CHARGER SPEEDSTER?!


Muitas maluquices são feitas todos os anos pelos fabricantes em forma de 'carros conceito' para apresentar ao público em salões e feiras mundo afora.

Não é de hoje que estes conceitos servem como forma de pesquisa e aceitação do público para novas propostas de design e tecnologias. Harley Earl foi talvez o mais fomoso e visionário, apresentando os Dream Cars da GM na década de 40 e 50.

Pela Chrysler Corporation, o nome do momento nos anos 60 era Elwood Engel, chefe de design. Em 1968 ele usou um curioso Charger modificado para verificar a aceitação do público em um conceito que na verdade a Ford já havia feito com o Thunderbird em 1962, que era uma forma de conversível aerodinâmico, com uma cobertura segundo a linha dos bancos até a traseira do carro, claramente eliminando o banco traseiro.


Mas Engel foi mais a fundo. O Charger modificado, então chamado de Topless Charger, ainda contava com um para-brisa bem menor, ao estilo dos Porsches 550 e Speedster. Gosto em design é muito pessoal, como vimos aqui nos últimos posts, então há quem deva gostar e quem deva odiar.


Como proposta, não deixa de ser muito interessante, ainda mais que foi feito internamente pela própria fábrica. O desempenho era respeitável, pois o carro tinha o motor de 440 pol³.


Em 1970, o Topless foi modificado e tornou-se o Super Charger, com novas modificações de carroceira que remetiam aos Superbird e aos Daytona, com o aplique de fibra na frente de carro. Uma curiosa e discreta asa traseira móvel foi instalada para ajudar na aerodinâmica do carro em velocidade. Desta vez, o responsável foi George Busti, designer da Dodge e da empresa Creative Customs.



Foram duas propostas muito interessantes mesmo, para a época só ficariam mais apropriados em uma capa de album dos Beach Boys.

10 comentários :

  1. De modo geral um belo carro, realmente a frente da época.
    Só acho estranho que realmente pareciam barcos por causa do comprimento.

    ResponderExcluir
  2. MB,

    Muito legal esse seu achado arqueologico, bacana demais.

    ResponderExcluir
  3. Também gostei de conhecer essa "barca"!!

    PK

    ResponderExcluir
  4. CHEVETTE GOLDCHEVY,

    Chama isso de restauração? Pegou um belo exemplar do mais bonito modelo de chevette e transformou nessa piada de mau gosto.
    Não se arrependeu do que fez?

    ResponderExcluir
  5. Milton,
    A história é boa, o post muito bom, mas do carro não gostei. Não há como melhorar os Charger 68 a 70
    Interessante, mas um desperdício de carroceria.

    ResponderExcluir
  6. Nico acima da lei17/11/09 09:42

    eh Juvenal, nessa vou concordar contigo, ficaram literalmente umas banheiras

    ResponderExcluir
  7. JJ, foi como disse, não dá para todos gostarem.

    Pelo menos o carro foi feito na época e dentro da empresa, ou seja, era carro comum e que tinha aos milhares, não foi uma raridade trucidada para fazer um concept, como muitos "experts" fazem por ai.

    abs,

    ResponderExcluir
  8. HEHE...vou mostrar para meu pai, uma vez ele chegou a comentar deste carro para mim !

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.