PRISMA, O ONIX SEDÃ




O novo Chevrolet Prisma nasceu com mais sorte que seu antecessor. O Prisma antigo era derivado do popular Celta e nunca foi um best-seller, tanto que saiu discretamente de linha em setembro último. Já o Prisma agora lançado pela GM é derivado do Onix que, lançado no final do ano passado, rapidamente entrou na lista dos 10 mais vendidos no Brasil, com direito a filas de espera em concessionários. Aliás, a força de vendas dos hatchbacks Onix e do HB20 continua crescendo, ambos disputando o quarto lugar no mercado, desbancando o tradicional VW Fox.

Prisma anterior
Pela lógica (que nem sempre funciona no mercado de automóveis) a tendência é a de este novo sedã Chevrolet vender bem, puxado pelo sucesso do Onix. Segundo a GM, o Prisma é um “sedã esportivo”, mas logo explica que a esportividade está no desenho, não no desempenho, já que ele tem apenas opções de motor 1,0 e 1,4-litro. Ou seja, não se trata de outro Vectra GT, uma sigla exagerada para um carro de desenho atraente, mas desempenho apenas normal. E hoje não se pode pensar em carro esportivo com menos de 200 cv.

Compacto Premium
            
Se comparado ao Prisma anterior, o atual ganha com folga em matéria de espaço interno, conforto, suavidade ao rodar e até em design. A nova family face da Chevrolet, que começou com o Agile, ganhou contornos mais suaves e harmônicos com os novos lançamentos. Mas, a maior proeza da engenharia da GM realmente está no peso: a versão sedã, com 30 cm a mais de comprimento, pesa apenas 12 kg a mais que o hatch (1.031 kg para o LT 1-litro, em ordem de marcha, ou seja, abastecido com todos os liquidos e pronto para rodar). Com isso, o desempenho é praticamente o mesmo do hatch, com a versão 1-litro fazendo o 0-a-100 km/h em 12,7 seg e chegando aos 173 km/h, com álcool.

O estilo do novo Prisma é impactante

Já com o motor 1,4-litro, os 100 km/h chegam em 10,1 seg e a máxima é de 180 km/h, sempre com álcool. Com gasolina, como ocorre em quase todos os carros flex, os números caem um pouco. Exceto a velocidade máxima com motor 1,4-litro, que curiosamente se mantém nos 180 km/h, segundo a GM, apesar da potência máxima ser menor com gasolina (98 cv, contra 106 cv com álcool, a 6.000 rpm nos dois casos). Tudo indica que a velocidade máxima é limitada em 180 km/h.
            
Segundo a GM, o Prisma é até mais econômico que seu irmão hatch Onix, devido à melhor aerodinâmica (coeficiente de arrasto 0,32), graças à menor turbulência na traseira.

Apesar da potência e torque mais elevados no motor 1,4-litro (em versões LT e LTZ), o motor 1-litro parece mais acertado nesta geração dos SPE/4 (Smart Performance Economy/4 cylinders), que sucedeu os VHC-E e Econoflex.

A maior mudança visual do motor SPE/4 está nas bobinas individuais

Estes motores SPE/4 receberam um belo banho de atualidade: pistões mais leves, brunimento de cilindros computadorizado, coletor de admissão invertido com novo corpo de borboleta, comando de válvulas oco e mais leve, bobinas individuais e por aí vai. Ou seja, uma série de medidas para diminuir atritos e inércias internas, além de melhorar consumo e desempenho. E, pelos relatos dos donos de Onix (já com estes motores), os carrinhos estão bastante econômicos. 

Vamos ver se agora a GM cria coragem e entra no programa de etiquetagem do Inmetro, já que é a única das quatro fabricantest radicionais ainda fora deste programa que ajuda o consumidor a escolher o produto mais eficiente em matéria de consumo.

Com 80 cv a 6.400 rpm e 9,8 m·kgf de torque a 5.200 rpm, o motorzinho de 999 cm³ empurra o sedã Prisma com dignidade, se mostrando mais elástico e mais disposto a agüentar desaforos do que o 1,4-litro. Afinal, depois de mais de 20 anos de desenvolvimento de motores 1-litro (período em que praticamente eles dobraram de potência no Brasil) estes pequenos motores de 999 cm³ estão com uma maturidade de engenharia dificilmente vista em outras cilindradas. Claro que numa subida de serra com o Prisma carregado, o motor 1,4-litro leva vantagem com seus 13,9 m·kgf de torque a 4.800 rpm e 26 cv mais (números com álcool).

Luxos e quetais

Como será obrigatório em breve, todos os Prismas já vêm, de série, com ABS e EBD (distribuição eletrônica das forças de frenagem), mais as bolsas infláveis frontais. Outro item de série é o sensor de estacionamento traseiro, aliás, bastante necessário. Para ter um grande porta-malas (500 litros), a visibilidade traseira foi bastante prejudicada, atrapalhando principalmente em balizas. Sem o sensor, a motocicleta do entregador de pizza estacionada atrás do Prisma seria atropelada facilmente.

Interior segue as tendência atuais e agrada

Outros recursos eletrônicos esperam jamais serem usados: em caso de colisão: cintos pré-tensionados, portas que se destrancam, pisca-alerta acionado e a linha de combustível cortada.

O interior é agradável, ousado em desenho a ponto de esconder alguns plásticos não tão sofisticados nas forrações. Mas, pontos aparentes no estofamento de algumas versões, além do painel dupla-cabine de comando, disfarçam bem algumas economias em materiais.

Porta-malas de 500 litros é um dos destaques do novo Prisma em relação ao anterior

Com 4.275 mm de comprimento, o novo Prisma vai concorrer com o Volkswagen Voyage e Fiat Gran Siena e pretende atingir o consumidor mais jovem, com filhos pequenos e muita tralha para carregar. Já o Cobalt será o sedã clássico, para consumidores com perfil mais “tiozão”. Assim, o Prisma acrescentou algumas gracinhas eletrônicas como o “Bring your own media”, ou seja, o freguês traz seu celular com sua mídia e passa para o aparelho de som do Prisma via Bluetooth. 

Acrescentou-se ainda mais uma possibilidade, a de se conectar a estações de rádio do mundo todo, via internet (a conta é sua, já que usa a conexão do seu celular). Não chega a ser um rádio por satélite como existe nos Estados Unidos, mas dá para fazer inveja aos vizinhos.

Os preços são LT 1,0, R$ 34.990, chegando a R$ 39.490 com todos os opcionais; LT 1,4, R$ 39.090/R$ 4.390; e LTZ 1,4, R$ 45.990, que não tem opcionais exceto a pintura metálica e que custa R$ 1.000. Há uma série de acessórios originais de montagem em concessionária, inclusive adesivos de personalização, que podem ser vistos no site www.chevrolet.com.br em Monte o Seu. 

Mesmo custando 13,6% a mais que o Onix, tomando as versões 1-litro básicas para fins de comparação, as previsões são otimistas, já que a produção pretende chegar às 6.000 unidades/mês. E se todos estes argumentos não atraírem clientes o bastante, a GM pretende lançar em breve o Prisma com câmbio automático de seis marchas. Afinal, nem todos gostam de trocar de marchas manualmente, principalmente em congestionamentos. Jovem também cansa.

JS        




FICHA TÉCNICA PRISMA 2013

1,0 LT
1,4 LT/LTZ
MOTOR
Designação
1.0 SPE/4, flex
1.4 SPE/4, flex
N° de cilindros/disposição/Instalação
4, em linha, transversal
Cilindrada (cm³)
999
1.389
Diâmetro dos cilindros x curso dos pistões (mm)
71,1 x 62,9
77,6 x 73,4
Taxa de compressão (:1)
12,6
12,4
Trem de válvulas
Comando no cabeçote, correia dentada, atuação indireta por alavanca roletada, compensador hidráulico de folga, duas válvulas por cilindro
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
Potência máxima líquida (cv/rpm)
78 (G), 80 (A)/ 6.400
98 (G), 106 (A) /6.000
Torque máximo liquido (m·kgf/rpm)
9,5 (G), 9,8 (A)/5.200
12,9 (G), 13,9 (A) / 4.800
Corte de rotação (rpm)
6.800
6.300
EMBREAGEM
Tipo
Monodisco a seco
Acionamento
Hidráulico
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo manual de 5 marchas à frente e 1 à ré, tração dianteira
Modelo
F17-5 HR
F15-5 WR
Relações das marchas (:1)
1ª 4,27; 2ª 2,35; 3ª 1,48; 4ª 1,05; 5ª 0,80; ré 3,31
1ª 3,73; 2ª 1,96; 3ª 1,32; 4ª 0,95; 5ª 0,76; ré 3,31
Relação do diferencial (:1)
4,87
4,63
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica
Relação de direção (:1)
18,3
Voltas entre batentes
3,2
Diâmetro mínimo de curva (m)
10,43
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado, 240 mm Ø
Traseiros
A tambor, 200 mm Ø
RODAS E PNEUS
Rodas
Aço. 5J x14
LT aço 6J x 15; LTZ alumínio 5,5 J x 15
Pneus
185/70R14
185/65R15 LT e LTZ
CARROCERIA, CONSTRUÇÃO
Tipo
Monobloco em aço, sedã 4-portas, 5 lugares
Subchassi
Não
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,32
Área frontal (estimada, m²)
2,02
CARROCERIA, DIMENSÕES (mm)
Comprimento
4.275
Largura sem espelho
1.705
Altura
1.484
Distância entre eixos
2.528
Distância mínima do solo
128
130
CAPACIDADES
Porta-malas (L)
500
Tanque de combustível (L)
54
Óleo do motor (L)
3,25 (3,50 com filtro)
Sistema de arrefecimento (L)
5
PESOS
Em ordem de marcha (kg)
1.031
LT 1.029; LTZ 1.079
Carga úitil (kg)
426
LT 428; LTZ 378
Distribuição dianteira-traseira (%)
60-40
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
12,7 (G); 13 (A)
10,7 (G); 10,1 (A)
Velocidade máxima (km/h)
169 (G); 173 (A)
180 (G e A)
v/1.000 rpm, 5ª (km/h)
28,8
32,3
Rotação a 120 km/h em 5ª
4.160
3.700
Rotação à velocidade máxima (5ª)
6.000
5.600
GARANTIA (ANOS)
Três




EQUIPAMENTOS PRISMA 2013

1,0 LT
1,4 LT
1,4 LTZ
Abertura elétrica e remota do porta-malas
S
S
S
ABS com EBD
S
S
S
Acionamento elétrico das travas das portas
N
S

Acionamento elétrico dos vidros das 4 portas dianteiras um-toque descida/subida com antiesmagamento
N
S
S
Acionamento elétrico dos vidros das portas dianteiras um-toque descida e subida com antiesmagamento
S
S
N
Ajuste de altura do volante de direção
S
S
S
Ajuste de distância do banco dianteiro direito
N
S
S
Ajuste elétrico dos espelhos retrovisores externos
N
N
S
Ajuste interno dos espelhos retrovisores externos
S
S
N
Alarme anti-furto
S
S
S
Alças de teto retráteis dianteira e 2 traseiras com cabide
S
S
S
Antena de teto
S
S
S
Aquecedor
S
S
S
Ar-condicionado quente e frio com recirculador
N
N
S
Banco dianteiro direito com encosto reclinável e ajuste de distância
S
S
S
Banco do motorisa com encosto reclinável e ajuste de distância e altura
S
S
S
Bancos revestidos de couro
N
N
O
Banco traseiro bipartido 60/40 rebatível e com dois apoios de cabeça
N
S
S
Banco traseiro inteiriço rebatível e com dois apoios de cabeça
S
N
N
Bolsa infláveis frontais
S
S
S
Bolsa porta-objetos nas laterais dos bancos dianteiros
S
S
S
Bolsa porta-objetos na parte frontal do banco do motorista
S
S
S
Câmera de ré para o sistema MyLink
N
N
O
Carcaça dos espelhos na cor da carroceria
S
S
S
Chave principal canivete com acionamento remoto de destravamento de portas e abertura do porta-malas
S
S
S
Chave-reseva normal, rígida
S
S
S
Cintos de 3 pontos (4)
S
S
S
Cintos dianteiros com pré-tensionador e ajuste de altura de ancoragem quando equipado com bolsas infláveis frontais
S
S
S
Computador de bordo com 5 funções (consumo médio, velocidade média, autonomia, termômetro do ar externo e tempo de viagem)
N
N
S
Conjunto de 4 alto-falantes
N
N
S
Defletor traseiro
S
S
S
Desembaçador elétrico do vidro traseiro temporizado
S
S
S
Direção assistida hidráulica
S
S
S
DVD de encosto de cabeça
N
N
O
Faróis com máscara negra e lente decorativa Ice Blue
N
S
S
Faróis de neblina
N
N
S
Fechamento automático dos vidros das portas dianteiras ao travar portas
S
S
S
Grade do radiador preta com contornos cromados
S
S
S
Iluminação ao deixar o veículo durante 30 segundos
S
S
S
Imobilizador de motor
S
S
S
Instrumentos: conta-giros analógico, velocímetro digital, hodômetro totalizador e parcial, nivel de combustível, relógio digital (quando não ocupado com rádio e medidor do nivel de óleo
S
S
S
Interruptor de travamento/destravamento das portas no centro do painel
S
S
S
Lâmpadas para lanternas e faróis na configuração Effect Blue
O
O
O
Lanternas traseiras com lentes escurecidas
N
S
S
Iluminação do porta-luvas e porta-malas
S
S
S
Luz de localizar veículo ao destravar portas pelo controle remoto
S
S
S
Luz interna e de leitura no teto
S
S
S
Maçanetas de porta internas cromadas
N
S
S
Maçanetas externas das portas na cor da carroceria
S
S
S
Molduras das saídas de ar-condicionado cromadas
N
S
S
Painel das portas com inserto de tecido
N
S
S
Pára-choques com acabamento preto fosco
N
S
S
Pára-choques na cor da carroceria
S
N
S
Pára-sóis com espelho de cortesia
S
S
S
Porta-objetos nas portas dianteiras com porta-garrafas
S
S
S
Porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros
S
S
S
Protetor de cárter
S
S
S
Reostato da iluminação dos instrumentos
S
S
S
Retrovisor interno prismático
N
S
S
Rodas de aço 14 pol. com calotas integrais, na cor prata
S
N
N
Rodas de aço 15 pol. com calotas integrais, na cor prata
N
S
N
Rodas de alumínio 15 pol. com pintura escurecida e acabamento diamantado
N
N
S
Sapatas dos pedais esportivas
N
N
O
Sensor de estacionamento traseiro
S
S
S
Sistema Multimídia MyLink ciom tela LCD de 7 pol., rádio AM-FM, entradas USB e aux-in, áudio streaming, Bluetooth e aplicativos para Smartphone
O
O
S
Tampa do bocal de reabastecimento com chave
S
S
S
Terceira luz de freio
S
S
S
Tomada de 12 V
S
S
S
Trava de crianças nas portas traseiras
S
S
S
Travamento automático de portas ao atingir 15 km/h
S
S
S
Vidros esverdeados
S
S
S
Volante de direção de três raios
S
S
S




N - indisponível  S - de série  O - opcional





 

124 comentários :

  1. Rafael Ribeiro27/02/13 12:09

    Josias,

    Permita-me discordar de sua afirmação "E hoje não se pode pensar em carro esportivo com menos de 200 cv." logo no início do post.

    Na avaliação do Citroen DS3, Bob Sharp afirmou: "Com 165 cv para movimentar 1.165 kg, sendo que a 1.400 rpm já se dispõe de 48 cv, o título do post está certo. Foguete de bolso, diversão pura."

    Concordo mais com o Bob. Para mim, não importa muito quantos cv um esportivo tem, mas sim como ele se comporta, quais os seus resultados no uso. Como aquele ditado: "mais vale um pequeno brincalhão do que um grande adormecido..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrei na hora do DS3 também!

      Excluir
    2. É aquela coisa, não podemos nos valer somente de números absolutos... A relação Kg/cv nos diz bem mais sobre isso...

      Excluir
    3. Corsário Viajante27/02/13 12:43

      2x...

      Excluir
    4. Me lembrei do UP GT que com meros 109hp deverá ser um esportivo no mínimo delicioso de ser dirigido.

      Excluir
    5. Filosofia Colin Chapman... Concordo com você.

      Excluir
    6. Gosto de motores 1.0. Já fiz desgraças com um Fiasa 1.0 e me impressiono com a vitalidade do motor 1.0 VHC-E tem para subir de giro. Até o corte a 6.800 rpm você não sente o motor hesitar, além de vibrar muito pouco. São motores giradores e econômicos, mas um pouco ruidosos, mais devido a falta de forração fono absorvente do que culpa do motor. Outro motor que gostava muito era os Rocam da primeira série, com 65 cv, fazia o meu ex-Fiesta Street andar muito bem e ainda fazer 12,5 km/l no trânsito pesado (2h para rodar 15 km). Não sei porque depois que viraram flex se tornaram motores anêmicos, apesar de ter mais potência...

      Pelo menos com a experiência que tenho é lenda urbana dizer que 1.0 gasta igual aos 1.4 ou 1.6. Sempre foram mais econômicos.

      Excluir
    7. "mais vale um pequeno brincalhão do que um grande adormecido..."
      Mas desejável mesmo seria um grande e brincalhão.

      Excluir
  2. "E hoje não se pode pensar em carro esportivo com menos de 200 cv."

    correto vamos aguardar sair um hatch assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é porque ele nunca andou com o Clio 1,6 de 16 válvulas, hehehe...

      Excluir
    2. Pessoal.
      Desculpem a demora nas respostas, mas estava sem Internet. Claro que a potencia que define um esportivo é variável e até pessoal. A maior variação depende inclusive do tempo. Nos anos 1980 um carro com 100cv já era um esportivo. Da mesma forma, a chegada dos carros de rua aos 200 km/h é outra marca que serve de balizamento para a noção de velocidade em terra. Hoje com os motores 1.0 passando dos 80 cv e em breve chegando aos 100 cv, parece claro que um esportivo deve ter pelo menos o dobro desta potencia, já que o mundo sobre rodas anda em centenas e não em dezenas. Mas, a relação peso/potencia é muito importante e qualquer carro leve, em torno de uma tonelada, já é bem divertido e até esportivo com mais de 150 cv. Bem mais que um Dart com mais de 200 cv. A afirmação não é uma regra, mas algo bastante aceito no meio automobilistico. Um esportivo não algo como uma mulher gravida, que está ou não está gravida. Existem carros meio esportivos, ao contrário de uma garota meio gravida.

      Excluir
  3. O Prisma ficou bonito, tem uma bela traseira! Esse é o ponto fraco, ao meu ver, do Onix.

    Tenho avaliado alguns carros para o meu site e pude constatar com esses sensores de estacionamentos são chatos. Acho que aquele pi pi pi irritante atrapalha mais do que ajuda. O único que gostei é a câmera de ré do Kia Soul, que mostra a imagem colorida no retrovisor interno... muito prático!

    Gosto muito desse 1,4, nem vejo a necessidade de um motor mais forte para esse tipo de carro e espero que venha mesmo com o câmbio automático de 6 marchas. Eu compraria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Portuga, eu acho que esse item deveria ser sempre desativável. Nos VW com I-System, você pode desligar o bip (e regular seu volume).

      Excluir
    2. Thales.
      Tenho quase certeza que no Prisma os bips de ré são desligáveis. Tbém não gosto desta chateação, mas no Prisma é quase um mal necessário, já que visão traseira é bastante prejudicada pela altura do porta-malas.

      Excluir
  4. Mais uma excelente matéria de Josias Silveira, que acompanho há muito. Belo sedãzinho. Boa resposta que a GM deu aos que apressadamente encomendaram seu epitáfio. A renovação da linha Chevrolet é mercadologicamente uma das mais bem sucedidas dos últimos tempos.

    Em tempo: gostaria de uma avaliação do AE sobre o Cobalt 1.8, especialmente o automático.

    ResponderExcluir
  5. Interessante, preciso ver este e o Ônix pessoalmente e fazer um test drive.

    Pena não ter isofix, já que é um sedã voltado a famílias com filhos pequenos, cuja lei obriga o uso de cadeirinha (e outra lei o ABS e AirBag), mas não obriga a existência da simples e barata trava de fixação.

    Vendo o Ônix, Gol e projeções do futuro Ka, não tem como não lembrar do post sobre convergência tecnológica.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do Onix e gostei da versão sedã. Só não gosto do aproveitamento do nome Prisma. Por mim todas as carrocerias derivadas de um modelo teriam o mesmo nome, seguido da identificação do tipo de carroceria, e não um nome cada um, como ocorre no caso do Gol, em que o sedã é Voyage, a pick-up é Saveiro, e a station era Parati. Como eu gosto, ficaria então: Gol, Gol sedã, pick-up Gol, e Gol SW.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em partes:

      Acho que usar o nome prisma num produto novo que não tem relação nenhuma com o carro original (cujo o molde, o celta, ainda está em linha) vai ser um tiro no pé em termos de marketing. Onix sedã, ou um novo nome remetendo à alguma outra pedra preciosa teria muito mais força. Melhor então seria tirar o celta de linha também, e colocar logo o nome celta no lugar do Ônix, e vender pelo mesmo preço, claro... mas aí ia ser pedir demais pra GM...

      Agora, Voyage, Parati e Saveiro são nomes que tem muita força entre os brasileiros.... Prefiro Voyage do que Gol sedã... Aliás tem um antigo aqui em casa, se desse pra trocar pelo novo, não seria nada mal...


      E quanto ao design desse "Ônix Sedã", achei que ficou muito bem acertado, mais bonito até que o hatch... quero ver alguém falar que esse prisma é a cara do Voyage, o que parece um "Gol sedã", rsrsrs.

      Excluir
  7. O que torna um carro esportivo é o seu comportamento, e COMO você consegue usar a potência do motor. Não nego que deve ser sensacional ter um Camaro com seus 400 cv, Mas eu NUNCA vou conseguir levar o conta-giros perto da faixa vermelha nas marchas mais altas. Já com o meu Celta, é diversão garantida, pois mesmo esticando todas as marchas até a rotação de corte, o carro não é muito rápido.

    ResponderExcluir
  8. "Segundo a GM, o Prisma é um “sedã esportivo”, mas logo explica que a esportividade está no desenho, não no desempenho, já que ele tem apenas opções de motor 1,0 e 1,4-litro"

    É tipo NET...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Charles27/02/13 12:43 Quando me lembrei agora do lançamento do Kadett GS em 90, senti vontade de rir com essa frase .

      Excluir
  9. O que não gostava no Prisma antigo era o fato dele ser apenas um celta com porta malas saliente, apertadíssimo. O pior era ouvir alguns (leigos) dizerem que o Prisma era mais espaçoso que o Celta! E eu adorava perguntar para o infeliz como era viajar dentro do porta malas maior.

    Mas agora ele cresceu um pouco e já é melhor acabado, uma boa pedida.

    Só faltou informar o consumo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz a avaliação no campo de provas da GM em Indaiatuba. Prefiro medir consumo em condições mais reais, em uso normal. Lamento mas vai ficar para uma próxima avaliação, qdo se tem o carro por pelo menos uma semana.

      Excluir
  10. Mas como lançam um carro pra concorrer com o próprio Cobalt?

    Zé do Galo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta, Zé do Galo!
      Mas antes dele, também havia sobreposição de produtos nos sedans GM, Prisma, Classic e Corsa Sedan 4300, com a renovação temos Prisma, Classic, Cobalt e Sonic!!!
      Mas, excetuando o Classic, velinho, despojado e abaixo dos trinta, a Chevrolet deixou-os pouco mais espaçados de preço, entre Prisma e Sonic, a despeito de portes similares...

      Excluir
    2. Realmente vai acontecer uma canibalização do Prisma com o Cobalt, tanto que essa história de Prismas mais jovem e esportivo e Cobalt mais sério e tiozão foi uma forma do marketing tentar atenuar este efeito. Mas, claro que um vai comer o outro. Se Prisma emplacar, o Cobalt deve ter alguma queda de vendas.

      Excluir
  11. A imagem que eu tenho da Chevrolet é de total desconfiança, pra mim ela está tentando vender gato por lebre. Vão precisar mais uns 20 anos de esforço positivo para mudarem o meu conceito.

    ResponderExcluir
  12. Apesar de achar esse onix/prisma feio de dá dó,
    parece ser um bom carro.
    Mas acho que mecanicamente ainda falta fazer como os chineses,
    cadê o comando de válvulas variável? ¬¬

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se bem que os chineses tem o mesmo problemas dos franceses de luxo: cadê o motor?

      Excluir
  13. Como é o coletor de admissão invertido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele joga a mistura de ar e gasolina pra fora do motor passando pelo filtro e joga o ar puro pra dentro do motor.

      Excluir
    2. Caros anonimos.
      É facil de entender com uma foto, mas não achei esta bendita foto. Vamos tentar explicar. Normalmente o coletor de admissão fica acima do bloco do motor, na altura ou acima do cabeçote. No caso do Prisma e Onix, o coletor de admissão desce e o corpo de borboleta fica alí pelo meio do bloco, trabalhando de "cabeça para baixo". Na verdade, a borboleta pode trabalhar em qualquer posição num motor injetado, já que ela regula apenas a entrada de ar para o motor. Segundo a engenharia da GM esta solução permite maior velocidade e melhor turbilhonamento do ar. Na pratica, o motor é bem esperto e "redondo", mas existem outros fatores como menor atrito interno e menores massas rotantes.

      Excluir
    3. Opa, Josias... essa descrição bate com o coletor de admissão do corsa 16v, ele desce e o corpo da borboleta fica na altura do bloco, infernal para desmontar. Aliás, nada me tira da cabeça que o Ecotec do Sonic é esse motor do corsa com um banho de loja.

      Excluir
    4. Daniel

      Pois é exatamente isso, o bloco é idêntico.

      Excluir
  14. O sedã ficou com um desenho muito mais equilibrado do que o hatch. O pequeno da impressão de ter uma frente monstruosa e nada na traseira. O Chevrolet tá de parabéns pela linha nova. Com relação a esportividade, depende mais do estilo de condução do que do carro, da pra divertir com quase qualquer coisa...

    ResponderExcluir
  15. Compacto Premium. Eu não li isso.

    ResponderExcluir
  16. Gostei do interior do carro e do trem de força ,mas no visual externo, gosto mais do Prisma anterior , porque esse carro parece uma mistura de Cobalt com Agile ,e essa visão do vidro traseiro é muito ruim ,quem dirigi-lo terá que fazer muito uso dos retrovisores externos ,abraço .

    ResponderExcluir
  17. "Hoje não se pode pensar em carro esportivo com menos de 200 cv."
    E o que dizer do Punto T-Jet e principalmente do DS3? Há ainda Fluence GT, 308, Civic Si... acho que foi infeliz em sua colocação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Si tem alegres 200 cv com gasolina comum... Só peca nas 4 portas...

      Excluir
    2. Anderson.
      Por favor, leia minha resposta um pouco acima, em colocações sobre o mesmo tema. De qq forma, fiquei feliz pela colocação, principalmente pelo fato de alguns terem discordado. Ou seja, abriu a discussão sobre o que é realmente um esportivo. Vale inclusive um bom post sobre o assunto.

      Excluir
    3. Ok, compreendi sua posição.
      Quando postei meu comentário havia apenas 3 comentários postados, mas só foi aparecer bem depois. Essa é uma grande desvantagem do filtro de comentários que foi instalado no blog.

      Excluir
  18. Que doido a GM ter tantos carros entre pequenos e médios. Estamos em 2013, estão lá no site os jurássicos pé-de-boi Celta e "Classic"; a dupla de populares tamanho G (Agile e Cobalt) que pelo visto concorrem com a linha que a Renault inaugurou com Sandero/Logan; a linha de compacto-apertado-premium sonic hacth/sedan que quase não vi nem na rua nem na web (e custava botar ESP?), e enfim a dupla cruze hatch/sedan, que anda de 1.8 enquanto os concorrentes andam de cilindrada 2.0. Ah não... deixa pra lá. Simpatizava com essa marca, mas faz um tempo que não me atrai em nada.

    ResponderExcluir
  19. André Castan27/02/13 13:34

    Josias, ótima reportagem, mas me permita discordar de um ponto. Câmbio automático não é questão de cansar ou não cansar e sim uma questão de gosto. Eu particularmente me canso MUITO mais em um carro com câmbio automático que em um manual, visto que no automático ele nem sempre troca as marchas de forma correta, você precisa usar muito mais o freio, quando se acelera mais forte a resposta não é imediata, etc, gerando irritação e tédio por você não estar no controle da situação. Se você dirige com prazer, você não se cansa e na minha opinião, carro automático é apenas um meio de locomoção e não algo que traga prazer e boas sensações.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson.
      Eu quase concordo com vc. Tbém não sou muito fã de cambio automático. Mas, neste momento, meu esportivo favorito é exatamente um wagon Volvo 850 T5, um velho camburão turbo de 1995 e, claro, com mais de 200 cv. Até tentei colocar um cambio mecanico nela (existe na versão aspirada) mas o pessoal da Volvo me disse que iriam cair engrenagens pela rua. O cambio mecanico não aguenta o torque do motor turbo. Assim, tenho me divertido bastante com a automática. Como tudo na vida, a gente acaba acostumando.

      Excluir
    2. André Castan28/02/13 07:57

      Blz Josias, mas você está falando de um carro bem atípico, que não é o caso dos modelos que temos disponíveis aqui no Brasil. Esses automáticos e automatizados que temos aqui, quase que via de regra, são medonhos. Péssimos no quesito eficiência e prazer. Reforçando que isso é para a minha opinião e gosto.

      Excluir
    3. Perfeito, André. Me espanta essa atual preferencia desmedida pelos automáticos. Dirigi ontem um Civic 2013 automático e... não, para mim não serve. Dá tranco, patina, é indeciso e por aí vai. To fora!

      Lucas CRF

      Excluir
    4. André Castan01/03/13 20:06

      É por aí mesmo Lucas. Fiz o test drive em um Sonic AT. Pedi para fazer no MT mas só tinha o AT. Até gostei do carro, mas o câmbio acaba com qualquer prazer. Andando na "casquinha" até que foi bem. Quando pisei mais forte, vem aquela maldita subida de giro e o carro não se mexe. Dá até desespero. Com certeza absoluta. Tô fora!!!

      Excluir
  20. Daóra essa caranga aí! Umas rodinhas grandes e cromadas, uma abaixadinha e um som e só!

    ResponderExcluir
  21. Será que a GM desaprendeu e não sabe mais fazer motores de 1-6 litros?

    Só para comparação, o Celta de duas portas tem peso de 860 kg, ou seja, 171 kg menos que o Prisma. Isso, caro Josias, faz muita diferença em estradas de mão dupla, principalmente se considerarmos que ambos os motores tem a mesma potência e o mesmo torque.

    Bonitinho ele é, mas só isso. Imaginem em viagem com cinco pessoas e suas bagagens. Inacreditável, não?

    Talvez por isso a maioria dos acidentes, pelo menos no sul do país, ocorre em ultrapassagens feitas em linha reta.

    Sei que tanto você como a maioria não concordarão comigo, mas no meu entender, esse não é "o carro", assim como também o Ônix não é.

    A GM irá vender bem, porque infelizmente brasileiro aceita tudo, desde que seja bonito.

    Mas ruim mesmo são os japoneses da Toyota, que com um excelente carro em mãos, como o Etios, não se propõem a mudar aquele painel tão fora de jeito e dar um acabamento melhor em seu interior.

    Quando resolverem mudar, imediatamente irei buscar um hatch 1,5.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN, temos que entender a faixa de preços que ele se encaixa. Existe algum sedan nessa faixa de preços com força suficiente pra puxar o carro totalmente carregado com o ímpeto que você imagina?

      Excluir
    2. Antônimo do anônimo27/02/13 21:06

      O Symbol é um bom exemplo... O motor 1.6 16v não decepciona, principalmente em alto giro. E o carro pesa relativamente pouco, são 16 kg de torque contra 12.9...
      O fiesta sedan 1.6 tmb anda bem, o mesmo valendo pra voyage 1.6 e grand siena 1.6 16v... todos melhores em desempenho que o tal 1.4... sempre na casa dos 15 a 16kg de torque. Milagre não fazem, mas tem mais fôlego...

      Uma pena a GM ter decidido não ter versão LS e manter o 1.0 na versão de entrada... deveriam ter feito o oposto... versão básica LS, mas com o motor 1.4, mais adequado.

      Excluir
    3. Thales, o Versa tem um belo motor, acho que dá conta, dentro de certos limites..

      Excluir
    4. CCN 141027/02/13 13:39 Motor GM acima de 1.4 bebe que só a fera.

      Excluir
    5. Evandro "dentro de certos limites", ou seja, também não dá. 115 cv num carro de porte semelhante, vai ter desempenho similar ao Prisma.

      Anônimo 21:06, todos os carros que você citou tem desempenho similar ao Prisma. Andam um pouco mais, sim, mas nada que possa falar "esses são bons, e o prisma é manco". Tá na média da concorrência.

      Excluir
  22. Os dados oficiais falam em 0-100km/h na versão 1.0 em 12,7 segundos. Como é que com o mesmo torque, atingido em rotação maior (5200 RPM contra 2500 RPM) e carregando mais 190 kg este carro consegue superar o bravo Mille em 1,5 segundos na arrancada de 0-100km/h? Não estou duvidando do Autoentusiastas, acho que isso é um dado oficial, certo?
    Outra coisa, como é a dirigibilidade deste carrinho? Como é o comportamento deste motor em baixas rotações? Aqui em casa temos dois carros 1.0, um mille e um logan, o mille apesar de menos potente é infinitamente mais prazeiroso de conduzir já que é mais leve e o torque máximo do motor está disponível em um menor regime de rotações.
    Abraço

    Kiko Lanari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou além....


      Apesar das melhorias discretas em relação ao vhc, esse Onix 1.0 é mais pesado que o Celta, tem as mesmas relações de marchas de acordo com a ficha técnica, e ainda a relação é alongada pois os pneus são 185/70r14!

      Tudo bem que essas relações são bem curtas, mas para o celta...

      Excluir
    2. Curva de torque e coeficiente aerodinâmico? e o millinho tem uns 15 cv a menos, bem que podia vir com o 1.3 da Fiorino.

      Excluir
    3. Kiko, o torque máximo do 1.0 da GM vem em rotações altas, mas em baixas rotações já há muita oferta de força. Por isso que números máximos, sozinhos, não explicam muita coisa. Para entender melhor o comportamento do motor, tem que pegar o gráfico de torque x rpm, ou fazer algo que a gente as vezes esquece: dirigir o carro! rs

      Excluir
  23. ...173km/h de máxima real com motor de 1000cm3? E velocidade limitada nos 180km/h reais na versão um quarto maior?

    Não quero desmerecer o carro, mas esses dados são de um otimismo incrível por parte da GM; evidentemente que são apenas dados acadêmicos, de quase nula utilidade no mundo real, mas enfim...

    De todo modo gostei do carro, já tinha andando na versão Hatch (Onix) e achei um carrinho bem legal: honesto, íntegro nas curvas, caixa muito interessante de usar, motorzinho 1.4 bem legal de tocar. Acho que será um sucesso a versão sedan também, mas - como todo insatisfeito - eu acho que ficaria uma coisa realmente séria com o 1.8 embaixo do capô, seria um novo "monzinha" bem legal para viajar.


    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MFF

      Você se lembra da história que te contei de um Classic?

      Então...

      Excluir
  24. Tive um Prisma 2007 que comprei zero e que ficou comigo até 2011. Desse não sobrou nada para o novo Prisma, mas o motor é o mesmo (com pequenos melhoramentos) e o câmbio idem. Só por esse motivo posso dizer que se quisesse trocar de carro hoje, compraria o novo Prisma sem nem olhar os concorrentes!
    Que motor fantástico para um carro desse porte! Fazia frequentemente viagens longas a uma velocidade de cruzeiro de 130 Km/h com médias de consumo acima dos 10 km/l de álcool (só coloquei gasolina uma única vez nesse carro, em todos os seus 90.000 km com ele). Se esse "novo" motor fizer isso, ao menos, já terá conquistado meu coração!

    Já entrei num Onix e achei apertado pra caramba, porém menos que Palio/Siena, Punto, Sonic e que 207/207 Passion, então deve ser isso que se espera para a categoria (para mim deveria ter ao menos o espaço interno do Mille ou do Gol/Voyage, que são OK uma família pequena).

    ResponderExcluir
  25. Que mudança em termos de design em relação ao Prisma anterior - um modelo caro, totalmente sem graça e de acabamento horrível.
    Parece que a Chevrolet ainda tem salvação.

    ResponderExcluir
  26. Filipe_GTS27/02/13 16:10

    "versão 1-litro fazendo o 0-a-100 km/h em 12,7 seg e chegando aos 173 km/h, com álcool"
    Para ver como carro 1-litro bem levado não faz feio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe
      E vc acreditou nesses números oficiais da GM?
      O papel aceita tudo!
      Quero ver um teste

      Excluir
    2. Gente, hoje dificilmente os numeros oficiais diferem muito do que se consegue na prática. Qdo os numeros dos testes forem muito diferentes dos oficiais, desconfiem do piloto e da publicação que fez o teste.

      Excluir
    3. Josias,
      Concordo em gênero, número e grau.
      Por anos tinha esse mito como verdadeiro para mim, até um dia descobrir que certa publicação adotava procedimentos de teste no mínimo estranhos para quem realmente busca aceleração máxima e velocidade máxima... ou alguém acredita que numa reta de pouco mais de mil metros se obtem vmáx?

      MAS

      Excluir
  27. "E hoje não se pode pensar em carro esportivo com menos de 200 cv."

    Hoje não, desde 1973 a Dodge já ditava:

    “Vamos acabar com essa brincadeira de carro esporte com menos de 200 hp."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 200 hp brutos, diga-se.

      Excluir
    2. Lembrei exatemente da mesma coisa. Quem sabe um dia alguem tira esse slogam da geladeira?

      Excluir
  28. Alguem tem informação sobre coeficiente de atrito desse Prisma? ,acho estranho os desenhos dos carros da GM com dianteira alta ,saudade dos tempo da gravata prata.Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cx (coeficiente aerodinâmico) é 0,32.

      Excluir
  29. Por incrível que pareça, a condução do Prisma foi uma das gratas surpresas que nos últimos anos. Muito previsível, anda e faz curvas muito bem, bons freios, sem os exageros de assistencia tão comuns hoje. O bichinho é robusto: aguentou sem chiar dois dias de autódromo na mão de um bocado de alunos: slalom, frenagens, cavalos de pau...
    Espero que esse novo modelo seja tão bem acertado quanto o anterior.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: gratas surpresas que eu tive. Opnião pessoal. Com certeza, não faltam críticos ao modelo antido dessa carro.

      Lucas CRF

      Excluir
    2. CRF

      Concordo, menos com relação ao acerto da suspensão dianteira, mole demais para o meu gosto. Mas o que ele anda... faz muito marmanjo, em carro mais forte, passar calor.

      Excluir
    3. Marcelo Junji27/02/13 23:24

      Para mim foi o pior carro que já dirigi. Balangava até em retas a menos de 60km/h.

      Excluir
    4. FGV, talvez se fosse um pouco mais dura melhorasse o comportamento dinamico.

      Marcelo,

      o Prisma ter sido o pior carro que dirigiu, tudo bem, é sua opnião. Mas convenhamos que nenhum carro hoje tem problemas tão graves de estabilidade. Me parece evidente que o exemplar que dirigiu estava danificado.

      Lucas CRF

      Excluir
  30. Eu não consigo gostar desse carro :S

    ResponderExcluir
  31. O Prisma realmente sempre foi um grande carro, expoente em sua categoria e honrando as tantas qualidades da moderna família do Celta.

    Espero que o nome tome parte e leve o galardão adiante.

    ResponderExcluir
  32. Não me conformo é com o acionamento elétrico só nos vidros da frente (vide 5ª foto). É um insulto ao consumidor, justo nos vidros de trás, que 99% dos passageiros deixa aberto.

    ResponderExcluir
  33. Raphael Hagi27/02/13 17:54

    Não fosse tão caro, encarava esse carro. E sabendo que os concessionários já andam desovando peças do Corsa 2002 como inativos, inclusives motores 1,8 litro completos, ainda estudaria a possibilidade de substituição do SPE pelo "Frequispauér".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim:
      http://www.crestana.com.br/mecanica/motores/motor-completo-idea-1-8-flex-2006-a-2010.html
      http://www.crestana.com.br/mecanica/motores/motor-1-4-corsa-gasolina.html

      Se achar preço mais em conta, por favor, avise-nos.

      Excluir
  34. OFF

    Talvez alguns dos colegas possam me ajudar. Hoje, indo para o trabalho passei por muitas poças d´água e um pouco rápido. Na volta, ao iniciar a partida surgiu um CHIADO FORTE, principalmente ao esterçar. Logo depois parou. Fiquei por volta de uma hora com o carro desligado esperando dar o horário de pegar o meu filho, na escola. Pois bem, ao chegar na garagem de casa, após percorrer +/- 2km, quando fui manobrar, novamente surgiu o chiado irritante. Alguém saberia dizer do que se trata? Pensei em corrente de alternador.
    O carro é um Corolla 2006.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O chiado deve ser a correia que move a bomba da D.H. Esta bomba está sempre girando, mas quanto mais se esterça o volante, maior o esforço que ela necessita do motor. Como você passou em poça d'água, deve ter molhado a correia e ela patina um pouco, daí vem o chiado.

      Excluir
    2. Michel.
      Provavelmente o chiado veio de uma correia, quase sempre a do alternador. Quando está com pouca tensão, a agua diminui o atrito e ela patina. Qdo seca, tudo volta ao normal. É só regular a tensão da correia do alternador, ou troca-la se estiver muito desgastada.

      Excluir
    3. Michel27/02/13 19:01 Michel ,só queria dizer que é necessário esticar a correia da bomba da direção hidráulica ,senão pode estragar a correia ou a bomba ,abraço.

      Excluir
  35. OFF

    Talvez alguns dos colegas possam me ajudar. Hoje, indo para o trabalho passei por muitas poças d´água e um pouco rápido. Na volta, ao iniciar a partida surgiu um CHIADO FORTE, principalmente ao esterçar. Logo depois parou. Fiquei por volta de uma hora com o carro desligado esperando dar o horário de pegar o meu filho, na escola. Pois bem, ao chegar na garagem de casa, após percorrer +/- 2km, quando fui manobrar, novamente surgiu o chiado irritante. Alguém saberia dizer do que se trata? Pensei em corrente de alternador.
    O carro é um Corolla 2006.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo Junji27/02/13 23:14

      O protetor plástico do paralamas deve ter se soltado com o impacto da água, e o pneu raspa nele quando se esterça.

      Excluir
    2. Oi Michel. Não sei a razão, mas a resposta ficou acima de sua pergunta.

      Excluir
  36. Carro 1.0 com 80cv e mais de uma tonelada de peso por 35 mil? Não obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônimo do anônimo27/02/13 21:12

      E melhor que isso... sem ar condicionado na versão básica...
      Particularmente eu não levaria por conta do custo/beneficio... péssimo no mil e desfavorável também no 1,4... compram-se concorrentes 1.6 na mesma faixa de preço.

      Excluir
  37. Não digo que é feio, mas também não chamo de bonito.
    O painel, apesar de bem símples, até que o painel ficou muito bem.

    ResponderExcluir
  38. Chamar de "esportivo" um pequeno sedan com motor 1.0 soa um pouco exagerado.
    Tem muita gente reclamando do preço, mas segundo estão dizendo, já tem fila de espera.
    Ou seja, se determinado produto está vendendo, é porque o preço é competitivo. Eu penso assim.
    Lembrando que o Prisma antigo também sempre foi caro (talvez por isso tenha vendido pouco) e lembrando também que os carros aumentaram de preço (inclusive os usados) nos últimos meses.

    ResponderExcluir
  39. Como é o coletor de admissão invertido? Como funciona isso?

    ResponderExcluir
  40. Parabéns GM. Incrível oque fizeram em 3 anos!!!! Dúvido outra empresa ter esta força!!!

    ResponderExcluir
  41. Ficou bonito, mas acho que merece um motor mais forte, tipo 1.6 16 valvulas ou 1.8 8 valvulas. E o painel no estilo do Cruze. O curioso que os pneus tem medidas 185 e o Honda City (na minha opinião é mais carro) pneus com medidas 175.

    ResponderExcluir
  42. Onix e novo prisma são bons carros, anos luz a frente do horrivel arghile.
    só não gostei do painel com buracos assimetricos. aquilo me incomoda a ponto de procurar outro carro.

    ResponderExcluir
  43. Impressão minha ou ele não tem os contornos azuis nos faróis como no Onix?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que lembro, nos modelos mais top o Prisma tbém o farol "mascara azul".

      Excluir
  44. Esse motor é correa dentada ou corrente de comando? Se for correa dentada já é hora de a GM colocar corrente dde somando nos seus motores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo28/02/13 11:07 Comando no cabeçote, correia dentada, correia dentada na minha opinião acho melhor ,pelo menos a inspeção é mais fácil

      Excluir
  45. Pessoal,

    Vou verificar esses itens informados e tomar as devidas providências.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  46. O carrinho é muito bacana. Os 0,32 de Cx são respeitáveis e devem subir ainda mais a média em estrada (o Hatch tem 0,35)

    Eu só não concordo com a política da GM com o motor 1 litro. Não sei o que o autor quis dizer com os elogios extras ao motor menor uma vez que ambos contam com as mesmas tecnologias e características: Curso de pistão curto, R/L favorável, alta compressão, uma bobina por cilindro etc etc etc. O mesmo não pode-se dizer dos EA111 cujo 1,0L é mais tecnológico que o 1,6L.

    Voltando, acho esses motores 1,0l acanhados. Eu sei que andam bem, mas os malabarismos que temos que fazer para extrair performance deles são desnecessários tendo em vista que motores ligeiramente maiores são estruturalmente idênticos e devem custar o mesmo para a fabricação.

    Uma motorização única para a linha (1,4l, por exemplo) reduziria o custo de produção bem como facilitaria o mercado de peças. A engenharia poderia se focar em menos motores para desenvolver e nós consumidores ganharíamos algo mais divertido de dirigir.
    É ganha-ganha-ganha.

    Mas essa é uma péssima característica do nosso mercado, em geral paga-se 4-5mil a mais por um motor 1,4L ou 1,6L. Não concordo e a GM poderia quebrar isso com o Onix, assim como fez com o Agile.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito que se trata de uma politica da GM mas sim de uma politica governamental. Os carros 1.0 tem menor taxação e assim, preços mais atraentes. Apesar dos recursos do 1.0 e 1.4 serem semelhantes, mostrando a mesma atualização tecnologica, existem pequenos acertos e ajustes que não aparecerem tanto numéricamente. E isto se traduz em sensações ao dirigir. É o quer acontece com o 1.0 do Onix/Prisma. O motor é mais elástico, "gosta" mais de alta rotação e todas as sensações ao dirigir mostram um motor mais bem acertado (novamente em detalhes) que o 1.4. Tanto que eu tbém prefiro motores de maior cilindrada, mas não posso deixar de citar um motor 1.0 que parece bem mais redondo e maduro. Aliás, isto até aparece na ficha técnica quando se compara potencia máxima. O 1.0 tem 80 cv e o 1.4 tem 106 cv (com etanol). Ou seja, a cilindrada aumentou 40% e a potencia não, do contrário o 1.4 teria 112 cv de potencia.

      Excluir
    2. Caro Anônimo de 28/02/13 18:58. Nosso mercado, perto do americano e europeu (principalmente)é muito pobre em motores. Tirando os da Fiat, que mudam a cada estação, só temos oferta de dois ou três motores por modelo. É comum no mercado europeu ofertas de 5 motores e 4 acabamentos e nos americanos, pelo menos um básico de entrada e algumas opções maiores. Já tivemos situação pior, como nos anos 60 que era um motor por modelo, ás vezes para a linha toda. Nos anos 80 é que se firmou a oferta de dois motores (com blocos básicos) de cilindradas diferentes.

      Excluir
    3. Caro Josias, não é uma política governamental apenas. Já passamos da idade de culpar o governo em tudo, ou não? Acima de 1,0 até 2,0 o imposto é o mesmo, e mesmo assim há diferenciações. Dentro da própria GM podemos citar os blocos família 1, 1,4 e 1,8L e preços bem diferenciados. A arrecadação de impostos é a mesma.

      1k2, a oferta de motores no mercado norte americano é bem diferente. Compra-se um 4 cilindros 2,0 ou um V6 3,5L. Não esse monte de cilindrada próxima que temos aqui com diferenças brutais de preço.
      A diferença entre um carro 1,0L e 1,4L é de 4mil reais! Além disso, vivem reclamando dos custos do mercado nacional. Então reduza-os, oferecendo menos opções e DECENTES de motores.

      Um Onix Sedan 1,0L não faz sentido. O carro tem uma capacidade de carga que não poderá ser aproveitada devido à motorização anêmica. Respeito demais esse VHC 1,0, em um Celta de 800kg que vá levar quando muito 4 pessoas. Cada carro tem um motor mínimo para ser usado. Convenhamos.

      Esse Onix deveria ter uma versão 1,4L bem acertada, com 16V de uns 110cv e largo torque em baixa.

      Excluir
    4. Pois é Anônimo 01/03/13 13:46,

      Se amanhã a Ford resgatar o Galaxie e colocá-lo no mercado com o motorzinho 1,3 do Corcel, certamente irá vender.

      O que o brasileiro quer mesmo, infelizmente, é um carro enorme para mostrar para o vizinho.

      O resto é história.


      Excluir
    5. Caro anonimo.
      Não estou culpando o governo ou ninguém, apenas me baseio em fatos. O IPI tem faixas diferenciadas de acordo com a cilindrada. Neste momento em que o IPI está sendo retomado aos seus valores habituais, os carros até 1.0 (por isso todos tem até 999 cc) pagam 2% de IPI. Entre 1.0 e 2.0 o IPI vai pra 7%, ou seja, cinco pontos percentuais acima, o que explica boa parte da diferença de custo entre o 1.0 e 1.4. Já quando se considera os preços entre carros com motores 1.4 e 1.8, o imposto é o mesmo e a diferença de preço de venda tem outras razões, desde o custo do motor (que não é tão diferente assim) até equipamentos e o próprio mercado. Se o consumidor paga, o preço é maior...

      Excluir
    6. Caro anônimo, acabei de entrar no site da Ford Americana, e o Fusion tem três motores oferecidos: 1.6l, 2.0l e um 2.5l todos quatro cilindros, sem contar o híbrido. Mas antigamente era comum oferecer um seis em linha ou em "v" e o resto das opções com 8 cilindros. As antigas ofertas de múltiplos "V8" estão se extinguindo devido ás novas normas que exigem maior eficiência dos carros. Ironicamente, as SUV´s, picapes e utilitários em geral não seguem esse tipo de regulamento e estão liberados. Parece que com a nova norma do CAFE, essa tendência talvez se reverta o faça os americanos confiarem uma vez mais no diesel apesar dos fiascos passados.

      Excluir
  47. Onix SS 1.8 16v 144 cv já. mas esse painel com um porta treco maior que outro tá feio mesmo.

    ResponderExcluir
  48. Josias Silveira e demais colegas, em relação ao questionamento que fiz há dois dias e o qual vocês foram tão solicitos, está resolvido. Hoje procurei o Mozart, mecânico de primeira da Oficina Centro Automotivo Brasília, aqui no SOF norte, próximo ao parque da Água Mineral, DF. Tratava-se do parafuso inferior do amortecedor do tensionador da correia do alternador o qual estava quebrado, coisa nunca vista pelo mecânico, dessa forma ocasionando o afrouxamento da correia e o qual se agravou quando a mesma foi molhada.
    Mais uma vez obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michel.
      Ainda bem que era coisa simples de resolver e estou contente de ter acertado o diagnóstico à distancia.

      Excluir
  49. Vi um Onix bem de perto e, sinceramente, acho que seu estilo é a cópia do Gol. Acho que esse Prisma vai pelo mesmo caminho, atrás do Voyage, claro.

    Tallwang

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E qual o problema nisso?
      De toda forma discordo pois o Prisma está mais para um notchback enquanto o Voyage é um sedã. Veja as traseiras de ambos e comprove você mesmo.

      Excluir
    2. Anônimo 02/03/13 07:57
      Notchback e sedã são a mesma coisa, sinônimos.

      Excluir
    3. Acho que ele quis dizer liftback, mas mesmo assim é diferente. Um carro liftback é um três volumes com traseira semelhante a um hatch (inclusive com a ampla abertura do porta-malas que leva a janela junto) mas com a mesma capacidade de um sedã ou melhor. Exemplos, Escort, Passat, Mondeo "hatch" e tem um que quase um liftback que é o Cruze. Um exemplo bem europeu que foi vendido aqui, além do Mondeo, foi o Toyota Corona.

      Excluir
    4. Bob Sharp e 1k2
      Obrigado. Isso é o que dá ser uma analfabeto em língua inglesa. Mas é isso aí, são desenhos distintos e não dá pra dizer que um é inspirado no outro.

      Excluir
    5. Em tempo, o termo "notchback" veio com a Cadillac ao lançar a linha 1940 do Sixty Special. Até aquele anos os sedãns eram com desenho "fastback" isto é, com o desenho do teto do compartimento dos passageiros e de carga (porta-malas) caindo suavemente até o parachoque, ou com corte na altura do porta-malas (no caso dos mais modernos como alguns "muscle cars" como o Mustang Fastback e seus concorrentes). E também explica o termo "VW sedan" para o fusca apesar dele estar mais para cupê devido ao ínfimo espaço reservado aos passageiros do banco de trás.
      Esse Sixty tinha um volume após o para brisa traseiro ampliando o espaço para a bagagem. Após a segunda guerra mundial o terceiro volume começa a ficar mais horizontal, mas ele é escondido pelas barbatanas e rabos de peixe que viraram moda na época e que foi iniciada pela...
      ...Cadillac. Nos anos 60 é que ele toma o formato que conhecemo hoje.

      Excluir
  50. Não é quase nada diferente. No Familia I, o bloco é idêntico. Aqui no Brasil, qualquer coisa acima de 1,0L virou status. As pessoas enchem a boca para falar que "não é mil" e quanto você vai ver é o que? 1,4L, 1,6L! Meu Deus, nosso mercado automotivo está com os parâmetros totalmente distorcidos! Pior é que a gente aprendeu a gostar desses carros com motores pequenos. Sempre tem alguém tentando justificar que anda bem, é econômico e tal. No fundo a gente sabe que o anda bem é para lá de relativo. Subir uma serra de carro 1,0L é um pé naquele lugar. Esses dias tive o desprazer de dirigir um March com AC ligado. MEU DEUS! No primeiro semáforo que parei, cheguei a pensar que o carro tinha morrido. É muito ruim! Um conforto que custou caro e torna a direção do carro um lixo.

    Por isso insisto na tecla. O custo para se produzir é alto? Que tal poupar centenas de horas de engenharia, uma gama enorme de peças de reposição e oferecer menos motores ao invés de 1,0L economy, 1,0L EVO 1,4L, 1,6L, 1,8L todos em carros pequenos?
    Deve ser por isso que os carros da Fiat passaram a ser beberrões. Haja tempo para acertar tanto motor.

    Se for para ter dois motores num carro, que seja algo realmente melhor, além do mínimo. Um Onix 1,4L como Standard e um 1,8 16V numa versão apimentada. Algo realmente extra.

    ResponderExcluir
  51. Acarreta alguma diferença a aplicação de rodas de tala diferente com mesmo offset? No casso desse prisma na versão LT vem com rodas de aço 6J x 15; Na LTZ alumínio 5,5 J x 15.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *caso
      A pergunta é no sentido que a bitola será maior no modelo equipado com rodas de aço, isso se o offset for o mesmo...

      Excluir
    2. ACOM CÂMBIOORDA CHEVROLET! LANÇA LOGO DE IMEDIATO O PRISMA LTZ CaMBIO AUTOMÁTICO E COMANDO DE SOM NO VOLANTE.
      SE NÃO VOCÊS VÃO LEVAR UM BANHO DA HUNDAY DO DO HB20.
      ACORDA GALERA DA PONTA DE FRENTE DA CHEVROLET.
      EU SO UM QUE NÃO VOU COMPRAR O PRISMA POR ESSE MOTIVO.
      VOCÊS VÃO DAR UM FURO DESSE NOVAMENTE, NÃO ACREDITO!

      Excluir
    3. Resolveu todas as minhas duvidas, obrigado rs!

      Excluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.