MUSTANG GT V-8, CALIFORNIA DREAM



Se por um lado estou trabalhando feito um camelo, apesar dos camelos não reclamarem, decidi que a preguiça não vai me impedir de aproveitar algumas oportunidades para eu fazer o que mais gosto: pegar um carro (de preferência bacana) e sair em viagem meio sem destino, descobrindo o mundo, carregando minha câmera. Idealmente sozinho, mas se a companhia estiver disposta a não me atrapalhar ou tiver predisposição acrescentar algo nessa experiência, também é bem-vinda — o primo AK é um exemplo de parceiro bom pra isso, estar com ele é sempre uma troca. Se for para reclamar ou não entrar em sintonia completa, prefiro que se manque. 

Acabei de pensar que meu prazer estaria uma combinação de entusiasta com fotógrafo da National Geographic. Um bom plano B para minha aposentadoria. 

Então, caiu no meu colo uma viagem para Los Angeles, dois dias e meio com programação intensa e sem tempo para nada além de fazer reuniões e relatórios. Isso vindo de duas semanas insanas e sem tempo para sonhar ou preparar essa viagem com mais calma. 

Nos dias de trabalho aluguei um people mover irmão maior do meu Corolla, um Camry. Cheguei lá tão cansado e só pedi que me dessem o melhor carro com a menor tarifa. Estávamos em três e o Camry atenderia o papel de táxi. Ter muita iniciativa às vezes é ruim, pois coube a mim a função de chofer quando na verdade eu queria mesmo era descansar. 

Camry, enquanto cumpria obrigações

O Camry é um bom carro, o carro ideal para os sem paixão. A Toyota até que tenta... tem um belo V-6 com mais de 280 cv, tem uma dinâmica até que esportiva para o dia-a-dia e no caso desse que alugamos tem um "pacote" de aparência menos careta. Sem dúvida, um excelente carro. Mas definitivamente prefiro um Lexus IS-F com seu motor 5,0 e mais sangue nas veias. Para piorar o descontentamento o Camry estava desalinhado e bem a 70 milhas por hora o desbalanceamento total das rodas se manifestava. Quer coisa mais irritante que isso! Mas ninguém quis voltar até o aeroporto ou a outra Hertz qualquer para trocar de carro.

Mas chegando lá consegui mudar a passagem de volta de quinta-feira para sábado. Ou seja liberei dois merecidos dias para fazer o que gosto. Reservei mais dois dias de hotel por minha conta, uma bela porcaria por sinal, mas barato. E isso significou poder gastar mais no carro! Devolvi o Camry na data combinada e peguei o pony, também por minha conta, é claro. Aqui vale uma "reflexão".


Os dois são invocados

Pelo mesmo preço, além do Mustang GT 5,0-litros com 418 cv também estavam disponíveis o Camaro SS 6,2-litros com 432 cv e o Challenger R/T 5,7-litros com 380 cv. E agora? Que dúvida gostosa de ter! Nunca dirigi um Challenger, e apenas dei uma pequena volta num Camaro V-8 que o primo Arnaldo testou. Mas já aluguei Mustang e Camaro, ambos V-6. De cara pensei no Challenger por ser uma total novidade para mim e bom para um post. Mas os amantes Mopar que me perdoem (eu também sou um amante Mopar), pois acho as proporções da carroceria do Challenger estranhas. Olho para ele e apesar de achá-lo muito bacana no geral, tem algo estranho com a relação entre comprimento, largura e altura. Simplesmente acho o Mustang e o Camaro muito mais legais.


Que escolha difícil, quando for assim escute seu coração

Pela minha experiência com os V-6 acho que o Camaro aparenta ser muito mais carro que o Mustang. É um relógio suíço, ou o carro americano que mais se aproxima de um BMW em refino técnico. Mas tem algo aí que me incomoda. Isso foge muito do que entendo por muscle carMuscle cars não devem ser perfeitos! Devem sim ser autênticos, ter personalidade própria e não a de um robô alienígena.

Nesse momento entendi que deveria fazer uma escolha emocional e pronto. Então segui meu coração e não a cabeça e selecionei o Mustang no site da Hertz. Imediatamente após enviei a reserva para os amigos AUTOentusiastas para dividir o momento bacana. Vieram três comentários: "Tá caro!" do JJ, "É manual?" do AK, e "Agora tá macho!" do AG.

Caro! Pode ser. Então ande de Impala!

Sempre fui macho, mas confesso que o V-8 de mais de 400 cv ajuda muito. Não havia opção de caixa manual, infelizmente, e caro ou barato é relativo. Se você quer muito uma coisa e essa coisa cabe no seu bolso, se é caro ou barato não vem ao caso. No final como no balcão eu incluí o tanque cheio e mais um seguro o valor ficou em 458 doletas! Caro? NÃO. No Brasil, com esse valor se aluga um Astra ou Vectra por dois dias. Ou por um pouco menos um Impala por uma semana!

Selvagem, no espírito e na atitude

Um dos meus colegas veio embora nesse mesmo dia e o outro, mais novo e inexperiente ficou. Eu logo alinhei regras, as minhas é claro, e informei que não estava previsto nenhum passeio turístico tipo Hollywood, Beverly Hills, Rodeo Drive etc. Muito menos shoppings ou outlets! Se ele quisesse fazer qualquer coisa dessas, que alugasse um outro carro e se virasse. Mas ele é gente boa e apesar de nunca ter ido para os Estados Unidos, entendeu que ficar comigo poderia ser interessante.

Pegamos o carro azul escuro com as faixas brancas e mais alguns acessórios estéticos que deixam o carro mais invocado. Aerofólio na tampa traseira, aplique no painel traseiro, coberturas com louvers nas janelas traseira (remetendo aos fastbacks antigos), falsas entradas de ar nos pára-lamas traseiros, e um ressalto falso adicional no capô, que deixa o carro muito mais musculoso. Esse ressalto é bem alto e até atrapalha um pouco a visibilidade. Mas mesmo como um acessório apenas estético eu gostei bastante. Além disso, o carro também tinha rodas de 19 polegadas. Esse conjunto deve ter sido montado para a Hertz, pois todos os outros que vi lá eram iguaizinhos. A Ford tem uma enorme gama de acessórios bacanas para o Mustang — quem quiser montar o seu e se divertir com o sonho recomendo o customizador.





Mas o item de série mais emocionante desse carro é o ronco do V-8 que ecoa grosso pelo escapamento duplo. Nós temos poucas referências desse barulho aqui no Brasil. Algum músico louco bem que poderia gravar esse som, criar notas e compor uma música a partir desse ronco.

Saímos dali direto para o Museu Petersen de que já falei um pouco em um breve post de 2008 — veja aqui.  Dessa vez o museu estava bem diferente e inclusive com uma amostra específica de supercarros. Claro que logo sairá outro post sobre essa visita.

Interior completo, mas o que eu queria é era acelerar

Mas nesse caminho pegamos um trânsito enorme e tive que me virar com a ansiedade de rodar, acelerar o GT. O computador de bordo marcava 8,7 milhas por galão (3,7 km/l) quando peguei o carro. Achei um número muito ruim e imagino que quem usou o carro antes deve realmente ter abusado. Minha média, mesmo usando o modo binário (0 ou 100% de acelerador) e fazendo inúmeros "quarto de milha" entre as paradas nos semáforos, foi de 12,5 milhas por galão (5,3 km/l), apenas levemente pior do que minha antiga Fielder flex rodando com etanol — e comigo dirigindo. Mas acho dificílimo alguém se comportar o suficiente ao volante desse carro a ponto de fazer as 18 milhas por galão (7,7 km/l) de consumo em cidade conforme homologação do GT. É simplesmente impossível não acelerar esse carro!

Novíssimo five-oh! Uma das capas mais bonitas que já vi.

Esse 5,0 é novíssimo, bloco e cabeçotes de alumínio, duplo comando variável com 4 válvulas por cilindro e taxa de compressão 11:1 (sem injeção direta!). Com a chegada do Camaro a Ford teve que se coçar e trabalhou muito bem. Tanto o eixo rígido traseiro e o motor de menor cilindrada são estratégias para deixar sempre o Mustang mais barato que o Camaro. Enquanto o Camaro tem um 6,2-litros com 432 cv a 5.900 rpm e 58 m·kgf a 4600 rpm, o Mustang tem um 5,0-litros, chamado pela imprensa americana de five-oh, com 418 cv a 6.500 rpm e 54 m·kgf a 4250 rpm. Porém o Mustang pesa 114 kg a menos. Em teste recente da Motor Trend o Mustang engoliu o Camaro e o Challenger em desempenho e dinâmica e em outro teste andou junto com o BMW M3 na pista. Realmente impressionante, o que a Ford fez. 

Ainda nesse trânsito aproveitei para me familiarizar com os comandos e descobrir outras coisas como o ajuste da direção com assistência elétrica (sport, normal ou conforto) e também desabilitar os controles de estabilidade e tração. Mais tarde brinquei um pouco com isso, mas consegui apenas um leve burn-out.


O bom das direções com assistência é que se pode ter vários ajustes

Depois do trânsito ficamos umas quatro horas no museu e quando saímos já era o entardecer. O museu fica numa região com trânsito intenso. Me lembrei do observatório Griffith que fica muito próximo do museu, nas montanhas onde há o famoso letreiro Hollywood. O caminho até lá é uma estrada sinuosa e deliciosa para explorar o torque do five-oh. Fui para lá para fazer esse motor respirar de verdade. Mas a estradinha estava muito movimentada.

Estacionamos o carro e enquanto eu fazia algumas fotos uma gata esportista que estava se alongando bem ali nos disse: "Que o carro bacana!". Imediatamente lembrei do AG. Nada como um grande capô com um belo ressalto... Ficamos lá admirando a vista do centro de Los Angeles até o sol se pôr por completo. Na volta, como sou um cara legal, e além disso o trânsito já tinha baixado e estávamos bem perto das atrações, e também porque eu queria continuar dirigindo, fiz um tour por todas as atrações da região. Meu colega adorou.

Esse azul contrasta muito bem com o marrom da paisagem árida

Dia seguinte. Dia de estrada. A consulta no Google Maps me mostro que a uma hora e meia de Los Angeles há um lago com parque recreativo. Pegamos a famosa Highway 1 ou Pacifc Coast Highway, uma das mais bonitas estradas dos Estados Unidos, e fomos lá beirando a costa na direção norte. O legal dessa estrada é que ela é no nível do mar e é separada do interior por uma cadeia de montanhas não muito alta. Então há várias estradas que cortam essas montanhas, quase todas vazias e sinuosas. E para chegar no lago Casitas, nosso destino, tivemos que pegar vários trechos assim.

Recreação básica para autoentusiastas
Carro para o sul, direção para México e trem para o norte, direção para São Francisco
Esse trem beira a costa, do lado direito do carro está o mar
Terreno montanhoso com muitas estradas divertidas, tipo de passeio que não se faz com a família

E nesses trecho que pude abusar um pouco e produzir alguma adrenalina. Ah, como isso é bom! Lembrei muito do Arnaldo nessa hora. Ele simplesmente ficaria louco lá. Lembrei também da pergunta dele sobre a caixa. Automática!!!! What a f...! E o pior, não tem um modo manual seqüencial no volante e nem na alavanca. Eu queria muito mais adrenalina, queria sentir o ronco nas reduzidas, queria esticar e segurar marchas até o limite, ver o ponteiro lá no vermelho, queria usar menos o freio, queria soltar mais a traseira — que não saía nem sem os controles desligados. Ele tem diferencial com deslizamento limitado. Mas quem sabe se todos meus quereres fossem atendidos  a adrenalina teria sido em excesso e o passeio teria terminado antes da hora. Consolo.

5,0!
Na rampa de descida dos barcos

Rimos muito dessa situação

O importante é que deu para sentir que o carro tem pegada. Não me deu nenhum susto, nenhum um sustinho mesmo. A direção é impecável e a caixa de seis marchas cumpre sua função sem hesitação alguma. É absolutamente neutro e grudado no chão. Suspensão e freios perfeitos. Transmite muita confiança, mas acho que o M3 é ainda mais no chão. O Mustang ainda preserva seu espírito mais livre e selvagem. Gosto mais assim!

Cavalo selvagem

Curiosamente, o Mustang apesar de firme e confiante, tem um rodar muito confortável. Eu acho impressionante como os carros modernos conseguem ter um rodar suave e confortável mesmo com rodas gigantes, pneus de perfil baixo e suspensões bem firmes para poder lidar com mais de 400 cv.  

No caso desse GT tem uma coisa que ajuda um pouco; os bancos são fantásticos, que apesar de terem um bom suporte, são macios. Para quem tem tem mais de 100 kg de massa isso faz muita diferença. Eu odeio os bancos dos modelos RS da Audi, todos feitos de pedra lascada. Cada vez eu gosto mais dos muscle cars


Outra coisa que faz diferença é a superfície do pavimento. Na Califórnia eu notei que a situação não é lá grande coisa. Tem muitos trechos de estrada que estão bem degradados e o meu pensamento constante era que a grama do vizinho não é tão mais verde que a nossa. É como se eu procurasse defeitos para me consolar. Mas logo que cheguei de volta ao Brasil e rodei pela colcha de retalhos que é a minha rua tive que aceitar a nossa triste realidade. Isso sem contar que nossas ruas e avenidas têm seção em arco de circunferência, ou seja tem uma caída, muitas vezes acentuada, para escoamento de água. As marginais em São Paulo causam um choque assim que saímos do aeroporto de Guarulhos.





Portanto imagino que mesmo com essa suspensão bem acertada o eixo rígido traseiro ficaria quicando pra lá e pra cá descontroladamente. Senti isso levemente em trechos mais irregulares durante o meu passeio pelas vias secundárias.

Nesse dia dirigi mais de 400 quilômetros. Poderia ter sido muito mais se não tivéssemos tantas paradas em locais bacanas como Santa Monica e Malibu.






No dia seguinte acordamos cedo para irmos embora. Saímos do hotel e não havia uma alma viva na rua. No retorno para pegar o sentido oposto da avenida afundei o pé e o bicho saiu rabeando e meu amigo derrubou todo o café. Precisamos parar para limpar tudo. Mais à frente nessa avenida longa e larga, mas com trocentos semáforos, bem do nosso lado parou um impecável BMW M3 2002/2003 com um emblema Dinan na traseira. Ou seja "tunada". Aí sem hostilidade alguma fizemos várias arrancadas fortes entre os semáforos. O cara era local e eu confesso que fiquei meio apreensivo e não abusei muito. Mas deu para acordar de vez. Devolvi o Mustang com relutância. Mas com a certeza de ter feito a escolha certa dois dias antes.

Na volta coube tudo no porta-malas!

Voltei para rotina revigorado!

Leia também: Mustang, dias de prazer e Camaro, dias de sonhos, sobre os modelos V-6.

PK

Fotos adicionais

Santa Mônica vista do pier
Por do Sol visto do pier de Santa Mônica
Pelicanos em Santa Mônica
Luneta no pier
Roda gigante que fica no pier
Ponta do pier
A Rota 66 termina no pier de Santa Monica
Um Vehicross no estacionamento do pier
Montanhas de Hollywood, vista do observatório Griffith
Vista do observatório Griffith
Los Angeles, vista do observatório Griffith 
Los Angeles vista do observatório Griffith 
Los Angeles vista do observatório Griffith 
Los Angeles vista do observatório Griffith 
Hermosa beach












56 comentários :

  1. Minha tarde está feita depois dessas fotos. Estou perplexo.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, como sempre. Deu até vontade de alugar um desses.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal seu post...deu inveja.
    Ano passado tb fiz uma viagem pela Califórnia, e fiquei impressionado com a quantidade de carros bacanas e pessoas bonitas...poucos são os obesos mórbidos tão facilmente encontráveis pelos outros estados americanos.
    Tb gosto dos muscle cars da nova geração, mas realmente o Challenger ficou estranho...parece foto 16x9 num monitor 4x3...as proporções estão atrapalhadas.
    Cai na besteira de atravessar a Highway 1 inteira pela costa, indo de SF para LA...é linda, mas haja saco, peguei um senhor e uma senhora, "cruising" calmamente em um Buick...ninguém merece, ela é cheia de curvas e pontes, faixas continuas o tempo todo...e ainda dei a bobeada de entrar nela com apenas 1/4 de tanque...poucos são os postos de combustível, e a gasolina, bem mais cara...mas valeu a pena, boas lembranças e lindas fotos.

    ResponderExcluir
  4. Augusto Filho14/11/11 15:38

    Dos três, realmente o Mustang é o mais belo. Aliás, é difícil achar outro carro em produção mais bonito que ele, na minha opinião...

    Belo post, belo carro, bela paisagem. Parabéns, PK!

    ResponderExcluir
  5. Eduardo Vieira14/11/11 16:02

    Show de Post mesmo, Paulo!
    Texto muito bom de ler, "turismo" no estilo que gostaria de fazer, "get a car, drive away"...
    E as fotos ficaram fantásticas!

    ResponderExcluir
  6. Paulo,

    À pouco tempo andei de carona pela primeira vez em um 2003 Ford Mustang Mach 1 nas montanhas de Maryland.

    Fiz que duvidei que o americano saberia trocar marchas no câmbio manual.

    Não só queimei a língua como sujei as calças. Que máquina!

    Ele ainda tinha um 1993 Ford Shelby Mustang, novíssimo, para passeios em encontro de carros antigos.

    Um abração,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  7. Quem quiser ouvir o ronco do novo 302 do Mustang, aqui vai o link

    http://www.youtube.com/watch?v=8-w-ghWlrVE

    ResponderExcluir
  8. A vida é curta. Se foi caro ou barato, minha experiência de vida diz que foi uma bagatela. Devemos ser seres racionais, movidos pelo coração.

    É inegável : - É o autêntico "carro de macho".

    E possui uma frente indefectível, a clássica frente "assassino do asfalto", que no caso do Mustang, ficou potencializada.

    Ótimo post. Parabéns pela escolha!

    ResponderExcluir
  9. Hoje é aniversário do Bob Sharp, não é?

    ResponderExcluir
  10. Fotos sensacionais! O Mustang já é um belo carro, e a paisagem da Califórnia só valoriza ainda mais isso. Ótimo post!

    ResponderExcluir
  11. Aléssio Marinho14/11/11 17:25

    Obrigado PK!

    ResponderExcluir
  12. Lindas fotos, carro lindo, cor linda e rodas belíssimas;

    Senti uma ironia pro lado do JJ e seu Impala!!!;

    O camaro era conversível, seria interessante nessas belas estradas;

    Ainda que não seja o interesse de autoentusiastas um carro para chamariz de gatas exclusivamente, neste caso temos o que queremos e mais isso, faltou só o câmbio manual mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Alexei Silveira14/11/11 18:29

    Excelente texto, PK.

    E que fotos ! Que fotos!

    ResponderExcluir
  14. Cada carro com seu uso.
    Para dois, boa escolha. Para três e montes de malas, o Impala foi ótimo. E o preço da locação foi 60% do seu Mustang, por oito diárias.
    Como disse, caríssimo.
    E mais, carro esportivo ou muscle, automáticoc, estou fora.
    Belas fotos, como sempre.

    ResponderExcluir
  15. Caio Cavalcante14/11/11 20:42

    Grande PK,
    Fotos maravilhosas, como sempre.
    Gosto muito quando vocês escrevem detalhadamente sobre as viagens feitas. O Arnaldo já me deixou louco para viajar de carro pela Argentina, você agora me instigou a fazer uma road trip pela Califórnia longe dos clichês turísticos. Belo guia de viagens AUTOentusiastas!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Que fotos, hein, PK?!?!
    Mas que pena esse Mustang ser automático! Capou o carro!

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  17. PK,
    Ótimo relato, fotos, carro e paisagens... Está de parabéns pelas tomadas!

    E uma pergunta...
    Quer trocar de emprego comigo, rs???

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  18. charles alexandre15/11/11 00:02

    No estacionamento do pier só tem carro de cor branca ou preta,meio que parece São Paulo,não é a toa que o amarelo chama atenção.......

    ResponderExcluir
  19. Excelente post, incluindo as fotos!
    Gostei da foto perto do banheiro químico, ficou bem humorada! Rs

    Li em vários comparativos entre os MuscleCars e em todos o Mustang sai vencedor... Vamos ver com a nova direção se o Challenger melhora e chega para a briga!

    Aqui perto de casa tem um Camaro, q carro! Tomara q a Ford entre na concorrência e traga alguns Mustangs tb.

    A Hertz tem vários modelos exclusivos para locação como o Corvette...

    Libera logo o post sobre os superesportivos!

    Abraços

    ResponderExcluir
  20. PK

    Essas bizarrices com GPS acontecem por aqui também. De repente, é como se você estivesse rodando pelo meio do mato, ou seja, o traçado real não coincide com o que está no mapa instalado. Passei por isso em Goiás e com GPS Garmin.

    ResponderExcluir
  21. FVG, acontece mesmo. Mas essa eu achei legal pela mensagem "pronto para navegar". Abraço PK

    ResponderExcluir
  22. Valeu Lawrence,
    Quem sabe da próxima vez parto para um nível acima e pego um Vette, nem que por um dia!
    Abraço, PK

    ResponderExcluir
  23. EduR,
    Eu acho legal pra caramba a 1. Já fiz duas vezes de LA até Carmel. Mas o trecho até São Francisco eu não conheço.
    Tem uns caras sossegados demais mesmo. E o pior é que não dão passagem e nem facilitam. Muitos ficaram p da vida comigo por acharem que eu estava fazendo pressão. Isso porque eu mantinha uma boa distância. Depois de uns 10 minutos saiam para o acostamento indignados. E eu juro que estava muito comportado.
    Realmente não há postos de combustível.
    Mas mesmo assim eu prefiro a 1 do que as expressas.
    Abraço, PK

    ResponderExcluir
  24. Charles, mas na Califórnia tem muitos carros coloridos, acho que mais que em qualquer outro lugar. Abraço PK

    ResponderExcluir
  25. Valeu Marlos!
    De fato eu não posso reclamar! Abraço! PK

    ResponderExcluir
  26. Lucas CRF,
    Capou, mas me diverti mesmo assim! Abraço, PK

    ResponderExcluir
  27. No começo do ano estive 10 dias na Argentina (Córdoba) também a trabalho pela empresa. Como teve um fim de semana no meio, também deu tempo para "empreitadas entusiastas" como essa aí - muito bom, também adoro fazer isso sempre que posso. No sábado e no domingo foi só estrada pela região, que é muito bonita e com diversas paisagens, montanhas campos, lagos, etc. Sem falar no alfajores e assados... sensacional.

    A única diferença é que o meio de transporte não era tão agradável - na locadora só tinha GM e nada muito diferente do que se tem no Brasil. Mas mesmo assim esse tipo de passeo é muito agradável.

    Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  28. Caio Cavalcante,
    Obrigado. Esse tipo de comentário serve de estímulo para continuarmos fazendo. Esses posts geralmente dão um trabalho enorme. E no meu caso sempre ficam aquém de tudo que eu planejava incluir.
    Abraço, PK

    ResponderExcluir
  29. Anônimo, preferi o motor do que o conversível! Valeu.

    ResponderExcluir
  30. Aun, entusiasta de verdade esse seu amigo! Assim é que é bom. Abração, PK

    ResponderExcluir
  31. Eduardo Vieira,
    Gostei da expressão "get the car, drive away". Vou usar isso algum dia,
    Abraço. PK

    ResponderExcluir
  32. Augusto,
    Realmente o Mustang é o mais bonito e equilibrado. Obrigado, PK

    ResponderExcluir
  33. Aléssio Marinho, eu que agradeço sua presença! Abraço, PK

    ResponderExcluir
  34. Renan, que comentário bacana! Obrigado. Abraço, PK

    ResponderExcluir
  35. Michel, o ato começa com a vontade! Abraço, PK

    ResponderExcluir
  36. Anônimo, esse Boss 302 seria o pré-sonho. O sonho mesmo é o Shelby! Obrigado, PK

    ResponderExcluir
  37. Mendonça, obrigado pelo comentário. Gostei da frese: " Devemos ser seres racionais, movidos pelo coração."
    Abraço, PK

    ResponderExcluir
  38. Renato Passos, o aniversário do Bob foi ontem mesmo! Abraço. PK

    ResponderExcluir
  39. Marcos_Z, obrigado pelo comentário, PK

    ResponderExcluir
  40. Parabens bob
    Ta sumido nos comentarios e respostas.
    O que vem por ai?
    Cruze?
    March 1.6?
    Versa?
    Cobal?
    Mais uma voltinha novo palio?

    Minha mega ainda nao saiu, mas seu presente ja esta escolhido entre tantos alemaes que voce gosta como passat, jetta turbos, RS6, a3 sport, outros diversos e alguns italianinhos divertidos o seu presente certamente seria um miata branco, resta voce escolher a a cor da capota se de lona ou o sistema rigido opcinal!!!!!!!
    Saude!

    ResponderExcluir
  41. Por conhecidência estive em Miami e Orlando a um mês atras, e aluguei um Mustang igual este por 9 dias. Foi uma ótima experiência, que seria um pouco melhor se o câmbio fosse manual.
    Fiz um teste de 0-100 km/h nele algumas vezes, utilizando aqueles aplicativos de iphone. Marcou 3 passagens em 5,8 s.

    ResponderExcluir
  42. FVG,

    No Garmin o Tracksource ainda é imbatível nas estradas. E é Gratuito.

    ResponderExcluir
  43. Belas fotos!!
    O que "bateu" na M3 não foi o Boss??

    ResponderExcluir
  44. O boss bateu e bateu forte na pista
    O gt foi mais um empate mas acho bastante isso ja

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. Mister Fórmula Finesse16/11/11 10:21

    Que baita post PK, merece ser lido várias vezes.....turismo, aventura (acelerar a bagaça) e cultura.

    Esse observatório é "aquele" do James Dean?

    Caro, olha que legal...esse logotipo gigante 5.0 na lateral me remete aos tempos inocentes da adolescência, quando eu não podia conceber um carro com motor 5.0 descrito na lateral, mas especificamente de um mustang de um filme de 1989 (Twins), o mustang conversível de Danny DeVito.

    Ora, para mim...naquela época, carrão era dois litros, ou "aberrações" como o 4.1/S que eu namorava, namorava nos opalas e que nunca cheguei a consumar nada.

    Eu olhava o mustang do filme: "Mas têm que ser 2.0, não posso estar lendo 5.0....então andamos do que aqui? de batedeiras?"...

    Ah sagrada ignorância..se assim continuasse, quem sabe agora estaria andando no melhor sedan já fabricado no mundo, feliz e realizado (sic).

    Fotos padrão Car como de costume, e aquela redação que é o fino...baita postagem PK, continue nos presenteando sempre desse jeito.

    P.s: Que carro esse mustang; seria de botar um L.A.Woman na vitrola do carro e - como um Jim Morrison redivivo - sair barbarizando com a Lady in Blue, o famoso GT500 que foi do malogrado (em termos de tempo de vida) cantor.

    ResponderExcluir
  47. Paulo, esse carro é a tua cara, desde que tenha câmbio manual.
    E aí eu pego um Camaro e a gente tira uns rachas e papa uns BMW de youpies descarbonizados aí.

    ResponderExcluir
  48. Como sempre, fotos espetaculares!!!

    ResponderExcluir
  49. AE tornando meus dias mais felizes e interessantes desde sua fundação!

    Belo texto, fotos e mesmo aquelas onde nenhum carro aparece (nitidamente) estão espetaculares.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  50. PK, parabéns! Mais uma vez!

    Excelente texto, como já falado, inspira uma viagem pra lá!

    As fotos então, neste quesito você é mestre, né! Impressionante a última foto da vista de LA do observatório. As fotos com os faróis acesos ficaram nervosas!

    Olha! Sabe que eu gosto do Challenger!?! Muito provavelmente o que você estranha nele é o que me faz gostar ainda mais dele. Pra mim é o que mais remete à versão utilizada como base entre estes retros.

    Sempre fui macho, mas confesso que o V-8 de mais de 400 cv ajuda muito.

    kkkk... Figura! Mas legal, foi sincero!

    "O cara era local e eu confesso que fiquei meio apreensivo e não abusei muito."

    A M3 abriu, né??? Pode falar... rsrsrs


    JJ, caro? Às vezes temos que apertar o botão do "F", isto não é necessário, é obrigatório!!!
    Ou você acha que é legal voltar de uma road trip se gabando que fez 20km/L numa van??? Tire a mão do bolso, man! Depois leio seu post do Impala, valeu?

    Abs

    ResponderExcluir
  51. PK, texto sublime, mas não gosto quando falam mal de Dodges. hehehe

    ResponderExcluir
  52. lindas fotos, ótimo texto, mas eu não teria dúvidas ao escolher o carro ... seria um mopar! avrassss
    V8nFUN.blogspot.com

    ResponderExcluir
  53. Aluguei um GT nos EUA recentemente, mesma cor!
    O carro é uma delicia de pilotar! Um verdadeiro simbolo Americano.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.