RISOTO, E EU COM ISSO?

Nos tempos modernos não somos mais seres humanos. Agora somos seres consumo. Explicando melhor, somos o que consumimos. Alguns discordam de mim e insistem que consumimos o que somos. Não é verdade!

Se nesse mundo automotivo tem algo que gosto de fazer é observar as propagandas de carros. Já participei de alguns processos criativos e é quase tudo a mesma coisa, sempre. Primeiro se planeja um posicionamento de produto. Algo que mostra a que o produto veio. Com isso se identifica o público alvo do novo produto. Aí se faz algumas pesquisas e debates com grupos de consumidores. Então alguém tem um insight, ou seja, uma ideia brilhante, que deve cativar os consumidores e fazê-los comprar o novo produto.

Os argumentos usados nas propagandas podem ser racionais, como uma longa lista de equipamentos, ou emocionais, como uma imagem de utilização do produto. O meu lado engenheiro adora a abordagem racional, mas o meu lado mais sensível gosta muito da criatividade de algumas idéias. Posso dizer que existe algo conflitante aí.

Esses dias assisti a propaganda do novíssimo Peugeot Hoggar. Achei-a muito interessante a ponto de pensar sobre como foi o seu processo criativo. Alguém, de um nível bem alto na Peugeot, possivelmente um francês que não sabe nada sobre o mercado brasileiro deve ter feito algumas perguntas.

Francês: Para que serve uma picape tão pequenina?
Subordinado: Para transportar carga.
Francês: Então as pessoas usam essas picapes para trabalho.
Subordinando: Que nada, aqui no Brasil não compramos carros por questões racionais.
Francês: Então é para lazer.
Subordinado: É, mais ou menos.
Francês: Como mais ou menos?
Subordinado: É que as pessoas compram achando que vão fazer muitas coisas. Mas na verdade fazem muito pouco.

Então, as pessoas, no caso de um carro como esse, compram uma imagem projetada sobre aquilo que gostariam de fazer, ou que gostariam que os outros pensassem que elas fazem. Nas pesquisas com os clientes de outras picapes pequenas, como Strada, Montana e Saveiro, alguém deve ter percebido que a grande maioria desses clientes nem deve usar a caçamba. Gostariam muito de mergulhar, cavalgar, pular de paraquedas ou fazer rapel.

Na verdade elas querem um carrinho descolado. Para parecerem descoladas, ou por serem descoladas e querem mostrar isso. Mesmo que isso implique em conviver com alguns inconvenientes de uma picape.

Isso acontece comigo e provavelmente com vocês. Ando de Corolla, mas me projeto numa imagem de um Charger preto com um blower saindo pelo capô e chamas saindo pelos escapes laterais. Razão e emoção dificilmente andam juntas.




Nota: para quem não viu ainda nesse link está a avaliação do Hoggar feita pelo Bob Sharp.

PK

40 comentários :

  1. Hoje estava vendo a propaganda de carros antigos, como o fusca, o chevette, o escort...
    Aquilo sim era propaganda ! Exaltava as qualidades do carro! Hoje em dia se faz um comercialzinho com um musiquinha bacaninha... uni duni tê ... e pronto ... ta resolvido o problema !

    ResponderExcluir
  2. Acho que cada um deve se contentar com seu carro. Não existe isso de se projetar, viver sonhando igual bobo. O Bob escreveu uma vez sobre isso, se achar coloco aqui

    ResponderExcluir
  3. Gregorio,

    Antigamente os comerciais focavam mais nos atributos racionais. Mas como o home-consumo está se desenvolvendo, hoje se trabalha muito o lado emocional. Aí, até uma música bacana ajuda o consumidor a criar uma imagem.

    PK

    ResponderExcluir
  4. Anônimo,

    Continuo querendo o meu Charger. As vezes sonho com ele.

    PK

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo Laranjo07/06/10 20:21

    Cada um deve se contentar com o seu carro? Isso é comentário de entusiasta??? Eu pesquisei muito pra achar meu A3 180cv. Dá trabalho manter, mas um carro 1.0 me faria cometer suicídio.

    Também sonho com o Charger e o blower aparecendo, e achei muito "menina" aquela história do risoto. Tanto é que tiraram, repararam? Ficou muito mocinha aquilo...

    ResponderExcluir
  6. PK, apenas por curiosidade, o que faz que não tenha o seu charger? Tá certo que chamas saindo pelos escapes poderiam causar problemas com a controlar (rs...) mas seriam bem úteis em uma situação de assalto ou de lavadores de parabrisas malabaristas de farol ;)

    Pergunto pois, como homem bem sucedido e respeitado que sei que é, com os amigos que tem, poderia descolar o tão sonhado charger nem que fosse apenas para os fins de semana, ou para aquele dia do rodízio... muitas vezes precisamos deixar o racional de lado e partir para uma abordagem mais emocional, diria até carnal.

    ResponderExcluir
  7. Essa propaganda da Hoggar, a horrível (prima próxima de Hagar, o horrível), é uma das piores peças que já ví. Traduzindo nas entrelinhas diz: "você que sonha em ser radical mas é radicalmente insosso, temos o carro para você".
    Com essa propaganda, eu não compraria nem o meu sonho sobre rodas (Pontiac Firebird Trans-AM 400 CID dourado). Tão pavorosa quanto a picape ou o nome dela.

    ResponderExcluir
  8. Acho que ficar sonhando é uma bela besteira também, a não ser que você se esforce pra realizar o tal sonho.

    Quer o Charger? De verdade? Compra pô! Não tem grana? Vende o corolla e acabou o problema, só se vive uma vez!

    ResponderExcluir
  9. propagandas de hoje não igualam as de antigamente porque há muito controle do "politicamente incorreto" hoje em dia

    ResponderExcluir
  10. Sei lá, mas as picapes sempre foram voltadas para o cara "macho", e nunca fizeram a cabeça das mulheres, ai acontece que nestes ultimos anos vem se multiplicando o numero de homens meninas e eles não tinham uma picapinha, logo a Peugeot lançou uma que atende os donos de C3 e 206, 207, acredito que acertaram no alvo.

    ResponderExcluir
  11. PK,

    Concordo plenamente ...

    ResponderExcluir
  12. Achei as colunas, e falam justamente de cilindrada e o suposto antagonismo com a paixão por automóvel. Pode se suicidar tranquilo Rodrigo, quem realmente gosta de carro não passa a odiá-los pelo tamanho do motor.

    http://www2.uol.com.br/bestcars/colunas/b158a.htm


    http://www2.uol.com.br/bestcars/colunas2/b214a.htm

    ResponderExcluir
  13. A picape pequena teve mais um fator de sucesso aqui no BR q foi o custo.
    Uma Saveiro 1.6 custava pouca coisa mais que um Gol 1.0 e andava bem mais. Isso deve-se ao IPI reduzido pra utilitários.
    O mesmo se aplicou a outro sucesso que foi a Pickup Corsa.
    Eu gostei muito da iniciativa da propaganda da Hoggar, apesar de achar o carro horroroso sobre todos os pontos de vista. E sou a favor da propaganda politicamente incorreta... rs

    []s
    Kleber

    ResponderExcluir
  14. Hoje em dia não podem fazer comerciais como antigamente,porque os carros simplesmente se desmontariam,hoje tudo é de plástico...imagine se pegam essa tal Hoggar aí e fazem como fizeram com a F-100 nessa propaganda...

    http://www.youtube.com/watch?v=9bQYxbCSU38

    abrçs!!

    ResponderExcluir
  15. Esse filme é pra ser engraçado? Eu devo achar que o dono dessa picape é um cara autêntico e que os praticantes de paraquedismo e rapel estão só a fim de fazer pose? Ou será que a idéia desse filme é fazer as mulheres se apaixonarem por homens da nova era que sabem até cozinhar, mesmo que o risoto deles fique com cara de ração pra cachorro? Hein? Hein?

    ResponderExcluir
  16. PQP!!! A concorrência tá acirrada entre os fabricantes... a Ford com o comercial do Focus (Gostou, heim!?!?!) o repetitivo Tchá Tchá da Hyundai é de deixar os nervos a flor da pele! e agora essa!!! Pickpinha pra viado? Compra uma Hoggar!!! POOOO!

    kkkk... Gabrera... dá pra ver os paralamas dobrando no comercial da F-100, põe a Hoggar pra reproduzir o comercial da nova Saveiro, acho que já é o suficiente para arrebentar toda esta plastiqueira!

    PK, Corolla? tá na hora de deixar a razão de lado...

    Abs

    ResponderExcluir
  17. Vocês falam de "picapinha". Vejam a da Amarok. Estão carregando um elefante.......

    ResponderExcluir
  18. Somos quem podemos ser...
    Sonhos que podemos ter...

    ResponderExcluir
  19. Mister Fórmula Finesse08/06/10 08:41

    "Alguns discordam de mim e insistem que consumimos o que somos. Não é verdade!"....

    Está correto como sempre PK, em coisas relativamente baratas como alimentação, roupas ou pequenas manias, até podemos imprimir nossa marca e personalidade através desses indicadores, mas quando falamos em carros a coisa muda de figura radicalmente, a não ser que você seja rico como o David Gilmour...

    Eu também não gostaria de ter como principal carro uma pacata e pragmática Grand Livina, se fosse uma van, melhor seria uma Renault Space F1!!!!! Minha cara, meus gostos e personalidade não combinam com a Nissan, mas preciso de espaço, preciso de um custo/benefício interessante, preciso de economia para empreender longas viagens, preciso de um carro que saia da garagem do meu prédio sem tanta dificuldade e sem os devaneios territoriais de uma grande van, preciso algo que seja bom de conduzir, algo com câmbio manual administrando o ritmo adequado para transportar seis adultos e mais bagagem no porta malas do teto... Quem faz minha alegria entusiasta quando quero dirigir realmente forte?...um simples popular! Mas nele também não encontro minha "carro metade", gostaria de pensar que eu tenho a alma, a paixão e o estilo de uma McLaren F1!!!!!...só que ali meus amigos, a conversa é bem outra.

    A propaganda da Peugeot na verdade é uma confissão e um tapa de luva nas outras marcas, confissão porquê existe o desabafo do sujeito normal que não é aventureiro, faz parte da grande coletividade urbana, mas que mesmo assim quer ser da tribo dos "descolados radicais", a fuga do cinza concreto que o rodeia todos os dias.

    O tapa de luva é em relação que o consumidor não precisa arriscar a vida em loucas aventuras, se sujar, quebrar ossos em rodeios, dowhill, virar petisco de tubarão, congelar em cachoeiras, ter um infarto nas tais "corridas de aventura" e por ali vai....não, as outras marcas querem vender carros para personagens de cinema, gente que vive uma aventura a cada dia em contraponto com o cotidiano monótono que muitas vezes é a realidade afinal. A Peugeot lembra a todos que você não precisa posar de Indiana Jones, e isso é bom!

    Carros dificilmente são o reflexo da nossa real personalidade, existem os que conseguem isso, parabêns a eles, mas por conhecer um pouco de automóveis, minhas reais ambições são maiores!

    P.s: mas nem por isso sofro um átimo de segundo que seja.

    ResponderExcluir
  20. semmpre achei q essa propaganda tinha uma msg subliminar: 'sou um baita bunda mole, mas quero parecer moderno e descolado'.

    ResponderExcluir
  21. ...o carro é feio, o comercial babaca...agora quem se lembra disso aqui!?!?!?!
    ...exaltava as qualidades de um caro (nesse caso aí, seu visual)e que carro!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=-fkxr14niNU

    abraços...

    ResponderExcluir
  22. Rubinho Carvalho08/06/10 10:08

    ODEIO RISOTO!!!!

    ResponderExcluir
  23. Sergio,

    Eu achei a propaganda da Amarok ruim. A caçamba é pouca coisa maior que a dos concorrentes e isso não deve ser fator de decisão de compra.
    PK

    ResponderExcluir
  24. São vários fatores racionais para naão ter comprado o Charger ainda. Desde falta de um lugar para guardá-lo até a fase multitarefas em que me encontro. Seria difícil desfrutar de mais um brinquedo/atividade. Como aprendi a ser paciente, um dia ele chega.

    PK

    ResponderExcluir
  25. Mister Fórmula,

    Muito bom seu comentário.
    Lembrou da Espace F1! Coisa louca!
    Adorei o "carro metade" também.

    A propaganda da Peugeot é boa. Deve falar diretamente com os consumidores potenciais. Os que gostariam de se aventurar, mas não conseguem. Mas há um risco nisso. De quem comprar essa picapinha ser tachado de conformado. MAs logo todo mundo esquece dessa propaganda e o mundo segue...

    Abraço.

    PK

    ResponderExcluir
  26. Não sei se minha amostragem é boa, mas vou e volto três vezes por semana para o km 70 da Anhanguera e reparo no comportamento dos que dirigem essas picapinhas, todos metidos a senna na estrada, andam grudados nos outros, costurando e fazendo imprudências. A maioria é jovem, mas tem uns velhinhos também. No entanto, acho que a explicação é o tipo de carro e não somente a idade do motorista, os jovens em outros carros não fazem o que os motoristas de picapinhas fazem. O motor mais forte e a propaganda atraem um perfil propenso a esse tipo de comportamento.

    ResponderExcluir
  27. Bera Silva08/06/10 11:12

    Interessante notar é que nas propagandas de maneira geral, incluindo esta, se tem muito lero-lero, porém esquecem do principal: o carro! Não tenho nada contra as mensagens apelando aos sentimentos do consumidor, faz parte do jogo(me lembrei da propagando do GTO com o tigre e a loira!). O problema é quando propositalmente escondem qualquer característica positiva do veículo. No caso do Hoggar, esqueceram de falar da capacidade de carga, do conforto da suspenção e do habitáculo. Outro exemplo era o Focus - vendia pouco por que não tinha propaganda ou não tinha propaganda porque vendia pouco... Parece que a Ford continua repetindo o mesmo erro, idem com o Fusion.
    Alguém mais associou a imagem do Uno com um carrinho de brinquedo? Gostei dos comerciais, porém não existe outra propaganda para o Uno mostrando suas qualidades.

    ResponderExcluir
  28. Outra raça que se deve fugir é a dos pilotos de furgõeszinhos baseados nessas picapinhas, a maioria é de empresas e são dirigidos por motoristas que deveriam ser profissionais.
    Só não fazem imensos desastres porque o povo que dirige na estrada durante a semana saca as coisas e foge deles e em finais de semana os furgõeszinhos não trabalham.Ainda bem, juntar os pilotos de furgõeszinhos com os domingueiros seria um desastre inevitável.

    ResponderExcluir
  29. "É que as pessoas compram achando que vão fazer muitas coisas. Mas na verdade fazem muito pouco."

    Essa frase foi perfeita.

    Estou tarado pra comprar um suzuki jimny, porque fico pensando que vou poder ir até castelhanos, ou pegar umas praias desertas do litoral norte.

    Quando vem o lado racional, vejo que será um dinheiro mal gasto, já que tenho casa no litoral norte há 20 anos e nunca, sequer, nem de moto, arrisquei ir numa das praias "bravas".

    É bem o que a frase diz, compramos achando que vamos fazer muita coisa... rsrsrss

    ResponderExcluir
  30. André Resende08/06/10 12:25

    Risoto, pode-se dizer que é até uma comida de macho! Simples e elementar como trocar o oleo de um motor. Na verdade ficaria melhor e mais condizente se fosse um mexidão! O tipo do prato feito com restos! Sinceramente até me identifiquei. Ficou ruim por terem tirado. Agora, como o risoto e o mexidão essa tralha deste carro é outra porcaria feita de restos! E caríssima!!!! Isso é que é uma puta de uma viadagem!!!

    ResponderExcluir
  31. A propaganda da pick-up Hoggar passa exatamente aquilo que este segmento de carro é capaz de entregar a quem o compre, num conceito "sejamos honestos, seu radicalismo com ela não vai passar da curta estradinha de terra que leva ao sítio. Faço tipo de fora-de-estrada, assim como você faz tipo de aventureiro. Então, vamos viver juntos nossa fantasia, e sejamos felizes. Fomos feitos um para o outro". Um comercial objetivo e honesto. No seu íntimo, o consumidor sabe que é isto mesmo. Se houver rejeição à ela, não vai ser pelo comercial, mas sim pela preferência do consumidor pelas concorrentes, seja por uma questão de design, seja por uma questão de oferta maior ou menor de equipamentos (custo/benefício) de uma ou de outra. Basicamente, em termos de potencial de "aventura" em si, todas oferecem a mesma dose.

    ResponderExcluir
  32. Não testei os carros do segmento para opinar o que cada um faz ou deixa de fazer, mas acredito ter diferenças sim... (no caso, Strada, Montana, Saveiro, Courier e como que é mesmo o nome? ahhh... Hoggar... ok!)
    A que mais me agrada é a Saveiro, bom é VW e eu sou suspeito para falar, mas a que me parece mais honesta é a Courier. Aliás é o melhor preço, correto?

    Desta vez terei que discordar do Finesse, ainda acontece bastante de bater o perfil do proprietário com a escolha do veículo. Acredito que isto diminuiu, assim como os carros estão com menos "personalidade"... mas ainda acontece...

    Agora quanto à propaganda do Uno, achei ótima, eu tenho ADD, mas deve acontecer isto com muitas pessoas, quando a propaganda passa, inevitavelmente chama a atenção de todos, não?
    O Uno está buscando o público do segmento mini "menos afortunados", não? Digamos que a propaganda passa a idéia "alegre" deste público... mas em geral acho as propagandas da Fiat muito boas.

    Abs

    ResponderExcluir
  33. Fábio: ainda acontece, mas quando você é um pai de família as opções começam a restringir se você têm uma forte verve esportiva, a não ser que tenha uma carteira realmente gorda, você realmente não encontrará algo tão adequado.

    A própria ditadura das cores preto e prata já é suficiente para me impedir de entrar em uma revenda Citroen por exemplo, onde sua linha mais "alta" é uma triste maré de carros com "diferentes e classudas variações do prata germânico ou preto blackout"....

    Já de cara, mesmo que eu fosse um solteiro esportivo atrás de um VTR - imaginando o carro do Loeb - eu acabaria por desistir.

    Podemos esticar nossa personalidade nos carros antigos também, ainda existe sim os carros com a cara do dono, mas são casos em que o dono sempre tem que se formatar melhor para caber no contexto do que a personalização propriamente do carro (a não ser nos horrorosos casos de xunning e etc)...

    ResponderExcluir
  34. Concordo com o Roberto Zullino, geralmente quem anda nesses carros andam com imprudência.

    Mas por outro lado, se eles são obrigados a costurar em auto-estrada de limite 120 e nem estão tão a mais que isso, é devido ao aluguél de faixa esquerda. O uso racional das faixas deveria ser campanha televisiva.

    Por isso eu não fico nem um pouco incomodado com os "apressadinhos", posso estar a 180 que deixo a esquerda livre enquanto não estou passando ninguém.

    ResponderExcluir
  35. O nome é outro detalhe infeliz desse modelo, lembra o som que emito qdo acometido por espasmos estomacais pós ingestão exarcebada de alcool... rsrsrsrs

    []s
    Kleber

    ResponderExcluir
  36. MFF,
    Entendo que no seu caso fica mais difícil e sei que você gostaria muito de poder optar por exemplo por um Jetta Variant.
    Outra opção seria um carro usado, mas muito provavelmente não seria o melhor custo x benefício.
    Sendo que carro 0km é um GRAAANDE benefício quando se é pai de família.
    Eu estou louco para comprar um Focus novo, mas estou num momento em que "a razão está falando mais forte"... rs*
    Abs

    ResponderExcluir
  37. Mister Fórmula Finesse09/06/10 08:27

    O Focus é bem interessante Fábio, no primeiro quarto do acelerador parece que empurra menos que o Polo - que parte bem mas "acaba" logo - mas depois ele deslancha legal, na estrada é fácil ver a agulha do velocímetro dobrando os limites legais...só não gostei do cotovelo bater no encosto dos bancos dianteiros (mal do corolla manual também...)

    ResponderExcluir
  38. PK, estou então na torcida para que tudo se resolva, a garagem apareça e possa comprar e equipar seu Charger do mal! Não esqueça de quando isso acontecer, postar muitas fotos aqui no blog, ok? Abraços.

    ResponderExcluir
  39. Realmente a propaganda é bem fraquinha, o risoto, não sei, mas ao menos assim o produto é comentado... Já a do novo UNO (UNO-du-ni-tê...) é ótima, tem tudo a ver com um produto novo e descolado, que, se choca na chegada (como o próprio UNO cocou quando foi lançado), está à frente do seu tempo (como o UNO estava para a época) e deverá fazer muito sucesso em seu segmento. O consumidor e o tempo dirão...

    ResponderExcluir
  40. Eu achei o final da propaganda muito fraco e para mim estragou algo que poderia ser bom!! Tanto que retiram o final!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.