QUE TIPO DE AUTOENTUSIASTA VOCÊ É?


Uma das coisas mais legais de um blog é o espaço para comentários, que proporciona duas vias na comunicação, sempre acrescentando e enriquecendo o que nós escrevemos diariamente aqui. Quem aqui não é de uma época anterior à internet, onde só encontrávamos informações sobre automóveis em revistas? E quem não ficou com vontade de, ao final de um artigo, poder conversar com quem o escreveu, debater mais o assunto? Agora é possível, em nossos dias de bits e bytes.
Tenho reparado em vários comentários algum desapontamento quando o assunto é sobre algum carro simples, mundano. E um certo agito quando falamos, por exemplo, de Opala V-8. Natural, a velocidade é algo entusiasmante mesmo, e, deixando um pouco o politicamente correto de lado, quem aqui, leitor do nosso blog, nunca acelerou seu carro a fundo?

Sem maiores elocubrações, dividiria os Autoentusiastas em duas classes, os de entusiasmo mais estrito e os de entusiasmo mais abrangente pelo mundo automotor. Autoentusiasta latu sensu? É por aí mesmo, e é aí que me enquadro.

Sou daqueles que tem entusiasmo até com  Asia Towner. Ou viajando de ônibus. Ah, na primeira fila dos antigos Cometa, aquele painelzaço com tantos instrumentos quanto um avião, na primeira subidona o manômetro de pressão do turbo ia no fim da escala e o Scaniazão lá atrás cantarolando como se nem fosse com ele.

E quando finalmente, com 20 e poucos anos e no auge do Fiatismo, consegui achar o Uno R (usado, novo a grana não dava) que eu tanto queria? Motor 1,6 a álcool, ano 91 (antes do catalisador, 2 cavalinhos a mais!) e branquinho. Ah, precisava provar para o mundo inteiro que o Fiatinho era capaz de fazer frente aos XR3, GTS e GS que lhe provocavam. Na verdade não era muito capaz não, mas e daí?

E nos aeroportos? Aviões são todos tão parecidos, só mudam de tamanho. Não para um Autoentusiasta empedernido como o que vos fala. O 737 é 700 ou 800? Tem winglets? Versão SPF? Outro dia fui visitar o Salão em São Paulo e compramos passagem da Azul. Legal, vou voar de Embraer 190!

Ainda que meio sem tempo por causa de outros compromissos, mantenho em minha garagem um Opala V-8 que é uma verdadeira cadeira elétrica, já que acelera 0-100 em menos de 8 segundos (com pneus decentes acredito na marca de 6 flat), e um Uno turbo. Isso já mostra que também gosto, e muito, de velocidade. Mas não só de velocidade.

E vocês, que tipo de autoentusiasta são?

AC

81 comentários :

  1. AC

    Por favor, escreva posts sobre esses seus brinquedos.

    Eu sou um entusiasta do tuning, ou seja da preparação. Quem perverteu o significado dessa palavra foi oi a série Lentos & calmos.

    Quando olho pra qualquer carro já imagino como ele ficaria com alguma malvadeza mecânica.

    ResponderExcluir
  2. AC,

    Meu autoentusiasmo é bem parecido com o seu e com o do amigo acima. Gosto de perceber detalhes e ouvir aquilo que os carrinhos mais tímidos tem a dizer. Sempre revelam alguma surpresa. Tambem sempre imagino esse carrinho timido "armado pra guerra" e como ele se comportaria entre outros maiores!

    Acho q só se entusiasmar com supercarros e V8s gigantes é muito fácil.

    Mas, contudo, um post sobre um Opalão V-Oitão seria bem vindo demais!

    abs,

    ResponderExcluir
  3. Francisco V.G.27/11/10 16:36

    AC
    Sou mais ou menos igual a você. "Mais ou menos" pois ninguém é igualzinho a ninguém já que existem tantas nuances e vertentes. Você falou no ônibus e eu senti a mesma coisa que você, a diferença é que o motor estava na frente pois se tratava da carroceria Ciferal Líder. O motorista ia isolado dos passageiros através de uma divisória com porta de acesso à sua cabine. Do lado direito existia uma poltrona que sempre ia vazia. Entre os dois, o motorzão Scania 110 que fazia um barulho que até hoje me arrepia, o assobio da turbina era um espetáculo. Bons tempos aqueles...

    ResponderExcluir
  4. Tiago Nobre27/11/10 16:40

    Acho que meu entusiasmo coincide com o seu, AC. Sou vidrado em qualquer tipo de meio de transporte, no céu, na terra e na água. A única coisa que me afasta é a falta de tempo.

    Curiosamente também tive/tenho minha fase fiatista, e não faz muito tempo que também pude realizar o desejo de ter um Uno Turbo.

    A propósito, fazendo coro ao primeiro comentário, comente mais sobre suas máquinas, em especial o Uno Turbo, pois até hoje não vi um post exclusivo sobre a nossa máquina.

    Se puder, visite o clube: www.unoturbo.com.br

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Acho que você pode ver lados bons em tudo, um Uno 1.0 PELADO não é nada entusiasta? Será?

    Como eu falei no post, só me vem a cabeça, o quanto o bixinho é leve...

    Ser entusiasta de grandes esportivos, com números absurdos é fácil, o prazer mesmo esta em desvendar o bom por trás do normal...

    ResponderExcluir
  6. AC,

    Como diz o Bob Sharp, acredito que o entusiasmo deve vir mais do motorista que da máquina.

    O prazer da condução alegre e ao mesmo tempo suave, do risco bem calculado, do vigor de uma aceleração forte executada no momento certo, de uma curva bem-feita.

    Prefiro andar num Celta bem conduzido do que num Porsche guiado por um asno.

    Abraços,
    Fernando Silva

    ResponderExcluir
  7. Eu também sou entusiasta genérico, gosto e admiro qualquer tipo de carro que seja legal com uma leve queda por lambos V12 por culpa de um poster do countach que tinha no meu quarto quando pequeno.
    Também fiquei curioso sobre essas suas maquinas...

    ResponderExcluir
  8. AC,

    Meu interesse principal é design e suas soluções. Há carros que não tenho a menor idéia do recheio, mas me fascina a escultura, o brilho sobre a pintura, as soluções por conta de espaço no interior, etc. E não só carros. E não só transportes.

    Sou do tipo que desmontava o rádio da avó quando pequeno pra ver como era dentro, e - quase sempre - bolava uma casca nova, feita desde papelão até madeira.

    ResponderExcluir
  9. AC,
    Seu texto me fez lembrar também da primeira vez que viajei de avião.

    Estava observando fixamente pela janela por um bom tempo já, quando minha companhia perguntou se dava pra ver alguma paisagem.

    Eu respondi que não, apenas estava vendo como funcionavam as aletas e demais sistemas da asa e sua reação na aeronave. Quase um nerd.

    ResponderExcluir
  10. Po, viajei esta semana num Cometa CMA Flecha Azul praticamente tive orgasmos entusiásticos, com o perdão da palavra. Como pode um ônibus ter tanta estabilidade naquela velocidade!? Fora ver caminhoneiros, motoristas de ônibus e até alguns outros carros buzinando para o "Rei da Estrada"... Valeu as 6 horas!

    ResponderExcluir
  11. Meu entusiasmo meeeeeeeeeeeesmo, é por carros antigos. Qualquer coisa, por mais simples que seja ( como um Fiat 147, um Fusca, ou um Corcel, só para dar uns exemplos), quando em estado de absoluta originalidade e conservação, me levam a loucura. E se os vejo detonados, a vontade de restaurar é imediata. Sou muito fã dos nacionais antigos. Ainda entre os antigos, a grande paixão são as enormes barcas americanas dos anos 40, 50, e 60, especialmente as dos 50. Seu design rebuscado, cheio de detalhes, sua imponência, seus cromados, o acabamento esmerado, enfim, tudo nestes carros, me fascina. Se eu tivesse um, digamos, Dodge Custom Royal 57 impecável, poderiam me oferecer um Lambo ou uma Ferrari 0km em troca, que eu nem me abalava. Em segundo lugar em termos de entusiasmo, estão os grandes sedãs de luxo atuais. Poderia também citar outras categorias de carros, mas estas duas são as que me entusiasmam mais. Outras máquinas? Nenhuma chega nem perto de me atrair como os automóveis, embora eu tenha uma vontade enorme de voar em um caça da Segunda Guerra.

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  12. eu tb sou como a maioria aqui, gosto de tudo: empilhadeira, carrinho de supermercado, carrinho de mão, patinete, ônibus, metrô, bicicleta.

    ResponderExcluir
  13. Cruvinel

    "Sou daqueles que tem entusiasmo até com Asia Towner. Ou viajando de ônibus."

    Então somos dois: não há nada melhor do que explorar os limites de qualquer máquina, por mais prosaica que seja.

    Tem coisa mais legal do que "dar espanco" em carro com motor de 1 litro? Motorzinho pequeno girando que nem louco, aliado a um câmbio bem escalonado, freios que suportem duas ou três alicatadas realmente fortes e pneus fininhos, que exigem uma tocada suave...

    E tem gente que acha que é legal ter motor grande, pra trocar marcha a 3000rpm... Freios com muita assistência e com ABS, rodão aro 20 com pneuzão 295... É outro tipo de entusiasta.

    Um amigo meu gosta de acompanhar carros modernos nas curvas a 120 km/h, de Fusca! O tesão dele é justamente esse: qualquer carro moderno tem uma margem de segurança, mas no Fusca não, você está ali no fio da navalha, com a emoção constante de saber que se você errar, vai virar purê...

    Sobre o ônibus: adoro viajar de ônibus velho que tenha um Scania D11 "pendurado" na parte traseira. Realmente, o assovio da turbina soprando é uma coisa fenomenal. E tem gente que não vê entusiasmo em motores de ciclo Diesel.

    FB

    ResponderExcluir
  14. Pra mim não importa se estou dirigindo um Gol BX ou um Ford Focus, mas saber que estou tirando tudo o que posso daquele carro, pq não importa o que vc dirige, mas sim como dirige...

    ResponderExcluir
  15. Ainda viajo de Cometa! Sempre gostei de andar de ônibus porém nunca tive a oportunidade de pegar um desses. Qualquer dia pego um pra Piracicaba como uma pamonha e volto...

    Os carros top serem tudo isso não é mais do que a obrigação. Legal é você ver algo que da o máximo que poderia com aquilo que tem. Como uma tocada forte num antigo, no fio da navalha mesmo como o amigo disse. Isso não tem preço.

    ResponderExcluir
  16. Alexandre,
    Sou parecido com você. Tudo que tenha motor me atrai, e os roncos então... abaixo o rádio se estou perto de uma Ferrari, adoro o ronco das motos quatro cilindros, de um GMC marítimo.
    Um gaiola feito com motor de XL 250 ou um Porshe Targa, para mim proporcionam um prazer sempre novo.
    Acelerar meu Fusca em Interlagos, nas provas de regularidade é demais.

    ResponderExcluir
  17. Túlio Lima27/11/10 19:05

    Eu sou da turma do Lato Sensu Cruvinel.

    Da que vai para o aeroporto e se encanta toda vez que vê um avião pousando/decolando e até taxiando quando não tem fingers.

    Sou também do tipo que não quando vê um ônibus ou trator com motor funcionando sem ninguém, fica com vontade de sair andando e devolver depois de um passeio com ele.

    Também concordo com o Bitu que qualquer máquina pode ser divertida. Muitos falam que motor de 1000cm³ de cilindrada não presta e que é fraco. Não sabem que a "faixa vermelha do velocímetro indica que você está indo bem".

    Ônibus é uma coisa fantástica se for bem operado. Mas quando é agredida pelos "motoristas" urbanos me dá muita raiva. O transporte de gado é feito de forma mais suave que o de gente.

    ResponderExcluir
  18. Tenho especial paixão por carros com alguma preparação e motos. Se roncar bonito então é o deleite. Considero como parte fundamental de qualquer coisa que tenha motor uma sonoridade legal.
    Amava de paixão minha alfa 155, marea weekend 2.0 e palio 1.6 16v, todos com filtro esportivo e que berravam pela admissão, sugando o ar com a alma, se é que nossos queridos carros a tem. Por falar em som, tem um vizinho com uma Cherokee V8 com o escapamento livre, que é uma verdadeira sinfonia...
    Algumas pessoas me olham espantadas quando falo que gosto de carro 1000. Acho um prazer faze-los andar muito bem com tão pouca cilindrada.
    Basicamente não admito uma coisa: falta de correspondencia entre o comando dado e a resposta do veículo. Essa falta de fidelidade me tira completamente prazer de dirigir. Por isso temho ódio mortal do aceleradores eletronicos. Dirigi num curto espaço de tempo um fusca 1300 78 e um Gol G5 1.0 novo. No primeiro parecia que tinha um vidente no motor, dada a fidelidade entre o que me pé comandava e a resposta do motor. No segundo..., bom, basta dizer que foi o carro menos prazeroso que dirigi até hoje.

    Também aprecio muito o som de uma turbina aspirando o ar. Com a pequena IHI que meu santana tinha, vir com carga média no acelerador e deixar a turbina assim trabalhar e sugar o ar como uma maluca, bom demais!!

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  19. Vc possui carros muito bons na garagem em! (meus preferidos entre os nacionais!)
    Eu me considero um entusiasta de carros "exoticos", tanto q possuo um site sobre os exoticos de Belo Horizonte - www.bh-exotics.com - mas gosto de qualque coisa q tenha 4 rodas, um motor q gere um ronco gostoso e seja capaz de suprir a necessidade de adrenalina!

    ResponderExcluir
  20. adoro carros, mas sempre com um up, depois de muitos ap turbo, a 1 ano c/ omega 4.1 turbo, nada de muito especial, só pra compensar como deveria ser, sempre original por fora.
    outra paixão mais recente são os simuladores, tendo um equipamento bacana no pc, longe de ser real, mas da pra aplicar muito coisa, e diversão na certa, fica a dica pra quem não gosta de jogos e nunca experimentou um simulador no pc, tendo um bom volante, vale a pena.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Po... UT é um carro endiabrado, apenas a lata é a mesma do Mille. Pena ser difícil de encontrar um em bom estado hoje em dia.
    Se eu tivesse grana e idade na época, eu teria comprado um 0km, mas ainda suspiro quando vejo um.

    Concordo que qualquer carro está valendo, só torço o nariz para as pessoas que falam mal do meu mille.

    ResponderExcluir
  23. Sou entusiasta do tipo "sem derrubar uma cota do copo d'água no painel".

    ResponderExcluir
  24. Gabriel, também curto dirigir assim, gosto demais de cuidar da criança, conduzir a viatura com capricho e cuidado.

    Mas de vez em quando, em uma rodovia razoávelmente boa, eu piso só um pouquinho a mais,rs

    ResponderExcluir
  25. Sou daqueles que gosto de tudo que tem motor independente de que tipo, seja ele a gasolina, ar comprimido, diesel, avgas, álcool, cerveja, naftalina, a corda, água, rolimã, queda livre...Porem sou muito chato no que tenho como padrão minimo do que se diz respeito a carro. Já andei em muitos modelos, marcas, de varias épocas, motorizações, tipos de trações e por ai vai, e tenho como base um padrão próprio que adquiri justamente tendo como referência cada modelo que já andei melhor e pior de cada geração e categoria, em seus respectivos lugares.

    Por exemplo já cheguei a ter 4 carros totalmente diferentes na garagem, são eles: Opala 1977 SS original placa preta, Fusca 1969 totalmente modificado com direito a um belo motor Pauter 2.4, Turbo com injeção eletrônica, sub chassis incorporado com um a suspensão independente traseira de quase 500cv, Gol G2 1996 1.6 2p com VW 2.0 16v, turbinado, todo trabalhado em cada ponto necessário com quase 400cv, outro Golzinho 2003 original 1.0 pro dia a dia e, do qual todas as modificações euzinho mesmo fiz na garagem com toda a paciência, prazer e dedicação do mundo, como meus próprios filhos.

    Dirigir é um prazer tão grande que eu realmente não consigo descrever exatamente, porem para mim o melhor de tudo e descobrir, escutar, sentir, testar, de se fundir.

    ResponderExcluir
  26. Guilherme M.27/11/10 20:49

    Não tenho muitas preferências, pra mim, o motor tem que ter curva de torque plana, facilidade de subir de giro e ronco quase agudo e encorpado.
    Agora o carro em si, prefiro os ultra leves, tipo o Chamonix 550 ou Caterham Seven, embora um Uno tenha o seu valor, estabilidade, leveza...

    Sou do tipo que olharia o belo painel de uma Ferrari e diria: "muito bonito, mas sinto muito, vocês não estão em um bom lugar", pegaria minhas chaves, retiraria-os de dentro do habitáculo e guardaria-os cuidadosamente em minha garagem.

    E também não gosto desses filtros entre motorista e carro (ESP, controle de tração, de largada) Sendo talvez aceitável o ABS.

    Ou então tração nas quatro rodas, centro de gravidade baixo e estrada de terra em volta. Nesses moldes ja tenho o meu preferido: Subaru Impreza. Ferrari ou Lambo? Adoraria dirigir um, passar uma tarde desfrutando deles em um circuito, mas minha verdadeira paixão é por um Impreza em uma pista bem escorregadia e que mais parece sabão.

    ResponderExcluir
  27. Eai Bob, beleza?

    Não apenas você, mas eu e mais alguns entusiastas tanto que acompanham o blog quanto mal saibam o que é internet direito ainda, sabem apreciar qualquer que seja um veículo, vamos dizer.

    E claro, curto muito towners e qualquer van ou pickup dessas que vem lá do estrangeiro, não corre, mal faz curva e capota que é uma beleza, mas tem seu charme. Aliás, todo carro tem seu charme, seu ponto positivo, sendo esses (A Towner, etc) é sei lá! são bacanas e aprecio muito.

    Claro que também "venero" muitos possantes de vários tipos e tamanhos, um deles que ainda não cheguei a ver por aqui ainda é o NSX, dos faróis escamoteáveis ainda. Dizem que os japoneses consideravam ele como o 'anti-ferrari' não é?

    E aqueles Scanias e Volvos antigões? Os cavalinhos também me enche os olhos quando vejo um inteirinho, cheio de luzes (a noite... ) e claro, com as frases de caminhoneiros.


    abraços

    ResponderExcluir
  28. Tonico Dias27/11/10 21:34

    Eu sou entusiasta de carros da Alemanha. Precisos e lindos. Mas sou do tipo que percebe se a a lanterna do Mille Economy 2009 ficou diferente do 2010 ou se a a grade do 911 turbo 2010 eh diferente do anterior. Enfim, preferencias a a parte, a a paixao eh com carros.

    Abs

    ResponderExcluir
  29. A maioria que comenta, e alguns dos autores aqui, é mais ou menos do naipe desse "entusiasta" aqui, que matou uma jovem inocente em SP.
    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/11/imagem-exibe-violencia-de-acidente-em-avenida-da-grande-sao-paulo.html
    Essa é a triste realidade de nosso trânsito, mas alguns "esclarecidos" aqui acham que Lei de trânsito, limite de velocidade e fiscalização eletrônica é pilantragem desnecessária. Bastaria deixar tudo por conta do "bom senso" do "entusiasta". Deveriam usar o espaço para incutir a importância da obediência à Lei, mas preferem; em especial o CHE e sua cruzada anti-Lei; bancarem os "revolucionários" pró-entusiastas, sempre favoráveis a mas liberdade para os "pobres" e "conscientes" motoristas brasileiros em face do desonesto e corrupto Estado brasileiro.
    Eu gosto do assunto automóvel, mas definitivamente não sou "entusiasta". Respeito a Lei.
    Tenho vergonha na cara.

    ResponderExcluir
  30. mas históricamente falando não se pode exigir muito de uma cultura q mal tem 300 anos de letras, ou seja, uma cultura recém-letrada, onde o que é falado e o que é escrito tem mais ou menos o mesmo peso, se comparado a cultruas com milênios de escrita, um dia a gente chega lá.

    fiscalização eletrônica? vai ver a empresa que ganhou a licitação na sua cidade e vai ver que relação elas tem com os políticos da mesma, quanto elas doaram nas últimas eleições, é tudo carta marcada, vai desde do olho de gato, passando pelas placas em excesso, até os radares, corrupção ainda prevalece, democracia, cada um defende o seu, democracia com pouco estudo, tem coisas q só o tempo resolve

    ResponderExcluir
  31. Anônimo de 27/11, 21:58
    Você só disse besteira, é lamentável o seu entendimento do que é segurança no trânsito. Se eu vê-lo ao volante, passo longe.

    ResponderExcluir
  32. quem é o diretor ou chefe de trânsito da sua cidade? é o funcionário de carreira? é o cara que entende? não é, é alguém indicado, que muda a cada eleição, geralmente alguém que mal entende do assunto, filho de ciclano, marido de fulana, o guarda municipal da sua cidade não sabe sinalizar, não entende nada de trânsito, a única coisa q funciona nas cidades do interior é o zona azul, as multas, acho q na maior parte do brasil deve ser assim, vc compra equipamento com radar, conversa com a prefeitura, define os pontos pra se instalar, ganha uma bela %, outra empresa finge que calibrou corretamente, e assim vai, multa as placas de fora

    ResponderExcluir
  33. Anônimo de 27/11, 21:58
    Se você e a moça que morreu, ou o motorista, lessem o AUTOentusiastas, teriam lido em algum post que não se atravessa cruzamento sem olhar para o tráfego transversal em qualquer hora do dia e da noite, com sinal verde ou sem sinal nenhum. Agora, a pergunta, pois não dá para ver no vídeo: será que o carro tinha película escurecedora? Pelas probabilidades, tinha, pois a maioria dos carros tem película hoje. Uma coisa lhe digo: eu e minha família jamais sofreremos acidente desse tipo. Cruzamentos são perigosos e devem ser atravessados com toda cautela do mundo. E em complemento ao que eu lhe disse no comentário anterior, entusiastas são mais cautelosos do que quem apenas dirige, certamente o seu caso.

    ResponderExcluir
  34. eu diria que o AUTOentusiastas tem tanto zelo pela vida quanto pelo carro, por isso evita e sofre menos acidentes

    ResponderExcluir
  35. faivic
    É evidente que sim. Mas há quem ache que AUTOentusiasta é um aloprado e desrespeitador. Talvez influência do "Velozes e furiosos".

    ResponderExcluir
  36. Brenno Metzker27/11/10 23:59

    Sem dúvida, daqueles entusiastas que chegam da faculdade e "bate" ponto em uns 6 sites sobre automobilismo pra ver o que há de novo. Daqueles que se empolga com os posts do AutoEntusiastas como se falasse dele mesmo. Daqueles que os amigos que são apaixonados por carro chamam de maluco por saber as tabelas, pesos e cavalaria dos automotores de cor.
    Daqueles que pega um motor 1.0 e ainda assim se surpreende com uma saida mais forte ou uma pisada com a faixa de torque no lugar certo....Enfim, essa é a nossa vida não tem jeito.

    ResponderExcluir
  37. não acho que seja "Velozes e furiosos", claro q talvez tenha contribuído pra isso, mas se for pensar assim, todo militar ou ex militar é o louco rambo.
    acho q essa opnião de quem gosta de carro/motor/velocidade é louco vem daqueles que simplesmente não curtem ou enxergam carro apenas como simples meio de transporte, daqueles que pensam q carro só da gasto, etc, o simples preconceito por nao entender algo que eu diria quase nato

    ResponderExcluir
  38. Sou entusiasta de verdade, não só ao volante, mas em pequenos detalhes que muitos ignoram como um simples parafuso do motor.

    Bob, estou melhorando na hora de falar os nomes, ainda esqueço de vez em quando, mas estou me esforçando.

    http://www.youtube.com/watch?v=Ql7LhggA29I

    ResponderExcluir
  39. mas já que o assunto é o puro AUTOentusiasta, e aquela propaganda do Camaro com barão vermelho... patcha que la vida, que merd* é aquela, alguém me explica a propaganda?

    ResponderExcluir
  40. Alexandre,
    Legal o vídeo, bem didático. Muito importante, o goniômetro para o aperto angular. Não se preocupe com os termos, no coloquial é assim mesmo. Só no texto escrito é que se deve usar o correto. Como 'árvore de manivelas' é extenso, pode-se usar o sinônimo virabrequim sem problema. Continue firme que esse é o caminho.

    ResponderExcluir
  41. Bob, esse assunto ferramentas e conhecimento técnico seria uma boa um dia aqui dentro.

    Tem muito picareta no mercado, a pessoa leva o carro para uma revisão, ele sai pior do que quando entrou.

    Uma simples troca de correia pode matar o desempenho de um carro, fazer consumir mais e etc...

    ResponderExcluir
  42. Sou assim: Gosto de carros, motos, barcos e aviões, sempre ficava na calçada olhando os carros passarem desde criança, quando andava de ônibus ficava sempre nas cadeiras do mesmo lado do motorista, só pra olhar os carros passando ali do lado, tenho a coleção completa de Motor 3, inclusive o especial de 100 anos do automóvel publicado em 1986, e estou comprando pela internet algumas edições repetidas que estão mais desgastadas na minha coleção, comprei os 3 livros sobre a história do automóvel do José Luiz Vieira, leio a QR desde 1982, visito todos os sites e blogs que conheço sobre carros todos os dias, e, parece exagero mas levo por volta de 4 horas para lavar e encerar meu carro, chego a usar até cotonetes para limpar as saídas de ar do painel, e sempre com produtos de primeira linha da Meguiars, bem, entre outras coisas, é isso.

    ResponderExcluir
  43. Eu sou um AUTOentusiasta bem prático. Se eu sou vítima das leis que defendo, basta sair reclamando aos quatro ventos para obter solidariedade de gente igual a mim. Se eu vejo algo no trânsito que não me agrada, inicio uma campanha para que isso mude e fique do meu agrado. Tudo bem, eu até cometo umas infrações de vez em quando (usar o celular enquanto dirijo e desrespeitar os limites de velocidade), mas fazer o quê se as leis são burras e eu acho que tenho capacidade suficiente para dobrá-las ao meu favor?

    ResponderExcluir
  44. pro pessoal aqui do blog:
    sorte de quem comprar nossos carros.

    nós que cuidamos bem!

    ResponderExcluir
  45. Meu entusiasmo é por carros antigos e tudo o que os cercam. Principalmente os brasileiros...
    http://antigosverdeamarelo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  46. Fiatentusiastas,

    Esse fivetech tá de babar!

    parabéns pelo capricho na montagem.

    ResponderExcluir
  47. Acho "AUTOentusiastas" muito bom !!! Os assuntos e a maneira que são abordados são perfeitos para quem realmente é apaixonado pelo auto, antigo e etcs, "automobilismo" Os profissionais que participam são do maior nível existente no Brasil, "DOUTORES", Abraço para o Dr. Bob Sharp ...

    ResponderExcluir
  48. fiatentusiastas
    Dá para pensar algi nesse sentido.

    ResponderExcluir
  49. Eu acho que quem é realmente autoentusiasta é cuidadoso e respeita as leis. Ao meu ver não importa se o cara tem um fusca 50' ou Veyron SS, estando em mãos ruins e erradas, acidentes acontecerão.

    Errado quem conota qualquer pessoa que tenha carro preparado como rachador, isso é ridículo, é não saber de nada de como é realmente este mundo maravilhoso.

    E "niguem" lembra que 99,99% dos acidentes fatais acontece com carros normais, em condições normais com motoristas comuns e nada entusiastas.

    ResponderExcluir
  50. Eu sou um super entusiasta dos carros antigos mais do meu FORD GALAXIE LTD 1977 azul surf com 5,40 mtrs de compr. X 1,99 mtrs larg., que tem 33 anos de idade perfeito, e que depende de mim para dirigi-lo com grande prudencia para preserva-lo,e todo FDS rodo nele com minha familia, e gosto de mante-lo todo original para mostrar a essa garotada nova que as coisas antigas funcinavam e resistem melhor que as modernas, inclusive seu motor V-8 com 4950 cm3 de cilindrada e com platinado...e que encara qualquer pista com majestosa tranquilidade.
    Grande abraço a todos
    Rodrigo Basílio Galvão
    Leopoldina-MG

    ResponderExcluir
  51. troco qualquer assunto sobre futebol por qualquer assunto sobre carros! e isso é sério!
    abraços!

    ResponderExcluir
  52. As ideologias do Che são fonte inesgotável de justificativas para os descumpridores das leis de trânsito nesse país. O pior de tudo é que, no fundo, ele já percebeu isso, mas prefere fingir que não entendeu. A culpa da morte da menina é dela mesma, né? Afinal das contas deveria ter tido mais cuidado para atravessar o cruzamento, sinal verde ou não. Isso não aconteceria jamais com um entusiasta esclarecido pseudo-revolucionário de internet. Vou passar essa avaliação de "entusiasta" pra família dela. Com certeza vão concordar.
    Pelo menos em uma coisa os "entusiastas" acertaram. Quem não é "entusiasta", apenas dirije. E respeita a Lei. Deixa a pilotagem, desrespeito aos limites de velocidade, avanço de sinais e acidentes com mortos pros "entusiastas", que usam textos grandiloqüentes em blogs de internet como desculpas prontas para suas violações diárias das Leis.

    ResponderExcluir
  53. Anônimo não entusiasta
    Você continua a dizer coisas sem nexo. É inacreditável a sua lógica. Entusiasta não causa acidente, evita. Não mata, salva.

    ResponderExcluir
  54. É difícil definir até onde vai meu autoentusiasmo. Cada dia descubro uma emoção nova em algo que jamais me pareceu plausível de proporcionar tal sensação. Foi como quando dirigi uma Fiorino, daquelas da frente grande, motor 1.5, que meu tio-avô tinha já fazia uns bons 10 anos. Não era espetacular em nada, mas respondia ao menor curso de acelerador com vontade, o que não necessariamente traduz-se em velocidade, ou aceleração brutal. O cambio, apesar de estranho ao primeiro momento, mostrou-se digno de manusear.

    Lembro diariamente dos 3 Fuscas que tive. A imensa falta que meu 69 1300 todo restaurado faz, a saudade do 1500 vermelho montana 72 que merecia placa preta e o 77 1300L que nada tinha de totalmente original ou especial, mas que marcou época e me levou pra namorar mais do que qualquer outro carro.

    A felicidade de fazer uma tocada limpa, sem trancos, com velocidade, brincando em curvas, punta-tacco no fim das retas e logo à frente acompanhar o giro subindo com o pedal da direita baixando progressivamente, ao bel prazer da necessidade de combustível.

    Duas semanas atrás, num deleite junto aos motores náuticos que meu avô me deixou pouco antes de morrer, deliciei-me depois de quase 5 anos sem ouvir aquele 2 tempos Archimedes Penta-Volvo voltando à vida pelas minhas mãos.

    Viajar por aí num Karmann-Ghia 1200, nos divinos Dodge V8, quem sabe até mesmo num 1800 SE.

    Acordar no domingo de manhã e dedicar-se inteiramente ao seus companheiros que calçam pneus, conversar com eles, perguntar do que precisam, atendê-los. Depois, ter a bela recompensa de poder escutar e sentir o primor de um motor bem construído. Seja um boxer, um zetec, um 318, um ducati desmodrômico, um V2 de Harley ou um MWM.

    Sou feliz também por poder compartilhar do autoentusiasmo de vocês todos.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  55. Eu adoro tudo o que tem motor, admiro carros, motos, caminhões e até trens. rsss., gosto muito de carros antigos em especial aos Muscle Cars da decada de 70 e dos esportivos brasileiros da decáda de 70, 80 e 90, mas para mim estes antigos tem que ter um belo up-grade na parte mecânica mantendo a estética o mais original possivel.

    Hoje eu possuo um Swift GTI para usá-lo no dia a dia e para ocasiões especiais um Voyage Plús 1986 totalmente original com exceção a mecânica que tem um bom veneninho, como o assunto foi meio desfocado por "anonimos" acho que vale esclarecer que autoentusiasta não é aquela pessoa que anda com um carro potente infringindo as leis de trânsitos, um autoentusiasta anda desfilando com a sua maquina sempre com a felicidade estampada em seu rosto, ele não precisa demonstrar para os outros que seu carro é potênte.
    O simples fato dele saber que está montado numa verdadeira maquina de satisfação já lhe deixa feliz, uma pessoa realizada em saber o que seu carro pode proporcionar, 99% dos autoentusiastas que eu conheço e que tem maquinas potentes andam mais devagar e respeitam as leis de trânsito do que pessoas comuns que fazem de seus carros populares verdadeiras armas no trânsito.

    Enfim, um autoentusiasta de verdade, como o próprio AC expos em seu post admira desde uma Ferrari até um popular leve e divertido de dirigir :-)

    Enfim, pessoal do Autoentusiastas (BS,PK, AC, etc.), gostaria muito que um dia vcs dessem uma volta (dirigindo é claro) em meu Voyage para dar uma opinião se eu tive exito em meu projeto, um gde abraço a todos vcs e obrigado por ajudar a melhorar meu conhecimento sobre carros a cada dia ;-)

    ResponderExcluir
  56. CMA Flecha Azul, o rei da estrada! Uau, viajei por anos a fio nos Cometas (fiz faculdade a 3 horas de casa). Adorava esses õnibus: a suspensão a ar, o delicioso barulho do Scania turbo enchendo, os faróis piscando para pedir passagem, os motoristas da cometa sempre trocando indecifráveis sinais entre si sempre que se cruzavam. por sinal, os motoristas da empresa mandavam bem e me pareciam a nata do setor: costumavam andar forte e com segurança.

    Será que ninguém consegue um ônibus desses para vocês fazerem uma reportagem???

    ResponderExcluir
  57. Como autoentusiaste que sou, até uma bicicleta me diverte...

    Mas também tem pessoas que odeiam tanto carro que simplesmente não conseguem entender isso.

    Daqui a pouco é capaz de aparecer alguém dizendo que eu ultrapasso o limite de velocidade na magrela, como se só andar matando os outros por aí satisfizesse quem gosta de carro. Eu também gosto de armas de fogo e não saio dando tiro em ninguém por aí.

    ResponderExcluir
  58. Pessoal,

    é isso aí ! Autoentusiasta gosta de tudo que se move. Carros antigos, modernos esportivos, um mundano Golzinho (mas com tempero no motor), motos, aviões e por aí vai.

    Uma coisa que, infelizmente uns caras que não se identificam não entendem, é que o Autoentusiasta preza, acima de tudo, a direção segura. Leva muito a sério o dirigir, ao contrário de motoristas comuns. Minha esposa me chamou a atenção uma vez porque enquanto conversávamos eu nunca olhava para ela, respondi na hora que não precisava olhar para ela para responder, e que em nome da segurança, não desviaria minha visão da estrada em hipótese alguma.

    Podia usar melhor o tempo dele aconselhando motoristas na rua, em vez disso, perde o tempo dele postando mensagens inúteis aqui no blog.

    Azar dele, enquanto isso, continuamos guiando nossos possantes, seja um Fusquinha 1200 já bem rodado, seja uma réplica de Cobra com um 302 brabo, com o maior cuidado e prazer.

    ResponderExcluir
  59. Sou entusiasta desde bicicleta até carretas, passando por populares, esportivos, onibus, trens e avioes. Se locomoveu, tranportou gente ou carga, é comigo mesmo

    ResponderExcluir
  60. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  61. bom, eu adoro tudo que tem motor...especial fuscas, porsches e jipes....

    meu objetivo? dirigir o máximo de coisas que eu conseguir...não importa o que seja...já consegui dois sonhos na minha vida: dirigir um porsche e uma empilhadeira...agora só falta uma carreta ou um onibus.

    abs

    ResponderExcluir
  62. Sou entusiasta a quase tudo que inspire ou ja inspirou as pessoas a sonhar...carros antigos que pussuo ou possui de diversas "marcas" (tenho minha favorita, mas não me importo...auto é auto!), sou entusiasta quando vejo aquele trem de carna enorme e ouço aquele motor a diesel rosnando, quando ando pela balsa e ouço-a roncando...quando passo do lado do aeroporto e vejo aquele rasante daquelas maquinas imensas e sinto um arrepio imaginando sua potencia e sua evoluçao... uma pena encontrarmos tantos xiitas que desdenham de uma coisa que voce tem ou gosta...mas o que seria do amarelo se todos gostassem do prata...ops...
    Abraço...

    ResponderExcluir
  63. Homem-Baile disse...
    28/11/10 14:43


    Me emocionei com seu comentário, meu falecido Pai foi "PILOTO" de um Felha azul da Cometa.

    ResponderExcluir
  64. Andando de ônibus, nada melhor do que ouvir o ronco de um motor pesado pendurado lá atrás empurrando um ÔNIBUS DE VERDADE, mas como hoje o barato impera, dá-lhe caminhão boiadeiro encarroçado.
    Scania é soberano, o ronco dos V8 suecos arrepiam.

    ResponderExcluir
  65. AC
    Um dia apareceu um lotação na linha Estrada de Ferro-Gávea de marca OM, o único. A particularidade que me chamou a atenção e me deixou maravilhado foi o fato de ter alavanca de câmbio na coluna, quando todos tinham-na no assoalho. Eu tinha no máximo 12 anos. Pois um dia fui ao final da linha, a uns 500 metros de casa, embarquei e sentei no banco do lado do motorista só para vê-lo trocar marchas. Fui à Estrada de Ferro (Central do Brasil), voltei, fui e voltei de novo...Gastei uma tarde nisso!

    ResponderExcluir
  66. Fiatentusiasta, quem sabe eu já não andei num Flecha pilotado por seu pai? De 1985 a 1990, quase todo final de semana, eu fazia Campinas-Santos, ida e volta. Acredite se quiser, mas a única vez que o Flecha nos deixou na mão foi uma vez no alto da Anchieta, um pouco antes da serra, um pneu furado. Aliás, a única outra vez que um Cometa me deixou na mão foi em 1990, Araraquara-Campinas. Aconteceu algo no motor (uma correia ou algo assim) e tivemos que esperar a vinda de um ônibus reserva.
    Mas voltando aos "pilotos" da Cometa: não posso falar sobre os dias de hoje (afinal, a Cometa foi comprada há anos e os Flechas estão quase todos aposentados). Mas na época em que eu era usuário frequente, via-se claramente que não apenas os ônibus, mas também o material humano era de outro nível se comparados com a concorrência. Além de educadíssimos com todos, os homens baixavam a bota mesmo, mas sempre com muito braço! Aliás, lembro-me do único susto pelo qual passei: saímos de Santos pela Anchieta e ainda em Cubatão pegamos o pequeno viaduto em curva que sai à direita para logo virar a esquerda e desembocar na curta ligação até a Imigrantes. Já há muito tempo, no começo desse viaduto tem um radar, até porque entra-se nessa curva à esquerda praticamente sem visão. Pois bem: um Opala seguia á frente do Flecha. Eu estava na primeira fila, o parabrisa enorme à minha frente e vi quando logo após a curva, aparece o Opala parado e atravessado, pois havia rodado! Incrível que o motorista do Cometão tenha conseguido passar com o busão entre o muro de concreto e o Opala sem acertar nem um e nem outro.
    Enfim, lembranças dos tempos de estudante duro e desmotorizado, até hoje apaixonado pelos Flechas Scania turbo. Bons tempos!!!

    ResponderExcluir
  67. Aléssio Marinho29/11/10 02:35

    Sou um AUTOENTUSIASTA pela segurança no trânsito. Condutores, ciclistas e pedestres tem a mesma responsabilidade de zelar pela segurança mútua.
    Sou um AUTOENTUSIASTA pelas máquinas, pela engenharia da mobilidade. Pelo desafio constante de chegar a soluções criativas e conseguir transmitir ao homem as sensações peculiares que elas podem nos proporcionar.
    Sou um AUTOENTUSIASTA pelo prazer de dirigir, sentir as características e propostas de qualquer veículo que me dê a oportunidade de conduzi-lo. Sempre pautado pela SEGURANÇA, ADMIRAÇÃO E PRAZER.
    Por isso, como um AUTOENTUSIASTA venho aqui diariamente alimentar e consagrar o meu prazer de conhecer mais sobre tudo isso, e ter a oportunidade de compartilhar minhas opiniões e experiencias com outras pessoas.
    Obrigado a todos os AUTOENTUSIASTAS!

    ResponderExcluir
  68. Para comentar a minha relação com carros seria necessário um texto mais extenso no meu blog, é muita coisa!

    Mas rapidamente falando, me apaixonei por carros ainda a bordo de Opalas do meu pai, depois com todo o ódio contra alguns 147 e depois de volta aos Opalas. Depois vieram Monza e dois Chevettes, o último está conosco até hoje.

    Sempre gostei de bicicletas, construí com meu pai diversos carrinhos de rolimã. Tive um Walk Machine e nele aprendi alguma coisa de mecânica prática, descarbonizando o escape e trocando agulha e bóia do pequeno carburador.

    Apesar disso, minha primeira habilitação veio tarde, só quando tive condições de comprar meu primeiro carro. Estava com 25 anos quando comprei um Corsa Wind de um amigo. O carro foi comprado zero pela família dele e serviu aos três filhos como carro de "ir à faculdade". Surradinho, mas íntegro.

    Com o Corsa, fiquei pouco tempo, ele foi roubado cerca de seis meses após a compra. Mas foi uma intensa convivência. Troquei faróis, deixei ele limpo como talvez ele nunca tinha sido visto depois de sair do concessionário. Coloquei o painel do modelo superior, com conta-giros e ponteiros amarelos, fiz diversas manutenções. Até o dia que ele foi levado. Mas foi o real início da minha relação homem x carro.

    Com o roubo do Corsa, meus olhos se voltaram automaticamente para o Chevette do meu pai. Carro no qual aprendi a dirigir de verdade. As primeiras lições foram no Opala, mas dirigir mesmo foi nele. Comecei a rodar diariamente nele e percebi como era bom aquela configuração de motor longitudinal e tração atrás. O amor foi crescendo até que resolvi restaurá-lo completamente.

    Enquanto ele ficou internado, comprei um outro Chevette, um tubarão. Nele foi incrível vencer uma chuva incrível em BH com mais quatro pessoas. Vencemos enxurradas e inundações com ele, meu pai de moto ia mostrando o caminho, inesquecível.

    Em 2008 comprei o Omega, e por falta de vaga na garagem tive que vender o Tubarão, que está hoje com meu sogro. O Omega é o estado da arte automotiva, no que pese minha paixão pelo modelo. É sensacional sentir o torque do 4.1 ronronando a 1000 RPM.

    Fora isso, na infância tive diversos carrinhos, fizemos cidades de areia onde a prioridade eram ruas, avenidas e túneis. Brincava de linhas de ônibus, fazendo os modelos com caixa de pasta de dente. Desenhava painéis dos ônibus e até alguns modelos próprios. Adorava as carrocerias da BUSSCAR, odiava os CAIO. Tal qual gosto de Chevrolet e torço o nariz para a FIAT. Hehehe.

    ResponderExcluir
  69. Pessoal,
    sou um entusiasta que adora carros, pessoalmente nao tenho muita paciencia de ficar lendo sobre os detalhes de funcionamento, mas consigo ver coisas bacanas em todo os carros, tenho um classic e nao canço de ver como seu motor é otimo em frente a outros 1.0, mas esse fim de semana em gramado tive a oportunidade de acelerar um mustang... realmente nada substitui as polegas cubicas mas mesmo nesse carro ainda consegui reparar que os paineis das portas sao tao duros quanto do gol, que os comandos de radio sao simples, mas é impossivel nao lembrar do som do V8 da embreagem dura e do cambio curto. há sobre avioes tambem sou apaixonado ontem em porto alegre tinha um a330 da tam e fiz questao de esperar ele decolar para poder apreciar.

    ResponderExcluir
  70. qdo ainda usava fraldas, lembro bem do meu verdadeiro fascínio por tratores...

    hj em dia qq coisa q tenha mais d 3 rodas e se locomova pelo chão (nunca me dei bem com as alturas e mar nunca foi mto desejável desde q, aos 8/9 anos tive um infeliz encontro com um enorme tolete d bosta em plena água do mar) me encanta....

    outro dia estava numa subida atrás d um scania 142 (motor v8 turbodiesel) com escape direto, desliguei o som do carro e abri os vidros prá ouvir o ronco do bicho, fiquei tão 'entusiasmado' q até minha namorada (q está mais do q acostumada com minhas 'bobagens, segundo ela)achou estranho... rsrs

    fzr o q, né?!? passei a minha infância e começo da adolescência rezando prá q as férias escolares chegassem logo e eu pudesse ir viajar com meu falecido pai caminhoneiro. qdo estou na estrada, dirigindo, sinto como se estivesse num lugar d onde nunca deveria sair.

    dirigir na estrada está entre os 5 maiores prazeres q se tem!!!!!

    minha 'fixação' por carros, caminhões, ônibus, etc... é tão gde q até a minha namorada q sempre considerava isso 'bobagem' aos poucos, vou fzd ela aprender um pouco mais dessas 'bobagens', nesse fds ela até ficou intrigada em descobrir q carro era um esuisitinho parado em frente ao mercado. era um twingo...tá bom, né?!?! já é um começo!!!rsrsrs

    ResponderExcluir
  71. Vish! Fácil falar sobre carros, mas muito difícil falar sobre os sentimentos... Eu definitivamente não sou uma pessoa constante em vários sentidos, hora estou entusiasmado com algo muito simples, que para alguns chega a ser ridículo, hora estou extremamente exigente.
    Desde de pequeno sempre pedindo pro meu pai acelerar, depois o amigo que deixou eu guiar o carro (GTS) do irmão com apenas 12 anos, algo que me encorajou a "roubar" o carro em casa.
    Se tem algo que me deixa inquieto é saber que um carro meu tem algo pra fazer. Todo final de semana eu arrumo alguma coisa e quando um serviço é mal executado no meu carro... Nossa! Será normal sofrer tanto assim por causa do carro? rs*
    Agora falando do entusiasmo no sentido mais exacerbado da palavra, ontem fui assistir à GT1, aquilo abalou, fiquei realmente muito emocionado de ver aqueles carros!!!
    E outra coisa que estava louco pra contar aqui no AE, tive a oportunidade de dirigir um R8 no dia 1º, aquela segunda-feira do feriado do dia 2 de nov, estava rolando o salão e talz...
    O qq foi aquilo? Fiquei mais de uma semana com aquela sensação, ecstasy... que absurdo!

    Antônio,
    Caramba, já passou alguns bólidos pela sua garagem, heim! hehehe

    BS,
    Esse anônimo não sabe o que fala, deixa quieto.

    AC,
    Falando sobre o entusiasmo com qualquer carro, achei muito engraçada uma situação na qual em uma viagem de trabalho, um colega falou, "você não vai gostar deste carro (Meriva locada), não faz curva"... Disse ele, sabendo que eu iria assumir a direção no trecho que poderíamos aproveitar melhor o meu entusiasmo ao dirigir.
    A parte mais interessante foi na Dutra, enquanto eu ditava o ritmo na estrada com carros como Ford Focus acompanhando... rs*

    Abs

    ResponderExcluir
  72. antes que alguém me corrija, eu percebi a gafe... "ora assim, ora assado" com h...

    Abs

    ResponderExcluir
  73. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  74. Eu sou entusiasta das coisas boas e bem feitas.
    Da historia por tras de um bom projeto, ou de como a marca nasceu.
    Muitas vezes prefiro o feio e lento, ao bonito e rapido.
    Tenho saudades do meu Mille 99, Fiasa, que dava "km" no velocimetro e cansava muita gente descendo a serra Curitiba-Joinville (BR-376 - BR-101

    ResponderExcluir
  75. Quero dar meus parabéns ao Bob Sharp pela coerência e forma lógica de pensar.

    Quase todo acidente é evitável, incluindo erros cometidos por terceiros que poderiam nos afetar. Basta ser atento.

    Simplesmente acelerar quando o semáforo acende verde é assinar o atestado de roleta russa. Todo cruzamento requer muito cuidado, isso é mais que óbvio.

    Não querendo defender os supostos rachadores, mas era uma simples questão de atenção. É perfeitamente normal que, quando um semáforo esteja prestes a fechar, as pessoas acelerem. Portanto, é obrigação do condutor que vai entrar pela transversal prestar atenção em TODO o tráfego.

    Isso é básico demais, tem que ser ensinado e enfatizado aos 4 cantos. Industria de multas nunca vai resolver isso, pode até colocar uma multa igual ao valor do carro que não vai mudar absolutamente nada.

    ResponderExcluir
  76. Bussoranga,

    final de semana passado eu passei por situação de perigo em cruzamento. O sinal abriu, eu e o carro do lado chegamos a nos mover e logo em seguida freiamos porque um ônibus avançou à toda.

    Se fosse uma moto acelerando rápido imediatamente após a luz verde, provavelmente teria sido colhida pelo ônibus. Não precisa dizer que um marginal que dirige um coletivo dessa maneira deveria ter sua carteira cassada na hora.

    Todo cuidado é pouco em cruzamentos.

    ResponderExcluir
  77. Bob.
    Esse anônimo das 21:58 só fala abobrinhas mesmo. Vc., como mediador, podia excluir os comentários dele, pois o cara não entende nada e não contribui em nada para o debate. Posso estar errado, mas acho que os autoentusiastas são muito mais cuidadosos ao volante, aproveitando mais as qualidades de seus automóveis no dia a dia, sem desrespeitar as normas do trânsito.

    ResponderExcluir
  78. Marcos Alvarenga30/11/10 22:40

    Sofro da mesma doença sua, Alexandre. Todo tipo de engenhoca mecânica que leva gente de um lugar a outro me atrai.

    ResponderExcluir
  79. Desde muito cedo me "descobri"...
    Campeonatos de Super Trunfo na rua, "cabine de co-piloto" na Brasilia do meu pai, com tampa de panela, chinelos virados e alavanca do vidro do carona como alavanca de marchas... Nesse meio-tempo, devorava revistas nacionais e importadas, assistí 24hs de LeMans e Grand-Prix, o que me atiçou ainda mais. Meu pai cometeu a burrada de me ensinar a dirigir com 12 anos, o que causou alguns "furtos" em sua garagem até uns 15 anos. Depois disso ele já me liberava dentro do bairro.
    Com 18, acordo e dou de cara com um Passat Pointer na garagem!!! Foi mais que uma megasena pra mim!!! Esse era uma verdadeira lacraia, aprendi a desmontar e limpar o Webber duplo de olhos fechados e me amarrei em sujar a mão de graxa, o vírus se intensificava...
    Depois de 2 Pointer, Gol GTI, Uno 1.5R e um XR3, casei e dei uma sossegada com um Santana, uma Scenic, um Tempra e, atualmente, um Fiesta Street sedan 1.6 altamente entusiasta!!
    Como já disseram aqui, desde um Uno Mille ou Palio Fiasa (esse eu não entendo), qualquer carro pode ser entusiasta, que o diga o antigo fusquinha do meu pai, que já fugiu até de Patamo...
    Caminhões, ônibus, aviões, helicópteros, navios, naves espaciais, tudo que tenha algum tipo de motor!!!
    Atualmente tô sem tempo$$ e espaço pra montar meu Passat "Iraque-Pointer". Mas isso vai sair!!

    ResponderExcluir
  80. Sempre gostei de carros... E aqui aprendi a gostar ainda mais. Descobri que gosto de carros confortáveis, com ar e direção hidráulica (da eletrônica, apenas um tocador de música honesto e nada mais!) bancos e posição de dirigir.
    Gosto de sentir o giro do motor subir, e daquele leve pulo que o carro dá quando chega na rotação ótima! Gosto de olhar... Mas não me importo tanto com o tocar... Ou seja, um bom apelo estético me cativa mais que plásticos macios e sem rebarba... Gosto do cheiro de carro novo, como quem gosta do cheiro de chuva! Uma mistura de novidade com saudade...
    E descobri, recentemente, que um carro não precisa ser caro, para que seja o mais compatível comigo.

    Tenho aquela vontade incontrolável de dirigir todos eles, só para saber como é, e guardar na memória!

    ResponderExcluir
  81. LuizMSampayo21/01/11 22:00

    Mt bom o post, parabéns. Qt a minha resposta: acho que "de nascimento", soh pode ser. Culpa de amor a primeira vista por uma Roadmaster qd me buscaram na maternidade a 64a. Ab

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.