NUNCA DAR CHANCE AO AZAR

Esse é o tipo do assunto desagradável, eu não ia falar nada a respeito, mas um leitor, no espaço para comentários do post do André Dantas de ontem, perguntou se eu não ia escrever sobre o lamentável acidente que vitimou o Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães. Diante do pedido, mudei de ideia.
Este triste caso tem a ver com visibilidade, independente dos tais dois carros estarem ou não pondo um pega. O ambiente era um túnel e a vítima andava de skate, evidentemente sem sinalização.
Por isso me bato tanto contra as películas nos vidros, motorista tem que ter total visão num campo de 180° e para trás, pelos retrovisores.
Por isso me bati e tomei providências quando meu filho começou a andar de bicicleta à noite, comprando luzes de sinalização. Qualquer coisa na corrente de tráfego à noite e sem luz traseira é 3/4 do caminho para o acidente.
Mas esse caso do Rafael, apenas 18 anos, é triste demais. Ninguém tem que fazer pega em via pública, aberta ao tráfego ou não -- caso do túnel Zuzu Angel,  no Rio de Janeiro, que liga a  Gávea a São Conrado, que se encontrava fechado para manutenção -- e nem andar a pé ou sobre qualquer tipo de roda que não seja em espaço a isso destinado. Um túnel não é lugar para se andar de skate. Não pode dar chance ao azar. Infelizmente o filho da Cissa deu.
O zero acidente é uma utopia, mas cabe a nós e nada custa envidar todos os esforços para que não aconteçam.
Que possam a Cissa e o pai  do Rafael suportar essa dor com a maior serenidade possível.
BS

142 comentários :

  1. Concordo Bob!
    Triste situação. Geralmente acidentes são a composição de uma série de erros ou acidentes prévios e menores.

    Não se pode dar chance ao azar. E o Brasil em especial não é um país para amadores.

    ResponderExcluir
  2. Dois erros levando a um desastre e a perda de uma vida:

    - andar de skate em um lugar impróprio, mesmo que interditado, é impróprio
    - andar de carro em um lugar interditado, ainda mais fazendo pegas. Existe pista em quase todas as regiões brasileiras, podem ser alugadas, sem por em risco ninguém. Não tem dinheiro ou patrocínio para correr em lugar propício, simples: não corre.

    Infelizmente o custo desses erros foi alto demais.

    ResponderExcluir
  3. Paulo Ferreira24/07/10 20:13

    Concordo plenamente Bob, que sofram o menos possível familiares e amigos.

    Mas aproveito para deixar uma impressão: se não fosse "quem foi" não haveria nem uma pequena fração da repercussão.

    ResponderExcluir
  4. Marcelo Augusto24/07/10 20:40

    Pelas imagens do carro, nota-se que até no vidro dianteiro não há visibilidade devido à moda dos "sacos de lixo" nos vidros. Carro "lacrado", como falam os idiotos. No mínimo deveria estar usando luz de posição ou de neblina, como é praxe na turma que fala Woohoo, churras, ashuashas etc.

    O que eu acho mais estranho no Brasil, é que após ocorrido um acidente, o carro pode estar com as maiores irregularidades previstas no Código, que não ocorre nenhuma multa!!

    ResponderExcluir
  5. E vai ter desdobramentos aí,é PM querendo levar 10paus de bola, os moleques são primários, no final eles tem grana,aí vai um advoga tipo Marcio Tomaz Bastos e ninguém vai preso......

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, um jovem morreu decorrência de 3 atos:
    -Carro com filme total
    -Falta de fiscalização por parte das autoridades no fechamento da via
    -A sensação de inpunidade por parte do causador do acidente
    Quem perde é a familia de um jovem,que morreu no começo da vida

    ResponderExcluir
  7. Andar de skate em lugar impróprio?

    Existe um lugar melhor do que uma via fechada ao tráfego de carros?

    Ou melhor qual seria este "lugar ideal" pra quem pratica skate (modalidade longboard)???

    Estes caras têm que se F---R muuuuito, mas muito mesmo!!! Entraram com o carro onde não deviam, disputaram racha e além de estar com o carro irregular, ainda evadiram do local com as luzes apagadas na tentativa de não serem identificados pelas câmeras!!! Depois ainda vem com um papinho "mas eu chamei a ambulância pelo ceular..."

    Como dizia o falecido Alborguetti,
    CADEEEEEIAAAA!!!

    Que a Cissa e o pai do menino sejam fortes neste momento.

    Sem mais

    ResponderExcluir
  8. Talles Wang25/07/10 00:02

    O que esse menino fazia na rua às 01:30 da manhã????

    Sinto pelo sofrimento dos pais, mas deixar fazer o que quer, geralmente acontece o que não quer.

    Tallwang

    ResponderExcluir
  9. É bom lembrar que a pista está fechada para veículos de usuários comuns, não para os carros de serviço, que circulam pelo túnel nestas horas, inclusive, muito provavelmente, em dois sentidos. Como disse o Bob, via fechada ao tráfego não é lugar para andar de skate, ou tirar racha. A menos que tenha sido fechada com o fim específico de prática de lazer, como ocorre com Av. Atlântica aos Domingos e feriados.

    ResponderExcluir
  10. Prática de lazer no caso do skate, bem entendido, antes que alguém ache que considero racha fora de qualquer outro lugar que não seja um autódromo, prática de lazer.

    ResponderExcluir
  11. E o policial bandidão ainda levando uma grana pra liberar o carro todo destruído...

    ResponderExcluir
  12. O que mais impressiona nesse "acidente" é a quantidade de absurdos em série: andar de skate onde não se deve, tirar racha dentro de um tunel em obras, liberar um carro que obviamente havia se envolvido em um acidente, praticar corrupção ativa e passiva. Ninguém vai devolver a vida ao skatista, mas espero que todos os outros personagens dessa triste história sejam punidos de modo exemplar.

    E antes que eu me esqueça, tem mais um absurdo nessa história: a tentativa de alguns órgãos da imprensa de transformar em evidência de culpabilidade o fato do carro do atropelador ter algum tipo de preparação mecânica. Creio que a Justiça deveria ter o bom senso de não admitir isso nem mesmo como evidência circunstancial.

    ResponderExcluir
  13. Falou tudo Bob!
    Falta humildade, bom-senso e amor a vida!
    Falta humildade para andar civilizadamente de carro...
    Falta humildade para praticar esportes nos locais apropriados...
    Todos se consideram super-homens, melhores e mais capazes e espertos q o próximo...
    Até acontecer uma tragédia dessas para vermos o quanto somos frágeis e a vida delicada...
    Força a família!

    ResponderExcluir
  14. @Marcelo Augusto,

    Você levantou o ponto das multas. Me lembro quando a TV flagra carros tirando rachas, ou manobras proibidas/suicidas, ou mesmo com irregularidades. Não seria o caso das imagens de TV serem prova suficiente para a autuação dos envolvidos, mesmo dias depois do ocorrido? Alguém que conhece legislação poderia me ajudar nessa dúvida?

    ResponderExcluir
  15. Marcelo Augusto25/07/10 10:14

    Rodrigo,

    Eu também tenho esta curiosidade, embora seja apenas formado em direito. Pelo art. 280 do CTB não vejo impedimento para lavrar-se auto de infração, pois basta a declaração de vontade da autoridade, o meio e a oportunidade é o que menos importa.

    Uma vez assisti de camarote uma batida, onde o óbvio culpado foi quem não respeitou a placa de pare e acertou a parte final da traseira de um veículo. Quando o policial chegou fui junto a ele e afirmei: agora só falta aplicar a multa do art. 208. Ele ficou espantado e não disse nada, acredito que não fez nada.

    Realmente não dá pra entender, o camarada pode estar com o veículo com dezenas de infrações do código, muitas delas levando a perigo de acidentes (problemas de iluminação etc), mas só é multado numa blitz ou coisa parecida. Após o acidente ocorrido, fica tudo por isso mesmo.

    É a maldita praxe.

    ResponderExcluir
  16. Em cima do comentário do autoentusista Fábio (22:33), deve-se lembrar que a pista estava "interditada" ao tráfego para manutenção, o que significa que carros de serviço da via poderiam estar circulando e os rapazes poderiam ser vítimas até deles, pela pouca visibilidade gerada pelos mesmos.
    Conclusão: lugar errado sim.
    Somatório de erros = acidente.
    Claudio Drummond

    ResponderExcluir
  17. Concordo inteiramente com o Paulo Levi. Abraços, Fred.

    ResponderExcluir
  18. O que me intriga é o seguinte: Dentro de um túnel o barulho gerado pelo carro é potencializado... dá pra escutar o carro vindo de muito longe. Estando esses, "fazendo racha", certamente a rotação está lá em cima e fica teoricamente impossível não serem notados ha muita distância... Sendo assim, acredito que houve um vacilo GRANDE da parte do garoto: Opcão 1: Estava com fone de ouvido, curtindo um sonzinho. 2: Estava sobre efeito de algo entorpecente.
    N sendo isso, certamente eles sairiam da faixa e encostariam na borda desta, muito antes do carro passar próximo dele. CLARO, EVIDENTE, que isso não tira a culpa dos caras que "estavam fazendo racha" em via pública. Só é uma curiosidade que tive sobre toda essa história.

    ResponderExcluir
  19. Esse acidente foi a conjunção de uma série de coisas erradas. Não tinha como dar certo. Assim como o motorista acertou um skatista, poderia ter acertado um caminhão da equipe de manutenção - e aí teríamos um imbecil a menos na face da Terra.
    Que ao menos a perda dessa vida possa servir de exemplo para mudanças no Código de Trânsito Brasileiro que visem melhorar a segurança do trânsito, mesmo que desagradem a uma parcelinha da população que acha que só porquê pagou pelo carro pode fazer o que bem entender com ele, sem regras, sem limites, sem nada (inclusive dentro da cavidade craniana).

    ResponderExcluir
  20. Ainda sobre rachas: aqui mesmo na internet, no "Youtube", há centenas e centenas de rachas documentados, cujo upload muitas vezes é feito pelos próprios autores das infrações, se gabando de suas "façanhas". Assim como se faz com o crime de pedofilia, não seria o caso de se procurar identificar estes imbecis, para posterior punição?

    ResponderExcluir
  21. Felisberto25/07/10 12:55

    Bob, já que o assunto é segurança de trânsito, gostaria que você, quando julgar oportuno, abrisse uma discussão aqui no Blog sobre a questão dos radares. No Brasil, esses equipamentos têm uma eficácia reduzida em decorrência de uma resolução do CONTRAN, na minha opinião criminosa, que, na prática,obriga que o condutor seja avisado sobre a quase exata localização do radar. Assim, o que se vê nas estradas é o sujeito trafegando dentro dos limites impostos pela autoridade de trânsito apenas nos trechos em que, alertado por placas, sabe da existência dos radares. Penso que avisar sobre o radar se justifica apenas em circunstâncias muito especiais. Dou exemplo: no final da Carvalho Pinto, via que permite velocidade máxima de 120 Km/H, há uma curva totalmente fora dos padrões da estrada, que, para ser contornada com segurança por um motorista mediano, permite velocidade máxima em torno de 70 km/H. Nesse caso, o aviso de radar é benéfico pois, não fazê-lo, acabaria por causar um grande número de acidentes. Excluindo esses casos em que há uma súbita mudança nas condições da via e alguns outros, como grande trânsito de pedestres, não vejo por que avisar sobre os radares nos moldes impostos pela tal resolução. O que se poderia ter, isso sim, é um aviso nas entradas das rodovias de que ela é monitorada eletronicamente. E que essa monitoração seja feita não só por radares fixos, mas também móveis, inclusive instalados em carros descaracterizados da polícia rodoviária trafegando ao longo da rodovia. Tenho certeza de que em poucos meses, na medida em que as multas forem chegando, perceber-se-á uma nítida mudança no comportamento dos motoristas infratores.Sei que o assunto é polêmico. Que muitos falarão em "indústria da multa". Eu ,sinceramente, estou mais preocupado com a "indústria da morte". Considerando-se nossa frota de veículos, trinta e seis mil mortes no trânsito por ano constituem-se uma verdadeira vergonha. Lembro,por fim, que motorista que respeita as leis de trânsito não é multado.

    ResponderExcluir
  22. Até parece que velocidade é que causa acidentes. Incompetência é que causa. Se todos os acidentes fossem causados por alta velocidade, todos eles seriam de carros saindo pela tangente. O que causa os acidentes é a falta de educação dos motoristas e os excesso de radares só contribui para essa situação.

    ResponderExcluir
  23. Aliás, todo mundo que é autoentusiasta já deve estar cansado de bater nessa tecla...

    ResponderExcluir
  24. Desculpe, mas estão querendo culpar a vítima. Técnica digna de advogados de defesa chicaneiros que costumavam defender assassinos cornos, a tal legítima defesa da honra caracterizando a vítima como uma marafona de quinta.
    O tunel estava interditado e nesse caso pode-se até aceitar que alguém a pé ande por lá ou mesmo de skate. É errado, mas apenas um pecadilho, ninguém consegue ferir outrem a pé ou de skate.
    O que jamais se pode aceitar é alguém andar de carro por uma via interditada e em alta velocidade.
    Não moro no rio, mas conheço o local e aposto que estavam tirando racha sim.
    Aproveitam as interdições para fazerem essas coisas e com a complacência de agentes da lei corruptos, conforme ficou plenamente demonstrado pela atitude dos PMs.
    O motorista merece ser condenado e que a chave da cadeia seja jogada fora. Não merece viver em sociedade, lugar de corrida é na pista e não em túnel interditado.
    Aqui em São Paulo o Minhocão é interditado em finais de semana para que as pessoas andem a pé ou de skate, seria a mesma coisa um desclassificado adentrar e matar alguém. A mesma coisa nos túnel Ayrton Senna, é interditado, mas ninguém entra. No Rio é aquela geléia real, é capaz que ainda se descubra que a polícia alugava o túnel para os playboyzinhos. No pain, no gain, a mão da lei tem que bater forte e fundo e não é só no playboyzinho malcriado.

    ResponderExcluir
  25. Este negócio de que "velocidade não causa acidente" é uma meia-verdade, uma vez que velocidades menores permitem frenagens mais curtas, maior possibilidade de controle em manobras bruscas, e, inclusive, não sendo possível evitar o choque, impactos de menor poder destrutivo, que podem fazer a diferença entre morrer e sobreviver, ou entre ter ferimentos graves ou leves.

    ResponderExcluir
  26. A vítima tem sua parcela de culpa sim, foi imprudente, um local fechado durante a madrugada não é lugar de se andar de skate, pra isso existem locais próprios, assim como existe locais próprios para se correr de carro.

    ResponderExcluir
  27. Em qualquer lugar civilizado pode-se andar de skate onde se quiser, basta observar cidades como NY ou Londres.
    Aliás, pela legislação inglesa se alguém atropelar um ciclista, mesmo sem culpa, é considerado culpado, pois o espírito da lei é que um ciclista está em um veículo de equilíbrio instável e vulnerável, portanto, cabendo ao motorista zelar para que nada aconteça.
    Se for ultrapassar um ciclista na Inglaterra e o mesmo virar contra o carro, o motorista é considerado culpado, pois devia ter levado em conta a situação do veículo a ser ultrapassado.
    Civilização ou se tem ou não se tem, o Rio não é civilizado apesar dos esforços desde Dom João VI.
    Aqui também não é muito diferente.
    O único culpado objetivo nessa história é o delinqüente que se acha no direito de entrar em uma via interditada e andar na mesma em velocidade. E se fosse uma criança de 10 anos andando e sendo atropelada? Por que se abaixa as velocidades das vias perto de escolas?
    Dirigir é um privilégio e não um direito, cadeia e joga a chave fora que resolve rapidinho, mas não é isso que irá acontecer, pois está na cara que até conivência de autoridades existem.

    ResponderExcluir
  28. Zullino, ninguém está querendo culpar a vítima. Ocorre que como ela morreu, a tendência natural é que todos "relevem" que teve também sua parcela de culpa. Não era para estar ali, tanto quanto os praticantes do racha. A interdição não foi feita para fins de lazer, como no caso do Minhocão.

    ResponderExcluir
  29. estão querendo culpar a vítima sim e estão querendo acobertar o envolvimento de um monte de gente.
    interdição é interdição e é feita primariamente para veículos e não para transeuntes ou skatistas, esses são tolerados ou retirados.
    a coisa é cristalina, a via estava interdita. o que um carro estava fazendo lá em alta velocidade? quem deixou? quem acobertou? quem não apreendeu o carro? como o carro foi levado a um funileiro? que polícia é essa? que estado é esse? um crime de homicídio é cometido e nem preso se consegue produzir e nem a arma do crime que foi o automóvel se consegue apreender na hora. simplesmente o Rio não tem estado, não tem governo e o pouco que tem não presta, aí se incluindo o prefeito e o governador, ambos múmias paralíticas.

    ResponderExcluir
  30. E tem mais: cabe ao estado proteger os imprudentes, os jovens, as crianças, os desvalidos, os doidos, os deficientes, do contrário poderíamos matá-los dentro de túneis interditos, afinal são imprudentes, desvalidos, doidos, deficientes e merecem morrer, de preferência pelos detentores do chamado "direito de dirigir", não?
    Na próxima interdição do túnel Ayrton Senna pretendo matar uns 10 skatistas e uns 10 pedestres, todos imprudentes, portanto, merecedores da morte.

    ResponderExcluir
  31. Anônimo (14:23) realmente em velocidades menores acontece tudo o que você falou. Mas temos que levar em consideração que os limites de velocidades na maioria das estradas brasileiras é ridiculamente baixo. Acho que o caminho é evitar acidentes e não sofrê-los em velocidade baixa, e para isso os radares não servem para nada. Do jeito que a coisa é feita nesse brasil todo mundo percebe que as autoridades estão preocupadas com o faturamento das multas, e não com a segurança. Aqui tem tantos radares que eles chegam fazer efeito contrário: em vez de controlar a velocidade, eles fazem o motorista acelerar quando percebe que não tem nenhum para azucrinar. E um bom motorista pode muito bem andar rápido com segurança se as condições da pista e do carro permitirem, sim senhor. O que eu percebo é que se instaurou um cultura no brasil de que "se o cara sofreu um acidente é porque estava correndo demais" - é só prestar atenção nas notícias. O cara nunca sofre acidente porque tinha um buraco na pista, ou porque foi imprudente numa ultrapassagem, estado de conservação ruim do veículo, etc. Ninguem tenta consientizar as pessoas que não correr é 1% do processo de se evitar acidentes.

    ResponderExcluir
  32. Existem muito mais incongruências no que tange as leis de trânsito brasileiras.Não têm condições de ser chamadas "justas".
    Sabemos que julgar é muito fácil, ainda mais quando estamos do lado de fora do fato ocorrido. Entretanto, quem ou qual dos envolvidos neste acidente não cometeu infração?
    Que os pais do Rafael sintam-se amparados por nossas orações para suportar esta perda!

    ResponderExcluir
  33. Zullino, mais uma vez: o skatista teve parte de culpa SIM. A interdição não continha um adendo dizendo "exceto para skatistas, pedestres, ou quem queira bater uma pelada". Estava interditado, e PRONTO. Isto é que é cristalino. Não existe este negócio de "interditado primariamente para veículos". Tudo o que ocorreu de errado depois, é outra coisa, é um desdobramento do fato, e de uma forma que também não deveria ocorrer. E este negócio de o "Estado tem que proteger os imprudentes" é uma afirmação muito bonitinha, mas quase infantil. O Estado não pode andar atrás de mim para ver se eu vou resolver andar no pára-peito de um edifício de 30 andares, ou se vou transar sem camisinha com uma moçoila dadivosa que acabei de conhecer na balada. Cabe a mim, me proteger. O consenso geral aqui nestes comentários, é de que o rapaz teve sua parcela de culpa. Se isto não te agrada, paciência. Estamos conversados.

    ResponderExcluir
  34. Anônimo,
    Na próxima vez que interditarem o túnel queira comparecer, de skate de preferência, vou matá-lo com requintes de crueldade e ao abrigo da lei e ainda vou te atropelar com meu carro de corrida com número e tudo e escape aberto. Sairei livrinho, afinal matei um imprudente skatista, um ser merecedor da morte, como deve ser o consenso geral.
    Não se esqueça de mandar a descrição de sua pessoa, pois de repente mato alguém errado e terei que voltar para te atropelar, mas tudo bem, a lei me garante, o tunel estará interditado e todos sabemos que é não só permitido, mas também aconselhado, a que se mate skatistas imprudentes dentro de túneis interditos. Avise-me com antecedência, pois tenho que enviar o carro de São Paulo e essas coisas demoram.
    Darei autógrafos após o ato, mas pensando melhor é melhor vender autógrafos, assim mando arrumar os riscos.
    Não tenho a menor consideração a consensos, a unanimidade é burra.
    A verdade é uma só, está na cara que alugam o túnel para rachas, recebem propinas, não apreendem armas de crime como o automóvel, não prendem assassinos e por aí vai. Total falta de civilização e total falência do estado.
    O delinquente não passa de um assassino doloso e não culposo e tem que ir para a cadeia se quisermos ter um mínimo de vergonha. Alegar imprudência da vítima é como advogado defendendo corno.

    ResponderExcluir
  35. Anacris e outros,
    Que leis de trânsito? Leis de trânsito se aplicam a vias abertas, o túnel estava interdito, não se aplica nenhuma lei de trânsito em vias interditas, a não ser a de que o carro não podia estar lá. Só o fato de estar lá e ainda causar um acidente já caracteriza assassinato mesmo que fosse de uma galinha.

    ResponderExcluir
  36. Zullino, Zullino...não vou comparecer. Primeiro, por o túnel estar interdidado, e estando interditado, não tenho nada que fazer lá. Depois, pela sua infantilidade, é difícil que pilote patins, que dirá um carro para me atropelar. Agora, seja bonzinho, pegue seus Hot Wheels, chame uns amiguinhos para brincar, e deixa o titio conversar com os adultos.

    ResponderExcluir
  37. Pois é Patrick, um bom motorista pode andar mais rápido e com segurança sim, mas...é como você mesmo disse: se as condições da pista permitirem. Se for bem projetada, bem sinalizada, bem conservada, etc, coisa que não acontece com a imensa maioria delas. Some-se uma velocidade maior do que a que já seria recomendável nestas condições, e o quadro se agrava...Por isto, enquanto estas coisas não forem corrigidas, o melhor é precaução e bom senso, o que inclui andar um pouco mais devagar do que se gostaria.

    ResponderExcluir
  38. Pois é Patrick, um bom motorista pode andar mais rápido e com segurança sim, mas...é como você mesmo disse: se as condições da pista permitirem. Se for bem projetada, bem sinalizada, bem conservada, etc, coisa que não acontece com a imensa maioria delas. Some-se uma velocidade maior do que a que já seria recomendável nestas condições, e o quadro se agrava...Por isto, enquanto estas coisas não forem corrigidas, o melhor é precaução e bom senso, o que inclui andar um pouco mais devagar do que se gostaria.

    ResponderExcluir
  39. Anônimo,
    Fugiu né? Na hora que a coisa pega os estadistas de cantina acabam fugindo mesmo, era previsto. Mas evidentemente, eu jamais te atropelaria, mesmo amparado pela lei que me parece ser o caso do Rio. Sou uma pessoa muito piedosa e temente a deus como convém aos justos.
    Você sequer conseguiu entender que o que fiz foi uma "boutade" como diria Marcel Proust, muito diferente de infantilidade.

    ResponderExcluir
  40. Fugi não, enchi, E no seu caso, é infantilidade mesmo. "Boutade", he, he! Criança faz no máximo pirraça, até que pelo cansaço, digam a ela: "está bem, você está certo". Pode espernear, apelar para Marcel Proust, não interessa: isto não muda o FATO de que tanto quanto os carros, o rapaz não tinha que estar no túnel. E ninguém aqui vai dizer o que você quer ouvir, só para satisfazer criança birrenta.

    ResponderExcluir
  41. Quem não tinha que estar no túnel era o carro e nem o motorista assassino e protegido por essa vergonha que se apelida de prefeitura e governo no rio de janeiro.
    O skatista podia estar onde quisesse, nenhum mal faria a ninguém a não ser a si próprio.
    O assassino não, ao entrar com sua arma chamada automóvel em alta velocidade indevidamente acabou com a vida de quem estava inocentemente se divertindo.
    Não vai para a cadeia porque tem muita gente envolvida acobertando as coisas, os mais honestos no rio são os traficantes, pelo menos não enganam ninguém. A atuação da polícia sequer apreendendo a arma e o assassino em flagrante já demonstra a qualidade do estado.
    Não quero convencer ninguém e nem fazer birra, cada um que julgue por si, estou pouco ligando para o que os outros pensam, é só acompanhar minhas participações aqui. Além disso, assino tudo com meu nome real e conhecido.

    ResponderExcluir
  42. Esquenta não Zullino,

    Se fosse o filho dele, destroçado e morto numa via, tal como um cachorro, tenho certeza que ele teria outra opinião.
    Mentecaptos assassinos como esses que atropelaram o rapaz, deveriam apodrecer na cadeia, mas nesse estado corrupto e omisso, com certeza nem para a cadeia irão...
    E ainda por cima, tem sempre os defensores da corja.

    ResponderExcluir
  43. Alberto,
    é isso mesmo, tem que colocar na cadeia o assassino, o acompanhante, os do outro carro e contratar uma auditoria que vai descobrir que a prefeitura e a polícia alugam o túnel para os playboyzinhos ou que fazem viata grossa para receber algum. Só isso explica tanta incompetência.
    No entanto, como a corja toda está de certa forma envolvida não vai acontecer nada e o condenado será a vítima.
    Imaginemos um cadeirante que tivesse entrado no túnel com sua cadeira de rodas apenas para cortar caminho, afinal, não deve ser fácil fazer uma cadeira de rodas andar e cortar caminho é muito importante para um cadeirante.
    Aí vem um assassino palyboyzinho e passa em cima da cadeira com o túnel interdito. Acabam culpando o coitado do deficiente físico que foi imprudente por ter entrado em um tunel interditado, pois o cadeirante deveria saber que em túneis interditados acontecem rachas e outras diversões acobertadas pela polícia do rio que deve usar isso para ganhar mais algum e tudo com a complacência do prefeito e do governador. Não estamos falando de xixirica do deus me livre, mas sim da cidade do rio, uma das principais cidades do país e é impossivel que coisas como essa aconteçam se não tiverem o beneplácito das autoridades.
    Isso é coisa de uma sociedade doente.

    ResponderExcluir
  44. Bom, pessoal: para aqueles que possuem perfeita capacidade de entender as coisas, ficou claro que nenhum dos protagonistas desta tragédia deveria estar onde estava. Até mesmo pela razão do túnel estar interditado não significar que estava vazio: um veículo de serviço poderia ter sido o atropelador, quem sabe. Área de lazer é área de lazer, e uma via pública interditada para manutenção não o é, por mais inocente e seguro que possa parecer seu uso para tal finalidade. Dito isto, encerro o assunto, pois todos já sabem como penso, e, aliás, pensam como eu. A única "voz" em sentido contrário foi a daquele que acha que eu não sustentaria o que disse, apenas por não ter assinado as mensagens. É meu nome que a criança quer para parar de chorar? Roberto Dallossi.
    Sem mais,
    Roberto Dallossi.

    ResponderExcluir
  45. Zullino os dois estavam errados SIM.
    Como o colega acima anônimo disse a pista estava fechada para manutenção,e se um dos carros da manutenção atropela ele,e ele morre???

    Os caras da manunteção estavam certos não devia haver ninguem lá além da manutenção.

    ResponderExcluir
  46. Demorou, mas apareceu outro mané sem capacidade de entendimento, para deturpar as coisas. Com mais este não vou nem perder meu tempo. Quem tiver disposição, esteja à vontade.
    Roberto Dallossi.

    ResponderExcluir
  47. A única voz que acha o contrário não encerra o assunto. Se quer encerrar problema é seu.
    Não acho que eu seja a única voz, deve ter mais gente de bem por aí, mas que talvez não fale, leia o post do Alberto, portanto são pelo menos dois.
    Estou pouco ligando para seu nome, mas ainda bem que o colocou.
    Houve um assassinato e querem amenizar as coisas vilipendiando a vítima e a acusando de imprudência acobertando o assassino e seus cúmplices.
    Houve um assassinato com testemunho da autoridade policial que sequer apreendeu a arma que é o automóvel e sequer prendeu o assassino, muito ao contrário, recebeu propina e o liberou e liberou a arma.
    E ainda querem organizar uma olimpíada nessa cloaca fruto do vácuo do estado.

    ResponderExcluir
  48. Roberto Dallossi,
    Atendendo ao teu gentil pedido de querer ir embora só me resta lhe desejar um Feliz Natal e Próspero Ano Novo.

    ResponderExcluir
  49. Paulo Mopar,
    Acontece que os caras que atropelaram não eram da manutenção, eram delinquentes, o que muda tudo.
    Com que razão alguém entra em um túnel interdito em dois carros particulares? Só se for para tirar racha ou pic nic, você escolhe a razão.
    Além disso, a velocidade de carros de manutenção é bem menor que a do acidente, jamais causaria o dano que causou tanto no skatista quanto no veículo criminosamente evadido e levado a um funileiro pelo progenitor do assassino, filho de peixe, peixe é.

    ResponderExcluir
  50. Não te bastando a imaturidade, quer ser ridículo também? Se pensa que vai convencer alguém com esta estratégia de colocar as coisas como se tivéssemos dito que o atropelador merecia uma estátua em cada esquina e nenhuma punição, pode tirar o cavalinho da chuva. Aliás, outra coisa que se percebe, é o seu (também coisa de criança) bairrismo, colocando as coisas como se só pudessem ter se dado como se deram, pelo fato terem ocorrido no Rio. Quantos casos de rachas com vítimas inocentes, ou seja, que não os próprios participantes, já ocorreram em São PAulo, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, enfim, no Brasil inteiro. Vê se cresce, depois a gente conversa de adulto para adulto.

    ResponderExcluir
  51. Não te bastando a imaturidade, quer ser ridículo também? Se pensa que vai convencer alguém com esta estratégia de colocar as coisas como se tivéssemos dito que o atropelador merecia uma estátua em cada esquina e nenhuma punição, pode tirar o cavalinho da chuva. Aliás, outra coisa que se percebe, é o seu (também coisa de criança) bairrismo, colocando as coisas como se só pudessem ter se dado como se deram, pelo fato terem ocorrido no Rio. Quantos casos de rachas com vítimas inocentes, ou seja, que não os próprios participantes, já ocorreram em São PAulo, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, enfim, no Brasil inteiro. Vê se cresce, depois a gente conversa de adulto para adulto.

    ResponderExcluir
  52. Voltou?
    Coisas como essa só podem acontecer no rio que é um lugar com vácuo do estado.
    Deixarem dois carros entrarem em um túnel interdito só acontece em um lugar sem governo.
    Os carros entraram porque sabiam que poderiam entrar, está na cara e aposto que a própria polícia está envolvida nessa mazela, pelo menos por omissão e posterior cobrança de propina.
    Queria ver isso acontecer no túnel Ayrton Senna que é interditado de vez em quando. Pas de chance.
    E queria ver a polícia de qualquer lugar decente do país não apreender um carro amassado e com o vidro destroçado saindo de um túnel interditado. Queria ver também alguma polícia de qualquer lugar do país ou mesmo do mundo não prender alguém que atropele e mate alguém, mesmo que seja para averiguações, isso não acontece nem em Angola.
    Se isso é ser bairrista que o seja, não há governo no rio e certas coisas só podem acontecer lá.
    Quanto às suas qualificações de minha pessoa, se sou infantil ou não, pouco me importa. Pode reparar que jamais qualifico ninguém diretamente do que quer que seja, portanto, pode me chamar do que quiser que comigo não pega. Aliás, adoro esses elogios, pois como já sou meio velhinho adoro quando me chamam de infantil, faz bem para o ego saber que ainda sou criança sem ter que obedecer papai e mamãe.

    ResponderExcluir
  53. Desista por aqui, Mopar. Por tudo que foi exposto, já deu para perceber que entendimento das coisas não é o forte do nosso interlocutor. Ele também não deve entender que não é preciso muita velocidade para que a colisão de um carro com um pedestre possa causar ferimentos graves, ou mesmo a morte. Desista, para o bem de sua própria paciência.

    ResponderExcluir
  54. E mais: tentaram desqualificar a vítima a acusando de imprudente por ser skatista.
    Não vou deixar isso acontecer e enquanto não fecharem o post a coisa não acaba de maneira alguma.

    ResponderExcluir
  55. Podem desistir mesmo porque não abro mão do mais sagrado direito do homem, o direito à burrice.
    Como sou burro quero saber porque dois carros entram em alta velocidade dentro de um túnel interditado, porque a polícia não apreendeu o carro e o motorista e porque o genitor levou o carro para o funileiro.
    Também quero saber porque acusam o skatista de imprudência e insinuam que essa imprudência contribuiu para o assassinato.

    ResponderExcluir
  56. Você já é meio velhinho? Então, está esclarecido: o que eu pensava ser infantilidade, é senilidade mesmo. E dá-lhe besteira: ninguém tentou desqualificar ninguém POR SER skatista, aliás, nem tentou desqualificar: apenas registrar uma imprudência, e que seria a mesma, fosse skatista, patinador, pedestre, ciclista... Não deveria estar lá. E por mim, você pode ficar falando sozinho neste post pelo resto da sua vida. Isto não vai mudar os fatos.

    ResponderExcluir
  57. eu quero ficar falando sózinho aqui mas você não deixa e foi um dos que procurou qual um advogado chicaneiro de corno desqualificar o rapaz.
    Imprudência seria andar no túnel em operação normal, mas nunca em um túnel interditado onde hoje mesmo declararam que a própria manutenção deixava os caras andarem.
    Não contavam com o negocinho paralelo da polícia que não impediu seja por interesse ou omissão a entrada de dois carros em alta velocidade no túnel interditado. E entraram porque acharam normal entrar, essa coisa vem de longe.
    O assunto está longe de ser encerrado, os donos do blog adoram e vamos agradá-los um pouco.

    ResponderExcluir
  58. Não querer reconhecer que essa tragédia foi fruto do total descalabro em que se tornaram as coisas aqui no Brasil me parece uma doença mental que atinge certas pessoas.
    Tem gente por aqui que é capaz de dizer que o menino de 11 anos que morreu baleado dentro de uma escola no Rio de Janeiro semana passada estava errado por não ter ido à escola com colete à prova de balas...
    Skatista, ciclista, pedestre, SEMPRE teria prioridade e proteção em qualquer país dido civilizado, em qualquer parte do mundo.
    Mas como bem disse o Zullino, nesta cloaca que se tornou não só o Rio, mas TODO o Brasil, não nos resta outra coisa que não seja lamentar a total omissão dos governantes com a educação, pois sem ela não há respeito, lei nem tampouco ética e cidadania.
    Esses homicidas travestidos de motoristas, deveriam já estar presos, bem como os policiais corruptos que os favoreceram. O fato de ainda não estarem na cadeia já mostra o lixo que virou a justiça brasileira.
    Vamos ver se a Cissa Guimarães vai se contentar com uma cesta básica por mês, coisa que esses vagabundos costumam pagar às famílias que destroem e dizem ser suficiente para reparar qualquer perda humana...

    ResponderExcluir
  59. Skatista é tudo vagabundo, infelizmente. Se ele tivesse que acordar cedo pra trabalhar não estaria brincando de skate, o playboyzinho de mamãe famosa.

    ResponderExcluir
  60. O direito à vagabundagem é sagrado, desde que alguém pague as contas, aliás, vagabundear é muito bom, eu faço isso sempre quando posso.

    ResponderExcluir
  61. Seu pai ainda paga suas contas?????

    ResponderExcluir
  62. Papai pagava e muito bem, mas depois como estudei e tive boas oportunidades posso me dar ao luxo de vagabundear, correr de carro na pista, ficar projetando chassis de formula vee, andar de moto, morar bem, essas pequenas coisas que alegram a vida. Hoje nem ganho muito, mas também não gasto muito, deixei de consumir champagne e caviar e me contento com um pastel de feira.
    A fotinha aí ao lado é um dos meus brinquedos, sou cheio deles. Devo ser um imprudente.

    ResponderExcluir
  63. Vc não acha melhor chamar Fórmula Vê?

    ResponderExcluir
  64. não gosto nem desgosto, seguimos a regulamentação internacional, é formulavee.

    ResponderExcluir
  65. O Zullino e o Alberto estão certos, concordo com o que disseram. E não importa se era skatista. Naquela noite, o atropelado poderia muito bem ter sido um funcionário da equipe de manutenção do túnel - funcionário esse cuja presença naquele local não poderia ser criticada de forma alguma.

    ResponderExcluir
  66. Um funcionário (único personagem desta tragédia cuja presença no local não poderia ser criticada) tanto poderia ter sido atropelado pelo carro de um particular que não deveria estar lá, quanto poderia atropelar com um carro da manutenção, um skatista que também não deveria estar lá. Qual é a grande dificuldade em entender isto? Virá desta dificuldade a necessidade de deturpar uma simples observação, a ponto de querer transformá-la em acusação de se estar defendendo o atropelador?

    ResponderExcluir
  67. Pode desistir que eu não me calo. Quiseram deturpar a vítima tal qual advogados de corno tentando aliviar o crime do assassino.
    O caso não foi fatalidade de maneira alguma e sequer acidente, os carros não deviam estar lá, simples assim, se estavam e pior em alta velocidade cometeram um crime de homicídio doloso.
    A Polícia do Rio foi a cereja do bolo. Só no Rio que tem um vácuo de estado desde o Pereira Passos isso poderia acontecer.
    O Rio é assim mesmo, único, para o bom e para o ruim, tem carnaval, é lindo, é ao mesmo tempo o apogeu da avacalhação, foi onde se inventou a carteirada, foi o lugar onde o irmão do Vargas, O Benjamin, O Bejo tinha puteiro e muitas coisas mais, boas e ruins como já disse. Um episódio desses só podia acontecer no Rio, nem em país africano acontece.

    ResponderExcluir
  68. Quanto blá blá blá inútil!
    O que é fato: Nenhum dos dois envolvidos deveria estar lá!
    Mas, não fosse um "global", nada teria acontecido. Nem mesmo teria repercussão!
    E isto sim, me enoja enquanto ser humano!
    MH

    ResponderExcluir
  69. É triste mesmo... mas a parte da película tem 2 lados, uma que evita uma maior quantidade de marginais se aproximarem do carro da sua esposa, filha, filho etc. E outra que é perder um pouco da visibilidade. Na maior parte dos casos que eu vejo é a sujeira(poeira,mono de carb) aliada a película escura. Vidro tem que lavar bem e secar bem.

    ResponderExcluir
  70. Já eu, desisto. A fila anda, já há novo assunto para ser comentado, e não vou passar o resto da vida discutindo com um Burrino, digo, Zullino empacado sem capacidade intelectual para entender o óbvio, he, he.

    ResponderExcluir
  71. Todo mundo estava errado e ponto final. Mas como é filho de gente "importante", tratam de colocar o rapaz como vítima para explorar a mina de reportagens resultantes.
    E Bob Sharp já vem encher o saco com película de novo? Já pegou seu medidor de transmitância e levou no carro do cara pra ver se tava dentro da lei? Agora até carro falhando na partida em dia frio é culpa da película...

    ResponderExcluir
  72. Tratam de colocar o rapaz como vítima? O rapaz morreu assassinado.
    O que teria que acontecer para ser correto ele ser tratado como vítima?
    Morrer assassinado mais umas dez vezes?

    ResponderExcluir
  73. Eurico Jr.26/07/10 09:12

    Resumindo: quando todos erram, o resultado pode ser trágico.

    ResponderExcluir
  74. Só vejo um errado na história, o que foi tirar racha no túnel e assassinou um inocente que só estava se divertindo. Errado é quem entra em túnel de carro para tirar racha. Podia ter matado um funcionário, mas acabou matando um skatista. Os danos no carro não deixam a menor dúvida da velocidade.

    ResponderExcluir
  75. Mister Fórmula Finesse26/07/10 11:00

    " Podia ter matado um funcionário, mas acabou matando um skatista"

    Touchê....isso sintetiza tudo, se o rapaz facilitou ou não, poderíamos dizer o mesmo de um eventual funcionário fazendo manutenção.

    Os funcionários inclusive, já sabiam da rotina dos jovens no local, por isso, ser atropelados pelos funcionários seria algo irreal (um risco equivalente tão prosaico como atravessarmos a rua por exemplo).

    ResponderExcluir
  76. Eu tb acho que o skatista tb tem sua parcela de culpa neste acidente, pois o túnel estava interditado para manutenção, e não para lazer.
    Claro que os rachadores estavam errados, e tem a maior parcela de culpa nesta história, isso é claro e creio ser ponto comum nesta discussão, mas infelizmente por mais que dolorido que possa ser, o skatista tb tem sua parcela neste caso e até o prório irmão já admitiu que o irmão não fez o correto, e é como o Bob falou não se pode dar chance ao azar.

    abs

    Filipe W

    ResponderExcluir
  77. Como eu já previa pessoas inteligentes como o Zullino e o MFF, não poderiam ter opiniões diferentes das que apresentaram acima.
    CONCORDO COM O QUE FALARAM EM NADA MENOS QUE 100%!!!
    Não entendo como algumas pessoas, como o Cláudio Drummond (este que ainda teve a cara de citar meu nome) ou este tal Roberto Dallossi, que apareceu do nada, já se sentindo no direito de falar um caminhão de bobagens para o Zullino e para todos que aqui frequentam e ainda tentou supor que sua míope opinião seria a da maioria aqui, FAÇA-ME O FAVOR!!! Se alguém me pareceu uma criança escrevendo foi você seu Dallossi, sem argumentos, tentando ofender a pessoa que discorda da sua obtusa visão sobre o ocorrido.
    Ahhh... e ninguém aqui ao menos tentou responder a minha pergunta, onde seria o local mais adequado para a prática da modalidade longboard de skate???

    ResponderExcluir
  78. Mister Fórmula Finesse26/07/10 15:32

    Fábio: o mesmo se aplicaria a quem anda de bicicleta de noite em grupos, algo comum em grandes cidades.

    Mesmo com lanternas, sinalizadores e todo tipo de aparato, sempre estão sujeitos a serem atropelados por gente com bebida ou droga na cabeça.

    Eles estão dando mole para o azar agindo desse modo? Talvez, mas por que eles andam de madrugada então? não seria o único tempo disponível para aproveitar os benefícios da pedalada? Ou eles tem que esperar parques fechados no domingo com zilhões de pessoas e crianças em zigue e zague pelo caminho?

    Ele optam por não ferir, mas podem ser feridos de morte por outros irresponsáveis...

    Se o túnel estava fechado para tráfego, existe uma diferença abissal entre os funcionários e seus caminhões - cientes da presença dos jovens - e entre carros queimando borracha acima dos 120 com faróis apagados...isso é crime com no mínimo dolo eventual!

    Um skatista - já fui um - percebe movimentação e faróis nas suas costas com facilidade, mas acontece que não deram chance nenhuma ao pobre rapaz que se julgava seguro em um túnel fechado ao tráfego de carro, que sempre será mais seguro que uma praça de madrugada tomada por traficantes e qualquer outro tipo de gente (sem falar que long board exige espaço adequado).

    ResponderExcluir
  79. Ao tal de Fabio: o que você não entende, otário, assim como o sujeito de quem você veio lamber o saco, é que o túnel não estava fechado ao trânsito para a prática de lazer. O skatista se colocou em situação de perigo, embora isso não inocente o motorista. Só os funcionários poderiam estar ali. Qualquer outra leitura do caso é divagação e deturpação de dois manés que se acham muito superiores e civilizados, mas que pensam exatamente como certos povos para os quais uma placa de "Interditado" é interpretada como "Interditado, desde que não haja nenhuma autoridade por perto, pois aí, posso fazer a festa". Interditado é interditado, palhaço.
    Roberto Dallossi.

    ResponderExcluir
  80. Primeiramente, não podem querer comparar pista fechada para manutenção com pista fechada para lazer, Sr. Roberto Zullino, o senhro querer atropelar os outros integrantes no túnel ayrton senna esta numa situaçao completamnte diferente, pois lá a pista é fechada para o lazer, coisa que nao aconteceu no Zuzu Angel, estava fechada para manutenção.
    SEGUNDO: ninguém tem provas de que eles estavam fazendo pega, andando rápido ate poderiam estar, mas ninguém tem provas de que estavam praticando racha, é normal toda vez que mata-se alguem, dizer que fulano estava fazendo pega, isso é ridículo.
    SEM MAIS

    ResponderExcluir
  81. Chico Xavier26/07/10 17:58

    Eu prefiro me manter vivo do que tomar atitudes imprudentes e depois ficar reclamando por meio de cartas psicografadas.

    ResponderExcluir
  82. Otário? palhaço? ahãm!

    Sem mais.

    Fabio

    ResponderExcluir
  83. Leonardo,
    As leis tem que acompanhar a sociedade e devem ser constantemente atualizadas pela jurisprudência. Daqui para frente é permitido e autorizado tirar racha em túnel, mas sómente se atropelar um skatista.
    Caso o rachador não consiga mirar e acertar um skatista pode substituir por dois pedestres ou um ciclista. O que atropelar um cadeirante ganha "indulgentia plenária ad eternum".

    ResponderExcluir
  84. Ou então, a partir de agora, "fechado pra manutenção" significa "fechado pra manutenção, se você não for famoso e sua inprudência não causar comoção digna de noticiários de tv, campanhas e etc".

    ResponderExcluir
  85. Só para ilustrarmos...

    Há um bom tempo, na Via Anchieta, entre São Paulo e São Bernardo, a pista central permaneceu fechada por um período, aquela pista NÃO ERA ÁREA DE LAZER!!! MAS A POLÍCIA RODOVIÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO autorizava a prática do esporte, no caso, skate longboard, que precisa de pistas grandes devido à velocidade da modalidade, diferente do skate comum que pode ser praticado em skatepark.
    E QUAL É O PROBLEMA??? NENHUM!!!
    ATÉ UM PLAYBOY BABACA conversar com um lixo de pessoa que nem pode ser chamado de policial "fecharem um esqueminha"...
    Como já dito pelo Zullino, lembro que o problema ACONTECEU NO RJ!
    Na Via Anchieta foi só diversão na época, eu e mais vários outros skatistas seremos eternamente gratos aos policiais que possibilitaram nossas aventuras que beiravam os 80km/h.

    Agora, hoje pela manhã estava tomando meu café e assitindo o noticiário e fiquei pensando, imaginem "o estômago" que os amigos do Rafael tiveram que ter para aguentar esta reconstituição!!! E o FDP negando que estava fazendo racha...
    TEM QUE MOFAR NA CADEIA, DESGRAÇADO!!!

    Vocês não percebem o quão ridículo é falar que o Rafael teve parte da culpa???
    Ele só estava andando de skate numa pista fechada com o consentimento do pessoal da manutenção!!!

    ResponderExcluir
  86. Entram dois carros em um túnel interditado, um deles atropela alguém mandando o "de cujus" a 60 metros e praticamente destrói a frente do carro e parabrisas.
    Como acredito em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa acho que estavam apenas fazendo uma promenade no boulevard coberto.
    Tem dias que de noite é assim mesmo, uma batidinha a 20 km/h amassa até o documento do carro.
    Só uma historinha. quando eu era moleque teve dois brazucas ricos que foram para a Alemanha e alugaram uma BMW 2002. Mandaram um velhinho que estava em uma faixa de segurança de Frankfurt para Dusseldorf via aérea. O que estava guiando pegou 25 anos e o que estava do lado 10, esse coitado foi condenado por omissão e por não impedir que o motorista andasse em alta velocidade. Apesar dos esforços e grana das famílias não teve moleza, viraram residentes alemães. Essa é a diferença.

    ResponderExcluir
  87. o Zulino projeta carro de corrida pra que ele possa se sentar o mais pra trás possível. Assim ele consegue que certo arranjo acima de sua moleira funcione como um aerofólio rudimentar. e tudo patrocinado pela Pfizer.

    ResponderExcluir
  88. Não achei a brincadeira pertinente, tendo em vista o assunto do post.

    Agora se conseguirem vender "simancol" em comprimidos, talvez venda mais que o remédinho da infeliz piadinha do anônimo!

    ResponderExcluir
  89. defendendo o papai, Fabinho?
    como bem disse seu progenitor, filho de peixe, peixe é, então a piada também cabe a vc.

    ResponderExcluir
  90. Não não, simplesmente acho que devido ao teor do post e em respeito à família do Rafael, não cabem as costumeiras piadas.

    ResponderExcluir
  91. meteram o pau no coitado do piá porque era skatista, até sugeriram que estava drogado e eu que falto com o respeito?

    ResponderExcluir
  92. Caros,

    Eu conheço alguns skatistas, e o comportamento deles em trânsito é igual ao de ciclistas, sempre à beira de alguma ilegalidade.
    E no caso do long board, o túnel interditado oferecia um ótimo lugar para correr, uma tentação irresistível para um praticante de esportes radicais.
    Esporte radical há sempre o risco e classifico os praticantes em três categorias: os amadores que só querem curtir a brincadeira e desopilar o fígado; os idiotas que tentam dar um passo maior que a perna e ficam dando trabalho para o pessoal do SAMU e os profissionais que sempre tentam dar aquela manobra impossível e elevar o esporte a outro patamar, mas que às vezes se quebrem tentando isso.
    O mesmo vale para bikers, patinadores e outros praticantes de esportes sobre rodas.
    Mas isso não justifica a morte do rapaz. Daqui a pouco vai até sobrar para os funcionários que estavam fazendo a manutenção do túnel. Se os funcionários permitem, é porque ele não imaginavam que dois carros que entraram errados no túnel, fizessem um retorno ilegal e atropelassem o rapaz em alta velocidade, bem acima do permitido. Pode ser que eles não estavam tirando racha, mas a destruição mostrada na dianteira mostra a força do impacto.
    Tentar culpar a vítima por "estar na hora errada e no ligar errado" é o mesmo que proibir o uso de skates, patins e bicicletas no trânsito. Então em nome da "segurança" deve-se banir os skates longboard e os patins in-line e privar os praticantes da adrenalina de andar em altas velocidades sem propulsão mecânica?
    A imprudência do filhinho de papai, aliás, papai esse que subornou os PM's e agora se faz de vítima. Mas é tão culpado quanto o filho que atropelou, ao aceitar pagar o suborno para os PM's e disse que só não aceitou pagar mais quando descobriu quem era a vítima. Quer dizer, se outro praticante de longboard fosse atropelado, ele pagaria numa boa, e como era filho de uma atriz famosa, sentiu culpa porque o rapaz não era um cidadão e segunda classe?
    E sem contar que tentou destruir as evidências de um crime.
    E é essse tippo de gente que adfora dar um carteraço.
    Caro Bob, te respeito muito, mas essa de dar chance ao azar é o mesmo ficar se castrando. Um exemplo, deixo meu notebook em casa, para não ser arrastado na rua quando algum meliante de moto agarrar a bolsa que o contém, e que chama mais atenção do que o próprio equipamento, apesar de ter pago barato pelo acessório. Resumindo, temos que ficar no limitando em nosso lazer, em nosso deslocamento, nas horas de trabalho, sempre pensando no pior em que pode acontecer, e sinceramente daqui a pouco deixo até de andar até de ônibus.
    Isso nem é vida.
    Quanto ao horário, não é porque o rapaz pode andar à 1h30 da manhã que ele é vagabundo como algum anônimo acima citou, muita gente só tem esse horário para o lazer.
    Caro Zulino, desta vez vou concordar integralmente contigo, a lei obriga um condutor SEMPRE respeitar outro veículo menor ou um pedestre, independentemente da situação. Então não há justificativa nenhuma para o atropelamento do rapaz.

    ResponderExcluir
  93. Acredito que a maioria aqui não saiba que o Skateboard é o 2º esporte mais praticado no país, então acho que já é hora de pararmos com estes rótulos, do tipo, skatista é tudo vagabundo drogado!
    Aliás, o Brasil está no topo do esporte, muito bem representado por atletas como Bob Burnquist, Sandro Dias, Lincoln Ueda, Pedro Barros, Carlos Andrade, Rodolfo Ramos, entre outros... É até sacanagem citar alguns nomes, pois são tantos que estão na briga, num mercado absurdamente competitivo, depois de uma vida de dedicação e amor pelo skate.
    Daqui a pouco alguém encarna o Jânio Quadros aqui... Para com isso!

    ResponderExcluir
  94. Anônimo das 12:49
    Só consigo sentar atrás porque sua mãe e suas irmãs vão na frente, eita família de mulheres corajosas. Já os homens nem tanto, ficam com medinho de colocar o nome.

    ResponderExcluir
  95. Mister Fórmula Finesse27/07/10 15:18

    Racionalizar os riscos é um tremendo exercício até onde mesmo aparentemente não existe nehum, exemplo: fui pedalar esse domingo de manhã por um estrada rural que leva ao topo de uma montanha, seria difícil um trator despinguelando na descida ir ao meu encontro eu poderia pensar, mas encontrei um touro solto no meio da estreita estrada que me fez pensar seriamente em deixar a bike e descer pelo perau lateral cheio de árvores e ramos para me apoiar com segurança.

    O bicho avançou - na verdade assustado - e correu ao lado da bike caída ensaiando uma investida para evitar que eu tentasse atacá-lo (!?!) e fugiu para o que imagino seu local de origem.

    Um risco não calculado no momento, prova de que estamos sujeitos a todo tipo de perigos, mesmo nos locais quase isentos de tráfego.

    ResponderExcluir
  96. ô Zulino, mas você não explicou como funciona o aero-corno-fólio.

    ResponderExcluir
  97. Anônimo,
    funciona exatamente como você disse, mas o mérito não é meu, tive a idéia ao ver o teu pai.
    Normal, a gente nunca repara nos adornos que tem até ver nos outros, dá uma olhadinha no espelho de vez em quando também.

    ResponderExcluir
  98. tanto aqui quanto eu qualquer outro blog, revista ou meio eletrônico que se permita comentários, o que eu vejo são exatamente as mesmas falta de cidadania, bom senso, educação, respeito ao próximo e coletividade que emporcalham o trânsito das grandes cidades.
    O Zulino apesar de meio grosso e turrão, dessa vez tem toda a razão e não adianta xingar, querer achar culpa pro jovem morto é uma sacanagem tremenda, assim como são desprezíveis esses que já saem rotulando com adjetivos incabíveis só pelo fato do esporte que o rapaz praticava ou pelo horário e local da tragédia

    ResponderExcluir
  99. Eu grosso e meio turrão? É impressão só, pessoalmente sou fino, bem vestido, elegante, um lord inglês. Fora que sou muito simpático e educado, além de modesto evidentemente.

    ResponderExcluir
  100. Para com isso Zullino.
    Bater boca di grátis, com quem tem opinião cerrada em assuntos polemicos é pura perda de tempo e energia. O que infiro disso é que o anonimo/identificado, é um mais que provável rachador e que odeia o que lhe atrapalha nas madrugadas e que não tem coragem de passar por cima.
    Tudo errado e por sorte (nesse azar maldito) a vitima é filha de gente conhecida o que remete a discussão e que, certamente, deverá melhorar (sou um crente) a postura das pessoas sempre que encontrarem skatistas e ciclistas, pelas madrugadas. A rede Blobo não vai deixar de fazer pressão? ótimo. Assim as pessoas vão aceitando que carro não é máquina de matar impunemente. E carreguem as tintas pra cima do paizão também, que afinou no "pedágio" ao saber quem era o morto.
    E vamos cuidar do FVVE que esse sim tá nascendo pra correr... NAS PISTAS.

    ResponderExcluir
  101. Para com isso Zullino.
    Bater boca di grátis, com quem tem opinião cerrada em assuntos polemicos é pura perda de tempo e energia. O que infiro disso é que o anonimo/identificado, é um mais que provável rachador e que odeia o que lhe atrapalha nas madrugadas e que não tem coragem de passar por cima.
    Tudo errado e por sorte (nesse azar maldito) a vitima é filha de gente conhecida o que remete a discussão e que, certamente, deverá melhorar (sou um crente) a postura das pessoas sempre que encontrarem skatistas e ciclistas, pelas madrugadas. A rede Blobo não vai deixar de fazer pressão? ótimo. Assim as pessoas vão aceitando que carro não é máquina de matar impunemente. E carreguem as tintas pra cima do paizão também, que afinou no "pedágio" ao saber quem era o morto.
    E vamos cuidar do FVVE que esse sim tá nascendo pra correr... NAS PISTAS.

    ResponderExcluir
  102. Meu caro Regi,
    A "inguinorança que astravanca o pogréssio", eu cy divirtio.

    ResponderExcluir
  103. Murilo Suzuki27/07/10 18:58

    Bob,

    Alguns pontos que acho legal destacar
    -Não há provas concretas de que o rapaz estava fazendo um racha.
    -O túnel estava fechado para carros naquele momento, mas era proibido o tráfego de bicicletas, skates, patins e pedestres em qualquer horário.
    -Pouca gente questionou o que um garoto estava fazendo andando em um túnel de skate às 1h30 da manhã
    -O rapaz do carro fez uma conversão dentro do túnel através do túnel de serviço - uma conexão entre às duas vias, como há nos túneis da Imigrantes e no Complexo Viário Maria Maluf. Se o atropelamento foi durante a conversão, não há vidro transparente que impeça o enorme ponto cego provocado pela conversão de 90º

    Abraços

    ResponderExcluir
  104. Mas uma conversão de 90º ali naquele ponto teria que ser feita em baixa velocidade. Uma colisão nessas condições não teria deixado o carro com a frente toda destruída como ficou.

    ResponderExcluir
  105. ooOOO Murilo...

    Se vc não está acompanhando o caso nem pela televisão, não venha aqui escrever estas bobagens!!!

    Cada tipo tem aparecido no AE... vou te contar, viu!

    ResponderExcluir
  106. Sensacionalismo da mídia, IMHO...

    Os culpados tem de ser julgados sim! Mas uma parte dos culpados já se foi... Ele foi imprudente andando em via pública, assim como o motorista foi imprudente de adentrar em local interditado.

    Mas, continuo acreditando que isso seja mais sensacionalismo da mídia, do que algo "relevante".

    Caso Eloá, caso Nardoni, caso Von Richthofen, entre outros. Crimes praticamente comuns no dia-a-dia da divisão de Perícias da Polícia, que a mídia "faz tempestade em copo d'agua"...

    Mas sabe como é o poder, né? Comoção social é o que dá audiência. Praticamente todo brasileiro tem uma "sentença de condenação" para cada "monstro" acusado...

    A dor da perda é enorme, eu sei. Recentemente um amigão meu veio falecer pois colidiu de frente com um caminhão em uma rodovia. Sei o quão duro é essa merd@ de sentimento.

    Mas a realidade é dura e crua: A vida continua, para os que ficam...

    ResponderExcluir
  107. Fábio...

    "Quem conta um conto, aumenta um ponto."

    Não convém que nós que não somos peritos criminais, muito menos participamos da perícia, tomemos por base relatos da mídia, para a "construção de um cenário".

    Pode ser até "teoria da conspiração", mas existem truques para se fazer notícia.

    Um simples acidente pode ser uma tragédia, ou não, dependendo de como a notícia é passada.

    O incrível, é ver até "Ana Maria Braga" fazendo "entrevista" com envolvidos nesses casos...

    Por questão de ética, pra mim, isso deveria ser proibido. A notícia TEM de ser veiculada SIM! Mas não "especulada".

    ResponderExcluir
  108. Eduardo,

    Concordo que é muito sensacionalismo, mas penso que é válido para pressionar a justiça, ao menos nestes casos esdrúxulos, que envolve corrupção policial e todo mais um monte de M...
    Que a pena seja pesada! E que sirva de exemplo!

    ResponderExcluir
  109. Uma entrevista que saiu hoje com o Roberto da Matta que encaixa certinho na discussão que se formou aí pra cima:

    http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a2986161.xml

    ResponderExcluir
  110. Bom, independente de quem morreu e da rede bobo, para os quais não dou a mínima, o Bob mencionou que equipou a bicicleta do filho com sistemas de iluminação.

    Não querendo trazer má sorte a ninguém, tudo que eu tenho a dizer ao Bob é: voce e seu filho podem ter feito tudo direitinho, mas mesmo assim estão extremamente expostos a riscos desnecessários.

    Andar de bicicleta em vias públicas, pra mim, é uma calamidade. Trânsito requer uma velocidade mínima para fluidez, afinal, sabemos que acidentes estão diretamente relacionados a discrepâncias de velocidades. Portanto, a minha recomendação é que ninguém ande de bicicleta na rua. Não que seja errado, mas que está verdadeiramente "procurando sarna pra se coçar".

    ResponderExcluir
  111. Pondo um pouco mais de polêmica nesta questão: Fábio, sempre gostei e concordei com suas opiniões, mas desta vez tenho que fazer diferente.

    Seguinte: lugar de pedestre é na calçada e só deve cruzar as ruas pelas faixas de pedestre. Mas o pedestre brasileiro tem o hábito de cruzar fora da faixa? Tem sim, mas aí ele assume todos os riscos de tal travessia.

    Lugar de carro é nas ruas, avenidas, alamedas e rodovias. Não é lugar de pedestre! Aí tudo funciona, com cada um em seu lugar.

    Aí voce vai perguntar: se pedestre tem o seu lugar nas calçadas, e os carros/motos/onibus/caminhões tem seu lugar nas ruas/alamedas/avenidas/rodovias, onde ficam os skatistas? Bem, lamento informar, mas no mundo urbano, não há espaço em vias públicas para eles. Só sobram os parques ou construções (rampas) feitas especificamente para a finalidade do skatismo.

    Quanto ao MFF: resolveu subir uma estrada de terra deserta, no meio do nada, de bicicleta? Voce está procurando hein! A vida é abarrotada de riscos, pra que acrescentar ainda mais?

    Quanto ao RZ: o tunel AS é fechado aos domingos e permitido o tráfego de pedestres? Sim, é verdade. Só posso lamentar muito este desmando da prefeitura de SP. Tunel é para tráfego de veículos, não de animais. Só deveria ser fechado para manutenção. Qualquer outro motivo é simples mau uso da via pública.

    Alguém mencionou que um sujeito que atropelou um velhinho na Alemanha foi preso por 25 anos. Só posso me lamentar e constatar que o .br não é exclusividade em tosquices. Na Europa, USA e todo canto do mundo existem tosquices similares. Ninguém atropela um sujeito porque quer, não apenas por questão de respeito a vida, mas também por questão de respeito a saúde patrimonial e financeira própria. Ou alguém acha que o dono do carro em questão ficou feliz e contente com a quase PT no carro?

    A rodovia Anchieta costumava ser fechada em domingos para prática do skatismo? Sinto muito, está errado também. Ela foi feita para tráfego unica e exclusivamente de veículos automotores. Neste aspecto concordo com a norma americana, que deixa bem claro: proibido o tráfego de pedestres em todas e quaisquer rodovias. Se for pego "perambulando" pelo acostamento, será devidamente conduzido ao distrito policial mais próximo.

    Os caras estavam tirando racha? Não sabemos. Estavam andando rápido? Certamente. O quão rápido? Não sabemos. Um atropelamento a 80km/h já é mais que suficiente para produzir todo aquele estrago. Mas o que isso importa? Nenhum deles deveria estar ali mesmo.

    Na minha opinião, estão dando atenção demais a este caso. Atropelamentos ocorrem a toda hora em todo lugar. Este recebeu o "peso" da imprensa porque ocorreu com uma atriz da rede bobo. Grande coisa! O enfoque correto é: analisemos os fatos e que isso nos sirva para entendermos que acidentes só ocorrem quando vários fatores ocorrem em conjunto, e portanto, façamos a nossa parte, não trafegando em locais impróprios seja a pé ou dirigindo algum veículo (automotor ou não), prestando atenção em tudo e todos.

    Quanto ao RZ: cara, me diverti muito com seu discurso, nunca vi nada irracionalmente igual! Foi uma piada muito bem feita, valeu a leitura.

    ResponderExcluir
  112. RZ, vou apenas lhe fazer uma sugestão: todos, absolutamente TODOS, sem exceção, que hoje ou ontem dirigiam/pilotavam em autódromo, sabe como começaram nesse negócio de automobilismo?

    Pois é, tirando racha na rua. VOCE começou assim, eu comecei assim, o BS também começou assim. É normal. Ninguém vai a um autódromo sem nunca ter acelerado (indevidamente ou não) em via pública, só vai quem gosta, e quem gosta, até ter condições de ir ao autódromo já tem alguma prática nas ruas.

    Portanto, a minha sugestão é: ao menos neste quesito, não seja hipócrita!!! Voce até pode ser hoje radicalmente contra o racha, mas em algum momento da sua vida voce foi um praticamente (nem que tenha sido esporádico, mas foi). Não conheço UM ÚNICO autoentusiasta que nunca jamais em tempo algum não tenha tirado um racha, pois mais lento, inofensivo, cuidadoso, whatever que tenha sido.

    Eu não recomendo a ninguém, mas não nego que já pratiquei. Questão de honestidade filosófico-conceitual.

    ResponderExcluir
  113. Mister Fórmula Finesse28/07/10 18:43

    Bussoranga: não era exatamente no meio do nada, pois é um atalho a via asfaltada até o topo.

    Existiam casas de agricultores aqui e acolá, meu telefone funcionava, tinha dinheiro e documentos juntos....uma estrada rural e bucólica, muito mais seguro que enfrentar o asfalto que muitos pedalam.

    ResponderExcluir
  114. bussoranga,
    prestenção, o que fecha é o minhocão para lazer, eu estava me referindo a quando o túnel AS for fechado para manutenção, igualzinho o que aconteceu no rio. pode ser um túnel qualquer, Maria Maluf, 9 de Julho.
    a jurisprudência firmada já nos autoriza a tirar um racha dentro do túnel interditado, de preferência aterrorizando uns skatistas, ciclistas, pedestres, pederastas, cadeirantes, transeuntes e incautos.
    não adianta vir com seu discurso porque temos diferenças irreconciliáveis, eu acho que dirigir é um privilégio que pode ser retirado ad nutum pelo estado e você acha que é um direito.
    no caso, acho que apesar da celeuma do caso, o assassino não perde nem a carteira, afinal, a situação do nosso sistema prisional é tão ruim que impede que seja frequentado por pessoas da sociedade, urge reformar esse sistema prisional.
    quanto a racha, eu pelo menos nunca tirei racha desse tipo, acho de uma pobreza sem par.
    na minha época corríamos o circuito do ibirapuera, que era um deserto, e depois fizemos um circuito onde hoje em dia é o cemitério do morumbi. fizeram o cemitério, mas acho que baixou um odorico paraguaçú no empreendimento e não havia maneira de morrer alguém para inaugurar e deixaram abandonado. só pintamos as guias para correr de noite, mas nem as almas penadas prestigiavam as provas.
    não quer dizer que eu não frequentasse as arrancadas do Deck na 9 de Julho e a bagunças do Rick Store na Faria Lima, mas como sempre andei de moto nunca participei de nada. esses lugares na época eram conhecidíssimos de todo mundo e os tementes a deus não os frequentavam, pois sabiam que podia dar merda. outros tempos.
    tive meu primeiro carro aos 15 anos, um Mercury 1948 Coupê preto, mas nunca achei que tinha direito a nada, muito ao contrário, como andava sem carta sempre me acostumei a pular miudinho.

    ResponderExcluir
  115. Joseph Huggins28/07/10 20:29

    Att.: Sr. Roberto Zullino.

    Infelizmente, atentando contra a boa saúde dos seus comentários, notei grande bairrismo; deixe disso.

    Vivi 15 anos em São Paulo, outros 20 no Rio de Janeiro. Moro agora em Brasília e ocasionalmente estou nas duas cidades anteriores. Sempre trabalhando com o "lixo", a escória social.

    Ambas as cidades, Rio de Janeiro e São Paulo, são lotadas de corrupção, "vácuo do estado", cada uma em suas áreas.

    Recomendo que reveja suas opiniões. As metrópoles do Brasil que tive oportunidade de conhecer de perto, infelizmente estão por igual infestadas.

    Um forte abraço,

    Joseph.

    ResponderExcluir
  116. Meu caro Sr. Huggins,
    Lamentavelmente V.Sa está completamente errado no que se refere a um suposto bairrismo, apenas falo a verdade.
    O Rio vem sendo tentativamente civilizado desde Dom João, mas sempre acontece alguma coisa, no império era a corte mamando, o imperador envergando arreios de ouro como um bourbon omisso que era e a sociedade estimulando as favelas na base do Casa Grande e Senzala. Na República, continua a cultura da carteirada, da desigualdade, do não trabalho do funcionalismo e o estímulo à cultura da malandragem. No final, ainda deixa de ser a capital e isso foi um golpe enorme. Após esse fato se inicia a construção do vácuo do estado com o Brizola e seus continuadores fazendo arreglos com a marginália. São duas cidades, uma onde o estado atua e outra onde o estado é substitído pelos traficantes que no final substituem o estado inclusive nas funções sociais e isso é uma condição única, os dois sistemas convivem no mesmo lugar, ao contrário de outras cidades onde as áreas são difenciadas. A infestação é verdadeira em todos os lugares, mas não há coexistência geográfica e isso faz toda a diferença.
    A atitude dos policiais demonstra isso claramente, não há cidade do mundo onde essa atitude poderia acontecer. Como podem não apreender um carro e seu motorista depois do acontecido? Isso é o império da bandalha mesmo.
    Se ainda me considera bairrista ou não, para mim tanto faz, não ligo a mínima para o que outros pensam a meu respeito, só me resta agradecer sua intervenção para poder falar mais algumas verdades desagradáveis. Aprendemos mais com quem nos faz chorar.

    ResponderExcluir
  117. Tá legal RZ, o que fecha no final de semana é o minhocão, mas isso não muda o meu argumento: continua sendo uma tosquice ilimitada. Quantas vezes estava no trânsito de SP, em torno das 20:30, e me lembrei que o minhocão era um excelente atalho para o meu trajeto e... surpresa! Fechado por motivos espúrios, complicando todo o trânsito.

    Ora, obra pública concluída é para se utilizada. Não faz sentido ter um megaviaduto fechado para o tráfego, a não ser que seja para manutenção.

    Quanto à jurisprudência formada, o que posso dizer? Continua sendo um excelente programa de humor! Por mim pode continuar que está divertidíssimo. :-)

    Eu acho que adianda continuar com meu discurso sim, pois é sempre bom lembrar que temos conclusões diferentes porque partimos de premissas diferentes (a velha questão direito vs privilégio). No meu ponto de vista é um direito que pode ser suspendido ou cancelado, só isso. Mas é direito a priori.

    Eu fico imaginando o seguinte: com toda a sua experiência, mesmo com seus conceitos estranhos, voce deve dirigir bem. Mesmo assim, isso não é garantia de "acidente zero". Então, qual será o seu discurso caso, ao cruzar uma avenida movimentada, tudo dentro das normas e leis de trânsito, um pedestre desatento ou bêbado cruze a sua frente de forma tal que seja impossível desviar e não haja tempo/espaço de freiar? Neste caso o atropelamento é inevitável, e não será por erro/culpa seu/sua. E aí, voce continua concordando com essa filosofia européia de culpa presumida?

    Meu pai já passou por isso. Dirige há 42 anos, e NUNCA teve acidente nenhum. Há 2 anos atropelou um mendigo bêbado que atravessou a avenida. Não o matou, apenas quebrou uns ossos e danificou a frente do carro. A perícia foi feita e foi constatada total culpa do mendigo bêbado. Mas o que aconteceu no final das contas? Meu pai ficou com um baita prejuízo, o mendigo foi para o hospital e se recuperou totalmente. Foi visto várias vezes na mesma região, sempre bêbado. Legalmente, absolutamente NADA aconteceu com meu pai. Mas num país com filosofia européia ele teria perdido a CNH ou ido preso por algum tempo. ACHA QUE ISSO SERIA JUSTO???

    Moral da história: O .br é cheio de tosquices, de desgoverno, de malandragem e outras mazelas, mas o restante do mundo também tem as suas tosquices, malandragem e mazelas. Assim como 2 erros não fazem um acerto, os nossos erros não são substituíveis pelos erros dos outros. São todos erros!

    Quanto a reforma prisional, voce tem razão, mas antes dela tem que vir uma completa substituição do código penal. Nosso código penal não é apenas brando com os bandidos, mas dificulta a ação policial e torna a vida da população carcerária muito vantajosa. Afinal, o cara tem comida, lazer e moradia totalmente gratuitos e sem trabalhar Isso tem que mudar, o cara tem que trabalhar e MUITO.

    Voltando à questão filosófica, acho curioso que voce ainda opta pelo conceito de que dirigir é privilégio, e não um direito. Isso não automaticamente ferra todos os autoentusiastas?

    ResponderExcluir
  118. Pãããts! e eu pensei que este post já tinha ido pro...
    Bussoranga apareceu e a turma toda voltou... rs*

    Então né...

    Bussoranga, também sempre gostei e concordei com suas opiniões, mas desta vez vamos discordar mesmo, porque são vários outros fatores além do atropelamento que me deixaram indignado com esta história, o "acerto" com os puliças, a saída do túnel com as lanternas apagadas e o papai que tentou encobrir. Afinal, a pista estava interditada, razão esta que o skatista a procurou, ele não estava se arriscando no meio do trânsito. Aliás, sou skatista desde a época que skate era "realmente" coisa de maloquero, punk, etc. etc. etc.

    Saindo um pouco do assunto...
    Segue o link do trailer de um filme que dará uma noção maior do que se trata a minha outra paixão além dos carros, logo mais deve estreiar nos cinemas.

    http://www.vidasobrerodas.com.br/Promo.asp

    Em relação à Anchieta, um trecho da pista central estava fechada por tempo indeterminado na época, não sei precisar a razão, ou seja, ela não era fechada para lazer.

    Quanto ao "Minhocão", se era 20:30 e estava fechado, devia ser domingo, porque o Elevado fecha às 21:30, principalmente em virtude do ruído, note que os prédios são praticamente colados na via. Dá até dó de quem mora ali! O Serra queria por tudo aquilo abaixo, mas acho que também não é por aí...

    Quanto à questão "direito ou privilégio", fico em cima do muro...
    Não sou santo no volante até hoje, ando acima da velocidade permitida frequentemente, mas hoje sou muito mais responsável, tenho mais bom senso e percepção dos riscos reais.
    Apesar de ter frequentado ainda moleque (12 anos de idade) a Av. Kennedy em SBC, eu nunca levei meu carro para lugares específicos de racha, mesmo quando eu tinha carro turbo. Um "pega" ou outro eu fiz, mas também não recomendo à ninguém. Aquela coisa de estar andando um pouquinho mais forte, aí no caminho encontra outro e... Bom, isto não se faz! Hoje, quando percebo que alguém se "enfezou" porque eu passei mais rápido, faço questão de demonstrar que eu não estou competindo com ninguém, só estou com um pouco de "pressa"...

    Amo velocidade! Mas competição é na pista! ambiente controlado e talz...

    Abs

    ResponderExcluir
  119. bussoranga,
    não entendi direito o teu conceito de obra pública.
    se for conceito de que obra pública é feita com dinheiro público, nenhuma obra pública pertenceria ao transporte individual, ou melhor, muito poucas.
    80% da arrecadação do estado brasileiro vem de impostos indiretos sobre o consumo, portanto, quem está pagando pelas vias são os caras de Mercedes, mas de ônibus Mercedes, aquele com chofer e 40 lugares sentados e 80 de pé.

    ResponderExcluir
  120. Fabio,

    Quanto a atitude dos "motoristas", policiais, pais, etc etc etc... concordo plenamente com voce. Foi tudo um vexame nacional.

    O skatista procurou a pista fechada ao tráfego. Ok. Mas estava fechada ao tráfego para manutenção. Só o fato de estar em manutenção já é arriscadíssimo para qualquer pedestre, pior ainda para um skatista! E obviamente carro nenhum tinha que entrar ali, portanto, em momento algum eu tirei ou atenuei a culpa dos motoristas.

    Imagine que o cara estivesse ali, se divertindo numa boa, e placas de concreto caíssem do teto, justamente por estarem em manutenção? Ou então um caminhão ou aplainador não visse o sujeito e o atropelasse? É exatamente isso que eu questiono: a presença de qualquer transeunte não funcionário ou atrelado à obra não é proibida por acaso, é questão de segurança.

    Então, se o cara escolheu o tunel fechado pensando ser um local seguro, pensou errado!!!

    Quanto a Anchieta, se não estava fechada para lazer, então era para obras. Daí, de novo, não é local seguro para prática de nada, nem para simples caminhada.

    Quanto ao minhocão, o Serra é um grande imbecil. Tenho MUITO MEDO desse cara chegar na presidência. O minhocão é um mal necessário. Não fosse ele, hoje mesmo eu teria perdido 2 compromissos profissionais. Verdade seja dita: o que a cidade precisa é de obras, muuuuuuuuuitas obras. Precisa no mínimo triplicar sua malha viária, e isso requer extensa reformulação da cidade, com desapropriações e realocações de imóveis. Mas isso contrariaria muitos interesses e teria um custo astronômico, por isso vamos vivendo de remendos.

    Pensando pelo lado da Democracia, o minhocão ajuda diariamente centenas de milhares de pessoas, prejudicando quantas? Umas 10 mil pessoas (moradores locais)? Infelizmente acaba sendo uma boa escolha. Se as coisas tivessem sido feitas decentemente, toda aquela área teria sido desapropriada, com todos os proprietários devidamente indenizados. Infelizmente a coisa não foi feita dessa forma. Se algum prefeito ou governador tivesse interesse, ainda poderia ser corrigido.

    Quanto a questão do racha, penso mais ou menos como voce. Não existe absolutamente nenhum autoentusiasta que não acelere forte de vez em quando "por aí".

    ResponderExcluir
  121. RZ,

    Obra pública não pertence a ninguém, isto é, pertence a todos. E se pertence a todos, não pode ser somente para tráfego de ônibus, afinal, ônibus também tem dono.

    Voce é um dos pouco autoentusiastas que eu conheço que defende fortemente o transporte público. Vou citar um exemplo no qual isso não funciona (e que, portanto, pra mim NUNCA funciona).

    Preciso fazer uma viagem ao SP-RJ. A ida já está comprada e paga por um terceiro, de CGH a SDU. A volta será por minha conta. Tenho algumas opções:
    1. A mais barata e inconveniente é de ônibus. Leva de 6 a 7 horas, e não posso sair antes das 20:00. Chego em SP depois das 2:00 da madrugada, ou seja, horário extremamente inconveniente (pois tenho que levantar cedo no dia seguinte).
    2. A ideal é comprar um voo de retorno SDU para CGH, mas os viáveis (mínimo 200 reais) são em horários tosquíssimos (como sexta-feira de manhã ou sábado a tarde), ou com preços escorchantes (acima de 400 reais).
    3. Comprar um voo de retorno SDU para VCP, e depois me ferro com mais 75 paus (combustível+pedágios) de Campinas a SP, portanto, também fica inviável

    Sabe qual é a alternativa mais prática, conveniente e financeiramente vantajosa? JOGAR FORA ESSA PASSAGEM QUE ME DERAM, e ir e voltar de carro. Já contabilizei nisso combustível, desgaste do carro e pedágios. Sim, tudo isso sai mais barato, e mesmo que fosse apenas levemente mais caro, ainda compensava por não ter que pegar taxi ou qualquer outro meio de transporte durante a estadia no RJ.

    Portanto, meu caro RZ, desculpe-me, mas transporte público:
    1. NÃO FUNCIONOU
    2. NÃO FUNCIONA
    3. NUNCA FUNCIONARÁ
    Eu não aceito ser escravo de horários de empresas de transporte nem ser escravo de tarifas toscas de empresas de transporte. Com meu carro eu saio como quero, quando quero e do jeito que quero. Isso não tem preço (e como se nào bastasse, é mais barato!!!)

    Pior ainda é saber que esse "projeto" de trem-expresso SP-RJ nunca sairá do papel. Os caras querem estipular 200 reais como tarifa POR TRECHO. PORRA! Eu gasto isso em combustível e pedágio IDA E VOLTA!!!!!!! Projeto estúpido e inútil.

    ResponderExcluir
  122. Uma coisa que o Zulino nunca entendeu é que o transporte público só funciona em outros lugares porque é acessível, rápido e confortável.
    Esse conceito de que dirigir é um privilégio e não um direito adquirido é coisa de comuna enrustido que agora se traveste de eco-chato.
    Fazer elevados para criar linhas de metrô de superfície, ou de ônibus aritculados e bi-articulados seria uma opção, já que mataria dois coelhos com uma cajadada só: tiraria parte dos motoristas que não precisam/querem dirigir e tira também os ônibus das avenidas, melhorando o tráfego.
    Quanto ao Minhocão, todo mundo tentou tirar e não deu certo, afinal tem que se pesar o que o Bussoranga escreveu: quantos vão ser prejudicados, os mil habitantes do entorno do Minhocão ou as 100 mil pessoas diárias que passam por ali.
    Pela alternativa dada, o motorista teria que dar uma enorme volta para chegar ao mesmo destino. E o trânsito de chão não faria o comércio voltar a ser o que era.
    Tem que se pensar em alternativas complementares, e não tentar impor uma solução única para tudo, como nós somos habituados por aqui. Isso nunca funciona a contento, veja os casos de Cuba e Coréia do Norte.
    Exemplo: estacionamentos no metrô com aluguel de carros compatilhado. Só isso já tira uns 300 carros por composição das avenidas expressas, que deixariam de circular desnecessariamente. Aluguel de bicicletas, Segways e micro-carros (elétricos ou híbrido) compartilhados com bases em pontos estratégicos, dependendo da distância nas estações de metrô ajudariam em distâncias curtas.
    Terminais de ônibus integrados com metrô também seriam bem vindos. E nada de miséria em coletivos, como mostrou o programa A Liga em que uma mulher levou mais de três horas para chegar ao seu local de trabalho.
    Dar prioridade aos ônibus do transporte coletivo concessionado em detrimento de TODOS os outros não fará o motorista abandonar o seu sofrimento egoístico que é o carro. Afinal, sair e já correr risco de ser multado, assaltado e sofrer um acidente faria qualquer um pensar duas vezes antes de tirar o seu carro da garagem. Mas perder tempo precioso que em outra situação se passaria com lazer e o convívio com entes queridos não é um egoísmo "buguês" injustificável.
    A vida não é só trabalhar e dormir e os urbanistas "cabeça de planilha" tem que entender os que as pessoas pensam e querem e não o que desejam mudar nas pessoas baseados em ideologias mortas pela vida real.

    ResponderExcluir
  123. Bussoranga,

    Entendo seu ponto de vista, mas destaco que do mesmo jeito que tive o consentimento da polícia na época da Anchieta (inclusive parávamos o carro no posto policial) li em algum lugar que o Rafael teria conversado com o pessoal da manutenção. Desta forma, penso que ele não agiu como um "descabeçado", como muitos "pintaram" por aí.

    Quanto a "andar forte", acredito que pensamos igual... rs*... Mas lógico, hoje o bom senso é aplicado mesmo na situação de maior empolgação. Ex: Já tem um tempo, estava eu na Anhanguera, digamos andaaando um pouco acima da velocidade "sugerida", me aproximei de um carro, cujo motorista não quis me dar passagem, ele preferiu acelerar, estávamos indo bem, até que o sujeito fez uma ultrapassagem pelo acostamento, julguei que ele correu um risco desnecessário e alto demais para aquele ponto da estrada e "tirei o pé", a época de moleque, que eu barbarizava na Rio-Santos já passou e graças a Deus, que eu passei esta fase insana sem acidentes, chega de dar trabalho pro meu anjo da guarda. Via pública não é lugar pra dispustas, basicamente agir desta forma é invadir o direito do próximo de seguir com tranquilidade, mesmo sem causar acidentes.
    Mesmo "acima da velocidade permitida", devemos manter a elegância ao volante. Acredito que você deva concordar comigo.

    Abs

    ResponderExcluir
  124. 1k2,

    Quero ver o político que vai ter coragem em propor algo que lembre o Fura-fila, depois de tanta verba desviada, acredito que o paulistano em geral ojeriza o tema.

    Abs

    ResponderExcluir
  125. Não há vontade política e a classe média acha uma "humilhação" pegar um ônibus para ir ao trabalho.
    E esse papo de "sustentável" isso, "sustentável" aquilo afugenta ainda mais o cidadão que acredita que não mereça mais sacrifícios além dos que já faz só porque precisa trabalhar para ter uma vidinha decente, o que é considerado um crime por eco-comunistas já que isso não é um modo de vida "sustentável".
    Lembre que o atual discurso verde-comunista prioriza mais o coletivo em detrimento do privado, e alguém que mora em apartamento com um síndico maluco (tipo velha esclerosada psicótica ou general de pijama) sabe muito bem onde isso acaba.
    Aos idealistas, uma má notícia: vivemos em uma sociedade capitalista e todos nós queremos alguma vantagem, de preferência lícita, em alguma coisa: menor preço, mais conforto, e sim, beleza é fundamental.
    Então ambientalistas, urbanistas e chatos de plantão aprendam: só se deixa carro na garagem se o dono tiver alguma vantagem. Tipo, poder ler/dormir/trabalhar no trajeto, o que significa conforto caso a viagem demore. O que seja mais rápida e tenha menos transtornos que se fosse de carro.
    Então, o que as prefeituras têm que fazer é "VENDER" as vantagens do transporte coletivo, e não IMPOR através de subterfúgios como faixas preferenciais de coletivos e ciclovias tomando espaço das vias normais, indústria arrecadatória de multas, taxas escorchantes dentre outros meios como se tem feito.

    ResponderExcluir
  126. Alguém aí acha que o Serra é um grande imbecil, e tem muito medo que ele chegue à presidência. Considerando a alternativa...O Serra pode te tirar o "Minhocão", a "cumpanheira Estela", se bobear, te tira o próprio carro, ou então quintuplica os impostos todos que incidem direta ou indiretamente sobre ele, pois "carro é um meio de transporte de burguês, e por isto seus donos terão que financiar o coletivo". Essa guerrilheira cretina maldita ainda vai transformar o Brasil em uma Venezuela. É disto sim, você (e eu, e todo mundo) tem que ter medo.

    ResponderExcluir
  127. Alguém aí acha que o Serra é um grande imbecil, e tem muito medo que ele chegue à presidência. Considerando a alternativa...O Serra pode te tirar o "Minhocão", a "cumpanheira Estela", se bobear, te tira o próprio carro, ou então quintuplica os impostos todos que incidem direta ou indiretamente sobre ele, pois "carro é um meio de transporte de burguês, e por isto seus donos terão que financiar o coletivo". Essa guerrilheira cretina maldita ainda vai transformar o Brasil em uma Venezuela. É disto sim, você (e eu, e todo mundo) tem que ter medo.

    ResponderExcluir
  128. Alguém aí acha que o Serra é um grande imbecil, e tem muito medo que ele chegue à presidência. Considerando a alternativa...O Serra pode te tirar o "Minhocão", a "cumpanheira Estela", se bobear, te tira o próprio carro, ou então quintuplica os impostos todos que incidem direta ou indiretamente sobre ele, pois "carro é um meio de transporte de burguês, e por isto seus donos terão que financiar o coletivo". Essa guerrilheira cretina maldita ainda vai transformar o Brasil em uma Venezuela. É disto sim, você (e eu, e todo mundo) tem que ter medo.

    ResponderExcluir
  129. ééé Anônimo, este ano a coisa tá feia mais uma vez...

    1º turno na Marina como protesto!
    2º turno no Serra...

    e vamos ver no que dá... sabemos que é tudo uma corja mesmo!

    Voto é secreto? Não o meu! Creio que mudar a cada 8 anos ajuda a quebrar esquemas e 4 anos é pouco para realmente realizar algo.

    ResponderExcluir
  130. Bussoranga,
    Desde que se trafegue com a bicicleta rente ao meio-fio da direita, não há perigo algum. Apenas tem de ter luz traseira para se andar à noite com segurança.

    ResponderExcluir
  131. Zullino,
    Desculpe, mas você nessa você se atrapalhou um pouco. Uma área, uma via ou um túnel interditado para manutenção é tudo menos área de recreação. Manutenção pressupõe tráfego de veículos de servíço e, no caso, túnel geralmente não é uma parte bem iluminada. Ninguém deve fazer pega em via pública, mormente quando ela está fechada por algumas horas e não de modo permanente, portanto os dois motoristas dos carros erraram. Mas o Rafael foi imprudente, ou inocente. Aparentemente não recebeu instrução de segurança, uma pena.

    ResponderExcluir
  132. Meu caro 1k2,
    Acho que sempre falei o que você disse no primeiro parágrafo, os outros tem e nós não temos, mas ja que você insiste vamos à velha discussão do Tostines.
    Funciona nos outros lugares porque os governantes desses lugares desde muito tempo atrás resolveram privilegiar o transporte público e dirigiram os investimentos para esse lado.
    Não que sejam santos, muito ao contrário, na Inglaterra, França e um pouco menos na Alemanha as grandes empresas ligadas ao transporte público sempre deram as cartas.
    Aqui poderia ter acontecido a mesma coisa se a Light tivesse conseguido se manter. O plano do metrô de sampa é identico ao da Light de 1927, o atual só não tem o ramal de moema que aproveitava o bonde da av Ibirapuera e que foi substituido por estacionamento a 45 graus na avenida, como plano acabamos piorando o original retirando o ramal de moema.
    No final, paciência, saímos do chamado "polvo canadense" e caímos na mão das montadoras que de brinde ainda acabaram com nossas ferrovias e entupiram as ruas de carros forçando os governantes a dirigir os investimentos na direção de mais vias ao invés de transporte público. Governantes cagões diga-se, mas governante é sempre cagão quando se precisa de tomada de posição estratégica, a maioria raciona mal e mal na tática.
    Quanto a questão ideologica comunista só tenho a lamentar o direitismo e o anti-comunismo dos menores de 40 anos, isso é uma coisa antinatural, as pessoas tem que ser comunas aos 20 anos mostrando que tem coração, mas não podem ser comunas depois dos 40 porque aí mostrariam que não tem cabeça.
    Isso posto, digo que na minha juventude éramos todos comunas e não tenho a menor vergonha disso, existia na juventude um certo inconformismo com a situação social.
    Evidentemente, na prática muito pouco acontecia a não ser enormes discussões regadas a pinga e chop, mas pelo menos tínhamos uma consciência social.
    Hoje, a única coisa que importa são as grifes, a moda, o individualismo estremado e praticante.
    Não discutem a questão social nem como desculpa para tomar pinga ou chop.
    A ideologia nada tem com a direção dos investimentos. Nos USA, hardly um lugar comuna, temos dois exemplos diametralmente opostos de escolha, LA privilegiou o transporte individual e NY privilegiou o transporte público e nunca ouvi a menor menção que o Fiorello La Guardia fosse comuna. Ele era?

    ResponderExcluir
  133. Bob,
    Então tá, mas o que voce disse me lembra a sociedade do porco com a galinha, iam vender ovos com bacon. Claro que a sociedade não foi para frente, o porco percebeu que o sucesso empresarial implicava na morte dele.
    O caso do túnel nos permite a um raciocínio hipotético semelhante, um entra com um mísero skate que não consegue ferir ninguem e o outro entra com um carro veloz. Combinam que uns vão rachar enquanto outro faz firulas de skate. Tudo pelo espetáculo ser um sucesso artístico e plástico.
    O espetáculo foi maravilhoso, o skatista ajudado pelo rachador fez uma acrobacia pulando mais de 60 metros, mas o problema e que morreu.
    Coisa ridicula essa comparação, não?
    Claro, parti do princípio que os atores eram iguais e não são. É muito diferente entrar em um tunel com um skate ou uma cadeira de rodas e outra coisa e entrar com um carro de uma tonelada e mais de 120 cavalos em alta velocidade.
    Já que sua argumentação é que os dois erraram resta sempre a pergunta: quem errou mais?

    ResponderExcluir
  134. Putsquelospariozes!
    pode me chamar de paga-pau do Zullino, que eu não ligo... hahaha

    Fabio

    ResponderExcluir
  135. Pois é Zulino,

    Nova Iorque priorizou o coletivo porque não havia espaço na ilha. Outro exemplo é São Francisco, que junto com algumas cidades européias, adora um bondinho e tem também uma boa rede de linhas de trólebus, fora que, tirando São Paulo uma vez na vida e outra na morte, tem uma razoável frota de testes de ônibus movidos a células de combustível. Mais "sustentável" que isso? Só na China das décadas de 60, 70 e 80 em que todo mundo andava de bicicleta.
    Temos fatores culturais e religiosos que também influíram no planejamento urbano. Se você reparar, nas culturas em que as metrópoles sofreram fortes influências da Santa Inquisição (Espanha e Portugal por exemplo), as ruas são estreitas, para que uma conversa feita de um lado da calçada pudesse ser ouvida do outro lado. Assim era muito fácil pegar um herege e fazer o mesmo a renegar as práticas satânicas e reconhecer a Igreja como a "verdadeira e única" dona da verdade. Isso se o sujeito sobrevivesse ao processo, já que se ele morresse era automaticamente considerado inocente e como eles eram "santos"...
    Eu não concordo é com essa história de que tem que se punir o transporte privado por causa da incompetência do poder público.
    O urbanista que chama o "transporte individual" de "egoísta" nunca ficou 45 minutos em pé escutando "Rebolation" e "Sertanejo Universitário Acústico" e derivados porque um usuário mal-educado resolveu compartilhar o seu gosto musical bizarro com todos os presentes ali, sendo que em um "individualista, egoísta, ineficiente" transporte privado em 15 minutos estaria em casa. E só moro a 8 quilômetros do centro. Eu só ainda uso transporte coletivo porque ainda compensa, apesar da moto ser mais barata em custo e manutenção.
    Quanto ao individualismo ao extremo, discuta isso com Max Gehringher e Cia, já que o mais importante hoje em dia é ganhar bem e ter carreira de sucesso do que fazer algo que sempre sonhou mas que tem mercado restrito e não tão bem remunerado. Esse excesso de carros reflete isso. A hora que o poder público conseguir fazer um transporte coletivo decente, com várias opções de deslocamento, metade dos motoristas deixarão o seu carro em casa. A Soninha Francine deixa o carro dela na garagem e vai de bicicleta ao trabalho, mas lá tem vestiário e o trajeto é curto.
    Se conforto é individualismo, então o carro é a representação disso.
    Se o coletivo é desconforto, falta de respeito e impontualidade e ainda ter que aturar um bando de mal-educados que se comportam como predadores em um documentário sobre a vida selvagem produzido pela BBC, sinto muito amigo, prefiro ser um individualista a um coletivista que se sacrifica em nome do coletivo. E acredite, "coletividade" só funciona em faxinais e kibbutz.

    ResponderExcluir
  136. Meu caro 1k2,
    Ninguem está falando de coletivismo e sim no beneficio coletivo vindo antes do individual. Essa é a pedra fundamental na formação do governo. Na hora que a sociedade percebe que não consegue resolver o coletivo inventa-se um governo.
    O governo é sempre capturado pelos mais fortes, antigamente era na base da espada e hoje a coisa é mais disfarçada, mas independente de qualquer coisa a humanidade teve grandes progressos na direção da democracia com uns retrocessos aqui ou ali.
    Portanto, como a sociedade não conseguiria decidir onde investir, essa tarefa é delegada aos gestores da coisa pública. Se esses puderem pensar no dia dia e também em alguma coisa estratégica a coisa anda, se ficarem só no dia dia a coisa anda também, só que para trás e isso independe de ideologia.
    Um prefeito que tenha visão curta iria agir como o Maluf, agradar a classe média que considera carro como algo significante e saiu fazendo vias e túneis que só transferem congestionamento. Se tiver uma visão mais longa será um Prestes Maia ou Faria Lima, mas isso também não garante muita coisa, o Prestes Maia teve uma visão das avenidas de fundo de vale e não ligou muito para o MetrÔ, o Maia estava pensando no transporte individual ou no coletivo por ônibus, apostou errado, mas pelo menos apostou. O Faria Lima conseguiu fazer as duas coisas.
    Ninguém tem que fazer sacrifício algum, cabe ao estado prover um transporte público decente, aliás, como ocorre em qualquer lugar civilizado. Não me consta que em Londres, NY ou mesmo Paris o trânsito seja um grande problema para as pessoas.
    Alguns preferem ficar em congestionamentos ou pagar pedagio no centro de Londres, mas outros preferem usar as boas infra-estruturas de transporte público.
    Aqui não existe a opção e não existe solução fora do incentivo aos investimentos em transporte público. Do contrario, a unica solução que sempre teremos e a penalização do transporte individual. O privilégio indevido dado ao transporte individual será a maior causa de sua perseguição.

    ResponderExcluir
  137. Zullino,
    Estou surpreso com a sua pergunta, vinda de uma cara inteligente como você. É claro que a vítima errou mais: uso de veículo impróprio para via carroçável pública.

    ResponderExcluir
  138. Bob,
    Eu estou muito mais surpreso com a tua resposta culpando a vitima.
    Isso era a argumentação dos advogados de corno, a mulher errou ao cometer conjunção carnal com outro. Se fosse no tálamo (leito) conjugal pior ainda, como a honra do corno estava manchada era mais do que justo o assassinato.
    Por essa razão os advogados de corno sempre tentaram demonizar as vitimas para justificar os atos dos cornos em geral, mesmo que não tivesse havido a conjunção carnal ou mesmo se não houvesse provas dela.
    Ainda bem que isso caiu por terra e hoje em dia não há nenhuma estrutura jurídica que dê respaldo ao assassinato. Portanto, um matou e o outro morreu, o culpado é o assassino sempre.
    A sua argumentação de via carroçável não se sustenta. O tunel é uma via carroçável exclusiva de veículos a motor licenciados, ou seja, veiculos.
    No entanto, no instante o túnel estava interdito ao tráfego, portanto deixou de ser uma via carroçável exclusiva de veículos. Isso piora as coisas dos rachadores,a interdição era muito mais clara a eles e mesmo assim a desobedeceram ao andar em uma via não mais carroçável.
    Aos outros como pedestres, cadeirantes e skatistas essa interdição não é clara, muito ao contrario, fica claro a eles que os veiculos não estarão no tunel já que o mesmo foi interditado ao TRÁFEGO dos mesmos.
    Espero que ponham os delinqüentes na cadeia e joguem a chave fora, policiais incluidos. Que sirva de exemplo.
    Aposto que a coisa não vai parar por aí. O pai e o rachador foram se meter com quem não deviam e não estou me referindo ao skatista filho de uma global, cometeram crime de corrupção ativa e dedaram policiais. Da cadeia os advogados tiram, mas é só isso, o resto a rua acerta.

    ResponderExcluir
  139. Falou tudo novamente Zullino, filhão vai "rodar a banca" na cadeia, se realmente for preso.
    E o pai deve sumir do pedaço, se conseguir. Agora, será que estes policiais terão o que eles merecem? Infelizmente, acho que não.

    Sds

    ResponderExcluir
  140. Falando em Sk8, começa agora a final de street na ESPN, X-Games!

    Vejam o que se tornou este esporte, arte, estilo de vida e etc.

    ResponderExcluir
  141. Caro Zullino,

    Se o que é proposto é isso que você escreveu, beleza. Mas o discurso é outro, sem contar o que realmente não está escrito nas entrelinhas. Para urbanistas e eco-chatos (quando escrevo eco-comunista, é porque quem tem esse tipo de discurso de privilegiar o coletivo em detrimento do privado ainda não largou a ideologia socialista, mas tenta transferir seus dogmas para o movimento verde) é fácil demonizar o chamado transporte individual privado do que propor soluções viárias decentes. Isso exige um estudo aprofundado sobre o tipo fluxo de pessoas na metrópole e criar leis de zoneamentos decentes, como por exemplo criar mais áreas comerciais perto de bairros residências, de forma a diminuir o deslocamento de um ponto ao outro.
    Mas isso mexe (e muito) com interesses imobiliários, um exemplo disso é o minhocão. Então é mais fácil demonizar o carro já que ele é símbolo de status pequeno-burguês, ou traduzindo, classe média. E os empresários do setor não ajudam, encampando o mesmo discurso. Um exemplo foi um artigo feito pelo representante do setor em que acusava TODOS os outros meios de transporte por quase 100% de emissões de CO². Mas comparar uma frota de 14 milhões de veículos com 300 mil ônibus, a maioria absoluta a diesel, é covardia. E sem contar que o artigo omitiu as emissões de particulados, óxidos nitrosos (chuva ácida) dentre outros. E que o setor aposta nos BRT's (Bus Rapid Transit, ou Vias de Transito Rápido para ônibus), em detrimento de outros meios alternativos, como metrô e trens de superfície, por exemplo.
    Aliás, o metrô de São Paulo é uma das raras empresas de transporte coletivo que apresenta soluções alternativas, sem ficar demonizando os outros meios de transporte.
    Uma coisa que todos os envolvidos em trânsito precisam ter em mente é tirar o motorista que não quer/precisa dirigir no deslocamento casa/trabalho.
    Discurso bonito, só em formatura.

    ResponderExcluir
  142. Isso é homicidio culposo, não dá merda nenhuma.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.