PEUGEOT 208 GRIFFE MANUAL

Fotos: Arnaldo Keller


Estranho, colocar uma foto de abertura de post a respeito de um modelo de carro, fugindo do padrão do AUTOentusiatas, não? Eu, que edito os textos, sou o primeiro a achar, obviamente. Mas a explicação vem em seguida.

Que fique claro: eu não começaria um post dessa maneira não tivesse o carro em questão, o Peugeot 208, sido avaliado no post do André Dantas quando do lançamento em 20 de março.

A partir da metade da década de 1930 os automóveis ganharam uma configuração interna que praticamente se mantém até hoje, notadamente o posto do motorista e a ergonomia, com poucas variações. Banco, volante, pedais, alavancas, instrumentos, tudo basicamente nos mesmos lugares.

Capa de um dos vários livros de Fabio Steinbruch

Esse desenho da capa de um dos livros do amigo Fabio Steinbruch, falecido em dezembro, mostra bem o "padrão", instrumentos visíveis através do volante e este ao redor de 400 mm de diâmetro. Em 2006, contudo, a Honda deu um passo à frente nessa questão com a terceira geração do Civic no Brasil, elevando os instrumentos básicos – velocímetro e medidores de combustível e temperatura do líquido de arrefecimento – para uma posição acima do volante, mas deixando o conta-giros para ser visto por dentro do aro. Paralelamente, a Honda reduziu o diâmetro do volante para 360 mm, 10 a 20 mm menos que a média.

Honda Civic 2006 (bestcars.com.br)

Mas haveria novo passo nesse sentido e só poderia ser num carro francês, de um país onde se realizam coisas "malucas" quando se trata de interior, ao banco do motorista. Quem não se lembra do volante monorraio do Citroën DS19, de 1955? Ou do pedal de freio desse carro, que era apenas um mero botão no assoalho?

Pois tinha de ser francesa a solução de ter os dois instrumentos circulares avistados por cima do volante, não havendo absolutamente nada o que ver em seu interior. Junto veio a redução dos diâmetros do volante para 350 mm na horizontal e 330 mm na vertical, neste caso resultado do achatamento na base.


Confesso que quando vi o 208 no Salão do Automóvel, em outubro, achei a idéia estranha, radical demais. Experimentei ajustes de banco e volante mas não achei a minha posição. Tudo bem, fiquei quieto e só diria alguma coisa depois de dirigir o carro – o que ocorreu nesses dias.

Primeiro, com a devida calma, acertei altura e distância (tudo à frente) do volante e altura do banco, apenas ligeiramente levantado. Pronto, volante no mesmo nível do queixo e enxergando perfeitamente os instrumentos. Mas o melhor estava por vir.

O volante de 350 mm na horizontal é simplesmente sensacional, a ponto de eu reputar ser o o maior destaque do carro, que fica parecendo um (magnífico) brinquedo, do tipo não dar mais vontade de sair dele. O mais notável é a assistência elétrica com indexação a velocidade cuidadosamente escolhida e, tão importante quanto, a relação de direção adotada (16,7:1), que levou a 3 voltas entre batentes, um pouco mais que normal hoje, entre 2,7 e 2,8 voltas. Fora a perfeita legibilidade dos instrumentos, com traços finos brancos em fundo preto, e o conta-giros na esquerda.

O carro em si

Depois desse longo mas fundamental preâmbulo, o carro ele mesmo. O André já havia comentado os diversos aspectos do 208, mas o que realmente agrada é a maneira como o carro anda, como é fácil dirigi-lo em todas as situações. Particularmente as definições da suspensão, casadas com os pneus 195/55R16H Michelin Energy Saver (baixo atrito de rolamento), mais o eixo traseiro com as buchas anguladas e barra estabilizadora integrada, deixam o carro pregado ao chão. Em especial nas curvas de alta, as mais críticas em qualquer carro. A confiança que se sente em abusar tem fundamento.
Do motor o André já falou e eu mesmo, no Peugeot 308 e no Citroën C3. É uma unidade de 1.587 cm³ integrada ao Brasil até na taxa de compressão de 12,5: 1, habilitando-o a funcionar bem com álcool, tanto pela potência de 122 cv a 5.800 rpm quanto pelos bons números de consumo, como viajando a 110 km/h entre subidas e descidas, com ar-condicionado ligado, e obter entre 12,8 e 13,2 com 1 litro de álcool. Na cidade obtêm-se sempre 8,8 a 9,3 km por litro. O coeficiente aerodinâmico 0,32 e a área frontal corrigida de 0,68 m² ajudam.
 
Motor 1,6-litro de 122 cv com álcool está na medida para o 208
 O comando de válvulas variável na admissão proporciona a esperada elasticidade que permite rodar calmo, entre 1.500 e 2.500 rpm, ou fazer o motor arder indo ao corte limpo de 6.500 rpm. Correto também o câmbio 4+E, com velocidade máxima (198 km/h) em quarta a 6.380 rpm e 120 km/h a 3.125 rpm em 5ª, além do escalonamento que "faz bem aos ouvidos". O comando de câmbio é preciso e leve, embora o curso de engate pudesse ser uma fração mais curto.

Como um todo, o 208 é muito agradável de andar, silencioso internamente e, no caso do Allure 1,5 e nos Griffe 1,6, o teto panorâmico de vidro um a mais sempre apreciado. A suspensão elevada "para maus caminhos" é discreta, 10 mm mais, as fotos mostram isso. Em relação ao original francês, apenas o defletor dianteiro está também cerca de 10 mm mais curto, por conta do que nem preciso falar para não dar azia. O espaço atrás, todavia, poderia ser um pouco maior, sendo a única crítica ao carro.

Sentado atrás de mim, pouco espaço para pernas (foto: Roberto Sharp)

O nível de equipamentos é elevado, até navegador GPS tem, e o 208 passa a sensação de valer o quanto custa, R$ 50.690, completo, não há opcionais. É difícil ser batido no seu segmento.

Veja no post do André Dantas a ficha técnica e a lista de equipamentos.

Para terminar, um pequeno vídeo feito pelo "cinegrafista" Arnaldo Keller.


BS

130 comentários :

  1. Bob bom dia, excelente post!
    Verifique a foto do motor, pois ali representa o bloco 1.4.

    ISM

    ResponderExcluir
  2. Bob, muito bom texto. Só tem um porém a 6ª foto mostra o motor 1,5 l, que tem comando de válvulas simples. A "tampa" do motor 1,6 l é diferente por causa do duplo comando de válvulas.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego,
      Já foi trocada, obrigado.

      Excluir
  3. Se a Peugeot caprichar no pós venda, tem a chance de embalar no nosso mercado com essa família 208. Pois o carro em si, é belo como um dia o 206 foi e tem essa deliciosa pegada do motor 1.6, sem falar na estabilidade, superior aos concorrentes tradicionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bosley de La Noya24/04/13 20:02

      " é belo como um dia o 206 foi..."

      Agora antigo e ultrapassado é sinônimo de feio também. O Jaguar E-Type 1961 que o diga né...

      Excluir
    2. Corsário Viajante24/04/13 20:46

      É engraçado como desenhos bem feitos melhoram com o tempo, enquanto remendões ficam feios.
      Para ficar no caso, o 206 continua um carro muito bonito e proporcional. Já o 207 ficou feio com o exagero de estilo.
      Outro bom exemplo é o golf, o desenho das gerações são sempre muito bonitos e continuam belos. Já o 4,5 nota-se claramente o desleixo e falta de cuidado.

      Excluir
    3. Olha, discordo qndo ao 207 ser feio, é mais bonito e é melhor que o 206, que não ficou feio não. Continua um belo carro.
      Pós venda, pois então, justamente em razão da minha experiência no pós-venda que, a pesar de ter visto o C3, HB20, New Fiesta, Fit, optei pelo 208, 1.6 grife!!!!
      Na real, depois dele seria o Fit, New Fiesta e C3 na minha opinião.
      E outra coisa, tem que ver o por que das reclamações, vi gente reclamando do pós venda após levar o carro para outro mecânico fuçar, daí tchau garantia!!!

      Excluir
    4. Na Hyundai deixaram muito tempo esperando por um HB20, quando saiu o 208 levei um Griffe AT Prata e não me arrependo! muito bom o carro... mas o tampão dentro do porta-malas deveria ser mais rigido ou ter um sistema de fixação melhor pois as vezes flexiona e faz barulho nas boas ruas de SP e Grande ABC....

      Excluir
  4. É, quero muito dirigir esse carro para sentir essa nova sensaçao do pequinissimo volante. Acho um carro interessante do ponto da inovação, o custo que parecia bom se esvaiu com o lançamento do NEW NEW (ahhhrrgg)Fiesta 1.6 com ESP por 45.900,00. Mas o tempo derruba o preço do 1.6 griffe para a casa dos 43mil
    Porque a Peugeot não colocou ESP nesse belo carrinho????

    ISM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ISM
      Poderia, mas creio que seria redundante e custo adicional desnecessário a julgar pela qualidades dinâmicas dele.

      Excluir
    2. Redundante? lamentável ler esse tipo de coisa, o carro pode ter a melhor dinâmica e estabilidade do mundo, nada muda a segurança que um ESP dá ao usuário em uma situação de emergência! Parece até matéria comprada ao ler uma coisa dessas, infelizmente.

      Excluir
    3. Ola Bob,
      Puxa.... há tempos eu leio o autoentusiastas.... afinal sou um.
      Tenho meus carros franceses na garagem, tenho até um antiguinho.
      Enfim, muitas vezes concordo com seus posts, outras vezes discordo mas tento entender seu ponto de vista, no entanto dessa vez não consigo.
      Desculpe, mas o ESP é uma ferramenta MUITO util a qualquer carro, independente se ele é "grudado" no chão ou não. E no meu ponto de vista deveria ter ESP sim. Especialmente porque a maioria do publico é motorista (e não piloto) e não sabe bem como reagir numa situação de emergencia e é exatamente nessa hora que o ESP em conjunto com outras tantas melhorias tecnologicas podem salvar vidas.
      Infelizmente o brasileiro em geral não liga para segurança. Prefere "rodas de liga de leve" do que airbag duplo. Prefere retrovisor e maçaneta cromada do que ESP. Enfim... há anos eu só compro carros com itens de segurança diferenciados... mas isso é algo pessoal.
      Acho de qualquer forma que formadores de opinião como vc e tantos outros da imprensa "especializada" tem papel fundamental na formação de massa critica em relação à importancia nos itens de segurança e nas formas de condução mais seguras.
      Fica um abraço de um entusiasta aficcionado por carros franceses.

      Excluir
    4. Anônimo 25/04/13 08:20
      Lamentável é você insinuar que minha opinião resultou de "compra". Vá aprender a dirigir antes de falar bobagem, como achar que o ESP vá resolver as besteiras que motoristas como você fazem. Tê-lo como leitor é totalmente dispensável.

      Excluir
    5. Como já escrevi neste blog, comprei meu atual carro baseado nos relatos do Bob e do Arnaldo.

      Meu carro tem ABS e ESP que acho totalmente dispensável. Sou fã incondicional do cinto de segurança, mesmo antes de se tornar obrigatório por lei e também sou favorável ao airbag.

      Não gosto de dois detalhes do meu novo carro, que são os ruídos internos precoces, poucos, mas que existem, e o volante, que na minha posição de dirigir não permite boa visualidade do velocímetro. Como raramente utilizo o conta-giros, eu o acho dispensável. Recentemente fiz um teste onde anotei as velocidades das trocas das marchas recomendadas pela fábrica e notei que fazia de acordo com as recomendações, sem necessitar desse instrumento. Eu consigo trocar as marchas corretamente apenas ouvindo o ronco do motor e no controle do pedal do acelerador.

      Quanto ao carro, estou muito feliz pela escolha, apesar desses dois detalhes que não são tão importantes assim.

      Ah! Meu carro é todo "equipadinho", mas sem as tais rodas de liga leve e se eu suspeitasse da idoneidade do blog, jamais teria me baseado nele para adquirir meu veículo.




      Excluir
    6. Tenho um 208 Griffe AT e não sinto falta nenhuma do ESP nele, mas faz falta no Gol 2013 1.6 que uso para trabalhar diariamente. Este aqui mesmo tendo airbag, abs, etc é bem notável a diferença entre os 2 carros, tanto visual quanto na direção.... fico feliz quando chega o fim de semana para largar o gol na garagem e usar o 208.

      Excluir
  5. Bob, uma questão.
    Pelo teto ser de vidro ele torna-se mais pesado que o de chapa, correto? Sendo assim como fica o centro de gravidade?

    ISM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ISM
      Não sei qual é a diferença de peso nesse caso, mas não deve ser nada a ponto de elevar o centro de gravidade.

      Excluir
    2. Bob, nunca dirigi um carro com tal aparato, mas vejo videos na internet sobre o funcionamento do sistema e me parece ser algo crucial para nos tirar de certas enrascadas. Pode até ser que alguns de nós se saia bem de uma escapada de traseira em um dia de chuva e um puco de óleo na pista. Mas e nossas senhoras que as vezes nós levam de volta para casa? (após aquela bela botelha de vinho com os amigos) Será que sairiam de tal enrascada? na duvida melhor ter os gnomos verdes...ou seriam duendes?

      ISM

      Excluir
  6. Esse carro ficou bem bonito. Resta saber se vai virar "escola de samba", como o modelo anterior. Mas ainda prefiro um Fiesta.

    PS. E o CRV do video, hein. Comprou a faixa da esquerda?


    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco
      É muito relativo, um carro virar "escola de samba". Tenho amigos com carros mais antigos, da marca inclusive, e nenhum apresenta isso. O CR-V? Mais um poderoso, gente de status, idiota completo.

      Excluir
  7. Quando eu sentei neste 208 no salão do automóvel fiquei entusiasmado. No entanto, apesar de todos os pontos positivos, talvez eu dê preferência para o Fiesta, por causa do pacote geral (controle de estabilidade e câmbio powershift). Agora, se trouxessem o GTi com 200 cv...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se trouxerem? Não seja por isso:

      http://classificados.folha.uol.com.br/veiculos/1262152-peugeot-208-gti-brasileiro-tera-165-cv.shtml

      Não vai ter 200cv como o europeu, mas com os 165cv do DS3 já fica divertido.

      Excluir
    2. É isso ai Chicao !
      Vc é o cara!
      Mata a cobra e mostra o pau !
      Jorjao

      Excluir
    3. Leia-se na minha pergunta: "se trouxessem o GTi com 200 cv e não com 165 cv". Pelo preço que foi anunciado, ficaria mais inclinado a comprar o Fusca TSi com 200 cv.

      Excluir
  8. "Em 2006, contudo, a Honda deu um passo à frente nessa questão com a terceira geração no Brasil..."
    Acredito que o Civic sumiu na frase.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Charles
      Sumiu mesmo, mas já reapareceu...Obrigado.

      Excluir
  9. Rafael Ribeiro24/04/13 12:45

    Bob,

    Sendo esse novo painel comum a todas as versões, imagino então que as regulagens de altura e profundidade do volante, assim como de altura do banco, sejam itens de série desde as versões básicas, correto?

    Creio que haja opção de câmbio automático. Com relação ao preço, quando você diz completo, quer dizer com câmbio manual, conforme testado, ou automático (caso haja esse opcional)?

    Por último, apesar de obviamente antiquado, como ainda é lindo o painel do Alfa Romeo 2150 mostrado na capa do livro do Fábio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,
      Sim, ajustes de volante e altura de banco em todos. O preço informado é do Griffe com câmbio manual. Automático, mais R$ 4 mil. Painel do Alfa Romeo, lindo mesmo.

      Excluir
  10. Além de fabricar carros, a Peugeot deveria ministrar cursos de desenho e ergonomia para as outras montadoras. Principalmente para os engenheiros do Etios.

    Mas infelizmente o carro tem preço elevado e quem quiser pagar menos, precisa se contentar com um motor muito inferior a esse. É uma pena.

    Não acredito nessas conversas de "conspiração mundial", mas às vezes penso que as principais montadoras tem um acordo, onde seus carros nunca poderão ser de total agrado aos consumidores, ou seja, o que um tem de exemplar, o outro tem de ruim e por aí vai...

    Ah! O velocímetro do Palio fica muito bem escondido atrás do volante, enquanto o conta-giros que é pouco utilizado, fica bem visível e com números bem legíveis, o que não é o caso do velocímetro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN 1410
      Acredita mesmo nessa "conspiração"? Não vejo sentido nisso. Quanto ao Etios, nada de errado com ergonomia. A que você ser refere, especificamente?

      Excluir
    2. Mas penso que :
      Depois de dar essa aula, a Peugeot deveria se sentar (humildemente) e ter uma aula com a Toyota de como se fazer um carro com
      Qualidade, Durabilidade, Confiabilidade, Manutencao reduzida.
      E principalmente como se faz um excelente pos-venda!
      Vc nao acha ?
      Jorjao

      Excluir
    3. Jorjão, eu não acho, tenho certeza absoluta.

      Excluir
    4. Até que a Peugeot não tá tão ruim no pós-venda: http://www.carrosnaweb.com.br/concessionarias.asp

      Excluir
    5. Se você fizer todas as revisões do seu Corolla nas autorizadas Toyota, vai ver que o custo de manutenção fica altis...

      Excluir
    6. Bob, em relação à ergonomia do Etios, as principais críticas vão para as saídas centrais empilhadas, que obrigam o motorista a esticar mais o braço pelo fato de ambas estarem afastadas dele (enquanto na maioria dos carros, com saídas de ar centrais uma ao lado da outra e ambas no mesmo nível, mesmo a do passageiro fica perto o suficiente do motorista para ser ajustada sem desencostar as costas do banco). O outro problema do Etios está no tal painel "Filizola", cujos mostradores são menores que os de um Xsara Picasso, C4 de primeira geração ou C4 Picasso (cujos mostradores são centrais, mas grandes o suficiente para que se tenha informação nítida mesmo pela visão periférica).
      Em relação ao alcance do rádio e dos controles de ventilação, não há problema nenhum com o Logan da Toyota.

      Excluir
    7. Bob Sharp,

      Claro que não, foi apenas uma brincadeira.

      Quanto ao Etios, o problema mesmo é o painel com os mostradores no centro que ficou intragável. Esperei dois anos para comprar um hatch 1,5 e só não o fiz devido ao painel com os mostradores centrais.

      Anônimo,

      Toyotas são bons carro, mas não é bem assim. Recentemente gastaram milhões de dólares devido aos seus erros.


      Excluir
    8. Lorenzo Frigerio24/04/13 18:52

      Esse "acordo" é implícito. Ele existe para que o público fique sempre esperando pelo próximo modelo, que talvez tenha todas as coisas que você queria, mas não uma nova coisa que acaba de ser inventada. Passa também pela obsolescência programada.

      Excluir
    9. Ah, devem ter um acordo sim. Assim como se vê também entre os celulares. Só fazer comparativo.

      Excluir
  11. Respostas
    1. Mesma dúvida: Fiesta, 208 ou C3?

      Excluir
    2. Speed boy
      Ainda não dirigi o novo novo Fiesta, mas esse arranjo de volante e painel do 208 realmente me cativou. Recomendo que experimente dirigi-lo.

      Excluir
    3. Ledoni
      É como respondi ao Speed boy, essa solução 208 é incrível. Talvez escolhesse o 208 por isso, mas preciso andar no novo Fiesta.

      Excluir
    4. Duvida Cruel, hoje vejo esses dois como as melhores opçôes do mercado,essa disposição de instrumentos e volantes do 208 é uma experiencia muito interessante e o carro é muito bom no conjunto, por outro lado o Desing do new Fiesta e aquele novo Sigma de 130 cv casado com o cambio de Dupla embreagem e 6 marchas deve ter ficado ótimo, devo dirigir os dois e depois me decidir, mas hoje ficaria com o new Fiesta.

      Excluir
  12. Bob, uma pena que o curso da alavanca continua um pouco longo para atingir os engates, é a única coisa que me incomoda nos Peugeot.
    Uma pergunta, na foto inicial os pedais de freio e acelerador parecem distantes, como você avalia o "punta tacco" no seu teste ? Fazê-lo é incômodo ou a posição ficou natural ?
    Belo carro, me chamou a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mikesp82
      O curso de engate poderia ser menor, mas como está não incomoda absolutamente. Seria apenas um acerto fino. Punta-tacco, perfeito. É uma das primeiras coisas que percebo ao dirigir um carro pela primeira vez.

      Excluir
  13. Sei não. Tem um ditado que diz: existem três maneiras de se fazerem as coisas: a certa, a errada e a Francesa! É confortável a posição do volante Bob? apesar de vc ser "baixinho" e até caber no banco de trás, como fica um sujeito de 1,90 e pernas proporcionais em um carro destes? O volante baixou? Abs. MAC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAC
      A posição do volante é muito confortável. Minha mulher de 1,63 m dirigiu-o e acho perfeito. Os mais altos não terão problema, pelo contrário.

      Excluir
  14. Rafael Nakazato24/04/13 13:33

    Uma curiosidade: e para quem é baixinho, como fica essa configuração de painel/volante? Será que os ajustes nos atendem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael
      Certamente os campos de ajuste atendem aos baixinhos.

      Excluir
  15. Bob, acho que o aspecto que mais vai chamar a atenção de quem gosta mesmo de carros é exatamente a relação entre volante e painel.

    Eu achei simplesmente genial esse arranjo, tamanho e formato do volante; parece que nos passa toda a intuição de ser um carro muito gostoso de tocar...a tal ponto, que o visual externo do carro não me sensibilizou a metade em relação as primeiras fotos do posto de motorista, a despeito de ser um carro até bem bonito no segmento.

    Tranquilamente é o mais entusiasta dos carros pequenos - seriados e "normais/não esportivos" - em relação ao cockpit! Estou muito curioso para poder dirigir um desses.

    A foto de abertura do post, enfim, captou todos os estímulos sensoriais dos amantes da direção...uma imagem do carro em sua totalidade, certamente não chamaria tanta a atenção!

    Interessante as imagens na rotatória (ótimo local para avaliar a dinâmica dos carros, sem correr grandes riscos); tirando o pé na metade, ou tentando dar excesso de comando na direção...creio que ele não entre em deriva de traseira como o (divertido pero no mucho) Peugeot 206 certo?

    MFF

    ResponderExcluir
  16. Bob, AK,

    Neste o ronco do motor parece bom de ouvir, confere? O 206 já convidava a reduzir uma marcha vez ou outra só para ouvir o som do motor, me parece que era mais um ronco de aspiração que de escapamento (já faz tempo), era bom de se ouvir.
    Uma pena foi ter perdido o freio a disco nas quatro e torcemos para que volte logo a versão três portas .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HM.
      Acho o ruído do motor do 206 1.4 incrivelmente semelhante ao do Del Rey com motor CHT.

      Excluir
    2. Anônimo,

      206 1.4 eu não cheguei a dirigir, mas andei no C3 1.4, e vou ser honesto, nem me recordo do som, aliás o C3 é silencioso pacas. No meu comentário anterior me referia ao 206 1.6 16V.

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio24/04/13 18:54

      Anônimo das 15:26, você tem razão.

      Excluir
  17. Lorenzo Frigerio24/04/13 14:44

    Câmbio "4+E" em termos franceses/italianos, bem entendido. Acho que até um Monza 1.8, com bem menos potência e aerodinâmica, tem a 5a. marcha mais longa. Quanto às outras características do carro, prova que engenharia barata, se bem pensada, não precisa ser ruim. Trata-se, naturalmente, de uma mecânica evolucionária. Entretanto, o carro está sendo vendido com o preço de "alta tecnologia".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que o Bob falou, o torque máximo é para acima de 16 kgmf a pouco mais de 4.000 rpm e a curva é bem plana. Logo, na rotação a 120 km/h (3.125 rpm), isso significa que o motor ainda está na parte boa da curva de torque, em que uma simples acelerada a mais compensa o desafio de um aclive e de boa parte das ultrapassagens.
      Talvez a última marcha não tão longa seja um truque parecido ao que vejo em alguns carros japoneses: aproveitar a característica plana da curva de torque para evitar o máximo possível as reduções de marcha (e subsequentemente evitando uma queda de rotação, retomada e tempo em que o veículo fica na marcha mais baixa e gastando mais gasolina), o que na prática significaria uma redução de consumo em relação a se poder ficar em marcha mais longa apenas em planos perfeitamente planos e declives não tão acentuados (aqui pensando em uma falta escandalosa de freio-motor, ainda que aqui haja o benefício do cut-off e seja situação em que é até melhor ficar em marcha mais baixa) e ter de reduzir para uma marcha normal que gerará beberronice especialmente em subidas.

      Não me surpreenderei se falarem que o 208 1.6 sobe sossegadamente a Imigrantes o tempo todo em última marcha e sem que 120 km/h nele sejam uma tortura como costumam ser em outros carros nacionais com última marcha muito curta e giros lá pela casa de 4 mil rpm. Ao menos no vídeo do Bob, quando ele não esmerilhava, ficava a impressão de um grande silêncio no interior.

      Excluir
  18. Oliveirajc24/04/13 15:09

    Bob, depois vc compara os números de 0 a 100 km/h do New Fiesta 1,6 com esse 208. Os da Ford parecem tímidos demais.

    208: 10,2 (G) e 9,7 (A)

    Fiesta: 12,3 e 12,1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. segundo a publicação AutoEsporte o new fiesta fez 0-100 me 10,1s e maxima de 190km/h limitada. vamos esperar mais testes.

      Excluir
  19. Bob. Do 208 nem vou falar. Aliás, nem tem muito o que dizer, parece um produto "novo" perto do que a marca tinha até então.
    Mas vendo essa capa do livro do saudoso Fábio, me ocorreu uma ideia completamente off-topic: publica um post sobre o JK para nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiado. Pode até ir além, abordando também seu sucessor, o 2300, e indo até o último dos moicanos, o espetacular 2300 Ti-4, para mim um dos três melhores carros já feitos no Brasil, em todos os tempos.

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio24/04/13 18:58

      Tão bacana que já viraram todos sucata. Mas o painel era realmente espetacular, com aquela iluminação difusa turquesa, e completão.

      Excluir
    3. Senti (ou estarei enganado?) sarcasmo neste comentário. E não vejo razão para tal.

      Excluir
    4. Lorenzo
      Infelizmente a maioria virou sucata
      Mas tem muitos exemplares de JK e 2300 nas mãos de colecionadores e autoentusiastas
      Sao carros para pessoas com cultura em altomovel e com um viés esportivo
      Sao legítimos sangue azul!
      Uma pena mas a grande massa com sua cultura rasa pensa que apenas as velhas barcas de origem norte americanas merecem ser cultuadas. Principalmente se tiverem faixinhas esportivas e letrinhas como R/T
      Sem mais no momento

      Excluir
    5. Corsário Viajante24/04/13 20:50

      Este fds em Campos do Jordão teve encontro do clube da alfa ou coisa parecida num hotel. Realmente, ver alguns alfas juntos é uma alegria, mesmo para quem, como eu, ficou babando mais nos dois 911 que apareceram...

      Excluir
    6. Mr. Car.
      "Melhor" até não digo, a manutenção dos JK e 2300 sempre foi um handicap em relação a veículos com mecânicas (bem) menos refinadas, como a do Opala, do Maverick, ou de qualquer outro da mesma época. Até a própria dificuldade de se encontrar pneus originais com aro na medida 400 mm certamente contribuiu para que muitos tivessem sua originalidade deturpada ou deixassem de vez as ruas.
      Mas com certeza ele, o JK, é um dos mais raros remanescentes da indústria nacional. Aliás, faz muito tempo que não vejo um nas ruas.
      PS.: eu gosto do blog AE porque aqui o post começa falando do Peugeot 208 e termina falando num JK. Tudo a ver. Tem diversidade para todos os gostos.

      Excluir
    7. Se trouxermos para os dias de hoje, os carrinhos com faixas R/T teriam como público alvo os tuneiros e aqueles que adoram um funk.

      Excluir
    8. Hmmmm que adora funk? Seria um classe A então?

      Excluir
  20. Sou suspeito para falar, pois amo demais a linha Peugeot. São carros simpáticos, charmosos e muito meigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Muito meigos" foi ótimo, he, he, he!

      Excluir
    2. Não foi ótimo, foi a verdade. Carros franceses são para pessoas sensíveis mesmo. É um desenho diferente dos demais, fluido e que desperta paixão. Não à toa que são carros femininos, visto que as mulheres são menos racionais e mais passionais.

      Excluir
  21. Vindo agora de uma agência Peugeot onde tenho um amigo:

    Ainda não há carros para test-drive, por isso, nos limitamos apenas a ligar o carro, sentir o motor e - principalmente - o manejo do volante de direção que é visualmente e tátilmente maravilhoso.

    Exagerando um pouco, parece um protótipo de Le Mans, pois o volante é bem menor e mais ovalado do que qualquer foto pode nos mostrar.

    A caixa em avaliação estática (apenas testando o comando sem colocar o carro em movimento), é realmente um pouco larga nos engates, demandando mais movimento do que o desejável, já que o pomo da alavanca é uma obra de arte para colocar a mão.

    O carrinho promete uma condução bem interessante, a conferir até o ínicio do mês que vêm.

    MFF

    ResponderExcluir
  22. Pena é o automático ser de 4 marchas, pelo menos isso vai mudar no 308 e 408...

    ResponderExcluir
  23. No início de 2014 comprarei o segundo carro da minha vida (o primeiro 0km).
    O teto é de R$ 40.000,00.
    Tinha muitas dúvidas. Mas agora, com o lançamento do 208 e do Fiesta, as coisas ficaram mais fáceis.
    Espero que em 2014 os preços estejam menores (ou hajam descontos).
    Belo post.
    Abç,
    Patrick

    p.s.: parabéns por sempre dar retorno às questões dos leitores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante24/04/13 20:51

      SUgestão: se possível, espere o segundo semestre de 2014, pois os efeitos da obrigatoriedade de ABS e AB2 serão melhor sentidos até lá. Minha opinião!

      Excluir
    2. Não entre na conversa de esperar. Em 2015, vai ter novidade. Em 2016, também. Para 2018, parece que vai ter outra e vc vai ficando com o seu atual carro velho.

      Excluir
    3. Corsário Viajante25/04/13 13:08

      O que não deixa de ser um pró, não é mesmo? rs

      Excluir
    4. Valeu Corsário.
      Repeito muito os seus comentários, aqui e em outros blogs.
      Agradeço tbm ao anônimo.
      Vou esperar até ter uma boa noção de ambos ("recalls", problemas crônicos, tests drives, etc.)
      Patrick

      Excluir
  24. Bob Sharp, boa noite.

    O carro é muito bacana, mas eu queria mesmo que você me ensinasse a fazer aquela rotatória...naquela velocidade.

    Abraço,

    Robinson Garcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se me permite, creio que um dos segredos é tratar o volante com carinho. Aliás, o velho Alain Prost - e outros ases das pistas - dizia que quanto menos virá-lo, melhor.

      Excluir
  25. Lorenzo Frigerio24/04/13 19:04

    Estou plenamente convencido que só existe um fabricante no mundo capaz de fazer um trambulador PERFEITO: perfeito nos engates, perfeito no curso. E não é preciso ir longe na escala monetária para ter esse prazer: qualquer Gol pé-de-boi tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, até os Gols "quadrados" tinham essa qualidade.

      Isso quando as tais borrachinhas do trambulador não se desgastavam com o tempo, deixando os engates ruins, ou até mesmo ficando preso em uma só marcha. Mas também a troca era simples e barata.

      Excluir
    2. Bosley de La Noya24/04/13 20:14

      Ai, ai, ai, tô até me retorcendo de dor aqui na cadeira...

      Excluir
    3. Se ta com dor na cadeira de uma levantada uma caminhada pela sala
      Aproveita e toma um sorvete mas só tome cuidado para nao enfia-lo na testa
      Boa noite!

      Excluir
    4. Bosley de La Noya,

      Você é o Odilon?

      Excluir
    5. Não corre, só caminha.

      Excluir
  26. Gostei do consumo do veículo. Ficar na casa de 13 km/l na estrada com álcool e com a penalidade que é o sistema bicombustível é mostra de boa competência. Só fico aqui pensando quantos km/l a mais se consegue com esse carro caso se use gasolina. Não me surpreenderei se disserem que ele chegue a uns 15 ou mesmo 16 km/l nessa situação.
    E como pensar não custa e aqui levando em conta que ele consegue bom consumo com um combustível de menor poder calorífico mas maior octanagem, seria interessante ver como ele se portaria com as 95 octanas IAD da Podium. De repente conseguiria marcas melhores que esses 15 ou mesmo 16 km/l que acho razoáveis de se imaginar com a gasolina comum de 87 octanas IAD que conhecemos bem, com o benefício de se aproveitar uma octanagem ligeiramente superior.

    ResponderExcluir
  27. Eu queria um carro onde o painel fosse uma chapa preta e fosca e tivesse os instrumentos bem posicionados para o motorista. Os interruptores também poderiam ficar agrupados em um único local central do painel. Para completar, assento baixo e alavanca de câmbio alta, próxima do volante.
    Asterix

    ResponderExcluir
  28. Muito bonito o 208. Só é apertado, como o antecessor, e muito, muito caro. Não compraria.

    ResponderExcluir
  29. Saudações.

    Estou com a mesma dúvida de alguns colegas autoentusiastas: 208 ou Novo Fiesta 2013.
    Entretanto, ao contrário do comentado por outros, achei muito boa a idéia do painel assim que dela soube. Posteriormente, no salão do automóvel, minha primeira impressão ao vivo sobre o painel também foi ótima. Ocorre que, quando fui fazer o test drive, não me senti confortável na posição de dirigir. Explico: apesar do volante ter regulagens de altura e profundidade em todas as versões do carro, tive que deitar o encosto do banco bem mais do que gosto, pois a regulagem da profundidade do volante não foi suficiente para a posição de dirigir com as costas mais retas. Antes que falem... não, não tenho o corpo de um chimpamzé, com braços mais longos que a média. Tenho 1,81m de altura e atualmente sou proprietário de um Punto, no qual me ajeito perfeitamente. Pretendo dar mais uma chance ao 208 após conhecer o Novo Fiesta 2013 para depois decidir. Alguém mais teve a mesma sensação que eu?
    P.S. é a primeira vez que escrevo; o site é bom demais!
    Thyago.

    ResponderExcluir
  30. Bob, no vídeo você fez uma reduzida de 3ª para 2ª a 80 km/h. O que aconteceria se alguém, inadvertidamente, fizesse o mesmo num carro de marchas mais curtas, colocando o motor pra girar acima do ponto de corte? Eu sempre tive essa dúvida e procurei alguns vídeos mostrando algum caso semelhante mas nunca achei nada sobre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Torres, se me permites uma sugestão, leia esse texto do MAO http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2012/05/amargos-limites-e-uma-chevy-500-sem.html que fala um pouco a esse respeito. Ele talvez não responda integralmente a sua dúvida, mas talvez ajude.

      Excluir
    2. Opa, obrigado pelo link, vou dar uma lida!

      Excluir
  31. Não gosto deste tipo de painel,mas acho que parte é culpa do air bag que obriga o centro do volante ser de um tamanho incomodo,ou seja é uma alternativa ,mas no geral o carro me agradou .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Speedster,
      Se puder, experimente um, você vai se surpreender como eu me surpreendi. Por falar em direção, a Peugeot acabou de me informar a relação de direção, que já acrescentei ao texto: 16,7:1, pouca coisa mais lenta que a média, como eu disse, para compensar o volante de menor diâmetro. Realmente na medida certa.

      Excluir
    2. Bob Sharp25/04/13 12:07 Verdade Bob ,um carro bom de dirigibilidade, faz tornar qualquer critica uma coisa irrelevante .

      Excluir
  32. torres.
    Reduzir sem observar o limite de velocidade na marcha pode acarretar danos sérios ao motor. Por exemplo, o Celta VHC ou VHC-E tem marchas muito curtas. A terceria dele é de 14.2 km/h por 1.000 rpm. É tão curta que no corte a 6.600 rpm o carro está a apenas 94 km/h. Se for feita redução de 4ª para 3ª a apenas 105 km/h, o motor vai para 7.400 rpm. A essa rotação fatalmente haverá flutuação de válvulas, que colidirão com os pistões – os pistões "atropelarão as válvulas que ficam no seu caminho", no jargão automobilístico. Na subida de rotação ao esticar marcha não há esse perigo devido ao ponto de corte, como você sabe. Como eu já disse aqui no AE, os câmbios robotizados não aceitam redução se dela resultar excesso de rotação, que reputo uma característica notável e que é presente também nos câmbios automáticos convencionais desde que existem.
    Mas essa proteção às vezes pode atrapalhar em vez de ajudar, e conto por quê, compartilhando com os demais leitores. Mil Milhas de 1973, em dupla com Jan Balder, Opala Divisão 3. Faltando umas duas horas para terminar éramos 3º e os freio estava crítico devido ao desgaste das lonas traseiras, exigindo bombear o pedal antes das curvas para encostá-las. Numa dessas bombeadas o pedal foi ao fim de curso e não voltou, e eu me aproximava da Curva do Sargento (circuito antigo) em quarta e útlma marcha. Essa curva era, de todas, a que impunha maior redução de velocidade em relação à que se vinha..A terceira havia quebrado horas antes, de modo que minha única chance era engatar a segunda para desacelerar o Opala. Eu sabia que o motor teria excesso de rotação e eventualmente quebraria, mas não havia alternativa, ou bateria forte na curva. Engatei a segunda, o motor foi não sei para quanto, mas consegui fazer a curva. Por pura sorte o motor não quebrou e terminamos em 4º. Esse exemplo mostra que a proteção contra excesso de rotação nas reduções pode atrapalhar em determinadas situações.
    Mas ela certamente é um dos fatores da durabilidade observada dos motores de competição, como os de F-1, cujos câmbios robotizados também não aceitam redução se ela levar a excesso de rotação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Sharp25/04/13 09:14 "Por pura sorte o motor não quebrou e terminamos em 4º" Não quebrou porque era um Opala hehe .

      Excluir
    2. Ah, o circuito antigo.... As maravilhosas curvas 1, 2 e especialmente a 3.... Adoraria ter experimentado o velho traçado. Já houve alguma prova no sentido horário, quer dizer, inverso?

      Excluir
    3. Bob, vou te contar um "causo" que parece mentira, mas juro que não é. Eu e um colega, pouco experiente, estávamos em uma volta rápida no autódromo, justamente num Celta VHC-E. Então, com a adrenalina a milhão, o cabra vinha esticando a quarta, quase no corte, (uns 120,130) quando ao colocar a quinta, entrou a TERCEIRA! E ele soltou toda a embreagem... lembro da forte desaceleração enquanto eu falava "embreagem! embreagem!" O ponteiro saiu da escala do contagiro e o motor berrou alucinadamente. E o mais incrível: não quebrou! Acredito que tenha passeado na casa dos 8000 rpm.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    4. Lucas, cometi a mesma insanidade saindo de Brasília, Celta alugado, 4a alta e, tentei a quinta e... a terceira entrou! Nunca mais me esqueço do grito do motor! e ainda continuamos em viagem ao Vale da Lua (putsa lugar incrível). Ao devolver o carro, deixei em marcha lenta, fingi que deixei cair uma chave e ouvi agachado o motor: nada anormal... Abraços.

      Excluir
    5. Bob, muito obrigado pelos esclarecimentos!

      Excluir
    6. Ei, Cláudio, veja só:

      1) também moro em Brasília
      2) incrível é pouco para o Vale da Lua e toda a Chapada dos Veadeiros
      30 o Celta também era alugado!!!

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  33. Bob, houve algum contato com o modelo 1.5?
    Estou interessado neste carro e gostaria de saber se o 1.5 anda a contento ou fica devendo (especialmente estrada)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ledoni,
      Ainda não. Como dito no texto anterior, do André Dantas, por uma falha da organização ele e o Calmon não puderam voltar de Armação dos Búzios para o Rio de Janeiro com o Allure. Mas depois de terminar com a "revisita" ao Golf, que vou pegar hoje, vou andar com o Allure, já combinei com a Peugeot. Creio que em mais duas semanas, no máximo, sai o post do 1,5.

      Excluir
    2. Golf VII?

      Excluir
    3. Anônimo 26/04/13 17:31
      Nada, o nosso IV½ mesmo.

      Excluir
  34. Bob, alguns cometários/respostas suas seriam dignas de curtidas/likes, in verbis:

    "Lamentável é você insinuar que minha opinião resultou de "compra". Vá aprender a dirigir antes de falar bobagem, como achar que o ESP vá resolver as besteiras que motoristas como você fazem. Tê-lo como leitor é totalmente dispensável."

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  35. Bob, mais uma para ficar com raiva, desta vez transcendendo a CET e indo para a Secretaria do Verde e Meio Ambiente deste município: : o secretário Ricardo Teixeira, do PV, quer que o rodízio passe a ser das 6 às 18, em vez do horário de 7 às 10 e das 17 às 20 que conhecemos, bem como abranja toda a área do município. Ricardo Teixeira, obviamente, era engenheiro da... CET! Tudo bem que nesse ponto já há opositores à ideia, como Mário Covas Neto.
    Só fico pensando com que cara está o pessoal que votou em Haddad, mesmo com a queimação de filme do apoio de Maluf, tudo isso para suceder Kassab.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo25/04/13 14:06 Pois é leve uma multa e ainda ajude na doação de móveis para a CET.

      Excluir
  36. Bob,
    Você sabe dizer se o estepe do 208 é temporário? Li que a Ford deixou de usar o temporário para utilizar um estepe 100% funcional no Fiesta, o que acho mais sensato aqui no Brasil, por termos estradas muito precárias e ermas. Eu, particularmente, ficaria muito irritado por ter que reduzir o ritmo de viagem até achar (se achar) uma borracharia... Ao olhar a foto de capa, fiquei na dúvida se os instrumentos de nível de temperatura e combustível são barras digitais.

    Depois das suas percepções acerca do 208 1,6L, aguardo ansiosamente suas impressões sobre o novo Fiesta também em versão 1,6L. A proximidade do lançamento pode atrasar isso pela procura, mas fica aqui o meu apelo para um "no uso".

    Sobre a polêmica do ESP, penso que os responsáveis pelos acidentes catastróficos não costumam sequer dar chance para o ESP trabalhar, pois vale lembrar que controle de estabilidade só atua enquanto houver aderência dos pneus ao solo... Talvez sirva para aspirante a piloto passar a se achar piloto e exagerar cada vez mais. No mais, acaba sendo um diferencial na hora de colocar na balança custo x benefício ao confrontar concorrentes.

    Às vezes é melhor um susto com uma boa arrastada de pneus para colocar as pessoas em seu lugar, como já vi algumas vezes...

    Legal ter os vídeos em todas as avaliações feitas.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avatar
      Estepe é operacional, roda de aço, dentro do porta-malas./ Instrumentos, barra digitais. /Quero andara neste novo Fiesta também. O AE foi convidado para o lançamento, mas eu tive um impedimento de última hora e o André é quem ia, mas a Ford não conseguiu lugar em vôo nenhum. Já pedi um para teste. / O ESP só age na grossura, assim mesmo não é a mãozinha salvadora que muitos imaginam. Só ajuda.

      Excluir
  37. Bob, parabens pelo blog, texto e avaliação.

    Concordo com tudo que voce disse. Principalmente com relação ao ESP, que poderia ser uma cereja do bolo, mas que a falta deste item nao compromete em nada a estabilidade ou a confiabilidade do carro, tendo em vista que o projeto ficou muito bom.

    Estou com meu Griffe desde o dia 15/04, e estou realmente encantado com o carro, e o prazer de conduzir que ele transmite.

    Talvez eu esteja "defendendo os meus", já que comprei um, mas sinto que é uma das melhores compras (se nao a melhor) em relaçao custo x beneficio para carros compactos e hatch.

    Isto sem contar o design, que é subjetivo, mas que a Pug tambem caprichou!!!

    Nao é aquele mais do mesmo que se tinha no mercado até então....É um carro moderno mesmo.





    ResponderExcluir
  38. Marco R. A.25/04/13 17:59

    Olá Bob. É claro que nenhuma tecnologia vai consertar o que um barbeiro faz. Mas o ESP realmente não faz tanta diferença assim? Eu nunca precisei do ESP, mas, como na minha lista de candidados está o Novo Fiesta 1.5 (Sem ESP) e o 1.6 (Com ESP), gostaria de saber qual é o "nível de imprescindibilidade" dele.

    Att.

    Marco

    ResponderExcluir
  39. Bob, qual te agradou mais, o C3 ou o 208?

    abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael/RJ
      O 208, pela ergonomia, pois andam e se comportam iguais.

      Excluir
  40. Bob,
    Vi com muito bons olhos a chegada desses dois novos franceses, para mim, a PSA acertou em cheio o seu caminho como todos deveriam fazer, no produto, a resposta do mercado positiva não costuma falhar, evidente há fatores a consertar na rede, peças, etc. Mas na Europa se tornou líder de vendas na categoria quase de imediato, assim como foi com o 206 nos seus áureos tempos.
    A surpresa positiva aumentou com essa ideia de mexer no volante e painel, inovar, mais ainda o ver o 4+E de volta, nada mais lógico, aumentam a força e pegada do motor, sua potência, não faria o menor sentido deixarem a caixa 'curta' como seus contendores, que se façam ser seguidos.
    Esse 208 acaba de ganhar mais um fã.
    abraço,
    MAS

    ResponderExcluir
  41. Caramba, "bombou" o post... Até fiquei sem graça de comentar mais rs

    Então, falam muito de aquecer dentro essa versão griffe e realmente, dó não ter disco atrás. Então pusessem tambor nas quatro. Pelo menos não suja as rodas rsrs As de trás sempre limpas.

    Também não gostei que viessem com 16". Nem pelo preço dos pneus, que até já encontrei mais em conta que os de 15", mas come o torque... Gostava muito de esticar com 15". Prefiro até rodar com pneus "murchos" a cheios com aro grande. Pra cidade, toda a diferença quando se dirige como não deve rsrs

    Uma amiga comprou um C3 já desova de CSS, todo lindo, lindo mesmo E... roda de 15 em carro 1.4... Perfil baixo, até... Mas reclama de que NÂO ANDA. Assim o meu com pneus cheios, mesmo sendo 1.6 com 15kgmf. NÃO ROLA!

    ResponderExcluir
  42. Bob,

    Meus parabéns. Ótimo post, com excelentes comentários.

    Sei que a pergunta que farei é muito pessoal: você testou o new fiesta?

    Qual você mais gostou?

    ResponderExcluir
  43. Andei em um 208 Griffe 1.6 Auto 4M, fantástico o carro, pra mim na cidade, andando como ando não preciso mais do que as 4 marchas, o carro responde bem pois é leve o que dá agilidade, mesmo com este câmbio. Os produtos da PSA são acima da média dos concorrentes em qualidade e custo x benefício, estou com a PSA faz 13 anos, entre Citroëns e Peugeots sem reclamar, cuido bem dos meus carros e só me deram alegrias. Um compacto com tudo que esse tem, da maneira que tem, completo e ainda automático pra mim é um deleite no trânsito complicado de São Paulo por exemplo. Porta malas muito bom pro seguimento, muito aproveitável, pois não adianta ter litragem com formatos irreguláres ináproveitáveis. Carro esmerado, forrações, materiais, painel não é soft touch, mas tem excelente acabamento. Quero cada vez mais que a PSA se de bem em nosso mercado, pois são produtos assim que devem prevalecer e puxar a média de qualidade, segurança, habitalidade para cima.

    Reforço que o único ponto negativo que ví não é nem para o espaço das pernas no banco traseiro, que está muito bom em um compacto, pois a Peugeot não coloca bancos fininhos e pouco seguros só pra aumentar o espaço, o que não me agradou muito foi o espaço para cabeça no banco traseiro devido ao rebaixamento do teto naquela seção por causa do teto panorâmico, ou seja, para quem vai carregar gente alta no banco de traz compre a versão de entrada, que tem ali uns 2 cm a mais por conta de não ter este teto!

    Punto nem considero, mas entre C3 / 208 e New Fiesta ficaria com os dois primeiros, mesmo porque o carro da Ford caiu considerávelmente em acabamento e qualidade, New Fiesta, só compraria um importado, é outro carro.

    O câmbio da Ford mesmo sendo dual clutch não é uma obra de arte, é de baixo custo e deixa a desejar em alguns aspectos frente a esta tecnologia.

    Tenho um S40 T4 e só precisei de ESP 2 vezes na vida, e as duas eu provoquei para ver o limite do carro, é bom, é bom, mas ele não te salve se você for imprudente, a imprudência não é salva nem com ABS, ESP, AFU, REF (EBD), TC... o que salva é bom senso e respeito a vida dos outros.

    Enfim, ficaria em ordem com 208, C3, New Fiesta.

    ResponderExcluir
  44. boa noite, é primeira vez que tenho acesso ao site,e achei excelente a matéria e a avaliação. Vou comprar meu primeiro carro, assim pesquisei todos os compactos que concorrem diretamente com o 208. Ele realmente oferece mais itens de série porém é caro. Uma coisa que gostaria de saber BOB é sobre a mecânica da peugeot é confiável? esta muito longe quando comparamos com um nissan ou hyundai? abss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mecânica PSA é extremamente confiável, não se esqueça que hoje a Renault é dona da Nissan, e a Hiunday teve a muito tempo atrás tecnologia trasferida pela PSA, assim como a Alston fez com o governo coreano para que estes conseguissem construir o trem de alta velocidade do país. Aqui no Brasil existe um estigma de que carro oriental não quebra ou é superior, isso é paradígma, não existe, são carros honestos, caros, que não trazem status nenhum (status é lixo pra mim) e sóbrios demais pelo que se paga.

      Os franceses tem pioneirismo mecânico, drive by wire, tração dianteira, cardã, faróis direcionais, motor multiválvulas, suspensão ativa, dentre outros, colaboraram muito para a estória do automóvel e do automobilismo como conhecemos hoje. Na segunda guerra os veículos franceses eram totalmente superiores aos alemães, mas perderam em quantidade, pois que alimentava a ânsia do Hitler e sua máquina de guerra eram o Stalin, Mussolini e o primeiro ministro do Japão, fornecendo matéria prima para produção de armamentos, veículos e aviões.

      Enfim, resumindo, brasileiro no geral conhece muito pouco de carro, automobilismo, vive de achismo, principalmente aqueles que em sua arrogância limitam-se a viver em um mundo de mentiras, hipóteses e falsos depoimentos com intuito de denegrir o que não conhecem, se negando a conhecer da verdadeira estória e falando de algo sem autoridade alguma.

      A engenharia mecânica francesa é pioneira e para estória do automobilismo e dos carros tanto como a alemã, por exemplo.

      Fique tranquilo, se este é a desconfiança, pode comprar o carro e ser feliz, são carros confiáveis, seguros, estáveis e que dão prazer para quem gosta de dirigir de verdade acima da média.

      Forte abraço.

      Excluir
  45. Primeiramente..não sou leitor assiduo mas agora vou frequentar masi o blog pois é muito interessante paa pessoas que entendem um pouco mais sobre caros.

    Estou esperando uma avaliação do New fiesta 1.6 manual para coparação.

    Abraços

    Anderson.

    ResponderExcluir
  46. Anderson
    Estamos aguardando um, porém PowerShift, que é a novidade. Mas quanto ao uso e características não há diferença.

    ResponderExcluir
  47. olá Bob,estou na dúvida quanto ao consumo obtido no etanol,no 1.6 esta bem melhor que nos teste da quatro rodas.este consumo aí anunciado e no etanol mesmo.

    ResponderExcluir
  48. Anônimo 28/05/13 09:38
    Consumo varia de motorista para motorista, de carro para carro, condições de tráfego e vários outros fatores.

    ResponderExcluir
  49. Como proprietário de um 208, posso dizer que o carro é QUASE perfeito...É silencioso, confortável, potente e econômico (11 Km/l com gasolina na cidade e 13 na estrada com ar ligado). O visual chama muito a atenção, o teto panorâmico traz uma sensação inigualável, a direção elétrica é muito leve quando se manobra e firme em alta velocidade. Os faróis em LED são lindíssimos e a posição de dirigir é muito agradável. De fato as marchas são meio longas (é necessário esticar o braço para alcançar os encaixes e isso pode incomodar alguns motoristas). A central multimídia é de outro mundo, com aquela tela linda de 7 polegadas e touch screen que faz voce se sentir pilotando uma nave, mas os comandos no volante poderiam ser mais práticos (aquelas bolinhas não são muito precisas, preferiria que fossem botões). Discordo da qualificação da revista Quatro Rodas, em que o 208 perde para o New Fiesta. A versão comparada na revista é a automática, mas a maioria dos veículos vendidos são de transmissão manual, logo não vejo motivo para a versão menos vendida ser a eleita para o comparativo. Acho o Fiesta lindíssimo, mas não tem teto panorâmico (nem solar!!!), não tem GPS integrado, aquele computador de bordo parece MS-DOS perto da central multimídia do Peugeot e o projeto do Fiesta é de 2008 (new só no nome, pois é mais que ultrapassado perto do atualíssimo projeto de 2012 do 208), mas claro que isso tudo é questão de opinião e tenho certeza que o Old-Fiesta é um ótimo carro (pra quem não quer ver as estrelas enquanto passeia, nem se importa em operar uma calculadora pra fazer uma ligação telefonica pelo painel do carro).

    ResponderExcluir
  50. Sinceramente o carro é apaixoonante, mas quão chateado fiquei ao descobrir que os modelos fabricados aqui e exportados para a Argentina possuem 06 Airbags..... Posto que somos inferiores, obrigado por me esfregar na cara PSA.

    ISM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb percebi isso meu amigo ao visitar o site deles. Não consigo compreender este fato. Os Argentinos ainda possuem uma versão Allure 1.6, e a 1.5 deles já vêm com vidros elétricos traseiros, a nossa não! A 1.6 deles tem até sensor de estacionamento dianteiro; um absurdo aqui no Brasil o 208 não vir com essa mesma configuração.

      Se alguém souber os motivos, por favor postem!!!

      Excluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.