APENAS UMA ESTRADA

Foto: Autor

Apenas uma estrada, uma simples estrada. Porém com sinalização horizontal correta e, principalmente, de piso decente, absolutamente liso. Por isso fiz a foto. Estava dirigindo o Peugeot 3008 no percurso programado pela fabricante, no lado argentino de Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú. O Calmon, que estava comigo, também ficou impressionado.

No dia seguinte, saída do hotel - o Loi Suites Iguazú,  novo, belíssimo, inserido numa floresta  que é uma reserva indígena - de ônibus rumo ao Brasil para pegar o avião de volta para casa. O coletivo trafegava serenamente. Ao chegar à aduana argentina, vi uma faixa de pedestres repintada, o extremo cuidado  em meio ao gramado e jardim bem-cuidados: E sobretudo limpeza.

Faixa de pedestres na aduana argentina repintada
Entramos no Brasil e o ônibus continuou o pequeno percurso até o aeroporto de Foz. A sensação que tivemos foi a mesma de estar em um avião e este sair de um trecho de ar calmo e encontrar turbulência severa. A irregularidade do piso era simplesmente inacreditável em termos comparativos. Bastou transpor uma linha imaginária chamada fronteira.

Para mim é absolutamente intrigante o fato de no Brasil não se ter mais pavimentação correta, salvo poucas exceções. É como se os responsáveis pela construção e manutenção de estradas e ruas tivessem se esquecido de como pavimentar uma via (ou nunca tivessem aprendido, o que é pior).

Inclusive, isso impõe enorme dificuldade para os engenheiros de chassi das fábricas, que precisam conciliar conforto com comportamento dinâmico de qualidade. A vida não tem sido fácil para eles. Como precisam priorizar segurança, resulta que certos carros novos estão saindo com carga de amortecedor mais alta do que o desejável, resultando em certo desconforto.

Comentei isso com um engenheiro da Fiat no lançamento do Bravo, cabe uma pequena redução de carga no curso de compressão dos amortecedores para tirar um pouco do soco ao rodar em piso irregular, caso mais das versões 1,8 do que no T-Jet, que tem caráter mais esportivo. Felizmente é uma providência bem fácil para um fabricante.

Assim como nos anos 1990 eu achava que não viveria para ver uma moeda estável e respeitada, mas que aconteceu em 1° de julho de 1994, acho que até o dia de ir embora não verei piso decente no Brasil.

Mas espero que haja um "plano real" na nossa malha rodoviária.

BS

55 comentários :

  1. Bob, em primeiro lugar queria dizer que foi um prazer ter lhe encontrado por aqui, depois que você deixou de escrever no BCWS estava à sua procura já há algum tempo, em segundo lugar, espero que Deus lhe deixe por muito, muito tempo ainda entre nós, o mundo anda precisando de gente de bom senso, quanto as nossas ruas e estradas não tenho nenhuma esperança, é cada vez mais precária a situação por onde quer que se ande, moro em Fortaleza-Ce e talvez tenhamos a pior malha viária do Brasil, tanto nas BR's quanto dentro de Fortaleza, quem quiser fazer algum teste de resistência na suspensão pode vir para cá.

    ResponderExcluir
  2. Estava comentando justamente isso com minha esposa meses atrás: "Quando será que verei um asfalto liso aqui em Campinas e nas nossas estradas? Ainda tem a Saúde, Educação, INSS, política... tem um monte de coisa para os caras se preocuparem antes de arrumarem nossas ruas que eu acho que nunca terei uma asfalto para pode dirigir", claro que isso não impede que o que é feito de novo seja bem feito... exemplo da Bandeirantes, Anhanguera, D. Pedro, Com João Ribeiro de Barros, Campinas-Mogi... todas ótimas estradas da região de Campinas, aí vc resolve dar uma voltinha por Serra Negra e se arrepende nos primeiros 5km de estrada secundária, aquela estrada de Jaguariúna a Poços de Caldas deveria ser interditada pela Justiça.

    ResponderExcluir
  3. Eu costumo dizer que no Brasil nós temos estradas de terra asfaltadas. Só se joga uma camada de asfalto por cima do que já existe, sem a mínima preparação do terreno para ficar em condições decentes para receber uma pavimentação que comporte o tráfego de automóveis, caminhões, etc. Parece que asfalto aqui é só para reduzir a poeira e o barro.

    ResponderExcluir
  4. Tem razão, Bob. O que me preocupa é que avenidas novas, ou seja, sem nenhum recapeamento, partindo do zero, já nascem irregulares. Outro dia seguia um carro que não me lembro qual, e percebia que a suspensão estava o tempo todo trabalhando. Não precisa dizer quem arca com os custos de uma suspensão prematuramente desgastada...

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  5. Pedro Navalha27/11/10 11:25

    Tem coisas que o brasileiro ainda não aprendeu: votar, pavimentar vias e estradas, jogar o lixo nos lugares corretos, escovar os dentes...

    Não adianta apenas uma MINORIA fazer as coisas da maneira correta se a grande MAIORIA faz tudo da forma errada.

    E vamos ficando cada vez mais para trás do mundo civilizado. Quem sabe daqui uns mil anos o Brasil consiga chegar lá. Afinal agora descobrimos o pré-sal! Seremos novamente o país do futuro, da Copa e das Olimpíadas...

    ResponderExcluir
  6. BDF
    Agradeço suas menções a mim e espero que o AUTOentusiastas atenda às suas necessidades de informção sobre os vários temas ligados ao automóvel. Qunato ao que você relata do Ceará, é mesmo lamentável.

    ResponderExcluir
  7. Bob, já que o compromisso com a segurança resulta em ajustes de suspensão que desfavorecem o conforto, uma "solução" simples não seria "compensar" com a adoção de bancos mais macios? Tive um Gol GL 91 que me deixava quebrado após longos trajetos, por conta de uma suspensão firme aliada aos bancos extremamente duros. Se tivesse bancos macios como os do Palio Fire que tive em 2001, talvez a situação de desconforto do Gol não fosse tão ruim, portanto, enquanto o "plano real" do asfalto não chega, poder-se-ia ir quebrando o galho com assentos de maior conforto. Ou não?

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  8. Paulo,
    É mesmo intrigante essa falta de cuidado com as estradas. Quem tem a oportunidade de dirigir no exterior e é atento a essas coisas fica abismado com a má qualidade do nosso piso, como eu disse e você confirma, com poucas exceções. Aliás, o que deveria ser exceção é regra.

    ResponderExcluir
  9. Marz,
    Exato, é exatamente essa a impressão que dá, asfalto é só para eliminar poeira e barro. Observação perfeita.

    ResponderExcluir
  10. Lucas,
    Exato, o novo já nasce ruim. Isso me lembra um fabricante nacional de terminais de direção e articuladores esféricos que tentou exportar esses itens para o mercado de reposiçào no Japão e foi informado que lá essas peças nunca são trocadas.

    ResponderExcluir
  11. E depois ainda chamam de frágil a suspensão do Escort.
    Quanto à impressão que você teve das estradas, não precisa ir muito longe. Pegue o carro, siga pela SP-50, cruze a divida entre SP e MG e você verá que, para ter estradas boas, não se precisa de muitos pedágios. É revoltante o estado mais rico da nação ter umas estradas de 1º mundo, e outras de 5º mundo.

    ResponderExcluir
  12. Pedro Navalha,
    A coisa toda está na essência, na educação. Noventa por cento das vezes que uso banheiro público a descarga não foi puxada. Papel jogado fora do cesto é normal. Você tem razão, desse jeito vamos ficando cada vez mais para trás.

    ResponderExcluir
  13. jopamacedo
    Já notei isso nessa estrada. O contraste é gritante.

    ResponderExcluir
  14. "...um fabricante nacional de terminais de direção e articuladores esféricos que tentou exportar..."

    Bob, poderia escrever mais a respeito desse seu comentário? Sempre tive mesmo a sensação que de aqui no Brasil as peças são "de doce"... Fica a sugestão de um tópico sobre o mercado de reparação e peças de reposição em outros países.

    ResponderExcluir
  15. Mr. Car
    Bancos com espuma menos densa ajudam, mas não resolvem o problema. Se você ler a minha avaliação do Nissan X-Trail terá a noção exata do que digo. Leia-a em http://autoentusiastas.blogspot.com/2008/11/nissan-achou-o-caminho.html

    ResponderExcluir
  16. Sobre bancos, sempre gostei dos da peugeot, nem duros e nem molengas.Sem bem que minha base de comparação é pequena.

    Sds,

    Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  17. Bob,
    acho que a indignaçao geral, pelos menos daqui do blog, já é alguma coisa.

    é uma contradição: boa parte dos brasileiros sonha em ser "europeu" (é dura, mas verdade! até passaporte gringo, a "dupla nacionalidade", é cartao de apresentaçao!!), compra carros alemaes, anda a 250km/h como alemaes, mas tolera a inferioridade e a má qualidade como ninguém. Isso se reflete em praticamente tudo, tanto nos péssimos carros nacionais, quanto na maneira de dirigir, quanto na qualidade das vias.
    Estamos cada vez mais longe de algo civilizado, e isso é tranquilamente tolerado.

    Sugiro a idéia, pelo menos um começo, de um manifesto público, em prol de estradas e ruas com mais qualidade, e principalmente, mais seguras...

    abs

    ResponderExcluir
  18. Já pensou se pra cada buraco que criasse uma bolha no pneu, amassasse roda, empenasse bandeja de suspensão ou estourasse um amortecedor, abríssemos um processo pedindo indenização contra o Estado?

    É dever do governo preservar as vias de circulação, sem buracos ou remendos que ofereçam riscos à nossa segurança ou ameaça de prejuízo aos nossos bens materiais!

    Através do voto - e da cobrança aos parlamentares - devemos exigir nosso DIREITO a uma pavimentação decente.

    No Rio de Janeiro milhares de pessoas adotaram a "Operação Asfalto Liso", e a prefeitura felizmente adotou o movimento.

    Cabe a nós, pagadores de impostos, cobrar do poder executivo que cumpra com a sua parte.

    Alguem já ligou para cobrar providências do prefeito ou vereador que elegeu? É um começo..

    []'s!

    ResponderExcluir
  19. Bob, intessante o caso. Mas o pior é que o carro vai estragando prematuramente como um todo, de forma que a troca de peças isoladas resolve o problema somente em parte. Um carro submetido a um piso de má qualidade terá o monobloco menos rígido mais cedo, correto? Ou essa torção adicional em carros de rua é desprezível?


    abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  20. Pois fique sabendo , Bob, que a qualidade das nossas estradas de chão( terra) decresceu na mesma maneira.

    Dava para andar perto de 120, hoje não passa de 60-70 e freio toda hora,mesmo em reta.

    Nessa, a explicação é extremamente simples, os operadores de patrol e assentadores de mataburros de antantes eram qualificados, verdadeiros mestres no que faziam, tinham Nome, Apelido, eram respeitados por todos que usavam as estrradas por eles patroladas e depois repatroladas quando da colocação semestral do cascalho.

    Posso garantir que se hoje vc fosse chefe de equipe de Rally, ia ter que preparar os carros de maneira bastante diversa.

    ResponderExcluir
  21. Pedro Navalha27/11/10 15:38

    É verdade Bob, a base de qualquer sociedade se resume em apenas uma palavra EDUCAÇÃO. Pena que ela sempre foi relegada a segundo plano aqui na terrinha.

    Não convém a muita gente que as pessoas sejam esclarecidas, formadoras de opinião e cientes de seus direitos e principalmente de seus deveres.

    Ah, e as vídeo aulas que você prometeu colocar aqui no Blog??? Aquela da ordenha foi muito boa!

    ResponderExcluir
  22. Pior que hoje temos muitas estradas privatizadas em que as mesmas ficam só pintando faixas e lotando de pedágios.

    ResponderExcluir
  23. O trecho SP - Curitiba da BR-116 ilustra perfeitamente o comentário feito pelo Joel Gayeski.

    ResponderExcluir
  24. daqui a 20 anos, quem sabe, teremos estradas técnicamente corretas, vamos acreditar no país!

    não a ponto de trocar o perfeito pavimento pq faz ruído pouco acima do normal, como aconteceu num trecho de uma rodovia na inglaterra a alguns anos

    ResponderExcluir
  25. Olhem, falando bem a verdade, até aqui em Brasília a maioria das vias estão em péssimo estado, com rachaduras, buracos e imperfeições gigantes nas curvas, cheias de obras inacabadas, sem sinalização, sem faixas...Uma merd* ! Mas foto sensor ter aos milhares a cada 200m.

    Acho que o povo gosta das ruas e estradas assim do Brasil mesmo...

    ResponderExcluir
  26. Eurico Jr.28/11/10 11:06

    Bob, estive em Puerto Iguazú em abril, hospedado nesse mesmo hotel. É realmente sensacional! E também notei as flagrantes diferenças entre Brasil e Argentina, até comentei com a minha esposa. Reflexo de um país que em 1920, tinha a mesma taxa de analfabetismo que o Brasil tem hoje.

    ResponderExcluir
  27. Eurico Jr.
    Realmente, o citado reflexo pode explicar o que acontece aqui.

    ResponderExcluir
  28. bdias
    Isso só resolve se a classe política for proibida de viajar de avião em distâncias inferiores a 800 quilômetros, para verem o que é bom pra tosse...

    ResponderExcluir
  29. Eurico Jr.28/11/10 11:13

    Em tempo, Bob: o ônibus deu uma paradinha no sensacional Duty Free de Puerto Iguazú? Para quem é tungado diariamente pela indecente carga tributária brasileira, é um bálsamo!

    ResponderExcluir
  30. Antonio
    Você ja viu porco infeliz no chiqueiro? Eu, não. Como tá, tá bão...

    ResponderExcluir
  31. Eurico
    Paramos lá e só comprei um pacote de Marlboro para o meu filho, 16 dóleres. Aqui na terrinha, 24. "Só" 50% mais. Realmente é um belo shopping.

    ResponderExcluir
  32. http://goo.gl/maps/Nkkq

    este trecho de estrada, é o melhor que eu ja vi no Rio Grande do Sul inteiro.
    Estrada perfeita! Pouco movimento, muito bem sinalizada e o asfalto é irrepreensível, além de ser cheia de curvas boas de se fazer "direito"...

    O único problema é que nao existem postos de abastecimento ao longo de 130 km...

    Mas é um exemplo de que o brasil nao está perdido em termos de estrada...

    Felipe

    ResponderExcluir
  33. Talles Wang28/11/10 14:48

    Tem nada a haver não, mas:

    Olha o Camaro do Bob aqui ó:

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/com-camaro-gm-agrega-arrojo-a-marca-chevrolet-e-evidencia-sua-recuperacao-financeira/

    Obrigado ADG pela indicaçãodo site!

    Talles

    ResponderExcluir
  34. A forma que consertam nossas estradas explica um pouco o resultado que temos alguns dias depois: Quantas vezes flagrei nas estradas administradas pelo DER/SP funcionarios jogando asfalto/piche de cima da carroceria de um caminhão com pá, sem dar acabamento algum,deixando que automóveis e utilitarios façam este serviço.

    ResponderExcluir
  35. Diego Maciel Debesaitys29/11/10 00:45

    Há pouco tempo, não faz três meses, a RS 118 teve um pedaço recapeado. Hoje estava dirigindo pela rodovia e não acreditei quando vi que já haviam buracos no asfalto novo. Além disso, para acessar a rodovia é necessário subir um "degrau": um perigo para os motociclistas.

    ResponderExcluir
  36. Será que serei censurado?29/11/10 00:59

    Chamem o Michael Candensus (ex-FMI) o verdadeiro responsável pelo plano Real.

    Quem sabe ele consegue fazer um plano para as estradas brasileiras...

    ResponderExcluir
  37. Sandoval Quaresma29/11/10 07:43

    lado argentino de Foz do Iguaçu?
    não entendi.
    e outra.
    como pode um pai comprar um pacote de marlboro para o filho e querem dar lição de moral no comportamento das outras pessoas?

    ResponderExcluir
  38. Sandoval Quaresma
    Foz do Iguaçu tem as vizinhas Puerto Iguazú (Argentina) e Ciudad del Leste (Paraguai), as três cidades na mesma área urbana. Basta cruzar o Rio Paraná. Por acaso adulto fumar é imoral? Só na cabeça de falsos moralistas. Lembre-se do Art. 5° inciso II da Constituição Federal.

    ResponderExcluir
  39. Bob,

    outro dia comentava com minha esposa, a sensação de quando você sai de um asfalto ruim e passa para um liso, numa mesma reta, é parecida com o avião decolando. Você sente a aspereza do piso e, de repente, parece que decolou, as vibrações cessam.

    Quantas pessoas morrem todo ano por causa de estradas mal conservadas ? A única coisa que as autoridades sabem fazer é mandar tomar cuidado. Daqui a pouco teremos que viajar a 50 km/h apesar dos carros cada vez mais capazes.

    ResponderExcluir
  40. Eurico Jr.29/11/10 10:50

    Bob, fiquei pasmo com a diferença nos preços. Em Puerto Iguazú, paguei US$ 13 pelo litro de uísque Ballantine's 8 anos. Meio quilo de chocolate suíço Frey por US$ 9 (chocolate DE VERDADE, não essa banha aromatizada que fabricam no Brasil). Em Ciudad del Este, comprei um relógio Victorinox por US$ 200, sendo que na terrinha custa "módicos" R$ 1.100. Detalhe: produto legítimo, comprado em agente autorizado da marca, com nota fiscal e garantia internacional. E ainda há o excelente hotel Loi Suites: no Brasil, pelo mesmo preço, conseguiríamos apenas ficar num daqueles pardieiros maquiados na Estrada das Cataratas. Mesmo considerando o real valorizado, é uma diferença gritante. Como somos explorados "neste país"!

    ResponderExcluir
  41. Será que serei censurado?
    Por que acha que seria? Comentários pertinentes sempre são bem-vindos. Por falar em plano real, sabe o que acho mais fantástico nele? Passados 16 anos, nunca coloquei uma nota de 100 reais na carteira. Acho isso notável, a moeda manteve sua forca. Antes do plano real eu dizia que acreditaria no fim da inflação no dia em que acabasse as fichas de telefones...

    ResponderExcluir
  42. Cruvinel,
    É coisa de maluco mesmo.

    ResponderExcluir
  43. Eurico Jr.
    É mesmo uma coisa impressionante. Está para ser postada matéria sobre preços de combustíveis que vi lá. Se não for amanhã, será na quarta.

    ResponderExcluir
  44. Diego Maciel Debesaitys
    Como os órgãos rodoviários são irresponsáveis, não? Ninguém quer nada com coisa alguma. Está bom do jeito que está, devem pensar.

    ResponderExcluir
  45. bob,
    a questão das nossas estradas - e saúde, represas, energização, etccc - enfim as nossas mazelas, está na gestão da estrutura de poder, toda baseada na manutenção facilidades geradas pela administração pública.
    diz-se que o custo de obra em prefeitura do interior é x; de cidade pouco maior, xx; capital 10x e obras federais, 100x.
    na prática numérica as obras do governo federal custavam, anos passado, 4,5 x mais que o preço médio internacional. 450%. ou seja, em lugar de 450 km de estada, apenas 100. de hospital com 450 leitos, somente uma centena. e vai por aí.
    há que adicionar a esta conta nefasta que, por iniciativa ou omissão, a fiscalização pouco vê. assim, o empreiteiro, além do superfaturamento para cobrir todo o leque de periféricos, também reduz qualidade, processos e custo da obra, para aumentar seu lucro.
    já que existe enorme escala de beneficiários, e a obra não será auditada, porque ser o único a agir com decencia ?
    lembro, aí no nosso rj, que uma das melhores estradas do mundo, em sua época de construção, foi a união-indústria, construída pelo eng mariano procópio.
    traçado correto, curvas com angulação correta, inclinações para drenagem. tão certa, que quase um século depois foi asfaltada e se transformada em br.
    apenas como dado numérico: quantas vezes vimos ruas ou estradas recém implantadas sofrendo obras para incluir instalações públicas, de água ou energia elétrica ?
    terá sido esquecimento coletivo, ignorância, incompetencia ?
    não, apenas a corrupção entranhada na administração pública nas tres escalas. é que a intervenção posterior custa 8x mais que a construção original.
    temos a engenharia rodoviária e as empreiteiras mais criativas do mundo - e isto nada tem a ver com qualidade profissional. r nasser

    ResponderExcluir
  46. Nasser,
    Tudo isso explica, mas não justifica. Bom engenheiro rodoviário, que tem zelo, que ama sua profissão e respeita seus concidadãos, não pode deixar tudo pra lá só porque nossa máquina admnistrativa é corrompida.

    ResponderExcluir
  47. Sandoval Quaresma29/11/10 13:59

    obrigado pela aula de geografia Bob. sabe como é, sou do tempo que Foz do Iguaçu era (ou ainda é?) uma cidade brasileira fronteiriça ladeada por rios, não existia "lado argentino" do Foz do Iguaçu até porque como você citou é necessário atravessar o Rio Paraná e Foz é exclusivamente brasileira. Quanto aos falsos moralistas, é de se pensar o que é postulado nesse AutoEntusiastas:
    a lei incomoda quando serve pra limitar a velocidade e pra proibir uso de telefone celular no volante.
    a lei permite o uso de películas até determinada transparência mínima, eu uso dentre tais limites, mas esse acessório é tratado simplesmente como "coisa do capeta".
    a lei proíbe fumo em locais fechados, ou seja, não é em todo lugar que fumar é legal. fumar ao volante pode causar acidente, assim como falar ao telefone e como películas "saco de lixo".
    é moral comprar uma caixa de cigarro para um filho numa loja duty free para não pagar impostos? não sei. o senhor estaria ajudando a envenená-lo? o falso moralismo brota em tudo que é canto. de boas intenções o inferno também está cheio.

    ResponderExcluir
  48. Rolando Lero29/11/10 14:56

    Prezado Sandoval,

    Acho que você só está querendo polemizar. Imoral ou ilegal seria comprar o cigarro num camelô paraguaio e contrabandeá-lo pela Ponte de Amizade.

    A partir do momento que você compra o produto em um estabelecimento devidamente legalizado e registrado, está tudo certo. Caso você não saiba, o Duty Free é um negócio lícito, que gera empregos e renda.

    Ademais, o filho do Bob é maior de idade, ciente dos riscos do tabagismo. E o tabaco é produto de venda livre no Brasil para maiores de 18 anos.

    Se você acha errado comprar num Duty Free para pelo menos um dia na vida não ser extorquido pelos nossos impostos abusivos, Me informe o seu endereço e CPF, pois vou enviar uns DARF'S pra você pagar!

    Hipócrita de uma figa!

    ResponderExcluir
  49. Não deveríamos estar discutindo sobre automóveis, autoestradas e assuntos relacionados? Claro que impostos estão relacionados à isso tb, mas o mérito de fumar, beber ou seja lá o que for, incentivado ou não pelos pais, é opção pessoal. Quando vermos um comentário maldoso ou fora do contexto, é só ignorarmos. Esse é um meio tão bacana de comunicação, onde aprendemos tantas coisas! Vamos tentar continuar assim?

    ResponderExcluir
  50. Sandoval Quaresma01/12/10 14:33

    É, colega Rolando,
    Tão hípócrita quanto a maioria por aqui.

    ResponderExcluir
  51. Sandoval Quaresma
    Não é proibido falar ao celular dirigindo, não sabia disso? O que é proibido é segurá-lo com uma das mãos. Películas: se a do seu carro não for de 2,86% de transparência - deve ser bem mais escura do que isso, está irregular, fora do limite. Tampouco fumar e dirigir é proibidom quem lhe disse que é? E comprar em loja sem impostos é perfeitamente legal, há várias nos nossos aeroportos internacionais, portanto nada há de imoral em comprar produtos nessas lojas. A fabricaçao e comercialização de cigarros é também uma atividade legal e que rende aos cofre da União mais de R$ 6 bilhões por ano. E fumar envenenasse eu não estaria lhe escrevendo, pois fumo desde 1957, portanto há 53 anos. Vamos parar com hipocrisia? A nação brasileira agradece.

    ResponderExcluir
  52. Bob,
    Deixe a classe política nos aviões mesmo, se tem algo que me deixa muito irritado, é ver aqueles batedores tocando as pessoas como se fossem animais, para os deuses da política passar em segurança. UM ABSURDO! Aliás, ontem minha namorada viu um policial segurando uma ambulância para um carro de político passar! CAAAARA, isso me dá um embrulho no estômago!!! QUE PAÍS É ESTE?

    Ontem também, um motoboy (escória da sociedade), depois de encostar no meu retrovisor (até aí nada demais, mas já irrita) ainda bateu com a pedaleira no parachoque do meu carro (eu estava parado aguardando o semáforo abrir, utilizando perfeitamente a faixa)
    Irritado ao perceber o tranco no carro eu disse: "Poooorrrrr... Vai bater quantas vezes no meu carro?"

    O filho de uma boa mãe, parou a moto alguns metros a frente, se voltou a mim e com tom de ameaça retrucou: "QUE QUE FOI?" e aí soltou algumas palavras bonitas...

    Medo de cara feia, eu não tenho mesmo, mas sabendo que eles são praticamente um bando... ou sei lá o quê... eu respondi numa boa... "E ainda acha que está na razão!"

    Ouvi ainda alguns comentários de veículos ao lado do tipo... "Olha que folgado!"

    Não preciso nem dizer que a vontade era de meter um balaço nesta criatura, mas como tenho muito a perder e a vida do mané não vale nada MESMO! Preferi bancar o "cuzão", assim como ele me chamou...

    Falando em animais... "Quanto mais eu conheço o ser humano, mais eu gosto dos animais!" Não sei quem disse esta frase, mas é uma pessoa muito sábia!

    Desculpem-me pelo desabafo, mas contar estas coisas fazem a gente amenizar aquela sensação ruim de algo que a gente está ainda tentando digerir...

    ResponderExcluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  54. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  55. Você está certo. O Brasil está URGENTEMENTE precisando de estradas de boa qualidade!!! Boa reportagem!


    Rafael

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.