LUZES DE NEBLINA, USE CORRETAMENTE

Símbolos ISO 7000 para as luzes de neblina: dianteira à esquerda, traseira à direita

Todos nós já devemos ter topado com uma situação no mínimo incômoda: dirigir atrás de um caro com a luz de neblina traseira acesa, em condição de total visibilidade, sem chuva e sem neblina.

Esta luz de neblina é uma lanterna adicional mais forte, emitindo, segundo a regulamentação nacional (cópia da européia), entre 150 e 300 candelas, enquanto cada lanterna traseira emite entre 4 e 12 candelas. O propósito destas lâmpadas, de 21 watts, como as de freio, é permitir que o veículo seja visto em condições muito adversas de visibilidade, como em chuva forte e em neblina. Nestas condições, a lanterna traseira, com suas lâmpadas de 5 watts, deixa de ser visível em poucos metros, devido à sua baixa emissão luminosa.

E por que a luz da lanterna traseira é de baixa intensidade? Por que se fosse mais alta, em uma noite sem chuva e nem neblina, sua intensidade ofuscaria os motoristas que vêm atrás. Só que, sendo assim, ela é insuficiente quando há neblina ou chuva forte, daí a necessidade da criação de uma luz mais forte para estas situações específicas.

A primeira regulamentação desta luz na Europa data de 1978, tendo chegado aqui apenas em meados da década de 1980 nas versões mais luxuosas do Santana e, depois, no Monza Classic. Na década de 1990 foi estendida a outros carros, mas quase sempre apenas nas versões mais luxuosas. O que na Europa há muitos anos é obrigatório por motivo de segurança, aqui no Brasil ainda é acessório: hoje, em 2013, luzes traseiras de neblina não são obrigatórias.

Bem mais forte, a lanterna de neblina atrapalha em noites limpas
A obrigatoriedade dessa luz na Europa é de no mínimo uma, mas o fabricante que quiser pode aplicar duas, caso do Fiat Tipo, Stilo e dos Lada.

Nós não somos os únicos a termos esta “primazia”: a luz traseira de neblina também não é obrigatória nos EUA e nem no Canadá e no México (cujas regulamentações são praticamente cópias das americanas). Mas todos sabemos que as regulamentações de iluminação do Departamento de Transportes dos EUA (US-DoT) não são lá exemplo para muita coisa, as regras européias são bem melhor elaboradas.

Felizmente, o Brasil adota boa parte da regulamentação européia, porém, infelizmente, não a adota em sua totalidade. Além da luz de neblina, as repetidoras laterais de seta também não são obrigatórias aqui. E, em veículos que têm versão feita aqui para exportação para a Europa, a versão vendida aqui tem as repetidoras propositalmente retiradas para cortar alguns reaizinhos no custo do carro. Alguns carros aqui chegaram a ter emblemas e frisos tampando o lugar reservado às repetidoras.

Obrigatória ou não, a utilidade da luz traseira de neblina é indiscutível em situações críticas de visibilidade. Quem já dirigiu em neblina forte sabe que as luzes traseiras do carro à frente deixam de ser visíveis a poucos metros de distância. Desta forma, quando se consegue divisar a luz delas por entre a neblina, pode já ser tarde demais para uma freada de emergência. Sendo em média 25 vezes mais forte, a lanterna de neblina pode ser vista a uma distância muito maior, alertando ao motoristas que há um veículo trafegando à sua frente.

O repetidor lateral de seta do Vectra europeu...

... foi suprimido do Vectra nacional, para economizar .
A lanterna de neblina tem luminosidade maior que a luz de freio, cuja regulamentação prevê uma emissão luminosa entre 60 e 185 candela por lado. Um conselho a quem está conduzindo um carro sem esta lanterna em situação de neblina ou chuva muito forte é dar pequenas pisadas no freio em intervalos regulares, de modo a acender a luz de freio e alertar os motoristas que vêm atrás da presença do seu carro. As luzes de freio podem não ser tão fortes quanto a luz de neblina, mas com certeza já ajudam bastante, pois são bem mais fortes que as lanternas de posição.

O que não se deve fazer nestas situações é ligar o pisca-alerta, pois este só deve ser utilizado para sinalizar que o veículo está parado. Inclusive, seu uso nesta situação é proibido e é considerado infração leve (Art. 251 do CTB), que enseja multa de R$ 53,20 e débito de 3 pontos na CNH.

Agora que se sabe como e quando usar a lanterna de neblina, é hora de falar quando NÃO usar: Em qualquer situação que não seja de visibilidade prejudicada por fenômenos atmosféricos. Nesta situação de boa visibilidade, a lanterna de neblina ATRAPALHA quem vem atrás, pois joga nos olhos do motorista uma luz forte demais. Os olhos, que à noite devem estar acomodados para a visão noturna, ao serem expostos a uma luz muito forte, ajustam-se à maior luminosidade, sendo literalmente ofuscados e diminuindo a percepção do movimento ao redor por serem forçados a se adaptar à maior luminosidade da lanterna de neblina.

Não dá para ignorar uma luz destas no painel

Isto pode soar muito óbvio, mas pela quantidade de carros que vejo com a lanterna de neblina acesa em noites perfeitamente claras, concluo que não é tão óbvio assim para muitas pessoas. Mas não é difícil perceber que a luz de neblina de seu carro está acesa: um obrigatório símbolo de cor amarela, no formato de um farol com o facho voltado para o lado direito, se acende toda vez que a lanterna de neblina está acionada, justamente para alertar o motorista sobre este fato. É bom passar a prestar atenção no painel do carro...

Existe também uma famigerada moda de andar com os faróis de neblina acesos porque algum ignorante disse que assim o carro fica “mais bonito”, "lindão". Só que em alguns carros o botão de acionamento do farol de neblina aciona também a lanterna de neblina! Aí lá vai o sujeito "na moda" atrapalhando todo mundo atrás...

Falando da infame moda do farol de neblina, lamentavelmente não há regulamentação que proíba o seu uso em situações de visibilidade normal. Mas a tal "moda" é ainda mais nociva: ela dita que se deve andar só com os faróis de neblina acesos, sem os faróis principais, porque o carro fica "ainda mais bonito" apenas com as luzes de posição e os faróis de neblina. Nada mais burro: O farol de neblina é projetado para iluminar apenas o espaço logo à frente do carro e as laterais da pista, de forma que o motorista possa se posicionar corretamente na faixa de rolamento quando dirigindo sob neblina.

Facho do farol baixo: para enxergar à frente

Não ilumina muito longe, até porque isso não seria possível em neblina. Além disso, qualquer eventual excesso de luz poderia refletir na neblina e tornar mais difícil ainda a visibilidade, por isso os faróis de neblina têm um facho baixo e espalhado. Bom para neblina, mas inadequado fora dela. Que tal ligar os faróis baixos, feitos justamente para função de iluminar o caminho? Costumo brincar dizendo que se farol conquistasse as mulheres, os caminhoneiros seriam a classe profissional mais desejada por elas.

Acho incrível que haja motoristas que aceitam dirigir com iluminação inadequada e insuficiente só porque acham que assim seu carro fica "mais bonito"! Só que esta prática é proibida: o CTB determina, em seu art. 40, I que "o condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública". Para os que não fazem isto, o art. 250, I determina que não utilizar o farol baixo à noite é infração média, sujeita à multa de R$ 85,13 e débito de 4 pontos na CNH.

Facho do farol de neblina: corte de luz acentuado, laterais mais iluminadas, alcance muito menor

Alguns, ao perceberem a deficiência, fazem algo pior ainda: em vez de ligar os faróis baixos, como seria correto, mandam (des)regular o farol de neblina, levantando seu facho para que ele ilumine mais longe. Porém, ao levantar o facho, podem causar ofuscamento em quem vem em sentido contrário. Aí incorre na penalidade do art. 223, que determina que transitar com farol (não especifica qual!) desregulado, de forma a perturbar a visão de outro condutor, é infração grave, punida com multa de R$ 127,69, débito de 5 pontos na CNH e com retenção do veículo para regularização. Ou seja, só sai de lá com o farol regulado. Vale tudo isso para ficar com o carro supostamente bonito e mostrar aos outros que está numa moda discutível, criada por gente que não entende absolutamente nada de carro?

Quem tiver curiosidade para conhecer as normas que regulamentam a iluminação dos carros nacionais, basta ler a resolução n° 227 do Contran, de 9 de fevereiro de 2007.

CMF

142 comentários :

  1. Aléssio Marinho13/04/13 12:23

    CMF,

    Excelente tema.
    Mas o Vectra saiu com repetidores laterais apartir do modelo 2002, se não me engano o ano, até o lançamento do novo, em 2005, que possuia tal lanterna.
    Até hoje não entendo pq a dona Fiat suprimiu os repetidores laterais dos Uno em 1991.
    Meu Pai teve um Fiat Tipo com a lanterna traseira de neblina. Com 15 anos, pegava o carro e dava umas voltinhas. Achava lindo a luzinha amarela acesa no quadr de instrumentos até que um dia, levei uma bronca da PM (e que não me levaram pro Batalhão por saberem que não aprontava, coisa de cidade pequena) por andar com aquilo acesso. Aprendi a lição, e hoje só ligo essa luz sob chuva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um Vectra GLS 2000 e tem os repetidores laterais.

      Excluir
  2. Farjoun,

    O que você pensa sobre a utilização do farol durante o dia fazendo as vezes de luzes diurnas? Eu percebo que alguns alguns carros como o Fiat 500, Passat e a Grand Cherokee utilizam lâmpadas de 21W nos faróis para essa função, assim o que mais se aproxima disso é utilizar o farol de neblina pela sua posição, altura de facho e intensidade em carros comuns ou mais antigos como o meu. Já usei bastante o facho baixo durante o dia, mas acho bem menos incômodo usar os de neblina quando a intenção é ser visível e não iluminar! Parabéns pelo texto, você diz tudo o que eu já ensinava aos meus amigos e familiares, vou compartilhar com eles seu texto!

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Castan13/04/13 13:56

      Concordo amigo. Farol baixo comum aceso durante o dia atrapalha demais. É uma poluição visual que incomoda muito. Precisamos ter luzes específicas para essa função e não criar uma lei para que se use o farol baixo.

      Excluir
    2. Sinceramente discordo. Viajo bastante, e posso afirmar com certa precisão, que em rodovias de mão dupla, carros com o farol baixo (bem regulado) acesos, são muito mais visíveis que os carros com farois de neblina acesos (também regulados). Caso algum desses esteja des-regulado, em ambos os casos atrapalha a visão mesmo de dia. não que atrapalhe, mas incomoda.
      Obviamente é melhor qualquer um desses do que nenhum, porém o farol baixo é mais eficiente nesse quesito de ser visto.
      Abraço

      P500<<

      Excluir
    3. Anônimo13/04/13 18:17,

      Costumo usar os faróis de neblina como luz diurna no caso de dirigir dentro da cidade ou em rodovias duplicadas (Castello Branco, Bandeirantes e etc), quando entro em rodovias de mão dupla, onde corriqueiramente ocorrem ultrapassagens na contra-mão eu prefiro usar o facho baixo, nessa situação ser visto de longe é a diferença entre a vida e a morte em alguns casos!

      Excluir
    4. Se o farol baixo ligado durante o dia atrapalha demais, você simplesmente não pode dirigir a noite!
      Sempre ando com o farol baixo ligado, de dia ou de noite, com ou sem chuva. De dia obviamente não para ver, mas para ser visto. Principalmente por pedestres distraídos.

      PADROCA-FLEX!!!

      Excluir
    5. Na estrada me acostumei a andar de farol ligado...fica bem mais visível a distância.

      Excluir
  3. Lorenzo Frigerio13/04/13 12:26

    Vejo muitos carros franceses com lanterna de neblina acesa. Não conheço os detalhes, mas arrisco-me a dizer que o layout da chave de luzes provavelmente induz o motorista desatento a acendê-las; tipo, deve ser uma chave só, rotativa, que acende todas elas. É o tipo da coisa que não aconteceria no meu velho Santana, pois os faróis/lanterna de neblina são acionados por uma chave separada, do lado direito da direção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Franceses? Quais? O Fluence (francês) possui as funções independentes para o neblina frontal e traseiro e ainda luzes espia no painel que indicam qual está aceso. Acredito que o uso seja por desatenção ou por modismo.

      Excluir
    2. No caso do 307, o comando para acender o farol de neblina dianteiro é girar o comutador pra frente (que está bem indicado na alavanca de seta). Para acionar a luz de neblina traseira, é necessário virar o mesmo comutador para trás.

      Excluir
    3. Não posso falar por todos os carros franceses, mas no caso do 206 (durante 10 anos foram 2 aqui em casa) apesar do acionamento dos faróis e lanternas de neblina serem na mesma alavanca das demais luzes, não dá pra confundir o motorista, a não ser que tenha acabado de comprar o carro e se enrolou com os comandos. Principalmente porque para acionar a lanterna de neblina, obrigatoriamente precisa acender o farol de neblina primeiro. E mesmo assim, a luz-espia indicando seu funcionamento é bem legível no painel de instrumentos. (imagem do comando, compartilhado com outros carros da PSA: http://bimg2.mlstatic.com/chave-de-seta-peugeot-206_MLB-F-231318317_4316.jpg)

      Excluir
    4. Já dirigi vários carros da Renault e da Peugeot... não há como acender essas luzes acidentalmente. E depois, há uma indicação bem legível no painel de instrumento quando elas estão acessas.
      Asterix

      Excluir
  4. Muito oportuno o post. De fato o uso incorreto das luzes de neblina causa é um problema sério. Esse assunto foi abordado em uma matéria da FSP do ano passado, cujo trecho mais importante transcrevo a seguir.

    “Estudo feito pela seguradora Swiftcover revelou que, em 2011, 300 mil acidentes ocorreram na Inglaterra por mau uso desse acessório.
    De acordo com a pesquisa, Os britânicos gostam de rodar com as luzes inferiores acesas em qualquer situação. Entrevistados pela seguradora disseram que o carro fica visualmente mais atraente com os faróis de neblina acesos.
    ‘As luzes de neblina estão posicionadas mais próximas do chão e são projetadas para iluminar a pista por baixo da névoa. Ligadas na ausência de nevoeiro podem ofuscar a visão de outros motoristas’, diz o instrutor Mark Stainer, da ADAC (instituto de pilotagem e segurança viária alemão).
    Muitos motoristas confundem o farol de neblina embutido no para-choque com o farol de longo alcance ou de milha, encontrado geralmente em veículos ‘off-road’”.
    Folha de S. Paulo, 26/02/2012

    ResponderExcluir
  5. CMF, na minha humilde opinião, a maioria dos motoristas que faz uso indiscriminado da luz traseira de neblina nem sabe o que acendeu ou nem sabe o que está acesa, e muito menos conhece a simbologia do painel. Afirmo isso baseado na ignorância total de muitas pessoas que conheço em relação a farol de neblina, farol de milha e luz traseira de neblina. Muitos veículos de origem europeia ainda tem, no botão de acionamento dos faróis, a posição P para os dois lados, que a maioria dos motoristas ignora completamente o que é e para que serve. Lembro dos antigos Vectra e Omega que tinham essa função acionada pela alavanca do pisca com o carro desligado - era muito comum ver esses modelos estacionados com a lanterna de um lado acesa porque o motorista deu seta para entrar na vaga e não retornou a alavanca à posição neutra e nem viu a lanterna acesa.
    Pior: tem muitos que andam longos trechos com o pisca-alerta acionado sem se dar conta. Principalmente mulheres (nada contra, por favor), após parar em fila dupla para deixar os filhos na porta da escola, seguem seu caminho sem desligar o equipamento.
    Outro hábito enraizado na cultura do brasileiro é o uso das lanternas de posição, a famosa "meia-luz", durante o amanhecer e o entardecer, sendo que o nosso Código de Trânsito não dispõe sobre essa prática.
    Não conheço farol de neblina que permita a regulagem vertical. Todos os que já vi possuem somente o parafuso de orientação horizontal.
    Creio que as próprias montadoras pecam em seus manuais ao esclarecer a função de cada luz ou equipamento de maneira muito superficial. Não é só falta de leitura por parte dos compradores.

    ResponderExcluir
  6. Em nosso país, as autoridades de trânsito só levam a sério a lei seca, a velocidade acima da permitida e o desrespeito ao sinal vermelho. O resto tudo pode.

    ResponderExcluir
  7. Outro detalhe: Nossos motoristas usam as luzes de neblina traseiras em dia claro, porque é chique e o que é chique é preciso mostrar.

    Sem contar com as famosas luzes brancas que incomodam a todos e que podem provocar acidentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas luzes brancas deveriam ser terminantemente proibidas! Seu principal efeito é ofuscar bastante e causar sérios riscos de acidentes. Mas, a moda Lei Seca é dinheiro extra e sem contabilidade de caixa. Só divulgam a quantidade de motoristas flagrados e nunca o montante apurado até hoje, assim, não precisam prestar contas para onde está indo toda esse montão de dinheiro, para a próxima campanha presidencial, quem sabe...

      Excluir
  8. Farjoun, parabéns pelo post.

    Esse é um dos assuntos que mais me incomodam no trânsito, juntamente com os motoristas que andam totalmente apagados por não terem o costume de ligar os faróis ao ligarem o carro à noite ou por não trocarem as lâmpadas queimadas. Já achava uma aberração os "pingos azuis" usados como luzes de posição, sem uso de faróis baixos, mas esses dias vi um moleque dirigindo um Gol "bola" com luzes VERMELHAS. Não dá pra entender tanta idiotice dos motoristas e cumplicidade das autoridades. E os caras preocupados com quem bebe uma cerveja...

    Quanto aos faróis de neblina, imagino que haja também uma aura de status na cabeça dos boçais, justamente por só estar disponível em carros ou versões mais caras. Outro ponto a se destacar é o uso de lâmpadas ultrabrancas (ou sei lá o que) nos faróis de neblina, causando ofuscamento em quem vem em sentido contrário.

    Lembro ainda que a moda de faróis baixos desligados e faróis de neblina ligados também prejudica a percepção do carro quando você olha pelo espelho retrovisor. Percebi que essa configuração atrapalha a noção de distância e velocidade do carro "modinha" que vem atrás, bem como este se torna quase invisível quando bem próximo do seu carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é exatamente essa a percepção... de status de versão mais cara. É muita ignorância, né?

      Excluir
  9. Quem dera, prezado Carlos Mauricio, que as leis fossem cumpridas neste proto-país. Seu artigo é interessante, e faço apenas um adendo: muitos dirigem exclusivamente à noite somente com a lanterna acesa, o chamado 'farolete', ou luz de estacionamento. É impressionante o número de acidentes causados pela chegada sorrateira e escura de um veículo quase 'apagado' por trás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito motorista parece desconhecer esses três níveis de luminosidade. Acho que confundem a luz da lanterna com farol baixo e ele com o farol alto.

      Excluir
  10. M Fujiwara13/04/13 12:53

    Bom, pessoalmente eu acho bonito o conjunto farol baixo dianteiro + farol de neblina dianteiro aceso e ando assim na maior parte do tempo assim.

    PORÉM, sempre com ambos bem regulados com precisão cirúrgica pra não incomodar ninguém que vem no sentido contrário. E usando o sistema original do carro, nada de kit xenon ling-ling, lâmpadas de maior potência, etc. E a neblina traseira não acende junto com a dianteira, logo também não prejudico ninguém que vem atrás.

    Quando o assunto é esse por aqui, embora muito se diga que há gente que manda levantar o facho do neblina dianteiro, na prática nunca soube de alguém que fez isso de propósito, e olha que conheço vários comerciantes que fazem este serviço... pode-se assegurar com toda a certeza que a causa de 99% dos neblinas dianteiros ofuscantes que vemos por aí é a adoção de lâmpadas mais fortes/kit xenon vagabundo, ou falta de regulagem mesmo (negligência).

    Quanto a isso, acredito que dá pra ter os próprios gostos no uso do veículo, desde que haja respeito pelo próximo.

    Já película nos vidros, sou totalmente contra.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que mal gosto andar a maior parte do tempo com o neblina ligado, mais um que acha lindão...

      Excluir
    2. Eu acho que você deveria reconsiderar, faróis de neblina não são acessórios bonitos, são equipamentos de segurança para um determinado fim. Se isso o ofende, peço desculpas, mas acho até ridículo ligá-los fora dessas condições. Em meu novo carro, inclusive, nunca achei oportunidade de usá-los, pois ando a maior parte do tempo na cidade e na estrada não me lembro de ter pegado neblina.

      Excluir
  11. Antonio Pacheco13/04/13 13:01

    Outra situação em que acho que o costume e a própria legislação estão errados, é a falta de uso do farol baixo durante a chuva. Com a moda no Brasil de carros preto/prata/cinza, com qualquer chuva pequena, a visibilidade, principalmente em estradas, fica muito prejudicada.
    Eu tenho o costume de ligar o farol baixo durante a chuva, e não é para eu enxergar mais, mas sim para que os demais veículos vejam o meu. Coisa tão simples e rara de se ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também uso, até sem chuva, mas em dia nublado com sensível redução da luminosidade solar. Sem contar que alguns carros ficam com os vidros muito embaçados nessas condições e o motorista enxerga ainda menos os outros carros. Eu fico impressionado quando está chovendo e já anoitecendo ou noite mesmo e alguns "gênios" trafegam apagados ou só com as luzes de posição. E de dia, sob chuva, uma boa parte não liga nada mesmo. É o desconhecimento básico que os faróis não servem só para iluminar, mas para ser visto também. Lamentável!

      Excluir
    2. Concordo contigo e devia ser lógico, escureceu se liga o farol, é o caso quando chove!

      Excluir
    3. Uso farol baixo na chuva também, outra coisa que virou hábito, la pelo final da década de 90 o detran do RS tornou obrigatório o uso de farol baixo em rodovias, eu nem dirigia nesta época mas como observei que melhorava a visibilidade dos carros em sentido contrário, muito útil nas rodovias de pista simples que predominam aqui no Brasil, é só entrar em rodovias que to eu lá com o farol baixo ligado, mesmo durante o dia, não tem lei que obrigue, mas também não tem lei que proíba, vou usando até que alguém diga algo que me prove o prejuízo
      Diego Clivatti

      Excluir
    4. Isso é uma coisa difícil de se explicar pra muita gente: faróis não servem somente para enxergar a frente, mas também para que os outros motoristas enxerguem (ver e ser visto). Se não me engano, a legislação brasileira obriga o uso de faróis baixos em caso de chuva e neblina. Tinha um 206 aqui em casa com acionamento automático dos faróis e para-brisas por sensor e, sempre que chovia e os limpadores do pára-brisa começavam a se movimentar, os faróis acendiam automaticamente.

      Excluir
    5. Muito bem lembrado! Hoje mesmo, está chovendo aqui na minha cidade, também ando com os faróis acesos mas a maioria dos motoristas não fazem o mesmo. Os carros atrás praticamente desaparecem, pior ainda quando o vidro traseiro embaça. Quem possui carros nessas cores deveria ter o bom senso de acender as luzes nessas condições. Eu dirijo um carro cinza e ele praticamente se camufla com o asfalto.

      Excluir
    6. Concordo com os colegas acima quanto ao uso do farol em caso de chuva e em estrada.

      Um abraço

      Excluir
  12. Pena que os motoristas que fazem mal uso dos faróis e lanternas de neblina nem devem ler artigos como este! Com certeza são pessoas que não tem interesse em qualquer assunto sobre educação no trânsito. Agora, se fosse um post como instalar um farol xenon xing-ling...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente. O pior é que essa mania de uso desnecessário e incorreto de faróis de neblina é estimulada por quem deveria ensinar. A Quatro Rodas sempre fotografa os carros com os benditos faróis de neblina acesos e até o programa Vrum usa os carros assim.

      Excluir
  13. Olá!
    Compartilho de quase a mesma opinião.

    Eu dirijo com os faróis (faróis, não lanternas) de neblina acesos, porque realmente acho que meu carro fica mais bonito com o conjunto inferior aceso também. O formato da parte superior dele "casa" com a parte inferior do farol, dando uma característica bem interessante!
    Porém, eu mesmo SEMPRE regulo os faróis do meu carro corretamente pois tenho uma raiva IMENSA de quem anda com os faróis jogando luz na cara dos outros. Sem contar essa corja que coloca "xenão" no farol de neblina e ilumina tudo, menos a rua.
    E no meu caso, o facho do farol de neblina ajuda a dar uma maior ênfase aos buracos, pois como ele é mais paralelo à rua do que o do farol baixo, ele gera mais sombras nas imperfeições. Dá uma diferença bem interessante!

    Já a lanterna de neblina, eu acho que só usei ela 3 vezes desde que tenho meu carro. Sob neblina e sob chuva intensa (condições adversas de chuva intensa também são passíveis de uso de faróis de neblina).

    Atenciosamente,
    Cleberson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho o costume de usar o farol de neblina, não pela beleza, mas por ter a impressão que o farol dá uma maior ênfase aos buracos da via. Regulei os meus com um faixo bem baixo, para não ofuscar ninguém, e sempre os uso em conjunto com os faróis baixos.

      Excluir
  14. Sobre faróis de neblina, alguns carros possuem um arranjo anti-modismos: só é possível acioná-los com os faróis baixos ligados. Mas o que já vi de gente modificando o sistema para ficar "lindão"...

    ResponderExcluir
  15. Lembrando ainda que hoje em dia tem muitos modelos em que o quadro de instrumentos é permanentemente iluminado, fazendo com que os distraídos esqueçam completamente de acender os faróis ao anoitecer dentro das cidades. Achei curioso num Corvette C6 que vi, em que os instrumentos estão sempre acesos, não possui sensor de acendimento automático, mas ao anoitecer aparece uma mensagem no computador de bordo: "headlamps suggested".

    ResponderExcluir
  16. Corsário Viajante13/04/13 14:08

    Excelente texto, o melhor era informar para alguns que farol de neblina é uma coisa e "farol de milha" é outra, especialmente aqueles que insistem em falar "os milha", por exemplo "acho lindão os milha aceso", vai entender.
    Isso me lembra uma coisa curiosa, quando temos neblina pesada os bonitões raramente ligam os faróis de neblina, preferem ligar os pisca-alerta e bagunçar geral... Coisas de analfabetos volantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Corsário, inclusive em anúncios por aí há esta confusão.
      Eu percebi que os faróis de neblina possuem ranhuras verticais nas lentes, enquanto os faróis de milha (longo alcance) possuem lentes lisas.

      Ainda pretendo ter um par de Cibié Serra II - de milha, instalado acima do pára-choque - no velho Chevrolet.

      Excluir
    2. Pior que é isso mesmo, peguei a Imigrantes logo depois daquele engavetamento colossal, feriadão, estrada lotada, trânsito lento e nem 5% dos carros com faróis de neblina estava com eles ligados no meio da cerração pesada (50 m de visibilidade), além de, a grande maioria, andar colado no carro à frente e sempre tem os "alfaiates" em alta velocidade.

      Mas, como disse o amigo ali pra cima, "as otoridade" só se importam com quem bebeu e dirigiu, com excesso de velocidade e, claro, com acidentes envolvendo carros de luxo.

      Excluir
    3. Lucas Resende15/04/13 16:11

      Penso como voce Bera, sou muito mais inclinado a instalar farois de milha que eu realmente possa usar. A pergunta que eu não consigo responder é se é legalmente permitido, quando não é de fábrica. Alguém conhece melhor essa legislação?

      Excluir
    4. Lucas,
      Faróis de milha, mais corretamente faróis de longo alcance, só de fábrica, em número de dois e desde que só possam ser ligados em conjunto com o farol alto.

      Excluir
    5. Obrigado pelo esclarecimento Bob. Mas puxa, é uma pena, realmente gostaria de ter os faróis de longo alcance como o amigo citou, um par sobre o para-choque para uso em conjunto ao farol alto, assim: http://www.google.com.br/url?sa=i&source=images&cd=&cad=rja&docid=c10A5B4JsTfdhM&tbnid=oiUm3B0rIh66zM:&ved=0CAgQjRwwAA&url=http%3A%2F%2Fcommons.wikimedia.org%2Fwiki%2FFile%3AFiatYump1_SM.jpg&ei=VoVtUfs0zLnQAYa_gcgF&psig=AFQjCNEfprRvMpRI76My44WpbW6a9kiwYA&ust=1366218454052886
      Mas não estou disposto a ser penalizado por isso. Por outro lado isso inibe maus motoristas de instalarem faróis adicionais e usa-los indevidamente.

      Excluir
    6. Ao contrário do que o Bob falou, os farois de milha não precisam ser de fábrica, podem ser instalados após. Porém eles não podem ser instalados acima da linha dos farois originais do carro.

      Excluir
  17. CMF seu artigo está perfeito.
    Tenho amigos que usam a luz de neblina justamente pelo motivo citado: estética, e não segurança. E claro, nem me atrevo dizer a eles qual seria a correta utilização, pois eu sou o chato da turma. Eu sou o cara que acha que películas nos vidros quando mal utilizadas comprometem a segurança - e sempre sou "corrigido" por eles: "É InsulFilm!!!". Sou o cara que implica com os faróis de xenon... enfim, tudo que digo é besteira. Ah, e um desses meus amigos também simplesmente "desabilitou" as lanternas traseiras do carro para ficar somente com as de neblina!! É ou não é o cúmulo do absurdo??
    E tem pior: quando os proprietários de automóveis colocam lampadas de xenon nos faróis de neblina. Aí não há quem aguente.

    ResponderExcluir
  18. Falando de luzes, aqui em Londrina-PR, tendo visto muitos deles dando voltas na ridícula gambiarra de ciclovia à beira do lago artificial da cidade, o Igapó, com um irritante farol piscante à frente da bicicleta. Qual a finalidade daquilo além de atrapalhar a visão? O farol aceso continuamente não é muito mais visível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, o piscante chama mais a atenção, dependendo da velocidade e distância da magrela você pode achar que ela está parada ou calcular mal a velocidade dela.

      Na Alemanha a maioria dos ciclistas que pedalam à noite usam esta luz na frente a vermelha piscante atrás.

      Excluir
  19. Tem também a molecada que põe pelicula escura no parabrisa e depois que percebe que não enxerga direito a noite, instala um xenon xing-ling desregulado pra tentar remediar o problema...

    Aliás nem é desregulado. O facho de luz fica espalhado porque o farol do carro não foi projetado pra xenon.

    ResponderExcluir
  20. Rafael Nakazato13/04/13 15:51

    A quantidade de motoristas com farol baixo desregulado também é absurda. É muito incômodo ter um destes atrás de você na estrada. Mas como já disseram, infelizmente, só se fiscaliza, farol vermelho, limite de velocidade e lei seca. Por que não adotar uma inspeção veicular que vise a manutenção e segurança (conferir ajuste de faróis, uso de xenon irregular, película fora de especificação, etc) em lugar de inspeção ambiental? Não que o meio ambiente não mereça atenção, mas.... fazer o que, ser eco-chato está na moda e sai mais na televisão.
    E os faróis auxiliares? Me corrijam caso esteja errado mas, lembro vagamente que o Fiat Tempra tinha luzes auxiliares, com lâmpadas de 100 W encontradas no lugar onde normalmente se encontram luzes de neblina. Meu pai teve um 1995 e lembro que usávamos bastante os auxiliares pois eram fortes e iluminavam rente ao chão, ajudando a desviar das crateras no asfalto. Hoje virou carro de "manolo", mas na época era sensacional.

    ResponderExcluir
  21. Falando em farol, lembro que em varios paises da europa, Estados Unidos e frota de montadora americana(GM)aqui no Brasil, e obrigatorio o uso de farol baixo durante todas as ocasioes em que se dirije um veiculo. Foi constatado que o farol aceso aumenta em muito a visibilizaçao do veiculo em movimento, reduzindo assim o numero de acidentes e atropelamentos.

    ResponderExcluir
  22. Sobre luzes acesas de dia, sempre uso o farol baixo em estradas. Não atrapalha quem vem em sentido contrário, e ainda torna meu carro (cinza escuro) mais visível na pista, inclusive facilitando quem vem, a ter uma melhor noção de aproximação do meu, caso ele esteja realizando uma ultrapassagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Mr. Car,
      O Sr esta certíssimo!
      Também tenho esse habito

      Excluir
    2. Primeira coisa que faço quando ligo o carro é acender os faróis. Já virou hábito, nem percebo mais quando faço. O engraçado é todo mundo que anda comigo meio que me "alertar" que o meu farol está aceso durante o dia...

      Excluir
  23. Ando com os faróis baixos + faróis de neblina acesos por causa dos boçais que andam dirigindo por aí, entrando em cruzamentos sem prestar atenção, fechando todo mundo, enfim, situações que todos conhecemos. Com os dois conjuntos de faróis, pelo menos sou melhor visto, ou melhor, estabeleço mais fortemente minha posição. Principalmente nos casos dos idiotas com sacos de lixo até no párabrisa.

    ResponderExcluir
  24. Realmente existem muitos motoristas que fazem mal uso deste equipamento.

    Não entendo o fascínio que um simples conjunto de farois/lanterna de neblina pode gerar em certas mentes. Por que?

    Seria melhor se existisse a mesma "loucura" para os piscas nas laterais dos carros; muito mais úteis.

    ResponderExcluir
  25. Essa de achar que o carro fica lindão com farol de neblina ligado não dá mesmo para entender: lindão para quem, para quem está fora do carro? Parece coisa de indonésios, um chamado Manoel e outro, Joaquim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma boa parte do prazer que meu carro me proporciona é o fato de eu achar ele bonito. O conjunto óptico do meu veículo tem um desenho que eu acho legal, e eu gosto que ele se destaque.
      Mas estou falando sobre usar os faróis de neblina em conjunto com os faróis baixos, não somente os faróis de neblina. Essa segunda opção eu acho ridícula. Sempre tem um cara num Gol ou Saveiro "quadrado" que coloca a meia-luz nos piscas, anda com o farol baixo desligado e "xenão" nos faróis de neblina.
      É o cúmulo do ridículo.

      Sempre que vejo um carro igual ao meu, à noite, somente com os faróis baixos, parece que falta algo. Os faróis de neblina acesos dão a impressão que ele é mais baixinho. Mas gosto é gosto. Pelo menos eu tenho certeza que meus faróis de neblina não incomodam ninguém, pois me certifico disso. Quando levei uma batida que quebrou meu farol de neblina (e passei a andar só com os faróis baixos) eu via a silhueta nos reflexos das vitrines e dos outros carros, e sentia falta das luzinhas embaixo.
      Elas são bacanas, não precisa existir esse "ódio" às luzes de neblina, ser tão rígido assim. Se a pessoa acha que seu carro fica mais bonito assim e não está prejudicando ninguém, não vejo qual o problema. Tem muita gente que tem Focus e Fiesta e quer imitar o Fusion no quesito das lâmpadas de seta que sempre ficam "meio" acesas (padrão do veículo). Particularmente, acho que fica muito bonito, principalmente no Fiesta (o novo). Fazer o quê? Achar um carro bonito também faz parte de ser um "gearhead".

      Excluir
    2. Cleberson Pertile, pretendo fazer esse lance das luzes de posição no lugar das setas no meu Celta. Por algum motivo acho que de longe vai lembrar bastante o Fusion, Camaro, entre outros. E como sempre ando com os faróis baixos acesos, creio que não haveria problemas quanto à fiscalização. Me confirma isso, Bob Sharp?

      Excluir
  26. Não acredito que a regulamentação dos EUA fique a desejar ou seja inferior à europeia. Apenas acho que ela foi feita só para os Estados Unidos e, obviamente, não é compatível com outros países.

    Tudo bem, eu concordo que existem coisas falhas nas normas americanas, como a não obrigatoriedade de lanternas de neblina e o fato de ser permitido que a mesma lanterna seja de posição e direção ao mesmo tempo (caso do Fusion). Mas o sistema funciona bem lá, caso contrário não estaria em vigor há mais de 45 anos.

    As cidades americanas são basicamente tabuleiros com cruzamentos ortogonais.
    Teoricamente existem só três maneiras de se enxergar outro carro (de frente, de trás e de lado); e isso faz com que a iluminação do veículo seja bastante racionalizada, não exigindo o uso de repetidores de direção, mas tornando necessárias as luzes laterais de posicionamento (DRL), que servem para deixar o veículo mais visível num cruzamento, informando também sua dimensão.

    Elas são muito importantes pois com a velocidade tendemos a perder a visão periférica (existe até uma matéria aqui no blog sobre isso), o que é muito perigoso num cruzamento. São obrigatórias nos carros americanos desde 1967 e já salvou muitas vidas. Mas não constam nas normas europeias (e muito menos nas brasileiras, que deveria incorporá-la, já que temos um sistema viário misto).

    Aliás, o repetidor lateral se faz obrigatório na Europa justamente por causa do sistema viário que, ao contrário do americano, não é regular; criando-se assim vários tipos de cruzamento nos mais inimagináveis ângulos. Luzes laterais nesse caso deixam de ser tão eficientes e adota-se o repetidor para reforçar o sinal de mudança de direção.


    ResponderExcluir
  27. Leonardo
    E o que dizer do espelho esquerdo só poder ser plano? Considero esse a maior das aberrações das Normas Federais de Segurança de Veículos (FVMSS).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio13/04/13 18:03

      Não sei o que é mais absurdo, o espelho esquerdo ser plano, ou ser convexo com os dizeres "objects in mirror are closer than they appear". Até parece que alguém vai ler aquilo quando olha pelo retrovisor.

      Excluir
    2. Lorenzo
      Essa, então, é triste. Estão chamando todo mundo de retardado.

      Excluir
    3. Bob e Lorenzo;

      Neste caso (dos "Objects in the mirror...") é a forma dos fabricantes de eximirem de culpa em caso de acidentes em decorrencia da má utilização dos espelhos.

      Culpa da legislação paternalista, de consumidores oportunistas e advogados safados numa onda iniciada pela GM quando resolveu perseguir um desconhecido advogado chamado Ralph Nader.

      ALiás, essa Advocacia simplesmente conseguiu destruir a aviação de pequeno porte nos EUA (e no mundo por consequencia), elevando aburdamente os preços das aeronaves e peças em decorrencia dos "Liabilities".

      (PS: Antes que venham as pedradas, de antemão aviso: Meu avô era Advogado e Juiz dos bons nos anos 50 e 60, chegando a condenar até politicos no exercicio da função, de maneira que não tenho nada contra a Advocacia, apenas contra os oportunistas)

      Excluir
    4. Sim, concordo, Bob. Eu também acho.

      Eu mesmo fui vítima do espelho convexo ontem. Meu carro é um daqueles importados antigos, dos anos 90. Levei-o na oficina para a manutenção preventiva e ficou lá uma semana e pouco esperando as peças chegarem. Durante essa semana, dirigi uma Saveiro, nacional, com os dois espelhos planos e acabei me acostumando com eles.

      Peguei meu carro na sexta e fui dar uma volta com ele ontem. Estava na faixa da esquerda da 23 de maio e sinalizei para ir à direita, só que vinha um carro atrás. Julguei que dava para prosseguir com a manobra.

      Levei uma buzinada forte do outro motorista - e com toda a razão.

      Mas não sei o que é mais bizarro nas normas americanas; se são os espelhos convexos ou os cintos de segurança automáticos, que eram obrigatórios em todos os carros que não tinham airbag fabricados até 1994. Eis um assunto que geraria muita discussão, pois não se sabe ao certo se essa aberração surgiu porque nos anos 80 muito pouca gente afivelava o cinto por lá, ou se é mais um lobby forte da GM, como foi citado aqui pelo Daniel.

      Só sei que, não interessa o tipo de cinto automático, ele sempre será desvantajoso. O Accord 1991 (e muitos outros) vinham com aquele sistema em que a faixa diagonal se desloca pela moldura da janela, controlado por um chip instalado debaixo do banco. Fui pesquisar por um Accord desse ontem e vi que o cinto estava travado; não era possível deslocá-lo pela moldura até a posição correta.

      E, bom, como vocês sabem que o Brasil é um excelente lugar para conseguir peças de reposição a um preço justo, vi que compraria um carro sem a porção de cima do cinto, voltando uns 50 anos no tempo em termos de segurança.

      Infelizmente, meu carro também é dessa época e possui os cintos automáticos, só que são aqueles afixados na porta, e não na coluna. Quando o comprei, achei até legal, era só deixar o cinto afivelado, abrir a porta, entrar, fechar, e pronto, estava vestido.

      Só que com o tempo fui vendo que não eram práticos: não dava para entrar no carro com uma mochila ou uma caixa muito grande sem desatá-los. Depois, raciocinando, cheguei à conclusão de que, caso sofresse um acidente com a porta destravada, ela poderia sair voando, inutilizando o cinto...

      ...que, aliás, está quebrado também; e ainda não tenho coragem de ligar na Omron para ver quanto custa trazer.

      Excluir
    5. Aliás, uma pequena correção. Usei a sigla DRL para me referir às luzes laterais de posição, mas a abreviatura é mais geral. O termo correto é "side marker lamp", que agora não me lembro se são obrigatórias também no Canadá.

      Excluir
    6. Sao obrigatorios.

      A legislacao canadense e' muito semelhante a americana, existem duas principais diferencas:

      - DRL (daytime running lamps) frontais obrigatorias desde 1990
      - sao permitidos farois com facho assimetrico e lampadas no padrao europeu (proibidos nos Estados Unidos)

      Excluir
  28. Não concordo com a utilização do neblina traseiro durante o dia ou em noites claras, realmente encomoda muito e ofusca d+. O farol de neblina não me encomoda em situação alguma, acho que o que atrapalha são os boyzados que desregulam o facho para iluminar mais longe e ainda colocam esses xenons xing ling. O farol de neblina dá um posicionamento muito melhor durante o dia, sou um dos que fazem uso em qualquer situação e não para ficar lindão, principalmente em estradas que não sao duplicadas quando precisamos ultrapassar e o outro carro vem como o farol de neblina ligado nos dá uma noção de distancia muito melhor do que só com o farolete. Tenho um astra e o farolete dele é muito fraco, as vezes quando estou olhando no retrovisor outro astra, muitas vezes não da para perceber que o farol está ligado. Prefiro que o carro atrás esteja com os mesmos ligados e regulados corretamente. Acho que precisamos trabalhar em cima dos excessos e não generalizar todos que usam como ignorantes ou pessoas que acham que deixam o carro lindao. Uma coisa é fato, me sinto muito mais seguro utilizando e quando vejo outra pessoa utilizando. Emmanuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An. 13/04/13 18:20
      Esqueça a questão de ser ou não lindão e use o farol baixo exclusivamente, se é que você quer realmente que seu carro fique bem visível, em prol da sua segurança.

      Excluir
    2. Farolete, vc deve estar se referindo às luzes de posição (meia-luz), certo?? Cara, vc está completamente errado. Essas luzes não devem jamais serem usadas somente elas com o carro em movimento. Elas são para quando vc precisa parar o carro fora da pista. Com o carro em movimento é LUZ BAIXA e ponto final.

      Excluir
    3. De onde veio a moda de falar que luzes de posiçao não devem ser usadas em movimento? Quanto está uma chuvinha não muito intensa, convém usar luzes de posição, desde que não esteja escuro também.


      CTB Capítulo III - DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA
      Art. 40
      IV - o condutor manterá acesas pelo menos as luzes de posição do veículo quando sob chuva forte, neblina ou cerração;

      Excluir
    4. E nessa hora uma luz de posição ligada com o farol de neblina encomoda muito menos do que o farol baixo o tempo todo na linha de visão do retrovisor do motorista logo a frente.

      Excluir
    5. Discordo. Farol baixo BEM regulado não Incomoda ninguém. E só a meia-luz, em condições de visibilidade prejudicada da no mesmo q nada.

      Excluir
    6. Tenho costume de usar farol baixo durante o dia - principalmente ao trafegar por estradas de pista simples - Não me incomoda farol baixo durante o dia e tenho a impressão de visualizar muito melhor os motorista que fazem o mesmo.

      Excluir
  29. Pior do que usar essas luzes fora do contexto correto é não usá-las quando deveriam. Hoje pela manhã viajei cerca de 30 km sob intensa neblina. É impressionante a quantidade de caminhões (sim, caminhões, motoristas profissionais!) que simplesmente não ligam nada. Quando muito ligam as luzes de posição, que só devem ser usadas com o veículo parado. E me causa indignação a PRF não fazer absolutamente nada por isso. Nessa viagem passei por um posto da PRF (município de Lindoeste, oeste do PR). Custa ficarem alí, na estrada, orientando os motoristas quanto ao uso correto das luzes?? Poxa vida! Situação de visibilidade extremamente prejudicada, mal dando para ver se havia alguém no interior do posto, por que não ficar por alí observando quem passa com os faróis apagados e orientando-os?? Devia estar muito frio para isso.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An. 13/04/13 18:41
      Mais do que frio, dá um trabalho danado...É a doença do nosso país, ninguém quer mais nada com coisa alguma.

      Excluir
    2. Aqui em Bauru costumo ver carros-forte, caminhões e ônibus circulares trafegando só com as luzes de posição à noite. Os circulares são notados primeiramente pelo letreiro luminoso da linha que pela iluminação veicular, um absurdo. Veículos de tamanho e massa enormes que, caso se envolvam em acidente causam grandes danos, circulando ao estilo Stealth é uma amostra da falência de nossas "otoridades" de trânsito.

      Excluir
  30. Ai é que está, acho que o farol baixo dele encomodaria muito mais que o de neblina. o farolete do astra é um pingo de luz que não dá noção alguma de posicionamento olhando pelo retrovisor ou por outros carros em circulação, o farol baixo já e forte e praticamente equiparado ao de neblina. Emmanuel

    ResponderExcluir
  31. Saindo um pouco do assunto, mas ainda na questão segurança, que tal essa: http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/04/lei-seca-reduz-mortes-mas-nao-inibe-acidente-que-mais-mata-nas-rodovias.html
    Acho q alguma coisa realmente precisa ser feito. Eu sempre digo: é muito mais perigoso uma única ultrapassagem em local indevido do que andar quilômetros a 120~130 km/h. Vamos ver o que vem por aí.

    ResponderExcluir
  32. Antes possuía um Stilo e agora estou de fluence, e em ambos os modelos as luzes de neblina traseira ficam bem na altura dos olhos e incomoda bastante quem vem atrás, por esse motivo costumo aciona-la sempre que um mano está atras com "xenão" xing ling que ofusca até os mais insensíveis olhos.
    Assim que o "mardito" some da traseira imediatamente trato de apaga-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei óculos com lentes amarelas e tenho ficado bem menos incomodado com esta situação, já que sou muito fotossensível, recomendo a todos.

      Vou anotar a dica para o próximo carro, já que o atual mal tem maçanetas..

      Excluir
    2. Também uso as luzes de neblina traseiras do meu Xsara Picasso em casos de veículos com farol alto ou "Xenão" me ofuscando quando vem atrás ...

      Ou o cara abaixo o farol ou me passa rapidinho.

      Excluir
    3. Pois eu uso a técnica oposta, até porque meu carro também mal tem maçanetas (hahaha, boa essa, Evandro). Nas raras vezes que estou atrás de um carro com lanternas de neblina acesas incorretamente, ligo meu farol alto desde que isso não atrapalhe o fluxo contrário. Também ligo o farol alto quando o IDIOTA do fluxo contrário está com luzes ofuscantes, desreguladas ou farol alto ou até de milha (!!!). Há um crescente grupo de pessoas, de crescente estupidez que não percebe que quando damos fachos de farol alto queremos alertar algo e o "bom motorista" continua apagadão pelo breu noturno.

      Excluir
  33. An. 13/04/13 19:05
    Vi a matéria, obrigado pelo link. A colisão frontal resulta basicamente de imperícia e para mudar esse quadro, só endurecendo a formação de motoristas e avaliando/reciclando todos os motoristas. Um tarefa hercúlea, claro, mas sem isso o panorama não mudará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Sharp,

      Eu penso que os maiores causadores dessas colisões, nem são os motoristas que estão a efetuar essas ultrapassagens, mas sim os que estão sendo ultrapassado e os que vem em sentido contrário. Normalmente esses motoristas aumentam a velocidade para dificultar a operação. É a tal da "apertadinha" que já matou e mata muita gente.

      Certa vez li o depoimento de um argentino que já presenciou muitos casos desse tipo em nossas rodovias e que considera o maior absurdo cometido por nossos motoristas.

      Uma pergunta: Procurei no carro e pesquisei no manual mas não encontrei. O Palio Essence não tem luz de neblina traseira?

      Excluir
    2. CCN 1410
      Será que há quem faça isso? Acelerar contra o carro que esta vindo mesma direção? Nunca ouvi falar, estou surpreso.
      Realmente, o Palio não tem luz traseira de neblina, critiquei isso e a falta de repetidoras dos indicadores de direção no post de quando o carro foi lançado. Um total contrassenso. Leia em http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/11/novo-palio-cresceu-e-melhorou.html

      Excluir
    3. Bob Sharp,

      Pois é, fiquei seis anos com o meu carro anterior e não usei a luz de neblina traseira mais do que cinco vezes, mas em alguns casos faz falta.

      Quanto ao assunto da ultrapassagem, aqui no Vale do Itajaí onde moro é frequente.

      Gostaria que o leitor Reiter que mora nesta região se reportasse sobre o assunto, para ver se ele também tem notado isso.

      Obrigado pela resposta.

      Excluir
    4. CCN 1410
      Vc está culpando a vaca pelos carrapatos?? Correto que quem acelera pra dificultar as coisas também está muito errado, mas o maior responsável é o que inicia a manobra.
      Hoje pela manhã mesmo, num trecho de muitas curvas, faixa contínua, entrei numa curva e dei de cara com um Duster ultrapassando um Fusca. Tudo bem que o Fusca ia devagar, mas custava ser um pouquinho paciente?? Tive que freiar bruscamente, desviar para a direita, sendo que quinhentos metros a frente havia lugar para ultrapassar.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. CCN 1410
      Só mesmo sendo muito burro para acelerar ao ver um carro vindo. Essa é mesmo incrível. Dependendo da proximidade, eu chego a levantar o pé do acelerador!

      Excluir
    7. Bob Sharp,

      Leia isso: http://www.rbvradios.inf.br/am1570/noticia.php?id_noticia=2023

      A redação não está muito boa, mas acho que dá para entender.

      Existem poucas matérias sobre o assunto, devido a dificuldade em provar
      que o responsável foi "o outro".

      Infelizmente já observei muitos casos como esse e acredito que não é só burrice, mas loucura.

      Ps.: Caçador e Rio das Antas são cidades catarinenses, mas que não ficam no Vale do Itajaí.

      Excluir
    8. Olá! Acho que esse vídeo reflete muito bem essa discussão, um exemplo de como muitos motoristas agem nas estradas: http://www.youtube.com/watch?v=ujrZZIXzufA

      Podem começar assistir em 1m.10seg.

      Excluir
    9. An. 13/04/13 22:16
      Esse vídeo é perfeito para mostrar como a idiotice impera nas estradas. Não sei como não houve morte nessa.

      Excluir
    10. CCN 1410
      Para esses casos, só testemunhas ou câmeras de vigilância resolvem. E por causa dessa turminha o seguro vai ficando cada vez mais caro.

      Excluir
    11. Bob,

      Pelo vídeo que o anônimo das 22:16 enviou, dá para ter uma ideia de como agem certos motoristas brasileiros. E como já disse aqui em SC essa situação é trivial, principalmente nas BRs 282 e 470.

      E aja economia para pagar seguro.

      Excluir
    12. Bob, pelo visto, a solução será a instalação obrigatória de uma caixa-preta nos carros.
      E os bons pagarão junto com os maus...
      Aposto que esses tipos quando estão a pé ainda dispustam com os outros pedestres quem desvia primeiro na calçada.
      Sério, existe esse tipo de louco por aí.

      Excluir
    13. Por isso que agora tenho uma dashcam. Não tem um dia gravado em que, por exemplo, à noite, não registro um imbecil com faróis apagados.

      Excluir
    14. CNN 1410
      O pior é que eu tenho que concordar com você. Comigo acontece muito no Rodoanel de São Paulo, o outro carro trafega a 90km/h na faixa central, acelero a 100 km/h para ultrapassá-lo, quando o meu carro emparelha com o dele, percebo que não estou mais ultrapassando, porque o idiota acelerou! Fico me pergutando se é de propósito, ou se ao ver que está sendo ultrapassado, inconscientemente eles aceleram. Já me aconteceu várias vezes.
      Quanto ao uso do farol de neblina, muitas vezes vejo esses na volta do final de semana na Raposo Tavares. Com fluxo intenso, eles chegam com o farolzão na traseira, exigindo passagem, sendo que a pista inteira está tomada de carros. Incompreensível.
      Att. MN

      Excluir
    15. Não sei em país mora, mas eu moro no mesmo do CCN. É impressionante o número de pessoas que "apertam" os outros na ultrapassagem.

      Excluir
  34. Algo que há muito queria que alguém escrevesse e, pq não, que as auto-escolas e os mais diversos meios de comunicação ensinassem/divulgassem.
    Tanto nos VWs quanto nos Peugeots é IMPOSSÍVEL confundir o acendimento das "luzes normais", das neblinas dianteiras e das traseiras (são três pontos diferentes no mínimo). Ainda, a luz de neblina traseira acende uma forte lampada amarela no painel, que causa um certo incômodo. Então, quem as liga nos carros dessas marcas realmente acha q deixa o carro lindão.
    Pior é que, com chuva, o que mais se vê são carros sem luzes ligadas ou só com lanternas (que na dianteira não mudam em nada a visão em sentido contrário).
    Por fim, tenho o costume de andar com as luzes ligadas mesmo durante o dia porque acredito que realmente melhora a visão de que vem na direção contrária. Acredito que seria útil termos luzes diurnas, até pq as luzes traseiras acesas acabam não tendo benefício algum durante o dia.
    AndLuc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não costumo usar faróis baixos em dias claros, mas é inegável a melhora da percepção dos outros carros e motos nessas condições. Percebemos uma moto se aproximando pelo retrovisor apenas pela visão periférica por essa utilizar os faróis. Seria bom haver lei obrigando os DRLs ou o uso de faróis baixos em qualquer horário ou condição, até porque não acho que eles atrapalhem de dia, como alguns colegas leitores acham.

      Excluir
  35. Parabéns pela matéria Carlos Farjoun.

    Sugiro a todos os colegas AutoEntusiastas o livro:
    Bosch - Manual de Tecnologia Automotiva, ed. Blücher, ISBB 85-212-0378-0;
    Esse manual trata de diversos assuntos relacionados ao automóvel, inclusive o assunto do post. Como exemplo, o assunto iluminação é tratado na pág. 910, abordando tipos de iluminaçào, tipos de faróis, normas (EUA e EU), etc.

    Finalizando: é permitido o uso de faróis com fachos simétricos no Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bera Silva
      Eu e o André temos o Automotive Handbook da Bosch, que creio ter o mesmo conteúdo desse que você recomenda e que eu endosso a recomendação. Aliás, a página (910) que você menciona é a mesma do que tenho em mãos, a 6ª edição, início do capítulo Iluminação. Esse livro pode ser adquirido na livraria da SAE Brasil, acessar www.saebrasil.org.br para mais informações, preço etc.
      No Brasil é obrigatório o facho assimétrico, está tudo na Resolução Contran que o Carlos Maurício citou no final do post. Mas existe a brecha na questão de carros importados de países com os quais o Brasil tenha acordo de comércio bilateral, caso do México, em que as normas de iluminação podem ser as do país de origem. Daí o Fusion com indicadores de direção traseiros de cor vermelha e os faróis simétricos. Lembre-se do post recente sobre o Dodge Durango e o Jeep Grand Cherokee Limited, o Dodge com esquema americano e o Jeep, europeu.

      Excluir
    2. Coincidência, duas versões em línguas diferentes e o mesmo número da página...

      Eu sabia sobre essa brecha para veículos importados, mas a minha dúvida era sobre comprar um farol no EUA e instalar num carro antigo, por exemplo: "http://www.summitracing.com/parts/hla-002395031/overview/".

      Obrigado pela resposta. Já baixei a resolução, só falta lê-la.

      Excluir
  36. Pior foi um outro dia que eu cruzei com um ANIMAL que além de desregular os faróis de neblina pra cima e ter colocado lampadas extrafortes, ainda pintou as lentes de amarelo bem forte.

    ResponderExcluir
  37. CMF, parabéns pelo artigo, perfeito.... têm muita, mas muita gente despreparada no trânsito, ainda mais nos dias de hoje, é muito fácil adquirir um carro e mais fácil ainda conseguir tirar carta.
    Com relação à veículos com este equipamento, estou para ver (usados incorretamente) carros pior que o que que 206 e o Tipo.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gonzalez
      Ajudaria muito dar noções de iluminação no currículo da formação de condutores e instruções claras nos manuais dos carros, tipo "Atenção: só ligue os faróis de neblina quando quando houver o fenômeno meteorológico, uma vez que eles foram feitos exclusivamente para isso". Vou sugerir isso às fábricas. É um começo.

      Excluir
    2. Marcelo Augusto14/04/13 15:45

      Nos dá PSA tem esses avisos

      Excluir
    3. Pô! Mas se o nome é "farol de neblina" falar mais o quê? Não demora muito e os fabricantes e concessionários vão ter de colocar babador e fraldas nos motoristas.

      Excluir
  38. CMF, ótimo!

    Acabei de passar por isso atrás de um polo. PQP que troço chato. Dá vontade de fazer o cara engolir ou enfiar no fiofó.

    ResponderExcluir
  39. Rafael Ribeiro13/04/13 21:55

    Moro em Petrópolis, na região serrana do RJ, sujeita à chuva e neblina fortíssima em grande parte do ano, principalmente na BR-040.

    É impressionante como pouquíssimos motoristas sabem usar corretamente os faróis e lanternas adequados à cada situação. O erro mais frequente por aqui é o uso de pisca-alerta sob chuva torrencial ou neblina.

    ResponderExcluir
  40. Excelente artigo CMF, já o compartilhei no Facebook, espero que as pessoas leiam.

    Ao ler o post do Anônimo 13/04/13 20:43, lembrei de carros da década de 70/80, como as Caravans, que tinham lentes amarelas nos faróis, isso muda alguma coisa no caso de neblina ou chuva ? (além de atrair menos insetos)

    Porque se melhorar, seria ótimo os carros virem com máscara amarela hoje em dia, acabaria com a moda de deixar o carro "lindão", já que as luzes da moda são azuis ou brancas.

    ResponderExcluir
  41. Sou o anonimo citado. As luzes com tom mais "quentes", ou seja, mais pro lado do amarelo de fato iluminam bem melhor em situação de chuva do que as luzes de tom mais frio como os branco azulados de xenon.

    Porém a experiência que tive foi extremamente irritante pois o cara que cruzou na minha frente combinou lampadas xenon potentes com uma regulagem apontada para a visão dos motoristas da outra mão e lentes extremamente amarelas. Ouvi dizer inclusive que essa combinação de xenon com lentes coloridas é proibida.

    ResponderExcluir
  42. Excelente matéria.
    Deveria ser divulgada em todos os meios de comunicação.

    ResponderExcluir
  43. Excelente matéria
    Mas em dia de neblina prefiro nao dirigir

    ResponderExcluir
  44. Mais uma: Principalmente na periferia, existe o costume de andar à noite somente com as lanternas ligadas, e ligar o FAROL ALTO quando param em frente a algum lugar, de preferência na contramão. Geralmente o farol é de xenon.
    Sem comentários....

    ResponderExcluir
  45. Gustavo do Nascimento15/04/13 02:46

    Considero um desserviço dizer para que não seja utilizado, de forma alguma, farol de neblina durante o dia. Quanto mais visibilidade for proporcionada melhor. Não confundam a estupidez de acionar a lanterna de neblina com a preocupação com a visibilidade ao acionar o farol de neblina.

    Estou SEMPRE com a luz baixa + faróis de neblina acionados e mesmo assim tem alguns motoristas que ignoram e quase batem no meu carro ao trocar de faixa.

    Antigamente, durante o dia, eu utilizava apenas luz de posição. Ao perceber que ainda assim os barbeiros ainda não me viam passei a utilizar também o farol de neblina, o que reduziu o número de incidentes, mas não muito. A melhora só foi (muito) significativa foi quando passei a trafegar também com o farol baixo ligado durante o dia. Claro que vez ou outra sou fechado por barbeiros ou "espertinhos" que consideram o espelho como item opcional, mas é muito menos frequente.

    De brinde eu não preciso me preocupar em acionar os faróis em túneis, estacionamentos e durante a noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, mas você já ouviu falar em direção defensiva?

      Excluir
    2. Gustavo do Nascimento15/04/13 11:58

      Oi? É exatamente disso que estou falando. Ver e *ser visto*.

      Excluir
    3. Gustavo do Nascimento
      Você mesmo disse que só passou a ser visto quando passou a ligar o farol baixo de dia. Ou seja, fica mais do que evidente que farol de neblina só serve para duas coisas: melhorar a visibilidade na neblina ou deixar o carro "lindão" – nesse caso para os outros, porque você nunca os vê enquanto dirige.

      Excluir
  46. Ótima matéria, não tem uma noite que não me incomodo com a iluminação de algum carro, seja a porcaria da lanterna de neblina traseira ligada, ou a dianteira com um super ultra xenon focado diretamente nos olhos mais forte que luz alta, geralmente que algum carro popular velho. E eu simplesmente nunca ouvi falar de alguém que foi multado por isso, ou por não ligar a seta, ou por andar com o foral baixa desligado a noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo do Nascimento15/04/13 12:02

      Não sei se eu tinha muita sorte ou essa moda dos infernos só está chegando aqui só agora. Pelo menos 1x por semana encontro algum possante popular com um potente "xenão xing-ling" azul virado para cima.

      Isso quando não estão com aquela luz de posição azul (imagino que seja apenas UM led...) + farol de neblina desregulado apontando o xenon pra minha cara... Aí é pra acabar com a paciência de qualquer um. Felizmente só achei um desses uma única vez.

      Excluir
  47. Queria saber que os carros da Fiat tem os faróis desregulados de fábrica, pois é impressionante, se tem um carro com farol incomodando como só pode ser um Fiat.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ChAndré,

      Perceba que a linha Palio costuma apresentar esse problema, que na verdade é causada pela oscilação demasiada da carroceria quando se trafega em pisos irregulares, transpõe quebra-molas ou simplesmente porque o carro está carregado. Aliás todos os carros que costumam ter suspensões com maciez e tendência a mergulho e afundamento da traseira apresentam essa característica! Meu carro não possui regulagem elétrica de altura do facho baixo, mas por ter suspensões multilink não tem essa de afundar a traseira em acelerações fortes, não é perfeito, mas incomoda bem pouco se regulado a 1,2% como recomendado pela Mitsubishi.

      Excluir
    2. Rafael Sumiya Tavares
      Pode, por favor, explicar a relação entre suspensões multibraço e não haver afundamento da traseira em acelerações fortes? Não só eu fiquei curioso, como, acredito, os leitores também.

      Excluir
    3. Alexandre - BH15/04/13 22:08

      É verdade, os faróis que mais incomodam são os da Fiat. Comecei a notar esse problema desde o lançamento da segunda geração do Palio, em 2001. Os do novo Uno são terríveis para ofuscar. Tomara que a Fiat tenha ciência disso, já que a próxima geração do Ducato terá faróis em posição elevada.

      Excluir
    4. Também fiquei curioso nessa da suspensão multlink...

      Excluir
  48. ChAndré
    Pode ser, já falei aqui que há casos de faróis regulados com padrão errado na fábrica. Vou dar um toque no pessoal da Fiat a respeito desse seu comentário.

    ResponderExcluir
  49. Alexandre - BH15/04/13 21:56

    Algumas pragas se espalham com tanta força que depois ninguém consegue combater. Uma delas é ligar o pisca-alerta na chuva ou com neblina. E o pior: muitos idiotas que fazem isso têm luzes de neblina em seus carros, mas não sabem usar ou nem sabem que isso existe. Já quem conhece o equipamento usa sem necessidade, por modinha terceiro-mundista.
    Outra praga é a quantidade de motoristas que dirige na cidade com faróis de duplo refletor totalmente acesos. Eles devem achar que as lâmpadas adicionais, de luz alta, são "brindes" de fábrica, para usar à vontade.
    Tem também os que preferem a escuridão, pois jamais ligam as luzes de posição ao entardecer. Muitos não ligam o farol nem durante a noite!
    Mas o que mais entristece é perceber que quase todos os artigos do CTB são letra morta. Desconheço alguém que tenha recebido multa por circular com faróis desregulados, por exemplo.

    ResponderExcluir
  50. Um assunto talvez para um próximo post são os motoristas que não estão acostumados com painéis sempre iluminados (como o Optitron da Toyota), e julgam trafegarem com os faróis acesos quando na verdade estão completamente apagados. E é impressionante como rodam por muitos quilômetros sem perceberem que estão com faróis apagados...

    ResponderExcluir
  51. Vamos entrar num outro assunto?

    E numa neblina muito forte, será que é mais útil utilizar somente os faróis de neblina?

    Eu já passei por uma neblina tão forte que até os faróis baixos estavam me incomodando. Joguei eles o máximo pra baixo (meu carro tem regulagem elétrica), mas mesmo assim, ainda vinha um clarão. Desliguei os faróis baixos e andei só com os faróis de neblina por um curto período de tempo, e a visibilidade melhorou! Mas acabei ligando os baixos de volta por medo que alguém não me visse.

    Quais suas opiniões a respeito disso?

    ResponderExcluir
  52. voltei de viagem de férias ontem e infelizmente deparei-me com dois ou três idiotas usando lanterna de neblina em uma noite clara e sem o menor sinal de névoa no ar! isso incomoda muito! www.V8nFUN.blogspot.com

    ResponderExcluir
  53. No caso dos Estados Unidos, a lanterna de neblina traseira nao e' obrigatoria pois ha uma preocupacao em relacao a intensidade da luz ser a mesma da luz de freio.

    Note que a legislacao europeia regulamenta que a luz de freio tem intensidade entre 60 e 185 cd, enquanto a luz de neblina deve possuir intensidade entre 150 e 300 cd. So que a legislacao americana preve luz de freio com intensidade de ate 300 cd, e a lanterna de neblina neste caso poderia causar problemas na identificacao de um veiculo freiando.

    E uma correcao: o Mexico utiliza como padrao uma legislacao similar a europeia, mas permite que carros com padrao americano sejam vendidos, assim como o Brasil.

    ResponderExcluir
  54. Vejo muitos 206/207 com lanterna de neblina acesas...e a vontade que dá é de ligar o farol alto no sujeito. Se ele acha que pode andar prejudicando quem vem atrás, não vai se importar de tomar seis luzes nos olhos..

    ResponderExcluir
  55. Muito bom o post. Realmente, quando o assunto é farol de neblina, as dúvidas são muitas. Lendo o Guia de Compras que a loja ConnectParts lançou, fiquei sabendo que as lâmpadas de xênon duram mais do que as halógenas. Vocês sabiam? Eu desconhecia essa informação. Para quem quiser dar uma olhada no guia: http://www.connectparts.com.br/guia-de-compras/. Tem um conteúdo bem completo, acho que vale dar uma olhada. Abs pro pessoal do blog!

    ResponderExcluir
  56. É permitido o uso das lanternas de neblina acesa, juntamente com o farol baixo, no período noturno nas cidades ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo Cesar
      Sim, é permitido. Um reparo: são faróis de neblina, e não lanternas de neblina.

      Excluir
  57. Alguém sabe se é permitido usar setas traseiras vermelhas? O assunto também é relacionado a iluminação:

    Na resolução 227/2007, Anexo I, Item 3.15, diz: "lanterna indicadora de direção traseira: âmbar".

    Porém, na resolução 14/98 que ainda está em vigor, Art. 1º, Item 11, diz: "lanternas indicadoras de direção: dianteiras de cor âmbar e traseiras de cor âmbar ou vermelha".

    Há uma contradição, e em momento algum diz que a resolução 227/07 anula a 14/98. O senso comum diz que não pode, que só pode em carros que já vêm com seta vermelha de fábrica, mas estou certo em dizer que, baseado na resolução 14/98, eu não posso ser impedido ou multado por rodar com seta traseira vermelha?

    ResponderExcluir
  58. A. 18/03/14 10:10
    A Resolução 14/98 foi alterada diversas vezes. A que vale para este fim é n° 383, de 2/06/11, indicador de direção tem de ser âmbar. Isto é está dito na própria grade de resoluções Contran, na 14/98. Desse modo, a menos que seu carro seja importado do México ou Estados Unidos, em que há acordo entre esses países e Brasil de um poder usar iluminação e sinalização do outro, se o indicador de direção dele for vermelho estará em situação irregular.

    ResponderExcluir
  59. Então, é que tipo, lá diz que a 383 "Altera a Resolução nº 227, de 09 de fevereiro de 2007, do CONTRAN, que estabelece requisitos referentes aos sistemas de iluminação e sinalização de veículos".

    E na 227: "Estabelece requisitos referentes aos sistemas de iluminação e sinalização de veículos".

    E na 14/98: "Alterada pelas Resoluções 87, 228 e 259". (Ou seja, não cita a 227 e 383).

    Então, eu quis dizer que se levamos ao pé da letra, há uma brecha pelo fato de que em lugar algum diz que a 14/98 foi substituída, alterada ou invalidada, no que diz respeito à iluminação :)

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.