BRASIL DOENTE

Blitz ridícula no Rio de Janeiro: retenção do tráfego (foto: www..hunf.com.br)

É muito triste ver o nosso país doente. Doente da cabeça.

Anteontem (1/2) tivemos o nojento episódio da eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado, mostrando que os (teoricamente) representantes do povo não estão nem aí para os seus representados. O cara renunciou ao cargo cinco anos atrás por suspeita de irregularidades e, agora, volta, triunfal, eleito pelos seus pares – 56 irresponsáveis –, mesmo sendo denunciado pelo procurador-geral da República ao STF por peculato, falsidade ideológica e desvio de dinheiro público. Ou seja, coisa de ladrão.

Mas, o que tem a ver eleição de presidente do Senado com autoentusiasmo? Tudo.

Pois foi gente dessa laia que aprovou uma lei que constitui um dos maiores absurdos da nossa história republicana, a Lei nº 11.705/98, a propalada lei seca – para dirigir. Uma aprovação pelas duas casas parlamentares e a sanção do presidente República alteraram a vida dos brasileiros para não produzir efeito algum, as estatísticas de acidentes, mortos e feridos estão aí mesmo para provar.

O autor dessa lei que constitui um dos grandes, se não o maior, desserviço ao país, o deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ) nunca analisou o efeito da alcoolemia moderada sobre os motoristas, não olhou exemplos de outros países sérios como Alemanha, simplesmente acha que para dirigir com segurança o motorista não pode ter nenhuma concentração de álcool no sangue. Pior, nunca atentou para o fato de que quem provoca acidentes sob efeito do álcool está com uma concentração elevada da substância no sangue, o popular estar de porre.

Resultado: cidadãos-motoristas de bem, que sempre beberam moderadamente e jamais causaram acidente por esse motivo, precisaram alterar seus agradáveis hábitos de vida – de novo, sem resultado benéfico algum.

Em vez de trabalharem apenas para proporcionar bem-estar e qualidade de vida à população, estes parlamentares irresponsáveis agiram contra o interesse desta, provando terem capacidade da avaliação zero.

Os americanos, com sua gigantesca frota de mais de 200 milhões de veículos, cedo entenderam que trânsito se baseia em três pilares, os "Três E": Engineering, Education and Enforcement, ou seja, Engenharia, Educação e Fazer Cumprir a Lei. Como é óbvio, estamos carentes desses três pontos fundamentais no nosso trânsito.

No caso de fazer cumprir a lei, nunca se fiscalizou o dirigir bêbado com a intensidade verificada a partir da lei seca, quando bastaria fiscalizar com base no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) vigente desde 22 de janeiro de 1998, que já estabelecia o limite de alcoolemia para dirigir. Por isso, muita gente boa, que se julga inteligente, associa lei seca e fiscalização, quando uma coisa não tem absolutamente nada a ver com outra.

Tem-se que ser duro com bêbados do volante? É evidente que sim, mas não com quem não está bêbado. Pois é exatamente o que passou a ocorrer a partir de 19 de junho de 2008, data da promulgação da lei seca.

O absurdo é tal que quem soprar no bafômetro (nome correto: etilômetro) e o aparelho registrar 0,2 miligrama está bêbado. Antes da lei seca não estava, podia chegar a 0,3 mg. Ou seja, a definição de sóbrio e ébrio mudou por meio de uma simples canetada.

Para comparação, na Alemanha o limite é 0,25 mg/L de ar dos pulmões; nos EUA e Reino Unido, 0,4 mg. Só que, quando alguém é flagrado acima desses limites, a pena é dura, o que está absolutamente certo.

Já vi em várias choperias da Alemanha etilômetros na saída do estabelecimento, justamente para que o cliente saiba se pode ou não dirigir.

Aqui se partiu de premissas totalmente erradas. Veja o absurdo que a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), entidade que se espera ser séria, diz a respeito da lei seca: 

"De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), a utilização de bebidas alcoólicas é responsável por 30% dos acidentes de trânsito. E metade das mortes, segundo o Ministério da Saúde, está relacionada ao uso do álcool por motoristas. Diante deste cenário preocupante, a Lei 11.705/2008 surgiu com uma enorme missão: alertar a sociedade para os perigos do álcool associado à direção."

Acredite se quiser no que leu, mas o fato é que a Abramet está completamente equivocada na sua opinião ao não separar o joio (motorista bêbado) do trigo (motorista que bebeu comedidamente, respeitando o limite legal do CTB), colocando todos na mesma vala.

Os limites

Para o leitor-motorista entender bem a questão, os limites de alcoolemia são:

- Código de Trânsito Brasileiro, redação original e aprovada, é a Lei Federal n° 9.503, de 29/09/97:
0,3 mg de álcool por litro de ar alveolar ou 0,6 g de álcool por litro de sangue

- Lei nº 11.705/08, de 19/06/08, complementada pelo Decreto nº 6.488/08, do mesmo dia:
0,1 mg de álcool por litro de ar alveolar ou 0,2 g de álcool por litro de sangue

- Resolução Contran n° 432, de 23/01/13:
0,054 mg de álcool por litro de ar alveolar mas que corrigido por tabela anexa à própria resolução representa leitura no etilômetro igual a 0,08 miligrama de álcool por litro de ar alveolar.
Entretanto, a Deliberação Contran n° 133, de 21/12/12, estabelece 0,1 miligrama de sangue por litro de ar alveolar como tolerância e ela está convalidada segundo o próprio texto da Resolução n° 432.
Como esta Resolução nada diz sobre o limite em decigramas de álcool por litro de sangue, continua valendo 0,2 g de álcool por litro de sangue regido pelo Decreto nº 6.488/08.
Esta alcoolemia, de álcool no sangue, só é medida mediante exame de sangue

Portanto, a recente Resolução do Contran, a de número 432/13, não alterou os limites vigentes antes dela. Com a diferença de que agora, para considerar 0,1 miligrama de sangue por litro de ar alveolar, a leitura do etilômetro terá de ser, obrigatoriamente, pela tabela de correção, 0,14 miligrama de sangue por litro de ar alveolar.

Não posso garantir, mas muita gente já deve ter sido considerada "bêbada" e autuada devido ao aparelho ter registrado esse 0,14 mg/L de ar, excesso de 0,04 mg/L.

Penas mais severas

Em 20 de dezembro de 2012 foi promulgada a Lei n° 12.760, que elevou substancialmente o valor da multa por dirigir bêbado, que passou de R$ 957,70 para R$ 1.915,40. Até aí, todo o aplauso de qualquer pessoa de bom senso. Mas se houver reincidência da infração em um ano, a multa dobra, R$ 3.830,80. Só que os "brilhantes" legisladores se esqueceram de que no ensejo da primeira multa há suspensão do direito de dirigir por um ano e daí ser impossível reincidir nesse período. A solução? Considerar reincidência pura e simples, independente de prazo.

Mas o limite de álcool no ar dos pulmões ou no sangue ficou tão baixo – 0,1 mg/L de ar ou 0,2 g/L de sangue – que o cidadão-motorista arrisca-se a ser punido injustamente. O resultado é a tal da ridícula sugestão de "eleger" uma pessoa do grupo, que não beba nada, para dirigir, ou então tomar um táxi para ir e voltar de um evento, quando antes se podia beber socialmente. Tomar táxi sai caro (o tal 'valor de corrida' e não pelo taxímetro) e, em muitos casos, arriscado, pois não se conhece a capacidade do profissional ao volante nem seu estado de saúde, visão etc.

Eu, particularmente, evito táxi ao máximo. Uma vez, no Rio, mandei o cara parar depois de 500 metros, pois estava de porre; não me sinto realmente confortável andando de carro dirigido por quem não conheço.

Em meio a todas essas mudanças, há a questão de constatação de embriaguez por meio de evidências, gravação de imagens, prova testemunhal e outras. Ora, quem está com até 0,3 mg/L de ar/0,6 g/L de sangue (o limite original do CTB) não está bêbado (apesar de a Abramet achar que está) e, portanto, não mostrará nenhum sinal de assim estar, o que prova ser mais do que adequada a alcoolemia admitida em países como Alemanha e Reino Unido.

A partir da recente Resolução do Contran (23 de janeiro) recomeçou a fiscalização intensa, as conhecidas blitze, com o conseqüente alarde nos noticiários dos meios de comunicação. Na cidade do Rio de Janeiro a coisa beira o ridículo desde o início de 2009, tal o número de "operações Lei Seca".

O mais engraçado é o Art. 2º do instrumento do Contran rezar que "A fiscalização do consumo, pelos condutores de veículos automotores, de bebidas alcoólicas e de outras substâncias psicoativas que determinem dependência deve ser procedimento operacional rotineiro dos órgãos de trânsito.", como se nunca fosse justamente esse um dos papéis desses órgãos, fiscalizar – bêbados ao volante e todo o escopo do Código.

Brasil doente realmente.

BS.

142 comentários :

  1. E o que me deixa mais revoltado com essa lei seca é a incapacidade da maioria dos brasileiros em pensar de forma crítica. Praticamente TODAS as pessoas com quem convivo apoiam essa ridícula lei seca, mesmo aqueles que não a respeitam, ou seja, continuam bebendo socialmente e dirigindo, como se nada houvesse mudado, arriscando-se a tomar punição severa e boa.

    Disso tudo concluo que maioria dos brasileiros não está nem aí para lei alguma, que se dane o bem comum, mesmo quando quando o próprio pescoço está a prêmio. Na última sexta-feira conversei a esse respeito com alguns colegas de trabalho, constatando uma vez mais a hipocrisia que reina nesta terrinha. Por isso que não há redução nas estatísticas assombrosas de acidentes aqui no Brasil. Apoiam leis severas, mas os outros que as cumpram. Insensatez total!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu trabalho já tivemos conversas semelhantes. Não sei se alguém de fato se conscientizou, mas sempre que apresento o argumento de que leis contra o álcool já existiam e o que faltou foi fiscalização, não precisava ter mudado a lei, encerro a discussão.

      Pena que conversas sobre o assunto são raras, já que no local onde trabalho a maioria das pessoas não tem carro. E como sabemos, brasileiro não se preocupa com leis que não os afetam diretamente, por mais absurdas e draconianas que sejam.

      Excluir
    2. Acertou na mosca RR. Eu também acho que o maior problema do povo é a falta de senso crítico. Compram, e comem, até peixe podre, se a propaganda for bem feita.
      Em função disso é que engolem tudo e os discursinhos demagógicohipócritas e bestapoliticamente corretos fazem tanto eco.
      É realmente lastimável...

      Excluir
    3. Corsário Viajante03/02/13 19:05

      As pessoas não gostam de pensar. Então é mais fácil repetir o que ouvem por aí.

      Excluir
    4. Road Runner,

      Antes da Lei Seca, o motorista que bebesse não podia ser demitido por justa causa. Agora pode. Por isso que ficou melhor com essa lei, ficou melhor para os empresários do transporte desse país.

      Excluir
    5. Anônimo 03/02/13 19:33
      É claro que motoristas podiam ser demitidos por justa causa antes, pois já havia limite de alcoolemia no Código de Trânsito Brasileiro. Acima do limite é considerado embriagado. A lei seca apenas mudou esses limites.

      Excluir
    6. Trabalhadores são demitidos por justa causa, e por motivos mais absurdos, todos os dias nesse país. Afirmar que antes da lei seca um motorista profissional não poderia ser demitido por justa causa devido à esta última lei é ridículo!

      Excluir
    7. Corsário Viajante,

      É por aí mesmo. E a lei seca tal como está agora é resultado do lobby da bancada evangélica do Congresso.

      Excluir
    8. Eu acho muito engraçado, fala-se em senso crítico. Fala-se em bom senso. Certo, não discordo do texto e das opiniões contrárias a lei. O que eu questiono é a motivação pela opinião. Estão falando sério ou defendendo a pinga nossa de cada dia? Nos comentários que li não consigo diferenciar a motivação, tem gente falando em "senso" e criticando o rigor da lei pensando só em si mesmo e no seu copo de cerveja.
      .
      Vão me perdoar mas Brasileiro é como criança, não sabe agir com civilidade, poucos sim. A lei era o suficiente. O pessoal respeitava? Não sabe brincar tem que tirar o brinquedo.

      Excluir
    9. "..Vão me perdoar mas Brasileiro é como criança, não sabe agir com civilidade, poucos sim. A lei era o suficiente. O pessoal respeitava? Não sabe brincar tem que tirar o brinquedo..."

      Desculpa, você diz que não discorda do texto nem dos argumentos colocado, e escreve isso? Então você não entendeu o texto. E essa seria uma boa justificativa para um estado de exceção: "Vocês não sabem se cuidar". O que o rigor da fiscalização (Que não vi NINGUÉM discordar daqui) tem a ver com o limite que não protege, apenas limita o cidadão?

      Alessandro-Palmeirense

      Excluir
  2. "Não me sinto realmente confortável andando de carro dirigido por quem não conheço."

    x2

    Há uns 20 anos, viajava muito para Brasília. Ainda não tinha tantos "pardais" por lá. Pois era descer no aeroporto, pegar um táxi, e me sentir num verdadeiro track-day urbano: os motoristas davam 160 km/h no "Eixão" e quase o mesmo nas rotatórias, cantando pneus...

    Quanto ao álcool, os acidentes graves acontecem por causa dos embriagados e esses batem e matam mesmo, nenhuma blitz evita. Portanto, também sou contra criminalizar quem tomou uma cervejinha. Isso é hipocrisia e fúria fi$cal.

    Mesma coisa com os ridículos limites de velocidade. Outro dia fui multado por estar a incríveis 72 km/h numa reta de avenida larga daqui de BH. Quem for irresponsável, anda a 100, 120, bate, mata, atropela, capota e de que vale o limite de 60 km/h? Nem a multa o cara paga. hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minerim,

      sou de BH, assim como voce. Porém, moro em Brasilia desde 97. O que voce falou condiz com os casos que escuto por aqui. Várias pessoas já me contaram terem dado a final do carro no Eixão, e que andar a 120 nos eixinhos era corriqueiro. Infelizmente, não houve dosagem dessa situação de abuso relatada para a de hoje. Baixaram os limites de velocidade de maneira excessiva, e entupiram a cidade de pardais. Os limites estão muito abaixo na velocidade natural da via. Resultado? Detran arrecadando 160 milhões por ano em multas!
      E a sociedade bate palmas, e o repulsivo (vai, Bob, permita-me...) Correio Brasiliense vai encabeçando o movimento...

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  3. Cada dia que passa, me revolto mais com os políticos(ladrões) idiotas desse país, pior ainda somos nós que aceitamos goela abaixo esses absurdos. Parabéns por expressar tão bem nesse post a indignação que todo brasileiro deveria manifestar publicamente, Bob.

    ResponderExcluir
  4. O pior é que a maioria do nosso povo concorda com a lei.

    São as típicas Marias vão com as outras e tudo o que o (des) governo diz e faz, é certo.

    Eu mereço...

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Concordo 100% com o Pisca

      Excluir
    2. Concordo 100% com todos!

      Excluir
  6. Pois é Bob.. Não temos mais o direito de ir a um restaunte e pedir uma massa e um vinho..Esse país só cisalha seus filhos sem dar nada então troca..

    ResponderExcluir
  7. Melhor seria admitir logo que o governo não quer que você beba, em hipótese alguma.

    ResponderExcluir
  8. Tirei uma conclusão deste texto seu. mas já tinha
    O brasileiro adora uma panacéia, para curar todos os males, mas nunca esquecendo que escolheu o bode expiatório. Neste caso o motorista
    Sempre tem este show de palhaçada a cada nova lei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brasileiro age como manada, por impulso e sem pensar. Tem gente que acha que a Lei Seca, por si só, é a resolução de todos os problemas do trânsito. Se esquecem que sem fiscalização e sem punição no Judiciário, de nada adianta uma Lei. Se esquecem também que todas as outras causas de acidente continuam a matar, sem contar o absurdo de juntar no mesmo balaio quem come bombom de licor, bebe uma taça de vinho com bêbados.

      Excluir
    2. As tais panaceias nada mais são do que efeito do direito romano, em que tudo tem de ser legislado. Fôssemos nação de direito comum, as coisas seriam bem mais simples de serem entendidas.

      Excluir
  9. Uma lei seca destas só tem um destino: a desmoralização, pela total incongruência entre a lei e os valores da sociedade. As pessoas se organizarão cada vez mais para proteger aqueles que bebem pouco e que todos sabem que não são perigos ambulantes. Enfim, mais uma lei feita para não funcionar na prática e apenas engordar os cofres públicos com multas. Uma multa de copo de cerveja = 10 multas por avanço de semáforo, em valor, esta é a real motivação das blitz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Extamente o que penso. Desde quando um motorista que bebeu uma cerveja é mais perigoso que um que não respeita semáforos e placas de Pare?

      Excluir
  10. Bob Sharp,

    Minha pergunta : - Quanto aos que vierem a passam no bafômetro, por não haver presença de álcool, mas que fumaram uma maconha, cheiraram uma cocaína, tomaram um LSD, injetaram uma heroína, fumaram um crack, como ficaremos nós à mercê desses infelizes dirigindo completamente alucinados em seu estado de consciência ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mendonça
      Pois é isso, ficamos mesmo a mercê de drogados ao volante, a menos que numa fiscalização mostre comportamente anormal, o que não é comum.

      Excluir
    2. É o que sempre pensei a respeito dessa lei, e sempre apresento esse argumento quando converso com outras pessoas sobre a Lei Seca.

      Beber não pode. Mas fumar maconha, cheirar cocaína, tomar ecstasy ou LSD, injetar heroína, ficar 36 horas sem dormir, pode.

      E me preocupa a possibilidade que, sem poder ingerir álcool, o pessoal comece a compensar consumindo outras drogas que não sao detectadas, mais perigosas. E como diz o Bob, na maioria dos casos o consumo dessas drogas não resulta em comportamento perceptível ao ser parado em uma blitz - mas se tivéssemos patrulhas observando o comportamento dos motoristas, poderia ser notada a direção perigosa.

      Digo por experiência própria que dirigir depois de umas 30 horas sem dormir, mesmo totalmente sóbrio, é pior que dirigir de porre. E se eu tivesse sido parado, não mostraria comportamento anormal, mas ao guiar até o senso de espaço vai pra cucuia. Só pra reiterar, foi algo que só fiz duas vezes na vida nos meus 20, 21 anos, quando era menos responsável.

      Excluir
    3. Será que a lei prevê algum tipo de análise toxicológica para busca de outras drogas ?

      Não são só as ilícitas que foram citadas, tem muitos medicamentos que te deixam mais zureta do que uma garrafa de cerveja, e aí, isso não se fiscaliza ?

      Excluir
    4. Teve um episódio dos "Caçadores de Mitos" nessa semana passada na TV Cultura em que eles compararam dirigir sob efeito de álcool (por volta de 0,6 no bafômetro) e com sono (uma noite sem dormir). Foi criado um percurso e foi contado o número de "barbeiragens" dos motoristas (um homem e uma mulher). No final dirigir com sono teve mais barbeiragens que o dirigir bêbado. Obviamente não dá para usar esse resultado como absoluto, mas é interessante mesmo assim.

      Excluir
    5. Bera Silva
      0,6 no bafômetro é 1,2 g de álcool por litro de sangue: é porre autêntico. Nos EUA o limite é 0,8 g/L, o motorista estava com alcoolemia 50% acima da permitida.

      Excluir
  11. Tudo se tenta resolver por lei no Brasil, não é a toa que é ainda é chamado de "o país dos bacharéis" (no caso, de direito). Tá morrendo muita gente por causa da bebida, endurece a lei. Tá tendo evasão de divisa, cobra iof maior de quem usa cartão de crédito. O Brasil é absolutamente incompetente na ação operacional. Não consegue fiscalizar o trânsito (para tirar os não habilitados e bêbados, os carros em situação irregular, etc) e por isso endurecem a lei, afetando exatamente aqueles que estão SEMPRE corretos. Como a história do iof. Sou assalariado, pago 100% dos meus impostos e jogam nas minhas costas um custo por gastar dinheiro fora do Brasil. O bandido, que usa dinheiro de origem duvidosa PAGA EM DINHEIRO, não usa cartão de crédito!
    Jeitinho brasileiro. Não ficam falando da tragédia recente na boate como se tudo fosse uma questão de lei? Esse povo (o brasileiro) não aprende. Fiscalizar quem tem de ser fiscalizado. Qual o problema? O de sempre, aqueles "apadrinhados do poder - oficial ou paralelo, pequeno ou grande", que não se acha digno de ser tratado como cidadão comum. Aliás, nem se acha cidadão comum.
    É por isso que não se ensina na escola, que se mata no trânsito, que nada funciona neste país. País dos marajás!

    ResponderExcluir
  12. Sinceramente,

    Não é somente por isso, mas só não caio fora desse país porque já não tenho idade (29) para tanto e meu trabalho não permite fácil adaptação lá fora. Mas quando converso com adolescentes, sempre os incentivo - se tiverem condições financeiras - fazer um intercâmbio e tentar fixar raiz no exterior. Brasil não tem mais jeito. Em cada viagem ao exterior, a sensação - ou melhor, constatação - de que o lugar em que vivemos é uma porcaria (para manter o nível) fica mais evidente.

    Quanto à "lei seca" em si. O que mais me deixa indignado são as reportagens estúpidas feitas por jornalistas igualmente estúpidos que vão nos bares/restaurantes azucrinar os coitados dos casais que estão tranquilamente jantando e tomando seu chopinho/vinho. Qualquer um em sã consciência sabe que que tais quantidades de alcool não causam alteração no individuo a ponto de deixá-lo bebado ou ainda causar acidente por esse motivo.

    Também me deixa revoltado nenhum jornalista não questionar as autoridades policiais para ao invés de fazerem blitz para "flagrar" "bebados de listerine, bombom, meio chopinho", normalmente dirigindo carros mais caros - caixinha é maior para se livrar da multa né - andarem por aí e, constatado que o motorista age estranhamente (adicione aí além do dirigir ziguezagueando, farois desligados, não respeitar regras de trânsito) e mandá-lo parar.

    Adicione aí as tais ONGs "alcool zero", que ficam propalando besteiras de que dirigir após tomar qualquer quantidade de alcool e ainda por cima recebem DINHEIRO PÚBLICO para isso. Sim, ONGs recebem dinheiro público, por mais estúpida que seja. Por isso tem ONGs a rodo.

    Sou contrário à blitz policial. Acho ser somente um meio mais fácil de torrar a paciência daquele que não tem nada errado. Já fui parado algumas vezes. Meu carro é todo original, pneus sempre em excelente estado, não tenho insulfilm, faróis sempre acesos quando reduzida luz natural/chuva. Numa das oportunidades, Na av. cupece, eu lá parado, a "otoridade" verificando o lacre da placa, etc, e passando aqueles carros sem condições de trafegar que se vê muito pela região, questionei o policial de porque tais veículos não serem parados, serem que não tem condições de trafegar por uma via pública. Simplesmente devolveu meu documento de disse "pode ir. tá tudo certo".


    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco,

      É aquilo, ter patrulhas circulando e abordando motoristas dirigindo de forma perigosa ou errática, e veiculos sem condições de trafegar, é algo que cansa, dá trabalho, custa dinheiro, não rende caixinha, etc. Agora, a população e a mídia nunca cobrarem isso e aplaudirem blitzes, mostra que o brasileiro é mesmo muito burro.

      Minha situação é a mesma que a sua, hoje em dia só não caio fora daqui por conta da idade e profissão, além de ser muito apegado a minha família (pais, tios, primos).

      Sobre as blitzes, já contei aqui no blog certa vez, quando andava com um Uno Mille branco em excelente estado e totalmente original (vidros não tinham nem película verde, era o famigerado "aquário"), em 9 a cada 10 blitz me paravam. Às vezes vasculhavam o carro inteiro procurando qualquer detalhezinho, extintor, lacre da placa, etc. Depois andei durante um tempo com um Marea de visual bem "bandido", preto fosco (pintura queimada que perdeu o brilho), rebaixado, lacrado no G5, várias "brincadeirinhas" no motor, se me pararam em 1 a cada 10 blitz com esse carro foi muito, e nunca implicaram com nada. Só pediam os documentos e me liberavam. Vai entender...

      Excluir
    2. Além do veículo suspeito a polícia para também indivíduos em atitude suspeita.

      Excluir
    3. Anônimo 15:04,

      Sinceramente. Na verdade, eu acho que param indivíduos de quem eles acham que podem tirar algo e que não aparentam ameaça, isso sim.

      Eu tinha a maior cara e jeito de nerd, menos suspeito que eu impossível... e quase sempre eu estava sozinho no carro, ou com a namorada. Quando é um carro cheio de marmanjos dentro as 3:00 da manhã, até dá pra entender ser parado.

      Se não estavam mal intencionados, só se eles seguem a lógica do "Tudo nesse sujeito parece certinho demais, isso não tá certo, deve ter alguma coisa a esconder" - o que eu considero uma tremenda inversão de valores, mas tudo bem, menos mal.

      Excluir
    4. E eles gostam de parar pobres também. Quanto tinha carros mais velhos, era parado com mais freqüência. Pobre para a "puliça" brasileira é sinônimo de suspeito ou mesmo de culpado.

      Excluir
    5. Anônimo das 15:04,

      Se trafegar às 14h num dia qualquer da semana, um carro totalmente original, com cara meio de nerd (como o Adriano, também me acham meio nerd), camisa social e gravata, é uma atitude suspeita, não entendo mais nada.....

      Me lembro bem. Na oportunidade em que questionei o policial, estavam parados na blitz, eu (Focus), um Polo, um Civic e um Corolla. Enquanto isso, diversos carros podres - literalmente - trafegando tranquilamente pela avenida.

      Tenho a impressão que se um carro desses fosse parado, o cidadão não teria como ser achacado e liberar um $$ pro policial. O carro teria que ser apreendido. Aí precisa de guincho, leva tempo, etc. E eles "querem evitar a fadiga".

      Então, é mais fácil parar um carro de alguém possa liberar "algum".


      Marco

      Excluir
    6. Tenho 40 anos e investi muito tempo na minha formação profissional. Justamente por esses motivos não me animo a ir embora do Brasil. Mas o ambiente é sufocante. O povo é um maria-vai-com-as-outras, os repórteres (e a mídia de maneira geral) não sabem o que dizem, não pesquisam o que acontece em outros países e saem fazendo a cabeça do povão, os políticos...bom...é retrato da população.
      Infelizmente, pessoal, não vou ter tempo de ver o Brasil mais civilizado. Quem sabe em uns 50 anos (se as coisas começassem já) o nosso país estará melhor.
      Mas se eu fosse voltar 20-25 anos, faria como disse o Marco, um intercâmbio no exterior, curso superior lá fora e não voltaria mais.

      RicardoBF

      Excluir
    7. Na entrada da minha cidade, bem no horário de pico da tarde - 18h, fazem uma maldita blitz toda a semana. Pra quê? Sempre no mesmo horário. Atrapalham a vida de todos que trabalharam o dia todo e só querem chegar em casa... O horário da blitz é tão óbvio que qualquer bandido percebe e evita a blitz, sem contar que antes da blitz há um semáforo e um desvio...

      Excluir
  13. Essa fiscalização rígida em torno da bebiba é pra ver se sobra uma "cervejinha" pro agente...

    ResponderExcluir
  14. Caro amigo Bob,,seu texto esta irretocavel.Parabens Hj é domingo agora sao 14.oo hrs acabei de tomar uma taça de vinho tinto aqui em casa,,e comi algumas castanhas do Pará .. Pretendo sair agora para almoçar em um Restautante,,,Vou ter que chamar um taxi,,,,? e agora,,..? e a minha liberdade de ir e vir com meus proprios meios de locomoção..? Esses legisladores estao equivocados,,,Tolerãncia zero para pessoas que nao estao " bebadas " é uma injutiça total ,, vamos ver como irão se comportar os juizes nos tribunais,,ao julgarem os que agiram "fora da Lei" abs do Aguia - hj em SP

    ResponderExcluir
  15. Águia
    Tudo isso é uma total e absoluta insanidade. É matar carrapato matando o cavalo.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. Marco Brito03/02/13 14:26

    A DÚVIDA SISTEMÁTICA DE DESCARTES
    Para Descartes o único critério da certeza era a evidência.
    Há um bom motivo para trazer esse assunto aqui. São as quatro regras que resumem o seu método e que devemos averiguar:
    1º - Não aceitar como verdadeiro senão o que se concebe muito clara e muito distintamente;
    2º - Dividir cada dificuldade encontrada em tantas partes quantas forem necessárias para melhor resolvê-las;
    3º - Conduzir por ordem os pensamentos, começando pelas coisas mais simples e mais fáceis de conhecer;
    4º - Fazer em tudo enumerações tão completas que se fique certo de nada ter omitido.
    Imaginando nossos probos políticos legislando, pode alguém imaginar que aplicou-se ao menos um desses ítens na elaboração dessa Lei Seca? Nem ao menos podemos ter certeza de que a mesma foi elaborada tendo a alcoolemia de seus relatores dentro dos índices estabelecidos.
    Enfim, podemos imaginar que após o show ter sido montado, tudo deverá voltar à normalidade e, sem tantos holofotes (mais ou menos como o que vemos na foto no início da postagem) a cervejinha do agente estará garantida - e por lei - o que é bem pior!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino que 50% (sendo otimista) de nossos legisladores sequer ouviu falar de Descartes. Se muitos não sabem nem quais são os países do BRIC, entre outras obviedades.

      Excluir
  17. Bob, eu vi a repórter na TV reprovada ao fazer o teste após enxaguar a boca com Listerine. Depois disso, fiquei com um medo danado desses aparelhos, que podem ocasionalmente estar mal calibrados. Agora, comer um bombom de licor pode virar crime de trânsito; não é surreal?

    E as tais substâncias psicoativas? Afinal, o etilômetro não detecta o bafo de maconha, cocaína, nem de meros tranquilizantes! Assim, ficam soltos e impunes os talvez milhares de motoristas que, sob o efeito dessas drogas, põem os outros em risco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz
      Vi também essa reportagem. Você tem razão, é para se ter medo desses aparelhos mesmo. Quanto às substâncias citadas, tá limpo...É surreal o que estamos vivenciando.

      Excluir
    2. É isso aí.

      Quem nunca tomou um remédio e passou o resto do dia sonolento. Existem alguns remédios para o estômago (não me recordo o nome, faz tempo que a gastrite não tem me atacado) que dão muito, mas muito sono.

      Vocês conhecem alguém que deixa de dirigir por tomar um remédio que na bula afirme "pode causar sonolência"?

      Sobre a maconha, é mais fácil encontrar quem diga sobre os tais "efeitos positivos" do que alguém que critique a tolerância zero ao alcool.



      Marco

      Excluir
    3. É por isso mesmo que estou encomentdando uma daquelas câmeras de parabrisas, tão comuns na Rússia. Vou filmar todos os meus deslocamentos e caso seja parado, me recuso a soprar o bafômetro. Não terá como o guarda dizer que eu estou com sinais de alcoolemia, uma vez que terei as provas em vídeo do meu estado e de com eu estava dirigindo.

      Excluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Eduardo Komarcheuski
      Se esse tipo de cerveja contiver algum álcool, você poderá ter problemas.

      Excluir
    2. Carlos, nada mais escapa dessa lei idota:
      http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/02/03/interna_gerais,348072/nem-spray-bucal-escapa-do-bafometro.shtml
      O negócio é, se bebeu pouco, não sopre o bafômetro e nem deixe te fazerem exame de sangue. Tente filmar sua condição, para provar que não está numa condição onde ponha o risco os outros, ou seja, a condição de crime. O guarda de trânsito não tem capacidade de dizer se você tem índice de alcool acima do que seria considerado crime, a não ser claro que esteja totalmente bêbado e até um bebezinho possa dizer que est.eja bêbado.
      E o pior e tudo que o brasileiro tá batendo palma pra essa lei. "Viva" o politicamente correto.

      Excluir
  19. Bob, permita-me o desabafo/constatação, e publique se achar que deve: Renan Calheiros lá outra vez, apesar de tudo que já aprontou...isto aqui vai ser um país de m*rda até o último minuto do final dos tempos. Quem viver, verá. O resto todo, incluindo o sujeito estar "bêbado" por comer um bombom de licor ou usar um antiséptico bucal, é conseqüência.

    ResponderExcluir
  20. Eu não vou nem comentar a parte em que o Bob (com essa mania de generalizar muitas coisas, e só fica preocupado em separar o joio do trigo quando lhe convém!)fala mau de taxista, como se a maioria fossem marginais, que só cobram no tiro ou andam bebados por aí pela ruas do rj....
    Mas de resto estou 100 % de acordo com o post!
    Eu sou taxista (e com muito orgulho!), trabalho muito e na honestidade por uma grande cooperativa de taxi no rj, e depois de já ter rodado por 12 horas estava cansado e doido para chegar em casa, quando eu fui importunado por uma lei seca, um trânsito absurdo, e ainda por cima eu fui parado, e ainda tive que escutar todo um blá-blá ridiculo que eles fazem quando para o motorista, e depois eu só falei: - estou cansado trabalhei 12 horas e quero ir embora para casa, só isso! ele me passou a frente de uma fila kilométrica (um absurdo) fiz o teste e logicamente fui liberado! Essa lei seca foi na estrada intendente magalhães, na vila valqueire, rj. Um completo absurdo! O estado do rj só lembra de cumprir as leis que lhe convém, como as vistorias anuais que é uma nojeira só e as blitz da lei seca! Nisso o estado do RJ é rápido e rasteiro e EFICIENTE! Pena que não é assim com a educação, saúde...... lamentável!

    O taxista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo taxista
      Pelo que você diz, seu comportamento como profissional é exemplar, parabenizo-o. Infelizmente, boa parte da sua categoria não é igual a você, que deve ter consciência disso.

      Excluir
  21. O que surte efeito real é o PATRULHAMENTO. Nos EUA, qualquer motorista com comportamento estranho ao dirigir é abordado e submetido a testes básicos de equilíbrio. Caso apresente alteração, então é preso e levado para ser submetido a exame de sangue, pois não é só o álcool que compromete o estado geral da pessoa, pode ser efeito de certos medicamentos, sono, etc. Além disso, diferentes pessoas possuem diferentes tolerâncias ao álcool. Uma mesma quantidade de bebida produz diferentes efeitos em indivíduos diferentes. Justiça é tratar os desiguais com desigualdade, e não colocar todos no mesmo saco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por falar em EUA, dois links interessantes para quem acha que a lei seca é a panacéia para zerar os acidentes de trâmsito:

      http://www.atg.wa.gov/InGeneralPost.aspx?id=29138

      http://www.abc2news.com/dpp/traffic/traffic_news/'mythbusters'-test-to-see-if-tired-drivers-are-as-dangerous-as-drivers-who-have-been-drinking

      Excluir
    2. Concordo totalmente. Todo motorista alterado deveria ser retirado imediatamente de circulação, submetido a exames e multado, se for o caso.

      Excluir
  22. O Renan Calheiros não pode ser este monstro que alguns estão dizendo ser. Afinal ele foi Ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso do PSDB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pallocci e Zé Dirceu foram ministros do Lula do PT.
      Não há monstros no Brasil então.

      Excluir
  23. Falou e disse tudo, Bob. País da hipocrisia é triste.

    P.S. Também detesto pegar táxis.

    ResponderExcluir
  24. Sr Sharp

    Excelente post

    Sugiro q. atente para o conteudo dp tópico 'os limites' e produza alguns ajustes, p.ex '0,54 mg' por '0,054 mg;
    'mg de sangue por litro de ar alveolar' (isso é hemóptise!), por 'mg de alcool por litro de ar alveolar'

    ab.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gaboola
      Hemoptise brava...(rs). Corrigidos os dois itens, obrigado.

      Excluir
  25. Pessoal,

    Talvez eu tenha muita sorte, ou seja pouco exigente, não sei. Mas sou usuário frequente de táxis aqui no RJ a anos, faço em média 2 viagens por semana, e nunca tive qualquer problema.

    Lógico, alguns taxistas são mais simpáticos, outros menos, uns dirigem melhor que outros, alguns carros são bem conservados enquanto já peguei alguns que estavam só o pó, mas nada notável... como usuário não posso me queixar do serviço daqui. Não duvido das más impressões dos colegas do blog, mas gostaria de registrar que também há pessoas com experiências positivas.

    Como motorista, lógico, a história é outra. Me incomoda como alguns táxis param na nossa frente de qualquer jeito para pegar os passageiros. Muitas vezes falta critério também dos próprios usuários, que chamam o táxi nos lugares mais inadequados que atrapalham todos em volta, quando uns poucos metros adiante ou antes seria bem melhor - mulheres idosas são especialistas nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parafraseando: Talvez eu tenha muito azar, ou seja muito exigente, não sei.
      Também costumo pegar taxi aqui no Rio. Não com tanta frequência, mas o suficiente pra tirar minhas conclusões.
      Procuro conversar com o motorista, pra avaliar que tipo de gente está me conduzindo. Olha, eu tento não ser preconceituoso, mas na maioria das vezes o sujeito era mal caráter, pra não dizer bandido. Sempre tem algum podre pra contar. Os últimos "causos" que eu lembro:
      - Deixa os R$50 do guarda junto com o documento
      - Dirige sem permissão
      - Tem caso com uma menina de 13 anos
      - Solta balão. E quando o balão caiu numa propriedade particular a guangue foi armada de fuzis recuperar.
      - Não liga os faróis (disse que prefere andar no escuro)
      - Quis saber o quanto eu ganho
      - Marcou horário e não apareceu
      São só alguns exemplos que lembrei agora. E olha que eu nem falei sobre o sujeito saber dirigir.
      Claro que não podemos generalizar. Hoje só chamo um taxista de confiança, que me perece ser honesto e dirige bem.

      Excluir
    2. Gustavo, o que posso dizer. Simplesmente "sinistros" os seus causos, se fossem comigo eu também teria achado bem desagradáveis. Dispenso saber detalhes sórdidos da vida das pessoas. O do baloeiro, então, se fosse comigo eu na mesma hora mandava ele parar o carro pra eu descer (se estivesse em um local movimentado, claro). Não sei o que é pior, apenas o cara ser bandido ou o fato de se orgulhar disso e contar pros outros.

      É como eu disse, não desconsidero de forma alguma a experiência dos colegas do blog, não acho que seja mentira ou frescura. Mas a má opinião sobre taxistas é tão unânime por aqui (e isso observo a tempos, não é desse post), que comecei a estranhar o fato de minhas experiências não serem tão negativas - e vou começar a prestar mais atenção em certas coisas.

      Aliás, semana passada tive um papo bem legal com um taxista, depois que viu que eu me interesso e entendo de carro. Estava pensando em trocar sua Zafira, que já estava bastante rodada, por uma Livina e queria saber minha opinião. Passamos a viagem conversando sobre o assunto.

      Excluir
  26. Pra mim, o mal maior do Brasil ficou evidente essa semana, após essa tragédia sem medida de Santa Maria/RS. Precisou que mais de 230 jovens morressem para que um mar de fiscais saíssem às ruas para fiscalizar casas noturnas. Ou seja, as leis e normas sempre existiram, e na maioria dos lugares elas já eram boas, rigorosas, mas quem estava aí para a fiscalização???

    ResponderExcluir
  27. Caro Bob, o PMDB é um câncer que esse país carrega em seu sistema político. Todo e qualquer partido que desejar governar esse país sem o uso de um regime totalitário, terá que fazer pacto com eles. Uma pena.

    Quanto à Lei, totalmente esperado em termos de Brasil. Aqui a solução é sempre essa, a de tirar o sofá da sala. E você se engana em dizer que eles não operam de acordo com o que quer a população. Os discípulos do Datena querem endurecimento da lei a qualquer custo. Crítica burra e sensacionalista, afinal afinal qualquer macaco sabe que Lei inexiste caso não haja fiscalização.

    O Brasil não tem jeito. Aqui há duas soluções: Ou assume um governo totalmente totalitário que tenha desejo real em melhorar o país, ou as pessoas de bem se mudam, e deixa os animais pré históricos aqui latindo e babando até matarem uns aos outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio F.,
      Por motivos diversos, to muito desanimado com o presente e o que nos espera o futuro do Brasil. Aqui não tem mais jeito, não. É duro dizer, mas se eu fosse adolescente, como já falei lá em cima, eu ia embora e não voltava mais.

      RicardoBF

      Excluir
  28. Exatamente o que pensei hoje: tolerância zero pra quem bebe um copo e um ladrão na presidência do Senado. Tem coisa mais paradoxal?

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está chamando de ladrão o ex-ministro da justiça de Fernando Henrique Cardoso?

      Excluir
    2. Anônimo 03/02/13 18:04
      Não dizem que o poder corrompe?

      Excluir
    3. Não Anônimo 18:04, estou chamando de ladrão o presidente do Senado, eleito com o apoio do Lula e Dilma(2x).

      Excluir
  29. Corsário Viajante03/02/13 16:42

    É muito mais simples: os ovos de ouro do governo são as multas.
    Só somar: chutando baixo pegam 10 pessoas por semana, ou seja, 40 por mês. O governo LUCRA R$80.000 (isso mesmo, OITENTA MIL REAIS) em multas. Isso se forem APENAS 10 por semana, deve ser bem mais.
    É mais ou menos como a velocidade, quanto mais radical for a lei mais gente vai acabar cometendo o delito e portanto mias dinheiro o governo vai ganhar.

    ResponderExcluir
  30. Bob, aqui em Brasília o Detran está testando um novo tipo de etilômetro, o passivo, detecta presença de álcool no ambiente sem que o cidadão precise soprar no aparelho. Só que tem um probleminha: Se o carro for a álcool ou for flex usando o combustível etanol, como fica? Só rindo mesmo...

    Rodolfo Milet
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que porcaria é essa? Qualquer dia vão criar o etilômetro retal para quem usou listerine!

      Excluir
  31. O povão concorda com esta lei porque todos os jornais fizeram matérias mostrando que bebeu = dirigiu = matou 40 crianças órfãs, e ainda ficam alardeando até o nome dos primeiros que foram pegos pela nova fiscalização.

    É o santo graal resolvedor e problemas do trânsito !

    O problema maior não é a diminuição dos reflexos causados pela ação do etanol no sistema nervoso central, é a redução do bom senso que ele causa, criando super-homens, e estes fazem as maiores cagadas.

    Vale o que o Bob disse em outro pot: se beber, dirija DEVAGAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O povão hipócrita concorda porque a lei é "bonitinha". O Brasil está ficando um país chato, de gente careta e fundamentalista. Sexo é pecado. Beber é errado e dá multa. Cantor sertanejo ou cantora brega fazem sucesso (não curto, mas deixem eles,oras!) e uma enxurrada de críticas enchem o facebook. Mas o mesmo povão que critica sexo, bebida e sertabrega é o mesmo que gosta de sexo/violência de "Avenida Brasil" e BBB, bebe caixas e lota os bailões pra pegar as meninas.

      João Paulo

      Excluir
  32. Bob e colegas do AE, não bebo e nunca gostei de bebida todavia o que acontece é que a maioria dos brasileiros são pessoas pouco evoluídas no que tange ao bom senso e infelizmente está aí: por causa dos bêbados assassinos ao volante é criada uma lei que pune aqueles que bebem com moderação e responsabilidade, lei esta criada por políticos, que no Brasil na sua grande maioria é composta por gente sem a menor capacitação para exercer um cargo público pois são desprovidos de escrúpulos e caráter moral, que no fundo apenas querem aumentar seus rendimentos usando o Estado como meio. São pessoas comparáveis à Nero, Átila, Hitler, Bin Laden, mas a diferença é que matam milhares por dia roubando dinheiro da Saúde, Educação e Programas Sociais.
    Mas povo tem a maior parte da culpa pois se usassem o bom senso não não haveriam leis estapafúrdias e oportunistas. Nos USA dependendo do estado não é obrigatório o uso de capacete mas a grande maioria por causa do bom senso, e nisso muito brasileiro precisa evoluir muito como pessoa.

    ResponderExcluir
  33. Os taxistas de SP tem dois comportamentos, sem passageiro andam como motoboys, alta velocidade, costurando entre as faixas, fechadas, não dão a vez para ninguém, andam no corredor de ônibus. Agora quando estão com passageiro viram a vovozinha de 100 anos no volante, não passam de segunda marcha, erram o caminho, não entram no corredor de ônibus, tudo na maior moleza e no maior tempo possível para arrancar o máximo da incauta vítima.

    ResponderExcluir
  34. Bob,

    Ótimo post. Nesta questão eu concordo totalmente com você.
    Eu também odeio esse teatro, essa palhaçada toda do governo e da grande mídia.
    Não educaram, não fiscalizaram e agora, depois de inúveram vidas perdidas, querem mostrar serviço dando canetaço em cima de canetaço.
    Lamentável, e o pior é que há muita gente boa que ainda aplaude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou de desejar o mal de outras pessoas, mas adoraria ver essa "gente boa" levar multa por ter tomado algum remédio ou comido algum prato preparado com bebida alcoólica. Talvez, assim, caia a ficha dessa gente.

      Excluir
  35. Fernando Rodrigues03/02/13 18:31

    Olá Bob Sharp,e todo o pessoal do Auto entusiastas;boa tarde.É realmente preocupante o nosso país estar nas mãos destes estafermos que só estão lá para pegar o "bidulho";e para obedecer cegamente aquela quadrilha vermelha que está ocupando o Poder Executivo.Mas analisando com atenção esta situação,o nosso país está refém desta gentinha graças à total falta de critério do povo na hora de votar...isso sem falar naqueles numerosos eleitores que fazem do voto um objeto de escambo...é senhores;este país vai continuar andando para os lados feito um caranguejo por muitos e muitos anos...o meu sonho é nunca mais ser obrigado a votar...essa cambada que aí está só me convence de que a Democracia no Brasil é uma completa farsa,um nojo.

    ResponderExcluir
  36. Marcelo Augusto03/02/13 19:28

    Fica mais do que na cara que toda essa pressa com a nova lei e com a fiscalização é devido o governo descobrir mais uma fonte de recursos.

    Um latrocida continua com pena de 30 anos e liberado com cerca de anos de prisão graças à progressão de regime. Mudar issso aumenta o caixa do governo? Não. Então deixa assim mesmo.

    ResponderExcluir
  37. Luiz Dranger03/02/13 20:13

    Bob, perfeito mas será mais uma das nossas "leis" que não serão cumpridas, como sempre. Esse país é uma piada, vide a eleição do Renan como vc citou.Abração

    ResponderExcluir
  38. Luiz Dranger03/02/13 20:16

    Bob, hoje deu certo a publicação do meu comentário, mas esses "algorítimos são com pouca definição. Antes tentei umas 3x e não consegui publicar nada. Para que isso ? Abraçâo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz,
      As letrinhas servem para barrar programas de computador que podem inundar o blog de comentários, como já aconteceu e foi um dos motivos para introduzir a moderação a partir de 12 de dezembro. Esses programas não lêem as letras.

      Excluir
  39. Devíamos ter tolerância zero é com os governantes,senadores,deputados,vereadores,prefeitos e todos estes políticos, funcionários públicos, gestores estatais incompetentes que pensam que a canetada resolve tudo e que basta atacar as consequências em lugar das causas, tirar o sofá da sala,manipular,distorcer,inventar,enfim mentir para o povo.Precisamos por um basta nesta situação de mentira a que estamos vivendo.

    ResponderExcluir
  40. Concordo com o texto, a lei seca atrapalha muito mais do que ajuda.

    Meus horários são invertidos, trabalho a noite e durmo de dia, por isso em dias de folga costumo ir a cidade de São Paulo, sempre atraído pela noite agitada. Meus amigos chamam-me de ranzinza, careta e etc, pois não bebo, detesto o sabor de qualquer bebida alcoólica. Também não faço uso de nenhum tipo de droga recreacional, mas não por que elas fazem mal, e sim porque não quero ter problemas com a lei.

    Numa casa noturna a maioria diverte-se devido ao consumo de bebidas alcoólicas e/ou substancias ilícitas. Para elas, a "balada" não existe sem o consumo de algo para animar.
    Entre as pessoas que pegam mais pesado no consumo de álcool, está ficando cada vez mais comum contornar as Blitz simplesmente aguardando. Normalmente as 06:30 da manhã os policiais vão embora, a partir das 07:00 da manhã está tudo "limpo". Parte das pessoas que normalmente iriam embora no meio da madrugada, agora arriscam suas vidas e a de outros nas manhãs de sábados e domingos.

    Muitas vezes, chegando perto de 07:00 da manhã, o efeito do álcool já enfraqueceu e não altera tanto a percepção do mundo ao redor, mas o álcool também provoca sonolência, e a essa hora o sono vem pesado. Isso é tão perigoso quanto dirigir alcoolizado.

    Quando a pessoa consome determinados tipos de substâncias ilícitas que não são detectadas no bafômetro, ela vai ter um "pique" adicional e só vai considerar que deve ir para casa no mesmo horário em que os fujões do bafômetro vão.

    Não vejo esse quadro melhorando. A mente brasileira é a mais inventiva do mundo quando trata-se de malandragem.
    E tem mais, problemas com álcool e drogas não são exclusividade do Brasil, também não são exclusividade desta época. Talvez outros países possuam melhor fiscalização e pessoas mais conscientes, e talvez no passado a logística de distribuição não era tão boa quanto a atual, mas a busca por prazer sempre existiu e sempre existirá.

    dicieri

    ResponderExcluir
  41. - Lei no Brasil não é para disciplinar - é para arrecadar.
    - Estes senhores promulgam uma lei destas porque tem motoristas particulares.
    - Não posso mais tomar Melagrião.
    Isto é Brasil...

    ResponderExcluir
  42. Carlos Miguez03/02/13 22:32

    É uma pena que jornal nenhum do Brasil tenha coragem de ser "politicamente incorreto"; são covardes e não publicam um texto destes. Parabéns BS. Aposto que pedestres bêbados provocam 10 vezes mais acidentes do que motoristas na mesma situação, mas agora mesmo é que não interessa, este tipo de estatística, aos orgâos "MULTADORES". Multa de 2 mil é um dinheiro muito fácil. Talvez ano que vem eles comecem a multar os BÊBADOS-DE-SONO, estes sim, muito mais perigosos...

    ResponderExcluir
  43. Caro Bob,

    Parabéns pela lucidez.
    Uma pequena ressalva ao texto: não é "etilômetro"... é "bafômetro", mesmo!
    E dos mais vagabundos, inconfiáveis e, possivelmente, super-hiper-ultra faturados.
    Alguma dúvida? Então, confere o link que segue:
    http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2013/01/31/ate-bombom-de-licor-rende-multa-com-a-nova-lei-seca.jhtm

    Atte,
    Eduardo Lodewijk

    ResponderExcluir
  44. Bob, viu que o governo cedeu a pressão dos usineiros e o teor de etanol na gasolina vai voltar a 25%?
    Malditos usineiros, e eu aqui sonhando com uma gasolina com apenas 10% de etanol.

    ResponderExcluir
  45. Neste momento, minha esposa está a assistir um programa de televisão onde alguns motoristas são entrevistados e que se declaram, por unanimidade, a favor da lei seca.

    Nosso povo, infelizmente, sempre é a favor das coisas do governo. Uns porque ainda tem medo do tempo da ditadura em que levavam pau se discordassem e outros simplesmente porque não pensam.

    E assim vamos levando nossas vidas. Quanto a sair do país, também não o faço porque não posso, mas que dá uma vontade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aposto Célio que muitos se declararam contra, mas como essas opniões não interessam à nossa imprensa marron, colocaram no ar apenas aquelas que lhes interessavam, para fazer o terrorismo de suas matérias sensacionalistas que tanto lhes dão ibope.

      Excluir
  46. Ótimo, Bob. Muito bom mesmo.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  47. Alguém tem esperança que tudo isso que nós brasileiros passamos com o nosso governo mude?

    Existe algum cidadão que crê na capacidade do povo que raciocina algum dia fazer esse circo virar de cabeça para baixo?

    Algum dia poderei ter orgulho de dizer que nasci num país democrático, cuja alta cúpula do poder respeita as minhas ideologias, minhas vontades, meus costumes e me dá meios para viver feliz e ter qualidade de vida?

    Espero poder desfrutar de uma terra onde o dinheiro do bolso dos trabalhadores não alimente os VERMES que tomaram o poder desta nação e que, mandato após mandato, continuam pensando em leis que nos obrigam a fazer algo que não aceitamos e nos cobram para segui-las. Leis que nos impedem de fazer o que é natural do nosso dia-a-dia e nos empurram para o abismo da ilegalidade.

    Espero poder algum dia ter filhos e saber que eles crescerão em um lugar onde cada dia não seja uma luta pela vida, pela sabedoria, pela dignidade, pela educação, pela saúde.

    Espero poder dizer que vivo em um país onde o governo me fornece uma infraestrutura digna dos impostos que pago, onde os legisladores estão preocupados com a integridade física e psicológica de seu povo, ao contrario de hoje, onde a punição do povo vem em forma de taxas, leis que não nos dão alternativa e não nos incentivam a cumpri-las.

    Haverá um dia em que todos estaremos de mãos atadas e retornaremos aos tempos dos grilhões e do tronco de açoite.

    O PODER ESTÁ NAS MÃOS DOS QUE RACIOCINAM.

    ResponderExcluir
  48. Júlio Bomfim04/02/13 10:28

    Sobre este "endurecimento" da "Lei Seca"... lamentável.
    é como eu disse antes: só nos sobrou o 0,05 por conta da margem de erro do etilômetro.

    Países "sem álcool": Arábia Saudita, Kwait, Qatar, Irã, Afeganistão, Líbia, Sudão e, muito em breve, BRASIL.

    Ou vocês acham mesmo que com 0,1 ou 0,2 miligrama por litro de ar a pessoa está "bêbada" e, consequentemente, tornou-se "criminosa" perante a sociedade?

    Mas hoje entendi tudo!!!

    É o mesmo truque de diminuir a velocidade máxima das vias para manter o nível da arrecadação (faturamento com multas). Com o passar dos meses, a arrecadação cai, então eles "mudam as regras" para manter o nível da arrecadação.

    Com essa "tolerância zero" de álcool é a mesma coisa! Diminuíram para "zero" a quantidade de álcool permitida porque os motoristas já se acostumaram a beber pouquíssimo antes de dirigir (e não ficavam bêbados!).

    Como a arrecadação com multas de trânsito caiu demais, resolveram mudar as regras e aí está o que aconteceu... agora nem bombom de licor pode mais, né?

    E quem me garante que o guardinha vai permitir fazer a tal da contra-prova depois de 15 minutos? Ele vai é levar pra delegacia direto pra não ficar perdendo tempo.

    Lamentável.

    ResponderExcluir
  49. O pior dessa lei é que ela não vale para quem é do Estado!

    Lembram-se do juiz pego pela lei que mandou prender os guardas? E do coronel Príncipe, que se acha o dono do mundo?

    Para eles a lei Seca não vale. Para nós vale!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A justiça talha, mas não farda (trocadilho de tarda, mas não falha...)

      Excluir
    2. Meu vizinho e seu filho se acidentaram sexta-feira passada quando andavam de moto.

      O acidente ocorreu na saída de uma curva próximo à delegacia de polícia e foi constatado pelos presentes, que ele estava visivelmente embriagado, mas exceto os machucados, nada sofreu. Nem multa, nem BO, nem TC, nem nada...

      É que ele é cunhado do ex-delegado. Só isso!

      Excluir
  50. Estamos vivendo dias negros...Fazem 80 anos que tivemos a ultima experiência messiãnica ( Nazismo ) Aonde um cara muito esperto usou da democracia para chegar ao poder se valendo de promessas e mentiras ediondas, onde passava a falsa impressão de que iria resolver tudo para todos...Depois, montado todo o seu aparato, simplesmente mandou a Democracia as favas, e com ela, todas as possíveis liberdades da época, principalmente a de imprensa! Deu no que deu...Se um povo culto como o era o dos alemães á época foi fácilmente domesticado pelo messias dito iluminado, aonde toda a mentira era repetida tantas vezes quanto possível até se transformar em verdade, imagine-se o que acontece com nossa américa latina e principalmente o Brasil, onde 65 % dos ditos alfabetizados são "analfabetos funcionais" e 40% desta mesma população vive das migalhas ou das fortunas que a máquina pública alicia ou coopta para suas fileiras?

    ResponderExcluir
  51. 1. A tal de lei seca, nestes termos, ao meu ver, é realmente um absurdo.

    2. A eleição do Senador Renan Calheiros é lamentável, mas devemos lembrar que todos os que estão lá foram eleitos...

    3. As motivações do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ao denunciar o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) duas semanas antes das eleições para a presidência do Senado Federal e, em seguida, vazar o relatório da mesma denúncia pelo site da revista Época, no dia da eleição, nada tem a ver com preocupações morais ou funcionais.

    A máscara de servidor exemplar com a qual tem se apresentado ao país desde a micareta do mensalão não resiste a uma chuva de carnaval, basta lembrar da atuação do chefe do Ministério Público Federal no caso do arquivamento da Operação Vegas da Polícia Federal, de 2009, a primeira a pegar as ligações do ex-senador Demóstenes Torres, do DEM de Goiás, com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. O sempre tão diligente e cioso dos bons costumes procurador-geral escondeu as informações da Justiça e obrigou a PF a realizar outra operação, a Monte Carlo, no ano passado – esta, afinal, que se tornou impossível de ser novamente engavetada por Gurgel.

    O que Roberto Gurgel pretendeu ao denunciar Renan Calheiros às vésperas das eleições do Senado foi viabilizar a eleição do também procurador da República, o senador Pedro Taques (PDT-MT), praticamente um representante do procurador-geral dentro do Parlamento. Mas não se trata apenas de um movimento corporativista. Uma vez presidente do Senado, Taques teria nas mãos o poder de definir o que deve ou não ser colocado em votação no plenário.

    Dadas as ligações viscerais estabelecidas, desde o julgamento do mensalão, entre a PGR e a oposição, sem falar no apoio irrestrito dos oligopólios de mídia, não seria pouca coisa ter um preposto num cargo tão importante.

    Mas como Gurgel não entende nada de política e Taques é apenas um neófito no Senado, as campanhas de um e de outro foram só tiros n’água.

    Nem ética, nem interesse público. As eleições das mesas diretoras do Congresso Nacional continuam sendo o resultado da baixa política de alianças que é resultado do sistema politico brasileiro que foi montado de modo a não ser mudado. Alguém acredita que os caras pintadas tiraram Collor (que não defendo) do poder? ou ele saiu porque perdeu apoio da mídia. Há seis famílias que controlam 70% da imprensa no Brasil, portando podem criar vilões ou heróis.

    ResponderExcluir
  52. Terrível isso...

    Mais pesada que a lei seca é a propaganda massiva de cerveja na televisão.

    Do jeito que mostram, sempre cerveja relacionada a festas, mulheres, diversão, quem vai pensar que aquilo é perigoso? Proibiram o comercial de cigarro, fizeram um escandalo danado em cima disso, falando que iam salvar vidas, e tals... eu não fumo, mas não acho que um motorista fumante seja mais perigoso do que um motorista alcoolizado.

    No dia que o Brasil se livrar dessa hipocrisia, talvez as coisas comecem a tomar o rumo...

    ResponderExcluir
  53. Boa tarde, aqui em Brasilia e acho que em todo o país, a lei nao se faz valer no momento correto.Aconteceu um acidente recentemente, janeiro de 2013 com filho de politico ao volante e outros como passageiros. O acidente ocorreu no Buraco do Tatu no centro da cidade, quem mora aqui sabe que se trata do tunel da rodoviaria da cidade bem próximo ao Palacio do Planalto, as duas informações que sairam na reportagem mostrada no DFtv( jornal local que passa na Globo)foram, a garrafa de Vodka(Vazia) dentro do carro e a noticia que NAO fizeram o teste do Bafometro. Horas o tonto do motorista perdeu o controle do carro em local que so alguem muito ruim ou que nao sabe dirigir perderia.Essa lei tem que se aplicar em causa acidente nao em quem esta passando tranquilamente, nao interessa se bebeu ou nao, casou acidente perde a carteira e pronto, simples assim.Pra encerrar esse lei nao serve pra naaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Abs.

    ResponderExcluir
  54. Caro Sr. Bob,

    Precisamos do Sr. no Contran. Socorro.

    Atenciosamente,

    ResponderExcluir
  55. Assim como fizeram com o cigarro na sociedade, chegou agora a vez do alcool...ainda nao tenho opiniao formada sobre o assunto, mas o excesso de rigor as vezes faz o ser humano criar mecanismos para burlar a lei...isto e historico na humanidade.

    Igor - DF

    ResponderExcluir
  56. Essa geração é a que eu chamo de geração Big Brother. Eles votam no candidato do apresentador do Big Brother, não sabem a que vieram ao mundo, falam qualquer coisa sem ao pelo menos pensar um pouco, votam em vereador e no dia seguinte lamentam, não criticam o alto preço dos carros no Brasil - o chamado lucro Brasil, entre outras coisas.

    ResponderExcluir
  57. http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/01/carro-com-quatro-pessoas-cai-no-buraco-do-tatu-em-brasilia.html
    Ola, ai esta o acidente em Brasilia, na reportagem feita pela Globo para o Jornal local ainda mostra a garrafa de vodka vazia dentro do carro, bom, se a palavra do Guarda vale uma imagem tem valer mais ainda, ou nao? Ou seja se tiver blitz enfia o carro no poste, ai o seguro paga e vc vai pra casa de SAMU!!!!!!!!!!! o Lei de m......... abs

    ResponderExcluir
  58. Caro Mibson Fuly,

    não quero o Bob no Contran. O motivo?

    No Brasil, quem chega ao poder e insiste em nadar contra a corrente é assassinado ou coisa que o valha. Vide prefeito Celso Daniel e outros desafetos do PT.

    O Bob é estimado demais para ter um fim assim.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Farid,

      Ele podia tentar.

      Atenciosamente,

      Excluir
  59. Eu concordo essa lei é totalmente extremista.

    ResponderExcluir
  60. Cristiano Mendonça06/02/13 04:37

    Esta absurda lei foi imposta pela bancada evangélica como contrapartida pela aprovação da lei que permite pesquisas com células tronco. O que é outro absurdo da política. Além do mais, onde há piêguice, sempre há também uma farsa a ser escondida. neste caso o escondido é a omissão do estado em releção a cuidar realmente da "habilidade" de quem conduz um veículo, de fomentar um trânsito o mais fluido possivel e não inventar outra pieguice, que é o demonização da velocidade pura e simples, é a falta de campanhas que corrijam viezes atravessados, das regras de trânsito, que são produzidas, como idiossincrazias, de cada comunidade de trânsito, ou seja, cada cidade ou região assumem, alguns desvios das normas de trâsito e devem ser inibidas destas práticas por campanhas de reeducação. Mas o comportamento do estado, não contempla a otimização das relações cidadãs, mas sim acomoda outros interesses que não a promoção de cidadania, nas suas ações. Notem que eu falei estado e não governo, o que para muita gente boa é a mesma coisa, o que de fato não é. Se tivéssemos uma imprensa séria, comprometida com sua missão de informar e propiciar, discussão e reflexão por parte da sociedade, estes seriam os temas que deveriam ser abordados e postos à luz. Leis que são aplicadas, não porque se considerou o mais razoável, mas que atendeu interesses que dizem respeitos não a todos, mas a alguns. A absurda lei sêca, a forma descuidada que formamos condutores, as estradas que aceitamos que nos sejam entregues, tudo isso se refere a forma como o estado se relaciona com o cidadão. Se ambicionarmos relações menos totalitárias e menos divorcidas dos interesses da maioria, mais repesentativas destes interesses, o do conjunto mais amplos de cidadãos, aí sim induziremos os governos a se mobilizar para nos ofertar melhores estados. Sem dúvida nenhuma a discussão pequena e maniqueísta que a imprensa em geral, nos propõe não nos ajuda em nada, aliás muito ao contrário, só nos atrasa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em outras palavras: "controle social da mídia", certo? Conheço bem o seu papinho, rapaz. Aborda um certo tema, com bons argumentos, diga-se, para depois deixar que o interlocutor conclua exatamente o que você defende. Truque mais que manjado esse aí.

      Excluir
    2. Cristiano Mendonça06/02/13 12:40

      Como eu disse e o anônimo acima não me deixa mentir, com maniqueísmo e preconceitos cultivados, avançaremos muito mais lentamente na construção de uma sociedade melhor.

      Excluir
    3. Maniqueísmo e preconceito uma ova! Como disse, conheço e sinto o faro de longe o cheiro de de um esquerdalha. O termo "sociedade melhor" é o preferido nas rodas de papo furado dessa gente.

      Excluir
    4. Cristiano Mendonça06/02/13 16:23

      Como eu disse e o anônimo acima, mais uma vez não me deixa mentir, com maniqueísmo e preconceitos cultivados, avançaremos muito mais lentamente na construção de uma sociedade melhor.

      Excluir
    5. Pra mim essa lei foi uma resposta ao apelo nacional realizado por varias e varias pessoas, e inclusive por programas de TV como o CQC, que defendem a lei para, de certa forma, desvirtuar a incompedência de nossos orgãos fiscalizadores. Para familias destruidas por causa de irresponsaveis e sem nenhuma vergonha na cara, que dirigiam "totalmente" sem nenhuma condição de faze-lo, essas pessoas não entendem que essa lei não evitaria a morte de seus entes queridos mais o que evitaria é uma fiscalização bem feita pelos incompetentes que regem esse pais. Como foi colocado sabiamente no texto... Essa lei só mascarou os fatos e veio para acalmar familias e pessoas que ja estavam indiguinadas com assassinos ao volante, mas essas pessoas não entendem que o que faltava era competencia de nossas intidades fiscalizadoras. Esse "povinho" é muito esperto mesmo, com a lei eles enchem os cofres e só agora começam a fiscalizar, mascarando a incompetencia que tinham antes da lei, e as pessoas nem param pra pensar nisso. É, isso é Brasil...

      Excluir
  61. Pois é, garanto que os contra a lei seca nunca perderam ninguem em acidentes causado por alguem que acabou de sair de um bar e tinha bebido apenas 3 choppinhos!!!!

    Não interessa quantos são, na roleta russa é usada somente uma bala e esta única bala acaba com a vida.

    A justificativas sempre são as mesmas, ¨eu bebo socialmente nunca me aconteceu nada¨, pois é eu perdi pessoas queridas por causa de uma pessoa que disse isso ao policial que prendeu ele no momento do acidente.

    Este cidadão, se é que pode ser chamado de cidadão, disse que havia bebido 4 choppinhos e que estava acostumado a beber mais e ir para casa sem problema algum.

    E agora? Ele vai continuar indo para casa sem problema algum, e as pessoas que ele matou? E a família das pessoas que ele matou? E os amigos das pessoas que ele matou? Irão continuar indo para casa sem problema algum?

    Mais sei que muitos de vocês vão dizer que isso não aconteceria com vocês, pois estão acostumados e só bebem socialmente.

    Ele tambem dizia isso !!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 07/02/13 08:14
      Seu comentário mostra claramente que você é mais um entre milhares, se não milhões, de maria-vai-com-as-outras. Esse cidadão a que você se refere não havia ficado só nos quatro chopinhos, com toda certeza estava com alcoolemia muito superior à permitida pelo Código de Trânsito em sua redação original (0,6 grama de álcool por litro de sangue). Por favor, leia o post novamente, pois parece que você não entendeu o que leu.

      Excluir
    2. Blz anônimo, muito bem dito. Agora só me explique os outros acidentes, a maior parte por sinal, que acontecem com pessoas que não beberam antes de dirigir. E agora, contra quem vai dirigir sua raivinha?

      Excluir
  62. Sinceramente? Eu acho que a legislação vigente até 2008 - antes da inútil "Lei Seca" era mais do que suficiente para coibir os abusos. Punia os pinguços, e não perseguia os cidadãos de bem.

    Ocorre que em vez de implementarem a Lei existente, com a devida fiscalização, resolveram começar uma caça às bruxas para punir - além da punição tributária - quem consome bebidas alcoólicas.

    Na minha cidade, o transporte coletivo pára de funcionar às 23h00, e se formos depender de táxis, e por vezes gastaríamos mais com o deslocamento para ir e voltar de bares e restaurantes (ida e volta, à bandeira 2, sairiam por algo como R$ 110,00) do que gastaríamos nos bares e restaurantes. A sistemática importa, em termos econômicos, uma ineficiência muito grande para o consumidor.

    Aqui em casa fomos radicais: não vamos a nenhum estabelecimento que não nos garanta o retorno até em casa com segurança e sem desrespeitar a absurda lei promulgada pelo congresso nacional.


    Resultado? É um bom dinheiro que não gastamos em bares e restaurantes e que vai à conta de investimentos. A Abrasel que se coce para entender por que o número de clientes diminuirá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Gustavo
      Punia, não, deveria punir, porque fiscalização mesmo, só depois de 2008. O chefe do poder executivo de cada estado, ao não determinar, via Secretaria de Segurança Pública, fiscalização de bêbados ao volante, tem de ser responsabilizado por esta gravíssima omissão. A coisa toda é de uma clareza cristalina: se agora se fiscaliza, por que nunca foi feito antes, se já havia mecanismos legais/penais tanto quanto agora? Por que as blitze só começaram em 19 de junho de 2008? Ou será que essas toupeiras acham só depois dessa data é que se passou a dirigir bêbado?

      Excluir
  63. Anônimo 07/02/13 08:14,

    Parece que você não entendeu o texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN
      Obviamente, ele não entendeu.

      Excluir
    2. CCN,

      Esse é o famoso Argumentum ad hominem (http://pt.wikipedia.org/wiki/Argumentum_ad_hominem), um dos tipos de falácia mais utilizados na internet (até mesmo aqui, infelizmente) por aqueles que, por não terem argumentos sobre o conteúdo da argumentação, atacam a pessoa, tentando desclassifica-la.

      Excluir
    3. Anônimo 07/02/13 16:55
      Nesse seu caso nem é preciso tentar: você já é um desclassificado, a julgar pelo seu comentário que mostra claramente não ter entendido que leu.

      Excluir
    4. Você é quem não entendeu Bob. Não estava me referindo ao comentário do CCN, mas ao do anônimo 08:14 ao qual ele se referiu.

      Excluir
    5. Anônimo 08/02/13 12:45
      Nesse caso, peço-lhe desculpas.

      Excluir
  64. Por favor não estou recebendo atualizações do AE =tupy2@intervip.com.br

    ResponderExcluir
  65. Sabidão,
    Por favor, cadastre-se novamente. O sistema é totalmente automático e não temos como interferir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas la Da ; "email ja cadastrado".

      Excluir
  66. Eu tenho 28 anos e nunca consumi bebida alcoólica! E também graças a Deus nunca perdi um parente ou amigo envolvido em acidentes de trânsito. A questão é, sou a favor da tolerância zero da lei seca. Sei que há pessoas que bebem "socialmente" e que não tem a sua capacidade de conduzir um veículo alterada ou reduzida, mas, infelizmente isso não se aplica a todas as pessoas. Para explicar melhor vou dar um exemplo: Um senhor de 60 anos toma 1 copo de cerveja e vem dirigindo tranquilamente para casa e sem causar acidentes, um jovem de 20 anos toma 1 copo de cerveja e já fica mais alegrinho, mais avontade e até mais atirado, um outro condutor durante o trajeto pode instigar o jovem que bebeu para um "racha", ele aceita, causa um acidente e mata uma pessoa. 2 casos comuns. Mas podemos inverter também e colocar o "tiozinho" de 60 anos como causador do acidente, não digo em um "racha" mas pode perder o controle do carro após passar em um buraco e causar um acidente com vítimas e tendo tomado apenas 1 copo de cerveja. Mas aí vem alguém e me diz, tudo isso pode acontecer sem a cerveja, sim claro, mas você não pode impedir alguém de dirigir, mas pode impedir de consumir bebidas alcoólicas e dirigir! Porque a bebida alcoólica interfere negativamente e também se manifesta de forma neutra em diferentes tipos de pessoas e situações. Ou seja, elimina-se o fator de risco(álcool) em prol de um bem coletivo, não pode-se contar com a sorte, o resultado neutro dos efeitos do álcool ou com o bom senso do brasileiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Argumento sem nenhuma lógica. Nas hipóteses citadas a bebida não interfere em nada nos acidentes. Hoje em dia eu bebo raramente, mas já passei da conta (poucas vezes também) quando mais jovem, mas devo ter dirigido acima do limite anterior do CTB por umas 10 vezes, se tanto. Não cheguei a fazer barbeiragens nessas 10 vezes, muito menos me envolvi em acidentes, mas tenho o bom senso de atribuir isso a características minhas como motorista e como ser humano (e também não estava de porre, condição que fiquei raríssimas vezes e só quando não tinha carro), talvez outros não agissem da mesma maneira ao volante. Mas com um copo de cerveja eu nunca senti nenhuma alteração e imagino que não altere nada para 99% da população. Se para uma minoria um copo de cerveja causa uma alteração substancial, melhor que esses pessoas hiper-sensíveis nem bebam nada mesmo, como já li alguém sugerindo em outro site. Por analogia, podemos dizer que existem pessoas que mesmo a 40 km/h numa reta causam acidentes. Tem muita gente que mal consegue fazer um curva aberta, quase param o carro. Deveríamos reduzir os limites para 30 km/h ou formar melhor os condutores, avaliar com mais rigor e proibir pessoas descoordenadas de dirigir?

      Excluir
    2. E como você pode garantir com palavras que 1 copo de cerveja não altera o comportamento de 99% da população? E foi como eu disse, não dá para se criar um sistema de lei que pune quem fica alterado com 1 copo de cerveja e causa acidentes e esse mesmo sistema não punir quem não se altera com 1 copo e não causa acidentes. Porque nesse caso teria que esperar o acidente acontecer para saber que o cara bebeu mais de 1 copo, ou é um sujeito que se altera com 1 ou mais copos de cerveja. Nem todos tem o bom senso de beber até o limite que o permite dirigir de maneira satisfatória e segura. Só se sabe quem consegue beber e dirigir é quando não tem acidentes, e vamos ficar esperando para saber?

      Excluir
    3. Marcus Vinicius
      Parabéns pelo seu comentário-ficção. Você leva jeito para ser escritor desse tipo de conto. Amanhã, no post do Marco Aurélio Strassen, você vai ler como são as coisas um país decente na questão de álcool e dirigir.

      Excluir
    4. Obrigado senhor Bob Sharp, mestre dos mestres, dono de toda verdade absoluta, alfa e ômega, o senhor é o cara, sabe mais do que todo mundo e sabe de tudo. Nós meros mortais? Somos nada e o senhor é o cara!

      Excluir
    5. E como você vai provar que esse 1 copo vai alterar o comportamento Marcus Vinícios?
      Uma pessoa causar um acidente depois de ingerir 1 copo de cerveja não quer dizer que causou o acidente por ter bebido esse 1 copo. Aí está a falha da lógica no seu primeiro comentário.

      Excluir
  67. Marcus Vinicius
    De nada. Disponha sempre.

    ResponderExcluir
  68. Ola, a todos!

    Sou médico há mais de 25 anos e venho deixar algumas palavras aqui, sem pretensão de absolutamente nada além de deixar minha humilde opinião.
    Existem, sim, pessoas que podem ter suas funções percepitivas alteradas devido à ingestão de um copo de determinada bebida alcoólica, acho que com isso todos aqui concordam, é claro? Sim, possivel, porém se trata de uma minoria. Pois bem esse não é um fato conclusivo para nada, os efeitos de determinada bebida dependem de seu teor alcoólico, quantidade, velocidade de consumo etc... A partir dai entra o fator "biológico" de cada um, da capacidade individual de cada organismo de absorver e reagir ao álcool. Até ai excelente, nada que todos não saibam, mas para mim o que realmente sustenta a necessidade de tal lei é a tal "Cultura", "Bom Senso comum"... Isso aqui é um pouco desvirtuado, quem cita outros países como exemplo deve conhecê-los, creio eu, e sim, podemos nos referir a leis estrangeiras como exemplo, porém sem esquecer que a tal "Cultura" é diferente em cada parte deste nosso mundão. concordam? E infelizmente para nós, "vejam bem, estou me incluindo pois tambem gosto de um vinhozinho com aquele peixinho bem feito, ou com uma bela massa e às vezes me chateio com o impossibilidade de poder tomar um copinho desta bela bebida acompanhado de minha familia", porém, como eu disse, aos 25 anos de profissão tenho que dizer que no caso da lei seca, alguns pagam pela falta de (vamos usar a palavra "cultura" se é que vocês percebem o que estou querendo dizer) que muitos deixam de possuir, é de dar medo a quantidade de pessoas, principalmente jovens entre (15 e 28 anos) que chegam em estado lastimável nos hospitais por conta do consumo excessivo de álcool, e são muitos os casos de acidentes automobilísticos por conta dele tambem, sem mencionar as outras causas como sono, drogas psicoativas etc., aqui estamos falando de álcool, certo? Vamos saber separar as coisas, ok, apesar de que clinicamente o alcool é uma droga também. Sei que muitos aqui pensam: ora, mas e nós que somos educados, damos educação aos nossos filhos e sabemos beber moderadamente? Bem, infelizmente posso dizer que "nós" (a maioria dos que comentaram aqui pelo que parece) temos que pagar por conta de uma MAIORIA que infelizmente não sabe o que é moderação e, partindo deste ponto de vista, sou a favor de tudo que é pró- vida, e neste caso creio que uma vida vale mais do que qualquer copo, seja lá de qual bebida alcoólica, deixada de ser bebida por "nós" apreciadores conscientes. O Carnaval esta aí e tenho MUUITOO trabalho pela frente, como todo ano!!!! Essa geração tem pouco a ver com moderação, infelizmente eles curtem intensidade!!! Vocês entendem?? É triste... Os estados não têm estrutura acadêmica, não têm estrutura médica etc. Pensando logicamente, a saida é agir como brasileiro entende, multas altíssimas, punições severas etc. Um dia, quem sabe, esse cenário mude e quando possuírmos educação de Primeiro Mundo, saúde acessível a todos etc., quem sabe poderemos agir um pouco menos "a ferro e fogo", mas isso dependerá de como essa geração vem se desenvolvendo, o que é prioritário, o que é futilidade etc...
    Entendam que é uma questão profunda, não acho certo pagar por certos imbecis sem controle, sem noção do que fazem, porém, se a maioria não sabe como lidar com o prazer de "aprecie com moderação", a tratativa é direcionada à maioria, uma forma de educar e ganhar dinheiro que o governo arrumou, e "nós" estamos no meio do fogo cruzado!

    ResponderExcluir
  69. Caro médico
    Você está fazendo coro com uma noção completamente distorcida da realidade. Em todo acidente que tem motorista bêbado envolvido, ele ou ela está com pelo menos 1 grama de álcool por litro de sangue, 66,6% acima do permitido pelo Código de Trânsito em sua redação original, que era 0,6 g/L. Venho fazendo uma pergunta que ninguém é capaz de responder: se já havia limite do quanto se podia beber pelo Código de Trânsito que vige desde 22/01/98, por que só começou a fiscalização para valer 10 anos depois, quando foi promulgada a lei seca? E ao estabelecer álcool zero o Brasil está chamando alemães, franceses, italianos, britânicos, espanhóis, portugueses, australianos, canadenses, americanos e italianos de malucos e irresponsáveis por permitirem. Leia a experiência que o editor Marco Aurlélio Strassen teve na Alemanha no mês passado com relação ao assunto álcool, em post agora ao meio dia, e veja o que é decência. Temos que parar com essa mania de achar que "o Brasil é diferente, os brasileiros são diferentes". Brasileiro na Alemanha se comporta como alemão, alemão no Brasil se comporta como brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples Bob, o governo quiz acalmar ao apelo nacional que esse assunto gerou lempra? Ai eles foram inteligantes, não vamos mostrar que nos é que somos incompetentes por não fiscalizar, vamos mudar a lei e mostrar que estamos fazendo algo, ai nos ganhamos dinheiro e ainda saimos numa boa como mostra o abaixo assinado online que um programa de tv fez a favor da lei que eu acho que eles nem conheciam. Foram mais de 1.000.000 de cadastros, ainda sim a um fator que eu tenho que apoiar em reação a maioria, isso gera educação forçada!

      Médico

      Excluir
  70. Obrigado pela cordialidade Bob! "Caro Médico".
    Nunca descordei de você em relaçao a fiscalização, você tem toda a razão quando acusa nossos "orgãos fiscalizadores" de serem totalmente oportunistas e como mencionei, ganham dinheiro com essa nova lei, e como vi nas reportagens em casa, uma em particular me chamou atenção, eles chegaram a deter pessoas que haviam bebido no dia anterior ao dia em que foram abordados, em fim, é vergonhoso, porém quando você disse que brasileiro não é diferente, bom ai tenho que descordar de você Bob, desculpe. Você é um rapaz muito inteligente e viajado, fui a Alemanha uma unica vez, em companhia de meu pai devido a uma viagem pela empresa que ele trabalha ja a anos, que é Alemã e faz exelentes carros inclusive, e meu caro, você entrou em um hospital na alemanhã? você notou o comportamento dos alemães? la tem carnaval? você observou um pouco de sua cultura? Agora o Pais que mais me surpriendeu em relação a cultura foi o Japão, você ja viu o comportamento desses individuos? e como é sua cultura?
    Bom é muito mais facil para alguem que, Graças a Deus tem uma vida tão agraciada que de fato, compara o que temos aqui com o que existe em paises que alem de terem tido muito mais tempo para se desenvolverem, tem absolutamente outra realidade de vivencia e cultura etc... Só não encherga as diferenças que existem quem não quer ver. E como você defende, a maioria é o X da questão Bob, estamos no Pais do carnaval, do futebol e das brasileirinhas, só estou sendo tão idiota pois fiquei muito chateado quando perguntei a um rapaz na Alemanhã o que ele conhecia de nosso pais e a resposta depois de eu ter ensistido por sinceridade foram essas tres coisas. Isso não lhe deixa com muito pesar? Eu escolhi não fechar os olhos Bob, e a cada dia tento fazer a diferença nem que seja com coisas bem simples para uma, duas... quem sabe um dia não mudamos isso por aqui e mudamos nossa imagem por lá, lá que eu digo no exterior, mas para isso temos que começar respeitando a nós mesmos! E infelizmente a educação acaba vindo dessa forma, para nós, por meios absurdos, que é essa lei! Desculpe meu caro Bob, talves essas sejam palavras de quem no momento esta cansado, triste por tanto tempo tendo esperança que um dia esse povo absurdamente rico e com tanta boa gente, possa aproveitar melhor o que esse lampejo que é a vida nos oferece de tão belo!!! Basta a maioria querer o mesmo que não precisaremos de leis tão absurdas, e que venha agora a diminuição da maior idade penal!

    Off:
    Cordiais Saudações a você, pessoa que sem conhecer respeito muito, obrigado pela oportunidade que temos nesse espaço! Talvez esteja sendo bobo mas é que não sou um cara "alienado" com essas novidades tecnologicas e o unico lugar que faço questão de dar uma olhada de vez em quando é aqui!!! Parabéns pelo trabalho tão bem feito!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.