A GOTA D'ÁGUA


Nesse fim de semana, o Mundial de Fórmula-1 encerrou o ano, com Button já campeão na corrida passada, e com Rubinho terminando em terceiro, já que Vettel venceu a corrida em Abu Dhabi.

Mas isso não é o ponto que quero ressaltar, pois já era de se esperar e não foi novidade. O que marcou mesmo nessa corrida final foi a total demonstração de como a F-1 é assumidamente qualquer coisa menos esporte de corrida de automóvel.

Não há como negar que os carros são o máximo existente em tecnologia e desempenho. Seria mera burrice dizer o contrário, e não é isso que quero dizer. O problema não são os carros, é a Fórmula-1.

Com a grande divulgação de mídia, ações de marketing e os valores estratosféricos de dinheiro envolvido no campeonato, o que tornou-se prioridade é a imagem dos patrocinadores. Tudo bem, isso não é novidade nenhuma também, todos sabem, mas a forma como foi feito agora é que marcou.

Descaradamente o circuito de Abu Dhabi foi concebido para o show business e não para ser um autódromo. Não há nenhum ponto no traçado que seja interessante, nenhuma curva que seja desafiadora ou mesmo algum ponto característico. Talvez a saída dos boxes, que é um túnel que passa por baixo de um hotel. Simplesmente ridículo, só faltou a cancela e o terminal para validar o tíquete de estacionamento antes de sair.

Durante a transmissão da corrida, foi falado pelo Galvão que foram gastos US$ 50 bilhões para a construção da pista. O valor é bem alto, se realmente for isso, é o maior desperdício de dinheiro em um autódromo já feito. Imaginem o que não poderia ser feito com isso. Um outro Nürburgring de 20k m? Recuperar Interlagos antigo?

O que aconteceu com as pistas como Spa-Francorchamps? Será que com o passar do tempo elas perderam a graça? Não. Apenas não são favoráveis ao marketing e à transmissão de televisão. As pistas desafiadoras não fazem sentido no show atual. Falam da segurança dos circuitos antigos, que não são mais adequados aos carros atuais. Estranho, pois vinte anos atrás os carros eram bem piores em termos de segurança e as pistas só evoluíram, não regrediram.

Parafraseando o grande Bird Clemente, "se tirarem os chifres do touro, ninguém vai assistir à tourada." Não digo que os pilotos devem correr com carros sem segurança e sem capacete, mas que o risco faz parte do esporte. Ninguém corre de automóvel pensando que nunca vai sofrer nada.


Em Abu Dhabi a largada foi dada no fim da tarde (horário local) e com o passar das voltas, o sol foi se pondo e as luzes artificiais foram sendo acesas. Para quê? Somente para atrapalhar os pilotos, com sol na cara e depois com a passagem de uma iluminação para a outra.

A estrutura do hotel principal mais parece um parque de diversões que muda de cor, ótima para o Natal ou o Carnaval. Qual o sentido disso em um autódromo? É bonito de se ver, é, mas não como a principal atração da pista. Ninguém fica olhando a roda gigante de Le Mans, pois estão todos mais interessados em ver a freada da Mulsanne ou a sequência das curvas "Porsche". Mas em Abu Dhabi, o hotel colorido era mais interessante, já que todas as curvas são lentas, quadradas e sem graça.


Realmente, depois dessa última corrida, eu digo depois de bastante tempo tentando acreditar que haveria uma salvação para a categoria, mas a Fórmula-1 morreu, e no lugar dela está o show de propaganda de investidores, modeletes e playboys que não sabem o que é um pistão, mas estão nos boxes vendo tudo de perto e achando o máximo.

Ainda me pergunto, será que quem está no meio, digo, o pessoal técnico das equipes, não sente um mal-estar por viver nesse circo? Eu sentiria.

19 comentários :

  1. RRRRRRRRRRubinho02/11/09 17:28

    Falando em F1, o Rubinho vai para a Willians e parece que a equipe Willians vai usar motores Crosworth na próxima temporada...

    Vai ser legal hein!?

    ResponderExcluir
  2. Realmente como voce disse, o alemão que desenhou este circuito não estava em um de seus momentos mais felizes. Este mesmo alemão foi o responsável pelas mudanças nas pistas onde a formula 1 passou nos ultimos anos.

    ResponderExcluir
  3. Realmente como voce disse, o alemão que desenhou este circuito não estava em um de seus momentos mais felizes. Este mesmo alemão foi o responsável pelas mudanças nas pistas onde a formula 1 passou nos ultimos anos.

    ResponderExcluir
  4. O Kimi Raikkonen sentiu e vem ameaçando trocar a F1 pelo WRC

    ResponderExcluir
  5. Belli,

    Concordíssimo. E faltou falar que as corridas andam um porre de chatas.

    Me chame quando eles estiverem correndo no teto, de ponta cabeça. Antes disso...

    MAO

    ResponderExcluir
  6. Voce tem toda razão, Miltão.
    Nunca o título de "Circo da Formula 1" foi tão apropriado.
    A cada dia é mais show e menos esporte a motor.
    O tal de Tilke, só construiu (ou destruiu) traçados ridículos.
    A Formula 1 está pasteurizada demais.
    Tudo é comandado por telemetria, de dentro dos boxes, ou nas salas secretas de reuniões.
    Nas pistas? Nada.
    Pelos pilotos? Nunca.
    O que vale é o que ela pode proporcionar de "espetaculo" aos espectadores e principalmente aos TELEspectadores.
    Ou fazer essa corrida pegando os dois periodos do dia, não foi um show exclusivamente televisivo?
    E eu nem vou entrar no assunto palhaçadas que aconteceram este ano na F-1, pra não ofender os verdadeiros e valorosos profissionais do circo.
    Romeu.

    ResponderExcluir
  7. Nilo Grecco02/11/09 18:51

    Pergunta pra um inglês se a F1 está sem entusiasmo, chata... E aqueles anos de F1 com o Shumi passeando, pergunta pra um alemão... Agora, pergunta para os viúvos do Senna como anda a F1... É tudo questão de ponto de vista.

    ResponderExcluir
  8. Arnaldo Keller02/11/09 18:56

    É isso aí, MB!

    Os pilotos são ótimos e os carros são fantásticos, mas os dirigentes são do naipe de um Ecclestone, Briattore e aquele outro nazista que gosta de levar chicotada no traseiro.
    E pra coroar aqui temos o "Sabe Tudo" lá do Galvão.
    Uma pena, mas em tudo o que envolve muita grana acaba entrando o pessoal que cultua só a grana e essa turma acaba desvirtuando a coisa.

    ResponderExcluir
  9. Tiozinho da marreta02/11/09 19:53

    Quanto às dependências dos circuitos terem suas "atrações" eu não sou contra. Quem vai pra ver a corrida, vai pra ver a corrida. Quem vai pra ver Naomi Campbell falando abobrinhas no boxe da Ferrari, vai pra ver ela falando abobrinha. Penso que o problema tem duas pontas. Uma são os dirigentes da F1 com suas "visões" amalucadas. Fui contra o uso do Kers, para mim era palhaçada e adivinhem? O Kers não mais será utilizado na próxima temporada. Na tentaiva de fazer uma F1 menos despendiosa, essas mudanças constantes de regulamento ENCHEM O SACO, não só dos espectadores mas também das engenharias das equipes e fazem com que rios de dinheiro sejam aplicados em coisas que não terão futuro dentro da categoria. Pro ano que vem tem fim do reabastecimento, vamos ver no que vai dar... Outra coisa sobre os dirigentes é que eles estão mais interessados em transformar a F1 em algo o mais lucrativo possível e aí vem a questão da segunda ponta do problema da F1. O público. Infelizmente o que eu sinto é que o público está perdendo o interesse na F1, seja pelas constantes mudanças de regulamento que "tentam" trazer vivacidade à competição mas acabam por fazer o contrário, seja pelo perfil de espectador que temos hoje, onde número dos que realmente gostam do esporte estão diminuindo. Na tentativa de trazer a maior quantidade de público possível é que tranformam os autódromos em circos e eu não vejo problema nisso, desde que na pista se tenha competição e ela seja ferrenha. Se vão pra ver a Naomi falando abobrinha, problema de quem vai pra ver ela falando abobrinha, eu vou é pra ver corrida. Acho que coisas simples devem ser feitas para trazer à F1 um pouco do brilho que ela tinha nas décadas de 70 e 80. Mudanças de regulamento, corrida que começa de tarde e termina de noite, isso é bobagem. Eu dormi assistindo a corrida ontem, não me lembro de ter dormido em nenhuma outra corrida de F1 e eu sou daqueles que acordam 1 da manhã pra ver o treino livre da sexta do GP do Japão! Tomara que ano que vem seja bem interessante, com o Grid cheio. É esperar pra ver.

    ResponderExcluir
  10. precisam falar pro engenheiro que projetou essa porcaria que curvas não servem apenas para ligar duas retas, curvas são a melhor parte do espetáculo, será que é tão difícil entender isso?

    ResponderExcluir
  11. O cara não é engenheiro, ele é arquiteto ou designer...

    ResponderExcluir
  12. MB,

    É por que eu não canso de dizer que tenho saudade da época em que a F1 era um show de habilidades e não de futilidades...
    Bons tempos em que o principal era era ouvir o ronco dos motores e vibrar a cada ultrapassagem feita no limite!
    Saudade da época do Senna e das corridas feitas e vencias com muito braço... e dos veículos movidos a paixão.

    ResponderExcluir
  13. Pior é que todo o "show pirotécnico" poderia existir junto com o show nas pistas.

    Caso clássico de muita atenção à moldura, e nenhuma à tela, o "circuito" de Abu Dhabi parece uma releitura futurista de Mônaco. O problema é que esqueceram de colocar uma pista de verdade lá.

    Sds,

    Der Wolff

    ResponderExcluir
  14. Milton,

    e vc nem comentou sobre o Parque Temático da Ferrari que abrirá em alguns anos na vizinhança desse autódromo de Sheiks.

    Patético. Vejo matérias técnicas sobre os carros, ainda assim, pouco, pois a maioria são sobre asinhas, sobreasinhas, subaerofolios e adereços aerodinâmicos em miniatura pro enorme limpa trilhos que colocaram à frente dos carros neste ano.

    MM

    ResponderExcluir
  15. Oi Miltinho,
    Cara concordo em partes do seu post.
    Acho que a F1 também é um espetáculo e deve ser grandeoso suas instalações com atrações. Veja pelas pistas de oval que tem na terra do Tio Sam, onde alem de ir assistir a corrida você vai no museu, nas lojinhas e no restaurante durante o evento.
    O grande problema que vejo realmente é no desenho do traçado, que não chega a ser interessante para pontos de ultrapassagens, ai sim concordo contigo. O traçado tem que ter este pontos para dar a emoção na corrida, pois o que emociona mesmo são as brigas por posições. Vou usar denovo o exemplo dos ovais americanos, pois mais chato que possa ser, para alguns, assistir os carros dando voltas só para um lado, pelo menos lá toda volta tem troca de posição. É realmente esta faltando traçado que desafie a habilidade do piloto e não que desafie a paciencia de quem esta assistindo...
    [s] Tuba :)

    ResponderExcluir
  16. Impossível ser mais direto ao assunto. Sinto saudades dos tempos em que o que contava era o espetáculo DENTRO da pista, o restante eram meros coadjuvantes, mas que tinham sua beleza natural, sem exageros.

    Uma cena que sempre me vem à mente quando penso nos bons tempos da Fórmula 1 é quando o Piquet ultrapassou o Senna por fora, de lado, no final da reta dos boxes, GP da Hungria de 1986. Não que morra de amores pelo Piquet, mas quando veremos uma ultrapassagem dessas novamente?!!! Nunca mais...

    Não me conformo com a reforma que fizeram em Hockenheim, simplesmente destruíram o belo traçado antigo. O mesmo vale para Interlagos.

    ResponderExcluir
  17. Vcs estão muito carolas.

    É óbvio que essa pista de Dubai não foi feita para causar emoções na F1, ela foi feita com outros propósitos e por acaso a F1 existe para dar visibilidade ao negócio.

    A pista tem uns trechos interessantes para carros de rua, principalmente os trechos que NÃO são utilizados no traçado da F1. Deve ser uma pista razoavelmente divertida para um Trackday de amadores e especialmente segura para os milionários de Dubai brincarem de super-carro, já que isso é algo que não falta por lá.

    Quanto a todos os outros comentários de "F1 chata" e "Emoção é na pista", lembrem-se que esse ano proporcionou um campeonato fantástico como há muito não se via, com inúmeras ultrapassagens, corridas de recuperação, alternância de resultados e PEGAS, muitos PEGAS.

    Coisas que só aconteceram por conta da mudança de regulamento que, finalmente, surtiu excelentes resultados e inverteu as coisas na F1.

    A pista é chata? É.
    A pista foi mal feita para a F1? Foi.
    A pista foi cara demais? Sim!

    Mas nada disso desabona o campeonato que foi fantástico.

    ResponderExcluir
  18. Milton

    Foi realmente um grande desperdício de dinheiro.
    Aqui em Florianópolis vai acontecer o Desafio das Estrelas, no final de novembro, quando o Massa receberá seus convidados pilotos para a corrida anual, será feita na nova pista de kart, que será inaugurada com o evento.
    Foi desenhada pelo Massa, com palpites do Di Grassi, pelo que fiquei sabendo.
    Pelo desenho do traçado, já parece bem interessante. Mas claro, que só saberemos quando os karts rodarem.
    Se for mesmo bom como parece, o Massa poderia ser indicado como um consultor desses projetos!
    Nada como um piloto pra dar bons palpites!
    Abraço grande

    BD

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.