia, 20% dos vôos com "reposicionamento". Você lembrou bem a cena desse fabuloso filme, em que as pessoas vão sendo avisadas para irem para outro portão!

      Excluir
  18. Luiz Dranger02/06/13 20:01

    Bob, sou mais radical. Tem ótimos comentários acima, pena que são de "Anônimos"! Vamos tirar os Colt 38 e Winchester 44 do armário e abater esses radares literalmente. Vai ser um curso de tiro interessante.
    Abraço
    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora sim! Ou fazemos as coisas esquentarem ou vão fritar a gente!Temos que pegar estes caras!

      Excluir
    2. Marco Brito03/06/13 15:53

      Luiz, essa adorável prática de abater radares funciona muito bem em Alphaville. Procuraram instalar um radar calibrado para fotografar os carros a uma velocidade muito aquém daquela que seria normal para a via onde fora instalado e o mesmo foi abatido (se não me engano, 3 vezes). Resultado, desistiram da ideia e hoje podemos andar a velocidades normais. Em tempo, não observamos acidentes naquele local.

      Excluir
    3. Excelente sugestão... Aqui em Nova friburgo na RJ 130 (Friburgo-Teresópolis), há uns 8 anos instalaram vários desses equipamentos"covardes" escondidos e , não levou 6 meses para que os agricultores da região os derrubassem com os caminhões ou os queimassem com pneus. Restaram apenas os equipamentos próximos à escolas e em outras áreas em que o bom senso permitiu.
      Me recordo que a "solução" foi muito bem aceita na época e, tudo caminha para uma nova intervenção popular, pois estamos novamente sufocados com a proliferação dessa praga aqui na região.
      Amaury.

      Excluir
  19. This is Brasil... Espero que essa moda não "pegue" aqui no ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica tranquilo! Ninguém sabe que este estado existe! Nem coisa ruim pega aí. Até coisa ruim não vai para o E.S. No máximo sai daí!

      Excluir
    2. E que continuem não sabendo! HAHA!

      Excluir
  20. Daniel San02/06/13 20:42

    Bob,já reparou que toda vez que um político tira da cartola uma idéia dessas seus sucessores imediatamente a copiam,sejam lá de que partido forem? É como se dissessem:"Como não pensei nisso antes?". O pior é que todas essas idéias são prontamente apoiadas pela mídia amestrada,já ouvi de um comentarista na tv que a idéia de multar pela média é excelente,pois "acaba com a esperteza do motorista infrator,que só reduz onde tem radar,e desrespeita o limite de velocidade após passar por ele". Uma vez aberta a Caixa de Pandora,ninguém mais quer saber de fechá-la...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colocar policiais circulando para fiscalizar TODAS as infrações o gênios (incluindo esse comentarista televisivo) não querem. Uma coisa que me ocorreu também é que é mais uma potencial multa a ser aplicada à vítimas de clonagem de placas, mesmo que ambos os carros estejam dentro da velocidade permitida, mas coincidentemente na mesma via. Daí surgirão aqueles casos bizarros de multas por média de velocidade de 350 km/h. E não se esqueçam que o Governo Estadual planeja adotar esse método de arrecadação também, ferrando a vida de todos os paulistas.

      Excluir
  21. É só ninguém pagar mais imposto, taxa nem multa nenhuma. Quero ver, se o governo estadual prender todos os carros, o governo federal vai à loucura com a perda dos ganhos da Petrobrás... Aí vai dar briga de cachorro grande.

    ResponderExcluir
  22. Antes de comentar: não sou paulistano, mas tem gente que fala de São Paulo como se idiotices dos órgãos de trânsito fossem exclusivas desta cidade. O Brasil é assim.
    E pro anônimo das 18:28 de hoje: no RS também tem políticos desse quilate. E vem de longe...já ouviu falar em Clube da Cidadania, caro cidadão desinformado?

    Ricardo2

    ResponderExcluir
  23. Luiz Dranger02/06/13 20:01
    Sou contra vandalismo mas o governo extrapolou.
    Acho que a penalidade por destruir uma propriedade pública é menor do que as autuações, acho um excelente negócio ! Sou contra atirar por conta das balas perdidas, mais eficiente seria usar serras circulares ligadas a um inversor para 110v no carro cortar os postes e gritar MADEIRAAAA !
    Idéias ?

    Posso parecer radical mas os representantes eleitos não pensam, então pensemos por eles.

    ResponderExcluir
  24. A solução é só uma: processos e mais processos contra essa estúpida, ridícula, ladra e safada CET e a Prefeitura de São Paulo. Esperemos que o CTB não seja maculado com essa proposta nazista e comunista, que é o que são esses políticos ladrões e filhos de mãe solteira (com respeito às mães).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Andrews03/06/13 03:51

      Faz uns anos tentei uma medida junto ao Ministério Público contra o rodízio, pois este é claramente inconstitucional. Chegou a virar Inguérito Civil que é um preparatório para uma ação na justiça. Mas arquivaram tudo, não quiseram ao menos me passar informação do motivo por e-mail. A malandragem está institucionalizada.

      Excluir
  25. Tudo é mafia. Tudo é caça niquel. E é suprapartidário.

    O Governo PTista Paulista está tentando (isso sem falar nas multas: Quem quiser dirigir em São Paulo tem que reservar dinheiro para a multa que certamente levará). Limites de velocidade irreais (logo logo a 23 de Maio o limite de velocidade será 40km/h - e vai ter gente batendo palmas!)

    O Governo PSDBista com o Caça-Niquel chamado pedágio, os mais caros do país e monopolizados pela CCR, o Policiamento Preventivo (que por sinal o pouquissimo que remanesce) além de despreparado e truculento é programado para multar assim como as cameras (mais caça niquel). Isso sem falar na cara de pau do Alckmin e afirmar que o Governo vem fazendo investimentos em estradas...CONCEDIDAS (conforme foi noticiado aqui mesmo no Auto Entusiastas)!!!!!!

    Os governantes anda se superando nas asneiras e no populismo barato, ultimamente é o governo estadual (não que o poder municipal de São Paulo seja muito melhor - importante salientar). Pode entrar Alckimin, Serra, Mercadante, Lula, quem quer que seja. Nada vai mudar enquanto essa geração de politicos estiver ai.

    ResponderExcluir
  26. Bob, você vê o controle de natalidade como uma boa solução a longo prazo para o problema de excesso de gente nas grandes cidades?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas,
      Certamente. O proeminente Dr. Dráuzio Varella também.

      Excluir
    2. E este tipo de coisa que adoro nesta mídia, aqui não se obedece o maldito politicamente correto.
      Se em outros lugares, bem capaz de sua pergunta sequer ir ao ar, Douglas. E se fosse, iam te chamar de nazista e neomalthusiano e daí para baixo.
      Sou completamente favorável ao controle de natalidade, e até arrisco: de caráter tanto quantitativo quanto qualitativo. Quem não tem condições de criar, que antes se retifique nesta sentido. Procriar não deveria ser direito irrestrito, sob pena de penalizar o próprio ser humano que está para nascer.
      Neste ponto somos muito permeados por uma lógica latina e de cunho religioso do "procriar e povoar", sem qualquer restrição, enquanto que está na hora de um pouco mais de pragmatismo.

      Excluir
    3. SergioCjr.03/06/13 12:23

      Charles, há uma falha na lógica deste tipo de pensamento, que pode ser considerado 'eugenista', uma vez que há um problema ético grave ao se determinar quem estaria apto ou não à reprodução.

      Devemos lembrar que pessoas brilhantes, que em muito contribuíram para a humanidade, nasceram em lares problemáticos e, muitas vezes, abaixo da linha da pobreza.

      Toda forma de extremismo é condenada, assim, ilógico se defender o direito irrestrito para utilização do automóvel (acabar com rodízio, com radares, aumentar limites de velocidade, etc.) e por outro lado, defender a restrição ao direito de um novo indivíduo nascer.

      Já comentei em outros posts que utilizo praticamente todas as formas de transporte (carro, moto, bicicleta e transporte público), acho que todas as formas possuem vantagens e desvantagens, o problema é quando se busca impor, apenas, a visão sobre determinado meio sem considerar que, no final, deve-se conciliar o anseio social, muitas vezes, em detrimento ao individual.

      Um "eco/cicloativista" é tão chato quanto um "autoativista", porque essas parcelas defendem exclusivamente seu ponto de vista sem ponderar sobre o ponto contrário.

      Um cicloativista que abomina carros e defende o uso exclusivo de bicicletas ou de transporte intermodal não consegue ponderar que uma cidade igual a São Paulo, com pontos distantes, topografia irregular e atualmente sem transporte público em quantidade, qualidade e 24 horas de funcionamento e que não mora nos bairros badalados onde exista farta estrutura de conveniência, atualmente, é praticamente impossível abandonar o automóvel.

      Por outro lado, um "autoativista" que não consiga ponderar que existem outras possibilidades de transporte urbano e que, eventualmente, tenha que abdicar de certas 'regalias' para que outras pessoas possam ter boa mobilidade através do transporte que melhor lhe aprouver, se torna igualmente 'chato' e 'intolerante'.

      Como disse, todo extremismo é prejudicial.

      Excluir
    4. Quem estaria apto à reprodução? Quem pudesse criar a cria. Simples assim. Não há nada de eugenista neste pensamento, uma vez que ele não se baseia em critérios genéticos.

      Excluir
    5. Marco Brito03/06/13 16:10

      Sérgio, concordo plenamente com a opinião de Mr. Car. Uma vasectomia no nascimento deixaria as coisas dentro do conforme, afinal a "diversão" continuaria e, como Mr. Car disse, QUANDO o cara puder criar, faria uma reversão. Imaginou quantos "vendedores" de semáforos a menos teríamos nesse país? Tem observado o número crescente de menores assassinos? Nada de criar critérios, apenas facilitar a vida de quem não pensa e principalmente de quem pensa!

      Excluir
    6. Isso é meio nazista, não é?

      Excluir
    7. Iria responder, mas o Mr. Car não deixou muito espaço a adições. É bem isso mesmo.
      Controlar as condições em que se criam novos indivíduos é ruim, mas permitir que recém nascidos seja atirados à morte em latas de lixo e bueiros é bom?
      Conceber uma vida é responsabilidade tremenda, exige planejamento e especialmente preparação. Qualquer anencéfalo consegue usar os órgãos reprodutores, mas é necessário ter subsídio mínimo para que se faça um cidadão.
      E outro detalhe:

      "defender a restrição ao direito de um novo indivíduo nascer."

      Me explique como pode haver um direito sem a existência de um titular.
      Não se pode atribuir uma prerrogativa a uma entidade que sequer existe, pois ainda nem foi concebida. Se assim fosse, se fôssemos tornar absoluta uma expectativa de direito tão imaterial quanto o mínimo potencial de nascimento, masturbação deveria ser crime de genocídio.

      Excluir
    8. SergioCjr.04/06/13 14:52

      Mr. Car e Marco Brito,

      Ainda que não tenha cunho genético, a restrição por cunho econômico esbarra, exatamente, na questão ética. A proposta que vcs fazem é de limpeza social, qual seja, somente àqueles abastados, com determinada faixa de renda, poderiam ter filhos. Mas, como seria determinada essa faixa de renda? Outrossim, como disse, temos diversos exemplos de pessoas que contribuíram, e muito, para a sociedade e nasceram em lares pobres ou problemáticos.

      A questão de que, tem filho quem pode criar, pode ser resolvida com educação e conscientização na base, e não com imposição de restrição.

      Charles,

      Realmente, me expressei mal, mas podemos substituir por "defender a restrição ao direito de uma pessoa ter/conceber/gerar um filho".

      Excluir
    9. Imagine se essa ideia de vocês já estivesse em vigor ha séculos e por causa dela não tivéssemos Einstein, Freud, Ford... Tem os dois lados.
      O negócio não é proibir os outros a ter filhos, mas dar a as pessoas educação e civilidade suficiente para pensar seus atos e criar bem seus filhos. Os grandes países do mundo, EUA, Alemanha, Suécia, chegaram onde chegaram sem controle de natalidade, então vê-se que ele não é necessário.

      Excluir
    10. Não somente aqueles mais abastados, e sim qualquer um com condições MÍNIMAS de criar um filho ou dois poderia tê-los, mas não cinco, seis, sete, como querem os defensores do "crescei e multiplicai-vos como se coelhos fossem", e que se danem as consequências para o próprio indivíduo concebido, ou para a sociedade. Até que a educação e a conscientização de base se instalem na bananalândia (se é que vai se instalar um dia), algo precisa ser feito, caso contrário é como deixar um doente sem tratamento nenhum, já que não é possível dar o tratamento ideal. E é como o Charles disse: se formos pensar nas pessoas maravilhosas e indispensáveis ao planeta que "deixaram" de nascer, todo ato de masturbação masculina seria um crime contra a humanidade.

      Excluir
    11. Sergio,
      Não é questão econômica, é condição socio-econômica, o que é diferente. Não estamos falando de um direito com reflexos patrimoniais como a disposição sobre bem móvel ou imóvel, mas sim sobre o direito de guarda de um ser humano, portanto com reflexos em direitos da personalidade de terceiro. O que deve prevalecer, o direito de procriação ou o direito de existência digna? Agir eticamente significa uma conduta, moralmente pautada, que busca o bem comum. Bem comum, na existência de direitos conflitantes, significa a mitigação do direito secundário para a prevalência do direito primário, principal. Qual seria principal? O interesse do menor ou o interesse de quem gera? Qual das partes é hipossuficiente e qual das partes pode agir para possibilitar a aquisição do direito?
      Ademais, não vejo isso como cerceamento, do contrário, é uma obrigação que decorre de um direito, qual seja, a de demonstrar capacidade de criação com mínimas condições da prole que o próprio indivíduo gera.
      E veja, em nenhum momento falei em métodos forçados de inibição da reprodução humana. Se o sujeito faz filho e não pode criar, destituição do poder familiar e direcionamento da criança para família adotiva. Está cheio de gente querendo adotar, aqui e lá fora, mas por um sentimento de "unidade familiar" o poder público tem preferido deixar o menor no farol pedindo esmola do que em uma família capaz de atender seus anseios básicos de subsistência digna.

      Excluir
    12. Anônimo 16:55
      Josef Stalin, Adolf Hitler e Mao Tsé-Tung também não estariam entre nós nesta hipótese, e só estas três figuras contabilizam genocídios na ordem de dezenas de milhões de indivíduos (coisa que matou muitos outros gênios, que jamais conhecemos).
      Fato é que a genialidade humana, para o bem ou para o mal, não observa renda, classe ou origem social, mas se tivermos pessoas criadas em um berço de boas condições, ou ao menos de condições mínimas para o pleno desenvolvimento de suas capacidades, certamente teríamos maior aproveitamento qualitativo e numérico de nossos Einteins, Freuds e Fords, que jamais conhecemos, seja porque foram jogados em uma vida de crime e drogas, seja porque uma família desestruturada achou por bem que estes estariam melhor mortos em um saco de lixo no córrego do que em uma família apta a lhe dar criação.
      Quanto aos países que citou, acho engraçado, pois se você submeter uma criança nestas localidades ao mesmo tipo de abuso que milhares de crianças nossas são submetidas todos os dias no seio de famílias ausentes ou desestruturadas, tenha certeza, estas crianças teriam lhe sido destituidas do poder familiar de forma muito rápida e o responsável responderia com sanções severas. Não deixa de ser uma forma de controle indireto.

      Excluir
    13. Charles,

      Com educação, não precisamos de controle de natalidade.

      Excluir
  27. Bob; Relaxa! Está piorando a cada dia e vai piorar mais! Todos sabemos disto!Somos nós que elegemos estes caras. Quem elege padre procura reza!Quem elege ladrão... Portanto enquanto a gente não AGIR e parar estes caras eles vão piorar e piorar e piorar até fazermos uma guerra civil ou revolução! E estamos demorando muito....

    ResponderExcluir
  28. Desculpe, sei que a pergunta nao é dirigida a minha pessoa, mas me dei o direito de aproveitar a sua questão.
    Eu acho, mas o chamaria de "planejamento familiar" o que vem naturalmente com a melhora do nível sócio / educacional dos cidadãos.
    Em seguida deveria ser política de governo facilitar o acesso a métodos contraceptivos.
    Fazendo- se isto o resultado do "controle", palavra que nao gosto, seria obtido de maneira civilizada.
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acosta, não existe uma só pessoa ativa que não tenha ouvido falar em camisinha, anticoncepcional ou pílula do dia seguinte. Está cheio de gente que sabe até qual é a última geração de iphone mas se recusa a ficar "familiarizada" com preservativo. Isto é falta de vergonha e uma irresponsabilidade tremenda. Depois ficam recebendo bolsa por cada ranhentinho que põe no mundo e nem cagam para criar e educar. Este ranhentinho, lá pelos 15, já está no 1° ou segundo ranhentinho dele próprio, tudo na miséria, assimilando valores destrutivos ao longo de sua "criação".
      Medida coerente seria realizar, junto com o prénatal realizar análise socioeconomica da futura mãe e do futuro pai para determinar se possuem condições de propiciar um nível mínimo de criação daquela criança e, se não, promover a destituição do poder familiar e encaminhar esta criança para adoção (tanto nacional quanto internacional).
      Hoje o processo inverso: podemos ter uma criança na mais desgraçada situação de risco com três pretendentes a adoção, vivendo em abrigo e com pai na cadeia. Mesmo assim o judiciário faz de tudo para "manter a criança na família biológica". A criança cresce no abrigo, isso quando não volta para a família e vira favelada.
      Sei bem como funciona, assim como sei que o proprio CNA é uma mentira. Participo ativamente de um movimento que milita no judiciário em favor destas crianças e vejo cada absurdo que daria para fazer livro.
      Do jeito que está, a miséria cresce em PG e a recuperação, em PA.

      Excluir
  29. Off-Topic: Morreu o idealizador do pró-alcool: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/520615-morre-jose-walter-bautista-vidal-idealizador-do-pro-alcool

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motor a álcool não foi uma criação, é apenas um ajuste num motor de ciclo Otto.
      Se o governo tivesse investido mais em na exploração de petróleo e refino, não teria sido necessário o Pro-Álcool.

      Excluir
    2. Douglas
      O maior crime do Proálcool foi fomentar um combustível para substituir um que sobrava, a gasolina. O nosso problema era diesel.

      Excluir
    3. Marco Brito03/06/13 16:02

      Isso é sabido Bob. Compactuo com o saudoso Gurgel quando dizia que a terra serve para o plantio de alimentos. Por outro lado, como os nossos probos políticos fariam para distribuir nosso dinheiro aos amigos usineiros? E hoje em dia, não se propagandeia por ai que o Brasil é auto suficiente em petróleo? Porque continuar com um programa que para existir depende do diesel?

      Excluir
  30. Bob e demais debatedores,

    1. É evidentemente uma ação arrecadadora que visa engordar ainda mais os cofres públicos e esvaziar os bolsos dos contribuintes;
    2. Instalando esse sistema de velocidade em trechos curtos, o perigo é grande;
    3. Entretanto, em minha experiência em viagens a SP, faço 600 km em 6 a 7 horas, com velocidade média entre 90 e 100 km/h (velocidade permitida na maior parte da Fernão Dias é de 110 km/h);
    4. Quero ver o desgoverno faturar multas nessas descidas para o litoral, com estradas sempre congestionadas. hehe

    ResponderExcluir
  31. A principal causa de tudo é a falta de educação, não sabemos eleger, não somos questionadores e aceitamos "esmolas" dos poderes públicos para manter nosso padrão atual de vida. O governo federal institucionalizou a ladroagem, o que ocorreu no início dos anos 90 é um grão de areia em comparação com o que está ocorrendo agora. Infelizmente o que está ocorrendo é apartidário.
    E o espírito do brasileiro de querer levar vantagem? Sempre procurando arrumar uma teta pra ficar sossegado...se estiver com uma, não faz nada, agora, se estiver fora do esquema, reclama e não faz nada.
    Quanto ao transito, porque não tiram da rua carros sem condições mínimas de segurança? A economia do país não está boa? O estado não proporcionou o aumento de renda da população? O brasileiro precisa de ter consciência de seus atos perante terceiros, parar de enxergar seu próprio umbigo e precisa aprender o querer fazer para todos e não só para benefício de si mesmo.

    ResponderExcluir
  32. Todo mundo já disse tudo. Que me resta dizer? Nada, só devo me calar diante de tamanhas aberrações.

    Êta país desgraçado....

    ResponderExcluir
  33. Eduardo Copelo03/06/13 11:13

    Como se São Paulo fosse o único lugar intragável do país...
    Moro no Rio, e assim como em Sampa, aqui também tem das suas peripécias, o prefeito maluco inventando obra a torto e a direito, limites de velocidade ridiculamente baixos onde é até inseguro manter tal velocidade, entre outras. A tão falada "Lei Seca" só virou essa palhaçada toda porque aumentaram a multa pra quase mil reais, e agora está em 2 mil reais, sendo que sempre existiu leis contra álcool e direção (mas é mais conveniente "fiscalizar" quando se pode arrecadar mais). E ainda vem a mídia e elogia tudo isso. Eu rezo todos os dias para que não importem o tal "Controlar" para o Rio, por que se aqui, na hora da vistoria, com o carro todo certo, o vistoriador ainda te pede um "café", imagina com essa porcaria de Controlar? O que vai ter de caixa 2 pra poder aprovar carro... E agora essa história de "média".... fatalmente isso vai se espalhar pelo país como uma praga, e a massa de manobra nada vai fazer, pois tem "bolsa família", carnaval, Copa do Mundo e Big Brother...
    Tem hora que dá nojo morar aqui.

    ResponderExcluir
  34. Não tenho o costume de tomar muitas multas. Ao longo dos meus 10 anos de carteira, foram 4 (Graças a Deus). Mas eu teria pago todas, muito satisfeito, caso soubesse que o dinheiro gasto seria empregado na melhoria de uma via.

    Sim, 90% dos brasileiros são mal educados no trânsito. Há sim muito desrespeito das leis de trânsito, velocidade é só uma delas. Mas e o desrespeito de uma via com buracos? Porque não se podem fazer vias com escoamento para chuvas, curvas corretamente niveladas e sem ondulações? Quem nunca ganhou pelo menos uma bolha no pneu por um buraco ou boca de lobo na pista? Quantos acidentes não são causados por essas irregularidades? Isso ai a mídia popular não noticía.

    ResponderExcluir
  35. Vamos copiar a Europa em algumas soluções muito mais simples, seguro contra terceiros obrigatório - licenciamento do veículo somente com apresentação de apólice!

    ResponderExcluir
  36. Mas para multar por velocidade média é necessário alterar o CTB. Lembro que um tempo atrás, num post sobre a mesma discussão um usuário publicou comentário com a informação de que a CCJ havia arquivado o projeto. Criaram outro ou a reportagem da Folha é que está mal produzida mesmo (o que não é de se duvidar)?

    E, sobre o Gov. do Estado, li outro dia no Estadão que abriram licitação para aquisição de tais "radares", pois pretendem duplicar o nº de equipamentos nas estradas. Ora, se não pode - ainda - multar por meio da aferição da velocidade média, a aquisição de tais equipamentos não se justifica, incorrendo o governante de plantao em improbidade administrativa.


    Marco


    ResponderExcluir
  37. Bob, mudei minha posição a respeito do assunto. Eu acho que nas estradas as multas por velocidade média podem diminuir acidentes. Dou como exemplo um quase-acidente, dois sábados atrás: eu seguia pela Imigrantes no planalto, rumo ao litoral, na segunda faixa, a 120 km/h. Um FDP (desculpe a palavra) com um Jetta vinha a uns 180 km/h, tão rápido que só o vi quando passou rente, a coisa de meio metro, do bico traseiro direito de meu Focus; ele veio pela primeira faixa, cruzou por trás de meu carro, foi até a quarta faixa (isso tudo em poucos metros) e seguiu costurando pela estrada que estava com um número razoável de veículos seguindo para o litoral. Depois, seguiu costurando até sair d eminha vista, sendo escudado mais atrás por uma Mitsu L200. Ainda parei na Polícia rodoviária; o guarda disse que ia passar um rádio com a placa que anotei, mas vi claramente que ele não ia fazer absolutamente nada a respeito.

    Enfim, Bob, tudo isso pra dizer que o único jeito de pegar imbecis que andam a 200km/h numa estrada cheia, chova ou faça sol, por vezes de pickup ou SUV, é pela velocidade média. Radar fixo é manjado (o cara reduz pra 120 e volta depois aos 180 ou 200), radar móvel é mais raro (e pode ser captado com detetor)... Entre vez por outra ser multado (e passar raiva) ou ser atropelado por um mentecapto com titica na cabeça e um carro possante, prefiro a primeira alternativa...

    Agora, velocidade média numa cidade que vive congestionada é a piada do ano!

    Abs, Ricardo Montero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo,
      Justo não tem de pagar por pecador. Contra abusos como o que você comentou existe a câmera de vigilância, o cara poderia ser apanhado facilmente. Mas dá um trabalho...

      Excluir
    2. Pô Ricardo, desvestir um santo pra vestir outro não vale.

      Excluir
    3. Ou mesmo colocar algumas viaturas trafegando pela estrada constantemente. Evita abusos como o narrado acima, sem prejudicar os demais, além de ser possível coibir outras infrações.

      Mas, como dito, dá um trabalho...


      Marco

      Excluir
    4. Anônimo 03/06/13 15:29

      Creio que seria o ideal. Mas aí eles não poderiam evitar a fadiga......

      Excluir
    5. Alias, hj pela manhã mesmo vi como os caras gostam de evitar a fadiga. Uma neblina DO CÃO, e os bonitos lá dentro do posto policial, sossegados, na net, facebook e afins, enquanto que um mooonte de gente passava pelo nariz deles com faróis completamente apagados.
      Enqto isso a Operação Ágata segue a toda, aporrinhando qualquer um que tenha placa "de longe" e venha do sentido do PY. Não q ela não seja legítima, mas só há olhos para as muamba.

      Excluir
    6. Único jeito, não. Você está comprando a idéia do sistema. Imagine se disserem que a conta de água de todos vai subir porque tem muita que não conserta os vazamentos? Não podemos aceitar essas aberrações nunca, pelo menos em nossa consciência. Devemos sempre ser contra esse tipo de preguiça administrativa que joga para nós a responsabilidade que é deles. O legal deste blog é sempre alertar para esse tipo de coisa. Policiamento já! Tenho certeza de que uns 300 policiais bem preparados e equipados com motocicletas circulando e coibindo abusos melhorariam muito o trânsito. Não precisa nem multar. Faz o apressadinho (ou responsável por qualquer outro tipo de abuso) parar para averiguação do documento, estepe, macaco, chave de roda, triângulo, luzes, buzina, chamada à central para verificar pendências etc, etc, etc. Faz o cara perder uma meia hora nisso. O compromisso (se é que havia) ele já perdeu. O contraventor pensará duas vezes antes de chamar a atenção do policial novamente.

      Excluir
    7. O problema não é o cara estar a 180, o problema é que o cara provavelmente não conseguiria passagem dos carros da esquerda que acreditam que não tem obrigação nehuma de dar passagem se já estão na velocidade limite da estrada. Velocidade, por si só, não é causa de acidente, do contrário, as Autobhans seriam campeãs em acidentes, muito a frente do nosso país. É preciso deixar a ingênuidade e egoísmos de lado para analisar a questão. Em estradas como da SAI, a Bandeirantes, a Carvalho Pinto, não há razão para um limite tão ridículo de velocidade como 120km/h. Isso era limite que se preze há 25 anos atrás, não agora, quando qualquer carro popular ultrapassa facilmente esse limite. E mais, os carros agora, além de mais potentes, contam com ABS, Air Bag, Controle de estabilidade e tração, um sem fim de trique-taques de segurança. Se estou a 120/h e um cara vem mais rápido atrás, eu dou passagem ou acelero até poder dar a passagem, se eu estou mais rápido, mesmo que acima dos 120km/h gostaria que o motorista da frente tivesse a mesma consideração. Pra mim, o que mata nas estradas são: Estradas em más condições; exceço de caminhões, estradas de mão-dupla, bebida ao volante, más condições dos veículos, falta de educação dos motoristas, e lá em último o "exceço de velocidade". É preciso parar com essa babaquice! Velocidade não mata, por si só! Já dirigi em Portugal e Espanha em limites bem acima dos previstos, e sabe o que vi? Nada demais! Nehum acidente! Não recebi nehuma multa por exceço. No ano seguinte, fazendo uma viagem Santos-Florianópolis, o que vi de acidentes foi uma barbaridade, a maioria envolvendo caminhhões (só de tomados vi 4 na ida e volta), andei quase toda a viagem abaixo do limite das estradas, e quase sofri um acidente gravíssimo com um impaciente que ultrapassava um verdadeiro comboio de caminhões e vinha na contra-mão. Ah, e de cara, 6 meses depois, recebo uma multa de velocidade (6 km/h acima) em casa por essa viagem! 6 meses! E a multa foi anulada com meu recurso? Rá rá rá!

      Excluir
    8. Ricardo, so' tem um jeito de coibir esses excessos. Acabem com os pardais e coloquem um radar em cada carro de policia, e ponham a policia nas ruas e estradas.. FISCALIZANDO com GIROFLEX APAGADOS.. isso vai acabar com todos os excessos, pois ninguem sabera' onde esta' a fiscalizacao e todos serao comportados. Diminuiremos acidentes, embriagados ao volante, conversoes proibidas, excesso de velocidade, etc... Esse e' o modelo adotado em varios estados americanos e que funciona muito bem. Basta querer aplicar.

      Excluir
    9. Gerson concordo com você... me atentei ao relato do Ricardo que ele sabia que o policial nada faria, logo vejo que a solução não seria colocar pardais em toda a estrada, pois isso não resolveria a causa raiz que é a falta de patrulhamento.
      O radar apenas atuaria no excesso de velocidade, mas não atuaria no restante em que o policial deve atuar FORA do posto policial e isso apenas resolve o problema da velocidade dos motoristas e não da falta de educação com o trânsito.

      Márcio Santos

      Excluir
    10. Márcio Santos
      É o que eu sempre digo. Dão toda a atenção do mundo para apenas um aspecto (o mais "rentável") sendo que o trânsito está uma porcaria por todos os outros......

      Excluir
  38. Já que é pra fazer uma palhaçada destas, melhor acabar com todos os radares e aumentar em 400% o IPVA de uma vez. Ao menos poupa-nos do cinismo e da raiva que temos que engolir.

    ResponderExcluir
  39. Beltrano, o mais Fulano dos Sicranos03/06/13 16:34

    Bob... Essa maracutaia de se medir e multar caso a velocidade média supere a estabelecida ao pico é pior do que aparenta. De saída, já vai gerar uma licitação. Que por mais honesta e correta que seja, o custo sempre será suportado por nossos bolsos.

    Dando certo esse método ( e por certo compreende-se arrecadar mais do que atualmente ); e com certeza o será, vai ser implantado em todos os estados da Federação. Bastará "reativar" o SINIAV ( http://siniav.net/ ) que está, por ora, esquecido.

    Nem radares serão necessários. Bastam antenas. E prá pedagiar qualquer trecho urbano ou rodoviário, vai ser uma teta. Nem praça de pedágio é necessário se construir.

    O aparente atrativo de que esse Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos:

    "Assim que o SINIAV se tornar realidade poderemos dizer que os roubos de carros não será mais um problema! Após um carro ser roubado o dono só prescisará avisar a Polícia sobre o roubo, e as antenas de fiscalização enviará informações sobre a localização do veículo. Com apenas uma triangulação a policía encontrará o carro rapidamente! "

    Consoante é descrito no respectivo sítio eletrônico, no meu entender, é o ardil necessário a qualquer estelionato.

    ResponderExcluir
  40. Qual é a lógica de ser contra andar dentro da média? Quem anda dentro da lei não se preocupa com radar fixo, estimativa da média por radares, chips (no futuro). A polêmica sobre o tema é sem sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cândido Prudêncio04/06/13 04:00

      Andar a 1 km/h do limite é um grande perigo, tenho muito medo disso, posso causar um acidente gravíssimo.

      Excluir
    2. O problema não é cumprir as normas. O problema é a sanha arrecadadora que motiva esse tipo de procedimento, mas permite todo o resto. Limites baixos, combinados com radares em pontos estratégicos justamente aguardando que alguém cometa um erro. Enquanto isso os maus motoristas são premiados com a permissão de cometerem todo o tipo de contravenção. Se você se der ao trabalho de ler alguns bons posts deste tópico encontrará sua resposta. Sem sentido é a sua declaração.

      Excluir
    3. Não tem essa de andar 1km acima do limite. Se o limite é 60km/h vc. é multado se ultrapassa 67km/h apenas. E qual o problema em andar dentro do limite? Qual a dificuldade?

      Excluir
  41. A lógica, inteligência, é que se pode distrair, andar um pouco acima sem querer e ser flagrado, muito passível de ocorrer com as velocidades-limite irreais de tão baixas no Brasil, sem contar as pegadinhas. Sem sentido para você, para mim não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, acabo de ser informado que minha CNH esta' em processo de Suspensao do Direito de Dirigir porque passei em um radar a mais de 50% da velocidade permitida.
      Veja que e' uma rodovia de limite de velocidade de 80Kmh e que em um determinado trecho (100 metros) o limite baixa para 60Kmh.. era uma baixada, e por distracao a velocidade excedeu os 80Kmh e foi a 90.. Pimba !! o radar me pegou e agora estou com esse processo. Alem da multa de R$500, ainda terei que me defender, pagando um advogado para entrar com um recurso.

      Excluir
    2. Gerson,
      Fim da picada. Que ladrões!

      Excluir
    3. Conheço um bom advogado especialista em trânsito, ele cobra barato e manda os recursos via email. Já usei seus serviços, e consegui até anular multa de velocidade com foto do radar. Inclusive ele foi o primeiro a ganhar uma causa relacionada a multa por bafômetro.

      ricardoadam@gmail.com

      Excluir
    4. Essa história do Gerson 20:55 é de lascar. Mostra bem a palhaçada que virou o trânsito brasileiro. Êta país de m....

      Excluir
  42. Estou impressionado ! E morrendo de medo dessa "nova" se alastrar pelo resto do país. Isso aqui em Brasília vai fazer um estrago absurdo, já estou até com medo...

    ResponderExcluir
  43. Caros colegas, sou Paulista e hoje moro em Minas Gerais por motivos profissionais e hoje pessoais também. Sou um cara novo (25 anos) e comecei a trabalhar cedo, e a cada dia que passa tenho mais medo de onde nos podemos chegar...
    Parece que quem escolheu um caminho honesto, trabalha todo o santo dia e provavelmente tera que continuar trabalhando pois a aposentadoria neste país é uma vergonha, só merece sofrer na mente destes ladrões, tanto os engravatados quanto aqueles que, em segundos acaba com toda uma vida, e dos familiares dos coitados que se encontram no caminho destes marginais. Não consigo entender por qual motivo as pessoas que foram escolhidas para representar toda uma nação conseguem ser tão inuteis, porém fico triste também em como esse nosso "povão" conseque ser tão omisso e aceita tudo isso. Não entendo e nunca vou entender como movimentos como o Carnaval ou a tal Parada Gay conseque reunir milhões todos os anos, e em contra partida não aparece ninguem protestando contra a pizza que virou o caso mensalão, ou a impunidade, parece que tirar uma vida virou algo normal por aqui, e esse codigo penal ultrapassado, agora existirá até uma bolsa craque sabiam? Ha e se um marginal é presso e tem familia sua familia recebe todo mês uma ajuda do governo mais a familia do trabalhador que muitas vezes é assassinado sem piedade, essa nada recebe, só a dor da perda ... e tantas outras atrocidades que vemos todos os dias. Ja desisti de tentar entender e só me agarro ao trabalho e as pessoas que amo pois acaba sendo só o que temos, ficar pensando neste país e em tudo que acontece bem na nossa cara ainda acaba nós deixando doentes de tanto desgosto!

    ResponderExcluir
  44. Entendo o choro, mas não concordo.

    Acho os limites ridiculamente baixos também, um verdadeiro inferno. Mas não vou usar meu bolso e meus pontos na carteira para fazer protesto. Checo o velocímetro com a mesma frequência que checo os retrovisores. Os radares são visíveis e tem placa para todo lado. Só toma multa quem quer.

    A melhor maneira de protestar contra esse absurdo é andar abaixo do limite, não dar um centavo para a prefeitura/governo em forma de multa e deixá-los sem esse faturamento tão importante.


    Mas quase todo mundo que reclama, virou mexeu e toma multa. O limite está lá, o radar está lá, todo mundo sabe. Agora, se distrair e tomar multa, num grupo de bons motoristas, é de doer. O governo agradece, pois são justamente os infratores que sustentam esse sistema.

    Ando na bandeirantes bem a direita a 100km/h. Tenho uma boa margem para ultrapassagem, chego até 130km/h no painel sem ser multado. Meu dinheiro esses canalhas não vão ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julio Bomfim04/06/13 13:11

      Anônimo 04/06/13 09:47,
      o histórico nos mostra que, quando os motoristas se "acostumam" com a velocidade máxima imposta pelos órgãos reguladores e o número de multas diminui, ocorre uma nova diminuição no limite de velocidade para manter a arrecadação.
      Por isso não adianta protestarmos "dirigindo devagar" apenas fazendo com que não nos multem, já que um segundo momento encontrarão mais maneiras esdrúxulas de nos multarem.
      O que funcione talvez seja uma real mobilização por meio de associações (alguém se lembra da Avitipo - Associação das Vítimas do Fiat Tipo?), grupos, abaixo assinados e processos coletivos.
      Abs.

      Excluir
    2. Claro que adianta, pelo menos para mim adianta. Esse choro todo é bem compreensível, é difícil mesmo, mas o povo vive enchendo os bolsos do Estado com multas.

      Façam a campanha aí no auto entusiastas: Andem devagar! Aposto que o stress vai diminuir, o consumo de combustível vai diminuir e você vai parar de dar dinheiro para o Estado.

      Ficar brigando com o governo aqui e com esse povo burro é batalha perdida. Enquanto se faz isso, procura-se algum meio decente de protestar ou buscar uma alternativa.

      Mas 90 % aqui é tudo choro por ter levado multa. E eu concordo, se transgrediu a regra, tem que pagar. É assim que funciona.
      Infelizmente essa regra funciona 100% bem para o trabalhador, e não chega a 10% de eficiência para o vagabundo corrupto que nos governa. Mas isso não invalida a máxima de que regra é feita para se cumprir, não para concordar.

      O ladrão se acha no direito de roubar, o motorista se acha no direito de andar acima da velocidade máxima, o político se acha no direito de desviar dinheiro, e aí fazemos a bananolândia.

      Excluir
    3. Sr Anônimo:

      Não andamos correndo, andamos na 'Velocidade Natural'. Faça o seguinte, leia o tópico do Arnaldo Keller:
      http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/07/velocidade-natural.html

      Márcio Santos.

      Excluir
    4. Acho q a questão central não são as regras ou a sua transgressão e por conseguinte as consequências e sim as reais intenções por trás de como essas regras são estabelecidas e implementadas. O transito deveria fluir, andar, naturalmente, mas é tudo feito para trava-lo.
      O caso apontado pelo Gerson em 03/06/13 20:55 demonstra bem as más intenções dessas regras.

      Excluir
  45. Eu acho um pouco radical, mas se tem limite de velocidade é para ser respeitado e pronto, só por que ninguém está te vendo você pode agir contra as leis, isso é a mesma coisa que vários tipos de inflatores, você se torna um também.

    ResponderExcluir
  46. E lembrei de uma coisa, nos estados unidos, país que o Brasil copia eles fazem algo deste gênero, só que o brasil quer sair na frente com radar, pois lá na gringa, são os policiais rodoviários fazem a medição na hora e te multa no ato, bem pior receber uma multa na hora, que por correspondência.

    ResponderExcluir
  47. Queria dizer também, que da mesma forma que seremos avaliados pelos malditos radares, os engravatados que fizeram a lei também serão avaliados, se ficar uma porcaria, eles mudam os procedimentos, acho super válido, na medida que também que fez as regras, também estão inclusos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh sim, estão inclusos sim...
      Como li em outro local, "Se vamos importar médicos de Cuba, importemos políticas da Suécia!".

      Excluir
    2. Márcio Santos,

      Quanto a políticos é outra história, mas que precisamos importar médicos é verdadeiro. Seja de Cuba, do Chile, do Marrocos ou de onde for.

      Quem reside nos grandes centros talvez não perceba, mas as pequenas cidades do nosso Brasil estão carentes desses profissionais.

      Excluir
  48. prezados, aki no bairro jabaquara quase nunca vejo marronzinhos ajudando o transito, nem mesmo qdo os farois quebram.... pq sera? ah....ja sei!!! nao faz parte do centro expandido!!! fala serio!! q vergonha"""" o negocio esta bem claro para a pmsp... vamos arrecadar.....

    ResponderExcluir
  49. O Bob está certo!
    É só cortina de fumaça para todos os lados. Que maravilha, além de camuflar os problemas ainda arrecadam em cima disso, não é mesmo?
    É o legítimo unir o inútil ao desagradável - para nós, é claro.

    ResponderExcluir
  50. É fácil de resolver. Passou pelo primeiro radar, dá uma paradinha para descansar e depois "senta a pua" que o segundo vai achar você o motorista mais calmo do mundo. Vai dar para tirar um racha legal. Pelo menos é o que a CET deve estar querendo.

    ResponderExcluir
  51. Mas que pouca vorgonha essa ladroagem! E parabens pela coragem com que expoe essa bandalheira.

    ResponderExcluir
  52. "Parabéns à iniciativa da autoridade de trânsito! Resolverá a 'esperteza' dos 'entusiastas' que aceleram acima do limite entre um e outro radar. Perfeito (...)". Seu comentário foi censurado, pela imundice nele contida, pela burrice às escâncaras demonstrada no seu texto. Você certamente faz parte da corja que nos explora, que estabelece limites de velocidade irreais para faturarem com multas e que nesse caso da medição de velocidade pela média quer agir na ilegalidade, pois esse meio de medir velocidade é proibido, imbecil. E você deve ser um perigo ao volante, pena que não possamos identificar seu carro – para ficarmos bem longe dele.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.