TRADUÇÕES IMPERFEITAS



Por o Paulo Keller ter-nos mostrado no seu post a bela gravura de São Francisco com o bonde a cabo ladeado por um Pontiac GTO, me lembrei de um caso incrível de má tradução.
A série televisiva mostrada na foto era muito boa, aqui se chamava "Sao Francisco Urgente". Eu a assistia sempre  Esteve no ar durante cinco anos na década de 1970.
Um dos capítulos começou com alguém dizendo que o corpo de fulano de tal havia sido encontrado no carro do telégrafo. Achei estranho. Mais adiante o corpo foi mostrado conforme havia sido achado...no bonde a cabo, no cable car. O tradutor achou que cable era de telegrama, telégrafo.
Em outro filme, de corrida, aparece um carro esporte treinando, que entra no box. O piloto diz para o engenheiro, "O carro está estranho nas curvas, talvez pudéssemos colocar os pés para dentro ou para fora". Ele quis dizer mexer com a convergência, toe-in e toe-out. Só que toe também é dedão, artelho. O tradutor preferiu usar pés a dedão...
Em outro, também sobre automobilismo, "o carro está fervendo nos cantos, talvez seja preciso mexer nos flutuadores". Pegou, leitor? O carro estava dando falta nas curvas (the car was starving in the corners), seria preciso mexer nas bóias (floats) dos carburadores.
Já vi quem escrevesse bomba de gasolina em inglês como fuel bomb em vez  fuel pump....
Há exemplos mil, que os leitores mesmos devem conhecer vários. Estejam livres para comentar à vontade.
BS

27 comentários :

  1. Clésio Luiz30/11/09 21:11

    Eu vejo muitos erros em traduções, especialmente quando envolve algo técnico. Coisas militares, de computador e até de automóveis.

    É comum você ver num filme ou seriado traduzirem "truck" como caminhão, quando o personagem se referia a sua picape.

    É mais fácil encontrar boas traduções com o pessoal que faz legendas para por na internet do que em DVDs vendidos em lojas, lamentável.

    ResponderExcluir
  2. Bob,

    Infelizmente é normal, previsivel que isso ocorra. Filmes automotivos são feitos com um minimo de critério e orientados a quem gosta de carro, logo esses erros são normais por serem traduzidos apenas por um tradutor normal, não especializado no assunto do filme. Certa feita uma amiga minha que é bem inicada em idiomas e que fazia traduções me pediu que a ajudasse pois sabia que eu falava ingles mais ou menos e que ela tinha uma duvida na tradução de uma palestra de história, quando em determinado ponto o palestrante falava algo que ela não entendeu do que se tratava e que era importante ao contexto. Eu fui ouvir o audio da palestra e o termo era apenas WW2, uma alusão a segunda guerra mundial. Expliquei e o problema se resolveu. Agora se eu não curtisse aviões militares tambem, pasarria batido nessa!

    ResponderExcluir
  3. Fico louco quando vejo os MARINERS, fuzileiros navais americanos, serem chamados de "marinheiros". Há um pequeno abismo entre um fuzileiro e um marinheiro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Bob,

    Perdão por usar esse espaço, mas é a respeito do rodízio.

    "Projeto aprovado em 1º votação na Câmara de SP pede ampliação do rodízio"

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/11/30/ult5772u6428.jhtm


    O pior é ver que o sujeito diz o seguinte:

    "Com isso, os funcionários desses estabelecimentos não precisariam pegar o transporte coletivo no horário de pico. Muitos lugares abrem às 7h, mas não tem cliente nenhum nessa hora", argumenta o vereador

    Deve sofrer de anastomose entero-cerebral.

    ResponderExcluir
  5. Bob, há um filme de 1980, "The Pilot" ("O Piloto"), que cont a história de um comandante de Boeing, sério candidato a ganhar o título de "piloto do ano", que se vê sob investigação da própria companhia por ter problemas de alcoolismo enquanto voa.
    É um filme do fim do "cinema catástrofe" dos anos 70, que explorava a sensação de mostrar onde poderia estar o perigo quando mais nos sentimos seguros.

    Em determinado momento, há a cena em que o avião aproxima-se da pista para o pouso, quando o piloto, na dublagem, diz textualmente:
    - Baixe as engrenagens...

    "Gears" em inglês significa realmente engrenagens, mas num avião geralmente esta palavra se refere ao trem de pouso.

    O AG acertou na mosca. Há mais erros deste tipo em filmes que abordam temas altamente técnicos.

    Embora tenhamos as melhores empresas de dublagem do mundo (em poucos lugares do mundo se assiste a um filme dublado sem sentir que a dublagem está forçada como estamos acostumados), elas nunca gastam dinheiro contratando consultores para tirar essas arestas. Fazem apenas a tradução arroz-com-feijão.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom esse aviso "emergencial" do Kenzo, apesar de off-topic.

    Realmente a coisa vai muito mal em SP. Cabe ressaltar, como a matéria mostra, que o vereador que propos a tal lei tinha que ser do PSDB. Corja de malditos!

    Falando em legislação, aqui vai uma boa e má notícia ao mesmo tempo:
    http://noticias.uol.com.br/ultnot/agencia/2009/11/14/ult4469u48811.jhtm
    A boa é o pronunciamento do STJ. A ruim é que rapidamente as cidades criarão autarquias, e transferirão a elas o poder de multar. E aí não terá mais jeito, será um ato administrativo totalmente legal.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Na série Supernatural da Warner, que no SBT se chama Sobrenatural, os irmãos Dean e Sam Winchester caçam demônios, fantasmas e coisas do tipo. O carro usado por eles é um Impala 67 preto e é praticamente um personagem da série. Durante um episódio o sujeito da legenda traduziu "427 cubic inches" para "427 cilindradas" e "four barrel" para "4 cilindros". Na hora quase tive um treco e fui obrigado a parar de ver TV e ir vomitar no banheiro.

    ResponderExcluir
  9. Outro exemplo de uma série que ficou terrivelmente cheia de erros de adaptações, foi Initial D, um anime (desenho japonês inspirado no mangá de mesmo nome) que fala sobre corridas ilegais no Japão. Apesar de ser "só um desenho" mostra de forma fiel muitos detalhes sobre carros, técnicas de pilotagem e preparação.
    Muito recomendado pra qualquer entusiasta, principalmente se gostar de carros esportivos japoneses da década de 90 e final de 80
    É uma série interessante e merecia um tratamento melhor no Brasil =/

    ResponderExcluir
  10. Bob, é por essas e outras que eu evito de fazer traduções, na realidade eu sempre gostei muito do assunto, e como tenho muitos amigos que não entendem inglês, eles sempre me pedem explicações acerca de livros técnicos sobre carros clássicos e antigos, então eu vou num dicionário extremamente técnico que ganhei há alguns anos atrás,e me certifico muito antes de dizer qualquer tipo de besteira...
    Muito melhor pecar por excesso do que por falta (de conhecimento) !!

    ResponderExcluir
  11. Mister Fórmula Finesse01/12/09 08:18

    Quase pior do que isso são as "licenças poéticas" dos iluminados que inventam os títulos para os filmes de fora.

    Você quer ver a nova versão do General Lee da série Dukes of Hazzard e tem que pedir no balcão da locadora o filme dos "Gatões"!!!!!!!

    Ainda não entendi o que o ótimo filme "River ....." têm a ver com o título sem pé e nem cabeça de "Sobre meninos e lobos"...esse sim um verdadeiro clássico em relação a ficar constrangido pelo mico de outrem.

    E por aí vai, exemplos existem muitos!

    ResponderExcluir
  12. Kenzo,
    É mesmo coisa de doido. Estamos ferrados com esse tipo de gente.

    ResponderExcluir
  13. André Dantas,
    No filme "O outro lado da meia-noite", dublado, o avião executivo vem para o pouso em Zurique sob forte nevasca e o piloto diz para a torre, "dois minutos para touchdown"...Pelo menos não saiu tradução errada, embora a maioria não tivesse entendido o que ele disse.

    ResponderExcluir
  14. Vamodoido
    Essa de marines virarem marinheiros é de doer.

    ResponderExcluir
  15. Marcello,
    427 cilindradas é dose...

    ResponderExcluir
  16. Mesmo em locais onde a tradução deveria ser algo um pouco mais refinado, acontece. Um belo exemplo é aquela biblia automotiva da Bosch. (Manual de Tecnologia Automotiva - Ed Edgard Blücher).

    Há pontos onde o manual é praticamente ininteligível. Não falo alemão mas creio que há construções de frases que parecem um pouco com inglês e outras, que só Deus para entender.

    Há uns anos, eu participava de uma palestra de TI onde o pessoal da Intel estava apresentando a então "revolucionária" porta AGP para placas gráficas... Faz pouco tempo... *rs*

    Me recordo que em um dado momento, a tradutora disse: "pelo ônibus de dados". E isso não foi uma única vez durante a palesta. E chipset? Foi traduzido como jogo de chips ou outra hora, conjunto de chips...

    ResponderExcluir
  17. Infelizmente verter uma obra de um idioma para outro está longe de ser uma ciência exata. A linguagem é uma coisa muito mais cultural do que as pessoas imaginam, e uma tradução é sempre uma versão nova da mesma obra. Não adianta as empresas acharem que traduzir é só trocar o idioma, você cria algo completamente novo. Se o responsável interpretar o original e criar essa nova versão não tiver o cuidado necessário pode transformar uma Mona Lisa num boneco de palitinho ("stick figure":-).
    Desde que aprendi inglês me divirto com as besteiras que a gente pega nas legendas. E apesar do que dizem sobre a dublagem brasileira, e apesar de idolatrar o Márcio Seixas (a voz do Spock), prefiro o áudio original mil vezes.
    Indo um pouco para o off-topic, as TVs por assinatura descobriram que programas dublados agora dão mais dinheiro que legendados, e a maioria não pensou duas vezes. Dane-se você que gosta de áudio original, pois muitos estão botando as DUAS faixas de áudio em português.

    ResponderExcluir
  18. Todo dia tem casos bizarros de legendas mal feitas no bizarríssimo Speed Channel aqui do Brasil.

    ResponderExcluir
  19. Bah, traduçãoruim é triste mesmo. Mas eu costumo notar menos em legendas do que em diblagens.

    Kenji.
    Eu assisti "Inisharu D" legendado por fansub brasileiro e gostaria de saber quem fez pra dar uns toques. Devem ter pego a legenda em inglês tem umas frases dignas de Google Translator.

    ResponderExcluir
  20. Sandoval Quaresma01/12/09 16:19

    Áspero
    Afiado
    Pouco Honesto (é o que diz o Pai dos Burros)

    ou simplesmente


    televisão

    ResponderExcluir
  21. Mister Fórmula Finesse

    "Os Gatões" já era um título cunhado na época do seriado, que era transmitido no Brasil na década de 80.

    De vez em quando eles acertam: eu não gostaria de assistir "O Padrinho", prefiro assistir "O Poderoso Chefão" mesmo.

    FB

    ResponderExcluir
  22. As possibilidades são infinitas:

    Ball joint = junta de bolas; bias-ply tires = pneus de viés dobrado; worm and roller = minhoca e bobs; rack and pinion = bagageiro e pinhão; double clutch = agarrar em dobro; throttle body = corpo estrangulador; idle position switch = mudança de posição do preguiçoso.

    ResponderExcluir
  23. Dizem que as legendas dos DVDs do Top Gear no Brasil são bem fracas e com erros.

    (merchandising)Por isso sugiro que usem as legendas do Leo disponíveis em Http://jeremiasclarkson.blogspot.com

    A única falha foi não conseguir descobrir o que é um "brunellian axle"

    ResponderExcluir
  24. Oi Leo,

    Eu também nunca tinha ouvido falar em "brunellian". Dando uma fuçada, descobri que essa palavra deriva do sobrenome de Isambard Kingdom Brunel, engenheiro britânico que viveu na era vitoriana. Esse Brunel estava metido em todos os grandes projetos de engenharia da época, de pontes a ferrovias a grandes embarcações. Pela abrangência de suas atividades e pela genialidade de suas soluções, era uma espécie de Leonardo da Vinci do século 19. O interesse na obra brunelliana (taí!) foi revitalizado há pouco tempo por iniciativa do Jeremy Clarkson, que apadrinhou a candidatura de Brunel ao título de "maior britânico de todos os tempos". (Me parece que Brunel acabou se classificando em 2º lugar.) De onde deduzo que "brunelliano", vindo do Clarkson, é um alto elogio usado para qualificar uma obra prima de engenharia.

    ResponderExcluir
  25. Agora tudo faz sentido! Ele falava da transmissão do Mercedes CLK AMG Black.

    A tradução está aqui http://jeremiasclarkson.blogspot.com/2008/07/magia-negra.html e eu vou tratar de ajeitá-la agora

    ResponderExcluir
  26. Bob,os caras qeurem pagar 25 reais por lauda de 1400 caracteres e querem que saia oque? é base de roda mesmo...o chefinho de uma certa revista bem conehcida do povo do AE me deu um trambique histórico nisso de pois de combinar 50 rais por lauda e eu trabalhar UM ANO, país de pirangueiros...

    ResponderExcluir
  27. Na série "Sobrenatural" houve um erro na dublagem também em outro episódio. O Dean estava tirando sarro do Sam pelo fato do cara ser meio "caxias" e achar que a universidade é um bordel disfarçado de instituição educacional. E o dublador pinçou essa: o que vocês faziam lá? Misturavam o Mágico de Oz com "O lado Negro da Lua?". O que ele queria dizer era o disco Dark Side of The Moon lançado em 1974 pelo Pink Floyd. Em uma coincidência incrível, se você sincronizar o áudio do disco a partir do terceiro rugido do leão da MGM, o disco completa o filme como se fosse a trilha sonora. Em outra eu peguei uma legenda pirata no filme (eu ganhei o dvd com mais cinco filmes...) Pequena Miss Sunshine em que o pai grita com o filho para entrar no "ônibus" imediatamente, já que ele estava sutando ao descobrir que era daltonico. Na verdade era a kombi da família, chamada nos EUA de VW Bus. Às vezes é chamada de van pelos tradutores e dubladores.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.