POBREZA

Foto: Autor
Clique na foto para ampliá-la e ler melhor a mensagem no para-choque
Não que o Centro de Formação de Condutores proprietário do Fox da foto não pudesse divulgar alqo que tivesse julgado interessante e quisesse fazê-lo, mas enaltecer o fato de o carro de aprendizagem ter direção hidráulica? Pintado no para-choque traseiro ainda por cima? Achei isso uma pobreza tão grande que peguei o celular e fiz a foto, já pensando em comentar com o leitor aqui neste espaço.
Direção servoassistida, por meio hidráulico ou elétrico, é tão comum hoje que me chocou ler uma informação dessas no carro à minha frente. Me deu uma certa depressão, aquela tipo relâmpago, que felizmente vai embora tão rápido quanto veio.
Duvido que o aspecto de carro de autoescola ter direção servoassistida seja relacionado à facilidade de dirigir por motivo de a relação de direção poder ser mais baixa, o que resulta numa direção mais rápida (mais esterço virando menos o volante) e segura. Pelo contrário, sou capaz de apostar que a ideia central de direção assistida naquele carro é conforto, fazer pouca força para virar o volante, explicando os dizeres  no para-choque traseiro, "Veículo esquipado com direção hidráulica".
BS
(Atualizado às 13h45, carro é Fox, não Gol; leitores apontaram o erro, veja Comentários)

43 comentários :

  1. Sandoval Quaresma21/06/10 12:48

    ô Bob, é um Fox!

    ResponderExcluir
  2. Dos meus amigos que tiraram a carteira a um ano ou dois, somente eu e mais duas meninas que tiveram seus carros com direçao hidraulica, e as meninas adotaram como criterio decisivo a escolha do CFC os que tinham carros equipados com direçao hidraulica. É mas como algo de marketing.

    ResponderExcluir
  3. O caro é fox, não gol.

    ResponderExcluir
  4. Francisco V.G.21/06/10 13:32

    Rá, rá, rá! E de lascar mesmo. Pior do que isso eram aqueles Fuscas de auto-escola com a inscrição "duplo comando" que consistia numa tosca adaptação de pedal de freio no lado do passageiro, uma gambiarra das brabas. Melancólico.

    ResponderExcluir
  5. Pois é Bob,
    A propaganda é a alma do negócio, como aquele ônibus de excursões caindo aos pedaços que ostentava um lindo dístico dizendo: "Equipado com penico a bordo" (na falta de um toilete a bordo...).
    O problema não é falar da direção hidráulica, ou "servo-assistida" como você corretamente prefere, mas sim a qualidade do ensino.
    Eu acho que a maior parte das aulas deveria ser ministrada em simuladores, fora do trânsito. Passar para as ruas? Só quando os "pretendentes a pintacuda" passassem nos testes de simulação.
    A simulação pode oferecer percursos diurnos e noturnos, com diferentes graus de dificuldade.
    Também acho que as revalidações de carteira de motorista deveriam incluir não aquele cursinho idiota de direção defensiva, mas um teste bem caprichado num simulador, ai sim é que se veria tudo que se quer saber sobre a qualidade, ou falta dela, dos motoristas.
    Saudações
    Alexander Gromow

    ResponderExcluir
  6. Dois leitores apontaram o erro de eu citar Gol, quando o carro é um Fox. Já foi atualizado.

    ResponderExcluir
  7. Alxander,
    Concordo plenamente com você. O uso de simuladores precisava ser mais intenso. O sistema de aprendizagem não atende às necessidades faz tempo.

    ResponderExcluir
  8. Então, eu estou na auto-escola, inclusive tendo aula com um fox 1.0 igual a esse aí. Ele também tem esse adesivo.

    Quase certeza que isso é padrão, que os carros de auto-escola com direção hidraulica precisam ter esse adesivo.

    ResponderExcluir
  9. houve uma época em Curitiba, final dos anos 90, que duas auto-escolas faziam propagandas até no horário nobre do canal mais caro, uma por ter um Classe A e outra um BMW 318i Compact, vangloriando-se pela exclusividade. a fila de espera para poder ter uma aula numa dessas viatura era coisa de mais de mês. Santa futilidade......

    ResponderExcluir
  10. Prezado Bob, minha esposa a pouco saiu deixou de ser vítima desta "indústria da habilitação de motoristas despreparados para dirigir um carro" tanto que tem tão pouca confiança que raras são as vezes que ela quer dirigir o carro. Como foi tão mau preparada, ficando inclusive traumatizada com o controle de embreagem que optei em comprar um carro com transmissão automática para que ela tivesse mais sucesso na tarefa de dirigir a condução do veículo, espero que em breve ela resolva assumir o controle do carro efetivamente, numa das mudanças de carro que ela fez enquanto estava na auto-escola ela elogiou muito o Palio com assistência, tendo reclamado demais do que não tinha, dizendo que era excessivamente "duro". Bom mesmo é o carro ao lado do da auto-escola, um excelente carro na cor mais bonita do mercado nacional.

    ResponderExcluir
  11. Triste é o carro ter 2 "placas de trânisito" no parachoque pedindo para não buzinar e passar o carro pela esquerda por que ele anda devagar demais.

    ResponderExcluir
  12. Eu já julgo incrível o fato de ainda terem carros SEM "direção hidráulica", seja pelo conforto (ou necessidade para alguns que possuem restrições físicas), seja pela melhor dirigibilidade. Algo tão trivial, tão barato, tão ridículo, e ainda existem carros sem esse auxílio sendo vendidos 0km. As mulheres principalmente sentem muita dificuldade em dirigir carros sem esse auxílio.

    Sobre as aulas em autoescolas, todos sabemos que são ineficazes... uma boa base, educação no lar e na escola voltada à cidadania (lembram-se do "educação moral e cívica"?), aulas práticas de verdade e uso extensivo de simuladores como dito nos comentários evitariam toda a burocracia ineficaz do sistema de formação existente hoje.

    ResponderExcluir
  13. Ao anônimo das 15h27, deixo aqui minha opinião: sou mais favorável a direção elétrica do que hidráulica. Primeiro pelo fato de se poder variar o grau de assistência mais facilmente (vide Dual Drive do Stilo, bem como endurecimento por velocidade que em hidráulica só é possível se for Servotronic), segundo por não haver tubulações passíveis de se racharem, o que contribui para a durabilidade do sistema, terceiro por não haver roubo de potência quando o sistema não está sendo acionado.
    Já sobre a esposa do ChAndré, realmente é de se lamentar o quanto que os instrutores desentusiasmam e até desconhecem procedimentos da lei. Quando fiz meu processo de habilitação, o instrutor que me passou os comandos era repleto de vícios ao volante, tais como:

    1) Deixar o carro com a primeira marcha engatada quando parado em cruzamento;

    2) Usar lanternas, e não farol baixo, à noite;

    3) O tal lance de só poder ir até a terceira marcha e 35 km/h.

    Graças a Deus não peguei nenhum desses vícios. Sempre ponho em ponto morto ao parar em um cruzamento, ficando atento ao semáforo transversal. Se ele entra no amarelo, logo engato a primeira marcha e saio mais rapidamente até que gente que porventura gasta embreagem por conta de coisa aprendida com instrutor mocorongo. Também só uso farol baixo, neste caso até mesmo de dia se estou em estrada. E, claro, aprendi sozinho a manter com segurança velocidades até um pouco maiores que os 120 km/h de algumas de nossas rodovias.
    Já com meu irmão eu me preocupo. Como autoescola só ensina a passar no exame, não lhe ensinaram que deveria regular corretamente o banco (ele deixa o mesmo muito próximo ao volante), nem que não deve descansar a mão em cima da alavanca de câmbio durante a troca de marchas e muito menos um forma de usar o acelerador que permita manter velocidade adequada sem que se consuma em excesso para tal velocidade.

    ResponderExcluir
  14. A popularização da direção assistida tornou possível vender os carros com pésima distribuição de peso de peso, com pneus 205 e uma coluna de direção cheia de cruzetas.

    ResponderExcluir
  15. Pobreza mesmo.

    Sinto a mesma coisa ao ver o Corsa 1,4 "Premium". Tão Premium que nem roda de liga leve tem.

    País miserável. Um CrossFox começa em R$50.000,00 e não tem sequer ar-condicionado.

    E quanto à formação dos motoristas, cada vez pior.

    ResponderExcluir
  16. Polara, aqui na minha cidade tem uma CFC que tem um New Beetle e é a mesma coisa que vc falou...

    ResponderExcluir
  17. Minha prima adotou como critério de seleção de auto escola, uma que os carros tinham direção servo-assistida...
    segundo ela pra "facilitar a baliza"...

    o que acontece é que ela passou no exame em um carro assim, e a condução dela é um mille sem DH.
    houve o absurdo de um dia ela chegar na porta da minha casa e me pedir pra estacionar o carro, pois não conseguia fazer baliza do lado esquerdo e ainda culpava a falta de direção hidráulica, dizendo que o volante era muito pesado.

    é complicado aprender a dirigir com o sistema de hoje, os motoristas estão sendo muito mal preparados e os CFC's não ensinam nem a esterçar um carro com direção mecanica...
    sendo que a direção fica absurdamente mais leve quando se movimenta o carro, nem que seja um pouco.

    ResponderExcluir
  18. Uma das coisas tão simples de serem ensinadas mas que eles preferem deixar de lado,é o fato de não ensinarem um simples punta-tacco para saida de sinais em subidas ingrimes,ou em estacionamento nas mesmas.Em vez disso ensinam a acionar o freio de estacionamento o famoso "Freio de mão",e quando esses futuros motoristas pegarem um carro sem "freio de mão",o que eles farão ??? não param nos sinais em ruas ingrimes?,não estacionam em subidas ou mesmo descidas ???.Até eu que não sou habilitado (tenho 17 anos) sei fazer punta-tacco impossivel que esse instrutores não saibão.

    ResponderExcluir
  19. Ou se moraliza os exames ou e melhor extinguir a carteira de motorista. Na Bélgica quem se achasse apto pegava o carro e acabou. Se fizesse besteira levava pau da lei e acabou. Não sei se isso continua depois do Mercado Comum.
    O que importa é a pessoa não ser ininputável como os menores e cada um guie se quiser. O resultado vai ser mais ou menos o mesmo, mas pelo menos se elimina essa burocracia de tirar carteira e o custo da máfia do detran.
    A despesa com auto-escolas, taxas, máfia do detran só se justificaria se formasse motoristas, mas faz muito ao contrário, coloca pessoas completamente despreparadas nas ruas e alguns dos mesmos ainda acham que pelo fato de ter carteira sabem guiar.

    ResponderExcluir
  20. Giovanni,

    As colunas de direção hoje possuem muitas (nem tanto assim) cruzetas por questão de segurança passiva.

    Antigamente, quem colidia frontalmente um Fusca era um sério candidato a morrer por esmagamento da caixa torácica, pois a caixa de direção ficava lá na frente, e a coluna era inteiriça e reta. Hoje se faz exatamente o contrário, a caixa de direção recuada, junto a parede corta-fogo, e a coluna fragmentada por cruzetas, para garantir que nem na pior das colisões frontais há chance do volante ser projetado contra o motorista.

    Qual o problema com as cruzetas? Tenho carro com 155 mil km que usa 2 cruzetas e não apresenta absolutamente nenhuma folga. É questão de se utilizar bons materiais e dimensionamento adequado. Como diz o Bob Sharp: não importa qual é o sistema, importa que ele seja bem construído.

    ResponderExcluir
  21. Bob,
    Por aqui, sobretudo durante o verão, alguns CFC's põem na fachada "veículos com ar condicionado". De certo que o equipamento no verão carioca ajuda bastante, mas, na maioria das vezes, o fato dos carros contarem com A/C é um dos poucos pontos positivos de alguns CFC’s que não fazem jus a letra “F” da sigla.

    ResponderExcluir
  22. A questão é simples, se analisada por este ângulo:

    Autoescola nenhuma tem carro bom, algumas tem carros novos, mas todos 1.0 sem nenhum item de conforto para o aprendiz ou instrutor. As que tem algum carro interessante, ou mesmo itens de conforto, fazem e devem fazer publicidade, para se diferenciar no mercado.

    Outra análise simples:

    Nenhum comerciante quer gastar mais do que necessário, para lucrar mais. Se o sistema de formação de condutores é burocrático e falho, com certeza as autoescolas aproveitarão o fato para formar condutores fajutos.

    Como resolver?

    Formação precoce em educação e até leis de trânsito. Deixar de tratar as crianças como retardadas igual estão fazendo hoje e voltar a ensinar, educar.

    Aulas práticas em circuito fechado controlado e simuladores. Profissionais realmente treinados. Deixa de lado a baboseira de aulas teóricas e ensina com o candidato no volante, vendo na prática.

    Mas nosso país não é sério.

    ResponderExcluir
  23. Arthur Costa21/06/10 21:47

    Não vi nada de pobreza, absurdo etc. Os CFC usam carros de entrada de linha e sem opcinal algum. Por isso é válido a propaganda para quem foge à regra. E é mais do que óbvio que o sentido comum da direção assistida para a a maioria da população é oferecer leveza,e não relação baixa.

    A formação do condutor deveria ser praticada (e examinada) no carro mais fácil de guiar possível, de caixa automática (ou automatizada), direção assistida etc, pois a idéia não é formar pilotos, mas condutores, tanto que há pessoas até sem pernas e/ou braços que estão dirigindo. O conhecimento da legislação e regras de trânsito é que deveria ser o difícil e principal no teste. E a aula prática deveria ser prática mesmo, carro em velocidade normal, e não essa bobeira de aprender a usar a embreagem e está aprovado. O que vejo todo dia é que ninguém sabe nem respeitar faixa limitadora, e só ficar de espreita em qualquer acesso a uma via; não conhece preferencia do que vem da direita, coisa universal; placa de pare é enfeite. O que adianta saber diriir um caminhão de caixa seca e só fazer merda no trânsito.

    ResponderExcluir
  24. Pois é Bob, bola para frente.

    ResponderExcluir
  25. Me lembro que aprendi a dirigir em um Gol "G3" 2000, 1.0 e sem assistencia hidraulica.

    Como tinha que estercar o volante na baliza com o carro parado, era de suar a camisa... Fora a marcha a re que nunca ia redonda... comigo e qualquer.

    Pelo menos o instrutor era bom e me ensinou a frear modulando...

    ResponderExcluir
  26. Sempre defendi que dirigir carro é algo que deveria ser ensinado em autódromo, e nunca me entenderam. Talvez alguns aqui comecem a entender.

    O motivo é simples: no autódromo há amplo espaço de segurança (zebras, gramado, caixas de brita, mureta de pneus, etc...). Lá o candidato deveria ser instruído a errar de propósito e ver ao vivo as consequências (não a ponto de enfiar o carro no guard-rail, mas sim fazer o carro rodar, travar as rodas, etc etc etc...).

    Garanto que, uma vez que o cara começa a sentir as consequências, logo no início do aprendizado, não esquece mais. Já que isso é totalmente inviável na rua e rodovia, só resta o ambiente fechado e controlado do autódromo.

    Arthur Costa,

    Lamento informar que voce está completamente equivocado. Quando o sujeito é posto a aprender no carro mais fácil possível (consequentemente caro), ao pegar um carro mais difícil ele pasta e faz besteiras demais já sendo "habilitado". O correto é fazer justamente o contrário: fazer o teste prático num carro bem pesado, grande e com o mínimo possível de assistências da tecnologia. Se o cara se sair bem num carro cheio de limitações, num carro que facilita a vida ele desempenhará melhor ainda. A idéia é simples: nivelar pelo alto.

    Conhecimento de legislação e regras de trânsito é importante, mas não o mais importante. O mais importante é conhecer o carro e saber respeitá-lo. Ou seja, o sujeito tem que ter aulas de noções básicas de FÍSICA, algo muito mais importante do que legislação, pois a falta do conhecimento da Física é que mata.

    Vejo diariamente no trânsito inúmeras barbeiragens tão absurdas que deixam claro que a maioria dos condutores (algo bem diferente de motoristas) não tem um pingo de conhecimento sobre Física, caso contrário não fariam tantas asneiras.

    A reportagem de hoje do JN sobre dirigir falando ao celular mostra como a maioria dos condutores é de uma imbecilidade ímpar: o cara que conversa no celular reduz a velocidade de 90km/h para 60km/h sem sequer perceber. Imagine o que esse cara faz quando tiver mais 3 passageiros no carro conversando com ele. Outro então dirigia enviando mensagens de texto. Se não é óbvio que isso só pode resultar em desastre, então esses "candidatos" são serem totalmente desprovidos de noção de qualquer coisa.

    Coloque um desses sem-noção num autódromo e deixe-os fazerem todas as merdas possíveis e imagináveis, quem sabe até se enfiando no guard-rail. Garanto que lição melhor ele não terá, e não repetirá as asneiras no meio do trânsito.

    Mas claro, isso é caro, complicado, impopular, quem mesmo vai querer implementar tal programa né?

    ResponderExcluir
  27. Alessandro22/06/10 08:01

    Aqui em BH a coisa mais comum de se ver é um carro de auto escola escrito equipado com direção hidraulica. realmente revolta ter carros pelados a preço de completos em outros países. minha esperança é que com os chineses ganhando mercado as grandes tenham que reduzir o preço para nao fecharem.

    ResponderExcluir
  28. Concordo, em gênero, número e grau, só que não podemos esquecer de forma nenhuma que o país que "é apaixonado por carro" como diz o slogan de uma famosa companhia de petróleo, a grande maioria destes "apaixonados" ainda tem aquela mentalidade de que "ar condicionado é besteira" e que "carro automático é pra aleijado".
    Isso pode até estar mudando, mas é muito lento e vai demorar demais, pois para terem uma idéia, algo que não vá muito longe, meu tio o ano passado tirou um corsa sedan completão, menos ar..., o cunhado de um brother aquí da rua, em fevereiro deste ano, tirou um siena completão, menos ar..., ontem, fui no cara dos adesivos para fazer a famosa plaquinha de "vendo" para meu carro e, escutei a célebre frase de que carro automático é pra velho, aleijado ou gordo!!!
    Então, não fico nem um pouco admirado quendo vejo alguém falar que o carro tem ar, dh, etc, pois aquí, infelizmente, ainda são acessórios ou de carro de "luxo", ou "de fresco"!!!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  29. Tudo coisa de mulhérzinha! Macho que é macho usa carburador, não tem AC nem DH

    ResponderExcluir
  30. Bussoranga,
    O uso de coluna telescópica pode substituir as cruzetas com mais eficiência na proteção em caso de colisão, tente apertar um parafuso usando uma junta universal e verá a desvantagem das cruzetas. A idéia é que acreditemos que tudo é feito pensando no bem do consumidor mas não é bem assim sempre. As cruzetas a alavanca de marchas a cabo de aço entre outros recursos no meu entendimento são muito mais para o designers do que para nossa segurança.

    ResponderExcluir
  31. Vale destacar que NÃO EXISTE sedan, minivan ou mesmo pickup nesses centros de condutor.

    O aluno aprende a guiar um veículo pequeno, manobrável, de pouca potência, mal chegando nos 40km/h, sem nunca ter "arrastado pneu".

    E mesmo assim passa no exame de habilitação.

    Aí ele passa a dirigir um Sedan de 5 metros, uma Pickup com tração só nas rodas de trás, um Furgão sem visibilidade traseira, uma Minivan de 2,5 ton que chega aos 200km/h...

    Que Deus os proteja!

    ResponderExcluir
  32. não menos pior e igualmente tosco é a formação e o exame de condutores de motocicletas. pra não gastar muita saliva, ou melhor, dedo, o camarada que usar o freio dianteiro da moto durante o exame simplesmente é reprovado.

    ResponderExcluir
  33. Tem coisa mais ridícula do que Ka com sensor de estacionamento?

    Se acham até Corolla e Civic grandes e difíceis de manobrar, então o país tá perdido mesmo.

    Botar sensor em hatch é muita falta de habilidade ou preguiça ou tudo junto.

    ResponderExcluir
  34. Giovanni,

    Boa idéia a coluna telescópica, mas eu não diria que é um substituto para as cruzetas, e sim soluções complementares. Assim, fabricante que busca maximizar a segurança passiva utilizaria as duas soluções. Já tem bastante gente fazendo isso.

    Quanto a apertar um parafuso usando uma cruzeta, já fiz isso, mas só vale para inclinações pequenas entre os eixos. No caso da coluna de direção, como tudo é apoiado por rolamentos, o sistema (se bem feito) funciona direito.

    Quanto à alavanca de marchas, de fato o sistema a cabo é melhor. Porém, é possível fazer um sistema com varões e articulações bem preciso, resta saber se continuará sendo mais barato que o sistema a cabo.

    ResponderExcluir
  35. Ao _KnZ_, tenho um Civic e já vi gente dizendo que meu carro seria grande. OK, não irei brigar com o pessoal por causa disso, mas não posso tirar razão deles em algumas coisas:

    1) Em São Paulo está difícil mesmo estacionar um sedã médio nas ruas, fazendo-o parecer maior do que realmente é;

    2) Os fabricantes estão se descuidando na arte de fazer diâmetros de giro pequenos, o que faz os carros parecerem maiores do que realmente são pelo fato de não manobrarem bem em espaços pequenos. Um Civic faz um círculo de 11 m, mesmo tamanho do que faria um Citroën DS e seus mais de 3 m de entre-eixos. Temos casos piores, como Fusions e Azeras fazendo 12 m, em alguns casos até mais do que pick-ups médias. Com isso, estacionar em vaga demarcada também fica problemático. E observe-se que só se falou de carros de tração dianteira.

    Será mesmo assim tão difícil com a tecnologia atual cortar pelo menos em 1 m o diâmetro de giro de um carro médio? Aliás, essa praga de diâmetros de giro grandes tem pego inclusive carros de tração traseira, que por projeto têm praticamente obrigação de ter diâmetros de giro pequenos para seus tamanhos.

    ResponderExcluir
  36. Arthur Costa22/06/10 17:26

    Bussoranga,

    Existe um mínimo apenas de habilidade para conduzir (ser motorista, ou pilot como queira). Não precisa se aparecer aprendendo a dirigir um Fusca de caixa seca para ser sinônimo de bom motorista. Pessoal não sabe nem respeitar preferencia de passagem. Se saber fazer manobras em pista fosse o importante, deficientes físicos não poderiam guiar automóvel. Ser piloto não é sinônimo de bom motorista.

    Não é nivelar por baixo, e acabar com os que se acham estar acima dos outros, estes são os perigosos.

    ResponderExcluir
  37. Arthur Costa23/06/10 00:23

    Anônimo 22/06/10 16:34,

    O C3 1,6 16V tem nada menos que 11,55 de diâmetro mínimo. No 1,4 são 10,45. Realmente vivemos uma involução.

    ResponderExcluir
  38. direção hidráulica é bastante útil qdo se tem d ficar horas praticando baliza debaixo do sol, ainda mais em um carro sem ar condicionado e em um país d clima quente

    ResponderExcluir
  39. DH é para boiolas.

    ResponderExcluir
  40. Arthur, o pior é quando comparamos esses 11,55 m de um C3 1.6 16v com os 10,1 m de um Omega A.
    Tudo bem que o Omega A tem a tração traseira que tanto facilita as coisas. Porém, não dá para argumentar que as esferas recirculantes da barca facilitem um maior ângulo de esterçamento quando comparadas ao pinhão e cremalheira do Citroënzinho.

    O motivo? O DS e seus 11 m obtidos com tração dianteira, 3,12 m de entre-eixos e direção hidráulica. O C3 teria tudo para facilitar a coisa, uma vez que tem direção elétrica (e, portanto, ausência de mangueiras e tubulações que obriguem a limitar o movimento das rodas) e 2,46 m de entre-eixos (o que facilita bastante o trabalho de ter um diâmetro de giro pequeno independente da tração). Porém, esterça menos do que o enorme DS e menos ainda que o igualmente grande Omega A.

    Porém, a praga dos diâmetros de giro grandes, como já dito antes, tem afetado também carros de tração traseira, sendo que um bem projetado nesse aspecto pode fazer um círculo de tamanho irrisório, como comprovam os 7 m de um táxi Black Cab inglês, independente se do modelo clássico ou do TX1.

    ResponderExcluir
  41. Dono de carro com DH23/06/10 18:59

    EEEEEEEEEEEEEEEEpa! bixa naum!

    Eu sou quase um Clodvil soft!

    ResponderExcluir
  42. Como disseram, é instrumento de marketing. Na minha cidade uma autoescola oferece aulas em carros com ar condicionado. Nem preciso dizer que no panfleto que distribuiram nos bairros próximos, o fato de todos os carros terem ar condicionado tinha mais destaque do que o nome da autoescola.

    Já passou da hora das autoescolas oferecerem como padrão carros com a direção assistida.

    E quanto ao teste ser feito em um modelo pelado ser mais eficiente, eu discordo. Quase todas as pessoas tiram carteira em um popular surrado, com câmbio bichado, embreagem dura e direção não-assistida. Coincidente, são essas mesmas pessoas que geralmente não dirigem bem. Só posso concluir que a culpa não é do carro, mas sim do método de ensino e da incapacidade ou má vontade da pessoa.

    ResponderExcluir
  43. BOA TARDE CARO , MAS TEREI QUE RETRUCAR ESTE POST.
    MEU PAI TEM UMA AUTO ESCOLA E TRABALHEI LÁ POR 12 ANOS DE MINHA VIDA .
    VC NÃO FAZ IDEIA DE COMO UMA SIMPLES FRASE COMO ESTA CHAMA ATENÇÃO DOS CLIENTE .
    HOJE EM DIA COM TUDO AUTOMÁTICO , "MOLINHO" , ELETRICO E BLA,BLA,BLA , OS CLIENTE QUEREM CADA DIA MAIS UM CARRO COMPLETO PARA APRENDER A DIRIGIR ( NA VERDADE APRENDER A PASSAR NO EXAME PRATICO.
    OS NOVOS ALUNOS PENSAM QUE O CARRO TEM QUE TER AR CONFDICIONADO , BANCOS DE COURO , VOLANTE DE COURO E TODAS AS MORDOMIAS QUE UM CARRO PARTICULAR TEM DISPONIVEL , POREM OS MESMOS NAO SABE QUE ESTE CARROS SAO DESCATAVEIS LITERALMENTE , E DEPENDENDO DA MARCA DURA MENOS DE 5 ANOS ( ENTENDA-SE MOTOR CAMBIO , BANCOS , ETC. )
    ESSA FRASE ( COM DIREÇÃO HIDRAULICA ) É APENAS UM CHAMARIS , POIS ISSO É O QUE AGRADA OS OLHOS DO CLIENTE .
    POREM É UM FARDO PARA QUEM COLOCA POIS NO 2 ANO DE AULA , ELA COMESSA A DAR PROBLEMA. E ESSE PROBLEMA É PARA O RESTO DA VIDA DELE COMO VEÍCULO DE APRENDIZAGEM , EM DECORRENCIA DA MANOBRA DE BALIZA.
    JA A CAIXA DE DIREÇÃO COMUM NAO DA NENHUM PROBLEMA MAS OS ALUNOS ( PRICIPALMENTE AS ALUNAS ) , RECLAMAM QUE A DIREÇÃO É MUITO DURA .

    DESCULPE , MAS ACHO UQE ESTE POST , NAO FOI MUITO FELIZ

    PS , CUITO MUITO SEU BLOG.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.