GOLPE DA INSPEÇÃO VEICULAR GRÁTIS NA PORTO SEGURO

Um texto de Carlos Maurício Farjoun

Já faz um tempo que eu estava para escrever esse post, mas queria estar com os números em mãos.
Como vocês já sabem, em São Paulo a inspeção veicular de poluição agora é obrigatória praa todos os carros. Portanto, tive que levar o Vectra para fazer a inspeção, que era no máximo até este mês.de maio. Ano passado ele escapou (2002), mas neste ano, não.
Como segurado da Porto Seguro, fui gentilmente informado de que poderia fazer gratuitamente uma verificação de poluentes na própria Porto para saber se meu carro passaria na inspeção ou se precisaria de manutenção antes. Muito bonito, mas nada bem intencionado... Mais uma vez o conflito de interesses e a ganância do lucro fácil colocam por terra algo que poderia ser uma boa ideia.
Cheguei ao posto da Porto da Av. Rio Branco por volta das 9 horas do dia 6 de maio. Estava vazio. Perguntei se havia fila para fazer a inspeção e me disseram que não, mas pediram para que eu aguardasse. Aguardei por longos 40 minutos, sendo que não havia ninguém na máquina de inspeção. Não entendi na hora por que a demora, mas depois entendi.
Pois bem, logo de cara já veio um carinha me perguntando como estava o ar-condicionado do meu carro. Eu disse que estava gelando bem, que não tinha problemas. Aí ele insistiu na higienização. Foi quando eu falei que troco eu mesmo o filtro a cada 6 meses e que por isso não era necessário higienizar. Ele viu que daquele mato não sairia coelho e desistiu. Mais uma empurroterapia de que eu me livro. E o tempo correndo...
Passados os 40 minutos, o cara finalmente resolve pegar o meu carro. Liga e manobra até à máquina de inspeção, colocando rapidamente o sensor no escapamento e começando a operá-la. Quando ele começa a mexer na máquina, vi que o último carro inspecionado havia sido um Comodoro 2.5 2010 (!). Quando ele colocou os dados do meu carro (bem rapidamente), informei que o ano do carro era 2002, e não 2010. Ele pôs 2002 lá.
Ignorando os avisos de colocar os sensores de rotação e de temperatura, começou a medição. Ele parecia ter pressa. Foi aí que me caiu a ficha!!!
Ele queria fazer o exame com o carro frio, justamente quando a mistura de aquecimento é mais rica! Por isso a pressa toda! Por isso o chá de cadeira de 40 minutos! Me toquei disso quando senti o cheiro de catalisador atrás do carro. Não fez a descontaminação, nada, era só pressa de medir. E mediu, chutando as 2.500 rpm: 
CO a "2500": 0,58% Em ML: 0,36%
HC a "2500": 162 ppm Em ML: 134 ppm
Diluição a "2500": 15,06% Em ML: 15,40% 
Na máquina, deu tudo verdinho e saiu o relatório com o "aprovado". Com cara feia, ele me deu o papel e falou rispidamente "Tá aprovado".
Claro, não era pra aprovar, era para reprovar para eles ganharem serviço. Aprovando, ficava grátis e não dava lucro. Ele antes de colocar o carro lá já tinha me falado que, se não passasse, precisaria ver bicos, velas, cabos etc. (já preparando para empurrar o serviço), mostrando um Polo 2003 que tinha sido reprovado. 
Aí eu entendi o "Comodoro 2.5 2010": Eles colocam como 2010 porque os limites são muito mais estritos (0,3% de CO e 100 ppm de HC), aí dá vermelho na máquina e "reprovado" no relatório. E medem com o carro frio (deixam esfriar) pra terem certeza de que estes limites serão ultrapassados. E daí tome kit limpeza de bico, corpo de válvula, troca de velas, cabos, sensores de injeção etc...Uma salgadinha conta de mais de 500 reais, alimentada pelo medo do incauto de não passar na inspeção. Provavelmente, após essa operação toda, devem medir de novo seguindo os parâmetros corretos e... BINGO, agora passa com louvor! 
Se eu não tivesse avisado o cara para mudar o ano de 2010 (vem como default) para 2002, meu carro não teria passado e seria mais uma vítima do "reprovado". 
Sem mexer nada no carro, fiz a inspeção em 28 de maio e os resultados foram: 
CO a 2500: 0,20% Em ML: 0,01%
HC a 2500: 28 ppm Em ML: 44 ppm
Fator de diluição a 2500: 0,97 Em ML: 0,97 - Equivale a 15,40% Ou seja, medido a quente como se deve, meu carro passaria inclusive nos limites pra inspeção de um carro 0-km. A quente, o truque do ano 2010 não funcionaria com o meu carro, por isso precisavam deixá-lo esfriar.
A coisa funciona assim: como a Porto não quer arcar com o custo disso, ela repassa a inspeção para uma empresa picareta estilo DPaschoal chamada TopStop, em que os mecânicos são os "vendedores" e são comissionados pelo quanto de serviço "vendem" aos clientes. A TopStop entra com todo o maquinário para fazer a inspeção em troca de poder efetuar os serviços "necessários" nos carros inspecionados. Só que como os limites de inspeção são meio frouxos e a grande maioria dos carros passaria, eles desenvolveram esse método de inventar problema para conseguirem coletar serviço. A Porto também tem culpa nisso porque, para poder oferecer o "serviço" sem ter que botar a mão no bolso, coloca uma raposa pra tomar conta do galinheiro.
Por isso, tomem muito cuidado com essas "inspeções gratuitas", é tudo engodo pra vender serviço. Um carro em bom estado passa facilmente na inspeção, os limites são frouxos pacas. No meu ano (2002), o limite é de 1% de CO e 700 ppm de HC, coisa que meu motor com 130.000 km e catalisador original ficou MUITO abaixo, para não passar teria que estar bem zoado mesmo.
CMF

78 comentários :

  1. É o ladrãozinho tentando pegar umas migalhas do roubo do grande ladrão (governo).

    ResponderExcluir
  2. Não sou contra as oficinas que oferecem serviços que realmente recisam ser feitos, mas estes "centros automotivos" que existem por ai realmente trabalham em cima de "metas".
    O bom e velho meca de confiança ainda é a melhor opção.

    ResponderExcluir
  3. Não se pode confiar em ninguém mesmo

    ResponderExcluir
  4. É, deixaram o braziu com a caratonha do chefão mor.

    ResponderExcluir
  5. A Porto Seguro deve ser responsabilizada por isso. Coisa vergonhosa, típica de ladrãozinho.

    ResponderExcluir
  6. João Batista01/06/10 22:00

    Interessante, em 08 de abril de 2005 o jornal Folha de São Paulo publicou esta denúncia grave contra essa seguradora;

    Folha - Cotidiano
    São Paulo, sexta-feira, 08 de abril de 2005

    APÓLICE DE RISCO

    Funcionários da Porto Seguro, policiais e empresários viram réus por crimes de formação de quadrilha e estelionato

    Justiça processa diretores de seguradora
    ALEXANDRE HISAYASU
    DA REPORTAGEM LOCAL

    A Justiça aceitou ontem a denúncia do Ministério Público contra dois diretores e um gerente jurídico da Porto Seguro em que eles são acusados de integrar um esquema de fraude para evitar que segurados recebam indenizações por veículos roubados...

    ResponderExcluir
  7. Paulo Ferreira01/06/10 22:06

    Pelo amor de Deus. Que absurdo. Tenho certeza que essa praga vai se espalhar pelo país, vou ficar de olho.

    ResponderExcluir
  8. Olha, nunca precisei fazer estratagemas dessa magnitude para sobreviver, qtos carros foram fazer checagem na oficina e cobrei somente a avaliação,fora os que iam lá em tão bom estado que nem cobrava, cada vez mais que eu conheço o ser humano mais gosto do meu cachorro......

    ResponderExcluir
  9. Um relato que seria um escândalo se estivéssemos no Brasil, mas ainda fosse século XX.


    Hoje, é mais fácil a Justiça acatar um processos deles contra o cliente lesado, no estilo de difamação sem provas concretas, que uma denúncia contra eles acabar em processo aceito por um promotor público.

    Julgo fundamental para possuir um carro fora de garantia, a figura do mecânico de confiança conhecedor de onde se compra peças confiáveis, do amigo antoentusiasta que socorre com as dicas corretas.

    Parabéns pelo relato e pelo espaço dado a ele no Post do Blog

    ResponderExcluir
  10. Se alguém quiser, tenho os relatórios das duas inspeções (Porto e Controlar), ambos com a placa do carro, neles constam os números díspares que coloquei aqui. Sim, tenho como provar que na Porto os números saíram todos alterados pra cima.

    ResponderExcluir
  11. Dentro dos centros da Porto Seguro, os mecânicos e ferramentas que lá estão são da rede "Top & Stop", só que tudo o mais disfarçado e sutil possível.

    Os mecânicos não possuem identificação de empresa no bolso do macacão, mas falam como se fossem da Porto Seguro. Os equipamentos tem um logo da rede, mas o mais disfarçados possível.
    Ali, no mínimo, existe violação do termo "indução ao erro" previsto na lei do consumidor.

    O segurado vai lá, esperando apenas que avaliem e ofereçam uma orientação sobre o que precisa ser feito no carro. Os mecânicos colocam um clima de terror, como se o carro fosse se desmanchar na esquina, e esfolam na lista de peças.

    Sou segurado da Porto há quase 10 anos, e uma vez fui num destes centros. Me condenaram todo sistema de suspensão e freios.
    Detalhe interessante: o carro tinha passado por uma reforma nestes sistemas duas semanas antes.

    Recusei o serviço, alegando que estava tudo em garantia, e levei na inspeção que eles fazem nos fundos do posto, mas normalmente só depois de passar pelas mãos da Top&Stop.

    Meu carro voltou apenas com uma recomendação para regular o freio de mão, considerado alto.
    Nada de freios que precisavam trocar discos (novos) e panelas, nada de trocar amortecedores, buchas e articulações (todos novos).

    Mandei uma carta com oito páginas para a Porto na ocasião, mas espero resposta até hoje.

    ResponderExcluir
  12. Também sou segurado Porto Seguro e gosto muito dos serviços prestados, mas passo longe do centro automotivo deles.

    Uma vez (acho que no final de 2005) ganhei uma revisão de férias grátis, mais um jogo de pastilhas.

    Como eu sabia que tentariam me empurrar um par de discos, acabei levando no mesmo dia um par dentro do carro.

    Tiro e queda: condenaram o disco, mas não gostaram nem um pouco quando eu tirei o par novo de dentro do carro. Nunca vi tamanha má vontade para montar as pastilhas que me "deram" de presente.

    Em janeiro de 2008 fiz a vacina antifurto e já que estava lá, acabei pedindo para dar uma verificada no freio traseiro: tentaram me empurrar dois cilindros de roda (a R$ 35,00 cada), mais mão de obra (R$ 50,00) mais uma sangria do fluido (R$ 55,00).

    Não autorizei o serviço e vim embora. Para minha surpresa, o cilindro de roda original VW (Bosch) saía por R$ 14,00 nas melhores casas do ramo e um bom profissional na época cobrava apenas R$ 40,00 de mão de obra para fazer tudo.

    Até aí tudo bem, eles podem cobrar o quanto quiserem por um produto e por um serviço. Mas fica o alerta para quem ainda não é louco ao ponto de rasgar dinheiro.

    FB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. xiiiiiiiiiiiii estou querendo ir lá para cristalização do para brisa.

      CarlosCunha

      Excluir
  13. Realmente nao da pra confiar.
    Eu desisti de fazer seguro com a Porto Seguro quando tive uma renovação e o corretor disse que eu teria que fazer um cartão de crédito da PS senão a apólice ficaria uns 300 reais mais cara. Claro que não fiz.
    Também não confio nem um pouco nos centros automotivos, principalmente no trio alinhamento/balanceamento/cambagem.

    ResponderExcluir
  14. Sou segurado da Porto e até hoje só tenho elogios à empresa. Mas depois desse relato, vou ficar bem longe de seus "centros automotivos". Obrigado pelo alerta.

    ResponderExcluir
  15. Não sei o porquê, mas nunca nem gostei do nome Porto Seguro... Até nas cotações eles são irritantes! Os funileiros dizem que a Porto é chata para trabalhar, até mesmo o corretor de seguros tem esta opinião!
    Estamos com um carro na Azul (não deixa de ser Porto Seguro), primeira vez que temos que colocar um rastreador num carro! Aliás, a porcaria já deu problema duas vezes, até aí tudo bem... o cidadão veio reparar na garagem de casa, mas mesmo assim né!

    Será que ando muito intolerante?
    não importa...

    Gostaria de pedir aos colunistas um post sobre o QRX... sei lá, fiquei interessado, quais as melhores opções para um reles mortal? Dei uma olhada no site, a SLK me pareceu a melhor opção para quem quer dar uma voltinha na pista... talvez alguma promotion para os amigos do AE... rs*

    Abs

    ResponderExcluir
  16. Marcio,

    Principalmente cambagem!

    Aliás, qual seria um valor justo para este serviço? Sempre achei caro, em qualquer lugar.

    O Bob comentou que o certo seria trocar as peças deformadas da suspensão, mas com a malha viária que temos, isto é praticamente inviável.

    ResponderExcluir
  17. Pois é,Srs.A oficina da Porto Seguro é uma piada.Sou reparador e perdi a conta de ver orçamentos absurdos de clientes meus segurados da Porto com peças de 5ª categoria,sem contar o que eles condenam.O curioso é que onde realmente necessita reparo,eu acho que eles nem sabem testar(arrefecimento,por ex)...E agora com a Controlar,eles farão a festa.

    Mais um pra queimar o filme dos mecanicos sérios...

    ResponderExcluir
  18. Por experiência própria: Porto Seguro = empresa especializada em picaretagem profissional.

    Há muito tempo atrás, tive um acidente com um carro meu (eu não estava dirigindo nem estava por perto). Resultado: não era grande coisa, mas queriam dar PT.

    Tive que jogar duro com eles. Ou eles consertavam na concessionária, ou dali pra frente só conversariam com meu advogado. Optaram por consertar. Mas era óbvio que era muito mais negócio pra eles dar PT, afinal, o "salvado" seria vendido no leilão por um belo valor. E se não consertassem, tudo bem, eu consertava do bolso, na concessionária, e depois tocava-lhe processo no JEC. Seria causa ganha FÁCIL.

    Como se isso não bastasse, removem carros da concessionária para o "pátio de PT" sem autorização do proprietário! É ruim hein?

    Azul Seguros é pior ainda. Autoriza serviço e depois não paga. É só dor de cabeça!

    ResponderExcluir
  19. Marcelo Augusto02/06/10 07:23

    Pessoal,

    Dentre os serviços ditos "de graça" da Porto, há um que não tem como eles ganharem em cima: regulagem de faróis.

    E o que acontece quando vc vai lá para eles regularem? O faról está sempre reguladinho, "tá tudo em ordem senhor".

    Um colega fez um teste, embaralhando todo o foco e foi lá. Não deu outra, "tudo em ordem senhor". Sem mover um parafuso.

    ResponderExcluir
  20. O texto é longo, mas ilustra bem a situaçao:
    Eu trabalhava numa fábrica de pneus. Compravamos pneus na fabrica por aproximadamente 55% do valor de mercado. Mas, para ter a garantia deles, obrigatoriamente tinham que ser instalado em uma determinada oficina (citada no texto), revendedora dos pneus da marca. Uma dos meus colegas foi até o dito auto-center, com os pneus comprados na fabrica.
    Lá, disseram que algumas buchas estavam ruins. O cara mandou trocar. Depois, os amortecedores estavam ruins. O cara disse para trocar, tb. E molas, e assim sucessivamente com toda a suspensão do carro. O Funcionario estava felissimo! Truxe uma conta, bem gorda. Aí, meu amigo disse: Nao vou pagar nada. As pecas que vc retiraram estavam todas na garantia, pois eu troquei todas elas há menos de 45 dias, aqui mesmo.
    Bateu o desespero na empresa, com gerente querendo se justificar, etc, etc. Resolveram que as peças retiradas não estavam mais ruis, e queriam montá-las de volta no carro. Óbivo que virou um grande bate-boca e discussão, mas o cara foi embora com as peças novas, sem pagar.
    Eu mesmo, num alinhamento do meu carro, fui informado que não era possível alinhá-lo porque ele estava sem o protetor de carter, e que as buchas da barra estabillizadora estavam ruins, peças que eles queriam me empurrar.

    ResponderExcluir
  21. Texto claro e ótimo, parabéns pelo aviso. Divulgarei a todos os conhecidos para evitar esse desperdício de tempo e de peças que empresas sem ética praticam.
    Mas não é surpresa em uma Nação que nem mesmo tem um presidente.
    Um pensamento que escutei de um professor de estatística:
    O melhor negócio do mundo é uma empresa de petróleo bem administrada.
    O segundo melhor é uma empresa de petróleo mal administrada.
    O terceiro é uma empresa de seguros.

    ResponderExcluir
  22. Tivemos experiências ruins com a Porto há pouco mais de dez anos.
    Meu pai tinha um Uno zero que foi arrombado e o meliante bateu contra o muro. O carro foi para a concessionária e voltou por mais de dez vezes à oficina depois do conserto: o motivo: a Porto "reciclou" muitas peças que deveriam ser trocadas, danificadas que estavam. para conseguirmos a troca da caixa de direção quase tivemos que chamar a polícia.
    No outro caso, minha noiva colidiu o Uno dela e mandou para a oficina própria d aPorto, que tinha aqueles chamarizes de sempre (franquia mais baixa, pagamento parcelado, etc). A pintura da traseira do carro ficou tão ruim que parecia feita em casa...

    Juvenal, conforme-se, pois vamos continuar sem um presidente: a bola da vez até 2014 vai ser "a presidenta", risos...

    ResponderExcluir
  23. Concordo com o Carlos.

    Mas como já disse: aqui o que um fala centenas de maria-vai-com-as-outras aceita sem refletir.

    Cuidado para não ser expulso.

    ResponderExcluir
  24. Zé da Silva02/06/10 11:49

    Anônomo das 11:19, e CZ , a inocência de ambos ,chega a ser comovente, me lembra em muito meu netinho !

    ResponderExcluir
  25. Olá Carlos,

    Meu nome é Julio Melo, sou Ouvidor da Porto Seguro e também responsável pelo atendimento nas Redes Sociais. Li seu post, consultei nossa área técnica de automóveis, para esclarecer as suas dúvidas.

    A Porto Seguro disponibiliza seus Centros Automotivos para atender aos clientes, através de diversos serviços, que são executados somente com a aprovação do cliente.

    Entre os serviços está a análise gratuita de poluentes na Cidade de São Paulo, que tem por finalidade dar comodidade ao cliente para que fique preparado para a inspeção ambiental veicular obrigatória da Prefeitura da Cidade.

    Em relação ao tempo que você aguardou para ser atendido, com certeza é possível melhorá-lo, e já estamos averiguando com a unidade para que agilize o atendimento.

    Também gostaríamos de salientar que a nomenclatura e ano do veículo não interferem no resultado final, pois o equipamento opera com os parâmetros legalmente definidos, ou seja, o modelo e ano que estavam pré definidos durante a sua inspeção não alterariam o resultado final, porém já orientamos nosso atendimento a colocar as informações corretas para não haver dúvidas durante a inspeção.

    Em relação a Inspeção Veicular o atendente, o informou que se não houvesse essa aprovação, alguns itens deveriam ser verificados, mas apenas como orientação. Não havia intenção alguma de fazê-lo até por que seu veículo foi aprovado posteriormente. Isso também vale para o oferecimento do serviço no ar condicionado.

    De qualquer maneira deixo meu e-mail para caso tenha alguma dúvida possa entrar em contato.

    e-mail: web@portoseguro.com.br

    Obrigado!
    Julio Melo

    ResponderExcluir
  26. Fiz a prévia da inspeção veicular na Porto Seguro da Av. 9 de Julho.
    Demorou também para me atenderem, o carro esfriou e fui reprovado.
    Mas o atendente repetiu o teste , por conta própria, e assim, depois de quente meu carro passou.
    Acho que estamos por conta da consciência e honestidade dos atendentes de cada unidade.

    ResponderExcluir
  27. Prezado Julio Melo,

    Não sou um leigo em mecânica, exatamente por isto a tática não deu certo comigo. Mas fiquei pensando quantos que não têm o mesmo conhecimento que o meu acabaram gastando dinheiro sem necessidade por isto.

    Ao contrário do que o sr. afirmou, o ano influencia sim, pois as tolerâncias permitidas pelo CONAMA dependem do ano de fabricação do veículo. Assim, veículos fabricados até 1979 podem emitir 6% de CO, até 1988 5% de CO, até 1989, 4%, até 1991 3,5%, até 1996 3%, até 2002 1%, até 2005 0,5% e a partir de 2006, 0,3%.

    Portanto, o ano colocado na máquina influencia SIM, ele que dirá qual o limite permitido para que saia o "verde" ou "vermelho". Com 0,5% de CO, um carro 2002 é aprovado e um 2006 é reprovado.

    Meu carro só foi aprovado porque eu quis que colocasse o ano correto, se eu não tivesse feito essa observação, seria usado o limite de 2010, que o reprovaria a frio como estava. Porém, a quente, mesmo com os limites de 2010 ele seria aprovado (como comprovam os números medidos no CONTROLAR), o que reforça a minha tese de má-fé.

    Tudo que foi feito ali fora do que é especificado na inspeção do CONTROLAR contribuía para me reprovar e assim gerar uma necessidade de reparo:

    1) medição a frio (tem que ser colocado o sensor de temperatura do óleo, que deve apontar mais de 92ºC, indicando motor em temperatura normal de funcionamento);

    2) não foram feitos os 30 segundos de descontaminação a 2500 rpm (para que vapores de combustível evaporados do cárter não influam na medição);

    3) não foi colocado o sensor de rotação no motor, ou seja, não havia como saber se a rotação eram os 2.500 rpm especificados pelo CONAMA;

    4) se eu não avisasse, seria colocado 2010 como ano do veículo, o que faz com que sejam utilizados os parâmetros mais rígidos que o carro não está obrigado a atender. Considero, inclusive, que seria impossível para um carro carburado (como o caso do Comodoro 2.5) atender às especificações de 2006 em diante, este carro seria reprovado em qualquer circunstância.

    Ou seja, tudo "conspirava" para a minha reprovação. E a espera de 40 minutos não tinha a mínima razão de ser, pois nenhum outro carro foi para a máquina de inspeção nestes 40 minutos, daí eu concluí que era pra esfriar o carro mesmo.

    É óbvio que o cliente não é forçado a fazer a manutenção no local. Só que, como é colocado o veredito de "não vai passar" e normalmente o cliente já está com a inspeção agendada, ele acaba sendo pressionado a fazer o serviço, até porque na percepção dele, o mecânico entende muito mais do assunto e por isso deve saber o que fala, vai reprovar e pronto.

    ResponderExcluir
  28. O ouvidor não deveria responder defendendo a empresa, pois perde credibilidade.

    Pelo que vimos a resposta foi vaga, meras desculpas sem nada de concreto. Coisa de RP e não de ombudsman.

    Os erros são operacionais e as soluções tem que ser operacionais e informadas.

    Afinal, o que foi feito nos procedimentos e na orientação das pessoas para que o fato não se repita?

    Falar que vão melhorar, que estão sempre procurando aprimorar é papo para boi dormir, até diretor de penitenciária fala isso.

    ResponderExcluir
  29. RZ,

    Onde assino?

    Julio Melo,

    Voce falou falou e falou mas não disse absolutamente nada a não ser apoiar a política de picaretagem da empresa onde voce trabalha.

    Portanto, favor fazer mais e falar menos.

    ResponderExcluir
  30. O Zullino disse tudo!

    Se o OUVIDOR corre em defesa da empresa, tentando justificar o injustificável, vai se acreditar em quem????

    ResponderExcluir
  31. O comentário desse Júlio Melo só ratificou a posição de golpista da empresa Porto Seguro e pior quando ele diz " estamos averiguando ",ou seja , não estamos nem aí para vocês .

    ResponderExcluir
  32. "É rir pra não chorar"!

    Coitadas das pessoas de boa fé, que nem sempre tem discernimento
    para "aprovar" ou não um "orçamento deste naipe"!!!

    Parece que o cidadão aí foi avisado heim! afff... Cadê o post do CZ?

    ResponderExcluir
  33. Zé da Silva02/06/10 21:56

    Sr Julio Melo.
    Estou contigo e não abro !
    Também acredito em ,papai-noel,Alice do país das maravilhas,
    nunca antes na história deste país,e coisas do gênero,eu acho que você pensa que nós todos ,que lemos este blog diariamente, somos todos desprovidos de um mínimo de inteligência, pois você se enganou, escreveu o que não devia , agora leia o que não quer !

    ResponderExcluir
  34. A defesa feita pelo Sr. Ouvidor, foi totalmente inconsistente.
    Mal informado, não faz a menor idéia de quem são as pessoas que frequentam esse espaço.
    Pareceu que estava pregando para alunos do Jardim da Infancia.
    Já que estamos em clima de Copa do Mundo, digamos que o Sr. Melo fez um gol contra.

    ResponderExcluir
  35. Parabéns ao Julio Melo. Conseguiu queimar de vez a imagem da Porto Seguro no blog hahahah
    Tinha até um ou outro frequentador dizendo que nunca tinha tido problema mas ai vem o "ouvidor" falar bobagem e ofender a nossa inteligência.
    Numa rápida olhada no site da Porto Seguro, nota-se que o email da "Ouvidoria" não é o fornecido pelo Sr Julio Melo, mas sim ouvidoria@portoseguro.com.br
    Lamentável.

    ResponderExcluir
  36. Não tenho nada contra ou a favor da Porto Seguro, jamais fui cliente dessa empresa porque sempre ouvi falar mal dela, mas isso é detalhe, meus informantes podem ter sido mentirosos, a maioria foi de corretores de seguros amigos.

    No caso há que se esclarecer primeiro o seguinte:

    O cargo de ouvidor ou ombudsman não é apenas um nome, é um conceito que não deve ser estuprado ou usado em vão.

    Em primeiro lugar, um ouvidor e a empresa tem que colocar de maneira pública suas relações de trabalho.

    O cargo geralmente é exercido por dois anos e é dada contratualmente a garantia ao ouvidor de mais dois anos de recebimento de salários para que se garanta a independência do mesmo. Isso são regras práticas apenas, pode-se variar para cá ou para lá, mas o espírito da independência deve ser buscado.

    Em resumo, o ouvidor exerce o cargo por dois anos e pode exercer por mais tempo, mas sempre tem garantidos dois ou mais anos de salário se for afastado do cargo, ou seja, o aviso prévio de um ouvidor é geralmente de dois anos mais as verbas e garantias de praxe como assistência médica e outras vantagens que são dadas aos outros empregados. Sem isso, não há como ser independente.

    Também não pode exercer função alguma além da de ouvidor, assim não se cria vínculo hierárquico com outras áreas operacionais da empresa. Ouvidor não é uma função part-time.

    Sem isso, apenas temos o besteirol de sempre com o avacalho das funções e termos como ombudsman, ouvidor, governança corporativa, códigos de honra e ética e outras coisas que apenas tem o nome adotado de outras culturas, mas não os conceitos. As empresas fazem alarde dessas coisa, mas na maioria das vezes o que se tem é apenas nome e nada de concreto.

    Sem querer polemizar, mas o Sr. Julio já deu uma dica, ele além de exercer a função de ouvidor também é responsável pelo atendimento das chamadas redes sociais, o que evidentemente é errado, ele deve ter chefe nessa função e ouvidor não pode ter chefe.

    Sem as condições acima que devem ser divulgadas publicamente, o que se tem é apenas uma reles função de relações públicas com os efeitos de praxe que vimos aqui.

    Aguardo o contrato de trabalho para continuidade da discussão, sem isso não há porque se reconhecer que alguém seja um ouvidor independente e sua opinião não pode ser considerada isenta, afinal é apenas um cumpridor de ordens da empresa.

    ResponderExcluir
  37. Concordo com tudo o que foi colocado pelo Zullino e outros: o ouvidor/ombudsman não pode se comportar como mero defensor da empresa (falo até com conhecimento de causa, pois já fui ombudsman de de uma associação há coisa de dez anos). O ombudsman é, acima de tudo, alguém dentro da organização dotado de imunidades (como o Zullino bem colocou) para que possa exercer sua atividade sem receio de represálias. Trata-se de verdadeiro representante do cliente dentro da empresa. O ouvidor, no caso, se portou como mero defensor da Porto Seguro (e não dos clientes da empresa); enrolou e não explicou o que a empresa pretende fazer para que tais fatos lamentáveis não mais ocorram. No mais, demonstrou falta de conhecimentos (ou coisa pior) ao alegar que o ano do carro não influi na aprovação na inspeção. Em uma palavra, lamentável; uma intervenção desastrada, que maculou ainda mais a imagem da Porto. E, como já observaram, organograma maluco o de uma empresa em que o ouvidor é também responsável por redes sociais.

    ResponderExcluir
  38. Disse o Senhor Julio Melo:

    "Também gostaríamos de salientar que a nomenclatura e ano do veículo não interferem no resultado final, pois o equipamento opera com os parâmetros legalmente definidos, ou seja, o modelo e ano que estavam pré definidos durante a sua inspeção não alterariam o resultado final, porém já orientamos nosso atendimento a colocar as informações corretas para não haver dúvidas durante a inspeção"

    Concluo, portanto, que o Sr. Julio Melo é comediante.

    ResponderExcluir
  39. Depois desta pilantragem e pataquada toda, eu só posso agora divulgar esta informação ao máximo em outras redes sociais e amigos, para alertar a todos sobre a má fé da Porto Seguro e seus parceiros comerciais em suas relações com os clientes!

    Assim não dá, todos querem uma fatia do bolo, seja o governo de São Paulo, ou estas empresas "amigas"...

    AB

    ResponderExcluir
  40. Uai gente, é só boicotar a Porto Seguro, eu hein... Vão atrás de outra asseguradora, não é necessário ficar sofrendo por causa disto.

    Eu não consegui seguro para o meu Mille 2006 porque estava saindo mais caro do que muito Honda SI por causa do meu perfil (saiu por R$5000,00 sem os vidros). Resolvi fazer uma poupança e guardar um dinheiro caso aparecesse algum problema que graças a Deus não aconteceu.
    É claro que estou consciente do risco de sofrer um acidente e não ter o dinheiro para pagar um prejuizo ou hospital, mas é o que me sobrou de alternativa...

    ResponderExcluir
  41. Se liga no tal ouvidor da Porto:

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI57978-15259,00-O+MELHOR+RETRATO+DAS+EMPRESAS.html

    ResponderExcluir
  42. esse Julio é o maior tarobá, é uma fanta uva de 2,4 litros

    ResponderExcluir
  43. caro colega,voce criou um contexto e voce mesmo entrou em contradição,pelo seu texto e emissão de poluente feita pela porto seguro foi aprovada ou eu estou enganado,o funcionario da porto seguro fez esse orçamento que vc diz ou foi sua imaginação.Voce pode reclamar do procedimento do atendimento e não criar uma utopia.Sou segurado Porto Seguro e a minha meriva deu defeito,os mecanicos de oficina particular,falaram que era a bobina de ignição,chamei o guincho e leveu para o centro automotivo porto seguro,em cinco minutos fizeram o carro pegar,era um mau contato no fio da bobina e eles não cobraram nada por isso.

    ResponderExcluir
  44. Lá vem o funcionário da Porto ou de seus comparsas tentando criar polêmica...

    Fizeram e falaram merd@, então não adianta vir com cortina de fumaça pra tentar mudar o foco da discussão.

    AB

    ResponderExcluir
  45. Quem leva carro em "centro automotivo" para ver se "passa no teste" tem mais é que se ferrar mesmo.

    Quem gosta de carro anda sempre com ele em ordem. E como mostrou o Bob, carro hoje não dá manutenção nenhuma, dá pra seguir o que recomenda o fabricante com folga, mas tem gente que tem excesso de zelo, e troca tudo pela metade (troca de óleo de 5 mil, aahhh, vá pra puta que o pariu, trouxa). E justamente esses não passam, bem feito. Todo castigo pra trouxa é pouco.

    ResponderExcluir
  46. ALEXANDRE,VAMOS LÁ,NÃO SOU FUNCINARIO DA PORTO SEGURO,ESSE FATO REALMENTE ACONTECEU COMIGO,UMA COISA EU TE PERGUNTO VOCÊ NÃO PODE SER FUNCIONARIO DE OUTRA CIA DE SEGUROS PARA FAZER UMA COMPANHA NEGATIVA.
    VC DEVE RESPEITAR A OPINIÃO DE CADA NÓS OU VOCE É DO PARTIDO COMUNISTA,HEM,HEM,HEM

    ResponderExcluir
  47. anomino das 13:22:
    saia das fraldas, tire a carteira, depois volte aqui pra aprender um pouco mais

    ResponderExcluir
  48. Anonimo,

    Tanto meu carro estava em ordem que passou com emissões que atenderiam até os limites de 2010. Eu imaginava que ele passaria, pois mantenho o mesmo em ordem, mas como a Porto ofereceu a inspeção "gratuitamente", não me custava nada (teoricamente...) passar lá pra dar uma conferida e ter a certeza daquilo que eu já imaginava e acabou sendo confirmado: Meu carro passou sem que eu tivesse que mexer em nada nele.

    ResponderExcluir
  49. O anônimo falou algo que é fato: exagero na manutenção no Brasil.

    O mesmo Fiat 500, aqui tem revisões a cada 15 mil ou 1 ano, lá fora é 30 mil ou 1 ano. E jamais se troca de óleo antes de 1 ano, no chamado "uso severo".

    É muito dinheiro e produtos ainda bons sendo jogados fora.

    ResponderExcluir
  50. Eurico Jr.05/06/10 11:40

    Não sou mais cliente da PS justamente por causa dessas pilantragens.

    Enxergam o cliente como um saco de dinheiro ambulante, nada mais que isso.

    Uma vez ganhei um "vale alinhamento e balanceamento", para o meu Fiesta 2004 com 4 meses de uso. Primeiro, quiseram me empurrar a cambagem. Depois, um alinhamento do eixo traseiro, que custava a bagatela de R$ 800! Felizmente, não sou idiota. E o manual do Fiesta tem todos os valores de tolerância, o que me deu munição para detonar os argumentos dos "especialistas". Ficaram enfurecidos comigo!

    Sem mencionar o escândalo do conluio da seguradora com policiais corruptos, para forçar cliente a "confessar" que despachou o carro roubado para o Paraguai. Mas como brasileiro tem memória curta, ficou por isso mesmo.

    Fosse num país civilizado, a PS já teria falido. Consumidor consciente não perdoa!

    ResponderExcluir
  51. Anônimo das 13:22 não precisa ficar atacadinha e nem xiliquenta.

    Pelo seu nhémnhémnhém e blábláblá já sabemos qual tipo de pessoa vc é...

    ResponderExcluir
  52. Anônimo das 22:09, a Fiat deve sugerir este prazo menor para realizar as revisões por alguns motivos, por exemplo:

    Provavelmente o carro não será usado no dia-a-dia, portanto demorará mais tempo para a atingir a Km necessária à revisão, ultrapassando 1 ano para troca de óleo.

    A nossa gasolina é alcoolizada em no mínimo 20% e temos um histórico de combustivel adulterado sendo vendido por aí, e isso provavelmente foi considerado pela fábrica como fator de contaminação precoce do óleo.

    E temos diferenças significativas em relação ao clima, se comparado ao europeu, principalmente em termos de calor, o que também ajuda o óleo a perder suas características de viscosidade antes do prazo.

    AB

    ResponderExcluir
  53. Alexandre,

    Eles querem é vender mais produto/serviço sem necessidade, eles apenas adaptaram para o 500 o que já consta do manual dos outros carros da marca.

    Mas cabe alertar que isso não é específico da Fiat, todas tem a mesma estratégia. Tenho um manual de serviço mundial da Honda, com todos os manuais, e, considerando um veículo identico, em nenhum lugar do mundo se faz tanto serviço e troca de componentes com prazos como o nosso, nem mesmo na na África, pra quem alega a questão de clima.

    O cúmulo que eu vi foi no caso do líquido de arrefecimento do 500. Lá fora nem se fala em troca, pois hoje usa-se produto que realmente duram muito, no mínimo 5 anos como está nos amnuais da GM; aqui a Fiat usou o padrão de troca a cada 2 anos. E o produto é o mesmo. Prazo de troca de correias também é muito maior lá.

    O último editorial do BCWS dá uma leve entrada no tema, quando fala em garantia.

    ResponderExcluir
  54. Anônimo que achou a matéria da Época... kkkk... muito bom! hilário!

    Quanto à questão "uso severo", a última vez que abordei este assunto aqui... fiquei no VÁCUO!!! Sei que de 2009 para 2010 a VW também adotou este esquema, antes revisões a cada 5000km ou 6 meses e agora 1 ano ou 10000km. No caso de "uso severo", volta ao esquema anterior, onde as reviões devem ser feitas com a metade da km/período de tempo.

    Uma coisa é fato! obviamente que um carro que só roda na estrada vai manter as qualidades do lubrificante por muito mais KM/tempo.

    Até hoje além da km limite para um óleo de qualidade X, sempre segui minha percepção, ruído do motor, maciez... na decisão de antecipar ou não uma troca de óleo.
    Acho que este esquema tem dado certo, nunca tive a sensação de estar jogando dinheiro fora. É ignorância achar que independente das condições de uso, o óleo sempre estará cumprindo o papel perfeitamente até os 10000km.

    Meu receio atualmente é que este novo esquema de manutenção abra uma brecha para os fabricantes se isentarem de algum problema que possa aparecer.

    Abs

    ResponderExcluir
  55. Muito oportuna a reportagem.

    Prezado Carlos Maurício Farjoun e editores do AUTOentusiastas, gostaria de vossa autorização para reproduzir essa matéria no Blog de nosso site www.asfaltoliso.com.br

    Atenciosamente,

    Lucio Amorim
    Equipe asfaltoliso.com.br

    ResponderExcluir
  56. Genial esse post!
    Tenho um Clio 2006 no qual faço manutenção preventiva constantemente (a cada ano, no mínimo).
    Há menos de 10mil km troquei as velas, fiz limpeza de injeção. A bomba de combustível é nova, e apesar de ser flex, só uso gasosa aditivada.
    Pois bem, depois de passar com louvor na vistoria da Controlar de 2009, fiquei surpreso por ser reprovado no deste ano.
    Amanhã faço novamente e quero ver se passo, simplesmente:
    - com o carro quente. Quando bombei ele estava frio, estava um dia mega frio, e na fila da vistoria esperei com o carro desligado. Vacilo!
    - usar álcool. No carro flex os limites são iguais aos de carro gasolina, só que a gasosa emite mais poluentes. Então taca álcool! Evite aditivos.
    - ainda poderia rodar mais uns 3mil km com o óleo que está lá, mas vou adiantar a troca e colocar óleo limpo.
    - dar uma olhada nas velas (novas também) e filtro de ar, dar uma soprada!
    Mais dicas?

    Obrigado ao website pelo ótimo post!

    ResponderExcluir
  57. Tenho um Palio Fire Flex 2007, ele está com quase 220000 km, fiz a inspeção ref: ao ano 2010. Leio em tantos lugares que vc precisa fazer isso ou aquilo no carro para passar. No meu caso nem o oleo e os filtros eu troquei, passei na primeira. A unica manutenção que eu faço é trocar o oleo e os filtros a cada 10000 km, apenas isso.

    ResponderExcluir
  58. O que mais me espanta é a PASSIVIDADE dos povo em receber mais um imposto enfiado guela a baixo e nada faz contra essa roubalheira, basta ver os carros da prefeitura e do estado...os que mais estão desregulados e os onibus então nem se fala, mas ninguem mexe com o cartel.
    A gente tem o que merece, eles empurram e a gente aceita!

    ResponderExcluir
  59. O povo brasileira e em especial o paulistano é um cordeirinho de dar gosto aos governantes que adoram meter a mão no nosso bolso.
    Quando a inspeção veicular começou em 2009, vc pagava a taxa ($52,73) e se fosse aprovado vc podia pedir o reembolso.
    Em 2010 a taxa foi para $56,44 e vc não reembolsava o valor pago mesmo sendo aprovado.
    Agora em 2010 a taxa foi para $61,98!!!!!!!!!!

    Não são os limites de poluentes que são frouxos e sim nós como cidadãos que deixamos os governantes fazer o que bem entedem com nosso dinheiro.

    ResponderExcluir
  60. Sim, em especial o paulistano meeeessssmo, que paga a conta dessa baderna que chamam de país!

    ResponderExcluir
  61. É isso que dá 20 anos de um mesmo tipo de governo no poder...

    ResponderExcluir
  62. Velho, mas limpinho10/01/11 12:20

    O pior desta história, é que a grande maioria dos donos de veículo mais antigos ou velhos, que tem a preocupação em fazer a vistoria, regulam o carro para ser aprovado e depois voltam à regulagem antiga que deixa o carro com funcionamento perfeito (e poluindo mais.

    Essa lei só foi benéfica para o governo Demo/Tucano e para os donos de oficinas.

    E nóis aqui só tomando... AFFF

    ResponderExcluir
  63. Broxado e Velho, mas limpnho
    Seria interessante vocês dizerem que tipo de governo seria melhor.

    ResponderExcluir
  64. Boa, Bob!
    Aguardamos ansiosos pela resposta.

    ResponderExcluir
  65. Velho, mas limpinho10/01/11 12:41

    Um governo que fizesse o mínimo que se espera dele, que realize as obras prometidas para evitar os alagamentos que todos os anos acontecem na cidade.

    Que não aumente em 60% o IPTU sem dar contrapartida para a população.

    Que contrate bons profissionais para administrar a CET e que tenha uma verdadadeira Engenharia de tráfego e não isso que temos desde sempra.

    Que não infeste nossas estradas de pedágios caríssimos como tem ocorrido nos últimos anos.

    Que não gaste mais de 30% do que o necessário em propaganda institucional do próprio mandato, sem ter feito nem 6% do investimento prometido em educação.

    Respondido senhores?

    ResponderExcluir
  66. Então! Sugira qual governo pode resolver todos estes problemas???
    Está fugindo da pergunta???
    Quem vc sugere, ANÔNIMO??? A Marta Suplicy ou a Luiza Erundina??? AAAAHHHH FAÇA-ME O FAVOR!!!!

    ResponderExcluir
  67. Velho, mas limpinho10/01/11 12:47

    E isso só pra responder sua pergunta de bate pronto Bob. Se pensar mais um pouquinho, posso te mandar mais inúmeras linhas de coisas que podem ser melhoradas e sem ser utópico.

    Este é o pior governo da cidade de SP nos últimos anos, sem contar o governo do Estado, sendo que ambos criaram leis que transformam nossa vida num inferno (como vc mesmo diz).

    E nóis só tomando.... AFFF²

    ResponderExcluir
  68. Velho, mas limpinho10/01/11 12:51

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  69. Velho mas limpinho,
    Ah, bom pensei que você fosse falar em Partido dos Trabalhadores. Ainda bem que não.

    ResponderExcluir
  70. hahaha...
    Ainda bem! Ao menos desta vez!

    ResponderExcluir
  71. Velho, mas limpinho10/01/11 13:10

    Bob, infelizmente não tenho um partido para te indicar, pois não existe nenhum que preste.

    Mas tenho certeza que qualquer um é melhor do que este(s) que tem estragado o Estado e a cidade de SP há tantos anos.

    Sds

    PS: Não precisava ter excluído meu comentário anterior...

    ResponderExcluir
  72. Velho, mas limpinho
    Então estamos plenamente de acordo, fico feliz com isso. Só removi o seu comentário anterior pelo tratamento indelicado, "criança mimada", a um leitor.

    ResponderExcluir
  73. Sem entrar no mérito da mina de ouro chamada "inspeção veicular", foco no seguinte questionamento: os veículos automotores desregulados poluem o ar com emissão de fumaça prêta (essa é a grande vilã), Hc e CO2. Não haveria que se considerar tbém (perdoem-me se não for o caso)a poeira negra gerada pelo atrito dos pneus em relação ao asfalto que certamente deve ter um composição longe de ser a ideal, ou seja, para mim o pneu dos veículos e o asfalto depositado pela prefeitura (ou "terceirizada" que seja) deveriam ser focados tanto quanto os motores, ou mesmo, mais ainda. O rolamento de milhares de veículos diariamente deve gerar uma suspensão de poeira incrível. E gera. Pneu e asfalto.

    ResponderExcluir
  74. Excelente abordagem! Nos países ditos de 1º mundo o padrão é concreto, não?

    ResponderExcluir
  75. è triste ver que ainda algumas pessoas demoram para cair a ficha e perceber que neste centros automotivos só da isso kkkk

    ResponderExcluir
  76. Com meu gol 2003,o mesmo foi reprovado.Mas apos uma semana,eu não fiz nada levei novamente e passou.Assim não da,esta na hora de acabar com esta empresa que abusa dos nossos bolsos.Este grupo ccr.Precissamos de outra urgente.Com honestidade acima de tudo.

    ResponderExcluir
  77. E tem mais agora. Muitas inspeções nem são realizadas, pois o carro é reprovado na "pré-inspeção".
    Meu pai teve esse problema, o inspetor safado disse que tava saindo fumaça azul do escapamento.
    Voltou lá na semana seguinte sem mexer em nada no carro, e foi aprovado.
    Motivo óbvio: para carros aprovados na primeira inspeção a Controlar deve devolver a taxa.
    Ô gente ladra !!!!!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.