DO BAÚ DO MAO: MERCEDES-BENZ 300 SEL 6.3


Ao pesquisar para meu post de anteontem sobre o 300 SEL 6.3, me lembrei que tinha os manuais do proprietário do modelo, tanto em alemão quanto em inglês. De onde vieram? Do lixo da Mercedes-Benz do Brasil, na época que assim se chamava.



Como sempre, resolvi compartilhá-los com meus queridos leitores. Posso até ser persuadido a escaneá-lo todo, ou até doar um deles, se você for o dono de um Mercedes desses... Me contate pelos comentários se for este o caso.

Selecionei algumas partes interessantes para compartilhar com vocês hoje. Primeiro, uma imagem do carro inteiro com a localização dos números de identificação:


Uma interessante página, que no manual é dobrada ao meio, mostrando os pontos de manutenção regular do veículo:


Do outro lado, na mesma folha dobrada, o esquema elétrico do carro:


O painel de instrumentos com os componentes legendados:


Detalhe do painel:


A especificação do óleo, como deve ser, dependente da temperatura ambiente:


Essa é deliciosamente germânica. Um gráfico que é simples para um engenheiro, mas deve ser ilegível para leigos, sobre aderência em frenagem. Realmente não se fazem mais alemães como antigamente, genial:


Por fim, as fichas técnicas, em inglês e alemão. Reparem que é declarada potência de 300 hp brutos (gross) e 250 cv DIN, líquidos:




MAO


22 comentários :

  1. Esse tipo de documento é uma verdadeira relíquia! Seria uma boa se escaneasse, montasse em .pdf e disponibilizasse aqui para os entusiastas!

    ResponderExcluir
  2. MAO
    Seria uma boa digitalizá-lo (eu sei que dá um trabalhão) e publicá-lo no Issuu.com ou algum outro serviço semelhante.

    Tem muita gente mantendo esses manuais como tesouros secretos e misteriosos. É legal até para conhecer a história do carro.

    Tenho uns comigo, mas nao tenho scanner. Um deles é o manual técnico do W201 AMG, que fala quais foram as modificações em relação às demais versões e como foram feitas. Acho que vou acabar fotografando as páginas mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Veja esse manual do 300SL "Gullwing"

    http://axisofoversteer.blogspot.com/2011/02/artifact-mercedes-300-sl-owners-manual.html

    ResponderExcluir
  4. Como bem dizem os norteamericanos, o lixo de um homem é o tesouro de outro...

    ResponderExcluir
  5. MAO, são quantas páginas?
    Se quiser mandar pra cá eu posso digitalizar, nem que demore um mês.

    Gostei disso nas dicas de segurança: "Due to extreme comfort of the vehicle, glance at the speedometer from time to time to check your speed. Your breaking distance is longer at high speeds.
    Only in Germany...
    Queria ver esse gráfico com o uso de pneus modernos.

    ResponderExcluir
  6. Achei um vacilo dos alemães: o tacômetro não mostra a identificação da unidade de medida (e, nesse caso, da constante do instrumento), ou seja: RPM x 1000.

    ResponderExcluir
  7. Manuais à alemã chegam a ser divertidos pelo número de informações que trazem. Hoje em dia, vê-se um pouco isso em carros de marca japonesa, em que inclusive dão valores de torque para apertar parafusos e mostram como fazer serviços simples, como trocar uma lâmpada de farol ou mesmo outros mais trabalhosos, como trocar uma lâmpada interna.
    Carros antigos da VW brasileira tendem a ter manuais à alemã. Lembro-me do manual de um Karmann-Ghia em que falavam coisas interessantes como "use graxa à base de lítio".

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Sempre gostei de ler; na falta de outra coisa, até bula de remédio eu lia. Desde criança, quando acompanhava meu pai à revenda de carros que nossa família mantinha, gostava de abrir os porta-luvas e ler os diferentes manuais. Parece bobagem, mas aprendi muita coisa! Neles aprendi o significado das palavras "enigmáticas" do alemão,em especial "bremse" e "ladung" que ilustram as luzes sem símbolos do quadro de instrumentos destes Mercedes (possuo um 200 ano 1970), aliás muito similar ao dos primeiros Passat.

    ResponderExcluir
  10. Bacana, MAO, bacana. Obrigado por compartilhar isso conosco. Mas fiquei imaginando: com 550 kg só de motor na dianteira, nesse asfalto lixo que temos, as buchas da suspensão dianteira deviam esfarelar!

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  11. Tem fabricante de carros por aqui precisando aprender a fazer um manual do proprietário decente, he, he! Posso citar o fabricante do meu próprio carro (Logan), a Renault. É fraquíssimo. Acho que nem os do Chevrolet Monza GLS 2.0 EFi e Fiat Palio ELX 1.0 16v Fire que tive podem ser considerados belos manuais, pois já vi bem mais completos, como o do Citroën Xsara de minha tia ou o do Mitsubishi Pajero TR-4 da firma, mas este do Logan é beeeeeeeem ruinzinho mesmo. Ainda bem que o carro em si, não acompanha a ruindade do manual: estou muito satisfeito e positivamente surpreso com as muitas qualidades do meu "patinho feio", he, he, he!

    ResponderExcluir
  12. Obrigado por partilhar essa preciosidade MAO. Seria muito interessante poder ver o manual todo, pelo menos o inglês.

    Já não se fazem manuais como antigamente... Tão ricos em informação prática.

    LEONARDO: Partilhe seus tesouros com a gente. Nem que seja mesmo fotografado, com paciência consegue-se fazer um trabalho tão bom como scanner.

    ResponderExcluir
  13. No manual do meu carro está escrito assim:
    "Ao perceber que a lâmpada do farol está queimada, encaminhe o veículo à concessionária mais próxima."

    Está dando asco de ver em que pé estamos chegando.

    ResponderExcluir
  14. Os manuais da VW sequer trazem a especificação do óleo e quando trocar. Trazem apenas a especificação interna da VW e fala para procurar a concessionária.

    Depois se dizem alemães...

    ResponderExcluir
  15. Olá, MAO, tudo bem?

    Parabéns pelos dois excelentes textos! Li com extrema atenção e adorei as fotos dos manuais.

    Gostaria de saber?? se posso compartilhar seus dois textos em meu blog:

    www.mbmagazine.com.br

    Aproveito para convidá-los a conhecer o meu blog. Sejam bem-vindos.

    Abraços e sucesso!!

    Anderson Nunes

    MB Magazine

    ResponderExcluir
  16. Amanhã é meu aniversário, aceito de muito bom grado um deles, ate o alemão ;)

    ResponderExcluir
  17. Genail fornecer o esquema elétrico. Do meu carro, implorei em várias concessionárias e ninguém podia fornecer.

    ResponderExcluir
  18. Pois e falando em passat tenho certeza que ninguem reclamava do tamanho do tacografo do mercedes...

    ResponderExcluir
  19. Para quem quiser uma overdose de manuais, ou puder contribuir:


    http://www.oldcarmanualproject.com/

    ResponderExcluir
  20. Muito legal, o mais bacana é como faziam jogo aberto, mostrando esquema elétrico, por exemplo.
    Hoje os manuais são apenas "Manuais de usuário", até as especificações de coisas como óleo ficam um tanto escondidas para não "incentivar" as pessoas a fuçarem por conta própria.
    E incrível como as fabricantes gostam de jogar sua história no lixo.

    ResponderExcluir
  21. MBBLOG,

    Pode usá-los sim, basta citar a fonte e colocar um link para o AE.

    (desculpe a demora em responder...)
    MAO

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, MAO

    Obrigado pela atencao e gentiliza em permitir a reproducao dos seus dois textos!!

    Havendo mais algum trabalho referente a Mercedes-Benz que queira compartilhar?, o MB Magazine estará a sua disposicao. Peco desculpas pela falta de acentos. Teclado americano.

    Abracos,

    Anderson Nunes

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.