CONFIRMADO: NOVOS MOTORES NO PUNTO 2011 E NO DOBLÒ

Foto: Dilvulgação Fiat/FPT
O Punto Essence 1,6 16V tendo como pano de fundo as instalações da fábrica de onde vem seu novo motor

Confrmando e retificando o que eu havia dito ontem, os novos motores E.torQ FPT de 1,6 e 1,8 litro fazem parte do Punto 2011, mas não será utilizado no Linea aspiração natural, que continua, por enquanto, com o motor FPT de 1,9 litro trazido da Argentina, conforme lançado em setembro de 2008. Em compensação, a unidade FPT será o novo motor 1,8 do Doblò, cujas vendas começam já a partir de julho, como as do Punto.

Nesses dois modelos cessa a presença do motor Chevrolet 1,8-litro que a Fiat comprava primeiro da associada GM-Fiat Powertrain, surgida da aliança mundial entre as duas fabricantes em 2000, e depois da própria General Motors do Brasil quando a aliança acabou em 2005.

Quem também perde o GM 1,8 e ganha o E.torQ 1,6-litro é a toda a gama Adventure de exportação, como Strada, Palio, Idea e Doblò.

As novas motorizações são muito interessantes para os apreciadores do Punto, que era 1,4 ou 1,8, e que agora tem um 1,8 à altura de sua modernidade, de 132 cv (etanol), ante 114 cv, um salto considerável e que diminui bem a diferença para o T-Jet 1,4 turbo de 152 cv de 203 km/h e 0 a 100 km/h em 8,4 s, ao chegar a 191 km/h e chegar a 100 km/h, saindo parado, em 9,8 s.

Mas a melhor novidade do modelo é, sem dúvida, o motor 1,6-litro de 117 cv capaz de fazê-lo ir de 0 a 100 km/h em 10,5 s e atingir 182 km/h. É o motor na medida para um carro de 1.170 kg, que se ressentia do motor 1,4 de 86 cv mas que continua em produção com o nome de Punto Attractive 1.4, por 39.290 reais.

Os Puntos com os novos motores chamam-se Essence 1.6 16V e Essence 1.8 16V, o de motor maior oferecido também com o câmbio robotizado Dualogic, antes indisponível no modelo. Custam, respectivamente, 44.190, 46.250 e 48.750 reais.

Com motor 1,8-litro também continua o Punto Sporting, tanto com caixa manual quanto com Dualogic, por 51.200 e 53.730 reais, na ordem, sendo o mais caro de todos o T-Jet, de 64.670 reais.

A Fiat estima que 40% dos Puntos serão Attractive 1,4, 40% 1,6 16V E.torQ, os demais 4% a 5%. No Punto  "de entrada"  o ar-condicionado é opcional, mas a Fiat oferece um pacote que inclui o equipamento mais vidro do pára-brisa com faixa degradê, desembaçador e ajuste do volante em altura e distância por somente 1.290 reais. No Essence 1,6 16V e versões acima o ar-condicionado é de série.

Amanhã (quinta 1/7) iremos andar nos novos Punto no Autódromo Internacional de Curitiba. Depois eu conto.

BS

29 comentários :

  1. Seu Buce Fietero30/06/10 19:04

    Agora vai!

    ResponderExcluir
  2. Impressionante como são bonitos os FIATs atuais do Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Arnaldo Keller30/06/10 19:39

    Bob,

    me impressiona o Punto precisar de 132 cv para atingir só 191 km/h de máxima e 117 cv para 182 km/h.
    Tendo essa pequena área frontal, subentende-se que o Cx dele deve ser péssimo.
    Aproveita e pergunta aí pra Fiat qual é o Cx desse carro, por favor.
    Achei ótimas as mudanças. O 1,8 da GM me pareceu xoxo pacas no Punto que guiei. carro bom, mas faltava motor.

    ResponderExcluir
  4. Arnaldo Keller,
    No meu teste do Punto para o Best Cars, no lançamento (agosto de 2007), o Cx jã foi informado: 0,34. Meio ruinzinho mesmo. Na época foi explicado que o desenho jã atende às normas da União Europeia de proteção a pedestes, com o capô alto, mais afastado do motor.

    ResponderExcluir
  5. Scheidecker.
    O estilo do Punto é mesmo superlativo na minha opinião.

    ResponderExcluir
  6. Enfim o belo Punto vai ter um motor à sua altura, e aparentemente com um bom torque já em baixa rotação para não haver a necessidade de relações muito curtas de câmbio. É só esperar e ver se a Fiat não vai escorregar no tomate subaproveitando o novo motor.

    ResponderExcluir
  7. Espero que as relações de marcha dele sejam bem calculadas. A italiana tem uma mania enorme de reaproveitar as engrenagens em toda a linha. Dos 1.0 aos 1.8, muitas relações de marcha são iguais, só mudando o diferencial.

    Também devo dizer que faltou levar o motor 1.4 Evo ao Punto. Ele merece !

    ResponderExcluir
  8. Arnaldo,

    A dúvida do Cx procede,

    Os nossos Escort 1.8 16 v , carro largo e espaçoso, dava 200 fácil.......... com 115 cv e cx anunciado maior que esse 0,34

    Algo está confuso

    Quando testei o T-Jet, que tem inclusive um pacote aerodinâmico semelhante ao Punto Abarth, o bicho acima de 150 fazia força contra o vento, muito diferente de um Marea Turbo repotenciado que testei pouco antes,que andava liso,relado a 160/180.

    Outro amigo( ex piloto) testou o Punto HLX 1.8 antes de optar por um Palio 1.8 R. O Palio, que não é nenhum primor em cortar vento, foi considerado assim pelo amigo, afiadíssimo que sempre foi : " O Punto é o Palio com uma âncora amarrada "

    O Arnaldo tem razão, na prática a teoria está parecendo outra, Voyage puro...

    No aguardo do teste do Bob

    ResponderExcluir
  9. Marcelo Augusto30/06/10 22:01

    Pergunta pra eles porque o Departamento de Depenação e Finanças não oferece nosso ponto com direção elétrica Dual Drive como o resto do mundo desenvolvido.

    ResponderExcluir
  10. Bob,

    Leiaa essa matéria:

    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/06/30/carro-que-vira-aviao-em-30-segundos-aprovado-nos-eua-917020261.asp

    O melhor dos mundos não?

    ResponderExcluir
  11. Não entendo os marqueteiros. Por que o termo Essence (gasolina em francês) se o carro é flex ou é para dizer mesmo que ele é a gasolina. Se queriam dizer que o carro tem o essencial por que não o chamaram de EX como o resto da linha. Esses marqueteiros só sabem complicar e de nada valorizaram o produto. Já tem a propagando do Siena EX pronta era só aproveitar, mas não, vem eles com o tal de essence. Será que é por que o carro está acima da média. Ou foi um computador que escolheu o termo...

    Sds,

    Cristiano.

    ResponderExcluir
  12. Arnaldo Keller01/07/10 08:37

    Bob,

    acredito que essa taxa de compressão baixa para motores flex é porque pretendem exportá-los. Então, dão uma acochambradinha e vai assim mesmo. Fica jogando álcool pelo escape e boa.
    Mas nada que o marketing não resolva com umas faixas e uns nomes instigantes.

    ResponderExcluir
  13. Mister Fórmula Finesse01/07/10 09:21

    Quando do lançamento do Punto, eu dirigi o sporting 1.8 sem saber qual o motor certo....juro que pensei que estava guiando a versão 1.4 - que eu nunca dirigi - e isso se traduziu em certa decepção no rosto do gerente de vendas que me cedeu o carro.

    De resto, era um carro excelente!

    ResponderExcluir
  14. Brenno Metzker01/07/10 12:39

    Finalmente o belíssimo Punto, vai ter um motor 1.6 (leia-se melhor, mais moderno e mais potente do que o da VW), para enfim brigar em igualdade com o Polo, outro belíssimo carro na minha opinião. Acredito que pode valer a pena um comparativo dos dois agora que o Punto vem equipado com esse novo propulsor, afinal são dois compactos premium.

    Abração a todos

    ResponderExcluir
  15. Polo, compacto premium.... Para mim só tenho uma palavra para o Polo: desconfortável. A empresa que trabalho utiliza VW Polo em sua frota (sedan, 1.6 completo), e, para mim, não tem nada de interessante. Os bancos são duros, a cabine tem um interior muito ruidoso e a caixa de câmbio tem ruído de rolamento ruim. Sei lá, não andei de Punto ainda, mais, no quesito conforto para mim o polo deixa muito a desejar.

    Sds,

    Cristiano.

    ResponderExcluir
  16. Brenno Metzker01/07/10 16:18

    è Cristiano, tive a oportunidade de andar em ambos, o Polo sempre manteve aquele conjunto motor+câmbio, agradável, embora um tanto ruidoso. Mas ambos são classificados se não me falha a memória, como compactos premium. Acredito que na linha VW, o Polo só fica atrás do acabamento do Golf.

    Abração

    ResponderExcluir
  17. Brenno Metzker01/07/10 16:21

    Acabei esquecendo de falar, realmente o Punto é bem mais confortável do que o Polo, mas não achei o Polo tão desconfortável assim, só parecia ter um conjunto de suspensão mais rígido realmente.

    ResponderExcluir
  18. Lucas Santana01/07/10 16:28

    Bem, eu já tive a oportunidade de andar tanto no Polo quanto no Punto, e para dois hatchs que são considerados 'premmium' o acabamento deixa a desejar. E ratificando o que Brenno disse, o polo realmente parece ter um conjunto de suspensão mais rígido, o que parece tornar o punto mais confortável que este.

    ResponderExcluir
  19. Marcelo Augusto, também gostaria de saber o motivo de o Punto não ter a direção Dual Drive.
    E, pelo que sei, conjuntos de direção elétrica chegam até a ser mais baratos que a hidráulica convencional, uma vez que dispensam bomba acionada pelo motor, tubulações e outras coisas. Fora isso, quando bem administrados permitem inclusive diminuir diâmetro de giro (vide Fusion reestilizado em comparação com o original). Claro que sempre há o péssimo exemplo do Citroën C3 e seus 11,5 m, mas aí serve para mostrar o que não se deve fazer com uma direção elétrica.

    Outra grande vantagem da direção elétrica é que a assistência por velocidade fica facilitadíssima. Uma direção hidráulica precisaria ser do tipo Servotronic, e portanto mais complicada que uma convencional, enquanto um motorzinho elétrico pode até ser desligado dependendo do grau de dureza que se quer dar a uma determinada velocidade.
    Porém, parece que a Fiat quer porque quer fazer uma preza com a DHB ou outro fornecedor de sistema convencional de assistência.

    Em todo caso, a favor do Punto temos a suspensão muito bem acertada, os freios e outros detalhes. Atualmente compraria um.

    ResponderExcluir
  20. Marcelo Augusto01/07/10 18:38

    Anônimo 01/07/10 17:35

    É isso mesmo, a Fiat usa agora até direção hidráulica de série no Palio mais barato. Imagina como sai barato esse mundo de sistemas de direção comprados da DHB.

    A elétrica do Stilo é fabricada pela TRW, pode ser que seja até importada. É claramente questão de economia não aplicar ao Punto.

    Como disse o Zullino, o resto da engenharia de fora vem sempre para aqui, desde os primórdios da indústria. Antes alegavam que era porque o mercado era pequeno. Agora a desculpa não cola mais.

    Uma importação com tarifa justa, não ia vender um carro nacional.

    ResponderExcluir
  21. Se o Punto ja fosse em 2009 com esse motor, eu ficaria em duvida de comprar o Polo ou o Fiat.

    O Polo e fantastico....faz meu gosto 80 %....falta so um motor mais girador...porque torque tem de sobra.

    ResponderExcluir
  22. Pois é, para um "premium" o acabamento é bem ruinzinho. Principalmente do Punto.

    Mas vendem até Sandero como premium, então estamos todos perdidos.

    Esse motor promete ser delicioso. Finalmente um 16V novo. Já encheu o saco os 8V do nosso mercado. Ásperos, ruidosos e fogo de palha.

    Pra variar, o preço veio carregado. R$ 40.000,00 num Uno "completo" com abs e airbag e R$ 60.000,00 num Punto?

    Falaram no conforto do Polo. Prefiro o Polo ao acerto da Fiat, com suspensão molenga e bancos molengas.

    ResponderExcluir
  23. Punto não tem suspensão macia, quem tem é o Palio. Punto esta na medida certa.

    ResponderExcluir
  24. Conforto do Polo para mim no quisito suspensão está correto. Gosto de carros duros, tenho um sedão francês que não é dos mais macios. O problema, no meu ponto de vista do polo em relação ao conforto é:

    - Ruído em execesso do conjunto motor câmbio;

    - Ruído de rodagem excessivo do eixo traseiro. Se vc está sentado na frente e quer com uma pessoa de trás tem que se espixar entre os bancos para entender o que se está falando;

    - Bancos traseiros demasiadamente duros;

    - Banco do carona (sempre com o motorista da cia) sem apoio lombar. Se ficar sentado no carro durante 3 horas irá perceber isso.

    Por isso o polo não me alegra. Uma vez ao ano viajo de carro. São 20 horas de viagem. Imagino multiplicar meu drama de 3 horas por 7 vezes. Meu frances 95 me entrega ao fim do percurso pronto para mais 20 horas.

    Sds,

    Cristiano.

    ResponderExcluir
  25. Também achei estranho o Punto de 132 cv atingir só 191 km/h e o de 117 cv só 182 km/h, enquanto o Polo com seus contidos 104 cv atingir 189 km/h.

    ResponderExcluir
  26. Gostaria muito de ver uma avaliação feita por algum de vocês do blog autoentusiastas, quando sai? hehe

    ResponderExcluir
  27. Bob,
    O motor foi "capado" em alguma coisa??? variação de fase (comando, coletor) ou os Tritecs dos Mini também não contavam com estes recursos?
    Em comparação ao 1.6 do Cerato ficou devendo na matemática, mas como o Marcus falou "esta matemática" às vezes não corresponde com a realidade.

    Cristiano,
    O Polo que você andou é carro de locação? Pergunto porque tenho um Polo e não consigo perceber estes problemas. O ruído original (motor/câmbio) da linha VHT me agrada muuito.
    Não consigo colocar um defeito nesta suspensão, firme do jeito que eu gosto. Quanto ao apoio lombar isto não é exclusividade do Polo, mas como motorista também não percebo este problema. Inclusive tem mais apoio que o 307 (carro da minha respectiva).
    Bom, sou suspeito pra falar, já é o meu 3º Polo, tenho o carro desde 2004.

    Abs

    ResponderExcluir
  28. E a história se repete...

    "Quem também perde o GM 1,8 e ganha o E.torQ 1,6-litro é a toda a gama Adventure de exportação, como Strada, Palio, Idea e Doblò."

    Quanto aos valores... isso "vareia" muito... no início do ano estavam entregando os últimos T-Jets 09 por 51.500!!!

    Bob, estamos ansiosos pela avaliação!

    Abs

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.