QUAL O MELHOR PILOTO DE TODOS OS TEMPOS?

Foto: hooniverse.com
Fangio em seu Ferrari-Lancia em Silverstone, numa perfeita derrapagem de potência, sob total controle

        
Essa é uma questão muitas vezes levantada e para nunca se chegar a um consenso.

Qual o melhor piloto de todos os tempos?

Não será desta vez que vamos chegar ao tal consenso, nem isso o post pretende.

Cada piloto pegou uma época e cada época tinha suas demandas. Podemos, sim, comparar pilotos de uma mesma época, que corriam com carros similares, mas não podemos comparar pilotos da Fórmula 1 dos anos 1950 com os pilotos atuais, pois a pilotagem dos carros demandam muitos atributos diferentes, tanto física como tecnicamente.

Um Stirling Moss poderia ser um piloto medíocre pilotando os carros atuais e um Fernando Alonso poderia ser um bração pilotando um Mercedes W196. 


Mercedes-Benz W196, com carroceria aerodinâmica e de rodas descobertas


Não dá para comparar. Acho que nisso chegamos a um consenso, não é?

Portanto, me resta um outro enfoque: Qual piloto você escolheria para ser seu professor de pilotagem? Você gostaria de pilotar como quem? Qual o exemplo a ser seguido?

Eu escolheria o Juan Manuel Fangio e vou explicar por que: ele pilotou tudo quanto é carro, todas as categorias de sua época, e sempre foi o melhor, sempre se destacou de seus rivais, e sempre pilotou limpo, sem falcatruas, e sempre deu os melhores exemplos. Não é à toa que todos os pilotos o chamavam de Mestre. Não havia discussão, ele estava um degrau acima de todos. Cinco títulos com quatro equipes diferentes: Alfa Romeo, Ferrari, Mercedes-Benz e Maserati. O carro que lhe viesse às mãos ia para a ponta.




Começou a vida como mecânico e disso manjava tudo. Foi um excelente mecânico da sua Balcarce, cidadezinha rural a 60 km a oeste de Mar del Plata, consertando de tudo, até caminhão e trator. Na década de 1930 correu de carretera, na maioria das vezes cupês Chevrolet, e seus maiores rivais foram os irmãos Oscar e Juan Gálvez, que corriam de Ford. Varreram o interior argentino nessas corridas. Não houve região do país pela qual não passaram à toda por estradas de asfalto, terra, lama ou neve.

Uma dessas corridas foi de Buenos Aires a Lima, Peru, e voltou. O caro leitor veja só como o meu ídolo se virava como mecânico: um pouco antes de uma parada para pernoite, o radiador de seu turismo carretera Chevrolet arrebentou e não era permitido reparos nos carros a partir de quando entrassem na cidade. Então, ele e seu mecânico pararam um pouco antes da cidade, sacaram fora o radiador e o esconderam no mato. Em seguida entraram na cidade, com o motor funcionando e sem radiador, e conseguiram chegar ao ponto de checagem/pernoite sem que o motor fundisse ou empenasse o cabeçote (um só, era um 6-cilindros em linha).

Deixaram lá o carro, pegaram outro e correram em busca do radiador socado no mato. Acharam quem o consertasse, acordaram o sujeito, consertaram, e voltaram a esconder o radiador no mato fora da cidade. Na manhã seguinte largaram, repuseram o radiador e se mandaram numa nuvem de pó. Acho que o pior dessa encrenca aí foi ter que acordar um mecânico argentino no meio da noite. Se o cabra já é mal-humorado em plena luz do dia...

Fangio e seu turismo carretera Chevrolet cruzam a linha de chegada

Não sei, não, mas acho que muitos dos pilotos atuais, diante dessa situação, o máximo que fariam seria pegar o celular e ligar para o guincho, e em seguida chorar, bater o pezinho, e, iradíssimo, jogar o capacete no chão.


Admiro a calma do Fangio; sua calma e sua marra de agüentar tranco sem chiar. Não sei se ele era calmo mesmo ou se dissimulava o nervosismo muito bem, mas acho que era calmo mesmo, que nem o Pelé, que nem o Garrincha. Esses caras entravam em campo sem medo, já que para eles todos os outros não passavam de uns pernas de pau. A dúvida ficava só em saber para que lado iriam driblar o infeliz. O Fangio também. Acho que para ele os outros eram bons, ele os respeitava, mas ele sabia perfeitamente que ele era melhor, e era mesmo.

Habitáculo de um Vanwall F-1 (ultimatecarpage.com)

Meu sogro, que foi piloto na década de 1950, correu algumas Mil Milhas em Interlagos, era fã do Alberto Ascari, bicampeão da F-1, que morreu em um acidente em Monza experimentando um Ferrari esporte, e nem treino era, foi só dar umas voltas – ironia, uma semana antes havia mergulhado no mar no GP de Mônaco, sem nada sofrer.. Esse, segundo meu sogro, era o único rival para o Fangio.

É bem possível, meu sogro manjava e viveu a fundo essa época áurea da F-1, época dos Maserati 250F, dos Lancia D50 (projeto do Vittorio Jano, carro que posteriormente passou às mãos da Ferrari, mas isso é história para outro post), dos Vanwall, Mercedes W196... Muito motor, pouco peso, zero downforce – pelo contrário, tinham alguma sustentação –, muita velocidade na reta, pouco freio e pouca borracha no chão.
Ferrari 166 MM


Teve uma historinha curiosa e provavelmente verídica do Ascari. Vinha ele viajando pelo interior da Itália com seu Ferrari barchetta, quando ao passar por um vilarejo avistou um humilde padre velhinho à beira da estrada. Solícito e religioso, como bom italiano, parou e ofereceu carona ao diácono. O padre agradeceu, tirou o chapéu e aboletou-se ajeitando a batina no estreito assento. E lá seguiu o Ascari na mesma toada em que vinha, ou seja, pé cravado no barchetta. A certa altura, ao não obter resposta a uma conversa qualquer, reparou que o padre tirava um cochilo. Ótimo; melhor, pé ainda mais cravado! E daí o caro leitor já pode imaginar o que aconteceu quando chegaram ao destino do padre e o Ascari tentou acordá-lo...

É o que dizem, e se é verdade ou mentira, tanto faz; que assim fique, pois é boa e factível.


Jim Clark e seu Lotus-Ford 49C

O Bob, aposto que considera o Jim Clark, pois sabe de cor a data de sua morte e lembra perfeitamente de como se sentiu quando ouviu a notícia. Além do mais, aposto também que o Lotus 49 do Clark é o Fórmula que o Bob mais deseja pilotar.

Coisas de Nübrburgring...

Portanto, que cada autoentusiasta eleja o seu maior piloto de todos os tempos e boa. Além dos já citados, tem o Senna aí, tem o Tazio Nuvolari aí, e tem mais um ou outro. São poucos os que merecem ser cogitados. O piloto com o maior número de títulos, que ironia, não merece entrar na lista. 

AK

150 comentários :

  1. O nosso Nelson,foi campeão com três motores diferentes e até hoje me pergunto o que ele fez pra fazer um 4 cilindros de linha ganhar do v6 da Renault protótipo de fabrica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Piquet era meio doido das idéias mas além de ser um ótimo piloto, ele sabia muito de mecânica.

      Excluir
    2. Nos motores é verdade que um V6 de mesma cilindrada tem 10% mais potência que um 4 cilindro de mesma cilindrada e mesmo desenvolvimento técnico, mas o que ocorre é que o BMW do Nelson era um motor de bloco de Ferro fundido que suportava grandes pressões de turbo em condições de corrida ele dava quase 3,9 bar de pressão de turbo, (os turbos daquela época tinha cilindrada de 1500 cilindradas) isto significa que os BMW tinham um comportamento como se fosse um "aspirado" de "5850" cilindrada (1500X3,9 bar) já os Renault apesar de serem V6 e serem de bloco de alumínio dava no máximo 3,6 bar na prática "5400" cilindradas, isto explica a enorme cavalaria dos motores BMW, sem dúvida os motores mais potentes da história da F1. Nos treinos os BMW chegaram a dar 6 bar de pressão "9000" cilindrada ele chegaram a atingir 1500 cavalos contra 5,5 bar dos Renault "8250" cilindrada. O grande problema dos BMW e dos Renault e que eles eram motores de 2000 cilindradas e que tiveram a cilindrada reduzida para 1500, e por isto grandalhões (atrapalhavam a aerodinâmica) e acabaram ficando ultrapassados com o surgimento dos compactos V6 Ferrari 1,5, Porsche V6 e mais tarde os Ford V6 todos de alumínio. Mas tinha + três que também era de Ferro, o motor Hart 4 cilindros 1,5 litros mas era pouco potente, porque era uma empresa pequena, tinha o Zakspeed que também era um 4 cilindros baseado no motor Ford 4 cilindro do Capri (ou nosso Maverick) também pouco potente, por ser uma equipe pobre. E tinha um V6 poderoso que era o Honda V6 este também era de Ferro, nos treinos em 1986 ele dava 1400 cavalos, nas corridas dava uma pressão de 3,8 bar, perdia em potência para o BMW, mas era mais econômico e resistente. Conclusão os motores de ferro levam vantagem sobre o alumínio quando a pressão é ilimitada, por que o ferro é mais resistente que o alumínio se tiver muita pressão, mas se a pressão do turbo for baixa, ou o motor for atmosférico (pressão é 1,0 bar), o alumínio é muito superior, por que é mais leve, e tem melhor rendimento térmico.

      Excluir
  2. Ayrton Senna da Silva, e do Brasil! E o alemão só tem estes títulos todos por não ter tido quer enfrentar o Senna em todas as temporadas em que se sagrou campeão. E tenho dito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Senna tomou uns ralos do alemão em 93,ficou até atrás dele na classificação do mundial,em 94 perdeu todas as corridas do começo da temporada pro alemão,aquela rodada em interlagos,mostrou que não teve braço pra ir atrás do cabra.
      Detalhe o ALEMÃO foi campeão em um carro desenvolvido pelo Piquet/Moreno,ele só ganhou titulos na Ferrari depois que o Rubinho foi pra lá,fatos estranhos já ocorriam com o Rubens,como a troca repentina de seus mecanicos pelos do Alemão ,acabar a gasolina quando liderava uma corrida no começo do campeonato,etc ,etc,o Alemão tinha o Rubens ,o Luca de Badoer ,o Luciano Burti e (mais alguem) para testar e desenvolver o carro PARA ELE GANHAR,por isso foi campeão 5 vezes pela Ferrari,hoje vemos como é mediocre sem ter um carro campeão,o Alonso está a anos luz dele...

      Excluir
    3. Totiy, que mundial é esse que você está falando? Não pode ser o de Fórmula 1, pois o Senna foi vice-campeão em 1993, mesmo tendo um motor Ford com menos cavalos que o de Schumacher, pois a Benetton, se não me falha a memória, era o cliente preferencial da Ford.

      Sobre 1994, enquanto Schumacher estava num carro em ascensão, Senna pegou uma Williams que sofreu um baque basicamente pela proibição de não usar a suspensão ativa.

      Excluir
    4. Ah, e outra coisa: lembra o GP em Donnigton Park, com a primeira volta fenomenal de Senna? Sabe em que ano foi? 1993.

      Excluir
    5. Quanto a 93, o Octavio colocou as coisas em seus devidos lugares. E em 94, começinho de campeonato, equipe e carro novos...o resto a gente já sabe. Não mudo uma palavra do que eu disse em meu primeiro comentário.

      Excluir
    6. Octavio, em 1993 a McLaren tentando pressionar a Ford testou motores Lamborghini em seus carros, numa versão toda branca. Não sei se é do conhecimento de todos mas fiquei muito surpreso quando descobri. Justamente pelo fato do motor mais forte ir pra Benetton e o outro mais fraco pra McLaren.

      Excluir
    7. E aquela vitória do Senna no Brasil, só com a 6a. marcha???

      Excluir
    8. MFThomas, não foi GP d Brasil de 1991? Mansell rodou (típico do Leão) e Patrese foi segundo.

      Excluir
    9. Caro Totiy,
      Complementando a informação dita pelo Octávio, a Mclaren Ford MP4/8 tinha pelo menos 70 cavalos a menos que a Williams Renault FW15-C e 40 cavalos a menos que a Benetton de Schumacher e Patrese em 1993(Ford e Benetton tinham contrato de exclusidade,onde a Benetton teria pelo menos vantagem de uma especificação em relação aos outros times no que se referia aos motores), porém a Mclaren com o aperfeiçoamento feito pela TAG Eletronics na época impediu que tal diferença se alastrasse.
      Não se esqueça também que naquele mesmo ano com toda a superioridade técnica da Williams(com a então suspensão ativa e o motor Renault, que apenas ela e a Ligier tinham naquele momento)Senna conseguiu fazer frente a mesma não apenas em interlagos e Mônaco(onde Prost bateu com Christian Fittipaldi no Brasil e teve problemas no cambio em Mônaco), como em Suzuka, e Adelaide onde conseguiu a pole position e manteve a liderança durante toda a prova.

      Quanto ao ano de 1994, cabe recordar que a Benetton estava irregular com o controle de tração(como era possivel aquele Zetec-R V8 com 750hp render mais que o v10 RS6 da renault de 790hp ) e além disso tinha aquela irregularidade no abastecimento onde uma das travas de segurança foi retirada, o que pode ser notado claramente no momento em que tanto Schumacher quanto Senna entram nos pits e Senna sai atrás deste(em Interlagos).Mais tarde tudo isso viria a tona e o que aconteceu?Só os 30 pontos iniciais(Interlagos,Aida e Ímola)foram retirados e uma multa foi aplicada.

      Vamodoido,
      Quanto aos testes com a Lamborghini(que na época pertencia a Chrysler), a Mclaren estava acertada com a mesma para esta oferecer o motor de 1994(Senna chegou a testar o carro com este motor e sugeriu apesar da então falta de confibialidade deste motor até então que este fosse usado nas últimas corridas).Porém, Ron Dennis acabou optando pela Peugeot acreditando que essa poderia fazer diretamente frente ao então imbatível Renault.

      Excluir
    10. Mr.Car
      O Senna ia ter um trabalho medonho ensinando você andar rápido ...
      Ninguém merece esse castigo!

      Excluir
    11. Esqueceram o portão da creche aberto, e já tem criança escapando.

      Excluir

  3. Pra mim tem que ser o Fangio, além de ter ganhado em tudo, só pelo que ele fez em Nürburgring 1957 já valeria o lugar no topo do melhor de todos.

    Dizem que foi nessa corrida que ele detonou o coração tamanho o esforço, e iniciou o histórico de problemas cardíacos.

    Do lado folclórico, me disse um amigo argentino que Fangio corria com uma alface entre o capacete e a careca em dias de muito calor, pra absorver o suor e manter a cabeça fria. :-)

    ResponderExcluir
  4. Johnny Rives escreveu um texto mais ou menos assim:

    "Numa noite dessas, fui dormir pensando qual seria o melhor piloto de F1 de todos os tempos. Sim, porque não consigo mais agüentar esses jornalistas comentando sobre a genialidade de Jim Clark, a frieza de Juan Manuel Fangio, comparados com os atuais Stewart, Fittipaldi, Peterson, Lauda ou Ickx. São épocas diferentes, carros diferentes, mas sempre aparece alguém para instigar e ficar falando que um foi ou é melhor que outro.

    Durante a noite acho que morri. Ou sonhei, não sei. Mas subitamente me vi diante de Deus. Isso mesmo, Ele, em ectoplasma e osso! Quando me vi face a face com Deus, nem quis saber se estava morto ou não, só uma coisa me ocorreu. Ele certamente sabe tudo, afinal é onisciente! Então só Ele pode me responder essa pergunta que me persegue há décadas. Não tive dúvidas e assim que me vi diante Dele perguntei:

    - Senhor, já que sabes tudo, me responda, qual é o melhor piloto de F1 de todos os tempos?

    Deus me olhou de forma estranha. Acho que normalmente as pessoas perguntariam outra coisa numa situação dessas, como qual a minha missão na Terra, qual o mistério da fé e da paixão etc. Mas Ele nem pestanejou e respondeu:

    - É Hans Strudel!

    - Quem? Nunca ouvi falar dele! Em qual categoria ele corre? Já ganhou alguma corrida?

    - Não, ele é austríaco, mora em Zirl, é lenhador e nunca correu de carro!

    - Mas, er... não estou entendendo!

    - Ele é o melhor piloto de F1 de todos os tempos, só que não sabe disso, porque não se interessa por corridas de carro.

    - Desculpe, mas continuo não entendendo...

    - Strudel tem todas as qualidades humanas e físicas para ser o melhor piloto de F1 de todos os tempos. Tem uma visão fantástica, é habilidoso com as mãos, tem a maior rapidez de reflexos de todos os seres humanos, tem a maior capacidade cerebral para ser piloto. Só que ele não sabe disso e passa seus dias cortando lenha! Se tivesse a chance de correr de F1 seria o melhor de todos.

    Acho que acordei. Ou ressuscitei, não sei. Mas logo em seguida estava em meu quarto, pensando nisso. E uma luz se abriu sobre essa discussão sobre o melhor piloto de todos os tempos. Isso não existe. Não existe o melhor em qualquer coisa de todos os tempos. O que podemos qualificar e dimensionar é qual o melhor piloto de determinada categoria naquele momento. É estupidez querer comparar esportistas de épocas diferentes. Isso é perda de tempo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. li esse texto na Motor3 e até hoje acho genial!

      Excluir
    2. Excelente texto.

      Excluir
  5. Arnaldo, me desculpe, posso ser mal interpretado, apenas gostei do texto desse cara que li há alguns anos atrás. O melhor pra mim é o Schummy e boa, Senna quase empata. Infelizmente os números são os fatos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo
      Vê-se que de automobilismo você mão entende nada!
      Por favor va comentar no blog da Ana Maria Braga, assistir programa do Gugu e Ratinho . Esses Sao seus formadores de opinião
      Me impressiona sua cultura tão rasa!

      Excluir
    2. Arnaldo Keller07/09/12 12:25

      Paulo, o que esta ali bate com o que eu disse, que nao ha o melhor.

      Excluir
    3. O pessoal não sabe respeitar opinião mesmo...

      Não entendo esse endeusamento que o Senna tem aqui no Brasil. É um excelentíssimo piloto, sem dúvida nenhuma, eu coloco ele na minha lista dos 5 melhores. Mas eu nem gosto de tocar nesse assunto porque vira e mexe tem um "Sennamaníaco" pra estragar qualquer discussão saudável sobre automobilismo. Para mim, o melhor piloto brasileiro foi o Piquet, o cara tem personalidade, é doido, como penso que todo piloto tem que ser pra atingir as velocidades que atingem, manja muito de mecânica e isso pra mim é o que faz um piloto ganhar meu respeito. Gostava de correr e era isso. Ganhou 3 títulos mundiais em tradicionais equipes médianas e aqui no Brasil quase ninguém da valor no cara, prefere sair no tapa com os outros quando pra colocar o Senna num pedestal...

      Paulo Sípoli, não diria que o Schummy é o melhor, mas como você disse, números são fatos! Disseram aí que o Schummy não treinava, que pegava o carro pronto, francamente... O cara praticamente fez a Ferrari ser o que é hoje, após mais de 20 anos de jejum de títulos, quebrado no mundial de construtores de 99 e no de pilotos em 2000. O cara é perfeccionista ao extremo, acredito eu que nos níveis do Senna. Ver ele pilotar uma Ferrari de dentro do cockpit era fenomenal, o cara mudava trocentas configurações do carro a cada volta, cada curva. Ele não detém os principais recordes da F1 atoa, disso eu sei.

      Excluir
    4. É claro que tu vai falar mal das pessoas que endeusam o Senna. Tu é Fã do Piquet, tá explicado porque. Só não fica dando uma de senhor imparcial, porque pega mal.

      Excluir
  6. Sem querer ser patriota demais, mas o piloto que eu escolheria para ser meu professor, meu guia, meu exemplo a ser seguido seria sempre o Senna. Pode ser só uma questão emocional, afinal meus domingos eram assistir o nosso Senna do Brasil e depois ficar o dia todo falando sobre a corrida e no dia seguinte eu abria o jornal só para ler mais sobre a corrida que passou. Mas fazer o que? A escolha do melhor de todos os tempos para cada um de nós não pode (e não tem como) ser racional!

    ResponderExcluir
  7. O Fangio era realmente espetacular, se eu não me engano em uma mille miglia o carro perdeu a direção em uma das rodas dianteiras, só uma esterçava, e ele venceu assim mesmo. A história de Nurburgring 1957 tb é fantástica, como citaram acima. Acho que o Fangio supera os demais pilotos de F1 para ser meu professor porque ele arrebentava os adversários em qualquer condição de pista, pilotava no mundo real e não nas condições de laboratório dos autódromos dos anos 80 em diante. E de auxiliar de classe eu convidaria o Colin McRae que era um cara rápido demais!!! Ele fica de auxiliar porque o que perdeu de prova por não conter a adrenalina é uma barbaridade... chegou a capotar um Focus WRC por duas vezes na mesma prova. Lembro de um vídeo onde ele explica como frear pode ser às vezes a pior opção durante um rally. Como ele diria: If in doubt, flat out!

    Numa escala mais mundana e não mediúnica, porque o Arnaldo e Bob, nossos sacerdotes do autoentusiasmo não realizam uma clínica de pilotagem para seus seguidores? Seria um sábado fantástico!! Sugiro até a cidade, São Luiz do Paraitinga, a Rodovia Oswaldo Cruz é sensacional.

    Belo texto, Arnaldo, adorei o enfoque do professor. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima idéia.E eu sugiro que essa cl´nica de pilotagem fosse em um autódromo, aí sim.

      Excluir
    2. Mille Miglia de 1953.
      Ele liderava com a Alfa 6C 3000 CM (3500cc), quando lá pela metade da prova, quebrou o braço de direção da roda esquerda. Continuou assim mesmo.
      Mas não venceu. Chegou em segundo, superado pela Ferrari V12 (4100cc) de Marzotto, que vinha em segundo antes da quebra do braço de direção.

      Excluir
    3. Kiko tu viu o Fangio correr? Se não viu não fale como se fosse expert. Eu respeito sua opinião. Mas os mais velhos dizem que o Fangio era beneficiado com os melhores carros. E vale lembrar que no mundial de 1956 ele só ganhou aquele título porque o brilhante Peter Collins deixou ele passar. Tanto é que o próprio Fangio perguntou pro Collins: Por que você me deixou passar? Em que o Collins respondeu: Sou demasiado novo para ser campeão mundial! Lembrando que na época Collins só tinha 25 anos eu acho, e caso tivesse ganho aquela corrida seria o primeiro mais novo campeão mundial até o fernando Alonso, quem conseguiu esse feito foi o Fittipaldi. Então o Fangio não é isso tudo não ok! Na minha opinião o Alberto Ascari foi o melhor piloto dos anos 50.

      Excluir
  8. Mas e aí? Não entendi a parada daquela estória. O padre morreu no carro do cara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahaha, isso mesmo cara

      Excluir
    2. Autoentusiasta bem disposto06/09/12 13:19

      Não, o padre acordou, pegou seus balões e saiu voando, aí morreu.

      Excluir
    3. Sinceramente, ficaria mais impressionado com alguem que conseguisse dirigir a 200km/h tão suavemente que fizesse o velho padre dormir.
      Para matar alguém de ataque cardíaco pelo modo que dirige até eu sirvo!

      Excluir
    4. Zé da Silva07/09/12 21:18

      Não, está dormindo até hoje !
      PS.......eu não tenho que ler essas coisas !

      Excluir
  9. Avaliar os pilotos pelos números é ilusão. São demandas diferentes a cada época. E que cada época tenha o seu melhor. Acho que o que pesa mais é o currículo, as histórias que cada um viveu. Um que admiro é o Jack Brabham. Não sou profundo conhecedor da vida dele, mas um cara que projetou/construiu o carro e foi campeão do mundo com o próprio merece nosso respeito. Coisa impensável hoje em dia.

    ResponderExcluir
  10. Carlos Cwb06/09/12 13:03

    Uma vez perguntado sobre como ganhar corridas, Fangio respondeu:
    -O segredo é andar na frente o mais devagar possível...

    ResponderExcluir
  11. Gostaria que meu professor fosse o Rubinho por dois motivos: além de ser bom caráter e espirituoso, me ensinaria a andar forte na chuva, coisa que confesso sou muito medroso.

    ResponderExcluir
  12. Concordo com você, Arnaldo: o Fangio foi mesmo o maior de todos. Até mesmo pelo critério numérico, se tirarmos uma média ponderada das vitórias que obteve X as provas que disputou.

    E já que você menciona Balcarce, a cidade natal do Maestro, recomendo muito uma visita ao Museo Fangio. Para quem vai à Autoclásica deste ano, vale à pena dar uma esticada até lá. Tomo a liberdade de sugerir a leitura de um post que escrevi há algum tempo sobre esse assunto: http://www.adverdriving.blogspot.com.br/2010/04/museo-fangio.html

    ResponderExcluir
  13. AK, essa pergunta, "Qual o Melhor Piloto de Todos os Tempos?" é realmente bem subjetiva. Creio que eu valorizaria ter um professor como Niki Lauda, Alain Prost ou mesmo Jackie Steward. Eles viram que havia corridas tão perigosas que não valia a pena arriscar a vida. O primeiro em Fuji, no ano que quase morreu queimado e viu que sua vida valia mais do que ser campeão da F-1, o segundo em Mônaco 1984, que pediu para a corrida ser interrompida, algo que lhe custou o título. E Steward pela luta em melhorar as condições de segurança da F-1. Ou seja, eles seriam ótimos professores para nos ajudar a estabelecer um equilíbrio entre risco e prazer nas corridas e como andar bem rápido com suavidade.

    ResponderExcluir
  14. Eu escolheria o Sir John Young Stewart, ao menos ele é comprovadamente um bom professor e consegue excelentes resultados com até o mais "pacato" dos aspirantes a piloto.
    Prova? basta ver a maravilha que ele fez nos tempos do James May em um episódio do Top Gear, fora que o mesmo se dispôs a tanto e falou que o faria por qualquer um deles (desafiou-se a ensinar a baixar o tempo de qualquer um dos três na pista em 20 segundos, à bordo de um TVR, em menos de um dia, e fez).
    Admiro os pilotos citados, mas nem todo o bom praticante de alguma das artes da vida é necessariamente um bom professor da mesma...

    ResponderExcluir
  15. Minha lista: Fangio, Clark, Piquet, Schummy e Alonso.

    Ass. Maníaco da Suspensão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você ta mais para Maníaco do Parque!
      De automobilismo tu não manha nada meu filho

      Excluir
  16. João Celidonio06/09/12 14:29

    Acho que o único digno de comparação com esses expoentes da antiguidade seria o francês Sebastien Loeb dada todas as variáveis que influenciam o resultado final de uma prova de rally de velocidade, não tive a oportunidade de acompanhar os anciões do automobilismo, mas o fato é que toda vez que acompanho uma prova do mundial, seja por Utube ou televisão, fico fascinado com a perícia e precisão desse francês; ele domina, faz o que quer com o tempo dele, sempre com a estratégia em dia, pouquíssimos erros e sempre na ponta. Acho justo e digno uma comparação do mesmo em relação a todos os outros de outros tempos, esse cara é fora do comum!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, eu ia comentar justamente do Loeb! Esse francês merece meu respeito. Faz o que quer com o carro, anda no limite sempre, praticamente não erra, mostrando ter uma frieza impar na condução. Provas de Rally são definitivamente o que mais de difícil há no automobilismo e para mim os pilotos de rally são sempre os melhores.

      Excluir
  17. off topic

    http://www.chevrolet.com.br/veiculos/conceitos-e-futuros-lancamentos/onix/index.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tivesse uma grade mais bonita e uma traseira mais harmoniosa quase me convenceria...
      Que se trata de um Hyundai!

      Excluir
    2. Conceito por conceito, prefiro o Code 130R. Mas uma pena que não será vendido no Brasil...

      Excluir
  18. Pode citar o Loeb? Evidente que ele não chega aos pés de muitos que passaram na F1, mas também ele é muito esquecido quando se fazem listas.

    ResponderExcluir
  19. Deve ser mesmo muito dificil ou impossivel se saber qual o maior piloto de F1 de todos os tempos, mas para mim é fácil;
    SENNA.
    Como disse o Jeremy Clarkson: ....foi espetacular muitas vzs em que sentou em carro de corridas, mas Senna foi espetacular, todas as vzs que sentou em um carro de corridas.

    Acosta

    ResponderExcluir
  20. Isso é muito difícil de chegar a um denominador comum, porem o pessoal do TopGear fez a mesma pergunta em um episódio, e que foi dado o título a Senna. Mas na minha opinião gosto de dividir a F1 em 3 épocas, que é do inicio até a chegada do aerofolio (1950~1967); época do aerofolio (1967~1977) e a ultima chamo de moderna, dos motores turbo e eletrônica juntas até os dias de hoje(1977 em diante), sendo na ordem : Fangio, Jackie Stewart e Senna.

    ResponderExcluir
  21. Arnaldo

    Realmente não há como deixar de reconhecer a capacidade mostruosa de pilotar do Fangio.
    Incluo em seguida, um nível abaixo, devido a não serem completos, Jim Clark, Rosemeyer e Senna.

    ResponderExcluir

  22. Na área do rally, o que o Walter Röhrl (acertei?) fez também foi um assombro, principalmente no Grupo B.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Realmente no requisito Rallye, esse cara ae é o monstro, dirigir Aquele Audi Quattro daquela forma é para poucos. Pilota muito até hoje e tem privilégios absurdos nas fábrica Alemãs, é o "pelé" deles lá do automobilismo.

      Excluir

    3. E foi bom no asfalto também, tem um vídeo do Waltão no YouTube (que não vou conseguir localizar agora, desculpem), levando uns moleques num Panamera que ele conta, ao final da volta, o binóculo que colocou na concorrência numa prova em Nürburgring.

      Excluir
    4. Fora na época do Dauer Porsche 962, o cara fez um dos melhores tempos da historia da Nurburgring. Mais de 400km/h na reta era fichinha para ele.

      Excluir
  23. ...li aqui nomes como Fangio... Senna... Numeros (do schumy)... mas... sem sombra de duvida o maior de todos os tempos é:

    TAZIO NUVOLARI.

    Rui Amaral, em historias que vivemos já falou bastante por lá... e apesar de não ser um piloto de uma prova só... Aguem que ganhou o GP da Alemanha como ele ganhou em 1935 já bastaria para ser o maior... mas Tazio fez mais ainda.

    Fazer fogo com alcool e fosforo é fácil...quero ver é com 2 gravetos.
    É isso.

    ResponderExcluir
  24. ...ah sim...sobre comparar épocas... claro, é fato. mas...se uma maquina do tempo levasse uma para lá ou viesse outro de lá para cá... tenho plena convicção que aqueles que são pilotos na raiz da palavra com certeza pegariam a mão sim. Porque o automobilismo é assim. Se não...aqueles que dirigem um F3 jamais dirigiriam F1. Ou como explicam Zanardi sem pernas vencer alguem com pernas?
    Quando a F1 saiu dos 3 pedais para 2 pedais... diziam o quão seria dificil a adaptação..em que alguns, como rubinho... (sempre inho) não aderiu a usar o pe esquerdo para frear. E os outros?
    Piloto, com P maiusculo, assim como na aviação, é aquele que está sempre pronto. E pronto. O resto é o resto. Não penso que Alonso seria bração...e tão pouco Fangio não ser um fera em tecnologia embarcada. Claro que se Alonso sentar em um carro desses hoje, não fara tocada forte...por muitas razões mas não as de falta de competencia. Muitos pilotos acompanharam mudanças no guiar bolidos...e muitos se ajustaram a essas mudanças..e desses, um pequeno punhado entrou para a história. Há quem pilote...há quem somente guie.

    ResponderExcluir
  25. Acompanho o voto do Bob, se for o caso, Jim Clark!!!

    ResponderExcluir
  26. Qual o melhor pilotos de todos os tempos?

    Hummm...

    Poderia ser mais específico?...

    O universo das corridas é imensurável, sub-atômico, além daquilo que julgamos conhecer, mas na mente fantasiosa da grande maioria só há espaço para uma categoria.

    E quanto as provas fora de estrada?

    O Mundial de Rally ?...

    A Motovelocidade?

    e tantas outras....

    A dicussão sobre quem foi, ou quem é o melhor resulta-se somente à breve análise de uma só categoria? e como fica às outras? Elas não estão inclusas? seus pilotos já estão condenados à sua não eleição pelo fato de não estarem presentes na categoria de ''maior prestígio internacional'' ?? Oras! Mencionar nomes da F-1 Como...( Ah não! chega! basta.. tais nomes já estão lembrados mais doque o necessário ) Agora, falar de todos e esquecer de Muitos!. Apenas um exemplo das categorias ( Por acompanhar mais, sinto-me mais cômodo para descreve-la )

    WRC - A tocada suicída dos pilotos, as maratonas a qual estavam sujeitos em provas como o rally-Safari, O desafio das super-especiais ultra-velozes no rally da Finlândia, as variações climáticas que fazem do Rally de Monte Carlo serem algo espetacular! Especials noturnas - correr em estradas esburacadas, enfretar lama, gelo e neve, pedras, saltos, valas, àrvores ou atravessar vilas em uma estradinha que na maioria das vezes não ultrapassa 5 metros de largura, e isso à velocidade inimagináveis.

    À Admiração que os pilotos de F-1 têm para com os pilotos de Rally, é algo reverêncial! Alí é perceptível que ainda há traços humanos de humildade nestes, quando a mídia os tenta colocar como os Supra-imbatíveis. Recentemente, Michael Schumacher disse '' Os rallys são muito perigosos, pois o piloto não tem o controle em todas as situações como nos circuitos, e isso é preocupante, e isso não me deixa à vontade ''. Sebastien Vettel, ficou empolgado quando assistiu pessoalmente o rally da Finlândia, e não entendia como os pilotos andavam à pleno por aquelas estradas sem áreas de escape!. Kimi Raikkonen não foi mais o mesmo desde que regressou à Fórmula-1, disse estar mais completo em sua pilotagem, e em breve estará novamente no WRC. O mesmo disse, na sua opinião que , alí está os melhores pilotos do Mundo!. O polaco Robert Kubica, há alguns dias esteve na França realizando testes pela equipe Ford, e pensa em aderir ao clube dos rally-drivers. Issi é só oque o presente diz, em tempos outroros, a manifestação era até maior! Vimos o exemplo de Juan Manuel Fangio, Jimmy Clark tambem apreciava os rallys. O próprio Ayrton Senna estava convencido de que era preciso ter algo mais para estar nos Rallys, isso depois de alguns testes que o brasileiro fez aos comandos de um Rover MG Grupo B e um Ford Sierra. Alain Prost este aos comnados de um Renault-Turbo 5 no Rally Du Var e destacou oque é necessário para ser piloto de rally ''.. capacidade de improvisação, sensibilidade, intuição! ...conservar uma margem de segurança na pilotagem, pois não podemos decidir as curvas milimétricamente como em pistas fechadas..'' Pessoalmente, não sentiu-se cômodo na pilotagem, e a sensação de inseguração é plena! nos circuitos, nunca sentia isso. Nos anos 80, havia uma corrida promocional envolvendo pilotos do mundial de rally e os pilotos da F-1 tais como Nigel Mansell, Rene Arnoux, Patrick Tambay, Carlos Reutiman, Alan Jones etc, em modelos Rover, disputas em pista, e em pequenas especials de terra. O resultado?..Os Rally-Driver foram ótimos, chegando a incomodar na disputa em pista, vencendo até algumas baterias. Bem, há muito que poderia acrescentar .. a História tem inúmeros exemplos, e olha que falei apenas dos Rallys!

    Motovelocidade, Turismo, Provas de endurance... têm seus expoentes que merecem, e devem ser lembrados!

    ResponderExcluir
  27. Emerson Fittipaldi!
    Na verdade qualquer um que faça automobilismo no Brasil já é um herói mais digno de lendas que o próprio Hércules, mas Fittipaldi conseguiu desenvolver umas "traquitanas" extremamente legais e muito perigosas por aqui, ganhou dois campeonatos de fórmula 1 e foi relativamente bem-sucedido na Indy. Tem conhecimentos de piloto, acertador, mecânico e projetista. Fez 65 anos, coisa que nem Clark, nem Senna jamais conseguiram fazer e ainda deve estar aprontando alguma coisa por aí...
    Outra menção honrosa seria a do Bob Sharp, que além de piloto e jornalista revelou saber o suficiente de mecânica para manter uma revista sobre o tema por um longo período, trabalhou para as principais montadoras quando elas tinham orgulho de chamarem-se de fábricas, e mantem-se ativo quase quebrando a barreira dos 80, ainda que não se concorde com metade do que ele diz, há de se admirar o talento e coragem em dizê-lo. Mas mencioná-lo no próprio blog é meio puxação de saco.
    Senna, sem dúvida estava em outro patamar de pilotagem, era também um acertador de carros sensacional e tornou-se o primeiro filantropo brasileiro a realmente tentar resolver algum problema social e não apenas preencher cheques e posar de bonzinho. Classificaria ele como admirável dentro e fora das pistas, mas pouco mais que bom nos boxes e ligeiramente encrenqueiro em dadas situações que, resolvidas com uma calma de Fangio, seriam muito mais benéficas...
    Na verdade, o que impressiona em Senna, além de seu talento, é a quantia de gente que tenta elevar Schumaher desfazendo dele. O alemão é um ótimo piloto, embora não saiba apertar um parafuso e acertar um carro não seja com ele (Barrichello, por outro lado, é um ótimo acertador, mas não é bom em chegar na frente, detalhe nem tão pequeno nesse esporte. O caráter dele tem algumas falhas, como revela seu nem tão honroso apelido: enquanto Prost era "O professor", e Gonzales tornou-se "o touro dos Pampas" Schumaher ganhou o sutil alcunha de "vigarista" ("Schummel", em alemão. Um tablóide de 94 deciciu chamá-lo assim).

    ResponderExcluir
  28. Arnaldo,
    Muito bom seu texto, levanta uma pergunta bem interessante.
    Antes de mais nada, concordo plenamente que não podemos comprar pilotos de épocas diferentes, é injusto e irreal.

    Quanto a quem seria um bom professor, talvez não diria o Senna, pois o que ele fazia era fora da realidade. Acho que ele não conseguiria explicar, ele apenas sentava no carro, "baixava o santo" e fazia milagres. Era dele, era o dom, e dom não se explica ou ensina.

    Pensando nisso, acho que eu escolheria o Stewart, que era extremamente limpo e pilotava com a cabeça. Ele saberia explicar muito bem o que fazer, como ele faz inclusive, ou já fez.

    Agora, se fosse para andar do lado, de passageiro, ai sim, seriam os malucos que faziam milagre nos carros, como o Gilles, o próprio Senna ou mesmo o Mansell, para ter bastante adrenalina. kkkkkk

    Se nos restringirmos aos pilotos de F1, seriam esses, mas se abrirmos o leque para as outras categorias, pode colocar ai na lista como professores o Tom Kristensen e o Walter Rohrl.

    abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milton, enquanto lia as respostas deste post, estava pensando em escrever justamente sobre isso, que quase sempre os pilotos mais rápidos não saberiam explicar o a melhor forma de pilotar o mais rápido possível (Senna, Gilles, Mansell)... Porém pilotos como, Stewart, Prost e Emerson, creio que eles conseguiriam fazer isso sem o maior esforço...
      E com certeza, no meu ponto de vista, os pilotos mais completos, são os pilotos de rally, pois suas corridas tem tantas variáveis que, além de andar muito rápido (com o pé no fundo) e com a confiança a mil em um lugar que você andou 1 ou 2 vezes no máximo, é no mínimo incrível!

      Excluir
  29. Eu vou no "gentleman-driver" LUIS PEREIRA(PEROBA)BUENO .

    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em minha opinião o melhor de todos os brazucas em qualquer lista dos melhores de todos os tempos de todo o mundo. Só não foi "ungido" pelos deuses da velocidade, que escolheram o Emerson mas, em compensação ganhou ao nascer, um "dom" raramente encontrado mesmo nos pilotos de ponta. Perguntem ao Emerson quem era o Peroba. Ele é piloto campeão e eu sou só um palpiteiro com algum (pouco) conhecimento que teve o privilégio de ouvir por quase 5 anos, histórias arrancadas a forceps, pois LBP detestava falar na primeira pessoa.

      Excluir
  30. Colin McRae e seu lendário Subaru 555 !

    ResponderExcluir
  31. ...bom...se for para ampliar...eu vou de Chuck Yeager.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio06/09/12 18:18

      Bom, mas aí temos Neil Armstrong... o "real McCoy"... "o cara"... fincou a bandeira americana na Lua. Com todo respeito a Chuck Yeager; acho que a maioria aqui já assistiu a "Os Eleitos".
      Apesar disso, os americanos nunca se destacaram na Formula 1. O último americano que teve algum destaque foi Peter Revson, dos tempos do Emerson, visto que Mario Andretti era naturalizado.
      Quem sabe um dos excelentes colunistas do AE possa investigar essa falta de pilotos americanos na Formula 1.

      Excluir
    2. Fácil: Eles tem Nascar, Indy, e mais uma ruma de categoria e pistas de todo jeito pra correr dentro do seu país, vão se aventurar na europa?

      Excluir
  32. Piquet, sem a menor sombra de dúvidas. Além do seu tempo, talentoso, tinha gana de ganhar e ganhou tudo. Este se fez na marra.Aí me cima disseram que os números são incontestáveis e que Schumi foi melhor. Bobagem. Se assim fosse, fazendo um paralelo, a anta paralítica do "Gavião Fedeno" seria o melhor narrador da história, tantao ele narrou e despencou besteira nos ouvidos de tantos durante tantos anos. Quem conhece sabe o que estou dizendo e sabe porque voto no Piquet. Escolhi o cara com quem eu gostaria de aprender. O AK escolheu o dele e outros escolheram os seus. Obvio que teremos divergências a começar pelas idades. Não vi Fangio correr. Quem viu e tem mais de 60, 70, pode dizer.Mas vi Piquet e depois dele o único piloto que realmente era diferenciado foi o Senna.Foram contemporâneos e a dúvida foi tirada numa ultrapassagem de Piquet sobre Senna, na curva, Piquet por fora, derrapando nas quatro, com uma mão e com a outra mostrando o dedo para o Senna.Caixão e vela preta!Morria naquele dia, hora e curva quaisquer dúvidas que pudessem restar. Abs a todos. MAC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio06/09/12 18:25

      Sem tomar partido de um ou de outro, é fato sabido que o Piquet nessa época tinha um carro bem melhor que o do Senna. Não se pode definir, com base no episódio, entre dois pilotos várias vezes campeões do mundo, qual era melhor.
      Piquet, entretanto, com seu despeito por Senna, nos deu uma idéia do que ele próprio achava. E não era ele mesmo.

      Excluir
    2. Não vi Fangio correr, mas respeito o seu retrospecto, os seus resultados e a opinião de quem nele votou. Muito provavelmente deve ser o maior de todos. Também não vi Jim Clark e por isso deixo de opinar sobre ele ( que me diz, Bob Sharp?). Dos que vi correr, o melhor foi o Piquet, com Senna logo em segundo. O que Piquet não tinha era marketing pessoal, carisma. Ele tinha técnica, conhecimento mecânico e habilidade, e isso lhe bastava. Tinha grandes adversários, com carros igualmente bons. E, sem dúvida, o duelo com Senna foi a maior ultrapassagem na história da F1 até hoje.

      Excluir
  33. Aléssio Marinho06/09/12 18:21

    Escolheria para tutor o Nelson Piquet. Ele guia muito, é inteligente, sagaz e com uma concentração que faz inveja a qualquer um.
    Fora isso, a sua capacidade de botar a mão na graxa, sem frescura como fez no ínicio da carreira, trabalhado como mecânico, e até usando peças de clientes da oficina para usar nos seus carros. Mesmo sendo condenável, isso demonstra uma paixão que poucos pilotos possuem, sentimento somente vi na biografia de Fangio e Emmerson, minhas escolhas subsequentes.
    Além do fato dele ainda estar vivo, e morar alí pertinho, em Brasília, mais acessível que os demais. Vai que dou sorte um dia? rsrs

    Quando vejo discussões como essa minha lembrança voa imediatamente aos domingos de manhã, onde assistia as corridas junto com meu saudoso Pai. Ele sempre torcendo entusiasmado pelo Senna, e eu mulecote, me descabelando pelo Piquet. Tempo bom que não volta mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. CCN06/09/12 19:09
      Aléssio Marinho,

      Como bom brasileiro, eu também torcia para o Senna. E gostava tanto dele, que depois de sua morte nunca mais assisti uma só corrida de F1 completa.

      É claro que mesmo assim acompanhei os resultados por um bom tempo e percebi que o Schumacher "ganhava quase todas". Mas como já foi dito aqui, a equipe Ferrari valia ouro e quem sabe os outros pilotos não eram tão bons.

      Também gostava muito de Stewart em sua época. Ele era realmente um piloto rapidíssimo.

      Mas, o melhor entre os melhores, em minha modesta opinião, foi o Piquet.

      Excluir
  34. Schumacher NUNCA fez pole enquanto Senna estava vivo.

    ResponderExcluir
  35. Ou o Nelson Piquet pai, ou o Jackie Stewart, ou o Alain prost e até mesmo o Jenson Button, nessa ordem.

    Qualquer piloto que toque limpo e saiba melhorar um carro já é um grande professor.

    acho que um "tarado" igual ao senna ou ao gilles villeneuve ou o tazio nuvolari não seriam bons professores, apesar de achá-los pilotos espetaculares, não fazem muito meu estilo pra guiada.

    ResponderExcluir
  36. O melhor piloto é o que tem o melhor carro fora do regulamento. Como diz o ditado, apresente-me o campeão que lhe mostro o carro irregular... Lembram da dobradinha Button/Rubinho na Brawn...

    A má fase do Shummy só vem comprovar isso.

    ResponderExcluir
  37. Esta história de melhor piloto é bem pior do que a de melhor jogador. É coisa de rede Globo, Galvão Bueno e imprensa nacionalista, que somente visa o Ibope..Que o diga o Schumaker. Inteligente foi o presidente da Ferrari, Montessemolo, que disse que o Schumaker que iria voltar para a Mercedez era outro, diferente daquele da Ferrari.Não deu outra.O cara desaprendeu a pilotar? Claro que não, apesar de mais velho. Acontece que o carro é outro.Recentemente esta morrendo outro fenômeno, o tal de Vetel. Será que esqueceu de pilotar de um ano para o outro? Claro que não. Mas o piloto não anda sem carro.O Frank willian disse certa vez que um carro de Formula 1 25% é o piloto,25% os pneus, 25% o motor e os demais 25% o chassis.Então vamos parar com essa de comparar épocas diferentes, diferentes tecnologias ,facilidades e dificuldades, pois atualmente, pela restrição de treinos, piloto aprende é jogando vídeo game, não pilotando.Veja o caso do circuito Oval, pilotos consagrados como Piquet e Rubinho desdenhavam o circuito como a formula Indy. Ao chegarem la viram que a coisa é diferente.Cada coisa é uma coisa, não pode ser comparada.O próprio Piquet filho, agora anda dizendo que braço é mesmo somente na Nascar onde os carros são quase iguais. Cada um puxa para sua sardinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Ribeiro07/09/12 12:57

      Sem querer ser chato, mas já sendo:
      é Schumacher, não Schumaker;
      é Montezemolo, não Montessemolo;
      é Mercedes, não Mercedez;
      é Frank Williams, não willian;
      é Sebastian Vettel, não Vetel.
      Desculpe, mas é que doeu nos olhos...

      Excluir
  38. Daniel San06/09/12 20:16

    Como foi muito bem dito,cada época teve seu melhor piloto,eu sempre considerei o Senna o melhor,até que lia biografia do Nuvolari e repensei um pouco meus conceitos,mesmo assim,sem chegar a uma conclusão. Enzo Ferrari dizia que Nuvolari tinha uma coragem "não humana",enquanto Ferdinand Porsche o considerou o "melhor piloto do presente,passado e do futuro". Na minha humilde opinião,o que diferencia o piloto do Gênio é a capacidade de tirar da máquina o que ela não tem para dar,e Nuvolari e Senna eram exemplos disso. Senão vejamos:a vitória de Ayrton em '91 em Interlagos,só com a 6ªmarcha,coisa de que até Piquet duvidou,até ser convencido do contrário.Em '89,após bater com o Prost,Senna fez o motor pegar novamente,trocou o bico quebrado,voltou à pista e ganhou a corrida do Japão. Pra não falar daquela corrida em Donnington,em '93. Ainda estou pra ver o Schummi fazer isso,com todos os 7 títulos dele. Aliás,se números fossem parâmetros de comparação,o Damon Hill seria melhor do que Ronnie Peterson e Gilles Villeneuve...

    ResponderExcluir
  39. Foi só eu começar a ler seu post e... pimba; Fangio. Fico satisfeito em saber que não sou só eu que admirava esse cara.

    ResponderExcluir
  40. Melhor Melhor do Mundo06/09/12 21:10

    Melhor piloto de todos os tempos, futuros inclusive: eu, sem sombra de dúvidas. Sou o melhor melhor piloto do mundo de todos os tempos!

    ResponderExcluir
  41. O melhor, é difícil dizer qual foi o melhor piloto de todos os tempos... o que dizer do Bird Clemente com as Berlineta fazendo miséria em interlagos frente à carros muito mais potentes? E talvez não tenha sido um piloto mundialmente conhecido pois o Andreatta colocava medo em todos os pilotos brasileiros, dizendo que na Europa só haviam monstros......

    ResponderExcluir
  42. Agora, falando de F1, não dá para dizer, este é o melhor, ou aquele..... acho que temos um grupo seleto onde se encaixam perfeitamente Fangio, Clark, Gilles, Piquet, Senna e Shumacher sim... vi a maioria apedrejando o alemão, mas o fato é que ele tirava leite de pedra da Renault, foi para a Ferrari, montou um timaço e desenvolveu um carro vencedor, antes disso a Ferrari estava em uma draga desgraçada... ele têm o seu valor sim, àquelas voltas voadoras que ele dava antes de entrar nos boxes, a corrida de despedida em 2006, em interlagos, foi simplesmente um show do alemão... hoje, além de estar velho, o carro não ajuda, o Rosberg é um bom piloto e também tá comendo o pão que o diabo amassou na Mercedes... Brasileiro não gosta do alemão por causa do bom, porém bunda mole do Rubinho.....

    ResponderExcluir
  43. Já meio que pulei a leitura dos comentários antes que comecem certas babaquices.
    Meu preferido é sem dúvida Tazio Nuvolari.
    Alguém que correu de moto com as pernas quebradas, ganhou a Mille Miglia usando a malandragem de andar com faróis apagados (fato esse que provavelmente inspirou uma corrida em Initial D - Fourth Stage) e sobreviveu incólume e vitorioso aos bólidos de Grand Prix é, no mínimo um gênio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. John Surtees foi 7(sete) vezes campeão mundial de motociclismo e campeão de F1 em 1964.Isto não é babaquice, é uma realidade.

      MK

      Excluir
    2. Babaquice = fanatismosm, o que não é o caso. Surtees é outro que admiro, mas PRA MIM não é o melhor, só isso.

      Excluir
  44. Senna foi o melhor piloto.
    Piquet foi o melhor mecânico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Autoentusiasta bem disposto07/09/12 11:37

      O Piquet ficava nos Pits trocando pneu? E quem pilotava o carro?

      Excluir
    2. Piquet era um grande acertador de carros e conhecia mecânica por realmente por a mão na graxa. Isto ajudou pra caramba. Ele sabia o que fazia. Quando estava na Willians, ele teve que se defender do time todo que era a favor de Mansell e somente seu conhecimento fez isto possível. Além de saber o que fazer na pista ele sabia o que fazer no carro. Grande campeão. So não foi tetra porque sua genialidade se rendeu a burrice da Willians e parou para trocar os pneus dando a vitória a Proust, depois que Mansell se arrebentou. Ele sabia mais e estava a frente do seu tempo. Não tinha o que provar mais e parou para a troca. Ele mesmo nào pararia. Se seguisse seu instinto, teria ido em frente. Mas, atendendo à equipe, parou e Proust venceu. Grande piquet. Não precisava mais disto e talvez estivesse cansado de tanta amolação e críticas.Daí parou e meio que mostrou ao mundo o quanto estava na frente e acima de tudo. Deixou um campeonato para atender aos medíocres. Todo gênio passa por isto e ele nào foi excessão. MAC.

      Excluir
    3. Autoentusiasta bem disposto é ótemo!

      Excluir
    4. Desculpe, não em relação ao Piquet, mas sim em relação ao seu comentário... Se era assim tão gênio, por que obedeceu a equipe? ããã?

      Excluir
    5. Cara, vc não entendeu...Ele obedeceu para mostrar a todos que estavam errados. Foi por isto. Ainda que perdesse o título ele o fez.O título nada significava mais para ele . Ele já os tinha e nada mais havia a provar. Foi uma demonstração de autruísmo como nunca se viu. Avalie, dê uma olhada por este ângulo. Respeito sua opinião se não mudar de ideia, mas não deixe de avaliar o assunto. Abs.

      Excluir
    6. Se escreve "ALTRUÍSMO".

      Excluir
    7. Obgdo. Altruísmo. Que seja.Vai ficar revisando texto ou vai dar sua opinião? Tem uma? Vamos lá. Bôas leituras.

      Excluir
  45. E pensar que um tenente chegou à dizer para um certo jovem então condutor de ambulância de um batalhão do exército italiano :

    - NUVOLARI!!!! Saia deste carro! vc não leva jeito pra isso !!!

    São inúmeras às estórias que envolvem o mítico piloto mântuano.. Mas, oque realmente chama à atenção, é o fato de que Tazio Nuvolari começou à correr depois dos 27 anos!.

    ResponderExcluir
  46. Eu gosto de classificar o piloto pelo dominio imposto em sua epoca. E nisso Fangio foi imbativel. 5 titulos em 4 carros diferentes.

    ResponderExcluir
  47. Eu gosto de classificar o piloto pelo dominio imposto em sua epoca. E nisso Fangio foi imbativel. 5 titulos em 4 carros diferentes.

    ResponderExcluir
  48. Melhor em que ?
    Pra mim foi não. É o Rubinho.
    Nunca ganhou nada. Só muito dinheiro, Não tem como negar o talento do rapaz

    ResponderExcluir
  49. Meu professor seria, sem dúvida, Luiz Pereira Bueno. Peroba era chamado de Meu Mestre por Chico Lameirão. Sua tocada suave esteve com ele mesmo na casa dos 70 anos. Eu vi, sou testemunha.

    ResponderExcluir
  50. Piloto completo é aquele que alé de bom ao volante, é acertador de carro e criador de estratégias. E nisso, Piquet e Prost foram excelentes. Piquet inventou o aquecimento dos pneus (com os cobertores da própria cama), o reabastecimento, o lastro d'agua que evaporava durante a prova.

    Outro bom acertador, mas que não teve muita sorte, foi Gugelmin. Num treino com a March, parou no box e mandou tirar as molas. Os mecânicos protestaram, disseram que era louco, mas ele insistiu. Mediram a altura do carro antes, tiraram as molas e mediram a altura novamente. E nada havia mudado. E o Gugelmin: "Eu não disse que não fazia efeito, não aceitava regulagem?"

    Senna talves fosse insuperável atrás do volante, mas não era grande acertador. Recusava-se a fazer testes de inverno, preferindo pegar a Xuxa em Angra dos Reis, e com isso forçou o declínio da McLaren. Com seu ego monstruoso, foi para a então melhor equipe e na Willians queria mais espaço no cockpit porque seus joelhos raspavam na barra de direção. Àquela altura, ou ele se conformava ou reprojetavam o carro. Impondo o peso de 3 títulos, exigiu solução imediata e a saída foi fazer uma gambiarra, com uma emenda na barra. Gambiarra essa que provocou a própria morte.

    Mas com isso conquistou um feito inédito: o único indivíduo que, sem ter casado, quando morreu deixou 3 viúvas: Xuxa, Adriana Galisteu e Galvão Bueno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou contigo, mas com algumas observações: Piquet (que pra mim foi o melhor na F1) não usou os cobertores da própria cama; ele aquecia o carro inteiro numa cabaninha e a água não evaporava. Ele ia soltando aos poucos na própria pista através de um dreno. Gugelmin, que também foi um excelente acertador, mandou tirar as molas e o carro despencou no chão; o carro estava inteiramente apoiado nelas e a suspensão ali era indiferente. Senna, que também acho que era imbatível atrás do volante, não preferia "pegar a Xuxa", como vc escreveu; aquilo era marketing para ambos. Quanto as viúvas, aí vc esqueceu de mencionar a legião de garotos, na época, que só sabiam o que era automobilismo através da Globo, na voz da viúva-mor.

      Excluir
    2. Prezado Ciro Margoni; Que perfeição de definição!!! Incrível. Três viúvas. Morri de rir! A mais chorona a Gaviona, sem dúvida! É que não se pode falar e é proibido comentar, ainda mais nestes novos tempos em que "elas" lotam a Paulista com 3 milhões..... O caso das duas foi abafado igual ao da jornalista da Globo e do Fernando Henrique....Uma vez a mulher da Galviona quase quebrou o Hotel quando acordou de noite procurando o marido e o encontrou em outro quarto....Adivinha de quem?

      Excluir
    3. Cirão levou a taça sem dúvida!!!!!!

      Excluir
    4. Anônimo e Ciro, belas definições!

      Excluir
  51. So um idiota escreveria tamanho absurdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Idiota é quem chama os outros de idiota.
      Cada pessoa tem a sua opinião e deve ser respeitada.

      Godofredo.

      Excluir
    2. O quê, em todo o texto, considera um absurdo? Poderia ser mais específico?

      Excluir
  52. Paulo Sípoli:

    Ao ler o excelente texto do Arnaldo, vim aqui escrever, e vc já o fez.

    Não tenho a menor dúvida que é um Hans Strudel. Stuck, aquela fera na chuva? Não, Strudel mesmo.

    Mais uma excelente das que JLV fez questão de deixar lá na Motor 3.

    Mas os melhores eram mesmo denominados Mestres. Não morriam em pista por erro próprio de pilotagem ou acerto. Morrerão de velhice.

    Apreciar Loeb , Stewart, Lauda, Prost, Piquet....... é sensato.

    Stewart poderia ter facilmente os melhores números da F1. Mas parou. Prost já meio idoso, em evento extra pista demoliu Senna e depois Schumacher.

    Vejam vocês, no jornalismo especializado tivemos aqui muitas feras ! Outro dia vi o Duda Rosa na GT ganhando prova de Mercedes SLR GT3 : Expedito Marazzi foi testar um superkart no sul, desceu do avião e virou tempo do Duda Rosa na pista do menino. José Luis M. Vieira deu absurdas aulas de pilotagem via papel. Uma pena não ter Tube à época. Bob Sharp já vem com décadas de " Mestre ' por aqui, e numa passada pelas revistas de Performance, Teco Caliendo mostrou que mesmo da arrancada, sai um piloto sobre humano em outras condições.

    Aprecio a pilotagem do Ingo.

    ResponderExcluir
  53. Quando postei um comentário ontem, estava convicto de que falavamos de pilotos sobre 4 rodas, mas alguém ai encima me ajudou e falou de motociclismo, então aqui vai o segundo (Senna No 1 sempre) William Joseph "Joey" Dunlop!
    Um homem da era Romantica e "politicamente icorreta" da qual pertenceram monstros sagrados como Fangio, mas que corria na era moderna e GANHAVA!
    Meu capacete é amarelo com faixas pretas a única replica do capacete que conheço.
    Acosta

    ResponderExcluir
  54. Gilles Vileneuve
    Só nao sei de eu iria viver muito depois de aprender a guiar como ele guiva
    Mas ele era o masssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Umas aulinhas de portugues vao bem de vez em quanto , nao ?
      Escreve-se : Máximo

      Excluir
  55. Caro Arnaldo Keller,
    http://www.youtube.com/watch?v=z6HixXpf9Ns
    será que você tem conhecimento deste vídeo? e do comentário abaixo?

    O tricampeão Jackie Stewart, comentando a cena, disse que era "como fazer um looping com um Boeing 747.
    abs
    Carlos.

    ps. parei de ler os comentários qdo um dos ´experts´falou algo sobre o Schumacher não conquistar o que conquistou se o DEAD estivesse participando, só tenho a dizer que jamais vc verá um personagem chamado Piquetzinho......


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a palavra, o expert: é óbvio que não verá. Quem iria comprar uma revista com um personagem baseado em um antipático de carteirinha ganhador do Troféu Limão, e invejoso da popularidade do outro?

      Excluir
    2. Só uma obervação cidadão! Fique apenas com o piloto Piquet, e suas atuações dentro das pistas, seus feitos e glórias, méritos incontestáveis de um talento que salta aos olhos! Foi um polivalente, mecânico, estrategista, e de quebra...piloto!. Ele pode ter um carater questionável, duvidoso, mas usar ''argumentum ad hominem'' para desqualifica-lo, é tolice.

      Excluir
    3. Então, tá: fora caráter, também sou mais o Senna, mas não sei se notou: não desqualifiquei o Piquet como piloto, apenas coloquei os motivos pelos quais ele não virou personagem de HQ.

      Excluir
    4. O que se fala do caráter de Piquet vem muito da imprensa, mas pouco de quem conviveu com ele, nos bastidores das pistas mas longe das câmeras.

      Recomendo a leitura do livro Fórmula 1 - O Circo e o Sonho, de Nice Ribeiro. Editado pela Best Seller, que foi comprada pela Record, saiu de catálogo, mas pode ser baixado no site:

      http://www.muambeiros.net/download/livro-formula-1-o-circo-e-o-sonho-nice

      Excluir
    5. Ele namorou essa tal Nice também?

      Excluir
    6. Eu tenho esse livro. Vale a pena ler.

      Mostra que o Piquet podia ser um limão em público, mas era gente em particular. Conheci ele pessoalmente num evento em Porto Alegre anos atrás, já aposentado das pistas, e foi bastante educado e solícito.

      Quanto ao Senna, como foi dito num comentário acima, tinha um ego enorme. Solícito com a imprensa e diante do público, mas em particular abriu processo e proibiu a Gurgel de lançar o BR800 com o nome de Cena - Carro Econômico NAcional, sóm porque o som era o mesmo.

      Pércio

      Excluir
  56. Mr. Car,
    seu comentário baseado em um ps é sintomático!!!!!!!!!
    abs
    Carlos

    ResponderExcluir
  57. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se Barrichello fosse uma nulidade, não teria permanecido por tanto tempo na F1. Lá, nulidades passam e só fica quem é bom. Nulidades foram o irmão do Schumacher e Christian Fitipaldi. Ambos só chegaram à F1 pos causa do sobrenome. E atualmente temos mais um caso desses: Bruno Senna. Por enquanto, sub judice.

      Excluir
    2. Riccardo Patrese, Andrea De Cesaris, Denis Hulme,David Couthard, Só exemplos.
      A listagem de nulidades na F1 é enorme.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Anônimo 07/09/12 22:18
      Nenhum piloto de F-1 é nulidade. E o Dennis Hulme foi campeão em 1967.

      Excluir
  58. Melhores professores provavelmente seriam o Piquet e o Rubinho. Daria para andar rápido, constante, ter uma tocada limpa na chuva e ainda conseguir tranformar quase qualquer carro em um campeão. O problema seria o Piquet ter paciência para ensinar...
    Agora o mais divertido provavelmente seria o Mansell. Haveria apenas um mandamento: o acelerador deve estar colado no assoalho. Sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Marcos, o pé direito do Mansell era um tijolo , talvez por isso ele tenha dado certo de cara na F Indy, onde o buraco é fundo, o muro duro e o arrojo, fundamental.

      Excluir
  59. Dizer que o Schumacher não merece entrar na lista é uma bobagem sem tamanho...

    Escolheria-o mas não vou ficar explicando a cego como se parecesse a cor azul... se é que me entendem...

    Como professor escolheria Walter Röhrl simplesmente o piloto mais técnico que já existiu. Destruiu o Pikes Peak e depois espantou o mundo em Nordschleife sob a chuva e nevoeiro, antecipava as curvas na memoria. Isso sem antes mostrar aos outros como se pilotavam os Audi de turismo com turbo e tração quattro, simplesmente mudando a técnica de redução antes das curvas. Não é a toa que foi chamado de gênio sobre rodas por Lauda. Hoje acerta os Porsches num trabalho realmente fantástico e que só mostra sua qualidade técnica.

    ResponderExcluir
  60. Para mim, fica difícil escolher quem seria meu professor, pois conheço poucos detalhes dos pilotos de antigamente, como Fangio, Nuvuolari, Ascari, Stewart e outros. Certamente, esses estariam entre os melhores instrutores, pois dirigir rápido os F1 daquela época (até os anos 70) exigia muita técnica. Sem forçar o carro além do limite de quebra então...

    Dos mais recentes, ficaria com o Prost, por ser extremamente técnico. Sabia andar rápido quando necessário, mas nunca forçava os limites sem motivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.

      Tetracampeão sem fraturas ou hospitais, bateu Arnoux na Renault,fez 1 campeonato em cima do Lauda( perdeu 1) bateu Rosberg na Mclaren, bateu Piquet e com carro inferior, Bateu Mansell, Alesi nos Ferrari, conseguiu título em cima do Senna ( perdeu 1), fez um título depois de velho assim como Lauda e aposentou inteiro.

      Excluir
  61. Pois é! Há muito tempo escutei ou li a expressão: " Um professor medíocre dá a matéria, um bom professor ensina a matéria, um ótimo professor é aquele que inspira! " O mesmo vale para esta questão...Como já sou meio jurássico e tenho minhas dúvidas se alguem ainda realmente pilota um formula 1 desde que inventaram o monitoramento a distancia dos carrinhos deste autorama para adultos, não consigo ver uma foto como a de Fangio corrigindo no braço seu ferrari-lancia sem me sentir inspirado.

    ResponderExcluir
  62. Os melhores pilotos vencem em Le Mans.

    ResponderExcluir
  63. Nem me arrisco a opinar, mas este trecho do texto explica muito... "Muito motor, pouco peso, zero downforce – pelo contrário, tinham alguma sustentação –, muita velocidade na reta, pouco freio e pouca borracha no chão."

    Walter Röhrl, muito bem citado!

    Sds

    ResponderExcluir
  64. Não tem como dizer quem é o melhor de todos os tempos. São muitas "disciplinas".
    Fangio e Clark não venceram em Le Mans. Ickx foi o primeiro a conseguir 6 títulos em Le Mans, mas não foi campeão na F1. Petty ainda é dono de vários NASCAR. Mas será que esses superariam Vatanen no rally?
    E por aí vai...

    ResponderExcluir
  65. Arnaldo Keller08/09/12 19:06

    Fico meio na duvida a respeito do modo de pilotagem de cada piloto. Temo formarmos opiniao partindo de comentarios dos locutores da Globo, que, a meu ver, prezam pela desinformacao. Ali o unico que manja eh o Burti, que, por sinal, nao deixam falar. Entra mudo e sai calado. Soh traduz volta e meia a radio-comunicacao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arnaldo, não escapa nem o Reginaldo???

      Excluir
    2. Ciro,

      Muito manso pro meu gosto. Aceita tudo do Galvão. Bola murcha.

      Excluir
  66. Ainda bem que hoje o Emerson estava lá, mas ficou dividido num comentário divergente entre o Reginaldo e o Burti, sobre a "jogada" do Vettel. Na real ele foi político, afinal ele está divulgando o evento pela Globo né...

    Sobre a corrida... Pena que quebrou o carro do Button, piloto que eu mais curto assistir na F1 atualmente.

    ResponderExcluir
  67. Ari Vatanen

    Gilles Vileneuve

    Tazio Nuvolari

    Bird Clemente

    ResponderExcluir
  68. Retorno...para por o "Porque Tazio"

    antes,

    [Lorenzo Frigerio06/09/12 18:18
    Bom, mas aí temos Neil Armstrong... o "real McCoy"... "o cara"... fincou a bandeira americana na Lua. Com todo respeito a Chuck Yeager; acho que a maioria aqui já assistiu a "Os Eleitos".
    Apesar disso, os americanos nunca se destacaram na Formula 1.]

    É preciso assistir Os Eleitos... Ler 'Red Stuff'... e conhecer a história da aviação e aeronáutica e entender o papel de cada um, como Neil... e Chuck.
    Fincar uma bandeira na lua... depois que um homem quebrou a barreira do som pela primeira vez sendo que antes dele todos haviam morrido?
    Neil morreu...mas isso não tira o fato de que ele foi indisciplinado e empurrou àquele que era quem deveria pisar na Lua: Aldrin. E... o porque de citar F1 como 'o melhor' é porque sempre aparece como 'fiador', como na frase recortada acima destacada. Seria o caso de um americano não ter condições de ter 'um melhor piloto de todos os tempos' por não ter ninguem de peso na F1?

    A postagem 'sugeriu' a F1 nas entrelinhas...só isso.


    Mas...minha escolha dentro do universo da F1 tem dentre tantos fatos e façanhas, e caracteristicas... essas abaixo apresentadas pelos colegas aqui e que recorto:

    Daniel San06/09/12 20:16
    Como foi muito bem dito,cada época teve seu melhor piloto,eu sempre considerei o Senna o melhor,até que lia biografia do Nuvolari e repensei um pouco meus conceitos,mesmo assim,sem chegar a uma conclusão. Enzo Ferrari dizia que Nuvolari tinha uma coragem "não humana",enquanto Ferdinand Porsche o considerou o "melhor piloto do presente,passado e do futuro". Na minha humilde opinião,o que diferencia o piloto do Gênio é a capacidade de tirar da máquina o que ela não tem para dar,e Nuvolari e Senna eram exemplos disso.


    Joel Gayeski06/09/12 23:12
    Já meio que pulei a leitura dos comentários antes que comecem certas babaquices.
    Meu preferido é sem dúvida Tazio Nuvolari.
    Alguém que correu de moto com as pernas quebradas, ganhou a Mille Miglia usando a malandragem de andar com faróis apagados (fato esse que provavelmente inspirou uma corrida em Initial D - Fourth Stage) e sobreviveu incólume e vitorioso aos bólidos de Grand Prix é, no mínimo um gênio.


    continua...

    ResponderExcluir
  69. continuando...

    Comparar pilotos de gerações diferentes não é algo tão impossível ou tão pouco irracional. Não é questão de comparar números. É questão de comparar o conteúdo dentro de seu momento histórico. Essa é a avaliação. Ficar na estatística,coisa de norte americano, é ficar por demais preso ao concreto e inverossímel, como cita um comentário acima dizendo Damon Hill ficar acima de Peterson e Villeneuve. Inverossimel...para dar um exemplo (sem julgamento de valor): um piloto de F1 que para perto das voltas finais, pessimamente qualificado, apenas para voltar com pneus novos e registrar a melhor volta da prova 'estatísticamente'. Nâo convenceu? Primeira pole da carreira de RubInho-zinho.

    Caracteristica não é se o cara sorri para as cameras, se 'pega todas', ou qualquer outra coisa que não aquilo que diz respeito ao veículo e o meio em qual ele se desloca.

    ah...ia me esquecendo... a 'carta' de Rives é muito bonita...mas totalmente metafísica...porque dentro da ordem que ele apresenta, se criado um imperativo categorico, então...tudo e todos que estão na história e sustentam-se nos estandartes são falsos e plausível de haver algum melhor em qualquer canto. Um tenor melhor que o pavarotti, um pintor melhor que Da Vinci, ...e que nem sabem que são...porque estão cortando lenha, lavando prato ou sei lá o quê.
    Somos seres diversos...e portanto divergentes. Que mal há alguem achar que o De Vilota é bom... o xumaker (esse é só para vir alguem corrigir minha grafia)... e outro achar que é Bird Clemente?

    Vivemos em um país de proporções continentais e de uma vasta cultura que tal como o melhor piloto, podemos tambem perguntar com a mesma diversidade na resposta o seguinte: qual a melhor comida típica brasileira?

    Que respondam os senhores da verdade...

    Na aviação ainda continuo com Chuck.

    Para fechar...
    Ja comparar entre categorias e tipo de veículos... aí sim é uma babaquice como a que um certo canal de televisão esta fazendo para o 'povo' escolher o maior brasileiro de todos os tempos. Que ridículo.

    ResponderExcluir
  70. Piquet é um grande acertador de carros, mas tem um defeito é muito lento, falta base, porque ele começou a correr muito velho, além de ter problemas cardíacos desde criança, ou seja, não tinha um bom preparo físico,o que se percebia quando ele corria em pistas muito desgastantes, já Senna é o contrário é muito rápido, principalmente em pistas novas, molhadas ou travadas onde a habilidade não é tão importante, não há dúvida que ele é melhor que Piquet o avanço da telemetria faz que qualquer piloto saiba ajustar o carro, mas tem defeitos ele é muito afoito, por isto sou mais Prost ou Schumacher que são os mais equilibrados. Prost é muito superior ao Piquet como piloto acredito que seja 1,0 segundo por volta mais rápido, quem disse isto foi o Gordon Muray que trabalhou com os dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano eu concordo com você, qualquer piloto a partir da década de 80 sabe acertar um carro, com o surgimento do túnel de vento, computadores, telemetria, pilotos de testes ...aliás todas as equipes de F1 possuem seus pilotos de testes, e todos invariavelmente são pilotos ou novatos ou experientes, porém experientes que fracassaram na F1 por não serem rápidos, as equipes pegam um piloto novato pagando pouco e oferece um contrato de médio a longo prazo (para evitar que ele leve informações a outras equipes) , o próprio Senna foi convidado em 1984 pelo Ron Dennis para ser o seu piloto de teste, mas Senna não quis, porque Ron Dennis queria um contrato longo, já Senna preferia correr imediatamente por isto optou por uma Toleman-Hart. O piloto de desenvolvimento dos motores Honda na década de 80 era o Nakajima, até meados da década de 80 havia poucas equipes que tinham pilotos de teste, mas depois invariavelmente quase todas as equipes tinham. Quando o Nélson Piquet culpou o Senna do fracasso da Lotus, dizendo que ele não sabia acertar o Lotus...mais tarde ao testar o Lotus 99T ele teve que reconhecer que o carro era ruim, quando o Piquet foi para Benetton que estava em grande ascensão, o Piquet foi um dos responsáveis pela saída do Rory Byrne, o Piquet convenceu o Briatore a contratar um projetista de peso ou o Gordon Muray ou o John Barnard...no lugar do tímido Rory Byrne e foi escolhido o Barnard e a equipe decaiu...ou seja, mais um erro de avaliação do Piquet, Schumacher em 1992 trouxe de volta o Byrne e Ross Brawn...que fez um carro totalmente novo o B192 que originou os campeões B194 e B195. O que o Piquet tem de vantagem é alto conhecimento mecânico...isto é incomparável....mas o próprio amigo e projetista John Barnard disse para o Piquet "o seu alto conhecimento mecânico não vai me servir pra nada"... Por isto pessoal não confundir alto conhecimento mecânico com capacidade de acertar carros..

      Excluir
  71. Meus amigos eu concordo com um de vocês que disse que independentemente dos numeros da sim para considerar um piloto sem titulo por exemplo como um desses melhores porque não,Gilles Villeneuve é o caso mais conhecido era um genio "louco" sem duvida.

    ResponderExcluir
  72. Há que diga, que o melhor piloto de todos os tempos foi o italiano Tazio Nuvolari, que correu no chamado campeonato Europeu, pré-formula 1. Ganhou tudo que podia, e virou uma lenda quando ganhou o campeonato de motos com as duas pernas quebradas. Nas 24 horas de Le Mans, dirigiu a noite com o carro todo apagada para surpreender seu rival Achille Varzi e passá-lo. Dirigiu uma corrida com um dos braços machucado, e conseguiu vencer. Era muito bom. O próprio Enzo ferrari dizia que foi o melhor piloto de todos os tempos.

    Na minha opinião acho que Senna e Jim Clark e Stewart foram os melhores da F1.

    ResponderExcluir
  73. Muito bom o post vou sempre visitar seu blog !!

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.