BMW X1 sDRIVE 20i GP, UM CROSSOVER NO JEITO

Fotos: autor


Uma coisa é certa: quem manja de carro, gosta dos BMW. Ele pode até não cair de amores pelo design de um ou outro modelo, mas gosta da máquina e a respeita, já que os estudando e dirigindo fica evidente o apuro com que são projetados e fabricados.

Foi erguendo a tampa sob o porta-malas que vi que a bateria estava lá atrás, na extremidade traseira do veículo. O mais prático e barato seria colocá-la no cofre do motor, e isso é o que a maioria dos fabricantes faz, mas ela está lá atrás para que a regra da marca seja seguida à risca, a regra dos 50-50% de distribuição de peso sobre os eixos. Tudo bem que a BMW siga essa regra nos seus esportivos e também nos sedãs, mas eu não colocava muita fé de que eles tivessem o mesmo rigor em seus utilitários e crossovers, e para conferir tratei de pesá-lo na balança da fábrica onde trabalho (balança aferida). 

O eletricista, Sr. Paulino, que pesa 76 kg, sentou ao volante, como é praxe para aferirmos a distribuição de peso (motorista que pese 75 kg, ao volante, e tanque a 90 %). E com ele ao volante pesamos somente um eixo, e esse pesou exatamente a metade do peso do veículo quando somado ao do Sr. Paulino. Teste de São Tomé. É de tirar o chapéu. Tração, só traseira.

Alto o bastante para enfrentar estradas de terra irregulares
Por aí já se vê que a BMW tem mesmo um objetivo sagrado, que é dotar todos os seus carros de primoroso handling, uma expressão estrangeira que me permito usar, pois soa e exprime melhor a sensação que temos ao volante quando sentimos o comportamento do carro, o modo como troca de apoio, a sua obediência, a sensação que o volante nos passa, a segurança transmitida etc.

Bateria lá atrás
O crossover BMW X1, que a fábrica chama de veículo de atividade esportiva (SAV, sports activity vehicle) não foge à regra. Apesar de ser mais alto que uma perua derivada de um sedã – não chega a ser tão alto quanto os utlilitários esporte conhecidos –, ele se comporta como se fosse, já que concentra seu peso na sua parte inferior. Tem estabilidade direcional excelente, o que nos proporciona viagens descansadas, e faz curva com neutralidade, o que nos permite seguir a rota exatamente na linha que antes da curva havíamos planejado, mesmo que o piso não seja dos melhores.

O porta-copos pode ser removido...
O BMW X1 vem ao Brasil com três opções de motor. Na verdade é praticamente o mesmo motor 4-cilindros de 2 litros, só que em um modelo ele é aspirado com injeção no duto e nos outros dois ele é turbocomprimido com injeção direta. 

O motor aspirado do X1 sDrive 18i, de 1.995 cm³, rende 150 cv a 6.400 rpm e 20,4 m·kgf a 3.600 rpm, e seu câmbio automático tem 6 marchas. O motor turbo do X1 sDrive 20i GP, o testado e que custa R$ 134.950, desloca 1.997 cm³ e rende 184 cv entre 5.000 a 6.250 rpm e seu torque máximo de 27,5 m·kgf vai de 1.250 a 4.500 rpm. Com teto solar, mais R$ 5.000. O caro leitor já pode notar, e certamente se impressionar, que a 1.250 rpm ele já entrega torque máximo, e isso significa que ele disponibiliza boa potência desde praticamente a marcha-lenta. Seu câmbio automático tem 8 marchas... Oito!

Já o motor turbo do X1 xDrive 28i M GP, o topo da linha e com tração integral, rende 245 cv entre 5.000 e 6.500 rpm e seu torque máximo de 35,7 m·kgf vai de 1.250 a 4.800 rpm. Câmbio também de 8 marchas. 

No Brasil, três opções de motor

Mostradores com design limpo e claro. Ideais.
Vale notar que os 150 cv do X1 18i o levam 202 km/h e esse limite não é eletrônico, mas sim de potência. Já os 240 cv do X1 28i poderiam levá-lo a 236 km/m, mas ela é limitada, eletronicamente, só que a 205 km/h.

Esse alto torque em baixa permite que o X1 20i circule rapidamente pela cidade em giro bem baixo, algo em torno de 1.500 rpm, principalmente quando acionamos a tecla do modo econômico no painel, que assim as marchas são trocadas em giro mais baixo e o acelerador fica mais manso. Pelo computador de bordo ele fez 7 km/l na cidade e 10 km/l na estrada (só gasolina, não é flex, felizmente). Mesmo no modo econômico, se apertarmos fundo o acelerador o computador de bordo entende a necessidade e acelera com tudo. Ele tem, obviamente, controle de tração, que pode ser completamente desligado. Sobre os freios, a BMW dispensa comentários. Excelentes.

O menu do que é possível configurar
O espaço interno abriga cinco pessoas com folga, mesmo para quem vai no meio do banco traseiro. O encosto do banco traseiro é bem inclinado, bastante confortável. Os vidros das portas traseiras baixam até sumirem nas portas.

Boa inclinação do encosto do banco traseiro; vidros das portas traseiras baixam completamente.
É um modelo que tem caído no agrado do público, já que atende quem gosta de veículos mais altos (esposas) sem que com isso perca o prazer da boa dinâmica dos carros mais baixos (maridos).

Tive o prazer de testá-lo carregado. Um amigo mudou-se do interior para São Paulo e, dizendo que seu apartamento daqui não era tão espaçoso quanto o de lá, resolveu me dar a maior parte de sua coleção de livros de automóveis. Um verdadeiro tesouro. Ainda estou em estado de choque. Fui lá com o X1 buscar meu tesouro: 167 livros sobre carros antigos esportivos e de corrida!

Ele vazio e...
...ele carregado com mais de 300 kg de livros
Bem, enchi o porta-malas (1.350 litros com banco traseiro abaixado e 420 litros com ele levantado), como o caro leitor pode observar pela foto, e esse tesouro deve pesar, calculo eu, coisa de uns 300 kg ou mais. O motor do X1 nem deu bola e continuou acelerando forte, e além disso ele se manteve nivelado, não arriou a suspensão e continuou ágil, pregado no chão, rápido na cidade. Eu é que ia maneirando, entontecido pelo presente e cuidando bem dele.

Um tesouro!
AK




MINIFICHA TÉCNICA BMW X1 sDrive 20i SAV

MOTOR

Cilindros/válvulas
4 / 4
Cilindrada
1.997 cm³
Diâmetro x curso em mm
84 x 90,1
Potência
184 cv de 5.000 a 6.250 rpm
Torque
27,5 m·kgf de 1.250 a 4.500 rpm
Taxa de compressão
10:1
DESEMPENHO
Velocidade máxima
205 km/h
Aceleração 0-100 km/h
7,7 s
Aceleração 80-120 km/h em 4ª/5ª
7,3 s / 8,7 s
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha
1.585 kg
Capacidade do tanque
63 litros
PNEUS
Medida
225/50R17H










PREÇOS BMW X1


R$
sDrive 18i
116.950
sDrive 18i GP
124.950
sDrive 20i
129.950
sDrive 20i GP
134.950
sDrive 20i GP teto solar
139.950
xDrive 20i M GP
179.950




90 comentários :

  1. Belo post, AK!!

    Eu sou fan da série X da BMW, até da X6 hehe

    ResponderExcluir
  2. Ja vi que não vai ter cambio manual mesmo!

    Separe os 30% de livros que são repetidos ou que voce não quer e sorteie aqui no blog.
    Todos no Natal ou
    um por semana, durante um ano.
    Quem já ganhou não pode concorrer mais.

    Luiz CJ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho04/04/13 18:53

      Seria mais nobre o AK fazer uma mala de leitura, pra circular por aí.

      Excluir
  3. Não sou fã de "Suvs" (ou SAV's, como é o caso), mas o X1 sempre chamou minha atenção.
    Será que estes preços irão reduzir quando a BMW conseguir a certificação do Inovar Auto? E será o X1 um dos modelos da BMW a serem fabricados no Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho04/04/13 18:55

      A BMW já baixou os preços por conta do Inovar Auto...

      Excluir
  4. Sempre gostei muito mais da BMW do que da Mercedes, mesmo tendo andado muito mais de Mercedes, inclusive em viagens, e dirigido pouco BMWs. Mas a Mercedes passava a sensação de ser mais um carro confortável. Característica que acredito eu que não exista mais, já que a última q dirigi foi uma C240 2004, e hj as duas marcas devem estar bem parecidas. Já a BMW, antes de dirigir uma 320 2013, última q andei foi uma 528 97, a sensação é a mesma, frente colada no chão

    ResponderExcluir
  5. "Tive o prazer de testá-lo carregado. Um amigo mudou-se do interior para São Paulo e, dizendo que seu apartamento daqui não era tão espaçoso quanto o de lá, resolveu me dar a maior parte de sua coleção de livros de automóveis. Um verdadeiro tesouro. Ainda estou em estado de choque. Fui lá com o X1 buscar meu tesouro: 167 livros sobre carros antigos esportivos e de corrida!"

    AK, aposto que ganhar esse baita presente foi de longe a melhor coisa a lembrar da avaliação dessa BMW (não que o carro não seja estupendo de rememorar, mas puxa....literatura fina!!)

    MFF

    ResponderExcluir
  6. Esse BMW tem tudo o que quero: altura do solo, espaço interno, praticidade, elegância, desempenho e consumo contido. É o meu número. Pelo preço de três ordinárias Chevrolet Spin (meu carro atual - que bebe tanto quanto) chegaria ao paraíso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos 2 então companheiro! Carro top demais! Jeito é aposentar meu Linea e você sua Spin! haha

      Excluir
  7. Este X1 simplesmente não faz sentido algum de existir. É lamentável sob todos os pontos de vista racionais. Vejamos: (a) custa tanto quanto um série 3 de potencia equivalente, (b) tem centro de gravidade mais alto que um 3, portanto comportamento dinâmico e esportividade efetiva pior, (c) porta-malas menor que um 3 sedã, e muito menor que um 3 perua, (d) espaço traseiro menor que um 3, e (ufa!), (e) nenhuma capacidade off-road, visto que ângulos de entrada e saída são típicos de automóveis e a tração na maioria das versões é apenas traseira. Ou seja, qual a vantagem de dirigir um troço desses versus a opção sedã da mesma marca?? É um verdadeiro pato, não faz nada direito e custa o equivalente a um excelente sedã Série 3.
    Quanto ao X6, é o mesmo descalabro, mas um descalabro potencializado por uns R$400 mil a mais... Como diz o Mr. Clarkson, rubbish.
    Evidentemente eu devo estar errado, pois vende aos borbotões este X1... Pq será? Suspeito que quase ninguém compra automóvel por motivos objetivos. E esta mania besta de dirigir numa posição elevada aliada à "moda" dos jipinhos (vide-se a profusão de falsos off-roaders e a sobrevida que modelos totalmente defasados têm, especialmente o TR4 da Mitsubishi. Mulheres adoram...

    Abraço, AK, gosto muito das suas avaliações e causos, mas discordo totalmente de vc nesta.

    Felipe Reis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe,

      Ela não ser tão boa de chão quanto um sedã BMW não significa que ela seja ruim de chão. Ela é boa, sim, acredite.
      Volto a dizer que ela atende aos dois gostos. E é prática, não é grandona para guiar. Uma perua crossover que funciona, atende honestamente o mercado.
      Se você a dirigir, se a usar no dia a dia com a família, se viajar com ela, vai ver que ela resolve o problema familiar. Mas se você quer carro pra pista, pro racha, bom, aí é outra proposta.

      Excluir
    2. (e) nenhuma capacidade off-road, visto que ângulos de entrada e saída são típicos de automóveis e a tração na maioria das versões é apenas traseira.

      Não entendi, claramente ângulos melhores que o sedã, adequados à buraqueira e valas e lombadas mal feitas. Não, não é pra offroad, mas não é igual ao sedã. Como quase nenhum crossover vai pra terra, ele atende ao "offroad urbano", circulando bem pelo solo lunar de nossa terra...

      Excluir
    3. Felipe Reis,

      Você falou tudo o que eu penso sobre o X1, só que com mais convicção. hehe Honestamente, se eu tivesse ca$calho, iria de X3 ou X5.

      Já o X6, realmente é um trambolho. Parece que soldaram a carroceria de um cupê em cima da plataforma de um jipe.

      Excluir
    4. Lorenzo Frigerio04/04/13 18:57

      Isso é carro para mulher afluente que mora em condomínios suburbanos "se sentir segura". Nada mais.

      Excluir
    5. Caros Felipe, Lorenzo e também o anônimo daí de cima: PERFEITOS. Podemos estar errados, pois o carro vende a beça, mas que não faz sentido não faz. E nem é bom mesmo, embora seja muito melhor que qualquer coisa aqui e infinitamente pior que um série 3. Talvez sirva para as "madamas" e para os baixinhos ( sem ofensas Arnaldo. Eu "acredito" que vc tem 1,80 de altura...rs). Abs a todos. MAC.

      Excluir
    6. Achem o que acharem, volto à primeira frase do post. Quem manja de carro respeita o BMW.
      Críticas mais consistentes serão bem vindas.

      Excluir
    7. Pois é, não sei se manjo de carro, mas sei que os BMW são o meu sonho de consumo. Prefiro os Série 3 ou 5. Mas esse cross-over teutônico é 'wunderbar'! Para andar em terrenos ruins com classe...

      Excluir
    8. Arnaldo,

      Entendi o ponto de vista de todos até agora, inclusive o seu, mas convenhamos, por que a BMW perderia o filão dos crossovers? Felizmente a BMW conseguiu fazer um SUV (ou SAV) de mentirinha muito bem feito! Se eu compraria? Não! Mas é um carro bem prático, bonito e bom de dirigir certamente! Hoje pra sobreviver no mercado é preciso aderir aos gostos dos clientes... E como você disse, uma pessoa provida de inteligência e bom gosto sempre saberá que um BMW dispensa comentários quanto à qualidade e dirigibilidade!

      Excluir
    9. Mas é muito feio...

      Excluir
    10. Como tem gente bitolada! Ou é boa de chão ou é jipe. Peraí! Este crossover é um excelente carro pra família. Permite um desempenho mais que satisfatório na estrada, da pra manter velocidade de cruzeiro de 160 na mais santa paz e segurança, não é grande e desajeitada na cidade. E ainda permite fazer com tranquilidade o que seria "osso" fazer com um sedam série 3 que tem pouco vão livre: ir ao sitios, hoteis fazendas, cachoeiras, prias menos urbanizadas, ou seja, curtir a vida com a família sem se preocupar que o parachoque dianteiro vai ficar agarrado, ou que o carter vai bater, estas coisas que curte a vida e não tem um carro mais alto passa. Troquei meu Golf por uma Tucson ambos de mesmo valor. O Golf era muito melhor de chão, óbvio, mas como o AK falou num comentário acima, não quero carro pro racha. Quero espaço para colocar as tralhas no porta-malas e vão livre para pegar as estradas de terra (no seco, óbvio) na paz. A Tucson 2.0 mantenho 140 de velocidade de cruzeiro e consumo de 8 na cidade. Se tivesse grana pegava a X1. Abraços! Vinicius.

      Excluir
    11. Arnaldo,

      Não disse que o carro é ruim (em termos absolutos); apenas afirmei que ele não faz sentido. Deve ser, aliás, muito bom de guiar...Apenas afirmei que numa análise comparativa com uma opção de mesmo preço na mesma marca, a escolha pelo X1 é simplesmente irracional. Tal qual um sujeito que escolhe um Crossfox (aquele Fox com roupinha de escoteiro), Nissan XGear e correlatos, pagando uns R$10 mil a mais por acessórios inúteis e de gosto duvidoso.

      Parafraseando o MAO, com a série X a BMW "morreu". Pq? Pois um valor intrínseco dos fabricantes alemães se foi nesses modelos: "Não existe forma sem função". Em tempo: cobiço muito atualmente um 328i. Prefiro pensar que, tal qual a Porsche com o Cayenne, a série X serve pra BMW engordar o caixa pra continuar a fazer belos sedãs e cupês de tração traseira e handling magnífico, de modo a justificar o mote "Puro Prazer em Dirigir". A série X saiu do Marketing e não da Engenharia, fenômeno, aliás, que acomete quase todas as fabricantes.

      Abraço e valeu pela troca de idéias.

      Felipe Reis

      Excluir
    12. Felipe, para a maioria das pessoas o que a X1 oferece de estabilidade e desempenho, basta. Para outros, como você e eu, a BMW tem a Série 3, etc. Nós nos propomos ao sacrifício de ter mais cuidado com um carro baixo para que tenhamos melhor chão, mas a maioria, não. Porque a BMW não atenderia esse mercado? Não sacrificou em nada seus sedâs e esportivos para isso. Cada um é ada um, uai.

      Excluir
    13. Existem pessoas que não querem dirigir um sedã... Mesmo um série 3 que custa tanto quando uma X1.
      Eu tenho um X1 e acho o carro excelente. Antes de compra-la fiz teste drive em diversos carros das mesma faixa de preço e posso afirmar que essa BMW entrega muito conforto e prazer de dirigir.

      Gustavo

      Excluir
    14. Engano seu meu camarada!
      Esse carro é muito mais versátil que osérie 3 e muito mais ainda que o série 1.
      Não se esqueça estamos no Brasil e não na Alemanha!
      Nossas ruas cheias de buracos ,quebra-molas,desniveladas de asfaltos da pior qualidade,esse BMW cai como uma luva pra quem gosta de BMW e está no Brasil.
      Tenta colocar 4pessoas numa 3 ou 1,e passar em quebra-molas,ruas esburacadas,subir e descer rampas etc,raspa em tudo meu amigo!
      Esse carro tem a dirigibilidade de um autêntico BMW,sem esses inconvenientes e mais adequado pra nossas ruas.

      Excluir
    15. Felipe Reis!!! Gostaria de saber se você já teve a oportunidade de passar uns 10 dias dirigindo um BMW X1, mesmo a de entrada com 150 CV, já?
      Muitos falam que falta isso ou aquilo, que é um absurdo um carro tão pelado..... e por aí vai.
      Talvez seu carro seja um de valor bem maior, na faixa dos R$ 400.000,00 ou mais, aí sim, você poderá dizer que a X1 é "um pato".
      Se não for o seu caso, passe 10 dias com uma e depois me diga com toda humildade e sinceridade possível.
      ABRAÇO.

      Excluir
    16. Realmente é uma questão de ponto de vista. No meu, faz muito mais sentido ter um carro que seja mais propicio ao mundo real brasileiro, cheio de buracos... E nisso a X1 é mais adaptada do que um 320i.

      Excluir
    17. Tenho uma X1 que tirei ZERO há quase um ano, e apesar de ser a s18i, realmente não é nem um pouco fraca. Os 150 cv são bem suficientes para andar na cidade, e nas estradas esburacadas permitem manter uma boa média. Nada vibra, nada bate, nada faz barulho. É toda justa e silenciosa. A dirigibilidade é ótima. Não se comparara a nada que não seja BMW ou Mercedes. Na próxima troca devo optar por outra X1 possivelmente a 20i Twin Turbo, mais por efeito psicológico e pelas oito marchas e menos por ter mais motor, pois isso não falta em nenhuma delas. BMW é BMW mesmo as mais simples.

      Excluir
  8. Arnaldo,

    Parabéns pelos post. Como sempre, faz parecer que se trata de um texto escrito por um amigo antigo quando lemos. Agora, uma curiosidade que tenho certeza que muitos aqui também partilham: Esta fábrica onde você trabalha, é sua ou você é apenas empregado? O que faz profissionalmente além de testar essas jóias e relatar aqui para nós?

    Se entrei em um terreno muito pessoal, antecipo minhas desculpas.

    Um abração

    Muriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muriel,

      A fábrica não é minha, não. Só presto assessoria de meio período lá.

      Excluir
  9. Rafael Nakazato04/04/13 15:26

    Sempre achei que ele fosse maior. Interessante como o desenho do carro o faz parecer maior do que realmente é. Seu comprimento é menor que de um corolla (4,52 m), civic (4,54 m) e sentra (4,57 m). Já na largura, é maior.
    Tinha um preconceito desse modelo por achar que ele não faria o serviço como deveria, nem de um sedan, nem de um utilitário. Mas é um BMW né.
    Como é que não faria o serviço direito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazendo o carro com teto mais alto, os passageiros se posicionam mais verticalmente e há ganho no espaço interno.Para suas dimensões, ela tem ótimo espaço interno.

      Excluir
    2. Mas que aperta as pernas, não dá para esticá-las e para quem é alto bate a cabeça, não tenha dúvida! Tenho 1,87, já entrei em quase todos, inclusive um BMW e fiquei torto.Caminhonetes incluídas. Nenhuma que eu entrei coube. Meu irmão idem e vários colegas também. Nenhum modêlo. Crossovers apertam. Abs. MAC

      Excluir
  10. Não entendo por que, com tanto torque disponivel desde baixos giros, há a necessidade de 8 marchas. Imagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta, Anônimo. Acho que com a tecnologia hoje disponível está fácil e não tão caro fazer câmbios com essas tantas marchas. Além do mais, as trocas são imperceptíveis. Com diferença de giro menor entre marchas, as trocas ficam mais suaves.
      Imagem? Não acredito. Servem também para baixar consumo e também atingir níveis de emissões cada vez mais restritos.
      Só sei que funciona..

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio04/04/13 18:53

      O grande paradoxo da cultura do automóvel é que os carros que mais precisam de marchas são justamente os que têm os motores mais fracos. Por razões de custo de aquisição, o que mais tem por aí é 1.0 a 1.4 8v sem variação de fase, que não só teriam melhor desempenho como seriam mais econômicos com um bem escalonado câmbio de 6 marchas. Entretanto, pelo velho "fator custo", acabam com câmbios curtos de 5 marchas para que sobre algum resquício de dirigibilidade em situações metropolitanas. Então é a velha história, "a economia é a base da porcaria".

      Excluir
    3. Marcelo Augusto05/04/13 21:31

      É fácil somente para os epicíclicos, que já tem até de nove, no automático da Honda vai ficar complicado devido espaço. Vivemos no mundo onde mais é melhor, certamente já estão pensando em 10.

      Com tamanha elasticidade desses motores turbo, certamente não tem necessidade de mais que 6, mesmo considerando dar um chapé em normas de poluição.

      Excluir
  11. O X1 é dos raros crossovers ou SUVs a que daria alguma chance, justamente por se distanciar do normal de um veículo do tipo. Sua altura total é de 1,54 m, mas sua altura livre do solo é de 19 cm. Certa vez vi um na rua estacionado e um Fox pertinho dele. Sim, a altura total de ambos os veículos é muitíssimo parecida, mas se o X1 tivesse a altura livre do solo que o Fox tem, seria mais baixo que o mesmo, o que acaba tornando interessante um Bimmer que permita ignorar solenemente os buracos da rua, mas sem te elevar às alturas que lhe seriam impostas caso seu carro fosse um Palio Adventure. Sabe aquela valeta bem no cruzamento de uma rua, na qual a maior parte dos carros bate a frente? O X1 ignora e também é beneficiado pelo curto balanço dianteiro.
    Outro ponto a favor do modelo está em seu tamanho. 4,45 m é mais curto do que todos os médios obesos vendidos atualmente no país e é pouca coisa mais longo que a maioria dos sedãs compactos obesos (City, Versa etc.). Se há algo interessante na BMW é que seus carros não são as banheiras que alguns modelos de mesma faixa se tornaram. E que isso assim continue, pois levar para casa centímetros que só contam mesmo nas dimensões externas não faz sentido. Se levarmos em conta o diâmetro de giro, que é de altos 11,3 m, ainda assim veremos que regula com a maioria dos carros médios atuais (ainda que dê para imaginar que a BMW pudesse ter se esforçado mais nesse aspecto).

    Fiquei surpreso com o consumo de 7 km/l na cidade e 10 km/l na estrada. Os modelos da BMW costumam ser mais econômicos que isso, mas como estamos falando de um X1 aspirado e com transmissão de seis marchas, é possível que não esteja tão otimizado para os consumos extraordinariamente baixos que vemos nos modelos lançados após ele (vide 328i F30 fazendo 18 km/l na estrada). Logo, estamos falando do motor N46, que a alguns gerará preocupação sobre a qualidade da vedação das válvulas, reclamação essa que ocorre tanto no Brasil (a que atribuíram ao combustível alcoolizado daqui), mas que também vem ocorrendo em países cuja gasolina não possui álcool na composição.
    Ainda assim, fica o receio de que a próxima geração do X1 seja BMW de araque, passando a usar a plataforma UKL, aquela uma de tração dianteira, o que acabaria tirando o encanto do modelo atual e o tornaria apenas mais um genérico, algo que se agrava se pensarmos que BMW e tração traseira são coisas associadas (também entrando aí o tal 50-50 de distribuição de peso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      a de teste é uma turbo de 8 marchas

      Excluir
    2. Então vou estranhar ainda mais os 7 km/l na cidade e 10 km/l na estrada. Não sei que tipo de uso você fez. Pisou pesado demais no acelerador ou foi no pé leve?

      Excluir
    3. Não pisei demais, não. Tudo normal, como no dia a dia.

      Excluir
    4. Então realmente essas marcas estão esquisitas para o trem de força em questão. O X1 pode ter maior área frontal e permitir passar mais ar por baixo que um Série 3 F30, bem como ter pouca coisa a mais de peso, mas ainda assim isso é insuficiente para explicar tamanha diferença de consumo.

      Excluir
  12. Achei o carro bonito ao vivo e, diferente do sedan, com mais opcoes de cores na concessionaria. Mas o espaco no banco de tras me decepcionou. Tenho 1.80 e achei apertado sentar atras de um cara do meu tamanho no banco do motorista

    ResponderExcluir
  13. Ak, vê se consegue testar o série 3 com essa mesma configuração de motor.

    ResponderExcluir
  14. Marco R. A.04/04/13 17:29

    Olá Arnaldo.

    Imagino que a maior quantidade de marchas tem como objetivo aproveitar melhor o torque.
    Por que não utilizar um câmbio CVT?

    Att.

    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco, a BMW tem câmbio CVT? Acho que o uso dessa caixa ZF é justamente porque é "boa, bonita e barata". Poupa a marca de projetar (e testar, testar, testar) um câmbio, e garante um produto de qualidade testada e comprovada em carros de várias marcas.

      Excluir
    2. Marco R. A.05/04/13 10:51

      Thales, eu não sei se a BMW tem câmbio CVT. Imagino que não. Mas justamente gostaria de saber se não compensa fazer um investimento desse tipo. Pelo jeito o CVT não seria tão melhor que uma caixa normal, principalmente uma com 8 marchas, mas queria uma justificativa mais técnica tipo: "as polias CVT são mais frágeis e quebram mais fácil", ou "O CVT não funciona tão bem em baixas rotações, por isso ou por aquilo".

      Excluir
  15. Embora ache algumas (como esta, por exemplo) bem bacanas, esta moda de SUV, SAV, ou seja lá a denominação que derem, não me contaminou. Sou muito mais as velhas e boas peruas, ou para ser mais esnobe, stations wagons, he, he.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Mr. Car,

      Acho que devo ser um dos poucos a concordar contigo. Também prefiro muito mais as 'peruas', tanto na praticidade quanto no estilo mesmo.

      Abç!

      Leo-RJ

      Excluir
    2. Vão para um sítio, fazenda, cachoeira, prais (ou seja estrada de terra esburacada ), com uma perua ou outro carro com pouco vão livre e com um bom crossover (bom de chão como esta aí). Aí vocês vão entender. Todo final de semana pego minha família mais 2 bikes pequenas no e mais a tralha toda e vou para os locais descritos acima. Depois que comprei um crossover entendi a funcionalidade do mesmo, antes era como vocês. Abraço! Vinicius.

      Excluir
    3. Estou na mesma situação que o Vinicius. Antes eu tinha preconceito com os suves e crossovers da moda. Pura bobagem, pois sequer havia dirigido um. Até que o destino colocou um na minha garagem.
      É obvio que um sedã é melhor de curvas, mas certamente ele não me levaria aonde um "altinho" tem me levado ultimamente. É claro também que "suves urbanos" não são aptos ao off-road. São um meio-termo, justamente aquilo que uma família precisa pra se divertir as vezes.

      P.S.: os críticos do X1 já o experimentaram ao volante?

      Excluir
    4. Vinicius e Gustavo, vocês estão andando por estradinhas bem ruinzinhas, heim, he, he?! Mesmo em sítios, fazendas, ou estradinhas de terra, se a coisa não estiver um caos, uma station passa brincando.

      Excluir
    5. Marcelo Junji05/04/13 21:48

      Mr. Car, SW só passa brincando descarregada. Com carga máxima, o assoalho do carro vai pro saco.

      Excluir
    6. Mr. Car, você como um brasiliense habitando as terras cariocas (assim como eu), há de convir que trafegar pelo Rio já é quase uma aventura off-road, rs.
      Mês passado fui a Visconde de Mauá. Embora seja uma cidadezinha aprazível, ideal pra ir com a família, as estradas da região estavam horríveis. Vi muito sedã e perua raspando parachoque o carter. Dava dó. Enquanto eu passava sossegado, apenas sacolejando um pouco. Vi até uma Amarok tombada de lado na valeta (certamente por imperícia do condutor).
      Mas confesso que, se fosse pra optar por um BMW, iria no legítimo, o série 3 (sem ser X), que só me traz boas lembranças.

      Excluir
    7. Caros, sempre fui à locais afastados, tive sítio em Sana (RJ) e viajei muito pelo país em carros perua mesmo, sempre sem problemas.

      Nos anos 80 e início dos anos 90 não existiam modelos "crossovers" e todos já iam para os lugares de fazenda, estrada de terra e etc., levando bikes, caiaques e asa-delta, mas bagagem amigos e família, e isso usando as peruas sempre problemas.

      Fiz muito isso de Caravan, Quantum, Parati e Ipanema, com mala cheia, assentos idem e levando pranchas de surf, caiaques e até asa-delta... e nunca tive problema de assoalho bantendo no piso etc.

      Esses lugares já existiam - e todos os frequentavam - anos antes dos crosssovers.

      E olha que tenho termo de comparação com carros altos, pois tive também uma Toyota Bandeirantes, a qual intercalava o uso com as peruas em fazendas, estradas de terra etc. Sempre sem problemas.

      Abç!

      Leo-RJ

      Excluir
    8. Caro Leo, estou de pleno acordo com você, tanto que só recomendo SUV para quem realmente precise daquele algo a mais que ele proporciona. Se não precisar, desencana.
      Mas esse X1 não chega a ser um SUV e a estabilidade, comportamento, é mais que suficiente para viagens velozes com muita segurança e tranquilidade, portanto, absolutamente nada a alertar a um interessado. É uma perua bem prática e confortável e, como está claro no texto, segue o padrão BMW de nos dar prazer de guiar.

      Excluir
    9. É o que digo: nossos amigos andam freqüentando estradinhas bem ruinzinhas, como as de Mauá, he, he, como o proprio Gustavo relatou. Meu tio, pescador inveterado, tinha uma Caravan para suas aventuras em Minas, Goiás, e Mato Grosso. A bicha ia lotada de tralhas e primos, e dava conta direitinho. Não existiam SUVs.

      Excluir
    10. Caro AK,

      E o padrão BMW de prazer em guiar é mesmo algo que não pode ser deixado de lado por quem é mesmo autoentusiasta... ;)

      Porém, desde que dirigi uma Subaru Outback ano 1999 fiquei fã desta carro.

      Abraços!



      Caro Mr. Car,

      Como disse o AK, quem não precisa daquele "algo a mais", pode desencanar sem problemas... rs.

      Eu mesmo pegava a estrada indo para Mauá (e até Sana, que nos anos 80 e início dos 90 era bem pior do que hoje, sendo que hoje já é bem pior do que indo para Mauá) de Caravan mesmo (e sua estabilidade de barca) e Ipanema sem qualquer problema, 'batida de fundo' ou arrebentar com o carro.

      Para mim, atualmente, uma Subaru Outback seria a melhor opção (mais pela tração do que pela altura pouco maior do que a média das 'peruas'). Mas está difícil encontrar uma, com fabricação entre o ano 2000 e 2002, em bom estado para comprar.

      Abraços!!


      Leo-RJ

      Excluir
    11. LEO-RJ, antigamente também não existia injeção eletrônica, e os carros andavam sem problema. Acontece que hoje existe coisa melhor hehe.
      Quando criança, eu ia pescar com meu avô na Variant dele. O caminho era bem ruim, mas chegávamos numa boa. O velho VW nunca deixou meu avô na mão. Resumindo: dá pra ir numa perua, mas um suve vai melhor.
      Ocorre que muita gente dá opinião sem sequer ter dirigido o carro (não é seu caso), difundindo um preconceito sem muito sentido. Confesso que eu tinha esse preconceito com os "altinhos da moda", até me ver obrigado a conviver com um.
      Tá certo que são carros que, em geral, não agradam ao gosto dos autoentusiastas, mas têm seu valor.
      Abraço.

      Excluir
  16. Marcelo Augusto04/04/13 18:15

    Nada mais versátil que uma perua.

    Não entendo porque nosso mercado consumidor as abandonou em troca de sedãs pequenos lá leste europeu. Dá a impressão que acabou o dinheiro pra comprar um sedã de verdade, de padrão normal, americano; ou seria apenas desejo de ser como esses?

    ResponderExcluir
  17. Arnaldo, fiquei imaginando esta BMW com um câmbio manual de 06 marchas..."Deustchland über alles".

    ResponderExcluir
  18. Infelizmente nosso asfalto me faz pensar num veículo mais alto que meu sedã. Infelizmente mesmo, pois esse tipo de carroceria só se justifica pelo nosso asfalto lunar, afinal não consigo ver nenhuma outra razão em ter um veículo que só consegue 10 km/l na estrada, mesmo com esse conjunto motor/transmissão! Toda essa modernidade se perde na ineficiência desse tipo de carroceria, mesmo não sendo tão pesada. Chega a ser irracional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felix, a BMW divulga que ela é mais econômica do que apurei. Ela merece nosso crédito. Minhas apurações podem não ser exatas, apesar de ter usado o computador de bordo do carro. Também estranhei um pouco.

      Excluir
    2. Espero que o consumo real seja melhor, é estranho mesmo. Afinal o 320i, pesando quase 1500 kg (teste QR de jan, acho), não pode ser tão mais eficiente. Aliás, o 320i é um sonho mesmo: não é um foguete, mas parece conciliar desempenho com consumo como poucos.

      Excluir
    3. É meu caro!
      Tenta ir numa loja ,comprar um ar condicionado pra casa,-de 12000btus de preferência-e coloca-lo no porta-malas de um sedã médio,aí verás que só serve pra passear mesmo.
      Então darás valor em um carro como esta X1,em que você tem uma dirigibilidade de um sedã premium e, praticidade de uma perua ou pickup pequena.

      Excluir
  19. OFF TOPIC:

    Arnaldo, você viu como estão sendo realizados os testes psicotécnicos no PR? Depois que o governo passou esse serviço para clínicas particulares, o exame psicotécnico virou simplesmente uma questão de sorte, não há critério algum para ser aprovado, e se você tiver o azar de ser "escolhido" pela clínica vai reprovar dezenas de vezes. Tudo isso para enriquecer as clínicas credenciadas.

    E o pior: sem poder saber aonde errou, já que o resultado dos testes é sigiloso (até para quem os realizou). Ou seja, é "sorte" mesmo, como se precisássemos de sorte para dirigir.

    http://g1.globo.com/videos/parana/paranatv-1edicao/t/edicoes/v/teste-psicologico-do-detran-e-alvo-de-reclamacoes/2059549/

    http://ferramentario.blogspot.com.br/2011/06/mais-irregularidades-no-detranpr.html

    http://ferramentario.blogspot.com.br/2012/07/testes-psicotecnicos-no-detranpr.html

    http://www.reclameaqui.com.br/2553190/detran-pr/exame-psicotecnico/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco R. A.05/04/13 11:00

      É difícil encontrar uma pessoa aqui em Foz do Iguaçu-PR que não tenha reprovado pelo menos 2 vezes no teste de habilitação. Em Bauru-SP, de onde vim, acontecia o inverso. Estranha essa história...

      Excluir
  20. Arnaldo, como é a direção do carro?

    Eu tenho um 118i E81 e noto que a direção tem peso, o freio tem peso, todos os comando tem um certo peso na medida certa, nunca leve demais ou extremamente pesado. Mais ou menos o que você descreveu do Cooper S que testou, inclusive do peso dos botões no volante.

    Não sei se as novas direções elétricas os BMWs vão perder esse gostinho. Eu dirigi um Audi A4 com direção elétrica e queria mandar o carro para o inferno. Extremamente leve em baixa velocidade e com uma regressão de assistência agressiva. Tinha o peso certo em alta, mas eu perguntava sempre como o volante iria responder, eu tinha que dar uma "cutucada" para ter certeza de como a direção iria responder. Eu tentei achar controle de assistência, mas a versão que eu dirigi não tinha.

    Outro Focus que dirigi alugado era um carro extremamente honesto. Ele atropelava o Audi A4 e era mais econômico. A direção não era tão leve em baixa e nem tão acertada em alta, mas nada que incomodasse, no final das contas era mehor. O defeito do Focus era o monte de botões leves espalhados pelo volante e toda hora trocava sem querer a estação de rádio. A melhor lembrança foi com o Focus, pois eu peguei uma Autobahn que não tinha 50 metros de reta, era só curva sobre curva. E eu nos 210 de máxima do carrinho pra lá e pra cá, pensa numa criança feliz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cabral,

      fique sossegado. Ainda não peguei um BMW com a direção com peso errado. Já te entendi e fique tranquilo, pois é do jeito que a gente gosta.

      Excluir
    2. Valeu, Arnaldo!

      Só mais um comentário, sobre o teste que vc fez com o Mini. Meu carro tem 136 cv e já fiz esse teste no paralelepípedo molhado: Desliga o controle de tração e ele só dá uma leve patinada e saí acelerando tudo. Mas essa condição é o que o manual dos BMWs recomenda para dirigir na neve, ela tolera um pouco de escorregamento, mas a eletrônica está toda lá controlando como a potência é despejada. Eu fiz isso inclusive numa subida perto da casa da minha tia que é bem encardida, onde uma vez um Gol cheio de senhoras amigas dela encalhou. Elas racharam o bico quando eu e meu irmão descemos do nosso carro (um Chevette que subiu tranqüilamente). "Vocês vão empurrar?". Então eu sentei no capô de um lado e meu irmão do outro, e o Golzinho subiu de boa. Empurramos o carro pro lado que ele precisava. Mas o BMW tracionou tudo lá nessa subida, chovendo, com controle de tração desligado, parando o carro e cravando o pé. Não dá para acreditar que ele fez aquilo, e não dá para notar a eletrônica se mexendo sob o capô, mas ela está lá sim. Para fazer ele patinar para valer tem que desligar o controle de estabilidade, aí ele cruza o quarteirão de paralelepípedo na chuva patinando como o esperado.

      Excluir
    3. Cabral, de nada adianta a eletrônica, se o pneu não tiver condições físicas para tracionar. A única coisa que a eletrônica faz, nesse caso, é evitar derrapagens. Mas o Mini, como vc mesmo diz, sai com tudo, agarra e acelera sob condições que surpreendem mesmo.Nunca vi tração dianteira agarrar tanto.

      Excluir
    4. Com certeza, mas a eletrônica ajuda a extrair o máximo que o pneu pode dar. Nessas condições de baixa aderência qualquer coisinha faz qualquer pneu e qualquer suspensão, por melhor que seja, perder totalmente a aderência. Se desligar toda a eletrônica nessas condições ele vai se comportar como o esperado.

      Excluir
  21. Estranho é que uma velha revista especializada soltou um pombo nos últimos meses: os BMW estariam com problemas sérios de motor, por falta de adaptação à 'alcoolina' tupiniquim. Alguém ouviu falar disso por aí? Não sei de nada a esse respeito, e continuo admirando os bávaros e suas máquinas maravilhosas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é a gasolina, mas o óleo lubrificante de baixa qualidade que a BMW do Brasil utiliza. É um óleo Motul que não existe em nenhum outro lugar do mundo, não sei nem mesmo se não é pirata.

      Excluir
    2. Cabral, há relatos de problemas no motor N46 também em outros lugares onde a gasolina não possui álcool na composição:

      http://www.tunetech.co.za/2011/07/26/smoking-oil-consumption-and-oil-leaks/

      http://www.bmw-sg.com/forums/engine-performance-transmission-section/38058-missing-engine-oil-3.html

      http://forum.e46fanatics.com/showthread.php?t=760060

      Pelo que o último link diz, o problema está mesmo no tipo de óleo que a BMW recomenda. Tem de ser um da Castrol de altíssima qualidade (LL01 FE, não podendo sequer ser o LL01 comum ou o LL04). Infelizmente a BMW não conseguiu fazer motores avançados que requeiram óleo menos enjoado (como conseguiram os japoneses).

      Excluir
    3. Tem boi na linha, o LL-01 FE significa que é um óleo de viscosidade HTHS reduzida para economia de combustível, FE (Fuel Economy). Na norma ACEA existe a classificação A5/B5, para óleos de economia de combustível. No manual da ACEA diz que esse óleo não pode ser aplicados se o motor não for homologado para ele, pois existe risco de danos ao motor. A BMW criou a LL-01 FE para evitar a utilização de qualquer óleo de economia de combustível, e colocou viscosidade HTHS mínima de 3,0 mPa•s, enquanto a ACEA A5/B5 fala em 2,9 mPa•s.

      No manual do ele não recomenda a utilização do LL-01 FE, apenas diz que é homologado.

      No geral, eu nunca li uma boa experiência com óleo de economia de combustível.

      Aqui tem a pesquisa que eu fiz sobre esse óleo: http://24std-rennen.blogspot.com/b/post-preview?token=dSrV3T0BAAA.mzngTWTi8eeL_CyHXbVMuQ.PLy7861B_nfsdpAg9fp67w&postId=4733003678547768651&type=POST

      Excluir
    4. De qualquer maneira, isso não invalida o fato de que o N46 tem retentores de válvulas de má qualidade que fazem o motor fumegar com poucos milhares de quilômetros, independente da gasolina que se utilize nele e que lá fora descobriram também que há algum problema na especificação de óleo recomendada para o propulsor.

      Excluir
  22. Estou considerando um SUV pela quantidade de buracos de nossas ruas. Este BMW pelo que oferece ate que não está tao caro, voces viram a que preço vai vir o CRV flex?, quase caí pra tras ao saber o preço.

    ResponderExcluir
  23. Caro AK,

    Se der, depois, comente mais sobre essa preciosa doação dos livros... rs

    Abraços!

    ResponderExcluir
  24. Feliz é o homem que tem espaço em casa para ganhar livros e algum tempo disponível para ler cada um deles!
    Certa vez uma sábio lamentou pela brevidade da vida, uma vez que ele não teria tempo para ler todos os livros que desejava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JT,

      Sábio é aquele garoto bonzinho e limpinho, aquele tal de Chalita. Deve ter lido uns 2 livros na vida e já escreveu uns 200.
      É fenomenal esse rapaz. Se não derem uma brecada nele, ele acaba escrevendo uns 20 mil. Ele tem muito a dizer, a ensinar sobre a vida. É assombroso.

      Excluir
    2. Arnaldo,
      O sábio a que me referi era Carl Sagan. Sobre elementos engomadinhos com fala mansa, que escrevem livros tão profundos quanto um capô de Corcel selado, só tenho um conselho: passa reto.
      Jean

      Excluir
    3. Marcelo Augusto05/04/13 21:36

      Não sei se o Chalita é honesto ou inocente, fiquei na dúvida ao ver sua declaração de bens. Agora quando ao D'urso, eu fiquei com dó, deu vontade de dar uma esmola.

      Esse povo da política é bem estranho, mas é inegável que qualquer deles cause inveja a Tony Soprano.

      Excluir
  25. Que eu me lembre quem escreveu sobre a brevidade da vida foi o Sêneca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, teve um outro filósofo, além do Sêneca, que filosofava sobre a brevidade da vida, mas esse não escreveu nada, porque não teve tempo de fazê-lo.

      Excluir
    2. kkkk, aposto que ele estava pescando!!!

      Excluir
  26. Faltou o vídeo no final do post, fiquei mal acostumado...rsrs
    Mas como sempre, um post empolgante de ler.

    ResponderExcluir
  27. Tive duas c 180 , mas resido em uma cidade de interior com inumeros buracos e pisos irregulares,e nao tinha mais como conviver com tais carros , vazio o mercedes ja raspava com facilidade , nem digo quando estava com carona . Fiquei muito na duvida entre o novo 320 e o x1 20i, mas no final, a altura do solo e estilo me fez ir pro x1. O interior é mais simplório que a Mercedes e tb do 320 , mas em motor e praticidade , estou muito satisfeito . OUtro ponto negativo do X1 é a rigidez da suspensao.
    ABs.

    ResponderExcluir
  28. Também tenho uma X1 e estou muito satisfeito, a exceção é a rigidez da suspensão que em ruas brasileiras causa desconforto, numa estrada boa é uma maravilha!

    ResponderExcluir
  29. Tenho uma X1 GP com teto 2014.
    Ela é excelente e propriamente não deveria ser comparada a um sedã, mas já que fizeram tive uma C200 2010 e um A4 2012 por ser uma SAV.
    Internamente ela pode ser comparada a eles e também na forma de dirigir.
    Supera os dois em larga escala.
    Troquei o filtro, instalei um pedal booster e o xip.
    Ficou bem melhor por um custo menor que a XDRIVE e com a vantagem de tração traseira já que a BMW não disponibiliza esta configuração que é a minha preferida.
    Não troco mais BMW por Audi ou Mercedes na mesma faixa de investimento.

    Parabéns aos críticos. Todos têm suas razões e são fundamentadas em suas experiências.
    Gunther Heller

    ResponderExcluir
  30. Uma coisa que não gosto nos BMWs, é o interior... certo, ele é bem acabado, não tem falhas, mas é simples, não passa aquela sensação que você gastou 150, 200 mil no carro. Acho que poderiam modernizar um pouco esse interior, como a Ford por exemplo conseguiu... não estou querendo comparar Ford com BMW, mas sim indicar um trabalho relativamente bem pensado, pelos valores de venda de seus veículos. Vide Fusion, novo Focus...

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.