POR QUE EU NÃO POSSO LAVAR MEU CARRO NO POSTO ?



A cena acima é algo comum em muitos países, e quase impensável no Brasil.

Trata-se de um box de lavagem onde o motorista pode ele mesmo lavar seu carro.

Com equipamentos práticos de usar e disponíveis através de moedas ou cartões de crédito, não requer nenhuma pessoa para ajudar em nada.

Há aspiradores de pó, água, sabão e secador, tudo pago por tempo de uso e com o serviço braçal do motorista. E sem precisar guardar tudo depois.


É melhor do que lavar em casa, mais rápido e obviamente, se você faz no seu carro um serviço mais cuidadoso. O risco de se danificar um emblema, friso ou limpador de pára-brisa diminui muito quando nós mesmos manuseamos nosso carro. Esse cuidado não é comum quando uma pessoa estranha faz o trabalho que o usuário do carro deveria fazer.

Mas a enorme maioria daquelas pessoas que dizem gostar muito de seus carros não os lava, ou por não ter o lugar disponível, ou por não gostar mesmo do serviço. Alguns dizem que não o fazem para não serem "escravos" do carro.

Eu acredito então que outras coisas não devam ser limpas por essas pessoas, como por exemplo a chão da sala de estar, a louça das refeições ou até mesmo dar banho nos filhos pequenos. Afinal, tudo isso pode "escravizá-las".

Essa desculpa é uma grande bobeira, daquelas bem tipicas de brasileiros.

Mas há uma outra faceta em não se querer lavar o próprio carro. É uma imagem que esse tipo de serviço deve ser feito por serviçais. Deve ser algum resquício dos tempos da escravidão, ou mais modernamente, do coronelismo.

Como se existisse algum tipo de trabalho indigno a ponto de um ser humano normal não dever realizar. Dentro das leis, claro.

Esse tipo de serviço foi visto por mim apenas uma vez aqui em São Paulo, em um posto da Avenida Professor Francisco Morato. Durou pouco, e os porquês só podem ser esses expostos acima.

Ou, se não forem, teria sido alguma pressão por parte de algum sindicato?



De minha parte, acho absolutamente desagradável confiar uma atividade tão simples a outras pessoas, e ficar lá parado, olhando, como se fosse alguma celebridade de açúcar, que não pode se molhar senão desmancha.

Claro que se pode deixar o carro para lavar e virar as costas, voltando depois. É exatamente o que muitos fazem com seus animais de estimação, nos cada vez mais difundidos pet shops. Nada pessoal, nem carinhoso para com o animal. Por que fazer o mesmo com seu querido carro?

E o mais interessante é que existem locais onde se lava o carro e o animal também.  Veja a placa na foto abaixo.




Esses boxes de lavagem têm tecnologias cada vez mais modernas, visando economizar água através de filtração e reciclagem, usar produtos biodegradáveis, que consumam pouca energia elétrica,  utilização de  de água quente, aplicação de cera, máquina para lavagem de sobre-tapetes, modos de pagamento por dinheiro ou cartões etc.

América do Norte e Europa os tem aos montes, e não é nenhuma novidade. Não dependem de ter o posto de serviços funcionando, já que tudo é acionado via pagamento em máquinas, Assim, podem funcionar a qualquer hora. Aquela insônia pode se transformar em um carro limpo para o dia seguinte.





Gostaria mesmo de ver esse tipo de serviço disponível no Brasil. Eu seria um utilizador assíduo. Se alguém souber da existência de uma auto-lavagem dessas, nos informem nos comentários.






JJ

131 comentários :

  1. Por quê?
    Simples. Isso é o Brasil. Em menos de uma semana teriam quebrado e/ou roubado absolutamente todo o material e equipamento.

    Próxima pergunta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk putis rachei veio

      Excluir
  2. Aqui em Blumenau-SC, as pessoas não têm o costume de calibrar o pneu do carro por conta própria. Sequer descem do carro. Contam com o frentista, a quem - quando muito - dizem "obrigado". E só.

    Dizem que é a cultura germânica. Eu concordo. Lembra muito o nazismo.

    ResponderExcluir
  3. 1 - A mão de obra aqui é barata. Te garanto que uma boa galera lá adoraria ter o carro lavado por 10 dolares igual aqui.

    2 - Carro aqui é um eletrodoméstico com objetivo de ostentação. Não há ligação entre o carro e o dono.

    3 - Brasileiro é preguiçoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morei 10 anos nos EUS, la a pessoa pode pagar US$8 e é lavado sem ter que sair do carro,vc apenas coloca o carro na catraca em ponto morto e ele vai passando por varias fases até o final o carro sai seco, demora coisa de 5-10 minutos, e acredite o carro fica limpinho!

      Excluir
  4. JJ
    Interessante esse negócio aí...
    Motivos para não dar certo no Brasil é que não faltam, porém, o maior deles é a preguiça, a vagabundagem. Imagina se o pançudo vai abrir mão do futebol e da cerveja em troca de esfregar o seu enorme SUV. Círculo vicioso, meu caro, cada vêz mais preguiçoso, cada vêz mais gordo...hehehe.

    ResponderExcluir
  5. No Brasil o auto-serviço para abastecer foi tornado proibido por decreto há alguns anos para garantir o emprego de frentista, vejam se pode. Não sei como foi permitida cobrança automática nos postos de pedágio.

    ResponderExcluir
  6. Lavar o carro é muito bom, era atividade familiar quando eu era garoto, me sobravam as soleiras e rodas por ser o caçula, e era muito bom fazer aquilo, não faço mais porque em condomínios não é permitido.

    Outra coisa que se faz nos EUA e não aqui é você abastecer seu carro, sem frentista.

    Agora, concordo com o Leonardo do primeiro comentário, se não depenassem o posto, inventariam modos de enganar a máquina.

    ResponderExcluir
  7. Belo post, ontem mesmo estava pensando em quetão de economia de agua e pensei em paises desenvolvidos como era feito. Acabei de descobrir.

    Lembro de um tempo atraz havia algo parecido em Osasco, mas só com aspirador, era bem disputado.. Hoje não existe mais.

    Tambem lembro a alguns anos existiam posto de gasolina nesse esquema tambem, era muito bom, e era posto bandeira grande, bem tradicional creio que o sindicato proibiu isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro também de aspiradores de posto de gasolina. Muito mais fortes e eficientes que os domésticos, mas hoje não se vê mais. E a cara que fazem quando você resolve lavar o próprio carro, eu não sei descrever se é de espanto ou de desprezo, como se ter diploma e emprego fosse determinante pra não poder limpar nem a própria bunda.

      Excluir
  8. Perto de casa tem um posto com aspirador automático parecido com o da segunda foto, que funciona com moedas. Nunca vi ninguém usando. A mão de obra barata somada à preguiça faz com que essas máquinas não dêem certo, é besteira o dono do negócio gastar seu dinheiro com isso. Basta ver que o Metrô de São Paulo abandonou as máquinas automáticas de bilhete, que existem no mundo todo, porque ninguém usava. Nos cinemas de shopping, as pessoas ficam em filas quilométricas nos caixas e pagam com cartão, quando poderiam usar os totems de autoatendimento que aceitam cartão da mesma maneira e que ficam vazios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo.Somente a titulo de informação. Sou o único fabricante dos
      aspiradores self-service adaptados para aceitar moedas. Trouxe a ideia dos
      USA e fabrico o equipamento desde 1998. Tenho maquinas espalhadas por todo
      o Brasil. Somente em Sao Paulo tenho aprox. 300 unidades em funcionamento. Duvidas visite meu site www.powervacbrasil.com.br ou ligue (19)7805.3703

      Excluir
  9. Puts, concordo com os a cima... infelizmente carro no brasil virou bolsa e não é mais uma ferramenta.

    Mas seu pudesse eu abriria um desse fácil. gostei muito da idéia de poder lavar meu carro sem fazer bagunça. haha

    E quem iria frequentar o meu lava rápido service sevire-se? Só os entusiastas... ainda mais nesse frio que está.

    Gostei da ideia!
    abs aos AE

    ResponderExcluir
  10. SergioCJr.02/09/11 09:36

    Aqui em São Paulo, na Av. Rio Branco, acho que por volta de 2000/2001, um posto Esso, que ainda existe, tinha o self-service para abastecimento e para aspiração. Lavagem não lembro...

    Se me lembro, um dos motivos, também, para o self-service para o abastecimento acabar, era porque muitos motoristas paravam nas bombas e quando descobriam que teriam de abastecer iam embora.

    A aspiração não sei o motivo de ter acabado, mas era bem prático, tinham dois aspiradores disponíveis, você colocava uma moeda de R$ 1,00 e ele funcionava por um certo tempo. Deve ter dado confusão, pois interesse tinha, era sempre bem disputado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo.Somente a titulo de informação. Sou o único fabricante dos
      aspiradores self-service adaptados para aceitar moedas. Trouxe a ideia dos
      USA e fabrico o equipamento desde 1998. Tenho maquinas espalhadas por todo
      o Brasil. Somente em Sao Paulo tenho aprox. 300 unidades em funcionamento. Duvidas visite meu site www.powervacbrasil.com.br ou ligue (19)7805.3703

      Excluir
  11. Pô, essas máquinas de bilhete as pessoas não usam por medo dela engolir o dinheiro. Eu usava direto, me sentia O máximo vendo aquela fila gigante (que brasileiro adooora, as vezes entra e não sabe nem pra que é) e eu usava a máquina e em 2 minutos saia com meu cartão carregado, ai uma meia dúzia me olhava.. "mas que ET é esse que usa essa máquina estranha" hahaha

    ResponderExcluir
  12. Eu gostaria de fazer o serviço eu mesmo, me incomoda ver o lavador quere tirar toda a sujeira com o jato d'água aproximando o bico ao máximo e prejudicando a pintura. E depois vem com a bucha e começa lavando a parte de baixo onde está a areia e vai subindo até o vidro, parece que faz de propósito, é de doer. Pior quando tem as escovas giratórias, aí então, meu Deus!

    ResponderExcluir
  13. Acredito que se não fosse por limitações impostas por sindicatos também teríamos problemas de segurança. Tanto dos esquipamentos serem roubados ou mesmo dos frequentadores serem assaltados (pelo reduzido número de trabalhadores no local). No bairro em que morava tinha grande receio de lavar o carro na rua por conta de assalto. A solução para ter o carro limpo era levar em um movimentado lava-rápido e depois na própria garagem fazer a limpeza "fina".

    ResponderExcluir
  14. Muito legal, pode crer que eu seria um usuário assiduo de algo assim também.

    Moro em apartamento e não posso lavar o carro usando água do condomínio, então me resta deixar sujo ou mandar lavar.

    E entre as duas opções, prefiro deixar sujo do que ver o carro sem uma letra colada na lata porque o pintor de lombadas tacou um jato de água nas letras que compoe o nome do carro.

    Existe algo melhor do que lavar seu carro, sem nenhuma pressa, limpando um cantinho aqui, outro cantinho lá?

    Melhor que isso, só mulher!

    ResponderExcluir
  15. Caramba, se abrir um desses perto da minha casa eu vou toda semana!
    Muito melhor do que ter que pegar um monte de tralha pra poder lavar o carro, depois ter que guardar tudo, e ficar com o chão todo molhado!

    ResponderExcluir
  16. Em Bento Gonçalves ví um lava-rápido self-service. Nada automatizado, nem sofisticado. Era só pagar pro caixa que "supervisionava" seu serviço.

    Eu lavo (quando lavo) o carro em casa. Desisti dos lava-rápido porque sempre voltava com um risquinho ou marca que não tinha. Uma vez até me devolveram o carro com os tapetes trocados...

    Como os amigos aí em cima já disseram, acho difícil esse serviço pegar no Brasil.

    Nessa mesma linha do lava-rápido self-service, ví há algum tempo atrás que estavam inaugurando oficinas self-service (nos EUA, óbvio). Era só chegar e alugar por X horas um box com elevador e jogos de ferramentas completos.

    ResponderExcluir
  17. Eu ia citar justamente as oficinas "self-service". É basicamente o que eu faço com meu mecânico aos sábados: Ele me dá apoio técnico e eu mesmo faço o trabalho. Pra mim é muito prazeroso.

    ResponderExcluir
  18. Dois exemplos:
    UK: http://pitstartgarage.com/self_service.html

    USA: http://selfserviceautorepair.com/

    ResponderExcluir
  19. Aqui na minha cidade não se pode lavar o carro dentro da garagem nos apartamentos, isso inibe todos os moradores desse tipo de condomínio a realizar o próprio serviço de lavagem.

    Como são muitos moradores de prédios o uso dos lavadores "profissionais" é obrigatório, ou anda com o carro sujo.

    Ah, aqui é raro encontrar quem faça o serviço de forma razoável, os carros de pintura escura que sofrem pois logo perdem o brilho.

    ResponderExcluir
  20. Thiago Mariz02/09/11 10:42

    Quando morava no interior de SP havia nos postos aquela mangueira de ar e eu sempre ia lá semanalmente "soprar" o interior do carro do meu pai. E não era cobrado. Em outro posto a gente mesmo manuseava a mangueira de pressão e a esponja com o detergente. Nunca mais vi essas facilidades...

    ResponderExcluir
  21. Carca ´Dor02/09/11 10:44

    Juvenar, deixa eu te expricá uma coisa meu amigo: nunca na história desse país o povo foi tão favorecido, graças ao nosso eterno herói de cinco dedo, o presidente LULA!

    Hoje a crasse média já num tem mais empregada domestica, as empregada tão tudo ino trabaiá com "telemarkete" ou ino ocupá outras função mais digna, ta sabendo? Ninguem mais quer trabaiá de "doméstica" e as que ainda aceitam o serviço estão ficando ricas, cobram o quanto querem.

    As madame tão tendo que fazê faxina elas mesmas! Tudo graças ao nosso herói de cinco dedo, o prisidente LULA!!!

    Lava rápido também, daqui a pouco só os ricos vão podê pagá!!! Esses menino que ficam lavando carro não tem escolha, mas graças ao PAC milhões de escolas estão sendo construidas e vão arrumar emprego assim que sair do SENAI, com a industrialização prometida pelas fábrica de carro chinês esses menino vão ter uma ocupação digna.

    Logo seu sonho si torna realidades Juvenar!!! Os menino entusiastas vão ter que lavar o carro para sempre, pois nossos meninos num querem mais lavar carro dos otros, agora eles tem o proprio carro! Tudo graças ao nosso herói de cinco dedo, o prisidente LULA!!!

    Fica calmo que logo chega o dia do povo ter que lavar o carro (e também abastecê sozinho, Sr. Sharp, nossos menino num que mais esses empreguinho de frentista!!!).

    ResponderExcluir
  22. Carca Dor,
    espero que seja verdade e que eu possa lavar meu carro no posto.
    Quanto às domésticas, acertou na mosca. Essa semana mesmo minha patroa está se descabelando, pois nossa secretária do lar foi trabalhar...em telemarketing !!!

    ResponderExcluir
  23. Moro em apartamento, então além das regras estritas de uso de água, o espaço lá fora (meu carro não fica em garagem) não é dos melhores para lavar um carro.

    Um serviço desses é um sonho de consumo para mim. Nunca vi um lavador de carros tendo metade do cuidado que eu tenho com meu próprio veículo. Não entendo o bastante de mecânica para consertar algumas coisas no meu carro, e nem tenho "mão leve" para fazer pequenos trabalhos em acabamentos, sempre estrago as peças, mas lavar o carro é algo que tenho muita vontade de fazer.

    Colocar um rock no som, um boné pra proteger do sol (protetor solar ajuda), e passar umas hronhas lavando e encerando o carro. Que belza!

    ResponderExcluir
  24. Ahhh o Brasil. Vive um romance da época dos escravos mesmo.
    Eu seria cliente deste serviço seria ótimo, e a calçada lá de casa ficaria mais limpa.
    Mas acho que o Brasil aos poucos está mudando, esses dias fui no posto e consegui fazer a troca do óleo, usando o óleo de fábrica, não o do posto. Um dia encontraremos lava-rápidos assim por aqui.

    ResponderExcluir
  25. Marcelo Augusto02/09/11 11:03

    Lembro que o Bob certa vez disse que também não gostava de lavar seu próprio carro.

    Então o Bob não gosta de carros?

    Essa sua sentença não tem fundamento.

    ResponderExcluir
  26. O Bob lembrou bem do caso do abastecimento self-service, e do seu fim por conta da ação dos sindicatos. Eu sempre usava, e pagava alguns centavos menos pelo litro. A mesma pressão se deu quando quiseram instituir a cobrança automática nos ônibus urbanos, com a dispensa de cobradores: os sindicatos cairam matando o projeto. Quanto à lavagem, não posso lavar no posto, mas posso no meu prédio, embora de fato o espaço e a luminosidade não sejam os mais apropriados para a tarefa. Só eu lavo meu carro, todos os outros moradores deixam que o garagista faça isto, e do modo mais errado, balde único de água para cada carro que fica imunda após as primeiras enxaguadas do velho pano de chão usado como esponja. Um festival de micro riscos na pintura. Em tempo: também sou o único morador que não deixa as chaves do carro com o manobrista. Isto me poupa de pára-choques riscados, batidas de portas nas pilatras, e também de ter que ajustar bancos, retrovisores, e sintonizar o rádio na minha estação preferida a cada bendita vez que vou usar o veículo.

    ResponderExcluir
  27. JJ,

    Eu também seria um frequentador assíduo desse tipo de serviço. Infelizmente tenho que ir a lava-rápidos, pois moro em apartamento, mas confesso nem olho muito, pois fico revoltado da maneira como eles lidam com o carro alheio.

    Sempre adorei cuidar desses detalhes dos meus carros!

    Abração

    ResponderExcluir
  28. Moro atualmente em Porto Alegre-rs mas sou natural de uma cidadezinha do interior do RS. E lá (e em várias outras cidades do interior) nos postos de gasolina existem pontos de lavagem iguais aos da imagem do post. E isso também vira ponto de encontro pra galera...ehehehe
    Um abraço, aprecio muito o trabalho de vocês

    ResponderExcluir
  29. Interessante o seu post...também gosto de lavar meu próprio carro , e sempre q posso, o faço, geralmente na casa de meus pais.
    Como moro em apartamento, acabo não fazendo em casa, em parte porque ninguém faz, logo o fato de eu mesmo fazer chamaria atenção(eu seria "o muquirana do prédio", e tb acho q não é permitido.
    Acho que muitos não o fazem no Brasil pq aqui é bem barato pagar para alguém fazer, custa cerca de 12 reais, imagino q na Europa ou nos EUA custaria bem mais.
    Enfim, sempre gostei de fazer e tenho certeza q quando faço fica muito mais bem feito!

    ResponderExcluir
  30. Ruan,

    Realmente, no interior do Estado eles existem, mas o melhor é lavar o carro em casa (bons tempos de quando eu era guri). Hoje moro em apartamento e é proibido lavar carro no estacinamento.

    Juvenal,

    Todo final de semana verifico os fluídos, a pressão dos pneus e as luzes do meu carro, meus vizinhos acham que sou um alienígena ou algo parecido, imagina eles lavarem o carro, impensável.

    ResponderExcluir
  31. Que inveja desses postos de serviço! Aquele com esquema para os queridos cães foi o que eu mais gostei. Saio de casa eu, namorada + cão com a cabeça pra fora, ela dá um banho no cão enquanto eu dou um banho no carro. Que luxo seria!

    GiovanniF

    ResponderExcluir
  32. Daniel San02/09/11 12:03

    Essa ojeriza de brazileiro por trabalhos braçais tem raízes muito mais antigas,já na época da monarquia um historiador falava que os jovens tinham este comportamento,sendo impossível conseguir que eles sequer pendurassem a roupa de volta aonde tinham achado. A cultura lá fora é diferente,e é comum um executivo,ao sair de casa para o trabalho,todo engravatado,aproveitar e colocar o saco de lixo pra fora. Quando já era um ator rico e famoso,James Dean lavava ele mesmo seus carros,já nós nem queremos passar perto dessas situações,por pudor de parecer "pobre".
    Há outra faceta do brasileiro que vai direto ao encontro do que o Leonardo disse:Logo,logo,iam dar um jeito de roubar os produtos e de destruir o que não pudessem levar,da mesma forma como nosso povo destrói orelhões e lixeiras. É a velha história da piada: Temos excelente clima,aqui não tem vulcão,etc,mas tem um povinho...

    ResponderExcluir
  33. Aléssio Marinho02/09/11 12:17

    JJ,

    Quando morava em casa, meu programa de sábado a tarde era lavar o carro. Me divertia com uma atividade que me traz satisfação e ainda me exercitava.
    Hoje, que moro em APERTAMENTO, é impossível fazer isso, senão levo bronca do sindico.
    E tenho que usar o lava-jato.
    Lavo meu carrinho por R$ 10,00 na rua, nuns carinhas que existem aos montes aqui em Belém. No lava-jato, o mesmo serviço sai por R$ 15,00
    Pintura, aspiração e interior.
    Isso e advem da grande quantidade de pessoas que não conseguem um emprego com carteira assinada. E como é mais prático mandar fazer, a preguiça impera.
    Em outros países, a mão de obra é mais escassa, além de muito mais cara que aqui. Que pessoa com ensino médio quer ser lavador em lava-jato e ganhar Salário Mínimo?
    Por isso o conceito do faça você mesmo.
    A coisa anda tão complicada, que jé existem supermercados em que você mesmo passa as compras no caixa. Já pensou isso no Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs... imagina, por mais honesto que seja o brasileiro, quando a máquina não reconhecer o código de barras, será que ele vai digitar o código?

      Excluir
  34. Otimo post pra se ler quando acabo de lavar meu carro. Para quem gosta, lavar o proprio carro é uma terapia. lavar, encerar, trocar oleo, filtros, velas, pastilhas de freio...

    ResponderExcluir
  35. Bob, o seu artigo casa muito bem com um artigo que lí no site Papo de Homem:

    O valor das coisas e das pessoas

    http://papodehomem.com.br/o-valor-das-coisas-e-das-pessoas/

    "Nos países ricos, as coisas são baratas e as pessoas, caras. No Brasil, é o oposto: as coisas são caríssimas, mas as pessoas (ou seja, os serviços que elas prestam) sempre estiveram a preço de banana. Agora, isso está mudando."

    []´s

    ResponderExcluir
  36. lavar os meus carros é tão natural quanto fazer a barba, cortas as unhas, tomar banho, coisas que só eu posso fazer. carro talvez seja o único motivo pra não morar em apartamento, no mais não teria problemas, imagino eu, apesar de nunca ter morado em ap.

    ResponderExcluir
  37. Uma pergunta: Aos que falam sempre "os brasileiro", vocês nasceram na Suécia?
    Ou se intitulam superiores aos demais por serem pseudos intelectualizados?
    Voltando ao post.
    Achei o post uma Bobagem. Não vejo ligação entre não lavar o carro com não gostar de carro.
    Eu tenho amplo espaço disponível em casa, mas não vou tirar meu único dia que tenho pra ver minha família, cuidar de outros afazeres mais importantes para lavar o carro.
    Admito que se não tivesse os turnos do sábado lavaria o carro, pois é algo que gosto de fazer, mas infelizmente não é possível.

    ResponderExcluir
  38. Anônimo de Blumenau.
    Essa é incrível ! nem descer para calibrar pneu ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JJ, vive num mundo entusiasta a parte... bitcho! só entusiasta que calibra os pneus do carro, a grande maioria manda o frentista fazer e fooooda-se a cara feia!

      Excluir
  39. Vitor,
    o frio fraquinho que faz no Brasil não seria empecilho para lavar o carro. Veja que o que mostrei no post é comum no hemisfério norte, onde faz frio de verdade.

    ResponderExcluir
  40. Arruda,
    espetacular ! tanto poder lavar o carro como usar equipamento de oficina é muito bom mesmo.
    Diversão e economia.

    ResponderExcluir
  41. Ruan Pereira,
    bom saber que existe esse serviço em algum lugar do Brasil.
    Avisa o dono para divulgar mais, quem sabe "pega" em outros lugares.

    ResponderExcluir
  42. "Quando já era um ator rico e famoso,James Dean lavava ele mesmo seus carros,já nós nem queremos passar perto dessas situações,por pudor de parecer "pobre".

    Brasileiro come mortadela e arrota peru.

    Já é difícil calibrar e quando fazem não descem mesmo e pior não agradecem o cidadão e nem verificam se a pressão que está no calibrador é adequada ao veículo.

    Com este post, me lembrei dos filmes americanos em que as pessoas se encontram nas lavanderias de roupa!!!

    ResponderExcluir
  43. Eduardo Antunes de Oliveira,
    imagine então eu removendo a tampa de válvulas do meu carro para trocar a junta na garagem do prédio !
    Meu vizinho médico achou que eu fosse mecânico contratado para fazer o serviço.

    ResponderExcluir
  44. Daniel San,
    não sabia sobre o James Dean, mas claro, o cara era um super-master-mega-hiper autoentusiasta.

    ResponderExcluir
  45. Aléssio Marinho,
    também já me diverti bastante fazendo isso, mas hoje, com menos tempo, as minhas lavagens são menos frequentes e mais rápidas.
    Triste é que no meu prédio era permitido lavar, mas os muquiranas resolveram proibir para economizar uns 0,50 centavos no condomínio.
    E aí contraram porteiros terceirizados que são mais caros que os funcionários que tínhamos.
    Só dá louco nesse mundo.

    ResponderExcluir
  46. Wrca,
    quando digo os brasileiros de forma geral, é apenas para não dizer "as pessoas que não gostam de lavar seu próprio carro". Ia ficar muito comprido, e estou me referindo ao brasileiro padrão.
    Eu também não posso lavar sempre que gostaria, pois moro em apartamento. Quando faço, é bem rápido, menos de 1 hora para interior e exterior.
    O post tem o intuito de divulgar algo comum fora do Brasil, e raríssimo por aqui.
    Seria um serviço com uma quantidade razoável de usuários, principalmente se fosse agregado a algum outro serviço, como dar banho no cachorro.
    Se você achou bobagem, desculpe, a maioria que comentou gostou.

    ResponderExcluir
  47. ...se intitulam superiores aos demais por serem pseudos (sic) intelectualizados?

    Típico petralha semi-analfabeto que insiste em "falar bonito" metido a corrigir os outros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Dale!

      Excluir
  48. Gosto do meu carro mas não o lavo em casa pois não tenho lavador de alta pressão nem espaço suficiente (garagem super apertada). Levo no posto, dou 8 conto pro lavador fazer um serviço simples e honesto. Por dentro eu mesmo limpo. Concordo com vocês quando dizem que certas profissões são marginalizadas por aqui. Isso vem desde os primeiros tempos e continua quando vejo uma revista com opções para carreiras (universitárias) como se todo mundo devesse ser médico, advogado ou engenheiro. No meio acadêmico um torneiro mecânico é simplesmente um apertador de parafuso. Acho que faculdade deveria ter mais alguns requisitos mínimos, como trabalhar durante um tempo antes, e não o carinha de 21 anos sair "doutor" sem saber da prática e da realidade da vida. Mas também vejo um certo exagero de vocês. Pagar um lavador gera empregos e faz a economia girar. Temos que ver este ponto, também.

    ResponderExcluir
  49. Também moro em SC e digo pro anonimo das 9:05: não gosta de alemão, muda pro Rio, é mais o seu jeito.
    Na minha cidade tem postos que cada bomba tem seu calibrador, e isso não tem nada de preguiça, é apenas um serviço a mais que o posto oferece, não vejo nenhum problema nisso.
    Posso garantir que aqui em SC não tem problema de preguiça.

    McQueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, vê se aprende a interpretar texto. O cara elogiou os alemães, não xingou. Você é quem denegriu a imagem do catarinense.

      Excluir
  50. Por falar em self sirva-se, me lembro que no Japão todos os internet-cafés (ou lan houses) que passei tinham uma geladeirinha ali no canto, com latas de refrigerantes, onde o usuário podia se servir à vontade. Não era cobrado à parte, você só pagava o tempo de uso do pc. Obviamente que um sistema assim nunca daria certo neste Brasil-sil-sil.. de gérsons.

    ResponderExcluir
  51. Mr. Car
    Aqui na minha cidade as catracas dos ônibus já são eletrônicas, ainda que com a presença de um cobrador. Sabe o que eu acho? Sou solidário à causa deles. Seria um golpe muito grande se eles perderem o emprego. Não são os funcionários os causadores dos caros serviços que temos. É ganância, mesmo. Esse negócio de catraca eletrônica, juntamente com GPS nos ônibus é tudo para nos ludibriar. Queria mesmo é ônibus suficiente e esperar, no máximo, 10 minutos no ponto.

    ResponderExcluir
  52. Moro em apartamento e faço questão de lavar meu carro pessoalmente, nos fins de semana. Gostaria também de poder abastecer meu carro nos postos e não ter que depender de algum manolo mau educado e de má vontade, que normalmente faz o serviço muito mal, chegando a derramar um bocado de gasolina na pintura, mesmo depois de ter sido avisado para parar a bomba logo após o primeiro estalo do gatilho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu digo o mesmo, pois já ouvi até de frentista que o álcool ia manchar a pintura por culpa do tipo da pintura, não pelo desleixo dele.

      Excluir
  53. marcelo (jmvieira)02/09/11 14:59

    quando eu morava numa casa lavar meu carro era um divertimento dos sabados ou domingos da vida, eu começava lambendo a cria de manha e acabava no meio pro fim da tarde, praticamente eu "esterilizava" o carro. hoje moro em apartamento, e não tem nem um ponto d'agua... então além de nao poder aspirar decentemente o carro, lava-lo virou uma peregrinação do apto. pro carro, um verdadeiro desprazer.

    ResponderExcluir
  54. Anônimo 13:58

    Falando nesse assunto, semana passada mesmo ouvi uma pessoa contar que trabalhava num local onde havia uma máquina de refrigerante dessas de encher direto o copo, e uma máquina de café e derivados daquelas que "liberam geral", sem moedas.

    A primeira foi retirada porque o pessoal enchia garrafa de 2 litros para levar para casa; a segunda foi retirada porque certas criaturas, para não terem que almoçar, tomavam posse da máquina tomando 1 litro de capuccino de uma vez...coisas do lisarB.

    ResponderExcluir
  55. A primeira resposta, a do Leonardo, foi correta.
    Pelo menos aqui no Rio o Box seria depredado e roubado em menos de uma semana.
    Existe um abismo entre o Brasil e a Europa ou Estados Unidos, sou Brasileiro e trabalho cercado de estrangeiros.
    Vejo diariamente que eles estão profissionalmente no mesmo nível ou abaixo do meu, mas que abismo quando saio na Rua.
    Um exemplo:
    Já cheguei atrasado a uma estação de trem na França e entrei direto, não tem catraca antes de entrar, eu já sabia o que fazer, era só esperar o fiscal e comprar com ele, é mais caro, mas melhor que perder a viagem.
    A mesma coisa no Brasil se daria da seguinte maneira: Entrariam no trem três ou quatro pessoas sem pagar, quando fiscal viesse o jogariam do trem e desceriam incólumes na próxima estação.
    Viajaram sem pagar, seriam considerados exemplos, temos o hábito de “levar vantagem”, certo?
    Existem tantas diferenças que não dá para citar, todas elas têm raízes na cultura do “se dar bem”.
    O povo vê nossa classe política e funcionários do alto escalão roubando descaradamente o que vc quer?
    Acosta

    ResponderExcluir
  56. Juvenal, me desculpa, esse termo brasileiro é de extremo mal gosto. Voltando ao assunto, acho uma bobagem ficar preso a isso, porém quem quer fazer, que o faça. Não tive intenção de ser grosso, e se fiz desculpa. Até porque é a primeira vez que discordo de uma posição sua e também penso que é o melhor que aqui posta.
    Até,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhhh shuthafuckup!

      Excluir
  57. Eu acho que vc esqueceu um provável motivo: também existem bons profissionais e prefiro deixar nas mãos deles.
    Por exemplo, lavo o carro sempre no mesmo lugar, que sei que é bom e lava direito, e eu nunca lavaria melhor do que os profissionais sérios que fazem isso.
    Portanto, nem sempre é coronelismo, preguiça ou coisa do gênero. Pode ser também respeito à quem tem essa profissão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Corsário!
      Agora quem prefere pagar para que o carro seja lavado não gosta de carro? Pago e não é barato! Pessoal aí reclama e quer que lavem por 8~12 reais... Eu pago 25, algum detalhe fica, mas preciosismo com carro? Para! Eu tenho mais o que fazer! Se posso pagar, bom pra mim e bom principalmente pro dono do lava-rápido! Só lavei carro quando era menor e aproveitava pra roubar o carro para "dar uma banda"... Foi assim que aprendi a dirigir... rsrsrs... Atualmente há condomínios, prédios com box pra lavagem, não sei se as instalações são sempre as melhores, mas a idéia é boa... Agora imagine a manolada nestes postos com box colocando funk pra tocar e tomando cerveja o dia todo? Óbvio que não vai dar certo!

      Excluir
  58. Legal, a cultura DIY é bem desenvolvida nos EUA. Eu gosto disso. Mas aqui não é, até porque esse tipo de serviço é extremamente barato por aqui.
    Descobri que a cultura DIY lá existe porque o preço de um mecânico, encanador, eletricista, etc é altíssimo por lá. Mas mesmo que barateie, agora essa prática já virou cultural e deve permanecer.

    Quanto aos comentários de que isso daqui não existe porque os brasileiros quebrariam, roubariam, etc, algumas considerações:
    - Nós somos brasileiros, lembram-se? Eu sou brasileiro e sou honesto.
    - Está CHEIO de americano subindo pela porta de trás do ônibus em San Francisco para não pagar, cheio de americano subindo em ônibus em Las Vegas sem ter comprado bilhete. E não bastando isso, dão risada dos turistas "idiotas" que compram.

    Portanto, tenham certeza que estes serviços Self Service não existem nos EUA porque o Americano é bonzinho e honesto e o brasileiro não é.

    Ô mania se puxar o saco de gringo.

    ResponderExcluir
  59. Juvenal
    Alguns nem descem do carro.

    McQueen
    Eu não falei SC, falei Blumenau.Que é uma cidadezinha de bosta que tá descobrindo o que é esgoto e só conheceu a tecnologia da pavimentação asfáltica há pouco mais de 15 anos.
    Que levou 20 anos pra fazer um viaduto no lugar errado e do jeito errado (não comporta duplicação da rodovia que passa por baixo). E levou 15 anos pra fazer uma ponte com rampas assassinas no lugar de cabeceiras.
    Tem muita gente aqui que acha que é Europeu só porque se chama Rudolf Schmitt, mas é indolente igualzinho a qualquer nambiquara.

    ResponderExcluir
  60. Aqui no Rio de janeiro, que não tem cultura de cuidar de automóvel então, o cara que gosta de lavar o seu próprio carro é visto como um ET ou Nerd. É motivo de risada mesmo.

    Resultado, para não passar vergonha, o carioca experto entrega o carro a um "escravo", que por vários motivos (saco cheio, inveja, pressa, etc.)faz tudo para não lavar direito: usa a mesma esponja para lavar rodas, parte de baixo da carroceria, teto, etc. Lava os tapetes, dá uma batidinhas nele e os coloca de volta, úmidos, em contato com o carpete, deixando aquele cheirinho de mofo no carro. Coloca um silicone podre no painel engordurando tudo. Senta com aquele macacão "limpíssimo" no estofamento. Isto tuso até quando, ao pegar o carro, você percebe que o ar condicionado estava ligado e a rádio sintonizada naquelas estações maravilhosas...

    outra coisa é entregar a chave do carro ao manobrista do prédio. Tive um carro que teve o comonado de válvulas retificado por conta das acelerações com motor frio do nosso amigo da garagem. Fora as mossas nas portas, que eram abertas, sem nenhum cuidado com o carro ao lado.

    Agenor Silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agenor... mande lavar em outro lugar meu caro!
      E o teu carro não teve que ser retificado por conta de acelerações com motor frio, ainda mais no RJ! Procure fazer as trocas de óleo conforme recomendação do fabricante. Boa sorte!

      Excluir
  61. Carca'Dor.
    Ninguém respeita nosso maior presidente ?
    Num é sinco dedus, é novi !

    ResponderExcluir
  62. Eu lavo meus carros em média a cada 6 meses. Por dentro, eles sempre estão limpos, pois não sou de fazer sujeira; por fora, apenas limpos vidros, faróis e lanternas quando necessário. Tenho mais o que fazer no fim de semana do que eu mesmo lavar o carro ou perder tempo mandando alguém lavar pra mim.

    Para a manutenção, tenho todo o tempo e boa vontade do mundo. Mas deixar o carro polido e brilhando é, para mim, supérfluo.

    Olhando os comentários, não sei porque tanta celeuma. É fácil: quem tá insatisfeito com o país, no lugar de ficar enchendo o saco, pega um avião e vai morar no país de preferência. Sempre essa ladainha, que saco! Quem não gosta e fica, ou é trouxa ou masoquista. Por sinal, conheço vários "estrangeiros masoquistas", que vieram da Europa ou dos EUA e não trocam o Brasil por nada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Homem-Baile, já tivemos conversas calorosas por aqui, mas desta vez concordo em gênero, número e grau. Sds

      Excluir
  63. O que este cara aí em cima está fazendo em um blog de automóveis ? Talvez ache que esteja em uma comunidade de culinária, sei lá.

    Ô Baile sem noção, para de bostejar, por favor.

    E você, saia do Brasil e vá para Marte, que é o lugar mais adequado aos sem-noção.

    ResponderExcluir
  64. Na parte da manhã o texto dizia que quem não lava o próprio carro é porque realmente não gosta deles.

    Estranhamente essa parte foi apagada...

    Será que foi devido a isto:

    Bob Sharp disse...
    Acho lavar carro uma das tarefas mais enfadonhas desse mundo. Acho que a última vez foi em 1961...

    07/09/08 20:26

    http://autoentusiastas.blogspot.com/2008/09/lavao.html

    Esse Juvenal é muito estranho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkk... tomou uma chamada!

      Excluir
  65. Festival de "síndrome do vira-latas"...

    ResponderExcluir
  66. Daniel San02/09/11 20:04

    Juvenal Jorge;
    Existe uma foto não muito conhecida do James Dean,na qual ele aparece de óculos,bermuda e chinelos,com um balde d'água,lavando a Porsche Spyder na qual ele morreria mais tarde.

    ResponderExcluir
  67. Daniel San02/09/11 20:12

    Em tempo: A loura do post é maravilhosa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 200 % !!!!

      Excluir
  68. E eu que pensava ser o único que ficava babando com os locais para lavar carro nos EUA e Europa... Se houvesse um desses por aqui, seria assíduo freqüentador, ao menos duas vezes por mês. Além da praticidade, como o sistema é otimizado para eliminar desperdícios, acaba sendo indiretamente bio-eco-friendly!

    Também moro em apartamento e é proibido lavar carro no condomínio. Acabo lavando o carro praticamente uma vez por mês, quando vou à casa de minha mãe. Não gosto nem um pouco de deixar o carro para ser lavado nos lava-rápidos por aí...

    ResponderExcluir
  69. Os pontos foram muito bem abordados. Só vejo um problema nisso, o tempo gasto. Com prática e tendo os produtos à mão, terá mais agilidade.

    Mas se a pessoa tem prazer nisso, e eu tenho, seria uma solução excelente pra quem se preocupa com economia de água.

    Lembrando que na Europa não é tão fácil se ter uma torneira por conta da devida preocupação com a excassez de água.

    Outro ponto é que os "profissionais" não tomam o devido cuidado e pra piorar usam produtos inadequados pra carros.

    Por último tem o pessoal carente de opção pois moram em apartamentos e são proibidos de lavar seu carro.

    ResponderExcluir
  70. Corrigindo, escassez. Lembrei de mais uma vantagem. Lavando seu próprio carro, você o conhece com mais detalhe, descobre pequenos defeitos do que aquele que só anda no carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. qual a vantagem de descobrir pequenos defeitos? novamente... preciosismo

      Excluir
  71. Ainda bem que aqui tem bem poucos representantes da "Síndrome do avestruz", ou seja, os petralhas que enfiam suas cabeças em um buraco, e fazem de conta que os problemas não existem, pois foram todos resolvidos por eles, conforme reza a propaganda oficial que andam espalhando por aí. Racinha dos infernos.

    ResponderExcluir
  72. Aqui em Brasília, pelo menos no Plano Piloto, ainda é possível lavar o carro em casa, mesmo morando em apartamento. Com um pouco de bom senso e usando o estacionamento externo não há problemas, tanto que já cheguei a lavar o GTS com dois baldes d'água e duas toalhas, isso com bastante gente olhando sem entender a cena (alguém já viu um carro sendo lavado com toalhas?). E curiosamente essa foi uma das vezes que ele ficou mais limpo.

    Sempre abasteço em um posto perto de casa, então o pessoal lá já me conhece. Em uma das vezes que fui lá também estava querendo lavar o GTS, já que precisava do jato de alta pressão para ajudar a tirar os jamelões que haviam caído e grudado na pintura. Como a lavagem já havia encerrado o jeito foi usar as esponjas com sabão que servem para limpar o pára-brisas junto com aqueles regadores que usam para o mesmo fim. Acabou que o GTS ficou mais limpo que em uma lavagem convencional de posto.

    Não tem jeito, uma lavagem feita com carinho sempre terá outro resultado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, tô pensando em como convencer meu condomínio a liberar a lavagem de carros. Rateamos a água pra piscina, sauna e até pra lavanderia, sem falar no consumo de eletricidade, mas poucos usam piscina e sauna e é matematicamente provado que metade não consegue usar a lavanderia, mas quando tentei lavar o GT na calçada, fizeram um auê, como se eu tivesse apontado uma arma na cabeça dos outros moradores. Depois disso, fiquei pensando no que fazer, pois o pensamento padrão da administração é de proibir, mesmo que não haja uma única cláusula na convenção dizendo isso. Deixei de usar baldes e passei a usar uma mangueira com esguicho pra pulverizar e economizar água, e mesmo assim não querem saber de me ouvir.

      Excluir
  73. Eu amo lavar meus carros, dedicar alguns minutos ou horas das minhas tardes de sábado, lavando, aspirando e dar um tapinha com cera líquida, isso pra mim é quase como se fosse uma terapia, eu desde muito novo gosto de fazer isso, e levo isso até hoje, prefiro gastar uma grana comprando produtos pra fazer eu mesmo e do pagar para os outros fazerem.

    ResponderExcluir
  74. Anônimo das 18h14, a carapuça serviu? Culinária?!?! Além de fraquinho de argumento, anônimo e covarde! Saudações do Brasil, Ricardo Montero

    ResponderExcluir
  75. Pra quem gosta de lavar e encerar o carro, vejam este fórum inglês. Achei muito bom.

    http://www.detailingworld.co.uk/forum/index.php

    McQueen

    ResponderExcluir
  76. Lendo melhor o texto, dá pra perceber que o autor foi bem ambíguo.
    E é estranho alguns aqui criticando o serviço do lava-rápido e lanvado seus carros com...baldes? Ah, me poupe! O que tira a sujeira é o jato. Lavando só com balde só vai fazer a sujeira esfregar na lataria, junto com a esponja. Vejo um pouco de petulância por prte de alguns aqui que trabalham dentro de escritório com AC e acham que são melhores do que profissionais "braçais"

    ResponderExcluir
  77. oskrmarinho03/09/11 10:38

    Oi, anônimo das 13,49!

    Deixe de exageros e considere que há preguiça e chatos em qualquer lugar do Brasil, sejam êles descendentes de alemães (cujos antepassados foram tão bem acolhidos em nosso país, mas que insistem em manter uma pseudo nacionalidade alemã), ou de portugueses, espanhois, japoneses, negros, etc.;o que deve prevalecer é que somos todos pessoas e como tal, não deixamos de ser chatos ou preguiçosos apenas pela cultura local (não necessariamente a melhor, por ter predominância de etnia alemã, haja vista a m.... feita na 2@ guerra); não sou carioca, mas não gostei da forma como você colocou a questão, como se o seu Estado fôsse melhor, o que não é verdade. E antes que me esqueça, quando é conveniente, os "estrangeiros" se apropriam da cultura local (caso dos gauchos alemães), e quando não é do seu interesse, excluem os locais com desqualificações do tipo que você fez. Lembre-se, porém, que daqui a umas tres gerações, toda essa besteira vai estar diluida na miscigenação inevitável das "raças
    alemãs e caboclas" e continuarão existindo chatos e preguiçosos em Santa Catarina, Rio de Janeiro e qualquer outro local.

    ResponderExcluir
  78. Sonho com um lugar desses também... Mas no Brasil é mais fácil pagar alguém. Também moro em AP e tento achar postos com box de lavagem onde eu posso detalhar o que dá nos 4 minutos que o lavador leva pra passar a esponja das rodas para o teto e vidros (por que será que TODOS os lavadores fazem isso?)Levo sempre uma esponja no carro para esse fim. Concordo que isso não pegaria no Brasil pro vários motivos que vão da mão de obra barata a problemas com vandalismo e roubo. Na Suíça por exemplo só existe este jeito de lavar carros, em casa é proibido. Não acho que seja questão de síndrome do vira-lata, seria aproveitar uma boa e ecológica idéia e de quebra atender àqueles que gostam de cuidar dos seus carros. Às vezes acho que o pessoal carrega nos comentários aqui, vamos descontrair gente! A unanimidade é burra, nunca vamos concordar em tudo...

    ResponderExcluir
  79. jopamacedo, existem muitas técnicas e produtos que reduzem o atrito ao lavar o carro. Uma delas é o snow foam. Dois baldes + luva de lã + shampoo adequado ajudam a retirar a sujeira sem causar riscos em excesso. Uma máquina de pressão além de ser muito potente, ainda irá arrastar com força a sujeira, causando riscos. Quem garante que o "profissional" de lava-jato usa técnicas e produtos adequados?

    ResponderExcluir
  80. FVG,

    Com todo respeito, não concordo com um detalhe dito em seu primeiro comentário.

    Tenho visto ultimamente muita gente pegar o lado ruim do "American way of life" (ruim para países com o nosso, que não tiveram planejamento viário) e relacioná-lo com o nosso país.

    A situação do cara preguiçoso, sem vontade de largar sua cerveja e seu futebol para lavar seu "grande SUV" simplesmente não existe no Brasil.

    No Brasil todo mundo compra carro pequeno. O sonho máximo da classe média é comprar um crossover compacto (até mesmo para os padrões europeus, segmento C), como um ix35 ou CR-V. E não dá para julgar ninguém por querer estes carros, pois seu comprimento é semelhante ao do sedan que os derivaram, isso quando não são menores do que o próprio sedan.

    As vendas de carros grandes são insignificantes perto da nossa frota. Existem vários Hilux, Frontiers e Tritons, mas estes estão concentrados no interior do país, onde as cidades tem menor fluxo de veículos e os grandões não atrapalham em nada.

    ResponderExcluir
  81. Alguns postos do DF tem este serviço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, me passa uma lista deles, por favor.

      Excluir
  82. Obrigado Pedro Henrique. É capaz do nosso amigo Caio F. falar que você está "puxando o saco de gringo"... :)

    ResponderExcluir
  83. Se esses boxes de auto-serviço fossem instalados em um lugar fechado (por exemplo no pátio de um shopping ou hipermercado), não teria problemas de assaltos ou vandalismo. Mas iria contra os interesses do estabelecimento (para eles é melhor voce entrar e fazer compras enquanto deixa o carro lavando...).

    Nos EUA, para o bem ou para o mal, a cultura do DIY é muito forte. Eles até tem uma frase: "Se voce quer bem feito, faça voce mesmo" ("If you want it well done, do it yourself").

    No Brasil, não é regra, mas vejo que algumas pessoas realmente acham o máximo ter algum "serviçal" fazendo algo que eles poderiam fazer por uma gorjeta de R$2. Tem cara que ainda falta pagar 40 prestações do carro 1000 semi-novo, mas se sente "o magnata" ao ir ao restaurante (inclusive de dia e com estacionamento próprio) e deixar o carro na mão do manobrista.

    Frequento uma padaria, que, devido ao crescente movimento (pessoas param no meio-fio bloqueando as vagas) passou a ter um "guardinha" que sinaliza as manobras. Mais recentemente o guardinha (puxa-saco) vem até abrir as portas do carro quando a pessoa chega ou vai embora. Tem gente que gosta dessa paparicação. Eu me sinto é desconfortável.

    Quanto ao abastecimento, considero correto que os frentistas sejam obrigatórios, por questão de segurança no manuseio do combustível. Para evitar problemas com os caras que "enchem até a boca", recomendo adquirir o costume de nunca "completar", e em vez disso sempre colocar uma quantia fixa em reais. Por exemplo, eu abasteço sempre quando o tanque está com 1/4 de cheio, e coloco uma quantia (atualmenre R$80) que faça o tanque ficar entre 3/4 e 4/4 de cheio.

    ResponderExcluir
  84. Concordando com o Alexandre acima, eu também não agüento ver a mesma classe "mérdia" ascendente, chegada num esquerdismo de boutique, gostar tanto de ser paparicada por lacaios. Quando estava na faculdade, uma colega de classe, nordestina, uma vez reclamou que os supermercados Extra daqui não tinham empacotadores nos caixas, enquanto todos os de lá tinham. Imagine, a rainha de Sabá ter que fazer o supremo esforço de pôr caixinhas dentro de sacolinhas...

    Um restaurante muito bom daqui da região onde vivo tem o costume de deixar um "tio" na praça ao lado, só para abrir a porta do carro e orientar manobras para clientes. Toda vez que paro o carro na praça e o "tio" aparece, eu levo um puta susto...

    ResponderExcluir
  85. Interessantíssima abordagem para um assunto quase não comentado.
    Porém a razão para o declínio e/ou desuso dessa modalidade de lavagem foi mencionada de cara no primeiro post:
    "Em menos de uma semana teriam quebrado e/ou roubado absolutamente todo o material e equipamento."
    Realmente, aqui em Caxias do Sul, há uns bons anos, um posto de combustível fez uma tentativa quase similar - colocou à disposição de seus clientes uma espécie de quiosque com aspirador acionado por moedas, uma prateleira com produtos para misturar na água do lavador do para-brisa, mais a própria água, calibrador de pneus, silicone para o painel... só faltou mesmo a lavagem externa.
    Em menos de um mês o aspirador (que demandou alto investimento por ser importado dos EUA) e o calibrador estavam destruídos.
    E isso, por aqui, pouco ou nada têm a ver com a classe social dos clientes.

    ResponderExcluir
  86. Eu moro em apartamento e sinto falta de cuidar do meu carro e moto. Minha moto fica na casa da minha mãe por razões obvias de falta de espaço para guardar tudo aqui no prédio. Não me considero um escravo do meu carro e minha moto, não passo dias, noites ou finais de semana, limpando, lustrando ou tirando apenas o pó. Utilizo eles normalmente, e não deixo de ir a certos lugares, porque não tem estacionamento ou teria que pegar no caminho alguma rua/estrada de terra.
    Mesmo assim gosto de semanalmente (geralmente aos finais de semana) verificar o óleo, água, reservatórios do fluido de freio e da água do limpador de parabrisas, calibrar os pneus e deixar sempre abastecido (nunca se sabe quando voce necessitará sair com alguma urgencia).

    ResponderExcluir
  87. Puts, pedir por empacotador é o fim da picada. E os caras que querem manobrista pra tudo? O pior é que isso da virou uma "cultura" aqui, e querer parar o próprio carro já virou antipático!
    Tudo aqui no BR tem algum cabeçudo mal pago e deleixado para fazer por você. Detesto.

    Daqui a pouco vão querer seguradores de pinto em todos os mictórios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk... o Caio está louco para alguém pegar no seu pintinho... kkkkkkk

      Excluir
  88. Acabaria com o pesadelo que está sendo morar em um apartamento.

    ResponderExcluir
  89. Pedro Henrique
    Você pode não concordar com o que quiser, faz parte do jogo. Então, vamos lá. Existem certos comentários e/ou declarações que podem ser interpretados de maneiras diferentes. No meu caso, me referi de maneira bem caricata uma determinada situação/cena. de toda forma, agradeço suas explicações na tentativa de por mais luz na questão. Ficamos assim: Você troca o "SUV" por "Celta" ou "Mille", sei lá, não importa, fica a seu critério, o conceito não muda.

    ResponderExcluir
  90. Rafael Bruno06/09/11 15:56

    O ruim de morar em prédio é isso..não se pode fazer nada no carro.

    Ou seja, gostaria de mexer no carro e não posso pois corro o risco de levarem meu carro e não tem como fazer na rua.

    Depois que levei meu carro num posto para lavar e o cara lavou que nem a B... dele, não limpando o paralama traseira, já que era tração traseira, vou na casa de um amigo e lavo.

    ResponderExcluir
  91. Discordo totalmente do post. Moro em APARTAMENTO, SEM GARAGEM/BOX, uso o carro para trabalhar. Como vou ter tempo e local para lavar meu carro ? Em Porto Alegre não há nenhum "box" de lavagem possível de alugar. Me sobra apenas AGENDAR a lavagem, deixar o carro lavando enquanto visito um cliente e depois voltar para buscar.

    O cenário descrito no post é inviável na cidade de Porto Alegre/RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inviável para você que é burro.

      Excluir
  92. Brasileiro é muito metido. Nos USA onde vivem meus filhos, em todos os Postos existe no minimo 02 aspiradores acionados por moedas. Ja presenciei em Orlando 06 aspiradores em um único Posto.Também em todos os condomínios residencias eles estão la prestando serviço. Aqui no Brasil existe apenas um fabricante com equipamento similar. Aqui em SP existe centenas deles e com a mesma marca. O site do fabricante é www.powervacbrasil.com.br

    ResponderExcluir
  93. Esse post é antigo, mas vou comentar mesmo assim...
    Aqui em Brasília, eu bem que gostaria de eu mesmo lavar meu carro. Mas.... moro em apartamento, e não existe esse tipo de box de lavagem por aqui. Nos postos estão cheios desses "escravos", dispostos a ganhar uns trocados pra lavar o carro do "patrão"...
    É coisa de Brasil mesmo... quem já leu Roberto Damatta sabe porquê...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Passo pelo menso em meu condomínio e iria de joelhos até a catedral se pudesse lavar o carro em paz e na sombra.

      Excluir
  94. Eu prefiro 1000 vezes cuidar eu mesmo do meu carro. Faço isso desde os 16 anos (tenho 42) e até hoje eu dou o "toque final" no acabamento depois da lavagem do posto. Dou graças a Deus por ter tempo de sobra pra isso, e tb pra cuidar eu mesmo da minha bike, lavar minhas roupas preferias e cuidar de alguns aspectos da minha casa tb.

    Meu carro está sempre impecável, eu fico enchendo o saco dos lavadores (eles já sabem que eu sou um puta mala e se divertem). Usei muito esses boxes qdo morei nos EUA e na França, até hj eu não perco a oportunidade de aspirar o bicho qdo encontro um aspirador de moedas em algum posto, geralmente no interior de SP pq aqui na capital eu nunca acho.

    Eu seria usuário assíduo desses auto-lava-auto. Aliás, fico até pensando se não valeria apena investir em uma rede com algumas unidades aqui em SP e ABC... Talvez desse certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ABC não! tá falado! ponto pra manolo beber e colocar funk alto com o porta-malas aberto e ainda terá a desculpa "tô aspirando o porta-malas, não posso?"

      Excluir
    2. Se a manolada pagar, tá valendo. Dinheiro não vê origem e ideologia não combina com negócios. Ou seja, faturando bem que mal tem? Deixa os manolos serem felizes, a única música que vai fazer diferença é a da caixa registradora hehehe...

      Excluir
    3. Anônimo, se for fazer mesmo, me dá um toque e a gente abre uma franquia em São José dos Campos...

      Excluir
  95. Pra não haver vandalismo nem furtos, é só usar câmeras com gravação e botar um único funcionário controlando, fazendo manutenção e ajudando os clientes. Já vi isso funcionar lá fora.

    ResponderExcluir
  96. esse post é coisa arranjada pra fazer propaganda dessa powervac

    ResponderExcluir
  97. De forma alguma levo meu carro em lava-rápido! Tenho muita sorte em poder ter um carro bonito, potente e confortável e não o deixaria na mão de uma pessoa que sequer sabe o quanto meu carro custa finaceiramente e emocionalmente (sim, ele é muito importante)! Sempre que posso compro novos produtos de limpeza, hidrato os bancos de couro e limpo os difusores de ar com "cotonetes"! Calibrar pneu, trocar lâmpada e verificar nível de fluídos chega a ser vagabundice largar na mão de terceiros!

    ResponderExcluir
  98. Tenho a sorte de, em pleno Rio de Janeiro, morar em casa. Nada como os padrões americanos, mas uma casa de condomínio simples, com garagem grande (cabem três carros), área ao lado e quintal.

    De tal modo, eu mesmo lavo os carros - coisa que faço desde criança, quando minha mãe me dava uns trocados por isso, e depois, já com meus 18 anos, tinha entregar o carro lavado para minha mãe liberá-lo no final de semana seguinte (e olha que já se vão 18 anos...).

    Assim, eu mesmo, além de levar, calibro os pneus. Comprei um calibrador daqueles de posto, digital, com a máquina de ar de ligado na energia. Um posto de perto de casa estava reformando e fui lá e perguntei se eles venderiam. O cara falou "mé dá 5o reais e leva isso..." Dinheiro na mão, me explicou direitinho como fazia a instalação e manutenção (quase isento de manutenção). Foi uma boa aquisição. E faço a calibração de noite, quando o pneu está frio.

    Hoje, acredito até em função de maior parte da população morar em prédios, é mais difícil fazer isso.

    ResponderExcluir
  99. Quando criança, no final da década de 80 e início de 90, meu pai costumava lavar seu Monza azul metálico com minha ajuda e de minha irmã. Eu adora a brincadeira. Meu pai também. Tempos depois minha mãe falou que tinha muita gente na cidade que achava aquilo estranho, pois meu pai era gerente do banco numa cidade de 25.000 habitantes e numa época que isso dava status social. Que besteira. Pena que depois daquilo mudamos para outra cidade maior, para um prédio onde não se podia lavar carro. Quando eu voltar a morar em casa térrea vou voltar a lavar meu carro.

    ResponderExcluir
  100. Eu irei abrir uma lava rapido desse no brasil . acredito que o costume sera natural pq veja so a qualidade de vida que vamos ter . o sistema e bem simples e deixa o carro realmente muito limpo sem manchas , sem ter que esfregar e como aspecto de encerado. busco socio para montar junto tenho todos os fornecedores e ja venho a um ano buscando um socio . meu tel e (11) 99555-9237 Fernando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Usaria o serviço se fosse igual ao esquema descrito lá em cima no post e não o que o amigo está querendo implantar no Brasil. E tem relação com pirâmides!
      Não vai durar muito (vide BBom, TelexFree, Omni e afins).

      Excluir
  101. Usarei esse tipo de serviço com certeza.

    ResponderExcluir
  102. Mandamento do auto entusiasta número 7 : não deixará que outrem lave o seu carro.

    ResponderExcluir
  103. Por conta da violência, as pessoas são remetidas compulsoriamente à habitações comunitárias, os ditos condomínios. Uma rápida pesquisa é suficiente para perceber que os empreendimentos contam com todo tipo de inutilidade, como "garage band", espaços "zen", "pet", "kids", "gourmet", entre outras baboseiras. Que morardor tem uma banda, contrata massagista ou utiliza barbeiro "delivery"? No entanto, todos tem um carro ao menos. Resumindo, os condomínios possuem todo tipo de baboseira inútil, mas pouquíssimos possuem um "car wash". Isso demonstra bem como anda a cultura automotiva no Brasil. Infelizmente, em razão da epidêmica violência, sou um desses condenados à viver em uma dessas habitações coletivas, infestadas de anti-auto entusiastas.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.