O REI ESTÁ DE VOLTA

A exemplo do EB-110, o Veyron finalmente recebe o pacote especial Super Sport, que designa o modelo mais potente e obviamente mais caro da linhagem dos Bugatti. Quando lançado no outono do Hemisfério Norte de 2005, o Veyron veio para ser coroado o melhor, mais rápido, mais potente, mais caro e mais desejado carro do mundo. Agora há uma versão nova para reanimar as vendas e os sonhos.

Para que se justifique o maior preço (ainda a ser divulgado) e atributos que mereçam a sigla SS na carroceria, o motor W-16 de 8 litros e quatro turbocompressores foi revisado. Agora com 1.200 hp (1.217 cv) e monstruosos 1.500 Nm (153 mkgf) de torque, o Veyron acelera livremente até os 434 km/h, voltando a ser o carro de produção mais rápido do mundo.
Além do motor, a carroceria sofreu diversas modificações aerodinâmicas para permitir que o carro de mais de duas toneladas de puro luxo e materiais exóticos fosse ainda mais rápido. A grande modificação foi na região posterior da cabine, onde antes o motor era exposto e os dutos de captação de ar para o motor e intercoolers eram expostos. Agora, para aprimorar a aerodinâmica e reduzir o arrasto, os dutos saltados foram eliminados e tomadas de ar NACA foram utilizadas, bem como uma cobertura parcial do motor.
Na dianteira, as entradas de ar foram aumentadas para melhor refrigeração dos sistemas de troca de calor, ainda mais exigidos pela potência extra. O chassi foi revisado para elevar a rigidez torcional e adequar a estrutura à nova potência do motor.
A Bugatti deve apresentar o carro em Pebble Beach este ano, em agosto, para seu lançamento oficial. Os cinco primeiros exemplares, nomeados World Record Edition (alusão ao modelo de teste que estabeleceu o recorde de velocidade, com média de 431 km/h) serão como o carro das fotos, na combinação laranja e fibra de carbono exposta, e aparentemente já foram vendidos.
Um viva à mais nova versão de um dos grandes carros já fabricados, uma verdadeira obra de engenharia e materialização de sonhos.
MB

46 comentários :

  1. Nunca "fui com a cara" do Veyron. Acho-o estranho, assim como o antigo EB110 era.

    Mas este é um dos carros que resumem uma frase de um livro sobre turbocompressores (Não me recordo qual): "Torque makes power... And power makes FUN!"

    FUNtastic!

    :)

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse07/07/10 08:34

    Um carro magnífico, mas que não é um Porsche GT3 RSR para vir travestido nessas cores....

    Não gostei apenas da nova combinação visual, de resto, uma das máquinas mais impressionantes feitas pelo homem.

    ResponderExcluir
  3. Impressionante mesmo !

    É cada vez mais um avião feito para não decolar, para voar grudado no asfalto !

    Vamos aguardar os números de aceleração e retomada após esse aumento de torque e potência.

    ResponderExcluir
  4. Um auténtico troféu sobre rodas. Pra ficar no meio de sua sala e ser levado para uma pista oval num caminhão plataforma.

    Dizem que é uma fonte de ruídos enquanto o motor esfria...

    Acho o EB-110 mais bonito.

    ResponderExcluir
  5. Francisco V.G.07/07/10 09:52

    Tudo isso para quê?

    ResponderExcluir
  6. Bacana eim. Deve ser gostoso de acelerar, e de frear.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com o Galto: uma inutilidade caríssima.

    Só vale pelas soluções de engenharia, de resto, só pra ostentar em Pebble Beach mesmo.

    Trocava na hora pelo valor equivalente em Caterhams e Exiges como o que o Arnaldo andou recentemente. :)

    ResponderExcluir
  8. Mister Fórmula Finesse07/07/10 10:52

    São essas "inutilidades" que continuam a fomentar a imaginação de gerações seguidas de autoentusiastas!

    ResponderExcluir
  9. Esse tipo de carro não precisa de resposta para "pra quê?", é meramente emocional, ostentação pura mesmo.

    ResponderExcluir
  10. mas serei o único que não acha piada a este carro? poderá ter:
    W-16 de 8 litros;
    quad turbo;
    1.217 cv;
    1.500 Nm;
    434 km/h.
    Mas para que? para andar sempre em frente? que piada tem andar sempre em linha recta? prefiro um vulgar Mégane III RS (chassis cup) pelo menos tem um chassi mais divertido que o Veyron.
    Quero ver o Veyron a fazer a volta mais rápida em nurburgring

    ResponderExcluir
  11. Só digo uma coisa a respeito do EB110 e do Veyron:

    Foi-se o tempo que a Bugatti fazia joias para pessoas ilustres...

    Hoje, apenas faz carros para pessoas que querem se exibir.

    ResponderExcluir
  12. Quero ver o Veyron a fazer a volta mais rápida em nurburgring [2]

    @RenanBeer666

    ResponderExcluir
  13. Mister Fórmula Finesse07/07/10 13:47

    Mas como eu acho esquisito essa ronha que muitos têm em relação ao Bugatti, alegando que ele "não faz curvas"...

    Li um superteste em uma revista inglesa que falava exatamente o contrário, o carro tinha uma direção muito afilada e um comportamento exemplar (concorrentes como Lamborghini, Aston martin, Porsche e outros do topo da cadeia estavam no comparativo)...

    Será que um Mégane é uma experiência sensorial mais gratificante? será que supercarros só são válidos se conseguirem bater recordes e mais recordes no velho "ring"?

    A maioria de quem dirigiu se derrama em elogios em relação ao carro, e são gente que também está acostumada aos superpenas de classe internacional.

    "não faz curvas"....ainda bem que tenho a mente aberta e não alimento preconceitos principalmente em relação a carros que nunca pude experimentar.

    Carros para pessoas se exibir sempre estiveram no menu da Bugatti assim como em relação a todas as outras marcas de prestígio, ou um imenso e maravilhoso Bugatti Royale era a imagem do recato???

    Uma mercedes 300SL "asa de gaivota" só ficava nas mãos dos pilotos?

    Execrar um Veyron é o mesmo que desconsiderar vários carros do passado que tinham como norte a mesma filosofia de excessos...então um Countach, um Cizeta V16T, um Hofstetter nacional e centenas de outros não teriam lugar no panteão dos autoentusiastas!

    Mente aberta pessoal, todo tipo de carro é uma grande experiência em diferentes níveis.

    ResponderExcluir
  14. Realmente esse laranja aí ficou estranho... Mas não pela cor em si mas pelo tipo de tinta. Eu desconfio que um tom perolizado ficaria mais de acordo com a proposta de luxo extremo do carro.
    Não é apenas uma questão de ostentação dos consumidores, é também uma competição entre as montadoras. Positivo ou negativo? Impossível precisar mas uma coisa é certa...
    Todos benchmarks para luxo e esportividade extremos foram muito elevados pela Bugatti com o Veyron que é um marco na engenharia automotiva... Agora então com esse pacote super-esporte nem se fala. E digo mais, 1200hp é pouco, essa usina rende mais!
    Ah, ia esquecendo... Para mim a Bugatti mais bonita mas que infelizmente não foi fabricada é a EB-112, a obra-prima de Giugiaro que mesmo projetada a quase 20 anos ainda tem linhas atuais e faria bonito desbancando projetos atuais!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Não disse que ele é inútil. Se bem que UTIL não é uma palavra que se encaixe perfeitamente nele.
    Colocaria ele no meio da minha sala como colocaria um Aston DBS, um Murciélago ou um Delta 037, por admiração.
    Agora, colocaria numa plataforma sim para levá-lo a um circuito oval, onde deve ser bem mais gostoso fazê-lo urrar do que num misto travado.
    Não é carro pra cidade, nem caminhos curtos nas manhãs de domingo.
    Certa vez ví um SLR estacionando ao lado do meu carro, na praia da Barra. Ficou um metro fora da vaga e com um pneu, de dois dedos de altura, furado... Conversado com o baludo, ele disse que era o pior carro para rodar na cidade e que a filha tinha viajado com a ML dele, ele nem sabia trocar o pneu e eu disse que ele rodaria vazio mesmo em velocidade mais lenta até a autorizada, o carro dele não tem estepe...

    Basta ter dinheiro onde antes tinha de ser um entusiasta...

    ResponderExcluir
  16. Olá Milton,

    Mudando de alhos para bugalhos, a Ford França fez uma homenagem para as equipes vencedoras de Le Mans decorando cinco Focus RS 500 com as cores dos vencedores. Veja se escrevi muita besteira: http://playrp.blogspot.com/2010/07/ford-focus-rs-500-le-mans-classic.html

    ResponderExcluir
  17. Volto a repetir, o carro poderá ser o expoente máximo da engª, mas é totalmente inutil.
    E sim para mim um caro para ser bom como dizem e defender o seu pedigree tem de o demonstrar e não digo em linha recta, para isso temos os dragtesr e se isso me torna um preconceituoso não me importa em admitir que o sou.
    NO Top Gear ele teve uma prestação a baixo do que era esperado.
    É um carro pesado.
    E sim aposto que um megane faria melhor quer em pista quer em montanha.

    ResponderExcluir
  18. Mister Fórmula Finesse,

    Disse tudo cara!

    ResponderExcluir
  19. Vamos ver o que ele faz em Nurburgring.

    ResponderExcluir
  20. MFF, falou tudo! e o Lawrence complementou, apesar que achei que a cor coube bem, no sentido de dar um ar mais esportivo que luxuoso.

    Galto, o "baludo" deveria mesmo ter dirigido até a concessionária, pois muito provavelmente este carro deve ter pneus run flat.

    A única pena é que abrindo esta briga entre os grandes fabricantes para outros "players" menores o Veyron perderá o reinado em pouco tempo...

    http://www.gtr-xs.com/specifications.htm

    Ahhh... e por um "precinho" bem mais camarada... hehehe

    Abs

    ResponderExcluir
  21. Ahhh... quanto ao teste do Top Gear, realmente o Mc Laren F1 é muito mais entusiasmante... qual é o termo que a "turma" gosta de utilizar... é visceral! hehehe

    Abs

    ResponderExcluir
  22. Veyron Super Sport vs. Mégane RS?
    Estou com problema de visão ou realmente alguns estão decidindo qual proporciona mais prazer?
    São automóveis que proporcionam prazeres completamente diferentes. Se um destes proporciona mais prazer para um individuo, ótimo! Mas não queira que isso se transforme em unanimidade.
    Quer ser o mais rápido? Compre um Gulfstream G550!

    ResponderExcluir
  23. Meireles, é uma simples questão de conceito. O Veyron não é feito para andar em autódromo, é um GT para velocidade com muito luxo.

    E ainda para um carro de duas toneladas, há referêcias de que faz o mesmo tempo em Nürburgring que um SLR e Murcielago LP640 em sua versão original de quando foi lançado. Não é um carro lento pelo seu tamanho.

    Não se pode querer tudo, e ele não é feito para isso, mesmo que ainda faça muito bem feito pelo o que é.
    abs,

    ResponderExcluir
  24. Fabio, não se comparam esses dois carros. Assim como já existia o Ultimate Aero que foi mais rápido que o Veyron em linha reta, a qualidade do produto não é nem de longe perto do Bugatti.

    É como comparar um Rolls Royce com um Azera.

    ResponderExcluir
  25. Sem dúvida MB, o Veyron é um divisor de águas e esta é a razão de ser sempre citado quando se fala de algum projeto que envolva velocidades deste patamar.
    O "Seu Nelson" faz preparações de fundo de quintal se formos comparar com a engenharia do Veyron, mas que este tal de Dagger vai incomodar quando e se acontecer, isto vai... Mesmo o Ultimate Aero deve ter incomodado...

    Abs

    ResponderExcluir
  26. Parece que alguns autoentusiastas consideram que um verdadeiro autoentusiasta tem que gostar de todo tipo de carro, e especialmente destes ultra-mega-super-hiper esportivos. Pois sou autoentusiasta, e não dou a mínima para este tipo de carro capaz de alcançar velocidades estúpidas, completamente fora da realidade funcional do uso de um carro, e que nem mesmo pode ser dirigido por motoristas comuns e em lugares comuns. Daqui a pouco vão construir um carro capaz de atingir 1000Km/h e ir de 0 a 100Km/h em 1s, e daí? Quem vai ser capaz de dirigir, e onde? Praticamente a única coisa que vai se poder fazer com ele, é colocar na garagem, e se pavonear: "eu tenho um"! Se o negócio é sentir o corpo sendo pressionado contra o encosto do assento, entra logo para a aeronáutica, e segue a carreira de piloto de caça.

    ResponderExcluir
  27. Parece que alguns autoentusiastas consideram que um verdadeiro autoentusiasta tem que gostar de todo tipo de carro, e especialmente destes ultra-mega-super-hiper esportivos. Pois sou autoentusiasta, e não dou a mínima para este tipo de carro capaz de alcançar velocidades estúpidas, completamente fora da realidade funcional do uso de um carro, e que nem mesmo pode ser dirigido por motoristas comuns e em lugares comuns. Daqui a pouco vão construir um carro capaz de atingir 1000Km/h e ir de 0 a 100Km/h em 1s, e daí? Quem vai ser capaz de dirigir, e onde? Praticamente a única coisa que vai se poder fazer com ele, é colocar na garagem, e se pavonear: "eu tenho um"! Se o negócio é sentir o corpo sendo pressionado contra o encosto do assento, entra logo para a aeronáutica, e segue a carreira de piloto de caça.

    ResponderExcluir
  28. Finalmente alguem que compreendeu o meu ponto de vista. O sr Milton Belli disse tudo, são concitos diferentes, é claro que um carro que so se sinta bem andar em frente não dá muita diversão.

    ResponderExcluir
  29. Fabio, estes carros podem incomodar sim em termos de desempenho. Sabemos bem que não é nenhum milagre conseguir motores de mais de 1000 cv hoje em dia. O "Seu Nelson", que já falei dele aqui no blog, vende motores road-legal de até 2500 cv.
    Mas nenhum destes carros, como o Ultimate Aero, se compara em qualidade com o Veyron. Esses carros "acabam" em alguns anos de uso, as coisas param de funcionar, 'num sei o que' quebra, etc. e não deve ser o caso de um Bugatti, justamente pela qualidade e engenharia aplicada.
    Um Veyron deve durar muitos e muitos anos sem um problema, como se fosse um carro comum de uso. Este para mim é um dos grandes lances que o fazem ser o ícone que ficou.
    abs,

    ResponderExcluir
  30. Anônimo, cada um gosta do que quiser, ainda bem, senão o mundo seria um saco.

    Apenas complemento, o Veyron quando testado no Top Gear em velocidade máxima, nem balançou a 400 km/h. O sr James May, que não é lá essas coisas para guiar rápido, disse que foi uma experiência muito tranquila, e é possível ver no video enquanto ele conversa, solta uma mão do volante a mais de 360 km/h e nem se assusta, de tão estável que é o carro. Assim, os esportivos de hoje não são mais tão 'cadeiras elétricas' quanto era um Diablo, por exemplo.

    ResponderExcluir
  31. Mister Fórmula Finesse08/07/10 13:37

    É isso mesmo Milton! É bem essa a filosofia do Veyron, excessivo mas confiável. O que adianta um fora de série americano atingir 2000 cavalos se ele pode explodir na quadra seguinte ou soltar um parafuso a mais de 300?

    O Veyron não é um carro de arrancada como muitos teimam, como seu mote principal é a velocidade máxima, normal que os testes sejam concentrados em aeropostos e ovais, mesmo que ele faça muito bem as curvas (e ele faz), o destaque está em outro quesito.

    ResponderExcluir
  32. Voltando ao assunto:
    Pelo que entendi da polêmica, muitos acham que o Veyron é um carro superlativo. Na verdade ele resgata um pouco da aura do início do automóvel, quando os "Bentley Boys" apostavam corridas contra os trens expressos que já eram velozes em sua época, a ponto de alguns médicos não recomendarem a seus pacientes a viajarem neles.
    Essa era romântica, em que ir mais longe e mais rápido acabou sendo ofuscada pela Segunda Guerra Mundial, que fez a geração seguinte ser, do lado americano gorda e opulenta com seus carrões de 5 metros e enfeites que faziam alguns, como o Turnpike Cruiser, parecerem carros alegóricos e os raquíticos carros europeus com seus motores de moto que tentavam arrastar arremedos de carroceria que pesavam 400 quilos junto com os passageiros e a sua carga, ser ofuscada pela era do jato na década de 50 e pela corrida espacial nas décadas de 60, 70 e 80.
    O Veyron só está resgatando um pouco desse romantismo de superar barreiras sem precisar construir uma aberração com três motores V8 turbinados queimando desesperados como uma caldeira do inferno litros e mais litros por metro corrido de metanol ou outro combustível líquido extra-explosivo em um deserto de areia.

    ResponderExcluir
  33. MB,

    Lembro, li e gostei bastante do seu post sobre o Nelson Racing, aliás gerou vários comentários, de um lado alguns pichando, que os carros são feitos para andar na reta e não tem um bom comportamento dinâmico e por outro o pessoal que defende os muscle cars... e quanto mais cvs melhor!
    Eu fico dividido nesta questão, hoje a minha atenção está voltada para carros com foco em "circuitos mistos", boa distribuição de peso e talz, mas não deixo de babar por um V Oitão embaralhando, pronto pra comer o asfalto, arrancando com a traseira querendo aparecer no retrovisor.

    Voltando ao tema, concordo com você em tudo o que disse, mas esta durabilidade de anos e anos do Veyron tem um custo absurdo (manutenção anual/preço do carro), você sabe disto, se não me engano foi falado sobre o custo para manter um Veyron aqui no AE, muito provavelmente você mesmo escreveu sobre.

    Abs

    ResponderExcluir
  34. Fabio, foi falado sim. O custo de manutenção deve ser parecido com o da Estação Internacional lá no espaço.

    Não concordo com esses custos, obviamente não é barato manter um carro desses, mas eles chutam o balde.

    É uma forma de ter um pouco de retorno, pois se realmente for verdade que o carro dá prejuízo na venda, é na manutenção que vão tentar salvar alguma coisa.

    abs

    ResponderExcluir
  35. Falando de manutenção, li hoje que só a mão de obra da troca de pneus do Veyron custa 70 mil euros. E os pneus da versão antiga, em velocidade máxima, duram apenas 15 minutos...

    ResponderExcluir
  36. Não procede.
    Os pneus só toleram full-speed durante 15 minutos, porém o tanque de combustível acaba em 12 minutos.
    Não ultrapassando-se este limite de 15 minutos, os pneus duram aquilo que é compatível com um carro esporte deste nível (pode por aí uns 15000km).
    Lembre-se também de que os pneus deste carro são fora de série, produzidos pela Michelin somente para este carro. Obviamente são muito caros, mas não tanto.

    Mudando um pouco: alguém poderia me explicar porque todo mundo resolveu utilizar Nurburgring como referência para avaliação de performance de carros? Porque tem que ser aquele traçado? Qual o problema com circuitos ovais ou ainda Le Mans ou qualquer outro?

    ResponderExcluir
  37. Já que é para falar em circuitos icônicos, por que não Circuit de la Sarthe??? Seria uma boa pro Veyron...

    ResponderExcluir
  38. Bussoranga,

    Nürburgring é ponto de referência mundial por ser o circuito mais completo no mundo, que exige do carro tudo que é possível em termos de performance (aceleração, frenagem, curvas de alta e baixa, velocidade máxima etc), nenhuma outra pista permite tudo isso ao mesmo tempo. Daí a necessidade de mostrar o quanto um carro que prometa performance consegue virar lá.

    A Nissan recentemente levou isso ao extremo, a ponto de formar um piloto especialista que deve ter virado umas 3000 voltas com o GT-R até conseguirem o recorde do circuito (até hoje mal explicado, segundo comentam, devido a algumas supostas malandragens nos pneus). Mesmo assim, não durou muito tempo.

    ResponderExcluir
  39. Concordo com o Italo, a pista do Inferno Verde é a mais completa do mundo, e é aberta ao uso de maneira bem mais prática que outros autódromos, que sempre necessitam de agendamento muito antecipado, custa caro, etc.

    Em poucas ocasiões os fabricantes alugam a pista com exclusividade, apenas para testes muito exclusivos. Podem ver que em muitos dos vídeos de voltas rápidas famosas que circulam na internet, há outros carros nada a ver andando junto, justamente por estarem andando em dia "normal" de uso.

    abs

    ResponderExcluir
  40. Eu estou pronto para esta experiência e viva o PlayStation!!!
    hahahah... conheço todas as curvas de Nürburgring (pelo GT4 óbvio)... e não consigo ver o Veyron naquelas curvinhas inclinadas de baixa... apesar que a Ferrari 599 também sofreu e bateu o recorde.
    Veja video (4:18)
    http://www.youtube.com/watch?v=FJj8atDGBzk

    Abs

    ResponderExcluir
  41. Ao assistir outros videos de Nordschleife, penso ser um circuito muito longo para testar as máquinas, inclusive deve variar bastante os resultados entre um piloto e outro. Mas o Green Hell é o sonho de qualquer autoentusiasta sem dúvida.

    O Arnaldo não está nos comentários deste post, alguém manda este link pra ele (Exige no ring)

    http://www.youtube.com/watch?v=kgXQY6Akp8c

    Abs

    ResponderExcluir
  42. Italo, MB,

    Perfeito, entendi o critério de acessibilidade para que Nurburgring seja um padrão de teste de performance. Realmente é um argumento muito convincente.

    Porém, é uma pista boa para testar velocidade final? Nem tanto. Aquela pista da VW é mais adequada a isto.

    Entretanto, agora sim concordo com voces. Realmente há motivos de sobra. Que bom seria se houvessem pistas similarmente longas como esta.

    ResponderExcluir
  43. Secia legal ver um destes encarando uma prova longa, tipo 24 H de Le Mans, l2 H de Sebring, etc. Telvez fosse mais rápido em um ou duas voltas, mas logo suuperaqueceria motor e freios e teria que ceder posições. Aliás, duvido que terminasse alguma delas...

    ResponderExcluir
  44. Fala Milton

    blz !!!!

    e ai ? como está

    abraço

    Fernando Gennaro

    ResponderExcluir
  45. Marco Lima,
    Infelizmente o Veyron está completamente fora das regras!
    Essas provas têm regulamentos técnicos complexos, restrições de motor, cilindrada, turboalimentação...
    Com certeza os 4 turbos desse supercarro estão fora de qualquer classe mesmo as menores da primeira especificação...
    E mesmo que fosse possível,como todos os outros sofreria adaptações, interior aliviado, freios de cerâmica, suspensão reforçada... Aí dependendo do piloto como todos os outros, eu acho q aguentava! T+

    ResponderExcluir
  46. Já o Mc Laren F1 já vinha prontinho!!! ha ha ha...
    Sem precisar de tubos para respirar! ha ha ha...
    etc. etc. etc.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.