A OESTE DA FRONTEIRA

Foto: Autor


Em Puerto Iguazú, Argentina, no dia 10 de novembro, tabela de preços de combustíveis num posto YPF. As contas do preço por litro foram feitas  pelo câmbio oficial do Banco Central. Entre parênteses, preços médios no Brasil, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis:.

Gasolina Fangio, 98 RON, equivalente à nossa premium                          2,03  (2,80)
Gasolina Super, 95 RON,equivalente à nossa comum                              1,77  (2,58)
Gasolina normal, 91 RON, não tem aqui                                                 1,56   ---
Diesel Euro, para motores modernos, 50 ppm de enxofre, não tem aqui   1,80   ---
Diesel comum, o que mais tem aqui                                                      1,45  (1,98)

E a gasolina é sem etanol, a chamada E0 (etanol-zero) e por isso mesmo não sofre a influência da variação ganaciosa e irresponsável dos preços do etanol.

Depois vem o Jorge Ben Jor cantar que o patropi é abençoado por Deus...Imagine-se se não fosse!

BS

63 comentários :

  1. Sad, but is true

    ResponderExcluir
  2. Interessante notar que mesmo sem a adição do etanol, a gasolina equivalemente a nossa premium custa "míseros" 2,03.

    Alguém sabe qual é o valor da CIDE atual sobre os combustíveis?

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber o que acontecerá ao proalcool quando o présal estiver a plena produção...

    ResponderExcluir
  4. E alguém sabe me dizer pq raios temos de aceitar gasolina "batizada"???
    Deveria ser chamada de outra coisa... com 25% ou mais de etanol... algo como... gasonol???
    Qual seria ,na ponta do lápis, a economia para o brasileiro se a gasolina fosse pura?? Considerando que rodaria mais km´s por litro??

    ResponderExcluir
  5. Francisco V.G.30/11/10 17:26

    Melhor nem olhar muito pois já me deu vontade de esmurrar o monitor. Vou tomar um café e esfriar a cabeça. Até breve.

    ResponderExcluir
  6. E a gasolina é sempre aditivada. Confirma?

    ResponderExcluir
  7. sem contar carros novos que sofrem pra conseguir 10km/l... e muitos equivalentes europeus urbanos já trabalhando na casa dos 20km/l...

    ResponderExcluir
  8. Aléssio Marinho30/11/10 19:14

    Bob,
    Essa gasolina normal é a que contém chumbo.
    Brasileiro quando vai pra Argentina, vê essa placa e fica deslumbrado com o preço baratinho das gasolinas e abastece da normal.
    Daqui a uma centena de km, o motor para de vez, travado pelo chumbo...
    E ouvi essa história várias vezes...

    ResponderExcluir
  9. Diego Maciel Debesaitys30/11/10 19:29

    R$1,77 a gasolina comum. Aqui no Rio Grande do Sul, Grande POA, o litro do etanol tá R$2,10...

    ResponderExcluir
  10. Quem ficou puto compra uma passagem pra Argentina! Ah esqueci que a TAM ta proibida de vender passagem...

    ResponderExcluir
  11. Aléssio Marinho30/11/10 19:38

    Para comparar, preço dos Combústíveis aqui em Belém-PA.

    Gasolina Plus R$ 2,82
    Gasolina Techron R$ 2,76
    Álcool R$ 2,08
    Diesel R$ 2, 06
    (no interior já abasteci alcool a 2,65, e gasolina a 3,30, no MT)

    Uso a Texaco plus, pois com ela meu Logan 1.0 faz 10,56 Km/L no tráfego pesado da cidade e sempre com ar ligado.
    Abastecendo com a comum, ele faz a média de 9,8 Km/L.
    Existem postos com preços mais em conta, porém é daqueles que vc ja sai com o tíquete da oficina...

    ResponderExcluir
  12. O nosso governo come de 30% a 40% só de impostos, e o pior: o nosso dinheiro não é aplicado da maneira correta.

    Trabalho no setor de informática de uma empresa pública e é de chorar o descaso com os computadores em várias regiões que dou suporte...

    ResponderExcluir
  13. Bob Sharp, o cara mais chato e rabugento da blogosfera brasileira. Reclama de tudo. Por que vc nao se candidata a algum cargo do governo e faz alguma coisa util? Reclamar dos outros eh muito facil.

    ResponderExcluir
  14. O melhor é o nome da gasolina premium ser "FANGIO" haha, excelente.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo das 20:45

    É por causa de gente conformada como você que o país está assim...

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  19. Mostrar a nossa triste realidade em comparação a outros lugares não tem nada a ver com reclamar. Como pedir que as coisas mudem sem ter uma base comparativa? O que fazemos para mudar a realidade? Votamos! Mas quando vivemos em um País que elege os "Jader Paspalhos" (Renunciou hoje) da vida a coisa fica mais complicada! Creio que esse espaço aqui, além de servir para nosso aprendizado e diversão deve sim conter também notas de protesto, pois só a conscientização é capaz de mudar alguma coisa nesse País.

    ResponderExcluir
  20. Aléssio,

    por que o motor travaria com a gasolina com chumbo? Acho que a história não procede, visto a semelhança entre o que roda aqui e lá, certo? Pelo menos minha Montana encarou a gasola argentina e uruguaia sem zebra.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  21. Petralha às 21:59.

    McQueen

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  23. Daniel Shimomoto01/12/10 00:26

    O brasileiro é o povo mais rico do mundo. RIQUISSIMO!!!! E quem disser o contrário tem que reavaliar conceitos...

    A classe média paga por

    1-)Educação
    2-)Saúde
    3-)Em muitos casos, paga-se por segurança
    4-)Impostos sobre consumo
    5-)Impostos sobre serviços
    6-)Impostos sobre a Renda
    7-)Um dos maiores spreads bancários do mundo
    8-)O preco elevado imposto por uma série de oligopólios ainda não derrubados pelo governo (ou alguém acha normal um pneu Made in Brazil custar a metade no Paraguai?)
    9-)Custos burocráticos
    10-)Impostos cobrados indiretamente

    Se alguem lembrar de outros postem.

    É muito fácil culpar o governo. Culpar o Governo Lula, ou FHC mas isso é antigo, vem desde nossa vida colonial. E a culpa é nossa que não nos movimentarmos nem manifestarmos nossa indignação.

    Mais uma vez, Parabéns Bob Sharp.

    ResponderExcluir
  24. Nao sei porque meu comentario em resposta ao Vitor foi excluido. De qualquer maneira fica claro que o "Messias" Bob so aceita comentarios de quem concorda com o que ele prega e foge de quem discorda. Sem problemas, eh assim que se cresce, evitando as opinioes diferentes. Boa sorte esperando que algo se resolva dessa maneira. Depois a culpa eh do governo, do CET, do DERSA, e por ai vai...

    ResponderExcluir
  25. Estamos bancando o pré-sal.

    Já existe um nome para nossa gasolina exclusiva, chama-se alcoolina.

    Não se preocupem com o pró-álcool, pró-gasolina e sim com o pró-elétrico.

    ResponderExcluir
  26. Como eram bons o tempo que eu pegava a Caravan 1979 4.1 com cambio no volante do meu pai para namorar com meus 16 anos, ha 16 anos atras em que a gasolina custava em media 0,50 centavos o litro.

    ResponderExcluir
  27. Na verdade, energia tem que ter impostos muito, muito mais alto, é impostos de trabalho que tem que ser zero. Pense bem em isso.

    ResponderExcluir
  28. Ahhh....impostos, a gente reclama deles...realmente no Brasil são elevados demais...tudo custa muito caro...impostos suecos com serviços indianos.....ou como diria o Delfim...BELINDIA. Bob, bom post e se possível candidate-se !

    ResponderExcluir
  29. Rodrigo Laranjo01/12/10 08:51

    De onde você tirou gasolina de 98 RON a 2,80 ??? A Pódium custa entre 3,10 e 3,80 o litro!!!!

    ResponderExcluir
  30. Bob.

    Como fica a questão do número de octanas nesta comparação?

    É sabido que as E2x (E20 e alguma coisa...) possuem um poder antidetonante maior, dado ao etanol presente.

    Até onde eu tinha lido, alguns anos atrás no site da Petrobras, a Pódium era o combustível comum - presente nos postos de abastecimento - de maior octanagem comparada com outras, no mundo todo.

    ResponderExcluir
  31. Bob,

    Como sou da área do Petróleo, gostaria de pontuar algumas coisas:

    Aqui no Brasil temos sim gasolina com max. 50PPM de Enxofre, conforme EURO V, no entanto a mesma não é vendida de forma separada como lá. Devido ao fato de que o diesel seja proibido para carros de passeio, não há a necessidade disto, concorda? O que acontece de fato é que aqui no Brasil o comércio de diesel se dá conforme a região de consumo.

    Diesel S2000: Limite maximo de 2000ppm de enxofre, controlado a partir de processos de secagem de diesel, é mais adequado para uso agrícola.

    Diesel S500: Limite maximo de 500ppm de enxofre, controlado a partir do hidrotratamento do enxofre, conforme Euro IV. Comercialização obrigatória nas grandes cidades do Brasil.

    Diesel S50: Limite de 50ppm, obtido através de hidrotratamento, adequado conforme Euro V. Será obrigatório nas metrópoles a partir de 2012, mas já temos refinarias produzindo o mesmo.

    Outra coisa que queria postular é com relação aos preços dos derivados de petróleo aqui no Brasil. Fazem pelo menos seis anos que o preço dos derivados não sofre reajuste: o mercado internacional de petróleo (Leia-se OPEP) vendeu o produto (BRENT) a preços desde US$36,00/bbl até US$150,00/bbl, sem que nossa gasolina ou diesel fossem reajustados.

    No topo histórico de julho de 2008, quando o petróleo chegou a ser vendido a 150 dólares o barril, a gasolina deveria ser vendida acima de R$6,00/litro, para que fosse rentável, para ter idéia.

    Para a alegria de todos, a ANP segurou o preço dos derivados, fazendo com que o Refino da Petrobras amargasse o maior prejuízo da história, abafado apenas pelos lucros exorbitantes do E&P, que retirava petróleo do fundo do mar a preço de custo e vendia a preço de mercado. Mesmo assim 2008 foi um dos anos mais rentáveis para a Petrobras em toda sua história.

    Agora uma boa pergunta que fica no ar é se na Argentina os preços dos derivados sofrem com a variação da cotação internacional do petróleo ou não?

    ResponderExcluir
  32. Jackie Chan01/12/10 09:43

    Triste, mas é bom sempre ter em mente que o custo do combustível é apenas uma parte das despesas (altíssimas) com o carro, que nós brasileiros temos que arcar. Pra começar, temos o custo de aquisição muito alto, devido aos impostos e à ganância dos fabricantes e concessionárias. Temos os pedágios infindáveis, que podem representar custo maior que o do combustível. Custo de manutenção dos mais altos, devido ao péssimo estado das vias. Seguro dos mais caros, devido à violência e falcatruas. E por aí vai...

    ResponderExcluir
  33. Eduardo,

    O chumbo tetraetila, que era o produto usado para aumentar a octanagem das gasolinas em geral está proibido em todo mundo, liberado somente para gasolina de aviação.

    Com isto, a octanagem só pode ser elevada através de misturas de gasolinas especiais, provenientes de processos de reforma catalítica ou alcoilação. Todas gasolinas de alta performance são oriundas destes processos.

    No Brasil, a gasolina comum C possui IAD mínimo de 87,0, a gasolina Premium C possui um IAD de no mínimo 91,0 e a gasolina Petrobrás Pódium C possui IAD mínimo de 95,0

    Só por curiosidade, a gasolina de aviação possui poder antidetonante na ordem de 130, devido ao chumbo tetraetila.

    IAD - Índice Anti Detonante: Média entre a octanagem MON e RON, obtidas conforme ensaios ASTM D2699/D2700
    IAD=(MON+RON)/2

    Gasolina C - Gasolina com adição de etanol anidro, variando de 20 a 25%.

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  34. MF Thomas:

    Voce manipulou informação.
    Apesar da variação do custo petróleo no exterior, e do fato da ANP segurar o preço interno da gasolina, vc deixou de considerar duas variaveis, na verdade TRES. A CIDE que aplacou parte desse aumento e a adição do alcool na gasolina . A terceira é o custo político de um aumento seguindo as regras de mercado que o Lulla nunca teve peito de assumir pra ficar bem na foto.Óbvio que é bem simplista essa minha equação porém há um outro componente desconsiderado qual seja o fato de que a Petrobras é empresa PÚBLICA, e de todos nós e tem o dever legal de atender SEUS DONOS (o povo) e depois gerar lucro, e não para a corja que a dirige. E a diferença entre o custo de retirada do petroleo e o preço de venda deu outra folga ä Petrobras que permitiu manter o preço da gasosa. Ainda assim, o que pagamos é indecente, verdadeiro roubo. E a caixa preta da Petrobras, é indevassável. Porque será hein?

    ResponderExcluir
  35. Tem gente chamando o Bob de mal humorado ? vcs nem imaginam como eu sou. Especialmente ao indicar as mazelas que acontecem, especialmente na área onde somos todos entusiastas.
    So que ele escreve muito melhor que eu.

    ResponderExcluir
  36. Eu quero saber qual foi a contribuição pra sociedade que o anônimo deu.

    O Bob até norma ABNT já mudou, sem falar na constante luta pela melhora do trânsito e sua segurança.

    E depois, blog é pra escrever mesmo, reclamar, elogiar, e etc. É bobagem falar "o cara só reclama, por que não se candidata?" Aff, que original.

    ResponderExcluir
  37. Daniel Shimomoto01/12/10 11:35

    MFThomas

    Sei que trabalha com petróleo mas tomo a liberdade de discordar de você em alguns pontos:

    1-)a questão do diesel chegou a beira do absurdo. Diesel com baixo teor de enxofre faz-se necessário sim nas grandes metropoles (especialmente São Paulo) onde a presença de onibus e caminhões emite elevados indices de material particulado + enxofre

    2-) O Ministério do Meio Ambiente teve que postergrar (ou melhor, eliminar) a etapa PROCONVE P6 (=Euro IV) dos motores diesel por....falta de combustível. Era para ter entrado em vigor em 01/01/2010, os fabricantes tinham os motores mas não existia nem a norma do combustivel...
    ______________

    Aos anônimos que entram no blog apenas para perturbar, discordarem, ironizarem e serem do contra: O direito de opinião é um preceito constitucional garantido pelo Art. 05 Inciso IV reza claramente que "é livre a manifestaão do pensamento, vedado o anonimato;"

    ResponderExcluir
  38. Talles Wang01/12/10 11:38

    A ganância dos que estão no poder político e econômico, bem como a inércia da população aqui no Brasil, infelizmente estão elevadas à quinta potência...

    Talles

    ResponderExcluir
  39. Daniel,

    Tens todo direito de criticar ou questionar meu comentário, e fico feliz que o faça, pois assim conseguiremos conversar melhor.

    Quanto ao fato de o Ministério do Meio Ambiente postergar o Proconve P6, isto se deve mesmo ao fato de as refinarias não estarem capacitadas a produzir o diesel S50. Posso te garantir que o parque de refino do Brasil todo está se adequando a isto e já temos refinaria que especifica Diesel S50.

    O fato de se comercializar diesel diferente no interior ou na capital é fato no Brasil. Muito diferente da Argentina que vende no mesmo posto diesel de baixo teor de enxofre e diesel de alto teor (500ppm).

    Mais uma vez agradeço seus comentários e críticas te tenho certeza que o real objetivo do blog está sendo cumprido: o de informação, discussão e crescimento mútuo em cima de um tema comum: o universo do automóvel.

    Abraço

    ResponderExcluir
  40. Daniel Shimomoto01/12/10 13:55

    MFThomas;

    inclusive vc tocou num ponto interessante. A comercializacao de diferentes diesels no Brasil é diferenciada pela cor. Corrija-me se estiver errado mas tenho a impressao que o diesel de baixos teores de enxofre espumam menos.

    Com relacao a gasolina de aviação, que você respondeu ao Eduardo, gostaria de complementar que o chumbo tetra-etil estâ com os dias contados até na aviação: Os principais fabricantes de motores aeronáuticos já estão trabalhando co alternativas.

    A Textron Lycoming estâ incrementando ligeiramente a cilindrada de seus motores e empregando gasolina derivada da automotiva enquanto a Teledyne Continental está partindo para estudos de motores rodndo em ciclo diesel e queimando Jet-A1

    um grande Abraço

    ResponderExcluir
  41. totiy
    Pois, um combustível abundante substitui outro também abundante. Estranho, não?

    ResponderExcluir
  42. Anônimo 30/11 17h25
    Nos EUA gasolina com etanol em qualquer porcentagem é chamada de gasohol (gasoline + ethanol). Aqui poderia ser gasálcool ou como você sugeriu, gasonol. A economia não seria significativa, da ordem de 3% a 4%, mas os carros mais antigos, a carburador e anteriores a 1997, sofrem com a mistura, resultando em mistura ar-combustível pobre. Foi um desrespeito aos proprietários desses carros não haver mais a gasolina para a qual foram calibrados.

    ResponderExcluir
  43. André Andrews
    Não consegui a confirmação, mas em não havendo bomba com gasolina não aditivada e sendo o mercado lá rico em marcas e modelos, inclusive importados, sou capaz de apostar que toda gasolina de lá é aditivada. Aqui a comum também será, a partir de 2015, igualando-se nesse aspecto à premium e à Podium.

    ResponderExcluir
  44. Aléssio Marinho
    É raro encontrar gasolina com chumbo na Argentina, nem a normal (comum) tem quase. Mas se por acaso for usada em carro com catalisador, pode acontecer isso mesmo. Já vi em muitas bombas de comum a informação "sin plomo".

    ResponderExcluir
  45. Debasaitys
    Etanol no sul tem preço mesmo proibitivo.

    ResponderExcluir
  46. Anônimo 30/11 20h45
    Ser rabugento é para quem pode. Por que não tenta ser? Será que consegue? Não sei, não. Ou para você está tudo às mil maravilhas? A presidência vai comprar um Airbus 340 de US$ 500 milhões, combustível aqui é barato, está tudo ótimo.

    ResponderExcluir
  47. Vitor
    Também acho o máximo darem o nome do herói nacional deles. Cultura é cultura.

    ResponderExcluir
  48. Com relação ao óleo diesel produzido e comercializado no Brasil:

    É formulado através da mistura de diversas correntes como gasóleos, nafta pesada, diesel leve e diesel pesado, provenientes das diversas etapas de processamento do petróleo bruto.

    Os óleos diesel de uso rodoviário classificam-se em:
    I- Óleo diesel A: combustível produzido por processos de refino de petróleo e processamento de gás natural destinado a veículos
    dotados de motores do ciclo Diesel, de uso rodoviário, sem adição de biodiesel.

    II- Óleo diesel B: combustível produzido por processos de refino de petróleo e processamento de gás natural destinado a veículos
    dotados de motores do ciclo Diesel, de uso rodoviário, com adição de biodiesel no teor estabelecido pela legislação vigente.

    São especificados seis tipos básicos de óleo diesel para uso em motores de ônibus, caminhões, carretas, veículos utilitários, embarcações marítimas, etc.

    . Óleo Diesel Interior - disponível para uso em todas as regiões do Brasil exceto para as principais regiões metropolitanas onde é disponibilizado o óleo diesel Metropolitano;

    . Óleo Diesel Metropolitano - Para uso nas regiões metropolitanas de Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas, Baixada Santista, São José dos Campos, Belo Horizonte, Vale do Aço, Belém, Fortaleza, Recife, Aracajú, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Vitória, nos municípios definidos no Anexo I da Resolução ANP nº 15 de 17 de Julho de 2006;

    . Óleo Diesel S50 - produto com um máximo de 50mg/kg de enxofre total destinado a veículos homologados segundo os critérios da fase P6 do PROCONVE.

    . Óleo Diesel S10 - produto com um máximo de 10mg/kg de enxofre total destinado a veículos homologados segundo os critérios da fase P7 do PROCONVE.

    . Óleo Diesel Padrão - desenvolvido para atender às exigências específicas dos testes de avaliação de consumo e emissão de poluentes pelos motores diesel. É utilizado pelos fabricantes de motores e pelos órgãos responsáveis pela homologação dos mesmos;

    . Óleo Diesel Marítimo - destinado a atender embarcações. Por questões de segurança, este é produzido com a característica Ponto de Fulgor acima de 60ºC.

    A mistura contendo óleo diesel/biodiesel - B5, combustível composto de 95% em volume de óleo diesel e 5% em volume de biodiesel, deve atender à especificação do tipo de óleo diesel base da mistura (Metropolitano ou Interior) consoante as disposições contidas na Resolução n.º 6 do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), de 16 de setembro de 2009.

    ResponderExcluir
  49. Lucas,
    Você certamente usou gasolina sem chumbo. Apenas a mistura ar-combustível ficou rica com a gasolina sem etanol ou com no máximo 5%. A médio prazo o motor carboniza, a sonda lambda fica suja e dá informação errada e há diluição do óleo do motor. Quando rodar por lá é sempre bom adicionar um pouco de etanol de farmácia 96° G.L., como 4 litros com 16 de gasolina, formando gasolina com 20% de etanol.

    ResponderExcluir
  50. Continuação...


    Cronograma do S50

    - Janeiro de 2009 - Frotas cativas do município de São Paulo e Rio de Janeiro.
    - Maio de 2009 - Frotas cativas do município de Curitiba e região metropolitana de Belém, Fortaleza e Recife.
    - Janeiro de 2010 - Frotas cativas dos municípios de Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador e região metropolitana de São Paulo.
    - Janeiro de 2011 - Frotas cativas das regiões metropolitanas da Baixa Santista, Campinas, São dos Campos e Rio de Janeiro.


    Cronograma do S10

    Segundo a Resolução CONAMA 403/2008:

    - No período de 1o de janeiro de 2012 a 31 de dezembro de 2012, será admitido o fornecimento do Diesel comercial que atenda a especificação de que trata a Resolução ANP Nº 32, de 16 de outubro de 2007, para utilização em veículos da fase P-7, no lugar do Diesel S10 comercial.

    - Janeiro de 2013: o óleo diesel S10 será disponibilizado, prioritariamente, para veículos novos em todo território nacional.

    Janeiro de 2014 - o óleo diesel S10 será disponibilizado aos demais veículos dos municípios e micro-regiões da Resolução CONAMA no 373, de 9 de maio de 2006, podendo esse prazo ser revisto pelo CONAMA mediante justificativa.


    Observações

    A lista dos Municípios nos quais é comercializado o óleo diesel S500, a partir de 1º de janeiro de 2010 pode ser encontrada no Diario Oficial da União nº 241 de 17 de dezembro de 2009, nas páginas 107 e 108. Uma versão atualizada da lista de municípios pode ser encontrada no Diario Oficial da União, Secção 1 - Edição Extra Nº 188-A, quinta-feira, 30 de setembro de 2010, pag. 75 e 76.

    A partir de 1º de janeiro de 2014, o óleo diesel S1800 deixará de ser comercializado como óleo diesel de uso rodoviário e será substituído integralmente pelo óleo diesel S500.

    ResponderExcluir
  51. Shimomoto
    E um dos pedágios mais caros do mundo, senão o mais caro, apesar de pagarmos 4% do valor do carro todo ano, a título de "imposto sobre a propriedade de veículos automotores". Somos mesmo riquíssimos!

    ResponderExcluir
  52. Francisco V.G.01/12/10 15:38

    Bob
    Li no blog do Reinaldo Azevedo que é um A330 e não A340. De todo o modo é o fim do poço.

    ResponderExcluir
  53. O amigo Marcelo falou tudo 30 a 40% do preço pago são de impostos que vão para os cofres do governo a mesma coisa acontece com os nossos carros, de quanto sera os impostos por lá ????

    ResponderExcluir
  54. Peço licença aos autoentusiastas de plantão para perguntar ao MFThomas onde se consegue comprar o Diesel sem Biodiesel misturado. Minha esposa é pesquisadora e precisa de alguns litros para testes de laboratório. Estamos no DF. Caso saiba, favor avisar. :-)
    Desculpas aos colegas pela mensagem "Off Topic"!

    ResponderExcluir
  55. Bob, seria interessante, portanto, instalar um ´hallmeter´, desses usados em carros preparados, em viagens pelos países vizinhos, correto? E, quem sabe, até mesmo ir sem catalisador,visto a possibilidade de encontrar uma gasolina com chumbo.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  56. Rofrigo Laranjo
    A gasolina de 98 RON é a premium, que custa em torno de R$ 2,80. A Podium tem 102 RON e custa ao redor de R$ 3,00, às vezes um pouco mais.

    ResponderExcluir
  57. Chiavaloni,
    O etanol eleva a octanagem. Se a gasolina comum não contivesse etanol, ela baixaria de 95 para 91 RON. A premium, de 98 para 95. E a Podium, de 102 para 98. A Podium é mesmo a gasolina de maior octanagem do mundo, embora na Europa já exista gasolina 100 RON e sem etanol.

    ResponderExcluir
  58. Kantynho,

    Procure uma sede da BR Distribuidora mais próxima de você ou solicite informações no site: www.br.com.br

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  59. MFThomas
    Agradeço sua brilhante participação nessa discussão. Não sei responder como a Argentina se comporta na questão preço dos derivados em relação aos preços internacionais do petróleo. Apenas tenho constatado que pagam bem menos do que aqui, como pudermos ver na tabela do posto em Puerto Iguazú.
    Outra coisa que você comentou foi o Índice Antidetonante (IAD) das gasolinas, obviamente corretos, mas esse é um grande erro cometido pela autoridade do petróleo no Brasil, pois difere praticamente do resto do mundo, mas se alinhando aos EUA. Isso só gera confusão, pois Europa e regiào da América do Sul usa o Nétodo Pesquisa (RON) para definir octanagem. Nos meus textos simplesmente desprezo o Método Motor (MON) e a receita IAD visando melhor entendimento do leitor. Nossa gasolina "mais fraca" é a comum/aditivada, de 95 octanas RON, igual portanto à gasolina super da Europa. Mais uma vez obrigado e suas informações, pena natureza dos blogs, ficará aqui à disposição dos leitores.

    ResponderExcluir
  60. Lucas
    Dificilmente se encontrará gasolina "con plomo" na Argentina. Não vale a pena tirar o catalisador para andar por lá.

    ResponderExcluir
  61. Petrobrás não é empresa publica nem aqui nem na china, mas sim uma empresa de economia mista, tanto que possui diversos acionistas, dentre os quais o governo brasileiro. Se voce quiser, também pode ser um acionista da petrobras.

    Desta feita, de o Governo quiser de uma hora pra outra simplesmente baixar o preço da gasolina sofrerá ações judiciais por parte de acionistas minoritários prejudicados.

    Quanto ao chumbo na gasolina, de fato é uma vergonha que o brasil ainda comercialize esta porcaria cancerigena.

    Também já tive comentário removido deste blog só por não rezar a cartilha do bob sharp.

    ResponderExcluir
  62. Embora a Petrobras se apresente como uma empresa de economia mista, na realidade o governo manda e desmanda, inclusive colocando incompetentes na direção. Os acionistas minoritários chupam o dedo, recebem dividendos quando o governo está de bom humor e consolam-se com a valorização das ações. Agora mesmo acabam de ser premiados com a queda na cotação devido à negociata do pré-sal. Reduzir o preço do combustível é fácil, basta eliminar a cascata de impostos incidentes sobre o valor da refinaria que não deve ser superior a um (1) real. E para evitar problemas, é melhor não comentar sobre o número de funcionários da Petrobras, suficiente para tres companhias do memso porte. AGB

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.