FORA DE TÓPICO: PÚBLICO BARRADO DO ESTÁDIO

Foto: Ricardo Matsukawa/Terra



Sei que é totalmente fora de tópico no AUTOentusiastas, mas não posso me esquivar de comentar o absurdo fato ocorrido ontem, uma partida de futebol sem público. Não acompanho futebol, não é meu interesse, mas entendo e, sobretudo, respeito quem aprecia o esporte bretão. Em atenção aos autoentusiastas que gostam de futebol e também por entender que houve um desrespeito às leis brasileiras e ao Brasil, comento em que está o absurdo.

A origem de tudo, como se sabe, foi a inominável morte do adolescente boliviano Kevin Beltrán Espada no jogo Corinthians x San José, em Oruro, Bolívia, pela Copa Libertadores da América, atingido na cabeça por sinalizador disparado de onde se encontrava a torcida do time brasileiro.

Da maneira totalmente incompreensível e absurda, a polícia boliviana prendeu e mantém presos 12 brasileiros, como se 12 pessoas fossem necessárias para disparar o artefato que, diga-se, jamais deve ser usado para outro fim que não sinalizar em caso de acidentes, naufrágios e outra situações de perigo na escuridão. Usá-los indevidamente pode produzir resultados nefastos, haja vista o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), que resultou em 239 mortes até agora.

 Espetáculos musicais ou esportivos já têm sua beleza intrínseca, aplausos e ovações são mais que suficientes para expressar alegria. Não é preciso pirotécnica de qualquer espécie.

O governo brasileiro tem o dever de empreender todos os esforços para liberar o quanto os brasileiros presos na Bolívia, até por força militar se necessário, a exemplo do resgate de reféns isralenses em Entebbe, Uganda, em 1976, presos por ordem do ditador Idi Amin Dada. Mas isso seria esperar demais de um governo fraco, que viu uma refinaria da Petrobrás ser roubada pelo presidente cocalero Evo Morales e absolutamente nada fez, terminando num acordo-pizza de receber metade do que valia a refinaria.

O caso de ontem, o estádio do Pacaembu sem público, significa a transgressão de princípios básicos de direito. Só porque a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) puniu o Corinthians sob a forma de não haver espectadores no jogo de ontem à noite contra o Millonaros, da Colômbia, estendendo-se a punição por 60 dias, não poderia haver público no Pacaembu ontem? Quem essa confederaçãozinha pensa que é? Acha que tem poderes sobre o Brasil?

Confederações de qualquer esporte podem e devem pensar na segurança do público espectador, a exemplo da Federação Internacional do Automóvel (FIA), mas jamais, em circunstância alguma, proibir o acessso do público a um autódromo como punição a uma equipe de competição. Tampouco caberia a esta equipe dizer "não venham ao autódromo domingo". Seria surreal.

Diz a Constituição brasileira que "Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa, senão em virtude de lei". (Art 5º, Inciso II). Cadê a lei impedindo qualquer pessoa entrar num estádio? Por acaso havia aviso na entrada do tipo "Acesso do público proibido em virtude da lei número tal"?

Não foi à toa que o juiz Antônio Carlos de Figueiredo Negreiros, do Tribunal de Justiça de São Paulo, concedeu liminar a Armando Mendonça e mais cinco pessoas para entrar no estádio e assistir à partida. Na minha opinião, nem precisaria ter invocado, como invocou, o Estatuto do Torcedor e o Código de Defesa do Consumidor. Jogos de futebol são eventos públicos até determinação judicial ou legal em contrário. Seria como um prefeito dizer "Não quero que ninguém ande de ônibus hoje".

Fala-se em a Conmebol punir o Corinthians pela presença de "torcedores" no estádio ontem. Com que base? Só torcedores de um time assistem jogos desse time? Existe no documento de identidade de qualquer cidadão a informação de por qual time de futebol torça? Ou será que essa confederação imaginava que bastaria o Corinthians avisar publicamente que a população não pode assistir a jogos de que tome parte?

Posso estar enganado ou esquecido, mas essa foi a maior aberração administrativa que já vi nos meus 70 anos.

BS


104 comentários :

  1. Bob, realmente você não acompanha futebol...

    Essa deve ter sido a quinta ou sexta partida onde a torcida, por decisões da justiça desportiva, não pode entrar no estádio, que já acompanhei.

    A punição por jogos a porta fechadas é algo absolutamente corriqueiro no futebol.

    Como foi decisão dos hermanos, você aproveitou para destilar um pouco de preconceito contra os países da fala espanhola da América Latina. Ou seja, todo o resto.

    Onde estava você quando a justiça desportiva brasileira determinou dezenas de jogos com portôes fechados em partidas entre times brasileiros, no Brasil?

    Sim, os torcedores corintianos estão presos, como suspeitos de terem particiapado do assassinato de um jovem de 14 anos. Felizmente ocorreu lá, e eles, corretamente, não vão dar a moleza que o Brasil deu, ao liberar os assassinos americanos de 154 pessoas do vôo 1907 da Gol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luis Santos28/02/13 10:28 Não sou corintiano ,mas lá na Bolívia é liberado o uso de sinalizadores nos estádios ,não é certo prenderem torcedores para entregarem quem disparou o sinalizador ,isso é pratica de tortura, só é usado em por autoridades ditatoriais .

      Excluir
    2. Speedster, pelo noticiário da tv, os sinalizadores são proibidos tanto aqui quanto na Bolivia.

      A polícia da Bolivia não fez nada de errado; pediu a prisão preventiva de suspeitos que estavam no local do lançamento, tinham resíduos de pólvora nas mãos, e que tinham efetiva capacidade de fugir do país sem essa prisão preventiva. Estariam errados é se não fizessem isso.

      Excluir
    3. Anônimo28/02/13 13:38 Noticiário de TV não significa nada ,manter preso pessoas sem provas consistentes é abuso de autoridade .

      Excluir
    4. A polícia de lá não está mantendo os suspeitos presos sem indícios. Eles estavam no ponto de onde o sinalizador foi disparado (confirmado por imagens de tv), tinham resíduo de pólvora nas mãos (já podem ser presos por disparar um sinalizador proibido) e ainda estavam com outros sinalizadores nas mochilas.

      Eu não gosto nada desse governo atual da Bolivia, mas a polícia de lá, até este momento, está agindo corretamente.

      Nota: eles estão em prisão preventiva porque podem fugir do país.

      Excluir
    5. Até porque se o governo da Bolívia solta, os brasileiros voltam para o Brasil, o culpado também, e nunca mais voltam para pagar pelo crime que cometeram. O governo brasileiro iria defendê-los, e não iria enviá-los para Bolívia para encarar as consequências de seus atos.

      Excluir
    6. Pois é, o Brasil dá moleza sempre: para pilotos americanos assassinos, e para terroristas italianos assassinos. Ou quase sempre: para atletas cubanos querendo escapar do "paraíso" socialista e para blogueira cubana mostrando as verdades sobre o "paraíso" socialista, não dá.

      Excluir
    7. Mr. Car
      Os pilotos seriam assassinos se tivessem agido para derrubar o Gol. O que houve foi um acidente resultado de um erro de operação do Legacy, mas que não teria ocorrido se o controle de tráfego aéreo tivesse feito a parte dele. Um dos controladores foi condenado. Quanto ao Cesare Battisti, abrigá-lo foi um ato irresponsável do molusco.

      Excluir
    8. Homicidas, sim. Culpados de homicidio culposo, ainda que nao doloso.

      Excluir
    9. Mr. Car,

      Nao nos esquecamos de assaltantes de trens!

      O Brasil tem uma longa tradicao de premiar criminosos, seja pelo seu codigo penal, seja por sua classe politica.

      Excluir
    10. Augustine
      Não nesse caso, voando em espaço aéreo controlado. Infringiram regras de operação e de tráfego aéreo, cabe-lhas a punição administrativa, mas acusá-los de homicídio culposo é exagero.

      Excluir
    11. Se voce atropelar alguem por passar nao respeitar a faixa de pedestres e a pessoar vier a falecer, voce e culpado de homicidio culposo. A situacao e analogo a dos pilotos, igualmente homicidas, ainda que nao era sua intencao, pessoas inocentes faleceram devido a seus atos imprudentes.

      Excluir
    12. Augustine
      Se um maquinista de trem exceder a velocidade, mas o controlador do desvio não fez a mudança de linha que tinha de fazer e dois trens colidiram, com dezenas de mortos e centenas de feridos. Quem praticou o homicídio culposo, o maquinista ou o controlador?

      Excluir
    13. Aquele cujo ato foi uma causa mais proxima de morte (em oposicao a causa remota). Neste caso, o maquinista e culpado de homicidio culposo com agravante. O controlador e culpado, por sua omissao negligente, tambem de homicidio culposo com atenuante. A diferenca entre homicidio com agravante ou com atenuante e a duracao das penas.

      Mas nao sou advogado, falo apenas de memoria das conversas com meu tio, portanto posso estar redondamente errado.

      Excluir
    14. Por aí se vê que a moral é bem mais complicada que qualquer lei que exista. Por isso Direito é tão desafiador.

      Pilotos de avião tem de enxergar bem, muito bem. Mas uma vez no ar, ninguém espera que aconteça um desastre como o do 1907, principalmente porque a visão costuma ser mais importante no solo que no ar. O controle de tráfego aéreo tem sua função.

      Excluir
  2. O que ocorre é que não foi o time que provocou a morte do garoto, foi um membro da torcida Gaviões. Assim sendo, uma punição cairia sobre a tal torcida.
    Mas como não é possível controlar o acesso ao próximos jogos filtrando quem é da tal organizada e quem é público normal, pune-se todos.
    Sou torcedor do Corinthians, e achei justa a punição.

    Assistam de casa, é melhor e mais seguro.
    O jogo de ontem foi excelente sem a cambada gritando (o que o pessoal do futebol chama de festa).

    Eu torço para o time, não para a torcida !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou corinthiano e achei injusta a punição, apesar de achar que possa ter algum efeito educativo para todas as torcidas. Mas dizer que sem "a cambada gritando" foi excelente mostra que você não entende o futebol de maneira profunda, aquilo parecia um cemitério, porque até nos treinos há mais expectadores.

      Até no automobilismo, onde o público fica em último plano, é emocionante ouvir a ovação da torcida, seja na F1, WRC ou Nascar.

      Excluir
  3. Discutir a questão da proibição ou não de torcedores no estadio pela Conmebol até vale, está no seu direito.

    Mas a parte dos torcedores presos na Bolívia, responda sinceramente, você conhece a legislação/constituição de lá? Para a reclamação do estadio vazio você cita a constituição do Brasil, OK, mas sobre os torcedores presos não citou nada nem dá que cá (que não teria logica mesmo) ou dá de lá. Quando alguém vai para outro pais, implicitamente ele deve concordar em respeitar as leis desse pais, agora caso ache alguma lei que está sendo descumprida no caso deles altere o texto de forma que fique mais claro, e talvez até possamos entender porque devemos mandar o exercito para resgatar baderneiros além fronteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson
      Mandar o exército porque está evidente o abuso de autoridade diante de um caso de fácil elucidação, doze pessoas não podem disparar um mesmo sinalizador. Simples. Será que está na lei da Bolívia ser lícito tomar a refinaria de alguém?

      Excluir
    2. Bob, tomar uma refinaria é errado, mas segurar em prisão preventiva suspeitos de assassinato que podem facilmente fugir do país não é errado nem na Bolivia, nem aqui e nem em qualquer país decente.

      Excluir
  4. Essa atitude das autoridades Bolivianas ,demonstra a falta de diplomacia e o desrespeito entre os países deste continente .

    ResponderExcluir
  5. BS

    Eu defendo que não só o Corinthians como todos os times nacionais e inclusive a seleção sejam banidas de todas as competições esportivas internacionais por cinco anos. Agredir os outros e entre si impunemente e com o apoio da diretorias dos times só poderia resultar no que deu. Além de ser praxe nos jogos nacionais o mortes e mutilações entre as torcidas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Punir todos os times nacionais por cinco anos, inclusive a seleção? Caro ChAndré, aqui o assunto é sério, por favor. MM

      Excluir
    2. nao seria novidade, já fizeram isso com todos os times ingleses nas competições europeias por causa dos hooligans.

      As torcidas organizadas aqui nao estao muito diferentes, andam em bando, destroem tudo q tem na frente, fazem arrastões, espancam qualquer um q estiver na frente com camisa de time que nao seja o deles.

      Eu pessoalmente nao ando de metro ou onibus aqui em BH em dia do jogo por medo, já passei situações bem complicadas e totalmente desnecessárias por causa de torcida organizada entrando em onibus...

      Excluir
  6. Bob, perfeito, mas infelizmente o pior não é isso.

    Como corintiano fanático (redundância), nunca senti dor tão grande quando ao passar pela rua vestindo a camisa do meu time, fui chamado de assassino por uma pessoa que nunca ví na vida que passou de carro. Fiquei sem reação, pois só nessa hora percebi que existem pessoas que ou não tem sequer um mínimo de bom senso ou então são maldosas mesmo, no sentido de quererem o mal para as pessoas.
    Para mim, o estádio poderia ficar vazio o ano todo (não que eu concorde com isso, é claro), desde que as pessoas passassem a usar isso como aprendizado, não como motivo para cometer mais atrocidades.

    ResponderExcluir
  7. Concordo contigo Bob. É absurda a decisão da Conmebol, que só toma essas atitudes porque sabe que a nossa CBF só se preocupa em novas formas de ganhar dinheiro e espaço político. Os times e torcedores brasileiros sofrem quando viajam para a Argentina, Chile, Uruguai, Bolívia ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E os jogadores também. Em alguns países, são necessários escudos policiais para que um jogador do time visitante possa cobrar lateral ou escanteio. Já passou da hora de punir os torcedores que fazem isso e, caso haja omissão ou cumplicidade, punir o time também.

      Excluir
  8. Luís Santos
    A justiça desportiva, se determinou que uma torcida não pode entrar num estádio, exorbitou, desculpe. O fato de ser corriqueiro jogos a portas fechadas, como você disse, também é exorbitância de atuação. Preconceito meu contra países de fala espanhola é mera interpretação, que refuto. Se você não se irritou com o fato do cocaleiro ter-se apoderado de uma refinaria da Petróbrás, eu me irritei, e muito. Se você acha que são necessáias 12 pessoas para disparar um sinalizador, é bom estudar como funciona um. E você está completamente enganado ao chamar de assassinos os pilotos americanos do Legacy que colidiu contra o Boeing da Gol. Assassino é quem estava monitorando o espaço aéreo e não viu dois pontos em rumo de colisão, estivesse ou não um dos aviões sem identificação de transponder. Ou você acha que um avião que invada um espaço aéreo com objetivo bélico seja identificado por transponder para poder ser detectado pelo radar do sistema de defesa? Acho que não sou o preconceituoso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio28/02/13 16:27

      Bob, desculpe dizer isso, mas você está misturando alhos com bugalhos.
      Se a Petrobrás plantou uma refinaria na Bolívia, onde não tem petróleo, e não no Brasil, onde precisamos delas, é porque aí tem coisa. Além do mais, governos promovem confiscos, é uma regra do jogo e risco calculado para qualquer empresa multinacional, e a Bolívia pode ser pobre mas é um Estado democrático. O Molusco é que não se aplicou em defender nossos interesses, provavelmente porque a coisa já fedia.
      No caso do Legacy, os pilotos foram grosseiramente negligentes ao voar com o TCAS desligado e no nível errado, onde estavam na contra-mão, ou seja, não seguiram o plano de vôo. Isso não exime a ruína que é o controle brasileiro de vôo, com "buracos negros" e controladores mal pagos que não falam inglês, mas se os pilotos tivessem feito isso nos Estados Unidos, levando 200 pessoas para o chão, estariam hoje atrás das grades. Tenho certeza.

      Excluir
    2. Sinto discordar, mas aviação civil é diferente da militar (defesa do espaço aéreo). É muito difícil defender quem estava conduzindo na contramão (os pilotos do Legacy) e causou uma colisão, alegando que a culpa é do guarda, que devia estar de olho e ter impedido.

      Excluir
    3. Anônimo 01/03/13 11:08
      Aviação militar e civil não tem guarda, tem controle de tráfego aéreo sob total e ininterrupta vigilância.

      Excluir
  9. Bob, era isso ou expulsar os corinthians da libertadores, pois existem fatos, e eles mostram que quem ajuda a torcida organizada sao os proprios dirigentes, colocando para dentro do estadios os tais sinalizadores, e todos os clubes que disputam a libertadores Assinam um documento tendo total responsabilidade sobre seus torcedores, ou seja, devem sofrer punicoes, ainda mais depois de ter colocado um menor para forjar uma culpa, isso e ilegal e imoral, mostrando cada vez mais que devem ser punidos nao so os 12 que ajudaram o verdadeiro assassino a jugir, como todos os comparças "torcedores fieis" que brigam e matam todos os anos muitos.

    O corintiano menor de idade H.A.M. era o grande cotado pra levar o Oscar da noite. Mas sua atuação no Fantástico não convenceu os jurados.

    É a primeira vez que vejo um advogado tentando provar que seu cliente é culpado.


    O site Lancenet divulgou o ranking das torcidas organizadas que mais provocaram mortes, ou que mais comeram homicídio. Veja:

    1º Corinthians – matou 13 pessoas
    2º Goias – matou 11
    3º Fortaleza /Palmeiras/ São Paulo/ Vasco – mataram 8
    7º Atlético MG/ Cruzeiro – mataram 6
    9º Ceará/ Grêmio/ Vila Nova – mataram 5
    12º Flamengo/ Paysandu – mataram 4
    14º Bahia/ Sport/ Remo – mataram 3
    17º Atlético-PR/Santa Cruz/Botafogo – mataram 2
    20º Brasil de Pelotas/ Internacional/ Coritiba/ Fluminense/ Avaí/ Guarani/ Ponte Preta/ Santos – mataram 1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos
      Sou o primeiro a condenar toda essa violência, muitas com homicídios em nome da "glória" de um time de futebol. Mas nada, absolutamente nada, justifica impedir o acesso de cidadãos a um estádio para assistir a uma partida de futebol ou qualquer outro esporte. Emoção nunca pode contar nesses casos, mas o bom senso e a lei.

      Excluir
    2. Quem puder veja esse vídeo. Não achei o programa inteiro (30 minutos) mas é de um Jornalista que estudou a gang (torcida organizada) La Doce do Boca Juniors e alerta sobre o que pode acontecer no Brasil.

      http://espn.estadao.com.br/video/270483_gustavo-grabia-participa-do-juca-entrevista

      Excluir
  10. Bob , no mínimo foi uma falta de sensibilidade daqueles 6 palhaços (desculpe o termo, sei que estou ofendendo esta classe de artistas)que conseguiram a liminar para assistir o jogo. A família daquele garoto morto merecia um pouco de respeito. Fica a impressão que " dane-se aquele boliviano, eu quero é torcer pelo curíntia mano " . Como eles não concordaram com a decisão, poderiam pedir a liminar e não ir ao jogo por respeito a família.
    Uma pessoa foi morta (quantas mais serão necessárias?) por fanáticos desocupados e marginais .O mínimo que a COMENBOL/CSAF poderia fazer era isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitor
      Discordo totalmente, desculpe. Há pessoas decentes entre os espectadores também.

      Excluir
    2. Exato, a maioria das pessoas que vai é decente e nunca dispararia um sinalizador propositalmente na direção da torcida adversária. E nem gostaria de ser alvo de um idiota daqueles.

      É por isso que elogio a ação da Conmebol; só punindo as torcidas que fazem isso (e indiretamente os times por elas apoiados) é que esse tipo de ação diminuirá e a paz voltará para que pessoas decentes possam ir ver um bom futebol.

      Excluir
  11. Tá maluco Bob, a partida de futebol não é um evento público, nem mesmo gratuito.

    ResponderExcluir
  12. Raphael
    Precisa de convite para entrar? Se não precisa é público. Como transporte público, tem de pagar, não tem?.

    ResponderExcluir
  13. Bob, isso é apenas para "punir" alguém para diminuir as chances de isso acontecer no futuro.

    O pilho da futa que disparou o sinalizador é "protegido" pela gangue (torcida) , pelo "menor" de baixa renda e seus advogados que estão querendo provar que a culpa é dele.

    Se não houvesse essa punição, não "achariam" e puniriam o imbecil que fez isso e mais imbecis poderiam fazer isso no futuro achando que não "daria em nada".

    ResponderExcluir
  14. Não gosto de futebol e não tenho o menor interesse nesse esporte, mas considero que há um exagero em tudo que se refere a ele.
    É saudável que exista uma aproximação do time pelo torcedor. Afinal, um não existiria sem o outro. O que seria do artista sem o seu fã?
    Mas quando essa admiração, paixão ou qualquer outro sentimento se transforma em possessividade, aflora a agressividade, a vontade de fazer prevalecer a sua opinião de forma imposta e sem respeito pelo próximo, acontece esse tipo de coisa. Brigas de torcida, mortes e violência gratuita em estádios e arredores.
    Pior é quando isso é incentivado pelos "cartolas", por puro revanchismo contra A ou B. Isso não é esporte.
    Esporte é pra educar, mostrar a força do coletivo e mais que tudo, espetáculo.
    Imaginem se os Tifosi partissem pra porrada cada vez que a Red Bull ganhassse uma corrida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que enfim encontrei alguém que também não se interesse por futebol.
      Ver 22 patetas suando e correndo atrás de uma bola, não é para mim.
      Desculpe, Bob, mas já que é off-topic mesmo, vou deixar minha revolta com a violência e a estupidez nos estádios e fora deles. Em nenhuma outra instância o ser humano dá tanta demosntração de selvageria e ignorância.

      Excluir
    2. CSS, me permita te explicar o futebol: não se trata de 22 patetas correndo atrás de uma bola, e sim de 22 homens/mulheres tentando fazer o maior número de gols em 90 minutos. Ok? Da mesma maneira que o automobilismo não se trata de patetas correndo atrás de nada (caso do 1º colocado) ou atrás de outro pateta (caso dos que vêm atrás). Espero ter te ajudado a entender a lógica do esporte.

      Excluir
  15. Mas aí é onde o organizador, no caso a Conmebol pode atuar. Se ela acha que administrativamente deve punir o clube, muda o evento de público para privado.

    Dessa forma, convidados do clube, organizador e imprensa foram recebidos.

    Ao Corinthians cabe tentar recorrer, o fez mas perdeu. Acatar a decisão da Conmebol, ou, tirar seu time da competição.

    O único problema na minha avaliação é o time boliviano não ser punido da mesma forma que foi o Corinthians, pois a ele cabe a responsabilidade da segurança dos torcedores que lá estavam.

    E como já disseram, não é a primeira vez que um clube é punido dessa forma. Quando não é obrigado a jogar com portões fechados, muda-se o estádio para outro fora do Estado ao qual pertence a agremiação.

    Não acho que há problema jurídico nisso.

    ResponderExcluir
  16. A constituicao existe para especificar os deveres do governo e garantir a liberdade dos cidadoes brasileiros. Ela nao se aplica a instituicoes privadas. Enquanto que o governo so pode fazer o que a constituicao o permite, o resto da popiulacao pode fazer tambem o que nao esta especificado nela.

    Portanto, uma confederacao pode fazer o que bem entender, inclusive num espaco publico que ela alugou, ainda que seja patentemente estupido, mas nada de ilegal.

    Um fato da democracia e que pessoas podem legalmente cometer estupidez. Enquanto que isto e triste e, de certa forma, intrinseco a condicao humana imperfeita, a alternativa do estado supervisionar a estupidez dos cidadaos tem um nome: tirania.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augustine
      A Constituição existe para definir direitos e obrigações do governo e dos cidadãos.Todas as leis derivam dela. Um ambiente de acesso público não pode ter acesso limitado a menos que haja lei a respeito. Qualquer pessoa poderia querer assistir ao jogo, sendo ou não torcedor do Corinthians. Torcida organizada é uma agremiação como outra qualquer e jamais pode ter responsabilidade criminal coletiva. Ou um sócio de clube social dividiria a responsabilidade por homicídio com o clube todo. Isso não existe. Se supervisionar a estupidez dos cidadãos é tirania, que seja muito bem-vinda.

      Excluir
    2. A constituicao nao define direitos dos cidadaos, mas apenas os reconhece. Como seres humanos temos direitos antes de qualquer cosntituicao e independente de qualquer estado. A funcao principal de uma constituicao e limitar o poder estatal definindo seus deveres com os quais, sim, todas leis devem se harmonizar a fim de proteger os direitos dos cidadaos.

      Neste caso, a cidade, como proprietaria do Pacaembu, entrou em contrato com times ou confederacoes que podem limitar o acesso ao estadio. Afinal de contas, se tem de pagar para assistir um jogo de futebol no Pacaembu.

      Mas se voce acredita que a estupidez pode ter sua existencia eliminada por legislacao, voce tambem acreditaria que a lei da gravidade tambem ser eliminada por uma caneta? Acho que nao, pois isto seria uma estupidez e estupido voce nao e.

      Excluir
    3. Apenas esclarecendo, constituições de primeira geração preocupam-se apenas em reconhecer e assegurar os direitos naturais (vida, propriedade e liberdade). A constituição brasileira é de segunda geração, com conteúdo programático que assegura aos brasileiros outros direitos, além dos básicos, mediante atuação do Estado (por exemplo, a educação não é um direito que ocorrerá sozinho, precisa do Estado).

      Excluir
    4. Direito existe ou nao existe. Por exemplo, todos tem direito a educacao e ninguem tem o direito de o limitar. Ainda que o direito a educacao nao seja um direito natural, deriva deles, em particular o da liberdade.

      O que consituicoes programaticas como a brasileira fazem e apenas definir o estado como provedor de tais direitos secundarios. Ou seja, ossificando o estado paternalista na carta magna. Mas isto de maneira alguma muda a natureza do direito dos cidadaos, que precede o estado.

      Pessoalmente, sob minha teoria politica, este papel programatico nao cabe ao estado pois ele e incapaz de realizar tal papel de forma competente por definicao, ja que ele nao tem nenhum incentivo para tal. Em caso de duvida, ofereco como prova a vista de sua janela. ;-)

      Excluir
    5. Comecei lendo seu texto e, apesar do tom de contestação, o conteúdo vai ao encontro do que eu escrevi. Então, tudo esclarecido.

      Excluir
  17. Nesse caso, correto MESMO seria impedir não apenas a presença da torcida no estádio, mas a transmissão dos jogos pela TV. Mas aí mexeríamos no bolso de quem não se deve mexer.. então o punido é o torcedor, que sai de casa pra assistir um espetáculo, que, por definição, PRECISA de publico. Mesmo que as receitas dos grandes clubes digam o contrário.

    ResponderExcluir
  18. O lema deles não é "lealdade, humildade e procedimento"? Com base nisto, não fica subentendido "união"?
    Então...

    João Paulo

    ResponderExcluir
  19. Imagina da Copa...

    ResponderExcluir
  20. Como disse ontem um comentarista, o melhor teria sido permitir a entrada da torcida e doar toda a arrecadação à família do rapaz boliviano morto. Seria uma forma de pelo menos se demonstrar alguma preocupação com quem realmente foi prejudicado e sofre com o caso.

    Do jeito que foi feito, só serviu para gerar discussão inócua entre corintianos.

    LF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 28/02/13 14:19
      Foi uma ótima idéia.

      Excluir
    2. A idéia é punir os torcedores corintianos, não permitindo que vejam o jogo, e punir o clube (razão teórica da existência da torcida) assim em futuros casos os torcedores mesmos impedirão uma cagada como essa.
      Em todo o mundo essa punição ocorre, sendo uma das mais pesadas, podendo haver além desta perda de pontos ou exclusão do campeonato. Em minha opnião o Curintia deveria jogar o campeonato inteiro sem torcida e o San José pelo menos a primeira fase.


      E venho a dizer que deve ser a vez que mais discordei do Bob.



      Att. Antonio Gontijo

      Excluir
  21. Umas das poucas vezes em que não concordo com um texto do Bob.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digo (Diego?) Garcia
      Sem problema nenhum, isso é mais do que normal.

      Excluir
  22. Bob
    Creio que a punição aplicada pela conmebol não deve proibir explicitamente a entrada de torcida nos jogos, mas sim impor uma condição, como por exemplo "se houver torcida do estádio o Corinthians perde todos os pontos por ele alcançado" juridicamente nessa sentença, deve haver alguma diferença

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe
      A questão de espectadores não tem absolutamente nada a ver com o esporte em si, portanto não cabe punir esportista privando os cidadãos de assistir o jogo (ou corrida, no caso do automobilismo). Suponha um quadro hipotético de ninguém querer assistir a um jogo cujo um dos times estava "punido" com não ter "torcida". Nesse caso, como ficaria a punição? Ela se dissiparia, perderia o efeito? Essa de realizar jogo sem espectadores a título de punição ao clube é um das maiores aberrações que existe.

      Excluir
    2. Bob
      Sim eu também concordo que isso é um absurdo e que há inúmeras hipóteses que não foram consideradas quando da criação dessa punição(que deve inclusive remontar do início do esporte bretão) mas o grande problema, principalmente no brasil é que há tanto clubismo e falta de organização sindical entre os clubes que nenhum deles tem coragem de peitar a autoridade vigente que acaba criando uma corte paralela, chamada tribunal da fifa, onde as leis do mundo contemporâneo simplesmente não se aplicam. Quando algum torcedor tenta levar questões do futebol aos tribunais normais a fifa pede educadamente que o clube desconsidere sob pena de exclusão do seu quadro e em última instancia manda o clube desrespeitoso para o limbo.
      Mandando uma ideia de que o que acontece dentro da máfia se resolve dentro da máfia.

      Excluir
  23. O que cerca o futebol e faz isso ser corriqueiro como foi dito acima, é um dos absurdos com que quem é apaixonado por esse esporte vive(e no automobilismo há coisas do tipo também). Fazem parte da vida as injustiças, para quem os 12 torcedores presos vão cobrar os dias que passaram em um país que não é o seu, por serem apontados como culpados de algo que não se provou serem? Aliás não adianta "cobrar" isso, pois não são valores monetários em questão.

    Uma coisa que acho é: não tem nenhuma culpa permitir que os torcedores entrassem com esses fogos lá? Depois do acontecido, viram se os torcedores do outro time também possuíam fogos? E em outros jogos?...

    Tal qual no caso da Boate Kiss, um erro revelou vários outros que ninguém dá importância até que algo grave aconteça. Se não fosse o caso deste garoto que perdeu a vida, todos aqui estariam somente criticando o Brasil por causa do caso da boate, mas isso é algo que merece ser pensado não só por aqui.

    ResponderExcluir
  24. Bob, a justiça desportiva existe e é soberana para julgar e condenar na área que a compete. Do meu humilde ponto de vista acho que o Juiz que concedeu a liminar a esses seis cidadãos, deveria considerar que quem julga nesse caso é uma justiça específica, neste caso desportiva, afinal ele não julgaria um caso da justiça criminal por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. O judiciário tem a prerrogativa de julgar a legalidade de qualquer ato. A justiça desportiva não é soberana.

      Excluir
    2. Porém existe uma prerrogativa dentro dos esportes que ao se levar para a justiça comum um caso desportivo o mesmo é dado como perdido na desportiva. Uma maneira de se lavar a roupa suja dentro de casa.

      Excluir
    3. Ocorre também que a punição foi dada ao Corinthians não pela justiça desportiva e sim pela Conmebol que é detentora do campeonato.

      Excluir
    4. Celso de Marchi
      Punição esportiva é uma coisa, impedir cidadãos de entrar no estádio para assistir uma partida de futebol é outra. O público só poderia ser impedido de entrar se houvesse lei ou decreto probindo. O Art. 5°, Inciso II, da Constituição o determina.

      Excluir
  25. Bob, admiro sua capacidade e atitude em sempre querer debater e discutir o certo e o errado, sobre qualquer assunto, mas sinceramente: desnecessário postar futebol nesse blog.

    O público deste espaço vem aqui procurando 1 coisa: carros. Apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 28/02/13 16:10
      Fiquei indignado com a medida "punitiva" e julguei oportuno compartilhar o sentimento aqui. Não é só torcedor do Corinthians que vai aos estádios. O esporte em si nào tem nada a ver com público espectador. Além disso, a rotina do blog não foi alterada, pois foi um post extra. Quem procura carros aqui sempre acha, você sabe disso.

      Excluir
    2. Gabriel Cunha28/02/13 19:26

      O público desse espaço vem aqui procurando um bom exercício para o cérebro, uma boa leitura, uma boa discussão, uma boa reflexão ou uma boa distração, sem compromisso.
      E sempre encontra.
      Liberdade de escolha para ler o que quiser, quando quiser.
      Continuem assim, AUTOentusiastas!

      Excluir
    3. Gabriel Cunha28/02/13 19:26 Apoiado!

      Excluir
    4. Concordo com o Bob e Gabriel Cunha

      Excluir
  26. Lorenzo Frigerio28/02/13 16:14

    A Bolívia tem suas próprias leis e não tem nada que bajular o Brasil. Fez bem, prendeu uns corintianos vagabundos, que deveriam estar trabalhando, ao invés de ir assistir a jogos em outros países fora de época de férias. Basicamente, são uma turba descerebrada e furiosa sustentada por recursos sabe-se lá de que origem.
    A medida de detenção é correta enquanto durarem as investigações. Os corintianos, como todo meliante brasileiro que se preze, já arrumaram um "dimenor" para assumir o crime, bem longe da Bolívia, é claro, e a responsabilidade de todos tem que ser apurada, inclusive no que toca ao uso de expedientes para se obstruir a justiça.
    Em relação ao jogo sem espectadores, ótima decisão; o povão tem que saber que não é ele quem controla o futebol. O único remédio que funciona é aquele que pesa onde dói. Não pensem que a CBF gosta de abrir mão dessa renda, mas o remédio para gente rebelde tem que ser o mais amargo possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo
      Você expressou preconceito ao chamar espectadores de vagagundos sem conhecer a condição deles. Você concordar com jogo sem espectadores mostra que a sua noção de direito é bastante rala, desculpe. E povão não controla futebol, assiste.

      Excluir
  27. Marco Brito28/02/13 16:47

    Bob, não sei dizer se existe ou não razão por parte da COMENBOL quanto à punição, mas observe a notícia no link (http://esporte.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2013/02/27/lazio-fara-dois-jogos-com-estadio-vazio-por-causa-de-racismo.htm) e veja que na Europa o mesmo aconteceu em termos de punição, mesmo sem ter ocorrido qualquer morte. Eu não vejo outra maneira de "acalmar" uma torcida inflamada como a corinthiana, senão coibindo seu acesso aos jogos. Se não for dessa forma, onde estaria o limite dessas barbaridades? Não acompanho muito o futebol, mas tenho uma vaga lembrança a respeito da proibição de torcidas organizadas por um determinado período, buscando evitar-se confrontos após os jogos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco Brito
      É incabível o justo pagar pelo pecador. Que se proíba (e se reviste os espectadores) todo e qualquer arfefato pirotécnico e, por se tratar de multidão, que seja observada e controlada por policiais. É obrigação do estado dar segurança em qualquer circunstância, não é favor.

      Excluir
    2. Marco Brito28/02/13 18:17

      Mas isso é o que seria o correto acontecer, só que não acontece; como fazer então? Veja bem, não acho correta a decisão, mas em face do que temos por aqui com relação à nossa segurança é o que restou.

      Excluir
    3. Bob, todo e qualquer artefato pirotécnico já é proibido pela COMENBOL nos jogos da Libertadores, e imagino que em qualquer outro campeonato em qualquer país. Está no regulamento do campeonato essa proibição. Os times, quando participam de um campeonato, respondem pela sua torcida. Achei totalmente justa a punição imposta ao Corinthians, uma vez que a punição aplicada, não apenas limita o acesso do público nos jogos do Corinthians, mas também limita a arrecadação do clube, que vai perder em torno de 2 milhões de reais por jogo em arrecadação. Essa é uma punição corriqueira no futebol, e eu não consigo enxergar aonde que essa punição não é correta. Se a torcida não sabe se comportar, que aprenda a se comportar para participar dos jogos. Sinceramente, num caso de morte assim, acho que o clube deveria ser expulso do campeonato, simples e direto. Na Europa, uma punição de 5 anos foi aplicada aos clubes ingleses, impedindo eles de participarem da Eurocopa, pela violência que os torcedores ingleses levavam aos estádios, matando dezenas de pessoas na década de 80. Se você torce pelo seu time e vê algo assim acontecer, você fica abalado. Por fim, 12 pessoas não são necessárias para disparar um sinalizador, MAS, todas estavam com vestígio de pólvora nas mãos, então, como disse um amigo aqui do Autoentusiastas, estando com pólvora nas mãos, eles dispararam algum artefato pirotécnico, e dois deles tinham mais sinalizadores intactos em suas mochilas. Portanto, a prisão preventiva desses 12 foi mais que correta! Além disso, há imagens mostrando o setor onde houve o disparo e esses 12 estavam naquele setor. Ou seja, a polícia agiu corretamente, prendendo preventivamente os 12, que terão que esperar pelo julgamento.

      Sinceramente, não entendi porque você acha que a prisão dos 12 não é correta, e dado o regulamento da competição, porque que a punição aplicada ao clube, de não receber torcida em seus jogos também não é correta...

      Excluir
  28. Concordo com o Bob... Apenas mais um absurdo que acontece no Brasil, infelizmente...

    ResponderExcluir
  29. Fiilpe_GTS28/02/13 17:12

    Foi um homicídio horrendo.
    O rapaz que se diz autor apareceu no Fantástico (Globo) envolto na bandeira do time.
    Enquanto os times de futebol forem religião no Brasil e seus insipientes jogadores tratados como semideuses e recebedores de oferendas como mulheres, dinheiro à vontade, supercarros, viagens e roupas de grife, nossa sociedade não vai crescer.
    Aquele beócio do Neymar conta com 11 patrocinadores, além do salário percebido pelo time. Isso significa que ele ganha na Mega Sena todos os meses, enquanto os boçais que berram em frente à Televisão quando ele faz um gol suplicam por R$ 678 mensais.
    Precisamos investir em nós mesmos, crescer como pessoas, ao invés de "deixar a vida nos levar". Temos que ter ambição e vontade de evoluir, em vez de sermos felizes "com tudo que Deus nos deu". Temos muito pouco ou quase nada, perto da elitizada corte que comanda este País e desfruta de tudo o que se pode fruir na vida, ao passo que a massa de manobra cumpre o seu papel de mão de obra barata, em troca de noventa minutos de berros, cerveja à vontade e foguetes brilhando no céu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS
      Concordo plenamente.

      Excluir
    2. Marco Brito28/02/13 18:25

      Excelente sua posição Felipe, mas para que tudo isso tenha possibilidade de acontecer, precisaríamos de mais atitudes tais como aquela que eliminou dos ganhos da classe política os 14 e 15 salários. Acabem com mais gorduras (que não são poucas) e invistam em escolas com no mínimo 8 horas diárias de permanência e ai as coisas poderão começar a tomar um outro rumo. Hoje em dia a maior aspiração de um garoto de periferia é ser um moto-boy ou então ser aspirante de um time de futebol caso tenha sido agraciado pelos céus com alguma habilidade diferenciada.

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio28/02/13 19:36

      Concordo, e os clubes que têm times de futebol profissional são "feudos" onde as coisas acontecem todas no "QI", independente do gabarito educacional dos cartolas, ou seja, são um microcosmo do Brasil. Ou vocês acham que o Ricardo Teixeira e o João Havelange ficaram milionários trabalhando "na raça"?

      Excluir
    4. Ricardo - Vitória ES28/02/13 20:54

      Felipe congratulações! Falou o que faltava ser dito.

      Excluir
    5. Felipe, muito bem dito!!!!!

      Excluir
    6. GTS

      Perfeito! Seria ótimo que milhões de brasileiros pensassem assim.

      Mas, infelizmente, não é essa a realidade.

      Excluir
    7. Filipe_GTS, excelente comentário, concordo 1000%.

      Excluir
  30. Bob, fico triste ao perceber que muitos leitores do blog pensam que torcedores de futebol são todos marginais. Tenho 32 anos, trabalho, sou casado, recebi educação exemplar dos meus pais, nunca tive nenhum problema com a polícia, e sou apaixonado por carros e futebol. Mas parece que ser torcedor agora é burrice, pecado, imoral, etc... Meu pai, meus dois avós e todos os meus tios e primos torcem por algum time aqui do RS, e todos são pessoas de bem. E vamos ao estádio, de vez em quando. Aliás, a maioria das pessoas que vão ao estádio também são pessoas educadas, idosos, mulheres e crianças. Em um estádio de futebol, onde vão 50.000 pessoas, acreditem, a maioria é gente de bem querendo torcer, poucos são os marginais. Identifique-se e puna-se estes, não punam todos, porque eu não mereço ser punido, por exemplo. Abraço. BOSS302.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio28/02/13 19:38

      Comecemos acabando com as torcidas organizadas.

      Excluir
  31. Não estou acompanhando de perto essa confusão toda, mas sobre a prisão dos 12 torcedores, em boa parte isso ocorreu porque o imbecil que efetuou o disparo não havia se entregado. Típico de cabeça de meleca, que faz a besteira e se esquiva depois, fugindo da responsabilidade (por que será que não estou surpreso com essa postura covarde?...) Mas não há dúvidas que houve arbitrariedade nessas prisões.

    Por outro lado, isso tudo é fruto da cabeça medíocre de uma grande parte da população brasileira. A encrenca começa com um idiota que decide levar sinalizadores para dentro do campo e termina com um bando de alienados que apóiam a idéia, sem medir as conseqüências que o uso indevido de tal artefato pode causar.

    E o fato do clube acatar uma decisão de não permitir torcedores em campo é fruto do "Sr. Dinheiro", já que hoje esporte puro acabou. Sinceramente, eu não dou muita bola para isso, pois se esse fosse o maior dos problemas desta terrinha torta eu estaria feliz da vida...

    ResponderExcluir
  32. Bob, não perca seu tempo. O próprio Cristo disse: "Não dê aos cães as coisas santas, nem lançai aos porcos as vossas pérolas". Gente com mentalidade tacanha não vale sequer um segundo do seu tempo.

    ResponderExcluir
  33. A Libertadores é um campeonato de futebol organizado pela Comenbol - Confederação Sulamericana de Futebol, ou seja, uma associação voluntária dos clubes. Antes do início do campeonato, a entidade cria e divulga um regulamento para esse campeonato, cujo desrespeito a determinadas regras são passíveis de determinadas punições. Os clubes que adquirem o direito a participar da Libertadores, se optam por participar, é claro que aceitam tal regulamento, com suas regras e punições. Ora, se a torcida de um clube infringe uma regra, o clube será punido pela sanção prevista e anteriormente aceita! Simples assim: estava nas regras da Libertadores; se o Corinthians aceitou participar da competição, aceitou tais regras a punição equivalente. Não sei qual a dificuldade nisso...

    ResponderExcluir
  34. Anônimo 28/02/13 23:27
    Esse aceitar as regras é como o "Concordo" com os temos de algum aplicativo que se baixe da internet ou quando se faz um check-in de vôo pela internet, todo mundo concorda. Não interessa o que essa confederaçãozinha decida ache ou decida, o fato que jogos de futebol são eventos públicos e não apenas de torcedores de clubes. Estão misturando estação. Clube não têm controle de quem entra num estádio, portanto essa punição é completamente ilegal e fere a soberania de qualquer nação. Confederações ou o que as valham regem o esporte, não os cidadãos. É preciso acabar com essa mania de cada um faz o que quer passando por cima de lei.

    ResponderExcluir
  35. Bob, Primeiramente Parabens por levantar tais discuções no blog,

    Como a Comenbol é a organizadora do torneio quando um clube aceita disputar tal torneio esta tambem aceitando o regulamento imposto pela organizadora, regulamento que mudou no final do ano passado e prevê este tipo de punição.

    Sou Corintiano e lendo alguns comentarios é bem notório que alguns ou são simplismente ignorantes, ou deixam a emoção e fanatismo falarem mais alto!
    Neste caso, pessoal, não importa se é um assassino CORINTIANO, ou sãopaulino ou palmeirense etc. Achei correta a punição, porem acho que isso deva ser somente o começo, vemos a muito tempo não só na libertadores mais em outros torneios, pilhas sendo arremesadas, pedras sendo jogadas, os policiais tem que frequantemente usar os escudos para protegerem os jogadores no campo de serem atingidos, esse sinalizador tomou a proporção que tomou pois causou uma morte, e da mesma forma que alguem que dirige embreagado assume o risco de matar outro, alguem que lança um sinalizador na direção de outra pessoa, mesmo que não tenha a intenção de matar assume esse risco, uma pilha ou pedra pode tambem matar, e as torcidas que cometem estes atos devem da mesma forma serem punidas, não só depois de uma fatalidade. Só acho correta essa punição pois a muito pouco a se fazer para uma tratativa a estas atrocidades não só cometidas por "vandalos corinthianos" mais por seres humanos desprovidos de uma cabeça pensante, e estes existem em todas as torcidas, e se essas punições realmente trazerem algum bem para o esporte sou afavor delas, pois não interessa a qual torcida alguem seja integrado, a ignorancia e estupides de uma pessoa independe disso, e é a esses imbecis que deve ser direcionada a tratativa e para essas amebas, ja que o amor ao clube esta acima de tudo (o que ja mostra que esses individuos tem problemas) estas punições são funcionais pois eles não querem ver seu time prejudicado, sem arrecadação de renda.
    Em relação aos 12 detidos, Bob legalmente eles estão mantidos sobre suspeita de um crime o que é legal, não são necessarios 12 para lançar um sinalizador mais não se sabe qual dos 12 o fez, mais para a justiça Boliviana pode ter sido qualquer um dos 12, eu acho que somente os que estão com reciduos de polvora é que deveriam estar la, porem os outros para a policia são cumplices.
    O que ocorreu com a refinaria me da vergonha de ser Brasileiro, este é um pais sem vergonha nenhuma de ser como é, nossos politicos são uma piada Internacional, e o povo só se reune para ver futebol ou para o carnaval...

    ResponderExcluir
  36. Sr. Bob Sharp, os pobres 12 brasileiros NÃO estão detidos por terem TODOS disparado o sinalizador ao mesmo tempo. Estão detidos por que todos são suspeitos de terem disparado o artefato, já que a polícia técnica encontrou vestígios de pólvora nas mãos de todos, além disso, todos são suspeitos de terem agido como cúmplices na tentativa de ocultação do crime. Tentaram esconder os artefatos e dar cobertura ao criminoso que se misturou no meio deles, o que inclusive, fez recair a suspeita de utilização do artefato sob todos. Se tivesse acontecido no Brasil, os 12 também poderiam ter sido indiciados por suspeita do cometimento do crime ou sua co-autoria. Sua revolta clubística quanto a pena imposta pela Conmebol é justificável, mas insensata. O sr deveria ter pensado da mesma forma em 2005, quando escutas telefônicas apontavam seu time como o beneficiário da máfia do apito, e mesmo assim, os jogos em que o tal árbitro atuou foram anulados pra que seu time pudesse jogá-los novamente (e os havia perdido ou empatado, inicialmente). Lembre-se também, que nesse mesmo ano de 2005, a CBF, aliada de seu time, impediu que qualquer torcedor ingressasse na justiça contra a anulação dos jogos, o que feria o regulamento da competição e estatuto do torcedor, ameaçnado os clubes com severas penas, clubes esses que não poderiam reclamar á Justiça Comum, conforme determinação da FIFA. Deixe a paixão de lado e analise friamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 01/03/13 15:03
      Se você deduziu que torço pelo Corinthians, enganou-se. Não vejo graça em futebol e, obviamente, não torço por clube nenhum. Portanto, a parte do seu comentário relacionada a isso perde todo o efeito, por isso nem me dei ao trabalho de lê-la toda. O motivo do post foi discordar de impedir acesso do público (não de corintianos) ao estádio, sem uma lei que assim o determinasse./ Toda polícia sabe como elucidar um caso simples como esse, não precisa segurar 12 pessoas para investigação, exagero combinado com abuso de poder. Só um disparou o sinalizador.

      Excluir
    2. Anônimo, você fala em clubismo, mas ataca ao Corinthians e fala de um assunto que não tem nada a ver com o que está sendo discutido. Acho que quem esta sendo "clubista" é você, este não é um blog de clubes e a discussão aqui é muito mais abrangente do que sua percepção alcança, aliás muitas pessoas aqui usaram este tópico para expressar sua aversão ao Corinthians, o que mostra que vocês também são limitados, enxergam somente escudos e banteiras... Lamentável!!!!
      Anonimo 01/03/2013 05:12, Muito bem dito!!!

      Excluir
  37. Não gosto de futebol e tenho repulsa por toda essa monocultura esportiva que reina no Brasil.

    Brasil, um país de alienados pelo futebol.
    Rezo para que o Brasil tome uma benga na copa, que não passe das quartas de final.

    Trabalhava com um colega chamado Raimundo, que só sabia falar de futebol o dia inteiro. Gostaria de saber o que acrescenta a vida de alguém saber a escalação do time de 67 do ferroviário. A esses tipos dei o nome de "Raimundistas".

    Abaixo a alienação representada por todos os Raimundistas!

    PADROCA-FLEX!!!

    ResponderExcluir
  38. Bob Sharp,

    Como já disseram, partidas de futebol não são eventos públicos. São eventos privados e organizados por entidades privadas (clubes e confederações) que, em alguns casos, firmam junto ao Estado um contrato de permissão de uso de espaços públicos.
    Os ingressos de um jogo pertencem ao organizador do campeonato que os cede nominalmente aos clubes. Assim, numa partida A x B, ha os ingressos de A e os ingressos de B, cada clube fica com a renda da venda de suas cotas de ingressos, mas também há os percentuais destinados ao organizador do campeonato e ao dono estádio.
    O Corínthians foi proibido de vender sua cota de ingressos como medida punitiva pelo grave incidente que ocorreu na Bolívia, uma punição prevista no regulamento da competição e o poder público não tem nada a ver com isto. No caso daqueles que compraram ingressos antecipadamente, cabe exigir a devolução do dinheiro.

    Em comentário anterior foi feita uma comparação entre a partida de futebol e o transporte público. Esta comparação não faz sentido porque o transporte público é uma concessão de serviço público, regulada por lei específica, e levada a cabo por processo licitatório.

    Entretanto Identificar uma partida de futebol como um evento público, e o estádio de futebol como um espaço público é um grande exemplo de como o futebol é marcado pela confusão entre público e privado, não sei se esta é uma característica exclusiva do Brasil, mas observamos como muitos dos cartolas foram (ou são) pessoas com muita influencia junto ao Estado, por serem altos funcionários de carreira, ou por ocuparem cargos eletivos e que fizeram ações que até hoje geram polêmicas sobre hipotéticos favorecimentos e privilégios, como a construção de estádios privados com recursos públicos, criação de loterias para "salvar" os clubes, aliás o próprio termo "clube" que faz estas entidades se safarem de certas exigências fiscais, também há o caso das volumosas dívidas junto à previdência e ao municípios que vez ou outra são noticiadas e sempre arroladas.
    Talvez o caso mais emblemático seja a CBF, uma entidade privada que substituiu uma entidade pública, a CBD, e que desde então ganha muito dinheiro explorando a marca "Brasil" ao redor do mundo sem trazer recompensas para o país além da subjetividade de supostamente vender uma imagem positiva do país.
    E neste contexto a soa engraçado quando ouvimos alguém dizer que jogador fulano de tal "não honra a camisa da seleção", ou quando exigimos que a CBF atenda ao clamor popular na hora de convocar um tecnico.
    A seleção brasileira é só mais um time privado, mas se tornou um símbolo nacional com o qual muita gente ganha dinheiro

    ResponderExcluir
  39. Ferreirafp03/03/13 12:11

    jejejeje...já achei uma expressão para esses comentários do BOB:"derrapando na curva"...jejeje. Por favor, não se zangue BOB, é apenas uma brincadeira. Mas todos temos direito de expressão e respeito a sua opinião apesar de não concordar com ela. Mas o que agride mais profundamente uma pessoa como eu foi o fato de vc achar que o exército deveria realizar uma recuperação mirabolante destes "animais" dentro da Bolívia. Mas não o culpo, porque isso é só o reflexo de quão necessitados estamos de prover ao povo, educação, noções de direito, cidadania, moral, ética, política e civilidade. Isso me soa quase que como um ato de Barbárie, isto é, tudo ao contrário do progresso, avanço e desenvolvimento como diz nosso amigo Aurélio e se assim o fosse deveríamos retirar da nossa bandeira os dizeres "Ordem e progresso". Enfim, fico imaginando a Dilma, como chefe maior das forças armadas, ordenando aos generais brasileiros que fizessem a recuperação militar dos brasileiros na Bolívia....jejejeje. Vc por acaso consegues imaginar quais seriam as consequências deste ato? Primeiramente e imediatamente, represálias generalizadas ao bem estar e a própria vida dos muitos brasileiros vivem na Bolívia. Depois, tensão militar na zona de fronteira com a Bolívia. Sem falar que os demais países do Mercosul poderiam se meter no assunto e isto ficaria cada vez maior. Imperialismo?

    ResponderExcluir
  40. Não é de hoje que fatos asim acontecem e por causa desta conversa de "direitos", ninguém toma uma providência. Estas torcidas de marginais são patrocinadas pelos clubes e eles devem ser punidos sim, punindo junto os torcedores para que isto acabe de vez. Ficar com peninha não adianta. E esta conversa de lei só mostra o desconhecimento ou desvirtuamento da lei em favor próprio. Aquilo ali, o jogo, é um evento privado e não existe lei que obrigue ao responsável por ele a abrir os portões.

    ResponderExcluir
  41. Anônimo 03/03/13 20:57
    Evento privado, só se fosse um treino de algum time. Era um jogo, com dois times. Por isso os portões têm necessariamente que ser abertos. Se alguém quiser, tem o direito de ver o outro time, não precisa ser o do Corinthians.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teu conceito de evento privado está equivocado. A partida é um evento privado, não a apresentação de um time individualmente. Mas continuemos a defender marginais, vai acontecer o que aconteceu ontem entre a torcida do Palmeiras e os jogadores, lá na Argentina.

      Excluir
  42. Bob, primeiramente desculpe pro chegar atrasado no debate, não sei se você verá a mensagem.

    A libertadores é um evento realizado pela Conmebol, e como QUALQUER evento, esportivo ou não, você deve obedecer as regras impostas pela organização.

    O evento no estádio(este sim um bem público, creio eu) não é necessariamente público. Uma faculdade federal é pública, e não necessariamente qualquer pessoa terá acesso a ela. Caso você não seja um estudante, professor ou funcionário poderá muito bem ser barrado para explicar o que está fazendo lá. Você com certeza poderá ir usar a biblioteca, mas você pode ser questionado sobre o que está fazendo lá e o segurança tem a discricionariedade de deixar você entrar ou não. Não é porque algo é público que a sua utilização é, isso é algo pacífico no direito.

    Eu posso pagar o montante cobrado pelo estádio para realizar uma pelada FECHADA com amigos, não? O que os times fazem é alugar um espaço para jogar e obter renda(através da venda de ingressos). Ao adentrar a competição todo e qualquer time terá que obedecer o regulamento e este estabelece a punição de jogar de portas fechadas.

    Aqui o regulamento disciplinar da Conmebol
    http://www.conmebol.com/sites/default/files/reglamento_disciplinario_ed_2012.pdf
    Artigo 22, item h) obligación de jugar un partido a puerta cerrada

    A punição do time está em perfeita observância das regras da competição e da legislação federal.
    Evento público e evento em local público são diferentes. Um particular pode utilizar do espaço público para a realização de um evento privado (obedecendo a legislação pertinente).

    Quanto à questão dos torcedores se o mesmo fosse feito em Terra Brazilis também estaria correto. Nenhum deles foi condenado pelo homicídio e fico triste quando você respondeu a um comentário dizendo pra pessoa ir pesquisar como funciona um sinalizador. óbvio que é necessário 1 pessoa para acionar o objeto, mas 12 pessoas foram encontradas com traços de pólvora nas mãos, sinalizadores consigo e estavam na área do lançamento do que levou a um garoto a óbito. Não é preciso muito para raciocinar que qualquer um deles poderia ter causado o homicídio e é responsabilidade da polícia descobrir quem foi.

    Se o garoto tivesse morrido por um tiro e 12 pessoas tivessem sido encontradas ao lado da arma, no mesmo local do disparo e todas estivessem com resíduo de pólvora na mão você liberaria as 12 por não saber quem era (com toda a certeza que elas nunca mais seriam encontradas, por terem fugido do país) ou ordenaria a prisão PREVENTIVA de todas até que se pudesse determinar o culpado? O que eles fizeram é totalmente razoável. Só é necessária 1 pessoa para lançar o sinalizador ou disparar um tiro, mas até que se saiba com certeza quem foi todos são suspeitos e potenciais assassinos.

    Um abraço,
    Rl.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.